Você está na página 1de 210

2

3
© 2017 pela Folha Caroline Publicado por Baker

Books uma divisão da Baker Publishing Group

PO Box 6287, Grand Rapids, MI 49516-6287


www.bakerbooks.com

edição ebook criado 2017

Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, armazenada num sistema de recuperação, ou transmitido em

qualquer forma ou por qualquer meio, por exemplo, electrónico, fotocópia, gravando-a sem autorização prévia por escrito do editor. A única exceção

é breves citações em revistas impressas. Biblioteca do Congresso de Dados de Catalogação na Publicação está arquivada na Biblioteca do

Congresso, Washington, DC. ISBN 978-1-4934-0952-5

Salvo indicação em contrário, citações bíblicas são da New King James VERSION®. Copyright © 1982 por Thomas Nelson, Inc. Usado
com permissão. Todos os direitos reservados.

citações bíblicas rotulados AMP são da Bíblia Amplified®, © 2015 copyright pela Fundação Lockman. Usado com
permissão. ( www.Lockman.org )

citações bíblicas rotulados AMP-CE são da Bíblia Amplified®, copyright © 1954, 1958, 1962, 1964,
1965, 1987 por A Fundação Lockman. Usado com permissão. ( www.Lockman.org ) citações bíblicas rotulados NIV são da Bíblia Sagrada,

New International VERSION®. NIV®. Copyright © 1973, 1978, 1984, 2011 by Biblica, Inc. ™ Usado com permissão da Zondervan. Todos

os direitos reservados no mundo inteiro. www.zondervan.com

citações bíblicas rotulados NLT são da Bíblia Sagrada, Nova Tradução, © copyright 1996, 2004, 2015, Tyndale Fundação Casa.
Usado com permissão de Tyndale House Publishers, Inc., Carol Stream, Illinois 60188. Todos os direitos reservados.

Esta publicação destina-se a fornecer material útil e informativo sobre os temas abordados. Os leitores devem consultar os seus
profissionais de saúde pessoal antes de adoptar qualquer das sugestões neste livro ou fazer inferências a partir dele. O autor e editor
renunciam expressamente a responsabilidade por quaisquer efeitos adversos decorrentes do uso ou aplicação das informações
contidas neste livro.

4
“Mais vezes do que não, aqueles que tratam nossas necessidades fisiológicas ou até mesmo neurológicas não estão em alinhamento com a
nossa construção crença. Quem diz que ciência e fé não pode ser colaborativo em realizar a totalidade? Dr. Folha ama a Deus e se
preocupa com as pessoas. Seu novo livro, The Perfect You, é um modelo para sentir-se melhor e viver melhor. Nele, ela fornece orientação
científica, filosófica e teológica sobre como entrar em seu 'Perfect Você.' Se você sempre quis ou mesmo necessário para reimaginar sua
vida, este livro pode muito bem ser o catalisador para esse fim. É realmente um sistema de orientação que limpa os poluentes que tenham
contido-lo de expressar a maior versão de você que o mundo já viu!”

Bishop TD Jakes e Serita Jakes

“Laurie e eu recomendo este livro de mudança de vida, que irá ajudá-lo a descobrir quem você é-o perfeito You-e dar-lhe um plano
para perseguir seu dado por Deus de identidade.”

Matt e Laurie Crouch, TBN

“Dr. Caroline Folha alcançado o quase impossível com o seu mais recente livro. Ela mergulhou fundo na teorias complexas da teologia, filosofia
e ciência, então desconstruído estes conceitos altamente abstratos e sintetizado-los em um livro inovador, criativo e enriquecedor
baseada-cristã sobre a auto-descoberta! Sua ferramenta de Avaliação Qualitativa original e exercícios práticos irá capacitar os leitores a
encontrar e celebrar os seus próprios eus único e perfeito no mundo em rápida mudança de hoje. Minha jornada através do livro me deixou
admirado com seu talento e animado para começar a viagem de descobrir não só a minha própria auto exclusivamente perfeito, mas também o
outro perfeito nas pessoas ao redor de mim. Cada leitor será reforçada revisitando suas percepções usando seus princípios orientadores,
desenvolvendo uma visão revisada de seus eus únicos, e permanecer fiel a si mesmos perfeitos em suas vidas cotidianas. Esta última adição à
lista crescente de Dr. Folha de livros é também um testemunho da singularidade perfeita de Dr. Folha si mesma “.

Dr. Brenda Louw, professor e presidente, Fonoaudiologia e Audiologia, East


Tennessee State University

“Dr. O novo livro de Caroline Folha The Perfect You: A Blueprint for Identity poderia muito bem ter sido o subtítulo “Blueprint
for Success” ou “Blueprint for Peace of Mind.” Eu recomendar vivamente!”

Kenneth Copeland, Kenneth Copeland Ministérios

“ The Perfect You, com suas ferramentas de aplicação, será uma recomendação diária na minha prática neurociência integrativa. Seus princípios-the
reveladores culminar de mais de trinta anos do Dr. Folha na neurociências-oferta mais esperança para a mudança e mais ajuda para a verdadeira
saúde (e não apenas o gerenciamento de doenças) do que qualquer outra ferramenta que eu já vi “.

Robert P. Turner, MD, MSCR, neurologista e professor associado de pediatria clínica e


Neurology, USC School of Medicine

“Esta obra é uma leitura obrigatória para quem realmente deseja ser profundamente educados sobre como nossas almas são
maravilhosamente e com medo feito pelo Criador do universo. A aplicação dos princípios neste trabalho facilitam a funcionar para o nosso
pleno potencial, individual e coletivamente, a sua boa vontade e propósito.”

Avery M. Jackson, neurocirurgião, CEO e fundador da Michigan Neurosurgical


Instituto PC

“Pioneiros em qualquer campo propor ideias que não são aceitos no momento. Essas idéias são mesmo pensado para ser ridículo. No
entanto, eventualmente, eles são comprovados direita. Dr. Caroline Folha é como um pioneiro no campo da mente. Ela tem dado por Deus
insights sobre a composição de nossas mentes, o que nos torna únicos, e como podemos operar com sucesso em nossa singularidade. Este
livro modas uma profunda mistura de física quântica, filosofia e psicologia em aplicações eficazes e práticas para ajudar cada um de nós excel
em que fomos criados por Deus para realizar “.

Dr. Peter Amua-Quarshie, MD, neurocientista e professor assistente

5
“Dr. Folha lindamente ilumina o cérebro, a mente, e como fazemos escolhas, então nos ajuda a fazer melhores. Ambos
científica e espiritual, este livro tem algo para todos.”

David I. Levy, MD, professor clínico de neurocirurgia e autor de Matéria cinzenta

“Como um endocrinologista I encontrar livros do Dr. Caroline Folha muito detalhado, mas muito fácil de ler. O que faz você ser quem você realmente é?
E como você pode conseguir O Você Perfeito como todos nós nos esforçamos para manter e restaurar a saúde? Eu estava tão animado para ler
explicações hábeis do Dr. Folha de descobertas feitas nas áreas de física médica, psicológica e quântica nos últimos trinta anos neste novo livro. Ela
promove medidas proativas que você pode tomar para mudar sua saúde e sua vida. O Você Perfeito checklist é uma ferramenta incrível que lhe
permitirá conhecer a si mesmo de uma maneira muito mais profunda e ajudá-lo a fazer mudanças no comportamento usando o gráfico e exercícios. Ela
irá ajudá-lo a se tornar a pessoa que você longo para se tornar, atingir seu pleno potencial, de tal forma que você pode realmente sentir
'completamente vivo' e realizado em sua vida profissional e seus relacionamentos, mas também no seu 'eu interior'. Eu incentivo qualquer um para ler
este livro incrível!”

Dr. Irene Stanciu, endocrinologista

“Dr. Folha lançou ainda um outro brilhante peça de trabalho. Ela magistralmente detalha como a nossa verdadeira identidade é encontrada quando
nos abandonamos a Cristo e imergir-nos o Seu amor inflexível, desbloqueando, assim, nossos dons e talentos naturais. O cristianismo não é centrada
em regras e regulamentos; é sim uma jornada de auto-descoberta que resulta em, ações e relacionamentos não tóxicos saudáveis. Muitas vezes
referenciar o trabalho do Dr. Folha como ele usa argumentos científicos comprovados que se aplicam a Palavra de Deus para nossas vidas. Nós
recomendo este livro para quem quer descobrir o seu propósito na vida e pronto para embarcar em uma viagem de verdadeira auto-descoberta.”

Bispo Lawrence e Dr. Lillian Robertson, Emmanuel Ministérios, Bremerton, WA

“Eu amo o título do livro, The Perfect You, porque é uma declaração ousada de quem somos e um vison exata de como Deus nos vê e nos
quer ver a nós mesmos e ajudar uns aos outros tornar-se o perfeito Você. Seu timing é perfeito porque vivemos em uma época em que o
imperativo para criar filhos e construir famílias fortes e comunidades é a mais alta prioridade em qualquer pai ou a mente do líder. Dr.
Folha nos deu uma ferramenta importante que nos mostra em um passo a passo-, amorosa e carinhosa maneira como podemos viver em
vitória e alegria indizível. O livro é cuidadosamente escrito com muita sabedoria e amor do Senhor. Ao ler as páginas que eu podia sentir o
poder de cura das palavras vai trazer para quem é abençoado para obter este precioso livro em suas mãos “.

Tsitsi Masiyiwa, filantropo e co-presidente da Fundação Superior Vida

“Mais uma vez, Dr. Caroline Folha está usando sua perícia, experiência e convicção para trazer um livro de mudança de vida para a mesa.
Vivemos em um mundo de crescente complexidade quando se trata das verdades fundamentais da vida. Eu estou confiante O Você Perfeito irá
permitir-lhe explorar e encontrar a liberdade que foram criadas.”

Bobbie Houston, fundador e pastor sênior mundial da Igreja Hillsong

“A perspectiva válida sobre a identidade é o ponto de viragem para uma existência saudável e bem sucedida. Como um especialista arquitecto, Dr.
Folha tem habilmente um plano para demolir pensamento errôneo e reconstruir a vida com bases sólidas que permanecerão. O Você Perfeito irá
fornecer verdades que não só mudar sua mente, mas, se aplicada, vai transformar a trajetória de sua vida inteira. Esta mulher é um dom e este
livro é uma obra-prima “.

Priscilla Shirer, palestrante e professor de Bíblia

“Em seu novo livro, The Perfect You, Dr. Caroline Folha revela a ciência por trás como seus pensamentos moldam quem você é. Usando o
conhecimento científico e revelação bíblica, ela efetivamente ministros verdade de Deus. Nós somos amigos com Dr. Caroline Folha por muitos
anos. Ela é um membro fiel da nossa igreja e entregou mensagens poderosas em nossos serviços e conferências de fim de semana “.

Robert e Debbie Morris, pastores titulares de gateway Igreja

6
“O brilhante Dr. Caroline Folha novamente desafia o 'porquê' de muitas coisas que tomamos automaticamente em nossa vida de pensamento. Como um
amigo e alguém que tem beneficiado de seu ministério, eu sei que este livro será uma grande bênção para você.”

Darlene Zschech, HopeUC

“O livro de Caroline, The Perfect You, É realmente uma grande conquista, ambos escritos de forma brilhante e bem documentada. Caroline
tem uma maneira de abrir-se leitores para reunir a coragem de entrar em uma nova dimensão de operar em sua personalidade, traços, e
dados por Deus dons e explorar o que Deus realmente quis dizer-lhes para estar nesta terra. Este livro vai certamente desafiá-lo, mas
mais importante que irá incentivar e inspirar você a acreditar que você é bem capaz de assumir o desafio, porque você foi dado o projeto
precisa de acordo com design surpreendente de Deus para se tornar o Perfect You “.

Rick e Denise Renner, pastores titulares de Moscou Boa Nova Igreja

“Você já perguntou 'Quem sou eu?' Bem, respostas a esta pergunta e mais estão em The Perfect You. Dr. Caroline Folha lindamente
explica como Deus criou um modelo único para a sua identidade. Este livro vai trazer a compreensão para a forma como você pensa e
vai desafiá-lo a tornar-se tudo o que foi criado para ser!”

John e Lisa Bevere, bestselling autores, ministros, e co-fundadores do Messenger


Internacional

“Em seu novo livro, Dr. Folha mostra como você pode desbloquear o seu perfeito You-que você está no seu core-e viver o seu plano divino
para a identidade, independentemente do que você já passou por, estão passando, e vai através. Eu, pessoalmente, sei o que é ter uma
visão distorcida da minha singularidade por causa de danos causados ​a mim, e eu sei que os princípios deste livro vai ajudá-lo a descobrir o
seu propósito dado por Deus e potencial, independentemente do seu passado.”

Christine Caine, autor de sem vergonha

“Este livro é um tesouro cheio de grande sabedoria e discernimento que servem como ferramentas brilhantes para orientá-lo na descoberta do 'Perfect
Você.' Dr. Caroline Folha traz nova descoberta científica emocionante e teoria para a verdade do nosso, identidade individual ordenada por Deus como
encontrado na verdade imutável da Palavra de Deus. Em uma cultura que aceita apenas o que a ciência pode articular, pesquisas e teorias do Dr. Folha
dar um forte credibilidade a criação de Deus, propósito e plano para cada uma das nossas vidas individuais.”

Dr. John e Helen Burns, pastores de chumbo de Relacionar Igreja, Vancouver, Canadá

“Dr. Folha é um dos principais especialistas do mundo do estudo do cérebro. Ela é uma estudante conhecedor da Palavra de Deus, bem como, o que
traz uma obra única em ajudar todos nós a entender e seguir o melhor de Deus para nossas vidas. Uma leitura obrigatória."

Bispo Keith Butler, Keith Butler Ministérios

“Muitos cientistas se sentem desconfortáveis ​com a realidade de que os nossos eus humanos não são facilmente quantificadas. Caroline
Folha não só reconhece isso, mas também abraça o raro, o único, e o efêmero contido dentro de nós, entendendo que são esses elementos
que definem a nossa humanidade, bem como a nossa divindade.”

Elizabeth Basden, advogado e diretor da iCompany

“Dr. Caroline tem uma incrível capacidade para levar conceitos complicados e torná-los facilmente digeríveis. O livro dela The Perfect You:
A Blueprint for Identity irá realinhar-lo a uma vida saudável e holística.”

Esther e Joel Houston, Hillsong Church

“Uau, outra obra-prima pelo Dr. Caroline Folha! Ela tece a científica com a prática de uma forma excepcional. Você vai
descobrir como crescer em se tornar o você Deus fez exclusivamente para ser.”

Dr. Robb e Pastor Linda Thompson, Família Harvest Church

7
"Leitura O Você Perfeito é como ligar os pontos entre o seu potencial, a sua paixão, e seu propósito! Como uma líder de torcida dos sonhos,
eu aplaudo Dr. Folha para este-um manual chamada wake-up para obter honesto com você mesmo, ser intencional em suas escolhas, e
começar a tomar decisões destino!”

Terri Savelle Foy, presidente da Terri Savelle Foy Ministérios, apresentador do Viva seus sonhos, e
autor de Apoio Moral

“Caroline tem escrito um livro cheio de boas notícias para você! Ela irá apresentá-lo para a pessoa que você sempre quis ser: o
Perfect You! Uma pessoa todo mundo ama, confia, e quer ser amigos com. Em suas mãos é o modelo para o seu melhor futuro “.

Mylon e Christi Le Fevre, autores e premiado com o Grammy artistas

“ O Você Perfeito é uma leitura obrigatória para qualquer pessoa que já segunda-adivinhou sua identidade, valor ou valor como pessoa. Dr. Caroline Folha
tão brilhantemente e simplesmente nos ajuda a ver que podemos fazer boas escolhas que irá definir-nos no nosso destino perfeito do amor e da
finalidade que Deus escolheu para cada um de nós. Dr. Caroline Folha é uma pessoa brilhante e bonita que tem impactado a nossa vida, a igreja eo
mundo para melhor “.

Mel e Desiree Ayres, pastores seniores em sua igreja Presença, Los Angeles

“A única maneira que possamos compreender correctamente o projeto original é a partir da perspectiva do nosso Designer. Neste último livro,
Dr. Caroline oferece tanto a informação e inspiração para ajudá-lo a avaliar e accionar o Projeto Divino de seu propósito para você!”

Pastor Colleen Rouse, Vitória Igreja Mundial

“Estou sempre desafiados e encorajados pela vida e os ensinamentos do Dr. Caroline Leaf. Ela fala com a autoridade de um cientista e o
coração de um pastor. É raro que um orador pode tocar o coração de cada geração de uma forma tão profunda. Eu sei que a vida,
corações, e futuros serão muito afetados através de seu novo livro, The Perfect You. ”

Pastor DawnChere Wilkerson, Vous Igreja

8
Este livro é dedicado a esses Perfeito-lhe momentos
com. . .

Meu marido precioso, Mac


Meus filhos preciosos, Jessica,
Dominique, Jeffrey, e Alexandria

Você me mostrou como para experimentar a vida e Deus de uma maneira totalmente

nova. Na verdade, você já me ajudou a ver e entender a vida e Deus a partir de

uma perspectiva totalmente nova.

Você inspirou este livro. Tu es .

. . Você é perfeito.

Você é meu. Eu
te amo.

9
Conteúdo

Tampa 1

Folha de rosto 3

copyright Página 4

endossos 5

Dedicação 9

Prefácio por Dr. Robert P. Turner 13

Prólogo 16

Agradecimentos 20

Parte 1 21
1. The Big Picture 23

2. The Perfect You: Pensar, sentir, Escolhendo 40

3. Descobrir o potencial do nosso Blueprint for Identity 47

Parte DOIS 65
4. A filosofia do Perfect You 67

5. The Science of the Perfect Você 78

Parte TRÊS 107


6. Criação de perfil do Perfect You: O Unique qualitativa (UQ) Assessment
Ferramenta 109

7. A Checklist Perfeito Você 235

Parte QUATRO 239

8. As zonas de desconforto 241

9. The Perfect Você Chart 262

10. Exercícios Perfeito Você Metacognitive Módulo 267

10
Epílogo 281

Posfácio de Dr. Avery M. Jackson 284

Posfácio de Dr. Peter Amua-Quarshie 286

Notas 288

Leitura recomendada 297

Anúncios de volta 317

Contracapa 321

11
Prefácio
pelo Dr. Rober t P. Turner

É com uma profunda gratidão e emoção que eu endosso este novo trabalho notável pelo Dr. Caroline Leaf. Ao
longo da minha carreira de trinta anos em, acadêmicas e neurociências pesquisa clínica Anelo por uma
ferramenta para segurar na minha mão e incorporar em minha vida e as vidas de meus pacientes que
completamente, com precisão, e apaixonadamente traz de ponta , evidências baseadas em pesquisa
neurocientífica para uso prático, salva-vidas e também mescla juntos os reinos espirituais, psicológicas e
fisiológicas para nos ajudar a escolher pensar-baseadas em amor e mantê-lo na vanguarda de tudo que
fazemos.

À medida que nos cuidados de saúde alopática, finalmente, a transição de uma era só de farmacologia

- onde estive preso por quase 80 anos-DR. Folha forneceu uma ferramenta para aplicação todos os
dias para efetuar, mudanças vivificantes positivos, motivados pelo amor em nossas mentes e cérebros.
Toda declaração e princípio explicados neste texto é apoiado pela atual, som, neurociência baseada em
evidências, e cada capítulo constrói habilmente sobre a fundação da anterior e é valiosa para leitura,
reflexão e aplicação diligente.

filosofia “Perfect You” do Dr. Folha baseia-se na sabedoria de gerações passadas de som, pensadores
experientes e possui a validação espiritual, escritural, e científica extrema. Seguindo sua filosofia leva
diretamente para descobrir os nossos próprios estilos de pensar, falar e agir que o nosso pai Deus projetou
para o nosso perfeito Você. Dr. Folha captura isso perfeitamente no capítulo 4: “Estamos suas
obras-primas, projetado para refletir a sua glória no mundo. Fomos criados para trazer o céu para a terra.”

Como neurocientista, eu amo capítulo 5! Escrevendo de mais de trinta anos de estudo, pesquisa e
experiência, Dr. Folha nos ajuda a compreender a anatomia e bases fisiológicas dos nossos modos
particulares de pensamento, sentimento e escolha. Eu aprecio como ela entrelaça três disciplinas
inter-relacionadas: neurospirituality, neuropsicologia e neurofisiologia. A aplicação viver e amar
destas disciplinas realmente nos permite começar a caminhar na verdadeira liberdade que Deus tem
amor na loja para nós.

O Qualitativa (UQ) Ferramenta de Avaliação Único descrito no capítulo 6 foi um exercício incrível para mim,
pessoalmente, e tem sido habilmente concebidos para caracterizar claramente a nossa singularidade dentro dos sete
módulos metacognitivas. Este não é um inventário de personalidade ou análise neuropsicológica; pelo contrário, é um
noncondemning, ferramenta nonjudgmental para ajudar cada um de nós entender quem nós são-

12
bom e mau-e como nosso Pai Deus nos quer experimentar as alegrias diárias de seu amor como nós aprender
como se tornar nosso Perfeito Você.
No capítulo 8 Dr. Folha claramente e explica cuidadosamente as “zonas de desconforto”,
trazendo à luz uma experiência que talvez todos nós, como seres humanos, experiência e alguns
de nós lutam com mais do que outros. Deus nos projetado com sistemas de alerta ou avisos, e
quando não estão fluindo em sua perfeita vontade para nossas vidas, resultados desconforto. Se
não reconhecer ou se optar por ignorar o “desconforto”, levando, o resultado será a manifestação
progressiva da disfunção em nós espiritualmente, psicologicamente e fisicamente. Começa-se a
perceber que pelo menos 80 por cento de distúrbios médicos e psiquiátricos atuais estão
enraizados no reino espiritual.

O Você Perfeito será uma recomendação diária na minha prática neurociência integrativa. Seus princípios-the
reveladores culminar de mais de trinta anos do Dr. Folha na neurociências-oferta mais esperança para a mudança e
mais ajuda para a verdadeira saúde (e não apenas o gerenciamento de doenças) do que qualquer outra ferramenta que
eu já vi.
Quando O Você Perfeito programa e seus princípios de mudança de vida são aplicados fielmente em uma base diária,
as alterações terão efeito em nossas mentes e nossos cérebros (o nosso “contínuo mente-cérebro”). Naturalmente
resultante dessas mudanças, os nossos sistemas do corpo totalmente interligados irá gradualmente manifestar
melhorias-in saudáveis ​nosso gastrointestinal, cardiovascular, imunológico, e outros sistemas. Pessoalmente, eu já
começaram a experimentar essas mudanças na minha vida, e estou impressionada e privilegiada para começar a ver
estas transformações em pacientes que implementam esses princípios. Como um neurologista e neurocientista, eu
posso facilmente demonstram alterações quantitativas por meio de análise de EEG paciente. Estas análises testemunhar
as mudanças gloriosas Deus está efetuando dentro de nós!

Convido-vos a leitura e aplicação diligente das The Perfect You. Ele promete ajudá-lo a ver as mudanças
que tantos de nós por muito tempo para em uma base diária.
Obrigado, Dr. Folha, para a sua investigação e estudo minucioso e abrangente. Você está nos
ajudando a transformação testemunha durante todo o microcosmo do nosso cérebro e sistema nervoso,
bem como a macrocosmo da terra e todos os seus habitantes, a quem somos chamados a amar e servir.

Robert P. Turner, MD, CEO MSCR e proprietário, Rede de Neurologia LLC &
Research Institute Neuroscience Network Associate Clinical
Professor de Pediatria e Neurologia, USC School of Medicine
Pesquisador Associado, Instituto de Pesquisa MENTE

13
Prólogo

Quem sou eu? Alguém aí me entende? Eu sou apenas o produto de forças evolutivas cegos ou o que
Richard Dawkins chama de “golpe de sorte burro” em um mundo material? 1 Ou eu tenho propósito e
significado, uma parte única em um plano divino? Alguém entender quem eu sou, ou quem eu estou
destinado a ser? Eu ainda me entende? Eu posso aceitar a maneira que Deus me permitiu ser? Eu
realmente aceitar o projeto para a identidade que Deus me deu?

Deus não entende você. Ele colocou significado em você-o “Você Perfeito” -sua forma única de pensar. O
projeto de sua identidade é um projeto brilhante que desbloqueia algo que você só pode fazer. Como a
neurociência mostra-nos, cada pensamento que você pensa é importante porque muda o seu cérebro! Você
cria a sua realidade única e moldar o seu cérebro com seus pensamentos. Neste livro você vai descobrir a
ciência por trás o seu perfeito Você aprendendo o que é, preenchendo um perfil chamado Unique qualitativa
(UQ) Perfil de entender a estrutura do seu pensamento e prática de aplicá-lo a sua vida com uma série de
diversão e exercícios esclarecedoras que irá levá-lo a um nível totalmente novo.

Entender como o Perfect Você está estruturado é apenas o começo, mas uma vez que você iniciar o processo,
você lançar-se em uma vida de mudança duradoura! Desenvolvimento e crescimento é orgânica e contínua. Seu
objetivo é viver além de si mesmo, mas você não pode compartilhar seu perfeito Você ou moldar sua vida de
acordo com o de outra pessoa perfeita You-porque é seu modelo para identidade. Nem pode ser o seu perfeito Você
se ele está trancado. Você não pode encontrar o seu valor ou o seu significado ou viver em seu propósito, se você
não identificar o seu plano e operar em seu perfeito você.

Deus sabia que você antes de você ser formado no ventre de sua mãe (ver Jer. 1: 5). Está ligado por amor,
porque Deus é amor (1 João 4: 8). Você é viciado em amor, porque você são feitos à sua imagem (Gn 1:27).
Quando ele te chama, ele te chama pelo nome para uma vida de amor (Mt 4: 18-22.). Filósofo Keith Ward
coloca desta forma:

O mundo real é um mundo de espíritos finitos, seres de experiência saturado de valor e propósito criativo, existentes dentro de um espírito
supremo da consciência irrestrita e valor. A vida humana não é um flicker sentido de conscientização em uma máquina indiferente e,
finalmente, em decomposição. É uma consciência em desenvolvimento, espíritos finitos (mas, infelizmente, nem sempre em
desenvolvimento) da consciência mais ampla e fins do espírito supremo dentro do qual eles existem, e com o qual é o seu objectivo inerente
a unir nesse estado de êxtase de desejo concluído que é denominado amar. 2

Muitas pessoas longos para e buscar este estado de felicidade nas coisas terrenas, mas ela não pode existir
sem Deus, que é amor. Temos de ver sua imagem refletida em nós se

14
realmente quer entender o nosso projeto original de identidade. Ciência e Escritura tanto mostrar-lhe são
projetados exclusivamente para refletir seu amor em criação. Mas como você pode refletir a sua glória, se você
não pode vê-lo em você? Abraão e Daniel resolveu ser as pessoas que Deus os fez, tanto destes homens
operados em seu perfeito Você (Gn 12-15; Daniel 6). você pode fazer a mesma resolução? você pode crescer em
seu auto ordenada por Deus por desbloquear o seu perfeito você?

Embora você não pode pensar que você fizer isso, você realmente sabe quem você é! Sua identidade
flui para fora de como você pensar, falar e agir, não importa o quanto você tentar suprimi-la. A pesquisa
mostra que, como você pensa, você influenciar a sua expressão genética e construir sua interpretação
distinta em pensamentos pensamentos, físicos que são diferentes de todos os outros. Você foi projetado
com uma bela maneira de pensar, evidente desde a infância, que se adapta à sua notável e ímpar perfeito
você. Você foi dado um pedaço divina da eternidade (Ec. 3:11). Quando você tentar suprimir a sua
identidade, o que acontece quando você reagir negativamente às circunstâncias da vida, você sair de sua
perfeita Você e criar um ambiente tóxico.

No entanto, você não está definida por onde você está ou onde você esteve, mas sim onde você será. Descobrir
quem você está no seu âmago é uma jornada, e pode ser um imponente um dependendo da atitude que você
adote! Quanto mais você entrar em seu perfeito Você, o mais sabedoria você irá desenvolver, o que irá
aumentar a sua capacidade de aceder e vivendo no amor de Deus e refletindo que o amor a um mundo cheio
de dor e sofrimento. Entrando no seu perfeito Você faz você humilde e não orgulhoso! Como New York Times colunista
David Brooks observa, a humildade é a baixa auto-preocupação, não baixa auto-estima. 3 O que quer que você
pensa sobre a maioria vai crescer! Se você, seus talentos e seus problemas são tudo que você pensa, você se
tornar seu próprio ídolo não só é tóxico para sua saúde, mas também uma forma de orgulho. O universo não
gira em torno qualquer pessoa. Você está concebido para servir e amar os outros, como o Messias. Na
verdade, uma das melhores maneiras de superar um problema é ir para fora e dar aos outros!

A escolha para desbloquear o perfeito Você e viver o seu modelo de identidade é seu. Quanto mais você
desbloquear o perfeito Você:

Os mais milagres você vai ativar em sua vida e as vidas das pessoas
ao seu redor.
Quanto mais inteligente você vai se tornar, desde que seu perfeito Você está vinculado a sua

intelecto.
Quanto mais seus dons, habilidades e capacidades irá desenvolver. Quanto

mais o seu relacionamento vai melhorar. Quanto mais a sua saúde mental vai

melhorar. Quanto mais a sua saúde física vai melhorar. Quanto mais você vai

encontrar a alegria na vida.

Quanto mais você vai ver os outros através dos olhos de Deus.

15
O mais humilde você vai se tornar, porque você vai ver magnificência de Deus em
você.

Quanto mais você compreender a si mesmo e aos outros. Quanto mais você terá vontade de entender e

ajudar ao seu próximo. Quanto mais você vai comemorar os outros em vez de invejar-los. Quando as pessoas

buscam uma identidade separada de Deus, que leva à confusão. Quanto mais você entrar em seu perfeito você,

mais você vai entender o modelo de sua identidade, o seu propósito, e sua parte no seu reino. Sócrates disse

uma vez que a vida não examinada não vale a pena viver. Este livro vai lhe dar as ferramentas para examinar

seus pensamentos e desbloquear o seu brilhante Perfeito Você. Ela irá permitir que você responda quando

Jesus te chama, pelo nome, para participar na grande tarefa de construção do Reino. Ele permitirá que você usar

e multiplicar os talentos que Ele lhe deu (Mt 25:. 14-30), o que reflecte a sua glória, tendo a sua imagem, e

trazendo céu para a terra.

Isto, realmente, é uma vida vale a pena viver!

16
Agradecimentos

Todos os meus anos de estar neste campo tem me dado o privilégio de se conectar diretamente e
indiretamente com tantas pessoas, e eu reconheço todos vocês, porque você me mostrou o que o material
deste livro precisava expressar: a importância de sua única experiências e a importância de você. Você me
ajudou a entender a necessidade de ajudar as pessoas a encontrar o seu perfeito você.

Jessica, meu assistente de pesquisa e filha, você realmente é um suporte magnífica e reconheço
os nossos horas de discussões sobre este livro como você me ouviu trabalhando os conceitos em voz
alta e sua edição excelente e honesto. É um privilégio e prazer trabalhar com você.

Meu precioso family-Mac, Jessica, Dominique, Jeffrey, e Alexy-I reconhecer o seu


amor e apoio interminável. . . não há nada como ele!
A equipe de Baker: mais uma vez, eu fui emocionado e abençoado por seu apoio profissional e amorosa.
Você se tornaram como uma família para mim e desempenham um papel tão grande em fazer o meu trabalho
acessível a tantos em uma excelente maneira tal. Obrigado, Chade, Mark, Lindsey, Patti, Erin, Dave, Karen,
Colette, Eileen, eo resto da equipe da Baker: você é realmente incrível! Eu reconheço e obrigado.

17
18
1
A grande imagem

A natureza inescapável de homem verdadeiro é que a autenticidade prospera independentemente de externalidade.

Folha Jeffrey, escritor

Em uma discussão numa manhã ventosa com meu filho sobre como literatura inspira ele e como ele observa a
vida, ele disse: “Mãe, quando eu sentir as batidas do vento contra meu rosto me faz sentir emoção que de
outra forma não se sente, e palavras começar a verter pela minha mente; Eu literalmente mover para um outro
mundo. Lembro-me da passagem inevitável do tempo.”No entanto, ele passou a dizer, com toda a razão:“Mãe,
quando você sentir o vento, você acha da ação quantum no cérebro, de probabilidades em colapso e
metacognição e o impacto físico de opções tóxicos como folhas caindo de uma árvore. Estamos com fio de
modo diferente.”

Este breve conversa fornece uma boa soma de trinta anos de minha pesquisa e a pergunta que tem
confundido filósofos durante anos. Na verdade, ele ressalta uma questão que é considerado um dos mais
difíceis problemas da ciência: O que é a experiência subjetiva, consciente? Por que nós, como seres
humanos individuais, perceber a realidade de maneiras tão diferentes? Como todos nós temos as mesmas
“cores” da vida, para usar a analogia de um artista, mas pintar esses quadros diferentes? Meu filho e eu cada
um tinha o que é conhecido como um quale durante essa conversa, ou uma experiência subjetiva e pessoal
consciente em reação a um estímulo de entrada sensorial (vento). 1 Nosso indivíduo, originais foram
inspirados e motivados pelo nosso indivíduo, único designer de projeto: nosso você perfeito.

Que experiência Aparente

Experiência-o que “ele” se sente como - não é nada abstrato. O que queremos dizer quando dizemos que
sentir o vento provoca uma “experiência” é que ele faz algo para nos
em particular. É uma experiência exclusiva para nós. Podemos sentir uma ou várias emoções entrelaçadas
dentro de nossas memórias como nós percebemos algo tão simples e tão bonito como o vento-para meu filho,
especificamente, observando as folhas farfalhando fez sentir-se calmo e tranquilo, e foi uma experiência
transcendente. Para mim,

19
no entanto, era uma analogia do processo científico de desintoxicação da mente e, portanto, o cérebro.

Se a experiência consciente saudável é o que se sente ao estar na perfeita Você, em seguida, “o que se sente”
para você significa que o conjunto específico de associações você fez anteriormente através do filtro do seu
Perfect You. Essas associações-os pensamentos, sentimentos e emoções que você construiu em sua mente, têm
sido automatizado em memórias de longo prazo pelo seu pensamento sobre eles repetidamente ao longo do
tempo, e o estímulo atual interagindo com estas memórias de longo prazo traz-los para o seu consciente
consciência. Isso é o que significa quando dizemos “Isto é como Eu pensam, como Eu sente, como Eu escolher-este
é meu pensamento-é assim Eu am com fio.”As memórias ativadas por estímulos vindos de vida ou de seus
pensamentos internos, ou ambos, e o conjunto de estados emocionais associados com cada uma dessas
memórias é totalmente original e exclusivo para você, seu projeto de identidade.

Portanto, o seu perfeito Você é como um filtro, e quando o filtro está bloqueado por baixa auto-estima ou
pensamento tóxico, você não está livre para ser você. Temos sido todos lá: quando sentimos que há uma batalha
dentro de nós, como que nós nos tornamos está lutando que nós sabemos, no fundo, nós realmente somos.
Quando saímos do nosso perfeitos, estaremos em conflito e isso vai fazer-nos frustrados e infelizes, e mesmo que
temporariamente reduzir a nossa inteligência e potencialmente levar a problemas de saúde mental.

Nosso perfeito Você opera, ou seja ambientes, é desbloqueado-in de amor. O amor muda a natureza física
em torno de todas 75-100 trilhões de células do nosso corpo e nos dá a coragem de enfrentar e lidar com
blocos e fechamentos de nosso você perfeito. Quando aprendemos a focar nosso Deus, que é amor, e que
ele diz sobre nós, aprender a abraçar a nossa identidade única e descobrir quem realmente somos nele (1
João 4: 8). Temos, afinal, o seu amor, poder e uma mente sã (2 Tim. 1: 7)!

Um modelo de como pensamos, sentimos, e Escolha

Eu passei os últimos trinta anos pesquisando, desenvolvendo e expandindo o meu modelo teórico e conceitual
para explicar nossas “Som mentes”, que eu chamo o Modelo de Processamento de Informação Geodésico. 2 Este
modelo conceitua como pensamos exclusivamente, sentir e escolher, através do filtro do nosso perfeitos, eo
efeito causal que isso tem sobre o nosso cérebro e, portanto, o nosso comportamento. Mais especificamente, ele
segue o caminho de processamento de informação a partir da fase-que de entrada pode ser externo através dos
cinco sentidos, ou interna das memórias, ou ambos, para o estágio de saída, uma via que utiliza deliberada, atento
pensando. Minha teoria subjacente a este livro, então eu ter incluído nele minha versão atualizada do modelo
(ver pp. 84-85), usando as teorias da física quântica expandidas por Henry Stapp para explicar a conexão
mente-cérebro. 3

20
geodésico significa uma abordagem global e abrangente para o pensamento e aprendizagem, que tem
uma natureza quântica abrangente que ainda responde por individualidade. Este modelo contrasta com
behavioristas e cognitivas abordagens tradicionais que são mais clássica na natureza e limitado e não
pode explicar a singularidade do Perfeito Você e o papel fundamental do pensamento, sentimento e
escolha do indivíduo. Por isso propus uma estrutura para uma concepção metafísica da conexão
mente-cérebro, incluindo a singularidade do Perfect You.

Neste modelo geodésico, a mente está dividida em níveis inconscientes e conscientes. A


estrutura do Perfeito Você reside no nível inconsciente e é descrito através do perfil UQ no
capítulo 6 deste livro. O modelo como um todo reflete o processamento de informação através do
pensamento consciente, intencional do indivíduo, o que afeta causalmente a estrutura do cérebro.
Então, cada um, com a sua interpretação única de vida, desempenha um papel fundamental na
realização de mudança comportamental e emocional em sua própria vida, bem como deixando
uma pegada dessa mudança no cérebro. Esta maneira de abordar a neurociência cognitiva está
de acordo com a física quântica. Não só nós dirigimos nossa comportamental, emocional,

I descrever o papel dos níveis inconscientes e conscientes da mente usando a física quântica para explicar
a interação mente-cérebro, em oposição a meramente correlacionando atividade cognitiva com o
comportamento do cérebro. Como cientistas Henry Stapp e Jeffrey Schwartz nota, a física quântica fornece
uma maneira de analisar o complexo maior funcionamento cortical que está ocorrendo entre a mente eo
cérebro. É uma maneira eficaz para destacar o impacto do Você Perfeito (nosso pensamento individual,
sentimento e escolha) sobre o funcionamento físico e comportamental, ou o que Stapp chama de
“funcionamento psico-física.” 4

Mente controla Cérebro

É importante lembrar que o nosso pensamento muda a estrutura do nosso cérebro, porque nossas mentes são
separados de nossos cérebros. Sua mente controla seu cérebro. Seu cérebro não controla sua mente. Você
mudar seu cérebro; seu cérebro não pode simplesmente mudar a si mesma. Quando você pensar, sentir e
escolher você está atualizando sua experiência, e isso se reflete em mudanças estruturais e funcionais no
cérebro: você é ambas as memórias literal e figurativamente construindo. Seu cérebro responde ao que você
faz, por isso, se há comunicação e mudança comportamental e intelectual, então o cérebro foi alterado pela
mente e essa mudança é expressa através de palavras e ações.

21
Esta maneira de pensar sobre o cérebro é relativamente nova na ciência. Na década de oitenta meados, quando eu
estava embarcando em meu trabalho de pós-graduação, muitas vezes eu me perguntava se a mente pode mudar o
cérebro. Observei o progresso incrível de ambos os pacientes com lesões cerebrais em minha prática e as crianças com
deficiência desfavorecidos e aprendizagem nas escolas em que trabalhei em que, apesar de suas deficiências físicas,
alcançou resultados extraordinários através de sua determinação positiva e trabalho duro.

Eu tenho trabalhado com pacientes com todos os tipos de voz, linguagem, fala e dificuldades de
aprendizagem; traumatismo crânio-encefálico (TCE); cognitivos e afasia sintomas, pós acidente vascular
cerebral e ataque cardíaco; paralisia cerebral; autismo; problemas emocionais; e trauma. 5 Meus pacientes que
sofrem de TBI melhorou significativamente seu desenvolvimento cognitivo, comportamental, acadêmico e
desempenho intelectual após serem expostos às técnicas mentais intencionais eu tinha desenvolvido. Através
da utilização de suas mentes, eles foram capazes de mudar a estrutura física de seus cérebros como
evidenciado em suas mudanças de comportamento. Um padrão consistente de mudança positiva começou a
surgir entre os pacientes e clientes com quem eu trabalhava, até mesmo os casos mais difíceis.
Estatisticamente, esta melhoria variou de 35 a 75 por cento como eles praticavam consciência atenta de
auto-regulação e profundo, pensamento intencional, repetidamente, durante longos períodos de tempo. Na
verdade, eu passei vinte e cinco anos de trabalho hands-on em áreas muito pobres da África do Sul, além de
minha prática, o que me permitiu trabalhar com ambas as extremidades do espectro econômico. escolheu usar
intencionalmente e deliberadamente suas mentes de uma forma muito disciplinada, consistente e consciente.

Eu nunca vou esquecer a notável história de um dos meus pacientes, uma menina de dezesseis-ano- que tinha
um TBI como resultado de um acidente de carro grave. Ela tinha recentemente saído de uma de duas semanas
coma e estava operando em torno de um nível de quarta série na escola, em vez de um nível de grau XII como
seus pares. Usando o processo de ensino de cinco etapas de auto-regulação, mente-impulsionado eu tinha
desenvolvido, eu trabalhei com esta jovem senhora em uma base one-on-one. Ela estava determinado a apanhar
com o seu grupo de pares, e eu acreditava que ela poderia alcançar seus níveis anteriores de desempenho
acadêmico novamente. Dentro de oito meses, o “milagre” aconteceu: esta jovem foi capaz de terminar o ensino
médio com sua própria classe e passou a universidade. Na verdade, em comparação com antes do acidente, seu
QI aumentou vinte pontos e seu desempenho acadêmico geral melhorou. 6 ) Este foi altamente incomum, como a
pesquisa mostrou o oposto era normalmente o caso no TCE; uma tendência negativa foi transformado em uma
tendência positiva através do trabalho mente intencional. No entanto, esse não é o fim da história. emocionais,
auto-avaliativo, e auto-monitoramento de habilidades da jovem também melhorou, apesar de terem sido
indiretamente tratados durante suas sessões clínicas, indicando que a mudança mente inclui mudanças intelectuais
e emocionais. De fato, como um cristão, eu sabia que ela tinha o controle sobre sua mente e poderia mudar a
maneira como ela pensou (ver

22
ROM. 12: 2; 2 Cor. 10: 3-5; Phil. 4: 6-8). Mesmo o significado grego de arrependimento
significa “mudar de mente “!

Your Brain Realmente pode mudar

Naquele tempo de volta nos anos 80, no entanto, muitos cientistas acreditavam que um cérebro
danificado não podia mudar. Saúde e terapia profissionais como me foram ensinados a ajudar seus
pacientes a compensar deficiências cerebrais e problemas de saúde mental; recuperação total foi, em
sua maior parte, fora de questão. No entanto, novas técnicas de imagem cerebral, como PET e
posteriores MRI e fMRI scans começou a transformar a forma em que O concebíamos memória e
cognição. Estes avanços tecnológicos, que podem observar um nível básico do cérebro em ação ao vivo,
nos-e ensinou ainda nos-how ensinando diferentes áreas do cérebro tornam-se metabolicamente ativo
durante várias tarefas e nos permitiram melhorar o diagnóstico e cirurgia e evitar cirurgia desnecessária
na área do cérebro e do corpo de saúde. Alguns dos meus amigos mais próximos são neurocirurgiões,

Na verdade, um dos principais avanços que virão a partir do desenvolvimento da tecnologia de imagens do cérebro
tem sido a descoberta de neuroplasticidade, que é a capacidade do cérebro para voltar a crescer em resposta à
estimulação mente. Neuroplasticidade, ao lado
neurogênese ( o nascimento de novos neurônios) e física quântica, deu-nos uma maneira de explicar como o cérebro
pode mudar em resposta a mente de ação, ajudando-me a compreender os resultados de minha pesquisa mais
profunda e certamente proporcionar um grande presente para a ciência!

O problema com overemphasizing Scans

Há um perigo, no entanto, em ver esses exames como um roteiro confiável e detalhada para a
consciência humana. Como aponta Schwartz,

Nem mesmo o fMRI mais detalhada nos dá mais do que a base física da percepção ou consciência; ele não vem perto de
explicar o que se sente de dentro. Ele não explica o primeiro sentimento pessoa de vermelho. Como sabemos que é o mesmo
para pessoas diferentes? E por que estudar mecanismos cerebrais, mesmo até ao nível molecular, nunca dar uma resposta a
essas perguntas? É quando você pensa sobre isso um pouco peculiar para acreditar que quando você traçaram uma cadeia
causal clara entre eventos moleculares dentro do nosso crânio e eventos mentais, que você explicou-los suficientemente, e muito
menos explicou a mente na sua totalidade. Se nada mais, há sério risco de cair em erro de categoria aqui atribuindo a grupos de
neurônios propriedades que eles não possess- neste caso, a consciência. 7

Não estamos apenas a “disparar dos nossos neurônios em uma varredura colorido.” Como na discussão do vento
que mencionei no início deste capítulo, cada um de nós perceber a realidade de uma forma que é maravilhosamente
único para nós. Podemos ter o mesmo

23
tipos de estruturas e células neurais, o mesmo conjunto de pincéis e cores, mas cada um de nós temos nossa
própria pintura para criar.
Precisamos ter cuidado com o que a Fundação Dana chama neuroreductionism.
Neuroreductionism é um sintoma do materialismo generalizada que domina nossa sociedade hoje, que vou
discutir com mais detalhes no capítulo 4. Essencialmente, materialistas reduzir explicações ao material físico,
como átomos dos neurônios disparando em uma varredura do cérebro. Em um estudo recente da Fundação
Dana observou quantos cientistas sucumbir a este raciocínio materialista e têm

correram para adotar novas tecnologias para analisar os correlatos fisiológicos ou anatômicos de comportamento e pensamento. As
contribuições mais importantes de ressonância magnética será estudos sobre a estrutura do cérebro, nem tentativas conceitualmente falha de
hoje para localizar funções cognitivas e consciência. O problema conceptual chave enfrentado por aqueles que se correlacionam com os
processos cognitivos actividade cerebral é a sua pressuposto implícito que a mente compreende partes modulares separadas que podem ser
isolados e analisados ​de forma independente um do outro. Esta premissa assume que os processos cognitivos hipotéticos produzidos pelo
cérebro interagir linearmente (um pode simplesmente adicionar ou subtrair uma da outra, em oposição a sua condição de funções multiplicativos
complexos uns dos outros) e que mantêm as suas mesmas propriedades quando utilizado em diferentes tarefas. Por exemplo, supõe-se que
um componente de um processo de tempo de reacção (tais como o tempo que leva para seleccionar uma resposta) permanece a mesma
independentemente da quantidade de estímulos são apresentados simultaneamente. Este último critério é um dos mais frágil dos pressupostos
subjacentes a debandada atual de trabalho buscando os locais no cérebro do que eu acredito que são mais propensos a ser o resultado de
mecanismos neurais altamente interligados, nenhum dos quais operam em completo isolamento de outros regiões cerebrais. 8

Esses tipos de explicações científicas operam isoladamente, enquanto o universo está intrinsecamente
interligados-a partir do nível macro para o nível subatômico até o nível de ondas quânticas de energia; isso é
evidente em todo o mundo natural. Na verdade, vemos esta interconexão nas Escrituras. Em Efésios 4:16, por
exemplo, Paul observa como Deus “faz todo o corpo se encaixam perfeitamente. À medida que cada parte faz o
seu próprio trabalho especial, que ajuda as outras partes crescer, por isso todo o corpo é saudável e crescendo
e cheio de amor”(NLT). Nós precisamos um do outro!

Embora a ressonância magnética funcional (fMRI) tornou-se uma forma cada vez mais popular de
pesquisa em neurociência, psiquiatria e psicologia ao longo dos últimos vinte e cinco anos, um relatório de
abrir os olhos da Universidade Johns Hopkins chama o campo inteiro em causa. De acordo com os
pesquisadores:

Mais de 40.000 estudos foram publicados utilizando fMRI mas os métodos utilizados na investigação fMRI pode criar a ilusão de atividade
do cérebro onde não há nenhuma até 70% do tempo. Eklund, juntamente com seus colegas na Suécia e no Reino Unido, Thomas Nichols,
e Hans Knutsson, investigou os programas de software comumente usados ​para analisar os dados de fMRI, e eles descobriram que as
suposições feitas por esses programas levam a um alto grau de falsos positivos, se a 70% em comparação com o esperado 5%. Os falsos
positivos são importantes, pois pode fazer parecer que uma determinada área do cérebro é “iluminar” em resposta a estímulos, quando na
verdade, nada disso está ocorrendo. 9

Estes “falsos positivos” podem e levaram a uma série de alegações errôneas que realmente prejudicam a
singularidade do pensamento e da responsabilidade humana. Ele torna-se essencialmente um conto triste e
confusa de “meu cérebro me fez fazer isso.” A experiência individual e única é reduzido para o disparo de
neurônios ou, para usar o

24
pintura analogia, a pintura é reduzido para as suas cores individuais e sua composição química.

Não há dúvida de que a atividade mental terá associado a atividade neural complexa no cérebro. O cérebro
é, afinal, o substrato através do qual a mente funciona. E o cérebro deve ser complexo somos feitos à imagem
de um Deus complexo! No entanto, há limites sobre o que pode ser aprendido, mesmo com estes dispositivos
novos maravilhosos de imagem, especialmente se os experimentos são baseados na hipótese simplista e
reducionista que os módulos cognitivos podem ser isoladas a regiões específicas do cérebro com o pressuposto
de que essas regiões estão produzindo que o comportamento pensamento específico.

Na verdade, o estudo Hopkins não foi o primeiro a alertar contra uso irrestrito de fMRIs em neurociência. Em
2009, pesquisadores da Universidade de Dartmouth alertou para os perigos do efeito de falso-positivo. Durante um
experimento que colocou um salmão do Atlântico mortos no fMRI e “mostrou uma série de fotografias que retratam
indivíduos humanos em situações sociais.” Os dados produzidos pela tecnologia de imagem fez com que pareça
como se “um salmão morto perceber os seres humanos podem contar a sua emocional Estado." 10 Se um fMRI pode
mostrar um salmão morto como capaz de ler as emoções humanas, nós certamente precisamos questionar esta
tecnologia como a “prova” de que o livre arbítrio ea consciência são agradáveis, mas tristes ilusões. É mais
provável que a atividade mente representa uma entidade indivisível, enredada que não pode ser dividido em suas
partes físicas.

