Você está na página 1de 366

Ableton Live 9 Power!

O guia completo

Jon Margulies

Cengage Learning PTR


Ableton Live 9 Potência !: A Comprehensive Guia Jon
Margulies

Publisher e General Manager, Cengage Learning PTR: Stacy L. Hiquet

Diretor Associado de Marketing: Sarah Panella

Gerente de Serviços Editoriais: Heather Talbot

Gerente de Marketing Sênior: Mark Hughes

Aquisições editor: Orren Merton

Projeto e cópia editor: Marta Justak

Avaliador Técnico: Brian Jackson

Interior da disposição da tecnologia: MPS limitada

Cover Designer: Mike Tanamachi

indexador: Larry Sweazy

revisor: Megan Belanger © 2014

Cengage Learning PTR.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. Nenhuma parte deste trabalho coberto por direitos de autor aqui pode ser reproduzida, transmitida,
armazenada ou usada de qualquer forma ou por qualquer gráfico meio, eletrônico ou mecânico, incluindo mas não limitado a fotocópia,
gravação, digitalização, digitalização, gravando, Web distribuição, redes de informação, ou informações de armazenamento e sistemas de
recuperação, exceto conforme permitido pela Seção 107 ou 108 dos Estados Unidos Copyright Act 1976, sem a prévia autorização por escrito do
editor.

Para informações sobre produtos e assistência tecnológica, entre em contato conosco pelo Cengage Learning Cliente &
Suporte de Vendas, 1-800-354-9706

Para obter permissão para usar material deste texto ou produto, enviar todos os pedidos on-line em
cengage.com/permissions
Outras permissões perguntas podem ser enviadas para permissionrequest@cengage.com

Ableton, Ableton Live, Operador, Sampler, e empurre são marcas comerciais da Ableton AG. Mac, o logotipo do Mac, Mac OS, Macintosh e
QuickTime são marcas comerciais da Apple Computer, Inc., registradas nos os EUA e outros países. O logotipo Unidades de áudio é uma
marca registrada da Apple Computer, Inc. Windows, Windows 2000, Windows XP e DirectX são marcas registradas da Microsoft
Corporation nos Estados Unidos e em outros países. Intel é uma marca registrada da Intel Corporation ou suas subsidiárias nos Estados
Unidos e em outros países. Sonivox é a marca nome de marca do Sonic Network, Inc. VST é uma marca registrada da Steinberg Media
Technologies GmbH. ASIO é uma marca e software da Steinberg Media Technologies GmbH. ReWire e REX2 são marcas comerciais da
Propellerhead Software. Mackie Control é uma marca registrada da LOUD Technologies, Inc. Todos os outros nomes de produtos e
empresas são marcas comerciais ou marcas registradas de seus respectivos proprietários. Todas as imagens © Cengage Learning salvo
indicação em contrário.
Biblioteca do Congresso de controlo do número: 2013932037

ISBN-13: 978-1-285-45540-2 ISBN-10: 1-285-45540-1-ISBN-10:

1-285-45541-X

Cengage Learning PTR

20 Canal Center Street

Boston, MA 02210 EUA

Cengage Learning é um fornecedor líder de soluções de aprendizagem personalizadas com escritórios ao redor do globo,
incluindo Singapura, Reino Unido, Austrália, México, Brasil e Japão. Localize seu escritório local em: international.cengage.com/re

produtos Cengage Learning estão representados no Canadá por Nelson Educação, Ltd. para as suas soluções de

aprendizagem ao longo da vida, visita cengageptr.com

Visite nosso website corporativo em cengage.com

Impresso nos Estados Unidos da América 1 2 3 4 5


6 7 15 14 13
Agradecimentos

Muito obrigado a todos a quem eu tive o prazer de trabalhar com este livro: Marta Justak para mim editar e certificando-se que faz
sentido, Brian Jackson para saber realmente o seu coisas e ser um grande editor técnico, e Orren Merton por me dar a chance de fazer
este livro e supervisionando o projeto. Eu também gostaria de estender minha gratidão aos povos finos em Ableton por todo o apoio,
especialmente Dennis DeSantis que estava sempre disponível para responder perguntas e chutar em torno de conceitos complicados.
Sobre o autor

Jon Margulies é um produtor e realizando artista que tem sido chamado de “Mr. Miyagi”do Ableton Live. Um músico e
computador assistente profissional ao longo da vida, Margulies se apresentou como “Hobotech” em festivais como Coachella,
SXSW, Winter Music Conference, e Burning Man. Ele é o autor de Ableton Live 7 Power! e Ableton Live 8 Potência !, e co-autor
de seu Ableton Live Studio.
Visita hobo-tech.com para as últimas dicas Ableton Live de Jon e downloads de música.
Conteúdo

Introdução

Capítulo 1 ao vivo 9

O que é ao vivo?

O que define viver separados?


Metas do livro Os Arquivos
online

Capítulo 2 Introdução ao vivo Instalação e Uso

Requisitos de sistema
Requisitos do sistema do Ableton Live para Macintosh
Ableton Live 9 Power! 'S Requisitos do Sistema de
Recomendações Mac Ableton Live para PC
Ableton Live 9 Power! Recomendações de PC 's instalação,
execução e atualização em tempo real 9
Instalação ao vivo Tips (Mac OS X) Instalação
ao vivo Tips (Windows) Atualização ao vivo

Especificações básicas do computador Audio


Interface Specs
O que você precisa saber sobre ASIO Drivers? Escolhendo um
controlador MIDI Configuração de preferências Live

Olhar / sentir

Áudio

Arquivo MIDI /

Sincronização /

Library Pasta

A Record / urdidura Tab / Lançamento O


Tab CPU
Licenças / Manutenção

Capítulo 3 ao vivo interface Basics


Antes de começarmos…

Mostrando e ocultando
Trabalhando com botões, controles deslizantes e caixas de

comandos de edição comum menus de contexto O

Informações ver a Ajuda Ver Session View


Tracks grade clipe de
entalhe e Cenas A cena
Lançador O misturador

arranjo Ver
Relação ao Ver Session The
Arrangement Mixer Clip View e
Track View
O Clip View O
Track View O
Navegador
Categorias e lugares a barra
de controle
Tempo, Time Signature, e Quantização
Quantização
Controles de transporte

Punch In / Out e Arranjo de Loop


Desenhe Mode, teclado de computador MIDI, Key e MIDI Map, o desempenho do sistema, e MIDI I / O MIDI e teclado de
computador Remote Control Overview

Gerenciamento de arquivos

Conjuntos e projetos de

economia do Live Set Recolha

Todos e Salvar

Capítulo 4 Making Music Live


Clipes e faixas
criando Tracks
Faixas de áudio e MIDI faixas clipes
Compreensão
Adicionando arquivos a partir do navegador da

organização e Navegação Recording

Gravação em Session View Session


Record botão Arranjo Botão Gravar
Gravação em Arranjo Ver MIDI Overdub

Overdubbing na Session View


Overdubbing em Arranjo Ver Gravação de
automação com cenas

arranjo Ver
Gravar a partir de sessão em Arranjo Voltar ao
Dispositivo de transporte e de navegação

Localizadores e tempo muda assinatura


Arranjo Edição Automation Edição Fades

exportação de áudio

Capítulo 5 Clipes
Propriedades comuns de clipes
O clipe Box The
Launch Box sample /
Notas
Editar vários clipes clipes
MIDI
Clipes edição MIDI
ajustar a grelha
Edição de Notas e velocidades MIDI
edição Botões
Quantificando o seu desempenho Passo
Programa de gravação Alterar

Importação e Exportação clipes arquivos MIDI


áudio
A Amostra Box
Warping
Clipe Modulation
Clipe de modulação propriedades de áudio MIDI

controlador de envelopes Os envelopes sem vínculos de

áudio para MIDI

Convert to New Faixa MIDI Slice


para Nova Faixa MIDI sulco

Capítulo 6 Faixas e roteamento de sinais


O Mestre pista de retorno

Tracks Grupo faixas de

áudio de roteamento

Submixing e Multing
Resampling
Virtuais Saídas
Saídas Externas
Avançada MIDI Routing
ReWire
mestres
Slaves
Usando ReWire com o Live
Usando Live como um ReWire Mestre usando o

Live como um ReWire Slave

Capítulo 7 Utilizando efeitos e Instrumentos


Tipos dispositivo

usando Devices

De navegador para trilha Dentro


do Track View Inserir vs. Send /
Return Usando Efeitos de
retorno Gerenciando Presets
hot-swap Racks

Cremalheira

Chains Basics

Controles macro
Zones
Congelamento e achatar Delay

Compensation

Capítulo 8 da Vivo Instruments


Princípios gerais
Modulação
LFOs e Envelopes
Filtros
Global Parâmetros
Impulse
Entalhes de exemplo

mais simples

Visão geral da Interface do


Operador
Visão geral da interface Criando e
Shaping Sounds Sampler

O Tab Zona do Tab


Amostra
The Pitch / Osc Tab O
Filtro / global Tab O
Modulation Tab O Tab
MIDI
Importando Third-Party Instruments O AAS
instrumentos elétricos

Mallet
Fork
Damper
tensão
global
Captura
Excitator
Damper
Cordas
Rescisão e Corpo captador

Filtro / global
Analog
Osciladores e Noise Filtros e
Amplificadores Filtros e Envelopes
Amp LFO global de colisão

Excitators
ressonadores
Drum Rack
Pads e correntes
Configurações Avançadas
MIDI Routing Choke
Grupos Envia e
Devoluções External
Instrument

Efeitos de áudio do Capítulo 9 Vivo


EQ e filtros
Filtrar EQ
Eight EQ Três
Auto
Processamento dinâmico

Compressor
Maquiagem, ganho de saída, e Dry / Wet Sidechain
Portão

Compressor de cola
limitador
Multibanda Dynamics efeitos
de atraso
Simples Delay Ping
Pong Delay filtro
Delay Grain Delay
Reverb

Efeitos de modulação
Chorus
Phaser
Flanger
Distorções
Overdrive
Saturator
Erosão Dynamic
Tube Redux

Vinyl Distortion
Diversos
Amp e Gabinete Auto
Pan batida Repita
Corpus

Frequency Shifter
ressonadores Spectrum
Utility Vocoder

External Áudio Efeito


Looper

Capítulo 10 Efeitos MIDI da Vivo


Arpeggiator
Estilo
sulco
Reter
offset
Taxa e sincronização
Portão

Retrigger
Repete
Transposição Controls
Velocity Chord

Nota Comprimento

de Pitch

Escala
aleatória
Velocidade

Capítulo 11 de controlo remoto


A activação do controlo remoto

Setup Control Surface Mapeamento

instantâneo manual Configuração

Controlador

Remoto Mapeamento O

mapeamento navegador

Mapeamentos Especial

Remoto Controle Plug-In Devices sobre

controladores MIDI PushGetting Iniciado

Tambor de programação Modo

de Notas Modo de Dispositivo

Trabalhando com Plug-Ins

Capítulo 12 tocar ao vivo ... Vivo


O híbrido DJ e Remixer
Preparação das Técnicas de
áudio de desempenho
Bandas ao vivo e outros conceitos de desempenho
Clique em

Controlar Tap

Tempo Efeitos ao vivo

Real-Time laço Camadas


Teatro

Capítulo 13 ao vivo 9 Power!


Getting Your Groove On Clipe
Clinic Cuttin'
Aproveitamento Siga Ações Minimização
de desempenho Modelos Strain

Arrastar-e-soltar Importação e Exportação Defaults

Marcando para Vídeo

Importando janela de
vídeo do Vídeo
Mantendo Som e Vídeo em sincronia Saving /

Exportando arquivos Gerenciando

Gerenciar Set
Gerenciar projeto Max
for Live
Tambor Synths

Moduladores

sequenciadores

Convolução Reverb Adicionando

mais dispositivos Parting

pensamentos

Índice
Introdução

Ableton Live 9 Potência !: O guia completo é um guia com tudo incluído para fazer música com o software de desempenho e estúdio ao vivo
revolucionário de Ableton. Escrito para todos os usuários ao vivo, desde iniciantes até profissionais experientes, este livro explora cada
característica fundamental no Live, embora ele faz presumir uma familiaridade básica com tomada de música e áudio digital. Este livro
destina-se a complementar e expandir as informações incluídas no manual e built-in aulas, por isso não se esqueça de tirar vantagem
desses grandes recursos Live. Finalmente, este livro também inclui materiais para download, que podem ser encontrados em www.hobo-tech.c
.

O que você vai encontrar neste livro

Você vai encontrar as seguintes áreas abordados neste livro:

Compondo, arranjando, e mistura música com Live.


Usando da Vivo embutidos instrumentos e efeitos, e trabalhar com plug-ins. Tocando com ao

vivo no palco.

informações essenciais sobre o Vivo add-ons incluindo Max For Live eo controlador de hardware empurrar e muito

mais!

Quem Esta é para o livro

Este livro é para quem quer uma base sólida no uso de Ableton Live. Enquanto ele contém todas as informações básicas necessárias por
iniciantes, ele também investiga temas mais profundos, fornecendo dicas do mundo real e exemplos para usuários avançados.

Como este é organizado Livro

Este livro começa com uma visão geral dos conceitos mais importantes da Vivo, explicando aspectos essenciais da interface e delineando
fluxo de trabalho exclusivo do Live. Os seguintes capítulos fornecer um guia de referência detalhada e altamente prático para tópicos, tais
como grampos, pistas, dispositivos de controlo, e de hardware. Os capítulos finais do livro são dedicados a conceitos importantes para
técnicas avançadas úteis desempenho e.

Companion Website Downloads

Você pode baixar os arquivos do site companheiro de www.hobo-tech.com/livepower ou


www.cengageptr.com/downloads .
1Live 9

E MUITO Então, muitas vezes, uma nova peça de tecnologia ou aplicativo de software faz uma marca indelével na maneira como as coisas são feitas. do
Ableton Live tem instigado uma revolução no mundo do software de áudio, transformando os computadores em instrumentos musicais jogáveis, sem
sacrificar o poder que as estações de trabalho de áudio digital são conhecidos. Você vai encontrar todas as características que você esperaria,
como áudio multitrack e gravação de MIDI, edição não-linear, quantização, deslocamento do passo, congelamento, compensação de atraso, e muito
mais. Isto vem como o culminar de anos de desenvolvimento de software infundidos com DJ e instintos de tomada de música eletrônica.

Ao vivo também é amplamente utilizado para DJing, performance ao vivo, instalações sonoras, e apenas sobre qualquer no palco ou uso não-estúdio
você pode imaginar. Ao contrário de outros programas de software que são baseadas em um paradigma DJ tradicional, ao vivo permite que artistas para
criar um ambiente de desempenho altamente personalizado, limitado apenas pela imaginação. E com a introdução de Max For Live na versão 8, o Live
tem uma comunidade cada vez maior de programadores a criação de add-on dispositivos para estender a funcionalidade do programa.

O que é ao vivo?

Live é um programa escrito para músicos por músicos. Inicialmente, Robert Henke e Gerhard Behles (emparelhado no grupo de música eletrônica
com sede em Berlim Monolake) foram à procura de uma melhor maneira de criar sua própria música através do uso de um computador. Ambos
eram sound designers experientes e tinha passado tempo de trabalho para Native Instruments, uma das autoridades principais da indústria em
sintetizadores de software e software de design de som. Na época, a indústria faltava uma aplicação de software user-friendly propício para a
criação de música como um músico faria, tanto de forma intuitiva e espontaneamente.

Em 2000, eles formaram Ableton e lançado ao vivo 1.0, um programa de apenas áudio-orientada em torno performance ao vivo (daí o nome!).
O que fez ao vivo tão único desde o primeiro dia foi a exibição da sessão, uma grade personalizável, que é usado para organizar e reproduzir
elementos musicais (como loops de bateria, riffs de guitarra, e partes de sintetizador).

Enquanto a maioria dos outros sequenciadores de música estão organizados em torno de uma linha do tempo, que é usado para expor elementos musicais
em uma forma da esquerda para a direita, vista Sessão da Vivo permite que elementos musicais a ser composto na mosca e mixed-e-correspondido à
vontade-a altamente fluido e processo interactivo, que foi tradicionalmente o domínio de sintetizadores de hardware, remalhadeiras, e máquinas de tambor
(ver Figura 1.1 ). combina viver este fluxo de trabalho com o poder do software moderno, dando-lhe o melhor dos dois mundos.

Figura 1.1 Aqui está uma espiada na grade Session View Live 9. As linhas compõem seções musicais chamados cenas, e as colunas funcionar como canais do
mixer virtuais.
Fonte: Ableton

Outra área especializada Live in está esticando áudio para qualquer tempo ou de breu desejado. Quer usar esse loop de bateria 90bpm na canção
105BPM que você está trabalhando? Não é um problema. Quer transpor a chave e alterar o andamento de algumas Ozark montanha fiddle música
para sincronizar-lo com um banger pista de dança (como este autor tem sido conhecida a fazer)? Leva um pouco de habilidade com recurso urdidura
de viver, mas quando você pegar o jeito dele, você vai se surpreender com o quão fácil é combinar uma grande variedade de elementos musicais
com chaves diferentes e tempos.

Não estritamente uma ferramenta de improvisação e performance, esportes ao vivo um cronograma tradicional como a encontrada em
outras estações de trabalho de áudio digital (ou DAWs), como o Pro Tools da Digidesign, Logic da Apple, Artista Digital do MOTU, SONAR
de Cakewalk, e Cubase da Steinberg (e Nuendo). cronograma da Vivo (o chamado Arranjo) pode ser usado para capturar suas
improvisações para o polimento final, edição e mixagem. Para se ter uma idéia do que estamos falando, olhada Figura 1.2 , Que apresenta
uma imagem do da Vivo Arrangement View.

Figura 1.2 Se você já usou outras estações de trabalho de áudio digital, da Vivo Arranjo Ver deve parecer familiar.

Fonte: Ableton

Ao longo dos anos desde a sua criação, ao vivo evoluiu para uma suíte de produção de música inteiramente caracterizado com edição MIDI
poderoso, suporte Unidades VST / Audio e ReWire, e (com o advento da Vivo 9) características futuristas, como Audio-to-MIDI e empurre ,
um controlador de hardware para o Live que as promessas a capacidade de criar mais de uma música sem ter que pegar o rato ou o teclado
do computador.
O que define viver separados?

O mundo de áudio digital explodiu desde primeiros dias do Live. Mesmo o computador médio é extremamente poderoso, e todas as
principais empresas de software têm estudado características dos seus concorrentes e expandiu os seus produtos de forma a torná
anteriormente incompreensível inovações comuns. Nunca houve um momento melhor para entrar no jogo; para um iniciante, é quase
impossível dar errado. Dito isto, ainda há muitas coisas que tornam vivo um programa único. Embora esta lista está longe de ser
completa, estes poucos itens de Vivo 9 do conjunto de recursos mostrar algumas maneiras em que ao vivo se distingue do resto.

Ableton é um dos inovadores originais na área de tempo em tempo real alongamento e deslocamento campo. Enquanto a maioria das
DAWs agora têm tempo e manipulação de campo características, flexibilidade e facilidade de uso do Vivo permanece inigualável. Com
alguns cliques do mouse, você pode ajustar o tom e tempo para as tarefas de sincronização ou deturpação som insano.

Para conseguir ainda mais flexibilidade e elasticidade, o comando Slice para New Track MIDI pode cortar um loop em várias
amostras e gerar um arquivo MIDI para reproduzi-los em ordem, tanto na forma de Propellerhead ReCycle e Dr. Rex faria.
(Por falar nisso, tem suporte nativo ao vivo Rex arquivos também!)

é ao vivo muito fácil de usar com o hardware controlador MIDI. Se você está usando um dispositivo projetado para o Live (como
Push, APC 40, ou Launchpad), ou um controlador MIDI genérico de algum tipo, é simples para obter as mãos do rato e sobre
almofadas, botões, e outros. Mesmo se você não tem um controlador, recurso de mapeamento flexível da Vivo permite que você
controle apenas sobre qualquer coisa com uma única tecla no teclado do computador.

Ao vivo permite que você crie grupos personalizados de efeitos e instrumentos virtuais chamados Racks. Com poderosas opções de
roteamento, você pode criar camadas, desdobramentos e efeitos complexos como nunca antes. Tambor Racks levar este conceito para
outro nível, que lhe permite construir bancos de bateria com combinações de amostras de áudio, sons sintetizados e efeitos.

Max For Live (incluído no Live Suite e disponível como um add-on para o Live padrão) permite viver para ser infinitamente estendido. Estas
extensões variam de efeitos (como convolução reverb) para passo sequenciadores, geradores de números aleatórios de parâmetros, ferramentas
de vídeo e ferramentas de interface, como já tocava, o que irá mudar a cor de um clipe uma vez que é jogado para torná-lo mais fácil para DJs
para acompanhar seus conjuntos. Max Por dispositivos vivos são totalmente programáveis, por isso, se você tem as habilidades, você pode
modificar qualquer dispositivo com o gosto ou criar o seu próprio a partir do zero.

Ao vivo 9 introduz um novo conjunto de áudio para MIDI apresenta que pode analisar áudio de tambores, melodia, ou harmonia e produzir
uma nova MIDI rastrear pronto para ajustar e processo para o conteúdo do seu coração. Quer cantar uma melodia e, em seguida, ter um
synth tocar a melodia? Agora você pode.

Objetivos desta Livro

Como ao vivo, Ableton Live 9 Power! foi escrito por um músico executando. Eu passei muito tempo realizando com o Live e tem sido a
gravação e remixando Live durante anos. Vivo é construído para ser musical, e este livro irá aspirar a ser o mesmo. A minha esperança é
que você terá muitas horas de diversão usando o Live ao criar alguma nova música interessante. Embora este livro é projetado para ser
um livro de “usuário avançado”, não ser dissuadido se você é novo para Live, nova música, ou novo para por computador de produção
baseado. Este livro irá servir como um guia básico para fazer a interface com dicas ao vivo e um avançado
e coleta de truques para tirar vantagem da tecnologia de balouço indústria do Ableton. Se você já está familiarizado com o Live, este livro
deve se sentir como um manual de referência envenenado com algumas dicas poderosas e idéias musicais para você incorporar em seu
vocabulário Live. Este livro deve ajudar a optimizar as definições do Live for Speed ​e som, que deve se traduzir em produção musical
máxima. Ableton Live 9 Power! tampas algumas pegajosas mas gratificantes tópicos, tais como a implementação MIDI do ao vivo, edição de
automação mix da Vivo, e utilizando equalizadores virtuais e compressores para resultados profissionais de áudio.

Os arquivos on-line

Para você ir tão rapidamente quanto possível, você pode encontrar arquivos on-line contendo custom-built Live Sets para ilustrar os temas
neste livro como você ler sobre eles. Afinal, o que é divertido para ler sobre música? É muito mais divertido ouvir música.

Baixe e instale o Vivo Pacote hospedado no www.hobo-tech.com/livepower para o seu computador. Uma vez feito isso, você vai
ser capaz de chegar aos arquivos clicando no Packs no navegador e desdobrando a 9 Potência vivo! pacote.
2Getting vivo Instalação e Uso

B ANTES DE MERGULHO NA e começar a produzir hits, é importante tomar amoment para verificar se o sistema de computador é até a velocidade e que
você tenha instalado o Live corretamente. Este capítulo irá fornecer algumas recomendações para ajudá-lo através do processo de
instalação, juntamente com algumas dicas para afinação seu estúdio Ableton Live. Vou cobrir tanto configuração Mac e PC e falar sobre
vários métodos para otimizar seu sistema. Além disso, lembre suporte técnico que o Ableton ( www.ableton.com/en/help/contact-support /) É
uma excelente maneira de chegar ao fundo de qualquer coisa não cobertos neste livro, como é fórum de usuários on-line da Ableton
(encontrado em http://forum.ableton.com /), Que normalmente é rico com dicas, truques e conselhos.

Requisitos de sistema

Listado nas páginas que se seguem são os requisitos do sistema postadas de Ableton, seguido por minhas recomendações. Os requisitos
mínimos de sistema pode ser uma questão muito diferente de um desejável
configuração do sistema. Isso é verdade com a maioria dos aplicativos de software e Vivo não é excepção. Ableton Live é um programa com
fome de poder, e, idealmente, o seu sistema deve ser colocado junto com o maior poder que você pode pagar. Não se preocupe: não só é
poder muito acessível nos dias de hoje, mas existem estratégias para fazer sons épicas com menos de um computador épica. (Veja
“Configurações Latência” mais adiante neste capítulo e “congelar e achatar” em Capítulo 7 “Usando efeitos e Instrumentos”, para mais
informações.)

Se você está apenas começando como produtor musical, você vai ser capaz de fugir com o uso de um computador com especificações bastante

modestos até que você se aprofundar no processo de produção, em que ponto você pode precisar atualizar devido a falhas de áudio e

instabilidade do sistema. Se você é um produtor experiente com um grande arsenal de plug-ins, você pode ser surpreendido com a rapidez com

potência de CPU come vivo do seu computador e RAM. (Ou você pode não-tudo depende do programa que você está vindo de.) Todas as

seguintes recomendações são mínimos. Ableton fornece o mínimo para executar ao vivo em tudo, enquanto minhas recomendações são o

mínimo para executar ao vivo no estilo.

Requisitos do sistema do Ableton Live para Macintosh

Multicore processador de 2 GB

ou mais de RAM 1024 × 768

Mac OS x 10.5 ou posterior

Entre 6GB e 55GB de espaço em disco dependendo Vivo Versão

Ableton Live 9 Power! As recomendações Mac


processador quadcore Modern 8GB de

RAM

Mac OS x 10.6 ou posterior


interface de áudio (placa de som)

Um disco grande disco o suficiente para que você pode manter 10% do que esvaziar

Requisitos do sistema do Ableton Live para PC

processador multicore 2 GB

de RAM

Windows XP, Vista, Windows 7 ou 8


placa de som compatível com o Windows (de preferência com ASIO motorista) Entre 6GB e

55GB de espaço em disco dependendo Vivo Versão

Ableton Live 9 Power! Recomendações de PC 's


processador quadcore Modern 8GB de

RAM

Windows 7 ou 8
interface de áudio ASIO compatível (placa de som) QuickTime 7 ou

mais tarde

Um disco grande disco o suficiente para que você pode manter 10% do que esvaziar

Instalar, Correr, e Atualizando vivo 9

Se você é novo para viver e ainda não peguei uma cópia ou nunca ter instalado software de áudio antes, então esta seção é para você. Aqui

estão algumas dicas gerais sobre a obtenção de suas mãos no Live 9. Ao vivo pode ser comprado como um download ou em uma versão de

varejo in a box. A versão de download é vendido apenas através da loja Ableton ( www.ableton.com/en/shop /). A única diferença entre os dois é

que a versão em caixa inclui manuais impressos, então se você não se preocupam com estes, vá em frente e comprar o download. Os DVDs na

caixa fazer oferecem a conveniência de não ter que baixar os pacotes de conteúdo, mas o próprio software é geralmente fora da data no

momento em que chega a você, e você acaba tendo que baixar a versão mais recente de qualquer maneira. A verdade é que manuais impressos

são muitas vezes um pouco fora de data, bem como, uma vez que os recursos são regularmente sendo melhorado e completado. Ao vivo 9 vem

em três versões: Intro, Standard e Suite.

Intro: A despojado versão do Live que suporta 16 faixas, 8 cenas, 19 efeitos de áudio, todos os sete efeitos MIDI, e quatro
pacotes de amostra de conteúdo de áudio.

Padrão: Inclui trilhas ilimitadas e cenas, 31 efeitos de áudio, todos os sete efeitos MIDI, e 14 pacotes de amostra de conteúdo
de áudio.

Suíte: Inclui todos os seis add-on instrumentos (analógico, colisão, elétricos, Operador Sampler, tensão), Max For Live (e um
punhado de Max útil para dispositivos vivos), todos os 34 efeitos de áudio, e 25 pacotes de amostra.

Para uma comparação detalhada dos três sabores de Ableton Live, consulte
www.ableton.com/en/live/feature-comparison /.

Dicas de instalação ao vivo (Mac OS X)


Instalando vivo 9 no Mac OS X é uma brisa. Após o download, abra a imagem de disco (.dmg) e arraste ao vivo 9 a todas as
aplicações de pasta em seu disco rígido. Para um acesso mais rápido para viver, você pode querer instalar um atalho para o cais OS
X. Para fazer isso, basta abrir sua pasta Aplicativos e arraste o ícone do programa para o cais. Um atalho instantânea é feita. Para
remover o item a partir do cais, arraste-o para o Lixo ou para o desktop, e vê-lo ir “puf” e desaparecem.

Dicas de instalação ao vivo (Windows)

Instalando vivo em uma máquina Windows é muito parecido com a instalação de qualquer outro aplicativo baseado no Windows. Depois de
configuração aberta e siga as instruções, o instalador do Live perguntar onde você gostaria de colocar a pasta Ableton e seus arquivos. Eu
recomendo usar configuração padrão do instalador, que irá colocar ao vivo na pasta Arquivos de Programas do seu computador.

Além disso, prestar especial atenção ao local onde existe o seu plug-in pasta VST. É prática comum para manter todos os plug-ins VST
armazenados em um local comum para que cada aplicativo VST-compatível será capaz de usá-los. Por exemplo, se você tem de Steinberg
Cubase SX instalado no seu computador, você pode instruir Live para procurar plug-ins no Steinberg pasta VST, que é comumente localizado
na Arquivos de Programas> Steinberg> Vstplugins compartilhada. Você pode definir Live para usar o mesmo plug-in pasta.

