Você está na página 1de 58

Curso completo de

macroeconomia
Profa. Amanda Aires
Aula 16: Modelo Keynesiano

47
48
49
Curso completo de
macroeconomia
Profa. Amanda Aires
Aula 17: Economia Keynesiana
A Economia Clássica
• A economia como ciência independente: 1776
– A riqueza das nações, Adam Smith
– Hipóteses:
• Mercado auto ajustável
– Flexibilidade de preços e salários
» O mercado de bens e serviços
» O mercado de trabalho (mercado de fatores)
• Salário nominal e salário real
» Economia em equilíbrio e com pleno emprego.
• A oferta agregada determina a demanda agregada: A lei
de Say
A Economia Keynesiana
• A Teoria Geral do Emprego, do Juro e da
Moeda, 1936
– A Lei da Demanda Efetiva
– A questão da rigidez dos preços
• Salário nominal vs Salário real
– Equilíbrio com desemprego
Quadro-resumo
Curso completo de
macroeconomia
Profa. Amanda Aires
Aula 18: Economia Keynesiana

5
O Modelo Keynesiano simplificado:
condições para o produto de equilíbrio
• Modelo Keynesiano:
– Permanência da economia em condições de depressão;
– A despesa e o desempenho econômico
– Rigidez de preços e salários no curto prazo
Na visão Keynesiana, o equilíbrio ocorre quando o nível de
despesa (demanda agregada) é igual ao produto (oferta
agregada).
– As mudanças no produto são as que direcionam a
economia ao equilíbrio
– Equilíbrio no modelo Keynesiano:
• os empresários produzirão apenas a quantidade de bens e serviços
que eles acreditam que os compradores planejam comprar.

6
7
• Algebricamente:
Oferta agregada (OA) = produção = PIB = Renda = Y
Despesa agregada (DA) = C + I + G + (X – M)
I (investimento) = S (poupança)
• Despesa planejada vs. despesa realizada (ou
efetiva)
– Keynes e a demanda planejada
• A mudança nos estoques das empresas e os
investimentos
– A demanda planejada e a demanda realizada
• OA = DA

8
OA = DA
Y = Gasto/despesa planejada
Gasto/despesa realizada (ou efetiva) = Gasto/despesa
planejada
ΔE = 0
• A saída para a situação de recessão é aumentar a demanda
agregada para reduzir os estoques formados
• A importância do governo como agente econômico

9
Aplicações
1. (Banco da Amazônia, CESPE, 2012) Ainda em
relação à macroeconomia, julgue os itens a
seguir.
Conforme o modelo keynesiano, choques
adversos de oferta em determinada economia
acarretam aumento de preços e redução do
nível de produção dessa economia.

10
2. (TCE-RO) Acerca dos conceitos econômicos
abaixo e da teoria keynesiana, julgue os itens
subsecutivos.
No modelo keynesiano simples, a situação em
que ocorre excesso de demanda agregada em
relação à capacidade de produção implica no
excesso de fatores de produção e redução da
inflação.

11
Curso completo de
macroeconomia
Profa. Amanda Aires
Aula 19: Economia Keynesiana

12
13
Determinação da Renda Nacional de
Equilíbrio
• Premissas simplificadoras:
– i. Taxa de juros constante (ou seja, não a levaremos
em conta)
– ii. Nível de preços constante
– iii. Inexistência de depreciação
– iv. Inexistência de RLEE (renda líquida enviada ou
recebida do exterior)
– v. O governo arrecada somente impostos diretos
(sobre as pessoas)
– vi. Não temos impostos indiretos nem subsídios

14
Composição da Demanda Agregada
• DA = C + I + G + X – M

15
A função consumo
• C = C0 + c.YD
• C = C0 + c.(Y – T)
• A lei pscicológica fundamental
• A propensão média a consumir

16
Informações importantes
• O consumo cresce junto com a renda (disponível);
• A função de consumo apresentada é uma função
linear10, e a propensão marginal a consumir é
constante para uma função dada;
• A propensão marginal a consumir só assume valores
entre 0 e 1 (0≤c≤1);
• À medida que a renda aumenta, a parcela da mesma
que é gasta com o consumo diminui. Isto é, quanto
maior a renda, menor a propensão média a consumir.
• A propensão média a consumir também assume
valores entre 0 e 1. Isto é 0≤PMeC≤1.
17
3. (Fiscal da Receita Estadual do Acre, 2010) Considerando que o
conhecimento das relações funcionais entre variáveis econômicas é
relevante para que se possa atuar sobre elas, aplicando os
instrumentos de política econômica, e tendo em vista a análise
comparativa das funções consumo e poupança, em nível agregado,
assinale a opção correta.
A A propensão marginal a consumir é crescente em relação ao
aumento da renda.
B A um dado nível de renda, se a propensão média a consumir for de
0,75, a propensão média a poupar será de 0,25.
C Os consumidores de países mais ricos apresentam propensão
média a consumir maior que a dos consumidores de países mais
pobres, e propensão marginal a poupar menor que a dos países mais
pobres.
D O consumo autônomo diminui com o aumento da renda