Consequentemente, eu vos escolhi a afastar-se neuroreductionism a uma abordagem


cognitivo-comportamental e metacognitive mais integrada. I avaliar a linguagem, intelectual, comportamental,
acadêmico e alterações emocionais antes e depois da intervenção pensamento deliberado e consciente,
utilizando técnicas que eu desenvolvi durante meus trinta anos de pesquisa e prática.

O Poder da Escolha

A faceta mais importante de toda a minha pesquisa e prática, no entanto, é individual


escolha. No momento em que as pessoas reconhecem o poder da sua mente-a individualidade de seu pensamento e
como eles têm controle sobre suas vidas, eles são realmente capazes de transformar o seu mundo. Quando as
pessoas se vêem a maneira como Deus as vê, como suas maravilhas e reflexões particulares de sua imagem, em
seguida, eles vêem o que está dentro deles e perceber o universo de uma maneira diferente (Sl 139:. 14). Cada um de
nós é feito para suportar a sua glória em nossa própria e única maneira-que todos têm uma maneira bonita de
stewarding eternidade (Ec 3:11;. Gen. 1-2). A verdadeira auto-consciência vem do reconhecimento do Você- Perfeito o
verdadeiro você. Ele muda você de dentro para fora. Você está desbloqueado. Isto é muito mais do que “encontrar o
seu propósito.” É sobre encontrar-se.

25
Nós todos queremos saber quem é Deus. Nós refletir a sua imagem. O mundo vai perder se você não operar
em sua perfeita Você: você é uma parte específica de sua reflexão, a peça que faltava que traz uma perspectiva
única e esperança para o mundo. Não há ninguém como você, o que significa que há algo que você pode fazer que
ninguém mais pode fazer. Por causa de sua perfeita Você, sua experiência de vida irá melhorar meu. Quando você
não é você, todos nós perder em conhecer a Deus melhor, porque você refletir a sua imagem em uma maneira
original e bonita!

Só você pode ser você com o seu tipo especial de “youness.” Você é um observador com o seu próprio e
único Perfeito Você fazer suas próprias escolhas únicas. Eu, por sua vez, tem a minha única Perfeito Você e fazer
minhas próprias escolhas. Nós enriquecer a experiência do outro; isto é, que enriquecem uns dos outros Perfect
You, caminhando lado a lado e a comemorar nossas diferenças.

E operando em sua perfeita Você também é uma forma de você para celebrar o que tu es. Em um mundo onde
muitas vezes somos informados de que não somos dignos ou não viver de acordo com um padrão particular, esta
celebração é crítica. Não podemos verdadeiramente viver para Deus ou transformar nossas sociedades se odiamos o
que vemos no espelho. Seu perfeito Você é tão profunda e intrinsecamente ligado no tecido de quem você é que
quando você reconhecê-lo, você desenvolver uma consciência íntima e desejo para a necessidade de ser você mesmo.
Você reconhece que quem você é é fundamentalmente bom (Gn 1:31).

Além disso, seu próprio Perfeito Você é Mais do que suficiente. Uma vez que você começa a entender o seu
perfeito Você e sua estrutura, porque realmente começando a compreender plenamente o seu perfeito Você é
uma ao longo da vida viagem, você pode andar em antecipação e da liberdade ao longo da vida, regozijando apesar
de as circunstâncias. Seu Perfeito Você ajusta-o livre para ser quem você é e fazer o que você ama. Operando
em seu perfeito Você traz satisfação e contentamento. Ele revela suas qualidades mais íntimos, que estão
presos no amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade e auto-controle (Gal. 5: 22-23). É
esperançoso-lo nunca desiste, resistindo através de cada circunstância.

Seu Perfeito Você é dinâmico e em constante mudança. É a chave para compreender as experiências de vida e
as lições que você aprendeu, atualizando a sua mentalidade e dando-lhe a oportunidade de caminhar para o futuro
com um potencial ilimitado para crescer em seu próprio sucesso. Você, como o observador, manter a actualização
suas experiências como novos dados vem à luz, moldando a maneira de abordar o mundo.

Operando em sua perfeita Você é a maneira que você escolher para ver o seu mundo cheio de amor em vez
do medo. É o que todos anseiam, de modo que a impaciência e crueldade, irritabilidade, orgulho e ostentação,
amargura, falta de perdão, escolhas erradas, e trauma-todos os quais perturbar este cumprimento-causar-nos a
procurar recapturar esse “sentimento” Perfect Você em uma tentar restaurar a ordem em nossas mentes e
corpos. The Perfect Você também remove-lo das mentalidades de vergonha e culpa, o “fez-I, deve-ter,
poderia-ter,-have.” Você pode entrar em uma mentalidade de esperança, das possibilidades e atitudes que você
pode infinitas escolher como novas oportunidades de vir à luz.

26
The Perfect Você vai levá-lo de errar o alvo de ser feito à imagem de Deus para pisar em quem você
realmente é. Desta forma, você vai passar de trauma para a liberdade, da dor para a paz, de indecisão para a
ação, da confusão à claridade, da inveja a celebração, da frustração à antecipação, de estar sobrecarregado
de ser posto em liberdade, do medo à coragem, de suprimir questões a ter a coragem de enfrentá-los, a partir
de entorpecente pensamentos para capturá-los, da passividade à paixão, e da desesperança para a
esperança. Ele vai ajudar você a entender o que você está stewarding e como continuam a ser um bom
administrador de sua vida não importa o que vem à sua maneira. Se você entender a sua perfeita Você, você
vai entender como você pensa, sente e escolha e, portanto, como renovar a sua mente, permitindo-lhe
enfrentar os desafios da vida (Rom. 12: 2).

Claro que todos nós pensar, sentir e escolher, mas o seu perfeito Você vai ajudá-lo a entender como você
especificamente pensar, sentir e escolher. É a nossa identidade, a nossa maneira de ser autêntico para nós mesmos.
Identidade é intrínseca à nossa natureza, por isso estamos sempre buscando após a Perfect You. É a essência de
quem somos, e ele terá de ser satisfeita, de alguma forma ou de outra.

Encontrar uma identidade estável

Em nossa sociedade pós-moderna atual, ele pode se tornar muito confuso para encontrar qualquer identidade estável,
por isso é fundamental que começamos a entender o que significa ser feito à imagem de Deus. Cada um de nós precisa
encontrar a nossa imagem, porque não se fizermos o mundo vai nos marca. Nós nos tornaremos tudo o que focar mais.
Os israelitas trocaram suas glórias (sua perfeita que você como portadores da imagem de Deus) para a imagem do
bezerro de ouro, e nós também podemos perder-nos tentar ser o que não são chamados a ser (Ex. 32: 4; Rm 1:. 18-25).
Nós nos tornamos o que nós amamos, por isso devemos aprender a amar o nosso Deus, vendo a sua peça incrível da
eternidade dentro de nós. Concentrando-se em Deus vai aumentar a autenticidade do nosso você Perfeito; nada mais vai
nos satisfazer.

Quando você ler sobre realizações de alguém e adotar seu roteiro, sua planta de identidade, como o seu
próprio, você vai limitar onde o seu perfeito Você pode levá-lo. Você só pode ser você. Quem você é no núcleo
vai vazar para fora, não importa o quanto você tentar suprimi-lo ou alterá-lo. The Perfect Você permite que você
ama, para chegar além de si mesmo, mas você não pode crescer na expressão máxima do design e plano de
Deus, se você vive em dúvida ou inquietação, ou se você constantemente minar o seu dom, tentando cópia
perfeita de outras pessoas Você.

A fim de manter uma visão consistente e padrão em sua vida, seu espírito, pensamentos, sentimentos,
escolhas, palavras e ações devem estar alinhadas. Então, quando você diz algo que seu cérebro não
“acreditar”, se a sua declaração não faz parte do seu Perfect You, é insustentável e pode se tornar tóxico.
Você pode tentar tão duro como você pode ser algo ou alguém que não seja como Deus criou você, mas
isso

27
criará conflito em sua mente e corpo, porque no seu núcleo você sempre vai tentar voltar à sua
inclinação, o seu natural perfeita Você.

The Perfect Você Definido

Mas o que exatamente é o seu perfeito você? Isto é como você exclusivamente e especificamente pensa, como você
exclusivamente e especificamente se sente, e como você exclusivamente e especificamente escolher. Estes são
funções do mente em ação: o intelecto, emoções e vontade. o mente em ação constrói pensamentos. Os pensamentos
são as raízes de suas palavras e comportamentos únicos, que, por sua vez, são as manifestações visíveis de seu perfeito
Você. É a manifestação de sua visão de mundo particular.

Por que é tão importante para compreender o seu perfeito você? É o reflexo de Deus-fora dele brota a sua
identidade e o seu propósito como um mordomo de sua criação e glória. 11 The Perfect Você lhe dá poderes para
comunicar e agir de acordo com como você pensa exclusivamente, sentir e escolher, para que você possa refletir
essa imagem como uma luz sobre uma colina (Mat. 5: 14-16).

Se operarmos de acordo com nosso projeto divino com fio de para-amor, vamos agir e falar a Palavra na
temporada, e paz e produtividade vai reinar em nossos relacionamentos e vidas (Is. 50: 4). E como nós nos
esforçamos para entender abnegadamente de outras pessoas “imagens”, vamos entender melhor a Deus, porque
cada um de nós reflectir um aspecto do nosso Deus multifacetada. Em nosso você Perfeito temos tudo o que
precisamos para alcançar o nosso propósito único e maravilhoso: Deus plantou a eternidade em nós, um sentido
divino de propósito (Ec 3:11.).

Talvez você tenha sido dito repetidamente que você é “especial”, mas realmente não tenho sido capaz
de acreditar. Talvez você tenha descoberto o seu especial Perfect You, mas não têm vivido ou que crescem
nele. Talvez você nunca realmente sido operando em sua perfeita Você, perseguindo o sucesso, imitando a
vida dos outros. É hora de você reconhecer e ativar seu divinamente pré-wired Perfect You!

Você pode descobrir o que o seu perfeito você está aprendendo a sua estrutura e como começar a viver nele: é o que

este livro tem tudo a ver. Uma vez que você começar este processo de descoberta, você lançar-se em uma vida de mudança

duradoura. Seu objetivo é viver além de si mesmo através refletindo a glória de Deus a uma ordem mundial quebrado, mas

você não pode compartilhar sua perfeita Você, sua identidade, se ele está escondido. “Ninguém acende uma lâmpada e, em

seguida, coloca debaixo do alqueire” (Mat. 05:15 NLT). Você não pode crescer em sua auto ordenada por Deus, se o seu

perfeito você está bloqueado.

A estrutura deste livro é a seguinte. Na parte 1, você vai começar o processo de compreender o que o
perfeito Você é em termos de seu pensamento único, sentimento e escolha, e como é importante para
permanecer no Perfect You. Na parte 2, você vai aprender sobre a filosofia ea ciência undergirding o
Perfect You. Na parte 3,

28
você vai começar a desbloquear o perfeito Você preenchendo o único qualitativa (UQ) Ferramenta de Avaliação
através de um-de trezentos além jornada questão que vai ajudá-lo a obter uma melhor compreensão de como você
pensa exclusivamente, sentir e escolher. E isso não é uma coisa de uma só vez, quer-você pode, periodicamente, ao
longo do seu tempo de vida, preencha este perfil em tantas vezes quanto você quer, como você crescer como pessoa.
Você também vai aprender sobre a lista de verificação Perfect You, uma maneira simples, fácil de usar em que você
pode monitorar se você estiver funcionando em sua perfeita você. Na Parte 4, você vai aprender sobre as zonas de
desconforto e como usá-los para reconhecer e regular, quando você está dentro e fora de sua perfeita Você,
libertando-o da comparação, inveja e ciúme, que afectam tanto a sua saúde física e mental. Você vai aprender a ser
conscientemente ciente do que está acontecendo em seu corpo e mente, e a inclinar-se na sua própria experiência ao
invés de tentar vigorosamente mudá-lo. Você também vai encontrar um gráfico de resumo que une todos os conceitos
do Perfect You juntos em um formato facilmente acessível. Por último, a parte 4 também lhe dará uma série de
grandes exercícios, simples para ajudar a desenvolver e crescer o seu perfeito Você.

Você vai aprender ao longo deste livro como redefinir o que significa sucesso para você. Lançado a partir da
caixa sufocante de expectativas, você vai abraçar o seu verdadeiro modelo para a identidade e desenvolver um
senso claro de propósito divino em sua vida.

Sucesso verdadeiro

Devemos lembrar que o sucesso, em termos de shalom ou prosperidade bíblica, não é definida por um
conjunto de ativos, um acúmulo de poder, ou dinheiro no banco. Se isso fosse a fórmula, não haveria
cuidados para aqueles nos mais altos escalões. Em vez disso, o sucesso está vivendo o propósito de Deus
para as nossas vidas, usando o Você Perfeito ele nos deu, para transformar nossa comunidade, e ao
fazê-lo, trazendo o céu à terra (Mat. 6: 9-13). Cada um de nós vai expressar shalom de forma diferente,
porque cada um de nós pode fazer algo que alguém não pode.

Eu desafio você a cavar profundamente as verdades deste livro como uma oportunidade de encontrar o modelo de sua
identidade, o seu perfeito Você. Encontrá-lo em si mesmo. Encontrá-lo em seus filhos. Encontrá-lo em seu cônjuge.
Encontrá-lo em seus colegas de trabalho. Encontrá-lo, porque em sua perfeita Você, você também vai encontrar a verdade
das promessas de vida de Deus. Você não foram construídos para lutar. Você foram construídos para aprender a florescer
em meio aos desafios da vida. Você realmente é um conquistador de seu mundo (Rom. 8:37). Há uma série de testes de
personalidade lá fora, que são projetados para rotular você e colocá-lo em uma caixa particular. Mas há muito mais para
você do que um perfil de personalidade pode capturar. Você encarnar um projeto que não podem ser classificados: você
tem um, valor de verdade irredutível infinito. Tu es suficiente!

29
2
O Você Perfeito
Pensar, sentir, Escolhendo

A tarefa é. . . não tanto para ver o que ninguém ainda viu; mas de pensar o que ninguém ainda pensou, sobre o
que todo mundo vê.

Erwin Schrödinger, físico

The Perfect Você é uma maneira de descrever como processamos e exibem nossa singularidade, ou projeto de
identidade, através da nossa capacidade de pensar, sentir e escolher. Ele tem dois componentes principais: o
cérebro eo corpo. O cérebro é onde nós Wire in e armazenar os pensamentos que escolhemos para construir com
nossas mentes-a mente controla o cérebro. Portanto, esses pensamentos são o produto físico do pensamento,
sentimento e escolha. O corpo, por outro lado, usa esses pensamentos para expressar a perfeita Você. Este
processo é diferente para cada um de nós.

Essencialmente, o Perfeito Você é um filtro que designa como nós, como indivíduos processar informações.
Ele está no centro do nosso ser, a essência particular de quem somos, previsto em nosso espírito. Ela se
expressa através da mente ativa, ou através de como pensamos, sentimos e escolher. Ela se expressa através do
que dizemos e fazemos. Por causa da nossa Você Perfeito, não é algo que cada um de nós pode fazer que
ninguém mais pode fazer! É a maneira inimitável que refletem a imagem de Deus.

Usando a ciência, podemos tentar compreender e desvendar a estrutura do Perfect You. Temos que
considerar intencionalmente como pensamos, sentimos e escolher e como cada cérebro indivíduo está
organizado para refletir um modo particular de pensar, sentir e escolha.

A Mente Altera o Cérebro

Na ciência, podemos considerar como os impactos mente e muda o cérebro. Se o cérebro é o substrato físico
através do qual o Perfect Você trabalha, onde os nossos pensamentos são armazenados e a partir do qual
falamos e agimos, em seguida, cada cérebro humano é exclusivamente sintonizados com cada pessoa. A partir
do nível macro da estrutura de cada parte do cérebro, ao nível micro dos neurônios, para o nível subatômico, ao
nível quântico de vibrações, somos todos diferentes. Mesmo os nossos proteínas vibrar em

30
jeitos diferentes! 1 A mente está intimamente correlacionado com a estrutura do cérebro: a mente única é
expressa através do cérebro único.
Com efeito, os seus originais a certos estímulos, como filmes, alimentos, celebridades e palavras pode parecer
trivial, mas dizem muito sobre você. Pesquisadores da Universidade de Binghamton descobriram que podem identificar
pessoas diferentes de suas respostas de ondas cerebrais. 2 Da mesma forma, mesmo cada temos nossa própria
sensação única de cheiro, chamado de impressão digital olfativa. 3 Nossos pontos de vista do mundo estão refletido na
arquitetura de nossos cérebros. 4

Quando pensamos, sentimos e escolher, nossas mentes processar o conhecimento de entrada e mudar a fiação do
nosso cérebro. Então, se nós conscientemente em sintonia com a nossa capacidade de pensar, sentir e escolher,
prestando atenção aos nossos pensamentos, podemos entender nosso você perfeito, a essência de quem somos, o
nosso projeto de identidade! Para descobrir quem você é eo que você é feito para, você tem que entender como sua
mente e cérebro interagem, e você pode fazer isso através da compreensão de seu pensamento, sentimento e
escolha.

Mas o que são esses pensamentos? Essencialmente, a matéria ou substância do cérebro é realmente uma
aparência de que sua mente-o seu pensamento, sentimento e aparência choosing- como, muito parecido com uma
pintura reflete a percepção do artista. Uma pintura não é apenas um conjunto de cores em um pedaço de lona; é um
derramamento do artista Perfect You.

Em outras palavras, o seu pensamento, sentimento, e escolhendo realmente criar matéria. Suas memórias físicas
são feitas de proteínas que são expressas pelos seus genes, que são ligados ou desligados por seu pensamento.
Estes pensamentos produzem frutos: as palavras e ações que são exclusivos para você é uma construção de seu mente.
Assim, sua mente não é apenas único, mas poderoso, bem como, uma vez que tem o poder de criar realidades
(pensamentos físicas feitas de proteínas) fora de probabilidades de percepção (sinais pensando).

Portanto, não é uma surpresa que 2 Timóteo 1: 7 nos temos amor, poder e uma mente sã diz. Através
de nossas mentes cada um de nós temos nossa própria realidade eterna plantada dentro de nós (Ec. 3:11).
Fomos criados à imagem de Deus, cuja mente, o seu logotipos, criou o universo: no princípio era a Palavra
(João 1: 1). Nós temos a mente de Cristo (1 Cor. 2:16)!

Livre Arbítrio ea Você Perfeito

Como Albert Einstein disse supostamente, “Eu quero saber pensamentos de Deus; o resto são detalhes.”A
mente de Deus torna-se essencial para a compreensão do Perfect You, porque‘nele vivemos, nos movemos
e existimos’(Atos 17:28). Deus criou cada um de nós para ver a matéria e criar matéria em nosso caminho
particular. A natureza de nossa consciência, nosso você perfeito, é separado da consciência de Deus, mas é
também a partir de a consciência de Deus.

31
No entanto, há incerteza dentro desta natureza do Perfeito Você que ressalta a singularidade da nossa maneira de
pensar de forma diferente como indivíduos. Seu Perfeito Você é exclusivamente Sua; só você sabe o que você está
realmente pensando, sentindo, ou escolher a qualquer momento. Se alguém que você conhece bem, eles podem
arriscar um palpite de que você está pensando com base em como você tem agido no passado, mas eles nunca serão
completamente certo até que você diga ou faça algo. Na verdade, não só você não pode dizer o que uma pessoa está
pensando, mas você também não pode dizer o que vai acontecer a seguir.

Assim pensando, sentindo e escolhendo-o perfeito Você-é um lugar no espaço-tempo onde você
decidir fazer o que é certo ou o que é errado. Nada determina suas escolhas excepto você.

Isso não quer dizer que sempre definir as circunstâncias em que nos encontramos, é claro. Um monte de coisas
pode influenciar nossas escolhas, uma vez que nenhum de nós vive em um vácuo. No entanto, nada determina suas
escolhas, ou como você reage às circunstâncias da vida, exceto você. Você é o único responsável e pode ser
responsabilizado por como você reage ao que acontece em sua vida: seu futuro está aberto, preenchido com uma
eternidade de possíveis situações e escolhas.

Como podemos ver na física quântica, Deus criou um universo probabilístico, open-ended. Há um conjunto
infinito de possibilidades de percepção. Embora isto possa parecer complicado, que é, essencialmente, uma
outra maneira de descrever livre vontade e o poder de Dt 30:19. Podemos escolher a vida ou a morte, bênçãos
ou maldições. A física quântica, em outras palavras, é uma descrição baseada matematicamente da abertura de
espírito de escolha. Deus usa a ciência para revelar sua majestade e do dom da liberdade que ele nos deu.

Einstein também disse uma vez que Deus não joga dados com o universo. Ele era um físico clássico e
acreditava em um universo racional com leis específicas que determinaram tudo o que iria acontecer. Einstein não
gostou do conceito de um universo aberto e livre arbítrio, que ele chamou de uma ilusão. No entanto, de acordo
com a física quântica, que se parece muito como se Deus não joga dados, mas em um sentido amoroso e
generoso. Ele não nos força para amar e servi-lo. Ele projetou-nos como reflexões inteligentes, originais de sua
imagem gloriosa, livre para escolher como queremos viver nossas vidas. Ele assumiu um risco, dando-nos o
livre-arbítrio, mas o amor envolve inerentemente riscos. Como filósofo Keith Ward observa: “Se Deus quisesse
seres humanos para ser livre, não determinado, capaz de fazer suas próprias escolhas, então Deus teria que joga
dados com o universo, a fim de permitir a liberdade de existir.” 5 Dando-nos a liberdade de escolher é uma profunda
demonstração de seu amor e desejo de ter um relacionamento íntimo com a gente.

A liberdade criativa que temos dentro de nossa Você Perfeito é uma realidade poderosa, não uma ilusão. Com
nosso você Perfeito vamos construir pensamentos que se tornam realidades. Estas realidades são tremendamente
importante porque tudo está conectado, primeiro em Deus e depois no outro. Cada pensamento que pensamos
afeta todos os outros, e vice-versa. Porque tudo o que foi criado em e através de Deus, a criação está enredado.

32
E, como portadores da imagem, temos um efeito particular sobre o mundo e os outros. Nós fomos criados para
refletir a glória de Deus para o mundo e refletem os louvores da criação de volta para Deus.

O Você perfeito em um mundo complicado

A física quântica nos ajuda a entender como enredado nosso mundo é. Se um fóton passa a existir um bilhão de
anos-luz daqui, isso nos afeta, mesmo se nós não percebemos isso nos afeta. John Bell, famoso por Teorema de
Bell, formulado no CERN, em Genebra, em 1964, disse que há uma conexão quântica inseparável de cada parte
com todos os outros. Não importa quão longe na distância e no tempo, todas as partículas em um
relacionamento afetam uns aos outros: existem essas relações para além do espaço e do tempo. 6

Relacionamentos, é claro, não seria relacionamentos se fôssemos todos iguais. Nossas diferenças moldar e
melhorar nossos relacionamentos. Embora nunca poderia entender o impacto dos nossos pensamentos sobre
todos ao nosso redor, já que não podemos saber tudo, podemos ter uma noção de nossa interconexão quando um
ente querido está triste e nosso coração doer, ou se assistir ao noticiário e sentir compaixão por pessoas passando
por circunstâncias extremamente difíceis. Todos nós temos um pedaço da eternidade de Deus em nós, e
coletivamente nós representamos sua criação eterna. Ele é todo o sistema e nós somos as peças nele. Assim
como as células no corpo humano, que se originam de uma fonte, mas têm funções diferentes dependendo de
quem e onde estamos dentro de uma comunidade maior.

No entanto, o perfeito Você não é apenas relacional. Ele define os múltiplos papéis que você terá como você
passar a vida: como uma filha ou filho, pai ou mãe, amigo, amante, ou colega de trabalho. Trata-se de cumprir
uma carreira e contribuição para a sociedade. Trata-se de descobrir quem você é e porque você está vivo.

Neste contexto, vale a pena dar uma olhada em como a Organização Mundial de Saúde define a saúde
mental, que é realmente apenas outra maneira de dizer alguém está em sua perfeita Você: “A saúde mental é
definida como um estado de bem-estar em que cada indivíduo percebe o seu próprio potencial, pode lidar com as
tensões normais da vida, pode trabalhar de forma produtiva e frutífera, e é capaz de fazer uma contribuição para
sua comunidade “. 7 Podemos encontrar essa noção de bem-estar mental em 3 João 2: “Caro amigo, eu rezo para
que você possa desfrutar de boa saúde [fisicamente] e que todos podem ir bem com você, assim como sua alma
está se dando bem [espiritualmente] ”(NVI).

A doença mental é o oposto do que precede, uma vez que estão operando fora do nosso perfeitos, ou quem
realmente somos. Perdemos nosso senso de identidade e propósito, o que afeta nossa capacidade de viver nossas
vidas. Com efeito, cada vez que sair do nosso perfeitos, estamos aquém da glória de Deus. Tornamo-nos espelhos
quebrados que refletem a

33
imagem de um partido mundial já não refletir a imagem de um Deus amoroso e misericordioso.

34
3
Descobrir o potencial do nosso
Blueprint for Identity

Ele fez tudo bonito e adequado na sua vez. Ele também plantou a eternidade [um senso de propósito divino] no
coração do homem [a saudade misteriosa que nada sob o sol pode satisfazer, exceto Deus] -yet homem não pode
descobrir (compreender, compreensão) que Deus fez (Seu plano geral ) Do começo ao fim.

Eclesiastes 3:11 AMP

Cada pessoa que ele ou ela mesma entende desta forma, como uma centelha do divino, com alguma pequena parte do
poder divino, integralmente entrelaçados no processo da criação do universo psico-física, serão incentivados a participar
do processo de encanamento as potencialidades do e moldar a forma de, a realidade quântica desdobramento que é o
seu direito de primogenitura para ajudar a criar.

Henry Stapp, físico quântico e matemático

Quando reconhecemos o poder único que está em nossas mentes “encanamento as profundezas de nossa natureza
divina” vai se tornar uma manifestação de nosso senso de valor como seres humanos. Vai permitir-nos amar a nós
mesmos e, por sua vez, amar os outros como nós reconhecemos a centelha divina que neles também (Marcos 12:31).
Fundamentalmente, isso vai permitir-nos a amar o nosso Deus, como nós aprendemos a apreciar a maravilhosa imagem
do nosso Criador (vv. 30-31). Como o salmista declara, os seres humanos adoram seu Criador por ser plenamente
humano (Sl. 148). 1 Quando descobrimos como somos humanos por entender nossa singularidade, nós adoramos nosso
glorioso Criador!

Amor ou medo

Esta natureza divina se revela através do nosso Você Perfeito. Nossas mentes poderosas operam através de livre
arbítrio e são feitas de amor (Dt 30:19; 1 Cor 02:16; 13:13; 1 João 4:.. 8). Os ingredientes padrão de nossa
humanidade são alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, auto-controle, a compaixão, calma,
inspiração, emoção, esperança, antecipação, satisfação, e assim por diante (Gal. 5: 22-23). Quando estamos em
nossa “zona de amor”, como gosto de chamá-lo, operamos dentro nosso você perfeito e avançar para o estresse
positivo, o que é bom para nós, pois nos faz alerta e

35
focado; estresse tóxico tem a reação oposta, o que você vai aprender mais sobre no capítulo 8. Ele nos permite enfrentar as

circunstâncias da vida com a verdadeira esperança e alegria, para manter funcionando nossas corridas não importa o que

aconteça em nosso caminho (Phil 2:16.; 03:14).

No entanto, quando operamos lado de fora do nosso Você Perfeito vamos para a “zona medo” e experiência
de estresse tóxico. Fora desse medo flui ódio, raiva, amargura, raiva, irritação, falta de perdão, crueldade,
preocupação, auto-piedade, inveja, ciúme, obsessão, e cinismo. Desde tudo o que pensamos sobre a maioria vai
crescer, nos tornamos o que meditar, que na zona de medo pode ter consequências para a saúde perigosas
(Lucas 6:45). 2

pesquisa mostrando que o amor mentalidades são a norma e medo mentalidades são aprendidos é
revolucionário para os cientistas, mas não é novo, se você olhar para as Escrituras. 3 Em 1 João 4:18 o autor
declara que “não há nenhum medo no amor. Mas o amor perfeito expulsa o medo”(NVI). Ao longo das últimas
décadas, os cientistas têm pesquisado a anatomia e fisiologia do amor e temor direita para baixo para um nível
molecular, genética e epigenética que pode ser descrito em detalhe. Estes são dois sistemas diferentes e em
qualquer momento consciente estaremos operando em um ou outro para cada conjunto de pensamentos que
pensamos.

Uma atitude é um conjunto de pensamentos com sabor emocional, e todo o tipo de emoção tem uma das apenas
duas raízes: amor ou medo. Como é que estas atitudes obter um amor ou medo sabor? Através do nosso pensamento,
sentimento e escolhendo-o perfeito Você.
A ciência é, de fato, mostrando-nos há um “desaprender” maciça de pensamentos tóxicos negativos quando operamos
no amor. Nós podemos desaprender o medo-lo negativo não é uma parte da nossa inata funcionamento-nosso natural que
você perfeito. pesquisa neurocientífica recente demonstra que alguns dos produtos químicos o cérebro libera quando
estamos operando em nosso Perfeito Você incluem a oxitocina, que literalmente derrete os clusters negativos de
pensamento tóxicos para que religação de novos circuitos não tóxicos pode acontecer. Este produto químico também flui
quando nós confio, ligação, e chegar aos outros. Assim, a escolha de operar na natureza padrão de amor, literalmente,
pode acabar com o medo! 4

Outra química incrível chamado dopamina também trabalha com ocitocina. Ela flui como esperamos e
antecipar alguma coisa. Ele também nos coloca em alerta para facilitar a construção de novas memórias como
imaginamos ajudar alguém fazer bem em um teste ou restaurar um relacionamento, ou como nós de repente
entender algo que temos vindo a lutar com, por exemplo. Isso nos dá uma onda emocionante de energia,
excitação, confiança e motivação para seguir em frente, bem como influenciar a construção real da memória de
longo prazo. 5

A pesquisa também mostra que quando fazemos coisas boas e alcançar em amor, endorfinas e serotonina
também são liberados que nos fazem sentir bem, que detoxes nosso cérebro e aumenta a nossa motivação e
sabedoria, ajudando-nos a negociar vida com mais sucesso quando operamos no amor. Mais uma vez, temos a
situação da mente afetando importa. Antecipação faz com que uma série de respostas químicas a ocorrer no
cérebro. 6

36
Por outro lado, os cientistas têm mostrado que quando estamos em um modo de medo tóxico vamos ficar presos
em um ciclo tóxica de respostas químicas e neurológicas que influenciam as escolhas que fazemos e as reações que
colocam em movimento. 7 A menos que nós escolhemos conscientemente para vetar e substituir essas reações,
estaremos voluntariamente à mercê do ambiente, as reações de nossos corpos, e as memórias tóxicos do passado.
Nosso perfeito Você será bloqueado e nosso verdadeiro eu irá desaparecer por um tempo.

eu digo voluntariamente porque nosso poder de escolher sempre substitui biologia. Como discutido no início
deste livro, controles mente importa. Nas profundezas de nossa mente inconsciente, onde cerca de 10 27 ações por
segundo estão sendo realizadas, temos milhares de milhões de conjuntos de pensamento existentes com emoções
ligadas dando sua específica atitude “sabor”, e cada um de nós tem o nosso próprio sabor.

Os perigos do Pensamento Toxic

Isto é tão importante para entender, porque esses grupos de pensamento são referenciados, e alguns fizeram
consciente, cada vez que um novo começa pensamento para formar, ajudando nossos cérebros sentido de novas
informações. Então, quando estamos expostos a ou pensar em algo tóxico, e não são considerados grupos envolvidos
com emoções tóxicas ligados, eles vão pôr em marcha uma cascata química, o lançamento de nossas mentes e
corpos em modo de estresse tóxico.

No modo de estresse tóxico não só estamos fora do nosso Você perfeito, mas também estamos colocando em
risco a nossa saúde física. Nossos vasos sanguíneos irão contrair, reduzindo o fluxo de sangue e oxigênio para o
cérebro e, potencialmente colocando-nos em risco de problemas cardiovasculares. Além disso, mil e quatrocentos
respostas elétrica / química e quântica infinita diferentes vai derem errado em nossos cérebros e corpos porque
estamos saindo do Perfect You.

Nós vemos a consequência profunda de escolher entre o amor eo medo nas Escrituras. Deuteronômio 30:19
declara: “Este dia eu chamo os céus ea terra como testemunhas contra vós que eu pus diante de ti a vida ea
morte, a bênção ea maldição. Agora escolhe a vida, para que você e seus filhos possam viver”(NVI). Em
Eclesiastes 7:29 o autor lembra a seus leitores que “Deus criou as pessoas para ser virtuoso, mas eles têm cada
virou-se para seguir o seu próprio caminho descendente” (NLT). Temos mentes incríveis que são verdadeiramente
digno de comemoração. Devemos lembrar também, no entanto, que com este incrível poder em nossas mentes
vem a responsabilidade por como podemos usá-lo: não podemos escapar das conseqüências de nossas escolhas.

Pensar, sentir e escolher em nossa Perfeito Você são fatores primordiais e fundamentais
que moldam nossas realidades.

37
Wired for Love

Voltar na década de 1920 uma mudança no pensamento científico começou sobre os seres
humanos e nossa psique. Esta discussão acendeu uma mudança revolucionária na visão filosófica
e científica da humanidade que ainda está em curso hoje. A discussão teve lugar em Copenhaga,
na Dinamarca, principalmente entre Werner Heisenberg, Neils Bohr e Wolfgang Pauli-todos os
ganhadores do Prêmio Nobel que vieram de fundos monoteístas. Estes homens, entre outros,
começaram a desafiar o modelo clássico da física newtoniana, que dominou a ciência por mais de
três séculos. Claro, Isaac Newton foi também um teísta e disse que Deus poderia anular as leis de
movimento a qualquer hora que ele desejava. No entanto, seu trabalho foi visto ao longo dos anos
através de um filtro mecanicista e determinista que retratou a humanidade ea natureza meramente
como uma realidade física.

Normalmente informação de entrada passa por uma determinada via, uma vez que entra no cérebro,
passando através de estruturas, uma vez que está a ser processado e criativamente adicionando à nossa
base de conhecimento. pesquisa neurocientífica tem sido capaz de identificar algumas das estruturas
importantes envolvidos nesta rota, incluindo a tálamo, que age como uma estação transmissora, o amígdala, que
é como uma biblioteca segurando percepções emocionais, ea córtex cingulado, que está na parte de
avaliação consciente do cérebro. Esta rota é ativada quando a informação é recebida, avaliado, e avaliados,
e a mente decide sobre a resposta adequada e saudável do corpo.

Essencialmente, o nosso pensamento, sentimento e escolher em resposta à vida é um sinal quantum


que se move fisicamente através do substrato do cérebro, usando-o para armazenar e expressar o que
pensamos via o que dizemos e fazemos. Por exemplo, temos também uma área no cérebro chamada corpus
striatum que parece estar envolvido no reforço positivo. Este sistema com fio-de-amor foi concebido para
responder a calma, tranquilidade, e se sentir bem, cheio de auto-confiança e estima. Estes amor-sensações
positivas de sentir-se seguro e confiante ativar o striatum. Quando não se sentir seguro, ele não é ativado.

Curiosamente, o corpo estriado é também a área falsamente ativado por cocaína e outras drogas
incluindo dependência da dieta americana moderna, que pode ser mais viciante que a heroína, cocaína,
álcool, psicotrópicos e cigarros! 8 Estas substâncias viciantes fazer uma pessoa temporariamente se sentir
bem e motivar a pessoa a usar a droga ou substância viciante com mais freqüência. No entanto, esta
tentação é o desejo de esconder a dor; não é apenas porque a substância foi “sequestrado” do cérebro.
Isto significa que o escolha para superar um vício é o fator mais poderoso e eficaz para superar o
comportamento viciante. 9

Na verdade, estamos com fio para ser viciado em e consumidos por Deus (Sl 42: 2; 63:. 1; 73:25; 119: 20;
Isa. 26: 9; João 4: 13-14; 6:35; Rev . 21: 6). Deus nos criou para

38
relacionamento com ele. Nada mais irá satisfazer esta necessidade de rezar continuamente e criar um diálogo
interno constante com o Espírito Santo, para que possamos ficar viciado a ele, oferecendo-se nossas mentes e
corpos como sacrifício vivo todos os dias (Rom. 12: 2). Apesar do fascínio de produtos químicos poderosos
divulgados por nossos corpos, nunca devemos esquecer que “aquele que está em vós é maior do que aquele que
está no mundo” (1 João 4: 4). Deus nos deu a capacidade de se libertar de qualquer padrão tóxico, e isso acontece
quando estamos no Você Perfeito (Rom. 8: 37-39).

Preso no medo

Todos nós já experimentou o poder de pisar fora do nosso Perfect You, daí por amor e tapa-bang no medo. Ela
nos afeta profundamente, e nós lidar com isso de várias maneiras, com base nas escolhas que fizemos e vai
fazer. Podemos controlar o medo através da avaliação cognitiva consciente, realmente acreditando que “Deus
não nos deu um espírito de medo, mas de poder, de amor e de moderação” (2 Tim. 1: 7), ou podemos tornar-se
dominado pelos pensamentos tóxicos inconscientes que têm actualizado em hábitos ao longo do tempo, que
lançam o cérebro eo corpo em estresse tóxico. Em vez de controlar o medo, nós torná-lo pior e aumentar a
resposta ao estresse tóxico em nossos cérebros e corpos.

39
40
A última situação, concentrando-se e ruminando sobre o medo, pode trazer um estado de medo, mesmo na
ausência de um estímulo de medo real. Por exemplo, este é normalmente o que acontece no transtorno de
estresse pós-traumático (PTSD), onde a memória de um trauma pode invocar uma resposta nas pessoas que é
tão real como quando aconteceu, mesmo se o trauma ocorreu décadas atrás. As atitudes-clusters de

41
pensamentos com emoções anexado-produzir os produtos químicos para a ansiedade e preocupação mesmo que a

pessoa não está mais em circunstâncias ameaçadoras é.


Cada pensamento muda a química do cérebro, que impacta todos os 75-100 trilhões de células do corpo a
velocidades quântica. 10 O impacto é instantânea, literalmente além do espaço e do tempo. Assim, uma experiência
de estresse tóxico pode evoluir para problemas de saúde mental, se ele é constantemente ruminado sobre e não
tratados. Lembre-se, tudo o que pensamos sobre a maioria vai crescer!

Saindo do Perfect You e na doença mental

A doença mental não é apenas uma doença. É trauma e reações de pensamento incorreto habituados
que não foram tratados, onde temos em degraus do nosso Você Perfeito em resposta aos eventos e
circunstâncias de nossas vidas. 11 Isso cria caos neurológico que pode se manifestar como distúrbios da
mente, com sintomas concomitantes erroneamente denominado doenças biológicas. 12

Pensamentos sobre uma ocorrência-não necessariamente a ocorrência tóxico real tóxico


- pode desencadear uma resposta ao estresse negativo. Os pensamentos são coisas reais feitas de proteínas que
ocupam mentais imobiliário. Se preocupar todos os dias sobre o que poderia acontecer ou o que aconteceu, nós recriar o
sinal que estimula a expressão genética para construir e fortalecer esse pensamento em uma memória de longo prazo, o
que leva a um sentimento de mal-estar, resultando em um estresse tóxico repetidamente resposta, a não ser que escolher para
controlar o nosso pensamento.

42
Durante um período de cerca de três semanas, ou vinte e um dias, este mal-estar descontrolada se transforma
em preocupação. À medida que continuamos a se preocupar por dia ruminando sobre o tóxico pensamento que vai
evoluir para ansiedade ao longo dos próximos vinte e um dias e acabará por se tornar um trauma após cerca de
seis semanas. Ao longo desta progressão de preocupação à ansiedade ao trauma, haverá um sentimento
crescente de estar fora de controle no pensamento, sentimento e escolher. Esta é uma indicação de sair do
Perfeito Você e irá resultar em sintomas dos rótulos visto na Ilustração 3.3- esquizofrenia, depressão, e assim por
diante. Estes são sintomas de problemas subjacentes, e não doenças. Nunca se permita ser rotulados com um
desses sintomas. Eles são meramente descrições de suas experiências. Dê uma olhada no esquema do meu
modelo de desordem acima para ver isso mais claramente. Quanto mais energia nós damos este pensamento
tóxico, mais ela cresce, e quanto mais nos sentimos consumidos e preso por ela. Esta resposta ao estresse vai
produzir frutos tóxica (ver o amor e medo árvores nas páginas 54 e 55). Assim, esse medo tóxico é um circuito
amor distorcido, que mencionei no início deste capítulo. Fomos criados para o amor e tudo o que se passa com
ele, mas temos aprendido temer.

Recuando para o perfeito Você

Qual seria a reação correta parece? O percurso amor neurológico avalia conscientemente o cluster
pensamento tóxico e, optando por entregar a situação a Deus, não se submete ao medo. E este é o
mais forte dos dois caminhos! 13 Estamos com fio para o amor, o que significa que o amor é o nosso
modo padrão normal; ele é projetado para dominar.

Independentemente do caminho que escolhemos para reagir no passado, pensamentos tóxicos dolorosas pode ser
reconstruído, até sentimentos tóxicos tiver sido enfermagem por tanto tempo e são tão familiarizados com você acha que
eles são normais. Você pode analisá-los e religar-los por causa da neuroplasticidade do cérebro.

Por exemplo, você pode ter sido medo de matemática por anos, e, logo que você anda em uma aula de matemática,
as emoções de ansiedade e receio-se em você, resultando em uma atitude negativa. Isto irá bloquear a sua capacidade
de absorver qualquer informação durante a aula. Não reagir a ela; pensar primeiro e, se possível, colocar a atitude
negativa de volta na prateleira e dizer-se algo positivo, como, Eu não gosto de matemática, porque eu acho que eu não
sou tão bom no que faz, mas estou indo para conquistar este medo, enfrentá-lo, e fazer perguntas até que eu entendo. E
se ele não funcionar pela primeira vez (que ele não vai, uma vez que a verdadeira mudança leva tempo!), Fazê-lo
novamente e novamente e novamente. Esta é a renovação da mente em ação (Rom. 12: 2).

A ciência nos mostra que precisamos praticar o uso de algo ou estudando algo pelo menos sete vezes em
intervalos repetidos ao longo do tempo antes de que vamos ser capazes de usar as informações ou realizar a
habilidade. 14 Obtendo a nossa atitude sob controle normalmente leva cerca de 63 dias. Os quatro primeiros são os
mais difíceis, assim não dá

43
acima! Como tudo na vida, a verdadeira mudança é um processo, e os resultados são bem vale o esforço.
Eventualmente, você será capaz de usar este circuito amor incrível do cérebro para equilibrar a sua razão e
emoções. Quando você faz isso, você deram um salto gigantesco na direção de trazer todos os seus
pensamentos em cativeiro (2 Cor. 10: 5) (. Romanos 12: 2) e renovar sua mente.

Aprender a Escolha suas emoções

Como eu disse anteriormente, existem apenas dois tipos de emoção, amor e temor-e todas as outras emoções
derivam dos mesmos, cada um derivado formando “assinatura”. Sua própria química Ou seja, cada pensamento
tem a sua própria assinatura química. O resultado é que o seu pensamento, literalmente, torna-se sentir com
uma reação química resultante em seu cérebro e corpo. O problema de sair do amor e da sua perfeita Você
começa quando seus pensamentos e emoções tornam-se desequilibrado e tóxico. Se sentimentos dominam,
uma corrida neuroquímicos pode começar a distorcer-los na direção do medo, o que pode resultar em estresse.
Emoções fora de controle irá bloquear completamente a sua capacidade de pensar sobre as coisas. Enviá-los
provoca caos químico no cérebro e torna a sua mente nebulosa. Você perde a concentração e vai ter dificuldade
para ouvir qualquer coisa que alguém está tentando dizer para você.

Pode parecer assustador para tentar capturar todos os seus pensamentos e controlar suas emoções. No entanto,
quando você entender como você pode cientificamente escolher o que se torna parte de quem você realmente é (seu
perfeito You), você também vai entender que você tem uma incrível capacidade de mudar. Todos nós temos a
oportunidade de escolher a andar na Perfeito Você Deus nos deu, apesar das nossas circunstâncias.

Tome um momento para pensar em um momento em que você deixe que suas emoções ficam fora de controle e tentar

lembrar como você se sentiu quando isso aconteceu. Temem combustíveis essas emoções distorcidas e apaga qualquer

controle decente do lobo frontal do cérebro

- a menos que você fazer a escolha para parar e trazer equilíbrio de volta. Passando por vida em uma
montanha russa emocional é um desastre Perfeito Você, mas você não é obrigado a andar. Você pode escolher!

O Genoma ea Você Perfeito

A pesquisa sobre o aspecto regulatório do genoma humano, a 97 por cento, juntamente com dicas de pesquisa
epigenéticas no poder da vida pensado para causar mudanças em nossos cérebros e corpos. 15 A ciência
emergente da epigenética está começando a brilhar uma luz sobre como a saúde mental e física estão ao nosso
alcance. Esta ciência contradiz a crença dominante, mecanicista que os seres humanos são máquinas
biológicas. 16 Epigenética destaca nossa capacidade de responder ao nosso ambiente, que inclui tudo, desde o
que nós pensamos que o que nós geralmente entendem

44
pela exposição ambiental. 17 Pensamentos e emoções ao lado de exposição à luz solar, exercício, comida e tudo o
que escolher para colocar em e em nossos corpos-diretamente afetar a expressão de DNA. 18 Um crescente corpo de
pesquisa está destacando como esses padrões de metilação e acetilação mudar em resposta a pensando e escolhas
de estilo de vida. 19 Pensando pensamentos tóxicos podem mudar a expressão do gene, assim como certas dietas ou
a exposição a produtos químicos e poluentes também pode resultar em alterações que afetam nossos genes.

Mais de 97 por cento do nosso genoma está cumprindo as funções vitais de forma regulamentar. Ele controla
especificamente o ligar e desligar de genes. É uma linguagem, operando como um interruptor genético que
controla os outros 3 por cento. Assim, o nosso DNA é projetado para reagir à linguagem dos nossos pensamentos
e palavras resultantes, bem como os sinais biológicos. 20 Nós somos feitos à imagem de um Deus poderoso que
trouxe a Terra à existência com suas palavras (Gn 1: 3, 6, 9; 1 João 1: 1), e nós temos esse poder de palavras e
linguagem investiram em nós ( Eccles 7:29; 2 Tm 1:.. 7). Em João 1: 1, Palavra em grego é logotipos, ou
inteligibilidade / razão / inteligência, por isso, quando operamos em nossa natureza-nossa imagem-bearing Perfeito
You-se ativar este poder “Palavra”, com nosso pensamento, sentimento e escolher e nós impactar a linguagem
regulamentar do nosso DNA. Por sua vez, o nosso Você Perfeito ativa nosso DNA e mudança estrutural ocorre no
cérebro: esta é a inteligência e sabedoria.

Logicamente, o inverso também é verdadeiro. Saindo do nosso você Perfeito ainda ativa a linguagem
regulamentar do nosso DNA, mas porque o sinal das palavras é tóxico, indo contra a nossa natureza com
imagem, isso afeta como as proteínas realmente dobrar. Um pensamento tóxico, que é o oposto da
sabedoria, nasce. Isto tem um efeito perturbador e prejudicial no cérebro. Como líder físico quântico Henry
Stapp diz:

As escolhas livres feitas pelos jogadores humanos pode ser visto como versões em miniatura das escolhas que parecem ser
necessários para a criação do universo. A teoria quântica abre as portas para, de fato, exige, a realização destas últimas
escolhas livres. Esta situação é concordante com a idéia de um Deus poderoso que cria o universo e suas leis para iniciar as
coisas, mas depois lega parte deste poder para seres criados à sua imagem, pelo menos no que diz respeito ao seu poder de
tomar decisões fisicamente eficazes com base em razões e avaliações. 21

Nossos esforços conscientes vai, portanto, têm a capacidade de influenciar as acções dos nossos cérebros e corpos
por causa do poder divinamente investido em nosso projeto. Nosso livre arbítrio, estas escolhas do nosso perfeitos, está
enraizada e fundamentada em sentimentos de estima e valor que importa eo que pensamos assuntos. E o que nós
pensamos, sentimos e escolher mudanças importa. Temos um papel a desempenhar como parte da criação de Deus que

impactos Criação de Deus. Isto é o que significa mordomia bíblica, e é uma responsabilidade que
precisa levar muito a sério. 22

A Conexão Mente-Cérebro

45
o chamado de Jesus para nós para ser a “luz do mundo” é particularmente notável (Mat. 5:14). A luz é uma onda
não-física composta por pacotes de energia chamados quanta, também conhecido como fotões. Esta é a energia, a
energia de Deus, em nosso DNA 23 que foi feito em realidade para nós no início da criação e na obra da cruz-lo é “a
prova das coisas que se não vêem” (Heb. 11: 1). Desde que Deus criou o espaço eo tempo, ele está além do espaço
e do tempo, de modo que tudo o que precisamos como seres humanos tem sido, é e será fornecido para nós. Nós,
através do poder de Deus nos deu inteligência, acessar o que Deus providenciou para nós através das escolhas que
fazemos como usamos a nossa Perfeito Você.

Na ciência e na vida, Deus inspira e laboriosa investigar e explorar a mistura correta dos “ingredientes”
para refletir suas ideias gloriosas. Por exemplo, Deus através do Espírito Santo vai lançar uma inspiração
divina, uma solicitação espiritual, em alguém para iniciar um processo de exploração, usando o seu
intelecto, do Perfect You. Isso leva à descoberta de como as coisas da natureza e do homem

- criação, a obra de Deus. criação de Deus é uma “estrutura informacional global” literal que representa as
tendências para o setor com fio-de-amor de ocorrer eventos, e em que a escolha de qual potencialidade vai
ser realizado em vários lugares nas mãos de agentes humanos. Isso é chamado de “estado quântico do
universo.” 24

Quando operamos no amor, os nossos cérebros respondem na forma como eles são projetados para
responder. Com base nas informações que recebemos de tecnologia cérebro (que, é preciso ter em mente, é
limitada), podemos ver que áreas do corpo estriado será ativado mais do que outras áreas,
neurotransmissores e peptídeos e hormônios será secretado, e nós vai se sentir bem e ser capaz de se
alegrar, apesar das circunstâncias e, como diz James, “Considerá-lo totalmente alegre, meus irmãos, sempre
que você está envolto em ou ensaios de encontro, de qualquer tipo ou cair em várias tentações” (Tiago 1: 2
AMP -CE). O substrato do cérebro responde fisicamente para a ação da mente, que incorpora o intelecto,
vontade e emoções. Mente está mudando a matéria através do livre arbítrio do Perfect You.