USUÁRIOS MAC tome nota: OS X tem um built-in local para armazenar todos os seus plug-ins (Biblioteca
> Áudio> Plug-ins). Acho que é útil para arrastar essa pasta para a área de lugares em uma janela do Finder para facilitar o acesso.
Alguns plug-ins vêm com programas de instalação que colocam os arquivos aqui automaticamente, enquanto outros podem exigir que
você copiá-los você mesmo. Dentro dessa pasta, você encontrará pastas separadas para cada tipo de plug-in que o OS X suportes. Vivo
só pode usar VSTs (que vão na pasta VST ou VST3) ou Audio Units (que ir na pasta Componentes), apenas para tornar as coisas
confusas.

A primeira vez que você iniciar Live, você vai ser oferecido a oportunidade de registrar ao vivo ou executá-lo no modo de demonstração.
Gestor irá abrir o seu navegador da Web e levá-lo para ableton.com onde você terá que fazer login ou crie uma conta de usuário. Se você
comprou a versão de download a partir ableton.com, o número de série ao vivo 9 já estará inserido na sua conta, e o processo de
autorização deve começar imediatamente.

Ableton permite instalar vivo em dois computadores. Se você substituir um de seus computadores, é possível que autorizando o seu
novo computador irá falhar porque você usou-se o seu “desbloqueia”. Não suporte ao cliente de e-mail preocupar-só para explicar a
situação, e eles vão cuidar de você.

Atualizando Vivo

Como qualquer bom pedaço de software moderno, vivo está constantemente em desenvolvimento, com erros sendo fixa e funcionalidades
adicionais e melhorados. Mais do que algumas empresas de software, Ableton lança atualizações com bastante regularidade por isso é muito fácil
cair para trás. Isso não é algo que você deve perder o sono por causa; Não só é muito fácil de atualizar, mas não há nada de errado em tomar um
“se não for quebrado não conserte” atitude para com o software no seu computador. No entanto, antes de arrancar os cabelos tentando descobrir
por que algo não está funcionando em seu sistema, é uma boa idéia para se certificar de que você está executando a versão mais recente.

A maneira mais fácil de manter-se atualizado é ligar de Vivo Obter recurso de Atualizações de Software (veja
Licenças / Gestão em “Definir as preferências Live” deste capítulo), que transfere automaticamente novas versões, conforme necessário.
Isso é feito em segundo plano e é geralmente muito rápido, uma vez tudo o que é baixado são pequenas correções para o programa, em
vez de uma nova versão inteira. Para aqueles de vocês que gostam de lidar com isso manualmente, você encontrará Verificar
atualizações no menu Ajuda calhar. Isso levará você a uma página da Web para baixar a versão mais recente. A vantagem deste método
é que a página de download contém informações adicionais e links, tais como novos recursos e downloads disponíveis. Você sempre
pode descobrir qual versão você está correndo, abrindo o Sobre tela ao vivo (no menu ao vivo em um Mac, ou o menu Ajuda em um PC).

Especificações básicas do computador

Uma vez que todos os usos viver de forma diferente, é complicado para dar um one-size-fits-all recomendação para especificações do computador.
Há usuários que usam quase nada, mas da Vivo built-in dispositivos, manter a sua contagem de faixas baixa, e liberar grande música usando nada
além de um laptop de quatro anos de idade. Outros usam energia famintos plug-ins extensivamente e fazer música densa em camadas com cargas
de faixas, desafiando até mesmo um sistema top-of-the-line. Portanto, é importante compreender alguns dos detalhes de como hardware afeta o
desempenho, e como você pode obter a melhor máquina para o seu orçamento.

Velocidade do processador
O maior gargalo de desempenho para a maioria dos computadores de áudio digital é a velocidade do processador. Live é um programa que prioriza a

elegância e facilidade de uso, em vez de eficiência CPU extremo. Dito isto, há muitas tarefas que o Live podem lidar mesmo quando executado em um

computador muito humilde. Por exemplo, a reprodução de muitas faixas de áudio tem muito pouco poder de CPU, a menos que você está usando um

monte de efeitos. Conjuntos que dependem fortemente de trilhas de MIDI e instrumentos virtuais são muitas vezes muito exigente sobre a CPU, a

menos que você está usando na maior parte incorporado em dispositivos como simples e operador, que são muito CPU eficiente. Fique de olho no

medidor de CPU no canto superior direito para ter uma idéia prática para tudo isso. Obviamente, uma CPU mais potente irá fornecer-lhe o mais

facilidade e flexibilidade. Mas isso não significa que você tem que quebrar a compra bancária o absoluto mais novo e mais rápido. Comprar um baixo

passo do topo você pode economizar um pouco de dinheiro, que você pode colocar em direção a uma placa de som de qualidade e um bom par de

alto-falantes ou fones de ouvido. Sua música vai ser melhor para ele.

Discos rígidos
Obter maiores discos rígidos que você pode pagar. Vocês vai encher cada unidade de comprar, e mais rápido do que você pensa. (E não se
esqueça unidades de backup extras!) 7200 RPM são ideais para o áudio, mas não absolutamente essencial, dependendo de como você usa seu
sistema. Se você estiver comprando um computador desktop, estes são, de longe, o tipo mais comum de unidade, de modo que este não é uma
consideração especial. Laptops são freqüentemente equipados com 5400 unidades RPM, que são bons para a maioria das aplicações de
desempenho e muitas situações de produção também. A unidade mais lenta pode se tornar um problema quando Sets crescer grande e
complexo, com muitas faixas de áudio e amostras reproduzir simultaneamente. Quando isso acontece, você vai ouvir as falhas de áudio e o ícone
“D” (Disk Overload) no canto superior direito começará a piscar.

Para o melhor desempenho possível, é ótimo ter vários discos rígidos. Por exemplo, você poderia ter um para sistema e aplicações, um segundo
para amostra bibliotecas em funcionamento, e um terceiro para os seus projectos musicais. Desta forma, cada unidade tem menos trabalho a
fazer e pode manter-se com mais facilidade.
RAM
Como seus Live Sets crescer e se tornar mais complexo, eles usam mais memória RAM (memória). É importante não ficar sem memória durante
a execução ao vivo, porque quando o fizer, ele trava. Não há como built-in maneira de monitorar o uso de memória (como há com poder de CPU
e uso de disco), então você vai ter que correr Activity Monitor no OS X ou o Gerenciador de Tarefas do Windows para ver onde seu sistema de
memória está indo. Se o seu sistema tem uma quantidade relativamente pequena de RAM, é importante parar de outras aplicações durante a
execução Live. Se você está propenso a ficar sem RAM depende de como você usa seu sistema. Alguns plug-ins são de memória com fome;
por exemplo, usando Max For Live e ReWire ambos exigem mais memória, porque elas envolvem a execução de aplicativos adicionais.

Live é agora disponível em ambas as versões de 64 bits e 32 bits. A única diferença entre as duas versões é a quantidade de RAM que pode utilizar.

Uma aplicação de 32 bits não é possível utilizar mais do que 4 GB de memória RAM, enquanto que as aplicações de 64-bit tem uma limitação

astronomicamente alta RAM. No momento da redação deste artigo, a versão do Live 64 bits não suporta vídeo, Max For Live, ou a ponte (integração com

o Serato Scratch Live), embora Ableton está trabalhando para corrigir isso. Além disso, estar ciente de que 32 bits plug-ins não funcionarão na versão do

Live 64-bit, a menos que você usar um plug-in de terceiros ponte para alcançar este objetivo. Num futuro próximo, todas essas questões serão

resolvidas, e vamos viver felizes para sempre em um mundo de 64 bits, mas por agora, a maioria de nós sobreviver muito bem em 32 bits. Este meio

8GB de RAM é bastante para a maioria dos usuários. Supondo que você não precisa estar executando muitas aplicações diferentes ao mesmo tempo,

isso deixa de 4GB para lidar com o sistema operacional, deixando 4GB para Live. Se você achar que você está falhando ao vivo, indo além do limite de

RAM de 4 GB, então você vai ter que mudar para 64-bit e certifique-se o seu computador tem muita memória RAM nele.

Audio Interface Specs

Quase invariavelmente, as capacidades de áudio que vêm de fábrica com o seu PC ou Mac estão faltando. Sem uma interface de áudio
especializada, às vezes chamado de placa de som, você vai encontrar-se bater limitações em termos de flexibilidade de roteamento,
conectividade e qualidade de som. Escolhendo uma interface pode ser complicado uma vez que existem tantas opções no mercado. Aqui
estão alguns itens a considerar quando se compra uma interface.

Tipo de conexão
As maioria dos tipos comuns de interfaces de áudio conectar ao seu computador via USB ou FireWire. Computadores de mesa podem usar cartões de

PCI e PCIe, que se encaixam em slots dentro do seu computador e oferecem o melhor desempenho de qualquer formato disponível. computadores

Apple estão equipados com um conector Thunderbolt de alta velocidade, para o qual as interfaces de áudio estão apenas começando a surgir no

mercado. A menos que você está projetando um muito sistema de áudio projetado para gravar muitas faixas de áudio simultaneamente

high-performance, USB e FireWire são muito bem. Na verdade, o velho FireWire 400 velocidade e USB

2.0 são mais que suficientes para a maioria dos sistemas de áudio, por isso não deixe alguém dizer que você tem que ter FireWire 800 ou USB 3.0 para
sobreviver. Aqueles de vocês que precisam de uma conexão mais rápida, você sabe quem você é.

Entradas e saídas
A maioria das placas de som têm um mínimo de dois canais de entrada, uma entrada de direita e esquerda, que podem ser utilizadas separadamente ou em
conjunto, como um par estéreo. Mais entradas são uma necessidade, se você está pensando em gravar fontes multicanal, como uma banda ao vivo. Mas uma
vez que muitos músicos overdub uma faixa num momento em que a gravação, duas entradas muitas vezes trabalham muito bem.
A vantagem para várias saídas é uma maior integração com o mundo exterior seu computador. Por exemplo, várias saídas de dar-lhe a
capacidade de enviar tambores para saídas 1 e 2, ao enviar os vocais para a saída 3. Em seguida, você pode enviar essas saídas para
diferentes canais em um misturador de hardware para aplicar EQ e efeitos de popa. Se você só tem uma única saída estéreo em sua placa de
som, todos mistura tem que ser feito dentro do computador. Isto é algo que você deve necessariamente ser preocupado? De modo nenhum!
Se você está apenas começando, ou você não tem certeza do que tudo isso é sobre, então as chances são que não há necessidade de você
se preocupar muito sobre ter um monte de saídas.

A exceção a esta regra é se você planeja realizar com o Live, caso em que você vai querer ter um mínimo de quatro saídas (dois pares
estéreo), que permite a utilização de um par como sua saída principal e outro para cueing ( prelistening) para faixas ou clips em seus
fones de ouvido, como um DJ. Depois de ter decidido se você precisa de 2, 4, 6, 8 ou mais canais, você também pode querer considerar
que tipos de conectores os usos de interface. Por exemplo, se você está sempre ligando para misturadores de DJ, pode ser mais
conveniente ter saídas RCA em sua interface, em vez de 1/4-inch ou XLR. Em última análise, porém, isso não deve ser um
deal-breaker, desde que você pode sempre ligar com os cabos ou adaptadores adequados.

O que você precisa saber sobre ASIO Drivers?


ASIO (Audio Stream Input / Output) foi inventado pelo alemão software-lançador Steinberg ( www.steinberg.de ou www.cubase.net ).
Originalmente, drivers ASIO foram criados para músicos de ajuda e produtores que utilizam Cubase para gravar áudio multitrack digitalmente
com uma quantidade mínima de espaço de tempo dentro do seu sistema digital. Este intervalo de tempo pode ser um verdadeiro buzzkill, e é
chamado latência. Latência ocorre porque o som que você está gravando é forçado a viajar através de seu sistema operacional, o barramento
do sistema e aplicativo host para acabar em seu disco rígido. Como encanamento ruim, o sinal pode ser descendo o tubo, mas há tamancos
e cantos desnecessários que devem ser navegados ao longo do caminho. A essência é que o computador está realizando cálculos
(lembre-se, é todos os números para o computador) e, embora eles são incrivelmente rápido, leva um momento para o processador ao fim,
eo resultado é a latência.

Ao vivo 9 suporta ASIO em PCs. (ASIO é desnecessário no Mac OS X, graças ao Core Audio.) Você vai ficar feliz em saber que a maioria das
placas de áudio de nível profissional os consumidores e populares suportam o formato também. Tornou-se um padrão da indústria e pode cortar
a latência para níveis quase indetectáveis. Devidamente instalado, drivers ASIO fará ao vivo tão sensível como um instrumento de hardware com
menos de oito milissegundos de áudio atraso de praticamente imperceptível. ASIO ajuda os usuários ao vivo ouvir os resultados instantâneos de
comandos MIDI, entrada / saída de áudio, movimentos de mouse e comandos de teclado. Algum dia, todos nós vamos para trás o olhar e rir que
a latência foi sempre um problema, mas por agora, contar suas bênçãos que há ASIO. Veja as “Definir as preferências em Live” seção mais
adiante neste capítulo para saber mais sobre o famoso “L-palavra”.

ASIO PARA TODOS: Se você está preso usando a placa de som interna do seu PC ou ter uma placa de áudio que não suporta ASIO, ainda
pode haver esperança para você. Michael Tippach programou um motorista freeware chamado “ASIO4ALL”, que está disponível em www.asio
. Se você usá-lo, você terá resolvido o seu problema de latência, mas você ainda vai querer considerar uma nova interface de áudio, porque
os conversores em uma interface pro vai soar muito melhor do que aqueles usados ​em placas de som padrão.
Escolhendo um controlador MIDI

Se você está usando o Live para executar ou produto, você vai querer algum tipo de controlador MIDI, como parte de sua configuração. Há muito que

você pode fazer com apenas o teclado do computador e um mouse, mas em algum momento, você vai querer tocar uma melodia, bater para fora uma

batida, ou acionar um botão para aplicar alguns efeitos. A coisa mais importante na escolha de um controlador é entender suas necessidades, mas

isso pode ser complicado se você estiver totalmente nova para a produção. Se for esse o caso, a melhor coisa que posso recomendar é fazer com que

algo acessível e empurrá-lo para os seus limites-it é o único método garantido para descobrir quais são suas necessidades!

Aqui estão alguns fatores a considerar:

Rede: Alguns controladores são projetados especificamente para uso com o Live (como a Novation Launchpad e Akai APC 40), e
possuem uma grade de botões para o lançamento de clipes na vista Session. Quando conectado, uma colorida aparece retângulo na
Exibição de sessão para indicar qual a área da grade clipe está disponível para o controlador. No controlador, cada botão grade que
corresponde a um clipe acende, enquanto botões correspondentes aos slots de clipes vazios permanecem escuro. Estes são
divertimento no estúdio, e um must-have para muitos músicos ao vivo. Novo impulso da Ableton é projetado em torno de uma grade de
botão, que pode lançar clipes, e fazer muito mais também.

Chaves: Mesmo se você não tocar piano, você provavelmente vai querer ter pelo menos duas oitavas de teclas de piano para jogar. Alguns
teclados vêm com controles extra (faders, botões, etc.), e pode ser tudo que você precisa. controladores de teclado simples podem
precisar de ser complementada com outro controlador de botões e teclas. Não há nada de errado com a última abordagem. Na verdade,
ele pode ser bastante conveniente ter várias pequenas controladores. Afinal, você pode não precisar de um deles para shows, e você vai
economizar espaço na sua mala show sobre um controlador maior, inteiramente caracterizado.

Tambor Pads: Algumas pessoas não podem viver sem eles. Se você gosta de bater para fora suas batidas, pads de bateria pode torná-lo muito mais
divertido. Dito isto, eu sei que as pessoas que não têm nenhum problema de jogar grandes batidas em um teclado de piano ou simplesmente desenho
em cada nota com o mouse. pads de bateria variam de sensação e sensibilidade, para ter certeza de obter que você gosta.

puxadores: Alguns botões tem uma sensação suave agradável e têm um alcance limitado, assim como um botão em um sintetizador de idade. Outros
se voltam sem parar e clique como você transformá-los. (Estes são geralmente referidos como
codificadores). O ex-são muito melhores para tarefas musicais (como varreduras de filtro). Um mau pressentimento ou o botão desajeitadamente
colocado não é divertido de usar, para experimentar antes de comprar.

Atenuadores (e Crossfader): Para muitos de nós, controles de volume apenas fazer mais sentido em faders em vez de botões. Para o trabalho
de estúdio de precisão, um bom e grande fader com uma longa lançar ( amplitude de movimento) é útil, mas não essencial. faders motorizados
são grandes no estúdio, mas provavelmente não é necessário no palco. No mundo do MIDI, um crossfader é apenas um fader para os lados.
Querendo ou não você precisa de um depende inteiramente do seu estilo. crossfader da Vivo pode ser controlado por qualquer entrada MIDI,
assim você pode obter a funcionalidade de um crossfader de uma variedade de controles não-tradicionais.

botões: Alguns se luz, e outros não. Alguns têm uma sensação agradável robusto, enquanto outros são francamente wispy. Para uso em
estúdio, transformando o metrônomo ligado e desligado, ou controlar o transporte da Vivo, estas questões não são provavelmente muito
importante. Mas durante um show, ter nice botões que acendem quando você clica neles pode fazer toda a diferença.

Joysticks e Touchpads: Estes são muitas vezes referidos como controladores XY uma vez que pode ser movido ao longo de dois eixos.
Do ponto de vista MIDI, um joystick ou touchpad é visto como dois separados
controladores: um para o eixo horizontal e um para a vertical. Como você se move um destes controladores, duas
mensagens de controle diferentes são transmitidos simultaneamente.

superfícies de controle
Outro fator a considerar ao escolher uma superfície de controle é se é ou não é um com suporte Superfície de controle para viver. Nas preferências
de MIDI da Vivo (ver “A sincronização Tab MIDI /” mais adiante neste capítulo), há um menu que irá mostrar-lhe uma lista de controladores que
podem ser conectados ao vivo e uso remoto controle imediatamente, sem qualquer mapeamento.

Porque existem tantos estilos diferentes de controladores, esta tecnologia varia muito de um dispositivo para outro. Para ver como ele é

implementado por vários controladores, abrir-se Ajuda Vista do menu Ajuda e, em seguida, percorrer todo o caminho até a parte inferior e clique em

Todas as Lições Built-in. Em aqui, você vai encontrar a superfície de referência Controle, que documenta o comportamento de todos os

controladores suportados. Também é possível a terceiros para que um controlador MIDI para se comportar como uma superfície de controle na

Vivo, mas isso envolve a instalação de um arquivo de script em seu computador. Os detalhes desse ir além do que podemos cobrir neste livro, por

isso certifique-se de seguir as instruções do fabricante para qualquer controlador que controle superfície apoio promessas personalizado. Visite

hobo-tech.com/tag/control-surface para mais informações sobre configuração da superfície de controle personalizado.

Definir as preferências Live

As preferências são mais do que apenas seus caprichos pessoais sobre como você gostaria que a interface do Live para ser colorido ou onde os
arquivos são salvos automaticamente. Na tela Preferências, você será capaz de controlar características padrão do laço, configurações de interface
áudio e MIDI e configurações de latência de áudio. Se você é novo para viver, você pode apenas querer roçar esta seção para agora. Algumas
dessas coisas vai fazer muito mais sentido uma vez que você passou algum tempo usando o programa.

Para abrir a caixa de diálogo Preferências em um PC, selecione Opções> Preferências; em um Mac, selecione ao vivo> Preferences. Quando
você abre as preferências, você verá uma pequena janela pop-up com um número de guias marcados no lado: Olha / sente, áudio, MIDI / Sync,
arquivo / pasta Record / urdidura / Lançamento, CPU e licenças /Manutenção. Vamos dar uma olhada em cada um destes, por sua vez.

Olhar / sentir

No olhar / guia Feel (ver Figura 2.1 ), Você vai encontrar um número de configurações que têm a ver com a aparência da Vivo e da forma como
apresenta as informações para você. Vamos olhar todas as configurações.

Figura 2.1 A guia olhar / sentir em Preferências do Live.


Fonte: Ableton

A configuração de idioma escolhe o idioma para utilizar menus e mensagens do Live. Os menus internos de ajuda, texto de interface e
mensagens informativas pode ser configurado para ler em francês, espanhol, alemão e Inglês.

As “Não mostrar novamente” Avisos de ajuste trata dos vários avisos que surgem quando você executar primeiro
determinadas ações em viver. Normalmente, esses avisos só será visto na primeira vez que executar uma ação particular, e
então você não vai vê-los novamente. Se você quiser trazer de volta todas essas mensagens e restaurar Live para o estado
em que se encontrava quando você instalou pela primeira vez, clique em Restaurar aqui. A terceira opção, siga
Comportamento, determina o estilo gráfico usado quando seguindo a posição da música em Organizar e clip Views. Quando
ajustado para Scroll, o cursor de reprodução irá permanecer no local enquanto a janela move-se suavemente sob ele. Quando
definido para a página, a janela vai ficar parado enquanto o cursor se move. Quando o cursor de reprodução alcança a borda
direita da tela, a janela salta à frente de modo que o cursor aparece novamente à esquerda.

A próxima opção aqui, ocultar rótulos, ajuda a dar-lhe um pouco mais tela imobiliário, uma vez que você memorizou todos os
componentes da Vivo e não precisa mais os rótulos. Quando definido como Show, a interface ao vivo vai olhar normal. Quando ajustado
para Hide, todos os pequenos rótulos na interface (como trilha Delay e áudio para) desaparecerão.

Permanentes Scrub Áreas liga ou desliga a área de matagal no topo do Arranjo Ver ou a metade inferior do display de forma de onda no Clip View.

Com esta preferência ligado, o mouse vai se transformar automaticamente em um ícone de alto-falante em qualquer um destes locais e pode ser

usado para saltar para qualquer local. Com ele desligado, você vai ter que mantenha pressionada a tecla Shift para ver a ferramenta Scrub. Zoom de

exibição é usado para dimensionar toda a interface ao vivo maior ou menor. Durante shows, eu definir a minha exibição para 120%, por isso é mais

fácil de ver o que estou fazendo.

clipe Cores
Com Auto-atribuir cores ligado, ao vivo irá escolher aleatoriamente uma cor para cada novo clipe que você cria. (Cor de um clipe pode
ser alterado a qualquer momento no Clip View, que será abordado em capítulo 5 , “Clips”.) Se Auto-atribuir cores estiver desligado, o clipe
Cor padrão determina qual cor Vivo irá atribuir a todos os novos clipes. É claro, a cor não irá afetar o som e é estritamente uma questão
de preferência.

cores
A definição de pele define esquema de cores global da Live. Para encontrar o esquema que você mais gosta, basta clicar no menu drop-down e
usar a cima e para baixo setas do teclado para percorrer as opções. Os três controles abaixo são usadas para personalizar a pele que você
selecionar. Brilho ajusta a luminosidade geral da pele. Intensidade da cor e do trabalho cor Hue, em conjunto com os outros. Com cores
Intensidade conjunto para um valor diferente de zero, você pode ajustar a cores Hue para escolher uma tonalidade cor específica.

Plug-In do Windows
As três opções na próxima seção do guia preferência olhar / sentir determinar como ao vivo exibirá um plug-in janela de exibição
personalizado.

Quando vários plug-in do Windows é ativado, você pode abrir mais de um plug-in janela de cada vez. Quando este estiver desligado, plug-in
janelas abertas serão fechadas a qualquer momento um novo é aberto. Mantendo essa opção pode ajudar a minimizar a confusão tela. Com
esta preferência desligada, você pode ainda aberto vários plug-in do Windows manualmente, mantendo pressionada a tecla Ctrl (Cmd) ao
abrir um novo plug-in janela.

A segunda opção, Auto-Hide Plug-In do Windows, vai fazer plug-in janelas aparecem apenas para os plug-ins carregados em uma faixa
selecionada. Por exemplo, se você tem uma faixa MIDI carregado com uma instância da bateria de Native Instrumento e outra faixa com
Predator de Rob Papen, bateria serão ocultados quando a pista Predator é selecionado e vice-versa. Isso também pode ajudar a minimizar a
desordem da tela e, portanto, é especialmente útil para usuários de laptop.

A terceira opção aqui é a caixa de Auto-Open Plug-In editor personalizado. Quando activado, o plug-in de janela vai ser aberto
imediatamente após o plug-in é carregado numa pista. Isso faz sentido, pois você geralmente vai precisar fazer algumas modificações
para o plug-in depois de carregá-lo.

auditivo

A próxima guia nas preferências do Live, a guia de áudio (veja Figura 2.2 ), É usado para selecionar uma interface de áudio e faz ajustes para
o seu desempenho.

Figura 2.2 guia Preferências de áudio do Live. Se você estiver usando um PC, esta janela parece um pouco diferente, mas a funcionalidade básica é a mesma.
Fonte: Ableton

Dispositivo de áudio
A primeira seção do guia de áudio é rotulado dispositivo de áudio. A primeira configuração você pode escolher aqui é o tipo de driver que você
deseja usar para sua interface de áudio. No PC, as opções incluem MME / DirectX e ASIO, e no Mac OS X, você verá apenas uma escolha,
Core Audio. Depois de selecionar o tipo de driver que deseja usar, você terá uma variedade de dispositivos de áudio para escolher nos menus
subseqüentes para baixo drop. Como observado anteriormente, você sempre terá um melhor desempenho com drivers ASIO, assim que você
deve sempre escolher ASIO em um PC se essa opção está disponível.

Avançar após tipo de driver é a configuração de dispositivos de áudio, onde você realmente escolher o específica da placa de som que você deseja usar.
No Windows, você verá apenas um único menu aqui; no Mac OS X, você verá configurações separadas para dispositivos de entrada de áudio e dispositivo
de saída de áudio. Teoricamente, você poderia escolher diferentes dispositivos para entrada e saída; Na prática, porém, provavelmente você vai obter o
melhor desempenho usando uma única interface de áudio de cada vez, então você provavelmente vai querer escolher o mesmo dispositivo para entrada e
saída. (Se você não estiver gravando, você não precisa escolher um dispositivo de entrada em tudo.)

Note que você não pode encontrar o dispositivo de áudio que você deseja usar ao usar determinados tipos de drivers. Por exemplo, os embutidas placas
de áudio em computadores portáteis não suportam ASIO, assim você só vai encontrar esses cartões listados quando MME / DirectX é selecionada para
Tipo de driver.

As definições de configuração Canal incluem dois botões: Input Config e saída de configuração. Clicando em um destes abre outra
pequena janela pop-up que ativa várias entradas e saídas na sua placa de som para uso em Live. Somente aquelas entradas e saídas
que você ative aqui vai aparecer em outros menus e seletores de ao vivo. Se você não precisa usar todas as entradas e saídas, você
pode querer deixá-los inativos aqui, pois isso vai lhe poupar um pouco de poder de computação. Por favor, note que o Live vai sempre
procurar a interface de áudio salvo pela última vez nas preferências de cada vez que o programa é iniciado. Se vivo não consegue
encontrar a placa de som-se, por exemplo, você tem desconectado ou trocou-lo-Live vai ainda o lançamento, mas sem áudio habilitado.
Neste caso, o medidor de CPU será vermelho e exibir a
palavra OFF. Você não será capaz de reproduzir qualquer som ao vivo até que você vá para as preferências de áudio e selecione um novo dispositivo de
áudio.

Taxa de amostragem
A configuração de taxa de amostragem In / Out na guia Preferências de áudio irá determinar a qualidade de gravação de ambos saída da Vivo e
entrada gravado. A taxa de amostragem mais comum é 44,100Hz, ou 44,1, que é a taxa de amostragem para CDs e áudio digital mais do
consumidor. A taxa de amostragem de vídeo digital é 48k. Alguns produtores trabalham com taxas de amostragem mais altas, no interesse da
qualidade de som e downsample o áudio no processo de masterização. Há muito debate sobre este tema, cujos detalhes vão além do escopo deste
livro. Tenha em mente que os tamanhos dos arquivos taxas de amostragem maiores meios maiores e maior demanda CPU.

Há também uma outra configuração aqui rotulado SR Padrão e tom de conversão. Quando ajustado para alta qualidade, ao vivo irá definir o
interruptor Hi Q à sua posição On para todos os clipes recém-criados. Isso faz com Live para utilizar um algoritmo mais limpo ao converter taxas
de amostragem e transposição clips. A menos que você está realmente precisando de energia da CPU, deixe este na posição Hi Qualidade.
Você sempre pode desligá-lo para clipes individuais, que você pode querer experimentar ao usar transposição para fins de projeto de som.

Configurações de latência
A próxima seção do guia de áudio ajusta uma série de ajustes para o tamanho do buffer e latência de sua placa de som. Você pode precisar
experimentar com estas configurações um pouco para obter o melhor desempenho possível em seu sistema de computador particular. Antes de
chegarmos à experimentação, porém, vamos ter certeza de que entendemos o problema.

Em primeiro lugar, reconhecer que há tanto a latência de saída e latência de entrada. Há uma quantidade mínima de latência que deve ocorrer como sinal
passa através de seus conversores A / D em seu computador, assim como há também uma certa quantidade de tempo que leva para o seu computador
para enviar áudio para sua placa de som e através da D / conversores A. Enquanto este é um período muito curto de tempo, as coisas são um pouco
complicado pelo fato de que nós precisamos nosso áudio para reproduzir sem interrupção, enquanto ao mesmo tempo a nossa CPU está sendo
interrompido constantemente, manipulação de uma miríade de outras tarefas enquanto o nosso áudio está reproduzindo . Este é o lugar onde buffers
entrar em jogo.

