Você está na página 1de 17

Socioemocional

segundo a

BNCC
Sumário
Introdução.......................................................................................3
O que são competências socioemocionais?...........................4
Competências socioemocionais na BNCC...............................6
Competências ligadas ao conhecimento...............................................................7

Competências ligadas às habilidades....................................................................7

Competências ligadas a atitudes e ao caráter.....................................................8

Como organizar o currículo segundo a BNCC.........................9


Como trabalhar as competências socioemocionais
em sala de aula?.......................................................................... 11
Conclusão......................................................................................14
Introdução
Aspectos sociais e emocionais sempre um compromisso com a educação integral,
permearam as reflexões de pensadores que vai além do domínio de conteúdos e se
clássicos da educação. Grandes teóricos preocupa em desenvolver competências
como Lev Vygotsky e Jean Piaget, ao socioemocionais.
elaborarem seus conceitos, apresentaram
relações claras entre as interações Mas quais são essas competências? Como
sociais e o desenvolvimento intelectual elas são previstas pela Base Nacional
de crianças e adolescentes. Porém, essa Comum Curricular? De que maneira o
relação do sujeito com o mundo, como socioemocional pode ser desenvolvido em
instância fundamental na aprendizagem, ambiente escolar?
é relativamente recente no cenário
educacional brasileiro. Essas e outras questões serão respondidas
ao longo deste e-book.
Foi com a Base Nacional Comum
Curricular (BNCC), criada com o objetivo Boa leitura!
de orientar a elaboração dos currículos de
todas as escolas brasileiras, que firmou-se

3
?
O que são
competências
socioemocionais
Um relatório organizado Com base nessa visão o ensinar a pensar, a
pela Unesco, apresentado dos quatro pilares do comunicar, a fazer sínteses
pelo professor Jacques conhecimento, pode- e elaborações para a
Delors, na década de 90, se prever grandes resolução de problemas.
indicou as aprendizagens consequências na Os cenários educacionais
fundamentais para educação. Torna-se meramente conteudistas,
o conhecimento dos indissociável a relação adaptam-se para o estímulo
indivíduos. Conhecida entre desenvolvimento aos pensamentos criativos,
como os quatro pilares da socioemocional e para as construções de
educação para o século XXI, desenvolvimento cognitivo, independência e autonomia
a teoria sugere um sistema através de uma educação dos estudantes, enfim,
de ensino fundamentado plena, que considere para a formação de seres
em: (I) aprender a conhecer, o ser humano em sua socialmente competentes,
(II) aprender a fazer, integralidade. com pensamento
(III) aprender a ser e (IV) crítico, flexibilidade e
aprender a conviver. O ensino-aprendizagem responsabilidade.
voltado apenas para a
absorção de conhecimento Ou seja, mais do que
prático abre espaço para preparar os alunos somente
para avaliações, é papel da
educação formar os jovens
em uma dimensão que vai
muito além de dominar os
conteúdos apresentados.
Nesse sentido, entram as
chamadas competências
socioemocionais. Essas
competências, que
ultrapassam a dimensão
cognitiva e envolvem de

4
forma muito mais profunda o 1 Criatividade: Desenvolvimento
lado emocional e psicológico de ideias inovadoras e úteis para um
do ser humano, mostram-se contexto social a partir da interação entre
cada vez mais importantes imaginação, aptidão, processo e ambiente.
na construção de um cidadão
responsável e capaz de exercer 2 Pensamento Crítico: Tomada de
decisões e aprendizado de novos conceitos
um papel ativo na sociedade.
a partir da avaliação e análise crítica de
Elas são diversas, e vão do informações.
altruísmo à tolerância. Neste
e-book, vamos consideradas
3 Empatia: Percepção do próximo, com o
intuito de compreender seus sentimentos
10 competências e ações.
socioemocionais que a escola
pode desenvolver para a 4 Colaboração: Realização de atividades
formação do aluno do século de forma coordenada e sincronizada,
XXI. compartilhando-se tarefas e problemas.

5 Curiosidade: Cultivo de uma


mentalidade que busca sempre aprender,
compreender o mundo e explorar novas
ideias.

6 Coragem: Defesa da vontade própria


para alcançar objetivos, tomando
um posicionamento e, se necessário,
confrontando o outro.

