Você está na página 1de 6

Onur Buyuktezgel / Shutterstock

geopolítica 1
geopolítica aula 1

protegerem seus interesses na região, os Estados Unidos economicamente e hoje é um dos líderes mundiais em
não respeitaram o resultado do plebiscito – que indicou tecnologia de ponta. No mesmo período, a economia da
a vontade popular em unificar o país sob o comando dos Coreia do Norte pouco se desenvolveu. O país investiu
socialistas –, e a tensa relação entre socialistas (do norte) seus recursos na agricultura e foi governado de maneira
e capitalistas (do sul) evoluiu para o confronto armado autoritária pela elite política socialista. Após o fim da
que durou até 1953. O cessar-fogo assinado consolidou União Soviética, a China assumiu a posição de principal
a separação dos dois países, que dura até a atualidade. parceira comercial dos norte-coreanos.
As últimas décadas foram marcadas por uma tentativa
AS DUAS COREIAS
de reaproximação entre as duas nações e, posterior-
RÚSSIA mente, pela retomada do afastamento entre elas. Em
2004, foi criado um complexo industrial binacional, na
CHINA cidade norte-coreana de Kaesong (ao sul do país). Os
Chongjin
investimentos foram feitos pela Coreia do Sul, e o projeto
Kimchaek pouco evoluiu por problemas políticos e militares que
COREIA DO NORTE ocorreriam nos anos seguintes. Todavia, nos últimos anos,
Mar do o governo da Coreia do Norte intensificou as pesquisas
Pyongyang Japão
nucleares para fins militares, o que alarmou a comunidade
Nantes
internacional e afastou a retomada do diálogo que vinha
sendo construída entre os dois países.
Seul
Em 2017, motivada pelos constantes testes de arma-
COREIA DO SUL
mento nuclear promovidos pela Coreia do Norte, a ONU
Mar do Pusan
Japão
Amarelo adotou medidas mais rigorosas de boicote econômico
contra o país. Foram impostas restrições às exporta-
ções coreanas de tecidos e às importações de petróleo
Durante a Guerra Fria, a Coreia do Sul contou com chinês. O objetivo das sanções seria enfraquecer finan-
grandes investimentos dos Estados Unidos, visando for- ceiramente a Coreia do Norte, obrigando a redução dos
talecer o capitalismo na região. O país desenvolveu-se gastos militares.

exercícios

1. (Enem-MEC)

Os 45 anos que vão do lançamento das bombas atômicas até o fim da União Soviética não foram um período homogê-
neo único na história do mundo. […] Dividem-se em duas metades, tendo como divisor de águas o início da década de
[19]70. Apesar disso, a história desse período foi reunida sob um padrão único pela situação internacional peculiar que
o dominou até a queda da União Soviética.

As duas superpotências que sobressaíram no conflito da Segunda Guerra Mundial, Estados Unidos, capitalista,
HOBSBAWM, Eric J. A era dos extremos.
e União Soviética, socialista, lideraram os seus respectivos blocos econômicos ideológicos que disputaram São Paulo: Companhia das Letras, 1996.
pela supremacia mundial.

O período citado no texto e conhecido por Guerra Fria pode ser definido como aquele momento histórico em
que houve:
a) corrida armamentista entre as potências imperialistas europeias ocasionando a Primeira Guerra Mundial.
b) domínio dos países socialistas do sul do globo pelos países capitalistas do norte.
c) choque ideológico entre a Alemanha nazista/União Soviética stalinista, durante os anos 1930.
d) disputa pela supremacia da economia mundial entre o Ocidente e as potências orientais, como a China e o Japão.
831-1

e) constante confronto das duas superpotências que emergiram da Segunda Guerra Mundial.

4 polisaber
aula 1 geopolítica
O Pacto de Varsóvia (1955) foi um tratado de cooperação militar entre os oito países que formavam o bloco do Leste Europeu. Seus objetivos eram ser um bloco militar para proteger os
países-membros de ataques, principalmente da Otan.
2. (FMU-SP) O Pacto de Varsóvia, criado em 1955 e extinto em 1991, teve como principal objetivo:
a) reunir os países socialistas como a Alemanha Oriental e a Alemanha Ocidental contra a Otan.
b) consolidar a influência soviética sobre os países da Europa oriental.
c) conter a influência soviética sobre os países da Europa oriental.
d) consolidar a influência socialista na Europa ocidental.
e) consolidar a influência capitalista na Europa oriental.

