Você está na página 1de 2

 

Ano/Turma   10º  A  
UNIDADE   Iniciação  à  actividade  filosófica   SUBUNIDADE   A  dimensão  discursiva  do  Trabalho  Filosófico  
Aula  Nº   17  
SUMÁRIO   Noção  de  argumento:  premissas  e  conclusão.  Validade  e  solidez.  Dedução  e  indução.   Data   12/11/08  
 

P L A N O   D E   A U L A  
O B J E C T I V O S   C O N T E Ú D O S   C O N C E I T O S   E S T R A T É G I A S   R E C U R S O S   A V A L I A Ç Ã O  

O  aluno  deverá  ser  capaz  de:   1.3.   A   dimensão   discursiva   do   Definição   -­‐  Exposição  oral;   -­‐  Quadro;   Observação  directa:    
  trabalho  filosófico   explícita  de  
Reconhecer  a  importância  da   -­‐  Conceitos   -­‐Esquematização  dos   -­‐  Compêndio  pp.  44,   -­‐  Participação;  
conceito  
definição  explícita  em  Filosofia;   conteúdos;   indicadores  de  
             -­‐  Definição  explícita  
Argumento   premissas  e  de   -­‐  Problematização;  
Identificar  argumentos:   -­‐  Argumentos:  
Premissa(s)   -­‐  Diálogo  orientado;   conclusão;  
premissa(s)  e  conclusão;              -­‐  Premissas   -­‐  Conceptualização;  
 
           -­‐  Conclusão   Conclusão   -­‐  Trabalho  de  texto;   -­‐  Texto  
Reconhecer  indicadores  de  
           -­‐  Indicadores  de  premissa(s)   seleccionado  do   -­‐  Escutar,  respeitar  e  
premissa(s)  e  indicadores  de   Indicadores  de  
           -­‐  Indicadores  de  conclusão   -­‐  Projecção  de   Compêndio  pp.  63-­‐ responder  às  ideias  e  
conclusão.   premissa  e  de  
 
  transparências  com   64,Backwell.   argumentos  dos  
-­‐  Premissas  omissas:   conclusão  
Detectar  premissas  omissas;   mapas  conceptuais;   outros;  
             -­‐  Entimema   -­‐  Compêndio  p.  47,  
Entimema  
Identificar  argumentos  dedutivos.   -­‐  Actividades   pp.  53-­‐54.    
-­‐  Validade/verdade   -­‐  Aceitar  que  as  suas  
  Argumento   Compêndio  p.  47,  nº  4;  
   -­‐  Transparência;   ideias  e  argumentos  
Explicitar  a  diferença  entre  a   Dedutivo   pp.  53-­‐54,  nº  1;  
 -­‐  Dedução:   sejam  discutidos  e  
validade  e  a  solidez  nos   -­‐  Retroprojector.  
       -­‐  Argumentos  válidos                                                                 Validade   avaliados  pelos  
argumentos.   -­‐  Construção  do  
         -­‐  Argumentos  inválidos   outros;  
Solidez   Glossário  de  filosofia.      
Distinguir  argumentos  sólidos          -­‐  Argumentos  sólidos  (bons)  
(bons),  de  argumentos  não          -­‐  Argumentos  não  sólidos  (maus)   Indução     -­‐  Fundamentação  das  
sólidos  (maus).         suas  ideias  e  opiniões.  
Generalização  
 
-­‐  Indução:   -­‐  Valorização  das  
Definir  a  indução  -­‐  generalização,        -­‐  Generalização;   Previsão   intervenções  dos  
previsão  e  analogia.        -­‐  Previsão;   colegas.  
Analogia    
     -­‐  Analogia  
                 
Joana  Inês  Pontes  
 

FUNDAMENTAÇÃO  CIENTÍFICA:  
 
  A  presente  aula  integra-­‐se  na  sub-­‐unidade:  A  dimensão  discursiva  do  trabalho  filosófico,  pertencente  à  primeira  unidade  curricular  -­‐   Iniciação  à  actividade  
 
filosófica.   Pretende-­‐se,   através   desta   aula,   introduzir   algumas   noções   lógicas   fundamentais   da   actividade   argumentativa,   que   forneçam   ao   aluno   um  
 
panorama   sintético   –   e   primário   –   da   forma   como   se   estruturam   os   argumentos.   No   sentido   de   explicar   a   importância   da   utilização   (em   filosofia)   de  
 
conceitos  que  satisfaçam,  simultaneamente,  as  condições  necessárias  e  suficientes,  será  avançada  a  definição  explícita.  O  estudo  dos  argumentos  –  «O  que  
 