7 Resiliência: Capacidade de lidar


Essas são algumas habilidades de maneira adequada com desafios
específicas (dentre muitas e mudanças, sem abrir mão da sua
outras) que vão além do identidade e do aprendizado.

8 Ética: Princípios morais que norteiam


acúmulo de informações e que
podem ser trabalhadas no dia a
dia, na sala de aula. a maneira como as pessoas vivem e tomam
decisões, preocupando-se com o que é
Com a implementação da Base bom para a sociedade.
Nacional Comum Curricular
(BNCC), essas competências
9 Liderança: Formação de relações
éticas entre pessoas preocupadas em
socioemocionais vão cruzar alcançar juntas uma mudança

10 Metacognição: Reconhecimento
todos os eixos do processo
ensino-aprendizado. É sobre
isso que veremos a seguir! das próprias habilidades, atitudes,
valores, conhecimento e aprendizagem,
estabelecendo-se metas e estratégias
pessoais e adaptando-se com base nos
resultados alcançados.

5
Competências
socioemocionais
na BNCC
Para guiar o aprendizado integral de São 10 as competências gerais
crianças e adolescentes em relação às adotadas pela BNCC, essenciais para
atitudes e habilidades de uso cotidiano serem contempladas nos componentes
no convívio em sociedade, a Base curriculares de toda a Educação Básica.
Nacional Comum Curricular (BNCC) Elas perpassam todas as etapas da
abrange em suas diretrizes não apenas as educação e podem ser divididas em
competências cognitivas, mas também três grandes grupos, sendo um deles
as socioemocionais que precisam ser diretamente ligado ao caráter e às atitudes
desenvolvidas ao longo da formação dos do indivíduo.
estudantes.

6
Competências ligadas
ao conhecimento:

Competências ligadas
1. Valorizar e utilizar os conhecimentos
historicamente construídos sobre o
mundo físico, social, cultural e digital para
entender e explicar a realidade, continuar
às habilidades:
aprendendo e colaborar para a construção
de uma sociedade justa, democrática e 4. Utilizar diferentes linguagens - verbal
inclusiva. (oral ou visual-motora, como Libras, e
escrita), corporal, visual, sonora e digital -,
2. Exercitar a curiosidade intelectual bem como conhecimentos das linguagens
e recorrer à abordagem própria das artística, matemática e científica, para
ciências, incluindo a investigação, a se expressar e partilhar informações,
reflexão, a análise crítica, a imaginação experiências, ideias e sentimentos em
e a criatividade, para investigar causas, diferentes contextos e produzir sentidos
elaborar e testar hipóteses, formular que levem ao entendimento mútuo.
e resolver problemas e criar soluções
(inclusive tecnológicas) com base nos 5. Compreender, utilizar e criar
conhecimentos das diferentes áreas. tecnologias digitais de informação
e comunicação de forma crítica,
3. Valorizar e fruir as diversas significativa, reflexiva e ética nas diversas
manifestações artísticas e culturais, das práticas sociais (incluindo as escolares)
locais às mundiais, e também participar para se comunicar, acessar e disseminar
de práticas diversificadas da produção informações, produzir conhecimentos,
artístico-cultural. resolver problemas e exercer
protagonismo e autoria na vida pessoal e
coletiva.

6. Valorizar a diversidade de saberes


e vivências culturais e apropriar-se
de conhecimentos e experiências que
lhe possibilitem entender as relações
próprias do mundo do trabalho e fazer
escolhas alinhadas ao exercício da
cidadania e ao seu projeto de vida, com
liberdade, autonomia, consciência crítica e
responsabilidade.

7
Competências ligadas
a atitudes e ao caráter:
7. Argumentar com base em fatos, dados
e informações confiáveis, para formular,
negociar e defender ideias, pontos de
vista e decisões comuns que respeitem
e promovam os direitos humanos, a
consciência socioambiental e o consumo
responsável em âmbito local, regional
e global, com posicionamento ético em
relação ao cuidado de si mesmo, dos
outros e do planeta.

8. Conhecer-se, apreciar-se e cuidar


de sua saúde física e emocional,
compreendendo-se na diversidade

Shutterstock / brocreative
humana e reconhecendo suas emoções
e as dos outros, com autocrítica e
capacidade para lidar com elas.

