Você está na página 1de 8

Doença Como Mecanismo de Cura

Qualquer moléstia que atinge o corpo físico, da mais simples a mais complexa, tem causas que
a justificam, pois nada acontece como produto do acaso, nem como castigo ou esquecimento de
Deus.
Por ser soberanamente justo, Deus não permite dificuldade, dor ou problema onde não se faça necessário,
como terapêutica curadora das mazelas relativa às imperfeições do Espírito, o ser imortal.
DOENÇA:A doença não é uma causa, é uma consequência proveniente das energias negativas que
circulam por nossos organismos espiritual e material. Atingindo um indivíduo provoca distúrbios de
funções a nível físico, mental e espiritual.Doença é um conjunto de sinais e sintomas específicos que
afetam um ser vivo, alterando o seu estado normal de saúde. O vocábulo é de origem latina, em que
“dolentia” significa “dor,padecimento”. Em essência, a doença é o resultado do conflito entre a Alma e a
Mente, e ela jamais será erradicada exceto por meio de esforços mentais e espirituais.
SAÚDE: É a ausência de doenças.É o estado de completo bem-estar físico, mental e social.Estado das
funções orgânicas no seu estado normal. (OMS)
Para o homem da Terra, a saúde pode significar o equilíbrio perfeito dos órgãos materiais; para o plano
espiritual, todavia, a saúde é a perfeita harmonia da alma, para obtenção da qual, muitas vezes, há
necessidade da contribuiçãopreciosa das moléstias e deficiências transitórias da Terra. (O Consolador,
Emmanuel / Chico Xavier.Definição parecida a definição de saúde da OMS.
Na Justiça Divina, nenhuma transgressão praticada frente às Leis Naturais fica encoberta e sem reajuste por
muito tempo. Quando ocorre uma agressão, contra si mesmo ou outrem, quebra-se a harmonia, que é
o estado natural da Criação. O rompimento dessa harmonia responsabiliza o indivíduo, que adquire
débitos que deverão ser resgatados, retomando as alamedas da sua própria evolução.(lei de causa e efeito)
Se não encontrada uma causa nesta reencarnação que justifique a patologia de hoje, o motivo determinante
certamente está nos procedimentos equivocados do indivíduo em reencarnações anteriores. Como explicar
o nascimento de crianças com doenças congênitas sem utilizar desse raciocínio?
CAUSAS GERAIS: Os descontroles emocionais, nos ódios, na irritação, as extravagâncias no comer e no
beber, a maledicência, os desequilíbrios do sexo, o fumo, o álcool, os tóxicos, podem gerar enfermidades,
tais como, respectivamente: cardiopatias, doenças hepáticas, gastralgias, surdez e mudez,cansaço precoce e
distrofias musculares, asmas e bronquites, loucura, idiotia. "Assim como o corpo físico pode ingerir
alimentos venenosos que lhe intoxicam os tecidos, também o organismo perispiritual absorve elementos
que lhe degradam, com reflexos sobre as células materiais".(Nos Domínios da Mediunidade, André Luiz)
A cada pensamento, emoção, sentimento e ação negativa, o perispírito passa a adquirir maior
densidade,coloração mais escura devido a absorção de energias nocivas. Estas energias vão se acumulando
formando manchas e pelo seu peso energético e ação magnética, acabam materializando-se no corpo físico
originando os desequilíbrios. São os sentimentos de orgulho, inveja, intolerância, impaciência,
ódio,amargura, mágoa, tristeza, dentre outros, os maiores causadores de doenças.
DOR: A função da dor está em nos chamar à atenção de que as nossas emoções, pensamentos e
sentimentos encontram-se desarmonizados pois que são estes os causadores das doenças e a dor a sua
manifestação final.O Espírito não sente a dor física. Ele sente a dor moral causada por seus atos
impensados. Poderíamos dizer que cada ação por ele cometida negativamente, acaba por repercutir, como
um retorno a si próprio,danificando-o. E esta lesão, primeiramente no seu corpo espiritual, inicia-se com o
desequilíbrio atômico caminhando para a desarmonia molecular e terminando no conflito celular, atingindo
o corpo físico deixando registrado na sua memória a intensidade da dor que poderá advir, quando já
manifestada a doença. A dor então, sentida pelo corpo, é transmitida ao perispírito que, por sua vez, repassa
ao Espírito.Já não havendo mais a ligação entre o corpo físico e o perispírito ocasionada pela
desencarnação, o Espírito, por esta memória arquivada em seu corpo espiritual, admite continuar sentindo-
a. Mas isto também está relacionado ao seu grau de evolução e pela forma com a qual “aceitou” a
doença,compreendendo o que a causou, procurando corrigir-se nos seus equívocos. O Espírito
