Você está na página 1de 13

Índice

Introdução

32

Contexto histórico

3

Fases do Renascimento

5

Trecento:

5

Quattrocento:

5

Cinquecento:

5

Principais Características

6

Renascimento em Portugal

7

Renascimento Científico

8

Principais nomes da arte do Renascimento

10

Novos estilos de arte do renascimento

11

Arquitectura:

11

Pintura:

11

Escultura:

11

Conclusão

12

Bibliografia

13

Introdução

O Renascimento foi um período da história europeia que teve início em Itália no século XV. Durante este foram realizados muitos avanços que ainda hoje são os pilares das ciências modernas.

Contudo não foi apenas nas áreas da ciências se fizeram sentir esses avanços. Temos também números progressos ao nível arquitectónico, politico, cultural, artístico entre outros. Durante esta época emergem novas mentes, com novas ideias que viriam a contribuir para o mundo que conhecemos hoje.

Este trabalho tem como objectivo dar a conhecer essas descobertas e as mentes por detrás delas assim como contextualizar historicamente esse período da história europeia.

Contexto histórico

Contexto histórico O Renascimento foi um movimento artístico, científico e literário que floresceu na Europa entre

O Renascimento foi um movimento artístico, científico e literário que floresceu na Europa entre o período corresponde à Baixa Idade Média e início da Idade Moderna (do século XIV ao XVI), período esse em que se valorizou muito a arte, os mares, e a ciência.

A base do Renascimento encontra-se no crescimento gradual da burguesia e das actividades económicas entre as cidades europeias, o que acabou estimulando a vida urbana e as manifestações artísticas, que passaram a ser patrocinadas por ricos comerciantes (mecenato). O factor social que tornou possível a eclosão e sobrevivência do movimento renascentista foi a ascensão de uma burguesia ligada à banca e aos grandes negócios internacionais, portadora de uma ideologia individualista e ansiosa por desfrutar da autoridade política que até então estivera concentrada exclusivamente nas mãos de nobres e eclesiásticos.

O renascimento não surgiu em todos os pontos da Europa ao mesmo tempo, foi na Península Itálica que o comércio mais se desenvolveu enriquecendo muito as cidades tanto a nível monetário como a nível de arte da antiguidade clássica, dando origem a uma grande quantidade de locais de produção artística. Cidades como Veneza, Florença e Génova tiveram um expressivo movimento artístico e intelectual. Por este motivo, a Itália passou a ser conhecida como o berço do Renascimento.

Com a descoberta de culturas e países e as novas rotas de comércio as várias cidades europeias foram alargando a sua visão do mundo. Todo esse contexto fez nascer uma visão antropocêntrica, ou seja, o homem é visto como centro do universo.

O cristianismo contínuo dominante, mas o homem renascentista já não é tão angustiado com as questões religiosas como era o homem medieval. Com a evolução das artes, a ciencia começou tambem ela a progredir, foi entao que se deu o renascimento cientifico que tirou da igreja o poder e o direito de dar explicações sobre a

criação e a vida. A experimentação era então o meio vigente para achar respostas e entender a realidade. Os novos conhecimentos da anatomia, fisiologia e geometria são incorporados em pinturas e esculturas, por exemplo, a possibilidade de representar o volume com o uso da perspectiva.

Do ponto de vista filosófico, surge uma nova concepção do mundo e do destino do homem, uma visão mais realista e humana dos problemas morais. No final do século XVI, o renascimento italiano começa a perder seu poder. Um dos motivos foi a quebra do monopólio comercial italiano pelas grandes navegações e descobertas. Isso transferiu o pólo econômico e comercial europeu para o Atlântico. Até estes novos centros comerciais foram influenciados pelos italianos. Nesse mesmo período surge na Itália a Contra reforma (movimento católico contra os protestantes). Roma foi seu ponto de partida, que também tinha idéias anti-renascentistas.

Fases do Renascimento

O Renascimento tem três grandes fases, correspondentes aos séculos entre o XIV e o XVI.