9. Exercitar a empatia, o diálogo, a


resolução de conflitos e a cooperação,
fazendo-se respeitar e promovendo o
respeito ao outro e aos direitos humanos,
com acolhimento e valorização da
diversidade de indivíduos e de grupos
sociais, seus saberes, identidades, culturas
e potencialidades, sem preconceitos de
Conhecidas as 10 competências gerais
qualquer natureza.
da Educação Básica, a proposta é que a
10. Agir pessoal e coletivamente dimensão socioemocional seja trabalhada
com autonomia, responsabilidade, nas escolas de maneira transversal,
flexibilidade, resiliência e determinação, vinculadas ao desenvolvimento cognitivo
tomando decisões com base em princípios dos estudantes. O primeiro passo para
éticos, democráticos, inclusivos, essa implementação é a revisão do
sustentáveis e solidários. currículo, como veremos a seguir.

8
Como organizar

segundo aBNCC
o currículo
Todas as instituições de ensino precisam
estar em sintonia com os aspectos
objetivados na BNCC. Para isso, é
necessário incorporar as competências
socioemocionais nas disciplinas e
atividades escolares sem, no entanto,
tratá-las apenas como mais um
componente curricular, isolado, pouco
valorizado ou a serviço da aprendizagem
de conteúdos.

A BNCC não é um currículo por si só, mas


uma ferramenta para auxiliar a elaboração
curricular. Para não limitar a autonomia
das escolas e engessar currículos, cada
instituição deve traçar maneiras de
vincular sua proposta pedagógica às
orientações da BNCC.

Vale destacar que as práticas pedagógicas


devem superar qualquer divisão e
hierarquização entre o desenvolvimento
intelectual e o desenvolvimento
socioemocional. É fundamental que
as atividades propostas apresentem
intencionalidades pedagógicas - caso
contrário, tem-se o risco de desenvolver
um processo sem consistência.

9
Na prática, os educadores precisam Para ajudar nesse processo de transformar
rever suas didáticas. Não basta direitos de aprendizagem em práticas
colocar um conteúdo no quadro e cotidianas, professores, coordenadores,
explicá-lo oralmente. Um currículo diretores, alunos e comunidades escolares
cognitivo-sócio-emocional exige podem contar com uma plataforma
uma aprendizagem vivencial. É aberta, livre e gratuita para a construção
preciso instigar a reflexão dos alunos de uma matriz curricular.
e transformar a sala de aula em um
espaço de simulação de situações Através da ferramenta “BNCC na Prática”,
reais do cotidiano, trabalhando o corpo docente da instituição de ensino
todas as vivências como ferramentas poderá construir seus currículos a partir
de aprendizagem. da Matriz Curricular SOMOS, que indica
as habilidades de maneira clara e aplicável
ao dia a dia, respeitando as demandas
especificas de cada realidade e localidade.

Além da construção do currículo, a


plataforma permite que cada escola,
comunidade ou professor planeje seu ano

CRIE UM CURRÍCULO letivo, garantindo que o currículo ganhe


vida na sala de aula.

10
Como trabalhar as
competências
socioemocionais
em sala de aula?
A partir das orientações da BNCC, É preciso também ter em mente que
o ambiente escolar deve oferecer a dimensão socioemocional está
aos estudantes oportunidades de intimamente ligada às experiências do
identificar, desenvolver e colocar em indivíduo em um ambiente coletivo
prática as competências e habilidades (casa, escola, grupo de amigos e família,
socioemocionais. por exemplo). Sendo assim, a criação
de espaços positivos pela escola, que
Para se ter uma formação eficiente, garantem a interação, a conversa e a
as competências socioemocionais convivência, também ajuda a desenvolver
precisam ser trabalhadas em conjunto o socioemocional dos alunos.
com as cognitivas. A combinação dessas
competências configura o conceito de
formação integral.

Ao pensar maneiras de se trabalhar as


competências socioemocionais em sala de
aula, é importante considerar a utilização
criativa de recursos mediadores como
jogos, vivências, artes, metáforas, por
exemplo.

11
Algumas sugestões de atividades que estimulam o
aprendizado organizadas por etapa escolar:

Apresente para as crianças proposições de atividades que exploram


o direito de participação e a autonomia, com espaço para que elas
Educação evidenciem seus desejos por meio da expressão oral, do registro

Infantil escrito e dos desenhos.


Atividades como contação de histórias, desenho, música, atividades
físicas e piquenique podem fazer parte do planejamento das ações
cotidianas indicadas para essa etapa escolar.

