Você está na página 1de 62

Caderno de leitura para violão

Exercícios progressivos, corda a corda, na primeira posição

Cânones, duos, trios e quartetos para aulas em grupo

Thomas Saboga

Instituto Federal Fluminense – Licenciatura em Música

Campus Campos Guarus - Campos dos Goytacazes / 2020


Concepção geral, elaboração e diagramação dos textos e exercícios
Thomas Saboga

Revisão do resumo em inglês


Karine Soares

Revisão dos textos em português


Ana Paula Klem

Arte da capa e contracapa


Luiza Cassiano Rangel

Ficha catalográfica
Raquel Belém de Andrade

Contato
thomas.saboga-cardoso@iff.edu.br

Agradecimentos à Coordenação do Curso de Licenciatura em Música, às


Direção de Ensino e Direção Geral do Campus Campos Guarus, e ao Instituto
Federal Fluminense pelo apoio ao presente projeto.

787.3
S117c Saboga, Thomas
Caderno de leitura para violão: exercícios
progressivos,corda a corda, na primeira posição cânones,
duos, trios e quartetos para aulas em grupos / Thomas
Saboga -Campos dos Goytacazes : [s.n], 2020.
62 p.

1. Violão 2. Educação musical 3. Leitura de partitura


4. Ensino coletivo de instrumento I. Título

Uma produção
Sumário
Resumo............................................................................................................................................................... 6
Abstract ............................................................................................................................................................. 6
Résumé ...............................................................................................................................................................7
Resumen .............................................................................................................................................................7
Apresentação ..................................................................................................................................................... 8
Modo de usar .................................................................................................................................................... 9
O caderno .......................................................................................................................................................... 11
Parte 1 - Trios introdutórios, corda a corda, homorrítmicos ........................................................................... 13
Trio corda a corda, homorrítmico, em Dó maior, cordas 1, 2 e 5 ........................................................... 14
Trio corda a corda, homorrítmico, em Fá maior, cordas 3, 4 e 6 ........................................................... 15
Trio corda a corda, homorrítmico, em Sol maior, cordas 3, 5 e 6 .......................................................... 16
Trio corda a corda, homorrítmico, em Ré menor, cordas 1, 2 e 4 ........................................................... 17
Parte 2 - Quartetos corda a corda....................................................................................................................... 18
Quarteto corda a corda em Dó Maior, cordas 1, 2, 4 e 5 .......................................................................... 19
Quarteto corda a corda em Mi menor, cordas 1, 2, 3 e 6 ........................................................................ 20
Quarteto corda a corda em Fá maior, cordas 3, 4, 5 e 6, versão Bossa Nova......................................... 21
Quarteto corda a corda em Fá maior, cordas 3, 4, 5 e 6, versão simplificada .......................................22
Quarteto corda a corda em Ré menor, cordas 1, 2, 3 e 4 ......................................................................... 23
Quarteto corda a corda em Mi maior, cordas 1, 2, 3 e 4, versão Baião................................................. 24
Quarteto corda a corda em Mi maior, cordas 1, 2, 3 e 4, versão simplificada ......................................25
Quarteto corda a corda em Dó menor, cordas 2, 3, 4 e 6 ....................................................................... 26
Quarteto corda a corda em Mi maior, cordas 1, 2, 3 e 4 ..........................................................................27
Quarteto corda a corda em Mi maior, cordas 1, 4, 5 e 6 ......................................................................... 28
Parte 3 - Cânones, duos e trios com duas cordas adjacentes .......................................................................... 29
Cânone com duas cordas adjacentes em Dó maior, cordas 1-2 ............................................................. 30
Duo com duas cordas adjacentes em Dó maior, cordas 1-2 e 3-4 .......................................................... 30
Duo com duas cordas adjacentes em Dó maior, cordas 2-3 e 5-6 .......................................................... 31
Cânone com duas cordas adjacentes em Ré menor, cordas 3-4 ............................................................. 31
Trio com duas cordas adjacentes em Fá maior, cordas 2-3, 4-5 e 5-6, versão Bossa Nova .................. 32
Trio com duas cordas adjacentes em Fá maior, cordas 2-3, 4-5 e 5-6, versão simplificada ................. 33
Duo com duas cordas adjacentes em Sol maior, cordas 3-4 e 5-6 .......................................................... 33
Duo com duas cordas adjacentes em Sol maior, cordas 1-2 e 4-5 ...........................................................34

