Você está na página 1de 10

1

UNIVERIDADE CATÓLICA DE MOÇAMBIQUE

CENTRO DE ENSINO A DISTANCIA =CED=

PROGRAMA: NAMPULA -CED-020

CRITÉRIOS E NORMAS DA AVALIAÇÃO DO TRABALHOS ESCRITOS DO


CAMPO

Nome do estudante: Ano de frequência:

Especialização:
Trabalho de:
Dirigido ao Docente
Confirmado pelo responsável do CED Data de entrega:

ASPECTOS A CONSIDERAR NA CORRECÇÃO: Cotação Cotação


Introdução: exposição e delimitação do assunto em análise:
Desenvolvimento:
Fundamentação teórica (definição de conceitos e termos
apresentados dos pontos de vista dos autores). Interligação
entre teoria e prática (argumentos/contra argumentos e
explicitações)
Clareza expositiva
Citações bibliográficas directas e indirectas
Conclusão
Referências bibliográficas (normas APA)
Cotação total:
Assinatura do Docente
Assinatura do assistente pedagógico:

Augusto Efrem Amisse


2

Síntese de respostas

Trabalho de licenciatura submetida a CED

Da Universidade Catolica de Moçambique


como requisito parcial para avaliação da da
cadeira de Ética Social

Universidade Católicas de Moçambique

Nampula

2020

Índice
Introdução..........................................................................................................................4

A SILVICULTURA DE MOÇAMBIQUE.......................................................................5
3

1.1 As principais espécies florestais em Moçambique......................................................5

1.2 Importância económica da silvicultura........................................................................5

1.3 A conservação e protecção das florestais....................................................................5

1.4 As medidas a adoptar para a conservação e protecção de florestas............................5

Gestão de Recursos Florestais e Faunísticos.....................................................................6

3.Industrias e sua respectiva característica........................................................................7

3.2 Indústria transformadora pesada ou de base e equipamento.......................................7

3.3 Características gerais...................................................................................................7

3.4 Os factores da localização da indústria.......................................................................8

3.5 Indústrias extractivas e a sua localização geográfica:.................................................8

3.6 A importância da indústria para economia..................................................................9

4.Transporte e sua peculiaridade.......................................................................................9

5. Actividade comercial em Moçambique.......................................................................10

6.Turismo e seu impacto em Moçambique......................................................................11

6.1 Impacto de Turismo em Moçambique.......................................................................11

7. O Distrito como Pólo de Desenvolvimento.................................................................12

8.A dívida externa de Moçambique.................................................................................13

9. Temas de actualidade de Moçambique........................................................................13

10. Integração Regional...................................................................................................13

Conclusão:.......................................................................................................................15

Bibliografia......................................................................................................................16
4

Introdução

Geografia de Moçambique tem sido uma das cadeiras que incute ao estudante uns
conhecimentos sobre as formas de organização do ensino de Geografia, no tocante da
política educativa, enquanto docente ou mesmo gestor escolar, para levar avante o
processo de ensino e aprendizagem. Entretanto, o presente trabalho, de carácter resumo
aborda sobre temas que estão virados para a Silvicultura, como sendo o assunto tocante
da cadeira.

Silvicultura pode ser definida como a ciência da plantação, tratamento e exploração


florestal. Como ciência, dedica-se ao estudo e aperfeiçoamento de métodos naturais e
artificiais de regeneração e melhoramento de povoamento florestal.
Principais espécies (naturais e culturais) e a sua localização geográfica Moçambique
possui um potencial florestal importante. Estima-se que, em 1980, a área ocupada por
florestas era de cerca de 57 000 000 de hectares, dos quais 36% tinham potencial para a
indústria madeireira.  
A intensa utilização dos recursos florestais pelo ser humano e a sua destruição com o
objectivo de criar espaços para o desenvolvimento de outras actividades são
responsáveis pela degradação desta componente da biosfera. Mas, com a crescente
consciencialização das pessoas sobre a necessidade de conservar e preservar a Natureza,
surgiu a necessidade de conservar e preservar este recurso. Como forma de minimizar
os impactos negativos da actividade humana, foram definidos planos que orientam as
acções no sentido da conservação e da utilização das florestas de uma forma sustentável.
Assim, a conservação e utilização sustentável das florestas consistem na guarda das
mesmas e no condicionamento do seu aproveitamento. A guarda revolve-se com a
criação de reservas florestais, enquanto o condicionamento do seu aproveitamento se faz
com a aplicação de planos de maneio e de exploração florestal. A necessidade de
conservação e preservação prende-se, por um lado, com a função de´´ pulmão`` que as
florestas  desempenham e, por outro lado, com razões de ordem social, económica e
cultural. Ademais, sabe-se que a capacidade de recuperação das florestas é muito lenta.
5

1.O Conceito de Liberdade segundo a Filosofia


Segundo a filosofia, liberdade é o conjunto de direitos de cada indivíduo, seja ele
considerado isoladamente ou em grupo, perante o governo do país em que reside; é o
poder qualquer cidadão tem de exercer a sua vontade dentro dos limites da lei.