reencarnado,quanto mais evoluído, maior controle emocional tem sobre si e melhor aceitação tem sobre os
desequilíbrios que se materializam em seu corpo físico e esta sua atitude mental agirá em seu favor quando
da sua desencarnação não sofrendo na mesma intensidade, das dores sentidas enquanto encarnado. Nas
pessoas que apresentam desequilíbrios psicossomáticos,alergias, asma, dores de cabeça, dentre outros, o
que a princípio deve ser trabalhado, modificado, é a mudança do seu comportamento controlando o
perfeccionismo, a irritabilidade de que pode ser portador.As doenças autoimunes, as alergias respiratórias,
as pneumonias, as exacerbações de doenças crônicas como asma, enfisema, bronquite crônica e surtos
inflamatórios das doenças intersticiais seriam decorrentes da invigilância no pensar traduzidos num trato
antifraterno, pensamentos agressivos, na vingança, no orgulho, egoísmo e ambição. Desta forma, as
doenças respiratórias ocorrem em perispíritos alterados que induzem o corpo físico a ficar suscetível aos
diferentes agentes biológicos, físicos e químicos que, dependendo da capacidade de autodefesa ou
autoagressão, desenvolvem alguma doença respiratória. Caso haja retificação do pensamento, o caráter
evolutivo se modifica, caso contrário, novas doenças ocorrerão nos reencarnes sucessivos, pois o perispírito
permanece alterado.
O perispírito, corpo intermediário entre a matéria e o Espírito, impregna-se dos efeitos deletérios das
atitudes negativas. A doença, então, surge como terapia de cura, sendo oportunidade de reequilíbrio para
o indivíduo imperfeito.
Quando essa rearmonização não é possível na mesma encarnação, ela ocorre nas futuras, normalmente com
o consentimento ou a pedido do próprio Espírito, quando ele já está mais preparado para o enfrentamento..
Ao enfrentar a doença como mecanismo de cura, deve-se priorizar a renovação moral, a harmonização dos
pensamentos e a busca de uma vida saudável do ponto de vista físico e mental, com resignação e sem
revolta, entendendo que Deus proporciona o tratamento através da medicina humana e através dos recursos
espirituais disponíveis (prece, meditação, passes, água magnetizada, etc).
Porém, nem sempre a doença objetiva resgates. Algumas vezes, ela serve como forma de aceleração da
evolução ou como impedimento para o cometimento de novos equívocos.
O organismo doente está envolvido no aparecimento, no desenvolvimento e na cura de sua doença. O ser
humano pode se instalar na doença, pode obter com ela benefícios, mas pode principalmente pela doença,
exprimir tendências profundas. O corpo relata, fala, descarrega e protesta através do seu próprio
adoecimento. É sempre, uma forma de o organismo expressar conflitos profundos. Como os distúrbios
digestivos, por exemplo, que são muitas vezes, expressão de conflitos entre o reter e o expelir, entre o
desejo e a necessidade.
ESPIRITISMO / CURA:O Espiritismo vem ajudar o indivíduo através da bioenergia ou magnetismo
(imposição de mãos ou qualquer dos seus métodos) a limpar seu campo energético, seu perispírito, para
que eliminando assim purezas fluídicas ou energéticas do perispírito, ele possa se auto-descobrir mais
facilmente, e rapidamente. O Espiritismo trazendo o conhecimento do amor, da caridade, a doutrinação
moral(doutrinação aqui no sentido de trazer o amor e a moral de Cristo) ajuda a entender onde estão suas
falhas e como modificar o próprio comportamento, ajudando assim, indiretamente, também os
desencarnados que estão a ele ligados por afinidades morais presentes ou passadas a também
reconhecerem-se e auto-descobrirem-se .Nenhum esforço que se destine apenas ao corpo pode fazer mais
do que reparar superficialmente um dano, e nisso não há nenhuma cura, visto que a causa ainda continua
em atividade e pode, a qualquer momento, manifestar novamente sua presença, assumindo outro aspecto.
Na realidade, a cura em si não existe por ser um fator secundário dentro do processo. O que existe é
equilíbrio e desequilíbrio. Toda vez que eu estou em estado de desequilíbrio, eu estou em doença. A
cura,portanto, é retornar ao estado de equilíbrio.E é ainda na alma que reside a fonte primária de todos os
recursos medicamentosos definitivos. A assistência farmacêutica do mundo não pode remover as causas
transcendentes do caráter mórbido dos indivíduos. O remédio eficaz está na ação do próprio espírito
enfermiço. A cura só se dará quando a carga tóxica for eliminada. É pelo peso dessas cargas plasmadas no
seu perispírito que apontarão em que região espiritual estagiará o Espírito após a sua desencarnação.

