Você está na página 1de 51

Sistemas de Transporte

Animais de
Animais sem Difusão
pequenas
sistemas de entre
dimensões
transporte células
(processo lento) e simples
Nos animais mais
simples como
celenterados (hidras,
caravelas, medusas e corais; são
animais marinhos,
principalmente de regiões
costeiras de mares tropicais) ,
os platelmintas (planária,
ténia) e os nematelmintas
(lombriga, nemátodos), não
existe um “sistema
circulatório”
especializado.
Sistemas de Transporte
• Os fluidos circulantes abandonam os vasos e
passam para os espaços intercelulares,
regressando depois aos vasos (ostíolos).
Abertos • Como não há distinção entre sangue e linfa, os
fluidos designam-se de hemolinfa.
• A circulação é muito mais lenta, menos eficiente
na distribuição de oxigénio e nutrientes pelas
Sistemas de células e na remoção de tóxicos metabólicos.
transporte • Baixa taxa metabólica.

• O sangue nunca abandona os vasos por


onde circula.
Fechados • Há uma clara distinção dos fluidos que
banham as células (espaços intercelulares)-
linfa intersticial e o sangue.
Sistemas de Transporte
Abertos – alguns moluscos (invertebrados, marinhos e
Fechados
de água doce, corpo não segmentado) e artrópodes –insectos
(invertebrados, corpo segmentado, apêndices articulados)

hemocélio
Os insectos têm uma
elevada taxa metabólica.
A hemolinfa é desprovida
de pigmentos e não
participa na distribuição
de oxigénio.
Esta tarefa é executada
por estruturas
respiratórias (superfícies
respiratórias- sistemas de
traqueias).
 Adaptações estrutura
vs. função (evolução)
Circulação
Peixes
Simples
Transporte
nos
Vertebrados Incompleta
Circulação
Sistemas de
transporte
Dupla Anfíbios e alguns répteis
fechado
Completa
Sistema
cardiovascular Aves e mamíferos
Que mecanismos contribuem para a eficácia da circulação nos vertebrados?
1. Identifique diferenças ao nível da
estrutura do coração nos grupos
considerados.
2. Em que grupo(s) pode ocorrer mistura de
sangue venoso e de sangue arterial no
coração?
3. Comente a afirmação: “Com excepção dos
peixes, todos os vertebrados apresentam
circulação dupla”.
4. Qual dos sistemas lhe parece
funcionalmente mais eficaz?

1. Peixes- 2 cavidades- 1 aurícula e 1 ventrículo; Anfíbios (e répteis)- 3 cavidades- 2 aurículas e 1 ventrículo ; Mamíferos- 4 cavidades- 2
aurículas e 2 ventrículos.
2. Nos anfíbios e répteis;
3. Nos peixes o sangue percorre apenas um circuito- circulação simples. Em todos os outros e sangue descreve dois circuitos- pequena
circulação e grande circulação/ sistémica.
4. A dos mamíferos.
Tem sempre presente que:
 O sangue regressa ao coração através de VEIAS;
 Nas veias pode circular sangue venoso e sangue arterial;
 O sangue regressa ao coração entrando para as aurículas;
 O sangue sai do coração através de ARTÉRIAS;
 Nas artérias pode circular sangue venoso e sangue arterial;
 O sangue sai do coração, especificamente dos ventrículos;
 À excepção dos peixes, todos os vertebrados têm circulação dupla e…
 O sangue descreve sempre dois circuitos:
 Circulação pulmonar;
 Circulação sistémica;
Transporte nos Vertebrados

Como se processa a circulação


nos peixes?
Transporte nos Vertebrados
Transporte nos Vertebrados

Quando se diz que a circulação é simples?