Liberdade significa o direito de agir segundo o seu livre arbítrio, de acordo com a
própria vontade, desde que não prejudique outra pessoa, é a sensação de estar livre e
não depender de ninguém. Liberdade é também um conjunto de ideias liberais e dos
direitos de cada cidadão.  Liberdade é classificada pela filosofia, como a independência
do ser humano, o poder de ter autonomia e espontaneidade.

A liberdade é um conceito utópico, uma vez que é questionável se realmente os


indivíduos têm a liberdade que dizem ter, se com as mídias ela realmente existe, ou não.
Diversos pensadores e filósofos dissertaram sobre a liberdade como Sartre, Descartes,
Kant, Marx e outros.  No meio jurídico, existe a liberdade condicional, que é quando um
indivíduo que foi condenado por algo que cometeu, recebe o direito de cumprir toda, ou
parte de sua pena em liberdade, ou seja, com o direito de fazer o que tiver interesse, mas
de acordo com as normas da justiça.

Para Espinoza  (1632-1677), a liberdade possui um elemento de identificação com a


natureza do “ser”. Nesse sentido, ser livre significa agir de acordo com sua natureza.

1.1 Tipos de liberdade Humana

Existem três tipos de liberdade 

 A primeira é o tipo “ser livre de,” uma liberdade das restrições da


sociedade.
 A segunda é  “ser livre para”, uma liberdade para fazer o que queremos
fazer.
 A terceira é “ser livre para ser”, uma liberdade não apenas para fazer o
que queremos, mas para sermos quem temos que ser.

Jean-Jaques Rousseau, o Filósofo Francês do século XVIII, observou que “O homem


nasce livre, e em todas partes ele está acorrentado”, Estas correntes são as regras sociais
6

opressivas que restringem o que podemos fazer fisicamente. Mas são também correntes
mentais, correntes que restringem o que nós acreditamos que podemos fazer.

2. Abuso de poder

Abuso de poder ou abuso de autoridade é conceituado como o ato humano de se


prevalecer de cargos para fazer valer vontades particulares. No caso do agente público,
ele actua contrariamente ao interesse público, desviando-se da finalidade pública.
A democracia directa é um sistema que se opõe a este tipo de atitude. O abuso de poder
pode se dar em diversos níveis de poder.

Alguns exemplos podem ser o funcionário público que acha que é dono do espaço
público só porque tem autoridade para cuidar do local e é protegido pela lei. Ou quando
uma pessoa detentora de autoridade usa critérios baseados em abuso de autoridade
e preconceitos. Ou o político que acha que pode tomar decisões de autoridade sem
consultar democraticamente o povo que o elegeu.

2.1 Abuso de autoridade

Constitui-se "abuso de autoridade" quando uma autoridade, no uso de suas funções,


pratica qualquer atentado contra a liberdade de locomoção, a inviolabilidade
do domicílio, o sigilo da correspondência, a liberdade de consciência e de crença, o livre
exercício do culto religioso, a liberdade de associação, os direitos e garantias legais
assegurados ao exercício do voto, o direito de reunião, a incolumidade física do
indivíduo e, aos direitos e garantias legais assegurados ao exercício profissional
(incluído pela Lei nº 6.657, de 5 de Junho de 1979). O abuso de autoridade levará seu
autor à sanção administrativa civil e penal, com base na lei. A sanção pode variar desde
advertência até à exoneração das funções, conforme a gravidade do acto praticado.

2.2 Abuso do poder económico

Constitui abuso do poder económico a toda forma de actividade de eliminação


da concorrência e domínio dos mercados.
7

2.3 Abuso sexual
O assédio sexual é um tipo de coerção de carácter sexual praticada por uma pessoa em
posição hierárquica superior em relação a um subordinado, normalmente em local de
trabalho ou ambiente académico. O assédio sexual caracteriza-se por alguma ameaça,
insinuação de ameaça ou hostilidade contra o subordinado, às vezes com fundamento
em sexismo.