DoençaA doença, portanto, não é algo que vem de fora ou já está lá antecipada, é, sim, um modo peculiar de a
pessoa se comunicar em circunstâncias adversas. É, pois, em suas várias formas, um modo de ser no mundo, um
modo de se relacionar com as pessoas em volta
Cada região do corpo além de prestar-se a uma determinada função do organismo pode sinalizar uma zona
específica de conflito entre a mente e o corpo. Esses conflitos que geraram emoções estão relacionados a
acontecimentos da nossa vida no passado, que não foram bem trabalhados e em razão disso, permanecem
mal resolvidos e criando obstáculos para a vida atual. Quando refletimos sobre os conflitos e qual a nossa
responsabilidade neles, pode ocorrer a liberação e distribuição de energia que facilita nossa consciência,
expressão emocional e a organização de um novo modo de nos colocarmos diante da vida.
Poderíamos, entre outras coisas, dizer que a doença é passagem, é comunicação, é transformação e, acima
de tudo, poderíamos dizer que ela tem um sentido muito pessoal para cada um, a cada momento de
indagação. A doença seria, então, uma entrada em outra realidade. Como um sonho, ela pode ter inúmeras
leituras para cada pessoa.
A doença é como uma tentativa de reequilíbrio, como se fosse um aviso e um pedido de tempo a quem não
soube elaborar as emoções da vida e, em muitos casos, achou que daria conta de tudo. Uma doença pode
ter um significado muito maior do que se imagina. É assim, visto como uma oportunidade de rever e
avaliar a vida, que muitos males são interpretados à luz do espiritismo.

