Você está na página 1de 42

Aula 4:

O sistema Fe-C e suas ligas.


Professor Leonardo
leonardo.deo@deg.ufla.br

1
Tópicos desta aula

• Diagrama Fe-Fe3C;
• Aços;
• Ferros Fundidos.

2
Diagrama Fe-Fe3C

3
Principais fases do diagrama Fe-Fe3C

• Ferro γ – austenita
• Ferro α – ferrita
• Fe3C - cementita
Estrutura CFC da austenita

Estrutura CCC da ferrita


Estrutura ortorrômbica da Fe3C 4
Solubilidades em α e γ
• α: 0,022% p C a 727oC
• γ: 2,14% p C a 1147oC

5
Micrografias

Ferrita: 90X Austenita: 325X

6
Reações eutética e eutetóide

Reação eutética (1147oC)

7
Reação eutetóide (727oC)
Tipos de ligas ferrosas
Liga ferrosa Quantidade de C (% p) Microestrutura
Ferro comercialmente puro < 0,008 α
Aços entre 0,008 e 2,14 (raramente α e Fe3C
excede 1,0)
Ferros fundidos entre 2,14 e 6,70 (raramente α e Fe3C ou grafita
excede 4,5)

8
Desenvolvimento de
microestruturas em aços

Representações esquemáticas das Micrografia de um aço eutetóide


microestruturas para um aço eutetóide. mostrando a microestrutura da perlita.
9
Desenvolvimento de
microestruturas em aços

Representação esquemática da formação da perlita a


partir da austenita; a direção da difusão do carbono
está indicada por setas.
Representações esquemáticas das
microestruturas para um aço eutetóide.
10
Aços hipoeutetoides
• Composição entre 0,022% p C e 0,76% p C

Fotomicrografia de um aço com 0,38% p C


com microestrutura composta por perlita e
ferrita proeutetoide.
Representações esquemáticas das
11
microestruturas para um aço hipoeutetoide.
Aços hipereutetoides
• Composição entre 0,76% p C e 2,14% p C

Fotomicrografia de um aço com 1,4% p C


Representações esquemáticas das com microestrutura composta por perlita e
12
microestruturas para um aço hipereutetoide. cementita proeutetoide.
Regra da alavanca
Aço hipoeutetoide

Aço hipereutetoide

Linha de amarração no diagrama Fe-Fe3C para


os cálculos das quantidades dos microconstituintes.
13
Influência de outros elementos de liga

Dependência da temperatura eutetoide Dependência da composição eutetoide (%p C)


em relação à concentração de vários em relação à concentração de vários
elementos de liga no aço. elementos de liga no aço.

14
Tipos de ligas ferrosas

15
Aços
• AISI – American Iron and Steel Institute – Instituto Americano de Ferro e do Aço.
• SAE – Society of Automotive Engineers – Sociedade de Engenheiros Automotivos.
• ASTM – American Society for Testing and Materials.
• UNS – Uniform Numbering System – Sistema de Numeração Uniforme.

16
Aços com baixo teor de C
• Menos que aproximadamente 0,25%p C;
• Não respondem a tratamentos térmicos;
• Aumento da resistência por trabalho a frio;
• Microestrutura: ferrita e perlita;
• Baixa dureza e baixa resistência;
• Ductilidade e tenacidade excepcionais
• Usináveis, soldáveis;
• Mais baratos de serem produzidos.
17
Aços de alta resistência e de baixa liga
• Contém outros elementos de liga: Cu, V, Ni, Mo –
podem chegar em concentrações combinadas de
10%p;
• Maiores resistências que os aços-carbono comuns com
baixo teor de carbono;
• A maioria pode ter sua resistência aumentada por
tratamento térmico;
• São dúcteis, conformáveis e usináveis;
• São mais resistentes a corrosão que os aços-carbono
comuns.
18
Comparativo de características mecânicas de
alguns aços-carbono comuns com baixo teor de
carbono e aços de alta resistência e baixa liga

19
Aços com médio teor de carbono
• Concentrações entre 0,25% e 0,60%p;
• Podem ser tratadas termicamente por austenitização,
têmpera e revenido;
• Baixa temperabilidade: seções muito finas e com taxas
de resfriamento muito rápidas;
• Adições de Cr, Ni e Mo melhoram a capacidade dessas
ligas de serem tratadas termicamente;
• Quando tratadas termicamente são mais resistentes
que os aços com baixo teor de carbono, porém com o
sacrifício da ductilidade e tenacidade.
20
Alguns exemplos de aços-carbono comuns e
aços de baixa liga

21
Aplicações típicas e propriedades mecânicas
para aços-carbono comuns e aços-liga

22
Aços com alto teor de carbono
• Teores de C entre 0,60% e 1,4%p;
• Mais duros e resistente, menos dúcteis;
• Resistentes ao desgaste;
• Aços-ferramenta: Cr, V, W, Mo
• Este elementos de liga combinam-se com C
para formar carbetos – Cr23C6, V4C3 WC.