4
Duo com duas cordas adjacentes em Ré maior, cordas 1-2 e 4-5............................................................34
Trio com duas cordas adjacentes em Lá maior, cordas 1-2, 3-4 e 5-6, versão Baião ............................. 35
Trio com duas cordas adjacentes em Lá maior, cordas 1-2, 3-4 e 5-6, versão simplificada ................. 36
Duo com duas cordas adjacentes em Mi maior, cordas 2-3 e 4-5 ........................................................... 37
Cânone com duas cordas adjacentes em Mi maior, cordas 1-2 ............................................................... 37
Duo com duas cordas adjacentes em Si maior, cordas 3-4 e 4-5 .......................................................... 38
Trio com duas cordas adjacentes em Mi maior, cordas 1-2, 3-4 e 5-6 .................................................. 39
Cânone com duas cordas adjacentes em Mi maior, cordas 2-3 ............................................................ 40
Parte 4 - Cânones, duos e trios com três cordas adjacentes, em tonalidades menores, com ritmos
brasileiros .............................................................................................................................................................. 41
Cânone com três cordas adjacentes em Lá menor, cordas 1-2-3, versão Afoxé .................................... 42
Cânone com três cordas adjacentes em Lá menor, cordas 1-2-3, versão simplificada ..........................43
Duo com três cordas adjacentes em Lá menor, cordas 2-3-4 e 4-5-6, versão Funk ............................. 44
Duo com três cordas adjacentes em Lá menor, cordas 2-3-4 e 4-5-6, versão simplificada ................. 45
Duo com três cordas adjacentes em Mi menor, cordas 1-2-3 e 4-5-6, com ritmo de síncope ............ 46
Duo com três cordas adjacentes em Mi menor, cordas 1-2-3 e 4-5-6, versão simplificada ................. 47
Duo com três cordas adjacentes em Ré menor, cordas 2-3-4 e 3-4-5, versão Maxixe ......................... 48
Duo com três cordas adjacentes em Ré menor, cordas 2-3-4 e 3-4-5, versão simplificada ................. 48
Duo com três cordas adjacentes em Si menor, cordas 2-3-4 e 4-5-6, versão Bossa Nova ................... 49
Duo com três cordas adjacentes em Si menor, cordas 2-3-4 e 4-5-6, versão simplificada .................. 50
Duo com três cordas adjacentes em Sol menor, cordas 1-2-3 e 4-5-6, versão Xote .............................. 51
Duo com três cordas adjacentes em Fá# menor, cordas 1-2-3 e 4-5-6, versão colcheia pontuada e
semicolcheia ................................................................................................................................................52
Duo com três cordas adjacentes em Fá# menor, cordas 1-2-3 e 4-5-6, versão simplificada ............... 53
Duo com três cordas adjacentes em Dó menor, cordas 2-3-4 e 4-5-6, contratempo .......................... 54
Duo com três cordas adjacentes em Dó menor, cordas 2-3-4 e 4-5-6, versão simplificada ................. 55
Duo com três cordas adjacentes em Dó# menor, cordas 1-2-3 e 4-5-6, versão Baião .......................... 56
Duo com três cordas adjacentes em Dó# menor, cordas 1-2-3 e 4-5-6, versão simplificada ...............57
Duo com três cordas adjacentes em Fá menor, cordas 1-2-3 e 4-5-6, versão Marcha Rancho ........... 58
Duo com três cordas adjacentes em Fá menor, cordas 1-2-3 e 4-5-6, versão simplificada .................. 58
Trio com três cordas adjacentes em Sol# menor, cordas 1-2-3, 2-3-4 e 4-5-6, versão Maracatu ........ 59
Trio com três cordas adjacentes em Sol# menor, cordas 1-2-3, 2-3-4 e 4-5-6, versão simplificada .... 60
Biografia ............................................................................................................................................................ 61