PRINCIPAL
Doenças Cármicas
São as congênitas e as hereditárias, resultantes dos desequilíbrios que tivemos em vidas passadas.
As doenças espirituais são aquelas provenientes de nossas vibrações. O acúmulo de energias nocivas em
nosso perispírito gera a auto-intoxicação fluídica. Quando estas energias descem para o organismo físico,
criam um campo energético propício para a instalação de doenças que afetam todos os órgãos vitais, como
coração, fígado, pulmões, estômago etc, arrastando um corolário de sofrimentos.
As energias nocivas que provocam as doenças espirituais podem ser oriundas de reencarnações anteriores,
que se mantém no perispírito enfermo enquanto não são drenadas. Em cada reencarnação, já ao nascer ou
até mesmo na vida intra-uterina, podemos trazer os efeitos das energias nocivas presentes em nosso
perispírito, que se agravam à medida que acumulamos mais energia negativa na reencarnação atual.
Enquanto persistirem as energias nocivas no perispírito, a cura não se completará.
Doenças Adquiridas
São aquelas que chegam por meio de uma sintonia com fluidos negativos. O que uma criatura colérica
vibrando sempre maldades e pestilências pode atrair senão as mesmas coisas? Essa atração gera uma
simbiose energética que, pela via fluídica, causa a percepção da doença que está afetando o organismo do
espírito que está imantado energeticamente na pessoa, provocando a sensação de que a doença está nela,
pois passa a sentir todos os sintomas que o espírito sente. Aí, a pessoa vai ao médico e este nada encontra.
Predisposições (físicas ou espirituais) Para as Doenças
Provenientes de um ou vários desequilíbrios das vidas passadas e/ou de tendências genéticas que, ante uma
fragilidade na presente existência, se manifestam sob a forma de doença (a predisposição é cármica, mas a
doença é adquirida).
O surgimento das doenças
A cada pensamento, emoção, sensação ou sentimento negativo, o perispírito imediatamente adquire uma
forma mais densa e sua cor fica mais escura, por causa da absorção de energias nocivas. Durante os
momentos de indisciplina, o homem mobiliza e atrai fluidos primários e grosseiros, os quais se convertem
em um resíduo denso e tóxico.
Devido à densidade, estas energias nocivas não conseguem descer de imediato ao corpo físico e vão se
acumulando no perispírito. Com o passar do tempo, as cargas energéticas nocivas que não forem
dissolvidas ou não descerem ao corpo físico formam manchas e placas que aderem à superfície do
perispírito, comprometendo seu funcionamento e se agravando quando a carga deletéria acumulada é
aumentada com desatinos da existência atual.
Partindo das estruturas energéticas do perispírito na direção do corpo, em ondas sucessivas, essas radiações
nocivas criam áreas específicas nas quais podem se instalar ou se desenvolver as vidas microscópicas
encarregadas de produzir os fenômenos compatíveis com os quadros das necessidades morais para o
indivíduo. Elas se alimentam destas energias nocivas que chegam ao físico, conseguindo se multiplicar
mais rapidamente e, em conseqüência, causando as doenças.
A recuperação do espírito enfermo só poderá ser conseguida mediante a eliminação da carga tóxica que
está impregnada em seu perispírito. Embora o pecador já arrependido esteja disposto a uma reação
construtiva no sentido de se purificar, ele não pode se subtrair dos imperativos da Lei de Causa e Efeito.
Para cada atitude corresponde um efeito de idêntica expressão, impondo uma retificação de aprimoramento
na mesma proporção, ou seja, a pessoa tem que dispender um esforço para repor as energias positivas da
mesma maneira que dispende esforços para produzir as energias negativas que se acumulam em seu
perispírito.
O Espírito André Luíz explica que: “Os factores que programam as condições do renascimento no corpo
físico, são o resultado dos atos e pensamentos das existências anteriores”. Por aqui constatamos que no que
se refere às doenças cármicas e às predisposições para as mesmas, somos herdeiros de nós próprios.
Há dois comportamentos que marcam negativamente o perispírito e que provocam as doenças cármicas:
um deles, é a consciência culpada, tanto pelo mal que fizemos – a nós e/ou aos outros –, como pelo bem