Se você já usou um CD player portátil ou um iPod com um disco rígido nele, você tem contrato com buffers de áudio digital antes. Nesses
dispositivos, há um ligeiro atraso entre quando você pressiona o jogo e quando você começar a ouvir a música. Isso porque antes de ouvir
qualquer coisa, uma certa quantidade de áudio é carregado na memória do dispositivo (buffer), e, em seguida, o áudio é reproduzido a partir da
memória, em vez de directamente a partir do disco rígido. Isso garante que se você bater o jogador ao redor e fazer com que o disco pular, áudio
continuarão a reproduzir a partir do tampão enquanto o dispositivo encontra o seu caminho de volta para o lugar onde ele saltou. Enquanto o
dispositivo pode continuar enchendo o buffer com dados antes de tudo é voltado jogado, você nunca vai ouvir quaisquer problemas, não importa o
quão duro você bater-lo! O mesmo conceito se aplica ao seu computador. Se alguma coisa faz com que o uso da CPU a espiga
momentaneamente, e você não tem um buffer grande o suficiente, caos áudio seguirá! Então, quão grande para definir o tamanho do buffer?
Depende.

Uma pequena tampão lhe dá baixa latência e torna o sistema muito sensível, mas exige muito do seu CPU. Um grande tampão
é mais fácil no CPU e garante um desempenho suave, mas aumenta a latência. Portanto, você pode ter a experiência com o
sistema para obter as definições de direito, e você
pode ter que alterá-los, dependendo do que você está fazendo.

Por exemplo, no palco você quer ter certeza de que você tem um buffer grande o suficiente para evitar as falhas de áudio ou artefatos sem gerar
tanta latência que você não pode executar confortavelmente. No estúdio, você pode manter o tampão de baixa durante as primeiras partes do
processo de produção, aumentando à medida que sua música se torna mais complexo e mais poder de CPU é necessário.

Você pode ou não ser capaz de ajustar o tamanho do buffer de sua placa de som a partir deste menu Preferências. Enquanto no Mac OS X, você pode
geralmente basta clicar e arrastar para cima ou para baixo para ajustar o tamanho do buffer. No Windows, você provavelmente precisará abrir própria interface
de motorista ou controle do painel de propriedade da sua placa de som, que pode ser iniciado com o botão de configuração de hardware.

Em seguida, vemos os valores de entrada latência e saída latência. latência de saída é a quantidade de tempo de atraso entre quando você acionar
um som ou ação e quando você ouvi-lo. Se você está acionando um botão e pode ouvir atraso ao vivo atrás de você, que de latência de saída no
trabalho. latência de entrada surge porque o áudio é tamponado no caminho para o computador, de modo vivo recebe este um áudio pouco mais
tarde do que deveria. Felizmente, ao vivo pode compensar automaticamente para este durante a gravação.

Terminar o dia: Enquanto alguns drivers da placa de som irá ajustar o buffer em incrementos de uma amostra, Ableton recomenda que você
defina o seu buffer para um dos “números redondos” binários que vemos tantas vezes em nossos computadores: 64, 128, 256, 512, 1024, e
em breve.

interfaces de áudio são projetados para relatar suas latências de viver para que ele possa compensar suas operações corretamente. No
entanto, na prática, o valor apresentado às vezes não é totalmente preciso, e você verá que suas gravações de áudio são um pouco fora de
sincronia. Para corrigir isso, você deve inserir manualmente a latência não declarado em caixa de compensação de erro do driver. Siga as
instruções passo-a-passo na lição de Compensação de erro do driver da Ajuda Ver para determinar e latência não declarada correta.

Teste
A seção de teste das preferências de áudio gera uma onda senoidal test-tom que você possa testar seu sistema. Você também pode
ajustar o volume e frequência do sinal de teste usando os outros parâmetros nesta seção. Aqui estão os passos para testar seu sistema:

1. Ligue o tom de teste.


2. Defina o uso da CPU Simulator para o seu valor máximo (80%).

3. Diminuir o tamanho do buffer até que você começar a ouvir crepitação ou desistências no tom de teste.

4. Aumente o tamanho do buffer até que esses artefatos ir embora.

Este teste irá produzir um tamanho de buffer que irá garantir o desempenho de áudio suave em quase todas as situações. Este será um bom valor a ser
usado para performances ao vivo onde a estabilidade é fundamental. Para situações onde você precisa reduzir a latência, você pode testar com um uso de
CPU menor simulado, ou enquanto você está trabalhando no estúdio, apenas reduzir o tamanho do buffer tão baixo quanto você quer que ele e aumentá-lo
se você tiver problemas.

MIDI / Sincronização

Isso nos leva à terceira guia Preferências, na aba MIDI / Sync, mostrado na Figura 2.3 . Isto é onde você
ativar ou desativar dispositivos MIDI, e especificar como eles são usados ​em Live.

Figura 2.3 A aba MIDI / sincronização encontrados em Preferências do Vivo caixa.

Fonte: Ableton

A primeira parte deste guia contém opções para configurar superfícies de controle suportados nativamente no Live. Se você estiver usando uma interface
que suporta Live, você pode usar um dos optantes suspensos na primeira coluna (rotulada Superfície de controle) para selecioná-lo a partir de uma lista.
Uma vez selecionado, o Live terá todas as informações necessárias para suportar o dispositivo. Em muitos casos, as portas de entrada e saída serão
selecionados automaticamente, mas se você precisa para selecioná-los manualmente, eles geralmente são as portas com nomes semelhantes à
superfície de controle.

Dependendo de qual controlador que você está usando, ao vivo pode precisar de fazer um “despejo preset” para o dispositivo depois de ter

seleccionado-lo, a fim de inicializar com os valores de controle corretos. Neste caso, o botão de descarga à direita ficará ativo (não

dissimulados), e você terá que clicar uma vez para fazer o despejo. A segunda parte dessa janela mostra uma lista de entrada e saída

dispositivos MIDI disponíveis no seu computador. Há colunas para os nomes de cada porta MIDI encontrado vivo, além de colunas nomeadas

Track, Sync, e remoto. Para que um dispositivo MIDI para se comunicar com o Live, tem que ser habilitado como um Track Input ou Output,

como uma fonte de sincronização, ou como um controle remoto MIDI.

Permitindo track para um MIDI meio dispositivo de entrada que você pode usá-lo como uma entrada para uma trilha MIDI. Isso seria habilitado
para algo como um teclado que você usa para tocar notas em um instrumento virtual. Permitindo trilha para uma saída MIDI permite ao vivo para
enviar dados MIDI de uma trilha MIDI para uma peça externa de hardware, como um sintetizador.

A opção de sincronização permite que a porta como uma fonte MIDI Sync ou destino. Isso terá de ser ligado por pelo menos uma porta para qualquer

uma das funções de sincronização para o trabalho. Quando utilizar a introdução Sync, o interruptor EXT aparecerá na barra de controle e pode ser

usado para forçar Live to escravo a uma fonte de ritmo externo. A última coluna, Isolado, é especialmente bacana. Ao permitir uma entrada remota,

você pode mapear qualquer um dos controles na tela do Live para um controlador físico. saída remoto é utilizado para o envio de feedback MIDI para

controladores MIDI com botões motorizados MIDI e faders, ou aqueles com codificadores de luz-up e assim por diante. Se você tem uma superfície de

controle com esses tipos de controles, mover um controle na tela com o mouse fará com que o controlador MIDI para refletir essa mudança.
Takeover Modo de ajuda com superfícies de controle de manipulação e dispositivos remotos de MIDI que não recebem um feedback MIDI.
Com esses dispositivos, movendo um controle com o mouse faz com que o controlador físico para tornar-se incompatíveis com o seu
controle na tela associada. Quando definido como Nenhum, os controles na tela se deslocará para o valor que o controlador MIDI está
enviando imediatamente. Isto é muito simples, mas pode resultar em mudanças bruscas de volume e outro parâmetro enervante saltos.
modo de Pick-up requer que você mova o controle MIDI para o valor do controle na tela, enquanto valor de escala move o controle na tela
na direção que o controle MIDI é movido, até o limite superior ou inferior seja atingido, pelo cujo ponto recomeça normais de controlo MIDI.

Pasta de arquivo

A guia de pasta de arquivos / (ver Figura 2.4 ) É usado para especificar vários locais de arquivos externos, gerenciar plug-ins, e lidar com o cache do Vivo para
arquivos MP3 decodificados.

Figura 2.4 O arquivo / guia Pasta.

Fonte: Ableton

A primeira configuração aqui, Save Conjunto atual como padrão, é usado para salvar o atual Set Live como o conjunto de modelos que será
carregada cada vez que vivo é lançado. Isto pode ser útil para pré-configurar configurações vulgarmente utilizados, tais como as atribuições
MIDI, rotas de entrada e de saída, e retalhos efeito comum (tal como equalizadores em cada canal). Note que você pode salvar apenas um
modelo neste guia Preferências. Para modelos adicionais, você pode criar conjuntos adicionais e armazená-los na pasta Modelos do seu
usuário da biblioteca. (Mais sobre isso em Capítulo 13 “Vivo 9 Potência”.)

A opção Criar ficheiros de análise permite determinar se vivo vai salvar os dados de análise de áudio para carregamento rápido no futuro. A primeira
vez que um arquivo de áudio é usado no Live, o programa irá criar uma forma de onda e realizar análises adicionais sobre o arquivo. Quando esta
opção é ativada, o Live irá armazenar essas informações em um arquivo no disco rígido do seu computador. O arquivo tem o mesmo nome e
localização que a amostra que está associado e usos .ASD como sua extensão. A próxima vez que o arquivo de áudio é usado em um Live Set,
você não terá que esperar para a apresentação gráfica para ser processado novamente porque o arquivo
A análise foi salvo.

A configuração Sample Editor é para definir a localização do seu editor onda favorito, como o Sonic Foundry Sound Forge,
Wavelab da Steinberg, DSP Quattro, ou o excelente programa freeware, Audacity. O seu editor preferido vai lançar quando
você pressiona o botão Editar em um clipe de áudio. Temporary pasta define um local para armazenar temporariamente os
arquivos necessidades ao vivo para criar no curso de sua operação. Novamente, na maioria dos casos, você não precisa
mudar isso a partir de sua configuração padrão. Esta é a pasta na qual lugares ao vivo todas as novas gravações feitas antes
de um conjunto é salvo pela primeira vez. A seção de aplicação Max permite que você diga Ableton Live onde encontrar a
instalação do programa Max Cycling 74 do que é necessário para usar Max para dispositivos Live. Depois de instalar o Max,

decodificação cache
Para que ao vivo para reproduzir arquivos MP3 de formato, eles devem primeiro ser decodificado / descompactados em arquivos WAV padrão. Esses
arquivos resultantes são armazenados no cache. Os parâmetros nessa seção determinam como Vivo irá lidar com a criação e limpeza dos arquivos
decodificados.

A primeira opção, mínimo espaço livre, é a quantidade de espaço livre que você quer sempre disponível no disco rígido. Se você definir esse 500MB,
ao vivo vai parar de aumentar o tamanho do cache de uma vez há apenas 500MB disponíveis, o que pode ser extremamente importante se você tiver
apenas um disco rígido no seu sistema de computador inteiro (freqüentemente o caso para usuários de laptop). Esta configuração irá garantir que
uma quantidade mínima de espaço disponível no disco para trocar arquivos e outras tarefas de manutenção. Como alternativa, Máximo Tamanho do
cache pode ser usado se você preferir definir um limite físico para o Cache de decodificação. Por exemplo, você pode querer certificar-se de que o
cache nunca se torna maior do que 10 GB, independentemente da quantidade de espaço em disco que você deixou.

Você vai notar que, se você adicionar um MP3 para o seu conjunto e decodifica vivê-la, ao vivo não terá que decodificar o arquivo novamente se você arrastar a
mesma MP3 em um conjunto em um momento posterior. Este recurso funciona desta forma porque o arquivo decodificado ainda está no cache. Se o arquivo
decodificado é excluído, você vai ter que esperar novamente para o MP3 anteriormente decodificado para ser decodificado novamente. Quanto maior o cache,
menos isso vai acontecer.

Plug-in Sources
Para usar plug-ins Live, você precisa ter pelo menos uma destas opções ativadas. Em OS X, Use unidades de áudio e Uso VST System Folders
permitir o uso do Ableton de plug-ins em seus respectivos formatos. PCs não pode usar unidades de áudio, e não tem uma pasta de sistema
VST, assim você terá que especificar a pasta em seu disco rígido que contém os VSTs que deseja usar. Em um Mac, você também pode
especificar um local personalizado para VSTs que podem ser usados ​em vez de ou em conjunto com a pasta do sistema.

Biblioteca

A primeira opção no separador Biblioteca é amostras coletadas a exportação (ver Figura 2.5 ). Isso afeta o comportamento de Vivo quando clipes são
arrastados da sessão ou Organizar vistas no navegador, a fim de criar novos conjuntos ou clipes ao vivo. Se for definido como Sim, vivo sempre copiar
quaisquer amostras necessárias para a nova localização, junto com os novos conjuntos ou clipes ao vivo que você está criando. Se ele é definido como
Nunca, os novos conjuntos ou clipes irá se referir aos locais originais das amostras que utilizam.

Eu recomendo definir essa preferência a fazer, que invoca uma janela perguntando se você deseja exportar
arquivos. Isso lhe dá controle adicional, e permite que você aprender fazendo.

Figura 2.5 A guia Biblioteca.

Fonte: Ableton

Locais do conteúdo
Pasta de Instalação para Packs permite selecionar onde Ableton vai instalar quaisquer novos pacotes ao vivo que você instala. Ao vivo
Packs podem conter muitos tipos diferentes de conteúdo, incluindo presets, samples, clipes e Sets. Eles podem ser baixados a partir de ab
e de alguns de terceiros fornecedores, como Loopmasters. Depois de instalar um Live Pack, seu conteúdo será acessível a partir do
browser, como explicado no Capítulo 3 “Vivo interface Basics”.

Se você estiver atualizando a partir de Live 8, você vai querer definir o local de Live 8 Biblioteca para a localização da sua Biblioteca de idade. Ao vivo 9
instala uma nova biblioteca, de forma que você precisa fazer isso para acessar suas predefinições personalizadas ou outras 8 de conteúdo ao vivo. O
Live 8 Biblioteca aparecerá na área de lugares do navegador.

A última opção aqui é a localização do seu usuário da biblioteca. Isso pode ser qualquer local em seu disco rígido. O usuário da biblioteca é onde todos os
pré-ajustes personalizados que você salvar serão armazenados, por isso é altamente recomendado que você coloque-o em um local que fica apoiado
regularmente.

A / urdidura / Tab Registro Lançamento

Como você pode imaginar, este guia contém configurações que lidam com a gravação da Vivo, deformação e funções de lançamento clipe (veja Figura 2.6 ).

Figura 2.6 A guia Record / urdidura / Lançamento.


Fonte: Ableton

Registro
A seção de registro faz várias configurações padrão referentes à forma como ao vivo de áudio registros. Toda vez que você gravar um novo áudio, seja

por meio de reamostragem ou a partir de uma entrada em sua placa de som, ele usará os parâmetros de registro definidas aqui. Primeiro, você pode

gravar em formato WAV ou AIFF. Sonoramente, esses tipos de arquivos são idênticos. Historicamente, WAVs estão associados com PC e AIFF com Mac,

mas hoje em dia a diferença é irrelevante e ambos os tipos podem ser usados ​em ambas as plataformas. Mais importante é a profundidade de bits, que

deve normalmente ser definido para 24. Aos 24 bits, você pode capturar gravações altamente detalhadas em níveis mais baixos. Se você tiver que gravar

em 16 bits por algum motivo, você precisa ser mais consciente sobre a obtenção de um nível mais elevado para o computador ao ser cautelosos para não

sobrecarregar as entradas ( “ir para o vermelho”).

A próxima opção desta seção é Contagem In. Quando definido para Nenhum, ao vivo começará a gravar imediatamente quando o transporte está
envolvida. Se você selecionar um valor aqui, como 1 Bar, Vivo irá fornecer uma barra de contagem no tempo (o metrônomo irá soar, mas ao vivo
não será executado) antes de começar a gravar. Este recurso é útil se você está gravando a si mesmo e você precisa de algum tempo para chegar
ao seu instrumento depois de ter envolvido a gravação.

Os botões exclusivos são usados ​para determinar se ou não interruptor Solo ou Braço de mais de uma faixa podem ser ativados
simultaneamente. Por exemplo, quando Solo exclusivo está ligado, apenas uma faixa pode ser solado de cada vez. Se você clicar no botão
Solo de uma outra faixa, status de solo da faixa anterior será desligado. O mesmo é verdadeiro para Braço exclusivo. Apenas uma faixa pode
ser recorde ativado quando este botão está ativo. Você pode substituir a configuração exclusiva para qualquer Solo ou Arm pressionando Cmd
/ Ctrl enquanto clica essas opções no Mixer.

O clipe Taxa de atualização é a frequência com que vivo recalcula as alterações feitas em um clipe durante a reprodução. Por exemplo, se você
transpor um clipe no Live enquanto o clipe Taxa de atualização está definido para 1/32 nota, você vai ouvir mudanças quase instantâneas para o tom
do loop no clipe. Por outro lado, a escolha de um clipe Taxa de atualização de 1/4 nota ou o ritmo ainda mais lento do Bar (ou seja, uma atualização
por medida) vai resultar em
mudanças que ocorrem mais lentamente.

Especifica registro da sessão de automação como o Ver Session se comporta quando o interruptor Arm Automation é ligada. Quando ajustado
para Tracks Armadas, automação na exibição sessão só será gravado em faixas que estão armados para a gravação. Se esta opção estiver
definida para Todas as Faixas, todos os seus movimentos botão e outro de automação serão gravados, independentemente de se as faixas estão
armados ou não.

Urdidura / Fades
Esta seção inclui várias definições relativas ao motor de urdidura da Vivo, que controla o fluxo do tempo de clipes, mantendo tudo em
sincronia.

O menu Amostras Curva / urdidura Curto determina o estado padrão de um novo clipe de áudio, seja ele um loop ou um som de um tiro. A configuração
Auto irá causar ao vivo para tentar determinar a natureza de uma amostra de importados na mosca e definir suas configurações de loop e urdidura em
conformidade. Ao vivo normalmente faz bem a determinar automaticamente as configurações de amostras curtas, e quando se comete erros, eles são
fáceis de corrigir.

A próxima opção relaciona-se com recurso Auto-urdidura do Live. Quando a opção Auto-urdidura longa Amostras está ligado, ao vivo tentará
determinar o ritmo do arquivo de áudio importados e colocará urdidura marcadores no clipe de áudio automaticamente. Isso só vai acontecer em
longas amostras-arquivos que vivo assume ser canções completas. Auto-urdidura funciona melhor com alguns tipos de materiais do que outros
(por exemplo, música de dança com ritmo clara e transientes), então o que você faz com o Live irá determinar se deseja ou não que essa
configuração ativada. Com amostras muito tempo, vivo, por vezes, comete erros que são difíceis de corrigir, então desativar esta funcionalidade
pode ser desejável. Você ainda pode usar Auto Warp, mas você vai chamá-lo manualmente, como explicado nos capítulos 5, “clips”, e 12,
“Playing ao vivo ... Live.”

Padrão Especifica o modo da urdidura que de algoritmos empenamento da Vivo serão aplicadas a novos clipes. Existem seis modos de urdidura
(batidas, tons, textura, re-passo, complexo, e pró complexo), os quais produzem resultados diferentes quando se modifica o tempo ou a
afinação de um clipe. Os modos de urdidura são explicados em detalhe em capítulo 5 . Até que você já domina estes, é muito bem deixar esta
configuração em batidas ou Tones. Finalmente, o Criar Fades no clipe Edges preferência pode ser ligado ou desligado. Na sua posição On, o
interruptor desvanece será ativado para todos os nova sessão de Visualização de clips (que cria um 4ms fixos desaparecer no início e fim) e
criará um desvanecimento editável sempre que um clipe Arrangement View é criado ou dividir. Fades são tipicamente desejáveis ​porque evitar o
estouro digitais feio que pode ocorrer ao editar ou looping de áudio. Para saber mais sobre fades, consulte Capítulo 4 , “Making Music Live.”

Lançamento
Ao ativar um clipe para o jogo, ao vivo nos dá algumas opções de chamadas modos de lançamento. O resumo completo sobre esses modos podem

ser encontrados em Capítulo 4 . Por agora, eu recomendo deixar o modo de disparo ou de alternância. A próxima configuração, Padrão

Lançamento quantização, determina o ponto padrão em que novos clipes serão lançados em relação à grade de horário. A menos que você tem

um conhecimento avançado sobre este assunto, você deve deixar este conjunto de Global, o que significa quantização do clipe seguirá

automaticamente o valor de quantização global na barra de controle. quantização lançamento é discutida em detalhe em capítulos 3

e4.

Selecione Cena Seguinte na plataforma de lançamento é um cenário projetado principalmente para performances ao vivo. Toda vez que uma cena é
lançado pelo teclado ou controle remoto, ao vivo avançará automaticamente o seletor de cena para o
abaixo dela. Se você já tiver colocado para fora as seções de sua música em um arranjo top-to-bottom na Exibição de sessão, você pode
progredir através da música com apenas um botão.

Iniciar gravação em Cena Lançamento determina se clips irá iniciar a gravação quando lançado por uma cena. Tendo esta opção
lhe permitirá lançar cenas sem gravação, mesmo que algumas faixas estão armados. Tendo esta opção ativada pode ser útil para
gravar vários clipes ao mesmo tempo, ou iniciar a gravação de uma reprodução de música e clipe em outro ao mesmo tempo.

O Tab CPU
A seção CPU de Preferências tem apenas três configurações, que o usuário médio nunca vai Touch (veja
Figura 2.7 ).

Figura 2.7 A guia CPU.

Fonte: Ableton

Multicore Suporte / multiprocessador geralmente deve ser deixado em, porque todos os computadores modernos são baseados em torno de um multicore ou
multiprocessador arquitetura. Quando desligado, o Live será forçado a executar em um único processador, o que pode ser útil para a resolução de problemas ou
servir como uma forma de acelerador Ableton Live se você estiver executando outras aplicações de uso intensivo da CPU ao lado Live. Mas em quase todos os
casos, você deve permitir que Ableton a fazer pleno uso de núcleos de CPU tudo de sua máquina.

Há também uma outra opção para ativar o suporte Multicore / multiprocessador quando você está usando o Live no modo ReWire. Tente virar
isto fora se você está tendo problemas usando o Live como um escravo ReWire com outro programa.

Licenças / Manutenção

Normalmente autorização é feita a primeira vez que você executar ao vivo, mas se você precisa fazê-lo após o fato, você pode usar
o “Autorizar a ableton.com” botões ou “Autorizar offline” na tela (veja Figura 2.8 ). autorização off-line só é necessário para
computadores que não estão conectados à Internet. Se você selecionar essa opção, o Live vai dar-lhe um código que você vai
entrar, entrando em sua ableton.com
conta e selecionando “Autorizar offline.” Você pode então baixar um arquivo que pode ser copiado para o computador offline e
abriu para autorizar Live.

Figura 2.8 As licenças separador / manutenção.


Fonte: Ableton

Manutenção
Como mencionado anteriormente na seção “Atualizando Live”, você pode ligar Obter atualizações de software para fazer ao vivo automaticamente

manter-se atualizado. As atualizações são baixadas enquanto vivo está em execução e têm efeito na próxima vez que o software é lançado. No

momento da redação deste texto, este recurso não é 100% confiável, então você ainda pode querer verificar manualmente as atualizações de tempos

em tempos. Enviar dados de uso é uma característica que anonimamente ações de configuração e informações de uso com Ableton. Os dados são

carregados quando você iniciar Live e é usado para corrigir bugs e desenvolver melhorias com base nos hábitos de uso comum.

NOTA IMPORTANTE: INÍCIO DE TRANSPORTE COM REGISTRO: Como este livro estava em seu caminho para a impressora, Ableton
acrescentou uma importante nova preferência para a guia Record / urdidura / Lançamento: Transporte Comece com Record. Esta preferência afeta
o comportamento de ambos da Record botões do Live. Quando definido On (o padrão), a gravação se comporta como descrito no resto deste livro.

Quando Iniciar Transport com registro está definido Off, clicando Arranjo Record ou Session Record irá preparar vivo para gravação sem
iniciar a reprodução. Para iniciar a gravação, você deve, em seguida, pressione Reproduzir. (Este comportamento será familiar aos
usuários de versões anteriores do Live.) Além disso, Session Record não iniciará a gravação do clipe, conforme descrito no “Botão
Session Record” do Capítulo 4 .
3Live interface Basics

O NE das realizações de DEFINIÇÃO ABLETON é ao vivo do Simple, elegante interface. Apenas dois pontos de vista são necessários para realizar
tudo no Live: Sessão de Ver e Arranjo View. Sessão de Ver é voltado para uso em apresentações ao vivo, para a
experimentação loop, e, como um bloco de notas multitrack rápida, enquanto Arranjo Ver facilita detalhado edição e canção
arranjar.

Neste capítulo, nós estaremos cobrindo as noções básicas de se locomover Live. Eu também vou mencionar algumas coisas que você não pode usar até
que você esteja mais profundamente o programa, mas, no entanto, precisam ser discutidas no início.

Antes de começarmos…

Para começar, é importante saber que um arquivo vivo é chamado de Conjunto. Quando você abre pela primeira vez ao vivo, você é apresentado
com um conjunto vazio contendo quatro faixas (duas de áudio e dois MIDI). Para o conjunto que vai adicionar elementos pré-fabricados, tais como
amostras ou clipes ao vivo, e criar novas partes em gravação de áudio ou programar partes MIDI com instrumentos virtuais. Não se preocupe se
você não sabe o que tudo isto significa. Isso é o que o livro é sobre!

Para alternar entre Session e Arranjo Views, pressione Tab. Você também pode usar os ícones de linha horizontais e verticais no
canto superior direito da tela. Mas, falando sério, usar Tab. Tente agora.

Mostrando e ocultando

Como você trabalhar com este livro, você pode notar que os números nem sempre corresponde ao que você vê na tela. Isso ocorre porque ao
vivo permite que vários elementos de interface a serem mostrados ou ocultos. No lado direito da tela do Live, você verá um conjunto de mostrar /
ocultar botões. Experimente clicar sobre eles, e você vai ver vários conjuntos de controles aparecem e desaparecem. Os retratado em Figura 3.1 são
para vários aspectos do mixer, mas isso não é ainda importante. Esteja ciente de que estes transformar-se em várias partes do programa.
Sempre que você vê-los, clique los dentro e fora para ver o que acontece.

Figura 3.1 Botões como estes aparecem em vários lugares ao vivo para mostrar ou esconder elementos de interface.

Fonte: Ableton

Nos cantos da tela (exceto para o superior direito), você vai ver um tipo diferente de mostrar / ocultar botões que contêm um triângulo (veja Figura
3.2 ). Estes são usados ​para mostrar ou ocultar o navegador, Info View, and Track / Clip View, todos discutidos mais adiante neste capítulo. Este
tipo de botão também aparece em outros lugares em toda a interface para revelar controles e recursos adicionais. Não deixe de experimentar estes
para fora como você se deparar com eles.

Figura 3.2 Alguns pontos de vista são mostrados ou ocultos usando estes triangular dobrar botões / desdobrar.
Fonte: Ableton

Finalmente, você vai encontrar todos os pontos de vista opcionais do Live podem ser mostradas ou ocultadas a partir do menu View. Abrir este menu, e
aprender os atalhos de teclado que são exibidos ao lado dos vários comandos. Você será feliz que você fez.

Trabalhando com botões, controles deslizantes e caixas

Live tem vários controles diferentes para ajustar os valores, que todos têm muito em comum, embora eles parecem diferentes (ver Figura 3.3 ).
Sliders são ajustados arrastando verticalmente, assim como você esperaria. O que pode não ser óbvia é que os botões e caixas numéricos são
arrastados da mesma forma vertical. Esses controles também pode ser ajustado por um único clique e, em seguida, usando as teclas para cima
e para baixo seta. Finalmente, caixas numéricos podem ser ajustados, basta digitar um valor, que é muitas vezes mais rápido do que
arrastando o mouse.

Qualquer controle pode ser devolvido ao seu valor padrão clicando single-lo e, em seguida, pressionando Delete. Além disso, alguns botões
têm um triângulo, que pode ser clicado para repor as predefinições (ver a Transposição botão na Figura 3.3 Por exemplo).

Figura 3.3 Todos os três destes tipos de controlo pode ser ajustado verticalmente arrastando.

Fonte: Ableton

Comandos de edição comum

No menu Editar, você verá comandos de edição do Live. Alguns destes são comandos especializados vamos discutir mais tarde, enquanto
outros são os comandos mais comuns que você vai querer saber imediatamente porque eles são usados ​durante todo o programa. Por
exemplo, Duplicate pode ser usado para fazer uma cópia de qualquer coisa que você pode selecionar com o mouse: clipes, músicas, cenas e
dispositivos. Rename funciona da mesma maneira. É bom ter o hábito de nomear coisas (especialmente faixas e clips) antes de seus
conjuntos de ficar muito grande e confuso. Ao usar Renomear, pressione Enter para confirmar o nome, Esc para cancelar, ou Tab para
confirmar o nome e saltar para o próximo objeto. Como seria de esperar, ao vivo suporta cortar, copiar e colar para mover e duplicar clips,
faixas e dispositivos bem.

Há muitos comandos de edição que podem ser aplicadas a vários objetos simultaneamente. Por exemplo, é possível duplicar vários grampos em um
passo ou para ajustar o volume de várias faixas simultaneamente. Para selecionar vários objetos, mantenha pressionada a tecla Ctrl (Cmd), enquanto
clicando sobre eles. Como alternativa, Shift-clique pode ser usado para selecionar um intervalo. Em outras palavras, para selecionar faixas de 1 a 8,
clique na barra de título da faixa 1 e, em seguida, Shift + clique na barra de título da faixa 8.

menus de contexto
menus de contexto contêm uma lista de comandos relevantes para um determinado objeto. Eles são uma parte muito útil da interface do Live
and são algo que você deve planejar em se tornar muito familiarizado com. Por exemplo, o menu de contexto para uma faixa contém
comandos para criar faixas adicionais, bem como comandos para excluir ou duplicar a faixa selecionada.

menus de contexto são tipicamente invocado clicando com o mouse. Se você estiver em um Mac, você pode precisar configurar o seu teclado OS X
e as preferências do mouse para ativar o botão direito do mouse, ou você pode Control-clique com o botão esquerdo do mouse em seu lugar. Se
você estiver usando um MacBook, você também pode configurar o trackpad para registrar um botão direito do mouse quando você clicar com dois
dedos.

