Você está na página 1de 4

Nome: _________________________________________________nº _________ 1º Ano do Ensino Médio

Nota: _______
Atividade Avaliativa de Língua Portuguesa (Unidade 3 – 1º BIMESTRE) – Professora: Clarice

“A estrada em que caminham as pessoas direitas é como a luz da aurora, que brilha cada vez mais até
ser dia claro.” Provérbios 4:18

Analise os fragmentos textuais a seguir:


I) Antigamente
“Antigamente, as moças chamavam-se mademoiselles e eram todas mimosas e muito prendadas.
Não faziam anos: completavam primaveras, em geral dezoito. Os janotas, mesmo sendo
rapagões, faziam-lhes pé-de-alferes, arrastando a asa, mas ficavam longos meses debaixo do
balaio."
                                                    (Carlos Drummond de Andrade)

II) “ Aqui no Norte do Paraná, as pessoas chamam a correnteza do rio de corredeira. Quando a
corredeira está forte é perigoso passar pela pinguela, que é uma ponte muito estreita feita,
geralmente, com um tronco de árvore. Se temos muita chuva a pinguela pode ficar submersa e,
portanto, impossibilita a passagem. Mas se ocorre uma manga de chuva, uma chuvinha
passageira, esse problema deixa de existir.”
III) A lingoagem e figura do entendimento [...] os bõs falaõ virtudes e os maliciosos maldades. [...]
sabẽ falar os q ẽtẽdẽ as cousas: porq das cousas naçẽ as palauras e não das palauras as cousas”.
OLIVEIRA, Fernão de. Grammatica de linguagem portuguesa. 2. Ed. Porto: Imprensa Porutugueza, 1871. p.7)

IV

<Estás a ouvir! Acabei de dizer que minha mãe vem


passar um mês connosco, que os miúdos foram para a
discoteca e que o teu carro está a arder.>

STOTT, Bill. O mundo louco do futebol. Lisboa. Publicações Dom Quixote, 1994.

1) Em qual(is) fragmento(s) fica mais evidente que: (2,0 – 1,0 cada)


a) Há um uso regional da língua portuguesa: II e IV
b) Há um uso histórico da língua portuguesa: I e III

2) Os enunciados linguísticos em evidência encontram-se grafados na linguagem coloquial. Reescreva-


os de acordo com o padrão culto da linguagem. (1,25 – 0,25 cada)
a) Os livros estão sobre a mesa. Por favor, devolve eles na biblioteca.
Os livros estão sobre a mesa. Por favor, devolva-os à biblioteca.
b) Falar no celular é uma falha grave. A consequência deste ato pode ser cara.
Falar ao celular é uma falha grave. A conseqüência deste ato pode ser cara.
c) Me diga se você gostou da surpresa, pois levei muito para preparar ela.
Diga-me se você gostou da surpresa, pois levei muito tempo para prepará-la.
d) No aviso havia o seguinte comentário: Não aproxime-se do alambrado. Perigo constante.
No aviso havia o seguinte comentário: Não se aproxime do alambrado. Perigo constante.
e) Durante a reunião houveram reclamações contra o atraso do pagamento dos funcionários.
Durante a reunião houve reclamações contra o atraso do pagamento dos funcionários.
Observe a letra da música a seguir:
Cuitelinho
Cheguei na beira do porto
Onde as onda se espaia
As garça dá meia volta
E senta na beira da praia
E o cuitelinho não gosta
Que o botão de rosa caia, ai, ai
Ai quando eu vim
da minha terra
Despedi da parentáia
Eu entrei no Mato Grosso
Dei em terras paraguaia
Lá tinha revolução
Enfrentei fortes batáia, ai, ai [...]
                                    (Folclore recolhido por Paulo Vanzolini e Antônio Xandó)
3) A letra musical acima se compõe de alguns registros de variação linguística. Identifique-os tecendo
um comentário acerca do referido assunto, levando em consideração os preceitos trazidos pela
linguística, em se tratando de tais variedades.(0,75)
Analisando o texto em referência, percebemos que no mesmo há uma variação regional, relacionada ao
termo “cuitelinho”, como também um forte predomínio da variação cultural, pois o mesmo não se
adequa à norma padrão da linguagem. A letra musical é um típico exemplo de que existem diferentes
falas, desvios linguísticos, concebidos de maneira errônea pela gramática tradicional.
4) Observe as imagens a seguir e responda: (0,5 – 0,25 cada)
Imagem 1 Imagem 2

a) Os anúncios acima seguem a variante culta da língua? Explique.


