Você está na página 1de 33
2. COMPARACAO DE MAPAS & DINAMICA DO RELACIONAMENTO Liz Greene O tema desta palestra 6 a relacionamento. Sei que ja foi dado aigum material sobre isso nesse semindrio. E a Primeira coisa que quero declarar € que hé uma enorme Proliferagao de técnicas de avaliagao astrolégica dos relacionamentos, e todas so muito uteis. De uma forma ou de outra, todas penetram em diferentes aspectos do intercambio humano. Mas sempre fico com a sensac3o de que se sé abordarmos a questao do rela- cionamento de uma forma técnica, 36 comparando dois mapas ou mon- tando um mapa composto, ou usando alguma outra técnica, acabamos Perdendo alguns pontos muito fundamentais, muito importantes. Para mim, 0 que se acaba perdendo € a fato de que todo relaciona- mento contém um elemento de mistério que, em ultima andlise, nao pode ser definido, néo pode ser explicado. A esséncia do intereadmbio humano € como a esséncia da pessoa, e a esséncia da pessoa nao estd no horéscopo. Acho que nunca vamos aché-la no horéscopo. Nao se esqueca de que o mapa que tém ai na sua frente poderia igualmente ser o de uma galinha, ou de uma companhia de épera, J4 que nao ha nada nele que demonstre que pertence a um ser humano. Mas alguma coisa Opera através dele, e é a alma individual impar ou a individualidade da pessoa, Acredito que isso se aplique também ao intercdmbio entre duas Pessoas. Platao chamava Eros de “o grande daimon”. Ele o definia como o desejo e a procura do todo, o Um. A admissao de algum tipo de mistério, algum deus trabalhan- do, na minha opinido é terrivelmente importante, porque sem isso todas as suas técnicas vao deixa-lo, no fimdas contas, com perguntas sem respostas. Por isso, quero comecar dizendo que, por mais sofisticadas que sejam, n3o podem responder a questdes fundamentais como qual é o 28 significado de um relacionamento, ou quanto tempo vai durar. Acho que nada que possamos fazer como astrélogos pode responder a essas perguntas. Nenhuma técnica pode the dizer se devemos ou nao ter um relacionamento, ou se ele € certo ou errado. Assim, se quisermos reconhecer as limitacdes da perspectiva astroldgica, acho que podemos realmente comecar a usd-la com criatividade. Antes de avaliar qualquer comparagdo de mapas, sempre examino © mapa individual, em primeiro lugar. Isso 6 porque ninguém pode colocar nada num relacionamento além de si mesmo. Nao ha nenhum interaspecto, ou mapa harmonico, ou progressado transposta que possa refletir qualquer dinamica que nao esteja nas duas pessoas. Nada pode acontecer entre duas pessoas que elas nado tenham trazido para o relacionamento. Isso parece perfeitamente Gbvio, mas a gente tende a deixar o dbvio de lado, O destino de um relacionamento nao pode ser nada além de algo abran- gido pelos destinos das duas pessoas. NZo é uma terceira coisa que surge do nada. Assim, comeco com o mapa individual. Descobri que uma das formas mais valiosas de abordar um mapa é por meio de imagens, em vez de trabalhar para analisar o mapa intelectualmente ou defini-lo com palavras-chave. E mais ou menos como um teatro. Hé determinados atores que receberam determinados papéis. Isto levanta a questao do destino, porque seus personagens, suas roupas, seus relacionamentos entre si j4 sao dados no nascimento. Nao hé muito que se possa fazer a respeito. A pessoa simplesmente esta fadada a viver com esses personagens. N3o importa o nome que se dé a eles — deuses, figuras arquetipicas, Personagens de uma pega —, o horéscopo conta um mito ou uma historia, Se uma pessoa entra na minha vida e desempenha um papel importante, ela esté |4 porque de alguma forma se liga ao meu mito. De outra forma, nao estaria na minha vida. E ela vai carregar uma parte, uma projecao, de um dos meus personagens interiores. O que parece acontecer com Nossos horéscopos e com todos esses personagens diferentes é que optamos Par nos identificar com alguns e repudiar outros. Os que repudiamos se tornam o nosso fado exteriorizado, e nds o encontramos fora de nés. Algumas vezes a pessoa carrega algum desses personagens interiores a vida toda. Isso € © que acontece nos casamentos que duram a vida toda. Nao é necessariamente uma coisa ruim. Pode funcionar muito bem. A questéo é saber 0 que est4, realmente, acontecendo. De outra forma nos tornamos inadmissivelmente dependentes de outra pessoa, de um modo muito compulsivo. 29 Se meu mito toca o de outra pessoa de uma forma dinamica, quando ha qualquer tipo de mudanca ou transformacao no relacionamento, entdo ele estd vivo, e isso € 0 méximo que se pode dizer. Se vai durar, se vai acabar sendo bom ou mau, realmente é irrelevante, Pelo menos estd vivo. Se os mitos ou as histérias se tocam, @ pessoa vivencia um retacionamento. que contém vitalidade e vida, mesmo se for diffcil. Nesse caso, 6 como a alquimia. Jung se refere freqitentemente 20 simbolismo alquimico para descrever a dindmica do retacionamento. Alguma coisa acontece entre duas substancias e que produz o que os aiquimistas chamavam a Pedra. A Pedra é extraordinariamente misteriosa, e Jung achava que ela refletia alguma coisa mais psicolégica do que fisica, alguma coisa relacionada com © senso que cada um tem de seu prdprio centro interior. Se esse tipo de experiéncia acontece no relacionamento, entao é raro e maravilhoso. Mas ndo acho que uma comparacao de mapas possa lhes dizer se um relaciona- mento € capaz de operar esse tipo de transforma¢ao nas duas pessoas. Agora, gostaria de discorrer sobre algumas das areas que eu enfocaria no mapa individual, Vocés podem ter uma idéia das forgas que est3o operando no relacionamento porque elas assumem a forma de imagens ou figuras, e podem vé-las no espaco entre duas pessoas. Se vocés est3o fazendo aconseihamento conjugal, ou trabalhando com duas pessoas que vieram Para uma comparacao de mapas — pai e filho, amantes, marido e mulher, qualquer par —, eles trazem essas figuras consigo. A sata fica cheia delas. E os personagens que ficam no espaco entre as duas pessoas geraimente sd0 Os que nio estdo sendo vivenciados no horéscopo. Comego por examinar os elementos. Nao quero Perder muito tempo falando sobre isto hoje, porque jé escrevi muito a respeito. Mas € para onde meu olho se dirige primeiro — 0 que esté vazio ou faltando no horéscopo? Quando alguma coisa esté vazia, vamos tentar Preenché-ia, Pois parece existir um movimento bésico na Psique em direco a plenitude. Talvez seja por isso que o mapa de um ser humano eo de uma galinha nao funcione do mesmo jeito, Se uma Pessoa tem um desequilibrio, parece que o inconsciente tenta compensé-la. Se falta um elemento, a pessoa geralmente se sente razoavelmente confortavel com a falta na primeira Parte da vida. Em geral parece nio ser relevante, ndo é aiguma coisa com a qual a pessoa se preocupe. Vocés conseguem se arranjar bem com o que est4 bem desenvolvido. Mas 6 comum isso comegar a mudar na meia- idade. Atgumas vezes comeca mais cedo, e a pessoa pode ter consciéncia da falta, de que existe alguma drea da vida coma qual 6 muito dificil lidar. 30 Geralmente, comecamos arrumando um amante que possa preencher o espaco vazio, porém mais tarde torna-se dificil lidar com o amante. E ai que as figuras aparecem, primeiro sob o disfarce de outra pessoa, e depois dentro de nds. Essas imagens podem ser bem de terra, pesadas, ou de ar e sublimes, ou de fogo, ou de 4gua. Vocés podem encontrar parentes préximos e primos dessas imagens nos contos de fadas e nos mitos. Se a terra esta faltando, ou é minima, num mapa, entao o ator ou a atriz aparece no palco com uma roupa de terra, Pode ser 0 tipo mie-terra, ou © pai forte e estavel, alguém que de alguma forma representa uma natureza sem com- plicagdo, Para a pessoa que nao tem terra, é dificil viver com esse tipo de personalidade, mas também vai idealiza-la. A terra também pode ser 0 fazedor, a pessoa herdica no mundo, alguém que sai e ganha dinheiro, que consegue obter alguma coisa na sociedade. Essa é a pessoa que tem status, capaz de lidar com as coisas e fazé-las funcionar. E como se isso que a pessoa esté tentando achar dentro de si tome forma como uma figura entre duas pessoas, e um vé 0 outro através da figura e acha que o outro é ao mesmo tempo fascinante e repulsivo. A outra pessoa, que estd carregando essa imagem, vai reagir de formas muito variadas. As vezes, decide carregar a imagem por raz6es pessoais. Ou pode lutar contra a imagem, ou ficar indiferente. Se ficar indiferente, nada acontece; ngo ha relacionamento. Se a pessoa escolher carregar a imagem, geralmente é porque se identifica com ela. Sentese bem sendo vista daquela forma. Esta é uma das qualidades que vocés percebem imediatamente no comeco de um relacionamento. Quando se envolvem com alguém que esté projetando esse tipo de imagem em vocés — e vocés secreta- mente gostam de se identificar com ela —, sentem-se mais atraentes e mais radiantes, mais confiantes. Vooés sentem como se finalmente alguém Os estivesse entendendo de verdade. € como se a figura n3o apenas repre- sentasse alguma coisa de que o projetor est4 carente e pela qual anseia, mas também evocasse algo dentro da sua prépria psique. Assim, mais material 6 acrescentado a essa imagem do ambiente, que pode se tomar a principal dindmica do relacionamento. Por outro lado, vocés podem Sutar contra a figura e dizer: “Ngo, eu no sou assim. Pare de querer me mudar, nao sou a mée-terra dos seus sonhos, por que é que vocé fica tentando me impingir esse rétulo?” Esse tipo de luta também pode ser imensamente criativo e dindmico num relacionamento, j4 que os forca, no fim das contas, a perguntar v Por que razao esse tema fica aparecendo. Pode ser uma projecao do seu Parceiro, mas por que essa projecdo pousa sempre sobre vooés? Mas, de Quaiquer forma, quer se identifique com ela ou a deteste, se estd solta Na sua vida entao pertence ao seu mito. A figura do meio também pode ser de dgua, se estiver faltando agua no mapa, Pode ser a imagem da pessoa cativante, ou da mie simpé- tica ou do pai terno, a pessoa que compreende tudo, sente compaixdo e € capaz de Perdod-lo quando vocés mesmos ndo conseguem se perdoar. Pode ser 0 bom Pai, protetor, carinhoso e Proximo, porque no elemento agua hd muita Capacidade para a intimidade. Assim, se essa figura magica que est faltando no Mapa aparece entre duas pessoas como uma imagem de agua, aparece com o traje