Al. Rio Negro, 585 Edifício Jaçari – Conj.93 – Alphaville Barueri – SP – 06455-020 Tel.

/fax: (11) 4191-7805 www.gbcbrasil.org.br Green Building Council Brasil Comitê LEED – Sustentabilidade do Espaço Assunto: Crédito 10 ( NOVO CREDITO )

Gestão do Impacto Ambiental da Atividade de Construção.
Intent ( Objetivo )

SS

WE

EA

MR

EQ

ID

Crédito 10 1 ponto

Minimizar a poluição ambiental decorrente da atividade de construção, prevenindo e controlando os impactos ambientais da obra, tais como: demolição, controle de sólidos suspensos, supressão da vegetação, contaminação do solo, escassez de água e energia elétrica, entre outros. Requirements ( Requisitos ) Desenvolver e implementar um Plano de Gestão do Impacto Ambiental da Obra abrangendo todas as atividades de construção relacionadas ao projeto. O Plano deve incluir medidas e ações de engenharia preventivas e de controle, no mínimo, para os seguintes impactos ambientais da obra:

demolição movimentação e descarte de solo controle de sólidos suspensos supressão da vegetação contaminação do solo e da água escassez de água escassez de energia elétrica interferências na fauna e flora local geração de ruído e de vibração incômodo para a vizinhança poluição do ar (emissão de CO2) alteração no tráfego local esgotamento de recursos naturais (materiais de construção)
Outros impactos ambientais podem ser identificados diante das particularidades de cada canteiro de obras. Tanto o levantamento dos impactos ambientais da obra como a proposta de medidas preventivas e de monitoramento, deve ser realizado e aprovado por um profissional qualificado, com competência comprovada na área ambiental (p. ex, LEED AP, Auditor Líder em Meio Ambiente – ISO 14001, Engenheiro Ambiental, Biólogo ou Engenheiro Civil com especialização em meio ambiente). A legislação ambiental relacionada a cada um dos impactos ambientais deve ser consultada e atendida para a proposta de soluções ambientais da obra, quando aplicável. Como referencia para a elaboração do Plano, devem ser seguidas as diretrizes propostas pela Resolução do CONAMA 01/1986, artigo 5º e 6º, que tratam do Estudo de Impacto Ambiental. Embora não tenha sido abordado o impacto ocasionado pela geração e descarte de resíduos das atividades de obra, ele deve ser tratado especificamente pelo MR C2, que já exige a elaboração de um Plano de Gestão de Resíduos da Construção, em conformidade com a Resolução do CONAMA 307/02. Ao final da obra, deve ainda ser elaborado um Relatório de Impacto Ambiental da Obra, que deve relatar o seu desempenho ambiental, no mínimo, em relação aos seguintes indicadores:

Consumo de água (lts/m2 de área construída); Consumo de energia elétrica (kwh/m2 de área construída); Consumo de materiais básicos de construção (m3/m2 de área construída); Geração de emissões de CO2 (ton/ m2 de área construída); Geração e descarte de resíduos (m3/m2 de área construída); Quantidade de pessoas capacitadas em educação ambiental (unidade);

Outros temas de construção. outras medidas preventivas podem ser implementadas pela equipe de engenharia da obra. assim como faz o SSP1. Potential Technologies & Strategies ( Potencial Tecnológico e Estratégias ) Justificativas Mesmo ocorrendo em menor intensidade. perceptíveis a qualquer cidadão (ruído. o MR c2 (resíduos) e o EQ C3 (qualidade do ar interno durante a construção). Ele deve ser socialmente responsável. empresa construtora). podendo comprometer a imagem.). estão mais envolvidos com a atividade de suprimentos (MR C4. Sendo assim. tráfego local). não é possível enfatizar apenas o controle de erosão e sedimentação de uma obra. O impacto ambiental de uma obra é visível pela vizinhança e comunidade local. Embora sejam conhecidos os impactos ambientais de uma obra e seus transtornos a vizinhança (ruído. C5 e C7 e EQ C4). tráfego local. Um canteiro de obras sustentável deve ser projetado e construído levando em consideração a menor interferência possível no seu entorno ou vizinhança. sedimentação e controle da geração de poeira). nenhum outro crédito do LEED aborda esse tema de forma ampla. a não ser o SS P1 (erosão e sedimentação). vibração. poluição do ar etc. a reputação e a credibilidade do empreendimento e das pessoas envolvidas (empreendedores. poeira. tratados pelo LEED. Para minimizar a poluição ambiental da atividade de construção. ainda mais quando se pretende obter uma certificação Green Building que atesta um alto desempenho ambiental. a atividade de construção causa transtornos diversos à vizinhança ou comunidade local onde ele está inserido. administrando e reduzindo seus impactos ambientais. mesmo sabendo que existem muitos outros impactos causados pela construção civil ao meio ambiente e a sociedade.Consumo de materiais básicos de construção reciclados (m3/m2 de área construída). além daqueles já tratados pelo SS P1 (erosão. se comparado com o uso e operação de um edifício. Pouca ênfase é dada as atividades de obra. sujeira. .