Não pois estão grafados erroneamente.
b) Reescreva as propagandas seguindo a gramática normativa.
Imagem 1: Oficina Mecânica / Imagem 2: Seja bem-vindo e experimente a linguiça.
5) Sintetize os conceitos de: (1,5 – 0,5 cada)
a) Gramática normativa: Conjunto de prescrições de regras que retomam uma tradição, histórico e
culturalmente constituída.
b) Variante lingüística: O uso da língua em diversos usos possíveis, respeitando a comunicabilidade.
c) Variante culta: É o uso da língua que se constitui pela força histórica-cultural da gramática
normativa, ou seja, é aquele que requer apropriação da cultura histórica e socialmente
constituída.
6) Observe a tirinha abaixo, analise a linguagem empregada e assinale a alternativa correta: (0,50)

a) Pelo tipo de linguagem usada pelo Chico Bento, eles não conseguem se comunicar.
b) Evidenciamos um uso culto da linguagem, visto que os personagens são estudante e professora.
c) Expressões como “pruquê”, “num”, "arguma” devem ser banidos da língua em qualquer
situação.
d) A fala de Chico Bento faz o uso coloquial da linguagem, motivado por diversos fatores (regional,
escolaridade, idade, financeiro e etc).
e) Não há nenhum tipo de problema com a linguagem usada por Chico Bento, podendo ser utilizada
também em trabalhos escolares, requerimentos...
7) (FUVEST) – Leia este texto:
A correção da língua é um artificialismo, continuei episcopalmente1. O natural é a incorreção. Note
que a gramática só se atreve a meter o bico quando escrevemos. Quando falamos, afasta-se para
longe, de orelhas murchas.
1
Episcopalmente: com autoridade de um bispo.
(Monteiro Lobato, Prefácios e entrevistas).