5
Resumo

Caderno de leitura para violão

Exercícios progressivos, corda a corda, na primeira posição


Cânones, duos, trios e quartetos para aulas em grupo

O objetivo do presente caderno é propiciar o desenvolvimento da leitura no violão, por


meio de uma série de exercícios progressivos, sempre na primeira posição. Inicialmente,
somente uma corda é lida de cada vez, facilitando e agilizando a aprendizagem. Em seguida,
apresentamos exercícios nos quais as cordas são agrupadas duas a duas e, depois, três a três. Ao
mesmo tempo, a junção de tais exercícios simples em duos, trios e quartetos permite uma
prática de conjunto efetiva, uma realização musical prazerosa possibilitada pela interação de
partes muito fáceis de ler e tocar. Os ritmos também são fáceis, buscando o enfoque da
aprendizagem na leitura das notas no instrumento. Se pensados para uma turma, os exercícios
aqui presentes também servem perfeitamente para uma abordagem individual da
aprendizagem da leitura.

Abstract

Sight reading guitar handbook

Progressive exercices, one string at a time, in first position


Canons, duets, trios and quartets for group lessons

The purpose of this handbook is to promote the development of sight reading on the
guitar, through a series of progressive exercises, always in the first position. Initially, only one
string is read at a time, making learning easier and faster. Then, we present exercises where the
strings are grouped two by two, and then three by three. At the same time, the combination of
such simple exercises in duos, trios and quartets allows an effective group practice and a
pleasant musical performance. It is enabled by the interaction of parts that are very easy to
read and play. The rhythms are also easy, seeking to focus on learning to read the notes on the
instrument. If designed for a class, the exercises here also serve perfectly for an individual
approach to sight reading learning.

6
Résumé

Cahier pour lecture à la guitare

Exercices progressifs, corde à corde, à la première position


Canons, duos, trios e quatuors pour des classes en groupe

Le but de ce cahier est de favoriser le développement de la lecture à la guitare, à travers


une série d'exercices progressifs, toujours à la première position. Initialement, une seule corde
est lue à la fois, ce qui facilite et accélère l'apprentissage. Ensuite, nous présentons des
exercices où les cordes sont groupées deux par deux, puis trois par trois. En même temps, la
combinaison de ces exercices simples en duos, trios et quatuors permet une pratique de groupe
effective, une performance musicale agréable rendue possible par l'interaction de parties très
faciles à lire et à jouer. Les rythmes sont également faciles, ayant comme objectif
l'apprentissage de la lecture des notes sur l'instrument. Si les exercices si présents sont conçus
pour des leçons en groupe, ils servent parfaitement aussi à une approche individuelle de
l'apprentissage de la lecture.

Resumen

Cuaderno de lectura para la guitarra

Ejercicios progresivos, cuerda a cuerda, en la primera posición


Cánones, duetos, tríos y cuartetos para clases en grupo

El propósito de este cuaderno es promover el desarrollo de la lectura en la guitarra, a


través de una serie de ejercicios progresivos, siempre en la primera posición. Inicialmente, solo
se lee una cuerda a la vez, lo que hace que el aprendizaje sea más fácil y rápido. Luego,
presentamos ejercicios donde las cuerdas se agrupan dos por dos, y luego tres por tres. Al
mismo tiempo, la combinación de ejercicios tan simples en dúos, tríos y cuartetos permite una
práctica grupal efectiva, una interpretación musical agradable hecha posible por la interacción
de partes que son muy fáciles de leer y tocar. Los ritmos también son fáciles y buscan enfocarse
en aprender a leer las notas en el instrumento. Si están diseñados para una clase, los ejercicios
aquí presentes también sirven perfectamente para un enfoque individual para aprender a leer.

