Você está na página 1de 7

PROVA FINAL DE CICLO A NÍVEL DE ESCOLA

EQUIVALENTE À PROVA NACIONAL DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS


3.º CICLO DO ENSINO BÁSICO / 9.º ANO DE ESCOLARIDADE

2016

PROVA FINAL DE CICLO A NÍVEL DE ESCOLA


EQUIVALENTE À PROVA NACIONAL (1)

DA

DISCIPLINA DE POTUGUÊS

3.º CICLO DO ENSINO BÁSICO / 9.º ANO DE ESCOLARIDADE 2016

CÓDIGO DE

81

PROVA

7 páginas Duração da Prova: 90 minutos. Tolerância: 30 minutos

(1) Prova a aplicar a alunos com necessidades educativas especiais, ao abrigo dos artigos 18.º e 20.º do
Decreto-lei nº 3/2008 de 7 de Janeiro.

1
GRUPO I

TEXTO A

Lê o texto. Em caso de necessidade, consulta o vocabulário apresentado.


Internet em casa, não na escola

1 Os alunos portugueses estão acima da média no uso da internet em casa mas abaixo da média no seu
uso na escola, segundo relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económicos (OCDE)
apresentado hoje (21 de Junho de 2011), em Paris. O documento indica, no entanto, que Portugal, entre 70
países, tem uma das percentagens mais elevadas de alunos com acesso à internet na escola.

5 Os dados fazem parte das conclusões do novo relatório PISA (Programa Internacional de Avaliação dos
Estudantes) sobre as novas tecnologias e o desempenho dos alunos, que actualiza o estudo de 2009
realizado pela OCDE.
Portugal ocupa o primeiro lugar em percentagem de alunos que afirmam poder realizar uma
apresentação multimédia, «com som, fotografias e vídeo», tendo registado uma duplicação deste indicador
em relação a 2003, para uma percentagem (acima de 70) que mais do que triplica o valor médio dos países
que participaram no PISA.

12 O relatório contata grandes disparidades1 entre países, do acesso quase universal à internet em casa
em países como a Noruega e a Finlândia, a menos de metade no México e a apenas 10% na Indonésia. São
também grandes as diferenças entre alunos socialmente favorecidos e os alunos provenientes 2 de meios
sociais com dificuldades, realça o relatório PISA. No entanto, em países como Portugal, «o uso da internet na
escola compensa a falta de disponibilidade de computador em casa» e são os alunos mais desfavorecidos
«que têm maior inclinação para usar computador na escola».
Apenas 0,4% dos cerca de 6200 estudantes portugueses inquiridos 3 para este estudo indicaram que
nunca usaram um computador, uma das percentagens mais baixas neste indicador entre os membros da
OCDE. Entre os alunos portugueses inquiridos para o PISA 2009, 98% responderam dispor 4 de computador
em casa. O número de estudantes nestas condições aumentou 41% em Portugal de 2000 para 2009.
22 O PISA avalia competências e conhecimentos dos alunos no nível de ensino correspondente aos 15
anos de idade, com atenção à leitura, matemática e ciências.
O programa completou a quarta série de estudos, analisando sucessivamente cada uma das áreas de
interesse em 2000, 2003, 2006 e 2009. Este último relatório marca o regresso à análise das competências de
leitura, permitindo um estudo comparativo com os dados de 2000 e introduzindo uma atenção especial ao
uso e apreensão do texto digital.
http://www.paisefilhos.pt/index.php/homem/120-homem-noticias/3594-internet-em-casa-nao-na-escola (texto adaptado) [consul. em 17.07.2011]

1
Diferenças.
2
Vindos.
2
Responde aos itens que se seguem, de acordo com as orientações que te são dadas.

1. Seleciona, para responderes a cada item (1.1. a 1.4.), a opção que permite obter a afirmação adequada ao
sentido do texto.
Escreve o número do item e a letra correspondente a cada opção que escolheres.

1.1. O texto mostra-nos que, através do relatório mais recente da Organização para a Cooperação e
Desenvolvimento Económicos (OCDE), se chegou à conclusão de que
(A) a maioria dos alunos tem acesso à internet em casa, em todos os países envolvidos no estudo.
(B) o acesso dos alunos à internet depende de factores sociais.
(C) todos os alunos portugueses têm acesso à internet em casa.
(D) os alunos com mais dificuldades económicas não conseguem usar computador na escola.

1.2. A percentagem de alunos portugueses que, no relatório mais recente, admite saber realizar uma
apresentação multimédia
(A) é o dobro da registada em 2009.
(B) é semelhante à média dos restantes países que participam no programa internacional.
(C) ultrapassa a percentagem de todos os outros países participantes no PISA.
(D) diminuiu em relação à percentagem registada em 2003.

