Você está na página 1de 8

Por:

Lúcia Afonso Pecanisso

1. O que é Software:

Software é uma sequência de instruções escritas para serem interpretadas por um computador
com o objetivo de executar tarefas específicas. Também pode ser definido como os programas
que comandam o funcionamento de um computador.

Em um computador, o software é classificado como a parte lógica cuja função é fornecer


instruções para o hardware. O hardware é toda a parte física que constitui o computador, por
exemplo, a CPU, a memória e os dispositivos de entrada e saída. O software é constituído por
todos os programas que existem para um referido sistema, quer sejam produzidos pelo próprio
utente ou pelo fabricante do computador.

Os softwares podem ser classificados em três tipos:

Software de Sistema: é o conjunto de informações processadas pelo sistema interno de um


computador que permite a interação entre usuário e os periféricos do computador através de uma
interface gráfica. Engloba o sistema operativo e os controladores de dispositivos (memória,
impressora, teclado e outros).

Software de Programação: é o conjunto de ferramentas que permitem ao programador


desenvolver sistemas informáticos, geralmente usando linguagens de programação e um
ambiente visual de desenvolvimento integrado.

Software de Aplicação: são programas de computadores que permitem ao usuário executar uma
série de tarefas específicas em diversas áreas de atividade como arquitetura, contabilidade,
educação, medicina e outras áreas comerciais. São ainda os videojogos, as base de dados, os
sistemas de automação industrial, etc.

Existe também o conceito de software livre, que remete para um programa que dá liberdade ao
utilizador, permitindo que ele o estude, modifique e compartilhe com outras pessoas. Para isso, é
preciso que o utilizador possa aceder o código-fonte, para mudá-lo conforme as suas
necessidades.
2. Sistema Operacional

É o conjunto de programas que gerenciam recursos, processadores, armazenamento, dispositivos


de entrada e saída e dados da máquina e seus periféricos. O sistema que faz comunicação entre o
hardware e os demais softwares. O Sistema Operacional cria uma plataforma comum a todos os
programas utilizados. Exemplos: Dos, Unix, Linux, Mac OS, OS-2, Windows NT.

Funções Básicas:

Dentre as funções básicas de computadores de uso geral, pode-se citar:

· Definição da interface com o usuário;


· Compartilhamento de hardware entre usuários;
· Compartilhamento de dados entre usuários;
· Gerenciamento dos dispositivos de entrada e saída;
· Tratamento e recuperação de erros

Em suma, o sistema operacional, tem as funções básicas de interpretar os comandos do usuário;


controlar os periféricos (teclado, vídeo, discos, impressora, mouse, plotter, etc) e organizar
arquivos em disco.

O sistema operacional "se comunica" com:

· Usuários: pessoas que utilizam o computador como uma ferramenta dentro da sua área de
actuação;
· Hardware, equipamentos conectados, memória;
· Programas, softwares aplicativos, utilitários e compiladores;
· Operadores de computador, responsáveis pela monitoração do sistema operacional,
normalmente em máquinas de grande porte, como funções de controle de discos, fitas,
impressora, etc.;
· Programadores de aplicação, profissionais que desenvolvem software aplicativo para um
determinado tipo de máquina  e determinado sistema operacional;
· Programadores de sistema; responsáveis pela manutenção do sistema operacional;
· Administrador do sistema, responsável pelo controle da utilização da máquina, seus
recursos e softwares, cadastramento de usuários, oferecer ou retirar direitos a
determinadas operações, a utilização de recursos (ex. impressora), etc.

3. Windows

Windows é um sistema operacional de multitarefas para computadores e dispositivos móveis,


desenvolvido pela Microsoft.
Considerado um dos sistemas operacionais mais utilizados em todo o mundo, o Windows
começou a ser projetado em 1981, mas foi apenas em 1993 que sua primeira versão foi lançada.

Inicialmente, o Windows oferecia apenas uma interface gráfica, funcionando unicamente em


programas em modo gráfico. Desde então, este sistema operacional tem evoluído, tanto em
termos de funcionalidades, design e eficiência. Até o momento, o Microsoft já conta com
dezenas de atualizações, sendo as mais conhecidas: Windows 95, Windows 98, Windows 2000,
Windows XP, Windows Vista e, mais recentemente, o Windows 10.