da ternura e da intimidade. Também pode @parecer como manipulador, Porque a dgua também manipula, devora, desintegra. A imagem também Pode ser de fogo. Pode ser 0 artista ou o ator, Ou a pessoa profundamente criativa, Este é um padrdo muito comum Quando falta fogo no mapa. A pessoa se apaixona por um artista, e ha uma ideatizacdo da Personalidade criativa. O que vocés amam naquela Pessoa € o fato de ser tao criativa. Mas 6 uma figura do seu Prdéprio mito. Se vocés nao tém fogo no seu mapa, ent3o este 6 um de seus Personagens. Se a figura 6 de ar, ela pode ser brilhante e intelectual, articulada e social, plenamente capaz de um intercambio desprendido e divertido. Ele ou ela pode ser um erudito, ou aiguém que tenha uma importante contribuicgo intelectual a fazer @ sociedade — alguém que seja Politica- mente influente, uma mulher real izada, um homem de idéias. Todas essas figuras que esquematizei emergem do mapa individual, OU Por serem inconscientes, quando esté faltando um elemento, ou porque Nos identificamos com elas, quando um elemento esta fortemente enfati- zado. Nés as colocamos nos relacionamentos e as vivenciamos por meio da outra pessoa. Sempre gosto de saber Primeiro, quando examino os mapas numa comparagdo, qual é o elenco de personagens que os dois individuos trazem cansigo. Ha outra drea em que esses personagens aparecem, a configuragado dos aspectos. Um a@specto néo é apenas uma energia dindmica ou um relacionamento entre dois impulsos basicos. Também 6 uma imagem, uma figura. Para ser mais Precisa, é uma discussdo ou um caso de amor 32 da quadratura e da oposi¢do, ent3o um dos planetas se desprende, sai e aparece como seu amante, seu marido, sua esposa, seu filho, seu pai. Assim, se tenho um aspecto como Sol em quadratura com Plutao, posso me sentir muito 4 vontade com o Sol. Posso gostar bastante desse meu lado, me identificar com ele. Mas Plutdo é outra coisa. Se descarto Plutao e nao admito que essa figura tenha qualquer coisa a ver comigo, entao you comegar a ver Pluto em toda parte a minha volta. Vou trazer esse personagem para meus relacionamentos, e entéo me deparar constante- mente com as questées da escuriddo e da possessividade, da atormentagao, da destruigdo, da absorco. Também posso vivenciar uma profunda trans- formaco, de um tipo especialmente doloroso. A caracter(stica da transfor- maco de Plutdo 6 que se entra num incéndio e pode se escolher entre perder o braco esquerdo ou a perna direita para conseguir sair. Se eu projetar essa figura escura, vou encontrd-la constantemente nos meus relacionamentos. Inconscientemente, vou pedir que apareca por meio de qualquer pessoa com a qual me envolva. Ou se tenho alguma coisa, tipo Vénus conjunto a Urano, e nao estou feliz com essa conjun¢ao porque no estd de acordo com os valores presentes no resto do meu haréscopo, vou encontra-la seguidamente do lado de fora Pode haver uma pessoa muito convencional, que acredita nos moldes tradicionais e social- mente aceitdveis para seus relacionamentos, mas que tem essa conjun¢ao Vénus-Urano no horéscopo. Se a pessoa nao assumir a conjun¢do, ngo vivencié-la em algum nivel, e fingir que nao the pertence, vai evocd-la em todos os seus relacionamentos e escolher pessoas que possam mani- festé-la em seu lugar. Auditério: Vocé sabia que esse 6 0 caso de Anita Bryant? Ela tem uma conjun¢3o Vénus-Urano exata no Meio-Céu. Liz: N3o me surpreende. Quando vocé leva essas coisas ao extremo, precisa de um bode expiatério. E 0 que ela fez, em grande escala. Portanto, qualquer aspecto no hordscopo que nao pode ser encon- trado no interior vai entrar no elenco dos personagens que $40 encontrados No exterior. E eles s3o deuses. Acho que é um grande erro tentar reduzir um planeta a um conceito psicolégico ou a uma metdfora. Hd alguma coisa nessas imagens com o poder de fascinar e movimentar sua vida, quer as encontre em outras pessoas ou dentro de si. Efas 0 mudam, o que nenhuma pessoa real, de carne e osso, tem o poder de fazer sozinha. Se vocé encontra essas imagens em sonhos, é de uma forma muito mais Pura, poque vocé reconhece que o personagem Ihe pertence. Esta no seu 33 sonho. Muitas vezes é Possivel ver imagens planetdrias com muita clareza Nos sonhos. Ptutio geralmente € um homem ou mulher de cor preta, Ou aparece envolto em preto. Ele sai de uma caverna, do metra, do esgoto, do porto, debaixo da escada da adega. Vive em Caixas que as pessoas no abrem, se esgueira em bosques sombrios. Fregiientemente tenta Perseguir ou violentar, Sai de Paisagens escuras e da neblina. Plutéo, quando aparece na imagética dos sonhos, homem ou mulher, parece sempre sair de algum tipo de entranhas e portar esse trago de uma coisa desconhecida, escura e perseguidora, Os planetas em determinadas Casas também Parecem fazer parte do elenco da pega. Isto 6 particularmente verdadeiro em relagdo as Casas que tradicionalmente lidam com outras pessoas, isto é, a Quarta e a décima, a quinta e a sétima. Acho que, quando fazemos comparacao de mapas, Passamos por cima da quinta Casa muito facilmente, porque dizemos que a quinta é a Casa dos filhos, ent3o o Que isso tem a ver como marido Ou a mulher? Mas a quinta Casa também é a Casa da nossa crianga interior, \sso significa que a Parte de mim que é uma crianga, que sempre vai ser infantil, vai ser matizada pelo que estiver na quinta Casa. Se tenho um filho real, de came e OSso, vou perceber essa Crianga através da imagem da minha crianga interior, que é refletida pela minha quinta Casa. Assim, sé tenho Urano na quinta Casa, 0 que vivencio com meus filhos é a imagem de Urano, E eles vio ser obrigados a Carregar essa imagem porque ainda s&0 pequenos para lutar comigo. Se tenho Netuno na quinta Casa, vou vivenciar a imagem da vitima ou do redentor das vitimas Nos meus filhos, quer isso se ajuste ou ndo a eles, Também vemos essas imagens no lado infantit de outro adulto, Acho que uma das mais basicas dinamicas Psicolégicas do relacionamento se centra na crianca das duas Pessoas. James Hillman colocou isso de forma muito bonita: o casamento, ou qualquer relacionamento que implique unio, so situagdes onde @ lado infantil das duas Pessoas pode ser mostrado com seguranca. Essa é uma das expectativas que temos em nossos relacio- namentos intimos. H4 uma crianca, que pode ser divina e maravilhosamente infantil para o seu dono, mas que também & excessivamente malcriada, imatura, voluntariosa e exigente. Essa crianga vai Procurar encontrar aceitac3o através da Proteco ou da cobertura do parceiro. E a crian¢ga reflete as qualidades da quinta Casa. Como ela é recebida Pelo parceiro 34 também depende do estado da quinta Casa do parceiro, do seu relaciona- mento com sua prépria infantilidade. Se nao deseja aquela crianca dentro de vocé, vocé vai vé-la em todas as outras pessoas. Ai, nds dizemos: “Puxa, ele é tdo infantil, nao suporto quando ele se comporta assim!" Acho que a sétima Casa é dbvia. Todos sabemos que a sétima é a Casa do outro; e o outro, em ultima andlise, é interno e no externo. Eo lugar mais aberto, onde os personagens do nosso drama se materializam de forma concreta. A quarta e a décima Casas sdo mais sutis, porque dize- mos que sio a mie e o pai. Nao quero entrar na discussdo sobre qual é a mie e qual é o pai, por enquanto. Podemos debater mais tarde, se quise- tem. Mas essas Casas representam os pais, e esta é outra dinamica psico- légica bdsica e dbvia. Nés nao trazemos apenas a nossa crianga interior para os relacionamentos, trazemos também o pai e a mae. E a fonte de queixas mais comum nos relacionamentos. Ja se tornou parte do nosso jarggo moderno: complexo de mie e complexo de pai. A questo do que esté na décima Casa ¢ 0 que vocé percebe como mae, 0 que 0 papel de mie significa para vocé. A quarta representa o que vocé percebe como pai, o que o papel de pai significa para vocé. A sua imagem da criatura que vocé chama de mae é, de fato, uma imagem da mae dentro de vocé, Esses personagens néo sao, na realidade, os pais; sdo imagens dos pais, sao atores da sua peca. Obviamente, sdo projetados, principalmente na primeira metade da vida, porque buscamos um pai e uma mae nos nossos parceiros. Sempre que tive de avaliar casamentos dif{ceis contraidos antes dos trinta ou trinta e um anos de idade, notei que a décima e a quarta Casas repre- sentavam as figuras que estavam operando no casamento, muito mais que a sétima Casa. Para comecar, a primeira mulher que vocé encontra é a mie, vista através das lentes da sua décima Casa; e o primeiro homem é © pai. A gente leva muito tempo até chegar a pensar que possa haver qualquer faceta da feminilidade além dessa imagem da mae, ou qualquer faceta da masculinidade além da imagem do pai. E par isso que nés, ana- listas, temos o que fazer, porque as pessoas vivem metade da vida, ou mais, até descobrir que todas as mulheres nao sdo a sua mae, e que todas os homens nao sSo o seu pai. Assim, os planetas nessas duas Casas parecem ser mais ativos nos relacionamentos durante a primeira metade da vida. Penso que é um grande erro presumir que sempre projetamos a mie nas mulheres e o pai nos homens. Parece que ndo é tZo simples assim. Mie e pai, conforme aparecem na quarta e na décima, sao figuras miticas, e as figuras miticas tém uma notdvel propensdo a mudar de sexo. Tém 35 qualidades ou padrdes que nao so necessariamente definidos pelo sexo corporal. Se o tema mae é muito importante para uma muther, ela vai se deparar com esse tema com freqGéncia no seu relacionamento com um homem. £ com a mie que ela esta lidando, tanto no homem como nela mesma. Os planetas nessas Casas fazem Parte do elenco de personagens. Em todos esses casos, acho que a questo nao é alguma coisa ser boa ou mé, patolégica ou sauddvel. Parece que a situagado de projetar contetidos Psiquicos ou figuras é algo que simplesmente acontece. Talvez aconteca Porque a prdpria imagem pode ter necessidade de achar um meio de Nascer em forma ou em consciéncia, Se ha um Botencial em mim que ainda esta trancado na imagem e que ainda nao se desenvolveu como parte da minha vida, ele vai querer ser concretizado. Mais cedo ou mais tarde, vai querer viver no mundo. H4 uma urgéncia para se encamar, Para se realizar, que parece ser inerente a essas imagens. Entao elas se Projetam, Nao é que eu esteja fazendo alguma coisa patoldgica ou neurdtica Pela Projec3o, Nao