Você está na página 1de 3

http://www.jesussite.com.br/acervo.asp?

Id=1373
Existe alguma verdade no que os defensores da igreja em células dizem. Precisamos de
outros cristãos. Não podemos resistir sozinhos; então peça que o Senhor o conduza
àqueles que pensam do mesmo modo como você pensa. Como veremos no próximo
capítulo, Jesus fala sobre nós sermos a videira, não uma árvore. Cada cristão está
diretamente conectado à Videira. Os artelhos recebem ordens da cabeça, não do pé. Não
existe hierarquia de autoridade sob a Nova Aliança. Cada membro do corpo precisa
funcionar. Não são ofícios eletivos nem posições, mas funções de vida. Nenhum membro
é maior nem melhor que o outro. Não estão conectados por pertencerem à mesma
organização, mas por compartilharem uma vida comum e essa vida deve ser expressa de
CADA membro para o outro.

Ao contrário das discussões guiadas pelos líderes do "grupo da célula", deveríamos


aprender a seguir a liderança do Espírito Santo. Deveríamos olhar firmemente para Jesus,
para Quem Ele é e o que está fazendo em nossas vidas. Pelo que você precisa agradecer?
Em outras palavras, quais as experiências reais, atuais e novas que tem no seu
relacionamento pessoal com Jesus Cristo? Se você não tem experiência alguma, seria
melhor voltar ao comitê. O que será do Seu corpo, se as pessoas não estiverem
compartilhando o que Ele tem feito em suas vidas, visto como Ele está vivo em seus
santos? Seria preferível escutar o que o Senhor fez esta semana, na vida de dez "donas de
casa" e como o Senhor está tratando com elas, do que escutar um eloqüente pastor
treinado num Seminário. Deus está (ou deveria estar) tratando conosco, todo dia. Mas se
Ele não for ativo em sua vida, é melhor que você corra a entreter-se em adoração, em
algum grupo ou com algum pastor. Vá lá, sente-se e cole os ouvidos, junto com as
massas, enquanto é alimentado com leite e mediocridade provindos do púlpito. Quando
você começa a escutar a voz dEle, permitindo que Ele se revele e trate com você, então
vai ter muito o que compartilhar numa reunião com outros cristãos, os quais também
tenham idênticas experiências.

A verdadeira "vida da igreja" depende da união das várias partes vivas do corpo. Se cada
membro foi "vivificado", experimentando o Senhor cada dia, algo maravilhoso acontece,
quando os cristãos se reúnem. Quando, porém, o cristão está "morto", ele só pode mesmo
esquentar um banco na igreja ou em outro lugar. Não se trata de encontrar um momento
certo para se encontrar. Nem como isso é feito. Não se trata de ter-se "preparado para um
ajuntamento", não se trata de forma ou método... Trata-se da vida em Cristo. Você está
espiritualmente vivo ou morto? A igreja está repleta de cadáveres espirituais e de bons
atores.

Quando temos um vibrante relacionamento com o Senhor, temos muito para compartilhar
e nos edificar mutuamente. Quando não temos um novo relacionamento com Ele,
sentimo-nos culpados e vazios, criticando os outros e nos aborrecendo. E quando não
recebemos o alimento e os cuidados desejados, logo ficamos zangados. Não existe um
projétil mágico, nenhum sistema ou organização, nem forma de reunião. A legítima "vida
da igreja" deve ser espontânea e liderada pelo Espírito - não organizada num programa
escrito para se seguir uma forma ou modelo de adoração.

Você pode cantar ou não. Pode simplesmente compartilhar experiências.


Pode orar espontaneamente, ler a Palavra ou compartilhar o que o Senhor fez
em sua vida ou lhe mostrou durante a semana. Então vai descobrir como
tudo se encaixa, pois o Espírito Santo vai conduzi-lo e a maioria de suas
reuniões seguirá usualmente um tema (por Ele selecionado). Você vai ficar
maravilhado, quando notar que todos tiveram idênticas experiências.

Você não pode fingir. Se o Senhor trabalhou em sua vida durante a semana, vai ter algo
para compartilhar, para O louvar, para agradecer-Lhe, compartilhando como Ele o tem
usado, etc. Se você for hipócrita, vai sentir isso e os outros também sentirão. Saiba que
Igreja do Senhor está exatamente onde dois ou três se reúnem em o Seu Nome. É
agradável estar com vinte ou trinta pessoas, mas não se trata do número de pessoas, mas
do fator "vida". Se você conta "estórias" de como o Senhor agiu com você há 20 anos, ou
fala sobre o último livro que leu, isso não funciona. Esta é a revelação de outra pessoa.
Você precisa do maná fresco, diariamente, senão ele mofa. Experimente o Senhor cada
dia. Não confie no que Ele lhe fez há 10 anos, quando mal está se mantendo de pé, neste
momento.

Reuniões não dependem de um líder orientando você através de um série de perguntas


objetivadas a conduzi-lo a uma lavagem cerebral. Elas dependem de sua capacidade de
sentir a liderança do Espírito Santo e segui-la. Uma vez, Ele poderá conduzi-lo a louvar e
agradecer, ou apenas a orar. Outra vez, a um aberto compartilhamento sobre o que o
Senhor fez em sua vida. Focalize o que é novo, vivo e real, não algo que tenha lido ou
escutado de outras pessoas. Se houver uma pessoa musical, então cante! Ótimo! Não
existe uma forma escrita, que seja certa ou errada. Imagine estar apertado dentro de um
cômodo, com um chão encardido e pouca luz, junto com outros cristãos primitivos, numa
grande descrição de um encontro da igreja primitiva, conforme Efésios 5:18-20:

"E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito; falando entre
vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração;
dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo"

Os primeiros cristãos podem ter sido perseguidos, mas cantavam, compartilhavam e


davam graças. Precisamos gastar menos tempo falando do que aprendemos com os
outros, fofocando e nos queixando, e mais tempo dando graças e olhando à frente, para o
Senhor e para o que Ele está realizando agora em nossas vidas. Então, nossas reuniões
serão ricas e significativas.

Os versos acima nos ordenam a nos submetermos uns aos outros, não em termos de
hierarquia ou de posição. A Bíblia fala de atitude, espírito e respeito mútuo e das
necessidades de todos os membros do corpo. Paulo fala da Igreja, nos seguintes termos,
em Romanos 12:3-8:

"Porque pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do
que convém; antes, pense com moderação, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um.
Porque assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma
operação, assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos
membros uns dos outros. De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada, se é
profecia, seja ela segundo a medida da fé; se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja
dedicação ao ensino; ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com
liberalidade; o que preside, com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria".

Ele não fala de opiniões nem de posições, mas de funções. Somos membros do mesmo
corpo, mas com diferentes funções e para que haja um corpo saudável cada membro
deveria ter a sua função. Você não precisa ingressar numa Escola Bíblica ou num
Seminário. Não deveríamos pensar tanto em nós mesmos, porém reconhecer a medida de
cada membro. Cada um deve funcionar conforme os seus dons e com a vida que Deus lhe
deu. Não existe hierarquia, apenas funções diferentes. Nenhum membro é mais
importante do que o outro e ninguém deve "governar" sobre os outros.

Tudo isso é apenas um eco distante das igrejas em células. Em seguida, vamos passar ao
estreitamente controlado Movimento dos Apóstolos e Profetas [capítulo 10], onde
veremos como tudo está inteiramente conectado.

"Spiritual Counterfeits - The Cell Church",


Capítulo 9 do livro "Recognizing the Deception".
Dene McGriff/Mary Schultze, setembro 2006