23
Algumas composições de aços-ferramenta e
suas aplicações

24
Aços inoxidáveis
• Altamente resistentes a corrosão em diversos
ambientes, especialmente na atmosfera
ambiente;
• Elemento de liga predominante: Cr em pelo
menos 11%p;
• Ni e Mo melhoram a resistência a corrosão;
• São divididos em 3 classes: martensíticos,
ferríticos e austeníticos.

25
Aços inoxidáveis, composições, propriedades
mecânicas e aplicações

26
Mais algumas curiosidades dos aços
inoxidáveis
• Martensíticos: tratados termicamente;
• Austeníticos e ferríticos: endurecidos e
resistência aumentada por trabalho a frio, não
são tratáveis termicamente;
• Para os austeníticos, o campo γ é estendido
até a temperatura ambiente;
• Martensíticos e ferríticos: magnéticos;
• Austeníticos: não magnéticos.

27
Ferros Fundidos
• Ligas ferrosas com teores de C acima de
2,14%p – 3,0% e 4,5%p C (maioria dos ferros
fundidos);
• Tornam-se completamente líquidas em
temperaturas entre aproximadamente 1150oC
e 1300oC;
• Apropriados para a fundição, além de alguns
serem muito frágeis.

28
Reexame do diagrama Fe-Fe3C

Si em concentrações superiores ou aproximadamente 1%p.


29
Ferros fundidos cinzentos
• Teor de C: 2,5%p a 4,0%p;
• Teor de Si: 1,0%p e 3,0%p;
• Grafita na forma de flocos envolvidos por matriz ferrítica ou
perlítica.

30
Ampliação de 500X.
Ferros fundidos cinzentos
• Pouco resistente e frágil em tração;
• Resistência e ductilidade são maiores sob cargas de
compressão;
• Eficientes no amortecimento de energia vibracional;
• Elevada resistência ao desgaste;
• Alta fluidez no estado fundido;
• Está entre os materiais metálicos mais baratos.

Aço

Ferro fundido 31
Ferro dúctil (ou Nodular)
• Adição de uma pequena quantidade de Mg e Ce;
• Grafita em nódulos;
• Matriz de perlita ou ferrita;

32
Ampliação de 200X.
Ferro Branco
• Baixo teor de Si < 1,0%p e rápidas taxas de
resfriamento, maioria do C existe como Fe3C;
• Devido a presença de grandes quantidades de
Fe3C, o ferro branco é extremamente duro e frágil
– usinagem impossível.
• Aplicações: superfícies muito dura e resistente à
abrasão (cilindros de laminação);
• Intermediário na produção de um outro tipo de
ferro fundido, o maleável.
33
Ferro Branco
• Regiões mais claras de cementita estão envolvidas
por perlita.

Ampliação de 400X. 34
Ferro maleável
• Aquecimento do ferro branco entre 800oC e
900oC por tempo prolongado em atmosfera
neutra;
• Decomposição de Fe3C para formar grafita em
forma de aglomerados ou rosetas envolvidas por
matriz ferrítica ou perlítica;
• Estrutura semelhante do ferro nodular;
• Resistência relativamente elevada e uma
maleabilidade considerável.
35
Ferro maleável
• grafita em forma de aglomerados ou rosetas envolvidas por
matriz ferrítica.

Ampliação de 150X. 36
Ferro Fundido Vermicular
• C existe como grafita – promovida pela presença de Si;
• Si – entre 1,7%p e 3,0%p;
• C – 3,1%p e 4,0%p;
• Microestruturalmente a grafita possui forma de verme.

Ampliação de 100X. 37
Ferro Fundido Vermicular
• Microestrutura intermediária entre as do ferro
cinzento e ferro dúctil (nodular);
• Menos de 20% da grafita pode estar na forma
de nódulos;
• Mg e Ce em menores concentrações do que
no ferro dúctil.

38
Propriedades mecânicas, composições e
aplicações de alguns ferros fundidos

39
Microestruturas esquemáticas dos ferros fundidos
comerciais a partir do diagrama de fases Fe-C

40
Referência Bibliográfica Recomendada
1. WILLIAM D. CALLISTER, Ciência E Engenharia
De Materiais - Uma Introdução, LTC, 2011.

• Capítulo 9: Diagramas de Fases (O Sistema


Ferro-Carbono);
• Capítulo 11: Aplicações e Processamento de
Ligas Metálicas (Ligas Ferrosas).

41
OBRIGADO!

42