que deixamos de fazer (quando está nas nossas mãos realizar o bem e por egoísmo ou comodismo, optamos
por não o fazer); o outro, é o desejo de continuar doente. Há pessoas que querem ficar ou continuar
doentes, como uma maneira de substituírem a carência afectiva que sentem. Esta atitude vai marcar
fortemente o perispírito, fazendo com que essa marca passe para outras vidas, onde o atual desprezo pela
saúde, será resgatado pelo desejo de a poder recuperar.
Mas não há nada que se possa fazer para suavizar as doenças cármicas?” E a resposta é um rotundo sim!
Vejamos quais são então os meios de que dispomos para isso:
a) aceitar a doença com uma resignação ativa, ou seja, fazendo um esforço constante para superar ou
amenizar as limitações desta, quer sejam físicas ou psíquicas;
b) nunca nos revoltarmos;
c) trabalhar a favor do próximo – o Mestre Jesus assegurou-nos há mais de dois mil anos que “o amor
cobre a multidão de pecados” e assim, compreendemos que fazer o bem incondicionalmente é uma
excelente maneira de suavizarmos as nossas dívidas do passado e de amenizarmos as marcas no nosso
perispírito.
A CURA DAS DOENÇAS
A cura está formada por três pontos básicos: Ação terapêutica da Fé
Querermos curar-nos e tornarmos este desejo cada dia mais forte, é fundamental para qualquer cura. Mas
para isso, precisamos de acreditar em nós próprios e em Deus, e mudarmos a nossa atitude perante a
doença, isto é, temos que vê-la como um obstáculo que temos que ultrapassar. E para nos ajudar a
consegui-lo, devemos usar o recurso da prece sincera e fervorosa, tal como no-lo aconselha O Evangelho
Segundo o Espiritismo, no ponto 11 do cap. XXVII. É que, por meio da prece, entramos em sintonia com o
Mundo Maior, equilibrando o nosso ser e favorecendo a ação curativa dos Benfeitores espirituais. “A tua fé
curou-te. Vai e não peques mais!” – disse Jesus. Se aplicássemos esta recomendação do Mestre a toda a
nossa vida, não voltaríamos a adoecer. A medicina atual conta já com inúmeras pesquisas que demonstram
a importância que tem o pensamento positivo no fortalecimento imunológico do corpo físico, favorecendo
a reação orgânica pela qual se obtém a cura.
Auto-conhecimento
Adenauer Novaes, no Psicologia do Evangelho diz-nos que “querer ficar curado é não atribuir aos outros a
responsabilidade pelo processo da cura… O meu salvador sou eu”. Se nós imprimimos a nossa doença de
dentro para fora, é lógico que devemos curá-la da mesma maneira – de dentro para fora. Só conhecendo as
nossas tendências boas e más, seremos capazes de nos curar. Mas para isso precisamos de fazer uma ação
terapêutica em 3 passos, na qual devemos, em primeiro lugar, identificar as causas do sofrimento; a seguir,
tentarmos compreender a razão desse sofrimento e assumirmos a atitude correta; e finalmente, libertarmo-
nos dos sentimentos negativos que temos dentro de nós, como a mágoa, o rancor ou o ódio – libertação esta
que só é possível mediante o perdão. A médicina já chegou à conclusão de que é o estado psicológico da
pessoa, isto é, o seu Espírito, que influencia o estado de saúde ou de doença; já se sabe que, por exemplo, o
perdoar-se alguém, não só é necessário devido às concepções morais ou religiosas, mas também é um
imperativo, como meio de se curarem várias doenças crônicas.
Resignação Dinâmica, isto é, aceitação da vontade de Deus.
, a resignação é, em primeiro lugar, aceitarmos a doença, mas termos a coragem de a enfrentar e de
extirparmos ou suavizarmos a sua causa; em segundo lugar, procurarmos o tratamento para a mesma.
Devemos fazer todos os tratamentos que estiverem ao nosso alcance, através da medicina, da psicologia e
também das terapias espirituais (passes, palestras e desobsessão). No entanto, devemos fazer aqui uma
ressalva importantíssima: Tudo aquilo que expusemos só dará resultado se a doença nos tiver motivado
para fazermos a nossa reforma íntima do bem! Adenauer Novaes esclarece que “curar-se, é alcançar uns
níveis maiores na capacidade de nos amarmos a nós próprios, ao próximo, e à vida”; e Roberto Brólio
afirma que “a profilaxia das doenças da alma decorre do conhecimento que cada qual deve ter das leis da
vida, que são totalmente voltadas para o bem”

