Você está na página 1de 80

Inglês em tempo recordE

- Segredo dos poliglotas -


Contents

Title Page
Introdução
CAPÍTULO 1 - Quebrando mitos do aprendizado de idiomas
1.1. O erro mais grave cometidos pelos estudantes de idiomas
1.2. Sou muito velho pra aprender uma língua estrangeira?
1.3. Não sou bom para aprender línguas?
1.4. Não vou conseguir porque tenho pouco tempo livre?
1.5. É possível aprender idiomas sozinho?
1.6. Não dá para ser fluente sem sair do Brasil?
CAPÍTULO 2 - Estratégias para a aprendizagem de novos idiomas
2.1. No que focar: gramática, pronúncia, vocabulário?
2.2. Quanto tempo demora para se aprender outro idioma?
2.3. Como se manter motivado e traçar objetivos
2.4. Como criar uma rotina de estudo de idiomas
2.5. Como criar um ambiente de imersão sem sair do Brasil
2.6. Principais ferramentas online para se aprender idiomas
CAPÍTULO 3 - Técnicas utilizadas pelos poliglotas
3.1. Técnicas para adquirir e praticar vocabulário
3.2. Técnicas para aprender e praticar pronúncia
3.3. Técnicas para treinar escrita
3.4. Técnicas de como praticar conversação e desenrolar a língua
CAPÍTULO 4 - Estratégias para memorização de idiomas
CAPÍTULO 5: Aprendendo inglês com NETFLIX
CONCLUSÃO
BÔNUS 1: História com áudio em Inglês
BÔNUS 2: Leitura complementar extra
Copyright © 2020 – Todos os Direitos Reservados

É proibido reproduzir, duplicar, ou transmitir qualquer parte desse documento


em meios eletrônicos ou impressos a menos que tenha permissão escrita do
autor, exceto no caso de breves citações incluídas em revisões críticas e
alguns outros usos não-comerciais permitidos pela lei de direitos autorais.
Introdução

Neste material, você vai aprender técnicas utilizadas pelos poliglotas para
acelerar o aprendizado de idiomas. Com isso, você terá ferramentas que serão
um diferencial na sua evolução. Se, por um lado, crianças têm facilidade
fisiológica em aprender novas línguas, você terá a vantagem de conhecer
técnicas e métodos para fazer com que seu cérebro se adapte muito bem a
novos ideiomas. Dessa forma, conseguir alcançar seus objetivos ficará muito
mais fácil e prazeroso, seja assistir vídeos sem legenda, seja morar e trabalhar
em outro país.

Você conhecerá um conjunto de técnicas, muitas delas desenvolvidas por


poliglotas linguistas, porém elas sozinhas não irão fazer você alcançar seus
objetivos. Você tem que as pôr em prática para ver os resultados. Mesmo que
algumas técnicas, no início, possam parecer desconfortáveis de usar, você
tem que dar os primeiros passos. Só assim você irá começar a sentir
confiança e conforto aplicando as técnicas ensinadas. Tenha em mente uma
coisa: quanto mais rápido você as aplicar, mais rápido você irá colher os
resultados.

Quero já de início deixar claro que existem 3 formas de utilizar este


material. A primeira é usando essas técnicas de forma autodidata em conjunto
com aulas em uma escola tradicional de idiomas. Entretanto, à medida que
você for evoluindo e sentindo que as aulas na escola de idiomas estão em um
ritmo de evolução menor do que o seu, é importante que você avalie a
possibilidade de sair da escola de idiomas e passar a ter orientação online
com professores nativos para que sua evolução não seja afetada pelo ritmo
lento que a escola de idiomas acaba obrigando você a seguir. Por incrível que
pareça, o custo das aulas com professores nativos é quase o mesmo ou até
menor que a maioria das escolas de idiomas, com a vantagem de você poder
escolher o professor e o horário.
A segunda maneira é já começar utilizando esse material em conjunto
com aulas com professores nativos. Como falei no parágrafo anterior, eles
tem um custo acessível e tem uma série de vantagens. Essa é a forma ideal
para quem está zerado e ainda vai começar a estudar um novo idioma, mas
não consegue estudar sozinho e precisa de uma estrutura mais formal.

A terceira maneira é para quem se sente confortável com o modelo de


aprendizado autodidático. Este material tem todas as informações que você
precisa para aprender outros idiomas, incluindo informações de como você
pode encontrar parceiros nativos para treinar a língua que você deseja
aprender sem custo

algum. Mas, independentemente disso, você pode usar todas as técnicas,


inclusive os professores nativos quando achar necessário, afinal até os
poliglotas famosos têm aulas com professores nativos para acelerar a
compreensão dos pontos mais difíceis de cada língua.

Além das técnicas, este material tem exemplos de como aplicá-las.


Entretanto, para facilitar a leitura e compreensão, os exemplos são mostrados
em inglês, afinal essa é a língua que a maioria dos brasileiros desejam e
precisam aprender, porém as técnicas podem ser aplicadas para o aprendizado
de qualquer outro idioma.

Espero que você esteja tão animado em aprender quanto eu estou de lhe
ensinar as técnicas.

Para terminar, se você gostou deste ebook, poderia ser gentil e deixar uma
nota e um comentário sobre ele na Amazon.com.br ?

Isso é importante para incentivar a produção de mais livros de alta


qualidade com custo acessível para você. Eu leio pessoalmente cada um dos
reviews cuidadosamente, essa é a forma que tenho de me conectar com você
leitor e ouvir seu feedback em relação a essa obra que levou vários meses de
dedicação e afastamento da minha família para estar pronta para você.
Obrigado novamente e se divirta!

✽✽✽
CAPÍTULO 1 - Quebrando mitos do
aprendizado de idiomas

Falar um idioma diferente da língua materna não é tão complicado assim.


Para todos que decidem se dedicar ao aprendizado de um novo idioma
existem barreiras, isso é normal! Para tudo de novo que decidimos fazer na
vida, seja cultivar alimentos orgânicos em vasos na varanda, seja perder peso
se exercitando na academia, existem desafios que precisam ser superados dia
após dia para que o objetivo seja alcançado. Independentemente da forma
como você estuda, através de cursos em escolas de idiomas, professores
particulares ou de forma autodidata, essas barreiras existem e precisam ser
quebradas. Como as quebras? Bem... com dedicação, um método eficaz de
estudo e adaptações desse método ao seu estilo de vida são algumas das
etapas necessárias. Falaremos disso mais à frente. Por enquanto, vamos listar
e quebrar os mitos.

Antes de tudo, se você é daqueles que além de querer falar um novo


idioma está preocupado em falar igual a um nativo ou até sonha em ser
confundido com um, é importante que você ajuste suas expectativas e saiba
que o mais importante é que você execute com fluência e confiança a nova
língua estrangeira antes de se preocupar em falar com sotaque nativo. O seu
sotaque, seja ele paulista, carioca, nordestino, mineiro etc., faz parte da sua
história e faz parte de você como um todo. Além de estar na sua voz, ele está
no seu modo de agir, de olhar, de se vestir e de se expressar. Mas não se
preocupe, porque isso não é um empecilho que o impede de falar com
fluência.

A seguir, vamos falar sobre alguns dos erros e mitos que são largamente
difundidos sobre o aprendizado de novos idiomas. Se você passar a acreditar
nesses mitos e cometer esses erros, eles tornar-se-ão sua maior barreira no
aprendizado de uma nova língua. Mas, por outro lado, se você passa a
conhecê-los, eles serão uma grande arma rumo ao seu sucesso, porque eles
perderão o poder e a influência sobre você.
1.1. O erro mais grave cometidos pelos
estudantes de idiomas
Entre os erros cometidos por quem estuda uma língua estrangeira, o mais
grave é a vergonha ou medo de falar o novo idioma. O que acontece? Você
acaba esquecendo tudo o que já aprendeu até o ponto em que se encontra no
processo. Os estudantes passam muito tempo esperando se sentir prontos para
falar, mas, na verdade, você precisa falar para estar pronto. Senão, você
poderá alcançar o “platô intermediário”, e isso pode fazer você “travar”.

Fonte: http://madloba.com/rogor_seviswavlot_inglisuri_ena/

Mas o que é esse “platô intermediário”?

A desaceleração do aprendizado de uma língua estrangeira até o ponto em


que o estudante estaciona num patamar mediano recebe o nome de “platô
intermediário”.
Esse é um grande problema que acontece tanto com quem estuda em
cursos regulares de línguas, quanto com quem é autodidata. (Se você quer
entender mais sobre o “platô intermediário”, dê uma olhada neste link aqui (
noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2015/12/21/1134880/lets-talk-temido-eterno-nivel-
intermediario-ingles.html ) | Se você prefere em inglês, leia este aqui
(www.cambridge.org/elt/blog/2015/08/26/moving-beyond-plateau-lower-upper-intermediate ).

Os cursos regulares, de modo geral, não oferecem um ambiente em que o


aluno pode usar o que está sendo aprendido de forma mais autêntica, mais
ligado ao seu dia a dia, ou algo ligado ao seu principal objetivo de estar
estudando uma língua estrangeira. Isso é até compreensível, afinal, em uma
sala com 5 a 8 alunos com idades variadas é difícil criar um ambiente que
esteja de acordo com o objetivo de cada um. Você se lembra de uma
propaganda recente veiculada na TV na qual, em uma turma regular de
inglês, a professora ficava repetindo palavras para papagaios? É mais ou
menos isso, você decora palavras fora de contexto que não tem relação com
sua vida cotidiana.

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=-8LTB4hGH1s

Você tem que ter em mente que deve a todo custo evitar um bloqueio
psicológico por falta de treinar, falar, se arriscar, abrir a boca para o mundo e
se expressar! E esta tarefa fica mais fácil quando aprende novas palavras e
expressões e as usa ao longo do dia, caminhando paulatinamente para o
domínio do idioma.
Então, não desanime ao se deparar com erros. Pense bem, muitas das
coisas que aprendemos na vida e que ficam na nossa mente por longos anos
são coisas que aprendemos ao errar, erramos até chegar à perfeição.
Uma correção de pronúncia mal feita na frente da turma por parte do
professor pode levar um aluno a ter uma relação conflituosa com o idioma,
tudo vai depender da forma como o aluno interpreta essa situação. Isso pode
acontecer com qualquer um em uma sala de aula, mas não deve deixar
“marcas psicológicas” em quem está querendo aprender uma nova língua.
1.2. Sou muito velho pra aprender uma
língua estrangeira?
Nunca é tarde para se aprender um idioma novo. Muito pelo contrário.
Pesquisas modernas mostraram que estudar idiomas pode ajudar o cérebro a
ser mais saudável e auxiliar na prevenção da demência (para saber mais sobre
essa pesquisa, dê uma lida neste artigo da BBC
(www.bbc.com/portuguese/noticias/2012/05/120502_cerebro-lingua_rp ). Por isso, nunca
acredite na premissa de que está velho demais para falar inglês, francês,
russo, japonês. De acordo com estas pesquisas, o ser humano é capaz de
continuar aprendendo ao passo que envelhece.

