Você está na página 1de 45

AÇO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

PERFIL ESTRUTURAL

Prof. Dr. José Antonio Armani Paschoal


APLICAÇÃO DOS PERFIS NA
CONSTRUÇÃO CIVIL
AÇO NA ARQUITETURA
• Século XIX – Introdução do ferro fundido na
construção civil.
• Antes a arquitetura de pedra, de madeira, do
barro.
• O aço ainda está em desenvolvimento e está
ligado ao processo de industrialização.
• Apesar de já ter algumas décadas, foi nos anos
80 que apareceram propostas ambiciosas, entre
desafios construtivos e ambientais.
CARACTERISTICAS DAS ESTRUTURAS
DE AÇO
• Qualidade homogênea.
• Boa relação entre resistência mecânica e peso específico.
• Estruturas leves e esbeltas com elevadas resistências.
• Cuidados com flambagem, flechas, e vibrações.
• Oxida-se facilmente, exigindo proteção.
• Perde resistência com aumento da temperatura.
• Grande precisão de fabricação.
• Atenção quanto a transmissão de esforços entre os
elementos, principalmente esforços de cargas horizontais.
DESVANTAGENS DO USO DO AÇO
• Exige maior conservação que o C.A.
• Exige maior especialização da mão-de-obra de
montagem, elevando os custos.
• Exige proteção contra incêndio, aumentando
os custos.
• Estrutura de aço é mais onerosa que o C.A.
VANTAGENS DO USO DO AÇO
• Diminuição no peso e nas dimensões das estruturas.
• Permite vãos maiores com menor custo em
fundações.
• Maior rapidez na execução que o C.A.(in loco).
• Facilidade de montagem e menor preço de
transporte que C.A. pré-moldado.
• Permite acréscimos e reforços sem muitas
dificuldades.
• Permite desmontagem para reuso ou venda como
sucata.
MATÉRIAS-PRIMAS

• Minério de ferro.
• Carvão mineral ou vegetal.
O QUE É O AÇO?
O aço é,
basicamente, uma liga metálica de ferro e
carbono, com teor de carbono entre 0,002% a
2,00%, podendo possuir pequenas
quantidades de outros elementos como: Si,
Mn, Ti, Ni, Cu, Co, Cr.
OBTENÇÃO DO AÇO
• O aço é obtido pelo refino do ferro gusa, na
aciaria, ou pela fusão de sucata de aço, em
fornos elétricos ou de indução.
• Ferro gusa é o produto obtido na fusão do
minério de ferro no alto forno, com teor de
carbono aproximado de 4,0%.
• O aço é produzido nas usinas siderúrgicas.
PROCESSO DE FABRICAÇÃO

• Preparo das matérias-primas.


• Produção do ferro gusa (alto forno).
• Produção do aço ( aciaria).
• Conformação mecânica (laminação).
LAMINAÇÃO

• Laminação é o processo onde o aço é


efetivamente transformado em barras,
chapas, fios ou perfis de aço.
TIPOS DE CHAPAS
LAMINADAS GROSSAS LAMINADOR

- Espessura: 6 a 200mm
- Largura: 1000 a
3800mm
- Comprimento: 5000 a
18000mm
TIPOS DE CHAPAS
LAMINADAS A QUENTE LAMINADOR

- Espessura: 1,20 a
12,50mm
- Largura: 800 a
1800mm
- Comprimento: 2000 a
6000mm
TIPOS DE CHAPAS
LAMINADAS A FRIO LAMINADOR

- Espessura: 0,30 a
3,00mm
- Largura: 800 a
1600mm
- Comprimento: 2000 a
3000mm
PERFIS

• Os perfis laminados seguem o mesmo


processo dos produtos laminados planos, a
diferença é que os cilindros conformadores, já
vão modelando o aço com uma sucessão de
passes.
CONFORMAÇÃO DOS PERFIS
COMPOSIÇÃO DE PERFIS
PERFIS LAMINADOS NACIONAIS
• Os perfis laminados de padrão americano, fabricados no
Brasil, estão com a produção bastante restrita, os
fabricantes já não produzem mais, no entanto, ainda
pode ser encontrado no mercado, o ASTM A-36, com
comprimento de 6000 a 12000mm:
• Cantoneiras de abas iguais:
6”(152,4mm); 8”(203,2mm) e 10”(254,0mm)
• Perfil “I”:
2”(50,80mm; 2 ½”(63,50mm); 4”(101,8mm) e 6”(152,4mm)
• Perfil “U”:
6”(152,4mm) e 8”(203,2mm)
PERFIS SOLDADOS

• Os perfis soldados são obtidos pelo corte,


composição e soldagem de chapas planas de
aço, permitindo grande variedade de formas e
dimensões das seções e seu uso esta bastante
aquecido no mercado nacional.
CARACTERISTICAS GEOMÉTRICAS DOS
PERFIS
• d - altura do perfil
• bf - largura da mesa
• tw - espessura da alma
• tf - espessura da mesa
• h -altura da alma
• ec -espessura do cordão
de solda
CLASSIFICAÇÃO DOS PERFIS
SOLDADOS
• Série VS:
Perfis soldados para vigas, com 2 < d/bf <= 4
• Série CVS:
Perfis soldados para vigas, com 1 < d/bf <= 1,5
• Série CS:
Perfis soldados para vigas, com d/bf <= 1
QUALIDADE E ESPECIFICAÇÕES