As funções do sistema operacional do Windows é facilitar o acesso do usuário ao computador,


com interfaces mais eficientes, atrativas e fáceis de utilizar, além de integrar softwares mais
rápidos e eficazes.

3.1. Linux

Linux é o núcleo do sistema operacional, programa responsável pelo funcionamento do


computador, que faz a comunicação entre hardware (impressora, monitor, mouse, teclado) e
software (aplicativos em geral). O conjunto do kernel e demais programas responsáveis por
interagir com este é o que denominamos sistema operacional.

3.2. IOS é um sistema operacional móvel da Apple Inc. desenvolvido originalmente para o
iPhone, também é usado em iPod touch e iPad. A Apple não permite que o iOS seja executado
em hardware de terceiros.

3.3. Android

Android é o nome do sistema operacional baseado em Linux que opera em celulares


(smartphones), netbooks e tablets. É desenvolvido pela Open Handset Alliance, uma aliança
entre várias empresas, dentre elas a Google.

O funcionamento do Android é idêntico a outros sistemas operacionais (como Windows, Mac


OS, Ubuntu, entre outros), cuja função é gerenciar todos os processos dos aplicativos e do
hardware de um computador para que funcionem perfeitamente.

A diferença é que o Android foi impulsionado pela Google para ser operado nos seus próprios
dispositivos móveis e, desta forma, entrar na concorrência com outros sistemas operacionais
dominantes como o Symbian (dispositivos Nokia), iOS (dispositivos Apple, como iPhone) e
Blackberry OS.

Uma das principais vantagens do sistema Android é a integração dos serviços Google a partir de
uma conta Google que o usuário já possua. Outra grande vantagem é o Android Market, a loja
oficial dos aplicativos, que oferece uma infinidade de aplicativos gratuitos.
4. Processador de texto

Um processador de texto é um programa usado para escrever no computador. Com ele, é


possível criar desde documentos simples até arquivos profissionais, que são mais complexos, tais
como: fax, cartas, currículos, ofícios, procurações e apostilas.

Um processador de texto é essencialmente um programa que simula o funcionamento de uma


máquina de escrever, mas com recursos que facilitam e agilizam a produção, edição e finalização
de texto.

Funções especiais dos processadores de texto

● Memorizar e recuperar texto (Macros). A maior parte dos processadores permite a


memorização de cadeias de caracteres e a sua associação a uma combinação de teclas
(normalmente ALT e outra), de forma que quanto essa combinação é premida, a cadeia pré-
definida é automaticamente inserida no documento. Em alguns processadores mais avançados, as
macros chegam a poder constituir verdadeiros pequenos programas, com os quais se podem criar
novas funções e automatizar ou personalizar outras já existentes.

● Correcção ortográfica e sinónimos. Uma função corrente em quase todos os programas é a da


correcção ortográfica. Todas as palavras do documento são comparadas com as contidas num
ficheiro-dicionário. Se uma palavra não constar do ficheiro é assinalada e é dada ao utilizador a
alternativa de a corrigir, adicionar ao dicionário ou ainda de a substituir por uma das alternativas
propostas pelo programa, de palavras com grafia semelhante inscritas no dicionário. Apesar de
muito útil, o corrector não detecta erros gramaticais, nem mesmo os erros ortográficos quando a
palavra se encontra mal escrita mas existe uma igual no dicionário. Infelizmente apenas um
reduzido número de processadores proporcionam dicionários com vocabulário português. O
dicionário de sinónimos (Thesaurus), permite procurar termos alternativos e substituí-los no
documento, mas a sua disponibilidade é muito menor que a dos dicionários para correcção
ortográfica.

● Documentos múltiplos e Janelas. Muitos programas permitem visualizar simultaneamente


documentos distintos ou partes diferentes do mesmo documento em zonas separadas (Janelas) do
écran, possibilitando mover texto de uma janela para a outra. Útil quando queremos ter presente
o texto de um parágrafo ou documento quando estamos a editar outro.