projeto uma coisa do inconsciente; ela se Projeta. Essas figuras precisam de mim, da minha consciéncia, como um meio de vida. Este é 0 preniincio do comego de algum tipo de relacionamento entre mim e elas. Quando uma imagem interior se projeta, 6 como se estivesse dizendo: “Chegou a hora.” E no fim das contas pode ser que eu comece @ sentir que essa imagem tem alguma coisa a ver comigo, e que ela nado Pertence totalmente a voce. Ha duas figuras sobre as quais quero falar mais longamente. Elas nao se limitam a horéscopos em particular; parecem ser universais. Jazem sob todo o material pessoal no horéscopo individual, No tenho certeza sobre o que sdo. Aparentemente, sido imagens de dois pdlos arquet{picos extremos, masculino e feminino. Ainda estou para ver um relacionamento com algum grau de importancia em que elas ndo tenham emergido de alguma forma. O pélo feminino desse Par tem uma iconografia muito curiosa. A maior parte do tempo ela aparece como a figura da gorgona. Nao sei se algum de vooés viu Choque de Titds, mas hé uma g6rgona maravilhosa no filme. O folctore tem uma série de lendas sobre gérgonas. A mais comum 6 a da gérgona que uma vez foi uma mulher maravilhosa. Alguma deusa fica com cidme dela, ou algum mal Ihe é feito. As vezes € um estupro. O estupro e a violag3o da mulher geram um terrivel senso de ultraje e a necessidade de vingar a viola¢do. Se estudarem a iconografia da gérgona 36 em todas as culturas mediterraneas e do antigo Oriente Médio, vao ver que ela tem certas caracteristicas universais que atravessam as fronteiras culturais. Trata-se de uma imagem universal. Sempre tem a I {ngua esticada para fora de uma maneira muito falica, geralmente com cobras 4 volta. As vezes, seu cabelo é feito de cobras, como no caso da Medusa grega. As vezes, hd duas cobras enrotadas em cada braco. Seus olhos sao grandes, seu olhar é fixo e paralisante. Ela é uma imagem da natureza ultrajada, violada. Acho que é muito dificil para uma mulher reconhecer de fato quando a gérgona aparece, porque a gorgona simplesmente cai sobre ela, transforma-se nela. Os homens detectam-na imediatamente. Tem uma voz caracteristica, de ultraje e dignidade ferida. Sua queixa aparente pode ser tipica: “Como vocé péde me ferir?” ou “Se vocé realmente me amasse, nao teria feito isso. Por baixo h4 uma amargura profunda, antiga. E a antiga amargura das mulheres se sentindo usadas, humilhadas, pisadas. Esta é uma imagem coletiva, uma experiéncia muito velha, porém uma pequena mégoa pessoal é capaz de lancar vocé dentro dessa voz que fala com a dor de mithes de anos. E 0 lado moral disso é um problema dificil, porque do ponto de vista da gérgona ela tem tazdo de se sentir ultrajada e vingativa. Acredita que tudo seja culpa dos homens. Acho que é muito discutivel se o sofrimento da gérgona é culpa de alguém. Diz a histéria que o rosto da gorgona se petrifica num horroroso ricto, porque ela é incapaz de se desvencilhar do sentimento de ultraje. Esta figura tem uma forma de se fazer convidar para relacionamentos com extraordindria regularidade. ‘sto é o que muitos homens temem nas mulheres, e © que as mulheres nZo querem admitir nelas mesmas. Todos os temas do castrador e do devorador estado relacionados com essa figura. Ela 6 uma espécie de sombra do principio feminino. Acho que, astrologica- mente, ela tem muito a ver com Plutdo. Também esté ligada 4 oitava Casa e a0 signo de Escorpido. Como isso funciona em termos do mapa e da vida de um individuo, parece variar. Creio que se ha uma influéncia pluto- niana dominante no mapa, seja de um homem ou de uma mulher, agorgona talvez seja um pouquinho maior e com um pouco mais de cobras, com mais facilidade de ser evocada. Como 6 uma imagem feminina, tem a tendéncia, quando 6 parte da psique de um homem, a se Pprojetar em suas mulheres. A gérgona tem seu oposto polar e, sempre que vem 3 tona num relacionamento, tem a notavel capacidade de trazer consigo o seu oposto. O nome que escothi para esse oposto ver de umapecade Eugene O'Neill, 37 The Iceman Cometh. A psiquiatriao conhece comoo psicopata, e considera seu estado impossivel de ser tratado ou curado. Tendemos a dar o rétulo de psicopata 4 pessoa que parece no ter sentimentos, A Psiquiatria define esse estado como o de uma inferioridade moral inerente, o que significa que nao hd sentimento de culpa por infligir dor aos outros. A pessoa nao Pode ser tacada em nivel emocional. Pode cometer um ato anti-social ou cruel e no sentir remorso, nem empatia. Prefiro dar-Ihe o nome de homem de gelo, e 6 uma figura mitica. Acho que ele é de alguma forma a sombra do principio masculino, seu extremo limite. Desconfio que seja a carga interior que os homens carregam, assim como a gorgona é a carga das mutheres. Vocé percebe imediatamente 0 inicio do didlogo entre essas duas figuras, quando elas esto sendo representadas na vida dos outros, E muita mais dificil ouvir 0 didlago quando € na nossa vida. Parece que o homem e a mulher desaparecem, e entram em cena a gorgona e o homem de gelo. A gérgona comega a se enfurecer, o homem de gelo se recolhe. Ele diz coisas geladas, como: “Nao desejo mais falar sobre isso.” Diz @ gorgona que ela esta sendo irracional e superemocional, e torna claro seu desprezo or ela. Diz: “Quando vocé tiver se acalmado e conseguir se comportar como um ser humano civilizado, podemos discutir o assunto.” Mas geral- mente ndo vai discutir nada, porque nao da valor ao ultraje dela. Nao ha modo de fazé-lo sentir-se culpado, porque ele é incapaz de ter culpa. A Unica coisa que acontece ¢ que ele se torna cruel ou vai embora. A dinamica entre essas duas figuras é terrivel, mesmo quando apa recem em duas pessoas que se amam de fato e que nao desejam se sentir assim. Por maior que seja a afinidade entre os dois mapas, os individuos podem cair na armadilha dessa dindmica. E como uma Possessdo. Essas figuras ndo sdo pessoais, sfo arquetipicas. Sio temas comuns na literatura @ na arte, e tém estado por af ha milénios. Embora nZo sejam pessoais, se alimentam de ressentimentos pessoais. Quando surgem, @ a pessoa fica nas suas garras por muito tempo, podem destruir qualquer relaciona- mento, independentemente da compatibilidade astrolégica dos individuas. A questdo aqui parece ser tentar trabalhar com tais figuras a partir de dentro, Acho que a gérgona estd ligada a Plutdo, e o homem de gelo a Urano. Num mapa de homem ou muiher em que haja uma énfase domi- nante uraniana ou aquariana, creio que o homem de geto 6 um pouquinho mais frio que de costume. E facil vé-lo nesse tipo de temperamento, assim como € facil ver a gérgona no temperamento escorpionico, Mas também 38 acho que eles aparecem correndo quando se vé falta de ar e agua em dois horéscopes. Com Urano ou Piutao na sétima Casa, vocé pode caicular por si mesmo em quanto tempo as duas figuras vao emergir como a energia motivadora nos relacionamentos. Esse também é 0 caso quando Urano ou Plutdo aparecem na décima, quarta ou quinta, ou se hé aspectos Lua- Plut&o, Sol-Urano, Vénus-Plutg, LuaUrano. Com todos esses aspectos, principalmente as quadraturas e Oposigdes, o homem de gelo desce rapida- mente de sua montanha e a gorgona se arrasta para fora de sua caverna, ede repente tomam conta do relacionamento. Auditério: Eles se cruzam? Vamos dizer: uma mulher com um aspecto Sol-Urano. O homem de gelo surge dela? Liz: Acho que o homem de gelo se torna parte do que Jung chama de animus. Sim, é parte dele. Mas ele aparece de uma forma particular, que € muito dissociada. E come se a frieza surgisse na sua voz, que diz todas essas coisas. Mas hd um sentido de dissocia¢ao, porque é uma figura masculina. Na verdade, ele abate a propria mulher, quando diz coisas frias ao parceiro. No fim das contas, é um torturador interno. Pune a feminili- dade da mulher e aleija seus sentimentos. Geralmente ele é projetado em um homem, mas vocé pode pegd-lo no interior, criticando e abatendo. Com muitas mulheres, ele é um problema terrivel. Mas ndo destrdi o homem em que é projetado tanto quanto destrdi a mulher. Auditédrio: Vocé pode dar um exempio? Liz: Vocé quer dizer um exemplode um mapa, ou na pratica? Na pra- tica, é a voz especial que ouvi em muitas mulheres aquarianas. Eladiz: “Nao acredito em possessividade, os relacionamentos deveriam ser isentos de cenas e exigéncias emocionais, ninguém pode possuir outra pessoa. Nao tenho cid- mes, acho que a emogao é fracae repugnante.” Esta é a voz. Infelizmente, no cai muito bem na psique feminina. Ai ha uma incrivel susceptibilidade, na verdade, uma defesa. Quando trabalho com esse tipo de voz na andlise, geralmente leva meses, meses e meses até que a mulher admita de fato que se magoa, sente medo, se sente sozinha ou é vuineravei. Pode levar um tempo enorme. Q homem de geio est [4 dentro e constantemente diz a ela que seus sentimentos so bobos e intiteis, que ela nda tem o direito de senti-los. Por outro lado, como nao é tanto uma parte do feminino, a mulher apanhada pelo homem de geto pode tibertar-se realmente assim que corte sua identifi- cacao com ele. Isso ndo significa que ele va embora, mas ela pode desafid-lo de dentro. Com um homem, isso esta tdo ligado 4 sua psique que o traba- Iho segue um processo muito diferente. 