Os perfis são divididos em três categorias de


padrão de qualidade. De acordo com a
utilização, montagem e condições de
aplicação;
PADRÃO DE QUALIDADE I
(RIGOROSO)
ESTRUTURAS USUAIS APLICAÇÃO

• Estruturas especiais, • Estruturas “off shore”


com elevado rigor de
tolerância • Usinas nucleares.
PADRÃO DE QUALIDADE II
(NORMAL)
ESTRUTRAS USUAIS APLICAÇÃO

• Edificações em geral
• Estruturas (residencial, comercial e
convencionais industrial)
• Pontes
PADRÃO DE QUALIDADE III
(COMERCIAL)
ESTRUTURAS USUAIS APLICAÇÃO

• Galpões
• Estacas
• Usos gerais • Postes
• Mourões
ESPECIFICAÇÃO
PERFIS FORMADOS A FRIO
• São obtidos pelo processo
de dobramento a frio das
chapas. São padronizados,
mas podem ser produzidos
pelos fabricantes, com
forma e tamanho
solicitados, são utilizados
em elementos estruturais
como barras de treliças,
terças, etc.
PERFIS TUBULARES
• Sem costura, obtidos por
extrusão.
• Com costura, soldados.
• Para pilares, são utilizados
em médios e grandes
diâmetros, apresentando
boa resistência a
flambagem.
• Para treliças planas e
espaciais, são utilizados os
de diâmetros menor.
PROPRIEDADES MECÂNICAS
• ELASTICIDADE: capacidade do • TENACIDADE: capacidade do
material voltar ao comprimento material absorver energia, com
inicial, após sucessivos ciclos de deformação elástica e plástica,
carregamento/descarregamento. quando submetido a carga de
• PLASTICIDADE: deformação impacto.
permanente do material, • RESILIÊNCIA: capacidade do
provocada por tensão igual ou material absorver energia, com
superior ao limite de deformação elástica, quando
escoamento. submetido a carga de impacto.
• DUCTILIDADE: capacidade do • FADIGA: é a resistência a ruptura
material se deformar, sobre, do material quando submetido a
tensão, sem se romper. uma carga dinâmica.
• FRAGILIDADE: é o rompimento Normalmente, o valo da
do material sem que haja resistência a fadiga é inferior ao
deformação. da resistência a tração.
DETERMINAÇÃO DAS PROPRIEDADES
GRÁFICO TENSÃO x DEFORMAÇÃO
ESCOAMENTO DEFINIDO SEM ESCOAMENTO DEFINIDO
AÇOS ESTRUTURAIS USADOS NO
BRASIL
• AÇOS CARBONO
(média resistência mecânica)

• Baixo carbono <=0,30% C


• Médio carbono 0,30%< C < 0,50%
• Alto carbono C > 0,50%
CARACTERISTICAS E APLICAÇÕES
NORMA E UTILIZAÇÃO
AÇOS DE BAIXA LIGA
(Média e alta resistência mecânica)
(Resistência a corrosão atmosférica)

São aços com adição de pequena quantidade de


elementos como Cu, Cr, P, Si e outros, que
desenvolvem um filme resistente a corrosão
atmosférica.
Devido a sua maior resistência mecânica, proporciona
redução na espessura das estruturas.
AÇOS RESISTENTES AO FOGO
(Alta resistência mecânica)
(resistente a corrosão atmosférica)

São aços que evoluíram da família dos aços resistente a


corrosão atmosférica.
Recebem adição dos elementos Ni, Ti, Nb, Va e Mo.
USI-FIRE 400 e USI-FIRE490 da USIMINAS.
APLICAÇÃO DE PERFIS NA
CONSTRUÇÃO CIVIL
Cravação de Estacas Execução
• A cravação dos perfis são
executadas com equipamentos
de pequeno porte, como mostra
a foto ao lado, a grande vantagem
deste sistema é que podem fazer
a execução da escavação com
tirantes, e a escavação pode ser
executada 100% antes de iniciar a
fundação, assim não ha a
necessidade de deixar talude de
solo para escavar depois da
execução das lajes.
CONTENÇÃO
Contenção de terrenos vizinhos Execução

• A contenção de terrenos
vizinhos à obra podem ser
feitos com a cravação de
perfis de aço e
preenchimento com placas
pré-moldadas de concreto.
FILTRO DE DRENAGEM
Objetivo Colocação do filtro

• Para evitar a pressão direta,


do solo saturado com a
cortina de placas pré-
moldadas, são utilizados
filtros de drenagem que
permitem a canalização da
água do solo.
ESCAVAÇÃO DE SAPATAS
ESCAVAÇÃO DE TUBULÃO
METRÔ – ESTAÇÃO BUTANTAN

• Detalhe da estrutura de
aço na cobertura da
estação.
METRÔ – ESTAÇÃO BUTANTAN

• Na cobertura da
estação foram utilizados
perfis tubulares de aço
como estrutura para o
telhado.
METRÔ – ESTAÇÃO BUTANTAN
• Podemos verificar a
utilização de perfil e aço
tubular como estrutura
para o telhado, neste
terminal.
• Ao fundo, observa-se a
utilização de perfis de
aço, também, como
estrutura para o
telhado.
BIBLIOGRAFIA
• Recomendamos as seguintes bibliografias,
para aprofundamento no assunto:

- Arquitetura do Ferro no Brasil – ed. Nobel


(Geraldo Gomes da Silva)
- Elementos para Projetos em Perfis de Aço – ed.
Edgard Blucher – (Antônio Molitermo).

Você também pode gostar