● Matemática. Esta função fornece a possibilidade de efectuar cálculos simples sobre números
inseridos num dado documento, sem sair do processador.

● Visualização do documento final. De uma forma ou de outra, os processadores procuram que a


imagem vista pelo utilizador no écran se assemelhe ao que ele vai obter na impressora mas, por
razões várias, nomeadamente questões de rapidez de operação, a reprodução fica normalmente
longe de ser fiel. Isso obrigaria à impressão do documento para se conhecer a sua apresentação.
A alternativa de muitos processadores que funcionam em modo texto é permitir a visualização
em modo gráfico das páginas tal como aparecerão no documento final.

● Gráficos. A denominação de processador de texto já é hoje inadequada para muitos programas,


que não se limitam à edição de texto, mas também permitem a inclusão de imagens.
Normalmente estas são importadas de outros programas, podendo ter sido geradas por eles
(gráficos obtidos de folhas de cálculo, por exemplo) ou lidas por scanners.

● Colunas e tabelas. Funções que permitem a apresentação de textos e mais de uma coluna,
como nos jornais, e a criação automática de tabelas para a apresentação de dados numéricos.

● Numeração automática de secções (Outlining). Esta função não teria grande utilidade se o
processo de redacção de um texto não ocasionasse normalmente a alteração da sua estrutura. Mas
como isso acontece frequentemente, a inclusão ou eliminação de uma dada secção acarreta a
necessidade de renumerar todas ou pelo menos algumas das secções seguintes. A presença de
uma função de numeração automática de secções elimina esse problema. Basta-nos definir o
formato da numeração no início do documento e especificar o nível de cada secção, para que o
programa se encarregue de as actualizar automaticamente.

● Notas. Esta função, não só renumera as notas incluídas no documento, cada vez que se
adiciona ou apaga uma nota no meio do texto, como permite frequentemente situar as notas no
fim dos capítulos ou no fim de cada página. Neste último caso, o processador calcula
automaticamente o espaço necessário para a inclusão da nota de rodapé, fazendo avançar para a
página seguinte o texto necessário para que a nota caiba na mesma página onde ela está
assinalada no texto.

● Referências cruzadas. Esta função permite que se faça uma referência a outra página, secção,
ou até figura, tabela ou nota, em qualquer parte do texto, de forma que essa referência é
automaticamente actualizada sempre que se altera o número do elemento referenciado.

● Índices automáticos. Depois de definidos quais os títulos de secções a constar do índice, o


programa gera-o automaticamente, indicando as páginas em que surgem esses títulos.

● Formulários (Mail-merge). Esta função permite a obtenção de documentos em que parte da


informação é variável, mas em que o corpo principal do texto é fixa. O caso mais comum é o de
uma mesma carta enviada a um certo número de pessoas, que varia o nome e endereço das
pessoas a quem a carta é remetida. A informação variável encontra-se contida num ficheiro
próprio que pode ser elaborado de dentro do próprio processador, mas por vezes também pode
ser lida de um ficheiro de uma base de dados.

5. Planilha

Planilha é um programa de computador que representa informações em uma grade de dados


bidimensional, juntamente com fórmulas que relacionam os dados. Historicamente, uma planilha
eletrônica é uma página de registro contábil que mostra várias informações quantitativas úteis
para gerenciar uma empresa

As planilhas eletrônicas, exceto as versões de caneta e tinta, foram substituídas até o final do
século XX. No entanto, as planilhas não se limitam aos dados financeiros e são freqüentemente
usadas para representar dados científicos e para realizar cálculos.

6. Editores de apresentação

Os programas de apresentação, softwares de apresentação ou editores de apresentação


correspondem um tipo de programa de computador que tem por objectivo geração e edição de
apresentação utilizando meios digitais.