Fonte: http://www.newsbeast.gr

Ao invés de pensar que está velho demais para aprender, foque nas
vantagens. Existem várias vantagens de ser um estudante adulto de idiomas,
incluindo o fato de que sabemos como aprender melhor, sabemos o que
queremos e podemos planejar nosso processo. Se as crianças aprendem
intuitivamente e com mais facilidade, nós adultos, independentemente da
idade, podemos nos “programar” para aprender, de forma mais consciente,
organizada e melhor.
1.3. Não sou bom para aprender línguas?
Muitas pessoas acreditam que não têm aptidão para aprender outras
línguas, motivadas muitas vezes por terem dificuldades de pronunciar sons
que não existem em seu idioma e, por isso, acham que não podem adquirir
fluência. Esse tipo de crença é infundada, pois biologicamente todos temos as
habilidades para dominar outra língua e executar a fala, leitura, escrita,
interpretação de textos, assim como fazemos em nossa língua-mãe.

Algumas pessoas podem até ter mais facilidade de aprender novos


idiomas, mas isso não quer dizer que aquelas que têm “dificuldade” devam
desistir. Essa sensação de dificuldade pode ter sido fruto de uma má
experiência no passado ou uma situação que as fizeram acreditar que não têm
potencial para aprender uma nova língua. É tudo uma questão de persistência,
de encontrar um método que funcione para si e de acreditar que são capazes
do mesmo modo que as outras pessoas são.

Algumas pessoas ficam envergonhadas em falar outra língua, acreditando


que pronunciar alguma palavra errada é um grande problema e de que isso é a
prova de que não são bons para aprender línguas. Ora, até mesmo em nossa
língua materna cometemos erros, então é bobagem pensar que falar de forma
errada seja um problema. A verdade é que quanto mais erros você comete,
mais você aprende. Então, quantos erros você cometeu hoje? Se você quer
aprender rápido, se coloque em situações que lhe permitem errar muito,
porém sempre se atentando para se corrigir.

Fique atento, porque tudo depende da sua força de vontade de aprender.


Tudo o que você precisa é uma abordagem diferente da que está acostumado
e que não deu certo.
Fonte: https://pixabay.com/en/
1.4. Não vou conseguir porque tenho
pouco tempo livre?
Tempo livre é um problema para todos nos dias de hoje, principalmente
para quem vive nos grandes centros urbanos. A vida corrida entre trabalho,
estudos, afazeres domésticos, cursos diversos, lazer deixa pouca margem de
manobra para o estudo de idiomas, mas não adianta fugir. Todos temos 24
horas, a diferença está em como cada um as utiliza.

Com as tecnologias modernas, estudar em qualquer horário ou tempo


livre que tiver se tornou simples, prático e até mesmo de graça. A quantidade
de material que existe disponível para download ou online na internet é tão
farta que essa não pode ser uma desculpa para não estudar uma língua
estrangeira. Por isso, não pense que você “não tem tempo”. Faça seu tempo,
comece com apenas alguns minutos por dia e aumente aos poucos a duração
das sessões de autoaprendizagem do idioma pretendido.
Fonte: https://pixabay.com/en/

Em um curso regular realmente, você tem que separar o período de aulas


para se dedicar, mas, em casa, de forma autodidática, você pode montar um
cronograma de estudos que se adapte aos seus horários, à sua agenda e ao seu
ritmo de vida. Ouvir áudios no carro (ou no ônibus), além de blogs, podcasts,
vídeos do Youtube, são várias ferramentas disponíveis para se estudar
enquanto se está em trânsito, numa fila de banco etc. E o melhor: a grande
maioria desses recursos é de graça.
1.5. É possível aprender idiomas
sozinho?
Sim, é possível! Não é só possível como este é o intuito deste material:
mostrar os métodos, técnicas, cursos e recursos disponíveis utilizados pelos
poliglotas. A maioria deles estuda sozinho uma língua estrangeira, o que
permite maximizar seu tempo para que consiga avançar no aprendizado em
um ritmo muito maior do que os estudantes de escola de idiomas tradicionais.

Como veremos mais abaixo, existem ótimos recursos para se tornar um


autodidata no estudo de línguas. Técnicas e sistemas que permitem interação
com um falante nativo, que testam sua pronúncia e sua escrita. Sites para
você aprender enquanto ouve música, vê filmes, seriados, lê revistas e
jornais.

Um dos poliglotas é o húngaro Balázs Csigi, fluente em sete línguas. Ele


defende que o processo de aprendizagem pode ser facilitado se o estudante
fizer uma imersão na cultura do país que fala o idioma estudado,
paralelamente às regras gramaticais e lexicais, para assim dar um salto no seu
aprendizado. Em um artigo publicado no portal Business Insider
(http://www.businessinsider.com/polyglot-reveals-the-biggest-secret-to-learning-a-new-language-
2016-3), Csigi defende que aprender uma língua vai muito além de apenas
“decorar” palavras e regras gramaticais. O estudante deve ir além: imergir na
cultura do povo que a fala, conhecer sua história, música, culinária típica etc.

É um ponto de vista empolgante defendido por vários poliglotas!


Aprender coisas novas sobre outra cultura para alavancar o estudo do idioma
pretendido. Ao longo deste livro, vamos dar dicas de como você pode fazer
isso também, mesmo sem sair do Brasil.
Fonte: https://pixabay.com/en/

Então, sim, sozinho você pode explorar recursos que o ajudem a dominar
outro idioma.
1.6. Não dá para ser fluente sem sair do
Brasil?
Não é verdade! Não é preciso viajar para o outro lado do mundo para ter
contato com um novo idioma. Existem pessoas que falam outras línguas em
qualquer lugar e, quando você estiver no momento em que a imersão no novo
idioma é um grande passo para seu aprendizado, existem várias opções,
principalmente as que são mediadas pela tecnologia. Em grandes centros, por
exemplo, pode-se achar comunidades de estrangeiros, inclusive restaurantes
com comidas de todos lugares do mundo, e lá você pode fazer contato com
eles e aprender mais sobre a cultura e a língua. Além disso, você pode criar e
aprender com fontes constantes de novos conteúdos: podcasts, rádios online,
programas de TV, filmes e música.

É certo que uma viagem de imersão ao estrangeiro faz com que algumas
pessoas se desenvolvam rapidamente num idioma. A vida real, o dia a dia, é
muito mais exigente do que as simulações: ou você aprende ou não
sobrevive. Mas também é verdade que muitas pessoas vão para o exterior e
não aprendem quase nada.

Porém, como nem todo mundo tem condições financeiras e/ou tempo para
uma viagem de imersão, existe a simulação, cada vez mais acessível, no
papel de se aprender um idioma sem sair do país. As novas tecnologias
propiciaram isso. Basta buscar contexto e necessidade para o aprendizado.
Neste livro, vamos mostrar estratégias e técnicas para você alcançar esse
objetivo!

Sua tarefa: Pense sobre as crenças que você tinha sobre o aprendizado de
idiomas e liste cada uma. Depois, para cada uma, reflita se ela é realmente
verdadeira, risque-a e passe para a seguinte. Pare de acreditar nelas, porque
isso só vai criar limites e barreiras para o seu aprendizado. Posso garantir que
para toda crença com relação à aprendizagem de idiomas existe uma pessoa
que é prova do contrário.

✽✽✽
CAPÍTULO 2 - Estratégias para a
aprendizagem de novos idiomas
2.1. No que focar: gramática, pronúncia,
vocabulário?

Começar a aprender um novo idioma exige um esforço inicial, que deve ser
direcionado para a absorção da fonética da língua: conhecendo os sons dela,
fica mais fácil falar e entender o que é dito.
Mas o que é fonética? No sentido mais amplo, ela é a parte da linguística
que estuda e classifica os elementos mínimos da linguagem articulada em sua
realização concreta. É, então, uma ciência que descreve os sons de uma
determinada língua.

Para descrever os sons possíveis de qualquer língua, foi criado o Alfabeto


Fonético Internacional. Ele é um sistema de notação fonética baseado no
alfabeto latino, criado pela Associação Fonética Internacional como uma
forma de representação padronizada dos sons do idioma falado. É utilizado
por linguistas, fonoaudiólogos, professores, estudantes de idiomas
estrangeiros, cantores, atores, lexicógrafos e tradutores.

No início, pode parecer intimidante, mas é algo que vale a pena aprender
e que já vai lhe dar um diferencial em relação aos outros estudantes, porque
você vai ouvir e saberá exatamente qual o som foi pronunciado e, com isso,
você pode repetir usando a pronuncia correta.

Dica: Ao estudar os fonemas da língua inglesa, recomendo começar pelos


ditongos e depois passar para as consoantes, porque a pronuncia é muito
parecida com o português. Assim, você já vai ganhando confiança antes de
passar para os mais desafiadores. Veja abaixo uma imagem dos fonemas da
língua inglesa:
Fonte: IPA Chart, http://www.internationalphoneticassociation.org/content/ipa-chart

Quase todos sabemos, por exemplo, que existem sons em inglês que não
acontecem em português, como o representado pelo conjunto “TH” (que se
pronuncia com a ponta da língua entre os dentes incisivos). Ao estudar a
língua inglesa, você deve saber que tipo de som essas letras representam, para
que possa treiná-lo e reproduzi-lo o mais próximo da perfeição. Sempre que
puder, tente copiar a pronúncia, a musicalidade, o ritmo, o volume e a
entonação das frases logo que você começar a aprender um idioma. Para isso,
em vez de focar exclusivamente nas palavras, preste atenção e procure imitar
tudo o que você ouvir.

Os aplicativos para celular são uma boa ferramenta para treinar esses
requisitos. Programas como o HiNative ajudam você a testar sua pronúncia
enviando mensagens para nativos. Abaixo, você encontra alguns links com as
melhores ferramentas interativas para aprender a pronuncia dos fonemas da
língua inglesa:

Sites que você pode estar usando:


1 - www.bbc.co.uk/learningenglish/english/features/pronunciation
2 - www.cambridgeenglishonline.com/interactive_phonemic_chart/
3 - www.soundsofspeech.uiowa.edu/index.html#english
4 - www.onestopenglish.com/skills/pronunciation/phonemic-chart-and-app/interactive-phonemic-
chart-british-english/
5 - ww.phonetizer.com/ui

Aplicativos para teinar os fonemas:


1- www.play.google.com/store/apps/details?id=com.aepronunciation.ipa
2- www.play.google.com/store/apps/details?id=com.macmillan.app.soundsfree
3- www.soundsofspeech.uiowa.edu/index.html#english

Outra vantagem de conhecer os símbolos fonéticos é que você poderá


encontrar a escrita fonética das palavras nos dicionários e, assim, além do
significado você saberá como pronunciar as novas palavras. Lembre-se que,
ao aprender a pronuncia de novas palavras, do mesmo modo que no
português, existem palavras que são pronunciadas da mesma forma, mas têm
escrita e significado diferente. Dessa forma, aprendendo uma faz com que
você esteja aprendendo duas. Veja alguns exemplos de palavras em inglês
abaixo com a escrita fonética:

be, bee /biː/


see, sea /siː/
pee, pea /piː/
two, too /tuː/
for, four /fə/
ate, eight /eɪt/
by, bye, buy /baɪ/
write, right /raɪt/

Em relação ao vocabulário, embora seja necessário memorizar uma série


de palavras novas, não vai precisar de uma vasta quantidade de palavras para
começar a falar uma língua estrangeira. Você vai necessitar aprender as
palavras certas e mais úteis. Mais à frente falaremos sobre as palavras de uso
mais comuns. Depois de aprender esses termos do idioma que você pretende
dominar, você já terá uma enorme vantagem em relação ao vocabulário.

