Você está na página 1de 7

Física 12º ano

FORMULÁRIO DE FÍSICA

Dinâmica de uma partícula material

Posição, velocidade e aceleração

Posição

Lei do movimento

Deslocamento

Velocidade

Aceleração

Norma da Aceleração

Componentes Tangencial e Normal da


Aceleração
Componentes Tangencial e Normal da
Aceleração

Aceleração Tangencial
Aceleração Normal

Movimento Rectilíneo

Movimento Rectilíneo e Uniforme

r r r
r = r0 + v .t Lei das Posições
r r r Lei das Velocidades
v = r '= k

Ano Lectivo de 2003-2004 Página 1 de 7


Física 12º ano

r r
a=0 Lei das Acelerações

Movimento Rectilíneo Uniformemente


Variado

r r r 1 r
r = r0 + v0 .t + .a.t 2 Lei das Posições
2
r r r
v = v0 + a.t Lei das Velocidades
r r r
a = v'= k Lei das Acelerações

v 2 = v 02 + 2.a.d Relação entre velocidade e aceleração

Movimento Rectilíneo Variado

Movimento Curvilíneo e Uniforme

Movimento Circular e Uniforme

s = s 0 + v.t θ = θ 0 + ω .t Lei das posições

∆s ∆θ
v= ω= Lei das velocidades
∆t ∆t
r 2π .r r r r 2π
v = v = ω .r ⇔ ω = Lei das velocidades
T T
r
r v2 a n = ω 2 .r
an =
r r Lei das acelerações
r α =0
an = k
Movimento Circular Uniformemente
Variado

1 1
s = s 0 + v0 .t + at .t 2 θ = θ 0 + ω 0 .t + α .t 2 Lei das posições
2 2
v = v0 + at .t ω = ω 0 + α .t Lei das velocidades

v 2 = v 02 + 2.at .∆s ω 2 = ω 02 + 2.α .∆θ Relação entre velocidade e aceleração

r
r v2 a n = ω 2 .r
an =
r r Lei das acelerações
r α =k
an ≠ k

Movimento Curvilíneo Variado

Velocidade Angular de uma Partícula

Relação entre Velocidade Angular e


Velocidade

Aceleração Angular

Ano Lectivo de 2003-2004 Página 2 de 7


Física 12º ano

1ª Lei de Newton ( Lei da Inércia )

2ª Lei de Newton ( Lei Fundamental da


Dinâmica )

3ª lei de Newton ( Lei da Acção –


Reacção )

Movimento Relativo de Translação Uniforme

Transformação de Galileu

Relatividade do deslocamento e do espaço percorrido

Invariância da distância

Fórmula de Galileu da Composição de Velocidades

Invariância da aceleração

Movimento curvilíneo de uma partícula material actuada por uma força


constante
Força resultante de um sistema de forças decomposta nas
suas componentes tangencial e normal

Força resultante para o movimento rectilíneo uniforme

Força resultante para o movimento rectilíneo


uniformemente variado

Força resultante para o movimento rectilíneo variado

Força resultante para o movimento curvilíneo

Decomposição da força resultante segundo as suas


componentes tangencial e normal

Ano Lectivo de 2003-2004 Página 3 de 7


Física 12º ano

Movimento de um projéctil

Aceleração de um projéctil

Lei das acelerações num


lançamento horizontal

Lei das velocidades num


lançamento horizontal

Lei das posições num lançamento


horizontal

Equações paramétricas para um


lançamento horizontal

Equação da trajectória para um


lançamento horizontal

Tempo de voo para um lançamento


horizontal

Lei das acelerações para um


lançamento obliquo

Lei das velocidades para um


lançamento obliquo

com Lei das posições para um


lançamento obliquo

Equações paramétricas para um


lançamento obliquo

Equação da trajectória para um


lançamento obliquo

Tempo de subida para um


lançamento obliquo feito a partir do
solo

Tempo de voo para um lançamento


obliquo feito a partir do solo

Ano Lectivo de 2003-2004 Página 4 de 7


Física 12º ano

Altura máxima atingida pelo projéctil


num lançamento obliquo

Alcance do projéctil ao nível do


lançamento num lançamento obliquo

Movimento Circular no plano horizontal

Resultante das forças do pêndulo cónico

Resultante das forças do pêndulo cónico pela Lei Fundamental de Newton

Norma da tensão do fio do pêndulo cónico

Norma da aceleração do pêndulo cónico

a n = g .tgθ

v = g.r.tgθ
Norma da velocidade do pêndulo cónico

Norma da velocidade angular do pêndulo cónico

Período do movimento do pêndulo cónico

Velocidade necessária para uma partícula descrever, sem atrito, uma curva com relevé, de raio R, sem se despistar

Ano Lectivo de 2003-2004 Página 5 de 7


Física 12º ano

Norma da tensão do fio do pêndulo gravítico simples

Resultante das forças do pêndulo gravítico simples

Aceleração do pêndulo gravítico simples

com

Posição de equilíbrio do pêndulo gravítico simples

Posição extrema do pêndulo gravítico simples

Posição genérica do pêndulo gravítico simples

Posição mais baixa da trajectória de uma partícula, presa por um fio, que descreve um movimento circular no plano vertical

Posição mais alta da trajectória de uma partícula, presa por um fio, que descreve um movimento circular no plano vertical

Ano Lectivo de 2003-2004 Página 6 de 7


Física 12º ano

Norma da velocidade mínima com que, na posição mais alta da trajectória, uma partícula, presa por um fio, descreve um
movimento circular no plano vertical

Cálculo da altura mínima de onde deve ser abandonada uma partícula por forma a dar uma volta completa no plano vertical

Movimento de uma partícula material sujeita a forças de atrito


Intensidade da força de atrito estático

Intensidade da força de atrito cinético

Ano Lectivo de 2003-2004 Página 7 de 7