Trecento:

O Trecento (século XIV) manifesta-se predominantemente na Italia, mais especificamente na cidade de Florença, pólo político, econômico e cultural da região. Foi marcado pelas mudanças nas artes plásticas e nas letras. Nessa época começou-se a valorizar a capacidade de criação e o espírito de competição de cada pessoa (Individualismo) e adquiriu-se tambem uma preocupação em retratar fielmente os homens e animais nas artes (Naturalismo).

Quattrocento:

Durante o Quattrocento (século XV) o Renascimento espalha-se pela península itálica, atingindo seu auge. É neste periodo que se dá o racionalismo e o experimentalismo, é uma altura em que a ciência ganha força, uma altura em que são colocadas em causa teorias que até ai eram tomadas como certas.

Cinquecento:

O Renascimento torna-se no século XVI um movimento universal europeu, tendo, no entanto, iniciado sua decadência. Ocorrem as primeiras manifestações maneiristas e a Contra reforma instaura o Barroco como estilo oficial da Igreja Católica.

Principais Características

Neste novo estilo de vida, algumas crenças foram sendo substituídas. O Renascimento significou uma nova arte, uma nova literatura, a subreposição da ciência sobre a fé (Racionalismo), em que se afirmava que tudo pode ser explicado pela razão e pela ciência e tudo pode ser provado por experiências científicas (Experimentalismo).

Nas artes são adequiridos novos estilos, passa a haver uma maior preocupaçao de retratar fielmente os homens e os animais (Naturalismo), surge o maneirismo, que consistia em dar movimento a obras de arte como pinturas e esculturas, passa a haver uma individualidade e um espírito de competição entre os vários artistas no qual se valoriza a capacidade de criação (Individualismo), há tambem uma grande valorização das obras dos antigos gregos e romanos, fazendo delas modelos de inspiração para novos projectos (Classicismo).

Enquanto na Idade Média a vida do Homem devia estar centrada em Deus (Teocentrismo), nos séculos XV e XVI o Homem passa a ter o papel principal na sociedade (Antropocentrismo), dai se começar a valorizar os prazeres do corpo e do espírito (Hedonismo).

Não só o Homem passou a ser o centro das atenções como tambem apareceu uma nova teoria afirmando que a terra assim como todos os outros planetas giravam á volta do sol (Heliocêntrismo) contrariando a concepção geocêntrica de Ptolomeu em que a terra era o centro do universo e todos os planetas incluido o sol giravam em redor da mesma.

Renascimento em Portugal

O Renascimento em Portugal estende-se de meados do século XV a finais do século XVI. No nosso país, o Renascimento, para além do seu cunho próprio, nasce, principalmente em termos artísticos, da mistura do estilo gótico final com as inovações do século XV.

Intensificaram-se os contactos com a Europa, o que proporcionou a Portugal receber as maiores influências dos diversos centros renascentistas da Europa, como era o caso da Itália e da Flandres, que viriam a contribuir para a consolidação dos ideais renascentistas no País.

O Renascimento português dir-se-ia caracterizado por um cosmopolitismo com duas vertentes, uma europeia e outra ultramarina.

português dir-se-ia caracterizado por um cosmopolitismo com duas vertentes, uma europeia e outra ultramarina. 7

Renascimento Científico

O Renascimento trouxe à ciência um notável desenvolvimento, sobretudo com a introdução dos métodos experimentais de pesquisa, em oposição aos estudos teóricos da Idade Média. O principal tributo do Renascimento ao conhecimento científico foi o desenvolvimento do reparo e da experimentação. Foi a partir dessas práticas que os renascentistas avançaram no conhecimento.