Outro ponto que facilita a aquisição de vocabulário é a questão dos


cognatos verdadeiros, palavras de línguas diferentes que têm origem comum
e, portanto, possuem grafias semelhantes – quando não idênticas – e mesmo
significado do português. Veja o exemplo de algumas no idioma inglês
abaixo juntamente com a escrita fonética:

Creation /kriːˈeɪʃən/ = criação


Connect /kəˈnekt/= conectar
Diferente /ˈdɪfrənt/= diferente
Economy /iːˈkɒnəmɪ/= economia
Future /ˈfjuːʧə/= futuro
Garage /ˈgærɑːʒ/= garagem
Music /ˈmjuːzɪk/= música
Television /ˈtelɪˌvɪʒən/= televisão
Video /ˈvɪdɪəʊ/= vídeo.
Idea /aɪˈdɪə/ = ideia
Present /ˈpreznt/ = presente

Sua Tarefa: Se você está aprendendo inglês, escolha um dos sites ou


aplicativos mencionados e comece a estudar hoje os fonemas. Se você está
estudando outra língua, busque na internet um site ou aplicativo que ensine o
fonema dessa língua e já comece a aprender.
2.2. Quanto tempo demora para se
aprender outro idioma?
Isso não é algo fácil de dizer. Há diferenças no tempo de aprendizagem
de cada idioma, devido à diferença de estrutura fonética e de escrita
principalmente. Mas a estrutura frasal e o sistema gramatical também podem
diferir muito da nossa língua-mãe. Para nós que falamos português,
obviamente aprender uma língua neolatina – espanhol, francês, italiano,
galego, catalão etc. – é muito mais rápido e simples do que aprender japonês,
uma língua isolada com escrita, fonética e estrutura distintas.

O tempo de aprendizagem também vai variar, obviamente, em uma


relação direta com quantos minutos ou horas por dia você se dedica e se
expõe ao estudo do idioma. A velocidade com que cada indivíduo adquire
domínio sobre uma língua também está ligada a muitos outros fatores. A
disposição psicológica para se aprender é um deles. A vergonha de falar e
medo de exposição fazem parte desta “barreira psicológica”, que deve ser
quebrada com força de vontade, determinação e foco, se você quiser aprender
o mais rápido possível. Afinal, seu objetivo deve ser sempre dominar o
máximo possível todas as habilidades relativas à linguagem: escrita, fala e
entendimento do que se ouve.

Mais importante do que o tempo é que você crie metas e tenha um


motivador forte para aprender um idioma estrangeiro! Comece decidindo
qual nível você deseja alcançar na língua estrangeira: você pretende se tornar
um tradutor ou ser apenas capaz de se comunicar com os nativos em uma
viagem seria suficiente? Vamos falar sobre motivadores e metas e qual a
relação direta eles têm com o tempo de aprendizado no próximo tópico.
2.3. Como se manter motivado e traçar
objetivos
Muitas pessoas não possuem um “porquê” para se aprender outra língua.
Mesmo que “tenho que aprender para meu trabalho“ seja o motivo, a tarefa
não pode ser maçante, tediosa, um “peso nas suas costas”.
Queira estudar uma língua estrangeira para se sentir mais pleno,
informado, capacitado e principalmente “feliz”. O importante é que você
tenha objetivos reais para o uso do idioma, assim sua mente vai sentir a real
necessidade de aprender o idioma. Ao criar seus objetivos e metas. se
comprometa com um prazo, por exemplo:

- Dentro de 6 meses vou me candidatar a uma entrevista de trabalho em


inglês
- Em janeiro do próximo ano irei viajar para o Canadá
- Em junho vou palestrar no Congresso x e irei ter que palestrar em inglês
- A partir de junho irei começar a hospedar estrangeiros em minha casa
usando o site Couchsurfing
- A partir de julho irei trabalhar com clientes estrangeiros

Isso é um ponto importantíssimo. Se você ainda não encontrou um


motivador que seja verdadeiramente forte para você, pare e reflita antes de
continuar estudando este material, porque ele tem grande influência na
velocidade e na consistência com que você vai aprender o novo idioma. Além
disso, vai lhe dar motivação e coragem para fazer você se colocar em
situações importantes para o aprendizado de línguas que provavelmente você
não se colocaria se não tivesse um motivo forte, como, por exemplo, praticar
conversação com nativos.

Então, já encontrou o seu motivo? Se não encontrou, então leia apenas o


próximo paragrafo.
Uma outra maneira de se manter motivado é usar os conhecimentos
adquiridos, de preferência, todos os dias. E isso é muito plausível atualmente,
pois, com a internet, você pode entrar em grupos de bate-papo, fóruns, usar
aplicativos de troca de mensagens ou até fazer um diário em vídeo e postar
no YouTube com você falando as primeiras palavras da nova língua que você
está aprendendo. Encontrar alguém que esteja no mesmo ritmo que você pode
ajudar bastante, porque ambos se motivam.

Sua Tarefa: Escreva em um papel o seu objetivo, porém ele tem que ser
forte o suficiente para motivá-lo. Para isso, coloque uma data alvo e tenha
objetivos específicos, porém realistas. Se você quiser aumentar o potencial,
publique esse seu objetivo na sua rede social e defina uma penalidade caso
você não faça. A penalidade tem que ser com algo que você não goste, ou
sjea, tem que ser algo que você não goste, por exemplo, se você criou uma
meta de se candidatar a uma entrevista em inglês dentro de 6 meses, mas se
não cumprir você promete raspar seu cabelo.
2.4. Como criar uma rotina de estudo de
idiomas
Bem, antes de continuar, eu espero que você já tenha escrito o seu
objetivo, caso não, pare de ler e escreva antes de continuar, porque é
realmente importante.

A rotina de estudos é essencial para que o aprendizado de um novo


idioma atinja seus objetivos. Planejar a semana de estudos vai dar uma
sensação de que é possível atingir as metas com mais facilidade, não
deixando que a motivação desapareça.
Depois de decidir e esclarecer seus motivos, organize sua vida para
executar o plano de estudos. Assuma a responsabilidade de seu aprendizado,
seja complementando o que aprende em um curso regular, seja executando as
tarefas que se propõe em um método autodidático.

Um exemplo de rotina semanal de estudos de idiomas pode começar


basicamente com três pontos:

1. Faça uma tabela com os dias da semana e seus compromissos fixos, por
horário, em cada um deles. Assim, você visualizará melhor quais os horários
que terá mais tempo disponível. Anote esses horários de "estudo" e coloque
essa tabela em algum lugar visível para você, como na sua mesa. Para se
organizar, você pode usar uma agenda de papel ou mesmo ferramentas como
o Google Calendar.
2. Nos seus horários livres, separe um tempo para fazer breves resumos
do que aprendeu na lição diária. Isso vai fazer com que memorize melhor o
conteúdo. Tornando essa ação um hábito, o sucesso no aprendizado de uma
língua estrangeira vai ser muito mais fácil. Escreva o resumo como se você
estivesse explicando para outra pessoa. Como alternativa, você pode gravá-
los em forma de áudio, usando seu celular, assim você também irá treinar a
pronuncia.
3. Ao longo da semana, diversifique o material de estudos e as técnicas:
Como veremos nos próximos capítulos, utilizar diferentes ferramentas torna o
estudo de uma língua estrangeira muito mais atraente e com maiores chances
de sucesso.

E lembre-se: no início, a ênfase deve estar na comunicação e não na


perfeição gramatical. Portanto, não tenha medo ou vergonha de cometer
erros. Além disso, em vez de se preocupar em aprender frases mais
complexas, foque em conseguir transmitir informações essenciais do dia a
dia.

Sua Tarefa: Pegue um papel ou use o calendário do Google ou mesmo do


seu celular e marque os horários que você irá se dedicar ao estudo de
idiomas. Lembre-se, enquanto dirige ou está no ônibus, você pode aproveitar
esses horários para estudar usando o seu smartphone.

Dica: Você deve desenvolver o plano de estudos de idiomas sempre


pensando em adequá-lo à sua rotina. Para isso, como exemplo, você pode
usar as seguintes palavras para compô-lo: gramática, aplicativos, exercícios,
conversação, comunicação, escrita, disposição de tempo e revisão. Monte seu
plano em cima desses itens e seja organizado e meticuloso, para que a
desmotivação não venha assombrá-lo. Este é um dos segredos dos poliglotas
autodidatas. Se você quiser, pode deixar o seu horário livre em branco e ir
preenchendo com as técnicas que serão apresentadas ao longo deste material.
2.5. Como criar um ambiente de imersão
sem sair do Brasil
A experiência de morar fora do país é fantástica! Conhecer novas
pessoas, viver em um local onde tudo é novo, entrar de cabeça em uma outra
cultura é algo inigualável. Porém, mesmo existindo formas mais acessíveis de
passar uma temporada em outro país, essa é uma realidade que poucos estão
preparados para enfrentar, principalmente aqueles que já têm família para
sustentar. Então, como imergir em uma língua estrangeira sem sair do país?

Aqui vão algumas dicas que podem levar você a uma imersão sem
precisar viver no estrangeiro:

- Embarque no “trem” da língua

Aprenda a integrar o idioma novo no seu dia a dia. Comece a tentar “ver”
o mundo nesse idioma. Na prática, você pode realizar muitas coisas como
começar a fazer anotações na sua agenda na língua ou línguas que está
aprendendo, mudar o idioma do seu celular e do seu computador, escutar
músicas, ver séries e filmes no idioma original ao invés de dublados, ler
resumos de livros, ouvir rádio do exterior etc.

Sugestões:

Sites para escutar rádio em qualquer parte do mundo:


1- www.radio.garden
2- www.tunein.com/
3- www.facebook.com/livemap/
4- www.bbc.co.uk/radio
5- www.npr.org/

Resumo de livros com áudio e texto:


1- www.itunes.apple.com/sg/app/instaread-book-summaries-in-audio-text/id1046172976?mt=8
2- www.bookvideoclub.com/
3- ww.getabstract.com/en/
4- www.play.google.com/store/apps/details?id=sanity.learnenglishwithaudiobooks
5- www.play.google.com/store/apps/details?id=com.audiobooks.androidapp

Resumo de livros:
1- www.deconstructingexcellence.com/
2- www.actionablebooks.com/en-ca/summaries/

- Encontre um amigo que fale a língua que você está estudando

Vamos ver este ponto em mais profundidade no capítulo seguinte, que se


refere a técnicas de aprendizagem. Obviamente, você quer ser fluente em
uma língua para poder conversar com outra pessoa, escrever para ela, ler o
que ela escreve, ou seja, para interagir com alguém ou um grupo de pessoas
que falam esse idioma. Essa dica é fundamental no processo: encontre
amigos que falem fluentemente a língua que está estudando, de preferência
que seja a língua-mãe deles! Vai ajudar e muito a corrigir sua pronúncia,
ganhar vocabulário, tornar sua escrita mais precisa e dentro das regras
gramaticais do idioma.