7
Apresentação

Este caderno de leitura para violão foi desenvolvido através da minha experiência como
professor das disciplinas de violão do curso de Licenciatura em Música do Instituto Federal
Fluminense Campus Campos Guarus. Nesses componentes curriculares, frequentados por
discentes recém-ingressados no curso, boa parte do alunado já sabe tocar ou já foi introduzido
ao instrumento. Entretanto, praticamente nenhum, mesmo os mais avançados tecnicamente,
apresentem domínio satisfatório da leitura, nem ao instrumento, nem no plano do solfejo.
Efetivamente, constatamos, com o ingresso de nossos alunos, uma carência de instâncias de
musicalização e de ensino de música em nossa região capazes de efetivar a aprendizagem da
leitura e escrita musical, carência conversada muitas vezes entre os professores de música do
Instituto em reuniões e situações informais. Considerando essa lacuna e a importância do
domínio da leitura de uma partitura para um graduando em música, fui desenvolvendo ao
longo dos semestres uma proposta de ensino de leitura que fosse capaz de abranger tanto os
iniciantes quanto os já conhecedores do instrumento. Os iniciantes seriam introduzidos
simultaneamente à leitura e à técnica do instrumento, enquanto os mais adiantados
desenvolveriam principalmente a sua técnica de leitura, trabalhando concomitantemente uma
revisão das bases de sua técnica instrumental – postura de mão direita e esquerda, digitação,
etc. Ao mesmo tempo, como componente curricular proposto para grupos grandes, senti a
necessidade de criar um material que fosse muito simples para os alunos que estavam se
iniciando na leitura, mas que fosse igualmente capaz de resultar em uma prática de conjunto
cuja realização musical fosse efetiva e prazerosa. Foi então que fui juntando duas ideias
importantes e que resultam na sistematização do presente caderno de leitura: a proposta de
exercícios de leitura corda a corda na primeira posição, que permitem uma abordagem lúdica,
um progresso rápido que recompensa agilmente o esforço do aluno, abrindo caminho para
uma concepção pedagógica capaz de gerar uma didática progressiva e cumulativa (exercícios
de leitura corda a corda, depois as cordas duas a duas, mudando de tom, etc.); e material para a
prática de conjunto que se baseasse nessa concepção de leitura corda a corda na primeira
posição. Nasce, assim, o presente caderno de leitura1.

É importante frisar que a presente proposta, se visa suprir uma lacuna, não se propõe a
substituir materiais já existentes. Indo além, podemos mesmo considerar que este caderno
representa uma introdução mais específica para os violonistas para o ótimo livro de Nelson
Faria, “Exercícios de leitura para guitarristas e violonistas”. Neste livro, Faria apresenta muitos
exercícios progressivos de leitura a partir da quarta e quinta posição2, mas propõe pouco a
leitura na primeira posição, evitando o uso de cordas soltas. Tal concepção deriva
provavelmente do enfoque dado pelo autor ao instrumento guitarra, instrumento que de forma
geral evita o uso de cordas soltas e, consequentemente, explora menos a primeira posição.
Consideramos que tal lacuna constitui uma importante razão para focarmos na primeira
posição neste caderno, a facilidade técnica de se tocar uma nota sem utilisar a mão esquerda

1
O isolamento social imposto pela pandemia do Covid-19 neste ano de 2020 acabou se configurando em
uma oportunidade de organizar e sistematizar a publicação deste material.
2
FARIA, Nelson Jairo Sanches. Exercícios de leitura para guitarristas e violonistas. São Paulo: Irmãos
Vitale, 2014, p. 9.

8
que as cordas soltas proporcionam e a importância do uso das cordas soltas no violão são
outros argumentos neste sentido.

Ao longo do desenvolvimento da leitura, repertório tanto simples como mais avançado,


como cânones, trios e quartetos para violão podem e devem ser utilizados. Afirmamos que os
exercícios aqui presentes não se propõem substituir um repertório de músicas já estabelecido,
mas sim cobrir uma lacuna de propostas pedagógicas que enfoquem no desenvolvimento da
leitura a partir do nível iniciante com um repertório possível de ser tocado em conjunto com
imediato e efetivo prazer musical.