39 No acredito que essas figuras arquet{picas mudem reaimente da forma que comumente entendemos a mudanga. Talvez se alterem vagarosa- mente através dos séculos. Essa é uma questao muito diffcil, principai- mente se vocé trabalha no campo psicolégico. Uma das fantasias que nos leva a querer ajudar as pessoas é a crenca de que tudo pode ser mudado. A esperanca da transformacao e da cura da doenca e do que é fatal cons- titui o arcabouco do nosso cédigo ético. Se n3o acreditassemos na mudanca, n&o nos envolveriamos nesse tipo de trabalho. E ha mais um problema aqui, porque, por um lado, uma série de figuras internas realmente se transformam, Elas passam por mutagdes, mostram um lado mais positivo, deixam de nos amedrontar. Tornamo-nos mais conscientes delas e mudamos nossas atitudes em relaco a elas, e elas, por sua vez, se tornam mais civili- zadas. A imager do homem violentador ou sddico do sonho pode mudar graduaimente, e embora ainda conserve seu caréter plutoniano, se torna mais acessivel. Vocé pode falar com ele; ele n3o esté mais empenhado em matar vocé, e fornece vitalidade e sensualidade 4 sua personalidade consciente. Mas embora essas figuras possam se transformar de algum modo, também continuam capazes de reverter aos pdlos negativos extremos. Em certo sentido, isso significa carregar um fardo por toda a vida, a possibilidade de essas figuras irromperem seguidamente em qualquer relacionamento. Acho que elas nunca vao embora completamente. Descon- fio que, em parte, esta é a razdo de as pessoas tenderem a evitar um traba- (ho profundo sobre si préprias. Queremos acreditar que, mais cedo ou mais tarde, vamos conseguir uma formula, de uma vez por todas. Mas a gérgona é uma figura coletiva, universal. Se estd se transformando, essa transfarmacao se estende por centenas de anos. Os esforcos de um indi- viduo contam para alguma coisa, mas é dificil observar o seu efeito em nivel cotetivo. Talvez seja um ato de fé. Pelo menos vocé pode aprender a enfrentd-la, e se ela comega a aparecer numa situacdo envolvendo outra pessoa, vocé pode aprender a reconhecer sua voz, ir para outro quarto, fechar a porta e tentar, vocé mesmo, compreender sua dor, em vez de esperar que seu parceiro a socorra. Vocé pode assumir a responsabilidade de conté-la, mesmo sendo impréprio assumir responsabilidade por ela em si. Ou vocé pode chamar o seu psicopata, 0 seu homem de gelo, para um lado e dialogar com ele, em vez de descarrega-lo sobre alguém. Tenho uma série de duvidas sobre exatamente como muitas coisas desse tipo realmente mudam. Sei que 0 ego, a consciéncia, pode se tornar mais forte 40 e mais flexivel, e pode limitd-las e entendé-las melhor. Somos capazes de criar um relacionamento com elas, o que parece fazer toda a diferenca. E se vocé é capaz de criar um relacionamento com a gérgona e com 0 homem de gelo, pode criar também com outra pessoa. Agora, essas duas figuras miticas extremas tém todos os tipos de imagens masculinas e femininas se Ihes sobrepondo, que s&o altamente individuais e pertencem as colocagdes no hordscopo individual. E como se todas essas diversas figuras femininas, sombrias e luminosas, formassem uma fila, em cuja extremidade estd a mais primordial de todas, a Mae Terrivel, na forma da gorgona. Todas as diversas imagens masculinas, da mesma forma, fazem uma fila até o primordial Pai Terrivel, o homem de gelo. Vocé também encontra a esséncia da Boa Mae, a doadora da vida, e do Bom Pai, o doador da imortalidade e do propésito. Talvez todas essas figuras diferentes nao sejam realmente separdveis, e sim diversas faces de uma s6. Na pratica, vestem roupas diferentes, cada uma canta num tom muito diferente, mas o acompanhamento é 0 mesmo. O tema subjacente é que, aparentemente, elas desejam a consciéncia. E por isso que emergem. Querem a personificacdo. Talvez desejem se transformar. Parece que este é 0 ponto no qual desmorona-se a divisdo artificial entre o que vocé considera sua vida exterior e 0 que considera sua vida interior. Jung disse uma vez que a anima nao € apenas uma figura interior, também é uma mulher que vive. Da mesma forma, 0 animus nao é apenas uma imagem de sonho, ou o pato masculino da psique da mulher, mas um homem que vive. Acho que é muito dificil saber onde os dois comecam e terminam. Se vocé tem um relacionamento intimo com alguém, pode sonhar com ele boa parte do tempo. Pode olhar seu mapa e ver perfeita- mente como essa pessoa se ajusta a qualquer coisa na sua décima, sétima ou quarta Casa, e saber, em nivel racional, porque ele esté na sua vida. Mas ele esta tanto no interior como no exterior. Nao ha farma de efetiva- mente separar as duas coisas. Se vocé descobre que alguma coisa esta Mudando internamente, a pessoa do lado de fora muitas vezes também muda a sua atitude em relacdo a vocé. Nao hd respostas para isso. Mas vocé nao pode de fato mexer na outra pessoa, enquanto pode ir bem fonge no seu auto-exame. Auditério: Qual a retacio entre o abandono de um personagem da sua vida, que estd no seu mapa, eo destino? Liz: Receio que isto seja outra palestra. O destino significa aquilo que estd escrito. Nos mitos e nos contos de fadas, todas as representacdes 41 do destino so sempre mulheres, Elas parecem ser simbolos do inconsciente, a mae da qual emerge a personalidade individual. Eu sugeriria que hé uma conexdo entre o padro ordenado da psique inconsciente, que se desdobra na historia da vida de uma pessoa, e 0 destino. Acho que um mapa astrolé- gico descreve a substancia interior, E a matéria de que vocé é feito, a Matéria basica que forma a psique. E com certeza o que esté escrito, mas no esté formado quando vocé nasce. Existe em potencial. Ainda nao foi vivido. E mais cedo ou mais tarde vai procurar se concretizar. Conhe- cemos muito pouco sobre o inconsciente. S6 o conhecemos através de seus efeitos, de suas intrusdes no nosso campo de consciéncia. Mas uma coisa est se tornando cada vez mais patente para a psicologia e a ffsica; ou seja, no reino do inconsciente, a mente e 0 corpo nao sao coisas distintas, estdo misturadas. H& uma coincidéncia entre uma imagem psiquica e um acontecimento. Sio parte do mesmo material. Jung deu a isso o nome de sincronicidade. Parece estar além do que chamamos fendmenos Parapsi- coldgicos. O que quer que seja o inconsciente, nao é apenas psiquico. Também 6 material. O jeito mais ébvio de ver isso é na questao da doenca f{sica — o elo entre o estado psiquico e a doenca do corpo. Assim, se ha algo psiquico em mim, que nao permito que se concretize em minha vida — ou se sou muito jovem ou nao tenho suficiente desenvolvimento para Proporcionar-Ihe um receptaculo — ent&o, de alguma forma, ele atrai substancia para si, porque nao estou Ihe danda qualquer substancia. Dessa forma, vou atrair, ou ele vai atrair, aquetas situagGes de vida que Posso chamar de acaso, ou culpa de alguém, ou acidente, ou o que for. Aquela imagem, aquele material psiquico, em Ultima andtise, vai se mate- rializar com ou sem o meu consentimento. Se eu nao admitir que aquilo tem a ver comigo, posso achar que algo exterior a mim causou o evento. Sei que é exigir muito submeter a consideracdo esse ponto de vista. Digo isto nao porque tenha elaborado uma teoria, mas porque vejo isto acontecer 9 tempo todo no meu trabalho de andlise. Quando vocé trabalha muito profundamente com o inconsciente, pode observar esse processo de materializacao. E claro que também envolve o analista, por- tanto no € de fato uma observag3o apropriada. Vocé pode observar as figuras emergindo primeiro nos sonhos, de uma forma muito incipiente. Vocé fala sobre elas, da-lhes tempo, energia e valor, e gradualmente elas comecam a se manifestar na vida da pessoa; tornam-se parte dela. Hauma coisa intensamente assustadora a respeito disso. Vocé se torna consciente de que ha um processo em curso que o ego Nao esta controlando, mas com 42 o qual pode cooperar. De modo que esta nao é a minha fantasia favorita sobre a realidade; ¢ uma coisa que vejo de fato vivendo e acontecendo tempo todo. E acho que o que esta no hordéscopo literaimente sai do mapa e se materializa na nossa frente como as circunstancias da vida. Mas isso comeca dentro. E o que esté dentro que o mapa descreve, nao a circunstancia externa. A questo de valorizar ou reconhecer essas ima- gens também € muito critica, porque dar valor nao significa necessaria- mente desempenhda-las. Quando eu falava da gérgona e do homem de gelo, dar importancia e reconhecimento a elas nao significa que tenha de me transformar nelas ou me identificar com elas. Mas significa, isto sim, Que preciso proporcionar-Ihes algum tipo de substancia através da qual possam viver. Talvez eu possa pintd-las, escrever uma poesia sobre elas ou, meihor ainda, deixd-las escrever suas poesias. Posso fotografa-las, quando as vejo na vida real, ou representa-las numa peca. Ou posse encon- tra-las e reconhecé-las em meus clientes e nas pessoas que analiso, que é 0 que fazemos como astrélogos, analistas e conselheiros. Nés desempenhamos nossos planetas através de nossos clientes, e entao tentamos entendé-los e aconselha-los. Isso é particularmente verdadeiro no caso do psicotera- peuta que vé as pessoas continuamente. Vocé fica se encontrando consigo mesmo. Pode ser um processo muito criativo, se tem consciéncia dele. Se nao, vocé vai ter problemas. E o seu cliente, claro, se encontra em vocé. Chamamos a isso de transferéncia negativa e positiva. Nesse ponto, vocé pode fazer aquela pergunta adoravel e delicada que o analista preza acima de todas as outras: Vocé acha, talvez, que isso possa ter alguma coisa aver com vocé? Qualquer aspecto cruzado — o que significa qualquer planeta no meu mapa aspectando qualquer planeta no seu mapa — é uma ativacdo de uma imagem. Tenho um conjunto incipiente de possibilidades, um feixe de matéria-prima psiquica que 6 0 meu mito, a minha hist6ria, 0 meu conto de fadas. Ele adquire vida quando alguém se esgueira até la e Ihe dé um beijo ou um pontapé, o que constela a imagem em mim. Assim, se esté examinando a dindmica dos aspectos intermapas, acho que hé uma férmula muito bdsica com a qual voc’ pode trabalhar, ou seja: o planeta que 6 aspectado no meu mapa é a forma como vivencio © relacionamento. Por enquanto, vocé pode deixar de lado o que, no seu mapa, esté formando o aspecto com o meu. O que quer que o planeta aspectado no meu mapa represente para mim, ¢ ativado no relacionamento. Essa parte de mim é constelada. Agora, se ¢ uma constelag3o boa ou md 43 € uma questao muito discutivel, porque depende muito da forma como Teajo ao que esté sendo estimulado em mim. Nao acredito que os resul- tados dependam tanto da natureza do aspecto. Nao vou dar muita impor- tancia ao fato de o seu Vénus fazer uma quadratura ou um trigono com © meu Marte. Vou prestar muito mais aten¢o 4 forma como me dou com o meu Marte, porque se me sentir desconfartdvel com minhas paixies. @ minha agressividade, e vocé aparece e mexe nelas, mesmo que 0 aspecta seja maravilhosamente bom, um acordo celestial, 0 que vou vivenciar 6 0 lado escuro de Marte. Posso acusar vocé de tentar me fazer ficar zangada, ou de trazer para fora oque ha de pior em mim. A natureza real do aspecto é muito menos relevante do que a minha forma de relacionamento como meu planeta. Tenho constatado que os relacionamentos nos quais os mapas apresentam uma série de interaspectos dificeis n3o so menos produtivos ou excitantes que aqueles com uma série de aspectos harmoniosos. Parece