Você está na página 1de 2

 

Ano/Turma   10º  A  
UNIDADE   A  acção  Humana  e  os  Valores   SUBUNIDADE   Determinismo  e  liberdade  na  acção  humana  
Aula  Nº   20  
SUMÁRIO   Determinismo  e  liberdade  na  acção  humana.   Data   26/11/08  
 

P L A N O   D E   A U L A  
O B J E C T I V O S   C O N T E Ú D O S   C O N C E I T O S   E S T R A T É G I A S   R E C U R S O S   A V A L I A Ç Ã O  

O  aluno  deverá  ser  capaz  de:   -­‐  Exposição  oral;   -­‐  Quadro;   Observação  directa:    
  II.  A  ACÇÃO  HUMANA  E  OS  
Reconhecer  a  vida  como  um   VALORES   Liberdade   -­‐  Videoprojector;  
  -­‐Esquematização  dos   -­‐  Participação;  
espaço  aberto  de  possibilidades;     1.1.  A  acção  humana  –  análise  
  conteúdos;   -­‐  Computador;  
e  compreensão  do  agir   Fatalismo   -­‐  Problematização;  
Explicar  o  que  significa  ‘ser  livre’;  
  -­‐  Diálogo  orientado;   -­‐  Spot    publicitário  da  Pepsi:  
1.2  Determinismo  e  liberdade   Life  Offers  endless  
Estabelecer  a  diferença  entre  livre-­‐ Determinismo   -­‐  Conceptualização;  
na  acção  humana  
arbítrio  e  libertinagem;   -­‐  Análise  de  um  spot   possibilities;  
  -­‐  É  o  livre  arbítrio  compatível   Causalidade   publicitário  -­‐  youtube;   -­‐  Escutar,  respeitar  e  
-­‐  Excerto  do  filme:  
Relacionar  liberdade  e   com  o  determinismo?   responder  às  ideias  
Schindler’s  List,  de  Steven  
responsabilidade;   Determinismo   -­‐  Visualização  de  uma   e  argumentos  dos  
 
-­‐  Condicionantes  da  acção   Spielberg  (Cap.  15,  1h10-­‐
humana:   radical   curta-­‐metragem;     1h13)   outros;  
Identificar  as  condicionantes  físico-­‐
biológicas,  psicológicas  e  histórico-­‐        -­‐  Físico-­‐biológicas;   -­‐  Vídeo:  Waking  Life  –  Livre-­‐
Libertismo   -­‐  Análise  de  um  vídeo;   -­‐  Aceitar  que  as  suas  
culturais  na  acção  humana;  
       -­‐  Psicológicas;   arbítrio;  
  ideias  e  argumentos  
Explicar  o  que  significa   -­‐  Trabalho  com  texto;  
         -­‐  Histórico-­‐Culturais;   Compatibilismo   -­‐  Textos  seleccionados  do   sejam  discutidos  e  
determinismo.   (Determinismo   Compêndio:  p.  93,  Álvaro  
     -­‐  Teorias  Incompatibilistas:   -­‐  Trabalho  de  pares  para   avaliados  pelos  
moderado)   resolução  do  Guião  de   Nunes;  p.  112,  Simon   outros;  
Mostrar  a  diferença  entre  
                     -­‐  Determinismo  Radical;   Blackburn.  
determinismo  e  fatalismo.   visionamento;  
                       -­‐  Libertismo                         -­‐  Fundamentação  
Explicitar  diferentes  teorias  da   -­‐  Resolução  de  ficha  de   -­‐  Guião  de  visionamento;   das  suas  ideias  e  
   -­‐  Teorias  Compatibilistas:  
problemática  do  livre-­‐arbítrio:     trabalho;   opiniões.  
compatibilistas  e  incompatibilistas.                      -­‐  Compatibilismo   -­‐  Ficha  de  trabalho;  
(determinismo  moderado)   -­‐  Construção  do   -­‐  Valorização  das  
-­‐  Transparência;  
Reconhecer  a  acção  como  um   intervenções  dos  
  Glossário  de  filosofia.      
campo  de  possibilidades  e  um   -­‐  Retroprojector.   colegas.  
espaço  para  a  liberdade  do  agente.  
Joana  Inês  Pontes  
 
FUNDAMENTAÇÃO  CIENTÍFICA:  
 

A  presente  aula  introduz  o  problema  do  livre-­‐arbítrio  pertencente  à  unidade  temática:  A  acção  Humana  e  os  Valores.  Pretende-­‐se,  através  desta  aula,  que  
 
os   alunos   construam   uma   visão   ampla,   ainda   que   simplista,   dos   principais   enigmas,   teorias   e   especulações   em   torno   da   problemática   do   livre-­‐arbítrio   -­‐  
 