3. (Vunesp)

Coreia do Norte anuncia “estado de guerra” com a Coreia do Sul


A Coreia do Norte anunciou nesta sexta-feira [29.03.2013] o “estado de guerra” com a Coreia do Sul e que negociará
qualquer questão entre os dois países sob esta base. “A partir de agora, as relações intercoreanas estão em estado de
guerra e todas as questões entre as duas Coreias serão tratadas sob o protocolo de guerra”, declara um comunicado
atribuído a todos os órgãos do governo norte-coreano.

Disponível em: <http://noticias.uol.com.br> (adaptado).

A tensão observada entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul está associada a:


a) divergências políticas e comerciais, sendo que sua origem se deu após a emergência da nova da ordem mundial.
b) divergências comerciais e econômicas, sendo que sua origem remete ao período da Guerra Fria.
c) divergências políticas e ideológicas, sendo que sua origem se deu após a emergência da nova ordem mundial.
d) divergências políticas e ideológicas, sendo que sua origem remete ao período da Guerra Fria.
e) um incidente diplomático ocasional, que não corresponde à grande tradição pacifista existente entre as Coreias.
Na década de 1940, durante a Guerra Fria, ocorreu a divisão da península Coreana entre Coreia do Sul, capitalista, e Coreia do Norte, socialista. Essa separação decorreu do conflito político-
-ideológico da época. Emergindo como Tigre Asiático, a Coreia do Sul mostrava um bom desenvolvimento socioeconômico e tecnológico e dinamismo na economia. Já a Coreia do Norte,
engendrada na doutrina socialista, preocupava-se em investir largamente em seu belicismo.

4. (Vunesp) Em 1955 foi realizada na Indonésia a Conferência de Bandung, que lançou as bases do chamado Movi-
mento dos Não Alinhados. Considerando o contexto do pós-Segunda Guerra Mundial, a Conferência de Bandung
expressava:
a) uma manifestação pelo reconhecimento internacional da hegemonia asiática sobre a economia do pós-guerra.
b) uma ruptura com os padrões socioculturais preconizados pela Tríplice Aliança e pela Tríplice Entente.
c) a resistência política contra os confrontos armados entre os países Aliados e os países do Eixo.
d) a consolidação da influência socialista no hemisfério oriental, com a redefinição de antigas fronteiras políticas.
e) a tentativa de alguns países de se manterem neutros diante da bipolaridade estabelecida pela Guerra Fria.
Alguns países, no contexto da Guerra Fria, tentaram exercer uma posição de não alinhamento no conflito político-ideológico entre Estados Unidos e União Soviética. O maior expoente
disso foi a Conferência de Bandung, porém o maior obstáculo para o sucesso de seu objetivo foi o subdesenvolvimento dos países, periféricos em sua maioria.

Estudo orientado

exercícios

1. (Famerp-SP)

Essa Guerra Fria entre os Estados Unidos e a União Soviética, e que envolve igualmente suas respectivas “áreas de
influência”, apresenta inúmeros aspectos ou facetas: a corrida armamentista, a corrida espacial, os tratados e acordos
militares (especialmente a Otan e o Pacto de Varsóvia), a “ideologia da Guerra Fria”, como forma de controle sobre po-
831-1

pulações e Estados, a espionagem e os apoios ou incentivos a golpes militares e a oposições de governos aliados da

polisaber 5
aula 2 geopolítica

exercícios

1. ( Enem-MEC) Um dos fenômenos mais discutidos e polêmicos da atualidade é a globalização, a qual impacta de
forma negativa:
a) na mão de obra desqualificada, desacelerando o fluxo migratório.
b) nos países subdesenvolvidos, aumentando o crescimento populacional.
c) no desenvolvimento econômico dos países industrializados desenvolvidos.
d) nos países subdesenvolvidos, provocando o fenômeno da “exclusão social”.
e) na mão de obra qualificada, proporcionando o crescimento de ofertas de empregos e fazendo os salários caírem
vertiginosamente.
A globalização não eliminou as disparidades regionais.

2. (Unicamp-SP) Sobre a revolução informacional e suas implicações para a reorganização do mundo contemporâneo,
podemos afirmar que:
a) alguns Estados e um conjunto diminuto de grandes empresas controlam o essencial da revolução tecnológica em
curso, atualizando o desenvolvimento geograficamente desigual.
b) dado o alcance planetário do sistema técnico informacional, a população tem amplo acesso a uma informação
verdadeira que unifica os lugares, tornando o mundo uma democrática aldeia global.
c) há um acentuado enfraquecimento das funções de gestão das metrópoles, processo determinado pela
descentralização da produção, apoiada no uso intensivo das tecnologias da informação e comunicação.
d) os mais diversos fluxos de informações perpassam as fronteiras nacionais, anulando o papel do Estado-nação como
ente regulador e definidor de estratégias no jogo político mundial.
A revolução informacional iniciou-se na segunda metade do século XX, principalmente depois da década de 1970, quando houve várias descobertas e avanços tecnológicos nos campos
da informática, robótica, transportes, telecomunicações, entre outros. Entretanto, a revolução informacional beneficiou mais os países desenvolvidos.