Thomas Fontes Saboga Cardoso

Professor do Curso de Licenciatura em Música do Instituto Federal Fluminense Campus


Campos Guarus

Modo de usar

Os exercícios podem ser feitos na ordem com a turma. Nas primeiras aulas, o professor
pode dividir a turma em grupos, cada grupo ficando responsável por um violão, tocando a
música ao final da aula. Com o tempo, a ideia é que todos sejam capazes de aprender
rapidamente todas as vozes dos quartetos, por exemplo, e alternarem qual violão irão executar,
fortalecendo a compreensão da peça e a experiência da prática de conjunto.

Outra forma possível de usar o caderno é explorá-lo de forma transversal. Por exemplo,
se o aluno está apresentando dificuldade em uma corda específica, pode-se buscar os diversos
exercícios de leitura que exploram essa corda. Se a corda em questão é a corda sol, buscam-se
todos os exercícios que usem essa corda. O sumário permite rapidamente identificar quais
exercícios trabalham com que cordas, facilitando tal empreitada. Tal maneira de usar o
caderno pode também ser explorada caso o professor esteja em uma aula individual, ou caso o
aluno esteja lendo sozinho o caderno.

Uma outra forma de explorar ainda mais o caderno, sugestão proposta por Nelson Faria
em seu livro já apresentado, consiste em ler na sequência todos os violões de um quarteto, por
exemplo, ou realizar a leitura ao contrário (de trás pra frente).

Após dominar a leitura na primeira posição, também é possível usar os mesmos


exercícios para exercitar a leitura nas demais posições do instrumento. Por exemplo, um
exercício na primeira corda na primeira posição poderá ser realizado na segunda corda na
quinta posição, ou na terceira corda na nona posição, tal adaptação podendo ser efetuada em
todos os exercícios, com exceção daqueles propostos na sexta corda.

Aparecendo qualquer dificuldade na relação com o pulso, o uso do metrônomo é


altamente indicado, tanto para o estudo individual deste caderno, quanto para ajudar na
compreensão da relação entre o pulso e o ritmo escrito, e auxiliar consequentemente na

9
prática de conjunto posterior, em que todos precisam compartilhar um mesmo pulso -
elemento primordial em qualquer atividade musical. Os ritmos trabalhados na leitura são
simples justamente com esta intenção: permitir ao aluno atenção plena à questão da leitura no
violão e à prática de conjunto. Lembramos que hoje em dia diversos aplicativos para celular
propõem metrônomo.

Caso o professor perceba dificuldade do aluno com a parte rítmica, ou na interação das
notas com os ritmos, recomenda-se deixar de lado o instrumento e trabalhar um tempo
somente na leitura rítmica usando palmas ou voz, voltando ao instrumento assim que a parte
rítmica estiver segura.

É importante frisar que, ao se trabalhar a leitura, não se deve ter nenhuma preocupação
em ler em um andamento rápido, mas sim em que as notas estejam corretamente relacionadas
com o pulso. A leitura pode ser feita em um andamento lento, ou mesmo muito lento. Caso
esteja sendo feita corretamente, o aluno não terá dificuldade com o tempo em acelerar o
andamento da leitura.

Recomendamos também atenção do professor e dos alunos às digitações de mão


esquerda e direita. Respeitando o padrão básico técnico e sonoro da mão direita do
instrumento, sugiro que os baixos dos trios e quartetos sejam tocados com o polegar, enquanto
as demais vozes usarão alternância de indicador e médio. Atenção por parte do
posicionamento correto da mão também é importante da parte do professor, especialmente no
tocante ao cruzamento do polegar por cima dos demais dedos. Quanto à mão esquerda, deve-
se usar como regra geral a base técnica da primeira posição, o dedo 1 tocando na casa 1, o dedo
2 na casa 2, o dedo 3 na casa 3 e o dedo 4 na casa 4, com atenção à postura da mão e à
adequada colocação do polegar atrás do braço do instrumento. Exceções a essa digitação
podem ser admitidas para alunos iniciantes em algumas situações, como, por exemplo, nos
exercícios na terceira corda onde se propõem as notas sol, lá e si, para os quais uma adaptação
para a digitação 1 e 3 pode ser mais adequada do que 2 e 4. Para alguns exercícios que usam
mais de uma corda, tal digitação nem sempre é possível, como, por exemplo, quando duas
cordas seguidas são tocadas na mesma casa. Nestes casos, deixamos a critério do professor
orientar o aluno. Malgrado as exceções existentes, é importante respeitar o padrão básico de
digitação tanto pelo desenvolvimento da técnica do instrumento, quanto pelo fortalecimento
da memória digital, elemento importante a ser trabalhado na leitura, já que não é possível de
se ler e olhar o instrumento ao mesmo tempo. Efetivamente, para se poder ler, é importante
automatizar as posições dos dedos da mão esquerda, de forma que o olho possa ficar
concentrado na partitura e não precise fazer o trânsito entre a partitura e o instrumento. É por
essa razão que insistimos em muitos exercícios simples ritmicamente e com poucas notas.