1.3. Após a leitura do texto, podemos concluir que o título aponta para a ideia de que
(A) poucas escolas portuguesas têm serviço de internet.
(B) os alunos portugueses apenas utilizam a internet em casa.
(C) os alunos portugueses utilizam mais a internet em casa do que na escola.
(D) a internet deve ser utilizada preferencialmente em casa.

1.4. No primeiro parágrafo, a expressão «no entanto» (linha 3) pode ser substituída por
(A) mas.
(B) porque.
(C) e.
(D) assim.

2. Tendo em consideração o conteúdo do texto, completa a frase seguinte.


O determinante «seu» (linha 1) refere-se à expressão _________

3
Questionados.
4
Ter.
3
PARTE B

Lê o texto seguinte. Em caso de necessidade, consulta o vocabulário apresentado.

Estava irrevogavelmente5 assente que, no dia 6 de outubro, João Queirós partiria para Coimbra, rumo ao
2 famoso Colégio São Luís. Colégio caro. Mas os pais de João Queirós, por essa altura, podiam suportar o risco
das despesas de um colégio burguês, pelo orgulho de todos saberem o filho misturado com gente alta 6.
Na véspera desse dia solene, o Sr. Hernâni, que fora o seu brioso 7 mestre-escola, viera jantar com os
5 pais de João Queirós. Jarras de flores ao centro da mesa e toalha de folhos até ao chão. À sobremesa (um
monumental e saborosíssimo pudim, acompanhado de vinho do Porto com dizeres ingleses no rótulo), o
Senhor Hernâni, mais comunicativo do que era costume, brindou pelos estudos de João Queirós, que,
«decerto iriam prosseguir tão brilhantes como até aí, considerando os seus dotes herdados dos seus ilustres
pais». Ao chegar a «ilustres pais», pelos olhos de Senhor Hernâni passou um clarãozinho de velhacaria 8. Mas
só João Queirós o apreendeu. Aliás, desde o assado que os olhos do professor lhe pareceram suspeitos, que a
11 sua voz, e particularmente o rosto, mais entumecido 9 e rubicundo10 do que era habitual, sugeriam qualquer
coisa de duvidoso… Seria possível que o Senhor Hernâni... Não, era um sacrilégio 11 supô-lo. Um mestre não é
um bebedolas. De um mestre não se pensam essas coisas.
Mas com ou sem excessiva eloquência12, o Senhor Hernâni tinha razão. Lá preguiçoso nunca seria!
Desde aquela vez em que caíra desmaiado junto do mapa de geografia, depois de horas sem conta a repetir
Penedo, Gerês, Padrela, Marão… e tem como afluentes da margem direita Sabor, Tua, Corgo… , desde esse
17 glorioso dia, os pais e o professor apontavam-no, definitivamente, como exemplo, aos cábulas 13 da vila. Até
desmaiara, pois. Era, de facto, uma glória. Lá estavam os canudos enlaçados em fitas de seda para o atestar.
Distinto com dezanove valores. Distinto com dezoito valores. Os cábulas que o imitassem.
Boas recordações, ainda que tão próximas! Não que ele fosse dado aos livros de estudo. A sua febre de
trabalho era, pura e simplesmente, temor: temor dos berros do Senhor Hernâni, temor da mãe, e ainda, e
muito particularmente, o seu modo de compensar a timidez e a frustração 14, que o enxovalhavam15 perante os
companheiros, com qualquer coisa que os outros devessem invejar. Um dia seria alguém. Teria de ser alguém!

5
Definitivamente.
6
De altas classes sociais.
7
Digno.
8
Patifaria, maldade.
9
Inchado.
10
Vermelho, corado.
11
Pecado.
12
Arte de bem falar.
13
Preguiçosos.
14
Desilusão, deceção.
15
Humilhavam.
4
Fernando Namora, As Sete Partidas do Mundo, 4ª edição, Lisboa, Publicações Europa-América, 1967

Responde aos itens que se seguem, de acordo com as orientações que te são dadas.
3. O narrador, na parte inicial do texto, começa por fazer referência a dois dias específicos.
3.1. Indica-os.
3.2. Que acontecimentos marcam essas duas datas?
4. Quem era o Senhor Hernâni?
5. João Queirós reparou que «Ao chegar «ilustres pais», pelos olhos do Senhor Hernâni passou um
clarãozinho de velhacaria». (linhas 8 e 9).
5.1. De que desconfiou a personagem principal em relação ao seu professor? Por que motivos?
6. Recuando um pouco no tempo, o narrador centra-se num «glorioso dia». (linha 14)
6.1. O que aconteceu nesse dia?
6.2. A partir de então como passou a ser visto João Queirós?
7. Quais as verdadeiras razões da dedicação e do empenho de João Queirós nos estudos?