3. (Mackenzie-SP) O termo “globalização expressa um processo, sobretudo de natureza econômica, atualmente em


curso, que atinge dimensão planetária. Entre as características principais da globalização, destacam-se:
I. A descentralização espacial das funções produtivas entre vários países e continentes.
II. O fortalecimento dos Estados nacionais, aumentando o papel do Estado como administrador das economias e
provedor do bem estar social.
III. O crescimento das discussões internacionais sobre o meio ambiente, em função de pressões de ONGs e da relativa
ampliação da consciência ecológica.
É (são) correta(s) a(s) característica(s):
a) I e II, apenas.
b) I e III, apenas.
c) apenas II.
d) II e III, apenas.
e) I, II e III.
No avanço da globalização, e também do neoliberalismo, o Estado vem perdendo sua autonomia política, como se percebe pelas privatizações de empresas estatais e formação de blocos
econômicos. Contudo, os avanços da revolução técnico-científico-informacional trazem avanços nas tecnologias de comunicações e transportes que beneficiam as indústrias, fazendo
com que elas se instalem em lugares com menos impostos e taxas fiscais e com leis ambientais mais brandas.

4. (Vunesp) Criado em resposta às crises econômicas do final da década de 1990, o G-20 reflete o contexto de:
a) unilateralidade da antiga ordem mundial, marcada pela supremacia britânica no Conselho de Segurança das Nações
Unidas.
b) bipolaridade da antiga ordem mundial, caracterizada pela estabilidade financeira dos países desenvolvidos e sub-
desenvolvidos.
c) multipolaridade da antiga ordem mundial, marcada pelo fortalecimento da cooperação entre blocos econômicos.
d) multipolaridade da nova ordem mundial, caracterizada pela diversidade de interesses das economias industrializa-
das e emergentes.
e) bipolaridade da nova ordem mundial, caracterizada pelo controle estadunidense e soviético das instituições finan-
831-1

O caráter multilateral e multipolar da nova ordem mundial da economia mundial é representado pelo G-20 na atualidade. O grupo político é
ceiras internacionais. composto pelos países do G-7, pela União Europeia e por 12 países emergentes.

polisaber 15
aula 3 geopolítica

A paisagem urbana reflete a desigualdade social, opondo a cidade formal e a informal numa segregação espacial,
sendo a cidade informal composta por submoradias (palafitas, cortiços, favelas, entre outras) com infraestrutura
precária, e a formal apresentando infraestrutura razoável (bairros proletários) e excelente (bairros nobres), além
do respeito ao Plano Diretor, regras básicas para o crescimento ordenado da cidade. Esse plano provém de ampla
discussão com a sociedade, envolvendo o poder econômico, o poder político, as universidades, os técnicos e, o
mais importante, os cidadãos.
Buscando democratizar o espaço urbano, o governo federal criou, em 2001, o Estatuto da Cidade, destacando três
pilares: a obrigatoriedade do Plano Diretor para cidades acima de 20 mil habitantes; a adoção do IPTU progressivo para
combater a especulação; e o orçamento participativo, importante ferramenta de consulta popular, visando equacionar
problemas locais (bairros).
Outra característica do subdesenvolvimento brasileiro seria o trabalho análogo à escravidão que acontece nas fazendas,
por meio de dívidas contraídas nos armazéns, sendo manipuladas pelo proprietário e ocorre também no comércio e
confecções têxteis do país, destacando-se o caso de peruanos e bolivianos em São Paulo. As características do trabalho
escravo moderno seriam: jornadas exaustivas com sobrecarga de trabalho, condições degradantes e o constante assédio
moral, com ameaças e violência psicológica e física.

exercícios

1. (Fuvest-SP) O Estatuto da Cidade, Lei no 10.257, de 10 de julho de 2001, chega com atraso de 37 anos, em relação
ao Estatuto da Terra, e dispõe, entre outros pontos, sobre:
a) as metas de financiamento habitacional para a população de baixa renda.
b) o direito dos consumidores na cidade.
c) o estabelecimento do IPTU progressivo, de acordo com regulamentação municipal.
d) os gastos públicos, controlando o endividamento das prefeituras.
e) as metas de consumo energético urbano, estabelecidas pelo governo federal.
O Estatuto da Cidade, Lei no 10.257, de 10 de julho de 2001, estabelece normas para o uso do solo urbano, como a cobrança progressiva do IPTU (Imposto Progressivo Territorial Urbano),
dependendo da regulamentação do município, visando combater a especulação imobiliária.