Cuidado apenas com o nível de linguagem: claro que não pode ser formal
demais nem pode ser baseado apenas em gírias e expressões de bate-papo na
internet. O uso da linguagem padrão é fundamental para que se forme um
“esquema” da língua na sua cabeça.

- Procure eventos na sua cidade ou região

Nesses eventos, pessoas de diversos níveis se encontram com um


interesse em mente: se socializar na língua que falam. Se você estiver em um
nível muito básico de aprendizagem e não souber nem se apresentar, talvez
seja aconselhável esperar mais um pouco até poder, pelo menos, sustentar
uma conversa básica. Você também pode procurar por acampamentos de
imersão nas férias, algumas igrejas oferecem esse tipo de experiência por um
valor bem acessível para jovens e adultos. Nesse tipo de acampamento, os
tutores são nativos e recriam atividades que refletem a cultura da língua
estudada. A melhor forma de encontrá-los é pesquisando no Google sobre
acampamento de imersão na sua cidade. Geralmente, duram de 5 a 7 dias.
Sugestões:

Encontrar grupos de várias partes do Brasil para treinar línguas:


www.meetup.com/pt-BR/find/language/

Sua Tarefa: Escolha quais desses elementos de imersão você pode utilizar
e coloque no seu plano de estudo para pôr em prática nos dias e horários
marcados.
2.6. Principais ferramentas online para se
aprender idiomas
Existem vários portais na internet, pagos ou não, que oferecem cursos de
idiomas online, inclusive com aplicativos para celular para você poder
praticar enquanto está em trânsito.
Abaixo, listamos em ordem alfabética os principais e com mais recursos.
Eles são ótimos tanto para aqueles que estão aprendendo de forma autodidata
quanto para quem está seguindo o plano de estudo de uma escola de idiomas,
mas deseja acelerar o seu aprendizado.

- Babbel

A Babbel promete ajudar você a aprender a partir de diálogos da vida


real. As lições são práticas e diretas. O método se baseia em ensinar o mais
rápido possível palavras, frases e textos que motivem o aluno, em um
contexto de uso prático da língua e não começando com conceitos
gramaticais somente. As lições são curtas e dinâmicas, com duração de cerca
de 15 minutos.
O cadastro no Babbel é gratuito. As primeiras lições de cada curso de
todos os idiomas oferecidos podem também ser testadas gratuitamente. Para
continuar aprendendo com o sistema, porém, você precisará adquirir uma de
suas assinaturas.

Disponível para PC, smartphones e tablets Android e iOS.


- Busuu

O Busuu é uma das maiores redes sociais do mundo para aprendizagem


de línguas, oferecendo cursos em 12 idiomas diferentes direto no PC ou no
celular para mais de 70 milhões de alunos em todo o mundo. Os cursos são
gratuitos, mas os assinantes do serviço contam com recursos adicionais,
como lições de gramática, modo off-line, certificação McGraw-Hill e um
treino de vocabulário adaptativo.

Disponível para PC, smartphones e tablets Android e iOS.

- Duolingo.

O Duolingo é uma forma bastante popular no mundo todo de aprender


idiomas. É 100% gratuito e utiliza um método científico e o sistema de
árvores de aprendizado. Cada lição inclui diversas questões de conversação,
compreensão, tradução e desafios de múltipla escolha, e o estudante pode
saber imediatamente se suas respostas estão certas. Se você errar, o programa
mostra como pode melhorar. É bastante interativo e conta com um sistema
que testa todas as habilidades do aluno.
Disponível para PC, smartphones e tablets Android, iOS, além de
Windows Phone.

- HiNative

Trata-se de uma comunidade onde o usuário tem à disposição modelos


que tornam mais fácil para os iniciantes fazer perguntas excelentes sobre o
idioma que está estudando. A comunidade HiNative é constituída por
usuários de centenas de línguas dispostos a ajudar uns aos outros. Você pode
até obter ajuda com sua pronúncia. Basta carregar uma resposta de áudio para
obter dicas de outros usuários.

- Italki

Com essa plataforma, você pode ter aulas individuais com professores
nativos e se conectar com pessoas de todo o mundo em mais de 100 idiomas.
Ao escolher um professor, o aluno pode assistir ao vídeo de introdução do(a)
professor(a) e ler as avaliações de outros estudantes. Então, é só escolher o
horário mais conveniente da aula e combinar com o professor para que ela
aconteça através de um programa de conversa por vídeo de sua preferência.
Geralmente, o Skype é o mais recomendado por ser mundialmente
conhecido.

Disponível para PC, smartphones e tablets Android e iOS.


- Memrise

O programa do Memrise promete o uso da ciência do cérebro para ajudá-


lo a aprender mais rápido e com o menor esforço possível. São usados
“mems” para ajudá-lo a formar memórias vivas e sensoriais, com testes de
forma contínua, a fim de dar ao seu cérebro o exercício apropriado para o
aprendizado do idioma.
O portal está disponível em português brasileiro. O usuário tem à
disposição um acesso gratuito (Free) e um pago (Pro).

Disponível para PC e smartphones Android e iOS.

- MosaLingua

MosaLingua é um método de aprendizagem de idiomas por smartphone e


tablet. A equipe internacional do serviço é formada por profissionais que
trabalham para otimizar os aplicativos e ajudar você na aprendizagem de
idiomas. Centenas de milhares de pessoas, de diferentes países, utilizam o
MosaLingua para aprender inglês, espanhol, francês, alemão, italiano e
português brasileiro. É ideal para quem quer ser um poliglota autodidata.
Disponível para PC, iPhone, iPad, iPod Touch, smartphones com
Android, tablets com Android e Kindle Fire.
- Quizlet

A missão do portal é simples: ajudar alunos (e seus professores) a estudar


e apreender o material sobre o qual estão trabalhando. O Quizlet oferece
atividades envolventes e personalizáveis que contam com contribuições de
pessoas de diversos locais. Trata-se de uma comunidade, onde qualquer
pessoa pode utilizá-la para estudar e aprender conteúdos criados por outros
usuários, ou para criar suas próprias listas de estudos. Você também pode
compartilhar listas com amigos, colegas de sala, pessoas que estão estudando
o mesmo idioma que você etc.

- Rosetta Stone

O aplicativo Learn Languages da Rosetta Stone ajuda o aluno a aprender


um idioma a qualquer hora e de qualquer lugar, por meio de lições imersivas
e individualizadas que apresentam novas habilidades de maneira a estimular a
capacidade natural do seu cérebro de aprender um idioma. O curso é pago,
mas quem estiver interessado pode baixar o aplicativo e testá-lo sem
compromisso.
Disponível para PC, smartphones e tablets Android e iOS, além de
download e CDs.
Sua tarefa: Escolha um desses aplicativos e instale no seu smartphone ou
acesse pelo próprio computador ou tablet. Se você não sabe qual escolher,
comece pelo Duolingo ou Memrise. Depois de instalar, use-o diariamente.
Geralmente, você só precisa de 10 a 20 minutos por dia para que em poucas
semanas você já tenha memorizado dezenas de novas palavras. Ao escutar a
pronúncia das palavras lembre-se dos fonemas para pronuncia-las de forma
correta.

Dica: Anote em um papel as palavras novas aprendidas no aplicativo com


a escrita fonética e tente usar, mentalmente, durante o seu dia.

✽✽✽
CAPÍTULO 3 - Técnicas utilizadas pelos
poliglotas

Neste capítulo, você vai conhecer técnicas específicas utilizadas pelos


poliglotas para aprender novos vocabulários e desenvolver a pronúncia e a
gramatica. As técnicas foram desenvolvidas não só para acelerar o
aprendizado, mas também para quebrar algumas dificuldades no aprendizado
de idiomas. Vamos separar este capítulo em quatro sessões: na primeira,
falaremos sobre técnicas para aprender vocabulário, na segunda sobre
técnicas para aprender e praticar pronúncia, na terceira sobre técnicas para
treinar escrita e a última sobre técnicas para treinar conversação.
3.1. Técnicas para adquirir e praticar
vocabulário
- Word List - Listas das palavras mais utilizadas

Conforme se avança no estudo de um idioma, a aquisição de vocabulário


acontece de forma natural. Usar lista de palavras mais comuns acelera a sua
evolução, já que você terá o vocabulário necessário para conversar, ler e
entender outros idiomas. Esta técnica nada mais é do que listar as palavras na
língua que se está estudando com sua respectiva tradução para a língua-mãe
do falante ou com uma frase com a palavra em uso. Para começar, você pode
criar uma lista com entre 150 e 200 palavras.

Existem também listas de palavras com apenas um idioma – chamadas


listas de frequência – ou com mais de dois idiomas. Outras, conhecidas como
listas de Swadesh (método desenvolvido pelo linguista americano Morris
Swadesh), contêm itens correspondentes de várias línguas, escolhidos entre
as palavras mais comuns destes idiomas. Elas são mais indicadas para quem
já domina mais de um idioma.

Ambas podem ser muito valiosas para você que quer ter certeza de que
está estudando o vocabulário mais utilizado de uma ou mais línguas. É como
se fosse um pequeno dicionário de bolso que você pode levar para onde você
quiser.
Seu uso se estende também para o turista que está em um país estrangeiro
e precisa se comunicar por curto período de tempo com a população local e,
para isso, lança mão dessa lista de palavras. O método de escrever listas de
palavras pode e deve ser associado a outras técnicas parecidas, como os
flashcards, como veremos a seguir.

Listas de palavras podem ser montadas também para sinônimos,


antônimos, cognatos, fonemas etc. e têm um papel importante na aceleração
do aprendizado. Abaixo, segue uma lista de palavras que possuem a mesma
pronúncia, mas têm escrita e significados diferentes. Ao aprender a
pronunciar uma delas, você estará automaticamente aprendendo duas.

Fonte: https://br.pinterest.com/explore/mesma-palavra-significado-diferente/

- Flashcards

O termo flashcard vem do inglês: Flash=rápido/instantâneo e Card=


Cartão. São pequenos cartões que ajudam no resumo e memorização de um
conteúdo, contendo uma palavra na língua estrangeira de um lado e sua
correspondente na língua-mãe do outro.