Outro exemplo desta conexão mente-cérebro é a assinatura química de emoções entrelaçadas em


pensamentos. Toda vez que nós pensamos, nós liberam substâncias químicas em resposta que produzem
sentimentos e reações no organismo. Aglomerados de energia electromagnética e quântico em relevo em
proteínas formam pensamentos com mensageiros químicos ligados, que formam o substrato da nossa
memória. Por sua vez, estes formam coletivamente atitudes. Expressamos nossa atitudes-amor ou Medo
através do nosso Perfeito Você via o que dizemos e fazemos. Então, quando nós adicionamos amor ou medo
de emoções para um cluster pensamento e dar-lhe um sabor único, então torna-se uma atitude. Uma atitude
má é a prova de que não estão operando em nosso você perfeito. Uma boa atitude é a prova de que estamos
operando em nosso você perfeito. Estes filtros atitude quer distorçam ou melhorar o processo de pensamento,

Se você tem um pensamento medo tóxico enquanto estiver a processar a informação em sua própria maneira original,

você tem que empurrar essa informação através dos pensamentos tóxicos

46
(Atitude tóxico) em seu cérebro. pensamentos tóxicos e seu tangível atitude ruim bloquear o Perfect You.
Por sua vez, operando fora do Perfect You, que essencialmente significa que operam fora do amor, inibe a
sua capacidade de pensar e operar em sabedoria e inibe a sua saúde geral em mente e do corpo.

Atitudes refletem o núcleo de como você está gastando seu tempo pensando, sentindo e escolhendo. Eles
refletem o seu desenvolvimento espiritual e que você está fazendo com o seu poder, amor e mente sã de uma
forma causal. Porque atitudes não pode ser escondida durante um longo período de tempo, superando blocos
para o seu perfeito Você é imperativo para andar em seu projeto com imagem do Perfect You.

Amor é mais forte do que o medo

O medo pode ser poderoso se nós dar-lhe energia através de nosso modo de pensar, sentir e escolher, mas é
importante lembrar que o amor é muito mais poderoso e nossos cérebros foram feitos para operar no amor. Cada um
de nós tem o nosso próprio equilíbrio químico elétrica onde nos sentimos em paz. É quase como uma taxa em
marcha lenta perfeito que é executado no amor atitude-Este é o perfeito Você. Precisamos buscar constantemente
após esta paz, lembrando que não podemos controlar nossas circunstâncias (vida e as pessoas), mas podemos
escolher para controlar nossa reação (atitude) a essas circunstâncias.

Uma atitude de amor é interrompido cada vez que criar um novo pensamento tóxico ou ativar um
pensamento tóxico existente (a atitude medo, que está saindo do Perfect You). Qualquer interrupção no
corpo e quantum regular e consistente da mente e química elétrica equilíbrio entre amor atitude-resultará em
desconforto e vamos consciente e inconscientemente tentar restaurar o equilíbrio. É importante que
aprendamos a identificar essa zona de desconforto, que discutirei mais no capítulo 8, uma vez que é uma
ativação mental consciente e inconsciente de uma atitude.

Se você continuar a concentrar-se no medo, você vai continuar a bloquear o seu perfeito Você e nunca vai
realmente sentir como “você”. Seu cérebro e corpo vai responder às suas escolhas e distorcer o circuito de amor no
circuito do medo. No entanto, mesmo que o medo é poderoso, que opera no amor é ainda mais poderoso. Você pode
escolher. Mesmo que você pode não ser capaz de determinar as suas circunstâncias, você tem a opção de operar no
amor ou medo dentro daquelas circunstâncias.

Filipenses 2: 5 nos diz para “ter a mesma atitude que Cristo Jesus tinha” (NLT). Uma vez que Deus é amor, este é o

nosso fio-de-amor de design (1 João 4: 8). Isso pode parecer impossível de fazer quando estamos operando no medo; é

impossível porque não podemos operar em ambos amor e medo ao mesmo tempo (Mt 6:24;. Lucas 16:13). . No entanto,

quando nós procuramos o amor acima de todas as coisas, como Paulo nos diz, nós podemos manter um olho em todos os

nossos pensamentos e optar por renovar as nossas mentes com a ajuda do Espírito Santo (Rm 12: 2; 1 Cor 13: 4. 13; 2 Co

10: 5).. Quando começamos a reconhecer como poderoso nossas escolhas originais são, não só para nós mas também

para o mundo que nos rodeia,

47
nós realmente começar a entender a responsabilidade que temos para agir em nosso estado amor com fio de para-.

Há algo que você pode fazer que ninguém mais pode fazer, eo mundo precisa de você para fazê-lo!
Esta interligação destaca nossa humanidade; ressalta a nossa responsabilidade e sentido de pertença e
reduz sentimentos de impotência, vergonha e isolamento. Você, com o seu maravilhoso perfeito você, importam
e mudar a matéria.

48
49
4
A filosofia do Perfect You

A característica essencial do dualista-interacionismo é que a mente eo cérebro são entidades independentes. . . e que
eles interagem pela física quântica.

John Eccles, ganhador do Nobel

Dualismo ajuda a preservar o livre arbítrio. Nós determinamos nossas ações à luz de razões e desejos, intuímos e nada
qualquer neurocientista produziu mostra que é diferente. probabilidades quânticas mostram coisas não podem ser
pré-determinado. Indeterminismo é compatível com a singularidade do homem.

Richard Swinburne, filósofo

Antes de discutir a ciência por trás do Perfect You, vou explicar brevemente a minha posição filosófica
sobre a conexão mente-cérebro, o que sustenta a maneira que eu tenho abordado o estilo único em que
todos nós pensar, falar e agir.

Mente vem em primeiro lugar

Desde o advento da física quântica e a busca pelas origens do mundo natural de espaço e tempo no final do
século XIX, a face da ciência mudou. Importam tornou-se uma palavra complicada, ilusória e difícil de definir.
Werner Heisenberg, um dos principais pioneiros na formulação original da teoria quântica no início do século
XX, disse que as partículas elementares, como átomos de formar um mundo de possibilidades puros; eles
não são “coisas” per se. O físico John Wheeler, um laureado com o Prêmio Nobel, disse que nenhum
fenômeno elementar (ou seja, átomos, elétrons e todas as outras partículas que aprendemos sobre para trás
na escola) é real, a menos que seja observado. 1 Como Inglês filósofo Keith Ward observa, eles são apenas
“possibilidades de percepção.” 2

Mente ou consciência, portanto, vem em primeiro lugar: esta é uma das características essenciais de
um idealista abordagem ao universo. O todo da realidade, disse Prêmio Nobel Eugene Wigner, é uma
construção do mente. A mente não evoluíram fora da matéria física do cérebro. No princípio era a
Palavra, ou logos ( João 1: 1-5). Logos é a consciência; é definido por inteligibilidade, racionalidade e

pensamento. Deus, como a consciência, estava diante do universo. Sua mente, suas palavras,

50
criou tudo e sustenta tudo (Gn 1-2; John 1; Atos 17:28). O mundo consciente domina, mas é
intrínseco a, o mundo físico. Este é o encontro do céu e da terra (Mat. 6: 9-13).

idealismo filosófico é a chave para a compreensão de como os perfeita que você funciona como uma forma
distinta de pensar, sentir e escolha. O mundo real é um mundo puro, ou um mundo matemático conhecido
apenas pela mente de cada indivíduo. A matéria vem da mente, não importa a partir de matéria. Sua realidade
é construída por sua mente, a coleção de pensamentos e memórias que são inteiramente sua como um
indivíduo, que é um reflexo da fonte de toda a realidade: a mente de Deus (1 Co 2:16.).

Então, o que é real? Os conteúdos da consciência, ou da mente. “Deus está sempre procurando”, disse o
bispo anglicano George Berkeley. Essencialmente, “se não houvesse um Deus não haveria nada.” 3 Deus é a
fonte de toda a consciência; ele é a verdade (João 14: 6); ele é a consciência suprema. Como João exclama
no início do seu Evangelho: “Deus criou tudo por meio dele. . . . A Palavra deu vida a tudo o que foi criado, e
sua vida trouxe luz para todos. A luz resplandece nas trevas, e as trevas não podem extingui-lo”(1: 3-5 NLT).
Nós somos feitos à sua imagem (Gn 1:27). O poder criativo de suporte de imagem de Deus está em nós: “nós
temos a mente de Cristo” (1 Cor 2:16.). Precisamos desenvolver a mesma mentalidade como Cristo para que
possamos criar realidades que estão em alinhamento com o plano de Deus para trazer o céu para a terra.

Aplicação do idealismo

Como percebemos exclusivamente, por isso criamos realidades únicas. Como usamos a mente sã Deus nos
deu (2 Tim. 1: 7), pensamos, nós escolhemos e criamos. Isto significa que a maneira de perceber, pensar e
sentir sobre o que alguém acabou de dizer a você está indo para criar a sua resposta única. Talvez você sorri,
talvez você concorda, ou talvez você não entendeu o que eles estão dizendo e ficar irritado.

Essencialmente, você responde exclusivamente através da selecção de uma série de possibilidades, e sua
resposta cria uma realidade: o sorriso, o acordo, o argumento, ou no entanto você optar por responder. Como
Lao Tzu disse, supostamente, “Cuidado com seus pensamentos; eles se tornam palavras. Cuidado com as
palavras; eles se tornam ações. Observe as suas ações; eles se tornam hábitos. Assista seus hábitos; eles se
tornam caráter. Assista seu caráter; torna-se o seu destino.”Criamos destinos com nossas escolhas!

Nossas mentes são forças criativas a ser reconhecida e devem ser utilizados da melhor maneira possível, e é por isso

que temos que observar constantemente os nossos pensamentos e certifique-se que usamos nosso poder ostentando a

imagem de maneira positiva. Precisamos refletir a imagem de um Deus amoroso, não uma ordem mundial machucando.

Quando entramos em nosso você perfeito, este é exatamente o que fazemos. Quando saímos do nosso perfeitos,

51
no entanto, não vai usar a força criativa de nossas mentes para o reino de Deus, e tanto a nossa saúde
ea saúde daqueles que nos rodeiam vai sofrer.

Materialismo

idealismo filosófico está em contraste com o materialismo. O materialismo domina as ciências, incluindo a
neurociência, hoje. Em essência, uma visão de mundo materialista afirma que a mente vem da matéria: o
aspecto físico ou material de pensamento é tudo o que conta. Como JC Eccles observa:

O mundo físico compreende todo o cosmos de matéria e energia, toda a biologia, incluindo os cérebros humanos, e todos os artefatos que o
homem tem feito para a codificação de informações, como por exemplo, o papel ea tinta de livros ou a base material de obras de
arte-presente é o mundo total dos materialistas. Eles reconhecem nada mais. Tudo o mais é fantasia. 4

Assim, de acordo com o materialismo, você é fundamentalmente o que o cérebro faz. A construção global
do materialismo é que a matéria é a primeira causa, e a matéria por si só é suficiente para gerar o que
chamamos de mente ou a atividade mental de pensar, sentir e escolha. Uma das principais teorias
materialistas da mente, conhecido como “teoria da identidade”, argumenta que os estados mentais são
idênticos aos estados eletroquímicos do cérebro, e “tudo o mais é fantasia.” O cérebro é um computador
complexo super em que processos materiais no córtex cerebral de alguma forma

gerar pensamentos e sentimentos. monismo materialista também é determinística (isto é, ele coloca
muita ênfase na causa e efeito), mecanicista (por exemplo, o mundo físico atua como bolas de bilhar
batendo um no outro), e reducionista (todo o contexto é reduzido às suas partes ).

Em um universo inteiramente materialista, tudo o que nos torna humanos é simplesmente um artefato de
neurônios disparando e reações químicas. reducionismo físico explica assim as complexidades da humanidade,
como pensamos exclusivamente, sentir e escolher
- em termos dos componentes físicos do cérebro. Esta maneira de abordar a atividade mental pode ser
perigoso: quando fazemos escolhas erradas, são simplesmente vítimas de nossa biologia, sem
responsabilidade por nossos pensamentos, emoções, escolhas, ou ações? E que tipo de desafio faz esta
maneira de pensar posar para a cosmovisão bíblica, com sua ênfase em escolhas que levam a vida ou a
morte (Deut. 30:19)?

Adicionado ao pensamento materialista são as teorias behavioristas do século XIX, uma forma de
materialismo determinista clássica, que propôs que o comportamento poderia ser examinado na base de que o
livre-arbítrio era seres ilusórios e humanos poderia ser condicionado como animais. Esta maneira de pensar
culminou em meados da década de 1990 com o advento da tecnologia, tais como cérebro MRI, fMRI, PET e
SPECT-que permitiu que muitos neurocientistas para “mais precisão” mapa da mente e da experiência da
consciência no cérebro. Esta foi a “evidência” muitos materialistas utilizados, e ainda usar, para argumentar
que o cérebro produz-mente no que

52
muitas palavras, que a física produz pensamento, sentimento e escolha. Todos nós já vimos esses artigos de jornal
intitulado “Este é seu cérebro em. . .”, Seguido de exames coloridos, alegando que‘o cérebro me fez fazer isso’. 5 Como
mencionado acima, este padrão de pensamento pode ter graves repercussões. Não assassinos matar pessoas por
causa de uma falha de ignição de neurônios? podemos até chamá-los de assassinos? Onde é que a escolha humana
se encaixa?

Em muitos aspectos, este é um “ovo ou a galinha” pergunta. Nós não podemos usar métodos científicos
tradicionais para provar o cérebro produz a mente, já que não podemos medir a mente como podemos medir um
objeto físico em um laboratório. Quem pode dizer que a mente não produziu atividade vemos em um exame? Da
mesma forma, muitos estudos indicam que os pensamentos e sentimentos podem impactar realidades físicas.
Perceber eventos negativamente tem sido associada a uma diminuição de 43 por cento na saúde ao longo dos
próximos doze meses, por exemplo, enquanto o estresse crônico aumenta a propagação do câncer através do
sistema linfático. 6 O que pensamos e como escolhemos reagir assuntos e pode impactar nossa realidade.

More Than Neurônios

Como imagem-portadores de Deus, com a responsabilidade de criação steward, somos muito mais do que o
disparo de nossos neurônios. Como professor e filósofo de Oxford Richard Swinburne observa:

Nossas vidas mentais não podem ser capturadas em termos puramente físicos. Neuroscience adiciona mais bits de informação, por
exemplo, o mecanismo que a falta de alimentos provoca um desejo de comer, mas neurociência nunca mostrou nem irá mostrar a escolha
da pessoa a agir sobre os desejos, para escolher se quer fazer o bem ou o mal. 7

Certamente, o que escolhemos é refletida na atividade do nosso cérebro. Mas o que nós escolhemos não pode
ser reduzida à actividade dos nossos cérebros. A Bíblia, desde Adão e Eva no Gênesis ao livro do Apocalipse de
João, enfatiza constantemente o fato de que nossas escolhas são poderosos e podem levar a vida ou a morte. Ser
humano significa aceitar essa responsabilidade.

Quando nos aproximamos de ciência com uma mentalidade que reduz todo o contexto de vida aos
objetos materiais, como átomos e neurônios, haverá consequências. Deus nos criou como seres trinos
com uma mente, espírito e corpo (1 Ts. 5:23). Toda criou a ordem decorre do Word ( logos) -consciousness
ou a mente de Deus-não um átomo de material ou de partículas (John 1: 1-5). Quando nos separar esses
elementos e se concentrar apenas no cérebro ou corpo físico, vamos contra o tecido natural do universo e
isso pode ter repercussões negativas.

Talvez não seja surpreendente que, independentemente dos muitos avanços médicos e científicos
surpreendentes que surgiram na era moderna, os dados federais a partir de 2016 mostra que a taxa de morte nos
Estados Unidos subiram em 2015 pela primeira vez em décadas. De acordo com Robert Anderson, chefe de
estatísticas de mortalidade no

53
Centro Nacional para Estatísticas de Saúde, “É um aumento na mortalidade que normalmente não acontece, por
isso é significativo. O que isso significa? Precisamos de mais dados para saber mas se começar a olhar para
2016, e vemos outro aumento, vamos ser muito mais preocupado.” 8 O corpo humano é mais do que suas partes
materiais, e precisamos levar isso em consideração quando pensamos em “saúde” e “bem-estar”.

Isto é particularmente necessário no campo da saúde mental. Hoje, é comum “medicalize miséria.” 9 Ao invés de
focar no contexto da vida de um indivíduo, tal pobreza, o desemprego, ou a falta de propósito, muitos psiquiatras
se concentrar em uma causa biológica, como a suposta “equilíbrio químico.” Ao enfatizar que o problema está
dentro da biologia de um indivíduo, nós estão menos inclinados a olhar para as suas experiências e o contexto
social de por que eles estão sentindo a forma como eles se sentem. Nós olhamos para as partes biológicas ao
invés de exploração econômica, violência ou estruturas políticas ineptas. Crianças em um orfanato são informados
de que têm cérebros com defeito e dadas as substâncias que alteram a mente. A criança que se move muito em
sala de aula é forçado a tomar medicamentos que alteram a mente que é tão viciante como a cocaína, a longo
prazo, e nós não questionam se os sistemas de ensino que temos no lugar são adequados para a expressão
diversa da humanidade.

Temos que começar a fazer perguntas difíceis. Está sendo contada você é uma máquina defeituosa, um autômato
biológico quebrado, vai ajudar a trazer a paz, a liberdade ea cura? Você está alheio à equação porque seu cérebro está
produzindo todos os seus comportamentos? Você não é capaz de ter uma relação decente porque uma varredura mostra
que você tem um cérebro ADHD ou um fMRI mostra que você tem a esquizofrenia? Você está condenado a tomar que
alteram a mente, remédios prejudicial ao cérebro para o resto de sua vida, muitas vezes com efeitos colaterais
perturbadores?

Materialistas, muitas vezes ver imagens do cérebro como descrições completas da mente. teorias ainda
materialistas de como massa cinzenta gera consciência são desafiados quando um homem plenamente
consciente é encontrado para estar faltando mais de seu cérebro! “Qualquer teoria da consciência tem de ser
capaz de explicar por que uma pessoa assim, que está faltando 90% de seus neurônios, ainda exibe um
comportamento normal”, diz Axel Cleeremans. 10 A teoria da consciência ou a mente que depende de
“características neuroanatômicas específicas” (ou seja, a constituição física do cérebro) teria dificuldade em
explicar tais casos. Onde é que a mente vem? Nem pode Materialismo e tecnologia cérebro explicar a natureza
distinta de nossos pensamentos, sentimentos e escolhas.

Interativa-dualismo

Materialismo, no entanto, não é a única maneira de abordar a ciência / neurociência ou a questão da consciência. A
crença de que a mente eo cérebro são separados ainda influenciam uns aos outros é chamado dualismo, que foi
proposto pela primeira vez por René

54
Descartes no século XVII. Essencialmente, o dualismo argumenta que há um mundo mental,
além do mundo físico, e os dois interagem.
Ao longo de várias décadas, em parte em colaboração com Sir Karl Popper, laureado Noble Sir John
Eccles usado dualismo como base para desenvolver sua teoria alternativa da mente, conhecido como
dualista-interacionismo ou interativa-dualismo. De acordo com Eccles:

O mistério humano é incrivelmente humilhada pelo reducionismo científico, com sua pretensão no materialismo promissória para dar conta,
eventualmente, para todo o mundo espiritual em termos de padrões de atividade neuronal. Esta crença deve ser classificado como uma
superstição. . . temos de reconhecer que somos seres espirituais com almas existentes em um mundo espiritual, bem como seres materiais
com corpos e cérebros existentes num mundo material. 11

No entanto interativa-dualismo tornou-se fora de moda com muitas pessoas que preferem o monismo e teoria da
identidade, que andam de mãos dadas com o materialismo. ênfase total da materialismo na física talvez não seja
surpreendente, uma vez que o enigma da interação mente-cérebro tem implicações desafiadoras para o papel da
consciência humana, a nossa capacidade de pensar, sentir e escolher. Como Keith Ward observa, o dualismo
provoca uma exploração real das coisas mais profundas da ciência, que apontam de volta para Deus e para assumir
a responsabilidade por aquilo que pensamos, sentimos e escolher, não necessariamente materialistas algo ou ateus
como muito. 12

Materialismo, infelizmente, dominou o pensamento científico e filosófico por muitos anos. Até hoje
ele ainda tem o poder de gerar discussões explosivas entre cientistas, filósofos e leigos com
particulares pontos de vista e agendas. Como Keith Ward observa, os “novos” ateus como Richard
Dawkins, Sam Harris e Daniel Dennett defendem esse ponto de vista materialista para tentar provar
que somos robôs biológicos e que Deus não existe. “Os novos ateus”, diz Ward “, tem uma
interpretação peculiar da ciência que já é absoluta. A maioria dos filósofos que afirmam que a
ciência é ateu não são físicos ou matemáticos, mas eles são zoólogos e biólogos e não lidar com o
estado final da matéria, que os físicos fazem.” 13 Na verdade, Ward continua a apontar,

Ciência, longe de ter um compromisso com o materialismo, realmente prejudica o materialismo de forma abrangente. Darwin disse que
não era um ateu em sua autobiografia, ele era mais um teísta ou agnóstico mas pessoas como Dawkins disse uma visão darwiniana
elimina a Deus porque as coisas acontecem por acaso e as leis da natureza e é tudo aleatório. A visão newtoniana de leis da
natureza-mesmo que Newton era um devoto crente-deu origem a uma visão de mundo que o mundo é mecanicista e Deus só tenho ele
vai, mas isso não é o que o próprio Newton pensava. Assim, as ciências têm dado origem a um novo tipo de pensamento materialista,
mas, felizmente, o materialismo é destruído pela Física Quântica. 14

Cada um de nós, pensar, sentir e escolher com nossas mentes. Neurociência e física clássica só descrever
o resposta física do cérebro para a ação mente-em-, a mente sendo a primeira causa. O cérebro é o
substrato através do qual a mente trabalha-reflete a ação da mente. A mente controla o cérebro; o
cérebro não controla a mente.

55
A física quântica, com a sua análise da ciência além dos paradigmas tradicionais de espaço e tempo,
aponta diretamente para a crença de que o universo tem uma mente criativa por trás dele (consciência), e,
portanto, um propósito criativo. 15

Ou seja, as escolhas livres feitas pelos jogadores humanos pode ser visto como versões em miniatura das escolhas que
parecem ser necessários para a criação do universo. A teoria quântica abre a porta para, de fato, exige, a fabricação
dessas escolhas livres posteriores. Esta situação é concordante com a idéia de um Deus poderoso que cria o universo e
suas leis para iniciar as coisas, mas depois lega parte deste poder para seres criados à sua imagem, pelo menos no que
diz respeito ao seu poder de tomar decisões fisicamente eficazes com base em razões e avaliações. Eu não vejo
nenhuma maneira para que a ciência contemporânea para refutar, ou até mesmo tornar altamente improvável, essa
interpretação religiosa da teoria quântica, ou fornecem fortes evidências em apoio a uma imagem alternativa da natureza
dessas “escolhas livres. 16

Esta compreensão da consciência apóia a dignidade única da personalidade humana encontrada na


Bíblia: estamos mentes infinitas feitos à imagem de um Deus infinito (Gn 1:27). cada temos a
eternidade plantada dentro de nós (Ec. 3:11).

Eu fui abençoado para observar, e ainda observar, o poder criativo único da mente humana. Minha pesquisa
e experiência de trabalho clínico com pessoas com deficiência de linguagem e de aprendizagem ou problemas
emocionais, bem como TBI, autismo, acidente vascular cerebral, e vítimas de DCV, em parceria com os muitos
estudos derramamento do mundo científico e, mais importante de tudo, o que as escrituras digamos, todos me
dizem que somos certamente os robôs não biológicos ou acidentes de processos científicos aleatórios, não
guiados. Eu tenho visto pessoas com cérebros feridos ir para obter vários graus e fazer avanços em seus
campos de estudo. Eu tenho visto pessoas se recuperar dos piores tipos de trauma e ir para transformar suas
comunidades. Nós não somos, como Richard Dawkins nos querem fazer crer, apenas dançando ao som de
nosso DNA. 17 A mente está impregnada com um design único e poderoso que se origina na mente de Deus, o
que eu chamo o Perfect You. Estamos suas obras-primas, projetado para refletir a sua glória no mundo. Fomos
criados para trazer o céu para a terra.

56
5
The Science of the Perfect Você

Na teoria quântica, a experiência é a realidade essencial, ea matéria é visto como uma representação da realidade primária,
que é a experiência.

Henry Stapp

Você é especial. Embora isso possa soar como um clichê bobo, em demasia, não é menos verdade. Você é único.
Você tem uma maneira particular de pensar, sentir e escolher que age como um filtro através do qual você
experimentar a realidade. Este é o seu fluxo de consciência individual. Ela molda a visão de mundo que você
constrói em sua mente, que por sua vez molda o seu futuro pensamentos, sentimentos, palavras e
comportamento.

Se esse filtro estiver quebrado, sua percepção da realidade pode tornar-se distorcida. Se você é amargo ou têm
baixa auto-estima, por exemplo, a sua visão de mundo podem tornar-se nublado pelo pensamento tóxico, que por sua
vez molda a sua mentalidade e ações. Da mesma forma, se você tentar fazer um filtro diferente caber a maneira que
você está concebido, isto é, se você tentar ser como outra pessoa, a sua visão de mundo torna-se distorcida, que
afeta sua saúde física e mental.

É essencial conhecer e compreender o seu design único. Ele permite que você faça as escolhas certas,
momento a momento e dia a dia. Suas escolhas moldar o seu cérebro e, assim, forma a sua realidade. Você
pode usar sua forma única de filtragem para desbloquear e desenvolver o seu perfeito você, moldar o seu
cérebro e realidade para se alinhar com o seu “tipo você.” Esta é a sua, estilo de pensamento padrão natural, o
que lhe permite lidar com as circunstâncias da vida.

Perfeito You “do tipo que você” pensando resulta em aumento da clareza de pensamento, clareza de
visão, processamento intelectual e equilíbrio emocional. Ela produz uma mentalidade que é capaz de
examinar todos os fatores e as perspectivas relacionadas ao pensamento, sentimento e escolha. É a
chave para entender sua psique, sua personalidade, e a singularidade de suas ações e reações. Ela ativa
a sua consciência de coisas que você deseja alcançar, que é o seu sentido divino de propósito e, assim,
os meios e coragem para alcançá-los.

Neurologicamente, ele ativa / circuito aprender a recompensa pensamento no cérebro. Operando em seu
perfeito Você essencialmente permite enfrentar os desafios da vida

57
e regozijar-se, apesar das circunstâncias (Tiago 1: 2-4). Em contraste, se você não considerar o seu perfeito
Você como você atravessa seu dia, sua forma única de pensamento pode ser umedecido, diminuindo os
recursos que você tem que lidar com “coisas” que vão desde pressões normais do dia-a-dia a extrema
situações de trauma. Posteriormente, suas percepções e gestão de situações particulares podem tornar-se
distorcida, potencialmente levando à supressão da dor que se seguiu por meios incorretos, como drogas,
comida, sexo e assim por diante.

Se o seu perfeito Você é repetidamente distorcido ou suprimido, a habituação ocorre e os padrões de reações
tóxicas são criados. Estes padrões de pensamento tóxicos criar desordem na mente e no caos neurológico e
neurodegenerativas no cérebro. A mente eo cérebro não conseguem se comunicar corretamente, o que resulta em
reduzidas estratégias cognitivas e de enfrentamento. pensamento tóxico é essencialmente um obstáculo na Perfeito
Você. Se estes padrões de pensamentos negativos não são controlados, eles podem até mesmo levar a sintomas
psiquiátricos, incluindo depressão, ansiedade, ideação suicida, OCD, distúrbios alimentares, e surto psicótico. 1

The Perfect Você é a força motriz por trás do nosso design natural, com fio-de-amor. É uma reflexão particular de
Deus neste mundo, a nossa forma única de adorá-lo por pensar, sentir e escolher bem. É um subproduto de viver de
acordo com o nosso valor de verdade: o Perfect Você foi concebido por Deus para refletir a sua glória para o mundo.
Nosso pensamento é projetado para refletir a sua imagem, uma vez que temos a mente de Cristo. Quando as
pessoas me perguntam por que eles devem saber sobre sua perfeita Você, minha resposta é simples: conhecer o seu
perfeito Você vai desbloquear você e ajustá-lo livre para ser

você, uma reflexão particular do Criador, que cumpre o seu senso de propósito, aumentando a sua
inteligência e sua alegria no processo.
Este livro foi projetado para ajudar você a descobrir você. Eu quero que você sondar literalmente nas
profundezas de quem você é e começa a entender o valor investido Deus em você como o auge de sua criação,
um ser humano que é capaz de pensar, sentir e escolher. Este é um negócio sério e requer consideração séria;
portanto, este é um bom livro sério.

Trauma e do pecado pode interromper este projeto: as pessoas buscam o amor em outras direções, na tentativa de
recapturar a sensação de estar verdadeiramente-se por trazer algum nível de ordem em suas mentes e corpos. No
entanto, há sempre esperança. The Perfect Você é ainda mais forte do que padrões de pensamentos negativos, uma vez
que a mente controla o cérebro, eo cérebro é neuroplastic, por isso é sempre passíveis de mudança. 2 Podemos, como o
apóstolo Paulo nos diz, renovar nossas mentes (Rom. 12: 2).

Claro, esforços científicos explicam nunca totalmente a realidade. Ciência leva-nos por um caminho de
tentar compreender a realidade. Assim, a ciência do Perfeito Você desenvolveu muito desde que eu comecei
a pesquisar este conceito há trinta anos, e ainda temos muito mais para aprender e descobrir. Abaixo está
uma explicação complexa de alguns dos conceitos científicos que sustentam o conceito perfeito Você. Eu
tê-los feito tão simples quanto possível, mas você não tem de ler ou compreender plenamente toda a ciência
para ser capaz de beneficiar dos próximos capítulos. Eu

58
Gostaria, no entanto, recomendo vivamente a leitura deste capítulo, a informação vale a pena o
investimento! Há também um efeito colateral positivo de tentar compreender a informação complicada: você
aumenta sua inteligência! E esta seção especial “sciency” é seguido por um capítulo de aplicação simples e
gráfico para ajudar a puxar todas as peças do quebra-cabeça.

The Perfect Você projeta

The Perfect Você tem uma estrutura que pode ser explicado utilizando o Modelo Geodésico Information
Processing I desenvolvido há quase trinta anos. 3 O perfil UQ na parte 3, foi desenvolvido a partir dessa
estrutura. No restante deste capítulo vou explicar essa estrutura para ajudá-lo a entender como o perfil UQ
funciona.
The Perfect Você tem vários componentes diferentes. Há sete
módulos metacognitivas: interpessoal, intrapessoal, linguística, lógica / matemática, cinestésica,
musical, visual e / espacial. Cada módulo metacognitive tem quatro Os sistemas de processamento: falar,
ler, escrever e ouvir. Cada sistema de processamento é dividido em três domínios metacognitivos: a
declarativa (o “quê” da informação da memória), o procedimento (o “como” da informação da
memória), eo condicional (o “quando / por que,” ​ou o componente de propósito e emocional da
memória ). Estes domínios metacognitive fornecer a estrutura de sistemas descritiva ( recordações).
A exclusividade de suas memórias está alojado dentro destes três elementos.

A atividade acontecendo nesses componentes é controlado pela mente em ação regulação do seu
pensamento, sentimento e escolha. Em um nível inconsciente, onde cerca de 90 por cento da aprendizagem
ocorre, isso é chamado auto-regulação dinâmica. Em um nível consciente, onde apenas cerca de 10 por cento
da aprendizagem ocorre, este regulamento é chamado auto-regulação ativa.

Finalmente, ação metacognitive é o termo para o pensamento profundo que faz com que o quê, como e
quando / por que elementos de sua memória para começar a interagir através de deliberada, o
pensamento intencional. Quanto mais intencional e deliberada a auto-regulação ativa, o mais provável é
para interagir com a auto-regulação dinâmica (nível inconsciente). As memórias com mais energia-as
memórias, que são pensamentos, que tinha repetidas atenção effortful pago a eles e, portanto, são
incorporados em um acessível formato vai passar para a mente consciente. O que quer que se move em
consciência é, portanto, o que temos passou mais tempo pensando.

Sete Metacognitive Modules

Todos os sete módulos metacognitivas trabalhar juntos de uma forma emaranhados. Mais especificamente, estes

módulos funcionam de maneiras únicas para cada um de nós. Os sete

59
módulos metacognitivas do Perfect You estrutura / design estão alojados dentro da, mente inconsciente
quantum complexo, que funciona 24/7 em grandes velocidades de 10 27.
Estes sete módulos não são exaustivas, mas sim representante da gama do conhecimento humano e
intelectual potenciais de uma gama tão ilimitado quanto o nosso Deus. Todos os indivíduos possuem o espectro
completo dos sete módulos metacognitivas, mas em quantidades variadas e combinadas de diferentes maneiras,
revelando características, daí cognitivas específicas do Perfeito “Você”.

Um ponto a salientar aqui é que os sete módulos metacognitivas de meu modelo geodésica diferem
dos sete inteligências da teoria “inteligências múltiplas” de Howard Gardner. 4 Meus sete módulos
incorporar todos os três tipos de conhecimento dentro do domínio metacognitivo: o conhecimento
declarativo, processual, e condicional. inteligências de Gardner única incorporar o conhecimento
processual e são, portanto, incompleta em termos da gama do conhecimento humano.

Não podemos aproximar a nossa forma de pensar, sentir e escolher de forma reducionista. Mesmo que estes
módulos funcionam como unidades independentes, cada um com suas próprias características cognitivas, eles são
projetados para interagir como você processar informações (pensamento, sentimento e escolher). Quando esses
módulos interagem, de ordem superior de pensamento é produzida, porque o resultado líquido da interação entre

os módulos é melhorada a qualidade dentro os módulos.


É importante compreender que os sete módulos metacognitivas trabalhar em
harmonia. Você não pode observar ou ouvir uma pessoa e observe todos os sete. O que você verá é o produto final
de todos os sete módulos que trabalham juntos em uma maneira que é exclusivo para essa pessoa. É o todo
coletivo que se expressa através de palavras de alguém e ações: o Perfect Você está em como cada um de nós
tem a nossa própria “harmonia”.

Os Sistemas de Processamento

Como já mencionado acima, os módulos metacognitive são divididos em quatro sistemas de processamento: ler, falar,
ouvir, e Escreva. Cada um desses sistemas de processamento por sua vez, tem um função, tais como a leitura de
conceitos, lendo um romance para o prazer, a leitura de um manual técnico complexo, escrever um email, escrevendo
uma história, dando um discurso, ter uma conversa com seu melhor amigo, e assim por diante.

UMA sistema de processamento é um resultado de um arranjo inteiro de processos. Por exemplo, o sistema
de processamento de ler um livro, que seria parte do módulo metacognitive linguística, é composta de vários
processos, tais como o acompanhamento visual das letras, a discriminação visual das letras, e a combinação
dessas letras em unidades de significado. O sistema de processamento de leitura também tem várias funções,
como a leitura de conhecimento factual ou lendo para saber o que

60
acontece com personagens de um romance. Cada um de nós tem a nossa própria interpretação / filtro (o Perfect You) como

estamos fazendo isso.

61
62
Um sistema de processamento está representado neurologicamente como uma estrutura funcional de
composto inter-relações das diferentes partes do cérebro. sistemas de processamento acabará por ser expressa
no plano simbólico por cognitiva ação que você diz

63
e o que fazes. (Veja o esquema da minha teoria, o Modelo de Processamento de Informação Geodésico, nas
páginas 84-85.) Um sistema de processamento é visto no meu modelo como o canal através do qual as capacidades
intelectuais específicos para um determinado domínio são expressas.

Funcionando na Perfeito Você irá maximizar a seleção e integração de funções nos sistemas de
processamento mais eficientes para operacionalizar os atos cognitivos, resultando em melhor
desempenho. Isto significa que você vai dizer e fazer o melhor para essa situação.

Auto-Regulação dinâmica

A fim de ser capaz de ler esse romance ou fazer aquele discurso, que você precisa para ativar ou operacionalizar o
sistema de processamento. Isso é chamado auto-regulação dinâmica, uma força motriz muito poderoso de sua ação
mente-em-não-consciente e um muito específico para o seu perfeito Você.

Como mencionado acima, a sua mente inconsciente está sempre em ação, 24/7, a auto-regulação tão
dinâmico é sempre acontecendo. Sua mente inconsciente não pára análise, limpeza, leitura, e integrando
todas as memórias que você tem, que estão mudando e crescendo em resposta às experiências de sua
vida diária.
Em última análise, a atividade da mente inconsciente explica o alto nível de ação de decisão que está
acontecendo, mesmo quando nos distraímos com outras tarefas em um nível consciente. auto-regulação
dinâmica controla até 90 por cento de pensar e de aprendizagem e é responsável por ativar e memórias
energizantes longo prazo e sistemas de crenças (visões de mundo) a se mudar para a nossa consciência e,
como tal, tem uma enorme influência sobre o nosso pensamento consciente, sentindo, e escolher.
auto-regulação dinâmica também mantém a consciência e atenção nos sete módulos metacognitivas como
reconstrução interna (redesenhando, crescendo e mudando de memórias) está ocorrendo.

Ativo Auto-Regulação

pensamento cognitivo consciente é chamado auto-regulação ativa. O mais profundo que pensamos, a
auto-regulação mais ativa interage com a auto-regulação dinâmica. auto-regulação ativa é intencional e
controlada pelo seu escolha a prestar atenção a alguma coisa. Sua eficácia é determinada pela forma como
consciente e deliberada você está em um dado momento.

É importante lembrar que os pensamentos (também conhecidos como sistemas descritivos ou memórias) são
automatizado (feito em um hábito), através de deliberada, repetida e consciente pensamento cognitivo. Este tipo
de pensamento tem que ocorrer para um mínimo de três ciclos de vinte e um dias para que a verdadeira
compreensão a ter lugar.

64
Os Sistemas de domínio e descritivas Metacognitive

Cada um dos sete módulos metacognitivas usa seu próprio sistema operacional, conhecido como o domínio
metacognitive. Estes domínios usar declarativa (o quê), processual (como), e condicional (quando / por que) tipos
de conhecimento para construir padrão de natureza memórias ( sistemas descritiva). Estas memórias, por sua vez,
crescer em sistemas de crenças ou visões de mundo, que são refletidos em nossas atitudes ( alargado e
reforçado sistemas descritivos).

Cada momento de cada dia que estão se fundindo com o nosso ambiente. Através do pensamento, sentimento e
escolha, estamos aprendendo e plantando pensamentos, que são coisas físicas reais, para o cérebro. Este
processo sofisticado e complexo é essencialmente a expansão e solidificação de sistemas descritivos através da
adição dos três tipos de conhecimento (pensamento, sentimento e escolha) para o domínio metacognitive. Isso
acontece em nossas mentes 24/7, mesmo quando estamos dormindo! Nós realmente são soberbamente seres
intelectuais, mesmo quando não estamos conscientes do que está acontecendo em nossas mentes.

No entanto, o que ocorre no nível metacognitivo é único para cada um de nós. A maneira particular que
você construir e memória loja está baseado em suas percepções e interpretações específicas, que são
exclusivos para você. Os vários mecanismos no sistema nervoso são, de fato, activado para realizar
operações específicas na informação e mudança estrutural ocorre no cérebro, e isto é único para cada
pessoa. O uso repetido de, elaboração de, e a interacção entre os dispositivos computacionais conduzirá a
formas de conhecimento que são úteis, inteligente, e exclusivo para você. Assim, os domínios metacognitivos
no modelo geodésica refletir a idéia de que os seres humanos são constituídos de tal forma a ser sensível a
certas informações em sua própria maneira original. Quando uma forma particular de informação é
apresentada, seu mente entra em acção e funciona através do substrato de seu

cérebro. Sua auto-regulação será completamente diferente da minha; a pessoa a pensar e usar
seu perfeito Você leva todos esses processos.
No Modelo de Processamento de Informação Geodésico, a memória é essencialmente visto como parte
do processo cognitivo, onde os novos sistemas descritivos são reconceitualizado ou redesenhado. Uma vez
que um novo sistema descritivo é reconceitualizado, ele é armazenado nos domínios metacognitivas
apropriadas dos módulos metacognitivas especificadas na forma de conhecimento declarativo, processual, e
condicional. A reconceituação de novos conhecimentos é atualizado e aprimorado no nível cognitivo, em
seguida, armazenados no nível metacognitivo, onde ele será usado no futuro reconceituação de novos
conhecimentos.

Ação metacognitive

65
Consciente, intencional e deliberada auto-regulação ativa irá ativar a interação entre a auto-regulação
ativa e dinâmica, cujo resultado está pensando profundamente. Este pensamento profundo é chamado ação
metacognitive, que é quando o o quão,
e quando por que elementos de sua memória começar a interagir através do pensamento deliberado até que
gerar energia suficiente para mover-se em sua mente consciente. Se o pensamento consciente não é
deliberada (isto é, com o objetivo de desenvolver a compreensão, que é quando activa e dinâmica
auto-regulação interagem), durante um período de cerca de sessenta e três dias, então o que você está
pensando em não se tornar um influente parte de sua mente inconsciente. 5

Intencional, pensamento profundo molda a sua visão de mundo. Estes pensamentos tornam-se profundamente
enraizada na mente inconsciente e, mesmo que eles não estão disponíveis para introspecção consciente, eles ainda
influenciam os produtos finais cognitivas de nosso pensamento, sentimento e escolha. Eles se tornam disponíveis à
introspecção consciente apenas quando pensamos profundamente, usando o nosso perfeitos, que literalmente
dá-lhes a energia para mover-se em consciência.

assim ação metacognitive é o seu profundo pensamento, sentimento e escolha, expressa como os
elementos fundamentais do Perfect You e moldado através do perfeito Você. Como a memória borbulha na
parte consciente de sua mente, você se torna consciente disso, e as influências de memória ou não
influencia-você pode escolher conscientemente-o processamento atual de tudo o que você está focando.

E, como as memórias relevantes mover-se do inconsciente para o consciente, a experiência é ampliado e


aumentou com novos conhecimentos adicionados às memórias. Melhor integração entre memórias irá ocorrer
o mais profundo que pensamos, contribuindo também para a reconceituação do conhecimento.
Essencialmente, não basta adicionar fatos para nossas memórias; nós literalmente redesenhar -los com cada
nova peça de informação percebemos única e entender. Se uma pessoa não é um profundo pensador-pensar,
sentir e escolher de forma repetida, intencional, deliberado e assumir a responsabilidade por sua
aprendizagem a entrada não será forte o suficiente para induzir cognitiva, emocional, comportamental e
mudança acadêmica .

Research, de fato, mostra que quando pensamos profundamente na nossa maneira única (nosso você
Perfeito), que induzem neuroplasticidade: nossos cérebros mudar. 6 Nossas mentes ler ou interpretar as
atividades e padrões dos neurônios e dendrites dos nossos cérebros. Dendritos armazenar as memórias feitas
pelos sinais da mente. Quanto mais pensamos e gerar ação metacognitive, mais nos influenciar e mudar esta
configuração da memória física, que é, então, pronto para ser lido novamente (lembrado) em um momento
posterior por meio de ação metacognitive. Isso tudo requer o cérebro para funcionar corretamente.

Um exemplo desse processo poderia ser uma discussão com o seu cônjuge que ativa memórias que podem
ser saudável ou tóxicos, ou ambos, de discussões semelhantes, reações, e os resultados que você teve no
passado. Essas memórias se tornam conscientes através do processo descrito acima e filtrar através de sua
perfeita Você, montando em seu único pensamento, sentimento e escolha. Sua escolha, em

66
por sua vez, gera e projeta suas palavras e ações, com suas atitudes únicas e aromatizante, na
conversa. Configurações e interpretações pode dar errado (tóxicos) quando sair do nosso você
perfeito e fazer escolhas tóxicos ou se o cérebro for danificado de alguma forma.

O potencial de prontidão

Os cientistas vêem vestígios desta atividade auto-regulação dinâmica não-consciente no que é chamado o
“potencial de prontidão.” Este potencial envolve a interação entre a auto-regulação dinâmica e activa, que é
ativado através de deliberada, pensamento profundo. Uma vez que esta interacção ocorre, o processo
cognitivo é activado. Cognição é regulada pela metacognição e carrega a ação metacognitive do sistema de
processamento até a expressiva simbólica nível o que dizemos e fazemos.

Benjamin Libet, um pioneiro no campo da consciência humana, realizada um dos primeiros estudos sobre
cognição e metacognição. 7 Sua pesquisa começou no início de 1980 (quando eu estava fazendo o meu primeiro
nível de pesquisa de pós-graduação) e moldou a maneira como muitos cientistas abordar a questão da consciência.
Libet conectou pessoas a uma máquina que mediram a atividade cerebral enquanto eles foram convidados para
decidir aleatoriamente para pressionar um botão. Os sujeitos foram então convidados a observar conscientemente
quando decidiram pressionar o botão. Ele descobriu que pouco antes de a decisão consciente de pressionar o
botão de aproximadamente 200 milliseconds- houve um acúmulo consciente da atividade no cérebro, o que ele
chamou de “potencial de prontidão.” E em cerca de 350 milissegundos os sujeitos apresentaram atividade
inconsciente antes de relatar qualquer grau de consciência. Estudos posteriores viu esse acúmulo dez segundos
antes de uma decisão consciente. 8

Alguns adeptos do materialismo interpretado descobertas de Libet de uma forma que negado o poder de
escolha. Eles concluíram que os estudos mostraram que o cérebro é a causa da atividade consciente, já que o
acúmulo de “potencial de prontidão” ocorreu antes de uma decisão consciente. 9 Posteriormente, eles usaram
essa interpretação a negar a existência do livre arbítrio. Mais pesquisa mostrou, no entanto, que o “potencial de
prontidão” ainda estava lá, mesmo quando sujeitos não tomar decisões específicas, conscientes. Em um estudo
indivíduos tinham que apertar um botão quando viram um cubo entre muitas outras formas. atividade cerebral
medida durante a tarefa mostrou que o “potencial de prontidão” estava lá antes mesmo dos estímulos apareceu.
Como um dos pesquisadores notaram:

Os nossos resultados mostram que a actividade neural, que se encontra presente antes de respostas motoras, emerge bem antes da
apresentação de um estímulo. Nessa altura, os participantes não foram capazes de saber se para pressionar o botão esquerdo ou direito mão
antes de um estímulo apareceu. Além disso, a activação anterior à estimulação não diferiram significativamente entre as duas alternativas de
resposta. Assim, a actividade observada não pode ser considerada como uma preparação específica para pressionar um dos botões de, em
vez do que a outra. 10

67
Em essência, nós não podemos dizer que o “cérebro decidiu” apertar um botão. “Potencial de prontidão”
existe ou não existe um botão para pressionar (ou algum outro estímulo); outra coisa é responsável pelas
decisões específicas que fazemos em qualquer dado momento. Não podemos olhar para um cérebro e decidir
por que um ser humano faz as escolhas que ele ou ela faz, porque o cérebro com seus correlatos neurais não
nos diz sobre a experiência de uma pessoa e livre arbítrio.

Libet, de fato, não nega o livre arbítrio. 11 Ele observou que a mente tem a capacidade de vetar uma ação
enquanto a atividade neural continua. Ele chamou isso de “veto consciente”, que apoia a ideia do livre arbítrio
que permeia a Bíblia. O cérebro será executado no piloto automático e realizar tarefas, mas a mente ou self (o
Perfect You) tem a capacidade de interferir, evitando a atividade seja realizada. Nossas escolhas importa.

Estes estudos não só demonstram que o cérebro funciona no piloto automático. O livre arbítrio não é apenas
uma ilusão, como vários materialistas proeminentes nos querem fazer crer. 12 Em vez disso, o cérebro, como um
substrato físico, parece estar a responder ao (ou está a ser “utilizada” pelo) mente não consciente, que é
orquestrado por auto-regulação dinâmica e o processo de selecção dos sistemas de descrição apropriados
(memórias) que necessidade para passar para a mente consciente. Uma vez que as memórias se mudaram
para a mente consciente e filtrar as informações por meio de nosso perfeitos, pensamos, sentimos, e fazer uma
escolha sobre se a cumprir ou substituir uma ação.

Assim, usando o exemplo anterior de estar em uma conversa com um cônjuge, você pode optar por substituir o
modo como o seu cônjuge respondeu no passado e dar-lhe o benefício da dúvida, ou você pode fazer o oposto e
entrar em uma discussão. Se você estiver operando plenamente na nossa Você Perfeito, você vai fazer o primeiro,
desde que você não vai estar reagindo de uma mentalidade tóxico, mas uma baseada no amor.

O Papel do Espírito Santo

Para garantir que ficar no nosso Você Perfeito e responder correctamente às circunstâncias da vida cotidiana,
precisamos treinar-nos para consultar com o Espírito Santo em uma base diária. 13 Podemos pedir ao Espírito
Santo para nos ajudar a renovar nossa mentalidade e nos ensinar como reagir e se comportar (João 14: 15-17,
26; 16: 12-15; Atos 2:38; Rm 15:13; Gálatas 5.. : 22-23). O Espírito Santo nos guiará, se nós escolher para ouvi-lo,
e mostrar-nos a maneira correta de “conscientemente vetar” o nosso pensamento, sentimento e escolha. Desta
forma, cumprimos os requisitos da Escritura orar constantemente (1 Ts. 5:17).

O processo de desenvolvimento de uma consciência atenta, que inclui um diálogo constante com o Espírito
Santo, é essencial para a nossa saúde física e mental. Mindfulness aumenta nossas chances de ficar na
Perfeito Você, assim, melhorar o nosso conhecimento e auto-regulação e nos ajudar a acessar as lojas não
conscientes de nossas mentes. Além disso, promove o desejo de buscar mais conhecimento e

68
aprender sobre os efeitos dos pensamentos inconscientes tóxicos. Uma vez que uma atitude tóxico é alterado, por exemplo,

é mais fácil de aprender novas, hábitos de pensamento saudáveis.

Então, quando você está no Perfect You, ele ativa o seu desejo de obter o verdadeiro conhecimento e a pensar
profundamente para entender e aplicar esse conhecimento. pensamento profundo e aplicação levar a sabedoria.
Sabedoria, por sua vez, reconhece a necessidade de mais conhecimento, e assim o ciclo continua. Eu chamo isso de
“o modelo de sabedoria”, que é um dos principais benefícios de operar no seu perfeito Você. O potencial para se tornar
ciente da operação de nossos sete módulos metacognitivas é, de fato, uma característica especial da nossa
humanidade. Quanto mais os sete módulos metacognitivas interagir, mais seus pontapés de pensamento profunda e
mais sábio que nos tornamos.