Para finalizar, é sempre importante chamar a atenção para um elemento estrutural na


leitura musical. Diferentemente da leitura de um texto, o momento em que os sons serão
executados é de suma importância quando lemos uma partitura. Consequentemente, para
alcançar uma leitura com um ritmo correto no pulso, é necessário estar sempre se antecipando
na leitura, isto é, ser capaz de antever o que vai acontecer na música enquanto se está tocando
o que está ocorrendo na música. O olho deve assim ficar sempre uma, duas, três notas antes do
que se está tocando no momento.

10
O caderno

Parte 1 – Trios introdutórios, corda a corda, homorrítmicos

O caderno começa com quatro trios introdutórios, em que cada violão fica responsável
por um ritmo homorrítmico, realizado em uma só corda, na primeira posição. Neste exercícios,
toda a concentração pode ser direcionada à relação entre as notas escritas e à localização das
notas no instrumento, já que a divisão rítmica permanece sempre igual.

Parte 2 – Quartetos corda a corda

Essa parte consiste em nove quartetos, sempre na primeira posição, cada violão
tocando sempre apenas uma corda. Agora, ritmos simples substituem os ritmos homorrítmicos
propostos nos trios introdutórios. Buscando contemplar os ritmos brasileiros, alguns quartetos
propõem ritmos um pouco menos simples. Para caso haja alguma dificuldade, apresento
também uma versão simplificada para que a tarefa de ler no violão, objetivo aqui proposto, seja
priorizada. Buscamos contemplar as principais tonalidades usadas no instrumento.

Caso haja necessidade, o professor poderá propor exercícios introdutórios similares aos
propostos nos trios, da seguinte maneira: o professor escreve no quadro todas as notas a serem
tocadas pelo violão a ser trabalhado. Exemplificamos abaixo um exercício introdutório para o
violão 1 do primeiro quarteto dessa parte 2.

Em seguida, regendo um compasso quaternário, por exemplo, pede-se para os alunos


tocarem no primeiro tempo de cada compasso, o professor apontando para a nota a ser tocada.
Resulta em um exercício semelhante ao proposto a seguir.

Tal recurso, além de lúdico, permite ao professor explorar os intervalos que os alunos
apresentam mais dificuldade e pode ser usado para qualquer exercício de leitura deste caderno.
Pode-se ir dificultando a empreitada, acelerando o andamento, ou pedindo para tocarem em
outros tempos – por exemplo, no quaternário, no tempo um e três, como no exemplo a seguir.

11
Parte 3 – Cânones, duos e trios com duas cordas adjacentes

O aluno dominando a leitura na primeira posição corda a corda após esses treze
exercícios, apresento então uma série de pequenas peças explorando a leitura onde as cordas
são agrupadas duas a duas. São 4 cânones, 7 duos e 3 trios. Buscou-se explorar todas as
situações de troca de cordas em todas as tonalidades trabalhadas anteriormente.

Parte 4 – Cânones, duos e trios com três cordas adjacentes, em tonalidades menores,
com ritmos brasileiros

Ao longo dos exercícios anteriores, praticamente não exploramos as tonalidades


menores. Acreditamos que poderiam gerar confusão, já que nestas tonalidades usa-se mais de
uma escala ao longo de uma mesma peça (menor natural, harmônica e melódica), e
consequentemente o aluno não poderia contar com as notas em uma posição fixa ao longo da
leitura (evitamos, por exemplo, em sol menor, as notas fá e fá# em um mesmo exercício de
leitura).