Na área educacional, traduzimos o termo flashcard como um termo de


aprendizagem rápida, que usa repetição, associação e memorização.
Lembre-se de que a repetição é essencial neste processo, por isso, leia e
releia o flashcard quantas vezes for necessário. Os flashcards são um método
rápido e de fácil memorização. Você deve se dedicar pelo menos duas vezes
por dia para criar estes cartões, podendo utilizar imagens ou desenhos para
facilitar a assimilação do conteúdo.

Eles são uma representação visual e prática de um método conhecido


como “resgate ativo” (active recall), princípio para a aprendizagem eficiente,
ativada pela estimulação da memória. Você pode colocar as palavras que
você tiver mais dificuldade em memorizar junto a outras palavras de difícil
memorização para repetir com mais frequência. Quanto às palavras que você
já conseguiu memorizar e tem facilidade em relembrar, você pode separar em
outra pilha para repetir com menos frequência durante a semana ou o mês. A
partir do momento em que as palavras difíceis forem se tornando fáceis, você
pode mudá-las de pilha para repeti-las com menos frequência.

Fonte: http://candychang.com/site/wp-content/uploads/2015/12/Tenants-Rights-Flashcards-fan-
1000x601.jpg

É importante que você crie seus flashcards à mão, pois escrever a palavra
faz parte do processo de memorização. Não é a mesma coisa como imprimir
cartões prontos da internet; a assimilação vai ser mais eficaz com o processo
de escrita.
Porém, com a facilidade de levar um computador no bolso – afinal, o que
são os smartphones hoje em dia? –, o uso de aplicativos que podem ser
acessados online ou offline acaba sendo mais atrativo, facilitando a prática de
idiomas através de flashcards, como por exemplo o Anki.

- Anki
O Anki é um software gratuito que ajuda a memorizar qualquer coisa
mais facilmente. Ele usa um conceito chamado SRS (Spaced Repetition
System / Sistema de repetição espaçada), que atua contra a chamada curva do
esquecimento, aumentando, assim, sua eficiência nos estudos.

O Anki é baseado em duas estruturas fundamentais, que são os cartões


(cards) e baralhos (decks). Os cartões são as informações que desejamos
memorizar, podendo ser textos, imagens, mapas mentais, sons e vídeos, bem
como outros tipos de multimídia. Os baralhos, por sua vez, são conjuntos de
cartões que podem representar, por exemplo, uma disciplina ou um idioma a
ser estudado. Dessa forma, o usuário é quem deverá alimentar o programa,
conforme progride nos estudos.

O Anki é baseado em sessões, que possuem um determinado número de


cartões que deverão ser revisados. À medida que você passa por cada cartão,
você vai atribuindo notas para eles: “fácil”, “médio” ou “difícil”, e, assim, o
programa vai saber qual a frequência que eles devem ser mostrado para você.

Fonte: http://japonesfluente.blogspot.com.br/2012/09/anki.html
- O que é SRS?

As primeiras pesquisas sobre o Sistema de Repetição Espaçada (SRS)


começaram a ser feitas no século XIX pelo alemão Hermann Ebbinghaus. Ele
elaborou uma longa lista de sílabas aleatórias memorizando-a durante um
ano, bem como prestando atenção a seus progressos e variando os métodos de
aprendizagem. Para se certificar dos resultados, ele repetiu a mesma
experiência três anos mais tarde. De sua experiência, nasceram as primeiras
noções das curvas de aprendizagem, esquecimento e repetição espaçada.

O método usa o sistema de cartões, no qual o Anki se baseia, pelo qual se


descobriu que uma informação deve ser revisada regularmente para que fique
ancorada permanentemente em nossa memória.
No entanto, como as pesquisas indicam, existe um momento ideal para
revisar o que aprendemos. Ao revisar muito cedo, perdemos tempo; muito
tarde, esquecemos aquilo que aprendemos e temos de reaprender.
Com as novas tecnologias, foi possível criar aplicativos para smartphone,
por exemplo, que utilizam o método para ajudar quem está aprendendo
idiomas. No momento certo, o aplicativo mostra a palavra que precisa ser
revista, evitando assim que a palavra seja esquecida

Fonte: https://www.mosalingua.com/pt/
Sua tarefa: Comesse a usar uma das técnicas mencionadas para aprender
vocabulário. Você pode começar pegando uma lista das palavras mais
comuns do idioma que você esteja estudando e montar flashcards a partir
deles. Você pode montar de forma manual ou usando um programa como o
Anki. Uma alternativa é usar um dos aplicativos mencionados no tópico 2.6,
já que a maioria deles utilizam o conceito de repetição espaçada no
aprendizado de vocabulário.

Abaixo, segue uma listagem das 3.000 palavras mais utilizadas em inglês
com a respectiva tradução e pronúncia. Você pode utilizar tanto para aprender
quanto para reforçar o seu aprendizado. Ao utilizá-la, você verá que na parte
superior há várias opções de aprendizado, como, cartões, soletrar, jogos etc.
1- www.quizlet.com/233986950/lista-principal-3000-palavras-mais-usadas-parte-1-1500-palavras-
flash-cards/
2- www.quizlet.com/233987348/lista-principal-3000-palavras-mais-usadas-parte-2-1500-palavras-
flash-cards/
3- www.quizlet.com/154845632/kt-as-frases-mais-usadas-da-lingua-inglesa-i-flash-cards/
3.2. Técnicas para aprender e praticar
pronúncia
- Código fonético

A fonética de uma língua é de suma importância para seu aprendizado,


pois com ela você saberá exatamente qual o som que está sendo falado e,
assim, você saberá como repeti-lo. É como na música, se você conhece as
notas musicais e sabe reproduzi-las em um instrumento, ao ouvir alguém
tocando uma música, você conseguirá repetir com mais precisão.

Veja, existem fonemas (sons da língua) nos idiomas estrangeiros que não
usamos em português. Portanto, reconhecê-los, “imitá-los”, aprendê-los logo
no início dos estudos é fundamental para se assimilar os conteúdos da nova
língua. Quem nunca teve dificuldades com o temido “TH” do inglês? Ou com
o ditongo “OE” do francês? Ou ainda com o “LL" do espanhol falado na
América do Sul? Os sons destes conjuntos de letras não existem em
português, portanto devem ser estudados a fundo e repetidos para que você
possa entender o que está ouvindo e ser entendido ao falar.

O Alfabeto Fonético Internacional nada mais é do que uma representação


visual dos fonemas que o homem utiliza para se comunicar nas mais
diferentes línguas. Se você chegou a esse ponto deste material, você já deve
ter iniciado os estudos do fonema; caso não, recomendo que volte e estude os
fonemas da língua que você pretende aprender.

Entre as ferramentas citadas no Capítulo 2, há várias formas de ter a


pronúncia testada em uma língua que você está aprendendo. Basta ter um
microfone no seu PC, habilitá-lo no notebook ou ainda pelo próprio celular.
Ter o feedback é muito importante para que você tenha a pronúncia corrigida.
Para isso, você pode gravar sua voz e comparar com um falante nativo ou
usar um aplicativo como o HiNative para perguntar aos nativos se sua
pronuncia está próxima a de um nativo.

- Como treinar o ouvido para melhorar a pronúncia

Uma dica fácil e agradável: se você gosta de um determinado artista que


canta em francês, espanhol ou inglês, então ouça-o com mais frequência. Para
treinar o ouvido, frequência é a palavra-chave. Não adianta ouvir apenas uma
vez, você tem que repetir até entender o que está sendo dito. Além disso,
cante a música em voz alta tentando imitar o cantor.

A música é um ótimo meio pelo qual o estudante pode treinar o ouvido


para uma língua. A perspectiva de entender a letra de uma canção que você
não compreendia gera muita motivação, condição básica para o aprendizado,
mesmo que de início você não entenda todas as palavras que estão sendo
ditas. Existem algumas ferramentas na internet que, através de jogos e
música, ajudam bastante a treinar o ouvido, junto à escrita e pronúncia. Um
deles é o portal Lyrics Training.

- Lyrics Training

O Lyrics Training é uma maneira fácil e divertida de aprender e melhorar


suas habilidades nos idiomas estrangeiros, através dos vídeos musicais e das
letras de suas músicas favoritas. O serviço também possui um modo especial
de karaokê que permite cantar e apreciar as letras completas das músicas. Há
músicas em inglês, espanhol, francês, italiano, alemão, holandês, polonês,
japonês, turco, finlandês e catalão. É uma maneira divertida e agradável de
treinar vocabulário e escrita. Além disso, o estudante pode competir com
outros usuários da plataforma, em um jogo com pontuação para ver quem
melhor entende a letra da música.
Fonte: https://lyricstraining.com/pt/
- Shadowing

Uma boa opção para praticar a pronúncia é o Shadowing. O termo vem


do inglês “shadow”, que significa sombra. A ideia é imitar nativos falando:
ritmo, pontuação, entonação, tudo. É parecido com o antigo método usado
por alguns cursos de inglês de colocar os alunos para repetir frases ouvidas
em um toca-fitas ou CD.

A técnica de shadowing foi desenvolvida pelo linguista americano


Alexander Arguelles e envolve a repetição o mais rápido possível do que
você está ouvindo.
Segundo Alexander, existem dois níveis de shadowing: principiante e
avançado. Para o nível principiante, existem bons recursos em algumas
línguas como os métodos Assimil, Linguaphone e Cortina. Se você está em
um nível intermediário no estudo de um idioma, pode usar os chamados
audiobooks (livros de áudio).

O nível avançado do shadowing, conforme recomendado por Alexander,


deve ser usado por alguém que se sente bem na compreensão da língua-alvo,
talvez o que alguns chamam de nível intermediário.
Como o termo “intermediário” é bastante subjetivo, você é que deve
testar se está apto para fazer shadowing de livros de áudio. O importante é
manter a técnica de repetir o mais rápido possível o que está escutando,
podendo inclusive ler o texto do áudio que está sendo reproduzido.

Se você estiver no nível básico, também pode utilizar essa técnica com
livros infantis, pois o vocabulário e a pronúncia são mais fáceis de entender.

Abaixo, seguem links de alguns audiobooks que você pode utilizar


durante seus estudos:
1- www.storynory.com
2- www.esl-bits.net/ESL.English.Learning.Audiobooks/Wimpy.Kid/01/default.html
3- www.sl-bits.net
4- www.storylineonline.net
5- www.librivox.org
6- ww.loyalbooks.com

Sua tarefa: Aprenda o código fonético da língua que você está estudando.
Depois de aprender o código fonético, escolha uma música no Lyrics
Training ou um audiobook e pratique o shadowing. Faça isso várias vezes
com a mesma música ou audiobook até você se sentir confiante. Não se
preocupe em entender tudo o que está escrito; se familiarize com a pronúncia,
tente identificar os fonemas e repeta ao máximo, afinal essas técnicas são
especificas para pronúncia.
3.3. Técnicas para treinar escrita
- Como treinar escrita

O principal segredo para melhorar a escrita e, consequentemente, o uso da


gramática em uma língua estrangeira parece ser bastante óbvio: é escrever,
escrever e escrever. Ou seja, não adianta querer ser bom em algo e ficar
esperando que o milagre aconteça. Portanto, se você quer escrever bem em
qualquer língua, o jeito é começar a escrever.