Uma das grandes vertentes do renascimento científico foi na navegação, com a planificação de novos mapas de rotas e construção ou aperfeiçoamento de novos instrumentos de navegação como a bússola, o astrolábio e a ampulheta, que tiveram grande importância nas viagens de descoberta, e muito contribuíram para desfazer algumas ideias erradas, tanto de geografia, como acerca dos povos, da fauna e flora de outras terras até então desconhecidas.

da fauna e flora de outras terras até então desconhecidas. Também para a medicina, o renascimento

Também para a medicina, o renascimento foi um grande período de crescimento e desenvolvimento na Europa. Como parte dele, os cientistas e pensadores começaram a se descolar das visões tradicionais que regiam a medicina, tanto no oriente quanto no ocidente. Os tratamentos deixaram de ser vistos como uma ordem divina.Foi então que surgiram grandes nomes na medicina como Miguel de Servet, e William Harvey, que descobriram o funcionamento da circulação sanguínea, Ambroise Paré que defendeu a ligação das artérias, em vez da tradicional cauterização para estancar hemorragias, e André Vesálio, o “pai da anatomia” que publicou o primeiro livro sobre a anatomia humana.

Nicolau Copérnico deu sua contribuição no aumento no conhecimento da matemática, mecânica e astronomia. Criou a teoria heliocêntrica, onde afirmava que a terra gira em torno do sol, indo contra a idéia medieval, que a

Criou a teoria heliocêntrica, onde afirmava que a terra gira em torno do sol, indo contra

terra era centro do universo.

terra era centro do universo. Para os leigos Leonardo da Vinci foi somente um pintor, mas

Para os leigos Leonardo da Vinci foi somente um pintor, mas isso não é verdade, ele foi matemático, escultor, arquiteto, físico, escritor, engenheiro, poeta, botânico, músico e também teve um importante papel no Renascimento científico pois dentre seus projetos estava uma máquina equipada com hélice, que poderia manter um homem no ar. Esse projeto não realizou até o levantamento de um homem mas foi um símbolo da genialidade de Leonardo da Vinci.

Principais nomes da arte do Renascimento

Nicolau Maquiavel O Príncipe

Giovanni Boccaccio O Decameron

Dante Alighieri A Divina Comédia

Leonardo da Vinci A Gioconda e A Santa Ceia.

Michelangelo Afrescos no teto da Capela Sistina, Moisés, Pietá

Sandro Botticelli O Nascimento de Vênus, A Primavera

Rafael Sânzio Diversas Madonas

Luís Vaz de Camões Os Lusíadas

Vasco da Gama Descoberta do caminho para as Índias

Vasco da Gama – Descoberta do caminho para as Índias O Nascimento de Vénus, produzida por

O Nascimento de Vénus, produzida por Botticelli em 1484

Novos estilos de arte do renascimento

Arquitectura:

Arcos de volta perfeita;

Cúpulas, a substituir as abóbadas de cruzamento ogival;

Frontões triangulares nas fachadas;

Colunas clássicas;

Corníjas e balaústres a coroar os terraços;

Horizontalidade

Pintura:

Pinturas a óleo, as cores são mais vivas, brilhantes e duradouras;

A perspectiva resulta da aplicação de um conjunto de regras que permitem produzir sobre uma superfície com duas dimensões, a ilusão da terceira dimensão, isto é, a profundidade;

Preocupação com o equilíbrio da composição;

Naturalismo.

Escultura:

Naturalismo e expressividade;

Forte interesse pelo Homem e pelas formas do seu corpo;

Monumentalidade das esculturas;

Formas geométricas simples;

Independência da escultura face à arquitectura.

Conclusão

O Renascimento traz como principais características o desabrochamento das artes,

e um acentuado despertar de todas as formas de pensamento.

A redescoberta da antiga filosofia, literatura, ciências e a evolução dos métodos empíricos de conhecimento caracterizam todo este período que se inicia no século XIV

e se prolonga até ao séc. XVI. E nele, um novo modo de contemplar e estudar o mundo

natural. Este naturalismo centra-se na ciência e utiliza as descobertas nas obras de arte.

Podemos concluir acrescentando que esta foi uma época de grandes avanços. Muitas das descobertas realizadas são hoje a base empírica de muito dos trabalhos de investigação cientifica dos nossos dias.