Anos iniciais Invista em produções coletivas de conhecimento, com leituras


do Ensino escolhidas espontaneamente pelos alunos.

Fundamental Atividades como aprendizagem dos diferentes gêneros textuais


presentes no jornal, por exemplo, são indicadas para essa etapa escolar.

Estimule a ampliação de repertórios e fortaleça a autonomia dos


adolescentes.
Anos finais Promova o hábito da leitura vinculado ao uso de tecnologia, por
do Ensino exemplo. Abra espaço para uma seleção conjunta das obras que serão
Fundamental estudadas, ouça a sugestão dos estudantes. Aproveite a atividade e
amplie-a para o desenvolvimento de produções visuais, que podem
ser interdisciplinares e culminarem em um envolvimento familiar
também.

Instigue reflexões sobre políticas sociais e ambientais, carreira e


profissão. Esses são temas que podem ser trabalhados através de
Ensino atividades de múltiplos aprendizados.
Médio Estimule a interação dos estudantes com a comunidade e, a partir dos
problemas sociais e/ou ambientais identificados no entorno escolar,
por exemplo, que eles sejam propositivos na elaboração de ações
práticas, atuando como agentes sociais transformadores.

12
Vale ressaltar que a BNCC prevê que as
competências devam ser desenvolvidas
a cada ano da educação, evidenciando
a construção gradual do conhecimento
do aluno. Da mesma forma, as
competências socioemocionais devem
ser desenvolvidas ao longo de toda a vida
escolar, conforme o desenvolvimento do
jovem em cada etapa.
Em toda essa trajetória para o
Por isso a importância de um desenvolvimento de competências
planejamento curricular que considere socioemocionais na escola, o professor
que as competências socioemocionais tem o papel fundamental na transposição
sejam trabalhadas nas dimensões do conhecimento. Por isso, é preciso que
individual e coletiva, entendendo o educador faça sempre reflexões sobre
que a formação das características si e sobre suas práticas pedagógicas, que
socioemocionais do aluno não se dá de um tenha espaço para a troca de experiências
ano para o outro, mas deve ser trabalhada com outros professores e, acima de tudo,
ao longo de toda a sua trajetória escolar. que conte com uma formação continuada.

13
Conclusão
O processo educacional tem desafios que Ao propor que competências
vão além da potencialização cognitiva socioemocionais sejam consideradas nos
dos estudantes. Formar as competências currículos escolares, a BNCC reforça
socioemocionais desses indivíduos a importância do desenvolvimento de
também faz parte dessa jornada. Afinal, a competências e habilidades que vão
sociedade atual requer sujeitos formados muito além das características cognitivas.
de maneira integral, preparados para As práticas pedagógicas precisam também
enfrentar os diversos estímulos pessoais e valorizar o protagonismo dos estudantes,
profissionais. incentivando o autoconhecimento, o
autogerenciamento e a habilidade de se
conviver socialmente.

Para aprofundar o entendimento sobre o papel


da escola e do professor na formação integral
do aluno, preparamos um material sobre o
assunto, falando um pouco mais sobre as
competências socioemocionais e como elas são
importantes para a implementação da BNCC.

BAIXE O
E-BOOK
GRATUITO

14
Você
também vai
gostar de ler
5 dicas para trabalhar
as competências
socioemocionais

LEIA O ARTIGO

A didática por
trás do ensino
socioemocional
BAIXE O E-BOOK

KIT
Pedagogia
Afetiva
BAIXE O KIT
GO S TO U D O
M AT E R I A L?
A RT I L H E COM
COMP
E U S A M I G OS !
S
O Sistema Maxi de Ensino acredita que uma boa educação é
possível em todos os contextos do Brasil. O afeto, quando somado
ao ensino de qualidade, garante um aprendizado mais significativo
para os alunos, que passam a responder o mundo com mais
carinho e justiça.

Os valores e princípios são essenciais para o desenvolvimento dos


estudantes, por isso a autonomia, a responsabilidade e o respeito
devem fazer parte da formação dos futuros cidadãos do mundo.

Para a construção de um sociedade melhor, o Sistema Maxi de


Ensino prepara indivíduos capazes de transformar as realidades,
particulares e globais.

Saiba mais
sobre o Maxi

sistemamaxi.com.br