Você está na página 1de 9

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

SERGIO ALFREDO MACORE

IMPORTÂNCIA DA ÉTICA E DEONTOLOGIA PROFISSIONAL NOS SECTORES


DAS INSTITUIÇÕES PÚBLICAS E PRIVADAS EM MOÇAMBIQUE

PEMBA, 2020

SERGIO ALFREDO MACORE


Autor: Sergio Alfredo Macore Sergio.macore@gmail.com Pemba - 846458829
IMPORTÂNCIA DA ÉTICA E DEONTOLOGIA PROFISSIONAL NOS SECTORES
DAS INSTITUIÇÕES PÚBLICAS E PRIVADAS EM MOÇAMBIQUE

Trabalho apresentado a disciplina de Auditoria de


Gestão ao instituto Superior de Ciências e Educação
a Distância para obtenção de nota.
Tutor:

PEMBA, 2020

Autor: Sergio Alfredo Macore Sergio.macore@gmail.com Pemba - 846458829


ÍNDICE

1.Introdução................................................................................................................................3

2.Contextualização......................................................................................................................4

2.1.Teoria de base....................................................................................................................4

2.1.1.O ser humano nas organizações..................................................................................4

2.2.Conceito da Ética..............................................................................................................4

2.2.1.A Ética e o seu Significado.........................................................................................5

2.2.2.A Ética como Factor Relacional nas instituições públicas e privadas........................6

2.2.3.Os códigos éticos nas instituições públicas e privadas...............................................6

3.Conclusão.................................................................................................................................7

3.1.Recomendações.................................................................................................................7

4.Bibliografias.............................................................................................................................8

Autor: Sergio Alfredo Macore Sergio.macore@gmail.com Pemba - 846458829


1.Introdução

O presente trabalho de campo, insere-se num ambiente em que a Ética na filosofia clássica
não se resume apenas à Moral mas, busca a fundamentação teórica para encontrar o melhor
modo de viver e conviver, isto é, a busca do melhor estilo de vida, tanto na vida privada
quanto em público. A ética inclui neste caso, a maioria dos campos de conhecimento que não
são abrangidos na física, estética, na lógica, na dialéctica e nem na retórica. Assim, na
Electricidade de Moçambique, zona sul a ética abrange os campos que actualmente são
denominados antropologia, psicologia, sociologia, economia, em suma, campos que directo
ou indirectamente estão ligados ao que influencia na maneira de viver ou estilo de vida da
empresa.

No caso da Electricidade de Moçambique, zona sul ele foi aprovado pelo Conselho de
Administração, que também autorizou a sua emissão e actualização permanente necessária em
virtude das mudanças rápidas e profundas observadas no ambiente social. A actualização
desse Código permite a Electricidade de Moçambique, zona sul funcionar de forma
optimizada e transparente, para reforçar a confiança dos conselheiros, directores,
funcionários, doadores, fornecedores, autoridades e comunidades. Por outro lado, o Código de
Ética na Electricidade de Moçambique, zona sul formaliza em um único documento os
princípios éticos, unificados critérios e estabelece um quadro comum de referência que dá a
direcção para agir sempre de forma integral.

Em consonância com estudos dos costumes da conduta humana, a Electricidade de


Moçambique, zona sul influencia a Moral, estimulando a formação ou a transformação dos
princípios adoptados pelas sociedades, interferindo no comportamento ético dos indivíduos,
tanto na vida pessoal quanto na profissional. O objectivo geral deste trabalho é analisar a
importância da Ética e Deontologia Profissional nos sectores das instituições públicas e
privadas em Moçambique, caso da Electricidade de Moçambique, Zona Sul, em termos
específicos deste trabalho são falar importância de Ética Profissional para as empresas;
Identificar benefícios da Ética Profissional e Descrever a necessidade do estudo da Ética
Profissional.

Autor: Sergio Alfredo Macore Sergio.macore@gmail.com Pemba - 846458829


2.Contextualização

2.1.Teoria de base

Para entender as concepções de ética nos sectores das instituições públicas e privadas, se faz
necessário conhecer as concepções apresentadas na literatura até o momento. Sabe-se que a
ética está directamente ligada aos princípios e valores que determinam a conduta humana em
relação ao meio em que vive.

Segundo Aurélio Ferreira (2005, p. 383), a ética pode ser definida como “O estudo dos juízos
de apreciação referentes à conduta humana, do ponto de vista do bem e do mal”. Ou ainda,
segundo o mesmo autor, um “Conjunto de normas e princípios que norteiam a boa conduta do
ser humano”.