que os mais dificeis sio os que apresentam muito poucos interaspectos. Isto se aplica principalmente se meu Sol, minha Lua e meu Ascendente nao estdo sendo aspectados pelo seu mapa. Neste caso, minha sensacao vai ser que apesar de passar muito tempo comigo, vocé nao tem idéia de quem eu sou. N3o hé um ponto de ligagdo; ndo ha nada em vocé sintonizado para me captar. Eu nao registro voce enquanto individuo, se © seu mapa nao aspecta esses pontos fundamentais no meu mapa. Assim, de alguma forma, ficariamos nos desencontrando. Hé um sentido de vazio e frustra¢o que cresce nesse tipo de relacionamento. Prefiro muito mais ter um relacionamento em que tudo no seu mapa esteja em quadratura ou oposi¢ao a tudo no meu mapa, aum relacionamento em que haja um desencontro total. A questo do Soi parece ser muito interessante, porque o Sol repre- senta a identidade bdsica. Tratase da minha necessidade de ser eu mesmo, de ser diferente dos outros, de ser Unico, de me vivenciar como alguém especial. Para comegar, é discutfvel que a pessoa tenha consciéncia dessas coisas dentro de si. Muitas pessoas nao tém, principaimente na vida Privada. No ha ninguém isolado em um lar. O Sol como refiexo da consciéncia definida do ego nao é algo que se possa tomar por Pressuposto. Isto parece se aplicar principalmente aos casos em que o Sol, no mapa natal, esté com aspectos dificeis. Com muita freqdéncia, isto significa que o desenvoivi- mento do ego sofreu interferéncias. De alguma forma, o senso do eu foi a4 distorcido ou prejudicado, ou simplesmente ndo se desenvolveu muito. Ha uma série de situagdes de infancia que levam a esse tipo de prejuizo, enquanto o ego ainda nJo esté adequadamente formado e a pessoa s€ identifica o tempo todo com os outros e com os valores coletivos. Assim, a expressio do Sol é dificil desde 0 comego, porque a pessoa pode ainda no ter seus préprios valores e seu senso de identidade. Se surge alguém com um planeta aspectando o meu Sol, esse relacionamento me forgard a me tornar muito consciente de mim. Isso pode nao me agradar muito, se eu for do tipo de pessoa que prefere nao se assumir como individuo. € um erro presumir que, porque o seu Vénus esté no meu Sol, vou adorar ficar e me dar maraviihosamente com vocé. Posso nao gostar nem um pouco, principalmente se ndo gostar do meu signo solar e do que exige de mim. Tudo que se pode dizer a respeito de aspectos cruzados com 0 Sol é que a presenca do outro sempre lhe recorda que vocé 6 um individuo. {sso pode ser feito de muitas formas diferentes. Se o aspecto é uma quadra- tura ou uma oposicao, 0 outro pode tentar mudé-lo, o que é umaexcelente maneira de descobrir quem vocé 6. Se hd alguém que fica o tempo todo tentando transformar vocé no que ele acha que vocé deveria ser, voce rapidamente descobre algo sobre si mesmo exatamente através do esfor¢o dessa luta. No minimo, descobre o que vocé nao é, Esta é uma das razdes pelas quais ndo se deve desdenhar os aspectos diffceis que operam num relacionamento. Eles podem gerar exatamente o que vocé mais precisa, estimulando a percepgao da sua natureza e das suas necessidades. Se algo no seu mapa aspecta a minha Lua, ento o que vai ser conste- lado em mim 6 mais um senso de pertencer. Um dos significadas da Lua Parece ser a ligacdo da pessoa com a familia coletiva, com os instintos e@ com a natureza. A Lua nao é muito individualizada. Nao tem muito a ver com minhas aspiragdes enquanto individuo. Ela se relaciona muito mais com o que ¢ habitual, com aquilo que eu tenha em comum com todos os outros membros da familia humana, em que me sinto seguro e confortével sendo exatamente como todo o mundo, Como este é meu senso de seguran¢a, dependo dele. Ele me integra ao destino comum, tira minha sensacao de isolamento. Assim, se 0 seu mapa aspecta a minha Lua, vai despertar esse meu lado. Novamente, posso ou nao gostar, porque me sinto impulsionado a reagir a vocé 0 tempo todo. Se uma pessoa toca a sua Lua, vocé vai de encontro a essa pessoa, mistura-se com ela. Vocé se funde com ela, e nao consegue se desligar e ir embora porque se sente seguro com ela. Vocé se identifica com ela; é uma liga¢Zo emocional, 45 uma identificagao. Mesmo se for o seu Saturno em cima da minha Lua, ainda me ligo e me identifico com a sua depressao. Assim, se acho muito desconfortdvel vivenciar os seus sentimentos e@ estados de espirito como se fossem meus, ent3o nao vou ficar nada satisfeita com esse contato, mesma que 0 seu Soi esteja conjunto com a minha Lua — o que supostamente ¢ um dos aspectos tradicionais maravi- lhosos entre duas pessoas. A Lua pode nao gostar nem um pouco disso, pois esse tipo de contato empurra a pessoa para seus sentimentos e suas necessidades. A Lua precisa pertencer: precisa dos outros e precisa se sentir necessdria. Se uma pessoa é muito incansciente de suas necessidades emocionais, e gosta de se achar muito indiferente e independente, qualquer coisa que atinja a sua Lua pode horrorizé-la, porque constela a dependéncia. Por outro lado, um aspecto 4 minha Lua também pode ser imensa- mente satisfatorio. Posso gostar de ter esse lado de minha natureza estimu- lado. Uma mulher pode se sentir muito feminina e maternal quando sua Lua é acionada. Eta se sente necesséria. Para um homem néo é tio facil, Porque se a sua Lua receber um forte aspecto cruzado ele fica cOnscio de suas emacées 0 tempo todo. A mulher que aspecta o seu mapa dessa forma — ou o homem, aliés — constantemente Pressiona suas necessidades de sentimento. Aspectos diffceis com a Lua podem ser muito valiosos porque o forcam a se tornar consciente do que vocé sente. Até uma coisa potencial- mente terrivel como uma oposi¢ao entre o Saturno de alguém e asua Lua pode ser valiosa, porque a outra pessoa fica sempre tentanda Ihe negar exatamente o que vocé valoriza e de que precisa. Acho a questo das necessidades da Lua muito interessante, porque vocé percebe que muitos problemas que aparecem na psicoterapia tém a ver com o fato de a pessoa no dar valor a suas necessidades ordindrias. Por uma quantidade de diferentes tazdes, ela pode denegrir ou ignorar os préprios sentimentos. Talvez seja muito espiritual, ou tenha todo um conjunto de normas sobre o que é correto ou n3o em matéria de necessidades, ou sua criagdo tenha sido no sentido de que nao deve Precisar de nada. Ela pode se amedrontar por ser apenas humana e vulnerdvel, desejando ser imortal, ou ser um herdi de um drama mitolégico que nio Precisa de ninguém e de nada, nao pode ser ferido e ndo sente solidao. Assim, muitas pessoas tém enorme dificuldade de admitir a Lua, tanto mulheres como homens. Constato isso cada vez mais entre as mulheres, Porque na medida em que a questao do Sol, da independéncia e da 46 individualidade preocupa mais as mulheres, a Lua é posta de lado. £ como se houvesse uma crenca predominante de que nao é poss{vel ter os dois. N3o quero examinar todos os planetas, porque gostaria de deixar algum tempo para o debate. Alguns planetas sao mais interessantes que outros, e alguns também sao mais complexos. Gostaria de mencionar principalmente os planetas exteriores, que nao recebem muita atencdo. Em termos de sinastria, geralmente nado sdo considerados importantes porque afetam geragées inteiras, sendo considerados mais ou menos irrelevantes para o individuo, Nao acho que seja assim, Se um de seus planetas exteriores é aspectado pelo mapa de outra passoa, 0 que 6 evocado em vocé estd além dos limites do ego. Como transcende esses limites, pode ser muito, muito perturbador. Parece que Saturno delimita o perf- metro do ego. E como a pele em volta do organismo. Define onde eu termino e onde voc’ comeca. E a faceta do ego ligada com as defesas e a separacdo. Os planetas além de Saturno sao sentidos como inimigos do ego porque ameacam seu senso de permanéncia e diferenciago. Os planetas exteriores nos ligam com o inconsciente coletivo e com todas as correntes do coletivo que pertencem & nossa heranga racial. As geracdes vivenciam 0 trabalho desses movimentos; eles estimulam massas, paises inteiros. Quando essas semelhancas na base ps(quica profunda sao sentidas pelo ego, 0 individuo se sente muito ameagado. Ele ndo gosta de se sentir exatamente como qualquer outro americano, ou inglés, ou mulher, ou homem, que n3o pode controlar suas reacdes nesse nivel profundo. Teme ser afetado pelas correntes de massa que fazem parte da época em que vive @ as quais estd sujeito, zeftgeists que se movem através de determinados perfodos hist6ricos e influenciam gera¢Ges inteiras. Mas esse medo também nao é irreal; basta olhar para a Alemanha nazista para ver comoo individuo decente se desintegra debaixo de uma maré coletiva. Assim, os planetas exteriores sda ameacadores, Parece que os unicos que nado se importam so aqueles que nao desejam afirmar qualquer individualidade, mas sim ser parte de um movimento de massa. Mas geral- mente os planetas exteriores provocam um sentimento de perturbac¢ao, Assim, se um das seus planetas cai sobre o Urano do meu mapa, vai esti- mular em mim algo que pertence ao arcabouco ideolégico da minha geracao. As geragdes tém ideologias e sdo motivadas por determinadas idéias. A Revolucdo Francesa é um exemplo. Urano esta muito relacionado com a politica e com as imagens sociais e politicas as quais se dé um valor extremamente alto como futuro potencial. Oessa forma, um aspecto 47 cruzado a meu Urano vai despertar tudo isso em mim. Posso achar muito desconfortével, principalmente se Urano estiver formando aspectos difi- ceis com outros planetas no meu mapa, e eu jd ache os “ismos” coletivos ameacadores. Uma das coisas que posso descobrir com esses contatos € que tenho simpatias por coisas que nao gostaria de admitir, em especial movimentos mais iconoclastas ou idéias originais e excéntricas. Ou posso simplesmente ser forgada a admitir que existe um mundo muito maior do que o que contém minha familia, minha casa, minha vizinhane¢a, meu pais. Assim, a outra pessoa vai me empurrar em direcdo a uma cons- ciéncia de correntes coletivas muito maiores do que eu, e que podem me engolir. Isso pode provocar uma mudanga radical em mim, se estiver aberta a esse tipo de experiéncia, Nao acredito nem um pouco que aspectos a Urano sejam insignificantes num relacionamento, Se um de seus planetas cai sobre o meu Netuno, a coisa é ainda mais curiosa, Tive uma