A sabedoria é o resultado líquido da interação entre os sete módulos metacognitivas. Como nós
deliberadamente e intencionalmente melhorar a qualidade da interação dentro dos sete módulos-o
metacognitivas qualidade do nosso pensamento, sentimento e escolhendo-os fundamentos da nossa Perfeito
Você melhorar.

A diferença entre o seu perfeito Você e Mina

A diferença entre o seu perfeito Você eo meu envolve diferenças nos componentes dos sete módulos
metacognitivas, seus domínios metacognitivos, e seus sistemas de processamento. Na verdade, a ação
metacognitive de ambos auto-regulação dinâmica e ativa também é exclusivo para o individual. Como você
dirige sua mente é único: o seu tipo-lo ou Perfeita Você é capturado e refletido no “o quê, como, quando / por
que” além de como você gerencia estes através de auto-regulação dinâmica e activa. Como você trabalha
com o perfil UQ na próxima seção, essa exclusividade é o que você desbloquear. O resultado líquido é uma
consciência consciente de sua identidade: é uma visão especial em seu perfeito você, então você pode
aumentar e melhorar a sua capacidade de pensar, sentir e escolher. Isto é mindfulness inteligente,

que é o objectivo global de compreender e utilizar as zonas de desconforto e os exercícios na parte


4 deste livro.
Todos os sete módulos metacognitivas trabalhar em conjunto de forma simultânea, emaranhados, e de forma única
para cada um de nós. Esta singularidade representa o pensamento individualista, sentimento e escolha. Todos nós
temos a capacidade de pensar, sentir e escolher, mas de cada pessoa perfeita Você é diferente e exclusivamente nossa,
assim como nossas impressões digitais.

Força na soma das partes é o princípio fundamental desta perspectiva modular. A qualidade das
funções corticais superiores é influenciada pela interação harmoniosa dos sete módulos
metacognitivas, que é facilitada, fazendo exercícios que tocar nas habilidades de todos os módulos.
Quando saímos do nosso você perfeito, nós não explorar os módulos corretamente e vez de apenas
tocar em uma seleção deles.

69
Por esta razão, o perfil no capítulo seguinte é um processo de exploração consciente para aumentar sua
consciência e discernimento sobre como seus sete módulos metacognitivas interagem para produzir a única
maneira de pensar, sentir e escolher. O perfil UQ ensina você a pensar sobre o seu pensamento e entender
quem você é. Isso resulta em detecção de padrões, que é o chamando de sistemas descritivos existente em
sua mente, por isso é uma forma de obter insights sobre sua estrutura mental único. Ele mostra
essencialmente sua única interação complexa entre metacognition, cognição, e estrutura biológica do
cérebro.

Os exercícios que se seguem na parte 4 vai ajudar você a ficar atento e auto-regular os seus pensamentos,
sentimentos e escolhas, que são os elementos fundamentais da sua perfeita Você. Você vai aprender sobre as
zonas de desconforto para que você se tornar ciente de quando você está pisando fora de seu perfeito você.
Mais importante, você vai aprender a ficar no seu perfeito Você, tanto quanto possível e refletir a glória de Deus
mais e mais a cada dia!

Conhecer e compreender a sua identidade capacita suas escolhas, que impacto não só a sua própria
vida, mas as vidas daqueles ao seu redor. Desbloquear o seu perfeito Você não é opcional; é essencial
para a boa vida.

Aprendendo

Quando você operar em seu perfeito Você, você está aprendendo bem. Todo pensamento, sentimento e escolher conduz a

uma aprendizagem, para que aprender mesmo quando você não está pensando corretamente (em outras palavras, operando

a partir de sua Perfeito You). Você deve estar muito consciente do que você está focando: você poderia estar aprendendo

coisas que terão um impacto negativo.

Aprender é a reconceituação criativa do conhecimento. É controlada pela auto-regulação activa e dinâmica.


Ele tem a qualidade do envolvimento pessoal, é generalizada, e sua essência é significado. O que nós
aprendemos determina o significado de nossas vidas, uma vez que molda a nossa visão de mundo, ou o filtro
de mentalidade através do qual vemos tudo.

Quando operamos em nossa Você Perfeito estamos aprendendo de uma forma saudável e construir memórias
saudáveis. No entanto, quando atuamos fora do nosso Você Perfeito aprendemos de forma distorcida e construir
memórias tóxicas que danificam o cérebro eo corpo.

Nós todos temos que nos perguntar o que queremos nos armazenamentos de memória de nossas mentes. O que quer
que focar mais vai crescer e influenciar as nossas perspectivas e sistemas de crenças (ou visões de mundo). Como diz o
ditado, nós nos tornamos o que nós amamos. Isso pode ser tanto uma experiência positiva e negativa. Operando na
Perfeito Você mantém você em alinhamento com seu projeto divino, imagem de rolamento. Ele permite que você a refletir
a glória de Deus, uma vez que você está focando-o e aprendendo a se tornar mais parecido com ele.

70
The Perfect Você é refletida na carta de Paulo aos Filipenses. Os exorta apóstolo seguidores de
Cristo a “Corrigir seus pensamentos sobre o que é verdadeiro, e honrosa, e à direita, e pura e linda, e
admirável. Pense em coisas que são excelentes e digno de louvor”(Fl 4: 8. NLT).

Quando pensamos sobre as coisas de Deus, tornamo-nos mais como ele. A “palavra implantada,” não Google ou
fofocas, irá salvar sua alma (Tiago 1:21). É fundamental lembrar que perfeito Você pensamento vai produzir um
produto final: suas palavras e ações. Nós somos o que pensamos ou como ele diz em Provérbios “como ele pensa em
seu coração, assim ele é” (23: 7).

O Ângulo Quantum of the Perfect Você eo Modelo Geodésico

Como discutido acima, cada um de nós temos a nossa forma diferente de saber que é expressa através
do Perfect You. Esta maneira de saber os resultados em mudanças no cérebro-o cérebro responde à
mente. A teoria quântica mostra a interação entre a mente eo cérebro e usa a matemática para descrever
essa relação. 14

O cérebro humano, como o substrato através do qual a mente funciona, não pode ser explicado
somente pela física clássica. Como o físico quântico e matemático Henry Stapp explica:

A partida mais radical da física clássica instituído pelos fundadores da mecânica quântica foi a introdução da consciência humana
para o maquinário dinâmico e computacional. Esta mudança constitui uma ruptura revolucionária com a abordagem clássica,
porque o sucesso dessa abordagem anterior foi considerado devido, em grande medida precisamente para o fato de que ele
manteve consciência para fora. No entanto, a necessidade de uma teoria racional coerente e praticamente útil obrigou os criadores
da mecânica quântica para trazer para a teoria não meramente um observador passivo, sobrepostas ad hoc sobre a mecânica
clássica, juntamente com o conhecimento que flui passivamente em sua consciência, mas , surpreendentemente, uma consciência
ativa que funciona na direção oposta, e injeta intenções conscientes eficazmente ao mundo fisicamente descrito.

É, claro, óbvio que os seres humanos fazem, na prática injetar nossas intenções conscientes da natureza sempre que
agimos de forma intencional. Mas na física clássica assumiu-se que qualquer ação humana era apenas uma consequência
complexo da máquina puramente físico. No entanto, a generalização quantum das leis mecânicas clássicas propostas por
Heisenberg e seus colegas não geram por si só uma teoria física determinista dinamicamente completa. Eles têm uma
lacuna causal. Algo mais é necessário para completar a dinâmica. 15

Quanto mais se examinar e compreender a consciência humana e o poder de escolha, mais vemos que os
seres humanos não são máquinas biológicas apenas complicadas de causa e efeito. Como o próprio Stapp
pergunta: “Como é que os movimentos dos objetos em miniatura planeta-like da física clássica dão origem a
sentimentos individualistas e compreensão e conhecimento? A física clássica diz que um dia essas conexões
serão conhecidos, mas como eles podem ser entendidas em termos de uma teoria. . . que elimina o agente da
'conexão' [?]” 16

A física clássica não é sobre suas experiências, mas sim um mundo físico predeterminado sem
menção de seus pensamentos físicos. Mas você é um jogador em

71
um jogo, um co-criador de sua realidade física em evolução. Muitos materialistas tendem a negar o poder
intangível da consciência e da escolha, citando que vamos entender como isso acontece “um dia”,
enquanto as explicações que desafiam seus paradigmas reducionistas são desconsiderados. Este não é
boa ciência; na verdade, não é ciência.

Werner Heisenberg, que recebeu o Prémio Nobel em 1932 para a criação da física quântica, propôs
uma generalização quantum de leis clássicas, mas ainda havia uma lacuna causal em seu trabalho. 17 O
que causa mudanças no cérebro? Leis não pode gerar por si mesmos; eles precisam de alguém ou algo
para gerá-los. forma de mecânica quântica de John von Neumann resolvido isso introduzindo o indivíduo
com suas escolhas livres a fim de preencher a lacuna-the causal Perfeito Você. 18

O observador indivíduo foi incorporado no núcleo de mecânica quântica pela substituição de


Heisenberg de números por acções. O número representa “propriedades internas de um sistema físico”,
ao passo que a acção que substitui o número representa a pessoa com o seu livre arbítrio observar ou
sondando o sistema. 19 Ações substituindo números desafia o materialismo da física clássica, para, como
foi discutido na secção sobre a filosofia interactivo-dualist, a mente (o observador indivíduo) altera
livremente o cérebro (o plano físico). Em essência, as livremente escolhidos, intenções conscientes e
percepções do indivíduo (Perfect You) são injetadas em um sistema físico (cérebro),
transformando-estruturalmente. Este, por sua vez, resulta em palavras e ações, e mais mudança física
ocorre em nosso cérebro e, portanto, em nosso mundo. As escolhas têm o poder de vida e morte (Deut.
30:19).

Esta teoria quântica mente-cérebro é chamado o ortodoxo Formulação Von Neumann da Mecânica
Quântica. Ele é construído em torno do efeito do psicologicamente descritos, ações intencionais de uma
pessoa em propriedades fisicamente descritas (o cérebro da pessoa). Ele especifica as conexões causais
entre o reino da mente e do reino do cérebro com as leis básicas da física. Esta formulação supera a principal
objeção ao dualismo cartesiano, que foi a falta de uma compreensão de como a mente pode afetar o cérebro.
Notavelmente, ele mostra que a consciência humana não pode ser “uma testemunha inerte para a dança
estúpida de átomos.” 20 Nós não estamos apenas dançando ao som de nossos átomos ou nosso DNA.

O cérebro tem uma natureza quântica, mostrado por cálculos físicos quânticos e neurobiologia
quântica, que não pode ser adequadamente explicada pela física clássica. processos que ocorrem iónicos
nos nervos, que estão ao nível atómico e não podem ser explicados pela física clássica sozinho, porque
eles são muito pequenos, controlar cérebros. O processo de exocitose, por exemplo, que lida com a
deposição de moléculas de neurotransmissores na sinapse, requer as explicações mais afinadas de
mecânica quântica. 21

Não é nenhuma surpresa que o físico quântico Christopher Fuchs declara que “a mecânica
quântica é uma lei do pensamento.” 22 A teoria quântica evidencia a

72
importância da ação mente-em-, a conexão mente-cérebro, e o poder do nosso intelecto, vontade e
emoções, o que pode causar mudanças físicas no cérebro. Como resultado, a teoria quântica é uma
forma muito poderosa de explicar o pensamento ea perfeitos, ao lado de neurociência e neuropsicologia.

Filósofo e teólogo Keith Ward chama teoria quântica “o modelo mais preciso já desenvolvido para compreender
as coisas mais profundas.” 23 Duas das “coisas mais profundas”, duas das maiores questões que todos nós
enfrentamos em um momento ou outro, é como pensamos exclusivamente como seres humanos e que o nosso
propósito nesta terra é. Por que temos as mentes que fazemos? Qual é a nossa parte no sentido de eternidade e
divina de propósito (Ec. 3:11)? A física quântica nos dá uma maneira de descrever, cientificamente, este sentido
divino de propósito, mostrando-nos como poderoso nossas mentes são. Ele fornece uma teoria científica que
explica o poder da capacidade de um indivíduo para escolher, e, assim, mudar o seu cérebro, corpo e do mundo.
Ele destaca, assim, a importância do pensamento e como estamos todos de forma única, com medo, e
maravilhosamente feito (Sl 139:. 14).

Deus está usando a ciência para mostrar o poder do pensamento e do livre arbítrio de uma maneira prática. Vemos,
através da teoria quântica e neurociência, que podemos observar nossos pensamentos são reais e que importa. O que
nós pensamos não só nos impactos (espírito, mente e corpo), mas também aqueles que estão em um relacionamento
com e até mesmo as gerações futuras. A física quântica fornece, assim, validação de algo que todos nós sentido
intuitivamente: nossos pensamentos conscientes têm o poder de afetar nossas ações. Ele descreve as maneiras em que
nosso pensamento consciente, sentimento e escolha entrar no reino físico e nos dão uma maneira de descrever as
mudanças estruturais observadas no cérebro como resultado do pensamento humano.

Incerteza e escolha

A cada momento, a cada dia, estamos pensando, sentindo e escolhendo. Nós, quer fazê-lo usando nosso
você perfeito em sua forma padrão ou, por outro lado, através de escolhas incorretas que nos levam a sair de
nosso você perfeito e, portanto, fora da sabedoria.

À medida que os estímulos dos acontecimentos da vida entra em seu cérebro através de seus cinco
sentidos, a sua única estrutural e espiritualmente concebido Perfeito Você filtra a informação, e esta atividade
específica acionado até seu cérebro. Ninguém sabe o que você está indo para escolher exceto você. Existe um
número infinito de probabilidades que você pode escolher-bom e mau, que na teoria quântica é falado em
termos de onda de probabilidade de Erwin Schrödinger. A equação de Schrödinger prevê probabilidade, mas é
apenas uma previsão, por isso há sempre um grau de incerteza quanto ao resultado.

No entanto, embora nós não sabemos os detalhes, sabemos os planos de Deus para nós são bons e que
ele quer nos dar uma esperança e um futuro (Jer. 29:11).

73
Qualquer coisa que nós escolhemos que está na zona de amor, que eu discuti no início deste livro, vai ter um
resultado positivo e ser parte do plano de Deus. Por outro lado, há uma gama de probabilidades na zona de medo
que podem ter um impacto tóxico sobre nossas vidas. Então, como nós escolhemos, em termos quânticos que
recolher uma onda de probabilidade (ou, em termos de neurociência, a nossa escolha gera um sinal que faz com
que a expressão genética). De acordo com Fuchs, a função de onda de todas as possibilidades prováveis ​não
objetivamente descrevem o mundo; em vez disso,

subjetivamente descreve a pessoa e suas escolhas únicas, por isso cada um de nós tem a nossa própria função de onda, a
nossa própria realidade, e nosso próprio conjunto de probabilidades (ou crenças, atitudes e escolhas). 24 Por isso Deus tem

um específico plano para nossas vidas, e nós participar desse plano como indivíduos com a capacidade de escolher

livremente.

Antes do colapso da onda, que é a escolha, a função de onda incorporada uma série de
probabilidades. Essas probabilidades são ondas não real, mas sim ondas de probabilidade em um
espaço conceitual denominado espaço de Hilbert. 25

espaço de Hilbert é um conceito matemático nomeado após David Hilbert, um dos matemáticos
mais influentes do século XIX e XX. Assim, o colapso da onda é o conhecimento atualizado do
observador (você) como você passar pelo processo de pensar, sentir e escolher para a faixa de
probabilidades em espaço de Hilbert.

Como você está pensando e sentindo, você está em sobreposição. Em um nível atômico isso significa duas
partículas estão em um 1 0 e ao mesmo tempo (denominado quibit) e estão sendo mantidas juntas por
entrelaçamento quântico antes de entrar em colapso em um 1 ou 0 como o resultado de uma escolha. Isto significa
que o cérebro, como um computador quântico, pode calcular diferentes cálculos simultaneamente, o processo de
tomada de decisão está ocorrendo. Simplificando, podemos realizar duas perspectivas em mente ao mesmo
tempo. este ação da mente tem uma reação física em vários níveis, desde as ondas de energia a nível atômico e
até o nível da nossa escolha para acreditar que um realidade em detrimento de outro.

Então, o que faz este olhar como em um nível quântico e no cérebro? Informação (escolher um destino
de férias, um diagnóstico médico, uma situação no trabalho, uma oportunidade, uma discussão com um
cônjuge, qualquer coisa) entra em seu cérebro através de seus cinco sentidos e ativa ação eletroquímica e
quantum em seus neurônios.

Se formos dentro dos neurônios, encontramos microtúbulos, cerca de dez milhões por neurônio (eles são
realmente minúsculo). Estes microtúbulos são formados por proteínas chamadas tubulina, que por sua vez são
compostos de aminoácidos chamados triptofano, que a um nível molecular são feitos de seis átomos de carbono
na forma de um anel (o que é chamado um anel aromático). acção Quantum está a ter lugar ao nível dos
electrões de vibração oscilante de lado a lado deste anel. Estes elétrons, por causa do princípio da incerteza de
Heisenberg (que, em um nível mente, é que você não tendo ainda feito a sua decisão, para que não sei ainda
se ele vai ser o Havaí ou Paris) não têm posições fixas. Os elétrons se espalham como uma onda literal de

74
probabilidades (ou opções / possibilidades / tendências) e os anéis aromáticos cruzar e compartilhar nuvens
de elétrons, indo para superposições de 1 e 0 (o bit quântico ou quibit-que são essencialmente pensando
Havaí e Paris, ao mesmo tempo). Não existe apenas um caminho desses, mas vários, por isso eles são
chamados quibits topológicas, e porque há um monte deles trabalhando juntos é chamado

coerência. Quanto mais falamos com o Espírito Santo, o maior coerência teremos e quanto mais terá
acesso a sua infinita sabedoria, que vai mudar positivamente a nossa coerência e nos permitem fazer
uma escolha positiva.
Como nós escolhemos, nós selecionamos uma probabilidade de espaço de Hilbert e recolher a onda, o que significa
que temos virou uma probabilidade em uma realidade ou uma realidade. Nós transformamos a nada em uma coisa. Este
colapso da função de onda também é chamado decoerência na teoria quântica. Posteriormente, começamos a construir
esta realidade em um efeito físico em nossos cérebros através da expressão genética. Desta forma, nós atualizamos
nossa mente inconsciente com novas informações e aumento dos níveis de experiência e sabedoria-se escolher
corretamente. Se escolhermos incorretamente, o conhecimento atualizado é tóxico.

Por sua vez, isto leva-nos para o quantum Zeno Efeito (QZE), que é um tipo de efeito decoherence. 26 QZE
descreve como, quando pagamos repetidamente a atenção para alguma coisa e pensar, sentir e fazer
escolhas (colapso de uma função de onda), estamos criando uma memória de longo prazo que vai se tornar
parte de nossos sistemas de crenças e influenciar nossas escolhas no futuro. Em termos simples, é o
esforço repetido que permite aprender a ter lugar; é o “tudo o que pensamos sobre a maioria vai crescer”
efeito discutido acima. Informações implanta-se, e se a informação é boa, ele vai “salvar” sua mente (Tiago
1:21). Operando fora do seu perfeito Você pode até ser visto como repetido e, portanto, aprenderam
memórias (QZE) que estão incorretas e perturbar o / pensar / circuito de recompensa de aprendizagem no
cérebro.

Com efeito, as pessoas que atuam em sua perfeita Você é a boa terra na parábola do semeador em Mateus 13:
1-23. Eles persistem e empurrar através de, mesmo quando eles já não “sentir como ele.” Eles se apegam à
Palavra de Deus, mesmo quando a vida já não despreocupada e feliz, ou é quando esse grande conferência igreja
acabou e eles estão de volta no auge da vida cotidiana . No entanto, a parábola também inclui pessoas que
ruminam interminavelmente sobre as preocupações e ilusões da vida: em vez de construir pensamentos saudáveis
​de esforço repetido, eles constroem mentalidades negativas e visões de mundo que influenciam as suas escolhas
em uma base diária. Isso é chamado de paradoxo de plástico e destaca o fato de que nossos cérebros basta seguir
a direção de onde nossas mentes nos levar-positivo ou negativo. Podemos escolher.

A nossa singularidade permeia essas escolhas. Desde que agir a partir do que nós construímos em nossas
mentes, nossas escolhas literalmente nos descrever uma vez que refletem nossas atitudes e sistemas de
crenças profundamente enraizadas. Encontrar os substratos neurais da livre terá longos filósofos intrigado e
cientistas, e o poder ea realidade de escolher a ser refletida no cérebro-cérebro sendo o substrato pelo qual a
mente

75
obras-foi recentemente confirmada por pesquisadores da Universidade Johns Hopkins. 27
A ciência está a aproximar-se com a Palavra de Deus!

Emaranhamento

A mecânica quântica, com sua ênfase na natureza emaranhado de consciência eo mundo físico, é de cerca de nós
no mundo, não o mundo ou nós. “Us no mundo” torna-se fundamental para o lançamento do Perfect You. Isso
ocorre porque no reconhecimento humilhante que você pode fazer algo que ninguém mais pode fazer o que operar
em seu perfeito Você, o papel que desempenha na vida dos outros é ampliada. Em um estudo, pessoas que
serviram outros que estavam passando por algo experimentou um aumento de 68 por cento na cura em
comparação com aqueles que só receberam tratamento para si próprios. 28 A pesquisa mostrou que ajudar os outros
previu reduziu a mortalidade especificamente alterando o stress tóxico ao estresse saudável. Muitos estudos
indicam que ajudando comportamento pode atenuar os efeitos do estresse sobre a saúde mental e física,
especificamente quando as pessoas alcançar em amor com uma atitude positiva para outras pessoas. 29 Além disso,
estudos mostram que o isolamento tem um impacto negativo sobre a saúde física e mental. 30 Somos feitos para
interagir uns com os outros e ajudar uns aos outros, mesmo quando estamos passando por tempos difíceis. Em
essência, o princípio de emaranhamento mostra como o perfeito Você não é tudo sobre nós mesmos, mas sim
como podemos ficar a conhecer melhor a Deus e servir aos outros.

Na verdade, a vida é uma coisa, nós emaranhados ver esse princípio claramente definidos na Escritura em Efésios
4:16: “Ele faz todo o corpo se encaixam perfeitamente. À medida que cada parte faz o seu próprio trabalho especial, que
ajuda as outras partes crescer, de modo que todo o corpo é saudável e crescendo e cheio de amor”(NLT). Todos nós
precisamos uns dos outros; é através da comunhão cristã que chegamos a conhecer melhor a Deus. Nós somos os
guardiões do mundo, e toda a criação clama por nós para refletir a glória de Deus (Rom. 8: 19-21). Nós não podemos
escapar a natureza entrelaçada do nosso mundo.

Entanglement é de fato um direito primário da física quântica. Deus nos criou para ter um relacionamento
com ele, uns aos outros, e a terra somos obrigados a steward. A física quântica nos ajuda a entender o quão
enredado nosso mundo é. Se um fóton passa a existir um bilhão de anos-luz daqui, isso afeta você, mesmo
que você não notá-lo afetando você. John Bell, famoso por Teorema de Bell (formulado no CERN, em Genebra,
em 1964), 31 observado que há uma conexão quântica inseparável de cada parte com todos os outros em nosso
universo. Não importa quão longe na distância e no tempo, todas as partículas em um relacionamento afetam
uns aos outros: existem essas relações para além do espaço e do tempo.

Entanglement demonstra o profundo impacto nosso pensamento, sentimento e escolha tem, não apenas em
nós mesmos (espírito, mente e corpo), mas também uns dos outros e do mundo que nos rodeia. A remissão é
um exemplo primário do emaranhamento em acção. Por não perdoar, estamos a ficar enredado na vida de
alguém, e

76
tudo o que eles dizem ou fazem é tão real como se ainda estivessem em nossas vidas nos prejudicando. Ao
perdoar, nós separar-nos da situação tóxica temos experimentado, proteger os nossos espíritos, e re-criar um
entrelaçamento saudável, onde já não são afetadas por más escolhas dessa pessoa.

Nós não podemos controlar os acontecimentos e circunstâncias da vida, uma vez que todos são livres para fazer suas

próprias escolhas, mesmo que eles nos afetar negativamente. Podemos, no entanto, controlar nossas reações aos

eventos e circunstâncias da vida através das escolhas que fazemos. Quando entendemos como reagimos-quando

entendemos como pensamos, sentimos e escolher (nosso você Perfeito) -Nós percebemos que pode escolher para

controlar essas reações e garantir que eles são fiéis à nossa, design com fio de para-amor com imagem . Por sua vez,

moldar o nosso mundo, dando testemunho do amor de Deus: nós realmente começar a refletir, como uma luz sobre uma

colina, a sua imagem magnífica!

77
78
6
Traçar o perfil do Perfect You
O Unique qualitativa (UQ) Assessment Tool

Insista em si mesmo; Nunca imitar.

Ralph Waldo Emerson, ensaísta e poeta

As diferenças não são destinados a separar, a alienar. Nós somos diferentes precisamente a fim de realizar a nossa necessidade
um do outro.

Arcebispo Desmond Tutu

Nos capítulos anteriores, descrevi o que o perfeito Você é, como funciona e como é importante para
desbloqueá-lo. Neste capítulo, você estará preenchendo a ferramenta do Perfect You, o único qualitativa (UQ)
Avaliação, que é um perfil de desenvolvimento que vai começar a desbloquear você Perfeito-lo e dar-lhe uma
sensação para o seu “youness.” Eu digo início porque compreender o seu perfeito Você é um processo
contínuo, orgânica que cobre a sua vida útil.

Mas antes de começar, vamos olhar brevemente para que este perfil UQ é não e porque. O perfil UQ não é um
teste de QI, uma vez que uma pontuação numérica com base em respostas a um número limitado de perguntas não
é uma indicação de seu potencial é apenas um instantâneo no tempo, enquanto que na realidade você está
constantemente mudando. O perfil UQ também não é um teste de personalidade. Você não é uma categoria. Você
não é parte de um grupo; você é seu próprio categoria e grupo. Nem é a UQ perfil de um EQ popular (quociente
emocional) ou questionário SQ (quociente social), porque as emoções e interações sociais são complexas, ilimitado,
e variando. Eles são parte de um todo complexo e, como tal, não pode ser reduzida, eles só pode encontrar a sua
verdadeira expressão neste “totalidade”.

QI, EQ, SQ, e perfis de personalidade semelhantes são derivados da abordagem clássica material acima
mencionado, que é redutora e determinista. Estas abordagens excluir poder causal da humanidade do livre
arbítrio e o fato de que somos feitos à imagem ilimitada de Deus. Esses tipos de perfis de reiterar a crença
de que o estado da matéria neste momento está completo, inteiro, e uma previsão de como será no futuro.
Eles essencialmente dizer-lhe que o seu QI hoje é o seu QI para sempre. Este tipo de pensamento quase
desativa-lo no que você pode passar a vida culpando um rótulo ou categoria que tem bloqueado você dentro
e

79
na verdade não distingui-lo como o “babe designer de” stand-alone você realmente é, que é brilhante e
assume a responsabilidade por esse brilho e os erros.
O perfil UQ vai além do IQ, EQ, SQ, e perfis de personalidade. Ele se concentra no tipo-lo
com todo o seu belo e ilimitado potencial, tendências, e imprevisibilidade. O filósofo grego
Aristóteles explicou desta forma: temos
potentia, que são “tendências objetivas” (para usar a descrição física quântica de Heisenberg) que nos
permitem nos expressar e são o resultado de nossas escolhas. 1

Ninguém sabe o que você está indo para escolher ou o que sua “realidade” vai ser (para usar
um outro conceito aristotélico). só você e Deus conhecê-los, até que você optar por fazer um
potencial para uma escolha real que os impactos você e seu mundo. O perfil UQ reconhece e
homenageia a potentia aristotélica em você.

Como discutido sob a ciência do Perfect You, um módulo metacognitive é um conjunto de habilidades
intelectuais que formam a matéria-prima de pensamento e compõem a estrutura da mente inconsciente. Estes
são conjuntos de potenciais intelectuais ou capacidades computacionais matérias. Estes módulos de influenciar o
processo de pensamento: cada módulo produz um tipo específico de pensamento baseado em sua natureza.
Existem sete tipos e, portanto, sete seções para o perfil UQ. Processamento de informações (pensamento,
sentimento e escolha) é o resultado de como esses módulos interagem e são usados. Você tem o seu próprio
padrão de processamento de pensamento único, que é composta de como você usa o conteúdo de cada módulo
e como seus módulos interagem. As perguntas abaixo são projetados para ajudá-lo a desbloquear e entender
como você usar esses módulos. Todos nós fazemos tudo que você vê nas perguntas abaixo, apenas diferente.

Na verdade, esses módulos são todas as habilidades de processamento essenciais que compõem o seu
perfil UQ, então não cometa o erro de se concentrar em um e pensar que você está, por exemplo, apenas um
aprendiz visual / espacial ou um aprendiz lógica / matemática. Este é um erro reducionista que vem de anos de
fazer QI, EQ, SQ, e outros tipos de testes de personalidade. É imperativo entender que estes elementos de seu
perfeito Você são as capacidades computacionais matérias que se combinam para refletir você.

O reflexo preciso do seu “youness” é na soma das partes, não a peças sozinho!

Como você se move através deste perfil UQ, você vai se tornar consciente de como você especificamente usar
essas capacidades computacionais matérias. Estas são perguntas sondando que são projetados para ajudar você a
entender que você, por isso cavar e pensar profundamente antes de responder a cada um. Quanto mais seriamente
você respondê-las, mais você vai compreender a si mesmo.

Não há uma resposta correta. Cada resposta está correta, independentemente de você responder sim ou não,
como parte de sua resposta. Mas um sim ou não por si só não é suficiente
- você deve escrever tanto quanto você pode, em frases como totalmente descritivo possível. Tratar isso como o
processo de perguntar, responder, e discutir como você trabalhar com as perguntas de uma forma deliberada,
intencional, e de auto-regulação.

80
Você está perfilando como você única e qualitativamente processar pensamentos através de sua perfeita
você; portanto, o perfil é chamado de Único Ferramenta de Avaliação qualitativa. Você está olhando para o
“know-how, sabe-o que, sabe-quando, know-why” conhecimento que compõe seus módulos metacognitivas,
como eles interagem e como você está auto-regulam. Você é essencialmente obter um vislumbre de sua mente
inconsciente! As respostas devem fazer você se sentir satisfeito, como se você tem começado e realizado algo
necessário que só se sente bem. Portanto, tome o seu tempo! Seja o mais descritivo possível: se você
responder sim, descreva o “porquê, como, quando, onde, e quais” você Faz. Se você responder não, descrever o
“porquê, como, quando, onde e que” do que você fazer em seu lugar. Se você apressar as perguntas que você
não vai obter todos os benefícios de usar o seu perfeito Você para desbloquear e entender o seu perfeito Você.

E, mais importante, ser honesto! Ninguém vai ver as suas respostas a menos que você quer mostrar a
eles.
As primeiras perguntas da UQ são mais detalhadas para que você obtenha no fluxo. A partir daí, cabe a
você para trabalhar os detalhes de sua singularidade, o que não é uma receita pré-embalados, como já
salientou ao longo deste livro. O seu perfil UQ é como uma expedição exploratória em uncharted ainda
vagamente familiar território-você está desbloquear algo que já está lá, mas precisa de desenvolvimento
para florescer.

Mais importante ainda, deixar o Espírito Santo guiá-lo “em toda a verdade” (João 16:13).

Como o perfil UQ Works

Cada conjunto de perguntas começa com uma breve descrição do módulo metacognitive.
Isto é seguido por um conjunto de perguntas de sondagem para cada módulo metacognitive focando o quê, como
e quando / por que (o domínio metacognitive) da maneira que você criar e armazenar conhecimento para refletir
sua perspectiva única e interpretação da vida, então você verá estas palavras em cada pergunta. No final de
cada conjunto de perguntas, há uma oportunidade para você refletir sobre suas respostas por escrito uma resumo
de todas as suas respostas. Este é um processo desafiador, mas esclarecedor, e uma parte muito necessária de
desbloquear o seu perfeito Você. Ele irá forçar você a auto-regular em um muito alto nível intelectual e levá-lo
mais profundo do que você já passou.

Não há limite de tempo nem data de vencimento do seu potencial, por isso demorar tanto tempo como você quer preencher

o perfil UQ. Refazê-lo pelo menos uma vez por ano para assistir a eternidade em que você se desdobrar, então eu sugiro que

você mantenha um diário regular assim que você pode acompanhar o crescimento orgânico de sua perfeita Você ao longo do

tempo, utilizando o perfil UQ.

O perfil UQ é seguido, no próximo capítulo, pela lista de verificação Perfect You. Eu preciso salientar
que esta lista só funciona quando você tem trabalhado através do livro e do perfil da maneira disposta
no livro, que é baseado em anos de

81
pesquisa, aplicação clínica e conhecimento, ciência e Escrituras. Não há atalhos, há soluções
instantâneas feed do Twitter aqui! Há apenas empenho, tempo, profundidade e crescimento definitiva
quando você toma você mesmo a sério. E você vai manter a ficar melhor e melhor à medida que você
pegar este desafio!

Módulo 1: Intrapessoal Metacognitive Module-pensamento, sentimento Escolhendo

O primeiro módulo metacognitivo é o Intrapersonal Metacognitive Módulo de pensar, sentir e escolha. O tecido
cerebral nesta área modular é projetado para lidar com informações que lida com as capacidades
computacionais matérias de profunda reflexão, tomada de decisão, organização, concentrando-se, analisar e
livre arbítrio; estar consciente da sua gama de emoções, controlar e trabalhar com seus pensamentos e
emoções, e encontrar maneiras de expressar seus pensamentos; estar motivado para identificar e perseguir
objetivos; trabalhando de forma independente; ser curioso sobre o sentido da vida; auto-gestão de pessoal de
aprendizagem contínua e crescimento; tentando compreender experiências interiores; capacitar e incentivar
outros; desfrutando de estratégias de pensamento, a escrita do jornal, e estratégias de relaxamento e
auto-avaliação; compreender suas limitações; e apreciar e avaliar situações.

pensamento intrapessoal permite ficar de fora de si mesmo e analisar o seu próprio pensamento. Enquanto
você analisar as informações recebidas e existente, você está indo para tomar decisões sobre o que pensar,
dizer e fazer: este é o livre arbítrio em ação!
Este módulo metacognitive é fundamental para a introspecção, auto-conhecimento, ea capacidade de
entender seus próprios sentimentos, pensamentos e intuições. Posteriormente, você é capaz de orientar
melhor o seu comportamento, entender seus pontos fortes e fracos, imagine conceitos, planejar atividades, e
resolver problemas. Este modo de pensar também incorpora auto-disciplina através do processo de
introspecção e tomada de decisão.

1. Como você encontrar-se introspecção e auto-análise? Talvez você tenha sido chamado de “introvertido” e são
ainda propensos a ruminar sobre determinadas questões. Olhe para estas palavras para ajudá-lo a entender
o que a habilidade essencial de introspecção olha e sente como: melancólico, meditativo, contemplativo,
pensativo, deliberativo, subjetiva, perdido em pensamentos, pensativo, auto-examinar, especulativa, tendendo
a ruminar, chocando, cogitativa , absorvido, pensando, preocupado, absorto, reflexivo, enterrado no
pensamento. Agora, por favor, descreva como totalmente possível que isso parece em sua vida em uma base
dia-a-dia, incluindo quantas vezes você pensa assim. Avalie-se em sua descrição. Por exemplo, “Eu tendem a
ruminar muito sobre as coisas, provavelmente mais do que metade de cada dia ou 75 por cento do dia. Eu
encontrar algo que eu tenha lido ou ouvido leads para o meu pensamento por todos os tipos de cenários em
minha mente e eu fico muito pensativa. Eu

82
sou muitas vezes perdido em pensamentos.”Ou talvez você vai dizer algo como:“Eu só obter especulativa quando
eu tenho que completar uma tarefa e tem que trabalhar para fora como fazê-lo, mas eu não gastar muito tempo
recebendo auto analítica, talvez apenas uma hora ou menos por dia.”o mais descritivo que você estiver, melhor.

2. Nossas mentes (lembre-se, a mente é separada do cérebro) são projetados de tal forma
que somos capazes de ficar fora de nós mesmos e observar a nossa gama de emoções
como lidamos com os eventos e as circunstâncias do dia. Como você está ciente de seus
sentimentos como o dia se desenrola? Você tem uma sensação de ver-se ir de feliz a triste,
irritado, frustrado, ou simples raiva, ou feliz, então êxtase com emoção, então entediado e
deprimido, e assim por diante, em resposta aos eventos e circunstâncias do dia? Por favor,
descreva a seguir, tanto quanto possível, o que isto se parece em sua vida em uma base
dia-a-dia, incluindo quantas vezes você pensa assim. Por exemplo, “eu sou apenas
consciente das minhas emoções quando eu obter trabalhou ou animado sobre algo,
portanto, apenas quando é uma situação extrema e muitas vezes somente quando alguém
aponta-lo.” Ou,

3. Como seres humanos estamos projetado para ficar fora de nós mesmos e observar o nosso próprio
pensamento. Isto significa que você é capaz de assistir a si mesmo como se estivesse assistindo a um reality
show na TV, ler um livro, ou ter uma conversa. Se você se concentrar intencionalmente sobre este processo,
você pode ver seus pensamentos formulação; você pode analisá-los de uma forma distante, objetiva; você se
sentir como você está pegando esses pensamentos e “mantê-los em suas mãos” para inspecioná-los. Pense
sobre isso e descrever como você fizer isso, o mais detalhadamente possível.

4. Como você controla suas emoções? Você deixá-los correr galopante ou suprimi-los? Você analisar
o seu estado emocional? Seja o mais honesto possível.

83
5. Como você controla seus pensamentos? Você deixá-los correr galopante ou suprimi-los? Você
deliberadamente analisar seus pensamentos durante todo o dia?

6. O que você faz quando você se sente profundamente sobre algo? Você engarrafar-lo? Ruminar sobre isso?
Escreva sobre isso? Fale sobre isso e como ela faz você se sentir? Descrever em detalhes, tanto quanto
possível.

7. Você está motivado para identificar metas para si mesmo e persegui-los? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

8. Você trabalhar ou estudar bem no seu próprio país? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê.
Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

9. Você está curioso sobre o significado da vida? Sobre as filosofias por trás suas crenças e as crenças
dos outros? Você está curioso sobre o seu próprio e mentalidades culturais dos outros? Se sim,
descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

10. Você está interessado em trabalhar em seu crescimento e desenvolvimento intelectual? Se sim,
descreva o que, como, quando e porquê. Se não,

84
descrever o quê, como, quando e porquê.

11. Você tenta entender suas experiências interiores? Você costuma gastar tempo pensando sobre o seu
pensamento? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como,
quando e porquê.

12. Você gosta de capacitar outras pessoas? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

13. Você gosta de encorajar outros? Se alguém parece “sob o tempo”, você alcançá-los? Se
sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

14. Você gosta de tempo sozinho? Você gosta de estar sozinho mais de atividades sociais? Se sim,
descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

15. Você gosta de passar o tempo deliberadamente pensar sobre as coisas? Você gosta do processo de
questões de trabalhar em sua mente? Ou, dito de outra maneira, você gosta de desligar o mundo
exterior e concentrando-se nos pensamentos internos de sua mente? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

85
16. Você é capaz de expressar como se sente em detalhes? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

17. Você acredita que está bem equilibrado em termos de espírito, mente e saúde do corpo? Se sim,
descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

18. Você gosta de trabalhar de forma independente? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

19. Você é organizado? Você gosta de organizar o seu trabalho de acordo com um sistema particular?
Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

20. Você gosta de sua própria empresa? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

21. Você costuma encontrar-se contemplando o sentido da vida e as questões mais profundas da vida?
Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

86
22. Você gosta de filosofar? Como assim? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê. Você tem certeza?

23. Você costuma encontrar-se contemplando o propósito da vida? O propósito de sua vida? Você sente
esperança ou desesperança a maior parte do tempo? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

24. É muito importante para você para pensar e compreender as suas experiências interiores? Será
que perturbá-lo se não o fizer? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

25. Você costuma encontrar-se pensar sobre a natureza da humanidade, de povos e culturas
diferentes, e os direitos da humanidade? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se
não, descrever o quê, como, quando e porquê. O que você sente apaixonadamente?

26. Você está determinado a fazer a diferença na vida? Que tipo de diferença? Se sim, descreva o que, como,
quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê. Mais uma vez, você tem certeza?
Cavar fundo para responder a isso.

27. Você só oferecem conselhos se perguntou? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê. Quando você normalmente

87
oferecer Conselho?

28. Você acha que é muito fácil de ouvir a questão de outra pessoa e aconselhá-los? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

29. Você sente que é inadequado para discutir suas opiniões com outras pessoas? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

30. Você tenta obter insights sobre questões sociais, culturais, políticas e econômicas atuais? Você
manter-se com assuntos atuais? Será que eles lhe interessam? Quanto tempo você gasta fazendo
isso? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

31. Você gosta de receber feedback sobre seus esforços? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

32. Você muitas vezes têm opiniões que o diferencia dos modos mais populares de pensamento? Se sim,
descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

88
33. Você prefere auto-aprendizagem, tais como o ensino à distância? Se sim, descreva o tipo de
ambiente de aprendizagem que você prefere-o quê, como, quando e porquê. Se não, descrever o
quê, como, quando e porquê. O que você prefere?

34. Você se considera ter boa auto-estima? Você valoriza a si mesmo? O que isso realmente significa
para você? Se sim, descreva o que, como, quando e por quê de como você valoriza a si mesmo.
Se não, descrever o quê, como, quando e porquê. O que precisa mudar?

Agora pegue todas as suas respostas e no espaço abaixo escrever um resumo de como você parece estar usando
o Módulo intrapessoal. Você pode achar que, neste processo que você deseja alterar ou adicionar suas respostas-vá
em frente, este é um processo normal e boa auto-regulação. Depois de ter feito o resumo, dar uma olhada para ver se
você concorda com o que você escreveu e se você pode adicionar mais. Editar o resumo, perguntando a si mesmo as
seguintes perguntas: É este mim? Eu realmente acho que desta maneira? Esta é uma afirmação de agradar ou estou
sendo fiel a mim? Não seja demasiado duro consigo mesmo. Adicionar algumas linhas sobre como você pode usar o
Módulo Intrapersonal para melhorar a forma como você se comunica e se conectar com as pessoas e para melhorar
como você funciona em geral. Afinal, você é você, mas você começa melhor a ser você o tempo todo.

Módulo 2: Interpessoal Metacognitive Module-pensamento, sentimento Escolhendo

O próximo módulo é o modo interpessoal do pensamento. Esta parece ser diretamente atrás do
Módulo Metacognitive Intrapersonal em termos da nossa compreensão atual da organização do
cérebro. O Metacognitive Módulo interpessoal incorpora as capacidades computacionais de
comunicação; falando, interação social, escuta e partilha; construindo relacionamentos; e dar e receber

89
amor, união, e influenciando. pensamento interpessoal nos dá a capacidade de compreender e trabalhar com
pessoas e sensibilidade e empatia com os outros, particularmente para os seus humores, desejos, motivações,
sentimentos e experiências. Ele nos permite responder adequadamente aos outros, lendo os seus humores e
colocando-nos em seus sapatos ou nos avisa quando as pessoas não são confiáveis ​através de inconsistências
em suas palavras ou ações. Também se refere à boa gestão e habilidades de mediação e a capacidade de
motivar, liderar, orientar e aconselhar os outros.

1. Você está particularmente sensível às necessidades dos outros? você pode ler outros? Você gosta de
fazer isso? Se sim, descreva o que, como, quando e por que em detalhe. Se não, descrever o quê, como,
quando e porquê.

2. Você encontra-se observando as pessoas e suas reações? Será que este lhe interessam? Se sim,
descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê. O que
agarrar seu interesse sobre as pessoas?

3. Você se considera ser uma pessoa empática? Você acha que é fácil de entrar em sintonia com os
outros? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, como você descreveria a sua versão
de empatia? Descrever o quê, como, quando e porquê.

4. Você acha que é fácil de se colocar no lugar, isto é, sentir e experimentar o que outra pessoa está
experimentando de uma outra pessoa? Será que ela vem naturalmente? Ou você pode fazê-lo, mas é
trabalhoso? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

5. Você sente que responder adequadamente aos outros? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê. Você

90
sinto que este é um problema? Ou você está confortável com isso?

6. Você acha que é fácil de incentivar e motivar outras pessoas? Se sim, descreva o que, como, quando
e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

7. Você costuma encontrar-se em uma situação onde você está aconselhando e dando conselhos para outras
pessoas? Você acha que as pessoas se abrir para você facilmente? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

8. Você é bom em rede (profissionalmente ou socialmente)? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

9. Você gosta de pessoas ao seu redor o tempo todo? Ou a maior parte do tempo? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

10. Você precisa perguntar a um monte de perguntas como você aprender novas informações? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

91
11. Para a maior parte, você se lembra que as pessoas dizem? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

12. Você costuma citar outras pessoas? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

13. Você negociar com outras pessoas em ambientes empresariais ou sociais? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

14. Você costuma encontrar-se em situações onde você é o pacificador? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

15. É possível ensinar e explicar as coisas para outras pessoas de uma forma que torna a informação fácil de
entender? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

16. Você percebe se as pessoas compreender e receber as novas informações que você está discutindo? Você
pode auto-regular para ajudar as pessoas a entender você? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

92
17. Você rever o que você está ensinando e dizendo para que os outros vão te entender? Você fazer isso
especificamente, se você percebe que eles não estão entendendo você? Ou você continuar a falar,
ignorando suas reações? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê,
como, quando e porquê.

18. Você geralmente paciente com as pessoas? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se
não, descrever o quê, como, quando e porquê.

19. Você gosta de idéias saltam fora outras pessoas? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

20. Você acha que você precisa falar em voz alta para outras pessoas como você está trabalhando fora algo
em sua mente? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como,
quando e porquê.

21. Você formar amizades facilmente? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

22. Você manter boas amizades por muitos anos? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê.
Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

93
23. Você reconhece que há muitas maneiras diferentes de se comunicar com outras pessoas? Se
sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

24. Você fazer uso dessas diferentes formas de comunicação? Se sim, descreva o que, como, quando
e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

25. Você acha que é fácil de entrar em sintonia com e satisfazer as necessidades dos outros, dando conselhos
ou seja lá o que é que eles precisam? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever
o quê, como, quando e porquê.

26. Você é capaz de perceber os pensamentos e sentimentos dos outros? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

27. Você acha que é fácil para aconselhar e orientar as pessoas? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

28. As pessoas tendem a vir até você para conselho e conselho? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

94
29. Você gosta de influenciar as opiniões e / ou ações dos outros? Se sim, descreva o que, como,
quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

30. Você gosta de participar de esforços de colaboração, tais como projetos de grupo? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

31. Você é capaz de assumir vários papéis em um grupo, desde o seguidor ao líder? Se sim,
descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

32. Você prefere levar ao invés de seguir em um grupo? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

33. Você é rápido para compreender a comunicação verbal e não-verbal de um grupo ou de uma
pessoa? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando
e porquê.

34. Você tende a se dar bem com seus pais, irmãos, família e amigos? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

95
35. Você comunicar de forma eficaz, tanto a nível não-verbal e verbal? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

36. Você pode facilmente adaptar o seu comportamento e conversa para diferentes grupos e
ambientes? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como,
quando e porquê.

37. Você pode facilmente adaptar a sua opiniões, comunicação ou comportamento com base no feedback de
outras pessoas? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como,
quando e porquê.

38. Você é bom em mediação? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o
quê, como, quando e porquê.

39. Você gosta de orientação e / ou treinar as pessoas? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê.
Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

40. Você é bom em organizar outros em um grupo, como organizar e concluir um projeto de grupo?
Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

96
41. Você acha que é fácil trabalhar com pessoas de diversas faixas etárias e origens? Se sim,
descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

42. Você é um bom líder e visionário? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

43. Você é bom em gestão de pessoas, especificamente em termos de planejamento de ações e fazer as
coisas? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

44. Você é bom em discutir um ponto? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

45. Você prosperar em atenção? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o
quê, como, quando e porquê.

46. ​Você gosta de ser necessário? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o
quê, como, quando e porquê.

97
47. Você é bom em gestão de conflitos? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

48. Tem uma boa solução-finder? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

49. Você gosta de discutir muitas perspectivas sobre uma variedade de tópicos? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

50. Você gosta de ouvir muitas perspectivas sobre temas específicos? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

Agora pegue todas as suas respostas e no espaço abaixo escrever um resumo de como você parece estar usando o
Módulo interpessoal. Você pode achar que neste processo que você deseja alterar ou adicionar a suas respostas. Vá
em frente, este é um processo de auto-regulação normal. Depois de ter feito o resumo, dar uma olhada para ver se você
concorda com o que você escreveu e se você pode adicionar mais. Editar o resumo, perguntando a si mesmo as
seguintes perguntas: É este mim? Eu realmente acho que desta maneira? Esta é uma afirmação de agradar ou estou
sendo fiel a mim? Não seja demasiado duro consigo mesmo. Adicionar algumas linhas sobre como você pode utilizar o
módulo interpessoais para melhorar a forma como você se comunica e se conectar com as pessoas e para melhorar
como você funciona em geral. Afinal, você é você, mas você começa melhor a ser você o tempo todo.

98
Módulo 3: Linguistic Metacognitive Module-pensamento, sentimento Escolhendo

Os linguística Metacognitive módulo trata das capacidades computacionais matérias da linguagem escrita,
expressa e compreendida idioma. Este módulo parece ser no meio do cérebro. Ele também lida com
sensibilidade para os significados das palavras, sons, ritmos e diferentes usos da linguagem. Esta
sensibilidade se expressa de diferentes maneiras, tais como ser articulado ou ter a capacidade de pensar
em palavras e palavras de uso eficaz quando você falar e / ou escrever, que envolve a discutir, persuadir,
amor pela leitura e livros. Assim, o modo de linguística do pensamento responde a palavras faladas,
escritas, expressas ou ler.

Os domínios que compõem a linguagem, sua estrutura e usos, incluem:

Semântica: os significados ou conotações das palavras.


Fonologia: os sons das palavras e suas interações com os outros.
Sintaxe: as regras que regem a ordem em que as palavras são usadas para criar
frases compreensíveis. Um exemplo é que uma sentença deve sempre ter um verbo.

Pragmáticos: como a linguagem pode ser usado para se comunicar de forma eficaz. Estes são

todos os presentes no Módulo Metacognitive linguística.