A informação Visualização

Info View é um monitor retrátil no canto inferior esquerdo da Vivo, que fornece informações sobre o que quer controlar o mouse está
pairando sobre (ver Figura 3.4 ). A informação apresentada aqui é breve, mas muito útil, e mesmo se ele não responder a cada
pergunta, ele pelo menos lhe dirá o nome da coisa que você está olhando, que é uma grande ajuda se você quiser procurá-lo neste
livro ou (surpresa!) no manual Live.

Eu recomendo fortemente que você mantenha a visão Informações aberta enquanto aprende Live. O "?" chave pode ser usada para escondê-lo
rapidamente para proteger a sua reputação quando um amigo olhares sobre o seu ombro.

Figura 3.4 Info View pode ser escondida ou expandido para dar-lhe pedaços rápidas de sabedoria pertinente Live.

Fonte: Ableton

A Ajuda Ver
Esta visão pode ser aberta selecionando Ajuda Ver a partir do menu View (ver Figura 3.5 ). Essa visão difere do manual em que ela
oferece passo a passo tutoriais organizados por tarefa, como a gravação ou batidas de programação. Explorando esses tópicos é
altamente recomendado para novos usuários ou usuários experientes que se deslocam para uma nova área do programa. Certifique-se
de rolar para o fundo da Ajuda Ver e clique no link que diz “Mostrar tudo embutido lições” para ver todo o conteúdo incluído.

Figura 3.5 The Help View oferece lições úteis e guias de referência.
Fonte: Ableton

sessão de Ver

do Live Session View (por vezes referido como o Sessão para o short) é muito mais do que apenas uma ferramenta para performances ao vivo.
É o ponto de partida para muitas composições, onde as idéias são esboçadas e rapidamente capturados sem se preocupar sobre como e onde
eles podem ser usados ​na produção final. A próxima fase do processo é tratado no Acordo de vista, mas não há necessidade de se preocupar
com isso agora. Apenas se concentre em se divertindo na Exibição de sessão.

ESPAÇO OUT: A barra de espaço começa e pára de áudio no Live, como acontece na maioria dos outros aplicativos de software de áudio.

Clipe grade de entalhe

característica definidora da Sessão View é a grade que cobre a maior parte da tela. grade da Vivo ranhura clipe é uma paleta em cima de
que para criar, organizar e experiência com as cores sonoras que acabará por se tornar sua obra-prima. Assim como um pintor vai
misturar cores antes de começar a pintar, produtores de música de hoje, muitas vezes, reunir e criar sons atraentes na grade fenda clipe
antes de dar forma a uma música.

Cada célula da grade mostrado na Sessão de Ver-Ableton os chama slots de clipes -pode incluir um grampo (ver Figura 3.6 ). Um clipe é
uma peça de áudio ou MIDI que pode ser lançado através do rato, teclado de computador, ou controlador MIDI. Tente arrastar alguns
loops de fora do 9 Potência vivo! Ao vivo Pack e
soltando-os em lugares de arquivo. Em seguida, lançá-los clicando em seus triangulares botões “play”. (Para mais informações sobre clips de
carregamento em slots, leia “O Navegador” mais adiante neste capítulo.)

Figura 3.6 A grade ranhura grampo com algumas grampos carregados em algumas ranhuras. Cada clipe tem o seu próprio botão de lançamento.

Fonte: Ableton

Cada slot vazio contém um botão de parada quadrado. (A parte inferior da grade fenda clipe também contém uma linha permanente de botões de

parada que permanecerá visível mesmo que você tenha preenchido todos os fenda na grade acima.) Ao clicar no quadrado em um desses slots irá

causar qualquer jogo clipe na trilha acima dela para parar. Além disso, há uma outra caixa chamada clipes parada na pista principal à direita. Este

botão, como o próprio nome indica, irá parar todos os clipes de-áudio e MIDI, quando acionado. Não há outra maneira de parar um clip-lançando um

clipe diferente na mesma coluna ou acompanhar. Em outras palavras, o Live permite apenas um clipe de cada vez para reproduzir em qualquer pista.

Isto significa que a qualquer momento que você tem dois clipes que você quer jogar ao mesmo tempo, eles devem estar em faixas separadas. É por

isso

Figura 3.6 é organizada como se mostra, com as peças de tambor em uma faixa, as partes de baixo de uma outra, e assim por diante.

Faixas e Cenas
As colunas da grade são referidos como faixas, enquanto as linhas são chamados cenas. O tipo de pista determina que tipo de clipes que ela contém:
As faixas de áudio só pode conter clipes de áudio, enquanto trilhas MIDI são estritamente para clips MIDI. Há também os tipos de faixas que não
pode conter clips em tudo, mas nós vamos chegar a aqueles em Capítulo 6 “Tracks e roteamento de sinais.” Nós também estará recebendo ainda mais
para o funcionamento das cenas mais tarde, mas por enquanto só sei que cenas são uma maneira prática de organizar idéias musicais. Por exemplo,
quando você tem um tambor, baixo, e parte do teclado que funcionam bem juntos, arraste em torno dos clipes na grade para o que você gosta estão
todos na mesma cena.

O Lançador Cena
No lado direito da tela, você verá uma faixa especial chamado Mestre. Cada slot nesta faixa tem um botão Cena de Lançamento, que é usado para
lançar cada clipe na cena em simultâneo (ver Figura 3.7 ). Quando você inicia uma cena, desta forma, é como se você clicou em cada clipe de
caça-níqueis, mesmo os vazios contendo botões de parada. Portanto, o lançamento de uma cena também interrompe a reprodução em quaisquer
faixas que não têm um clipe naquela cena em particular. Passe um pouco de tempo de jogo com este, e você vai ter uma noção de quão
poderoso esse recurso é para organizar rapidamente idéias musicais.

Figura 3.7 Clique no triângulo para lançar todos os clipes na cena (linha).
Fonte: Ableton

o Mixer
misturador do vivo (ver Figura 3.8a ) É composto de várias seções, que podem ser mostradas ou ocultadas de forma independente usando o menu
View, ou os botões mostrados na Figura 3.1 . Uma dessas seções é chamado
batedeira e contém os controlos de mistura de base, tais como o volume. Quando me refiro à Mixer (com um capital “M”), estou me referindo a este
componente, enquanto outras referências para o misturador está considerando o todo conceitual. Live tem vários tipos diferentes de faixas
(abordados em detalhes em Capítulo 6 ), Alguns dos quais têm características únicas do mixer, mas a maioria deles compartilha os controles
mostrados na Figura 3.8B .

Figura 3.8a Aqui está o misturador com cada seção mostrada. Cada uma destas secções é explicado nas páginas seguintes.

Fonte: Ableton

Figura 3.8B Um canal misturador totalmente expandida.

Fonte: Ableton

Como muitas características do Ver Session, o mixer também está disponível no Acordo View. No entanto, a Vista
Session é mais intuitivo de usar para muitas tarefas e oferece alguns recursos adicionais. Vou usar o termo Sessão
Mixer quando é necessário diferenciar os dois.
Vamos dar uma olhada em cada seção agora.

batedeira

Volume: Arraste para ajustar o volume de uma faixa, ou digite um valor de decibéis no display numérico se você estiver na
visualização expandida.

Pan: Arraste para mover o sinal para a esquerda ou direita no campo estéreo.

Pista Activator: Na maioria dos misturadores, este é referido como a chave “mute”. Quando desligado, a pista é silenciado.

Só: Ativando mudos Solo todas as outras faixas. Se você quiser Solo mais de uma faixa de cada vez, Cmd + clique (Ctrl + clique) o
interruptor Solo, ou alterar a preferência exclusiva no separador Record / urdidura / Lançamento do diálogo Preferências. Este botão
pode ser alternado para agir como um interruptor Cue, como explicado no Capítulo 6 .

Braço: Permite que novos clipes para ser gravado. Se você quiser Arm mais de uma faixa de cada vez, use Cmd + clique (Ctrl +
clique) ou alterar a preferência exclusiva no separador Record / urdidura / Lançamento do diálogo Preferências. O botão Arm
também pode ser usado para permitir a gravação da sessão de automação, que é discutido em Capítulo 4 , “Making Music Live.”

Se você clicar e arrastar a borda superior do Mixer Session para cima, você pode redimensioná-la melhor para ver os níveis quando a mistura
(ver Figura 3.8B ). Quando redimensionado, o visor aparece Peak Nível, indicando o nível máximo atingido durante a reprodução. Clique em Peak
Nível para redefini-la.

envia
Sends são usados ​para encaminhar o áudio em faixas de retorno, que são cobertos em Capítulo 6 . Por exemplo, se você transformar-se Enviar A em uma
faixa de bateria, o áudio dessa faixa de bateria vai agora sair de Retorno Um bem. Este recurso é normalmente usado para o processamento de efeitos, em
particular para adicionar efeitos baseados no tempo, tais como reverb e atraso.

Input / Output
A seção de entrada / saída é usado para a gravação e para várias técnicas avançadas de roteamento. O áudio de seção é
usada para especificar a fonte que uma faixa receberá sinal (entrada), enquanto áudio Para determinar onde o sinal da pista
vai (Output). Áudio De consiste em dois menus: Tipo de entrada e canal de entrada.

Em faixas de áudio, tipo de entrada determina a fonte que a pista irá gravar ou monitor, enquanto canal de entrada é usado para
especificar uma entrada específica da fonte selecionada. Por exemplo, se você quiser gravar uma guitarra que está ligado à entrada 2
da sua placa de som, você selecionar Ext. Entrada no menu superior e 2 do segundo.

Para faixas MIDI, o tipo de entrada é usado para selecionar qual dispositivo MIDI que você vai usar para gravar uma performance. Por padrão, isso é

definido para Todos Ins (que significa Todas as entradas), que normalmente funciona muito bem, a menos que você tem uma configuração muito

complexo, com um monte de artes MIDI. Você pode então usar Canal de Entrada para a entrada limite para um canal MIDI específico, ou deixá-lo no

padrão, que recebe todos os canais. Áudio Para consiste em Tipo de saída e canal de saída. Assim como as entradas, estes podem ser usados ​para

encaminhar o áudio para saídas externas em sua placa de som ou MIDI de hardware externo. Também é possível encaminhar sinais para outras faixas

dentro do conjunto, mas eu vou explicar o como eo porquê dessa técnica em Capítulo 6 .
Você pode notar que o menu canal de saída está desativado por padrão. Isso ocorre porque duas definições de acompanhamento padrão do Live são
mestre e nenhuma saída, nenhuma das quais tem configurações de canal. Se você escolher um diferente tipo de saída, o segundo menu será ativado.

Os controles seção Monitor ou não o sinal do áudio de pode ser ouvido através do misturador do Live. Ele tem três
modos:

No: A fonte de entrada é transmitido através do misturador em todos os momentos.

Auto: A fonte de entrada é transmitido através do misturador se a faixa está armado para a gravação, e
não há clipe jogo de volta na pista.
Fora: A fonte de entrada nunca é passada através ao misturador.

Se você é um engenheiro experiente, estes modos deve ser bastante familiar. Se não, não se preocupe. Basta deixar suas faixas definidas como
Auto (o padrão). Eu estarei explicando diferentes configurações de roteamento conforme necessário ao longo do livro, e você pode consultar aqui
se você não se lembra o que os diferentes modos de dizer.

crossfader
Vivo também possui um crossfader DJ-estilo. Durante muitos anos, crossfaders analógicos têm sido utilizados por DJ para
permitir a mistura das duas faixas em conjunto, com um gesto simples. DJs scratch ter tomado técnica crossfader para níveis
incríveis, transformando o aparelho em um instrumento musical. crossfader da vivo consiste em dois componentes: o próprio
crossfader (localizado na parte inferior da faixa principal), e o Crossfader Atribuir muda na parte inferior de cada uma outra
faixa. Para usá-lo, você terá de faixas atribuir a ambos o A (esquerda) ou B (direita) lado do crossfader. Conforme você move
o crossfader para a direita, você aumentar o volume de todos os canais definidos para B, enquanto diminui o volume de todos
os canais definidos para A. O inverso é verdadeiro quando você movê-lo para a esquerda.

Abrindo menu de contexto do crossfader revela os modos de transição, os quais determinam a curva de volume utilizado ao fazer a
transição entre A e B. constante, mergulhado, e Intermediário são curvas que lentamente alterar o volume em toda a gama do
crossfader. Com todos os três destes modos, há uma redução de ganho para ambos os lados na posição central (mergulhado reduz
ganhar mais, Constant o mínimo) para compensar o volume sobrecarregar você pode obter a partir de mistura juntos duas fontes
poderosas (como pistas de dança). Corte rápido, Cut lenta, e lento fade tem ambas as fontes no máximo amplitude antes da posição
do centro é atingido. Lenta desvanece-se fornece a maior quantidade de transição entre os dois, com corte rápido fornecendo quase
nenhum.

pista Delay
Pista Delay não é um controle de mixer no sentido tradicional, mas oferece um serviço muito valioso no mundo do áudio digital. Ele permite que a
saída de um canal para ser retardada ou avançada por pequenas quantidades de tempo (medido em milissegundos ou amostras) para
compensar hardware lento, o plug-ins que geram latência excessiva, ou como uma ferramenta criativa. (Teoricamente, ao vivo pode compensar
automaticamente para todos os plug-in de latência, mas isso depende do plug-in relatar com precisão a sua latência para Live, que nem todos os
plug-ins de fazer.)

Os valores positivos fazer a reprodução da faixa de volta mais tarde, enquanto valores negativos torná-lo jogar mais cedo. Por exemplo, você pode estar
enviando MIDI para um sintetizador externo e ouvir que ele está respondendo tarde e
bagunçar o groove. Definir espera pista para -50ms para trazê-lo em sincronia. Ou talvez você tem um clipe oi-hat que você acha que soaria melhor
se ficado um pouco atrás da batida. Defina seu atraso Faixa de 10ms para adicionar um pouco de vibração.

Note-se que, a fim de ouvir os efeitos da faixa Delay, Delay Compensation deve ser ativado no menu Opções. Para fazer o
Delay Faixa ajuste visível na parte inferior de cada faixa, selecione a opção Faixa Atraso no menu View.

arranjo Ver

Iniciantes podem pensar nele como de meramente ao vivo “outro” janela, mas Arranjo Vista (às vezes chamado de Arranjo para o
short) é extremamente importante. É o lugar onde as decisões finais sobre a composição e arranjos são feitos, e onde as canções
são concluídas. Se Session View é a tela criativa espontânea cócegas direito do cérebro, Arranjo View é o estimulante analítica
esquerda-cérebro-“retoques” lado do Live.

Você pode notar que o Vivo Arranjo Ver se assemelha outras aplicações multitrack (ver
Figura 3.9 ). Estes programas, como o Cubase, Logic e Pro Tools, são baseados em, arranjadores de áudio horizontais esquerda para a direita
(também chamados Linhas do tempo). Se você gosta deste método de trabalho, você será bem em casa fazendo música no Acordo.

Figura 3.9 Arranjo do Live View é onde as canções são terminou. Cada linha horizontal em Arranjo Ver representa uma faixa que corresponde a um canal vertical no
misturador de sessão.

Fonte: Ableton

Para quem não leu a legenda da figura, aqui está ele novamente: Cada faixa na Session View corresponde precisamente ao seu homólogo
de pista em Arrangement View. Se você tem oito faixas da sessão View, você terá oito faixas em Arrangement View. Você pode adicionar
uma faixa em qualquer ponto de vista, e ela vai aparecer na outra.

Clipes podem ser adicionados a este ponto de vista, arrastando e soltando (assim como você faria em Ver Session), ou usando um método
chamado Arranjo Record, que permite que um arranjo a ser criado de forma interactiva com o lançamento de clipes e controlos de ajustes, como
volumes de faixas e parâmetros de efeito. Enquanto este é um tema bastante profundo, os princípios são muito simples. Tente isto:

1. Clique em Arranjo Record, o botão sólida circular “record” no topo da tela (ao lado do Play e Stop).

2. Lançamento alguns clipes na vista de sessão e ajustar alguns volumes de faixas.


3. Pressione a barra de espaço para parar e pressione Tab para alternar para o Arranjo View.

4. Você vai ver cada clipe que lançou definidos esquerda para a direita na linha do tempo, eo movimento de cada volume que você ajustado
representada como uma linha vermelha chamada automação.

Quando você iniciar a reprodução enquanto olha para o seu novo arranjo, ao vivo pode não fazer exatamente o que você espera. Em vez de
reproduzir o arranjo que acabou de gravar, ao vivo ignora e retoma a reprodução dos mesmos clipes que estavam jogando para trás quando
você parou a gravação. Confuso? Excelente. Todo mundo está neste momento!

Para ouvir o arranjo, você terá que clicar em Voltar para Arranjo, como visto em A Figura 3.10 . Uma vez que você faz, você vai
imediatamente começar a ouvir o Arranjo ver clips de reproduzir, e você vai notar também que pop em cores em vez de ser esbatida
para fora como eram antes. Então, o que está acontecendo aqui? Leia mais e eu vou explicar.

A Figura 3.10 O botão no canto superior direito desta figura é chamado Voltar ao arranjo. Este controle todos importantes permite ouvir o conteúdo do Arranjo View.

Fonte: Ableton

Relação ao Ver Session


Embora o arranjo e Session Visualizações pode parecer muito diferente, eles estão intimamente relacionados. A principal diferença é a forma como
eles lidam com clips. Arranjo Vista lida com eles de uma forma linear: Grampos de jogar na ordem em que aparecem na linha do tempo, da esquerda
para a direita. Sessão de Ver é um animal não-linear: clips são lançados de forma interativa para jogar em qualquer ordem desejada. Ambas as
visões permitem que você coloque vários clipes em uma faixa, mas em qualquer pista, apenas um clipe pode reproduzir em um momento.

Na Exibição de sessão, isto é visto em um comportamento descrito anteriormente de lançamento de um clipe pára a reprodução de qualquer
actualmente a jogar clipe na mesma faixa. No arranjo Ver este comportamento pode ser demonstrado, arrastando um clipe e deixá-la cair em
cima de um clipe existente. O clipe que você caiu
substitui o que havia antes. Eles não podem “sobreposição” e ambos jogo simultaneamente. A mesma regra aplica-se aos clipes na
sessão e Arranjo Views. Como mencionado anteriormente, os dois pontos de vista são apenas diferentes maneiras de olhar para o

mesmo conjunto de faixas. Portanto, qualquer pista pode ter um back clipe de jogo do Ver Session ou do acordo View, nunca os dois

simultaneamente. A fim de ouvir clipes de reproduzir a partir da Arrangement View, você precisa explicitamente dar controle para

Arrangement View; caso contrário, os clipes na vista Session vai vencer. Isso leva algum tempo para se acostumar, e como todas as
regras boas, há um par de exceções. Mas não se preocupe! Continue a ler e praticar o uso do programa. Tudo vai fazer sentido,

eventualmente, eu prometo. Durante a reprodução de um acordo, você está livre para voltar à Vista Session para clips de

lançamento. Quando você fizer isso, duas coisas vai acontecer no Arranjo para mostrar que clipes do Session tomaram conta: os

clipes no Convénio serão esmaecido (acinzentado), e um botão triangular “play” irá aparecer no lado direito da pista (ver A Figura

3.11 ).

A Figura 3.11 A faixa superior foi substituído por um clipe na sessão.


Fonte: Ableton

Para ouvir o que está acontecendo no Arranjo novamente, você tem duas escolhas. Clique em Voltar para Disposição (como descrito acima)
para restaurar o Arranjo para todas as faixas, ou clique no botão triangular à direita para restaurar uma faixa individual.

Esta relação entre as duas visões significa que você pode organizar uma canção no Acordo de vista, mas voltar à vista da sessão a qualquer
momento para fazer novas experiências. Por exemplo, talvez você não está louco por uma faixa de percussão em uma música que você está
trabalhando. Apenas a cabeça de volta para a exibição Sessão para lançar alguns loops de percussão enquanto ouve o seu arranjo. Se você
encontrar algo que você gosta, bateu Arranjo Record para substituir a peça. Quando estiver pronto, use os métodos descritos anteriormente
para retornar controle para o arranjo.

O Arranjo Mixer
controles de mixer O Arranjo do Vista estão localizados no lado direito da tela, como visto na Figura
3.12 . Note também que há uma triangular switch “desdobrar”, que é usado para ampliar a faixa de modo que todos os controles de mixer são
visíveis, e uma visão detalhada dos clipes em que a pista pode ser visto também.

A Figura 3.12 Todos os controles de mixer pode ser acessado a partir Arrangement View.

Fonte: Ableton

Cada controle de mixer visto na sessão também está disponível no Acordo. A única diferença é visual: Os controles foram
transformados em seus lados e são representadas por valores em vez de controles gráficos. Também, ao contrário Session View, o
envia são exibidos como parte da seção Mixer.

Clipe Ver e Track View

A parte inferior da tela é compartilhada entre dois pontos de vista: o Clip View, que permite a manipulação detalhada de
áudio e MIDI, ea vista Track, que é para trabalhar com dispositivos como efeitos e instrumentos.

Para acessar o Clip View, clique duas vezes em um clipe. Na sessão, você pode clicar duas vezes em qualquer lugar, mas no botão de lançamento,
enquanto no Arranjo, você pode clicar em qualquer lugar exceto para a exibição de forma de onda / MIDI que é visível quando a pista é desdobrado.

O ponto de vista da trilha é acessada clicando duas vezes na área de topo de uma pista onde seu nome é mostrado (o chamado Barra de titulo). Você
pode facilmente alternar entre essas exibições usando o atalho de teclado Shift-Tab. Ambas as visões podem ser ocultadas ou mostradas pressionando
Cmd + Option + L, ou através da secção de detalhe do menu View.
A melhor maneira de entender como essas duas visões trabalhar juntos é pensar do Track View como acontecendo “depois” da Clip View.
Por exemplo, digamos que você tem um baixo circuito jogo de volta em uma pista. O Clip View é onde você iria mudar o circuito em si,
modificando seus pontos chave, cronometragem, e loop. O som, em seguida, flui para o Track View e é processado por quaisquer efeitos
que você adicionou. No caso de clips MIDI, não há áudio fluindo para fora do clipe; Ao contrário, é de dados MIDI, que é como um conjunto
de instruções (por exemplo, o que notas para jogar quando). Estas notas fluem em qualquer instrumento está hospedado na Vista Track,
que, por sua vez, produz som e envia-lo para o Mixer.

O Clip View
Quando o Clip View é aberto, ele mostra os detalhes de tudo o clipe é selecionado atualmente no Session ou Arranjo (Veja A Figura 3.13 ). No
canto inferior esquerdo, há parâmetros utilizados para mostrar e ocultar as diferentes seções: Lançamento, Sample (para áudio), Notas (para
clipes de MIDI), e os envelopes. Quando você está no Acordo, a caixa de Lançamento não é mostrado desde as suas configurações são
relevantes apenas na sessão.

A Figura 3.13 Aqui está o Clip View para um clipe de áudio.

Fonte: Ableton

Os parâmetros no Clip View é um grande assunto que vamos fazer a cobertura ao longo dos próximos três capítulos. No início, tudo o que é

importante saber é que este é o lugar onde você refinar, ajustar, e clipes individuais mangle. Lançar um clipe de áudio, e em seguida, explorar este

ponto de vista e experimentar um pouco. Acionar o Transposição botão, e você vai ouvir a mudança de tom imediatamente. Ao lado de

Transposição, há um controle deslizante de volume, que pode ser usado para ajustar o volume deste clip somente (ao contrário do controle de

volume no Mixer, que irá alterar o volume para qualquer volta clipe jogo em que faixa). Pressione o botão marcado Rev. para fazer as costas de

reprodução de áudio.

O Track View
O Track View é o lar de dispositivos: efeitos de áudio, Efeitos MIDI, instrumentos e plug-ins (ver
A Figura 3.14 ). Até que você adicione alguns dispositivos, o Track View estará vazia, exceto por uma legenda que diz-lhe que tipo de dispositivos a
pista vai aceitar. faixas de áudio só pode aceitar Efeitos de áudio, enquanto as faixas MIDI podem usar qualquer tipo de dispositivo. Signal flui da
esquerda para a direita na Track View, passando de um dispositivo para o outro.

Para ver o Track View em ação, clique em visualizar os efeitos de áudio no navegador e arraste um dispositivo de efeito em uma faixa. Todos os
clipes reproduzidos nesta faixa vai agora ser processado por este efeito. Nós estaremos discutindo efeitos e instrumentos em maior detalhe nos
capítulos 8, “da Vivo Instruments”, e 9, “Efeitos de áudio de viver”, mas por enquanto tudo o que é importante é se divertir e experimentar.

A Figura 3.14 Aqui está o Track View com um par de dispositivos de efeito carregados no.
Fonte: Ableton

o Navegador

Antes de começar a se divertir com Session e vistas Arranjo, é importante para se familiarizar com portal de conteúdo da Vivo, o Navegador. A
janela do navegador (veja Figura 3.15 ) Fornece os meios para o acesso de todos os elementos que você vai adicionar a um Live Set tais como
amostras, arquivos MIDI, da Vivo built-in dispositivos (instrumentos, efeitos MIDI e Efeitos de áudio) e plug-ins de terceiros. O navegador está
disponível em ambos os modos de exibição de sessão e Arranjo, e pode ser escondido para economizar espaço quando não estiver usando.

Figura 3.15 O Browser é para acessar todo o conteúdo e dispositivos que você vai usar em Live.

Fonte: Ableton

navegação básica do navegador deve ser familiar para qualquer pessoa com um conhecimento de trabalho de Windows Explorer ou no Finder no
Mac. Qualquer produto contendo conteúdo adicional (tal como uma pasta) tem um triângulo à sua esquerda, a qual pode ser clicado para
“desdobrar” o produto e exibir o conteúdo dentro. As teclas de seta esquerda e direita pode ser usado para dobrar e desdobrar também.

O navegador também pode executar funções semelhantes às do Explorer ou do Finder. Você pode arrastar e soltar arquivos e pastas de
um local para outro, bem como renomear e apagar arquivos. Botão direito do mouse em um Live Set ou outro arquivo no navegador irá
abrir um menu contextual com opções para criar pastas e outras tarefas comuns.
Categorias e Lugares
A área esquerda do Navegador é dividido em duas seções: Categorias e lugares. Abaixo destas posições, você verá uma lista de ícones que eu vou
referir como Visualizações. Categorias é um conjunto fixo de visualizações para explorar diferentes tipos de conteúdo, enquanto Places contém vistas
para explorar o conteúdo pela posição ao invés de tipo. Vamos dar uma olhada em lugares primeiro.

Lugares
Places é personalizável, mas por padrão ela só contém os seguintes pontos de vista:

packs: Ao vivo embalagens contêm conteúdo para o Live como presets e amostras. Esta visão permite que você visualize todos os
pacotes que você instalou e navegar seu conteúdo. Como você carregar o seu computador com Packs, você encontrará esta uma forma
incrivelmente útil para explorar.

Biblioteca Usuário: New to Live 9, esta área convenientemente separa o seu conteúdo pessoal daquele instalado pelo Live ou add-on ao vivo
Packs. Sempre que você salvar suas próprias predefinições do dispositivo, lojas de vivê-los no usuário da biblioteca. Para presets que têm
associados arquivos de amostra (como presets mais simples), os arquivos de exemplo são copiados aqui também. Esta área é também o lar
de itens, tais como padrões e corta Presets.

Projeto atual: Esta visualização exibe tudo contido dentro da pasta do projeto do Conjunto aberto no momento. Normalmente, isso é
amostras e conjuntos, mas outros arquivos de sua escolha podem ser armazenados aqui também. (Para mais informações sobre pastas
de projeto, consulte “Salvando seu trabalho” mais adiante neste capítulo.)

Live 8 Biblioteca: Para os usuários que atualizarem do Live 8, este irá apresentar a Biblioteca de idade. Se você tem um 8 Biblioteca
vivo, mas ele não aparece aqui, visite o guia Biblioteca da tela Preferências para localizá-lo.

Você também pode adicionar qualquer pasta de seu disco rígido para lugares usando a opção Pasta Adicionar na parte inferior. Por exemplo, você pode
querer adicionar bibliotecas de amostra ou pastas de música de DJ. Pastas adicionadas aqui serão digitalizados e adicionado ao banco de dados da Vivo, o
que pode demorar um pouco se as pastas são grandes. Esta funcionalidade permite a pesquisa rápida, e também permite que o conteúdo seja mostrado nas
apropriadas áreas navegar.

categorias
As categorias área exibe tanto de fábrica e de conteúdo instalado usuário, por categoria:

sons: Esta vista mostra fábrica da Vivo instrumento e instrumento da cremalheira presets organizados por tipo de som. Veja os
Capítulos 7, “Utilizando efeitos e Instrumentos”, e 8, “Instrumentos de viver”, para mais informações sobre os instrumentos e
Racks.

Bateria: Aqui você encontrará Drum Rack presets, bem como uma pasta chamada “batidas de tambor.” Esta pasta contém
samples de bateria (com .WAV e extensões .aif) e presets de bateria individuais (com extensões .ADG) para adicionar ao seu
tambor Racks.

Instrumentos, efeitos de áudio, Efeitos MIDI: Esta vista apresenta ao vivo do built-in dispositivos, que são descritos em detalhes nos
capítulos 8, 9 e 10. Os dispositivos podem ser desdobrado para mostrar pastas que contêm os seus presets. presets de instrumentos salvo
no usuário da biblioteca será exibido em seu dispositivo associado em uma pasta chamada “Usuário”.