das mais valiosas percepgdes do significado de Netuno através do simbolismo cabalfstico, da Arvore da Vida cabalistica. H4 diferentes sistemas de comparacao entre a astrologia e a cabala, mas o que acho mais proveitoso coloca Netuno no alto da Arvore, associando-o a kether, que significa “a coroa”’. Alguns autores da cabala colocam Plutdo ai, mas Netuno para mim faz mais sentido. A coroaé o Ponto mais elevado de contato com o divino ao alcance dos nossos pequenos egos humanos. Na cabala, Deus é chamado ain soph, que quer dizer “nada”, “nenhuma coisa”, um mistério sobre 0 qual nada pode ser dito. Nao é possivel apreendé-lo, e assim, diz a cabala, este é um mistério terrivel do qual nao se pode chegar perto. Mas o dedinho do pé esquerdo desse mistério inefavel é 0 que chamamos de espirito humano, e é 0 nosso mais elevado valor. Imaginamos como sera Deus; nos esforcamos e ansiamos Por experimentar esse mistério. Netuno esta muito ligado a essa Gnsia, um tipo de ansia de voitar para casa. E um sentimento de nostalgia do Jardim do Eden, do tempo em que nos e Deus viviamos em harmonia antes da Queda, antes da experiéncia do Pecado Original. Assim, Netuno no meu mapa é a antena que capta esse outro mundo, o lugar de onde vim, o lugar para onde desejo voltar, onde ja fui e vou ser o meso que © Um. Se algum de seus planetas toca o meu Netuno, vocé vai estimular essa ansia dentro de mim. Posso nao saber o que é essa nsia, 0 que é tipico de Netuno. Posso registré-la como um sentimento estranho, uma aspiracdo, e vou associar essa aspirag3o a vocé. E a mesma coisa que acontece com os aspectos 48 ao meu Urano. Posso acreditar que o que vejo é realmente a sua mente brilhante e inconvencional, em vez de perceber que estou vivenciando a vitalidade mental criativa de toda a minha geraco. Assim, se vocé aspecta o meu Netuno, posso achar que vocé é que é de fato o deus, a coroa, o pouco de divindade que tive a sorte de vislumbrar. E a minha 4nsia por vocé nao vai ser uma 4nsia humana, como a Lua sente. Nao & amor no sentido do relacionamento humano. E a ansia por Deus. Auditério: \sso nio teva a um monte de problemas e decepcdes? Liz: E claro que sim. Isso me lembra uma fala de um dos filmes de Woody Allen, quando alguém diz: “Quem vocé pensa que é, Deus?”, e ele responde: “Bom, eu tenho que seguir o modela de alguém!”’ Sim, 6 claro que esse tipo de coisa leva a decepcdes no relacionamento. Mas acho importante entender a natureza da decepcdo. A ansia em si nao é errada ou desatinada. Se alguém tem o poder de despertar esse anelo mistico em mim, pode ser maravilhoso s6 o fato de eu poder vivenciar tal coisa. O problema é que, no fim das contas, preciso admitir que o que a outra pessoa constelou nao é seu atributo ou propriedade pessoal, mas algo relacionado com a minha propria espiritualidade. Posso achar isso muito desconfortavel se eu for uma pessoa muito pragmatica ou racional, porque entZo a outra pessoa se torna um enfeiticador. Posso nao confiar absolutamente nisso, porque ela tem o poder de me fazer sentir coisas que nao pertencem aos meus parametros racionais da realidade. Agora, se um dos seus planetas cai sobre o meu Plutao, uma das coisas Sbvias que acontecem é que surge a minha gérgona. O que a gérgona faz em termos de influénciacoletivaé que me dé a experiéncia da escuridao humana universal. Parece existir algo como uma sombra coletiva, um mal, uma destruicZo humana coletiva. Se vocé nao acredita nisso, tente ouvir © noticidrio. HA um elemento na natureza humana muito escuro, muito arcaico, muito cruel e vingativo, e que nunca foi cristianizado. Hd muito que acho que Pluto 6 o nico planeta que nao encontra seu lugar na teologia judeu-crist&. A religiZo ocidental tem um lugar para todos os outros planetas. E possivel cultuar algum aspecto de Deus representado ou simbolizado por todos os outros planetas. Se vocé quiser achar Netuno em Deus, pode olhar para a Virgem Maria ou para 0 Cristo compassivo. Se quer achar Urano, pode consideré-lo o Verbo. Ou vocé pode pegar coisas como a astrologia e descobrir Deus nos seus padrdes, ou tomar a ciéncia e se espantar com o milagre da matéria. Vocé pode cultuar Saturno em Deus, como a lei e a justica divinas. Ha imagens religiosas globalmente 4g aceitdveis para os valores representados por cada planeta. Mas, para Plutdo, nao hd lugar na nossa cultura. No hinduismo, hé Kali, Pode ser que néo deixemos que Deus tenha uma face escura. Esse é um Problema sobre 0 qual Jung discorreu bastante: para nds, Deus 6 apenas bondade e luz. Auditério: Acho que vou discordar, porque me parece que a Crucifica- ¢ao ea Ressurrei¢o poderiam ser simbolos do lado transformador de Plutio. Liz: E, voc8 tem razo, essas imagens corporificam uma experiéncia de transformagao. Mas, por outro lado, a Crucificacao e a Ressurreicao estZo integradas num contexto de significado. Nés acreditamos, se somos cristéos, que esses acontecimentos significaram algo, tiveram um propé- sito. Acho que ha uma faceta de Plutdo que lida com a natureza e que no tem propésito. Nao vou discutir com vocé se o lado melhor de Plutdo estd refletido na doutrina crist&. Mas Plut3o tem outros lados. James Hillman tem um ensaio que vale a pena ler, chamado On the Necessity of Psychopathology. Ele escreve sobre a deusa grega Necessidade, cujo nome grego € Ananke. Ela também é chamada Caos. Plat3o achava que noventa e cinco por cento do cosmos eram governados pela Razao, mas 0s cinco por cento que Ihe escapavam eram governados por Ananke ou Caos. Esse cinco por cento nao tém significado, n3o tém razdo, nao podem ser mudados. € aquela faceta da vida que achamos intoleravel. N3o supor- tamos olhd-la de frente porque ela nao tem sentido, ndo tem um objetivo espiritual dltimo. E s6 cruel e desordenada. E esse lado da vida que acho que Plutdo, em parte, representa. & isso que acho que nao tem lugar na religido ocidental. Podemos aceitar a agonia da Crucificacgo porque acreditamos haver um sentido nela. Mas aceitar a bestialidade humana bruta ou a ma sorte n3o merecida e irrevogdvel 6 totalmente intolerdvel Para 0 ego, que é governado pela Razao. Auditério: Acho que é 0 diabo. Liz: Sim, 0 cristianismo tende a chamar isso de diabo. Auditério: Eu ia salientar que, depois que Cristo foi crucificado, desceu ao Inferno por trés dias. Acho que nunca ouvi uma explicacdo do porqué de isso ser parte do mito da Crucificag3o. Descende da teologia crista, onde anteriormente provaveimente tinha o seu lugar. Liz: A questao da descida ao Inferno novamente é apresentada do ponto de vista da Luz, porque 6 uma conquista do Inferno. H4 tanto material af que gostaria de ter tempo para me estender, para falar sobre © que essa escurid3o plutoniana pode ser na verdade, e porque ela nos Parece tao intolerdvel. 50 Auditério: Também acho que ha um elemento cadtico no mundo. Mas a maioria dos que escrevem sobre astrologia tendem a ver Plutao trazendo coisas terriveis, desagradaveis; rupturas, que no fim das contas terZo algum significado no cOmputo geral. Liz: Tenho certeza que sim, mas duvido que o significado seja o que entendemos. Veja, acho que estamos preparados para tolerar Pluto fa medida em que podemos dizer morte-e-renascimento, Enquanto esta claro o que se supe que seja o renascimento, enquanto vacé sabe que no fim de todo o caos 0 resultado vai ser bom, tudo bem. Mas quando o resul- tado nao parece ser bom pata vocé, ou quando no ha resultado, quando a vida o atinge com aigo doloroso, sem sentido e injusto, entao é muito diffcil fingir otimismo e alegria a respeito de Pluto. Tenho um palpite de que muitas das erupgées aterradoras, que surgem em dmbito coletivo, como a Alemanha nazista, ou qualquer multidao louca por sangue, quando uma coletividade inteira enlouquece, esto ligadas a Plutdo. E claro que isso esta dentro de todos nds. Nao é possfvel realmente rf Que essas coisas tém algum significado ou server a aigum objetivo espiritual ultimo. Elas so horriveis, e nos confrontam com o nosso horror. Hd um mistério aqui; ndo duvido de que , em aigum sentido muito profundo, tudo, mesmo esse tipo de caos, é parte de um todo, da divindade. Mas questiono a possi- bilidade de 0 ego humano reaimente saber do que se trata. Construfmos sistemas fiios6ficos para nos sentirmos melhor. E isso que Plat3o quer dizer quando fala que a Raz4o governa noventa e cinco por cento. Nunca vamos entender os outros cinco por cento, mas continuamos tentando achar razGes para eles. Deus puniu J6 sem razdo, 0 que preocupou Jung seriamente. Ele escreveu um livro angustiado chamado Answer to Job. Par que Deus se comportaria dessa forma terrivel com seu bom servo? Nao ha razdo, a ndo ser que Deus seja caprichoso. Jung achava que no fundo isso servia a um propésito, mas nZo tinha razao. Ha uma série de questdes sobre isso que no tém respostas. Acho que todas essas questGes estado ativadas Quando Pluto é tocado, e elas abrem um abismo debaixo de nossos pés. Se algo no seu mapa aspecta o meu Pluto, esse tipo de questdo comeca a ser levantado. Se a minha personalidade é muito orientada para a luz, $e acredito que no fim o espirito sempre triunfa e que tudo tem ordem e significado, vou achar essa experiéncia de Plut&o bastante assustadora. Nos eseritos de Warren Kenton sobre a Arvore cabalistica que mencionei antes, ele associa Plutdo com a sephira chamada da‘at, que significa 51 “nfo saber’. E 0 abismo, o buraco negro onde vocé vivencia as profun- dezas do desconhecido. Vale a pena ler os livros de Warren Kenton sobre a cabala.