1. Você ama palavras e seus significados? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

2. Você costuma encontrar-se procurar informações on-line ou em um livro? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

3. Você prefere enviar e-mail ou de texto em vez de falar ao telefone? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o que, como,

99
quando e porquê.

4. Você sabe como usar uma variedade de linguagem para se comunicar de forma eficaz? Ou seja, você está
eloqüente? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

5. Você costuma achar que você precisa para se expressar através da fala? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

6. Você costuma achar que você precisa para se expressar através da escrita? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

7. Você costuma achar que você precisa para se expressar através de ambas falar e escrever? Se sim,
descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

8. Você gosta de debater? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê,
como, quando e porquê.

100
9. Você gosta de persuadir as pessoas, isto é, mudar suas opiniões? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

10. Você gosta de instruir as pessoas? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

11. Você gosta de entreter as pessoas com palavras, como trocadilhos e piadas? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

12. Você gosta de ler? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê,
como, quando e porquê.

13. Você lê muito? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê,
como, quando e porquê.

14. Você lê um monte de diferentes tipos de literatura? Quais tipos? Se sim, descreva o que, como,
quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

101
15. Você gosta de escrever? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê,
como, quando e porquê.

16. Você gosta de contar histórias? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o
quê, como, quando e porquê.

17. Você gosta de escrever histórias? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o
quê, como, quando e porquê.

18. Você tem um bom conhecimento geral? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se
não, descrever o quê, como, quando e porquê.

19. Você pede um monte de perguntas? Por quê? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

20. Você pergunta e responder às suas próprias perguntas? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê.
Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

21. Você gosta de usar histórias para ajudá-lo a explicar alguma coisa? Se sim, descreva o que, como, quando
e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

102
22. Você gosta de debater durante as discussões? Ou seja, você costuma encontrar-se iniciar um debate
durante uma discussão? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê,
como, quando e porquê.

23. Você gosta de escrever poemas, histórias, lendas, papéis, e / ou artigos? Existem tipos específicos de
escrita que você aprecia particularmente? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

24. Gostaria de escrever uma peça ou um poema? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê.
Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

25. Você gosta de descrever eventos em detalhes? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se
não, descrever o quê, como, quando e porquê.

26. Você gosta de fazer apresentações? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

27. Você gosta de liderar ou orientar as discussões? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se
não, descrever o quê, como, quando e porquê.

103
28. Você gosta de entradas de escrita e / ou jornal de digitação? Ou manter notas sobre coisas que você ou
que você está pensando sobre o interesse? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

29. Gostaria de criar um programa de talk show de rádio, podcast, ou TV? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

30. Você gosta de boletins informativos e / ou blogs de escrita? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

31. Você ama usando ferramentas como enciclopédias, concordâncias, e enciclopédias para expandir o seu
conhecimento linguístico? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê,
como, quando e porquê.

32. Você gosta de inventar slogans ou frases? Você joga com as palavras e frases? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

33. Você gosta ou você gosta de conduzir uma entrevista? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

104
34. Você usa e-mail e texto muito? Ou você escrever cartas? É a sua forma preferida de
comunicação? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como,
quando e porquê.

35. Você gosta, ou você gosta, escrever um romance ou longa história? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

36. Você sempre tem algo a dizer e gostam de falar? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

37. São livros e material de leitura muito importante para você? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

38. Você ouve palavras em sua cabeça antes de falar, ler ou escrever? Se sim, descreva o que, como,
quando e porquê. Se não, descrever o que acontece, se alguma coisa, antes de falar, ler ou
escrever. O que, como, quando e por quê?

39. Você ouve palavras em sua cabeça enquanto você ouvir alguém ou quando você está assistindo
algo? Por exemplo, se você pensar em um gato, você imagina um gato real ou ver a palavra gato? Se
sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o que acontece quando você ouvir
alguém. Descrever o quê, como, quando e porquê.

105
40. Você prefere ouvir rádio, um audiobook, ou algo semelhante do que assistir TV? Se sim,
descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

41. Você gosta de jogos como Scrabble e Trivial Pursuit? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

42. Você gosta de entreter a si mesmo e outros com trava-línguas, trocadilhos e rimas sem sentido?
Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

43. Você gosta de utilizar um vocabulário complexo e estruturas de frases longas? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

44. Quando você está em um carro, você prestar mais atenção aos sinais, cartazes, e nada escrito que
o cenário? Ou ambos? Se você prestar mais atenção às coisas escritas, descrevem o quê, como,
quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

106
45. Você prefere temas como história, literatura, estudos integrados e línguas de matemática,
ciências, e outros estudos técnicos? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

46. ​Em uma conversa, você se refere muito para o que você leu ou ouviu falar? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

47. Você fala assim? Ou seja, você encontrará mais fácil de discutir temas ou questões com clareza e de forma
inteligente? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

48. Você pede um monte de perguntas ao mesmo tempo aprender novas informações em qualquer ambiente

- sala de aula, igreja, e assim por diante? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

49. Você gosta de aprender sobre a gramática? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se
não, descrever o quê, como, quando e porquê.

50. Você gosta de aprender e usar vocabulário novo? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê.
Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

107
Agora pegue todas as suas respostas e no espaço abaixo escrever um resumo de como você parece estar usando o
módulo linguística. Você pode achar que neste processo que você deseja alterar ou adicionar a suas respostas. Vá em
frente, este é um processo normal de auto-regulação. Depois de ter feito o resumo, dar uma olhada para ver se você
concorda com o que você escreveu e se você pode adicionar mais. Editar o resumo, perguntando a si mesmo as
seguintes perguntas: É este mim? Eu realmente acho que desta maneira? Esta é uma afirmação agradável pessoas- ou
estou sendo fiel a mim? Não seja demasiado duro consigo mesmo. Adicionar algumas linhas sobre como você pode usar o
Módulo linguística para melhorar a forma como você se comunica e se conectar com as pessoas e para melhorar como
você funciona em geral. Afinal, você é você, mas você começa melhor a ser você o tempo todo.

Módulo 4: Lógico / Matemático Metacognitive Module-pensamento, sentimento Escolhendo

Em seguida é a Lógica / Matemática Metacognitive Módulo, que lida com o raciocínio científico, lógica e
análise. Este tipo de pensamento envolve as capacidades computacionais matérias de compreender os
princípios subjacentes de um sistema de conexão; reconhecimento de padrões lógicos e numéricos;
manuseamento de longas cadeias de raciocínio de uma maneira precisa; manipulando palavras, números,
quantidades, e operações; vendo o significado em coisas; cálculo; quantificação; raciocínio coisas fora;
imaginando; teorização; ponderando sobre paradoxos e incoerências; e reconhecer e resolver problemas.

Este modo de pensamento também inclui mas não se limita exclusivamente à capacidade de criar estratégias,
mentalmente calcular e processar a lógica da vida e / ou problemas e equações lógicas, tais como os tipos de
problemas mais freqüentemente encontrados em múltipla escolha e outra padronizada testes.

1. Deus fez tudo e ciência é uma descrição do que tudo. A ciência é como entendemos como nós, como
seres humanos e todas as obras da criação de Deus. Com base nesta concepção, existem certas
áreas da ciência que lhe interessam? Por exemplo: as ciências da terra, neurociência, a ciência
médica, ciência da engenharia, a ciência da arte, ciência da computação, ciência tecnológica,
geologia, música, ensino, artes liberais, filosofia e assim por diante. Se sim, descreva o que, como,
quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

108
2. Será que a forma como o universo e consciência e vida profissional lhe interessam? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

3. Você gostaria de entender os princípios subjacentes de como as coisas funcionam? Isto poderia ser
qualquer coisa de biologia para bugs para máquinas para cozinhar-nada. Se sim, descreva o que, como,
quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

4. Você gosta de coisas para ser lógico? Você gosta de ver padrões lógicos no mundo ao seu redor?
Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

5. Você gosta de fazer perguntas relacionadas especificamente com o “como” natureza da realidade? Se sim,
descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

6. Você vê ordem e significado na vida cotidiana, incluindo objetos do cotidiano? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

7. Fazer as coisas tem que fazer sentido para você? É angustiante quando você não pode logicamente
entender alguma coisa? Se sim, descreva o que, como, quando, e

109
porque. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

8. Você vê padrões numéricos que você vá sobre a vida cotidiana? Se sim, descreva o que, como,
quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

9. Você precisa de longas cadeias de raciocínio a fazer sentido das coisas? Isso pode ser sobre qualquer
coisa a ver com viver a sua vida. Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o
quê, como, quando e porquê.

10. Você precisa de cadeias curtas ou longas de raciocínio, a fim de dar sentido às coisas? Se sim,
descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

11. Você é bom em equações matemáticas e / ou estatísticos? Se sim, descreva o que, como, quando
e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

12. Você é bom com pensamento geométrico? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se
não, descrever o quê, como, quando e porquê.

110
13. Você é bom em gestão do tempo? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

14. Você geralmente encontrar conceitos científicos fáceis de entender? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

15. Você pode mudar frente e para trás facilmente entre o retrato grande e os detalhes de uma situação,
problema ou tópico? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como,
quando e porquê.

16. Você meditar sobre as coisas de maneiras diferentes, até que faz sentido? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

17. É o seu pensamento geralmente disciplinado? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

18. Você gosta de cálculo? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê,
como, quando e porquê.

111
19. Você gosta quantificar? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o
quê, como, quando e porquê.

20. Você quer saber o que está chegando próximo (como durante a sua vida quotidiana ou em um
filme ou livro)? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como,
quando e porquê.

21. Não matemáticos, estatísticos, e / ou fórmulas de física falar com você? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

22. Você vê o que significa em números? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

23. Você gosta de projetar e conduzir experimentos? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

24. Você gosta de criar jogos de estratégia como caça ao tesouro? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

112
25. Você gosta de organizar o seu tempo? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

26. Você gosta de interpretar os dados? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

27. Você gosta de hypothesizing e perguntando “E se?” Se sim, descreva o que, como, quando e porquê.
Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

28. Você gosta de classificar fatos e informações? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê.
Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

29. Você gosta de descrever as coisas em termos de simetria e equilíbrio? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

30. Geralmente você pode ver os prós e contras de uma situação? Se sim, descreva o que, como, quando
e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

31. Você gosta de planejamento? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê,
como, quando e porquê.

113
32. Você gosta de coisas de raciocínio fora? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

33. Você gosta de jogar com números e fazer operações matemáticas complexas? Se sim, descreva
o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

34. Você gosta de usar a tecnologia? Você gosta de tentar entender a tecnologia que você usa? Se
sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

35. Você pode calcular facilmente números em sua cabeça? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

36. são (ou eram) os seus assuntos favoritos da escola tanto das ciências, matemática ou ciência da
computação? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando
e porquê.

37. Você gosta de jogos de lógica, como xadrez e cartas? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

114
38. Você gosta de computador ou jogos de vídeo estratégicas? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

39. Você gosta de quebra-cabeças? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o
quê, como, quando e porquê.

40. Você gosta de resolução de problemas? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

41. Você gosta de “what-if” jogos? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

42. A sua pesquisa mente para padrões, regularidades e seqüências lógicas? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

43. Fazer novos desenvolvimentos em ciência, tecnologia e o interesse ciências naturais e excitar
você? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

115
44. Você gosta de explicações racionais para tudo? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê.
Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

45. Você pensa frequentemente em resumo (sem palavras, sem imagens) conceitos? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

46. ​Você entende e ordem desejo? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

47. Você está imediatamente ciente das falhas lógicas em discussão ou conversa de uma pessoa? Se
sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

48. Você percebe as sequências ilógicas em eventos ou filmes, conversas, livros, memes, e assim por
diante? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

49. Você gosta de quebra-cabeças de construção, LEGOs, ou qualquer coisa dessa natureza? Se sim, descreva o

que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

116
50. Você gosta de questionar, experimentar, explorar? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

Agora pegue todas as suas respostas e no espaço abaixo escrever um resumo de como você parece estar usando
o Módulo Lógico / Matemático. Você pode achar que neste processo que você deseja alterar ou adicionar a suas
respostas. Vá em frente, este é um processo normal de auto-regulação. Depois de ter feito o resumo, dar uma olhada
para ver se você concorda com o que você escreveu e se você pode adicionar mais. Editar o resumo, perguntando a si
mesmo as seguintes perguntas: É este mim? Eu realmente acho que desta maneira? Esta é uma afirmação de agradar
ou estou sendo fiel a mim? Não seja demasiado duro consigo mesmo. Adicionar algumas linhas sobre como você pode
usar o Módulo Lógico / Matemático para melhorar a forma como você se comunica e se conectar com as pessoas e
para melhorar como você funciona em geral. Afinal, você é você, mas você começa melhor a ser você o tempo todo.

Módulo 5: Kinesthetic Metacognitive Module-pensamento, sentimento Escolhendo

O Metacognitive Módulo Kinesthetic inclui movimento, sensação somática, ea vida sentimento, emoções e
experiências através de seu corpo físico. Seu modo de Kinesthetic de pensamento envolve capacidades
matérias computacionais como a coordenação, senso de timing, movimento, destreza e equilíbrio, todos os
quais ajudam a jogar jogos como futebol, correr, sentar em uma cadeira sem cair, ou navegar no seu caminho
para baixo um corredor. Ele inclui integrar as sensações de dentro do seu corpo também.

Em essência, este é um energético tipo muito tátil,, multisensorial da capacidade que envolve o controle dos
movimentos do corpo, a capacidade de coordenar-se, e a capacidade de lidar com os objetos ao seu redor
habilmente. Ela envolve a necessidade de tocar, sentir e mover coisas ao redor, para manobrar ou experiência
enquanto aprende.

1. Você precisa experimentar e sentir, a fim de entender alguma coisa? Por exemplo, se
alguém está mostrando algo em seu telefone ou em um livro

117
ou revista, você precisa segurá-la em sua mão para processar a informação? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

2. Você imaginar-se a realização de um movimento físico ou atividade antes de fazê-lo? Em outras


palavras, você imagina toda a seqüência e vê-lo antes de realmente realizá-lo, especialmente se é
um processo complexo? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê,
como, quando e porquê.

3. Você precisa segurar um livro para ler ou ver as informações em uma página, mesmo tocá-lo com
o dedo, a fim de entender o que você está lendo? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

4. Você se sente a necessidade de tocar, se movimentar, e sentir coisas para ajudar você a entender e
reter informações? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como,
quando e porquê.

5. Você precisa experimentar o que você está aprendendo a torná-lo parte de você? (Por exemplo, se você
está encontrando seu caminho, você precisa ser o único a conduzir ou seguir junto com o seu GPS de
smartphones, a fim de aprender a rota, ou você pode aprender a rota por ser um passageiro ou seguir
alguém?) Se sim , descrevem o quê, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

118
6. Você gosta de ser mostrado como fazer algo, em vez de ser dito como fazer algo? Se sim,
descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

7. Você gosta de ensinar a si mesmo como fazer coisas novas, tais como a aprendizagem do piano, um
esporte novo, uma técnica, ou conhecimento sobre alguma coisa? Se sim, descreva o que, como,
quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

8. Você consideraria a sua coordenação para ser justo, bom ou excelente quando se trata de esportes,
atividades especializadas, e vida em geral? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

9. Você se considera ter um bom senso de timing quando se trata de vida em geral, incluindo
esportes, tocar um instrumento musical, ou dirigindo? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

10. Você encontra-se a necessidade para tocar, sentir, fisicamente manipular ou


caso contrário, use objetos quando você está explicando algo ou tentando entender alguma
coisa? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando
e porquê.

119
11. Você precisa usar objetos para explicar as coisas para as pessoas ou para passar a sua mensagem?
Você, por exemplo, agarrar o que está na frente de você para explicar o seu ponto? Se sim, descreva
o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

12. Você precisa usar muitos movimentos do corpo para explicar as coisas ou para passar a sua mensagem?
Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

13. Você encontra-se querendo tocar e mover-se através de um novo ambiente que você não
tenha sido antes? Será que isso ajuda-lo a processar e entender melhor o ambiente, quase
como se você está imprimindo isso em sua memória? Se sim, descreva o que, como, quando
e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

14. Você encontra-se pegar objetos e tentando entendê-los? Se sim, descreva o que, como,
quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

15. Você acha que você está sempre se movendo suas mãos, pés, corpo, ou todos eles ao ouvir,
compreender, ou explicar alguma coisa? Você é um verme de manobra na sala de aula, alguém
que se levanta e começa a andar enquanto fala, explicando, processamento, compreensão, ou
aprender? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como,
quando e porquê.

120
16. Você esticar muito, especialmente quando ficar sentado por longos períodos, como um meio de se concentrar
em novas informações? Você sente que o alongamento ou movimento ajuda a compreender as informações?
Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

17. Você precisa para se levantar e se mover como você processar informações? Faz
Você encontra-se desligar ou lutando para se concentrar quando você não se movimentar? Se
sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

18. Você bocejar muito enquanto ouve e focando profundamente? (Bocejar realmente “reinicia” o
cérebro e ajuda a concentração!) Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

19. Você gosta de role play, drama, charadas e teatro? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

20. Você gosta de jogos que requerem movimento, fala, e ações? Se sim, descreva o que, como,
quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

21. Você precisa explorar um ambiente através do toque e movimento antes que você possa se
estabelecer? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê.

121
Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

22. Você gosta de tocar ou lidar com o que você precisa para aprender, em vez de apenas olhando para algo? Por
exemplo, em uma palestra ou assistindo a um programa de aprendizagem on-line, você encontra-se a
necessidade de parar e escrever ou desenhar imagens ou obter interativo em alguma outra maneira de
aprender? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

23. Você é bom em organizar móveis em uma sala e colocar enfeites sobre uma mesa ou almofadas em um
sofá? você pode ver como puxar as coisas juntos em uma parede, em um quarto, em qualquer área? você
pode entrar em uma loja e saber exatamente quais peças para comprar? Se sim, descreva o que, como,
quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

24. Você gosta de viagens de campo, como visitar um museu ou o planetário? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

25. Você gosta de participar de peças teatrais ou musicais? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

26. Você gosta de jogos de estratégia físicas como caças captura, tag, e tesouro? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

122
27. Você percebe quando as pessoas não têm cores coordenadas suas roupas ou estilos corretamente?
Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

28. Você gosta de simetria em uma sala, como colocar dois vasos de plantas idênticas em ambos os lados
de um sofá? O que equilíbrio e simetria significa para você? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

29. Você está ciente do seu corpo e como você se sente? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

30. Você está ciente e preocupado com sua saúde física? Você se exercita regularmente e tentar
comer uma dieta equilibrada real-food? Você está ciente do sistema alimentar disfuncional e os
perigos de alimentos processados ​e OGM? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se
não, descrever o quê, como, quando e porquê.

31. Você acha que é fácil de participar de uma atividade de grupo que envolve uma seqüência coordenada
de movimentos, como aeróbica, dança, Pilates, ou ciclo de alma? Se sim, descreva o que, como,
quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

123
32. Você se considera para ser justo, bom ou excelente em atividades envolvendo as mãos, como
costura, cirurgia, pintura, e assim por diante? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se
não, descrever o quê, como, quando e porquê.

33. Você gosta de artesanato, como cerâmica, escultura em madeira, construir coisas, pintura, ou ofício?
Isto é algo que você faz para relaxar? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

34. Você acha que é fácil de criar novas formas de um esporte, como um novo tipo de dança ou uma nova
versão de basquete? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como,
quando e porquê.

35. Você gosta de jogar futebol, beisebol, futebol, tênis, e assim por diante? Esta questão não é sobre a
habilidade, trata-se de apreciar jogos de bola. Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se
não, descrever o quê, como, quando e porquê.

36. Você sente que tem uma boa coordenação olho-mão para a vida em geral, tais como dança, esportes,
artesanato, e assim por diante? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o
quê, como, quando e porquê.

124
37. Você se considera ser bom em ciclismo, passeios de moto, esqui
- atividades que exigem habilidades de velocidade, equilíbrio e coordenação? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

38. Você gosta de correr ou correr para o exercício ou diversão? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê.
Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

39. Você gosta de participar de maratonas, competições esportivas, e assim por diante? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

40. Você prefere esportes, esportes individuais do grupo, ou apenas exercício de qualquer maneira que achar melhor,

como caminhar ou exercitar-se no ginásio em seu próprio país? Descrever o quê, como, quando e porquê.

41. Você ama o movimento e esportes, mas não são tão proficientes em qualquer esporte particular?
Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

42. Você gosta de natação ou hidroginástica, seja para relaxamento ou concorrência? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

125
43. Você gosta de estar na água? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o
quê, como, quando e porquê.

44. Você muitas vezes se sentem compelidos a se mover quando você está pensando profundamente sobre algo?
Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

45. Você gosta de fazer modelos de coisas com Play-Doh ou massa de modelar? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

46. ​Você gosta de assistir a esportes ao vivo e na televisão e reconhecer e apreciar a habilidade
envolvida? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como,
quando e porquê.

47. Você começa um sentido para as coisas através de seu corpo? Por exemplo, quando você anda através de
um lugar, ou jogar um jogo ou um esporte, ou entrar em novas áreas, você sente todo o seu corpo de
responder? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

48. Você acha que é difícil ficar parado por longos períodos de tempo, especialmente em um ambiente de sala
de aula? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

126
49. Será que o movimento ou movendo-se de alguma forma você relaxar e / ou que se sinta em paz? Se sim,
descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

Agora pegue todas as suas respostas e no espaço abaixo escrever um resumo de como você parece estar usando o
Módulo cinestésica. Você pode achar que neste processo que você deseja alterar ou adicionar a suas respostas. Vá em
frente, este é um processo normal de auto-regulação. Depois de ter feito o resumo, dar uma olhada para ver se você
concorda com o que você escreveu e se você pode adicionar mais. Editar o resumo, perguntando a si mesmo as
seguintes perguntas: É este mim? Eu realmente acho que desta maneira? Esta é uma afirmação agradável pessoas- ou
estou sendo fiel a mim? Não seja demasiado duro consigo mesmo. Adicionar algumas linhas sobre como você pode usar
o Módulo Kinesthetic para melhorar a forma como você se comunica e se conectar com as pessoas e para melhorar
como você funciona em geral. Afinal, você é você, mas você começa melhor a ser você o tempo todo.

Módulo 6: Musical Metacognitive Module-pensamento, sentimento Escolhendo

O Módulo Metacognitive Musical pode parecer que é a capacidade de cantar ou tocar um instrumento musical;
buscar som; encontrar a paz, conforto, estímulo e motivação na música; murmurar; e assim por diante, isto é
óbvio. Mas, surpreendentemente, envolve também as capacidades computacionais de intuir, ser instintivo, leia
padrões, identificar ritmo, e, mais importante, ler entre as linhas e experiência quando as coisas, um lugar, ou
o que uma pessoa está dizendo apenas “não se sente certo “, bem como a sensibilidade ao ambiente, as
pessoas e os ambientes que eles criam.

Ele funciona muito intensamente com a parte do cérebro chamada ínsula, que é responsável pelo
desenvolvimento do instinto, permitindo assim que você ler entre as linhas. Ele também permite que você
sentir significado e para verificá-lo. Por exemplo, quando você perguntar ao seu amigo, “Você está bem?”, E
ela diz: “Sim, eu estou bem” (com um tremor em sua voz), este modo de pensar avisa que não há mais a

127
a situação. É, portanto, preocupado com a capacidade de ler as pessoas através do seu tom de voz e
linguagem corporal ao invés de apenas ouvir as suas palavras.
pensamento musical incorpora sensibilidade para lançar, melodia, ritmo e afinação nos sons e
movimentos que ouve e vê ao seu redor, bem como a capacidade de produzir ritmo, pitch, e formas
de expressão musical. É também a inteligência da intuição, “instinto”, e ler a linguagem corporal. É
envolvido tanto no tipo de pensamento atribuída a interpretação de conversa e no tipo de
pensamento visto em indivíduos musicais tais como Mozart.

1. Nós somos todos intuitivos; que é parte do processo de pensamento. No entanto, alguns de nós têm mais
sensibilidade nesta área em que quase ver e saber as coisas antes que elas aconteçam. Isso soa como
você? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

2. Você encontra-se tornar-se absorvido, às vezes até mesmo consumida, nas alegrias ou tristezas de
outras pessoas? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como,
quando e porquê.

3. Você sente a dor de outras pessoas intensamente? Ela afeta sua capacidade de funcionar? Você se
afastar ou tentar ajudar de alguma forma? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

4. Você costuma chorar em filmes tocar ou tristes? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se
não, descrever o quê, como, quando e porquê.

5. Você acha que é difícil de assistir a determinados filmes ou certas histórias porque eles se tornam demasiado
real para você? Ou você ama se perder neles? Se sim, descreva

128
o quê, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

6. Você tem um sentido para o pensamento matemático? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

7. Geralmente, você pode ler as atitudes de outras pessoas? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

8. Você consegue “ler nas entrelinhas” de que alguém está dizendo em voz alta, por escrito, e / ou através
de sua linguagem corporal? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê,
como, quando e porquê.

9. Você está muito ciente de como você se sente mentalmente e emocionalmente? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

10. Você consegue identificar facilmente e descrever a dor em seu corpo? Se sim, descreva o que, como,
quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

129
11. Você pode sentir facilmente o impacto do pensamento negativo e as emoções em sua mente e corpo?
Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

12. Você encontra-se intuitivamente prevendo coisas? Você está geralmente correto? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

13. Você acha que é fácil de ler outras pessoas? Você é bom em ler sua linguagem corporal,
expressões e tom de voz? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

14. Geralmente, você é um bom juiz de caráter? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê.
Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

15. Você acha que é fácil de seguir conversas e interpretar a dinâmica das conversas? Se sim,
descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

16. Você costuma encontrar-se observar outras pessoas que não auto-regular suas ações e
conversas em situações sociais? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

130
17. Você sentem instintivamente quando algo é certo ou errado ou que algo em um ambiente não
é certo? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como,
quando e porquê.

18. Você encontra-se não fazer ou dizer alguma coisa até que ele se sente “certo”? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

19. Você acha que você pode facilmente pegar ou não confiar em alguém? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

20. Você acha que é fácil de pegar as nuances na fala de alguém, como se ou não alguém está
sendo sarcástica? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê,
como, quando e porquê.

21. Você encontra-se ouvir e responder a uma variedade de sons, incluindo a voz humana,
sons ambientais, sons da natureza e música? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

22. Você gosta de música e achar que precisa-lo em um ambiente de aprendizagem? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o que,

131
como, quando e porquê.

23. Você costuma criar o seu próprio ritmo, se você não consegue ouvir música, especialmente quando você
está concentrando-por exemplo, clicando em sua caneta, batendo o pé, e balançando em sua cadeira
quando você está estudando? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê,
como, quando e porquê.

24. Você encontra-se respondendo a música cantarolando? Se sim, descreva o que, como,
quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

25. Você encontra-se respondendo a música movendo em tempo para a música? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

26. Você acha que a música e canto fazem você se sentir uma variedade de emoções? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

27. Se você assistir ginástica, ballet, dança ou qualquer esporte, você pode “ouvir” a música em
movimentos do corpo dos artistas? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

132
28. Você reconhece diferentes tipos de estilos, notas, tons, gêneros e variações culturais musicais? Se
sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

29. Você acha que a música papel desempenhou e continua a desempenhar na vida humana fascinante? Se
sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

30. Você recolher gravações de diferentes tipos de música? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

31. Você pode cantar? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como,
quando e porquê.

32. Você joga um ou mais instrumentos musicais? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê.
Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

33. Você é capaz e que você gosta de analisar e criticar seleções musicais? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

133
34. Você muitas vezes capazes de interpretar o que um compositor está se comunicando através da música? Se
sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

35. Você se lembra dos títulos e palavras de canções? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê.
Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

36. Você pode ouvir uma música, uma ou duas vezes e, em seguida, cantar ou cantarolar a maior parte dele? Se sim,

descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

37. Você tem um desejo de criar, ou você criado, um instrumento musical? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

38. Você gosta de música? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê,
como, quando e porquê.

39. Será que você gosta de ser (ou você já) um engenheiro de som, o maestro, ou músico? Se sim,
descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

134
40. Você ler e / ou escrever música? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

41. Você gosta de atividades musicais, como karaoke? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

42. Você costuma tocar, cantar ou zumbido durante o trabalho ou quando aprendendo algo novo? Se sim,
descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

43. Você gosta de assobiar? você pode assobiar? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê.
Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

44. Você batalha quando você está em um ambiente negativo ou próximo de pessoas que têm atitudes
negativas? Será que o seu humor cair sobre você e influenciá-lo por muito tempo? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

45. Você é capaz de discernir quando alguém está enganando você ou ser uma influência negativa em
sua vida? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando
e porquê.

135
46. ​Você encontra-se perguntando um monte de perguntas sobre como e por que algo aconteceu
ou está acontecendo? você pode ver os lados positivos e negativos? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

Agora pegue todas as suas respostas e no espaço abaixo escrever um resumo de como você parece estar usando o
Módulo Musical. Você pode achar que neste processo que você deseja alterar ou adicionar a suas respostas. Vá em
frente, este é um processo normal de auto-regulação. Depois de ter feito o resumo, dar uma olhada para ver se você
concorda com o que você escreveu e se você pode adicionar mais. Editar o resumo, perguntando a si mesmo as
seguintes perguntas: É este mim? Eu realmente acho que desta maneira? Esta é uma afirmação agradável pessoas- ou
estou sendo fiel a mim? Não seja demasiado duro consigo mesmo. Adicionar algumas linhas sobre como você pode usar
o Módulo Musical para melhorar a forma como você se comunica e se conectar com as pessoas e para melhorar como
você funciona em geral. Afinal, você é você, mas você começa melhor a ser você o tempo todo.

Módulo 7: Visual / Espacial Metacognitive Module-pensamento, sentimento Escolhendo

O módulo final é o Metacognitive Módulo Visual / Espacial. Visual / pensamento espacial envolve as capacidades
computacionais matérias para ver cor, luz, forma e profundidade; para navegar espaços; e para fechar os olhos e
imaginar objetos, visualizando assim, coisas que não são realmente na frente de seus olhos. Indivíduos com
deficiência visual têm muito bem desenvolvida pensamento visual / espacial, uma vez que confiar no que eles
podem ver em seu “olho da mente”.

Daí o modo visual / espacial do pensamento é a capacidade de ser capaz de ver sem ver; por exemplo, você
pode imaginar um ente querido e chamar uma imagem visual do seu inconsciente em sua mente consciente.
Esta é a capacidade de visualizar em imagens e / ou imagens, para “ver” com o olho da mente, para fazer mapas
mentais, de perceber o mundo visual / espacial com precisão, e agir sobre as percepções iniciais.

Visual / espacial pensar é sobre a representação interna do mundo espacial em sua mente e ser
capaz de orientar-se no espaço tridimensional com facilidade.

136
Os artistas têm um alto nível de pensamento visual / espacial, que se expressa em grandes obras como
as obras-primas de Leonardo da Vinci e Michelangelo.
No entanto, esse tipo de pensamento não se restringe às artes. Na mente de Sir Isaac Newton e
Albert Einstein, por exemplo, a expressão de sua alta pensamento visual / espacial foi mais científica.
Também não se restringe ao sentido físico do que algo parece.

1. Você encontra-se notar cor, luz, profundidade e formas ao seu redor? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

2. Você pode imaginar e ver um objeto, situação ou pessoa, como se ele ou eles estavam bem na frente de
você? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

3. Você pode orientar-se em um espaço tridimensional com facilidade? Ou seja, não é facilmente capaz
de manobrar em espaços complicados, ou você esbarrar em coisas? Se sim, descreva o que, como,
quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

4. Você costuma notar bagunça ou sujeira? Como isso faz você se sentir? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

5. Você percebe as coisas fora do alinhamento, como um quadro pendurado torto na parede? Você quer
corrigi-lo automaticamente ou você pode ignorá-lo e continuar com o que você está fazendo? Se sim,
descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

137
6. Você percebe quando as pessoas têm coordenado ou roupas combinando? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

7. Você percebe quando as pessoas estão bem preparado ou se eles estão despenteado? Isso preocupa você?
Como isso faz você se sentir? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê,
como, quando e porquê.

8. Você percebe a cor do cabelo das pessoas, estilo de roupa, e / ou nível de saúde? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

9. Você precisa de se expressar artisticamente em desenho, pintura, diagramas, novas teorias, idéias,
empresas ou qualquer outra forma de criatividade? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê.
Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

10. Você tem um monte de idéias? O que você faz com eles? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

138
11. Você visualizar o que as pessoas estão dizendo a você ou histórias que eles contam você ou coisas que você lê
como “pequenos filmes” no olho da sua mente? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

12. Você costuma encontrar-se olhando para o espaço enquanto escuta alguém? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

13. Você gosta de criar coisas canções, música, jogos, roupas, móveis, qualquer que seja, mesmo que
seja apenas no olho da sua mente? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

14. Você acha que é fácil de seguir um GPS e encontrar o seu caminho em torno de novos lugares? Você tem
confiança fazendo isso? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê,
como, quando e porquê.

15. Você é capaz de conduzir uma rota uma vez e encontrar o seu caminho de volta? Se sim, descreva o que, como,
quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

16. Você consegue facilmente auto-corrigir a rota de ter tomado ao conduzir se você perdeu uma volta ou algo
assim? É mais fácil para você para reajustar o seu mapa de smartphones (ou o que você usa para ajudá-lo a
encontrar o seu caminho)? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como,
quando e porquê.

139
17. Você pode facilmente “ver” no olho da sua mente como resolver problemas ou questões? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

18. Pode traduzir facilmente idéias em uma ação escrita ou física? Se sim, descreva o que, como,
quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

19. Você encontra-se pensar em fotos? Por exemplo, você imagina a imagem de um gato ou a palavra gato
primeiro? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como,
quando e porquê.

20. Você é capaz de mudar os móveis, salas, ou coisas físicas em torno de sua cabeça? Se sim,
descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

21. Você acha que no exemplo-3-D para, você pode mentalmente mover ou manipular objetos no espaço
para ver como eles vão interagir com outros objetos, tais como engrenagens girando em diferentes
partes da máquina? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como,
quando e porquê.

140
22. Você entende e gosta de usar e produzir informação para o gráfico de exemplo, você gosta de
usar gráficos ou tabelas para explicar conceitos? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

23. Você pode facilmente navegar no seu caminho através do exemplo de espaço para, quando se deslocam através de

aberturas, movendo um carro através de tráfego, ou estacionar um carro? Se sim, descreva o que, como, quando e

porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

24. Você pode facilmente ler um mapa? É o papel mais fácil do que digital ou vice-versa? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

25. Você gosta de blocos de construção, objetos origami, LEGOs e modelos? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

26. Você gosta de montar quebra-cabeças, especialmente os mais complicados? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

27. Você gosta de criar colagens de fotos e scrapbooking, seleção e planejamento de fotos para álbuns de
fotos, e assim por diante? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê,
como, quando e porquê.

141
28. Você gosta de criar apresentações de slides? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê.
Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

29. Você gosta de tirar fotos ou criar vídeos de ocasiões especiais? Se sim, descreva o que, como,
quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

30. Você gosta de desenhar cartazes, murais, quadros de avisos, ou sites? Você é atraído para eles
onde quer que você pode vê-los, e você percebe seus detalhes? Se sim, descreva o que, como,
quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

31. Você encontra-se visualizar (imaginando e imaginar) muito, especialmente quando você está ouvindo
e tentando entender alguma coisa? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não,
descrever o quê, como, quando e porquê.

32. Você consegue se lembrar facilmente grandes pedaços de informação (por curtos períodos de tempo)
apenas de ler? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando
e porquê.

142
33. Você gosta de criar complexos, desenhos tipo “arquitectura”? Se sim, descreva o que, como, quando
e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

34. Gostaria de fazer (ou você ama fazer) um filme ou um anúncio? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

35. Você aprecia e variação de aviso na cor, tamanho e exemplo forma-for, você percebe a cores,
mobiliário e design de interiores em quartos? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê.
Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

36. Você exemplo de código-for naturalmente cor, domingo é vermelho e segunda-feira é azul? Talvez
sons ou lugares ou pessoas têm cores em sua mente? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

37. Você gosta de jogos de tabuleiro, como Monopoly e Trivial Pursuit? Se sim, descreva o que,
como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

38. Você gosta e você se considera para ser justo, bom ou excelente na produção de várias
formas de arte, como ilustrações, desenhos, esboços,

143
pinturas ou esculturas? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o
quê, como, quando e porquê.

39. Você gosta de usar a tecnologia, como computadores, smartphones e tablets? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

40. Você gosta de fazer apresentações e palestras ou ensinar o uso de computadores e projetores de
dados? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

41. Você gosta de escrever em um quadro, flip chart, papel, iPad, ou qualquer coisa que você pode chegar em suas
mãos quando você está explicando alguma coisa, palestras, ou de ensino? Se sim, descreva o que, como,
quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

42. Você vê imagens visuais claras do que você está pensando ou ouvir quando você fecha os olhos?
Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

43. Nós todo o sonho, eo que estamos focando e assistindo e pensando apenas antes de dormir irá
influenciar nossos sonhos. No entanto, alguns de nós têm sonhos mais vívidos do que outros e
recordá-los com mais facilidade, como se fossem quase real. Você tem esses sonhos vívidos e até
mesmo

144
pesadelos, especialmente quando passando por “coisas”? Se sim, descreva o que, como, quando e
porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

44. Você gosta de desenhar e rabiscar, especialmente em situações onde você tem de se concentrar, tais
como quando no telefone ou ouvindo uma palestra? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê.
Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

45. Você prefere não olhar para um professor do, professor, ou qualquer outra face da pessoa quando você
está tentando ouvir e concentrar, pois isso distrai-lo? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê.
Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

46. ​Você acha que é mais fácil de aprender quando você pode ver e observar alguma coisa? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

47. Você costuma usar imagens visuais como uma ajuda para recordar informação detalhada? Se sim, descreva o
que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

48. Você pode facilmente dobrar um pedaço de papel em uma forma complexa e visualizar sua nova forma?
Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e porquê.

145
49. Você acha que é fácil de ver as coisas, tanto concreto e lingüístico-de maneiras diferentes ou a partir de
novas perspectivas; por exemplo, a detecção de uma forma escondida em outro ou ver outro ângulo de
um problema? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como,
quando e porquê.

50. Você consegue perceber ambos os padrões óbvios e sutis em objetos, móveis, nuvens, e assim por
diante? Se sim, descreva o que, como, quando e porquê. Se não, descrever o quê, como, quando e
porquê.

Agora pegue todas as suas respostas, e no espaço abaixo escrever um resumo de como você parece estar usando
o módulo Visual / Espacial. Você pode achar que neste processo que você deseja alterar ou adicionar a suas respostas.
Vá em frente, este é um processo de auto-regulação normal. Depois de ter feito o resumo, dar uma olhada para ver se
você concorda com o que você escreveu e se você pode adicionar mais. Editar o resumo, perguntando-se as perguntas, É
este mim? Eu realmente acho que desta maneira? Esta é uma afirmação de agradar ou estou sendo fiel a mim? Não
seja demasiado duro consigo mesmo. Adicionar algumas linhas sobre como você pode usar o módulo Visual / espaciais
para melhorar a forma como você se comunica e se conectar com as pessoas e para melhorar como você funciona em
geral. Afinal, você é você, mas você começa melhor a ser você o tempo todo.

146
7
A Checklist Perfeito Você

No grande drama da existência nós mesmos somos os dois atores e espectadores.

Niels Bohr, físico quântico

Esta lista perfeito Você é uma ferramenta de estilo de vida extremamente útil e simples, mas poderosa que irá
ajudá-lo a se tornar mais consciente do que você está pensando, sentindo, escolhendo, dizendo e fazendo, a fim de
permanecer em seu perfeito Você. Você pode usar esta lista de verificação antes, durante e após o momento da
tomada de decisão. Isto irá mantê-lo em seu perfeito You-que você descobriu mais sobre no perfil que você acabou
de preenchido e vai ajudá-lo a tomar decisões corretas. A maneira mais rápida para ativar sua Perfeito Você é
começar por praticar, em uma base diária, auto-regulação ativamente o seu pensamento e estar ciente de seu
espírito, mente e corpo. Como você faz isso intencionalmente e deliberadamente, você vai forçar ativa (consciente)
e dinâmica (sempre acontecendo em um nível inconsciente) de auto-regulação para interagir, que é quando você
vai estar operando em um nível muito elevado intelectual. Familiarize-se com a lista abaixo e memorizá-lo para que
você possa usá-lo como um estilo de vida.

Praticar isso diariamente por sessenta e três dias e observe como sua vida se vira em todas as
esferas-relacional, intelectualmente, carreira-sábio, academicamente, socialmente e emocionalmente. Depois de
sessenta e três dias, você deve fazer isso automaticamente e começar a desenvolver os seus conhecimentos e
eficácia em ser conscientemente ciente de operar em seu perfeito Você e você vai criaram um diálogo interno
constante com o Espírito Santo. Desta forma, você vai ser literalmente orar continuamente e operando assim na
sua, Perfect Você projeto divino, com fio-de-amor. Você vai começar a ser um sério imagem portador, refletindo a
glória de Deus! E, como você continuar fazendo isso para o resto da sua vida, você irá desenvolver o seu sentido
divino de propósito para produzir evidências e substância em sua vida que é longo, acima e além do que você
jamais esperava ou imaginava!

Múltipla Perspectiva Advantage (MPA)

147
Nosso vantagem múltipla perspectiva ( MPA) é a nossa capacidade de ficar fora de nós mesmos e observar o
nosso próprio pensamento. Isso acontece quando estamos conscientes, intencional e consciente. Ela ativa lobo
frontal do cérebro e as redes internas da mente.

Consciente e deliberadamente ativar o MPA, do lado de fora de si mesmo e observar a si mesmo


indo através dos seguintes passos:

Am I auto-consciente do que estou pensando, sentindo, e escolher em minha mente e como meu corpo

está reagindo nesta agora momento? Sou intencionalmente e deliberadamente usar o meu

auto-regulação ativa (meu pensamento consciente, sentindo, e escolhendo) neste agora momento?

Estou ativamente auto-regulação do entrada informações contidas neste agora

momento?

Estou ativamente auto-regulação do próximos memórias internas / pensamentos neste agora momento?

Estou escolhendo ativamente para pedir ao Espírito Santo para guiar a minha auto-regulamentação neste agora momento?

Estou ativamente auto-regulação meu pensamento sobre o de entrada e próximo


informações contidas neste agora momento? Estou ativamente auto-regulação do sentimentos que eu estou

experimentando neste momento que fazem parte das informações recebidas e próximo neste agora

momento?

Estou ativamente auto-regulação meu tom de voz, expressões faciais e linguagem corporal neste agora momento?

Am I auto-regulador como eu estou escolhendo para ouvir ao Espírito Santo neste

agora momento?

Agora, antes que você escolher, fazer a versão longa ou curta de ação de graças, louvor e
adoração exercício (veja abaixo). Agora escolher e criar com o seu poder, amor e mente sã!

Agradecimento, louvor, e Exercício Worship

Versão longa

1. Peça a Deus para lhe mostrar o que emitir você precisa trabalhar pelos próximos sessenta e três dias.

2. Visualize a questão como uma árvore tóxico em suas mãos e agora levá-lo aos pés de Deus. Você pode
fazer isso em sua imaginação e / ou realizar as ações reais no entanto você quer.

148
3. Reconhecer, confessar e receber o seu perdão.
4. Agora ajoelhar e colocar a árvore tóxica para baixo no trono da graça e
não pegá-lo novamente.

5. Ao ajoelhar, dizer cinco sentenças começando com “Senhor, eu te agradeço. . . ." Seja o mais
específico possível. Pesquisa diz que o mais específico você for, mais rápido a sua cura virá.

6. Agora levante-se, apertar as mãos firmemente, e imaginar que Jesus está segurando suas mãos, porque
ele habita nossos louvores. Diga cinco frases começando com “Senhor, eu te louvo por. . . .”Mais uma
vez, ser tão específico quanto você pode ser, e ficar com o mesmo problema. Não fique tentado a trocar
questões.

7. Agora, levante as mãos e entrar em adoração. Concentre-se 100 por cento em Deus e não sobre seus
problemas.

Três segundos Versão Curta

1. Graças a Deus que ele está ajudando.

2. Graças a Deus que ele está ali com você neste momento.
3. Adorar a Deus para ativar a sabedoria que você precisa.

149
150
8
As zonas de desconforto

Se você se colocar em uma posição onde você tem que esticar fora de sua zona de conforto, então você é forçado a
expandir sua consciência.

Les Brown, autor

Uma lição importante no físico está aqui para ser aprendido, a influência maravilhosa e poderosa das paixões da mente
sobre o estado e desordem do corpo.

John Haygarth, médico

Espero que você está cheio de expectativa e emoção, porque você está começando a entender como você
pensa, sente, e escolher em sua perfeita Você! Ao longo do caminho, você provavelmente também aprendi
mais sobre o seu cônjuge, seus filhos, seus amigos e vizinhos, e talvez até mesmo o seu patrão. Agora,
quando você quer saber,
Alguém aí me entende? você pode ver nas Escrituras, filosofia e ciência que Deus faz. Ele
criou-lo com cuidado. Você foi criado com a intenção, propósito e grandeza. Você foi projetado
para ser o perfeito você.
Nesta seção vamos tomar o Perfect Você um passo adiante e explorar a forma de identificar quando você
se moveu para fora do seu perfeito Você. Você tem lido sobre o espírito-mente-corpo / conexão do cérebro
ao longo deste livro, e agora você vai descobrir como o seu espírito, mente e corpo responder às suas
escolhas através das “zonas de desconforto.”

Como você tem aprendido neste livro, a sua perfeita Você é a sua maneira única de pensar, sentir e escolha. O
perfil UQ ajuda a compreender o seu perfeito Você: a sua mentalidade particular e as maneiras de pensar, sentir e
escolher. Como você passar o seu dia, você vai estar reagindo aos eventos e circunstâncias de sua vida e
construir essas reações em seu cérebro como pensamentos reais, físicos. A maneira de pensar, sentir e escolher
a reagir e, posteriormente, construir pensamentos-se quer desenvolver ou bloquear o seu perfeito Você. O seu
perfil UQ tem uma finalidade tríplice: para ajudá-lo a entender como você pensa exclusivamente, sentir e escolher;
para aumentar a sua capacidade de conscientemente e deliberadamente auto-regular o seu pensamento,
sentimento e escolher para mantê-lo em alinhamento com o Espírito Santo; e para ajudá-lo a entender como você
pensa, sente, e escolher quando você estiver operando em sua perfeita Você para que você possa reconhecer
quando você está operando fora dela. Para

151
o efeito, as zonas de desconforto ajudar a facilitar estas três finalidades. Vamos dar uma olhada em como
isso acontece.

Zonas de desconforto soar o alarme

Evidência do poder da mente é em torno de nós, em histórias de nossas próprias vidas e aqueles “superando as
probabilidades” narrativas que gostam de ouvir falar. Na verdade, nós, como seres humanos têm um fascínio
interminável com a forma como podemos usar nossas mentes para mudar as coisas. Deus nos projetado para ser
vencedores da carne e conquistá-lo, mas há um problema; a conquista da carne só tem sustentabilidade em Cristo ( ROM.
7: 24-25; 08:37; Gal. 2: 19-21).

Como mencionei no início deste livro, temos uma mente, nós vivemos em um corpo, e nós somos um espírito.
Nosso espírito tem três partes. Primeiro, a nossa intuição, onde o Espírito Santo fala a verdade para nós e nos leva, é
onde o nosso “instinto” de pensar, sentir e escolher no modo Perfeito Você reside. Em segundo lugar, a nossa consciência
é onde a nossa consciência das reside certo e errado. Em terceiro lugar, a nossa adoração é onde reconhecemos nossa
necessidade de ser imerso no amor de Deus, que são projetados para ser viciado em Deus.

Nossas mentes-nossas almas-se também composto por três partes: o nosso intelecto, emoções e
vontade livre (pensamento, sentimento e escolha). O corpo inclui tanto o cérebro e o resto do corpo físico.
Como já vimos, a mente eo cérebro são separados. Através da mente, mudar o cérebro. O cérebro eo
corpo simplesmente fazer o que a mente eo espírito lhes dizem para fazer.

Se a mente está fora de alinhamento com o design natural do Perfect You, através de reações incorretas e
trauma, então o cérebro eo corpo pode ficar danificado de várias maneiras, que serão expressas através de genes
danificados e biologia. Subsequentemente, mentes têm de trabalhar com as áreas de danos no cérebro e corpo, e
um circuito de retroalimentação tóxico é definido acima. No entanto, isso pode ser alterado porque a mente é mais
poderoso do que o cérebro. Essa capacidade do cérebro de mudar como resultado do trabalho mente é chamado
neuroplasticidade.

zonas de desconforto são zonas em nossos espíritos, mentes e corpos que nos alerta para quando estamos
saindo do nosso você perfeito. Em outras palavras, eles soar o “alarme” em nossa consciência quando damos um
passo fora da zona de amor e para a zona de medo prejudicial (ver capítulo 3). Estas zonas de desconforto são
mais evidência do amor sem fundo de Deus para nós, uma vez que são avisos que nos lembram de ficar em
nosso você perfeito. Quando usamos as zonas de desconforto, nós mergulhamos em um ambiente de amor, que
em um nível físico muda a nossa química cerebral e

muda todos os 75-100 trilhões de células do nosso corpo. Por sua vez, isso nos dá coragem para lidar com os nossos problemas e

desenvolver nossas mentes.

Neste capítulo vamos acompanhar brevemente alguns desses níveis zona desconforto para que você possa
usá-los a reconhecer quando você está fora do seu perfeito Você.

152
zonas de desconforto são gracioso “prompts” de Deus para nos manter na sua zona de amor ao aumentar a consciência
dos nossos pensamentos, sentimentos e escolhas para que possamos auto-regular-los.

Há quatro principais níveis zona desconforto que sequenciar através. Estes incluem, mas não
estão limitados ao seguinte:

1. A “apenas conscientes” nível-quando zona de desconforto você está apenas se conscientizando


da informação e sua reação.

2. O “cheia de adrenalina, de tirar o fôlego” nível-quando zona de desconforto a reação ao estresse entra em
ação, que pode fazer o trabalho por nós (ou contra nós) através de nossas escolhas, que eu vou explicar
com mais profundidade mais adiante.

3. O “atitudes” nível-estes zona de desconforto são os pensamentos físicos reais, com informações e
emoções, que não pode ser escondido, porque eles são reais, vivo, e gerando saudável ou tóxica
energia que está afetando você, seus entes queridos, e o mundo em que vivemos. são as raízes
de todas as suas palavras e ações.

4. O “prestes a escolher” nível-quando zona de desconforto que você está consciente de todos os

pensamentos, emoções ligadas, o estímulo de entrada, e sua atitude. Este é também o ponto em que

você escolher conscientemente para interagir com o Espírito Santo e pedir conselhos ou optar por ignorar

o seu conselho. Estes quatro níveis de zonas de desconforto incorporar elementos do espírito, mente e

corpo.