18
4. (ANTAQ, CESPE, 2009) Em relação aos
conceitos básicos de macroeconomia, julgue os
itens a seguir.
O consumo independente da renda, também
chamado de consumo autônomo, determina o
ponto em que a curva de consumo agregado
corta o eixo das ordenadas de um gráfico do
tipo consumo versus nível de renda nacional.

19
A função poupança
S = YD – C
Como C=C0 + c.YD, então:
S = YD – C0 – c.YD
S = -C0 + YD – c.YD
S = -C0 + (1 – c).YD

20
A relação entre poupança e consumo
PMgC + PMgS = c + (1 – c)
PMgC + PMgS = 1
PMeC + PMeS = C/YD + S/YD
PMeC + PMeS = (C + S)/YD = YD/YD
PMeC + PMeS = YD/YD
PMeC + PMeS = 1

21
22
Tributação
• Tributação
• T = T0 + tY
• Investimentos
• I = I0 + iY
– A questão da taxa de juros
• Os gastos do governo
• G = G0
• As exportações
• X = X0
• A importação
• M = M0 + mY
23
24
Curso completo de
macroeconomia
Profa. Amanda Aires
Aula 20: Economia Keynesiana

25
Determinação da renda de equilíbrio
01. (Auditor Fiscal da Receita Estadual (SEFAZ RJ), FGV, 2011) Seja uma economia
hipotética caracterizada pelas seguintes equações:
Consumo das famílias: C = 40 + 0,9 Y
Gastos do governo: 0
Investimento: 30
Exportações Líquidas: X - M = 30 - 0,1 Y
Com base nos dados acima, analise as afirmativas a seguir:
I. O PIB dessa economia é igual a $ 500.
II. O consumo das famílias é igual a $ 490.
III. As exportações líquidas são iguais a $ -20.
Assinale
a) se apenas as afirmativas I e II forem verdadeiras.
b) se apenas as afirmativas I e III forem verdadeiras.
c) se apenas as afirmativas II e III forem verdadeiras.
d) se todas as afirmativas forem verdadeiras.
e) se nenhuma afirmativa for verdadeira.

26
Curso completo de
macroeconomia
Profa. Amanda Aires
Aula 21: Economia Keynesiana

27
O multiplicador Keynesiano
• A intuição sobre o multiplicador
– Os efeitos de crescimento e decrescimento do PIB

28
Algebricamente
• Economia fechada

• Multiplicador completo

29
30
31
• Outros multiplicadores

32
Considerações teóricas
• Se a propensão marginal a consumir for igual à propensão marginal
a poupar, o valor do multiplicador será igual a 2.
• multiplicador da renda numa economia fechada é maior do que em
uma economia aberta
• Quanto maior for a propensão marginal a consumir (ou menor a
propensão marginal a poupar), maior será o valor do multiplicador.
• Em uma economia fechada e sem governo, quanto mais próximo de
zero estiver a propensão marginal a poupar, maior será o efeito de
um aumento dos investimentos sobre a renda.
• O valor do multiplicador pode ser maior que 10
• Numa economia fechada, o multiplicador não pode ser menor que
um.
• O valor do multiplicador não pode ser menor que zero.

33
5. (Analista do Ministério Público da União, Fundação Carlos
Chagas, 2007) No modelo keynesiano simples para uma
economia aberta e com governo, em que o investimento, a
tributação, os gastos do governo e as exportações são
autônomos, as propensões marginais a poupar e a importar
são 0,25 e 0,15, respectivamente.
Supondo que o nível de investimento aumente em 40, a
renda também será aumentada em:
a) 500
b) 400
c) 267
d) 160
e) 100
34
Injeções e vazamentos
• S+T+M=I+G+X

35
Equilíbrio alternativo
• Investimento planejado = poupança
planejada

36
Teorema do Orçamento Equilibrado

37
6. (Economista (MTE), CESPE, 2008) A teoria
macroeconômica analisa o comportamento dos
grandes agregados econômicos. Utilizando os
conceitos básicos dessa teoria, julgue item que se
segue.
Políticas fiscais expansionistas baseadas em
redução de impostos elevam mais a demanda
agregada do que aquelas que implicam aumentos
equivalentes dos gastos públicos e esses aumentos
serão maiores, quanto menores forem a
propensão marginal a poupar da economia.