Mudar Padrões emocionais e crenças negativas – causam doençasO que é bem menos


divulgado é que, do mesmo modo que somos responsáveis pela saúde, também somos responsáveis pelas
doenças. As doenças nascem não só do descuido com o corpo, mas principalmente do descuido com as
nossas emoções.Os maiores causadores de doenças são a raiva, a mágoa, as frustrações, o rancor, a
inveja, o sentimento de culpa. São esses sentimentos que provocam as doenças do corpo físico. As
emoções atingem imediatamente o corpo físico, que serve como um dreno por onde escoam essas energias
negativas. Só que muitas não escoam, não fluem, ficam presas ao corpo físico e se manifestam em algum
órgão em forma de doença.Todas as doenças se originam do espírito. O que não tem origem nesta vida tem
origem em reencarnações passadas. Muitas pessoas não aceitam este fato, ou só o aceitam parcialmente.
Mas não há como fugir a essa constatação. O corpo físico é apenas reflexo do corpo astral (ou perispírito).
Tudo o que está registrado em nosso corpo astral se manifesta em nosso corpo físico.Você conhece
pessoas que são viciadas em doenças. Falam de suas doenças com carinho, com uma espécie de orgulho.
No ambiente de trabalho, em casa, na fila do banco, em qualquer lugar é possível ver pessoas competindo
para ver que é mais doente. Trocam informações, nomes de remédios, não omitem nenhum detalhe de seus
sintomas e dores.A doença é o modo que muitas pessoas carentes de afeto acham para chamar a
atenção. Quanto mais detalhes mórbidos, mais atenção despertam. É um modo de serem ouvidas,
consideradas. Se apaixonam pelas próprias doenças. Quando você encontra alguém assim, a primeira coisa
que ela faz é lhe passar o relatório completo de suas doenças. Onde dói, como dói, o que ela tomou, o que o
médico disse, o que o outro médico disse. Não é segredo pra ninguém que é o pensamento que provoca as
doenças (claro que nem sempre numa só vida, é preciso se considerar os efeitos cármicos), e, assim como
as provoca, as cura. - Se algumas dessas pessoas ficassem curadas de repente, perderiam o sentido da vida.
Claro que não são todas as pessoas doentes que gostam de suas doenças. Há pessoas que nascem com
doenças graves, com limitações físicas que terão que suportar pela vida toda. Outras adquirem qualquer
moléstia ou enfermidade no decorrer da vida, e a cura nem sempre está ao seu alcance.Nem todos se
conformam. Muitos se acham injustiçados, acham que a vida está errada e questionam a Justiça Divina.
Não aceitam o fato de que são elas mesmas que causaram ou escolheram suas doenças.. Mas se aceitamos
que somos os responsáveis pelos nossos atos, que colhemos o que plantamos, que nossos males morais
foram provocados por nós mesmos e que compete a nós modificá-los, por que seria diferente com os males
físicos?São as nossas emoções que provocam as doenças. A cura também passa pelas nossas emoções. Não
estou dizendo que devemos abrir mão da medicina, pelo contrário. Temos que aproveitar os avanços
que conquistamos.  Mas a cura, real, verdadeira e definitiva para qualquer mal que atinja o nosso corpo está
no controle das nossas emoções. ExemploS Nervos a flor da pele-Este dito popular guarda uma “grande”
verdade relacionada ao desenvolvimento humano. O sistema nervoso e a pela tem a mesma origem
embrionária, tanto que a pele é considerada o maior órgão sensorial do nosso corpo. Momento em que as
emoções superam a razão, em que os sentimentos brotam como o suor que sai da pele.Ela envolve todo o
nosso organismo físico, contendo-o, e, através dela, nos colocamos em contato com o mundo, com as
pessoas. Portanto, é um órgão de exteriorização das nossas emoções. É também um caminho de drenagem
de muitas emoções, através de substâncias, os neuropeptídeos, e tantas outras, as moléculas das emoções,
que vão do cérebro até as nossas células da pele.Expressamos nossas emoções através da pele. Ou seja,
existe uma ligação direta com nossa alma, que se expressa através dela. Estudos de terapias a vivências
passadas vêm demonstrando que existem correlações entre algumas doenças de pele, hoje, com situações
de traumas emocionais com lesões cutâneas graves e as outras vivências anteriores nesta ou em outras
vidas.”a flor da pele”A verdade é que, através de pequenas lesões dermatológicas, os pacientes trazem
grandes dramas existenciais a serem revelados. Algumas vezes, aquela lesão pequena, aparentemente sem
importância, traz uma grande oportunidade de conhecermos mais sobre aquela alma necessitada de
esclarecimentos e cura verdadeira. As doenças na visão espiritualista são maneiras de voltarmos ao rumo certo quando
saímos da nossa trajetória de vida

.Ela não deve ser vista como inimiga, mas um caminho para desenvolver potenciais criativos.

Se você não está bem, pode indicar que está tomando decisões erradas.
Espiritualmente, a cura significa a reconciliação com Deus e uma enfermidade não pode ser vista como um infortúnio, mas uma
dádiva.

Ao ficarmos doentes, usamos a palavra "sacrifício", depois de passar por uma maratona de exames e visitas periódicas ao
médico.

Sacrifício significa "renunciar, abandonar ou perder algo" e no sentido literal, "tornar sacro".

Às vezes, se faz necessária a renúncia, para voltar ao caminho correto. Algumas enfermidades podem estar relacionadas às
dificuldades(inconscientes) que podemos estar vivenciando.

A doença é uma tentativa de reequilíbrio, como se fosse um aviso e um pedido de tempo a quem não soube
elaborar as emoções da vida e, em muitos casos, achou que daria conta de tudo. Uma doença pode ter um
significado muito maior do que se imagina. É assim, visto como uma oportunidade de rever e avaliar a
vida, que muitos males são interpretados à luz do espiritismo. As mudanças de padrões emocionais passam
pela mudança das crenças e padrões de pensamento que alimentamos desde que existimos. Através da
mudança de pensamentos é possível curar doenças e as emoçõe.Por isso a Doença como mecanismo de
Cura.