Max para o Live: Neste ponto de vista, você vai ver que Max para dispositivos vivas são categorizados por Instrumento, Efeito de áudio e Efeito MIDI,
assim como dispositivos de built-in do Live. A verdade é que estes dispositivos podem ir além de qualquer uma dessas categorias e se estendem ao
vivo em todos os tipos de formas selvagens e maravilhosos.
Plug-ins: Este é o lugar onde você acesse seus efeitos de software de terceiros e plug-ins. Você pode usar uma grande variedade de terceiros
plug-ins com ao vivo, em qualquer VST (PC / Mac) ou (apenas Mac) AU formatos. Os plug-ins podem ser tanto instrumentos ou efeitos, mas não
são automaticamente separados em categorias. Para diferenciá-los, você vai perceber que instrumento plug-ins tem um pequeno teclado de
piano em seu ícone, enquanto os efeitos não. Como built-in dispositivos, plug-ins pode ser desdobrado para revelar presets, mas normalmente
tudo que você verá são predefinições que criou a si mesmo, já que a maioria dos plug-ins gerenciar predefinições de fábrica internamente.

Clipes: Clipes Live são peças musicais salvos em um formato especial que lhes permite também contêm dispositivos e automação (que
não podem ser salvos com áudio padrão ou arquivos MIDI). Tenha em mente que, enquanto clipes ao vivo pode ser de áudio ou MIDI,
não há nenhuma maneira de diferenciá-las no navegador, então você vai ter que entrar e experimentá-los.

amostras: Aqui você verá todos os arquivos de áudio na Biblioteca Viva, a biblioteca do usuário, e quaisquer pastas que você adicionou ao Places.
Isto é tipicamente uma lista bastante gigantesco de arquivos, por isso é usado principalmente em conjunto com a função de pesquisa descrito a
seguir.

Procurando por arquivos


Mesmo com todos os pontos de vista práticos oferecidos pelo navegador, você ainda vai encontrar a função de pesquisa bastante útil. Para começar, basta
digitar algo na caixa de pesquisa no topo do navegador. Assim que você começa a digitar, você verá uma nova exibição chamada Todos os resultados aparece
no navegador (veja a A Figura 3.16 ). Como seria de esperar, essa visão mostra todos os arquivos contendo o termo de pesquisa, independentemente do
seu tipo.

A Figura 3.16 Pesquisando a palavra “pad” e selecionando Todos os resultados na esquerda mostra-te cada ficheiro de cada lugar que tem “almofada” em seu nome.

Fonte: Ableton

O verdadeiro poder do navegador é revelado clicando nos outros pontos de vista, que irá mostrar uma lista filtrada de conteúdo
correspondente seu termo de busca. Para a pesquisa mostrada na A Figura 3.16 , Clicar em Sons irá revelar uma lista de pastas que
contêm presets com “pad” no nome. O mesmo vale para o Places. Ao combinar termos de pesquisa com filtrando por tipo (Procurar) ou
localização (Places), você deve ser capaz de encontrar tudo o que precisa sem muito sofrimento.

visualização Tab
O guia de visualização está localizado na parte inferior do navegador. A pré-visualização pode ser alternada e desligando por
clicando nos fones de ouvido ícone mostrado na A Figura 3.17 . Quando ligado, o ícone fica azul, e você vai ser capaz de ouvir os sons que você está
navegando imediatamente. Os arquivos de áudio (como o que você encontraria nas amostras visualizar) irá reproduzir automaticamente quando
selecionado, e uma imagem da forma de onda aparecerá à direita dos fones de ouvido. No caso dos clipes ao vivo, nesta mesma área irá exibir as
palavras, Clique para visualização. Você pode seguir esta instrução, ou use a tecla de seta para a direita para iniciar a reprodução.

A Figura 3.17 Visualização do navegador permite que você ouvir clipes de áudio ou MIDI, quer ao andamento do projeto atual ou o seu tempo original.

Fonte: Ableton

QUICK PREVIEW: A seta para a direita pode ser usado para visualizar arquivos individuais quando o interruptor de visualização é desengatada.

Cada preset instrumento (encontrado em Sons ou Instruments) instaladas com o Live 9 tem uma prévia snippet construído dentro. Ao
visualizar, você vai ouvir um de dois segundos amostra de meio instrumento jogo
C. Para Drum Rack presets, você vai ouvir um loop de uma batida que está sendo jogado com esse kit particular. Presets de versões mais antigas do

vivo, ou aqueles criados por terceiros, não pode ter trechos de visualização. Quando você se deparar com estes, você vai ter que adicioná-los ao seu

conjunto e testá-los, a fim de ouvi-los. Se você usar pré-visualização durante a reprodução, ao vivo começará a pré-visualização no início do próximo bar

e tentar jogar a pré-visualização no atual Master Tempo. Com conteúdo de fábrica e loop bibliotecas, esse recurso deve funcionar perfeitamente, mas

para arquivos mais longos e de conteúdo onde vivo não pode determinar necessárias informações entortamento, não pode. Se você quiser visualizar uma

grande quantidade de conteúdo de forma rápida, é melhor parar o seqüenciador em primeiro lugar.

Cueing THE MIX: Você pode ajustar o volume de loops ouvido via recurso de visualização do Vivo girando o botão de volume Preview /
Cue na pista principal. Na sessão View, esse controle aparece como um botão com fones de ouvido ao lado dele.

Em uso
Itens do navegador são adicionados em conjuntos, arrastando e soltando-os em faixas. Também pode fazer duplo-clique, mas eu

recomendo fortemente utilizando arrastar e soltar até que você esteja bastante familiarizado com a obtenção em torno do programa. Clique

duas vezes em nem sempre faz o que você esperaria, e pode ser um pouco confuso. Obviamente, existem algumas coisas diferentes no

navegador, e você precisa saber mais sobre os detalhes de cada um antes de entender o como eo porquê de usá-los em um conjunto.

Tudo o que você precisa saber será explicado nos próximos capítulos.

A barra de controle

Correndo na parte superior da tela é a Barra de controle, que lida com todas as funções comuns de transporte (start / stop, posição de
reprodução, loop, tempo), juntamente com importantes informações do sistema e ferramentas úteis, como tap tempo e um metrônomo. Nesta
seção, vamos passar da esquerda para a direita, examinando cada função.
Tempo, Time Signature, e quantização
O lado esquerdo da barra de controle lida com todas as coisas sincronismo relacionados (ver A Figura 3.18 ). Os botões são (da esquerda para a
direita): sincronização externa Switch, sincronização indicadores externos, Tap Tempo, Tempo, Tempo Nudge, Assinatura Time, Metronome, e
quantização.

A Figura 3.18 Esta subseção da barra de controle é dedicado a tempo.

Fonte: Ableton

Você não verá os controles externos a menos que você já tenha configurado uma fonte de sincronização externa ou destino na guia Preferências
MIDI / Sync (ver Capítulo 2 , “Obtendo vivo Up and Running”). Você precisa fazer isso se você quiser da Vivo ritmo a ser definido por um dispositivo
externo, ou se você quiser ao vivo para controlar o tempo de uma máquina de tambor, synth, ou seqüenciador. Os engatar interruptor de
sincronização externa ou disengages sincronização MIDI do Live para uma fonte externa, enquanto as luzes de monitoramento anunciar que o sinal
MIDI sync está sendo enviado ou recebido.

O botão de Tap Tempo é um recurso de iniciar canção calhar em Live. Para uma unidade de teste rápido de um dos recursos do Tap Tempo,
clique no botão quatro vezes, e seu projeto começará naquele ritmo. Este é um ótimo recurso se você precisar sincronizar com seu baterista ou
sincronizar manualmente para outro dispositivo, como um jogador toca-discos ou CD.

Em seguida estão projetos Tempo e hora da assinatura de Vivo, que são encontrados logo à direita do botão Tap Tempo. andamentos
vivo pode manipular variando 20-999 BPM (batidas por minuto), tempo de assinaturas com numeradas, que variam de 1 a 99, e as
escolhas do denominador de 1, 2, 4, 8, e 16-um absurdly enorme gama de possibilidades.

Movendo-se para a direita do Time Signature, você chegou a Tempo Nudge para baixo, seguido por Tempo Nudge Up. Esses controles
são usados ​para mudar o tempo mestrado vivo momentaneamente, a fim de trazê-lo em sincronia com outra fonte, da mesma forma uma
batida DJ combina duas faixas arrastando fisicamente a volta registro ou a acelerar um pouco antes de deixá-la ir. Tocar estes controlos
produzirá muito ligeiras mudanças de tempo (menos de 1 BPM), mantendo-os para baixo pode ser utilizada para abrandar o ritmo a um
terço do seu valor original ou acelerá-lo por até dois terços. Liberando tanto o controle retorna imediatamente ao vivo a seu tempo
original.

Quando o botão Metronome está envolvida, você vai ouvir um clique (metrônomo) que pode servir como um guia para novas gravações e
ajuda com a edição de loop. O volume do clique pode ser modificada usando o botão de volume Preview / Cue na pista Mestrado vivo (o
mesmo botão que você usa para ajustar o volume pré-visualização quando se navega para amostras). Observe que há uma pequena
seta à direita do metrônomo. Clicando revela um menu drop-down para o Conde-In configurações, que são explicadas na seção
Preferências de Capítulo 2 .

Quantização
Finalmente, chegamos ao menu de quantização, que é usado para definir o Vivo quantização mundial para o lançamento de clipes. Você
pode estar familiarizado com o conceito de quantização se você já trabalhou com sequenciadores ou drum machines antes. Na música,
meios de quantização eliminando ou reduzindo
imprecisão, forçando ritmos em conformidade com um conjunto predefinido de valores. Por exemplo, você pode jogar uma parte do
cilindro sobre um conjunto de almofadas e depois quantizar-lo para corrigir qualquer hits que foram jogados cedo ou mais tarde. A
quantização de que trata este menu é para quantização lançamento, que é um pouco diferente do que o exemplo comum mostrado
anteriormente. Você deve ter notado enquanto experimentava na Exibição de sessão que os clipes não iniciar a reprodução
imediatamente quando você clicar sobre eles. Em vez disso, eles esperam até o início do próximo bar e reproduzir em sincronia com os
outros clipes atualmente jogando. Em outras palavras, o lançamento do clipe está sendo quantificada a 1 Bar, o valor padrão no menu de
quantização. Explorando este menu, você vai ver que você pode quantificar a toda uma gama de valores, incluindo Nenhuma, que permite
que clipes para reproduzir imediatamente. Eu recomendo fortemente que você experimente com valores diferentes para obter uma
sensação para este recurso, e que você voltar quantização de 1 Bar quando você está feito. Ele vai tornar a vida muito mais fácil porque
você está aprendendo o programa. Além disso, Capítulo 4 .

MUITO BEM: Para fazer ajustes finos no Tempo (os valores à direita do ponto decimal) e pequenos ajustes para outros controles,
como volume, mantenha pressionada a tecla Ctrl (Cmd) enquanto arrasta.

Controles de transporte

A maioria iniciar e parar no Live é melhor tratada com a barra de espaço (toque nele uma vez para iniciar, toque-o novamente para parar); No
entanto, a segunda área de da Vivo Bar Control tem iniciar e parar botões (veja A Figura 3.19 ). Você também vai encontrar o registro Arranjo,
Braço Automation, e alguns outros controles avançados que serão abordados no Capítulo 4 .

A Figura 3.19 Aqui é a seção de transporte de da Vivo Barra de controle. Este é o controle da missão para a reprodução, gravação e automação.

Fonte: Ableton

A próxima seção da barra de controle contém controles básicos de transporte, juntamente com vários controles que lidam com clips de
gravação e automação. Gravação e automação são temas complexos que serão abordados nos próximos capítulos, por isso vou estar
dando definições básicas sobre esses controles para agora.

Segue: Quando ligado, o visor do Vivo vai seguir a posição da música (no Arrangement) ou a posição do clipe (no Clip View)
para manter a parte que joga atualmente visível. Ele trabalha em conjunto com a preferência Comportamento seguir na guia
olhar / sensação de Preferências.

Arranjo Posição: Esta caixa fornece uma leitura-in contínua medidas, batidas, e subdivisões-de onde você está na música, se
você está ouvindo ou gravação. Você pode inserir manualmente um valor hora de início dentro desta caixa ou arraste para
cima e para baixo com o mouse para mudar a configuração.

Play & Stop: Estes botões iniciar e parar a reprodução, você também pode alternar entre o jogo e parar de usar a barra de espaço.

Gravar Arranjo: Este botão é utilizado para iniciar clips de gravação e de automação para o arranjo.

MIDI Overdub: Ao gravar MIDI no Arranjo, este botão pode ser ativado para permitir notas para ser adicionado aos
clipes MIDI existentes. Quando desativado, clips MIDI são substituídos
durante a gravação.

Braço de automação: Isso permite a gravação de sessão de automatização e permite overdubbing de automação
para o Arranjo View. Este é um tema um tanto complexo e será coberto em detalhe em Capítulo 4 .

Re-Habilitar Automação: Assim como é possível substituir clips Arranjo com o lançamento de clipes da sessão, também é
possível substituir automação mudando manualmente um parâmetro automatizado. Sempre que a automação tem sido
substituído, este botão acende-se. Clicando sobre ele irá restaurar a automação para todos os clipes e faixas.

Sessão Record (Session View apenas): Este é um botão multi-função que funciona em estreita articulação com o
controlador Push, mas é usado sem impulso também. Ele é usado para gravar novos clips, bem como a overdub MIDI e
automação. Estes tópicos são abordados na seção “Gravação” de Capítulo 4 .

Prepare Cena da nova gravação (Session Ver apenas): Este botão também foi criado com Push em mente, mas ele pode ser usado
sem ele. Ele só é ativado quando uma cena não-vazia é selecionado, e pelo menos uma faixa está armado para a gravação. Clicando-lo
imediatamente lhe dá uma ardósia limpa: você está se mudou para uma cena vazia, e quaisquer clipes de jogo em trilhas armadas são
interrompidos imediatamente.

Punch In / Out e Arranjo de Loop


Esta seção do do Vivo Barra de controle, mostrado na Figura 3.20 , É usado em conjunto com o Arranjo View. Os primeiros caixa exibe um
número que indica o ponto inicial do loop, enquanto a última caixa mostra o comprimento. Em outras palavras, Figura 3.20 nos mostra que
o ciclo começa no início da barra 111 e tem 28 bares longo. Isto também é apresentada graficamente na Arranjo por uma cinta que
aparece sobre as barras laçados. No centro desta seção é a chave Loop. Quando pressionado, o circuito é activado, e o arranjo irá repetir
indefinidamente a porção da linha de tempo definido pelos valores de posição e de comprimento que acabamos de mencionar.

As linhas curvadas em ambos os lados do interruptor de Loop são chamados perfurar pontos. Estes podem ser usados ​para ativar automaticamente a gravação
temporariamente, para que você não precisa se preocupar com a gravação sobre seções que você deseja manter. Nós vamos cobrir a gravação em detalhe em Ca
4 , Então não se preocupe se esta descrição parece um pouco breve.

Figura 3.20 Loop Start e Loop End controles da Vivo também duplas como o punch-in e locais de Punch-Out. A cinta visto a seguir, também pode ser movido ou redimensionado para ajustar
estes valores.

Fonte: Ableton

Desenhe Mode, teclado de computador MIDI, Key e MIDI Map, o desempenho do sistema, e MIDI I / O

O primeiro item nesta área da barra de controle é usado para transformar Desenhe modo ligado e desligado (ver Figura
3.21 ). Esta é coloquialmente conhecido como o ferramenta de lápis ( mas você não vai encontrar em qualquer lugar que prazo no manual Live).
Usado para desenhar automação e MIDI, este modo é ligado e desligado com um toque rápido da chave B, ou temporariamente invocado
clicando e segurando B. O ícone do teclado de piano voltas
entrada MIDI do teclado do computador alfanumérico e desligar; este é um recurso que permite que você use o teclado do seu
computador como um dispositivo de entrada MIDI, que pode ser útil quando se trabalha em um laptop em movimento. Os botões Key
(Mapa Key Mode Switch) e MIDI (MIDI interruptor Map Mode) são os seus pontos de entrada para controlar a Vivo sem usar o mouse.
Este recurso é chamado controle remoto
e é discutido em seguida.

A Figura 3.21 A foto acima é o quarto segmento da Vivo Barra de controle. A partir daqui, você pode monitorar seu hardware (carga da CPU e MIDI input / output) e configurar
os controles-chave e MIDI.

Fonte: Ableton

Sabendo o quanto gás é deixado no tanque, ou se você estiver executando em fumos-é importante no mundo da informática. Aqui para ajudar,
Load CPU da Vivo medidor mostra continuamente a quantidade de pressão sobre o seu sistema para processamento de áudio. Se este bar se
aproxima de 100 por cento, você pode começar a degradação do desempenho experiência ou falhas de áudio. O indicador de Hard Disk Overload
(a letra “D”) à direita do medidor de CPU irá piscar em vermelho se o seu computador não é capaz de obter os dados do disco rígido com rapidez
suficiente. Isso também irá resultar em desistências e geralmente ocorre porque o seu disco rígido é muito lento para o número de clipes de áudio
que você está tentando reproduzir simultaneamente. Os dois pequenos indicadores no-se mais à direita luz quando um sinal MIDI está presente.
O indicador de topo mostra entrada MIDI, enquanto que a saída mostra uma parte inferior. Há também dois indicadores similares entre o modo
MIDI Mapa e modo Key Mapa botões. Estes acendem quando mensagens de controle remoto são enviados dentro ou fora do Live.

MIDI e teclado de computador de controle remoto

Praticamente tudo no Live, de lançar clipes para parâmetros do dispositivo ajustes, pode ser controlados remotamente de um controlador
MIDI ou o teclado do computador. O que se segue é uma introdução breve a um tema que é abordado em detalhes em Capítulo 11 ,
"Controle remoto."

Se você estiver usando Push Ableton, ou um dos muitos controladores para o qual Live tem controle superfície apoio, ao vivo cria mapeamentos
instantâneas, o que significa que alguns dos controles do Live são automaticamente mapeados para o controlador. No entanto, independentemente do
controlador que você usa, ao vivo faz com que seja fácil criar seus próprios mapeamentos personalizados.

Para atribuir uma tecla no teclado do computador, clique primeiro no botão Key Map Mode (consulte Figura
3.21 ), Ou prima Ctrl (Composto) + K. Uma sobreposição de laranja vai aparecer sobre qualquer controle que podem ser mapeados. Clique no controle
que deseja mapear e pressione uma tecla no teclado para mapeá-lo. Em seguida, pressione o botão Key Mapa Modo novamente para restaurar Live
para operação normal, e está feito! Esteja ciente de que quando teclado de computador MIDI é habilitado, grande parte do teclado do computador não
funcionará para o controle remoto.

Antes de usar um controlador MIDI para controle remoto, você deve visitar o separador MIDI / Sync tela Preferências e definir remoto
para On, como explicado no Capítulo 2 . Depois de ter feito isso, clique no botão MIDI Modo Mapa na barra de controle (mostrado na A
Figura 3.21 acima), ou prima Ctrl (Composto) + M. A sobreposição azul que aparece indica os controles que podem ter uma mensagem
MIDI atribuída a eles. Clique no controle que deseja mapear e mova o controle MIDI que pretende mapear a ele.
Com o premir de um botão: Vivo permitirá que você atribuir botões e sliders MIDI para botões na tela. Neste caso, o
botão Live vai ligar quando seu controle MIDI passa seu ponto médio (64 em uma escala de 0 a 127). Ele desliga
quando você mover o controle de volta sob 64.

Você também pode atribuir um botão MIDI ou chave de computador a um controle deslizante na tela ou maçaneta. Neste caso, pressionar o botão ou
tecla fará com que o controle deslizante ou o botão de alternância entre as mais baixas e as configurações mais altas.

mapeamentos de teclas e MIDI são salvos com o Set, então cada música pode ter um esquema de controle diferente. Se você está
sempre fazendo tarefas comuns, você pode atribuí-las e guardá-las como parte de seu conjunto padrão (ver “File / Folder” na Capítulo 2 ).

Visão geral

Logo abaixo da barra de controle é a Visão Geral. (Se você não vê-lo, selecione Visão geral do menu View, como mostrado na A Figura 3.22 ).
A visão geral, que se assemelha a uma pequena linha do tempo, está lá apenas para fins de navegação e de referência para mostrar onde
você está no arranjo. Contanto que você tem clipes na Arrangement View, que oferece uma vista panorâmica de olhos de toda a sua
composição, exibindo linhas coloridas minúsculas representam os clips.

A Figura 3.22 Visão geral de Live é uma vista de cima.

Fonte: Ableton

Na Exibição de sessão, as transformações do mouse em um lançador quando colocado sobre a Visão Geral. Clicando irá causar ao vivo
para saltar para esse ponto no arranjo.

No arranjo, a Visão Geral contém um retângulo preto para indicar a parte do Arranjo que está atualmente visível. Arrastando as
bordas desta caixa faz com que a tela para aproximar ou afastar, tornando mais ou menos da linha de tempo visível.

Você também pode usar a Visão geral para navegar. Coloque o ponteiro do mouse sobre a parte do bar Overview você deseja mover
para, e um ícone de lupa aparecerá; clique uma vez, e você será movido para a localização correspondente no arranjo. Para zoom in e
out, pairar sobre a barra Overview, pressione o botão do mouse (à esquerda na PC), e mova o mouse para cima e para baixo para zoom
in e out, respectivamente. Clicando e movendo o mouse para a esquerda ou direita irá percorrer a área visível da linha do tempo.

Gerenciamento de arquivos

Aprender a fazer a gestão de arquivo eficaz parece incrivelmente chato no início, mas produz grandes benefícios mais tarde, quando você
está desfrutando o processo criativo de fazer música, em vez de rasgar seu cabelo para fora em busca de amostras perdidos e cavar através
de várias versões de canções, tentando descobrir o caminho certo. Aqui é o meu conselho: Adotar boas práticas no início, em vez de fazer
uma bagunça e ter
para limpá-lo mais tarde.

Conjuntos e Projetos

A primeira vez que você salvar um Set, ao vivo 9 criará automaticamente uma pasta de projeto chamado < Set name> + Projeto para armazenar todos os
arquivos associados ao conjunto. Antes de você chegar muito profundamente usando o Live, escolha um local em seu disco rígido para salvar todos os seus
projetos ao vivo. Sempre que você iniciar uma nova canção, guardá-lo para esta pasta. Por exemplo, digamos que você crie uma pasta chamada Projetos
vivo. Cada nova música que você começar é salvo para essa pasta, então, eventualmente, você vai ter uma pasta cheia de projetos, como visto na Figura

3.23 .

A Figura 3.23 Pasta A projectos bem organizados. Cada nova canção tem seu próprio projeto. Dentro da pasta do projeto é o arquivo Set (.als).

Fonte: Ableton

O que você quer ter a certeza que não fazer é salvar todos os seus novos conjuntos em um já existente pasta do projeto, como visto na A Figura 3.24 . Isso se
torna um pesadelo quando qualquer tipo de compartilhamento de projeto ou gerenciamento de arquivos avançado é necessário mais tarde.

A Figura 3.24 A pasta do projeto com um monte de arquivos de conjunto não relacionadas aleatórios dentro dela. Isto acabará por deixá-lo louco.

Fonte: Ableton

Isso não quer dizer que você nunca quer salvar vários conjuntos na mesma pasta do projeto. Na verdade, esta é muitas vezes uma coisa
desejável fazer ao salvar várias versões da mesma música usando o comando Salvar como, como visto na Figura 3.25 .

Figura 3.25 A pasta do projeto com várias versões da mesma música nele. Estes podem ser conjuntos com finalidades diferentes (tais como radio edit ou mixagens alternativas) ou
simplesmente uma maneira de garantir que você possa voltar a uma versão antiga no caso de você mudar alguma coisa e quero voltar.

Fonte: Ableton

Economizando várias versões é uma parte essencial do processo de qualquer produtor experiente. Quantas vezes você
salvar uma nova cópia é até você. O importante é deixar uma trilha de migalhas registro -a do que mudou quando. Tendo feito isso, você pode
recuperar configurações anteriores no caso de serem acidentalmente perdido, ou você pode simplesmente decidir que não gosto da direção
que você tenha ido e voltar e tente novamente.

Salvando o Live Set

Vivo oferece quatro maneiras de salvar arquivos de projeto: Save Live Set, Save Live Set As, salvar uma cópia, e recolher todos e salve. Se você está
familiarizado com os documentos comuns de computador, tais como processadores de texto, salvar e salvar como funcionam exatamente da maneira que você
esperaria. Salvar, o que pode ser feito pressionando Ctrl / Cmd + S, salva o documento (neste caso um arquivo de música ao vivo chamado de Conjunto) no seu
estado presente, sob o seu nome de arquivo presente. Esta é a maneira mais comum que você vai economizar, enquanto você está trabalhando em uma nova
canção, especialmente quando você gostar dos resultados.

Save Live Set As (tecla Shift Ctrl / Cmd + + S) é o comando para salvar o arquivo de música atual no seu estado actual sob um diferente nomear e

geralmente é feito somente quando você quer começar uma nova canção ou modificar uma música existente, sem alterar a versão original. Para fazer

isso, selecione File> Save Live Set As, selecione o local onde você gostaria de colocar o arquivo e digite mais novo nome da canção. Se você está

modificando uma canção, mas gostaria de preservar uma cópia do mesmo em seu estado atual, use Arquivo> Salvar uma cópia. Este comando é o

mesmo que em Salvar como na medida em que permite que você salve o arquivo com um novo nome, mas em vez de abrir a cópia recém-nomeado, o

Salvar um comando Copiar irá manter a versão que você está trabalhando atualmente em aberto, enquanto que simplesmente salvar a nova cópia para

o disco.

Colete Todos e Salvar

O mais completo método Save é recolher todos e Salvar. Ao vivo permite que você adicione arquivos para um conjunto de qualquer lugar em seu
disco rígido (s). Isto é muito conveniente, como você pode ter bibliotecas de amostra onde você manter o conteúdo que pode ser usado em muitos
projetos diferentes. No entanto, ao longo do tempo, os discos rígidos se reorganizou ou deixado em casa (ou no estúdio), e você se depara com o
inconveniente de abrir um conjunto e descobrir existem amostras que faltam. Recolher todos e Salvar elimina este problema, copiando todos os
arquivos utilizados pelo Set para a pasta do projeto.

NO PLUG-INS: Mesmo que recolher todos e Salvar faz maravilhas para manter todos os seus arquivos em conjunto, ter em mente que
qualquer plug-ins externos (VST e AU) usados ​em um conjunto não pode ser salvo dentro do projeto. Isto significa que se você transportar
sua música para um computador diferente, todos os plug-ins usados ​em sua música deve estar presente no computador também. A menos
que você sabe que vai ter todos os plug-ins necessários no sistema que você está se movendo para, é uma boa idéia para congelar plug-in
faixas dependentes antes de passar a sua sessão (ver Capítulo 7 “Usando efeitos e Instrumentos”).
4Making Música Live

Eu N presente capítulo, nós estaremos cobrindo os principais conceitos e fluxo de trabalho básico de Live. Este é um grande capítulo com um monte de
informações, mas se você gastar o tempo para absorver tudo, você vai encontrar o resto do livro muito mais fácil de gerir. Também tenha em mente
que este capítulo se baseia fortemente em Capítulo 3 “Vivo interface Basics”, tão diferente de algumas das outras conteúdo deste livro, estes dois
são realmente feito para ser lido em ordem. O resto dos capítulos são gastos escavação em detalhes de vários componentes (clipes de áudio,
clipes de MIDI, dispositivos) e técnicas avançadas (tais como as ações sulco do motor e siga). Eu também estarei introduzindo muitos comandos
importantes. Enquanto Live tem um conjunto muito manejável de comandos em comparação com outros programas, ainda há muito poucos para
aprender. Com algumas exceções, eu vou estar dirigindo-lhe a barra de menu principal da Vivo e seus muitos menus de contexto quando novos
comandos são introduzidos. Os menus exibir atalhos de teclado ao lado dos comandos, e eu recomendo fortemente tomar um momento para
aprendê-las como você vai.

UNDONE: Há uma boa razão que a maioria dos programas tem o comando Desfazer como a primeira opção no menu Editar. A única maneira
de aprender um programa é chegar lá e experiência, sabendo que pode voltar para fora de quaisquer erros que você faz. Pode parecer
engraçado para dizer, mas Ableton Live tem um dos melhores Undo apresenta no negócio. Ao contrário de alguns outros programas, quase
tudo que você faz pode ser desfeita. (As exceções incluem o Solo e Braço muda, algumas operações arquivo no navegador, e certas mudanças
de parâmetros em dispositivos plug-in complexos.) Esteja ciente de que a fila de Undo é esvaziada quando você salvar um conjunto ou sair
Live.

Embora os conceitos fundamentais por trás vivo são igualmente importantes para todos os usuários, a música real fazendo difere processo um pouco

de pessoa para pessoa. Como a maioria das coisas, descobrindo seu método é uma questão de prática e experimentação. Nós vamos estar a olhar

para algum padrão se aproxima aqui, então vale a pena o seu tempo para se familiarizar com eles; no entanto, na maioria dos casos não há ninguém

“direito” maneira de fazer as coisas, por isso não tenha medo de encontrar o seu próprio caminho. O procedimento básico é assim:

Criar peças musicais individuais: partes de baixo registro, riffs de guitarra, linhas de teclado, grooves de bateria e instrumentos MIDI ou
amostras de importação e seqüências MIDI. Estes são chamados clipes.