Exemplos são:

· Microsoft PowerPoint
· Corel Presentations
· Google Docs
· CustomShow

7. Pen Drive

Pen Drive ou Memória USB Flash Drive é um dispositivo de memória constituído por
memória flash (EEPROM), capaz de fazer a gravação de dados com uma ligação USB tipo A,
permitindo a sua conexão a uma porta USB de um computador ou outro equipamento com uma
entrada USB, como um rádio ou televisão. As capacidades actuais de armazenamento são
variadas, existindo flash drives com capacidade de até 1 Terabyte (ou mais conhecido
popularmente por sua sigla TB). A velocidade de transferência de dados pode variar dependendo
do tipo de entrada, sendo a mais comum a USB 2.0, cuja velocidade é de 30 MB/s para leitura e
para gravação, podendo variar em função de marca ou modelo. Actualmente já existe no
mercado Pen drives dispositivos com o tipo de entrada USB 3.0. O pen drive foi desenvolvido no
ano de 2000, com o objectivo de substituir o disquete e o CD e tem as mais diversas aplicações,
dentre as quais, podemos destacar a cópia de segurança de dados, instalação e execução de
sistemas operacionais e transferir arquivos de maneira prática entre computadores.

Eles oferecem vantagens potenciais com relação a outros dispositivos de armazenamento


portáteis, como particularmente disquetes, dispositivos praticamente extintos pelo desuso após a
popularização dos pen drives. São mais compactos, rápidos, têm maior capacidade de
armazenamento, são mais resistentes devido à ausência de peças móveis. Adicionalmente,
tornaram-se comuns computadores sem drives de disquete, portas USB por outro lado, estão
disponíveis em praticamente todos os computadores e notebooks. Os flash drives utilizam o
padrão USB mass storage ("armazenamento de massa USB" em português), nativamente
compatível com os principais sistemas operacionais, como o Windows, o Mac OS X, o Linux,
entre outros. Em condições ideais, as memórias flash podem armazenar informação durante dez
anos.

Definição de Disco Rígido Externo

8. Disco Rígido Externo é qualquer unidade de disco rígido que se conecta a uma porta do lado
de fora de um computador , em vez de se conectar diretamente à placa-mãe no interior do
gabinete do computador . Apesar de um disco rígido externo usa uma caixa de metal ou de
plástico, a unidade de disco rígido no interior é semelhante ao do seu computador.
Unidades de disco rígido externas permitem que os usuários de computador inexperientes para
adicionar capacidade de armazenamento sem abrir o gabinete do computador. Eles também dar-
lhe a capacidade de mover grandes quantidades de dados de um computador para outro.

Discos rígidos externos atender a todos os mesmos fins que as unidades internas . Com um
imenso disco rígido externo , você pode armazenar todos os seus filmes favoritos, espaço no
disco rígido interno do seu computador para salvar programas e jogos . Com uma grande
capacidade de armazenamento suficiente , você pode usar um disco rígido externo para fazer
backup de todos os arquivos em seu computador.

Tipos

Os dois principais tipos de unidades de disco rígido externo incluem unidades de disco rígido de
2,5 polegadas , como aqueles em computadores portáteis e discos rígidos de 3,5 polegadas ,
como as de computadores de mesa . Embora os discos rígidos de 2,5 polegadas são mais leves e
mais portáteis , discos rígidos de 3,5 polegadas oferecem maior capacidade de armazenamento.
Algumas empresas fabricam unidades que possuem vários discos rígidos . Em uma unidade de
várias unidades , uma unidade "espelhos" o conteúdo do outro , de modo que nenhum dado é
perdido se uma unidade falhar . Você também pode utilizar a capacidade total de uma unidade
multidrive sem espelhamento.
9. Cartão de memória

Cartão de memória ou cartão de memória flash é um dispositivo de armazenamento de dados


com memória flash utilizado em consoles de videogames, câmeras digitais, telefones
celulares, palms/PDAs, MP3 players, computadores e outros aparelhos electrónicos. Podem
ser regravados várias vezes, não necessitam de electricidade para manter os dados armazenados,
são portáteis e suportam condições de uso e armazenamento mais rigorosos que outros
dispositivos baseados em peças móveis.

Lavar sempre as mãos com água e sabão

E diga não ao covid 19