RESENHA

A SAÚDE é a perfeita harmonia da alma, para obtenção da qual, muitas vezes, há necessidade da
contribuição preciosa das moléstias e deficiências transitórias da Terra. (O Consolador, Emmanuel / Chico
Xavier.Definição parecida a definição de saúde da OMS.

DoençaA doença, portanto, não é algo que vem de fora ou já está lá antecipada, é, sim, um modo peculiar de a
pessoa se comunicar em circunstâncias adversas. É, pois, em suas várias formas, um modo de ser no mundo, um
modo de se relacionar com as pessoas em voltaEm essência, a doença é o resultado do conflito entre a Alma e a
Mente, e ela jamais será erradicada exceto por meio de esforços mentais e espirituais.

a saúde é a perfeita harmonia da alma, para obtenção da qual, muitas vezes, há necessidade da contribuição
preciosa das moléstias e deficiências transitórias da Terra. (O Consolador, Emmanuel / Chico
Xavier.Definição parecida a definição de saúde da OMS.

As doenças na visão espiritualista são maneiras de voltarmos ao rumo certo quando saímos da nossa trajetória de vida
.Ela não deve ser vista como inimiga, mas um caminho para desenvolver potenciais criativos.
Se você não está bem, pode indicar que está tomando decisões erradas.
Espiritualmente, a cura significa a reconciliação com Deus e uma enfermidade não pode ser vista como um infortúnio, mas uma
dádiva.
Ao ficarmos doentes, usamos a palavra "sacrifício", depois de passar por uma maratona de exames e visitas periódicas ao
médico.
Sacrifício significa "renunciar, abandonar ou perder algo" e no sentido literal, "tornar sacro".
Às vezes, se faz necessária a renúncia, para voltar ao caminho correto. Algumas enfermidades podem estar relacionadas às
dificuldades(inconscientes) que podemos estar vivenciando.

CAUSAS GERAIS:, os tóxicos, podem gerar enfermidades, tais como, respectivamente: cardiopatias,
doenças hepáticas, gastralgias, surdez e mudez,cansaço precoce e distrofias musculares, asmas e
bronquites, loucura, idiotia. "Assim como o corpo físico pode ingerir alimentos venenosos que lhe
intoxicam os tecidos, também o organismo perispiritual absorve elementos que lhe degradam, com reflexos
sobre as células materiais".(Nos Domínios da Mediunidade, André Luiz) Estas energias vão se
acumulando formando manchas e pelo seu peso energético e ação magnética, acabam materializando-se no
corpo físico originando os desequilíbrios. Assim como o corpo físico pode ingerir alimentos venenosos que
lhe intoxicam os tecidos, também o organismo perispiritual absorve elementos que lhe degradam, com
reflexos sobre as células materiais".(Nos Domínios da Mediunidade, André Luiz) A cada
pensamento, emoção, sentimento e ação negativa,São os sentimentos de orgulho, inveja, intolerância,
impaciência, ódio,amargura, mágoa, tristeza, indisciplina,invigilancia, o perfeccionismo, a
irritabilidade , Os descontroles emocionais, nos ódios, na irritação, as extravagâncias no comer e no
beber, a maledicência, os desequilíbrios do sexo, o fumo, o álcool , é a consciência culpada, tanto pelo mal
que fizemos – a nós e/ou aos outros –, como pelo bem que deixamos de fazer (quando está nas nossas mãos
realizar o bem e por egoísmo ou comodismo, optamos por não o fazer); o outro, é o desejo de continuar doente.
da invigilância no pensar traduzidos num trato antifraterno, pensamentos agressivos, na vingança, no
orgulho, egoísmo e ambição de que pode ser portador dentre outros, os maiores causadores de
doenças.