 Em cada circuito, o sangue passa uma só vez pelo coração.
 Os tecidos recebem sangue arterial vindo das superfícies respiratórias e devolvem ao
coração (de duas cavidades - uma aurícula e um ventrículo) - sangue venoso.
 A chegada de nutrientes e oxigénio às células e a remoção de resíduos é pouco
eficiente, uma vez que o sangue flui com baixa velocidade e pressão para as células
dos tecidos e órgãos.
 Caracteriza os animais de respiração branquial, ou seja, os peixes e os anfíbios na
fase de larva.
Transporte nos Vertebrados

 Nos anfíbios, repteis, aves e mamíferos existe uma dupla circulação - pequena
circulação ou circulação pulmonar e uma grande circulação ou circulação sistémica.
 O sangue passa duas vezes pelo coração, permitindo uma velocidade e pressão
elevadas após a oxigenação.
 Nos anfíbios e a maioria dos repteis, o coração tem 3 cavidades, havendo, por isso,
mistura de sangue arterial e venoso, por isso, apresentam uma circulação incompleta ;
 Nas aves e mamíferos, o coração tem 4 cavidades, não havendo mistura de sangue
venoso e arterial, por isso, apresentam circulação completa ;
Transporte nos Vertebrados
 Nos anfíbios e na maioria dos répteis, a
circulação é fechada, dupla incompleta.
 Os dois tipos de sangue passam pelo
mesmo ventrículo, acabando por se
misturar.
 Contudo, o ventrículo único dos répteis é
parcialmente dividido pelo septo de
Sabatier, o que torna essa mistura de
sangue arterial e venoso apenas parcial.
 O sangue arterial que flui para os tecidos
do corpo dos répteis possui mais
oxigénio do que o sangue arterial
recebido pelos tecidos dos anfíbios.
Transporte nos Vertebrados

 A circulação nos répteis crocodilianos (


crocodilos e jacarés), é diferente da dos
outros répteis.
 O ventrículo desses animais é completamente
dividido e o coração possui quatro câmaras:
dois átrios e dois ventrículos.
 Entretanto, há uma comunicação entre as
artérias pulmonar e aorta, para casos de
emergência, o forame de Panizza, pelo qual
ainda ocorre mistura de sangue arterial e
venoso.
 O coração das aves e dos mamíferos tem quatro cavidades: dois átrios e dois
ventrículos, sendo chamado de tetracavitário.
 A circulação é fechada, dupla e completa.
 A diferença entre o coração das aves e dos mamíferos é que a artéria aorta das aves, que
encaminha o sangue arterial para o corpo, é curvada para o lado esquerdo do coração.
Transporte nos Vertebrados

 Circulação Dupla Completa ocorre quando


não há mistura do sangue venoso com o
sangue arterial.
 É característico das aves e mamíferos.
 Este tipo de circulação apresenta maior
disponibilidade de oxigénio e,
consequentemente, aquisição de níveis
metabólicos mais elevados, traduzindo
uma maior capacidade energética, que
pode ser aproveitada para a manutenção
da temperatura corporal constante

(homeotermia).
Transporte nos Vertebrados

GRUPO CAVIDADES CIRCULAÇÃO

Peixes 2 Simples

Anfíbios 3 Dupla incompleta

Répteis 3(alguns 4) Dupla incompleta

Aves 4 Dupla completa

Mamíferos 4 Dupla completa


Transporte nos Vertebrados

GRUPO CAVIDADES CIRCULAÇÃO

Peixes 2 Simples

Anfíbios 3 Dupla incompleta

Répteis 3(alguns 4) Dupla incompleta

Aves 4 Dupla completa

Mamíferos 4 Dupla completa


Transporte nos Vertebrados

GRUPO CAVIDADES CIRCULAÇÃO

Peixes 2 Simples

Anfíbios 3 Dupla incompleta

Répteis 3(alguns 4) Dupla incompleta

Aves 4 Dupla completa

Mamíferos 4 Dupla completa


Transporte nos Vertebrados

http://anacristinabioifes.wordpress.com/category/uncategorized/

http://www.youtube.com/watch?v=Hf23USnHDjc&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=Hf23USnHDjc&feature=related
Observe o esquema e responda às questões seguintes.
a b c d 1. Identifique os vasos
sanguíneos referenciados
pelas letras a a d.
2. Compare a espessura do
miocárdio ao nível das
aurículas e ao nível dos
ventrículos.
3. Relacione a espessura da
parede dos ventrículos
com as funções que estes
desempenham.