GRUPO II

Responde aos itens que se seguem, de acordo com as orientações que te são dadas.

1. Classifica as formas verbais sublinhadas nas frases apresentadas, preenchendo o quadro que se segue.

Pretérito Imperfeito Presente do Indicativo Pretérito Perfeito do Indicativo Futuro Simples do Indicativo
do Indicativo

a) Os olhos do professor pareciam suspeitos.


b) O Sr. Hernâni brindou aos estudos de João Queirós.
c) João Queirós partirá em outubro.
d) Ainda hoje, recorda aquele dia com felicidade.
2. Lê as frases seguintes (2.1. a 2.2.) e selecciona das opções apresentadas aquela em que a pronominalização é
feita corretamente.
2.1. Mostraria a todos a sua determinação.
a) Mostraria-lhes a sua determinação.
b) Mostrar-lhes-ia a sua determinação.
2.2. João Queirós já não temia a mãe.
a) João Queirós já não a temia.
b) João Queirós já não temia-a.

5
3. Das orações subordinadas que integram as frases complexas que se seguem, selecciona aquela que contém
uma oração subordinada relativa explicativa.
a) João Queirós estudava porque temia a mãe.
b) João Queirós, que se sentia orgulhoso do seu trabalho, queria ser alguém!
c) Se conseguissem suportar as despesas, frequentaria um bom colégio.
d) Pediu-lhe que o acompanhasse naquela viagem.

4. Identifica a frase que se encontra na forma passiva.


a) Aquele dia ainda hoje é recordado com alegria por João Queirós.
b) Ainda hoje temia aquele professor.
GRUPO III

Uma das personagens da PARTE B é um professor que, apesar de utilizar estratégias que, nos dias de
hoje, seriam motivo de indignação e de censura, contribuiu em muito para que pelo menos um aluno tivesse
tido um óptimo aproveitamento. Certamente que tu também já tiveste algum professor ou alguma professora
que, de uma forma positiva ou negativa, tenha marcado o teu percurso escolar.

Elabora um texto em que descrevas psicologicamente esse professor ou professora e expõe os motivos
que estão na origem da tua admiração.

O teu texto deve ter um mínimo de 100 palavras e um máximo de 200 palavras.

OBSERVAÇÕES RELATIVAS AO GRUPO III:

1. Para efeitos de contagem, considera-se uma palavra qualquer sequência delimitada por espaços em branco, mesmo quando esta integre elementos
ligados por hífen (exemplo: /di-lo-ei/). Qualquer número conta como uma única palavra, independentemente dos algarismos que o constituam
(exemplo:/2012/).

2. Relativamente ao desvio dos limites de extensão indicados – um mínimo de 100 e um máximo de 200 palavras - ,há que atender ao seguinte:
- um desvio dos limites de extensão requeridos implica uma desvalorização parcial (até dois pontos);
- um texto com extensão inferior às 50 palavras é classificado com 0 (zero) pontos.

FIM

6
COTAÇÕES DA PROVA

GRUPO I ………………..…………………………………...………………………………………. 50 pontos


1.
1.1. ........................................................................................................................................ 4 pontos
1.2. ………………………………………..………………………………......…………………….. 4 pontos
1.3. ........................................................................................................................................ 4 pontos
1.4. …………………………………………………..…………………...……….………………….4 pontos
2. ............................................................................................................................................4 pontos
3.
3.1. ………………….…………………………………..……………………...…………..……….. 3 pontos
3.2. ........................................................................................................................................ 6 pontos
4. …………………………………………………..……………………………...…….…….…….. 3 pontos
5.
5.1. ........................................................................................................................................ 4 pontos
6.
6.1. …………………………………………………………………………………………..…….… 4 pontos
6.2. ………………………………………………………………………………………..…………. 3 pontos
7. ………………………………………………………………………………………..…………… 5 pontos

GRUPO II ……………………..…………….……………………...…………………………………. 20 pontos

1. ........................................................................................................................................... 8 pontos
2. ……………………………………………………..………………..…………….…………….... ..4 pontos
3. ........................................................................................................................................... 4 pontos
4. ………………………………………………………..………..……...….…………………........ 4 pontos

GRUPO III ………………………….………………………...………………….……………………. 30 pontos

_____________
Total ……………………………………………………………. 100 pontos