* Nos seus semindrios em Londres, ele mostra posturas fisicas que expressam os diferentes niveis da Arvore. O gesto que usa para da‘at € colocar as duas maos sobre os olhos eo rosto. Isso € porque vocé nio pode mais ver. Tudo que vocé pensou que sabia nao serve para nada. Acho que Plutdo est4 relacionado com a experiéncia do desespero. Isto no quer dizer que seus efeitos sejam realmente sem sentido. Mas é provavel que nunca consigamos compreendé-los totalmente, principal- mente enquanto ocorrem. & claro que esta ¢ uma questo muito impor- tante, quando surge num relacionamento. H& muitos retacionamentos que sao muito promissores no comeco, e de repente se tomam depres- sivos. Vocé, ou seu parceiro, entra em profunda depresséo. Nao ha razdo para essa depressdo. Nio parece possivel atribui-la ao que outra pessoa esté the fazendo. Simplesmente vocé descobre de repente que 0 chao sumiu debaixo dos seus pés, e vocé desaba na sua escuriddo. Também nao acho que esta seja a sombra pessoal do jargdo junguiano, em que o proble- ma é descobrir 0 que foi reprimido na sua propria personalidade. E muito mais profundo. Os relacionamentos sempre contém tanta esperanca — sfo nossos simbotos de esperanga no futuro, a criagao dos filhos do futuro! Nao é de surpreender que a maioria de nés evite encarar 0 problema do desespero e da desesperanga gerais da humanidade no momento exato em que deverfamos estar nos sentindo cheios de alegria. Auditério: Vocé faria uma ligacZo entre os cinco por cento de caos de que falou com a reencarnacao ou o carma passado? Coisas de que 0 ego nao estd muito consciente na vida atual? Liz: Vocé pode fazer essa ligacdo, se quiser. Se esse tipo de perspec- tiva Ihe é confortdvel, se funciona para voce, é to bom quanto qualquer outro, Claro que é razodvel. Mas tenho uma certa reserva em relacao a qualquer sistema que explica tudo. Pessoaimente, acredito em algum tipo de reencarnagdo. Mas 6 uma crenca pessoal, nao é uma observacdo ou uma experiéncia. Eu nao usaria essa crenca para explicar os mistérios da vida que nao consigo entender. Agora gostaria de juntar todos os fios, e talvez a gente possa comecar o debate. Relacionamentos muito compulsivos quase sempre apresentam * A Editora Pensamento, S30 Paulo, publicou Astrologia cabalistica desse autor. $2 fortes aspectos cruzados entre os mapas. Quando hd muitos aspectos fortes, acredito que a invocacdo das figuras psiquicas internas é muito intensa. Se hd um aspecto exato entre seu mapa e o meu, a imagem interior 6 constelada antes que eu tenha a oportunidade de perceber o que estd acontecendo. Ela emerge com tal poder que me torno compulsivo, ou obcecado, no relacionamento, embora geralmente eu va pensar que esteja obcecado por vocé, e nado pelo meu inconsciente. No fim das contas, isto no parece tornar um relacionamento mais ou menos operacional, mas significa que sua tendéncia é langar-se imediatamente dentro dele, em vez de considerar outras possibilidades. Quando a orbita do aspecto é maior, aparentemente as coisas demoram mais a acontecer, e 0 surgi mento das figuras é mais suave. Tenho muita relutancia em ler qualquer configuracdo entre dois mapas e prognosticd-ios em termos de benéfica/maléfica. J4 vi funcionar dos dois jeitos. Gostaria de recomendar muito, muito mesmo, que vocés evitassem o tipo de moralidade que julga o que acontece dentro de um relacionamento entre dois clientes. Se é o seu relacionamento, étimo; mas para muitas pessoas, as experiéncias da destruigao, da mdgoa, da frustracao, da restricfo, da traig3o e da solido sao necessarias e criativas. Vocé simplesmente n3o pode julgar do ponto de vista de “deve ser” e “nao deve ser”. A esse respeito, vou mencionar um mito que acho muito util, © casamento de Zeus e Hera. Para muita gente, esse 6 o casamento arque- tipico. Essas duas divindades nao podem viver uma sem a outra. Elas $30 irmio e irma, assim como marido e mulher. Zeus, é claro, 60 Jupiter grego, e sem divida se comporta como um Sagitério de manual. E conge- nitalmente promiscuo, pois simboliza a forga do espirito criativo sem discriminag3o e sem contencao. Ele é a parte bruta, ignea, sem fronteiras, do espirito masculino, no homem ou na mulher, Conseqdentemente, no mito ele persegue todas as mulheres que vé, porque representam uma nova possibilidade de criacdo. Ele planta sua semente criativa em dezenas de muiheres miticas, ¢ hd uma enorme lista da sua descendéncia, varios semideuses, herdis e monstros. A terra é povoada por seus bastardos. Seu espirito sempre precisa encontrar algo novo para fertilizar. No pélo oposto esté Hera. Ela é a deusa do lar e da casa, padroeira dos nascimentos, guardia da familia, Representa o que prende, através da emogao ou da responsabilidade. Os dois, é claro, est#o eternamente brigando. Zeus, o espirito, sai atrds de mais uma mulher, e Hera sai atras de Zeus. Ela 6 0 mundo da forma, exigindo que ele se cantenha. 53 Zanga-se e é vingativa com as amantes dele, mas 6 a0 mesmo tempo a Mae amorosa e generosa. Seu mais alto valor é a fidelidade, um sfmbolo muito profundo. E claro que no fundo o mito no estd falando de fideli- dade sexual literal, j4 que Zeus no é uma pessoa. Ele é a vida criativa, Hera é a limitacao da vida, sua forma. Ela é a limitagdo do relacionamento, como a retorta alquimica que fecha dentro de si a substancia cadtica, que assim pode se transformar. Sem Hera, Zeus nao passa de um balZo de ar. Ele é apenas o desperdicio indiscriminado da energia psiquica. E acho que Zeus nao estaria nem remotamente interessado em suas cons- tantes conquistas se nao tivesse uma esposa ciumenta. Toda a excitago vem do fato de que ele nao deveria estar agindo assim. E ela nio teria significado ou valor se nao fosse pelo marido que ela fica eternamente tentando trazer para casa. Assim, de alguma forma, essas duas figuras precisam ter uma a outra. Sem duvida representam um padrdo que vocé pode ver em muitos rela- cionamentos e em muitos niveis. Um tenta fugir e o outro tenta Prender, e as duas imagens pertencem as duas pessoas. Portanto, Zeus e Hera sé um casamento arquetipico, tanto de duas pessoas como de duas imagens ou pdlos dentro de uma pessoa. No fundo, no importa o quanto reclamem e 0 quanto achem sua situagdo frustrante, eles so deuses e doadores de vida, e toda a familia de deuses e de homens nasce deles. Acho que vale a pena lembrar o dilema deles antes de julgar um relaciona- mento do lado de fora. O que esta implicito é que sem a tensdo, 0 desafio e os problemas, nao haveria vida. E por isso que um problema dificil num relacionamento, ou um conjunto de assim chamados maus aspectos entre dois mapas, nio significa que se deva necessariamente descartar © relacionamento. Auditério: Vocé poderia falar sobre algumas das imagens basicas que vocé notou em pajses diferentes, e se a sua manifestacdo é diferente? Liz: Sim, e poderiamos também falar horas sobre isso. Parecem existir de fato imagens muito diferentes dos valores psiquicos nos diversos pa(ses. As imagens do ideal feminino e masculino, por exemplo, variam enormemente. Por baixo de tudo esté a mesma base comum. Mas 0 retrato americano da mulher ideal € muito diferente do inglés, do italiano, do francés, do alernao. Basta olhar as revistas de modae os filmes Para perceber isso. Provavelmente tem algo a ver com os hordscopos desses paises. Montando o horéscopo de um pais, vocé poderd aprender muito a respeito dos mitos e das imagens que operam naquele determinado coletivo. 54 Suspeito que seja por isso que alguns individuos precisam imigrar e passar de uma para outra cultura. Se uma imagem que é muito importante para minha psique nao pode ser conciliada com a cultura na qual fui eriada, posso ser impulsionada a procurar outro ambiente mais de acordo. E muito dtil ir ao cinema, ver televisdo, ler revistas, quando vocé deseja compreender o que diz 0 coletivo sobre suas imagens. O que estd na moda em um determinado periodo é uma expressao dos valores da psique coletiva, que pode reforcar ou conflitar as suas imagens individuais do masculino e do feminino e de outras facetas da vida. Prefiro o mapa que Dane Rudhyar propée para a América, em lugar do mapa tradicional com Gémeos no Ascendente. Seu mapa mostra Sagitario no Ascendente, © que me parece extremamente adequado. O Ascendente tem muito a ver cOMm 0 Nosso senso de propdsito da vida, com a visio que estamos buscando. Auditério: Vocé poderia dizer alguma coisa sobre os aspectos Marte-Saturno entre mapas? Liz: Se um de seus planetas cai no meu Saturno, o que ele vai acionar é a minha ferida. Saturno, no simbolismo alquimico, é a subs- tancia bdsica, a massa confusa, como era chamada. E a parte de mim que esté confusa e que ddi, o velho rei aleijado. E 0 lugar em mim onde me sinto estéril, confinada, de alguma forma mutilada. Saturno pertence ao lado escuro da vida. E uma drea da qual as pessoas ndo querem que Ninguém se aproxime, porque é onde se sentem profundamente prejudi- cadas e inadaptadas. Podem ser muito inconscientes do processo, 0 que © torna ainda mais doloroso. Portanto, o seu planeta vai me tornar muito consciente dessa parte dolorosa de mim. Mesmo que eu ja esteja cdnscia desse lado da minha natureza, ainda pode ser muito doloroso, mas pelo menos tenho uma oportunidade de ver como poderia ser valioso mostrar essa ferida a alguém e aprender a confidencid-la a outra pessoa. E a outra pessoa vai me forcar constantemente a trazer o meu lado aleijado para 0 relacionamento. Agora, se é o seu Marte que esté envolvido, ento 0 que vocé vai vivenciar 6 desejo, agressividade e raiva. Marte tem muitas faces. Por um lado, 6 a minha paixdo, aquilo que desejo. Jung tem uma defini¢ao simples e adoravel da masculinidade: saber o que se quer e fazer o que € preciso Para consegui-lo. Para mim, isso ‘caracteriza Marte. Agora, se 0 seu Marte est4 envolvido num aspecto cruzado, é muito provavel que o que vocé vai querer seja eu. Mas também existe raiva em rela¢do a qualquer coisa 55 que se coloque no caminho. Marte, afinal, 6 o deus da guerra Adora o desafio, a crise, a batalha, o sentimento de ter invadido e canquistado alguma coisa. Agora, 0 meu Saturno vai se certificar de que, embora vocé possa me querer, nunca vai me ter de verdade. Se vocé juntar essas duas figuras, Saturno vai se recolher e dizer: “Ah, nao, ele viu meu ponto fraco, ele sabe da minha dor.” E Marte responde: ‘Muito bem, o que temos aqui - um pouquinho de timidez? Hé um mistério sobre essa Pessoa, ela est4 me escondendo alguma coisa.” Marte vai tentar agitar as coisas, dernibar a barreira. Ele precisa tomar iniciativas, proceder as mudangas, O resultado, obviamente, é muito duvidoso. Depende muito de como as pessoas lidam com a questdo. Pode ser um aspecto muito dind- mico, mas geralmente a pessoa cujo Saturno esté envolvido sofre muito. Auditério: A tendéncia de Saturno é sofrer sempre no contato com Outros planetas? Qu isso depende do planeta? Liz: Acho que Saturno sempre sofre, embora nem sempre tenhamos consciéncia do ferimento. Em vez disso, desenvolvemos coisas como sinto- mas psicossomaticos. Saturno é um simbolo de sofrimento e solidgo. Representa as nossas limitacdes. Esta é uma situa¢3o arquet{pica, inerente