Uma dica simples e que você pode usar no dia a dia é a seguinte: ao fazer
alguma anotação, crie o hábito de fazê-la na língua que está estudando.
Quando fizer a lista de compras de sua casa, o registro de um lembrete de
algo que você deve fazer ao longo do dia, a anotação dos compromissos em
sua agenda (tablet, smartphone, papel), escreva tudo no idioma que você está
estudando. Mesmo no trabalho, ao participar de uma palestra, tente escrever o
máximo de suas anotações na língua estrangeira. Com toda certeza, sua
escrita vai melhorar com o passar do tempo.

Outra dica é fazer cópia de textos. Por mais óbvio que isso possa parecer,
vai o ajudar muito. Na escola, você provavelmente fazia cópias de textos e,
com isso, ia melhorando sua escrita, tanto em relação a estilo quanto a
ortografia, gramática e fixação das palavras.

Para treinar, use o seguinte método:

- Entre em um site de notícias, revista eletrônica, livro ou algum portal


que tenha um assunto do seu interesse, para que a leitura do texto seja
agradável;
- Selecione e imprima um texto curto, que tenha entre 200 e 300 palavras;
- Leia o texto com calma;
- Pegue um caderno e copie o texto palavra por palavra;
- Assim que terminar a cópia, descanse por alguns minutos;
- Leia seu texto novamente e tente você mesmo descobrir se cometeu
algum erro;
- Compare sua cópia com o original e faça correções, se forem
necessárias.

Outra opção alternativa para variar essa técnica é usar audiobooks (os
mesmos citados no tópico anterior) para ouvir alguns parágrafos de uma
história e escrever o que está sendo dito. Depois disso, você pode comparar o
que você escreveu com o texto original. Você pode utilizar como referência
as mesmas fontes citadas anteriormente.

- Scriptorium

Scriptorium é uma técnica de aprendizagem de línguas também


desenvolvida pelo linguista americano Alexander Arguelles, famoso pelo seu
trabalho – com esta técnica – com a língua coreana. É principalmente um
exercício escrito. Com este método, pode-se desenvolver várias aptidões
como:

- Escrever melhor na língua de destino;


- Compreender melhor a correspondência entre fala e escrita;
- Desenvolver a capacidade de escrever em um nível estilístico mais alto
na língua estrangeira;
- Desenvolver memória de trabalho, parte central de todo o aprendizado;
- Desenvolver o foco no estudo da língua.

Basicamente, no Scriptorium, você escolhe uma frase e a lê em voz alta.


Depois, a lê novamente em voz alta enquanto a escreve, para, por fim, ler a
frase que escreveu.
Para realizar essa técnica de aprendizado de línguas, verifique palavras e
tópicos da gramática desconhecidos em um dicionário e em uma gramática
normativa da língua estudada. Aplique a técnica lentamente, o objetivo é
prestar atenção aos mais pequenos detalhes da escrita.

Apesar de o Scriptorium ser mais recomendado para quem está em um


nível intermediário ou avançado no estudo de um idioma, ele também pode
ser usado por iniciantes. Neste caso, recomenda-se usar frases mais simples,
como, por exemplo, de um livro-texto ou história infantil. No nível iniciante,
também é indicado que o aluno leia a tradução da frase para o português.
Tente fazer sessões de aproximadamente 15 minutos para alcançar resultados
com este método.

- Chats, grupos no Facebook, sites de encontros, e-mails e fóruns

Os meios pelos quais você pode hoje em dia se comunicar pela internet
são os mais variados possíveis e eles podem ser utilizados para você pôr em
prática o que está aprendendo. Os chats (bate-papos), grupos de amigos em
redes sociais, dating sites (sites de encontros) e fóruns dos mais diversos tipos
são recursos simples e valiosos para quem está querendo treinar a escrita de
uma língua estrangeira.
Fonte: https://pixabay.com/en/

Entre os chats, o portal UOL oferece salas de bate-papo em inglês,


espanhol, francês, alemão e italiano, mas os assinantes do serviço podem
criar suas próprias salas na língua que quiserem. Depois, é esperar algum
“amigo” virtual interessado em praticar a escrita. Uma desvantagem deste
tipo de método de treino de idiomas é que, basicamente, se trabalha o reading
(leitura) e o writing (escrita), mas não o speaking (fala).

Sua tarefa: Escolha um dos métodos citados e coloque no seu


planejamento para usar durante sua semana. Se você não estiver confiante
quanto à escrita, você pode começar usando chats que usam inteligência
artificial, assim você primeiro treina com um “robô” e, quando se sentir
confiante, pode passar para chats e fóruns para interagir com pessoas reais.
Abaixo tem algumas opções que você pode acessar usando seu computador
ou celular:
1- www.linguo.org
2- ww.tolearnenglish.com/free/celebs/mikeg.php
3- www.cleverbot.com
3.4. Técnicas de como praticar
conversação e desenrolar a língua
- Parceiros de conversação

Encontrar um parceiro de conversação pode fazer uma grande diferença


no seu aprendizado, tanto em termos de velocidade quanto de motivação.
Quanto mais rápido você encontrar, melhor será para você e para ele(a)
também. Sua importância é grande para motivar o aprendizado de um idioma
novo, pois torna a tarefa mais agradável. Afinal, você não gostaria de
conhecer pessoas novas, que têm o mesmo interesse que você e que podem
lhe dar um feedback instantâneo dos erros que você está cometendo? Existem
várias formas de encontrar pessoas interessantes através da internet no
computador pessoal ou com o uso de aplicativos para celular e tablet. Dois
deles estão descritos abaixo.

- O que é Foreign Penpal?

Os amigos por correspondência são pessoas que se correspondem


regularmente através de cartas. O termo pode designar ainda este meio de
comunicação despretensioso e que é contrário à tendência informatizada da
troca de informações.

O “penpal" (literalmente: amigo de caneta) é alguém com quem falamos


através desse meio e, portanto, pode ser ou não uma pessoa com quem já nos
encontramos fisicamente em algum dia de nossas vidas.
Nos tempos atuais, o "penpal" tradicional está caindo em desuso, devido
ao crescimento, maior abrangência e rapidez dos programas de comunicação
instantâneos e do e-mail, ambos via internet.
A forma atual de “foreign penpal” é através da internet. Portais como
Penpal World, Interpals e LetsPal colocam pessoas em contato da mesma
forma que se fazia antigamente, só que de forma eletrônica, bastando se
inscrever para começar a usar o serviço.

Ao conhecer novas pessoas que também querem aprender idiomas,


adicione-as
no seu Facebook ou WhatsApp, pois assim fica mais fácil e rápido trocar
mensagens. Hoje em dia, quase todos usam esses aplicativos e passam mais
tempo nele do que em outras redes sociais.

- O que é Language Exchange Partners?

O termo se refere literalmente a um “parceiro para trocar de linguagem”


(também pode ser conhecido como language tandem), ou seja, um estrangeiro
que tem como língua-mãe o idioma que você quer aprender e com quem você
possa conversar das mais diferentes formas possíveis. Essa ferramenta é ideal
para aquelas pessoas extrovertidas que gostam de fazer novos amigos. Mas,
se você é tímido, pode ter receio de usar uma das várias plataformas
existentes, principalmente na internet. Repense seus conceitos, pois este é um
jeito muito útil para aprender idiomas novos.

Portais como o MyLanguageExchange.com ajudam você a encontrar um


parceiro de conversa pela internet. O uso é bem simples: você ajuda a pessoa
a aprender português e, em troca, tela o ensina a aprender a língua nativa
dela. Com isso, você desenvolve sua habilidade de conversação usando
ferramentas como o Skype, WhatsApp, etc.

Abaixo, segue uma listagem de sites úteis para encontrar parceiros


interessados em aprender idiomas:
1- www.italki.com/partners
2- www.letspal.com
3- www.paltalk.com
4- swaplanguage.com
5- www.penpalworld.com
6- www.mylanguageexchange.com
7- www.interpals.net
8- www.omegle.com
9- www.penpaland.com
10- pt-br.wespeke.com/aprender-idiomas-online/aprender-ingles.html
11- app.wespeke.com/connect
12- ww.language-exchanges.org
Aplicativo:
1- ww.hellotalk.com

Além de sites estilo 'catálogo' existem grupos internacionais e outros


brasileiros onde você pode participar e encontrar oportunidade para praticar.
Se você quiser ir mais além, procure por grupos de Americanos, Britânico,
Irlandeses ou Australianos que estão querendo praticar o português no
WhatsApp, Facebook groups etc.

Abaixo deixo uma opção internacional que usa o Discord como


plataforma de comunicação, lá você encontra pessoas do mundo todo
incluindo nativos (Mais a frente irei mencionar outras opções para você):
1- discord.gg/NeH9Vch

Características de um bom parceiro: deve ter paciência, ser bom ouvinte e


interessado em ajudar. Se você notar que seu parceiro não tem essa
característica, troque. O mesmo deve ser feito caso você perceba que ele não
se esforça para que vocês, além de parceiros de estudo, sejam bons amigos.

Dica: No primeiro encontro, falem um pouco sobre cada um e sobre os


seus objetivos ao estudar idiomas. Depois disso, estruturarem os encontros
para que sejam produtivos. Decidam juntos:

- Qual a frequência que vão se encontrar


-Qual horário
-Quantas horas por encontro
-Se vão criar tópicos para guiar a conversa de cada encontro
-Quantas vezes cada um quer ser corrigido
-Se a correção vai focar mais em gramática ou pronúncia

Um parceiro de conversação não é um professor, e sim é um meio de


ganhar prática de conversação e corrigir erros que você esteja cometendo. Se
você está muito no início do aprendizado de um novo idioma, o mais
recomendado é que você procure professores nativos no Italki e agende
algumas aulas. Assim, você vai ganhar a base pra começar suas conversas
com outros nativos de forma independente.
- Como treinar o ouvido: usando filmes, música, documentários e
seriados para estudar idiomas ativamente

Dominar completamente um idioma estrangeiro pode ser uma tarefa de


longo prazo, dependendo do grau de diferenças para a língua materna, e
cometer um erro pode, por vezes, gerar constrangimentos ou tornar alguém
alvo de uma piada. Mas quem não erra não aprende, e, por isso, não tenha
medo de errar a pronúncia de uma palavra ou trocar palavras na hora de se
expressar.

Uma boa forma de focar na pronúncia dos falantes nativos é através de


produções culturais faladas na língua-alvo: filmes, música, documentários,
seriados, entrevistas. Um exemplo: assista três vezes a um filme falado na
língua que você está estudando. Na primeira vez, veja as legendas em
português. Na semana seguinte, veja tudo com legendas no idioma
estrangeiro. Na terceira e última vez, dê o play no vídeo sem legendas.