Criar seções da canção: Organizar clips que vão juntos horizontalmente na Exibição de sessão de make
cenas. Cada cena representa uma seção de sua música, como introdução, verso e refrão.
Grave um arranjo: clips de lançamento e cenas na sessão enquanto usando Arranjo Gravar para capturar
sua música para o Arranjo View.
Finalizar a canção: Editar o Arranjo, efeitos adicionar à mistura, a camada de peças adicionais, finalizar a automação e
exportar a música no disco.

Clipes e faixas

Clipes são os blocos musicais de Live. Eles vêm em duas variedades: áudio e MIDI. auditivo
clips produzem som a partir de arquivos de áudio no disco, enquanto clipes MIDI contêm dados MIDI para jogar tanto instrumentos virtuais

ou de hardware. Clipes na vista Session são jogados ou lançado clicando no botão Clip Launch triangular no lado esquerdo do clipe. Clipes

na Arranjo Ver são jogados como o cursor de reprodução (a linha vertical fina que se move da esquerda para a direita quando o Live está

em execução) passa sobre eles.

Na grade fenda clipe, clipes de áudio e MIDI exatamente a mesma aparência, e não há nenhuma maneira de distingui-los. No entanto,
no Clip Ver a diferença é imediatamente aparente, como visto na figuras 4.1a e 4.1b . É também fácil de dizer de áudio e MIDI além do
Convénio, como visto na Figura 4.2 .

Figura 4.1a clipes de áudio exibir uma forma de onda.

Fonte: Ableton

Figura 4.1b clips MIDI exibir sequências de notas MIDI.

Fonte: Ableton

Figura 4.2 Clipes na Arrangement View pode ser redimensionada para mudança quanto tempo eles vão jogar. Note-se que é fácil dizer a trilha MIDI (notas são exibidos) das
faixas de áudio (forma de onda é exibida).

Fonte: Ableton

Como brevemente explicado em Capítulo 3 , Grampos estão contidos dentro de faixas. Antes de ir mais longe para os detalhes do trabalho
com clips, vamos dar uma olhada em faixas.

criando Tracks
As faixas são criadas usando os comandos do menu Criar (Insert faixa de áudio, Inserir trilha MIDI,
e Insert Retorno Track). Estes comandos também podem ser acessados ​no menu de contexto que aparece quando você clica com o botão direito na barra de
título de qualquer pista existente. Para remover uma faixa, clique em sua barra de título e pressione Delete.

As faixas também podem ser criados, largando itens a partir do browser para a Área de Drop (a parte vazia da sessão e vistas Arranjo
rotulado de “soltar arquivos e dispositivos aqui”). Por exemplo, você pode soltar um arquivo de áudio aqui para criar automaticamente uma
faixa de áudio ou deixar cair um instrumento para criar uma faixa MIDI.

Este método de criação de pistas é particularmente útil quando arrastando em clipes ao vivo. Clipes ao vivo pode ser de áudio ou MIDI, e no
momento da redação deste texto, não há nenhuma maneira de distingui-los. Arrastá-los para a Área de gota, e Vivo criará automaticamente o
tipo certo de música.

Faixas de áudio e MIDI faixas


faixas de áudio pode conter clipes de áudio e efeitos de áudio. Tudo uma faixa de áudio requer para produzir o som é um clipe de áudio efeitos
são completamente opcionais (e completamente divertido). MIDI faixas podem conter clips MIDI, instrumentos e efeitos MIDI. faixa A MIDI é um
pouco mais complicado do que uma faixa de áudio, em que um clipe MIDI por si só não é suficiente para produzir som de um instrumento é
necessário também.

Figura 4.3 mostra uma faixa MIDI vazio, o que parece um pouco diferente do que as faixas próximas a ele. faixa A MIDI sem um
instrumento virtual inserido faz som não se ouve; Assim, não há nenhum Volume, Pan, ou botões de envio no mixer. Você ainda tem a
trilha Activator, Solo / Cue, eo braço botões, que funcionam da mesma forma como os seus homólogos faixa de áudio.

Figura 4.3 Uma faixa de áudio, uma faixa MIDI vazio, e uma faixa MIDI com um dispositivo carregado instrumento. Observe que há uma nota no botão Arm das faixas MIDI, o que
torna possível distingui-los a partir de faixas de áudio, mesmo quando um instrumento é carregado.

Fonte: Ableton

Quando um instrumento virtual é carregado para a pista (ver Capítulo 7 “Usando efeitos e Instrumentos”), o conjunto completo de
controles de mixer irá aparecer. Arraste um instrumento dos Sons ou Drums vista do navegador em uma trilha MIDI vazio se você quiser
ver essa transformação em ação. Uma faixa MIDI com um instrumento inserido é essencialmente um / faixa de áudio híbrido MIDI. Ele
passa entrada MIDI de clipes MIDI
(Ou um controlador MIDI) em um instrumento, o qual produz áudio em resposta. O áudio é então opcionalmente processado com
efeitos e passou para dentro do misturador.

faixa A MIDI sem um instrumento pode ser usado para enviar dados para hardware externo (tais como módulos de som). Observe que
o menu inferior no MIDI vazia pista mostrado na Figura 4.3 é rotulado Midi To. Para hardware externo seqüência, selecione a porta e
canalizar o hardware está conectado, e você está tudo definido. (Você também pode usar o dispositivo External Instrument para este
fim, como explicado no
Capítulo 8 , “Instrumentos de Live.”)

clipes Compreensão
Clipes são criados arrastando os arquivos para a sessão ou Arranjo, ou gravando novo áudio e performances MIDI em Live. clips MIDI também

podem ser criados clicando duas vezes em um slot clipe vazio ou selecionando Inserir clipe MIDI no menu Criar. clipes de áudio referir para

arquivos de áudio. Eles não conter eles. Um clipe contém apenas as informações necessárias para o Live para jogar um arquivo de áudio a partir

do disco. No entanto, clipes de áudio tem todos os tipos de propriedades especiais, tais como a capacidade de ajustar de forma flexível o tom

eo ritmo do áudio. Não só isso, mas você também pode criar muitos clipes diferentes do mesmo arquivo de áudio sem necessidade de múltiplas

cópias do áudio em seu disco rígido. Um único arquivo de áudio pode ser referenciado a partir de tantos clips como você quer, cada um com

seus próprios parâmetros: pontos de loop, transposição, marcadores da urdidura, automação e assim por diante. Esta capacidade de duplicar,

pique, e clips mangle durante todo o dia, sem afetar o arquivo de áudio subjacente é por vezes referido como edição não destrutiva, e é uma das

coisas que faz viver (e todos os outros DAW moderna) tão poderoso. No entanto, este fato também merece algumas palavras de cautela. Se

um arquivo de áudio referenciados se tornar alteradas por outro aplicativo, como um editor de onda, cada clipe que usou esse arquivo vai agora

jogar com a mesma alteração. Se você excluir o arquivo que é referenciado por um clipe, o clipe e quaisquer outros clips que usaram esse

arquivo não vai jogar mais! É por isso que ele pode ser muito importante o uso de recolher todos e salvar (ver Capítulo 3 ) Para copiar arquivos

de áudio em sua pasta de projeto, a fim de protegê-los de ser modificado por outros projetos ou programas.

Ao contrário de clipes de áudio, todos os dados em arquivos MIDI é armazenado dentro do arquivo Set (.als). clips MIDI podem ser criados
arrastando em arquivos MIDI padrão, mas é mais comum para criá-los através da gravação de uma performance usando um controlador MIDI
(como pads de bateria ou um teclado), ou por desenho em notas manualmente usando o editor MIDI.

Adicionando arquivos a partir do browser

Adicionando novos clipes é uma questão de arrastar um arquivo de áudio, arquivo MIDI padrão, ou clipe ao vivo a partir do browser em um slot clipe
ou uma faixa no Arrangement View. Os arquivos também podem ser adicionados diretamente do Windows Explorer ou o OS X Finder. Desde faixas
só pode conter um tipo de clipe de áudio ou MIDI, certifique-se de que você arrastar arquivos de áudio em faixas de áudio e arquivos MIDI em trilhas
MIDI, ou arrastá-los para a área para soltar para criar novas faixas automaticamente.

Você também pode pegar vários arquivos (Shift + clique para selecionar um intervalo de arquivos ou Ctrl (Cmd) + clique para selecionar vários
arquivos não adjacentes) e adicioná-los como um grupo. Por padrão, os clipes serão todos criados na mesma pista. Para ter ao vivo soltar os
arquivos em faixas separadas, pressione e segure Ctrl (Cmd) antes de soltar os arquivos. Você vai ver os clipes de mudar a sua disposição, e então
você pode escolher o seu final,
destino.

trabalho pode viver com praticamente qualquer áudio que você tem em qualquer arquivo de áudio (em WAV, AIFF, SDII, MP3, Ogg Vorbis, Ogg
FLAC ou formato FLAC) no seu computador é um jogo justo no Live. (Se você estiver planejando usar arquivos de áudio comprimidos como MP3 ou
FLAC, certifique-se de ler sobre o Cache Decoding em
Capítulo 2 , “Obtendo vivo Up and Running”.)

Uma ótima maneira de conhecer ao vivo é usando loops de áudio, tais como aqueles incluídos na Vivo 9 Power! Pacote Live. Loops também

estão disponíveis a partir de empresas como a Big Fish Audio e Loopmasters, assim como na biblioteca central da Live. Não subestime o poder

do que pode ser feito com loops pré-gravados. Como você se tornar especialista em manipular as propriedades do clipe, editar clipes no Acordo,

usando efeitos e outras características tais como a fatia de New Track MIDI, você vai descobrir que laços são apenas matéria-prima a partir da

qual uma grande variedade de sons úteis e originais pode ser criado. arquivos MIDI padrão tem uma extensão de .MID arquivo. Eles são incluídos

com algumas de terceiros bibliotecas de conteúdo e podem ser exportados de outros programas, tais como Razão e Lógica, para uso em Live.

Você também pode explorar os clipes vista do navegador para encontrar clips para usar em Live. Estes são os arquivos salvos no formato clipe ao

vivo. Clipes ao vivo pode ser de áudio ou MIDI, e pode conter dispositivos também. Por exemplo, um MIDI ao vivo clipe pode conter não apenas

uma seqüência MIDI, mas um instrumento tão bem. Então, é como uma predefinição que contém um som e uma parte musical.

Uma ressalva de saber quando se trabalha com clipes ao vivo é que seus dispositivos só são carregados se a faixa que arrastá-lo para não já
contêm quaisquer dispositivos. Em outras palavras, se a pista tem ainda um dispositivo nele, você só obter o áudio ou MIDI. Se isso soa como
um monte agora, não se preocupe. Clipes ao vivo vai fazer muito mais sentido uma vez que você tem uma alça sobre os vários elementos que
contêm.

Organização e navegação
Como a maioria dos programas de música moderna, ao vivo dá-lhe o poder de criar um monte de conteúdo muito rapidamente. A desvantagem de ser
capaz de se mover rapidamente o potencial de stress e confusão que se acumula como você adiciona pilhas de loops e novas peças recordes. Não
economize na organização. Confie em mim, sua música vai ser melhor para ele.

O primeiro passo para esclarecer seu espaço de trabalho é usar o comando Renomear com freqüência, como explicado no
Capítulo 3 . O próximo passo é usar a cor. Você pode clicar com o botão direito em clipes, faixas e cenas para abrir um seletor de cor e aplicar
cores em qualquer forma que faça sentido para você. Por exemplo, você pode querer fazer todas as suas faixas de bateria e clipes de tons de
vermelho e seus baixos azul.

Também é importante para mover clips, faixas e cenas para locais significativos. Pode parecer óbvio, mas não subestime o quanto mais
fácil é trabalhar em um conjunto onde todas as faixas de bateria estão ao lado do outro, em oposição a espalhados. Esta lógica se
aplica aos clipes e cenas assim. Faixas e cenas podem ser movidas clicando e arrastando os títulos, enquanto os clipes podem ser
movidos arrastando suas áreas coloridas.

Se você segurar a tecla Alt (Option) ao arrastar um objeto, você vai criar uma cópia em vez de apenas movê-lo. Por exemplo, você pode criar
várias cópias de um clipe e definir diferentes pontos de loop, ou fazer uma cópia de uma trilha inteira e aplicar efeitos radicalmente diferentes
para criar um som em camadas.
MULTISELECT: Muitos comandos e ações pode ser aplicado a vários objetos simultaneamente. Command (Ctrl) + clique para selecionar
objetos não adjacentes, ou Shift + clique para selecionar um intervalo. Na Exibição de sessão, grupos de clips também pode ser selecionada
arrastando uma área em torno dos clips com o mouse. O truque é que você deve clicar e arrastar a partir de um esvaziar clipe slot e, em
seguida, mova o mouse sobre os clipes que você deseja selecionar. Por exemplo, você pode querer selecionar vários clipes e aplicar a
mesma cor ou mover várias faixas simultaneamente.

Você também pode ajustar o Mixer para várias faixas simultaneamente. Por exemplo, para reduzir o volume para várias faixas pela mesma
quantidade, seleccionar várias faixas e, em seguida, ajustar o volume de qualquer um deles. Os atenuadores de cada faixa seleccionada irá
mover pela mesma quantidade.

Finalmente, ele é muitas vezes esquecido de como é fácil navegar apenas sobre cada parte da Vivo usando as setas. Depois de selecionar um
clipe Session View, clicando sobre ela, você pode mover para cima, baixo, esquerda ou direita para selecionar outros clipes usando as teclas de
seta. Se você usar a seta para cima para mover acima do mais alto clipe, agora você vai ter selecionado a pista e pode passar para outras faixas
com a setas Esquerda e Direita. As teclas de seta também pode ser usado em conjunto com Shift para selecionar vários objetos.

Gravação

A menos que você está estritamente usando Live para DJ ou trabalhar com material pré-existente, você precisa criar alguns clipes de seu próprio
país. O processo básico para gravar novo áudio e clips MIDI é muito semelhante, por isso vamos dar uma olhada geral na gravação em primeiro
lugar. Obviamente, existem algumas grandes diferenças entre áudio e MIDI, e estas serão discutidas a seguir.

Independentemente de saber se você está gravando nas Visualizações de sessão ou Arranjo, as duas primeiras etapas de gravação são os
mesmos: seleccionar uma fonte de entrada válido e armar a pista para a gravação (ver Figura 4.4 ). Input / Output e ARM são ambos
introduzidos na seção Mixer de Capítulo 3 .

Figura 4.4 Um áudio e uma faixa MIDI, ambos prontos para gravar.

Fonte: Ableton

Se você estiver fazendo uma gravação de áudio, certifique-se de que as entradas que você pretende gravar são habilitados na tela de configuração de
entrada. Se você estiver fazendo uma gravação MIDI, certifique-se que a entrada de seu controlador MIDI tem um caminho definido para Ligado no
separador MIDI / Sync Preferências do Live. (Reveja o áudio
e abas MIDI / Sincronização na secção “Definir Preferências Live” na seção Capítulo 2 , “Obtendo vivo Up and Running”, para mais
informações.)

Armar uma pista é simples: basta clicar no botão Arm para que ele acenda. Esteja ciente de que, se nenhuma entrada for seleccionada, ou a
entrada seleccionada se tornou inválido (por exemplo, sua interface de áudio tem sido desconectado), o interruptor Arm pode não aparecer ou
será desativado. Você é livre para armar várias faixas e gravar muitos clipes simultaneamente, se quiser.

multigravação: Parece que não consegue armar mais de uma faixa de cada vez? Mantenha pressionada a tecla Ctrl (Cmd) e, em seguida,
clique nos botões do braço. Para permitir que várias faixas para ser armado sem fazer isso, altere a configuração exclusiva em Preferências (ver Cap
2 ).

Gravação em Session View

Uma vez que uma faixa está armado para a gravação, todos os Pare botões quadrados em slots de clipes da pista vai virar botões Grave
circulares (ver Figura 4.5 ). Clique em um deles para começar a gravar um novo clipe, em seguida, bater no seu controlador MIDI, yodel em
seu microfone, ou bater o baixo. Você parar de gravar clicando em um Parar botão Clip ou clicando no botão Clip Launch do clipe que
você está gravando. Este segundo método é realmente útil porque o novo clipe começará imediatamente looping, ea música continua
fluindo!

Figura 4.5 A faixa da esquerda está armado, de modo que os slots de clipes agora contêm circulares botões Gravar clipe.

Fonte: Ableton

NO LOOP ?: Se você clicar em um botão Clip Launch para parar a gravação e o clipe não inicia looping, isso significa que o modo de
Lançamento padrão foi alterado em Preferências do Vivo Record / urdidura / Lançamento. Configurá-lo para Trigger, e você vai estar tudo pronto.
Há uma discussão completa sobre Modos de lançamento em
capítulo 5 “Clipes”.

loops de gravação na Exibição de sessão é facilitada pelo fato de que usos Vivo lançamento quantização para iniciar e gravações de parada.
Assumindo que o Menu de quantização na barra de controle está definido para seu valor padrão de 1 Bar, todas as gravações vão começar e
parar no início de um bar, e você sempre vai acabar com comprimentos de loop que fazem sentido.

Fazer vários takes é tão fácil como clicar em botões adicionais Clipe recorde na pista. Cada vez que uma nova gravação começa, as
extremidades anterior. Você pode então voltar e ouvir cada take individualmente para encontrar o melhor. Ou você pode usar o Arranjo
Vista para combinar as melhores partes de cada take em um perfeito “supertake.”

Claro, a melhor coisa sobre este fluxo de trabalho na Exibição de sessão é que ele permite que você rapidamente
camadas de construção e seções de uma canção sem nunca parar ao vivo. Você pode então fazer um teste todos os seus novos clipes e organizar
cenas para começar a organizar as seções de sua música.

NO NÍVEL: Antes de iniciar uma gravação de áudio, verifique o nível do sinal de entrada para se certificar de que não é muito alta ou muito
baixa. metros da pista irá mostrar o volume de qualquer sinal de entrada assim que a pista está armada. Jogar tão alto quanto você pretende
jogar durante a gravação enquanto observa metros da Vivo. Se o sinal estiver muito alto (os medidores de chegar ao topo e ficar vermelha),
que poderia distorcer ou clip, a gravação. Se o nível estiver muito baixo, o som pode ficar granulada quando virando-se para combinar com o
resto de sua música.

Se estiver a gravar em 24 bits ou mais, você pode gravar em níveis mais baixos e ainda ter excelente qualidade de áudio, de modo que este é
geralmente recomendado. Se por algum motivo você precisa gravar em 16 bits, que é muito mais importante para obter o nível mais alto
possível, sem recorte.

Botão Session Record


O botão Session Record (ver Figura 4.6 ) É um botão multi-função, que é relevante para a seção anterior, porque ele pode ser usado
para gravar novos clipes. É também relevante para as próximas seções, porque ele é usado para automação overdub e MIDI na
Exibição de sessão.

Quando você clica em Session Record, ele vai começar a gravar nos slots de clipes vazios da cena destacada para qualquer faixa armada no qual um
clipe não está jogando atualmente. Clicando uma segunda vez irá parar a gravação e iniciar a reprodução de todos os clipes recém-gravados. Assim
como o registro botões do clipe, Session Record é quantizado para tornar mais fácil para gravar circuitos adequadamente cronometrados.

O papel da Sessão Record em MIDI overdubbing automação de gravação será discutido posteriormente na seção intitulada “Automação e MIDI
Overdub”. Porque este botão faz várias coisas diferentes, ele fornece um fluxo de trabalho muito simplificada, mas também cria o potencial para
confusão. Certifique-se de levar algum tempo experimentando com este botão como você aprende sobre as suas diferentes funções para
surpresas a evitar mais tarde.

Figura 4.6 Session Record pode ser usado para gravar novos clipes. Ele também permite MIDI e automação overdubbing.

Fonte: Ableton

Arranjo botão Record


O botão Arrangement Record também lida com várias funções (ver Figura 4.7 ). É usado para gravar novos clips no
Convénio Ver, bem como a automação overdub e MIDI. Arranjo Record também é usado para iniciar clips de gravação
de sessão em arranjo. Isto pode soar como muito, e é!

Figura 4.7 Arranjo Record é usado para gravar novos clips para o arranjo. Como Session Record, ele também tem várias outras funções que são discutidos mais
adiante neste capítulo.
Fonte: Ableton

Dependendo do seu fluxo de trabalho, você provavelmente vai usar algumas dessas funções mais do que outros. Então, como você se familiarizar
com o ao vivo fluxo de trabalho, tudo isso fará sentido eventualmente. Para começar, porém, você vai querer levar algum tempo extra para se
familiarizar com cada uma dessas funções como eles são explicados nas próximas seções.

Gravação em Arranjo Ver


Se você fez gravações em praticamente qualquer outra DAW, de Pro Tools para Garageband, esta forma de trabalhar será familiar. Para gravar
clipes no Arrangement View, simplesmente armar uma faixa e clique Arranjo Record. Para parar a gravação, você pode clicar Arranjo Gravar
novamente, desarmar a pista, ou simplesmente pressione a barra de espaço.

Além de permitir que o tipo de gravação descrito aqui, Arranjo Record também faz com clipes para ser gravado a partir da sessão
para o arranjo, que pode levar algum tempo para se acostumar. Se você quiser evitar esse comportamento, certifique-se de que
não existem quaisquer clips que jogam na sessão antes de gravar novos clips no Acordo. Isso pode ser feito clicando Voltar ao
Arranjo ou clipes parar.

Ready, Set, GO !: O Conde Em recurso pode ser acessado facilmente a partir da barra de controlo através da abertura de menu drop-down do
Metronome. Selecione o número de barras de contagem-in que você quer, e você está pronto para ir. A próxima vez que você iniciar a gravação, ao
vivo contará-lo com o metrônomo para que você possa começar um começo limpo.

Punching In and Out


Nos bons velhos tempos de gravação em fita, era comum para substituir apenas uma parte de uma gravação usando uma técnica chamada perf
Se você teve uma boa pista vocal com uma frase fraca, o engenheiro iria esperar até aquele momento, prima Gravar enquanto o cantor
substituiu-o, em seguida, desativar a gravação antes de apagar a frase seguinte. Em áudio digital, fazemos a mesma coisa, mas é muito
menos estressante desde a gravação digital é não destrutiva.

Punching Live é fácil. Durante a reprodução, clique Arranjo Gravar para iniciar a gravação, e mais uma vez para parar. Sem medidas especiais são

necessárias. No entanto, você também pode fazer ao vivo automaticamente começar a gravar em um ponto especificado e parada no outro. Isto é

realmente útil se você é tanto o engenheiro e artista. No Capítulo 3 , Há uma introdução breve para definir esses pontos, conhecidas como Punch In

e Punch Out. Eles podem ser ajustados visualmente arrastando o suporte que fica acima da faixa de exibição, ou conjunto numericamente na barra

de controle. Uma vez que os pontos são definidos, a perfuração é ativado com os dois botões localizados em ambos os lados do botão Loop, como

visto em Figura 4.8 .

Quando você clica Record, ao vivo vai começar a correr, mas vai esperar o Punch-In tempo antes que realmente começa a gravar.
Ele vai continuar a gravação até atingir o ponto de Punch-Out. Você pode, é claro, use um Punch-In ou Punch-Out, por si só se você
escolher.

Figura 4.8 Configurado como mostrado, ao vivo começará automaticamente a gravação no bar 21 e, em seguida, parar a gravação de quatro compassos depois. Os dois ícones de linha dobrados são os
interruptores de Punch-In e Punch-Out.
Fonte: Ableton

MIDI Overdub

MIDI Overdub permite gravar dados de notas ou controladores adicionais em um clipe MIDI sem apagar o que já está lá. Este é um recurso útil
quando se trata de tambores de programação, desde que você pode construí-los um pedaço de cada vez. Por exemplo, você poderia fazer um loop
de dois bar com apenas um bumbo e depois jogar as peças adicionais (laços, chimbais) camada por camada, como o clipe continua a loop. MIDI
Overdub tem todos os tipos de usos. Se uma parte do piano é realmente complicado, você pode gravar a mão esquerda e partes da mão direita
separadamente. Ou você pode construir um tambor tambor parte de cada vez e gerar variações, enquanto você está nisso. Por exemplo, começar
com um padrão de bateria simples (talvez bumbo apenas e oi-chapéu para a introdução de sua música); em seguida, usar Duplicar para copiar o
clipe e iniciar a cópia. Agora você pode usar MIDI Overdub para adicionar batidas de laço. Isso vai deixar você com dois clipes MIDI: um com apenas
chutar e chapéus eo outro com um laço acrescentou. Em seguida, pode duplicar o clipe MIDI novamente e camada sobre uma parte adicional, tal
como um agitador ou congas. Usando esta técnica, você pode construir uma coleção de variações de bateria rapidamente.

Para overdub MIDI em um clipe MIDI existente, primeiro você deve armar a pista para gravação. Uma vez feito isso, o
procedimento para MIDI overdubbing difere em Session e arranjo.

Overdubbing na Session View

Na Exibição de sessão, o lançamento do clipe que deseja overdub on e armar a pista. Você vai ser capaz de desempenhar o seu

controlador e ouvir o que você está jogando junto com o clipe. Neste ponto, o seu jogo não está a ser gravado, por isso esta é uma

maneira útil para praticar antes de fazer o overdubbing. overdubbing MIDI é iniciado clicando no botão Session Record (ver Figura 4.9 ).

Após fazer isso, você verá sua vez botão de lançamento do clipe de verde para vermelho. Agora todas as notas que você joga (ou botões

de ligar) no seu controlador será gravado no clipe.

Figura 4.9 MIDI gravação overdub permite gravar em um clipe MIDI existente sem apagar o que já está lá.
Fonte: Ableton

Overdubbing em Arranjo Ver


No arranjo View, overdubbing MIDI é ativado com o interruptor Overdub Arranjo MIDI, mostrado na Figura 4.10 . (É ativada por
padrão.) Uma vez que é ativado, apenas armar uma trilha MIDI, pressione Arranjo Record, e você está no modo de Overdub.

Figura 4.10 Arranjo MIDI Overdub permite overdubbing em clipes Arranjo.

Fonte: Ableton

É importante compreender que a gravação no Arranjo funciona de forma diferente e requer mais cautela do que na Exibição de
sessão. Isso é porque você pode destrutivamente gravar sobre clips MIDI em Arranjo, algo que não é possível em sessão. Em
outras palavras, se você armar uma trilha MIDI e clique em Gravar Arranjo enquanto Arranjo MIDI Overdub é Desativado, você vai
começar a gravar um novo clipe MIDI que contém apenas o seu novo desempenho. Felizmente, Live tem um comando Undo!

gravação Automation
tudo quase no Live pode ser automatizado. Quer uma parte do sintetizador para desaparecer lentamente em mais de 32 bares? Não
problema, apenas automatizar o volume. Quer um efeito para chutar em cada outro golpe na caixa? Automatizar o dispositivo do efeito Activator.

Automação tem sido uma parte importante da mixagem de som por algumas décadas. Na música eletrônica contemporânea, é mais importante

do que nunca porque é uma ferramenta essencial para a construção de arranjos de evolução a partir de elementos baseada em loop. Para

automação recorde na sessão ou Arranjo, permitir Arranjo Arm, mostrado na A Figura 4.11 . O processo básico para a gravação de automação é

incrivelmente simples. Basta mover os controles que deseja automatizar durante a gravação. Estes poderiam ser misturador controlos tais como

volume e panela, ou efeito e os parâmetros do dispositivo de instrumentos, se incorporados, VST, ou UA.

A Figura 4.11 Braço de automação é a chave para a gravação de automação.

Fonte: Ableton

Automação sessão
automação de sessão pode ser gravado enquanto grava novos clipes, ou pode ser overdubbed depois. A fim de automação de registro, o
interruptor Arm automação deve estar habilitado. Ele é ativado por padrão, então você pode já ter começado a gravar a automação, sem
fazer nada de especial. O processo de automação de gravação não poderia ser mais fácil. Durante a gravação de um novo clipe, modificar o
dispositivo ou controles de mixer de sua escolha. Por exemplo, durante a gravação do novo clipe MIDI, ajustar o corte do filtro do instrumento
virtual que você está usando. A mudança para o filtro é registrado no clipe ao lado de todas as notas que você jogou. Assim que estiver
pronto a gravar a automação, que podem ser visualizados e editados no Clip View como visto em A Figura 4.12 .

A Figura 4.12 automação sessão é visto no Clip View. Isto é coberto em detalhes em “Automation Edição” mais adiante neste capítulo.

Fonte: Ableton

overdubbing Automation é ativado com o botão Session Record. Mais uma vez, o processo básico é simples. Certifique-se de que a ARM

Automação é habilitado, clique em Session Record, e fazer algumas mudanças de parâmetros. Quando estiver pronto, clique em Sessão Gravar

novamente para parar a gravação de automação. Há uma preferência muito importante que você tem que considerar quando overdubbing

automação Session. É no separador Record / urdidura / Lançamento de Preferências da Vivo, e é rotulado “Record Session automação dentro.”

Quando ajustado para Tracks Armadas, você só vai ser capaz de automação overdub em faixas que estão armados.
O apelo desta definição é que o impede de gravar acidentalmente automação por forçá-lo a armar faixas.

A outra configuração, Todas as faixas, permite gravar automação em qualquer clipe, independentemente do status do braço da faixa. Esta
configuração é extremamente flexível, e ele vem com uma vantagem diferente: você pode gravar automação sem armar quaisquer faixas, assim você
não precisa se preocupar com inadvertidamente overdubbing MIDI enquanto você trabalha.

Se você achar que você está geralmente se concentrar em uma faixa de cada vez, a gravação de clipes e automação em uma única passagem, você
provavelmente está melhor usando a preferência Tracks Armadas. Se você preferir pular, criação de clipes em muitas faixas, ea gravação de automação
para vários de uma vez, você vai encontrar todas as faixas mais fácil de usar. Como muitas opções de fluxo de trabalho, é um trade-off. A única maneira de
descobrir o que é melhor para você é experimentar corajosamente e usar Desfazer para limpar qualquer messes que você faz.