«Será   possível   conciliar   o   determinismo   com   o   livre-­‐arbítrio?».   Para   uma   construção   lógica   e   conceptual   adequada   serão   esclarecidos   e   definidos,   os  
 
conceitos  de  livre-­‐arbítrio  e  de  determinismo,  os  quais  permitirão  conceber  o  problema  em  questão.  A  componente  científica  não  seguirá  uma  linha  de  
 
orientação  unívoca  ou  vocacionada   para  uma  tendência  filosófica  singular   -­‐   dado  que  aquilo  que  se  pretende  é  um  contacto  primário   e   elucidativo  com  a  
 
temática  –  pelo  que  serão  esclarecidas  algumas  tentativas  de  resolução  do  problema,  entre  elas,  as  diferentes  teorias  acerca  do  livre-­‐arbítrio:  i)  teorias  
 
compatibilistas:   compatibilismo   (determinismo   moderado);   ii)   teorias   incompatibilistas:   Determinismo   radical   e   Libertismo.   Com   esta   selecção   de  
 
conteúdos,  o  aluno  reconhecerá  a  urgência  de  encontrar  uma  solução  que  ofereça  uma  resposta  concludente  e  cabal  ao  problema  da  acção  humana  e,  
 
sobretudo,  que  o  problema  de  sabermos  se  o  homem  é  realmente  ‘livre’  nas  acções  que  realiza  permanece  uma  questão  em  aberto.  
 
 
FUNDAMENTAÇÃO  PEDAGÓGICO-­‐DIDÁCTICA:  

Perante   a   elasticidade   dos   conteúdos   programáticos   propostos   para   esta   aula,   a   estratégia   considerada   mais   eficaz   –   e   que   será   predominante   durante   a  
aula  -­‐   para  promover  as  competências  filosóficas  ao  nível  da  problematização,  conceptualização  e  argumentação  é  a  visualização  de  audiovisuais  (curtas-­‐
  metragens)  e  sua  análise  crítica,  orientada  por  uma  exposição  dialógica  e  textual  apropriada.  A  aula  possuirá,  assim,  quatro  momentos  distintos  que  irão  
marcar  –  alternadamente  -­‐   quatro  ritmos  diferenciados  de  aprendizagem:  i)  momento(s)’  de  motivação:  através  da  visualização  e,  ulterior,  análise  crítica  
de   um   spot   publicitário   -­‐   eficaz   na   interpretação   da   vida   como   um   espaço   aberto   de   possibilidades   -­‐   e   de   duas   curtas-­‐metragens   –   importantes   na  
explicitação   dos   condicionalismos   e   do   problema   do   livre-­‐arbítrio   -­‐   os   alunos   serão   estimulados   a   participar   directamente   na   construção   de   problemas  
filosóficos   e   no   desbravamento   conceptual   subjacente   aos   mesmos,   mediante   um   diálogo   crítico   e   orientado   que   fomentará   o   desenvolvimento   da  
argumentação   -­‐   participação   directa   dos   alunos   no   processo   E/A;   ii)   momento(s)   de   explicitação/interpretação:   leitura   do   texto   de   Álvaro   Nunes   (do  
Compêndio)  –  que  é  excelente  para  esclarecer  ‘o  que  é  a  cadeia  causal’,  não  apenas  pela  terminologia  de  que  dispõe,  mas  pela  oportuna  adequação  ao  
grau  de  abstracção  do  aluno  -­‐   permitindo  elaborar  um  esquema  mental  evidente;  e  leitura  do  texto  de  Simon  Blackburn  (igualmente  do  Compêndio),  o  
qual   evidencia   uma   adequação   notável   aos   conteúdos   a   serem   explorados   –   diferença   entre   determinismo   e   fatalismo   –   e,   sobretudo,   ao  
desenvolvimento  das  competências  conceptuais  e  argumentativas  dos  alunos  –  explicação  por  meio  de  uma  história;  iii)  momento(s)  de  sistematização:  
projecção   de   uma   transparência   com   ‘mapas   conceptuais’   e   esquematização   no   quadro   dos   conteúdos   abordados   com   vista   à   consubstanciação   de  
conhecimentos   e   à   manutenção   de   uma   arquitectura   de   pensamento;   iv)   momento(s)   de   verificação/aplicação   de   conhecimentos:   resolução   de   um   guião  
de  visionamento  e  de  uma  ficha  de  trabalho  com  tarefas  relacionadas  com  a  matéria  leccionada,  no  sentido  de  confirmar  a  solidificação  dos  conteúdos  e  
proporcionar   uma   aprendizagem   significativa.   Pretende-­‐se,   assim,   que   esta   aula   se   apresente   como   um   laboratório   conceptual,   propício   ao  
desenvolvimento  das  competências  cognitivas  e  conceptuais  que  tanto  caracterizam  a  actividade  filosófica.    
Joana  Inês  Pontes