O Espírito André Luíz explica que: “Os factores que programam as condições do renascimento no
corpo físico, são o resultado dos atos e pensamentos das existências anteriores”. Por aqui
constatamos que no que se refere às doenças cármicas e às predisposições para as mesmas, somos
herdeiros de nós próprios.
Todas as doenças se originam do espírito. O que não tem origem nesta vida tem origem em reencarnações
passadas. Muitas pessoas não aceitam este fato, ou só o aceitam parcialmente. Mas não há como fugir a
essa constatação. O corpo físico é apenas reflexo do corpo astral (ou perispírito). Tudo o que está
registrado em nosso corpo astral se manifesta em nosso corpo físico

CURA
. Não aceitam o fato de que são elas mesmas que causaram ou escolheram suas doenças “A tua fé curou-te.
Vai e não peques mais!”
– disse Jesus. Se aplicássemos esta recomendação do Mestre a toda a nossa vida, não voltaríamos a adoecer
Vejamos quais são então os meios de que dispomos para isso:
a) aceitar a doença com uma resignação ativa, ou seja, fazendo um esforço constante para superar ou
amenizar as limitações desta, quer sejam físicas ou psíquicas;
b) nunca nos revoltarmos;
c) trabalhar a favor do próximo – o Mestre Jesus assegurou-nos há mais de dois mil anos que “o amor
cobre a multidão de pecados” e assim, compreendemos que fazer o bem incondicionalmente é uma
excelente maneira de suavizarmos as nossas dívidas do passado e de amenizarmos as marcas no nosso
perispírito. Passes,água fluidificada,mas principalmente a reforma de mudança de padrões vibratórios.
d)mudança de padrões de vibrações,emocional,pensamentos e atitudes.

. Quando refletimos sobre os conflitos e qual a nossa responsabilidade neles, pode ocorrer a liberação e
distribuição de energia que facilita nossa consciência, expressão emocional e a organização de um novo modo de
nos colocarmos diante da vida

Quando essa re-harmonização não é possível na mesma encarnação, ela ocorre nas futuras, normalmente com o
consentimento ou a pedido do próprio Espírito, quando ele já está mais preparado para o enfrentamento(prova ou
expiação)

Adenauer Novaes, no Psicologia do Evangelho diz-nos que “querer ficar curado é não atribuir aos outros a
responsabilidade pelo processo da cura… O meu salvador sou eu”. Se nós imprimimos a nossa doença de dentro
para fora, é lógico que devemos curá-la da mesma maneira – de dentro para fora. Só conhecendo as nossas
tendências boas e más, seremos capazes de nos curar.

AÇÃO TERAPÊUTICA EM 3 PASSOS,


1- identificar as causas do sofrimento;
2- tentarmos compreender a razão desse sofrimento e assumirmos a atitude correta;
3- libertarmo-nos dos sentimentos negativos que temos dentro de nós, como a mágoa, o rancor ou o ódio. A
médicina já chegou à conclusão de que é o estado psicológico da pessoa, isto é, o seu Espírito, que
influencia o estado de saúde ou de doença; já se sabe que, por exemplo, o perdoar-se alguém, não só é
necessário devido às concepções morais ou religiosas, mas também é um imperativo, como meio de se
curarem várias doenças crônicas

FINALIZAR
A doença é uma tentativa de reequilíbrio, como se fosse um aviso e um pedido de tempo a quem não soube
elaborar as emoções da vida e, em muitos casos, achou que daria conta de tudo. Uma doença pode ter um
significado muito maior do que se imagina. É assim, visto como uma oportunidade de rever e avaliar a
vida, que muitos males são interpretados à luz do espiritismo. As mudanças de padrões emocionais passam
pela mudança das crenças e padrões de pensamento que alimentamos desde que existimos. Através da
mudança de pensamentos é possível curar doenças e as emoçõe
. O que existe é equilíbrio e desequilíbrio. Toda vez que eu estou em estado de desequilíbrio, eu estou em
doença. A cura,portanto, é retornar ao estado de equilíbrio.
nem sempre a doença objetiva resgates. Algumas vezes, ela serve como forma de aceleração da evolução ou como
impedimento para o cometimento de novos equívocos.

Adenauer Novaes esclarece que “curar-se, é alcançar uns níveis maiores na capacidade de nos amarmos a
nós próprios, ao próximo, e à vida”; e Roberto Brólio afirma que “a profilaxia das doenças da alma decorre
do conhecimento que cada qual deve ter das leis da vida, que são totalmente voltadas para o bem”
A pergunta é para que eu adoeço e não por que eu adoeço
Por isso a Doença como mecanismo de Cura.

Você também pode gostar