Automação arranjo
Assim como na Exibição de sessão, o botão Arm automação deve estar habilitado para automação a ser gravado. Durante a gravação de
novos clipes, qualquer parâmetro alterações feitas será gravado e exibido, como visto em A Figura 4.13 .

A Figura 4.13 automação arranjo mostra-se na linha do tempo como visto aqui.

Fonte: Ableton

Overdubbing de automação para o Arranjo também é bastante simples. Basta ativar Arm Automation, clique Automation Record, e começar a
torcer maçanetas e empurrando botões. No entanto, há uma ressalva importante aqui. Ao contrário Ver Session, que pode ser configurado para
automação de registro em faixas única armados, automação Arranjo é sempre gravado em todas as faixas. Não só isso, mas você deve tomar
cuidado extra para certificar-se de que você não tenha involuntariamente faixas armados esquerda. Por exemplo, se você quer gravar alguma
automação volume simples em uma faixa de áudio que acabou de gravar, é preciso desarmar a pista de antemão. Caso contrário, você vai
acabar de gravar, simultaneamente, a automação e gravação sobre a pista! Provavelmente não o resultado desejado.

SEMPRE automatizadas: Ao gravar clipes Session View em Arrangement View, automação será gravado, não
importa o quê. Se há automação Sessão contida nos clipes, ele sempre será gravada no Arrangement. Além disso,
ajustes manuais feitas em qualquer faixa em que você lançou um clipe será gravado, mesmo se Arm Automation está
desativado.

Consulte “Gravação de Sessão em Arrangement” mais adiante neste capítulo para obter mais informações sobre este processo.

A desactivação e Re-Habilitar Automação


Quando um parâmetro está sendo automatizado, um vermelho “LED” (ver A Figura 4.14 ) Aparece próximo a ele para que você sabe que está sendo
controlado por automação. Se você alterar manualmente um parâmetro automatizado, o
automação irá parar imediatamente e o LED ficará cinza para indicar que ele foi desativado. O visor de automação
(consulte As figuras 4.11 e 4.12 ) Ficará cinza também.

A Figura 4.14 A pequena praça ao lado do botão de filtro Freq indica que ele está sendo automatizado.

Fonte: Ableton

Outra coisa acontece quando você alterar manualmente um controle automatizado. O Re-Habilitar Automação interruptor liga laranja, como visto
na Figura 4.15 . Ao clicar neste automação causas para retomar para todos os parâmetros automatizados em todas as faixas e clips
imediatamente.

Figura 4.15 Clique Re-Habilitar Automação para trazer toda a sua automação volta desativado imediatamente.

Fonte: Ableton

Re-permitindo a automação é uma área onde há uma diferença entre Session e Arranjo .. automação sessão é automaticamente
re-ativado sempre que você lançar um clipe contendo automação. Em outras palavras, automação sessão só pode ser desativado se
você alterar manualmente o parâmetro automatizado, enquanto o clipe está sendo reproduzido. Da próxima vez que lançar o clipe, sua
automação estará ativo.

AUTOMAÇÃO Apagar: Se você decidir que quer se livrar de toda a automação para um determinado controle, há um atalho fácil. Apenas
botão direito do mouse sobre o comando (botão, slider, e assim por diante) e selecione Automação Excluir no menu de contexto. Esteja
ciente de que este é um comando muito poderoso, uma vez que exclui toda a automação para que o controle da linha do tempo e de todos
os clips de sessão.

usando cenas

No estúdio, a Vista Session é concebida principalmente como um bloco de notas poderosa para a criação de peças e experimentar com
ideias. E, de fato, ela brilha nesta capacidade. No entanto, a menos que você levar algum tempo para organizar suas idéias, ele pode
rapidamente se transformar em uma confusão pesado. Você acha que você vai se lembrar que partes correu bem juntos e que ordem você
estava lançando os clipes na, mas na próxima semana, quando você voltar para ele, você vai se lembrar de nada. Confie em mim, isso é
baseado em uma história verdadeira. A solução definitiva para este problema é criar um acordo no Acordo View. Este é o lugar onde você
tomar as decisões finais sobre o fluxo de sua música. Dito isto, há muitas vezes uma etapa intermediária onde você quer organizar suas
idéias e criar seções antes de iniciar o processo de criação de um arranjo final. Isto é onde cenas realmente vir a calhar. No palco, cenas são
uma ferramenta poderosa, bem. Não só eles permitem que múltiplos clipes a ser lançado simultaneamente, mas
eles também podem ser usados ​para ajustar tempos e tempos automaticamente.

As cenas são linhas horizontais de clipes na vista Session. clips de arrasto que vão juntos na mesma cena e usar os botões Cena
Lançamento (na pista Master) para lançá-los todos simultaneamente. Como mostrado em A Figura 4.16 , Este método pode ser usado
para construir um arranjo que é clara e muito flexível. As cenas podem ser lançados em qualquer ordem e autorizado a jogar durante o
tempo que você gosta.

A Figura 4.16 As cenas podem ser utilizados como seções de música, como o verso, refrão, ou ponte.

Fonte: Ableton

A canção mostrado na A Figura 4.16 é organizado de cima para baixo com mais alto cena sendo a introdução e a canção
progredindo para baixo. Cada linha pode abrigar seções inteiras musicais, novas direções canção, ou apenas uma ligeira
modificação na peça que está tocando.

Se você correr para fora de cenas, ou apenas deseja adicionar um novo em um local específico, selecione Cena Inserir no menu Editar. A nova
cena será inserida abaixo da cena destacada no momento. Você também pode criar uma nova cena que contém clipes que você gosta em uma
única etapa. Quando você se deparar com uma combinação de clipes que bom som juntos, selecione Criar> Captura e Cena Inserir para criar
uma nova cena que é preenchida com os clipes atualmente jogando.

Para alterar a localização de cenas como você criá-los, basta clicar sobre o título da cena (ou número) e arraste-o para o novo local. Para renomear
uma cena, use Editar> Renomear. Pressione Enter (Return) para aceitar o novo nome ou Escape para deixá-lo como estava. Ou você pode
pressionar Tab para mudar o nome do próximo baixo cena.

Duas cenas são melhores que um: Ao trabalhar em um arranjo musical, pode ser realmente útil para fazer uma cópia de uma cena
inteira e usá-lo para criar algumas variações. Clique para o direito de um lançador Scene para selecionar uma cena e, em seguida, usar
Duplicar para copiar a cena diretamente abaixo da cena que você está trabalhando. Agora excluir ou modificar clipes na nova cena para
criar variações.

Há uma série de maneiras diferentes para lançar e mover-se entre as cenas. Além de pressionar o botão Cena de Lançamento, você
pode acionar uma cena, pressionando a tecla Enter (Return), enquanto o número da cena / nome é realçado. Alterar as cenas
destacadas pode ser feito com as teclas de seta, por isso é fácil de navegar e acionar cada cena a partir do teclado do computador, sem
fazer qualquer mapeamento especial.

Vivo também possui um par de Preferências especificamente para trabalhar com cenas (veja Capítulo 2 ). Quando Selecionar Cena Seguinte na plataforma
de lançamento está definido como Ligado, o Live irá mover automaticamente uma cena cada vez que uma cena é lançado com a tecla Enter. A preferência
iniciar a gravação no Cena Lançamento pode ser ligado para permitir a gravação para ser iniciada com o lançamento de cenas. Por padrão, o estado do
braço uma faixa é ignorada quando o lançamento de clipes, slots de clipes tão vazios em faixas armados simplesmente fazer com que o clipe atualmente
jogando
em que pista para parar.

Programação Cena Tempos and Time Signatures


De vez em quando, você pode querer dar saltos instantâneos a diferentes tempos, enquanto na Exibição de sessão. Ao nomear uma cena
usando uma convenção especial, você pode causar ao vivo para mudar tempos quando a cena é acionado. Para mudar o ritmo para 85 BPM,
basta incluir “85BPM” no nome da cena e lançá-lo. A cena pode ser vazio; você não precisa para acionar todos os grampos quando você iniciar
esta cena se você simplesmente querem tempos de mudança. Você pode remover todos os Clip Stop botões (selecione-os e pressione Ctrl
(Cmd) + E) para que nenhum de seus clipes estão parados.

Um exemplo onde a programação tempos cena é particularmente útil é quando você está organizando um grande lote de clipes em um conjunto de
modo que um único set ao vivo contém várias músicas. Um grupo de cenas podem pertencer a uma música de um determinado tempo, enquanto
outro grupo de cenas representa uma música e ritmo diferente, e assim por diante.

Cenas também pode ser chamado para criar mudanças na fórmula de compasso. assinaturas de tempo estão representados como fracções com
o numerador (número de batimentos por barra) ser qualquer valor de 1 a 99, e o denominador (tipo de batidas) sendo 1, 2, 4, 8 ou 16. nomes
cena pode conter tanto tempo assinatura e de andamento alterações, desde que os dois valores são separados por, pelo menos, um carácter
(ver A Figura 4.17 ).

A Figura 4.17 Live é inteligente o suficiente para reconhecer tempos e tempos em nomes de cena. Lançando essas cenas fará com que as alterações indicadas para entrar em vigor
imediatamente.

Fonte: Ableton

Removendo Clip Stop Buttons


No A Figura 4.18 , Você verá que somente alguns dos slots de clipes vazios têm clipe quadrado Parar botões. Removendo o botão Clip Stop de
um slot clipe permitirá que um clipe de jogar na pista para continuar jogando quando a cena é lançado. Para remover um botão Clip Stop, clique
com o botão direito em um slot clipe e selecione Remover Stop. Não se preocupe, você pode obter o botão Voltar Parar por Add Parar botão
direito do mouse novamente e selecionar.

Este recurso é particularmente útil quando se trabalha com clipes mais longos. Por exemplo, digamos que você tem um clipe de longa contendo
efeitos de som ambiente na cena 1. Você quer que eles para continuar jogando na cena 2. Se você copiar o clipe em cena 2, o clipe de efeitos
sonoros vai começar tudo de novo desde o início, quando o é lançado cena. Ao remover o botão de parada da cena 2, você pode permitir que
os efeitos ambientais de continuar a jogar em vez de reiniciar.

A Figura 4.18 Lançando a segunda cena neste exemplo permitirá que o primeiro clipe (ChillyBeat) para continuar a jogar, enquanto o lançamento de novos sintetizadores e baixo partes.
Fonte: Ableton

arranjo Ver

Onde o arranjo de Visualização se encaixa em seu fluxo de trabalho depende muito do que você faz. Se você está interessado
principalmente na produção de música, é absolutamente essencial. O arranjo é onde você realmente colocar a música juntos,
começo, meio e fim.

Na verdade, para muitos produtores do Arranjo entra em jogo muito cedo no processo de produção. The View Session é grande (talvez um dos maiores coisas

de sempre) para a parte inicial do processo de produção, mas mesmo se você é inteligente em organizar ideias com cenas, você vai descobrir que colocar suas

idéias da esquerda para a direita forças você para tomar decisões e ter clareza sobre onde a música está indo. A beleza do Live é que a mudança para o

Arranjo Ver não significa que você tem que ser feito com o Vista Session. Você pode continuar retornando a ele para compor novas ideias e experiência com os

antigos. Se você estiver usando apenas Live como uma plataforma de desempenho, o Arranjo provavelmente será de importância secundária para você. No

entanto, existem muitas excepções a esta. Existem alguns artistas que organizam performances usando o Arranjo vista e tirar proveito de localizadores

exclusivas da Vivo, que podem ser lançados como clips. Há também certos tipos de edição que são impossíveis na sessão, então você pode acabar usando o

Arranjo para preparar clipes para o desempenho. Existem alguns métodos para obter clips para o arranjo. Você pode adicionar arquivos a partir do browser e

gravar novos clips, assim como você faria na sessão. Ou você pode usar a diversão e processo interativo de gravação de clipes do ponto de vista Session.

Você pode adicionar arquivos a partir do browser e gravar novos clips, assim como você faria na sessão. Ou você pode usar a diversão e processo interativo de

gravação de clipes do ponto de vista Session. Você pode adicionar arquivos a partir do browser e gravar novos clips, assim como você faria na sessão. Ou você

pode usar a diversão e processo interativo de gravação de clipes do ponto de vista Session.

Gravar a partir de sessão em Arranjo


Ao vivo 1.0 primeiro hit da cena, havia duas características que imediatamente fez sobressair. Os improvisação Session View olhos
realmente fez pop. Mas não menos importante foi a capacidade de executar com clipes de sessão e capturar cada movimento-cada
clipe lançado, o ajuste mixer, e ajustar dispositivo
- na linha do tempo tradicional do Arranjo View. Até hoje, continua a ser uma diversão única e musical maneira de compor com
um computador. Vamos dar uma olhada no processo.

Comece clicando em Parar na barra de controle duas vezes. O segundo clique define a posição de reprodução Arranjo para 1.1.1. Em seguida,
clique Arranjo gravar e tocar sua música com o lançamento de clipes, controles deslizantes em movimento, e rodando os botões. Lembre-se que
Arranjo Record também é usado para marca recorde novos clipes para o Arranjo, para se certificar de que há faixas estão armados.

Quando você clica Arranjo Record, a gravação começará imediatamente. Dependendo de como você trabalha, isso pode ou não ser um
problema. Aqui estão alguns métodos para obter um começo limpo.

Utilize o menu drop-down do Metronome para selecionar uma contagem-off. Isto lhe dará um momento para ficar pronto após
pressionar Gravar Arranjo.

Lançar todos os clipes para a introdução de sua música e clique em Stop duas vezes. Quando a gravação começa, esses clipes
vai começar a jogar para trás, e você pode levá-lo de lá.

Shift-clique Arranjo Record. Este braços gravação, mas não inicia a reprodução. Assim que você lançar um clipe, a
gravação começará.
Quando terminar, pressione a barra de espaço para parar, ou clique Arranjo Record para gravação desativar enquanto a reprodução
continua. Se você quiser regravar uma seção ou adicionar novos clipes, basta pressionar Arranjo Gravar novamente. clips
recém-lançados serão gravados; clicando Clip Stop botões fará com clips Arranjo a ser apagada. Tudo o resto vai ser deixado sozinho.
Ao gravar clipes Session para Arranjo, a automação é sempre gravado, independentemente do status Arm Automation. Observe
também que se você lançar clipes Session contendo automação, que a automação será gravado também. Após a gravação, essa
automação não será mais mostrado no Clip View (como automação Session é), mas em vez disso será mostrado no visor o controle
do Arranjo View. Para mais informações sobre a visualização e edição de automação, consulte a secção “Automation Edição” mais
adiante neste capítulo.

Quando você terminar a gravação, dê uma olhada no Arrangement View. As faixas vão agora ser enchidos com os grampos, e quaisquer faixas
contendo automação irá exibir uma linha de automação vermelho, como pode ser visto em Figura
4,19 . No entanto, você também vai perceber que cada clipe fica acinzentado, e iniciar a reprodução não causar o arranjo que você acabou
de criar para reproduzir. O que está acontecendo aqui? As mentiras respostas com Voltar ao arranjo.

A Figura 4.19 Após a gravação, cada clipe lançado na Sessão aparece no Acordo. Os clipes são exibidos em cinza, no entanto, o botão Voltar à Arranjo aparece acima
do canto superior direito da linha do tempo. Isso indica que os clipes sessão ainda está no controle.

Fonte: Ableton

SESSÃO para organizar (e vice-versa): Como você trabalha em suas obras de arte, algumas vezes você quer deixar cair manualmente
um clipe Session no Arrangement View. Para fazer isso, clique em um clipe e mantenha pressionado o botão do mouse quando você
pressiona e, em seguida, solte a tecla Tab. Agora você pode arrastar esse clipe para onde quer que você o quer em seu arranjo e
solte-o. A mesma técnica também funciona para cair clipes do Arranjo para a sessão.

Voltar ao Arranjo
Desde a Sessão e Arranjo Visualizações compartilham o mesmo conjunto de faixas, tem de haver uma maneira de determinar qual modo de exibição
estará no controle. Lembre-se, qualquer faixa só pode reproduzir um clipe de cada vez.
Isto significa que é um ou / ou situação. Ou uma faixa reproduz clips Arranjo ou clipes de sessão, nunca ambos.

O esquema de Ableton para lidar com este problema é permitir que os clips de sessão para substituir automaticamente clips
Arranjo sempre que eles são lançados. clips Arranjo são manualmente através da Voltar botões arranjo permitiu-re. Quando um
clipe de Sessão é iniciado, todos os grampos Arranjo nessa faixa são esmaecidas para indicar que eles estão atualmente
desativado. Isso explica o Arranjo acinzentado mencionado acima. Até que você explicitamente dar o controle para o arranjo, as
estadias de sessão em controle. Há dois Voltar global para botões Arranjo, os quais funcionam de forma idêntica. Um está
localizado na Exibição de sessão, ao lado do botão Parar clipes na trilha Master (ver Figura 4.20 ). O outro aparece
condicionalmente no Acordo View, como visto em A Figura 4.19 . Por padrão, volta da sessão para botão Arranjo é cinza, e um no
Arranjo é completamente invisível! Assim que nada é feito para substituir o Arranjo, ambos se luz. Clicando em qualquer um dos
dois faz com que o arranjo para assumir o controle imediatamente.

Figura 4.20 The View Session tem um botão Voltar à Arranjo na pista principal.

Fonte: Ableton

Você também pode dar controle para faixas Arranjo em uma base per-track. Sempre que um clipe de Sessão é iniciado, um
botão triangular aparece no lado direito da pista Arranjo correspondente. No
A Figura 4.19 , Você verá essas setas exibidos em cada pista. Clique em uma seta para reativar clips Arranjo por
apenas essa faixa.

Tenha em mente que você não tem que ter qualquer coisa no Arranjo para “substituir”-lo. Por exemplo, quando você lançar o
primeiro ao vivo e está olhando para um conjunto completamente vazio, o Voltar para botões Arranjo são cinza. Assim que você
lançar um único clipe Session, que fica laranja. Clicando Voltar ao Arranjo irá parar a reprodução de todos os clipes de sessão que
você lançou, porque vivo vai dar controle para as faixas do Arranjo Ver, que são de momento vazio.

Transporte e Navegação
Antes de escavar em detalhes sobre a navegação e edição no Acordo, vamos obter alguns termos em linha reta. The Arrangement View
tem várias áreas diferentes e alguns elementos da interface que pode não saltam em você em primeiro lugar. A Figura 4.21 mostra todos
eles.

A Figura 4.21 A maior parte do Arranjo Ver é absorvido pela exibição pista.
Fonte: Ableton

As bater o tempo Régua números exibe bar, e se você aumentar o zoom o suficiente, ele irá mostrar batidas e semicolcheias bem. Quando você
flutuar o seu ponteiro do mouse sobre a batida Tempo Régua, ele se transforma em uma lupa que pode ser usado para ampliar (arrastando
verticalmente) e de rolagem (arrastando horizontalmente). Para ampliar a partir do teclado, use a teclas + e -. Você também pode rolar, mantendo
pressionada a tecla Shift e usando a roda de rolagem do mouse.

Em seguida é a Área de Scrub, onde o mouse se transforma em um alto-falante. Clique para fazer a volta jogo Arranjo de onde você clicou. Se vivo

está sendo executado quando você clicar na área de Scrub, reprodução saltará de acordo com a configuração de quantização global. Se você quiser

ao vivo para responder imediatamente, ou você quer ser capaz de arrastar o alto-falante para o comportamento lavagem tradicional, definir Quantize

para Nenhum na barra de controle. O método final para controlar o transporte envolve passar o mouse sobre a área Scrub do Arranjo. Quando seus

turnos do mouse em um ícone de alto-falante, você pode clicar e ao vivo começará imediatamente a jogar a partir desta localização. Você mesmo

pode fazer isso enquanto o transporte está sendo executado para saltar para uma posição diferente no arranjo.

Há duas maneiras de exibir faixas na Arranjo Ver: dobrado e desdobrado (consulte Figura
4,21 ). Uma pista pode ser desdobrada, clicando no triângulo apontando para baixo ao lado do nome da faixa. Mantendo pressionada Alt

enquanto clica aqui irá dobrar ou desdobrar todas as faixas no arranjo. A pista desdobrado podem ser redimensionados facilmente arrastando

para cima ou para baixo na borda inferior da seção Mixer da faixa. Mantendo faixas dobradas é conveniente para obter uma visão geral de seu

arranjo, faixas desdobradas são mais fáceis de editar. Quando uma faixa é desdobrada, uma forma de onda em miniatura ou tela MIDI é

revelado para os clipes. Eu vou estar se referindo a esta área como a exibição, e a barra de cor acima dela como o Barra de titulo do clipe. (Estes

são termos não oficiais Ableton, mas temos de chamá-los de alguma coisa.)

Inserir um marcador e Arranjo Seleção


clips desdobradas são mais fáceis de editar, porque você pode clicar na tela para colocar o marcador de inserção, ou clique e arraste para

selecionar um intervalo de tempo dentro do clipe (o chamado selecção arranjo). Se você quiser fazer uma seleção dentro de uma faixa dobrada,

você vai ter que mantenha a tecla Alt + Shift enquanto clica. Nas próximas seções, estes serão mencionados um pouco, e você vai ver por que

eles são importantes. Para colocar o marcador de inserção, clique em qualquer lugar na tela pista, exceto na barra de título de um clipe (veja

A Figura 4.22 ). Se você clicar na barra de título de um clipe, o clipe inteiro é realçada, e você definir a seleção arranjo vez (ver A
Figura 4.23 ). A seleção arranjo também pode ser definido clicando e arrastando no visor pista. Para estender uma seleção, Shift
+ clique existente no local que você gostaria de estendê-lo para.

A Figura 4.22 A inserção do marcador mostra-se como um cursor intermitente no mostrador faixa e uma seta apontando para baixo acima.
Fonte: Ableton

A Figura 4.23 A Selecção Arranjo é indicado pelo par de triângulos em ângulo acima do visor pista. A Seleção Arranjo pode ser ajustado arrastando em uma faixa
desdobrado ou clicando na barra de título de um clipe.

Fonte: Ableton

Ajuste Playback Position


Quando você parar e iniciar o Live, ele não continuar a reprodução desde o ponto onde parou. Em vez disso, a reprodução começa a partir de
qualquer marcador de selecção de inserção ou o arranjo. (Se você deseja retomar a reprodução a partir de onde você parou por último, use
Shift-barra de espaço). Se você quiser jogar temporariamente de volta a partir de um local diferente, clique na área de Scrub para mudar a posição
de reprodução sem reposicionar o marcador de inserção. Para reproduzir desde o início do acordo (1.1.1), clique em Parar enquanto o Live já está
parado.

looping
Você pode loop de uma seção de seu arranjo, permitindo loop na barra de controle (ver A Figura 4.24 ). À esquerda do botão Loop é um
mostrador numérico que indica a barra e batida que o ciclo começa, enquanto à direita você verá uma outra exposição numérica mostrando
o comprimento do loop. Estes valores também podem ser editados ao mover a cinta que fica acima da faixa de exibição e arrastar os
bordos de redimensionamento.

A Figura 4.24 Ligue Loop para repetir uma secção do Arranjo.

Fonte: Ableton

Muitas vezes, você vai achar que você deseja definir os pontos de loop para coincidir com o comprimento exato de um clipe, ou uma série de clipes, no
seu arranjo. Para fazê-lo, seleccionar o grampo (s) e usar Editar> seleção de loop, que define automaticamente os pontos de loop para a posição e o
comprimento da selecção e permite laço em um passo.

Você também vai notar que há um comando Select laço no menu Editar. Isso permite que você crie uma seleção arranjo em
todas as faixas dos pontos de loop. Quanto mais a edição que você faz no Acordo, mais isso vai vir a calhar. Por exemplo,
você pode Selecione loop e use Duplicar para copiar a parte da música que você está looping atualmente.

Localizadores e Alterações assinatura de tempo

Localizadores são usados ​para seções marca de uma canção, como o início de um verso, refrão, ou ponte. No entanto, Ableton
não parou por aí, ele lhe deu a capacidade de lançar os localizadores, como você faria clips, permitindo-lhe realizar arranjos
personalizados bem no Arranjo View.

criando Locators
Para colocar um localizador, clique com botão direito na área de Scrub (a área diretamente acima do mais alto da faixa) e selecione Adicionar Locator no
menu de contexto. Ou você pode definir localizadores de forma interativa utilizando o botão Definir no canto superior direito. Este método irá colocar um
localizador na posição do cursor ao passo que a reprodução vivo está em funcionamento ou no marcador de inserção (ou o ponto de início da selecção
arranjo) quando vivo é parado (ver Figura 4.25 ).

Figura 4.25 Toda vez que você clique em Definir um novo localizador será criado na posição de reprodução atual.

Fonte: Ableton

Cada vez que você faz um localizador, será dado o nome Locator seguido de um número. Para dar o localizador de um nome mais útil, clique
com o botão direito sobre o localizador e escolha Renomear. Você pode alterar a posição de localizadores depois que você fez-los clicando
no localizador e arrastando-o para um novo local na linha do tempo. Se você deseja remover o localizador, clique para selecioná-lo e
pressione Delete.

Saltando para localizadores


A melhor parte sobre localizadores é a sua capacidade de saltar entre eles perfeitamente enquanto o arranjo está jogando. Tudo que você tem
a fazer é clicar em um localizador (ela começa a piscar verde), ea reprodução saltará para esse local, sujeito a quantização global. Você
também pode usar os dois botões de seta para a esquerda e direita do botão Set para ir para o localizador anterior ou seguinte.

O que torna locaters da Vivo invulgarmente arrefecer, porém, é que você pode atribuir mensagens MIDI e chaves de computador para estes
localizadores, como qualquer outro controle no Live. Isto significa que o arranjo é agora quase tão flexível quanto a vista Session em que você
pode repetir seções da canção à vontade ou ir para outras áreas como achar melhor. Mesmo o mais complexo dos arranjos está agora aberto
para a sua experimentação, graças a estes localizadores.

Alterações assinatura de tempo


mudanças assinatura de tempo pode ser criada clicando com o botão direito na área de Scrub, escolhendo Inserir Time Signature Mudança no menu de
contexto, e digitando a assinatura de tempo desejada (consulte A Figura 4.26 ). Edição e exclusão de um tempo de troca de assinatura é feito a partir do menu
de contexto também. Basta clicar com o botão direito sobre a mudança de compasso e selecione Editar para alterar a assinatura de tempo ou em Excluir para
removê-lo.

A Figura 4.26 alterações de assinatura de tempo na Organizar View.

Fonte: Ableton

LOOP REGISTRO: O Arranjo laço pode ser bastante útil para a gravação. Por exemplo, talvez sua música é feito exceto para os
vocais. Criar um laço em torno de qualquer parte a cantora está tendo problemas com e iniciar a gravação. Vai fazer uma xícara de
chá enquanto a cantora canta mais e mais e escolher o
melhor take (ou editar juntos algumas tomadas), quando ele é feito.

edição arranjo
Ao editar o conteúdo do arranjo, você pode corrigir erros, mudar a estrutura da sua música, e criativamente modificar clips de formas que
vão além do que é possível na sessão. A Corte standard, copiar, colar, duplicar e excluir todos podem ser utilizados no Acordo de exibição
para copiar clips ou automação. Cole irá colocar o conteúdo da área de transferência no marcador de inserção, enquanto Duplicate irá
colocar uma cópia imediatamente à direita da seleção. É importante notar que Duplicate opera em uma escala de tempo, não apenas os
clipes ou automação. Por exemplo, você pode selecionar um bar completo de tempo em uma faixa, mesmo que ele contém apenas um
pequeno clipe na primeira batida, e usar Duplicate para colocar uma cópia da barra de um clipe mais tarde (ver A Figura 4.27 ).

A Figura 4.27 Seleção do clipe e do resto do bar vazio permite duplicar tanto o clipe e o espaço vazio. Desta forma, o clipe de terras no início do próximo bar.

Fonte: Ableton

clips de arrasto por sua barra de título para movê-los. Nos limites esquerdo e direito de um clipe, suas voltas do mouse em um suporte (]), e você pode
clicar e arrastar borda do clipe de mudar seu comprimento. Se activar o circuito de um clipe de áudio (no Clip View) está habilitado, você será capaz de
redimensionar o clipe para além do seu comprimento original e causar-lhe para repetir o tempo que você quiser. Caso contrário, você só pode arrastar até
o início ou o fim do arquivo de áudio ele faz referência. clips MIDI pode ser estendido indefinidamente em qualquer direção, que só vai adicionar espaço
vazio para o clipe.

Cut Time, Cole Time, Duplicate Hora, Apagar Tempo


No menu Editar, você também verá um conjunto de comandos básicos de edição com a palavra “Time” anexado. Estes comandos
funcionam em todas as faixas simultaneamente, com base na seleção arranjo. Enquanto os comandos de edição padrão operar apenas em
clipes e automação, estes comandos permitem que você edite
o próprio tempo. ( Bem vindo ao futuro.)

Vamos dizer que você deseja mover a ponte de uma canção. É atualmente após o segundo verso, e você decidir que quer lo após o
terceiro verso. Na indicação de faixas, seleccionar o intervalo de tempo em que a ponte está actualmente localizado. Não importa o que
rastrear você fazer a seleção, ou mesmo se existem clips em que pista. Contanto que você criar uma seleção arranjo desde o início da
ponte até o fim, está tudo pronto.

Cut Tempo irá remover todos os clipes na ponte e deslizar sobre tudo o que acontece depois de preencher a lacuna. Agora, coloque o marcador de
inserção após o terceiro verso, onde você deseja que a ponte para começar e usar pasta de tempo para inserir os clipes que você acabou de cortar.
empurrões viver o resto do arranjo mais à direita para abrir espaço para os clipes que você está colando. Note que você deve clicar no mais superior
faixa , ao colocar o marcador de inserção. pastas ao vivo as faixas de cima para baixo, de modo que se você clicar em qualquer outra faixa, os clipes
vai ficar colado nas trilhas erradas.