38
7. (Analista do Ministério Público da União, FCC, 2007) Instruções: Para responder à
questão considere as informações a seguir.
Num determinado país, usando dados do tipo "cross-section", um grupo de
macroeconomistas estimou as seguintes funções dentro de um contexto de um
modelo keynesiano simples para uma economia fechada, sendo todas
estatisticamente significantes:
C = 0,8 Yd
T = 100 + 0,0625 Y
Onde:
Y = Renda nacional
Yd = Renda nacional disponível
T = Tributação
Sabe-se que, para o ano corrente, os Gastos do Governo (G) montaram a 300 e os
investimentos privados (I), a 200. Ao responder as questões seguintes, abstraia a
existência de depreciação do estoque de capital fixo e suponha que não há tributos
indiretos.
Nesse modelo, o valor do multiplicador da tributação autônoma, em valor absoluto,
é:
a) 3,2
b) 3,4
c) 3,6
d) 3,8
e) 4,0
37
38
Intensidade dos instrumentos da
política fiscal
• a política fiscal via gastos é mais intensa que
a política fiscal via tributação
• As medidas compensatórias e os
estabilizadores automáticos

39
Hiatos inflacionários e deflacionários

40
41
Determinantes do investimento
• Variável volátil

42
• O papel das expectativas
– “O investimento é influenciado, basicamente, pela
taxa de crescimento do produto, não pelo nível do
produto.”

43
• A taxa de juros e a eficiência marginal do
capital
– A decisão do investimento e o retorno esperado
do investimento
• O preço de oferta
• O preço de demanda
– Se preço de demanda é maior que preço de oferta, então a
taxa de retorno esperada do investimento é maior que a taxa
de juros; logo, compensa fazer o investimento;
– Se o preço de demanda é menor que o preço de oferta, então
a taxa de retorno esperada do investimento é menor que a
taxa de juros; logo, não compensa investir.
» O papel das expectativas
» A eficiência marginal do capital (EMC) 44
• O Produto Marginal do capital (PMgK)
– “Se o produto marginal do capital excede o custo
do capital, as empresas consideram lucrativo
aumentar os seus estoques de capital. Se o
produto marginal do capital fica abaixo do custo
de capital, essas empresas deixam que o estoque
de capital diminua.”

45
• O mercado de ações e o “q” de Tobin

46
47
Exercício 09
(TCE-RO, CESPE, 2013) Com relação a agregados
monetários, modelo IS-LM, políticas fiscal e
monetária e mercado de trabalho, julgue os
itens abaixo.
Na visão keynesiana, as decisões de
investimento embasam-se na expectativa dos
investidores quanto ao futuro, de modo que os
gastos com investimento são tratados como
componente endógeno da demanda agregada.
Exercício 10
(Pref. Ipojuca, CESPE, 2009) Acerca da análise
macroeconômica, julgue os itens que se
seguem.
Basicamente há duas vertentes quanto à
interação entre as políticas monetária e fiscal:
os monetaristas e os keynesianos. Os
keynesianos procuram reduzir ações
intervencionistas e são contra políticas
econômicas discricionárias.
Exercício 12
(Ministério da Justiça, CESPE, 2013) Acerca dos
modelos de análise macroeconômica, julgue os
itens.
De acordo com o modelo keynesiano simples,
em uma economia fechada e sem governo, a
função consumo é linear, estabelecendo-se que
a relação entre consumo e renda seja dada pela
propensão média a consumir mais o consumo
autônomo não negativo.
Exercício 14
(Fiscal de Rendas do Munícipio do RJ, ESAF, 2010)
A partir de um modelo keynesiano simplificado,
fechado e sem governo, podemos dizer que,
quando a produção está acima do equilíbrio
macroeconômico,
a) o investimento equivale à poupança.
b) há excesso de demanda por bens.
c) há excesso de oferta de moeda.
d) a taxa de juros da economia deve cair.
e) a produção supera a demanda.