O elemento espiritual das zonas de desconforto

O elemento espiritual das zonas de desconforto é quando os opostos do fruto do Espírito (Gl 5: 22-23.) Ativar
em nossas mentes. Eles formam a nossa alarms- espiritual que nos ajudar a reconhecer que estamos em uma
zona de desconforto ea necessidade de aumentar a nossa atenção. Sua informação é tão útil que nós deveríamos
memorizá-las.

1. Ame, que conquista tudo e lança fora o medo (1 João 4:18), é o primeiro fruto da
o espírito. Quando seu oposto ocorre, quando nos sentimos conquistado, sem esperança, e consumido
com a vida no temor zona precisamos aumentar a nossa consciência de saber se estamos operando no
amor.

2. Alegria é a nossa força (Ne. 8:10). Seu oposto é quando estamos sentindo mentalmente
e fisicamente fraco e sem alegria.
3. Paz guardará nossas mentes em Cristo Jesus (Fp 4: 8.). Seu oposto é quando
não temos paz, ou se sentir vulnerável e exposto.
4. Paciência é um trabalho perfeito (James 1: 4-8). Quando estamos sentindo impaciente
com nós mesmos e os outros, pode inibir nossas ações.

153
5. Bondade deve ser refletida em cada parte de nós como imagem- de Deus
portadores (Sl 136:. 1). Quando fofoca, são julgamento, ofender, são ciumentos, e assim por
diante, nós não refletem sua bondade.

6. Bondade é uma característica fundamental de Jesus (Ef. 4:32). Se não estamos sendo

genuinamente amável com o nosso cônjuge, família, colegas de trabalho, amigos, amigo tráfego, e até mesmo fazer

compras parceiro linha, não estamos seguindo o caminho que Jesus nos mostrou.

7. suavidade não fala mal ou de ninguém (Tito 3: 2). Como gentil era
sua resposta aos seus entes queridos hoje? Gentileza é cativante e edificante, mas a falta de
gentileza é doloroso e vai desencadear uma resposta de vergonha emocional.

8. Fidelidade é algo que Deus mostra todo o Antigo e Novo


Testamento (Deut. 7: 9; João 3:16). É você confiável? Você fugir quando desafiado? Escondendo
de problemas, trabalho duro, ou seus medos vai fazer você infeliz e desconfortável.

9. Autocontrole é uma expressão da sabedoria (Pv. 29:11). A falta de auto-controle


pode inibir perseverança (2 Pe 1:. 5-9) e levar a uma sensação de irritação e falha.

O elemento Mente das zonas de desconforto

O nível da mente de zonas de desconforto ocorre em superposição, de ser apenas consciente, como em
nível de desconforto 1, à sobre-à-escolha nível de zona de desconforto 4. Sobreposição é o ponto quando
você está consciente das informações recebidas (eventos e circunstâncias da vida vem em você através de
seus cinco sentidos) e próximo da informação (suas memórias ou pensamentos existentes), até o ponto em
que você deliberadamente, ativamente, e dinamicamente auto-regulam o seu pensamento, sentimento e
escolher e construir a memória física ( veja o gráfico de resumo do capítulo 9).

Como você entrar em superposição, você começar a avaliar os elementos espirituais em um nível
crescente de profundidade e em essência está usando sua mente para avaliar o seu estado espiritual nas
quatro zonas de desconforto. Você se torna “apenas ciente” da existência ou não você está operando no fruto
do Espírito, responder à forte reação física de se ou não você está no fruto do Espírito, verifique se a sua
atitude se alinha com o fruto do Espírito e ver se suas escolhas são guiadas pelo fruto do Espírito. Este é um
monte de auto-regulação em superposição, que é essencialmente trazer esses pensamentos em cativeiro a
Cristo Jesus.

O elemento do corpo das zonas de desconforto

O nível corpo de zonas de desconforto reflete diretamente o espírito e mente. Estas zonas de
desconforto são as respostas físicas para o espírito e mente em ação. Para

154
exemplo, você se sente fisicamente doente ou como se você teve um duro golpe para o seu estômago, ou
você realmente desenvolver uma doença. Tornam-se evidentes em seu estilo de vida, porque o espírito e
mente expressar através o corpo. Eles podem ser facilmente sentida por causa do desconforto causado pela
interrupção no nível regular, consistente e confortável de milhões do seu corpo de minuto e complexo
elétrica, química e reações quântica e transações que ocorrem a qualquer momento.

Desconforto Zonas Prompts

1. Vá em superposição e usar sua vantagem perspectiva múltipla (MPA).


2. Como são o fruto do Espírito operacional: no nível
just-consciente? no nível adrenalina? sobre o nível
de atitude? na prestes a escolher nível?

3. Como você está se sentindo fisicamente? Isso é diferente de como você estava sentindo?

A sequência das zonas de desconforto através de quatro níveis

Os elementos espírito, mente e desconforto corporal acima estão englobadas nas quatro zonas de
desconforto. Se podemos treinar-nos a identificar e utilizar as quatro zonas de desconforto, estamos
bem no caminho para ser libertado das correntes de toxicidade e as atitudes de medo que eles
produzem. Vamos travar quando fora do Perfect You, mas vamos desbloquear o nosso verdadeiro eu,
quando estamos no Perfect You. Uma das maneiras mais simples de nos treinar para ficar no Perfeito
Você é familiarizar-nos intimamente com esses quatro zonas de desconforto e como eles aparecem ao
longo da rota que pensar, sentir e escolher passar através do processo de construção de pensamentos
físicos (que, como se recordarão, tornar-se a raiz de nossas palavras e ações). Para visualizar esta
rota, será uma boa idéia para fazer referência ao “Inside the Brain” diagrama abaixo,

155
As zonas de desconforto entrar em ação quando chegarmos a entrada do meio ambiente através dos
acontecimentos e circunstâncias da vida. Esta entrada vem através do nosso

156
sentidos, nossos corpos e nossos pensamentos-it é tanto interno como externo. A informação entra no
cérebro e passa para o córtex entorrinal e é transmitida através de uma estrutura chamada do tálamo para o
córtex exterior do cérebro, onde memórias (pensamentos) são armazenados. Esta é uma nuvem quantum
literal de difundir a atividade através do cérebro, que em um nível quântico é chamado de “onda manchada
de probabilidades.” 1

Os neurônios e dendritos do cérebro têm uma estrutura arbor-like e parecido com uma floresta emaranhada
maciça de árvores. Pensamentos realmente parecido com árvores e são muitas vezes referidos por cientistas
como as “árvores mágicas da mente”, já que eles continuam mudando e crescendo em resposta a nossas
experiências momento-a-momento. A informação interna e externa voa através dessas “árvores” em velocidades
tão rápido que eles são quantum na natureza, e os cientistas estimam estas velocidades para ser em torno de
10 27. Este é o primeiro lugar onde uma atitude (um conjunto de pensamentos com informações e emoções) é
ativado. A atitude é, literalmente, “ligado”, como as informações varre a memória como “a brisa através das
árvores.”

Seu cérebro é agora capaz de dar sentido a novas informações. Seu pensamento e sentimento impulsiona
um processo em referenciar ligações com experiências anteriores e memórias. Esta ação metacognitive é
orquestrado por auto-regulação dinâmica e activa (ver capítulo 5). A memória que é semelhante ou ligados de
alguma forma para a informação recebida será vivida como uma sensação sutilmente quente e feliz, se é uma
boa memória, ou um aviso ou sensação de mal-estar, se é uma má memória.

Desconforto Zona 1: Just-Aware

Se a memória é negativo, você vai ter sentimentos de inquietação e a paz do elemento espiritual da zona de
desconforto será perturbado. Este é o primeiro ponto onde o seu espiritual zona de desconforto auto-regulação
é alertado em um nível inconsciente. O desconforto irá desenvolver, ganhando energia suficiente para interferir
na sua mente consciente e influenciá-lo. Você não consegue lugar “que” ainda, mas alguma coisa está
começando a acontecer no seu cérebro em um nível não-consciente e está se movendo para a sua
consciência. Este elemento espiritual ativa o nível just-consciente, a primeira zona de desconforto.

Temos de responder em nossas mentes a esses momentos just-conscientes, que são como torneiras
espirituais no ombro lembrando-nos de auto-regular e nos perguntar, Estou operando no amor, alegria, paz,
paciência, bondade, mansidão e auto-controle?
Nunca ignore estas torneiras espirituais no ombro, porque os pensamentos estão vivos, real e dinâmico e
vai produzir qualquer fruta ou frutas tóxico. Traga esse pensamento em cativeiro antes que ele pega você,
para que você não tem que fazer trabalho extra para sair de suas garras mais tarde! Este passo é
importante porque é no nível epigenético (em outras palavras, para além da expressão genética de algo).
Isto significa que há um ambiente de desenvolvimento de fora da nova memória sobre a

157
ser construído, que vai influenciar exatamente como a memória vai olhar e sentir-saudável (baseado em amor)
ou tóxicas (baseada no medo) -e você é capaz de controlar este processo. Sua mente afeta quais genes em
seus neurônios são expressos, bem como quando e como eles são expressos.

A memória é construída quando a expressão genética acontece, que ocorre à medida que

escolher. Escolha faz pensamentos físicos vir a ser. Seu cérebro é projetado para responder ao conhecimento, e
você precisa para detectar se esta informação é bom ou ruim para você, caso contrário, você vai construir
conhecimento tóxico em seu cérebro com a sua mente. Essencialmente este nível just-consciente é quase como
uma prévia de como a informação vai influenciar seus sentimentos sobre a informação, mas é muito sutil; não é
um pensamento muito consciente ainda.

Desconforto Zona 1 (Just-Aware) Tip

Analisar esta vivificação do amor ou medo de que você está apenas tornando-se consciente de sua mente
consciente, este testemunho em sua perfeita Você, e trazê-lo para a sua consciência. Esta é uma antecipação
construído em seu perfeito You-a parte reguladora de você-que está respondendo ao conhecimento de entrada
e existente. É um medo ou amor antecipação de partida para construir-se em você.

O espiritual zona-o desconforto fruto do Espírito-vai mal? Você está se sentindo um pouco perturbado ou é a sua alegria
começando a desaparecer? Usando sua zona de desconforto mente, os pensamentos que você está se tornando
consciente de direito neste momento? Que sentimentos que eles estão trazendo com eles? Agora concentrar-se
rapidamente em seu corpo. É a frequência cardíaca apenas começando a aumentar, e você está começando a se sentir
tenso? Deliberada e intencionalmente entrar em sintonia com o seu espírito, mente e corpo para ver o que eles estão
dizendo.

A zona just-consciente tem a finalidade de iniciar o processo de proteger e guardar sua mente. O
elemento espiritual mostra-nos se estamos no amor ou medo, alegria ou paz, e assim por diante. O
elemento mente é a consciência de auto-regulação da informação recebida e futuros. O elemento do
corpo incorpora o acompanhamento físico para os elementos espirituais e mentais.

Como vimos ao longo deste livro, “tóxicos in, out tóxico.” Você vai sair de sua perfeito se você tem uma
mentalidade tóxico, que vem de não controlar o que você está pensando. Se o conhecimento e pensamentos de
entrada são boas, saudáveis ​e baseada no amor, seu presente e sabedoria continuará a ser desenvolvido. Mas
se a informação é negativo e baseada no medo, danos neurofisiológico pode acontecer, produzindo estresse
tóxico, que se manifesta de alguma forma fisicamente, mentalmente, ou ambos.

Precisamos lembrar que cada pensamento tem um componente emocional ligado a ele, uma
“assinatura química.” Esses peptídeos, pequenas proteínas que são mensageiros químicos, são
iniciadas pela parte do cérebro que chamo de fábrica química hipotálamo, encontrada no fundo no
meio do cérebro. O hipotálamo tem uma série de “receitas” para atitudes, constituídos de química

158
assinatura dos pensamentos ea emoção anexado. Ele usa os peptídeos para fazer uma assinatura química para
cada atitude. Assim, o hipotálamo traduz a atitude em uma realidade física no corpo através dos
neurotransmissores. Se a atitude é baseada em amor, isso é ótimo; mas se ele é tóxico, isso vai em cascata do
corpo no caos química, porque estamos ligados por amor e não têm “receitas” reais para toxicidade. E quando a
gente pegar o possível crescimento de um pensamento tóxico antes de uma atitude é formada, esta é a melhor
maneira de evitar um bloqueio em nosso você perfeito.

Mas o que acontece quando um pensamento tóxico cria raízes e faz crescer, porque você não pegá-lo na zona
de desconforto just-consciente? Depois zona de desconforto 1, os produtos químicos estão fluindo, os níveis
elétricos e quântica aumento da energia, e a adrenalina de bombeamento, coração batendo zona de desconforto 2
começa.

Desconforto Zona 2: cheia de adrenalina e coração batendo

Estes produtos químicos são chamados de “moléculas de emoção e informação”, 2 e são responsáveis, juntamente
com a dinâmica da física quântica, para transportar as emoções que você está sentindo em outra parte de seu
cérebro, a amígdala, que fica perto da fábrica de produtos químicos. Então mais uma vez, vemos uma reação física à
atividade mente. Estes sinais ativam a amígdala, que é como uma biblioteca no cérebro que detém as percepções
emocionais que você construiu com sua mente. As duas amígdalas são aproximadamente do tamanho de amêndoas.
Eles trabalhar muito estreitamente com o hipotálamo, que responde à mente, monitorar o fluxo de produtos químicos
e atitudes. Na verdade, mesmo aqui nós vemos a nossa singularidade, pois cada temos o nosso próprio equilíbrio e
nosso próprio projeto química interna, que é afetada pela natureza, consolide, e, mais importante, a nossa própria
maneira de pensar-nosso Perfeito Você. Nós podemos melhorar ou perturbar o nosso próprio estado equilibrado
apenas por nossos pensamentos. Não é incrível?

Uma vez que a assinatura eletroquímico e quântico, que é ativado por um pensamento na parte externa do
cérebro chega a biblioteca de percepções emocionais, a amígdala, você vai sentir uma reação física forte, porque
este é quando a reação de estresse começa. produtos químicos de estresse começar a fluir nesta zona desconforto.
Eles fazem o seu coração bombear mais rápido e enviar a adrenalina fluindo através de seu corpo. Você sente uma
corrida de foco alerta e consciência de que quase faz com que você fora de seus pés. Cortisol também é liberado,
afiar cognição; seus músculos tenso e sua respiração se torna superficial e rápida. Esta respiração empurra oxigênio
extra em seu cérebro para melhorar o seu pensamento e recuperação da memória. Está sendo preparado para
pensar claramente e tomar uma boa escolha- no entanto, só se você perceber o modo como se sente naquele
momento como sendo bom para você.

Sim, o estresse pode realmente ser bom para você! Ele só se torna tóxico quando você acha que é ruim para você. 3

159
O que quero dizer com isto? Bem, como já salientei ao longo deste livro, há uma extensa pesquisa
sobre a conexão entre corpo e mente, entre o físico eo emocional, e os estudos mostram que o trauma
psicológico afeta a atividade de vários genes. A investigação descobriu uma ligação entre microRNA (o
RNA regulamentar que falei anteriormente) e estressante situações de estresse e ansiedade irá resultar
em uma resposta inflamatória e aumentar drasticamente os níveis de reguladores de microRNA de
inflamação de expressão, tanto no cérebro e no intestino, de modo que a inflamação aumenta. 4

Esta reação de estresse em si não é ruim. Sua percepção de estresse é o que faz funcionar a favor ou contra
você, o que significa que você pode controlar reações do seu corpo com sua mente, mesmo a reação de
estresse! Este é o lugar onde o espiritual (fruto do Espírito), mente (superposição) e elementos da zona de
desconforto corporal (reações físicas) 2 chute no. Use-os para ajudá-lo a desenvolver a percepção correta de
stress, e continue a ler para descobrir por que isso é tão importante.

Desconforto Zona 2 (cheia de adrenalina e Heart-


Pounding) Tip

Quando em stress, optar por ver o seu aumento da frequência cardíaca como uma forma de obter mais sangue,
oxigênio e nutrientes para o cérebro para que você possa pensar mais claramente. Ver seu coração batendo
como a obtenção de mais oxigênio e sangue em seu cérebro para aumentar a sua profundidade de pensamento
e, portanto, a sabedoria. Ver o aumento da tensão em seus músculos como prepará-lo para a ação. Ver a
adrenalina como diminuir o tempo de resposta e aumentando a sua agudeza de espírito. Assim, em
superposição, optar por ver a resposta ao estresse como um projeto de amor por Deus para ajudá-lo a enfrentar
os desafios da vida, e fazer o que ele diz em Tiago 1: 2-4, que é a alegrar-se, apesar das circunstâncias.
Escolha em superposição para deixar o fruto do Espírito crescer em pilares em sua mente. Escolha de lembrar a
natureza de Deus, o que é amar e guiá-lo através das questões da vida. Consciente e deliberadamente praticar
isso, usando a sua auto-regulação ativa e dinâmica cada dia, e em sessenta e três dias você vai ter atualizado
um padrão ou um hábito para lidar com o stress desta forma. Quando você se encontra em uma situação
estressante, chegar imediatamente e servir aos outros, ao escolher para ver sua situação como algo que você
pode segurar, já que você é mais que vencedor em Cristo (Rom. 8:37).

Segundo a pesquisa, se você mudar de idéia sobre o estresse pode alterar a resposta do seu organismo ao
estresse. Um estudo mostrou que, se você acredita que o estresse é prejudicial para a sua saúde, seus medos
podem aumentar suas chances de doença e morte em 43 por cento. 5 Este estudo estima que uma média de vinte mil
pessoas morrem a cada ano por causa da crença de que o estresse em si é tóxico. No entanto, há uma boa notícia!
Indivíduos que não acreditam que o estresse era ruim para eles diminuíram seu risco de morrer. Da mesma forma,
outro estudo mostrou que quando você vê a resposta ao estresse como algo positivo, ele realmente muda respostas
físicas de seu corpo. 6 Para

160
exemplo, se você ver o estresse como bom para você, em seguida, os vasos sanguíneos ao redor seu coração vai
dilatar em vez de se contraem, aumentando assim o fluxo de sangue e oxigênio para o cérebro, em vez de
reduzi-los. O primeiro vai aumentar o fruto do Espírito e clareza cognitiva, confiança e inteligência; este último irá
potencialmente colocá-lo em risco de um evento cardiovascular, talvez até mesmo um acidente vascular cerebral.
No mínimo, sua fluência cognitiva vai diminuir e você vai ficar confuso.

Mais investigação tem demonstrado que cuidar de outras pessoas em seu estado de necessidade aumenta a sua
capacidade de resistência e reduz o risco de morrer. Então, ao invés de uma grande experiência estressante (como
dificuldades financeiras ou problemas familiares), aumentando o risco de morte em 30 por cento, cuidar dos outros reduziu
esse risco. 7 A crença sobre o stress pode fazer uma enorme diferença na expectativa de vida de alguém. 8 Estes estudos
também descobriram que como você percebe e reagir a eventos estressantes é mais importante para sua saúde do que
como freqüentemente você encontrar stress. 9 aborrecimentos menores podem acumular-se para influenciar sua saúde se
você ficar em estresse tóxico por muito tempo, e isso pode causar células nervosas e memória a se desintegrar. estresse
tóxico pode desencadear uma cascata de reações destrutivas dentro de uma célula nervosa, às vezes até causando
“suicídio celular”. Estas reações podem manifestar-se em sintomas de ansiedade, depressão, ou mesmo doenças físicas
(recordar a árvore Medo na página 55). Tais sintomas bloquear o seu perfeito Você. Outra pesquisa mostra que temos
genes no hipocampo (parte do cérebro envolvida na conversão de memória de curto prazo para a memória de longo
prazo) que são ativadas quando estamos em um modo de estresse para nos ajudar a lidar com o estresse. Mas se vemos
a reação de estresse como negativo, os genes desligar em vez de ligar. 10

Na verdade, durante os períodos de stress, a pesquisa mostra que uma das melhores coisas que podemos fazer é agir

como Jesus e cuidar dos outros! 11 Isto não é surpreendente, uma vez que a compaixão é uma característica fundamental de

uma mentalidade com fio de para-amor, que não podem coexistir com uma mentalidade medo auto-centrada. É, afinal, como

fomos criados para viver: em comunidade, enredado nas vidas uns dos outros (Marcos 9:35; Atos 20:35; Fp 2: 1-11; 1 Pe

4:10..). Como Paulo diz em Gálatas 5:14, “Porque toda a lei se cumpre numa só palavra,

. . . "Amarás o teu próximo como a ti mesmo.”


Nosso perfeito Você bloqueia isoladamente, mas floresce como parte do corpo de Deus (1Co 12:12; Rom.
12:. 4; Ef 4:16.). Se você quer viver uma vida boa, você tem que aprender a seguir o modelo servo de Cristo
(Mat. 20:28). Há realmente é nenhum ponto em ser “talentoso” ou “único” (o seu perfeito You) se você vive em
um universo de uma pessoa.

Desconforto Zona 3: Attitude

A terceira zona de desconforto lida com estabelecida atitudes, que são memórias de longo prazo com suas
emoções entrelaçadas. Essas atitudes mudar para a mente consciente para que você se tornar ciente deles.
Lembre-se, estes são pensamentos físicos reais com informações e emoções, para entrar em sintonia com o
espiritual (frutas

161
do Espírito), mente (superposição), e do corpo (reações físicas). Eles não podem ser escondidas, porque
eles são a energia viva e geradora de que é saudável ou tóxico. Eles são as raízes de todas as suas
palavras e ações e estão girando em torno de sua mente inconsciente, ganhando força e energia como
você, ao pensar profundamente, ativá-los.

Desconforto Zona 3 (atitude) Tip

Não basta reagir à atitude de ressurgência (um pensamento com emoções entrelaçadas), mas usar o espiritual
(fruto do Espírito), mente (superposição), e do corpo (reações físicas) para auto-regular essa atitude mantê-lo se
ele é saudável ou eliminá-lo se ele é tóxico. Porque uma atitude é um conjunto de pensamentos com suas
emoções relacionados, é extremamente importante para avaliá-lo; uma atitude tóxicos irá levá-lo para fora do seu
perfeito Você e irá afectar a sua capacidade de escolher bem com sabedoria. Se necessário, reconceituar a
atitude tóxico. E se ele não funcionar pela primeira vez, fazê-lo novamente

- e de novo e de novo. Ciência demonstra que você precisa para praticar o uso de algo ou estudando algo
pelo menos sete vezes por dia sobre sessenta e três dias antes que você vai ser capaz de usar as
informações ou realizar a habilidade. 12

Mas, como já enfatizado ao longo deste livro, você não tem que deixar seus pensamentos controlá-lo. Você não é
uma vítima de seus pensamentos e sua biologia; você é um vitorioso sobre eles. Isto significa que você pode mudar
esses pensamentos! Você pode ter sido enfermagem estas mentalidades negativas por tanto tempo que eles são tão
familiar a você que você acha que eles são normais. Este erro é muitas vezes feita. No entanto, apenas os
pensamentos formados quando você está no seu perfeito Você, da perspectiva de Deus, são normais, enquanto o
resto precisa redesenhar ou, para usar o termo científico,

reconceituação. Você pode analisar seus pensamentos e, por causa da neuroplasticidade do cérebro,
redesenhar e religar-los. Isto é “renovar a mente” em ação, e com a orientação do Espírito Santo é uma parte
essencial de uma, boa vida saudável. Na verdade, é a ciência reunião graça, desde que a pesquisa mostra que
a percepção consciente de pensamentos faz com que os pensamentos passíveis de mudança, porque eles
estão fisicamente enfraquecido! 13

Por exemplo, você pode ter sido abusado quando criança e achar que suas emoções são despertadas cada
vez que você entrar em um novo relacionamento, afetando sua capacidade de se conectar com seu parceiro.
Ou você pode ter sido medo de matemática por anos, e, logo que você entra na aula de matemática, as
emoções de ansiedade e medo bem em você, resultando em uma atitude negativa, diminuição da concentração
e mau desempenho que perpetuam o ciclo negativo de odiar matemática. Nestes casos, é imperativo que você
lida com o pensamento ativada ou ele vai submergir volta para a mente inconsciente ainda mais forte do que
antes e tornar-se parte de seu sistema de crenças dinâmica e poderosa. Isso vai afetar o seu perfeito Você e
sua capacidade de levar uma vida normal.

162
Pode, claro, parecer assustador para tentar capturar todas as suas atitudes desta forma. Mas quando você
entender como você pode cientificamente escolher o que se torna uma parte de quem você é, você também vai
entender que você tem uma oportunidade incrível para ser a pessoa que você quer ser.

Desconforto Zona 4: prestes a escolher

Este processo de desenvolvimento de uma consciência do impacto de nossas atitudes estabelecidas (hábitos /
sistemas de crenças arraigadas) nos ajuda a compreender o que é um mau hábito realmente faz para nós. E é aí que
zona de desconforto 4 entra em cena: é o “ponto de escolher” zona de desconforto onde você está em superposição
muito ativo e, essencialmente, baseando suas escolhas fora das atitudes de ressurgência (zona desconforto

3), a informação de entrada, e sabedoria do Espírito Santo através do espiritual (fruto do Espírito) e
do corpo (reações físicas). Então zona de desconforto 4 trabalha lado a lado com zonas de
desconforto 1, 2 e 3.
consciência consciente do que está acontecendo em sua mente neste momento, isto é, uma consciência dispostos e
intencional para voltar-se para seu espírito, mente e corpo internas experiências é uma maneira muito mais eficaz de
lidar com o stress tóxico do que tentar mudar a sua reacções tóxicas, de uma forma descuidada. Então, na zona de
desconforto 4, quando você está muito intencional, consciente, e consciente em seu espírito, mente e corpo, você tem
que ser particularmente consciente do que você está indo para escolher com base na informação recebida, os
pensamentos de ressurgência, e conversa com o espírito Santo.

Estudos utilizando fMRI mostram que a rede de auto-referencial do cérebro, chamada de rede de modo
padrão (DFM), está ativo o tempo todo, mas particularmente assim quando desligar o externo e ligue o interno
durante o pensamento meditativo profundo. Esta área é ativado quando são absorvidas-apanhados em nossos
pensamentos e consumidos por eles. Quando neste superposição ou “sobre a escolha” do Estado, que é a
quarta zona de desconforto, se optar por pedir ao Espírito Santo para nos ajudar a concentrar, podemos
acalmar, deixar ir e voltar atrás e fora do processo por ser conscientes da necessidade de sua sabedoria e
orientação. Nós aumentamos nossos poderes intuitivos e parecem estar fora de nós mesmos, o caos louco do
nosso pensamento se acalma, e essa mesma região, a DFM, responde em conformidade. 14

Quando fazemos uma escolha, a biblioteca perceptual emocional (amígdala, mencionado acima) nem
sempre oferece a verdade exata, porque ele funciona em percepções que construímos em nossas mentes
através de nossas escolhas e reações e percepções humanas às vezes são falsas. Na verdade, as emoções
armazenados nesta biblioteca amígdala pode ser muito perigoso se permitir-lhes para nos controlar.

Então o que devemos fazer para escolher bem? Nós precisamos nos lembrar conscientemente e
intencionalmente que Deus nos deu tudo o que precisamos (2 Pe. 1: 3). Ele deu-nos uma maneira de lidar com
cada situação, por isso não devemos fazer escolhas sem ele. Em superposição precisamos conscientemente pedir
a Deus sabedoria e se concentrar em

163
o fruto do Espírito. Prática esta mais de 63 dias e ele vai se tornar um hábito. Ao fazer isso, aproveitamos de
um circuito de Deus construiu em nossos cérebros que corre entre a amígdala e a parte frontal do cérebro
chamada de córtex pré-frontal (PFC), que está situado mais ou menos atrás das sobrancelhas. Operando
muito parecido com uma escala, este circuito responde a equilibrar razão e emoção. Isto é porque o lobo
frontal, dos quais o PFC é uma parte, é directamente ligado a todas as outras partes do cérebro e, por
conseguinte, torna-se muito activa quando conscientemente auto-regular. O PFC também tem no seu comando
o cérebro anterior basal que ativa todo o processamento percorre o cérebro. Ele gerencia, coordena e integra
todas as outras regiões do cérebro quando a mente está em ação por meio do pensamento, sentimento e
escolha.

Desconforto Zona 4 (prestes a escolher) Tip

Você está em superposição ativo. Você escolher bem, observando intencionalmente e deliberadamente seus próprios
pensamentos, sentimentos e respostas corporais. Você intuitivamente e deliberadamente optar por pedir ao Espírito
Santo para ajudá-lo a tomar decisões sobre seus pensamentos e emoções. Torne-se consciente do que está
acontecendo em seu corpo e mente no momento da escolha. Isto é como você trazer todos os pensamentos para o
cativeiro!

O PFC é muito ativo quando raciocinar e entender nossos próprios pensamentos sobre nós mesmos. 15 Nós
usamos este circuito PFC-amígdala para controlar as emoções turbulentas e respostas ao estresse em nossos
corpos; que faz parte do circuito de amor descrito anteriormente. Fazemos isso raciocinando a situação de frente
para nós, em nossas mentes ou em voz alta, quase como se estivéssemos do lado de fora de nós mesmos pensar
sobre o nosso pensamento. Se não fizermos isso, vamos cair para a zona de medo descrito anteriormente. Se
fizermos controlar o medo, no entanto, o corpo estriado é ativado. Isso nos leva a sentir-se calmo, tranquilo e
confiante, permitindo-nos assim a alegrar-se, apesar das nossas circunstâncias. Assim, reconhecendo nossos
pensamentos, sentimentos, memórias existentes e reações corporais é de suma importância, porque as emoções
são produtos químicos dinâmicas que fluem na corrente sanguínea entre as células e informação de depósito sobre
a memória em células. Isso também acontece através da ação quântica porque o cérebro é como um computador
quântico biológica. Se você suprimir uma emoção, ele irá explodir em algum lugar. Isto é porque o eixo
hipotálamo-hipófise-adrenal (HPA) será interrompido e funcionar anormalmente. este HPA 16 eixo envolve as
glândulas pituitária e do hipotálamo no cérebro e as glândulas supra-renais logo acima dos rins. É o circuito que é
activada de uma forma complexa, cíclico de tensão e libertar à medida que estão a responder à vida durante todo o
dia.

Quando nos tornamos conscientes das nossas quatro zonas de desconforto, vamos tornar-se menos interessado
no sistema atitude ruim / hábito / crença e mais interessados ​em que o Espírito Santo tem a dizer sobre situações em
nossas vidas e nossas atitudes existentes.

164
Aprendemos, por conscientemente ouvir o nosso espírito e corpo, para ver o impacto total pensamento tóxico, sentindo,
e escolhendo ter sobre nossas vidas. 17 Nós, literalmente, tornar-se desencantado com a maneira errada de pensar,
sentir e escolher, tornando mais fácil para deixar de ir a nossa dor e pensamento tóxico e entrar em nosso verdadeiro
eu perfeitas
- Perfeito Você. Quando percebemos que podemos controlar a nossa dor, o pensamento tóxico, e sentimentos errados e
reações, uma vez que nós realmente entender que estes não nos controlam, somos livres para começar a correr a corrida
de Deus e refletindo sua imagem gloriosa.
Todos nós temos a oportunidade de escolher a andar na Perfeito Você Deus nos deu, apesar das nossas
circunstâncias.

165
9
The Perfect Você Chart

Neste capítulo, você vai encontrar um resumo do que você estiver lendo até este ponto, como uma forma de
ajudá-lo a puxar todos os conceitos juntos em uma imagem inteira. Ele controla o processo a partir do ponto
em que você se concentrar em informações para o ponto em que as escolhas estão sendo feitas. Você verá
quatro colunas que você lê da esquerda para a direita. Coluna Um lida com as cinco etapas do sinal de
entrada dos eventos, as circunstâncias da vida, e os próximos memórias existentes. Coluna duas faixas da
filosofia e da ciência disso. A coluna três fornece alguns exemplos, e coluna quatro mostra como usar as
zonas de desconforto para ficar em seu perfeito Você.

166
167
168
10
Perfeito Você Módulo Metacognitive
exercícios

Cada vez que você pensa, ele muda ativamente seu cérebro e corpo para melhor (dentro do seu Perfect You) ou
pior (fora do seu perfeito You). Quando você faz escolhas ruins, os clusters de pensamento tóxicos com suas
emoções ligadas causar-lhe para sair de sua perfeita Você, e este deslizamento afeta seus pensamentos, palavras
e ações. Toda vez que você operar de acordo com o seu perfeito Você, você está operando em seu design
perfeito, refletindo uma determinada parte da imagem de Deus. Isto é o que você descobriu quando você fez o seu
perfil UQ.

Você pode escolher se você gostaria de crescer uma árvore atitude amor saudável que traz saúde e vida em
seu cérebro, ou uma árvore atitude tóxico espinhosa medo que vai trazer a morte em seu cérebro. Tudo tem a
ver com a sua perfeita Você.
Na minha prática, eu sempre fez questão de se concentrar sobre a singularidade dos meus pacientes, assim
como vi a maioria crianças, adolescentes e adultos que tinham perdido as esperanças em sua capacidade de
aprender ou conseguir alguma coisa na vida. Minha maior alegria foi ver pacientes sair da minha prática com
esperança em seus olhos e a mensagem em seus corações que é um fato científico de que eles têm uma mente
incrível que eles possam desenvolver e que eles realmente têm algo a contribuir para o mundo que ninguém mais
tem. Algumas das minhas experiências favoritas estavam recebendo mensagens de adolescentes irritados que,
inicialmente, apenas vieram me ver, porque os seus pais estavam no final da sua sagacidade quando se tratava de
lidar com eles, mas no final do nosso tempo juntos, eles me considerava um amigo. Lembro-me de um jovem até me
deu um abraço, me apresentar aos seus amigos quando cruzei com ele no cinema e me enviar este texto: “Dr. Folha,
você mudou minha vida; Tenho esperança de novo.”

Uma das minhas histórias favoritas de esperança sai do meu tempo de trabalho na África do Sul entre os
mais pobres de escolas, onde meu objetivo era tentar ajudar XII alunos passam nos exames. As condições eram
abismais-sem instalações decentes, alguns livros entre uma centena de estudantes, um quadro quebrado,
muitas crianças famintas e feridas.

Um jovem em particular sempre se destaca em minha mente, porque quando eu cheguei em sua sala de aula ele
estava zangado com a vida, com fome, cansado, sobrecarregado com os fardos da doença, vivendo em extrema
pobreza, envolvido em muitas perigosa

169
atividades que fizeram os alunos e professores muito cuidado com ele, e toda uma série de outras coisas tóxicas em
sua vida que eu não sabia. Eu me lembro dele olhando para mim quando me levantei para ensinar a ele e seus
colegas a aprender. Lembro-me de pensar que este jovem não tinha nenhuma esperança, apenas dor, e eu pedi a
Deus para me ajudar a tocar o seu coração. Bem, no final de um longo dia de seis horas, os professores perguntou
quem queria me agradecer. Segurando uma caneta, este jovem corria para a frente, as lágrimas escorrendo de seus
olhos, e me disse: “Dr. Folha, obrigado, obrigado. Agora eu sei o que fazer com a minha caneta.”Aquele jovem
encontrou significado e valor e Deus naquele dia, e seu rosto estará sempre em minha mente. Ele passou a mudar
sua comunidade e impactar o seu mundo.

Eu tesouro essas memórias e sou abençoado por ter muitos, muitos mais como eles. As mudanças que vi nessas
pessoas me inspirou a estudar mais sobre a mente eo cérebro, e os meus estudos têm me dado um sentido mais
profundo de como é grande o nosso Deus é. Será sempre a missão do meu coração para construir esta esperança para
as pessoas, porque faz as pessoas vêm vivo. Como diz a Escritura: “A esperança adiada faz o coração doente, mas um
desejo cumprido é árvore da vida” (Prov. 13:12 NVI). Eu quero estimular uma esperança em você para encontrar,
desenvolver e utilizar o seu perfeito Você. Eu quero que você seja tão cheio de esperança e amor que você vai derramar
isso em alguém que, por sua vez, também irá derramá-la em outra pessoa. Eu quero esta mensagem de esperança para
ir viral!

Os exercícios abaixo são projetados para ajudá-lo a desenvolver uma consciência mais consciente de como se
sente quando você operar em seu perfeito Você e inspirá-lo a esperança novamente. Juntamente com o
desenvolvimento de uma consciência de operar em seu perfeito você, baseado em seu perfil UQ, e uma consciência
do que está bloqueando a sua perfeita Você, você está indo para desenvolver o lado intelectual de pensar, e,
portanto, a sua inteligência.

O propósito dos Exercícios perfeita que você

Os exercícios perfeita Você é projetado:

Para ajudá-lo a tornar-se consciente de como você pensa, sente, e escolher em seu estado perfeito Você.

Para melhorar a forma como você usa os sete módulos metacognitivas, bem como para aumentar sua
interação. (Lembre-se, a força de seu perfeito Você está na soma das partes que operam como um
sistema inteiro. Não podemos destacar um módulo metacognitive e descrevê-lo como nosso “força”.)
Para ajudá-lo a reconhecer quando você sair de sua Perfeito Você. Para desenvolver o seu intelecto.

Como usar os Exercícios perfeita que você

170
Quando se trata de usar os exercícios perfeita que você, eu recomendo que você trabalhar com eles na seqüência
abaixo, passar tantos dias em cada como você achar necessário. Use a lista de verificação Perfect You (ver
página 235) todo dia e, além disso, esculpir minutos no seu dia a trabalhar nesses exercícios. Meu melhor
recomendação é fazer um por dia ou um por semana, o que funciona melhor para você, até que você tenha feito
todos eles, e depois repeti-los. Estes não são exercícios que você faz uma vez e depois esquecê-los; eles são
estilo de vida realmente deliberada mudanças que você está indo fazer para desenvolver e permanecer em seu
perfeito Você. Eles fazem parte de um estilo de vida de crescimento contínuo.

Então, em um nível prático, você pode ler através de uma primeira coisa exercício na parte da manhã,
escreva-lo em seu smartphone ou escrevê-lo em um cartão, e praticá-lo durante o dia. Se você já está
fazendo o meu detox cérebro de vinte e um dia (ver www.21daybraindetox.com e meu livro Ligue o seu
cérebro), você pode usar esses exercícios como parte de sua atinge activas.

Exercícios intrapessoais

Aqui estão algumas maneiras que você pode melhorar o seu modo de intrapessoal de pensamento, tendo tempo tranquilo para

avaliar o conhecimento que você está recebendo, por estar ciente do que está acontecendo dentro de sua mente, e por pensar

profundamente.

1. Prática ouvir o que você diz. Por exemplo, estar muito consciente de como você soa, seu tom de voz.
Concentre-se na escolha das palavras que você está usando para se comunicar o que você diz. Esteja
ciente de suas expressões faciais como você se comunica, bem como as reações de outras pessoas.
Você pode achar que é útil para escrever as suas observações em um jornal.

2. Prática estar ciente do que você está pensando. Prática trazendo todos os pensamentos em cativeiro. Não
deixe que quaisquer pensamentos ir desmarcada através de sua mente. Pare de pensar de forma aleatória e
intencional, o que você escolhe para se pensar.

3. Prática analisando sua intuição, sua intuição sobre as coisas. Pergunte a si mesmo, quando você se sente
levado pela intuição, o que realmente está acontecendo em seu pensamento. Como se sente quando sua
intuição prova ser correto? Você acha que sua mente está mais afiado com esta consciência?

4. Encontre sete períodos de tempo sozinho, apenas para o pensamento-sem telefone, iPad, computador, pessoas ou

outras distrações-só você ainda sentado, pensando. Faça isso por pelo menos um a dois minutos a cada dia.

Pode ser um pouco de um desafio no início, mas ficar com ela! Como você tranquilamente pensar profundamente,

você está construindo o seu pilar pensamento intrapessoal, que é fundamental para a introspecção,

auto-conhecimento e compreensão de seus próprios sentimentos, pensamentos e intuições.

171
5. Tente escrever para baixo seus sonhos e ouvir o que o Espírito Santo lhe diz sobre eles. Isso pode exigir
guardando distrações e pedindo ao Senhor para falar com você através de sonhos. Se este é um território
novo para você, simplesmente orar sobre isso esta semana. Você pode continuar a trabalhar sobre este
exercício durante as próximas semanas também.

6. Prática comparando idéias novas e exclusivas com ideias antigas. Por exemplo, se você está lendo sobre
a nova ideia de negócio de alguém, comparar esta a forma como você normalmente vê um negócio
dessa natureza em execução. Se você sempre pensou que você deve comer três refeições por dia,
pense sobre o jejum de um deles a cada segundo dia. Se você tem uma forte opinião sobre algo,
argumentam a partir de outro ângulo. Olhar para as coisas de diferentes pontos de vista.

7. Praticar o auto-exame mental, aprender sobre si mesmo e examinando seu perfil UQ. Olhe para trás o seu
perfil. Veja como Deus te criou única na forma como você processa pensamentos. Este é um exercício
simples. Você não precisa passar horas estudando o seu perfil. Basta reconhecer que Deus fez você
maravilhosamente, exclusivamente, perfeitamente você: esta é a sua perfeita Você!

Exercícios interpessoais

Aqui estão algumas maneiras que você pode melhorar o seu modo de interpessoal de pensamento saltando idéias fora
outras pessoas, comunicar, e que tem a discussão interativa com os outros.

1. recontar histórias Practice. Por exemplo, dizer a alguém, em detalhes, tanto quanto possível, sobre um
filme que você já viu ou um livro ou artigo que você leu ou está lendo. Compartilhe seus pensamentos
e ter uma discussão interativa sobre o tema. Isso não tem que ser demorado. Basta compartilhar sua
experiência com alguém. Como você se envolver em discussão interativa, você estará construindo o
seu pensamento interpessoal.

2. As pessoas praticam fazendo sentir à vontade em situações desafiadoras. Por exemplo, talvez haja um
amigo ou colega de trabalho que está lutando com uma situação. Fale com ela, incentivá-la e ajudá-la a
pensar através de seus sentimentos e o que fazer.

gastos 3. Practice qualidade tempo com as pessoas. Por exemplo, reservar um almoço ou
data de café com um amigo que você não tenha visto em algum tempo. Entrar em uma conversa de texto intensa

com alguém. Chamar alguém para uma conversa profunda.

4. Pratique ouvir sem interromper e sem planear a sua própria resposta. Tente fazer isso pelo
menos duas vezes por dia. Basta ouvir atentamente o que a outra pessoa está dizendo e
tomar o que ele tem a dizer.

172
5. Pratique ouvir duas vezes tanto quanto você fala. Então, em uma conversa, a outra pessoa vai fazer a maior
parte da conversa. Ouça atentamente para ela e não para os pensamentos em sua cabeça. Coloque-se
na posição do outro e tentar pensar como ele pensa.

6. Tocar “what if” jogos com você e outros. “E se” os jogos são uma exploração aberta de onde sua
mente quer ir. Eles são criativos em que você pode ir em qualquer direção, mas ao mesmo tempo
eles são uma atividade disciplinada desde que você observar o que você está dizendo e, portanto, a
pensar. Você pode até tentar pensar em respostas. Você pode mover-se do simples E se eu dirigi
uma outra maneira de trabalhar; o que seria diferente sobre o meu dia? para o selvagem E se eu
pudesse ir trabalhar em um tapete mágico?

A idéia é jogar e fantasiar, para explorar idéias e conceitos.


7. Tome um pouco de tempo para treinar ou orientar outros em algo que você é bom. Você tem dons,
talentos e habilidades que os outros se beneficiariam. Encontrar alguém que está olhando para o
coaching ou mentoring e compartilhar sua experiência e conhecimento com eles. Isso não tem que
ser demorado. Basta conectar com outra pessoa e passar sobre o que você sabe.

Exercícios linguísticas

Melhorar o modo de linguística do pensamento pode ser feito usando palavras-falando em sua cabeça e em voz
alta, fazendo perguntas, repetindo declarações, anotando pensamentos, pensando nas palavras, leitura, e assim
por diante.

1. As declarações de prática repetindo ouve ao ouvir as pessoas, a TV, e assim por diante. Tente repetir
frases ou até mesmo frases completas. Use o seu pensamento linguística para apreciar a informação na
forma de palavras, em seguida, repita-lo de volta. Você pode querer fazer deste um exercício que você
faz com outra pessoa. Este simples exercício não deve levar horas e horas. Basta adicionar o exercício
em sua vida diária.

2. Prática anotando pensamentos ao mesmo tempo aprender e concentração. Tomar notas durante palestras,
reuniões, ou sermões. Tomar notas como você está lendo um livro informativo ou artigo. Não só escrevo
para baixo a informação que está sendo apresentada; anote os seus pensamentos também. Isto pode ser
uma mudança de sua rotina normal, mas vai ajudar a construir o seu modo de linguística do pensamento.

3. Leia! Esta é a maneira mais rápida e eficaz de construção de pensamento linguística e deve tornar-se
um hábito de vida. Encontrar um bom livro, talvez um que você não leu ainda ou um favorito que você
tenha lido muitas vezes. esculpir

173
algum tempo cada dia para mergulhar em seu livro. Simplesmente gosto de ler a
história ou informação.
4. Leia uma variedade de literatura, do jornal para romances, revistas, e até mesmo quadrinhos! Leia
através de uma variedade de assuntos diferentes. Ler, ler e ler um pouco mais! Tente ler a partir de
uma fonte que você normalmente não escolher. Expandir sua base de literatura. Isso não precisa ser
demorado. Basta adicionar um pouco de leitura a partir de uma variedade de fontes de cada dia.

5. Prática aumentar o seu vocabulário. Tente aprender uma palavra nova a cada dia. Dentro de um ano,
você terá aumentado o seu vocabulário por 365 palavras. Praticar usando estas palavras em
diferentes contextos. Não complique este exercício simples. Basta usar as palavras novas que você
aprende em toda a sua rotina diária.

6. Prática jogar jogos de palavras como Trivial Pursuit, Scrabble, Clue, Conhecimentos Gerais, e
assim por diante. Divirta-se com este exercício simples! Jogue com as vinte e seis letras do
alfabeto, como eles são a base da língua.
7. Prática fazendo palavras cruzadas. Desafie-se trabalhando em um jogo de palavras cruzadas um pouco
todos os dias desta semana. Exercer o seu modo de linguística do pensamento, aprendendo novas
palavras no quebra-cabeça e escrever as letras. Divirta-se como você expandir o seu vocabulário!

Lógicas / Exercícios matemáticos

Raciocínio, análise e elaboração de estratégias podem melhorar o modo de lógica / matemática do pensamento.

1. Prática quantificar tudo que você faz. Analisar o tempo que você usa para várias atividades. Qual a
porcentagem do seu dia você gasta em comer, falar, redes sociais, e assim por diante? Este é um
exercício simples, mas profunda. Você pode se surpreender com as respostas para as perguntas
que você se pergunta.

2. Prática perguntando um monte de perguntas sobre tudo o que lhe interessa e


tudo o que não interessar a você até você entender o tema profundamente. Fazer muitas perguntas
esta semana! Encoraje sua curiosidade. Encontrar respostas. Trabalhar no reconhecimento de
padrões lógicos e numéricos. Tente seguir longas cadeias de raciocínio de forma precisa. Não
complique este exercício. Deve ser uma simples adição para sua vida diária.

3. estimativa Practice. Por exemplo, quanto tempo vai demorar para chegar a um determinado lugar, fazer o seu

cabelo, ou terminar uma tarefa? Quanto tempo resta até o almoço ou antes do trabalho é longo? Então você

mesmo tempo para ver se você estava certo.

174
4. Estatísticas Treino lembrando relacionados ao seu time favorito. Tente recordar as estatísticas que
você já conhece e também memorizar e aprender novas estatísticas. Se você não sabe estatísticas
esportivas, tente pedir alguém em sua casa ou olhando para um site de esportes.

5. Jogue jogos cálculo mental. Por exemplo, se você é um passageiro em um carro, somar os números
que você vê em placas de outros veículos na estrada. Você também pode jogar Sudoku ou um jogo
de números similar.

6. Prática quebrando informações que você quer se lembrar. Faça perguntas, para os outros ou para si
mesmo, até você entender a informação. Analisar as informações a partir de ângulos diferentes até
que fique claro. Isto não tem de ser complicado; manter este exercício simples e tão rápido quanto
possível.

7. jogar os jogos que são um esporte mente eficaz, como gamão, xadrez, ou ponte. Se você ainda não
sabe como jogar um desses jogos, aprender. Estratégias e pensar sobre os movimentos como você
desafiar o seu adversário. Talvez encontrar um grupo de pessoas que se reúnem em uma base
regular para jogar estes jogos. Desfrutar de construir o seu pensamento lógico / matemática!

Exercícios cinestésicas

Melhorar o modo cinestésico de pensamento pode ser feito por tocar, construção, criação, e apenas sobre
qualquer coisa a ver com o movimento.

1. Prática sentado em algo diferente de uma cadeira quando a aprendizagem, em seu computador, ler, assistir
TV, e assim por diante. Por exemplo, sentado em uma bola de exercício é uma experiência de se engajar
ativamente seu corpo, enquanto sentado em sua cadeira é uma atividade passiva. Torná-lo divertido! Você
pode se sentar em uma bola de exercício em sua mesa, na mesa da cozinha, em vez de em um sofá-criativo
com este exercício.

2. Estique frequência, ir para caminhadas, ou fazer algum tipo de exercício. Levante-se e vá! Quando você
move seu corpo, você vai experimentar uma sensação positiva de ação em realmente fazer algo.

3. Brincar com drama, incluindo teatro formal, dramatização e simulações. Talvez obter
toda a família envolvida, criando e executando um esquete família. Isso não precisa
ser complicado ou demorado. Seja criativo com o exercício desta semana.

4. Pratique fazendo movimento criativo, dança, ou alongamento rotinas. Isso pode ser algo que você já faz
regularmente, mas você pode não perceber os efeitos positivos do movimento tem sobre o seu processo
de pensamento. Se você não fizer isso regularmente, esta semana você tem uma oportunidade de tentar
algo novo. Divirta-se com o exercício!

175
5. Prática engajar-se em pequenas tarefas. Por exemplo, usar cartões de memória flash e carimbos de borracha,
construir com Legos, e fazer as coisas. Você pode obter criativo com este exercício. Por definição, este é um
energético tipo muito tátil,, multissensorial de pensamento que envolve o controle dos movimentos do corpo,
a capacidade de coordenar-se, e a capacidade de lidar com objetos e coisas ao seu redor habilmente.
exercício desta semana é uma forma divertida de colocar o seu pensamento cinestésica em prática.