a vida. Ha limites que vocé nao pode ultrapassar, coisas em voo’ que nunca se tornam perfeitas. Acho que se pode lidar com isso de muitas formas, E possivel aprender a viver com essas limitagdes, em vez de Jutar contra elas o tempo todo. Elas ainda doem, mas talvez nao tanto. Cada vez que as confronta, vooé se torna mais profundo e mais forte. A cada vez, voce amadurece, pois Saturno tem muito a ver com o Processo de amadureci- mento e conquista de forga interior. Mas acho que Saturno sempre machuca. Se perdéssemos a capacidade de ser feridos, estar’amos mortos para a vida. Auditério: Vecé poderia falar a respeito da possibilidade de transi- tos duradouros dos planetas exteriores ativarem o mapa de uma pessoa, de modo que ela se envolva num determinado tipo de relacionamento? Liz: Sim, sem divida isso acontece. Uma das maneiras pelas quais entendo a progressdo ou 0 transito é que chegou a hora de alguma coisa No mapa natal se tosnar viva. Se hd um transito sobre um dos Pontos Nodais no meu material psiquico bdsico, € como se alguma coisa estivesse dizendo: “Chegou a hora de isso emergir e viver.” Isso pode acontecer muitas vezes no decorrer da vida, com o transito de diversos planetas. A cada vez se desdobra um novo nivel daquele potencial basico. Assim, © que ocorre é que a imagem, o contetdo Psiquico, se projeta. Parece 56 que isso é a primeira coisa que uma imagem interior faz quando esta pronta para emergir na vida. Pode surgir primeiro nos sonhos, e se eu nao quiser ou nZo puder fazer nada a respeito — e geralmente as pessoas no podem, mesmo porque os sonhos sao to ambfguas — entao a imagem vai encontrar um objeto e se ligar a ele. Os planetas exteriores nunca passam sobre o mesmo panto do mapa mais que uma vez na vida, embora possam passar um longo periodo retrogradando sobre aquele ponto. E como se algo da psique coletiva tentasse se manifestar por nosso intermédio, querendo se desenvolver como um individuo caracteristico. Parece provocar uma enorme mudanca na pessoa. Essa pessoa nao vai apenas s@ apaixonar mais uma vez, ou entrar num relacionamento confuso mais uma vez. Toda a sua perspectiva de vida e sua postura em relagdo a si mesma sdo mudadas. Assim, se estou passando pela ativacdo de uma imagem com esse poder, e a pessoa que jd esta na minha vida nao deseja ou n3o quer receber essa proje¢ao, porque nao é capaz de se expandir ou de mudar de acordo com ela, entao vou ter de encontrar outro objeto. H& um enorme fascinio nos relacionamentos iniciados sob transitos de Urano, Netuno e Plutao, principalmente por Vénus, Sol e Lua. Parece envolver alguma coisa muito transpessoal, muito arquetipica. Vejo essa imagem poderosa no outro, e tento muito compulsivamente me envolver com ele, e o relacionamento vai me modificar. Esse tipo de traénsito geral- mente deixa muitos destrocos em sua trilha. E muito freqiente um relacionamento surgido durante um tal transito nZo exceder o tempo do transite, a nao ser que vocé tenha um minimo de consciéncia do que foi estimulado. Mesmo assim é dificil, Porque vocé se sente como se tivesse superado o que havia antes em sua vida. As vezes 6 preciso encarar o problema de voltar 4 vida dos mortais, porque a experiéncia dos planetas exteriores parece de sibito nos colocar dentro do mito. Eles agitam o espirito de uma maneira muito profunda Abrem novos horizontes, descobrem novas profundezas. Se vocé associa essas mudancas com a outra pessoa, entio obviamente esté Ihe dando um enorme poder sobre vocé. Mas acho que ajuda a reconhecer que a Outra pessoa 6 um catalizador, e nao a experiéncia magica por si mesma. Talvez qualquer pessoa um pouquinho capaz de receber a projecdo sirva como catalizador nesse periodo. As pessoas escolhem os parceiros mais estranhos durante esses transitos. As vezes o relacionamento tem alguma substéncia por baixo do fogo e da fumaga, as vezes no. Voltamos ao problema do mistério, j4 que é um mistério alguns relacionamentos 57 sobreviverem aos transitos e outros no. E como se vocé encontrasse um deus durante um transito de um planeta exterior, Abre-se uma fenda que da para um mundo muito estranho e excitante. Mas 0 mundo é humano, e depois de tudo vocé vai precisar ter um parceiro humano, Auditério: Como vocé vé um aspecto cruzado entre Saturno ea Lua? Liz: Bom, so posso repetir o que disse sobre Saturno quando falei dos aspectos Marte-Saturno. A Lua necessita e anseia; a Lua é a mae € 0 cuidado maternal. Assim, se o Saturno de alguém aspecta a minha Lua, a dinamica tipica entre eles é que Saturno mais uma vez se recolhe e a Lua se apega. Hé um tipo tlpico de didlogo: “Me deixa sozinho”, diz Saturno. “Mas sé quero ficar um Pouco com vocé”, impiora a Lua. E assim por diante. Ou Saturno pode se tornar muito critico, porque sente as necessidades da Lua e elas o fazem sentir-se desconfortavel. “Por que vocé sempre tem de fazer assim e assado?”, diz ele. Conheco um casal que tinha esse aspecto cruzado — Saturno da mulher em qQuadratura com a Lua do homem. Eta vivia reclamando que ele nZo tampava 0 tubo de pasta de dente. Vocés podem achar engrac¢ado, mas ela o Perseguia sem descanso, criticando todos os seus habitos pessoais. “Por que vocé tem de mastigar a comida desse jeito? Por que faz barulho quando toma café? Por que vocé larga a gilete usada na pia?’ e assim pordiante. Compreensive!- mente, ele acabou se separando dela. Mas Saturno faz isso para disfarcar © problema real. Hé alguma coisa a respeito das necessidades emocionais do outro que é perturbadora e assustadora. Satumo pode se sentir muito culpado por nao reagir, e quando vocé se sente culpado, comeca a punir @ pessoa que o faz sentir-se assim. Talvez esse homem tivesse muitas necessidades, e sua esposa tenha se amedrontado Porque ele solicitava a parte deta que estava aleijada. Talvez ela tivesse medo de realmente nao ser capaz de dar nada, invertendo entdo a situagdo e fazendo parecer que ele demonstrava egoismo através desses hébitos horrfveis. Esse é um exemplo t{pico da dinémica Lua-Satumo na sua pior manifestagao. Auditério: Vocé poderia falar sobre aspectos cruzados reciprocos de Satumo? Liz: A mesma figura é constelada nas duas Pessoas. Isso é tudo que se pode dizer. Nao se pode prever o resultado. Com dois Saturnos, os lados feridos das duas pessoas so avivados. Pode resultar em mutua simpatia: “‘Gragas a Deus encontrei alguém que entende meus medos e minhas insegurancas.’’ Ou pode haver uma reacdo negativa: “Nao suporto andar com essa pessoa porque a sua feidira me lembra muito a minha.” 58 Com o Marte de duas pessoas em aspecto cruzado, pode haver enorme desejo @ atracdo, mas também uma guerra sem quartel. “Primeiro eu'’, diz uma, e a outra responde: “Ah, nao, primeiro eul” E uma batalha entre vontades. Realmente nao da para saber como as pessoas vio lidar com esse tipo de experiéncia. Tudo que se sabe é que a mesma experiéncia psiquicaé desper- tada nas duas pessoas. Algumas vezes hd o problema de colocar a culpa, quando a mesma figura interior é constelada e nenhuma das duas pessoas a deseja. Geralmente é dificil para qualquer um dos dois pedir desculpas. Um ou outro acaba recebendo todaa projecdo: “’Vocé é que é briguento no nosso relacionamento.” “E sempre vocé que me deixa fora e se retira.”” Quando vocé vé esse tipo de dialogo, geralmente as duas pessoas estdo envolvidas. Mas uma se identifica com a figura, e é dificil romper com o padrio porque ha uma espécie de acordo entre os dois, um conluio. Mas, as vezes, esse tipo de aspecto proporciona uma tremenda proximidade. Vocé sente como se tivesse encontrado um amigo de verdade. Auditéria: Vocé disse, antes, que, quando um planeta exterior est4 transitando por alguma coisa no mapa natal, vocé tem de projetar isso no exterior. Liz: Ele se projeta. E o que geralmente acontece. Auditdrio: Entao nao é que vocé automaticamente se torne cons- ciente dele. E que precisa projeta-lo sobre outra pessoa. Liz: N3o & sempre outra pessoa, pode ser sobre alguma coisa. Mas a imagem se projeta. Ela deseja expressao. Nao, vocé nao se torna automa- ticamente consciente dela. N3o se torna automaticamente consciente de nada, A consciéncia é uma tuta. Auditério: Mas a imagem pode vir através do processo de trabalhar sobre si mesmo. Liz: Sim, ela pode achar expressdo através do trabalho criativo. Ou pode ser vivenciada através de um novo campo de trabalho, ou através de uma mudanca de ambiente, mudanca de casa, ou mesmo de pais. De uma forma ou de outra, ela vai emergir. A maioria das vezes, mas nao sempre, quando Vénus est4 envolvido, ela geralmente se confunde com um relacionamento. Os outros planetas proporcionam outros veiculos, Mas no é obrigatorio que saja um relacionamento no caso dos planetas exteriores, é sO uma ocorréncia comum. Auditério: Logo no comego, quando falou sobre os elementos, vocé disse que muitas vezes projetamos no relacionamento o elemento que falta. O que acontece se o mesmo elemento faltar para as duas pessoas? 59 Liz: O que geralmente acontece é que uma vai tentar fazer com que a outra desempenhe aquela fun¢ao no relacionamento. Algumas vezes isso fica incrivelmente engragado. Vocé tem duas pessoas com falta de terra, e ambas ficam esperando que a outra arrume as coisas para elas, e ficam bravas com os defeitos ou com a incompeténcia do parceiro em relacao as coisas praticas. E preciso manter o senso de humor, porque de outra forma pode haver uma guerra terrivel, a nao ser que o casal encontre uma terceira pessoa ou coisa para receber o que esta faltando. Essa terceira Pessoa, infelizmente, com muita freqiéncia, é um filho. O filho sempre vai precisar carregar o inconsciente dos pais quando eles sao carentes do mesmo elemento. O filho é forgado a agir como aquele elemento, mesmo que ndo combine com ele. As vezes, quando se tem consciéncia do proble- ma, hé uma tentativa de canalizé-lo para um objeto. Em alguns casos isso funciona. Se os dois tém falta de terra, por exemplo, podem comprar uma casa juntos, e a casa vai carregar o simbolo da estabilidade material, e assim, um nao vai querer que o outro manifeste sempre esse simbolo. Ou é possivel partilhar interesses de trabalho que supram o que esté faltando, o que vai também ser um tremendo elo entre os dois. Sem davida, vale a pena tentar, em vez de vaguear por ai 4 espera de uma terceira pessoa que venha carregar o fardo.