2.1.1.O ser humano nas organizações

Segundo Passos (2013), algumas doutrinas da administração fundamentam-se na crença de


que administrar consiste, especialmente, em controlar a energia humana a fim de colocá-la a
serviço dos interesses da organização. Essas doutrinas partem da compreensão de que as
pessoas só agem favoravelmente aos interesses organizacionais quando dirigidas, controladas,
punidas e recompensadas.

Nessa perspectiva, há variações extremas: de um lado, as doutrinas que defendem uma acção
enérgica e coercitiva; de outro, aquelas que argumentam a favor da maleabilidade. Já a
tendência intermediária defende o equilíbrio entre a firmeza e a suavidade.

No entanto, em todas elas o ser humano é colocado como alvo, e não como o fim para quem a
acção administrativa e a organização deveriam servir; ele é visto como o meio para a
satisfação dos interesses das organizações. Para entendermos melhor o assunto, iniciaremos
discutindo o conceito de ser humano.

2.2.Conceito da Ética

A ética é uma ciência que estuda a forma de comportamento nas sociedades, onde o bem-
estar deve estar em primeiro lugar; assim, podemos afirmar que a necessidade ética originou-
se com o homem em sociedade. O comportamento ético varia conforme o ambiente, a
situação e a cultura, mas está presente em nossas vidas o tempo todo, tanto nas relações

Autor: Sergio Alfredo Macore Sergio.macore@gmail.com Pemba - 846458829


pessoais, quanto nas profissionais; daí a importância de estudar a ética dentro do contexto
organizacional.

Para Rodrigues e Souza (1994, p.13): “A ética é um conjunto de princípios e valores que
guiam e orientam as relações humanas”. Esses princípios devem ter características universais
e precisam ser válidos para todas as pessoas e para sempre. Já segundo Vasquez (1985, p. 12):
“A ética é a ciência que estuda o comportamento moral dos homens na sociedade”.

2.2.1.A Ética e o seu Significado

Em qualquer dicionário corrente, podemos ver entre outras respostas quando nos
questionamos acerca do que é a ética, e encontramos inúmeras definições, “moral”, “diferença
entre bem e mal”, “comportamento bom ou mau”, “a ética é a ciência da moral”, para
citarmos apenas as que nos parecem mais adequadas para a reflexão deste texto. Do nosso
ponto de vista, associamos o termo “ética” à ideia de educação, formação humana, carácter
das pessoas, desempenho e postura na organização em termos de relacionamento (Ferreira &
Dias, 2005).

A ética no seu sentido etimológico é uma palavra que vem do grego ethos e define-se por duas
formas (Trigo (1999, p.225; Dias, 2004, p.85). a primeira, êthos”, refere-se ao modo de ser, ao
carácter, à realidade interior donde provêm os actos humanos. a segunda éthos, indica os
costumes, os hábitos ou o agir habitual; actos concretos que indicam e realizam o modo de ser
da pessoa.

A ética abarca as questões emergentes não só das tecnologias, do profissionalismo a nível de


conhecimento técnico e científico, os problemas do ambiente externo envolvente, mas
também, e não menos importante, as relações entre as pessoas. Hoje em dia não chega saber
fazer, é necessário saber ser, estar e saber Saber (Pereira, et al.2009, p.120).

Quanto mais altas as posições na hierarquia da organização, maior é a responsabilidade destas


pessoas, maior atenção devem prestar aos valores e aos comportamentos éticos, pois o
exemplo é mais forte do que as palavras por mais correctas que elas sejam têm pouco efeito,
quanto muito tornam-se inúteis.

Autor: Sergio Alfredo Macore Sergio.macore@gmail.com Pemba - 846458829


2.2.2.A Ética como Factor Relacional nas instituições públicas e privadas

A ética como factor relacional nas instituições públicas e privadas abarca as questões
emergentes não só das tecnologias, do profissionalismo a nível de conhecimento técnico e
científico, os problemas do ambiente externo envolvente, mas também, e não menos
importante, as relações entre as pessoas. Hoje em dia não chega saber fazer, é necessário
saber ser, estar e saber Saber (Pereira, et al.2009, p.120).

Arménio Rego, com uma vasta literatura sobre esta temática ligada à ética dos
comportamentos nas organizações, encontrou em estudos empíricos realizados em Portugal
uma dimensão designada por “harmonia interpessoal” que não se encontra na grande maioria
de estudos efectuados a nível internacional (2002, p.16). Para o autor esta dimensão
compreende-se pela lenta mudança da cultura nacional. De facto, a elevada propensão para as
relações sociais harmoniosas, a valorização da cooperação, a sensibilidade para comunicar de
modo indirecto e pouco claro, embora social é característico da cultura nas nossas
organizações.

