Você está na página 1de 3

Procuradoria Federal junto à ANVISA

Coordenação de Assuntos Judiciais


S.I.A. Trecho 5, Área Especial 57, Brasília/DF, CEP 71.205.050
Telefone: 0800 642 9782 ­ www.anvisa.gov.br

O7cio nº 228/2020/SEI/GADIP­DP/ANVISA

Ao Juízo do Egrégio Tribunal Regional Federal da 4ͣ Região


Assunto: Informações em Mandado de Segurança.

Agravo de Instrumento nº 5021761­52.2020.4.04.0000


Mandado de Segurança nº 5026418­86.2020.4.04.7000
Impetrante: Marcelo Gonçalves Barbosa
Impetrado: Coordenador de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados da Agência Nacional
de Vigilância Sanitária (Anvisa) em CuriCba/PR

Em cumprimento à inCmação expedido no Agravo de Instrumento em epígrafe, recebido


por esta Agência por meio de mensagem eletrônica enviada em 02/06/2020, venho, por meio deste,
apresentar as INFORMAÇÕES cabíveis, sustentadas pelos fatos e fundamentos a seguir expostos:

1. DA SÍNTESE DA DEMANDA

Cuida­se de agravo de instrumento interposto por Marcelo Gonçalves Barbosa contra


decisão que, nos autos de mandado de segurança nº 5026418­86.2020.4.04.7000/PR, impetrado contra a
Coordenadora Regional de Portos, Aeroportos e Fronteiras da Agência Nacional de Vigilância Sanitária
(Anvisa), indeferiu o pleito liminar formulado na exordial.

Tem­se no pretenso mandamus a alegação de que o impetrante é portador de diabetes


mellitus e faz uso diário de insulina. Para tanto, diante da escassez de produto nas farmácias da região
onde reside (Bragança Paulista/SP), seu pai, residente em Portugal, encaminhou a medicação ao Brasil,
que chegou dia 11/05/2020.

No dia seguinte, foi encaminhada à Anvisa em CuriCba/PR para fiscalização, onde


permanece até o presente momento sem qualquer previsão de liberação. Sustenta urgência, pois a não
uClização da insulina pode acarretar consequências graves como doença renal, cegueira, problemas
cardiovasculares, gangrena e convulsões. A RDC 28/2011 da Anvisa dispensa autorização da agência para
entrada em território brasileiro de medicamento de uso próprio.
Requer seja deferida medida liminar para determinar que a Autoridade Coatora libere
imediatamente as insulinas objeto do rastreamento RH 535 749 005 PT re das para fiscalização, a fim de
que seja dado prosseguimento ao envio da remessa ao impetrante, sob pena de multa diária de R$
10.000,00 (dez mil reais), comunicando­se com a máxima urgência a Autoridade Coatora, por quaisquer
meios eletrônicos disponíveis.

O MM. Juiz da causa indeferiu o pedido de tutela de urgência, e inclusive suscitou conflito
de competência perante o Superior Tribunal de Jus ça.

Dessa decisão a impetrante interpôs o presente agravo de instrumento, pelo que a


Eminente Desembargadora determinou a in mação da autoridade coatora, para que se manifeste no
prazo de 48 (quarenta e oito) horas.

2. DO MÉRITO: DA PERDA DO OBJETO DA IMPETRAÇÃO

A autoridade sanitária agiu respaldada tanto pelos princípios jurídicos quanto pela
legislação per nente, tornando o ato administra vo ora contestado eivado de legalidade e correção,
conforme esclarecimentos prestados pelos setores técnicos da Agência, nos termos do Despacho nº
22/2020/SEI/PVPAF­CURITIBA/CRPAF­PR/GGPAF/DIRE5/ANVISA e Despacho nº
436/2020/SEI/COPAF/GCPAF/GGPAF/DIRE5/ANVISA, (documentos anexos).

A remessa postal internacional de código de rastreamento RH535749005PT foi liberada


pelo Posto da Anvisa em Curi ba na data de 03/06/2020, para seguir os trâmites normais de entrega ao
des natário.

O deferimento do pleito de importação ocorreu em rito regular, uma vez que, conforme
consta da pe ção inicial, foi apresentado Receituário Médico em nome do importador e de acordo com a
quan dade de medicamento importada.

Portanto, o importador cumpriu com o disposto na Resolução RDC nº 358, de 24 de março


de 2020, que dispõe sobre os requisitos sanitários para a importação realizada por pessoa Ksica pela
modalidade de remessa postal, remessa expressa e bagagem acompanhada durante a pandemia do Novo
Coronavírus e na Resolução RDC nº 81, de 5 de novembro de 2008, que dispõe sobre o Regulamento
Técnico de Bens e Produtos Importados para fins de Vigilância Sanitária:

Capítulo XII
Importação por Pessoa Física (Redação dada pela Resolução ­ RDC nº 28, de 28 de junho de 2011)
[...]
1.2 Considera­se para uso próprio a importação de produtos em quan dade e freqüência
compaQveis com a duração e a finalidade de tratamento, ou que não caracterize comércio ou
prestação de serviços a terceiros. (Redação dada pela Resolução ­ RDC nº 28, de 28 de junho de
2011)

Cumpre apenas informar que Informações sobre prazos de entrega e des nação da
remessa, deverão ser solicitadas diretamente à Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos ­ ECT.
Assim, uma vez sa2sfeita a pretensão do impetrante acerca da liberação da remessa postal
em comento, não há como se afastar a perda do objeto do presente agravo de instrumento, e por sua
vez, do mandado de segurança 5026418­86.2020.4.04.7000/PR.

Desse modo, mister aplicar o disposto no ar2go 485, VI, do Código de Processo Civil,
ex2nguindo­se o feito sem resolução do mérito.

3. DA CONCLUSÃO

Ante o exposto, já tendo sido sa2sfeita a pretensão da impetrante, a autoridade que ora
subscreve esta pe2ção pugna, respeitosamente, pela ex2nção do feito sem exame de mérito, em face da
perda do interesse processual.

Atenciosamente,

Anexos: I ­ Despacho nº 22/2020/SEI/PVPAF­CURITIBA/CRPAF­PR/GGPAF/DIRE5/ANVISA (SEI nº


1038718).
II ­ Despacho nº 436/2020/SEI/COPAF/GCPAF/GGPAF/DIRE5/ANVISA (SEI nº 1039803).

Documento assinado eletronicamente por Antonio Barra Torres, Diretor­Presidente Subs*tuto, em


04/06/2020, às 14:02, conforme horário oficial de Brasília, com fundamento no art. 6º, § 1º, do
Decreto nº 8.539, de 8 de outubro de 2015 hEp://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015­
2018/2015/Decreto/D8539.htm.

A auten2cidade deste documento pode ser conferida no site hEps://sei.anvisa.gov.br/auten2cidade,


informando o código verificador 1040595 e o código CRC 3F9B38A0.

Referência: Caso responda este Ofício, indicar expressamente o Processo nº 25351.919824/2020-58 SEI nº 1040595

Você também pode gostar