6. Reorganizar um quarto em sua casa, seu armário, ou seu escritório para torná-lo mais visualmente
atraente. Este exercício simples irá ajudá-lo a construir a memória através das percepções
sensoriais e movimento. Não complique o exercício. Você não precisa gastar horas e horas fazendo
isso. Simplesmente rearranjar algo para melhorar o arranjo será suficiente.

Exercícios musicais

Você pode melhorar o seu pensamento musical através do ritmo, melodias, e intuição, bem como através da criação.

1. Pratique tocando sua música favorita em segundo plano quando se trabalha. Se você já faz isso, mudar seu
gênero. Há um poderoso link, cientificamente estabelecida entre a música e as nossas emoções. Este link
é responsável pela construção de memória. Gostam de ouvir música em segundo plano enquanto você
trabalha nesta semana. Este é um exercício que deve simplesmente se encaixam no padrão da sua vida
diária.

2. Prática usando instrumentos musicais disponíveis (ou torná-los) e reproduzi-los periodicamente. Se você não
pode realmente tocar um instrumento musical, improvisar usando panelas como tambores ou algo parecido,
ou começar a aprender! Nunca é tarde demais para aprender a tocar um instrumento. Como você
experimentar tocar um instrumento, você também vai construir a sua capacidade de ter instinto, que lhe
permite “ler nas entrelinhas”. Seu pensamento musical também permitirá que você para sentir o significado e
para verificá-lo.

3. Pratique algumas rotinas de aeróbica, esticar, ou a pé para a música. Será que os seus movimentos
ao ritmo da música que está a ouvir. Preste atenção ao ritmo e melodia. Não complique este
exercício simples. Simplesmente movendo o seu corpo ao ritmo da música é suficiente para
construir seu pensamento musical.

4. Pratique tocando um ritmo com os pés no tempo para os dedos. Isso pode demorar um pouco de
prática, mas deve ser um exercício divertido que se estende você. Isso não precisa ser
demorado ou complicado. Basta adicionar o exercício em sua rotina diária normal.

176
5. Prática cantando ou cantarolando enquanto você trabalha, mesmo que seja sob a sua respiração de forma a não
incomodar os outros. Não importa se o seu pensamento musical é alta ou baixa, a música ainda pode ajudá-lo a
aprender. música clássica, em particular, tem provado ser benéfico em salas de aula e outros ambientes de
aprendizagem.

6. Pratique a leitura de poesia e aprender sobre a estrutura poética. Encontrar um livro sobre a poesia e gosto
de ler os poemas em voz alta ou silenciosamente. Use um bom ritmo durante a leitura. Faça uma pequena
pesquisa, a fim de aprender mais sobre a estrutura poética. Não complique o exercício. Você não precisa
gastar horas lendo poesia. Simplesmente desfrutar de poesia.

7. Pratique conscientemente ler nas entrelinhas do que as pessoas estão dizendo e fazendo e tentar entender
as atitudes das pessoas, observando sua linguagem corporal. Isto pode ser feito a qualquer momento que
você interage com outras pessoas. Observe suas expressões faciais e da postura de seus corpos. Tentar
interpretar o que estão dizendo por meio da comunicação não-verbal. Use sua intuição como você ouvir o
que eles estão dizendo.

8. Prática perceber inflexão na voz de outras pessoas. Como você está tendo conversas, observe o que outras
pessoas estão dizendo através de seu uso de inflexão de voz. Observe a ascensão e queda de sua inflexão
de voz, bem como a deles. Simplesmente trabalhar este exercício em sua rotina diária como você interage
com as pessoas.

Visual / Exercícios Espaciais

Reforçar o modo visual / espacial de pensamento pode ser feito por pensar em imagens e imagens, usando a sua
imaginação, e visualizar ao mesmo tempo aprender.

1. desenhos animados prática da leitura e / ou criar seus próprios desenhos animados. Seja criativo com este
exercício simples e divertido! Exercer o seu pensamento visual / espacial incentiva operações mentais
geralmente não executadas em um modo verbal. Lendo e criando desenhos animados pode vir a ser uma
atividade que você realmente gosta, enquanto, ao mesmo tempo que reforça e constrói essa forma de
pensar.

2. Prática fazendo exposições de pôsteres em seu escritório, classe, ou casa para ajudá-lo a pensar e expressar
idéias, mesmo Pinterest funciona. Estes podem ser simples, em pequenos pedaços de papel, ou tão
elaborado como você quer. O ponto é se expressar visualmente de alguma forma.

3. Prática desenhando ou rabiscando quando se pensa. Não importa o que as imagens se


parecer; é o exercício que conta. Divirta-se com este exercício! Seja livre para desenhar ou
rabisco que você gostaria.
4. Pratique estar ciente de e diferenciar entre as cores na natureza, em torno de sua casa em todos os
lugares. Torne-se consciente das diferentes tonalidades de cor. Observe cor como você dirige através
de sua vizinhança, como você está em

177
trabalhar, como você está na escola, como você dar um passeio-onde quer que esteja ao longo da

semana.

5. Prática desenvolver a sua memória visual. Para fazer isso, fazer o exercício da Vinci. Ou seja, olhar
para um objeto complexo, memorizá-lo, em seguida, feche os olhos e tente lembrar-lo em detalhes,
tanto quanto possível. Isso pode demorar um pouco de prática, mas não desista! Este exercício não
deve ser demorado. Basta tomar alguns minutos para praticar este exercício durante a semana.

6. Estudo de decoração e moda revistas e ser mais consciente de móveis e decoração de casa, bem como o
que as pessoas estão vestindo. Onde quer que vá a cada dia, observe a decoração dos lugares que você
vê. Tome nota de como diferentes pessoas usam moda de diferentes maneiras. Folhear as páginas de
uma revista de moda ou decoração enquanto você estiver em uma linha de sala de espera ou mercearia.
Este simples exercício pode ser feito como você está indo sobre sua vida diária.

7. Prática tentando tirar fotos artísticas, se está ou não compartilhá-los com outros. Tente ver as
coisas de diferentes perspectivas e fotografá-los a partir de ângulos diferentes do que você
usaria normalmente. Não complique este exercício simples. Basta tirar fotos artísticas,
enquanto você ir sobre sua rotina diária normal é suficiente.

178
Epílogo

Como podemos compreender o conceito da singularidade humana? É tão vasto e profundamente misteriosa, fez mais
pelo fato de que somos imagem portadores do Criador. Eu escrevi este livro para todos nós, incluindo eu mesmo,
para estimular em nós o reconhecimento da necessidade de começar a desbloquear o maravilhoso mistério da nossa
Você Perfeito e abraçar a nossa excepcionalidade. Precisamos reconhecer que somos além de um QI ou SQ ou EQ
ou uma categoria em um questionário!

Quando começamos a ver quem somos, o nosso projeto de identidade, começamos a descobrir o
significado de nossas vidas. Significado não é apenas algo que acontece dentro de nossos cérebros. É
algo que evolui através do Perfect You e fornece o contexto para as coisas que entram em nossas vidas.
Pense em uma pintura. O significado do trabalho não surge a partir da análise química dos materiais
usados ​para criá-lo. Nem significando surgir a partir dos vários níveis de processos neurofisiológicos dos
fotões de luz que atinge a retina no fundo do olho ou os impulsos eléctricos resultantes que passam ao
longo do nervo óptico para as diferentes partes do cérebro. Significado surge seu interpretação da
perspectiva pintura-seu exclusivo, o seu contexto, a sua perfeita Você.

Nossos pensamentos, sentimentos, escolhas, palavras, experiências, vive-todos estes têm significado, que é
maravilhosamente moldada e expressa através da maneira especial cada um de nós pensa, sente e escolhe. Através do
nosso perfeitos, nós crescemos como seres humanos, aprendendo mais sobre nós mesmos e aos outros.

A singularidade do seu perfeito Você não pode apenas ser medido e trancado no pelos
números e categorias de inteligência, ou quocientes emocionais e sociais. Você está muito mais;
você tem as propriedades da eternidade. Você é único. Você tem o seu próprio plano de
identidade. Está projetado para operar na moeda do amor, poder e solidez. Tu es digite-lo. E, como
tipo, você pode fazer algo que ninguém mais pode fazer; o mundo não seria o mesmo sem você.

Uma vez que você realmente entender o seu perfeito você, você vai começar a operar em seu tipo-lo. Você
vai se libertar de baixa auto-estima, auto-dúvida, a inveja, o ciúme, e auto-preocupação, que pode destruir o
tecido cerebral. Você vai encontrar-se comemorando o sucesso de outros, porque você vai reconhecer como
cada uma de suas experiências únicas acrescenta, ao invés de diminui, o seu próprio sucesso em alcançar o
propósito que Deus fixou em cada um de nós como diferentes partes de seu corpo. E, ao fazê-lo, você vai
crescer o tecido saudável do cérebro em vez de destruí-lo, assim, trazendo saúde para a sua mente, espírito e
alma.

179
Você vai parar de se comparar com os outros, olhando para essa chave indescritível para o sucesso nas
realizações dos outros, porque você vai ser livre para olhar para dentro para o sucesso que já o seu é para ativar.
Você não vai mais machucar o seu auto-estima, tentando remodelar a sua impressão digital para coincidir com
outra pessoa. Você irá realizar-se as mãos com um orgulho humilde para todo o mundo ver.

Quando você lê sobre alguém realizações de outra pessoa que você vai encontrar-se a comemoração de seu
roteiro, aprendendo com sua perseverança e unidade e compromisso com a sua própria Perfeito Você. Ao fazer isso,
você vai tomar as fora dos limites onde seu perfeito Você pode tomar você. Você só pode ser você. Você daria um
péssimo alguém mais. O Você Perfeito em que você se destina a glorificar, amar, e para alcançar além de si mesmo,
mas você não pode crescer na expressão mais completa da criação de Deus, se você vive em dúvida ou inquietação.
Você perde visão de si mesmo de Deus na busca de ser outra pessoa. Você também perder de vista a si mesmo
quando você se permite ficar consumido pela culpa de seus problemas do passado e erros.

Neste livro você descobriu o seu valor, o seu significado, e como não a viver em dúvida e inquietação.
Você ativou uma busca que irá iniciar o processo de identificação do modelo para o seu perfeito You-a única
maneira de pensar, sentir e escolher. Você começou a aprender como se tornar conscientemente conscientes
e mais interessados ​no que está acontecendo em seu corpo e mente, que irá ajudá-lo a permanecer no seu
perfeito você. Você começou a desenvolver uma vontade de voltar-se para a sua experiência ao invés de
tentar vigorosamente alterá-lo para ser algo que não pode ser.

O mundo é de cerca de probabilidades. Você, com seu perfeito você, estão na intersecção de fazer suas
probabilidades únicas real e significativa, porque ninguém pode ver o que você vê. É de sua experiência pessoal.
E como você criar uma realidade única, com o seu brilhante perfeita Você, você está atualizando seu
conhecimento do mundo e adicionando uma qualidade para o mundo que só você pode adicionar.

Você não está projetado para colidir com a experiência de todos os outros. Está projetado para andar ao
lado de todos os outros em sua singularidade. Não é o mundo ou a nós, mas -nos dentro do mundo. Sua
mente única, expressa através de sua perfeita Você, reflete a glória de Deus, trazendo o céu à terra e tornar
o mundo um lugar mais bonito.

VOCÊ É BRILHANTE.

Todo ser grita silenciosamente para ser lido de forma diferente.

Simone Weil, filósofo francês

180
posfácio
pelo Dr. Avery M. Jackson

Guarda e manter seguro o depósito [da verdade divina] que lhe foi confiada, afastar-se mundana e tagarelice sem Deus
[com a sua profano, palavras vazias] e as contradições do que é falsamente chamado de “conhecimento” -que alguns
professaram e fazendo por isso, se desviaram (errou o alvo) e desviaram da fé.

1 Timóteo 6: 20-21 AMP

O poder da mente, como o Dr. Caroline Folha demonstra, é ilimitado quando temos a mente de Cristo e
operar no amor e, portanto, na Perfeito Você. O Senhor Deus me propôs para funcionar como um
neurocirurgião que mostra seu amor manifestado pelas minhas mãos ao executar cérebro e coluna vertebral
cirurgias. Eu ando em meu perfeito Você como eu sou conduzido pelo Senhor, usando a mente de Cristo e da
sabedoria de Deus durante os procedimentos cirúrgicos, a fim de ter os melhores resultados.

Dr. Folha também enfatiza que podemos desaprender pensamentos tóxicos negativos quando operamos no amor
como nós caminhamos na Perfeito Você. Ciência é suposto dar respostas finais sobre problemas médicos. No entanto,
podemos aplicar o método científico e ainda perder algumas das aplicações práticas da ciência básica (especialmente
a respeito de como a mente eo ambiente afetam o cérebro eo corpo em epigenética). Nós tirar conclusões sobre as
melhores práticas em como tratar um paciente original, individual utilizando métodos estatísticos de base populacional,
e esse paciente pode receber cuidados médicos que não está adaptado às suas necessidades idiossincráticas como
resultado.

Não é assim com a perfeita vontade de Deus para você individualmente como você anda em sua perfeita Você.
Suas decisões consciente, com base em como Deus realmente fez você para ser, irá criar situações certas com base
em ações corretas com base em pensamentos corretos de uma mente que é livre de pensamento tóxico. Seu cérebro
responde ao que você faz, por isso, se não há comunicação e comportamental e intelectual mudança, em seguida, o
cérebro foi alterado pela mente, e essa mudança é expressa através de palavras e ações, que como o Dr. Folha
aponta é relativamente novo pensar sobre o cérebro em ciência.

Este livro irá ajudá-lo a desbloquear o seu verdadeiro potencial, depois de ter trabalhado através de e aplicou
seus princípios. Você pode descobrir o que o seu perfeito você está aprendendo a sua estrutura e como começar a
viver nele. Seu objetivo é viver além de si mesmo através refletindo a glória de Deus a um mundo quebrado. Como
você aprender a operar em seu perfeito Você, você será capaz de negociar a vida com mais sucesso.

181
Dr. Caroline Folha é um “cognitist” apaixonado que “vê” e eloquentemente descreve o coração do Senhor na
mecânica quântica de como ele se propôs nossas almas únicas para funcionar em conjunto e “enriquecer uns
dos outros Perfect You, caminhando lado a lado e a comemorar nossas diferenças.”Vamos ser o agente de
mudança, enquanto caminhamos em nosso você perfeito neste mundo, e vamos refletir a glória do Senhor.

Avery M. Jackson III, MD, FACS, FAANS, placa certificada


neurosurgeonCEO / fundador do Michigan Neurosurgical Instituto PC
CEO / fundador da Optical Spine LLC Grand Blanc, Michigan, EUA

182
posfácio
pelo Dr. Peter Amua-Quar shi e

Então eu disse: “Eis que venho; no rolo do livro está escrito de mim.”

Salmo 40: 7

O versículo acima é citado em Hebreus 10: 7, em referência à missão de Jesus Cristo na terra. Assim como
nosso Salvador, nossas personalidades únicas, presentes, e propósitos já são escritos por Deus “no rolo do
livro” antes de nós nascemos neste mundo. Em outras palavras, a nossa “Perfect You” já está escrito no
“livro”. Neste livro, The Perfect You, Dr. Folha nos ajuda a perscrutar o que foi escrito sobre nós, para que
possamos viver a vida que foram ordenados a viver por nosso Criador.

Tendo conhecido Dr. Folha por quase uma década agora, e ter discutido os princípios e práticas neste
livro sobre inúmeras horas, posso verdadeiramente dizer que O Você Perfeito sai o que Deus revelou a ela
a partir de sua Palavra. Estas revelações foram rigorosamente pesquisado, testado e aplicado com
sucesso surpreendente em multidões de pessoas em todo o mundo.

Gostaria de sugerir, caro leitor, para ser como os bereanos (Atos 17: 10-11), que considerou que Paulo
disse a eles com uma mente aberta e fez suas pesquisas para verificar o que ouviram. Dr. Folha forneceu
amplas referências, tanto das escrituras e acadêmicos, para um estudo mais aprofundado. Ela lhe deu passos
concretos para aplicar o que você leu.

Acima de tudo, levantar-se e tornar-se o perfeito Você Deus te criou para ser.

Peter Amua-Quarshie, MD, MPH, MS

183
Notas

Prólogo
1 . S. McDowell e Jonathan Morrow, Deus é apenas uma invenção humana? E Dezessete Outras questões levantadas pelos novos
ateus ( Grand Rapids: Kregel, 2011), Kindle loc. 1525.
2 . Keith Ward, A Conclusão Deus: Deus e da tradição filosófica ocidental ( Londres: Darton, Longman e Todd, 2009),
Kindle loc. 843.
3 . David Brooks, The Road to Character ( New York: Random House, 2015).

Capítulo 1 The Big Picture

1 . JM Schwartz e S. Begley, A Mente e Cérebro ( New York: HarperCollins, 2009), Kindle loc.
377.
2 . Folha Caroline, “The Mind Mapping Abordagem: Um Modelo e Quadro de Geodésico de Aprendizagem”,
inédito DPhil dissertação (Pretória, África do Sul: Universidade de Pretória, 1997).
3 . HP Stapp, “Quantum interactivo-dualismo: uma alternativa ao materialismo,” Journal of Religion and Science 3 (2006), doi:
10,1111 / j.1467-9744.2005.00762.x, http://www-atlas.lbl.gov/~stapp/QID.pdf.
4 . Jeffrey M. Schwartz, Henry P. Stapp, e Mario Beauregard, “Física Quântica em Neurociências e
Psicologia: Um Modelo neurofísica de interação mente-cérebro “. Philosophical Transactions da Royal Society B 360, n. 1458
(2005): 1309-1327, doi: 10,1098 / rstb.2004.1598.
5 . Folha, “The Mind Mapping Approach”; Folha Caroline, “Mind Mapping: uma técnica terapêutica para
Fechado Head Injury “, dissertação de mestrado (Universidade de Pretória, 1990); Folha Caroline, “O Método Mind Mapping (MMA): A cultura
ea língua-Free técnica,” O Jornal Sul Africano de Distúrbios da Comunicação 40: 35-43; Folha Caroline, “O desenvolvimento de um modelo
para Geodésico de Aprendizagem: O Modelo de Processamento de Informação Geodésico” O Jornal Sul Africano de Distúrbios da
Comunicação 44 (1997): 53-70; Folha CM, IC Uys e B. Louw, “Uma abordagem não tradicional alternativa para aprendizagem: a abordagem
de Mapeamento Metacognitive” O Jornal Sul Africano de Distúrbios da Comunicação 45 (1998): 87-102; Folha CM, IC Uys e B. Louw, “O
desenvolvimento de um modelo para Geodésico de Aprendizagem: O Modelo de Processamento de Informação Geodésico” O Jornal Sul
Africano de Distúrbios da Comunicação 44 (1997).

6 . Folha, “Mind Mapping”.


7 . Schwartz e Begley, A Mente e Cérebro, 27.
8 . William R. Uttal, “As Duas Faces da MRI,” Cérebro, Dana Foundation, 01 de julho de 2002,
http://www.dana.org/Cerebrum/Default.aspx?id=39300.
9 . Brian Resnick, “Há um monte de lixo FMRI Research Out There. Aqui está o que Top neurocientistas
Quero que você saiba," Vox, 09 de setembro de 2016, http://www.vox.com/2016/9/8/12189784/fmri-studies- explicado; A. Eklund et
al, “Falha Cluster: Por fMRI Inferências para extensão espacial ter inflado falso-taxas positivas,”. Proceedings of the National
Academy of Sciences 113, n. 28 (2016): 7900-7905.
10 . Alexis Madrigal, “Digitalização Salmon Dead in FMRI Destaques Máquina de Risco de Red Herring,”
Wired.com, 19 setembro de 2009, https://www.wired.com/2009/09/fmrisalmon/.
11 . JR Middleton, A Imagem Libertadora: o Imago Dei em Gênesis 1 ( Grand Rapids: Brazos, 2005).

Capítulo 2 The Perfect Você

1 . J. Cairns, J. Overbaugh, et al. “A Origem dos Mutantes” Natureza 35 (1988): 142-45.


2 . Binghamton University, “Os pesquisadores podem identificá-lo pelo seu cérebro ondas com 100 por cento
Precisão," Science Daily, 18 de abril de 2016,
https://www.sciencedaily.com/releases/2016/04/160418120608.htm; Maria V. Ruiz-Blondet et al., “Um novo método para uma precisão muito
elevada de eventos relacionados com Potencial Identificação Biométrica,” CEREBRE: IEEE

184
Transações de Informações Forensics e Segurança 11, n. 7 (2016): 1618, doi: 10,1109 /
TIFS.2016.2543524.
3 . Weizmann Institute of Science, “Cheire impressões digitais? Cada pessoa pode ter uma sensação única de
Cheiro," Science Daily, 30 de junho de 2015, www.sciencedaily.com/releases/2015/06/150630100509.htm.
4 . Wellcome Trust, “Arquitetura do cérebro faz a nossa visão do Único Mundo” Science Daily, 06 de dezembro,
2010, www.sciencedaily.com/releases/2010/12/101205202512.htm.
5 . “Professor Keith Ward-Religião e o mundo quântico,” vídeo do YouTube, 50:05, carregado por
Theosis mística em 9 de janeiro de 2013, https://youtu.be/z4VjaoVHqNk, tempo de execução 18: 00-18: 25.

6 . Christine Sutton, “Cinquenta Anos de Teorema de Bell,” CERN, 04 de novembro de 2014,

https://home.cern/about/updates/2014/11/fifty-years-bells-theorem; JS Bell, “On the Einstein Podolsky Rosen Paradox,” Física 1, n.


? 3 (1964): 195-200, https://cds.cern.ch/record/111654/files/vol1p195- 200_001.pdf versão = 1; JS Bell, Collected Papers sobre
Filosofia Quantum (: Speakable e Unspeakable na Mecânica Quântica Cambridge: Cambridge University Press, 2004), Kindle ed.

7 . “Saúde Mental: Um Estado de Bem-Estar”, Organização Mundial da Saúde, Agosto de 2014,


http://www.who.int/features/factfiles/mental_health/en/.

Capítulo 3 Descobrir o potencial do nosso Blueprint for Identity

1 . Middleton, A Imagem Libertadora.


2 . Stanton Peele e Archie Brodsky, Amor e Toxicodependência ( Nova Iorque: Taplinger, 1975); Stanton Peele, “Os 7 vícios mais
difíceis de Saia-Amor é o pior”, Psychology Today, 15 dezembro de 2008,
https://www.psychologytoday.com/blog/addiction-in-society/200812/the-7-hardest-addictions-quit- amor-é-o-pior; Stan Tatkin, Wired
for Love: Como Entender do seu sócio Cérebro e Anexo estilo pode ajudá-lo a resolver os conflitos e construir um relacionamento
seguro ( New York: New Harbinger, 2011); ER Kandel, Em Busca da Memória: O Surgimento de uma Nova Ciência da Mente ( New
York: Norton, 2008); Elizabeth Seto e Joshua A. Hicks, “dissociar o Agente do Auto: Neutralização A crença no livre-arbítrio Diminui
verdadeiro autoconhecimento,” Ciência Psicológica e Personalidade social 7 (2016): 726-34, doi: http:
//dx.doi.org/10.1177/1948550616653810; . AG Christy et al, “se desviando do caminho justo e de nós mesmos: a interação entre
percepções de moralidade e Auto-Conhecimento” Personalidade and Social Psychology Bulletin 1, n. 42 (2016): 1538-1550; F. Gino et
al., “A virtude moral de autenticidade,” Ciência psicológica 26, n. 7 (2015): 983-86.

3 . Candace B. Pert, Moléculas de Emoção: A ciência por trás medicina mente-corpo ( New York: Scribner,
2010), Kindle ed .; Bruce H. Lipton, A biologia da crença ( New York: Hay House, 2008) Kindle ed, loc.. 115 e segs .; Michael A. Ferguson et al.,
“Recompensa, saliência, e atencionais Networks são ativados por experiência religiosa no devotos Mórmons,” Neuroscience social 1 (2016),
doi: 10,1080 / 17470919.2016.1257437; Angela Jones et al., “As relações entre crenças espirituais negativos e resultados de saúde para os
indivíduos com Heterogêneos Condições médicas”, Journal of Espiritualidade em Saúde Mental 17, no. 2 (2015): 135, DOI: 10,1080 /
19349637.2015.1023679; Society for Neuroscience, “Tenha medo, tenha muito medo, Se você aprendeu a: Estudo sobre respostas de medo
Sugere nova compreensão de Transtornos de Ansiedade” Science Daily

(24 de janeiro, 2007), www.sciencedaily.com/releases/2007/01/070123182010.htm; MA Penzo, V. Robert e B. Li, “Medo


Condicionado potencializa a transmissão sináptica em neurônios de projeção de longo alcance no Bairro lateral da Central
Amygdala” Journal of Neuroscience 34, não. 7 (2014): 2432, doi: 10,1523 / JNEUROSCI.4166-13.2014.

4 . Yomayra F Guzman et al., “Medo-melhoramento dos efeitos dos receptores de oxitocina septais,” Nature Neuroscience ( 2013), doi: 10.1038
/ nn.3465; Empada Van Cappellen et al., “Efeito da administração de oxitocina sobre Espiritualidade e emocionais Responses to meditação,” Cognitiva
Social e Affective Neuroscience
(2016), doi: 10.1093 / digitalização / nsw078; Don Wei et al., “Endocannabinoid Sinalização medeia oxitocina-Driven Recompensa Social” PNAS ( 26
de outubro de 2015), doi: 10.1073 / pnas.1509795112.
5 . Universidade Médica de Viena, “Dopamina: muito mais do que o 'Happy hormonal,'” Science Daily
(31 Agosto, 2016), https://www.sciencedaily.com/releases/2016/08/160831085320.htm; John D. Salamone e Mercè Correa, “As
funções motivacionais misteriosas de Mesolimbic Dopamina” Neuron
76, no. 3 (2012): 470, DOI: 10.1016 / j.neuron.2012.10.021.
6 . MJ Poulin et ai., “Dando aos outros e a associação entre o stress e mortalidade,” Am J Public Health 103, n. 9 (Setembro de
2013): 1649-1655, doi: 10,2105 / AJPH.2012.300876; EB Raposa, HB Leis,

185
e EB Ansell “comportamento pró-social mitiga os efeitos negativos do estresse na vida cotidiana”, Psychological Science clínica ( 2015),
doi: 10,1177 / 2167702615611073.
7 . Britânico Neuroscience Association, “Como nossos corpos interagem com as nossas mentes, em resposta ao medo e
Outro Emoções “, Science Daily 7 (Abril de 2013),
www.sciencedaily.com/releases/2013/04/130407211558.htm; Damian Refojo et ai., “Glutamatérgica e dopaminérgico neurônios medeiam
ansiogénicos e ansiolíticas Efeitos de CRHR1,” Ciência 333, n. 6051 (30 de Setembro de 2011): 1903-7, doi: 10.1126 / science.1202107; T.
Steimer, “The Biology of Fear e perturbações relacionadas com ansiedade,” Diálogos in Neurosciences clínicos 4, no. 3 (2002): 231-49.

8 . Peele, “7 Hardest Vícios”; Seto e Hicks, “dissociar o Agente”, 726-34; Christy et.al.
“Perder-se o caminho justo;” Gino et ai, “A virtude moral.”.
9 . S. Satel e SO Lillienfield, Brainwashed: O apelo sedutor de Mindless Neuroscience ( New York: Basic Books, 2013),
49-72.
10 . BH Lipton, “Insight em consciência celular”, Bridges 12, n. 1 (2012): 5; M. Gutschner,
“Descoberta de Vibrations quantum na microtúbulos dentro dos neurônios Corrobora controverso 20-Year Old Teoria da Consciência”, Elsevier
( 16 de janeiro de 2014), https://www.elsevier.com/about/press- releases / pesquisa e revistas /
descoberta-de-quânticos-vibrações-in-microtúbulos-dentro-do cérebro neurons- corrobora-controversial- 20-year-old-teoria de
consciência; Deepak Chopra, Como Consciência Tornou-se o Universo: Física Quântica, Cosmologia, Relatividade, Evolução,
Neuroscience, Universos paralelos
(Cambridge: Cosmologia Science Publishers, 2015).
11 . Peter Kinderman, As novas leis de Psicologia: Por natureza e criação sozinho não pode explicar o comportamento humano ( Londres:
Robinson, 2014).
12 . Ver a minha página web www.drleaf.com para várias referências sobre este assunto; sobre a saúde mental
ver especificamente http://drleaf.com/blog/a-brief-history-of-mental-health-care-in-the-twentieth-century/; ver replays de meu programa
de TV série sobre saúde mental no http://drleaf.com/broadcast/; PR Breggin, “princípios racionais da psicofarmacologia para terapeutas,
profissionais de saúde e clientes,” Journal of Contemporary psicoterapia 46 (2016): 1-13; PR Breggin, “A Evolução Biológica de culpa,
vergonha e ansiedade: Uma Nova Teoria das Emoções herança negativa” Elsevier Medical Hypotheses 85 (2015): 17-24.

13 . Lipton, “Insight em consciência celular”, 5; BH Lipton, A Biologia da Crença: Desencadeando o poder da consciência ( Santa
Rosa, CA: Montanha do amor / Elite Books, 2005).
14 . Folha Caroline, Ligue o seu cérebro. As chaves para Peak Pensamento, Felicidade, e Saúde ( Grand Rapids: Baker, 2013);
Folha Caroline, “21-Day Cérebro Detox”, www.21daybraindetox.com.
15 . Cosmas D. Arnold et al., “Genome-Wide quantitativas Enhancer Mapas de actividade definida por
STARR = Seq” Ciência 339, n. 6123 (01 de março de 2013): 1074-1077, doi: 10.1126 / science.1232542; LI Patrushev, TF Kovalenko,
“Funções de não-codificante seqüências em Mammalian Genomas” Bioquímica
(Mosc.) 79, n. 13 (Dezembro de 2014): 1442-1469; Manolis Kellis et al., “A definição de elementos de ADN funcionais do genoma humano,” Proc
Natl Acad Sci EUA 111, n. 17 (29 de abril de 2014): 6131-38; Perla Kaliman et al., “Rápidas mudanças na histona Desacetilases e expressão
gênica inflamatória em Expert Meditadores”
Psiconeuroendocrinologia 40 (Fevereiro de 2014): 96-107.
16 . Robin Holliday, “Epigenética: uma visão histórica” epigenética 1, n. 2 (2006): 76-80; Adrian Pássaro,
“Percepções da epigenética” Natureza 447, n. 7143 (2007): 396.398.
17 . Dia JJ e JD Sweatt, “epigenéticas Mecanismos em Cognição” Neuron 70, no. 5 (2011): 813-29.
18 . Trygve Tollefsbol, ed., Handbook of Epigenética: The New Molecular e Genética Médica ( New York: Elsevier / Academic
Press, 2011).
19 . Bob Weinhold, “Epigenética: a ciência da mudança” Environmental Health Perspectives 114, n. 3
(2006): A160; Kaliman et al., “Rápidas mudanças.”
20 . John Cairns, Julie Overbaugh, e Stephan Miller, “A Origem dos Mutantes,” Natureza 335 (1988): 142- 45; HF Nijhout,
“Metáforas e o papel dos genes em Desenvolvimento”, bioensaios 12, n. 9 (1990): 441-46.
21 . Henry Stapp, “Mentes e valores no universo quântico,” Informação e a natureza da realidade da Física à metafísica, ed.
PCW Davies e Niels Henrik Gregersen (Cambridge, UK: Cambridge University Press, 2014): 157.

22 . Middleton, A Imagem Libertadora, 14-89.


23 . SA McGee, Realidade do céu: Levantando o Véu Quantum ( Denver, CO: Brilhando Prospect Bookhouse, 2016).

24 . Stapp, “Mentes e valores no universo quântico”.

186
Capítulo 4 a filosofia do Perfect You
1 . JA Wheeler, Uma viagem em gravidade e espaço-tempo ( New York: WH Freeman, 1990).
2 . Keith Ward, A evidência para Deus: o caso da existência da dimensão espiritual ( Londres: Darton, Longman e Todd, 2014), Kindle
ed .; Keith Ward, “Os Novos Ateus”, vídeo do YouTube, 37:32, enviados por ObjectiveBob, 29 de agosto de 2012,
https://www.youtube.com/watch?v=fkJshx-7l5w; Enfermaria, Deus Conclusão, loc Kindle. 759-60.

3 . Keith Ward, As Grandes Questões em Ciência e Religião ( West Conshohocken, PA: Templeton Press,
2008), Kindle ed.
4 . JC Eccles e K. Popper, O Eu e seu cérebro: um argumento para Interacionismo ( Londres: Taylor e Francis, 2014), Kindle ed.

5 . Satel e Lilienfield, Lavagemcerebral; J. Kulnych, “Evidence Neuroimagem Psiquiátrica: A-High Tech


Bola de cristal?" Stanford Law Review 49 (1997): 1249-1270; E. Monterosso et al., “Explicando a responsabilidade: Efeitos das explicações
científicas sobre Culpabilidade percebido,” Ética e Comportamento 15, n °. 2 (2005): 139-53.

6 . A. Keller et al., “Será que a percepção de que o estresse afeta a saúde importa? A associação com a saúde
e Mortalidade,” Psicologia da saúde 31, n. 5 (setembro de 2012): 677-84,
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22201278; Bianca Nogrady, “Estresse crônico Melhora a propagação do cancro através do sistema
linfático,” ABC noticias, 2 de março de 2016, 02 / http://mobile.abc.net.au/news/2016-03- crónicas-Stress-Melhora-propagação-de-cancro por
meio-linfa-sistema / 7211536; MJ Poulin et ai., “Dando aos outros e a associação entre o stress e mortalidade,” American Journal of Public
Health 103, n. 9 (Setembro de 2013): 1649-1655, http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23327269; NL Pecado e RP Sloan, “o link de processos
stress diário e Laboratório baseado na frequência Variabilidade Coração em uma amostra nacional de Midlife e adultos mais velhos” Psychosomatic
Medicine ( 2016): 1, doi: 10,1097 / PSY.0000000000000306; CC Wolford et al., “Transcription Factor de ATF3 Ligações host resposta
adaptativa a metástase do cancro da mama,”

Journal of Clinical Investigation 123, n. 7 (2013): 2893, doi: 10,1172 / JCI64410.


7 . R. Swinburne, Mente, Cérebro e Livre Arbítrio ( Londres: Oxford University Press, 2013).
8 . Sabrina Tavernise, “primeiro aumento em US taxa de mortalidade nos anos Surpresas Experts,” O jornal New York Times,

1 de junho de 2016, http://mobile.nytimes.com/2016/06/01/health/american-death-rate-rises-for-first-time-in- a-decade.html _r = 2 & referer


=; CDC, “Vital Statistics lançamento rápido: Estimativas Provisórias Trimestrais,”
Centro Nacional para Estatísticas de Saúde, http://www.cdc.gov/nchs/products/vsrr/mortality-dashboard.htm.
9 . Mark Rapley, Joanna Moncrieff, e Jacqui Dillon, De-medicalizante Misery: Psiquiatria, Psicologia e da condição humana ( New
York: Palgrave Macmillan, 2011).
10 . Axel Cleeremans, “Radical Tese de Plasticidade: Como o cérebro aprende a ser consciente,” Fronteiras em Psicologia 2, no. 86 (9
Maio, 2011), doi: 10,3389 / fpsyg.2011.00086; Olivia Goldhill, “um funcionário público faltando a maioria de seu cérebro desafia nossas
teorias mais básicas da consciência,” Quartz ( 02 de julho de 2016),
http://qz.com/722614/a-civil-servant-missing-most-of-his-brain-challenges-our-most-basic-theories-of- consciência /.

11 . JC Eccles e K. Popper, O Eu e seu cérebro: um argumento para Interacionismo ( Londres: Taylor e Francis, 2014), Kindle
loc. 241.
12 . Enfermaria, Grandes Questões em ciência e religião.
13 . Ibid.
14 . Ibid.
15 . Ibid.
16 . Stapp, “Mentes e valores no universo quântico”.
17 . Richard dawkins, Rio Out of Eden: Uma visão darwiniana da vida ( New York: Basic Books, 1995).

Capítulo 5 The Science of the Perfect Você

1 . Kinderman, As novas leis da psicologia.


2 . B. Draganski et al, “A neuroplasticidade: Mudanças na Gray Matter induzidas pelo treinamento”. Natureza 427, n.
6972 (2004): 311-12; HK Manji e RS Duman, “Deficiências de Neuroplasticidade e Cellular Resiliência em Transtornos do
Humor graves: implicações para o desenvolvimento de novas terapias”,
Psychopharmacology Bulletin 5, no. 2 (2000): 5-49; TF Munte, E. Altenmüller, e L. Jancke, “O Cérebro do músico como um modelo
de neuroplasticidade,” Nature Reviews Neuroscience 3, n. 6 (2002): 473-78.
3 . Veja a lista de leitura recomendada para obter mais informações sobre a minha pesquisa.

187
4 . H. Gardner, Quadros mentais ( New York: Basic Books, 2011); JM brilhar et al, “A Dinâmica de redes cerebrais funcionais:
Estados Rede Integrada durante Cognitive desempenho de tarefas,”. Neuron 92, no. 2 (19 de outubro de 2016): 544-54, doi: 10.1016 /
j.neuron.2016.09.018.
5 . Folha, Ligue o seu cérebro; P. Lally, “Como são hábitos formados: Modelagem de formação de hábito na real
Mundo," European Journal of Social Psychology 40, n °. 6 (2010): 998-1009; James claro, “Quanto tempo faz exame realmente para formar um
novo hábito (Apoiado pela Ciência),” James Limpar, http://jamesclear.com/new- hábito.

6 . MM Merzenich et al., “Princípios Alguns neurológicos relevantes para as origens do-o e cortical
Plasticidade Based Remediação de-Language Learning Deficiências,” Neuroplasticidade: Construindo uma Ponte do laboratório para
a clínica, J. Grafman, ed. (Amsterdam: Elsevier, 1999), 169-87; M. Merzenich,
Soft-Wired. Como a nova ciência da plasticidade cerebral pode mudar sua vida ( San Francisco: Parnassus,
2013).
7 . “Experimentos Libet” O filósofo da Informação, recuperados 28 de outubro de 2016,
http://www.informationphilosopher.com/freedom/libet_experiments.html; Benjamin Libet, Anthony Freeman e Keith Sutherland, O
Volitional Cérebro: Para uma Neuroscience do Livre Arbítrio ( Exeter, Reino Unido: Imprint Academic, 1999); Benjamin Libet, “Time
Mente: O Fator Temporal na consciência, o”
Perspectives in Neuroscience (Cognitiva Cambridge, MA: Harvard University Press, 2004); M. Pauen: “Será gratuito surgirão livremente?” Scientific
American Mind 14, no. 1 (2004); em seu discurso de aceitação virtual Nobel, Libet resumiu a pesquisa de sua vida e destacou seu trabalho
em atos volitivas consciente eo antedating de consciência sensorial.

8 . CS Logo et al., “Determinantes inconscientes de decisões livres no cérebro humano”, Nature Neuroscience 11, n. 5 (13
de abril de 2008): 543-45, doi: 10.1038 / nn.2112.
9 . “Experimentos Libet”.
10 . CS Herrmann et al., “Análise de uma escolha Reação Task Yields uma nova interpretação do Libet de
Experimentos “, International Journal of Psicofisiologia 67 (2008): 156,
http://www.fflch.usp.br/df/opessoa/Hermann%20-%20New%20interpretation%20-%20%202008.pdf.
11 . Benjamin Libet, Tempo mente: O Fator Temporal na Consciência ( Cambridge, MA: Harvard University Press, 2004).

12 . D. Denett et al., Neurociências e Filosofia: Cérebro, Mente e Linguagem ( New York: Columbia University Press, 2007).

13 . CS Keener, A intenção do Espírito: Abordagem de Paulo aos Pensamento Transformado ( Grand Rapids: Baker Academic, 2016).

14 . CM cavernas et ai, “desconhecido Unidos quantum: A de Finetti Representação,”. Journal of Physics Mathematical 43, no. 9
(2002): 4537-59; C. Fuchs e R. Schack, “Quantum-Bayesian Coerência”
Reviews of Modern Physics 85, no. 4 (2013): 1693; Amanda Gefter, “A View Private da realidade quântica,”
Quanta Magazine, 04 de junho de 2015, https://www.quantamagazine.org/20150604-quantum-bayesianism- qbism /.

15 . Henry P. Stapp, “Quantum interactivo-dualismo: uma alternativa ao materialismo,” Journal of Religion and Science ( 6 de setembro
de 2003): 3, http://www-atlas.lbl.gov/~stapp/QID.pdf, doi: 10,1111 / j.1467-
9744.2005.00762.x.
16 . Ibid.
17 . Werner Heisenberg, Física e Filosofia: a Revolução na ciência moderna ( New York: Harper and Row, 1958); David C.
Cassidy, Werner Heisenberg: Uma bibliografia de seus escritos, 2a ed. (New York: Whittier, 2001).

18 . John von Neumann, Fundamentos matemáticos da mecânica quântica, trans. Robert T. Beyer (Princeton: Princeton
University Press, 1955).
19 . Stapp, “Quantum interactivo-dualismo,” 2.
20 . Henry P. Stapp, “Quantum Interativo dualismo: uma alternativa ao materialismo,” Journal of Consciousness Studies 12,
n. 11 (2005): 43-59.
21 . M. Beauregard et ai, “Physics Quantum em Neuroscience e Psychology:. Um modelo de neurofísica
Mente-Cérebro Interação” Philosophical Transactions, da Royal Society de Londres Série B, Ciências Biológicas 360, n. 1458
(2005): 1309-1327.
22 . Gefter, “A View Private da realidade quântica.”
23 . “Keith Ward-Os novos ateus”, vídeo do YouTube.

188
24 . Gefter, “A View Private da realidade quântica.”
25 . PCW Davies e Niels Henrik Gregersen, Informação e a natureza da realidade: da física à metafísica ( Cambridge, UK:
Cambridge University Press, 2010), 85.
26 . Beauregard et al., “Física Quântica em Neurociência e Psicologia.”
27 . . Leon Gmeindl et al “, acompanhando a vontade de participar: Índices Cortical actividade auto-gerado,
Mudanças voluntárias de atenção” Atenção, Percepção e Psicofísica ( 2016), doi: 10,3758 / s13414-016- 1159-7.

28 . MJ Poulin et ai., “Dar aos outros e a associação entre o stress e mortalidade.”


29 . MJ Poulin, “Voluntariado prevê saúde entre aqueles que valorizam Outros: dois estudos nacionais,”
Psicologia da saúde 33, não. 2 (fevereiro de 2014): 120-29, doi: 10,1037 / a0031620.
30 . Universidade de Chicago, “A solidão afeta como o cérebro funciona,” Science Daily, 17 de fevereiro, 2009,
www.sciencedaily.com/releases/2009/02/090215151800.htm.
31 . JS Bell, Speakable e Unspeakable em Mecânica Quântica.

Capítulo 6 Traçando o perfil do Perfect You

1 . GN Fleming, “A atualização de potencialidades em Contemporânea Teoria Quântica” O Jornal da filosofia especulativa 4


(1992): 259-76.

Capítulo 8 As zonas de desconforto

1 . Stapp, “Mente e valores no universo quântico.”


2 . CB Pert, Moléculas de emoção: porque você sente a maneira que você sente ( New York: Scribner, 1997).
3 . ST Charles et al., “O desgaste de diárias Stressors sobre Saúde Mental,” Ciência psicológica
(2013), doi: 10,1177 / 0956797612462222.
4 . C. Meydan et al., “Reguladores microARN de ansiedade e perturbações metabólicas,” Trends in Molecular Medicine 22, no. 9
(2016): 798, DOI: 0,1016 / j.molmed.2016.07.001; D. Colbert, Emoções mortais: Compreender a conexão mente-corpo-espírito que
pode curá-lo ou destruí-lo ( Nashville: Thomas Nelson, 2003).

5 . A. Keller et al., “Será que a percepção de que o estresse afeta a saúde importa? A associação com a saúde
e Mortalidade,” Psicologia da saúde 5 (2012): 677-84, doi: 10,1037 / a0026743.
6 . M. Miller, “O riso ajuda os vasos sanguíneos a funcionar melhor”, apresentação realizada na reunião do
American College of Cardiology Sessão Científica, Orlando, FL de 2005.
7 . MJ Poulin et al., “Dar aos outros e a associação entre estresse e mortalidade.”
8 . Kelly McGonigal, “Como Fazer sublinhar o seu amigo”, vídeo do YouTube, 14:28, carregado por Talks TED sobre
04 de setembro de 2013, https://www.youtube.com/watch?v=RcGyVTAoXEU&noredirect=1.
9 . Penn State, “Let It Go: Reação para forçar mais importante do que a sua frequência,” Science Daily,
25 de fevereiro de 2016, www.sciencedaily.com/releases/2016/02/160225140246.htm.
10 . Igreja Dawson, O Genie em seus Genes: epigenética Medicina e a nova ciência da Intenção
(Santa Rosa, CA: Psicologia Energia Press, 2009).
11 . EB Raposa, Leis HB, e EB Ansell “, comportamento pró-social mitiga os efeitos negativos de
Estresse na Vida Cotidiana “, Psychological Science clínica ( 2015), doi: 10,1177 / 2167702615611073.
12 . Você pode descobrir exatamente como fazer isso através do meu programa de desintoxicação de vinte e um dias, encontrei na minha

livro Ligue o seu cérebro.


13 . K. Nader, GE Schafe, e JE LeDoux, “Reply-reconsolidação: O lábil Natureza de
Consolidação Theory” Nature Reviews Neuroscience 1, n. 3 (2000): 216-19.
14 . Judson Brewer, “Uma maneira simples de quebrar um hábito ruim” TED.com, Novembro 2015,
http://www.ted.com/talks/judson_brewer_a_simple_way_to_break_a_bad_habit; Kalina Christoff et ai, “Mente-pensamento errante como
espontânea: um quadro dinâmico,”. Nature Reviews Neuroscience 17, no. 11 (2016): 718, DOI: 10.1038 / nrn.2016.113; Xiang Wang et al.,
“Vulnerabilidade cognitiva para depressão maior,” Harvard revisão de Psiquiatria 24, no. 3 (2016): 188, DOI: 10,1097 /
HRP.0000000000000081; Jonas T. Kaplan et al., “Narrativas Processamento relativas aos Valores protegidas: uma investigação
Transcultural de correlatos neurais,” Córtex cerebral ( Janeiro 2016) DOI: 10.1093 / Cercor / bhv325.

15 . K. Christoff et al., “Envolvimento rostrolateral córtex pré-frontal em relacional Integração Durante


Raciocínio," neuroimagem 14, no. 5 (2001): 1136-1149; M. Donoso et al., “Fundamentos do raciocínio humano no córtex pré-frontal,” Ciência
344, n. 6191 (2014): 1481-1486.

189
16 . BM Kudielka et al., “Respostas do eixo HPA para Laboratório stress psicossocial em idosos saudáveis
Adultos, jovens adultos e crianças: Impacto da idade e sexo,” Psiconeuroendocrinologia 29, n. 1 (2004): 83-98.

17 . . JA Brewer et ai “, ânsia de Sair: Modelos psicológicos e Neurobiológicas Mecanismos de


Mindfulness formação como tratamento para dependência” Psicologia do Addictive Behaviors 27, n. 2 (2012): 366-79; KM Garrison et
al., “Real-Time fMRI Ligações experiência subjetiva com atividade cerebral durante atenção focada,” NeuroImage 81 (2013): 110-18.

190
Leitura recomendada

Os conceitos que eu ensino neste livro cobrem um espectro muito amplo e anos de leitura, pesquisa, e
trabalhar com clientes na prática privada, escolas e corporações empresariais. Se eu tivesse que fornecer
todas as citações de bolsa científica completa para documentar a origem de cada fato que eu usei, não haveria
quase tantas citações como palavras. Então eu usei um pouco de flexibilidade para escrever este livro em um
estilo mais popular, ajudando-me a comunicar a minha mensagem de forma tão eficaz quanto possível.

Existem apenas algumas citações no texto real que são mais gerais, ea lista livro que se segue é
menos de uma bibliografia (que também seria muito longo) e mais de uma lista de leitura recomendada de
alguns dos grandes livros e artigos científicos Eu tenho usado na minha pesquisa.

Adams, HB, e B. Wallace. “Um Modelo de Desenvolvimento Curricular: TASC.” Educação Gifted
Internacional 7 (1991): 194-213.
Alavi, A., e LJ Hirsch. “Estudos de Distúrbios do Sistema Nervoso Central com Emissão de Fóton Único
Tomografia Computadorizada e Positron Emission Tomography: Evolução ao longo dos últimos 2 décadas “.
Seminários em Medicina Nuclear 21, no. 1 (Janeiro de 1991): 51-58.

Alesandrini, KL “Imagery: Identificação de Estratégias e aprendizagem significativa.” Journal of Educational


Psicologia 62 (1982): 526-30.
Allport, da “Padrões e Ações: mecanismos cognitivos e conteúdo específico.” Em Cognitivo
Psicologia: New Directions, editado por GL Claxton. London: Routledge & Kegan Paul, 1980. Amém, DG Change
Your Brain, mudar sua vida. New York: Three Rivers Press, 1998.

- - - . Mente magnífico em qualquer idade. New York: Harmony Books, 2008. Alterar, AE “Definindo e Desmistificando barroco,
clássico e música romântica.” Jornal da Sociedade de
Accelerative Ensino e Aprendizagem 14, no. 2 (1989): 91-112.

Amua-Quarshie, P. “Basalo-Cortical Interações: O Papel do Basal telencefálicas da atenção e


Doença de Alzheimer.”Tese inédita do Mestre. Newark: Universidade Rutgers, 2009. Anastasi, MW, e AB Newberg.
“Um estudo preliminar dos efeitos agudos do ritual religioso no
Ansiedade." O Jornal de Medicina Alternativa e Complementar 14, no. 2 (Março de 2008): 163-65. doi: 10,1089 /
acm.2007.0675. Anderson, JR Psicologia Cognitiva e suas complicações. 2a ed. New York: WH Freeman, 1985. Arnheim, R.
“Pensamento Visual na Educação”. Em O Potencial de fantasia e imaginação, editado por A.

Sheikll e J. Shaffer, 215-25. New York: Brandon House, 1979. Atkins, RC Dr. Atkins Revolution

Health. Boston: Houghton Mifflin Company, 1990.


- - - . Dr. Atkins New Diet Revolution. Londres: Ebury Press, 2003.

- - - . New Diet Cook Book. Londres: Ebury Press, 2003. Bach-y-Rita, P., et al. “Visão Substituição por Projeção de Imagem Tátil.” Natureza
221, n. 5184 (1969): 963-
64.