2.2.3.Os códigos éticos nas instituições públicas e privadas

Cada organização possui os seus próprios códigos de ética, seja ela de que tipo for, a
organização estabelece regras que devem ser objectivas.

Tudo deve ser conhecido, não se pode cumprir o que não se conhece, ou então limitamo-nos a
generalidades que não servem a ninguém, esconder para depois se tirarem benefícios não é
uma boa atitude, é desonesto, são comportamentos antiéticos que são de rejeitar. Os códigos
servem para compromissos transparentes entre todos os participantes, isto é, a força de
trabalho, fornecedores, etc… conciliando o interesse de todos e valorizando o ser humano.

Deste modo, há razões para que gestores, directores, chefes das organizações considerem as
particularidades, tendo cuidado nos estilos de liderança, no modo como comunicam com os
seus colaboradores, como procuram motivá-los e como premeiam o seu trabalho. Justifica-se
o recurso a códigos de ética, adaptados a cada organização.

Autor: Sergio Alfredo Macore Sergio.macore@gmail.com Pemba - 846458829


3.Conclusão

Chegado o fim deste trabalho de campo, pode-se ver que, ser capaz de proporcionar
rentabilidade presente e futura e apresentar excelentes índices económicos e financeiros são
os desafios encontrados por todas as empresas, que estão se tornando cada dia mais difíceis de
serem alcançados. Com isto a Electricidade de Moçambique, zona sul buscam alternativas
para se fortalecerem no mercado, alternativas estas que muitas vezes vão em desencontro com
os padrões éticos geralmente aceitos pela sociedade.

O mercado esta sofrendo constantes transformações e para as empresas manterem sua


credibilidade não basta apenas oferecerem um produto de qualidade, embora seja primordial.
Os consumidores estão cada vez mais exigentes, ou seja, estão se direccionando para as
empresas que procuram devolver para sociedade uma parcela que a mesma contribuiu para
seu desenvolvimento.

Tendo em vista o acima exposto, conclui-se que o caminho a ser seguido pelas organizações
para atender todos os seus anseios é através da ética, da qual podemos observar que esta
conduta proporciona uma parcela grandiosa de vantagens para todos os envolvidos na
organização.

3.1.Recomendações

Para concluir, é recomendável que a Electricidade de Moçambique, zona sul os seus


colaboradores, antes de começarem a trabalhar em lugares com culturas e comportamentos
diferentes dos seus, se deixem submeter a certos questionamentos antes de tomarem quaisquer
decisões tais como: É Verdadeiro? Se não for, pergunte-se: - É Justo? Se não for, descarte
essa alternativa. Se for Verdadeiro, pergunte-se: - É Moral? Se não for, descarte essa
alternativa. Se for Moral, pergunte-se: - É Honesto? Se não for, descarte essa alternativa. Se
for Honesto, pergunte-se: - É Legal? Se não for, descarte essa alternativa.

Autor: Sergio Alfredo Macore Sergio.macore@gmail.com Pemba - 846458829


4.Bibliografias

1. Abrahamsson, Hans. (2001) Aproveitando a Oportunidade: espaço de manobra numa


Ordem Mundial em transformação, o caso de Moçambique. Padrigu-CEEI/ISRI:
Maputo.
2. AmaraL, DF. (2006). Curso de Direito administrativo. Volume I.3ª Ed. Coimbra,
Portugal.
3. Azevedo, Alfredo. (2007) “ Administração Pública Modernização Administrativa,
Gestão e Melhoria dos Processos Administrativos CAF e Siadap ”, Vida Económica:
Lisboa.
4. Bilhim, João. (2000) Ciência da Administração. Universidade Aberta: Lisboa. (2002)
Questões Actuais de Gestão de Recursos Humanos. Universidade Aberta: Lisboa.
5. Da Cruz, Adelino. (2002) A Reforma do Sector Público, in Eds. Macuane, José J.
&Weimer,Bernhard. (2003), Governos Locais em Moçambique: desafios de
capacitação institucional. Comunicações do Seminário Internacional. Maputo.
6. Lakatos, Eva Maria e Marconi, Andrade. Como elaborar projectos de pesquisa, 4ª ed.,
Atlas, São Paulo, 2002.

Autor: Sergio Alfredo Macore Sergio.macore@gmail.com Pemba - 846458829

Você também pode gostar