1. a-Veia cava superior e inferior; b- artéria aorta; c-artéria pulmonar; d- veias pulmonares.
2. A parede dos ventrículos é mais espessa do que a parede das aurículas. A nível dos ventrículos, a
parede do lado esquerdo é muito mais espessa do que do lado direito.
3. A parede do v.e. é muito mais espessa para impelir o sangue com mais pressão e velocidade, uma
vez que terá que chegar a todas as células (circulação sistémica).
Observe o esquema e responda às questões seguintes.
4. Por que é importante a existência de válvulas no
coração e nas artérias?

4. Existem as válvulas bicúspide ou mitral (lado


esquerdo) e a tricúspide (lado direito).
Estas válvulas têm uma determinada orientação, a
qual condiciona a direcção do fluxo sanguíneo,
impedindo o respectivo refluxo.
Existem também as válvulas semilunares à entrada da
artéria aorta e das artérias pulmonares que, tal como
as anteriores, impedem o refluxo sanguíneo.
Observe o esquema e responda às questões seguintes.

5. Indique todas as estruturas envolvidas:


5.1. na circulação pulmonar.
5.2. na circulação sistémica.

5.1. v.d. artéria pulmonar  capilares (hematose)


 veia pulmonar  aurícula esquerda.
5.2. v.e. artéria aorta  capilares/tecidos
(hematose)  veia cava  aurícula direita.
Observe o esquema e responda às questões seguintes.

6. Como interpreta a variação


global da pressão sanguínea no
decurso da circulação?
7. Quais os valores de pressão máxima e mínima a nível da aorta (B)?
8. Refira uma vantagem da baixa velocidade do sangue a nível dos capilares.
6. O sangue é bombeado para as artérias, após a sístole ventricular. À medida que o sangue
se afasta vai perdendo pressão, sendo esta mínima a nível dos capilares.
7. Aproximadamente 120mm Hg e 80 mm Hg.
8. Permite uma melhor eficácia nas trocas a nível dos tecidos/células, envolvendo o sangue
e o fluido intermediário que é a linfa intersticial.
Sangue vindo do coração
Válvulas venosas
 Músculos esqueléticos;
 Válvulas venosas;
 Movimentos respiratórios;
 Diástole auricular/baixa
pressão;
Um enfarte do miocárdio (ou ataque cardíaco) ocorre quando a corrente sanguínea das
artérias coronárias que irrigam o coração fica bloqueada.
Esta obstrução geralmente deve-se a um coágulo que se constrói a partir de placas
aterosclerótica.
Como resultado, o músculo cardíaco já não recebe o oxigénio suficiente e as células do
miocárdio destituídas de oxigénio começam a morrer (necrose).
Diapedese dos glóbulos brancos
Qual a sua
origem?

Comente: “A
vida das
células
depende da
renovação
da linfa
intersticial”
1. Compare a pressão sanguínea e a pressão osmótica nas duas extremidades do capilar.

1. Na porção arterial do capilar, a pressão do sangue é maior que a pressão osmótica do


plasma  saída de água contendo substâncias dissolvidas. Na porção venosa do
capilar, a pressão do sangue é reduzida, tornando-se menor que a pressão osmótica do
plasma  ocorre retorno de fluido para o interior do capilar.
Capilares
linfáticos Capilares
sanguíneos
(rede pulmonar)

Vaso
linfático
Gânglio
linfático

Capilares
sanguíneos
(rede sistémica)
 Nódulos ou gânglios linfáticos têm a função de
filtrar a linfa e eliminar corpos estranhos que
ela possa conter, como vírus e bactérias.
 Neles se concentram linfócitos, macrófagos e
plasmócitos.
 Estas células proliferam quando é detectada a
presença de bactérias ou substâncias
/organismos estranhos, o que determina o
aumento do tamanho dos gânglios, que se
tornam dolorosos, formando uma íngua.
Sangue
Afinal o que é o Meio
Linfa circulante
interno?
Fluido intersticial (Linfa intersticial)
 Transporte de nutrientes provenientes do tubo digestivo e
mobilização de reservas até às células;
 Transporte de oxigénio desde as superfícies respiratórias até
às células;

Funções  Remoção de substâncias provenientes da actividade celular;


 Transporte de hormonas;
 Transporte de substâncias /materiais coagulantes;
 Defesa do organismo;
 Regulação temperatura corporal;

Você também pode gostar