a) Tendo em vista a opinião do autor do texto, pode-se concluir corretamente que a língua falada é
desprovida de regras? Explique. (0,5)
Não. É incorreto afirmar pelo texto que a língua falada não possui regras, uma vez que ele apenas diz
que a Gramática não possui tanta influência para corrigir a linguagem falada, tendo maior poder na
escrita.
b) Entre a palavra “episcopalmente” e as expressões “meter o bico” e “de orelhas murchas”, dá-se um
contraste de variedades linguísticas. Substitua as expressões coloquiais, que aí aparecem, por outras
equivalentes, que pertençam à variedade padrão.(0,5 – 0,25 cada)
- “Meter o bico”: intrometer-se (bisbilhotar)
- “de orelhas murchas”: envergonhado(a), encabulado(a), embaraçado(a).
8) Leia o excerto a seguir e depois responda à questão.
Língua, tal como o português, o inglês, o espanhol e o basco (falado na região dos Pirineus,
incluindo parte da França da Espanha), é um sistema formado por regras e valores presentes na
mente dos falantes de uma comunidade lingüística e aprendido graças aos inúmeros atos de fala com
que eles têm contato. Por sua vê, idioma é um termo referente à língua usado para identificar uma
nação em relação às demais e está relacionado à existência de um estado político. Por isso, espanhol
é um idioma, mas o basco, não, e o português é uma língua e um idioma. Ou seja, o idioma sempre
está vinculado à língua oficial de um país. Já dialeto é a designação para variedades linguísticas, que
podem ser regionais (como o português falado em Recife e o champanhes, falado na região francesa
de Champanhe, com seus sotaques e suas expressões particulares) ou sociais (o português falado
pelos economistas, com jargões).
Disponível em http://revistaescola.abril.com.br/lingua-portuguesa/fundamentos.
De acordo com as ideias do texto, complete com (C) para as proposições corretas e (E) para as
incorretas. (1,25 – 0,25 cada)
a) A Língua Portuguesa pode ser definida como um conjunto de variedades linguísticas. (C)
b) “Tu foi” e “Então ta” são frases da língua popular, exemplos de “dialetos”, de acordo com o
texto. (C)
c) As frases “Tu foi” e “Então tá” são frases da língua popular que devem ser banidas de todos os
contextos, por serem uma forma inculta de expressão. (E)
d) O nosso “português” é, na realidade, a união de todas as formas de falar similares usadas pelos
brasileiros, compreensíveis entre si em maior ou menor grau. (C)
e) Idioma é a língua oficial de um país. Dialetos são variações regionais. Portanto, os dialetos do
português não podem ser considerados como língua portuguesa. (C)
9) Leia com atenção os dois primeiros parágrafos da obra “A menina do narizinho arrebitado”, escrita
por Monteiro Lobato (1882-1948). O trecho foi transcrito da primeira edição do livro, publicado em
1920 pela Revista do Brasil e pela editora Monteiro Lobato & Cia. (1,25 – 0,25)
O somno á beira do Rio
Naquella casinha branca, - lá muito longe, mora uma triste velha, de mais de setenta annos.
Coitada! Bem no fim da vida que está, e tremula, e catacega, sem um só dente na bocca – jururu... Todo o
mundo tem dó d’ella: - Que tristeza viver sozinha no meio do matto...
Pois estão enganados. A velha vive feliz e bem contente da vida, graças a uma netinha órfã
de pae e mãe, que lá mora des’que nasceu. Menina morena, de olhos pretos como dias jaboticabas – e
reinadeira até alli!... Chama-se Lucia, mas ninguém a trata assim. Tem appellido. Yayá? Nenê? Maricota?
Nada disso. Seu apelido é “Narizinho Rebitado”, não é preciso dizer porque. Alem de Lucia, existe na casa
a tia Anastacia, uma excelente negra de estimação, e mais a Excellentissima Senhora Dona Emilia, uma
boneca de panno, fabricada pela preta e muito feiosa, a pobre, com seus olhos de retroz preto e as
sombrancelhas tão lá em cima que é ver uma cara de bruxa.
(LOBATO, Monteiro. A menina do narizinhi arrebitado. São Paulo:Monteiro Lobato & Cia., 1920. p.3-4)

a) Entre 1920 e a atualidade, o Brasil já passou por três reformas ortográficas, isto é três mudanças nas
regras de escrita de palavras. Transcreva do texto cinco vocábulos ou expressões que tenham sofrido
alterações ao longo do tempo.
naquella (grafia atual = naquela), pae (grafia atual= pai), móra (grafia atual= mora), appellido (grafia
atual = apelido) e panno (grafia atual = pano)
b) Que palavras são empregadas mais comumente hoje no lugar de jururu e reinadeira?
Jururu = triste, melancólico ; reinadeira: travessa, bagunceira, arteira
c) Tia Anastácia é apresentada como uma “excellente negra de estimação”. Qual era a provável função
dessa personagem na casa?
Cozinheira e babá
d) A abolição da escravatura aconteceu em 1888, três décadas antes da publicação dessa obra de
Monteiro Lobato. Como se explica, então, o uso da expressão “negra de estimação” e o tratamento
de tia Anastacia por “preta”?
O fato de Monteiro Lobato ser um autor que vivenciou a transição da mão de obra escrava para
livre, revela um estereótipo racista, que apesar da abolição da escravatura permaneceu mascarado na
sociedade da época. O texto evidencia o uso da língua respeitando a comunicabilidade, ou seja,
apresenta diversas variantes lingüísticas.
e) Com base na reflexão proposta no item anterior, explique como a linguagem revela a ideologia em
vigor no contexto histórico do início do século XX. Expressões como as citadas para referir-se a tia
Anastácia seriam aceitáveis nos dias de hoje?
Apesar do texto representar as variantes linguísticas que se constituíram no decorrer da história,
expressões como “negra de estimação” ou “preta”, nos dias atuais é altamente combatido e
considerado como preconceituoso.
BOA ATIVIDADE !!!