Exemplos clássicos são as condições impostas para uma promoção que envolvam
favores sexuais, ou a ameaça de demissão caso o empregado recuse o flerte do superior.

O assédio sexual também pode ocorrer fora do ambiente de trabalho, em situações em


que a vítima pode ser constrangida publicamente com gestos ou palavras, ou ainda
impedida de reagir por se encontrar impossibilitada de deixar o local, como no caso
dos transportes colectivos lotados. Outra forma de assédio sexual é o acto de seduzir ou
induzir a vítima a práticas sexuais não consensuais quando esta encontra-se sob efeito
de alguma substância que altere seu autocontrole, como o álcool por exemplo. Quando o
assédio chega às vias de fato, caracteriza-se o abuso sexual ou a violação.

3.Contraste entre o conhecimento e a ignorância

O fenómeno que tanto incomodava a Bertrand Russell e Humberto Eco foi estudado
pelos psicólogos americanos Justin Kruger e David Dunning, da Universidade de
Cornell. Eles descreveram o efeito Dunning-Kruger, segundo o qual indivíduos que
possuem pouco conhecimento sobre um assunto julgam saber mais que outros mais bem
preparados. Os cientistas concluíram que muitas vezes a ignorância gera confiança com
mais frequência do que o conhecimento, dando a pessoas desqualificadas a sensação de
uma “superioridade ilusória”. Assim, indivíduos com ideias preconcebidas, intuições,
vieses e pressentimentos constroem versões distorcidas da realidade e se agarram à
ilusão de que são detentores de conhecimento confiável.

Os estudiosos dessa “superioridade ilusória” analisam que, quanto mais ignorante


alguém for em um assunto, menos qualificado será para avaliar a habilidade de qualquer
pessoa que trabalhe no mesmo assunto, incluindo sua própria habilidade. Quando
alguém usa uma rede social para disseminar absurdos e ninguém o contrapõe, esse
8

indivíduo se assume um expert. Isso resulta em uma percepção artificialmente inflada


das suas próprias habilidades, muitas vezes temperada pelo ego. O mesmo efeito fará
com que pessoas igualmente incompetentes se parabenizem e se apoiem, pois não
conseguem detectar suas insuficiências. Por isso, muitos ambientes de discussão
efervescente são nada mais que arenas da ignorância, que afugentam as pessoas mais
habilitadas a iluminar o debate.

Portanto, não é possível esperar que o confronto entre o conhecimento e a ignorância se


abrande no futuro, pois enquanto a ciência e a tecnologia avançam em ritmo
exponencial, a política, a economia e a educação seguem em ritmo lento e linear. Na era
do conhecimento, a grande maioria dos países acumula imensos passivos na formação
de talentos e competências e muitas vezes a educação e a ciência são tratadas com
pouca ou nenhuma prioridade. O perigo é que uma legião de desinformados cheios de
certezas multiplique conflitos desnecessários e comprometam o progresso. Esse é um
desafio importante para o Brasil, que acaba de ser apontado na pesquisa “Os Perigos da
Percepção”, do instituto Ipsos Mori, como a segunda nação, em 38 pesquisadas, em que
as pessoas mais têm uma percepção equivocada da realidade do seu próprio país.
9

Conclusão

Liberdade e Ética.  De acordo com a ética, a liberdade está relacionada com
responsabilidade, uma vez que um indivíduo tem todo o direito de ter liberdade, desde
que essa atitude não desrespeite ninguém, não passe por cima de princípios éticos e
legais.
É mediante a liberdade que o Homem se exprime como tal e em sua totalidade. Esta é
também, enquanto meta dos seus esforços, a sua própria realização. 

Referências Bibliográficas:
1) SARTRE Jean. Todo humanismo é um existêncialismo. 2º, São Paulo, 1990,
p.31-42.
2) Colecção Os Pensadores – Vol XXXV – Manuscritos Econômico-Filosóficos e
Outros Textos Escolhidos – Karl Marx- seleção por José Arthur Giannotti.
10

2) Wady, Ariane Fucci Wady. Diferença entre o Abuso de Poder e o Abuso de


Autoridade
3)FERREIRA, João Batista (2009). Perdi um jeito de sorrir que eu tinha: violência,
assédio moral e servidão voluntária no trabalho. Editora 7Letras.