191
Bancroft, WJ “Técnicas de aprendizagem acelerada para a aula de língua estrangeira”. por linguam 1, n. 2 (1985): 20-24.
Barker, JA Descobrir o Futuro: O negócio de paradigmas. Minneapolis: ILI Press, 1986. Bartlett, FC Lembrando: A Study in
Experimental e Psicologia Social. Cambridge, UK: Cambridge,

1932.

Baxter, R., SB Cohen, e M. Ylvisaker. “Avaliação Cognitiva Global”. Em Ferimento na cabeça


Reabilitação: Crianças e Adolescentes, editado por M. Ylvisaker, 247-75. San Diego: College-Hill Press,
1985.

Beauregard, M., e D. O'Leary. O Cérebro Espiritual. New York: Harper Collins, 2007. Bereiter, L. “para uma solução do paradoxo de

aprendizagem.” Revisão de Pesquisas Educacionais 55 (1985): 201-


25.

Berninger, V., A. Chen, e R. Abade. “Uma Prova das múltiplas conexões Modelo de aquisição de leitura.”
International Journal of Neuroscience 42 (1988): 283-95. Bishop, JH “Por que a apatia no American High Schools?” Pesquisador

educacional 18, n. 1 (1989): 6-10. Block, N. e G. Dworkin. A controvérsia do IQ. New York: Pantheon de 1976.

Bloom, BS “The Z Sigma Problema: A busca por métodos de Instrução Grupo tão eficaz como One-to-
Um Explicações.” Pesquisador educacional 13, n °. 6 (1984): 4-16.

Bloom FE, ed. O melhor do cérebro de Americano científico: Mente, Matéria e Cérebro de amanhã. Novo
York: Dana Press, 2007. Bloom, FE, et al, eds.. O Guia de Dana para a saúde do cérebro. New York: Dana Press, 2003. Bloom, L. e

M. Lahey. Desenvolvimento da Linguagem e de idioma transtornos. Mississauga, ON, Canadá:

Wiley & Sons, 1978.

Boller, K., C. e Rovee-Collier. “Coding Contextual e gravação de memórias Crianças.” Diário de


Experimental Psychology Criança 53, no. 1 (1992): 1-23.

Borkowski, JG, W. Schneider, M. e Pressley. “Os desafios do ensino Boa Informação


Processamento para o Estudante incapacitado de Aprendizagem “. Jornal Internacional de Deficiência, Desenvolvimento e Educação 3, n. 3
(1989): 169-85.

Botha, L. “SALT na Prática: Um Relatório sobre o Progresso”. Jornal da Sociedade de aprendizagem acelerada e
Ensino 10, no. 3 (1985): 197-99.
Botkin, JW, M. Elmandjra, e M. Malitza. Não há limites para Aprendizagem: Bridging the Gap Humano; Um Relatório para
o Clube de Roma. New York: Pergamon Press, 1979.

Boyle, P. “Ter um propósito maior na vida reduz o risco de morte entre os adultos mais velhos.” ( e) Science News
(15 de junho de 2009).

http://esciencenews.com/articles/2009/06/15/having.a.higher.purpose.life.reduces.risk.death.among. older.adults.

“Cérebro e Mente Simpósio.” Columbia University (2004).


http://c250.columbia.edu/c250_events/symposia/brain_mind/brain_mind_vid_archive.html. Bransford, JD Cognição

humana. Belmont, CA: Wadsworth de 1979.


Braten, I. “Vygotsky como Precursor à Teoria Metacognitive, II: Vygotsky como Metacognitivist.” escandinavo
Journal of Educational Research 35, no. 4 (1991): 305-20.

Braun, A. “The New Neuropsicologia do Commentary do sono.” Neuro-Psicanálise 1 (1999): 196-201. Briggs, MH “Discussão Equipe:

Técnicas de Comunicação para equipas de intervenção precoce.” Journal of Childhood


Distúrbios da comunicação 15, n °. 1 (1993): 33-40.

Broadbent, DE Percepção e Comunicação. Londres: Pergamon Press, 1958. Brown, AL “Saber quando, onde e como

Lembre-se: um problema de Meta-cognição”. Em avanços


em Instrucional Psicologia, editado por R. Glaser. Hillsdale, NJ: Lawrence / Erlbaum, 1978. Bunker, VJ, WM McBurnett, e DL
fenimore. “A integração da intervenção fonoaudiológica em todo o
Comunidade escola.” Journal of Distúrbios da Comunicação Infância 11, n. 1 (1987): 185-92.

192
Buzan, T. Head First. Londres: Thorsons, 2000.

- - - . Usar os dois lados do seu cérebro. New York: Plume, 1991. Buzan, T. e T. Dixon. O cérebro em desenvolvimento. Exeter, Reino

Unido: Wheaten & Co., 1976. Buzan, T. e R. Keene. A Heresia Idade. Londres: Ebury Press, 1996. Bynum, J. Assuntos do coração. Lake

Mary, FL: Carisma House, 2002. Byron, R. Comportamento nas Organizações: Compreensão e Gestão do lado humano do Trabalho. 2a

ed.

Boston: Allyn & Bacon, 1986. Byron, R. e D. Byrne. Psicologia Social: Interação Humano Entendimento. 4ª ed. Boston:

Allyn &
Bacon, 1984.

Calvin, W., e G. Ojemann. Conversas com o cérebro de Neil. Reading, MA: Addison-Wesley, 1994. Campbell, B., L.

Campbell, D. e Dickinson. “Ensinar e Aprender com as inteligências múltiplas.”


Seattle: New Horizons for Learning, 1992.

Campione, JC, AL castanho, e NR Bryant. “diferenças individuais na aprendizagem e memória.” Em


Habilidades Humanas: Uma Abordagem Information Processing, editado por RJ Sternberg, 103-26. New York: West Freeman de 1985.

Capra, F. “The Turning Point: Uma nova visão da realidade.” The Futurist 16, no. 6 (1982): 19-24. Caskey, O. “Acelerar

Conceito Formação”. Jornal da Sociedade de aprendizagem acelerada e


Ensino 11, n. 3 (1986): 137-45.
Chi, M. “Roles interativos de conhecimentos e estratégias no desenvolvimento de Organizado Sorting e
Recall.”Em Pensar e Habilidades De Aprendizagem 2. Editado por SF Chipman, JW Segal, e R. Glaser. Hillsdale, NJ: Lawrence Erlbaum,

1985. Childre, D., e H. Martin. A solução Heartmath. San Francisco: Harper-Collins, 1999. Clancey, W. “Por que os computadores de hoje não

aprendem a maneira das pessoas Do.” Trabalho apresentado no Annual

Reunião da American Educational Research Association. Boston, MA, 1990. Clark, AJ “Perdão: Um Modelo

neurológicos.” Hipóteses médicas 65 (2005): 649-54. Colbert, D. A Cura Bíblica para a perda de memória. Lake

Mary, FL: Siloé Press, 2001.

- - - . Emoções mortais: Entender a conexão mente-corpo-espírito que pode curar ou destruir Você.
Nashville: Thomas Nelson, 2003.

Concise Oxford Dictionary. 9 ed. Oxford: Oxford University Press, 1995. Cook, ND “Inibição colossal: a chave para o Código do

cérebro.” Ciência comportamental 29 (1984): 98-110. Costa, AL “mediando a Metacognitive.” Liderança educacional 42, no. 3 (1984):

57-62. Cousins, N. “Anatomia de uma doença como percebida pelo paciente.” New England Journal of Medicine 295

(1976): 1458-1463.

- - - . Anatomia de uma doença como percebida pelo paciente. New York: Bantam, 1981. Crick, F. The Astonishing Hypothesis: A
Pesquisa Científica para a alma. New York: Charles Scribner & Sons,
1979.

Crick, FHC “Pensando no cérebro.” Americano científico 241, n. 3 (1981): 228-49. Cromie, William J. “Brains envelhecimento perdem menos do que o

pensamento.” Harvard University Gazette ( 03 de outubro de 1996).


https://news.harvard.edu/gazette/1996/10.03/AgingBrainsLose.html. Damasio, AR O sentimento do que acontece: Corpo e

Movimento in the Making of Consciousness. Nova york:


Harcourt Brace, 1999.

Damico, JS “Tratando das Preocupações linguagem na Escolas: O SLP como consultor.” Journal of Childhood
Distúrbios da comunicação 11, n. 1 (1987): 17-40.

Dartigues, JF “Use It or Lose It”. Omni ( Fevereiro de 1994): 34.

De Andrade, Segredo LM “da inteligência: o sistema límbico e como mobilizar It Through


Suggestopedy.” Jornal da Sociedade de aprendizagem acelerada e Ensino 11, n. 2 (1986): 103-13.

193
De Capdevielle, B. “Uma Visão Geral do Projeto de Inteligência”. por linguam 2, no. 2 (1986): 31-38. Decety, J., e J. Grezes. “O poder de

Simulação: Imaginando a Própria e o comportamento dos outros.” Cérebro


Pesquisa 1079 (2006): 4-14.

Decety, J., e PL Jackson. “Uma Perspectiva Neurociência Social da empatia.” Atuais Directions in
Ciência psicológica 15 (2006): 54-58.
Derry, SJ “Corrigindo Dificuldades Académicas através da Estratégia de Formação: A Aquisição de Útil
Conhecimento." Correctivas e Educação Especial 11, n. 6 (1990): 19-31.

Dhority, L. A abordagem ACT: O uso astuto de Sugestão para Integrative Learning. Bremen, West
Alemanha: PLS Verlag GmbH, AnderWeide de 1991. Diamond, M. Enriquecendo Hereditariedade: O impacto do ambiente sobre o

cérebro. New York: Free Press, 1988. Diamond, M. e J. Hopson. “How to Nurture Emoções Inteligência, Criatividade e saudável da sua

criança
desde o nascimento até a adolescência.”Em Mágico das árvores da Mente: Como Nurture da sua criança inteligência, criatividade e

emoções saudáveis ​desde o nascimento até a adolescência. New York: Penguin, 1999. Diamond, M., A. Scheibel, G. Murphy, Jr., e T.
Harvey. “No cérebro de um cientista:. Albert Einstein”
experimental Neurology 88, no. 1 (1985): 198-204.

Dienstbier, R. “Periodic Adrenaline excitação aumenta a saúde de enfrentamento.” Cérebro-Mente Boletim 14, no. 9a (1989). Diamond, S., J. e

Beaumont, eds. Função Hemisfério no cérebro humano. New York: Halstead, 1977
264-78. Dispenza, J. Evolve Your Brain: The Science of Mudando seu cérebro. Deerfield Beach, FL: Saúde

Communications, 2007. Dobson, J. Como construir a confiança em seu filho. Londres: Hodder & Stoughton, 1997. Doidge, N. O cérebro

que Alterações si mesma: Histórias de triunfo pessoal das fronteiras da ciência do cérebro.

New York: Penguin, 2007.

Duncan, J., et al. “A base neural para a inteligência geral.” Ciência 289 (2000): 457-60. Edelman, GM, e VB Mountcastle, eds. O

cérebro Consciente. Cambridge, MA: MIT Press, 1978. Edelman, GM, e G. Tononi. A Universe of Consciousness: Como os

corpos ficam Imaginação. Novo


York: Basic Books, 2000.

Edmonds, M. “Como o cérebro de Albert Einstein trabalhava.” Como as coisas funcionam ( acessada 15 dezembro de 2016).

http://health.howstuffworks.com/einsteins-brain1.htm. Edwards, B. Desenhando com o lado direito do cérebro. Los Angeles: JP

Torcher de 1979. Einstein, A. Albert Einstein, o lado humano: New Glimpses de seus arquivos. Editado por Helen Dukas e

Banesh Hoffmann. Princeton, NJ: Princeton University Press, 1979.

Eisenburger, N. “Compreender os Moderadores de dor física e emocional: A Neural sistemas baseados


Abordagem." Psychological Inquiry 19 (2008): 189-95.

Entwistle, N. “Fatores motivacionais em abordagens dos alunos na aprendizagem”. Em Estratégias de aprendizagem e


Aprendendo estilos, editada por RR Schmeck, 21-51. New York: Plenum, 1988. Entwistle, NJ, e P. Ramsdon. Compreender

Student Learning. Londres: Croom Helm, 1983. Eriksen, CW, e J. Botella. “Filtrando Versus Processamento Paralelo em

Tarefas de RSVP.” percepção e


psicofísica 51, no. 4 (1992): 334-43.
Erskine, R. “Um Projecto Matemática Suggestopedic Usando Non Aprendizagem alunos com mobilidade condicionada.” Jornal da Sociedade

para aprendizagem acelerada e Ensino 11, n. 4 (1986): 225-47.

Farah, MJ, et al. “Brain Atividade Subjacente Imagery Visual: eventos potenciais relacionados durante Mental
Geração de imagem.” Journal of Neuroscience Cognitive 1 (1990): 302-16. Faure, C. Aprender a ser: o mundo da educação hoje e

amanhã. Paris: UNESCO, 1972. Feldman, D. Além Universals no desenvolvimento cognitivo. Norwood, NJ: Ablex Publishers, 1980.

Feuerstein, R. Enriquecimento Instrumental: Um Programa de Intervenção para Modificabilidade Cognitiva. Baltimore:

University Park Press, 1980.

194
Feuerstein, R., M. Jensen, S. Roniel, e N. Shachor. “Aprender avaliação do potencial.” Avaliação de
As crianças excepcionais. Philadelphia: Haworth Press, 1986. Flavell, JH “Desenvolvimento Metacognitive”. Em Teorias estruturais / Processo

do comportamento humano completo,


editado por JM Scandura e CJ Brainerd. Amsterdam: Sijthoff & Noordoff, 1978. Flavell, P. A Psicologia do Desenvolvimento de

Jean Piaget. New York: Basic Books, 1963. Fodor, J. A modularidade da Mente. Cambridge, MA: MIT / Bradford, 1983. Fountain,

D. Deus, Medicina e Milagres: Os fatores espirituais na cura. New York: Random House,

2000.

Frassinelli, L., K. superior, e J. Meyers. “Um Modelo de consulta para Speech and Language Intervenção”.
Associação Americana de Fala, Linguagem e Audição 25, n. 4 (1983): 25-30.

Freeman, WJ Sociedades de Brains: A Study in the Neuroscience de amor e ódio. Hillsdale, NJ: Lawrence
Erlbaum, 1995. Fuster, JM O córtex pré-frontal. 4ª ed. London: Academic Press, 2008. Galaburda, A. “Cérebro

de Albert Einstein.” Lanceta 354 (1999): 182. Galton, F. Inquéritos sobre faculdade humana e seu desenvolvimento. Londres:

LM Dent, 1907. Gardner, H. Quadros mentais. New York: Basic Books, 1985.

- - - . The Quest for Mente: Piaget, Levi-Strauss, eo movimento estruturalista. Chicago: University of Chicago Press, 1981.

Gardner, H., e Wolfe DP. “ondas e correntes de simbolização.” Em A aquisição de competências simbólicos,
editado por D. Rogers e JA Slabada. Londres: Plenum Press, 1983. Gazzaniga, MS Handbook

of neuropsicologia. New York: Plenum de 1977.


- - - , Ed. O Neurociências New Cognitiva. Cambridge, MA: MIT / Bradford, 2004. Gelb, M. Apresente-se.
Los Angeles: Jalmar Press, 1988.

Gerber, A. “A colaboração entre SLP de e Educadores: Um Processo de Continuidade de Educação.” Diário de


Distúrbios da Comunicação Infância 11, n. 1-2 (1987): 107-25.
“Ghost in Your Genes.” Nova. Produzido e dirigido por Sarah Holt e Nigel Paterson. BBC de 2006.
http://www.pbs.org/wgbh/nova/genes/. Glaser, R. Educação Adaptive: diversidade individual e Aprendizagem. New York: Holt,

Rinehart e Winston,
1977.

Glasser, MD Teoria de Controle na sala de aula. New York: Harper & Row, 1986.

Goldberg, E., e LD Costa. “Diferenças do Hemisfério na aquisição e utilização de sistemas descritivo.”


Cérebro e Linguagem 14 (1981): 144-73. Ouro, F. “Albert Einstein: Pessoa do Século”. Tempo ( 31

de dezembro de 1999).
http://content.time.com/time/magazine/article/0,9171,993017,00.html. Gould, S. O Mismeasure do Homem. New York:
“Ciência Comportamental e Administração Educacional” WW Norton, 1981. Griffiths, DE 63 Anuário da Nacional

Sociedade para o Estudo da Educação. Chicago: Sociedade Nacional para o Estudo da Educação, 1964. Gungor, E. Há mais
para o Segredo. Nashville: Thomas Nelson, 2007. Guyton, AC, e JE Halle. Textbook of Medical Physiology. 9 ed. Philadelphia: WD
Saunders, 2006. Haber, RN “The Power of Visual Percepção.” Journal of Mental Imagery 5 (1981): 1-40. Halpern, S., e L. Savary. Saúde

Som: A música e sons que nos fazem inteiro. São Francisco:

Harper & Row, 1985.

Mão, JD “O Cérebro e aprendizagem acelerada.” por linguam 2, no. 2 (1986): 2-14. Mão, JD, e BL Stein. “O cérebro e
aprendizagem acelerada, Parte II: O cérebro e suas funções.”
Jornal da Sociedade de aprendizagem acelerada e Ensino 11, n. 3 (1986): 149-63.

195
Harrel, KD A atitude é tudo: A Tune-up para melhorar a sua vida. Dubuque, IA: Kendall / caça
Publishing, 1995.

Harrison, CJ “metacognição e motivação.” Melhoria lendo 28, n. 1 (1993): 35-39. Hart, L. Cérebro humano e na aprendizagem

humana. New York: Longman, 1983. Hatton, GI “Função Relacionados à plasticidade no hipotálamo.” Annual Review of Neuroscience 20

(1997):
375-97. Hawkins, DB Quando a vida o deixa nervoso: novos e eficazes tratamentos para a ansiedade. Colorado

Springs: Cozinhe Communications, 2001. Healy, J. “Porque os miúdos não posso pensar.” Bottom Line pessoais 13, n °. 8 (1992):

1-3. Hinton, GE, e JA Anderson. Modelos paralelas de memória associada. Hillsdale, NJ: Erlbaum, 1981. Hobson, JA Sonhando: Uma

Introdução à Ciência do Sono. New York: Oxford University Press, 2002. Hochberg, LR, et al. “Control Ensemble Neuronal de próteses

por um Humano com tetraplegia.”

Natureza 442, n. 7099 (2006): 164-71.

Holden, C. “desenvolvimento infantil: Pequenas Refugiados sofrer os efeitos da negligência precoce.” Ciência 305 (1996):
1076-1077. Holford, P. A 30-Day Burner Diet Fat. Londres: Piatkus de 1999.

- - - . A Bíblia Optimum Nutrition. Londres: Piatkus de 1997.


- - - . Optimum Nutrition para a mente. Londres: Piatkus de 2003. Holt, J. Como as crianças Fail. New York: Pitman, 1964.
Horstman, J. O Dia Scientific American na vida de seu cérebro. San Francisco: Jossey-Bass, 2009. Hubel, DH “The Brain”. Americano

científico 24, no. 13 (1979): 45-53. Hunter, C., e F. Hunter. Rir-se saudável. Lake Mary, FL: Vida Cristã, 2008. Hyden, H. “A
diferenciação de proteína do cérebro celular, aprendizagem e memória.” Biosystems 8, n. 4 (1977): 22-30.

Hyman, SE “Addiction: A Doença de aprendizagem e memória.” American Journal of Psychiatry 162 (2005):
1414-1422. Iaccino, J. Esquerda diferenças cerebrais com o botão direito do cérebro: consultas, Evidence e novas abordagens. Hillsdale, NJ:

Lawrence Erlbaum, 1993.

Irã-Nejad, A. “ativo e dinâmico auto-regulação dos processos de aprendizagem.” Revisão da Educação


Pesquisa 60, no. 4 (1990): 573-602.

- - - . “Teorias associativa e não associativas esquema de aprendizagem”. Boletim da Sociedade Psychonomic


27 (1989): 1-4.

- - - . “O esquema: uma estrutura de memória a longo prazo de um padrão funcional transitória”. Em


Compreender leitor é Entendimento, editada por RJ Teireny, P. Anders, e JN Mitchell, 109-28. Hillsdale, NJ: Lawrence
Erlbaum, 1987.
Irã-Nejad, A. e B. Chissom. “Activa e dinâmica Fontes de Auto-Regulação.” Trabalho apresentado no
Reunião Anual da American Psychological Association. Atlanta, GA, 1988. Irão-Nejad, A. e A. Ortony. “Um Modelo

Biofunctional do conteúdo mental Distribuída, estruturas mentais,


Consciência e atenção.” O Journal of Mente e Comportamento 5 (1984): 171-210. Irã-Nejad, A., A. Ortony, e RK
Rittenhouse. “A compreensão de Metaphonical Usos do Inglês por
Crianças Surdas.” Speech-Language Associação Americana 24 (1989): 551-56.

Jacobs, B., M. Schall, e AB Scheibel. “Uma Análise Quantitativa dendríticas de Wernickes Área em seres humanos:
Sexo, hemisférica e fatores ambientais.” Journal of Comparative Neurology 327, n. 1 (1993): 97-111.

Jacobs, BL, et ai. “A depressão eo nascimento e morte das células cerebrais.” American Scientist 88, no. 4 (2000): 340-46. Jensen,
A. Viés em Teste Mental. New York: Free Press, 1980.

196
Jensen, E. Brain-Based Learning and Teaching. África do Sul: Processo Graphix, 1995. Johnson, DW, RT Johnson, e E. Holubec. Círculos

de Aprendizagem: Cooperação na sala de aula. Edina,


MN: Interação Book Company, 1986.

Johnson, JM “A Case History of Evolução Profissional da SLP a Comunicação instrutor.” Diário


de Distúrbios da Comunicação Infância 11, n. 4 (1987): 225-34.
Jorgensen, CC, e W. Kintsch. “O papel da imagem na Avaliação de frases.” Cognitivo
Psicologia 4 (1973): 110-16. Jouvet, M. “Trabalhando em um sonho.” Nature Neuroscience 12 (2009): 811. Kagan, A., e M.

Saling. Uma Introdução à Teoria afasiologia de Luria e Aplicação. Joanesburgo,

África do Sul: Witwatersrand University Press, 1988.

Kalivas, PW, e ND Volkow. “A base neural do Addiction: Um Patologia da motivação e de escolha”.


American Journal of Psychiatry 162 (2005): 1403-1413. Kandel, ER Em Busca da Memória: O Surgimento de uma Nova Ciência da

Mente. New York: WW Norton,


2006.

- - - . “A Biologia Molecular do armazenamento da memória:. Um diálogo entre genes e sinapses” Palestra Nobel, 8 de
dezembro de 2000. http://nobelprize.org/nobel_prizes/medicine/laureates/2000/kandel- lecture.pdf.

- - - . “Um novo quadro intelectuais para a psiquiatria.” American Journal of Psychiatry 155, n. 4 (1998):
457-69.

Kandel, ER, JH Schwartz e TM Jessell, eds. Princípios da Ciência Neural. 4ª ed. Nova york:
McGraw-Hill, 2000.

Kane, D. “Como seu cérebro punhos do amor e dor.” NBCNews.com, 19 fev 2004.
http://www.msnbc.msn.com/id/4313263.
Kaniels, S., e R. Feuerstein. “necessidades especiais das crianças com Dificuldades de Aprendizagem”. Oxford Review of
Educação 15, n °. 2 (1989): 165-79.

Kaplan-Solms, K., e M. Solms. Estudos clínicos em Neuro-Psicanálise. New York: Karnac, 2002. Kazdin, AE “Covert Modelagem,

Avaliação do Imagery e comportamento assertivo.” Journal of Consulting e


Psicologia Clínica 43 (1975): 716-24. Kimura, D. “A assimetria do cérebro humano.” Americano científico 228, n.
3 (1973): 70-80.
- - - . “As diferenças sexuais no cérebro.” Americano científico 267, n. 3 (Setembro de 1992): 119-25.

King, DF, e KS Goodman. “Aprender inteiro Língua, valorizando os alunos e sua língua.”
Linguagem, Ciências da fala e audição nas Escolas 21 (1990): 221-29.
Kintsch, W. “Aprendendo com texto, níveis de compreensão, ou por que alguém iria ler uma história Anyway?”
Poético 9 (1980): 87-98. Kline, P. Genius todos os dias. Arlington, VA: Great Ocean Publishers,

1990. Kluger, J. “A Biologia da Crença”, Tempo, 12 de fevereiro de 2009.

http://content.time.com/time/magazine/article/0,9171,1879179,00.html. Knowles, M. O Adulto Learner: uma espécie

negligenciada. Houston: Gulf Publishing Company, 1990. Kopp, MS, e J. RÉTHELYI. “Onde Psicologia Atende Fisiologia:

estresse crônico e prematura


Mortalidade-o Centro-Leste Europeu da Saúde Paradox “. Cérebro Boletim de Pesquisa 62 (2004): 351-67. Kosslyn, SM, e O. Koenig. Mente

Wet: The Neuroscience New Cognitiva. New York: Free Press, 1995. Kruszelnicki, Karl S. “Einstein Falha School.” ABC Science ( 23 de

junho de 2004).
http://www.abc.net.au/science/articles/2004/06/23/1115185.htm.
Kubzansky, LD, et ai. “É preocupante ruim para o coração? Um estudo prospectivo de preocupação e Coronária
Doença no Estudo de Envelhecimento Normativa “. Circulação 94 (1997): 818-24. Lahaye, T., e D. Noebel. Mente Siege: The

Battle for verdade no Novo Milênio. Nashville: Palavra


Publishing, 2000.

197
Larsson, G. e B. Starrin. “Efeito do treinamento de relaxamento na habilidade verbal, Pensamento seqüencial, e
Capacidade espacial." Jornal da Sociedade de aprendizagem acelerada e Ensino 13, n °. 2 (1988): 147-59.

Lazar, C. “A Revisão e Avaliação de informações atuais sobre Speech / Language Alternativo de Serviço
Modelos de entrega nas Escolas “. Communiphon 308 (1994): 8-11.

Lazar, SW, e CE Kerr. “Experiência meditação está associada ao aumento Cortical espessura.”
NeuroReport 16, no. 17 (2005): 189-97.
Lea, L. Sabedoria: Não viva a vida sem ele. Guilford, Surrey, UK: Highland Books, 1980. Folha, CM “uma percepção alterada da Aprendizagem:.

Geodésico Aprendizagem” África terapia 1 (Outubro de 1997): 7.

- - - . “Uma percepção alterada da Aprendizagem: Geodésico Aprendizagem: Parte 2.” África terapia 2, no. 1
(Janeiro / Fevereiro de 1998): 4.

- - - . “O desenvolvimento de um modelo para Geodésico Aprendizagem:. O Modelo de Processamento de Informação Geodésico” O


Jornal Sul Africano de Distúrbios da Comunicação 44 (1997): 53-70.

- - - . “Avaliação e Remediação de problemas que as crianças da escola usando a abordagem terapêutica Mind
Mapping”. Ensino correctivas 7/8 (Setembro de 1992).

- - - . “A abordagem Mind Mapping (MMA): abrir a porta para seu poder cerebral: aprender a aprender.”
Associação Transvaal de Professores Jornal ( TAT), 1.993.

- - - . “A Mind Mapping Abordagem:. Um Modelo e Quadro de Geodésico Aprendizagem” Inédito DPhil dissertação,
Universidade de Pretória, África do Sul de 1997.

- - - . “Mind Mapping como uma técnica de intervenção terapêutica.” Manual de oficina não publicado de 1985.
- - - . “Mind Mapping como uma técnica terapêutica.” Communiphon 296 (1989): 11-15. Sul-Africano Discurso-Língua
Hearing Association.

- - - . “Mind Mapping: uma técnica terapêutica para Chefe de Lesão Fechada”. Dissertação de mestrado, Universidade de
Pretória, África do Sul, 1990.

- - - . “A caminho da instituição baseada Reabilitação (IBR) para Reabilitação Baseada na Comunidade (CBR):. A ​mudança de paradigma” África
terapia 1 (Agosto de 1997): 4.

- - - . Ligue o seu cérebro: Entenda Seu perfil único Inteligência e maximizar o seu potencial.
Cidade do Cabo, África do Sul: Tafelberg de 2005.

- - - . “Ensinar as crianças a fazer a maior parte de suas mentes: Mind Mapping”. Jornal de Educação Técnica e Profissional na
África do Sul 121 (1990): 11-13.
- - - . Quem Desativado meu cérebro? Controlando Pensamentos Tóxicas e Emoções. Edição revisada. Dallas: Inprov de 2009.

- - - . Quem Desativado meu cérebro? Controlando Pensamentos Tóxicas e Emoções. série DVD. Joanesburgo, África do Sul: Ligue
seu cérebro, 2007. Folha, CM, M. Copeland, e J. Maccaro. Seu Corpo Seu Templo: 233 Plano de Deus para Alcançar emocional

Plenitude. série DVD. Dallas: Life Outreach Internacional de 2007.

Folha, CM, IC Uys, e B. Louw. “Uma abordagem não tradicional alternativa para Aprender: A
Abordagem-Mapping Metacognitive.” O Jornal Sul Africano de Distúrbios da Comunicação 45 (1998): 87-102.

- - - - . “O desenvolvimento de um modelo para Geodésico Aprendizagem:. O Modelo de Processamento de Informação Geodésico” O


Jornal Sul Africano de Distúrbios da Comunicação 44 (1997): 53-70.

- - - . “A abordagem Mind Mapping (MMA):. A ​técnica de cultura e idioma-Free” O Jornal Sul Africano de Distúrbios da
Comunicação 40 (1992): 35-43. LeDoux, J. Auto Synaptic: como nossos cérebros se tornar quem nós ar e. New York: Viking, 2002.
Leedy, PD Pesquisa prático: Planning and Design. New York: Macmillan, 1989. Lehmann, EL Paramétricos não-: métodos

estatísticos baseados em fileiras. Oxford: Holden-Day, 1975. Lepore, FE “Dissecando Genius:. Cérebro de Einstein ea busca
para a base neural do Intelecto”

Cérebro. Janeiro de 2001. http://www.dana.org/news/cerebrum/detail.aspx?id=3032.

198
Leuchter, AF, et ai. “Alterações na função cerebral de Assunto deprimido durante o tratamento com placebo.”
American Journal of Psychiatry 159, n. 1 (2002): 122-29.
Levy, J. “Síntese Pesquisa sobre Direita e Esquerda Hemispheres: pensamos com ambos os lados do cérebro.”
Liderança educacional 40, n °. 4 (1983): 66-71.

Lewis “relatório sobre a Workshop: Speech / Language / Ouvindo Therapy in Transition”., R.


Communiphon 308 (1994): 6-7. Liebertz, C. “Quer Limpar pensando? Relaxar." Americano científico, Outubro

de 2005.
http://www.scientificamerican.com/article.cfm?id=want-clear-thinking-relax&page=2. Lipton, B. A Biologia da Crença:

Desencadeando o poder da consciência, Matéria e Milagres. Santa Cruz,


CA: Montanha do amor Productions, 2008.

Lipton, BH, et al. “Microvasos endotelial celular Transdiferenciação: Caracterização fenotípica”.


Diferenciação 46 (1991): 117-33. Lozanov, G. Sugestologia e contornos de Suggestopedy. New York: Gordon e

Ciência Breach
Publishers, 1978. Lozanov, G. e G. Gateva. Manual de Suggestopaedic do Educador Língua Estrangeira. New York: Gordon

e violação Science Publishers, 1989.

LTFA “Brain-Based Learning.” Série de palestras inédito. África do Sul: Liderar a África do Campo, 1995. Luria, AR Funções

corticais superiores no homem. 2a ed. Nova Iorque: Basic Books, 1980. Lutz, KA, e JW Rigney. O livro da memória. New York:

Skin and Day, 1977. MacLean, P. “A Mente de Três Minds: Educar o Trino Cérebro”. Em 77º Anuário da Nacional

Sociedade para o Estudo da Educação, 308-42. Chicago: University of Chicago Press, 1978. Marvin, CA “Serviços de consulta: mudança

de papéis para os fonoaudiólogos.” Journal of Communication Infância


Disorders 11, n. 1 (1987): 1-15.
Maslow, AH Motivação e Personalidade. New York: Harper & Row, 1970. Mastropieri, MA, e JP Bakken. “Aplicações de
metacognição”. Correctivas e Educação Especial 11, n. 6 (1990): 32-35.

Matheny, KB, e J. McCarthy. Prescrição para o stress. Oakland, CA: New Harbinger Publications, 2000. McEwan, BS “Stress e

hipocampo plasticidade.” Annual Review of Neuroscience 22 (1999): 105-22. McEwan, BS, e EN Lasley. O Fim do estresse como a

conhecemos. Washington, DC: National Academies


Press, 2002.

McEwan, BS, e T. Seeman. “Efeitos Protectores e danificando de mediadores de stress: elaboração e


Testando os Conceitos de Alostase e alostática Load “. Anais da New York Academy of Sciences
896 (1999): 30-47.

McGaugh, JL, e IB Intrioni-colisão. “O envolvimento do Complexo amygdaloidal em


Influências neuromoduladores no armazenamento de memória “. Neuroscience and Behavioral Reviews 14, no. 4 (1990): 425-31.

Merzenich, MM “Cortical Plasticidade Contribuir para o desenvolvimento da infância”. Em mecanismos de


Desenvolvimento Cognitivo: Behavioral and Neural Perspectives, editado por JL McClelland e RS Siegler. Mahwah, NJ: Lawrence
Erlbaum, 2001. Meyer, J. O campo de batalha da mente. Nashville: Palavras Fé de 1995.

- - - . A vida sem Strife: Como Deus pode curar e restaurar os relacionamentos conturbados. Lake Mary, FL: Carisma Casa, 2000.

Miller, GA “O número mágico sete, mais ou menos dois: Alguns limites na nossa capacidade de processamento
Em formação." Psychological Review 63 (1956): 81-97. “Conexão Mente / Corpo: Como as emoções afetam sua saúde.” FamilyDoctor.org

( De maio de 2016).
http://familydoctor.org/online/famdocen/home/healthy/mental/782.html. Mogilner, A., et al. “Somatosensory Cortical

plasticidade em humanos adultos Revelado pelo Magneto


Encephalography.” Proceedings of the National Academy of Sciences 90, no. 8 (1993): 3593-97.

199
Montessori, M. A mente absorvente. Amsterdam: Clio Press, 1989. Moscowitz, Clara. “Os cientistas Obter Primeira imagem de memória que está

sendo feito.” Notícias da raposa ( 29 de junho de 2009).

http://www.foxnews.com/story/0,2933,529187,00.html.

Nader, K., et al. “Medo memórias requer a síntese de proteínas na amígdala para reconsolidação depois
Recuperação." Natureza 406, n. 6797 (2000): 722-26.

Nelson, A. “do Imagery Physiological Base: o sistema límbico. Um artigo de revisão.” Jornal da Sociedade de
Accelerative Ensino e Aprendizagem 13, n °. 4 (1988): 363-71.

Nelson, R., ed. Metacognição núcleo Leituras. Needham Heights, MA: Allyn & Bacon, 1992. Newberg, A., et al. Por que Deus

não vai embora: Cérebro da ciência e da Biologia da Crença. Nova york:


Ballantine, 2001. Novak, JD, e B. Gowin. Aprender a aprender. Cambridge, UK: Cambridge University Press, 1984.

Nummela, RM e TM Rosengren. “Orquestração de processamento interno.” Jornal da Sociedade de

Aceleração da Aprendizagem e Ensino 10, no. 2 (1985): 89-97.

Odendaal, MS “Análise das Necessidades de maior principais educadores em KwaZulu”. por linguam edição especial, não.
1 (1985): 5-99.

Okebukola, PA “Atitudes de Educadores Rumo Concept Mapping e Vee-Diagramação como


Metalearning Ferramentas em Ciências e Matemática “. Pesquisa educacional 34, não. 3 (1992): 201-12.

O'Keefe, J., e L. Nadel. O Hippocampus como um mapa cognitivo. New York: Oxford University Press, 1978. Olivier, C. Vamos educar,

treinar e aprender baseada em resultados. Pretória, África do Sul: Benedic, 1999. Ornstein, R. A mente direita. Orlando: Harcourt, Brace,

1997. Ornstein, RE A Psicologia da Consciência. New York: Penguin, 1975.

Palincsar, AS, e AL Brown. “Recíproco Ensino de Compreensão Fomento e Monitoramento


Actividades." Cognição e Instrução 1 (1984): 117-75.

Palmer, LL, M. Alexander, e N. Ellis. “Realização Escola primária Resultados Seguindo-Service


Formação de uma equipe escola inteira na aprendizagem acelerada e Ensino: um relatório intercalar “. Jornal da Sociedade de
aprendizagem acelerada e Ensino 14, no. 1 (1989): 55-79.

Paris, SG, e P. Winograd. “Promover a metacognição e motivação dos Excepcionais”.


Correctivas e Educação Especial 11, n. 6 (1990): 7-15.

Pascuale-Leone, A. e R. Hamilton. “A Organização Metamodal do Cérebro”. Em Progresso em Brain


Pesquisa 134, editada por C. e P. Casanova Tito, 427-45. San Diego: Elsevier Science de 2001.

Paterniti, M. Driving Mr. Albert: Uma viagem por toda a América com o cérebro de Einstein. New York: The Dial Press,
2000.

Perlemutter, D., e C. Coleman. O Melhor Livro do cérebro. New York: Penguin, 2004. Pert, CB Moléculas de emoção: porque você sente a

maneira que você sente. Londres: Simon & Schuster, 1997, Pert, C., et al. “Opiáceos agonistas e antagonistas discriminados por Receptor

Binding no cérebro.” Ciência


182 (1973): 1359-1361. Peters, T. Brincar de Deus? O determinismo genético e liberdade humana. 2a ed. New York: Routledge, 2003.

“Os centros de prazer efeito de drogas.” O cérebro de cima para baixo ( acessada 15 dezembro de 2016).

http://thebrain.mcgill.ca/flash/i/i_03/i_03_cr/i_03_cr_par/i_03_cr_par.html. Plotsky, PM, e MJ Meaney. “Pós-natal

precoce Experiência Altera hipotálamo Corticotrophin-


Releasing Factor (CRF) mRNA, Median Eminência CRF Content and Release induzida pelo stress em ratos adultos “. Brain
Research Molecular 18 (1993): 195-200. “Poder do Perdão-perdoar os outros.” Harvard Health Publications. Boston: Harvard Medical
School,
2004 https://www.health.harvard.edu/press_releases/power_of_forgiveness.

Praga, AF, et ai. “Neurogênese funcional no hipocampo Adulto.” Natureza 415, n. 6875 (2002): 1030-1034. Pribram, KH Idiomas
do cérebro. Monterey, CA: Brooks / Cole de 1971.

200
Pulvermuller, F. A Neurociência da Linguagem. Cambridge, UK: Cambridge University Press, 2002. Rajechi, DW Atitudes: Temas e

Adiantamentos. Sunderland, MA: Sinauer Associates, 1982. Ramachandran, VS, e S. Blakeslee. Phantoms no cérebro. New York:

William Morrow, 1998. Redding, RE “Instrução Metacognitive: Formadores de ensino habilidades de pensamento.” Melhoria de

desempenho
Trimestral 3, n. 1 (1990): 27-41.
Restak, K. The Brain: The Last Frontier. New York: Doubleday, 1979. Restak, R. “Hemisfério Desconexão e Unidade na
consciência.” American Psychologist 23
(1988): 723-33.

- - - . Espera Inteligente: a prescrição de um neurocientista para melhorar o seu desempenho cerebral. New York: Riverhead de 2009.

“Revised Grades Curriculares Nacionais R-9.” Documento de Política. Pretória, África do Sul:
Departamento de Educação de 2002.

Rizzolotti, G., e MF Destro. "Neurônios espelho." Scholarpedia 3, n. 1 (2008): 2055.


http://www.scholarpedia.org/article/Mirror_neurons. Rogers, CR Liberdade de aprender. Columbus: Merrill, 1969.
Roizen, MF, e CO Mehmet. Você: O Manual do Proprietário. New York: HarperCollins, 2008. Rosenfield, I. The
Invention of Memory. New York: Basic Books, 1988.

Rosenzweig, ES, CA Barnes, e BL McNaughton. “Abrindo espaço para novas memórias.” Natureza
Neuroscience 5, no. 1 (2002): 6-8.

Rosenzweig, MR, e EL Bennet. Neuronais mecanismos de aprendizagem e memória. Cambridge, MA:


MIT Press, 1976.

Rozin, P. “A Evolução da Inteligência e acesso ao inconsciente cognitivo”. Progresso em


Psicobiologia e psicologia fisiológica 6 (1975): 245-80. Russell, P. O Livro do cérebro. London: Routledge e Kegan Paul, 1986.

Rutherford, R., e K. Neethling. Eu sou inteligente, ou eu sou estúpido? Vanderbijlpark, África do Sul: Carpe Diem

Books, 2001. Sagan, C. Os Dragões do Éden. New York: Random House, 1977. Saloman, G. Interação de mídia,

Cognição e Aprendizagem. San Francisco: Jossey-Bass, 1979. Amostras, re “Aprender com a Whole Brain”. Comportamento

humano 4 (1975): 16-23. Sapolsky, RM “Porque stress é ruim para o cérebro.” Ciência 273, n. 5276 (1996): 749-50.

Sarno, J. A prescrição Mente-Corpo. New York: Werner Livros de 1999.

Sarter, M., ME Hasselmo, JP Bruno, e B. Givens. “Desvendando as funções atencionais de Cortical


Colinérgicos Entradas: interações entre Signal-Driven e Cognitiva Modulação da detecção do sinal “.
Comentários Brain Research 48, no. 1 (2005): 98-111.

Schallert, DL “A Importância do Conhecimento:. A síntese da pesquisa relacionada à Teoria Schema” Em


Leitura Expositivo Material, editado por W. Otto e S. Branco, 13-48. New York: Academic, 1982. Schneider, W., e RM Shiffrin.

“Controlado e Processamento de Informação Automática: I: Detecção, Busca


e atenção.” Psychological Review 88 (1977): 1-66. Schon, DA Além do estado estável. San Francisco: Jossey-Bass, 1971.

Schory, ME “Language todo e as da língua do discurso patologistas.” Linguagem, fala e audição

Serviços de Escolas 21 (1990): 206-11.

Schuster, DH “Uma análise crítica dos estudos americanos da língua estrangeira Usando Suggestopaedia.” Paper
entregue na Conferência Aimav linguística da Universidade de Nijmegen, Holanda, 1985. Schwartz, JM, e S. Begley. A

Mente e Cérebro: Neuroplasticidade e o Poder da Força Mental.


New York: Regan Books / HarperCollins, 2002.

Scruggs, E., e J. Brigham. “Os desafios da Instrução Metacognitive”. RASE 11, n. 6 (1987): 16-18.

201
Seaward, BL Saúde e Bem-Estar Jornal livro. Sudbury, MA: Jones e Bartlett, 1996. Segerstrom, SC, e a GE Miller. “O estresse
psicológico e o sistema imunológico humano: A Meta-Analytic
Estudo de 30 Anos de Inquérito “. Psychological Bulletin 130, n. 4 (2004): 601-30.

Shapiro, RB, VG Champagne, e D. De Costa. “A Fonoaudióloga: Consultor do


Educador sala de aula.” Melhoria lendo 25, n. 1 (1988): 2-9.
Sheth, BR “Practice Makes Imperfect: Efeitos restaurativos do sono sobre Aprendizagem Motora.” Society for
Neuroscience. Programa 14-14 (2006).

Simon, CS “Out of the Broom Closet e na sala de aula: O Emerging SLP.” Journal of Childhood
Distúrbios da comunicação 11 nos. 1-2 (1987): 81-90. Sizer, TR Compromisso de Horacel: O Dilema da American High
School. Boston: Houghton Mifflin,
1984.

Slabbert, J. “Metalearning como o objectivo mais essencial na Educação para Todos.” Artigo apresentado à Faculdade de
Educação. Universidade de Pretória, África do Sul de 1989.

Slife, BD, J. Weiss, e T. Bell. “Separabilidade de metacognição e Cognição: Solução de problemas na aprendizagem
Os alunos com deficiência e regulares “. Journal of Educational Psychology 77, no. 4 (1985): 437-45.

Smith, A. Aceleração da Aprendizagem na Prática. Stafford, UK: “prosencéfalo Mecanismos de Dreaming são ativados a partir de uma variedade de

fontes” Network Educational Press, 1999. Solms, M. comportamental e


Brain Sciences 23, n. 6 (2000): 1035-1040, 1083-121.

Springer, SP, e G. Deutsch. Cérebro esquerdo, cérebro direito. New York: WH Freeman & Company, 1998. Stengel, R., ed. TEMPO seu

cérebro: Um Guia do Usuário. Des Moines, IA: tempo os livros, 2009. Stephan, KM, et ai. “Anatomia Funcional de representação mental dos

Movimentos Extremidade Superior em


Indivíduos saudáveis.” Journal of Neurophysiology 73, no. 1 (1995): 373-86.

Sternberg, R. “A Natureza das capacidades mentais.” American Psychologist 34 (1979): 214-30. Stickgold, R., et al. “Sleep, Aprender, e
Sonhos: Reprocessamento de memória off-line.” Ciência 294, n. 554 (2001): 1052-1057.

Stickgold, R. e P. Wehrwein. “Saúde para a Vida: A ligação entre sono e memória.” Newsweek, abril
17, 2009. http: /www.newsweek.com/id/194650.
"Estresse," Harvard Health Publications ( acessada 15 dezembro de 2016).
https://www.health.harvard.edu/topic/stress.

Sylwester “Pesquisa sobre Memória: grandes descobertas, grandes desafios educacionais.”, R. Educacional
Liderança 42, no. 7 (1985): 69-75.
Tattershall “Missão Impossível!: Aprender uma sala de aula funciona antes que seja tarde demais”, S. Diário de
Distúrbios da Comunicação Infância 11, n. 1 (1987): 181-84.

Taub, E., et al. “Uso de Terapia CI para Mãos plégico após AVC crônico.” Apresentação na Sociedade de
Neuroscience. Washington, DC, 2005. Taubes, G. Boas Calories, Bad Calories: gorduras, carboidratos e a ciência controversa de dieta

e saúde. Novo
York: Anchor Books, 2008.

Thembela, A. “A educação para os negros na África do Sul:. Questões, problemas e perspectivas” Journal of the
Sociedade de aprendizagem acelerada e Ensino 15, n °. 12 (1990): 45-57.

Thurman, SK, e AH Widerström. Lactentes e crianças jovens com necessidades especiais: A Developmental
e Abordagem Ecológica. 2a ed. Baltimore: Paul H. Brookes, 1990.
Uys, IC “único caso Experimental Designs: um serviço essencial na comunicativa cuidado disabled.” o
Jornal Sul Africano de Distúrbios da Comunicação 36 (1989): 53-59. Van derVyver, DW “SALT na África do Sul: Necessidades e

Parâmetros”. Jornal da Sociedade de accelerative


Ensino e Aprendizagem 10, no. 3 (1985): 187-200.

Van derVyver, DW, e B. de Capdeville. “Para a montanha: Características e Implicações


Projeto UPPTRAIL piloto Sul Africano.” Jornal da Sociedade de aprendizagem acelerada e Ensino
15, n. 1-2 (1990): 59-74.

202
Vaughan, SC The Talking Cure: A Ciência por trás Psicoterapia. New York: Grosset / Putnam, 1997. Von Bertalanaffy, L. Teoria

Geral dos Sistemas. New York: Braziller de 1968.

Vythilingam, M., e C. Heim. “Infância trauma associado com menor volume do hipocampo em
Mulheres com depressão maior.” American Journal of Psychiatry 159, n. 12 (1968): 2072-80.

Walker, MP, e R. Stickgold. “O sono, memória e plasticidade.” Annual Review of Psychology 57 (2006):
139-66.

Wark, DM “Usando imagens para ensinar habilidades de estudo.” Jornal da Sociedade de aprendizagem acelerada e
Ensino 11, n. 3 (1986): 203-20.
Waterland, RA, e RL Jirtle. “Transponíveis elementos: Metas para efeitos nutricionais iniciais sobre
Regulamento Gene epigenética.” Biologia Molecular e Celular 23, n. 15 (2003): 5293-5300.

Watters, E. “DNA Not destino é: a nova ciência da epigenética.” Descobrir, Novembro de 2006.
http://discovermagazine.com/2006/nov/cover. Wenger, W. “Um exemplo de Límbico Learning.” Jornal da Sociedade de

aprendizagem acelerada e
Ensino 10, no. 1 (1985): 51-68.
Wertsch, JV Cultura, Comunicação e cognições: Perspectivas vygotskianos. Cambridge, UK:
Cambridge University Press, 1985.

Wilson, RS, et ai. “A participação em cognitivamente atividades estimulantes e Risco de Incidente na doença de Alzheimer
Doença." Journal of the American Medical Association 287, n. 6 (2002): 742-48.

Witelson, S. “O cérebro conexão: O corpo caloso é maior em Left-Handers”. Ciência 229 (1985):
665-68.
Witelson, SF, DL Kigar, e T. Harvey. “O cérebro excepcional de Albert Einstein.” Lanceta 353 (1999):
2149-53. Wright, NH Encontrando Liberdade de seus medos. Grand Rapids: Revell, 2005. Wurtman, J. Gerenciando

sua Mente-Mood através dos alimentos. New York: HarperCollins, 1986. Young, Larry J. “Ser Humano: Amor:

Neuroscience diz tudo.” Natureza 457 (Janeiro de 2009).

http://www.nature.com/nature/journal/v457/n7226/full/457148a.html.

Zaborszky, L. “A Organização Modular de sistemas cerebrais: Basal cérebro anterior, a última fronteira, Alterar
Vistas de Neuron de Cajal “. Progredindo Brain Research 136 (2002): 359-72. Zaidel, E. “Roger Sperry: Uma apreciação.” O cérebro

dupla. Editada por DF Benson e E. Zaidel. Nova york:


A Guilford Press, 1985.

Zakaluk, BL, e M. Klassen. “Estudo de caso: melhorar o desempenho de um estudante da High School Rotulado
Aprender Disabled “. Journal of Reading 36, n. 1 (1992): 4-9.

Zdenek, M. A Experiência do cérebro direito. New York: McGraw-Hill, 1983. Zimmerman, BJ, e DH Schunk. Auto-regulação da

aprendizagem e desempenho acadêmico: Teoria,


Research and Practice. New York: Springer-Verlag, 1989.

203
204
DrLeaf.com

205
206
207
inscrever-se para anúncios sobre os próximos títulos.

Local na rede Internet: www.bakerbooks.com

Descontos de quantidade: www.direct2church.com

208
Twitter: ReadBakerBooks

Facebook: BakerBooks

209
210

Você também pode gostar