Houve uma mudança qualitativa na pauta das exportações brasileiras entre os anos retratados no gráfico. Há uma diminuição nas vendas
para o exterior de produtos manufaturados e semimanufaturados depois do ano 2000 (setor secundário); em contrapartida, nota-se um
2. (Vunesp) Analise o gráfico. aumento gradativo das exportações do setor primário (produtos básicos). Isso mostra a reprimarização que o Brasil sofreu no século XXI.

Evolução das exportações brasileiras por tipo de produto, 1965-2010

90

80

70

60

50 Básico
%
40 Manufaturado

30

20

10 Semimanufaturado

0
1965 1970 1975 1980 1985 1990 1995 2000 2005 2010
831-1

Fonte: Samuel Frederico. Geografia, v. 37, 2012 (adaptado).

polisaber 23
geopolítica aula 3

A partir da análise do gráfico e de conhecimentos sobre as características qualitativas do comércio exterior brasi-
leiro, o termo que exprime corretamente a orientação assumida pela pauta de exportações brasileiras a partir do
século XXI é o de:
a) sofisticação.
b) industrialização.
c) estagnação.
d) reprimarização.
e) crescimento.

Embora o princípio da industrialização brasileira tenha se dado no século XIX, com a permissão de 1808 para o estabelecimento de indústrias, a Tarifa Alves Branco de protecionismo de
1844 e a era Mauá, com início em 1850, a industrialização como processo mais consolidado se dará no período do primeiro governo de Getúlio Vargas (1930-1945). Comparando com os
processos industriais dos grandes países capitalistas, percebe-se que a industrialização brasileira é tardia.

3. (Vunesp)

Leia o texto para responder à questão.

A industrialização contemporânea requer investimentos vultosos. No Brasil, esses investimentos não podiam ser
feitos pelo setor privado, devido à escassez de capital que caracteriza as nações em desenvolvimento. Além disso,
o crescimento econômico do Brasil, um recém-chegado ao processo de modernização, processou-se em condições
socioeconômicas diferentes. Um efeito internacional de demonstração, na forma de imitação de padrões de vida,
entre países ricos e pobres, e entre classes ricas e pobres dentro das nações, resultou em pressões significativas
sobre as taxas de crescimento para diminuir a diferença entre nações desenvolvidas e em desenvolvimento. Em
vista das aspirações de melhores padrões de vida, o governo desempenhou um papel importante no crescimento
econômico recente do Brasil.

Carlos Manuel Peláez e Wilson Suzigan.


História monetária do Brasil, 1981 (adaptado).

De acordo com o texto, uma das particularidades do processo de industrialização brasileira é:


a) o controle das matérias-primas industriais pelas nações imperialistas do planeta.
b) a escassez de mão de obra devido à sobrevivência da pequena propriedade rural.
c) o domínio da política por setores sociais ligados aos padrões da economia colonial.
d) a emergência da industrialização em meio a economias internacionais já industrializadas.
e) a existência prévia de um amplo mercado consumidor de produtos de luxo.

4. (Mackenzie-SP) A respeito do “milagre econômico” do governo Médici (1969-1974), são feitas as afirmações
seguintes.
I. O “milagre” representou um período de altas taxas de crescimento do PIB (de até 14%), com avanços extraordi-
nários na indústria, na agricultura e no comércio.
II. A política econômica baseou-se, simultaneamente, na concessão de subsídios e incentivos fiscais às indústrias e
na imposição do arrocho salarial aos trabalhadores.
III. Os avanços econômicos conduziram o Brasil à situação de oitava economia mundial, condição amplamente
utilizada como propaganda pelo regime militar.
Assinale:
a) se apenas I é correta.
b) se apenas II é correta.
c) se apenas III é correta.
d) se apenas I e II são corretas.
831-1

e) se I, II e III são corretas.

24 polisaber O milagre econômico ocorrido no governo Médici (1969-1974) aconteceu devido ao rápido crescimento econômico, com o PIB brasileiro crescendo acima de
11% ao ano. Assim, houve melhoras na infraestrutura do país e investimento na indústria. Entretanto, houve um grande aumento da dívida externa brasileira e
não houve distribuição de renda, apesar do crescimento da economia, o que aumentou mais ainda as desigualdades sociais no país.

Você também pode gostar