Para finalizar o caderno, propomos então algumas peças explorando estas tonalidades
menores, abrangendo as tonalidades comuns ao instrumento mas que não foram exploradas
anteriormente.

Continuando a aumentar o nível de dificuldade, aproveitamos para propor peças que


utilizem três cordas adjacentes do instrumento em cada violão.

Aproveitamos também para incluir nesta parte padrões rítmicos de gêneros brasileiros,
buscando em cada exercício explorar um ritmo específico de forma repetitiva, visando, assim, a
familiarizar o leitor com tais padrões. Se acreditamos na importância de um material que
contenha os ritmos de nossa música, de toda forma, todos os exercícios presentes nesse
caderno, ao proporem ritmos menos fáceis, terão logo a seguir uma versão simplificada,
deixando claro que esse caderno é prioritariamente concebido para a aprendizagem da leitura
das notas da primeira posição do violão.

12
Parte 1

Trios introdutórios, corda a corda, homorrítmicos


Trio corda a corda, homorrítmico, em Dó maior, cordas 1, 2 e 5

14
Trio corda a corda, homorrítmico, em Fá maior, cordas 3, 4 e 6

15
Trio corda a corda, homorrítmico, em Sol maior, cordas 3, 5 e 6

16
Trio corda a corda, homorrítmico, em Ré menor, cordas 1, 2 e 4

17
Parte 2

Quartetos corda a corda


Quarteto corda a corda em Dó Maior, cordas 1, 2, 4 e 5

19
Quarteto corda a corda em Mi menor, cordas 1, 2, 3 e 6

Observação: propomos a enarmonização do lá# pelo si (compasso 4, violão 3) para fins de facilitação da leitura.

20
Quarteto corda a corda em Fá maior, cordas 3, 4, 5 e 6, versão Bossa Nova

21
Quarteto corda a corda em Fá maior, cordas 3, 4, 5 e 6, versão simplificada

22
Quarteto corda a corda em Ré menor, cordas 1, 2, 3 e 4

23
Quarteto corda a corda em Mi maior, cordas 1, 2, 3 e 4, versão Baião

24
Quarteto corda a corda em Mi maior, cordas 1, 2, 3 e 4, versão simplificada

25
Quarteto corda a corda em Dó menor, cordas 2, 3, 4 e 6

26
Quarteto corda a corda em Mi maior, cordas 1, 2, 3 e 4

27
Quarteto corda a corda em Mi maior, cordas 1, 4, 5 e 6

28
Parte 3

Cânones, duos e trios com duas cordas adjacentes


Cânone com duas cordas adjacentes em Dó maior, cordas 1-2

Duo com duas cordas adjacentes em Dó maior, cordas 1-2 e 4-5

30
Duo com duas cordas adjacentes em Dó maior, cordas 2-3 e 5-6

Cânone com duas cordas adjacentes em Ré menor, cordas 3-4

31
Trio com duas cordas adjacentes em Fá maior, cordas 2-3, 4-5 e 5-6, versão Bossa Nova

32
Trio com duas cordas adjacentes em Fá maior, cordas 2-3, 4-5 e 5-6, versão simplificada

Duo com duas cordas adjacentes em Sol maior, cordas 3-4 e 5-6

33
Duo com duas cordas adjacentes em Sol maior, cordas 1-2 e 4-5

Duo com duas cordas adjacentes em Ré maior, cordas 1-2 e 4-5

34
Trio com duas cordas adjacentes em Lá maior, cordas 1-2, 3-4 e 5-6, versão Baião

35
Trio com duas cordas adjacentes em Lá maior, cordas 1-2, 3-4 e 5-6, versão simplificada

36
Duo com duas cordas adjacentes em Mi maior, cordas 2-3 e 4-5

Cânone com duas cordas adjacentes em Mi maior, cordas 1-2

37
Duo com duas cordas adjacentes em Si maior, cordas 3-4 e 4-5

38
Trio com duas cordas adjacentes em Mi maior, cordas 1-2, 3-4 e 5-6

39
Cânone com duas cordas adjacentes em Mi maior, cordas 2-3

40
Parte 4

Cânones, duos e trios com três cordas adjacentes, em tonalidades


menores, com ritmos brasileiros
Cânone com três cordas adjacentes em Lá menor, cordas 1-2-3, versão Afoxé