Importante: escolha um filme do qual você gosta muito! Vai tornar a


atividade mais prazerosa, agradável e assim melhorar seu processamento
auditivo. Na terceira vez que assistir ao filme, sem legendas, você já vai saber
do que se trata a história e talvez se lembre de vários diálogos. Fazendo
associações entre forma, som e significado, o exercício também vai ajudar
você a treinar o reconhecimento de várias palavras que não conhecia do outro
idioma.

- Como entender o que os nativos falam

Um dos motivos pelos quais quem estuda uma língua estrangeira não
consegue entender o que os nativos dizem é o fato de que, na vida cotidiana,
todos nós falamos coloquialmente e de forma rápida, encurtando palavras e
expressões.
Em um curso regular, o aluno aprende palavra por palavra da língua
estrangeira e dentro da norma padrão da língua. Basta pensar em como
falamos o português brasileiro, com nossos amigos, familiares, colegas de
trabalho ou escola. Será que falamos totalmente de acordo com o padrão da
língua? Claro que não! Portanto, um nativo de outra língua também não fala
exatamente como o padrão daquela língua.
Isso só acontece em contextos sociais determinados, mais formais,
mesmo assim quando o falante tem total domínio do padrão de sua língua.
Então, como resolver esse problema? Você pode dominar estes pontos
com a prática. Ou seja, aprender a ouvir a língua na velocidade que os nativos
falam é algo que desenvolvemos com a prática, por isso é importante
encontrar parceiros de conversação e colocar seu aprendizado em prática.

Aprender a ouvir as palavras como pronunciam (juntando tudo) é algo


que se conquista com o estudo da pronúncia reforçado com atividades de
listening (ouvir) e speaking (falar).
Temos, então, dois problemas. O primeiro é que um falante nativo
realmente junta as palavras. O segundo é que, geralmente, ao aprender uma
língua em um curso regular, as pessoas aprendem tudo separado. Assim, ao
ouvirem um nativo falando, naturalmente acabam se perdendo – por isso que
é importante praticar conversação o quanto antes.

Sua tarefa: Esta é uma das tarefas mais importantes de todas para quem
quer se comunicar com fluência: use um dos sites citados acima e encontre
um parceiro de conversação, dê preferência a algum nativo que esteja
querendo praticar português ou outra língua que você já fale com fluência.
Marque com ele horários regulares para vocês se encontrarem por Skype.
Uma boa opção é se encontrar no mínimo 1 vez por semana por 1 hora, em
que cada um vai falar por 20 a 30 minutos o que fez de importante no dia
usando a língua que cada um está estudando. Enquanto isso, um vai
corrigindo e dando dicas para o outro. No início, pode ser difícil encontrar
um parceiro de conversação, porque nem todos entram com regularidade nos
portais. Por isso, é importante que você faça uma busca ativa, enviando
mensagens para cada um o quanto antes ao invés de esperar que alguém entre
em contato com você.

Lembre-se: não tenha medo de errar, afinal você não está sendo avaliado.
Erre muito até aprender.

Se você estiver muito no início, agende aulas no Italki, ao invés de


esperar se sentir preparado, afinal nunca ninguém se sente preparado até se
expor. Quanto mais cedo você praticar, melhor será para você.

Outra opção para encontrar um parceiro de conversação é oferecendo seu


sofá para um nativo através do site Couchsurfing (www.couchsurfing.com).
A vantagem é que vocês irão interagir por mais tempo durante o dia, porém
serão menos dias, já que quem usa esse tipo de site está apenas querendo
conhecer um novo país por pouco tempo. Porém, se você conseguir receber
um visitante todo mês que fale o idioma que você está aprendendo, você terá
um grande ganho no seu aprendizado.

✽✽✽
CAPÍTULO 4 - Estratégias para
memorização de idiomas

Seria fantástico se existisse um meio de memorizar tudo o que é necessário


para falar um novo idioma implantando um chip no cérebro, mas, enquanto
isso não é possível, você pode utilizar truques para encurtar o caminho.
Memorização de idioma se resume ao uso de três elementos: associações,
emoções e imaginação. Todos esses três, trabalhados em conjunto, vão fazer
com que você memorize mais rápido e de forma duradoura qualquer coisa
que você esteja tendo dificuldade em reter.

Deixe-me explicar o princípio por trás da memorização. Sempre que


aprendemos algo completamente novo, o nosso cérebro tem que criar uma
nova rede neural para que a nova informação fique acessível e consolidada na
nossa mente para usarmos sempre que for preciso. O grande problema é que,
para o nosso corpo construir uma nova rede neural, leva tempo, tempo esse
que nem todos têm à sua disposição. Mas existem mecanismos que aceleram
a construção dessas redes, que é reaproveitando as redes neurais que já estão
formadas no nosso cérebro. O princípio básico para isso acontecer é criar
uma ligação entre palavras novas com outras informações que já foram
apreendidas, pois elas já estão fixadas na sua mente e já têm sua própria rede
neural construída. Quanto mais você liga a nova informação a diversas partes
do cérebro, mais fixo e fácil será de resgatar essa informação quando for
necessário. É aqui que entram as associações, emoções e imaginação.

Veja como funciona na prática. Ao aprender uma palavra nova, pronúncia


ou regra gramatical, procure meios de associar essa nova informação com
algo que você já tenha gravado na sua mente. Isso vai encurtar o caminho do
aprendizado. Por exemplo, se você quer aprender a pronunciar a palavra
“knot” (nó), basta saber que ela tem a mesma pronuncia da palavra “not”
(não). Viu como já fica mais fácil? E, para facilitar ainda mais, você pode
fazer mais associações que envolva outros elementos que você já conheça,
como um parente ou amigo. Dessa forma, você também estará colocando a
palavra nova em um contexto que tenha elementos que sejam familiares para
você. E, se você misturar isso com exageros e situações ilógicas fica ainda
mais poderoso, por exemplo: imagine sua mãe na cozinha se equilibrando em
apenas uma perna e tentando fazer um nó com uma corda vermelha gigante e,
depois, repita a frase ”My mother can not tie a knot” (Minha mãe não
consegue fazer um nó).

Veja mais alguns exemplos do uso da associação:

- Crie associações mnemônicas, ex.: Ao memorizar as coordenadas


geográficas, basta se lembrar da palavra NEWS (que significa notícia): North,
East, West, South (Norte, Leste, Oeste, Sul).
- Procure por pronúncias parecidas: Ao memorizar a pronúncia de
palavras como “ate” (comer), lembre-se da pronúncia de outra palavra que
você já conheça e que tenha a mesma pronuncia “eight”(oito) e, depois,
forme uma frase, ex.: “Yesterday at eight o'clock I ate eight piece of cake”
(Ontem às oito horas eu comi oito fatias de bolo).
- Faça associações com cidades, estados, parentes, times, pessoas
famosas, ex.: Ao memorizar a pronúncia de “son” (filho), lembre-se do time
de futebol chamado Santos. A pronúncia é a mesma de San, de Santos.
- Ao memorizar a pronúncia de letras como D e J, lembre-se do DJ que
toca em festas.

A imaginação faz parte de todo processo de memorização e é ela que vai


dar vida a suas associações e fazer com que você crie associações fortes e
criativas. Quantos mais estímulos você gerar em várias áreas do seu cérebro
com as novas palavras, mais forte elas ficarão na sua mente. Por isso, tente
vivenciar as novas coisas que você está aprendendo. Se você está aprendendo
vocabulário de comida, experimente essa comida, sinta o cheiro, a textura, a
cor enquanto aprende. Quando você aprender os verbos, execute-os e sinta-os
em ação; dessa forma, você usa as emoções para facilitar o aprendizado. A
emoção é seu grande aliado. Várias lembranças boas e ruins que temos
gravadas na nossa mente ficaram gravadas justamente por causa do poder que
a emoção exerce na nossa memória de longa duração.
✽✽✽
CAPÍTULO 5: Aprendendo inglês com
NETFLIX

Quem não gosta de assistir filmes? E se existisse uma maneira de aprender


inglês com eles seria melhor ainda, concorda? Pensando nisso iremos
descrever a maneira mais efetiva de aprender usando filmes, particularmente
a NETFLIX, em breve você vai entender o porquê.

Primeiro é importante que você saiba o porquê filmes serem tidos como
excelente opção para aprendizagem de idiomas. Como vimos nos capítulos
anteriores uma das chaves da fluência é a repetição e a máxima exposição ao
idioma que se pretende aprender. Os filmes, seriados ou mesmo
documentários nos fazem imergir em um mundo rodeado por experiencias
visuais e auditivas que nos fazem entram em um nível de atenção que
dificilmente seria atingido em uma sala de aula. Isso significa que eles são
muito efetivos se usados da maneira correta. Agora que você já sabe da
importância dos filmes irei explicar como fazer para usá-los da maneira certa,
mas antes quero explicar o benefício da Netflix.

A Netflix oferece uma ferramenta que nenhuma outra streaming de vídeo


fornece, ela é chamada de ‘audio description’. Essa é uma ferramenta criada
para o público com deficiência visual experimentar as cenas dos filmes com
muito mais detalhes. Com isso um narrador é adicionado ao filme
descrevendo as cenas visuais com palavras o que enriquece sua experiencia
como estudante de idiomas pois é exposto a vocabulários que descrevem cada
ação feita pelos personagens.

Se você não sabe onde fica essa opção basta ir ao botão de legendas. Veja na
imagem abaixo onde fica localizado:
Agora que você já sabe como ativar o ‘audio description’, chegou a hora de
aprender o passo a passo de como usar os vídeos para aprender idiomas:

Passo 1: Assista o filme com legenda em português.

Esse passo pode ser até contraintuitivo, mas se é a primeira vez que você está
assistindo o filme, seriado etc., o recomendado é que você assista o filme ou
um episódio com legenda em português, porque assim você vai entender a
história e vai perder a ansiedade de saber o que vai acontece a cada segundo.
É muito difícil usar os filmes como ferramenta de estudo quando você está
preocupado em saber se o ator principal vai morrer. A sua atenção fica
dividida entre aprender e prestar atenção da história.

Se seu nível de inglês for mais avançado, você pode pular essa etapa.

Passo 2: Assistir novamente com legenda em inglês

Após assistir pela primeira vez você deve ver o filme ou episodio do seriado
pela segunda vez, mas agora com lenda em inglês. Essa é a hora prestar
atenção a como as palavras são conectadas e anotar todas as palavras novas
ou frases que você teve dificuldade de entender. Diferente dos livros que são
cheios de palavras principalmente adjetivos complexos usados para que o
leitor possa visualizar as cenas em sua mente de forma mais detalhada
possível as palavras usadas em filmes, geralmente, são aquelas que são mais
usadas frequentemente pelos falantes nativos.

Essa é uma excelente oportunidade de aprender vocabulário do dia a dia,


por isso anote sempre que possível as palavras que você não entender,
observe como os atores usam a palavra em contexto e procure pelo
significado.

Passo 3: Assistir novamente sem legenda

Esse é um passo desafiador para muitos estudantes de idiomas, primeiro


porque essa é a terceira vez que você vai assistir o filme e segunda porque
você deve prestar a atenção apenas na fala, sem auxílio da legenda.
Nessa fase, preste atenção em como os atores falam foque em entender o que
dizem, a forma como pronunciam as palavras e como conectam cada palavra
em uma frase. Preste especial atenção para os lábios e músculos do rosto para
visualizar como eles pronunciam.

