Você está na página 1de 20

Avaliação das necessidades de nutrientes: DRI’S – Dietary

Reference Intake

Prof - Lucas Guimarães


Avaliação das necessidades de nutrientes
• 1997
• Valores de recomendação de nutriente e energia (EUA e Canadá)
• Substituição das RDAs de 1989
• Dois objetivos:
• Avaliação do consumo
• Planejamento de planos alimentares

• DRI’s
• Mínimo e máximo para cada nutriente
• INDIVÍDUOS SAUDÁVEIS
• Sódio e potássio 2019
Avaliação das necessidades de nutrientes
• Quatro parâmetros de recomendações

• Estimativa de requerimento médio (EAR)


• É um valor de ingestão diária de um nutriente que supre a
necessidade de metade (50%) dos indivíduos saudáveis de um
determinado grupo de mesmo gênero e estágio de vida
• Atendem as necessidades de 50% da população

• Usado para AVALIAR O CONSUMO


Avaliação das necessidades de nutrientes

• Ingestão diária recomendada (RDA)


• É o nível de ingestão dietética diária que é suficiente para atender
as necessidades de um nutriente de praticamente todos (97 a
98%) os indivíduos saudáveis de um determinado grupo de
mesmo gênero e estágio de vida.

𝑅𝐷𝐴 = 𝐸𝐴𝑅 + 2𝐷𝑃

97,72%

• Usada para RECOMENDAÇÃO


• Meta de consumo para atender demanda de 97-98% população
Avaliação das necessidades de nutrientes

• Ingestão adequada (AI)

• Avaliar o consumo quanto a meta


• Quando não tem RDA nem EAR do nutriente

Ex. Cálcio não tem EAR nem RDA. Usa valor de AI.
Avaliação das necessidades de nutrientes
• Ingestão máxima tolerada (UL)
• Máximo de consumo

Casos de toxicidade e de suplementação

Limite superior de ingestão diária prolongada de um nutriente que não


apresenta efeito adverso à saúde em quase todos os indivíduos do mesmo
gênero e estágio da vida.
Ex: dieta com 150 mg de vit C. UL é de 1000mg. Suplementar, no máximo,
quanto?
UL não é
recomendação!!
• Considera:

• O metabolismo nas diferentes faixas etárias;

• A redução de risco de doenças, levando-se em consideração variações


individuais nas necessidades de cada nutriente;

• A biodisponibilidade;

• Os erros associados aos métodos de avaliação do consumo dietético


Bebês 0 – 6M
7 – 12M

Crianças 1 – 3A
4 – 8A

Homens e Mulheres 9 – 13A


14 – 18A
19 – 30A
31 – 50A
51 – 70A
> 70A

Gestação e Lactação  18A


19 – 30 A
31 – 50 A
Incluem 2 “novos” conceitos de referência:

• Necessidade Estimada de Energia (Estimated Energy Requirement – EER)


• Média de ingestão energética dietética a qual mantém o BALANÇO
ENERGÉTICO em adultos saudáveis com idade, sexo, peso, altura e
nível de atividade física de acordo com um bom estado de saúde

• Espectro aceitável da distribuição de macronutrientes (Acceptable


Macronutrient Distribution Ranges - AMDR)
• Espectro percentual, em relação ao total energético da dieta, no qual o
consumo de carboidratos, gorduras e proteínas não está associado a
ocorrência de doenças crônicas
EER para crianças (0 a 35 meses)
0 – 3m
(89 x peso corporal [Kg] – 100) + 175 (Kcal de energia de depósito)

4 – 6m

(89 x peso corporal [Kg] – 100) + 56 (Kcal de energia de depósito)

7 – 12m
(89 x peso corporal [Kg] – 100) + 22 (Kcal de energia de depósito)

13 – 35m
(89 x peso corporal [Kg] – 100) + 20 (Kcal de energia de depósito)
EER para crianças (3 a 18 anos)

SEXO FEMININO:
EER = 135,3 – 30,8 x Idade [a] + NAF x (10,0 x Peso [Kg] +
934 x Altura [m] ) + energia de depósito*

SEXO MASCULINO:
EER = 88,5 – 61,9 x Idade [a] + NAF x (26,7 x Peso [Kg] +
903 x Altura [m] ) + energia de depósito*
EER para crianças (3 a 18 anos)

*Energia de depósito:
Para 3 a 8 anos: 20 Kcal / Para 9 a 18 anos: 25 Kcal

Desvio Padrão da EER para crianças e adolescentes saudáveis

Sexo feminino: 68 Kcal


Sexo masculino: 58 Kcal
COEFICIENTE DE NAF (3 A 18 ANOS):
Sexo feminino Sexo masculino

Sedentária 1,0 1,0

Leve 1,16 1,13

Moderada 1,31 1,26

Intensa 1,56 1,42

Você também pode gostar