  é   um   argumento?»   –   será   repartido   em   três   diferentes   etapas   lógico-­‐conceptuais   em   função   dos   conteúdos   programáticos:   i)   esclarecimento   dos  
  elementos   que   compõem   os   argumentos   –   as   premissa(s)   e   a   conclusão;   ii)   detecção   dos   indicadores   de   premissa   e   de   conclusão   (Porque,   Assim,   Portanto,  
  etc.);   iii)   explicitação   do   modo   como   se   encontram   premissas   ocultas   nos   argumentos   -­‐   o   entimema.   Paralelamente   ao   esclarecimento   da   noção   de  
  argumento,  será  introduzido  o  conceito  de  validade  e  o  conceito  de  verdade  –  sendo  importante  evidenciar  que  nos  argumentos  ‘só  se  fala’  de  verdade.  A  
  selecção   de   conteúdos   científicos   segue   a   linha   de   Newton-­‐Smith,   pelo   que   serão   apresentadas   as   seguintes   noções   basilares:   i)   os   argumentos   dedutivos  
válidos;  ii)  a  forma  lógica  válida,  a  partir  da  qual  o  aluno  poderá  identificar  -­‐   a  priori  -­‐   a  validade  de  um  argumento;  iii)  os  argumentos  sólidos  (bons)  e  os  
argumentos  não  sólidos  (maus);  iv)  os  argumentos  indutivos  -­‐  generalização,  a  previsão  e  a  analogia.    

 
FUNDAMENTAÇÃO  PEDAGÓGICO-­‐DIDÁCTICA:  
 
Dada  a  fixidez  dos  conteúdos  propostos  nesta  aula,  as  estratégias  que  se  afiguram  mais  eficazes  para  promover  as  competências  filosóficas  ao  nível  da  
problematização,   conceptualização   e   argumentação   é   a   esquematização   de   conteúdos   no   quadro   e   a   projecção   de   ‘mapas   conceptuais’   (transparências)  
orientada   por   uma   exposição   crítica   e   dialógica.   A   aula   possuirá,   assim,   quatro   momentos   diversos   que   irão   marcar   quatro   ritmos   diferenciados   de  
aprendizagem:  i)  ‘momento(s)’  de  motivação:  os  alunos  serão  estimulados  a  participar  na  construção  de  argumentos,  na  identificação  dos  indicadores  de  
premissa/conclusão,   na   detecção   de   premissas   omissas,   na   identificação   da   validade,   entre   outras   –   participação   directa   no   processo   ensino-­‐
aprendizagem;   ii)   momento   de   explicitação/interpretação:   leitura   do   texto   de   Blackwell   (do   Compêndio)   o   qual   demonstra   melhor   adequação   aos  
conteúdos  em  análise,  sobretudo,  ao  grau  de  abstracção  do  aluno,  permitindo  o  esclarecimento  dos  argumentos  dedutivos  válidos,  da  forma  lógica  válida  e  
dos   argumentos   sólidos   e   não   sólidos;   iii)   momento(s)   de   sistematização:   projecção   de   transparências   com   ‘mapas   síntese’   dos   conteúdos   abordados   com  
vista   à   consolidação   de   conhecimentos   e   ao   esclarecimento   de   noções.   iv)   momento(s)   de   verificação/aplicação   de   conhecimentos:   realização   de  
exercícios  do  Compêndio,  no  sentido  de  confirmar  a  solidificação  dos  conteúdos  e  proporcionar  uma  aprendizagem  significativa.  
Pretende-­‐se,  assim,  que  esta  aula  se  apresente  como  um  laboratório  conceptual,  propício  ao  desenvolvimento  das  competências  cognitivas  e  conceptuais  
que  caracterizam  a  filosofia  como  actividade  crítica.    
Joana  Inês  Pontes  

Você também pode gostar