Passo 4: Assistir novamente com legenda em inglês

Essa é a penúltima etapa, você deve assistir o filme com legenda em inglês,
porém agora você deve não apenas assistir, mas também falar. Leia as
legendas ao mesmo tempo que o ator está falando, tente imitar o máximo
possível a maneira como ele fala incluindo a entonação. Finja que você é o
ator e fale alto as frases.

Passo 5: Assistir novamente sem legenda

Chegamos a última etapa. Você deve assistir ao filme e tentar antecipar


algumas das falas dos personagens, aquelas frases que ficaram marcadas na
sua cabeça. Ao finalizar você já estará pronto para passar para o próximo
filme ou seriado.

Algumas dicas importantes

Escolha um filme ou seriado que você goste, para que você se sinta
estimulado. Para começar o mais recomendado é usar seriados curtos com
episódio de no máximo 30 minutos. Além disso ao fazer as seções de
repetição não faça no mesmo dia, faça cada etapa em um dia diferente para
que você fixe melhor na mente.

Um outro ponto a levar em consideração é o sotaque dos atores, se você


deseja falar como os Britânicos usando o RP (Received Pronunciation)
escolha filmes com atores desse país ao invés de consumir conteúdo dos
EUA.
CONCLUSÃO
Seus próximos passos para continuar evoluindo no idioma
escolhido e se tornar fluente.

As técnicas utilizadas pelos poliglotas são simples, porém eficientes. As


ferramentas para tal foram expostas nos capítulos anteriores e são técnicas
poderosas utilizadas por vários poliglotas em todo o mundo. Neste material,
foram ensinadas diversas técnicas para que você possa escolher e sentir qual
delas se adaptam melhor a você e ao seu estilo de vida. Coloque em prática
com consistência, que você perceberá o resultado em pouco tempo. É
importante que você não pare de estudar ou, pelo menos, fique semanalmente
conversando com seu parceiro de conversação para que você sempre evolua e
esteja preparado e afiado para o dia que precisar usar seu novo idioma. E,
assim que possível, comece a aprender outras línguas. Você verá que quanto
mais aprende mais fácil se torna, principalmente, as línguas que
compartilham a mesma origem.

Como regra geral, as últimas dicas resumidas e mais algumas estão


listadas abaixo:

- Não dê ouvidos a quem dizer que aprender idiomas vai ser difícil para
você, que não dá para ser fluente morando no Brasil ou que só quem é
criança consegue aprender. Como vimos no capítulo 1, isso é um mito. Caso
você ainda acredite nesse tipo de pensamento, releia o capítulo 1.
- Tenha uma meta clara e forte o suficiente para o mover. Defina seus
objetivos, marque datas e se comprometa.
- Avalie seu estilo de vida e veja os horários que você tem disponíveis
para estudar o novo idioma. Lembre-se: você pode usar ônibus, carro, fila de
banco, academia etc. para se expor ao idioma usando seu smartphone ou um
livro.
- Aprenda os fonemas da língua que você deseja aprender, pois só isso já
vai fazer com que dê um grande salto porque ficará mais fácil entender e
repetir o que os nativos falam. Para isso, use os aplicativos e sites sugeridos.
Neste ponto, não se preocupe ainda em aprender gramática, foque nos
fonemas, alguns poucos vocabulários e escute o máximo de coisas que você
puder, mesmo que no início não entenda quase nada.
- Crie seu ambiente de imersão para que você possa vivenciar a nova
língua desde o início do aprendizado. Mesmo que você seja iniciante, existem
formas de criar essa imersão através de livros infantis ou mudando o idioma
do seu smartphone.
- Use os aplicativos a seu favor, existem vários que o ajudam a aprender
vocabulário usando o conceito de flashcards e sistemas de repetição
espaçadas.
- Grave sua própria fala e, depois, ouça-a pelo menos três vezes cada
gravação.
- Saia da sua zona de conforto, se exponha ao máximo e não tenha medo
de falar de forma errada. Você pode até agendar aulas com tutores nativos
usando ferramentas como o Italki, já que elas têm custo acessível, estão
disponíveis em vários horários e vão o ajudar a se sentir mais confiante e
preparado para, posteriormente, buscar um parceiro de conversação ideal para
você.
- Interaja com falantes nativos da língua em um nível cada vez mais
profundo, conforme for avançando nos estudos.

Faça bom proveito dessas dicas e lembre-se: aprender uma outra língua
deve ser um processo prazeroso e divertido, mesmo que no início possa ser
um pouco doloroso sair da zona de conforto. Vai valer a pena!

✽✽✽
Obrigado novamente por ter feito o download deste ebook.

Espero que este ebook tenha ajudado você a entender os vários elementos que
envolvem aprendizado de um idioma, e como você pode usar e aplicar para
aprender novas línguas.

Quando se sentir sem criatividade, com dificuldade em aprender, leia


novamente esse livro e veja o que pode utilizar para te ajudar a solucionar
seu problema e conseguir alcançar a fluencia. Para terminar, se você gostou
deste ebook, então eu gostaria de te pedir um favor, você poderia ser gentil e
deixar uma nota e um comentário sobre ele na Amazon? Eu ficaria
extremamente feliz!
Isso é importante para incentivar a produção de mais livros de alta qualidade
com custo acessível para você. Eu leio pessoalmente cada um dos reviews
cuidadosamente, essa é a forma que tenho de me conectar com você leitor e
ouvir seu feedback em relação a essa obra que levou vários meses de
dedicação e afastamento da minha família para estar pronta para você.
Obrigado novamente e se divirta!

>>Clique Aqui Para Deixar Um Comentário sobre este Ebook Na Amazon.

Obrigado e te desejo tudo de bom!

Outros livros que publiquei na Amazon:

Aprenda Inglês 9x Mais Rápido com 10 Contos CRIATIVOS (Áudio


nativo grátis + glossário embutido)
Aumente seu vocabulário, compreensão auditiva, escrita e pronúncia
www.amazon.com.br/dp/B083RY93CY

Domine as 3.000 Palavras Mais Utilizadas do Inglês - Com Frase e


Traduções

www.amazon.com.br/dp/B082J3ZK7F

Leitura recomendada:
Memória: Super Memória (Desbloqueie os Poderes do Seu Cérebro

www.amazon.com.br/dp/B085F41Z41
BÔNUS 1: História com áudio em Inglês
História em inglês com áudio

Baixe o áudio nesse link (www.rebrand.ly/audio-recorde)

Título: A Trip Abroad

Kenna looks through the window at the open fields. It was her first time in a
foreign country and she is both nervous and excited. She is going to live with
a native family for one month to learn their culture. Kenna climbs down
when the truck stops in front of a farmhouse. It is large and rusty and there
are dogs and chickens in front of it.

“Welcome to our home,” says a lady in blue overalls. “I am Sarah.”

Kenna recognizes her from the pictures she received of the family. She is
the wife and mother of the home. “Thank you for having me.”

Sarah introduces Kenna to her family. They have a son named Ethan, a
daughter, Elizabeth, and a little baby, Michael. Their farmhouse is warm and
cozy.
Kenna awakes the next morning and has banana porridge for breakfast. “May
I see the horses?” she asks after. Elizabeth shows her a brown and white
pony. Kenna pets the pony and goes to look at the other horses. Next, they
feed the chickens and the rabbits. Kenna realizes that she is enjoying the
farm.

Later that evening, the children take Kenna to the river. “Jump in!” Ethan
tells her.

“It looks cold,” she replies. She is not a fan of chilly water. “I’ll watch
from here.”

The children swim and play in the water. “You are missing out on the
fun.” Elizabeth tells Kenna.
Kenna smiles and tosses a rock into the water and watches the ripples
spread. Suddenly, she hears a scream. “What’s wrong?” she asks, looking
around.

Elizabeth points to her brother. “He’s hurt!”

“My leg!” Ethan says with a groan. “It’s cramping!”

Elizabeth swims to him quickly but she looks worried. “I can’t lift him on my
own.”

Kenna looks nervous. She doesn’t want to go into the water, but she
cannot allow Ethan to remain in danger. She kicks off her shoes and swims
over to Ethan and Elizabeth. After wrapping her hand around his waist, she
helps his sister to take him out.
“Thank you so much,” the siblings tell her.

Kenna is happy that she was able to help.

“I made apple pie for you, Kenna,” Sarah tells her later at dinner. “Thank you
for helping to save my son.”

“Thank you!” Kenna says, before digging in. Her time with the family is off
to a good start.

Vocabulário:

Through = através
Fields = Campos
foreign country = país estrangeiro
climbs down = Desce
truck = caminhão
farmhouse = Casa de Fazenda
rusty = enferrujado

blue overalls = macacão azul


Recognizes = reconhece
Wife = esposa
Mother = mãe

Introduces = apresenta
Daughter = filha
Warm = caloroso
Cozy = acolhedor

Awakes = acorda
banana porridge = mingau de aveia e banana
brown = marrom
white = branco
feed = alimentar
chickens = galinhas

River = rio
chilly water = água gelada
missing out = perdendo
tosses a rock = joga uma pedra
ripples spread = ondulações se espalham
scream = grito

Groan = gemido
Cramping = sofrendo cãimbras
Worried = preocupada
Lift = levantar
Remain = permanecer

kicks off = arranca


wrapping = envolver
waist = contura
Siblings = irmãos
apple pie = torta de maçã
BÔNUS 2: Leitura complementar extra
Nessa seção especial você vai encontrar os melhores locais para estudar
inglês online de graça. São cursos oficiais completos de alta qualidade
oferecidos por agentes do governo e instituições internacionais divididos em
vários níveis: básico, intermediário e avançado. Alguns tem inclusive seções
especificas para quem procura estudar, trabalhar no exterior, professores etc.

Você vai notar que muitos são oferecidos por instituições Britânicas, pois o
governo tem vem executando estratégias ao longo de vários anos para que as
pessoas do mundo todo vejam a Inglaterra como um país de referencia em
educação e com isso atraiam estudantes de todo o mundo para estudar nas
instituições britânica e trazer mais dinheiro par ao país - O mercado de
educação movimente bilhões e bilhões de Libras.

BBC Learning English


www.bbc.co.uk/learningenglish

Cambridge
www.cambridgeenglish.org/learning-english/
free-resources

British Council
www.britishcouncil.me/en/english/mooc

ESOL
www.esolcourses.com

Stoodi
www.stoodi.com.br/materias/ingles

UNESP
www.unespaberta.ead.unesp.br/index.php/cursos/item/287-eli

IFRS (Instituto Federal do Rio Grande do Sul)


www.moodle.ifrs.edu.br/course/index.php?categoryid=38

Edx
www.edx.org/learn/english

MOOEC
https://mooec.com

Coursera
www.coursera.org/browse/language-learning/learning-english

Speechling
www.peechling.com/pt