42
Cânone com três cordas adjacentes em Lá menor, cordas 1-2-3, versão simplificada

43
Duo com três cordas adjacentes em Lá menor, cordas 2-3-4 e 4-5-6, versão Funk

44
Duo com três cordas adjacentes em Lá menor, cordas 2-3-4 e 4-5-6, versão simplificada

45
Duo com três cordas adjacentes em Mi menor, cordas 1-2-3 e 4-5-6, com ritmo de
síncope

46
Duo com três cordas adjacentes em Mi menor, cordas 1-2-3 e 4-5-6, versão simplificada

47
Duo com três cordas adjacentes em Ré menor, cordas 2-3-4 e 3-4-5, versão Maxixe

Duo com três cordas adjacentes em Ré menor, cordas 2-3-4 e 3-4-5, versão simplificada

48
Duo com três cordas adjacentes em Si menor, cordas 2-3-4 e 4-5-6, versão Bossa Nova

49
Duo com três cordas adjacentes em Si menor, cordas 2-3-4 e 4-5-6, versão simplificada

50
Duo com três cordas adjacentes em Sol menor, cordas 1-2-3 e 4-5-6, versão Xote

51
Duo com três cordas adjacentes em Fá# menor, cordas 1-2-3 e 4-5-6, versão colcheia
pontuada e semicolcheia

52
Duo com três cordas adjacentes em Fá# menor, cordas 1-2-3 e 4-5-6, versão simplificada

53
Duo com três cordas adjacentes em Dó menor, cordas 2-3-4 e 4-5-6, contratempo

54
Duo com três cordas adjacentes em Dó menor, cordas 2-3-4 e 4-5-6, versão simplificada

55
Duo com três cordas adjacentes em Dó# menor, cordas 1-2-3 e 4-5-6, versão Baião

56
Duo com três cordas adjacentes em Dó# menor, cordas 1-2-3 e 4-5-6, versão simplificada

57
Duo com três cordas adjacentes em Fá menor, cordas 1-2-3 e 4-5-6, versão Marcha
Rancho

Duo com três cordas adjacentes em Fá menor, cordas 1-2-3 e 4-5-6, versão simplificada

58
Trio com três cordas adjacentes em Sol# menor, cordas 1-2-3, 2-3-4 e 4-5-6, versão
Maracatu

59
Trio com três cordas adjacentes em Sol# menor, cordas 1-2-3, 2-3-4 e 4-5-6, versão
simplificada

60
Biografia

Thomas Saboga é compositor, violonista, musicólogo e educador carioca. Em 2010,


lançou o disco de composições "O Desague", com o seu Quarteto Impressons. Seu arranjo para
a composição "Valsa de índio", de Gustavo Melo, foi premiado com o Troféu Radamés Gnattali
de melhor arranjo no II Festival das Rádio Nacional e Mec em 2010. Sua música "Baião de
Câmara", parceria com Thiago Amud, foi gravada por Milton Nascimento em conjunto com
Simone Guimarães, no disco da cantora "Flor de pão" (Biscoito Fino). É doutor em Musicologia
pela Université Paris-Sorbonne, em curso realizado com bolsa de doutorado pleno no exterior
da Capes. Em sua tese, investigou a relação entre o popular e o erudito na música de Astor
Piazzolla. Seu trabalho como musicólogo enfoca os violonistas-compositores brasileiros, a
música de Astor Piazzolla e o tango. Paralelamente, sobre estes mesmos objetos de pesquisa,
desenvolve reflexão sobre o encontro e o diálogo entre a produção musical popular e erudita,
incluindo considerações históricas e sociológicas pertinentes a esta relação dicotômica. Possui
Licenciatura e Mestrado em Música pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
(Unirio). Atualmente é professor do curso de Licenciatura em Música do Instituto Federal
Fluminense (IFF).

Thomas Saboga

61