Este exemplo deve dar-lhe uma boa idéia bastante de como Duplicate tempo e trabalho Tempo Excluir também. Duplicate Tempo
coloca uma cópia ao final da seleção, empurrando tudo no caminho para a direita. Excluir Tempo simplesmente remove um pedaço
inteiro da canção.

Os atalhos de teclado para esses comandos são fáceis de lembrar. Basta adicionar Shift para o comando chave para a versão standard. Por
exemplo, reduzir o tempo é Ctrl (Composto) + Shift + X. (A excepção é momento, anular, que é Ctrl (Composto) + Maiúsculas + Eliminar).
Tome um momento para testar estes comandos e familiarizar-se com a forma como eles funcionam. Eles são uma das características mais
poderosas do Arranjo View.

Insert Silence
Insert Silence é encontrado sob o menu Criar. É semelhante aos comandos horário em que ele permite que você insira um espaço vazio no
arranjo, movendo-clips e automação para a direita para dar espaço. Antes de usar inserir silêncio, você deve criar tanto uma selecção arranjo
ou colocar o marcador de inserção no local que você deseja adicionar silêncio. Dependendo do que você fazer em primeiro lugar, o comando
irá se comportar de forma diferente.

Se você usar inserir silêncio depois de fazer uma seleção arranjo, ele vai colocar uma gama de espaço vazio igual ao comprimento da seleção.
Se você colocar o marcador de inserção em vez disso, ao vivo irá exibir o diálogo mostrado na A Figura 4.28 perguntando quanto espaço você
deseja inserir.

A Figura 4.28 Digite a quantidade de espaço que você deseja inserir.

Fonte: Ableton

Divisão e clipes consolidação


Você pode quebrar um clipe em clipes menores usando a função Split. Para fazer isso, é mais fácil de se desdobrar a faixa em primeiro lugar.
Uma vez que a pista é desdobrado, você pode encontrar o ponto em que deseja dividir o clipe. Agora clique no local para o seu corte e usar
Editar> Split. O clipe será dividido em dois clipes (ver Figura
4,29 ). Estes novos clipes serão completamente independentes um do outro, o que significa que pode ter suas próprias configurações de clipe exclusivo,
(como transposição, deformação, pontos de loop, e assim por diante).

A Figura 4.29 Basta clicar e dividir a quebrar clipes em partes menores para edição independente.
Fonte: Ableton

Você também pode participar de vários clipes em um clipe para facilitar o uso. Selecione os clipes que você quer se juntar e selecione Consolidar a
partir do menu Editar. Live tornar uma novo clipe contendo todas as peças que você tinha selecionados. Quando consolida vivo um clipe, ele cria
um novo arquivo de áudio na pasta do projeto, em
Amostras> Processados> Consolidar.

Tenha em mente que Consolidar opera em uma escala de tempo, e não apenas clipes, assim você pode fazer novos clipes, combinando
espaço vazio com clips existentes. Por exemplo, você poderia usar Consolidar para criar um one-bar clipe de fora de um bar quase vazio
com um clipe de áudio curta no meio (ver Figura 4.30 ). Este novo clipe pode ser copiado para o primeiro tempo de qualquer bar e manter a
colocação da amostra.

Figura 4.30 Consolidar esta pequena amostra em um clipe de bar-longa faz com que seja fácil de copiar para outros locais, mantendo o tempo da amostra.

Fonte: Ableton

edição Automation
edição de automação é importante por algumas razões. Em primeiro lugar, não importa o quão bem você executa automação durante a gravação,
haverá momentos em que você quer mudá-lo mais tarde. Muitas vezes, é mais fáceis de fazer alterações ao editar em vez de re-gravação. Há
também casos em que é mais fácil para desenhar em automação manualmente em vez de gravá-la.

Automação é exibido como um gráfico de linha que representa alterações em um parâmetro ao longo do tempo. O significado da linha mostrada na
pista automação é determinado pelo parâmetro a ser controlado. No caso de controles de nível, tais como volume ou Enviar, volumes aumentar à
medida que a linha se move para cima. Para outros controlos, tais como Pan, uma linha no centro da pista representa uma posição central panela.
Valores mais baixos mover a esquerda pan, enquanto os valores mais elevados mover o direito pan.

Visualizando Automation
Antes de entrar na edição de automação, porém, existem algumas coisas que você precisa saber sobre a vê-lo. automação sessão
é mostrado nas Envelopes caixa do Clip View (ver Figura 4.31a ). Automation arranjo é mostrado no visor pista, como pode ser visto
em Figura 4.31b .

Figura 4.31a automação sessão.

Fonte: Ableton

Figura 4.31b automação arranjo.


Fonte: Ableton

Com a automação da sessão, só é possível visualizar um parâmetro automatizado de cada vez. Por padrão, o Acordo também exibe
um parâmetro de cada vez, mas é possível exibir vários parâmetros ao mesmo tempo usando vários Lanes Automation. Vamos dar
uma olhada no método básico primeiro, e depois nós vamos entrar em pistas múltiplas. Como visto em figuras 4.31a e 4.31b , Tanto
Sessão e arranjo tem um par de menus conhecidos como o dispositivo selector e o selector de controlo. O Dispositivo Chooser exibe
os dispositivos contidos na pista, bem como o Mixer. O selector de controlo selecciona um parâmetro específico do dispositivo
seleccionado no primeiro menu. Por exemplo, para ver a automação volume da faixa, você selecione Mixer no primeiro menu e Track
Volume no segundo menu. Se um efeito de filtro Auto é carregado para a pista, você pode ver sua automação Cutoff escolhendo
Filtro Automático e, em seguida, Cutoff Freq. Ao vivo faz com que seja fácil de encontrar parâmetros automatizados, colocando um
LED vermelho ao lado de dispositivos e parâmetros contendo automação. Na parte inferior de ambos os menus, você também vai
encontrar o Show Automated Parâmetros Apenas comando, que entra em colapso os dois menus em um e mostra apenas os
parâmetros automatizada.

Se você selecionar um parâmetro que não foi automatizado, uma linha de luz, pontilhada é exibida. Clique nesta linha e usar as técnicas
de edição explicado em “Edição Automation” para criar automação manualmente.

Ignorar os optantes: Aqui está um truque que lhe permite visualizar a automação sem navegar os optantes automação de todo.
Primeiro, selecione a exibição que contém a automação que você quer ver (Session ou Arrangement). Em seguida, clique no Mixer ou
dispositivo de controle que deseja vista automação para.

Por exemplo, para ver Automation Arranjo para o feedback de um atraso de Ping Pong, mude para Disposição e, em
seguida, clique no botão de feedback. A pista irá exibir a automação imediatamente.

Lanes automação
Em Arrangement View, é possível visualizar mais de uma faixa de automação de cada vez. A maneira mais fácil para ver todos os automação
de uma faixa é clicar com o botão direito sobre o nome da faixa e selecione Adicionar pista para cada Automated Envelope no menu de
contexto (ver A Figura 4.32 ).

Se você quiser ver apenas alguns envelopes, você pode clicar no sinal de adição abaixo do nome da faixa. Isto irá adicionar uma nova pista
para o que envelope você está vendo na pista. Para adicionar faixas adicionais, selecione um envelope diferente do Dispositivo e Controle
Choosers, e clique no sinal de mais. Por outro lado, cada pista de automação tem um sinal negativo que pode ser usado para remover a
pista. Em vez de remover as pistas, você pode apenas querer escondê-los. Isso pode ser feito com o botão adicional Fold que aparece no
inferior da barra de título da faixa.

A Figura 4.32 Use o ícone mais na barra de título de uma faixa para adicionar uma pista de automação. Use o ícone de menos na barra de título de uma pista para removê-lo. O Add pista para cada
comando Automated Envelope criará automaticamente uma nova pista para cada parâmetro automatizado.

Fonte: Ableton

edição Automation
Você pode alterar a forma do gráfico de automação utilizando duas técnicas, uma das quais envolve o ponteiro do mouse padrão e outro que usa
ferramenta de lápis da Vivo, conhecido como Desenhe Mode. ( Alternar modo Desenhar dentro e fora com a chave B). Em Desenhe Mode, você vai
desenhar com o lápis, a criação de planos “passos” que são cada a mesma largura que a configuração de rede atual (ver Figura 4.33a ). Isso
permitirá que você para criar efeitos de automação sincronizados-tempo, como portões de volume ou efeito cronometrado envia. O lápis substituirá
quaisquer rampas que podem ter sido feitas no modo ponto de interrupção em favor de seu estilo etapa plana.

Figura 4.33a No modo Draw, é fácil criar etapas tempo-sincronizadas em sua automação.

Fonte: Ableton

Quantize CHAVES: Você pode alterar manualmente a resolução da grade com estas teclas:

Ctrl (Composto) 1: Faz a grade menor.

Ctrl (TMC) 2: Faz com que a grade maior.

Ctrl (Composto) 3: Alterna tripleto modo de ligado e desligado.

Ctrl (Composto) 4: Alterna a grade ligado e desligado. Quando a grade estiver desligado, você será capaz de desenhar valores em qualquer lugar.

Você também pode selecionar diferentes Adaptive ou fixo modos grade clicando com o botão direito (Ctrl-clique) uma faixa no Arrangement
View.
Quando Desenhe Modo estiver desligado, você estará criando envelopes de ponto de interrupção (ver Figura 4.33b ). A automação serão exibidos como
linhas com pequenos círculos conhecidos como breakpoints. Você pode clicar nas linhas para criar ou excluir pontos de interrupção, e você pode arrastar os
pontos de interrupção em torno de remodelar o gráfico.

Figura 4.33b Rodar desenhar Modo fora revela pontos de interrupção ajustáveis ​individualmente.

Fonte: Ableton

Para mover um pedaço de automação, primeiro arraste para realçar toda a automação que você deseja mover. Em seguida, pegue um ponto de interrupção e
arraste. Note-se que os pontos de interrupção não pode ser arrastado para a esquerda ou para a direita de outros pontos de interrupção, a menos que você
mantenha pressionada a tecla Shift, o que fará com ponto de interrupção para ser excluído enquanto você arrasta sobre eles.

É possível mover um segmento de linha entre dois pontos de interrupção através do posicionamento do rato sobre o segmento e em seguida
pressionar a tecla Shift ao arrastar. Ou você pode mover o mouse um pouco acima ou abaixo do segmento até que ele fica azul e arraste-o. Estas
mesmas técnicas de ratinho também pode ser usado para mover uma gama inteira de automação para cima ou para baixo. Basta arrastar para realçar
a gama de automação que pretende ajustar e, em seguida, arrastar toda a gama quando se torna azul. Este método é útil porque impede o movimento
não intencional esquerda / direita.

Há um par de outras teclas modificadoras você deve saber sobre para ajustar automação. segmentos de automatização pode ser curvo, como
pode ser visto em A Figura 4.34 , Pressionando Alt (Opção) ao arrastar um segmento. Para fazer ajustes de valor muito finas, mantenha
pressionada a tecla Ctrl (Cmd) enquanto arrasta um ponto de interrupção ou segmento. Não só você vai ter um grau maior de precisão, mas
deixou movimento / direita é limitado também.

A Figura 4.34 curvas de automação em ação. Clique duas vezes enquanto segura a tecla Alt (Option) para restaurar a curva para uma linha reta.

Fonte: Ableton

Botão direito do mouse em um intervalo selecionado de automação revela um conjunto especial de comandos de edição de automação não é
mostrado no menu Edit (Cut Envelope, Cole Envelope, e assim por diante). Os atalhos para esses comandos são fáceis de lembrar, porque eles são
apenas o comando de chave padrão + Alt (Opção). Por exemplo, corte do envelope é Alt (Opção) + Ctrl (Composto) + C. automatização é eliminado
com Ctrl (Composto) + Eliminar.

WARP e esticar: automação de sessão também podem ser movidos e redimensionados usando urdidura marcadores e MIDI estiramento marcadores,
os quais aparecem como alças diretamente acima do editor envelope. Urdidura Marcadores muitas vezes têm de ser criado manualmente, enquanto
MIDI estiramento marcadores aparecem automaticamente sempre que uma gama de automação é selecionado. Estes irão ambos ser discutido em
detalhe em capítulo 5 ,
"Clipes."

Envelopes de bloqueio
À direita da Área de Scrub é um switch com um ícone de cadeado (consulte A Figura 4.21 ). Esta é Envelopes Lock, que é utilizado para
bloquear a automação para o cronograma. Por padrão, mover, copiar ou excluir clipes irá mover, copiar, ou automação de exclusão também.
Se você quiser editar clipes sem editar automação, ativar o Bloqueio Envelopes. Isso fará com que a automação de permanecer em seu local
atual, independentemente do movimento dos clipes.

fades
A menos que você tenha feito um monte de edição de áudio, você pode não perceber o que é um grande negócio é ser capaz de desaparecer e
crossfade clipes de áudio automaticamente. Bem, se esse for o caso, deixe-me dizer-é. Enquanto recurso Fades da Vivo pode ser usado para o que é
comumente considerado como um fade (a canção lentamente diminuindo de volume ou suavemente a transição para outra canção), desaparece
também são importantes para quem tem de cortar o áudio. Primeiro, com áudio digital, há sempre o problema “zero-crossing”. Se um arquivo de áudio
digital está sempre subitamente cortada em qualquer lugar que não seja o centro exato da forma de onda (como visto no

Figura 4.35 ), Haverá um som de estalo desagradável.

Figura 4.35 Sem um fade, este clipe de áudio irá aparecer quando termina.

Fonte: Ableton

No mundo real, é simplesmente não é possível fazer cada edição em um cruzamento de zero (e sempre obter qualquer outra coisa feito, que é).

Para resolver isso, a maioria das DAWs e programas de edição de áudio tem a capacidade de criar fades para evitar popping quando os arquivos de

áudio são silenciados ou cortados em conjunto. Isto é particularmente importante quando “compilando” juntos demora (tais como passagens

múltiplas de uma faixa vocal). Ao fazer isso, às vezes é necessário para fazer edições, às vezes extremamente precisas colocando uma edição no

meio de uma palavra, por exemplo. Nestes casos, crossfades são essenciais. Ao mesmo tempo desaparecendo um pedaço de áudio enquanto

desaparecendo no outro, essas transições hora podem ser feitas muito mais suave e convincente.

Fades não são automação, mas eles aparecem na Organizar Ver como se fossem (ver A Figura 4.36 ). Eles são criados automaticamente em cada
fronteira clipe, portanto, dependendo do seu fluxo de trabalho, você não pode encontrar-se vendo fades muito frequentemente. No entanto, nos casos
em que você está fazendo alguma edição intenso, ou você deseja experimentar com alguns crossfading criativo, você vai precisar para ver as suas
desaparece assim que você pode personalizá-los.

A Figura 4.36 Quando um clipe é seguido pelo silêncio, um fade rápido é criado automaticamente para cliques evitar e pops. Quando dois grampos são adjacentes uns aos outros, um crossfade
é criado, fazendo com que os sons a sobrepor-se e desaparecer dentro do outro.

Fonte: Ableton
Fades tem duas alças ajustáveis. O identificador de topo controla a duração da passagem. Na primeira desaparecer mostrado na A Figura 4.36 , A alça
superior poderia ser arrastado para a esquerda para criar um longo, desvanece-se mais gradual. Os controles centro punho inclinação do desvanecimento,
mudando-o para mais um “colher” ou uma “colisão” forma.

NO ENFRAQUECE ON ME: não gosto desaparece? Em Preferências do Live, há uma configuração chamada Criar Fades nas bordas clipe no
separador Record / urdidura / Lançamento. Se você desligar isso, não só viver parar de criar fades em limites do clipe, mas que também irá
permitir que você exclua fades existentes. Selecione o fade e pres Ctrl (Cmd) + Delete, ou clique a alça superior de fade e pressione Delete.

exportação de áudio

Depois de ter terminado a sua música e ao vivo você gosta da maneira que soa-é hora de tirá-lo do seu computador, gravado em CD,
e para as ruas. Antes de começar a gravar CDs, porém, você precisa para tornar seu arranjo para um arquivo de áudio estéreo. Figura
4.37a mostra o diálogo Export Audio / Video (anteriormente conhecido como Dai a Disk) que aparece quando você pressiona Ctrl
(Cmd) + R. Figura 4.37b
mostra a única diferença neste diálogo quando é invocada a partir da tela Sessão: o valor de comprimento.

Figura 4.37a A caixa de diálogo Export Audio / Video no Arrangement View.

Fonte: Ableton

Figura 4.37b O diálogo Exportar na Session View difere apenas em que o comprimento do arquivo de saída deve ser especificado no campo Comprimento.
Fonte: Ableton

Em ambos os modos de exibição de sessão e Arranjo, o Export Audio / diálogo vídeo apresenta várias decisões importantes a fazer. Para
começar, você precisa saber o tamanho exato da seção de áudio que estão prestando. Se você está prestando da sessão View, então é
provável processar apenas um de quatro, oito, ou seção de dezesseis bar, enquanto no Arrangement View, você pode muito bem ser
tornando uma música inteira e pode selecionar a quantidade de tempo de renderização desejado destacando a parte do arranjo você deseja
processar (ou sua totalidade). Por exemplo, se você quiser tornar uma música de quatro minutos, simplesmente arraste (destaque) a todo o
comprimento da canção em qualquer pista.

Note que você também precisa selecionar qual a saída para renderizar, selecionado na caixa da trilha prestados. Para criar um mix final, você deve
selecionar a saída Mestre. Você também tem a opção para processar qualquer uma das faixas individuais ou a prestar toda a opção Tracks, que irá
processar cada uma das suas faixas individualmente, tudo ao mesmo tempo. Esta última opção pode ser extremamente útil se você quiser exportar
faixas individuais para misturar em outro sequenciador de áudio, como o Pro Tools ou Logic.

Lembre-se que a prestação a saída Mestre irá incluir apenas a saída que é encaminhado para a faixa principal. Se você quiser criar um submix

de algumas faixas, você pode solo essas faixas, e somente aqueles será ouvido na mistura final. Além disso, não se esqueça que se você tiver

quaisquer faixas ignorando o Mestre e ser encaminhado diretamente para saídas em sua interface de áudio, eles não são incluídos em tudo.

Para tornar a partir Session View, os passos são os seguintes:

1. Determinar quanto tempo você quer que seu loop ou seção de áudio processado para ser. Não há necessidade de tornar mais do que
uma repetição do segmento de áudio; no entanto, muitas vezes você pode fazer sua música mais interessante, embelezando o ciclo
repetido e, em seguida, tornando o original e o loop variados como dois loops.

2. Lançamento todos os Clip (s) que deseja ser processado. Uma vez que você tem todos eles jogar, pare o sequenciador.

3. Selecione Arquivo> Exportar áudio / vídeo para chamar a caixa de diálogo Export Audio / Video e digite o tamanho do arquivo a ser
prestado, conforme determinado na Etapa 1.

4. Clique em OK ou pressione Enter e selecione a unidade / pasta onde você quer salvar o seu novo loop.

Para tornar a partir do Arranjo View, faça o seguinte:

1. Selecione a parte do arranjo que você deseja processar. Esta selecção pode ser feita por, Shift-clique em qualquer faixa, clicar sobre
um grampo-arrastando clique para seleccionar uma série de grampos, ou o ajuste da cinta loop para o comprimento desejado e
clicando na sua barra de topo.

2. Selecione Arquivo> Exportar áudio / vídeo para chamar a caixa de diálogo Export. Note-se que o intervalo que você selecionou na etapa 1 é
exibida na parte inferior da caixa de diálogo.

3. Selecione a faixa prestados. Selecione Mestre para criar uma mistura final, selecionar uma faixa individual, ou selecionar todas as faixas para
exportar todas as faixas individualmente.
4. Clique em OK ou pressione Enter e selecione a unidade / pasta onde você quer salvar o seu novo loop.

Por padrão, o menu da trilha prestados é definida como Mestre. A pista principal é onde todas as suas faixas individuais são somados
juntos em um único sinal estéreo, então é isso que você usaria para saída de uma final
misturar. A próxima opção neste menu, todas as faixas, é incrivelmente útil se você quiser misturar em outro programa. Ele cria arquivos
individuais para cada faixa no Set. O resto das entradas do menu permitem que você escolha uma única faixa para exportação.

O resto das opções em Exportar Áudio / Vídeo são as seguintes:

Normalizar: Analisa o arquivo exportado para encontrar o pico mais alto; em seguida, aumenta o volume do arquivo, a quantidade
necessária para fazer este pico 0dB. Isso faz com que o arquivo tão alto quanto possível, sem recorte. Deixá-lo fora para a maioria das
aplicações.

Processar como Loop: Principalmente usado para exportar laços com reverbs e atrasos. Calcula ao vivo a cauda decadência do
efeito que ocorreria depois de as extremidades arquivo exportado e torna-o no
começando. Isso evita o problema da decadência cortando abruptamente quando looping o arquivo exportado.

Converter para Mono: arquivo exportado é mono em vez de estéreo.

Tipo de arquivo: WAV e AIFF sejam idênticos no som, tamanho, e apenas sobre cada forma importante. O Windows não suporta
nativamente AIFFs (embora a maioria dos programas de áudio pro fazer), então WAVs uso se você precisa de compatibilidade
universal. Se você quer fazer um MP3, a conversão deve ser feita em um programa diferente depois de exportar um desses
formatos.

Taxa de amostragem: Se você está exportando áudio que será enviado para a mistura ou masterização, você deve selecionar a mais alta taxa
de amostragem utilizado no seu conjunto, normalmente o mesmo que o In / Out taxa de amostragem no separador Áudio de Preferências. Se
você está exportando áudio que vai direto para formatos de consumo como MP3 ou CD, use a taxa normal de 44100.

Profundidade de bits: Ao exportar para formatos de consumo, profundidade de bits deve ser definido para 16. Ao exportar para misturar ou dominar,
profundidades de bits mais elevados são típicos. profundidade de bits interno do Live é 32, portanto, qualquer áudio que é processado dentro vivo é
tecnicamente de 32 bits. Tenha em mente, no entanto, que os arquivos de 32 bits são muito grandes e não é suportado por todos os programas.
Para a maioria das aplicações de áudio pro, 24-bit é apenas multa.

Dither: A sobreposição acrescenta baixo nível de ruído de áudio digital para esconder a distorção que ocorre quando reduzindo a
profundidade de bits. É comummente aceite que quando a saída de 16 bits, alguns hesitar deve ser utilizado (tentativa POW-r 2 como um
padrão para a maioria pop e música eletrônica). Se você estiver saída de 24 bit, Triangular é o método dither mais seguro para uso,
embora alguns dizem que não usar nenhum. Pesquisar na Internet para infinitas páginas de discussão incompreensível sobre o tema.

Criar Análise do arquivo: Quando essa configuração está ativada, o Live também vai criar um arquivo de ASD, além do arquivo de
áudio prestados. Isso é útil ao exportar arquivos que serão reimportados ao vivo, desde que o arquivo ASD contém dados de exibição
de forma de onda e informação, tais como ritmo.

Exportar para SoundCloud: SoundCloud é um serviço de Internet para compartilhar sua música. Se você tem uma conta com
eles, essa opção agiliza o processo de upload de sua música.

NOTA IMPORTANTE! INÍCIO DE TRANSPORTE NO REGISTRO: Como este livro estava em seu caminho para a impressora, Ableton acrescentou uma
importante nova preferência para a guia Record / urdidura / Lançamento: Transporte Comece com Record. Esta preferência afeta o comportamento de
ambos da Record botões do Live. Quando aparece em
(O padrão), a gravação se comporta como descrito no resto deste livro.

Quando Iniciar Transport com registro está definido Off, clicando Arranjo Record ou Session Record irá preparar vivo para gravação sem
iniciar a reprodução. Para iniciar a gravação, você deve, em seguida, pressione Reproduzir. (Este comportamento será familiar aos usuários
de versões anteriores do Live.) Além disso, Session Record não iniciará a gravação do clipe, conforme descrito na seção “Session Record
botão” deste capítulo.
5Clips

C Lábios são os blocos de construção musical do LIVE. Como tal, você eventualmente quiser ganhar um profundo conhecimento do seu funcionamento
interno, e este capítulo é projetado para ajudá-lo a fazer exatamente isso. De ajustes simples, como nome do clipe e cor, às manipulações
far-out possíveis com urdidura marcadores e sulcos, há uma enorme quantidade acontecendo no Clip View que você precisa saber sobre.

Propriedades comuns de clipes

Enquanto MIDI e áudio são animais muito diferentes, há uma série de comportamentos e configurações que são comuns a ambos os
tipos de grampos, os quais serão discutidos aqui. O Clip View é dividido em várias áreas diferentes: o editor à direita, que exibe formas de
onda de áudio, urdidura marcadores, notas MIDI e envelopes; e várias caixas de parâmetro para a esquerda: a caixa de clipe, que é
sempre mostrado, eo lançamento, Sample (áudio), Notas (clipes de MIDI), e caixas Envelopes, todos os quais podem ser mostradas ou
ocultadas com os interruptores na canto inferior esquerdo. Vejo Figura 5.1 .

Figura 5.1 O Clip View contém várias seções que podem ser mostrados e escondidas usando os ícones no canto inferior esquerdo da janela. Um clipe de áudio é mostrado. Para
clipes de MIDI, a caixa de Amostra é substituída pela caixa de Notas.

Fonte: Ableton

Esteja ciente de que o editor é utilizado para visualizar áudio / dados MIDI e os envelopes de um clipe. Clique na barra de título da Amostra ou Notes
caixa para mostrar áudio ou MIDI no editor e na barra de título dos Envelopes caixa para mostrar envelopes. Se você não está se concentrando em
envelopes, é uma boa idéia para esconder os Envelopes caixa. Isto irá economizar espaço e ajudar a evitar qualquer confusão.

Clip Box
A caixa de clipe é sempre visível no Clip View (ver Figura 5.2 ). Aqui você vai ser capaz de ajustar algumas propriedades básicas do
clipe e permitir um sulco se você escolher.

Figura 5.2 A caixa de clipe é sempre visível. Ele contém alguns básicos e alguns controles avançados, explicado a seguir.
Fonte: Ableton

Clipe Activator
O “interruptor” circular no canto superior esquerdo pode ser usado para desativar o clipe. Isso é útil se você quer deixar um clipe no lugar,
mas significa que ele não está sendo usado. É particularmente útil quando se trabalha em Arrangement View, porque vai permitir que você
para silenciar um clipe, mas deixá-lo no lugar, caso seja necessário mais tarde. Clipes também pode ser desativado selecionando-as e
pressionando de zero no teclado do computador, ou selecionando Desativar clipe no menu de contexto.

Clipe Nome e cores


As duas primeiras configurações na seção Clip (ver Figura 5.2 ) São puramente estética, eles não têm qualquer impacto sobre o comportamento ou o som do
clipe. O primeiro campo é o nome do clipe, que pode ser tão muitos personagens que você quiser. Clipes também pode ser chamado usando o comando
Renomear e cores podem ser selecionados clicando com o botão direito do mouse sobre um clipe e usando o seletor de cor.

Se você criar um clipe arrastando um arquivo a partir do browser, o clipe será nomeado o mesmo que o arquivo. Quando você gravar um novo
clipe, será dado o nome da faixa em que ele é criado. Para múltiplos ajudar a manter leva (gravações) em ordem, ao vivo acrescenta um número
ao início do nome do clipe (e arquivos) como cada novo é criado. Se você usar nomes de longo clipe, você só vai ver os primeiros nove
caracteres na Session View quando se utiliza a largura de faixas predefinida. Isso pode ser remediado, arrastando a borda direita da barra de
título de uma faixa para alargar a pista.

Clipe de cor pode parecer um pouco de penugem estética no início, mas codificação de seus clipes de cor pode ser um benefício enorme em
desempenho ou quando se trabalha em produções complexas. Por exemplo, você pode fazer todas as suas partes de baixo tons de azul em suas
músicas ou usar cores para indicar diferentes gêneros em seu DJ set.

Assinatura tempo
Assinatura Tempo do clipe (rotulada Assinatura) determina a numeração dos marcadores de grade no editor. O que faz não fazer é mudar a
assinatura de tempo, tempo, ou qualquer outro aspecto sonoro do clipe. Este parâmetro é estritamente para fazer os editores visualmente
coerente quando se trabalha em diferentes metros.

clipe sulco
A secção de sulco é um dos mais complexos (e alucinante) características encontradas no Clip View. Usando os recursos do Groove da Vivo,
você pode modificar o calendário ea dinâmica de seus clipes de maneiras ilimitadas. Sulco é um tema profundo que exige um bom conhecimento
dos grampos, por isso é explicado em uma seção separada mais adiante neste capítulo.

Clipe Controls Nudge


Em seguida, estão o clipe offset Controls, que são compostas de dois botões na parte inferior do clipe Box. Esses controles permitem que você para
compensar um clipe facilmente por um valor quantificado ou clips de sincronização manualmente sem quantização. Esses controles funcionam de forma
diferente do que os controles Tempo Nudge. Clipe Nudge muda o deslocamento de um único clipe em relação ao ritmo de mestrado ao vivo, enquanto
Tempo Nudge momentaneamente muda o master tempo e, assim, o tempo de reprodução de todos os clipes.

Pressionando os dois botões de seta (os botões Nudge) irá realizar a mudança. (O clipe deve jogar quando você faz isso.) Cada vez que você
pressionar uma seta, as posições de início e de reprodução do clipe vai mudar por um montante determinado pela configuração global Quantize.
(Não confunda isso com o lançamento de quantização do clipe, que será explicado a seguir.) Se o Quantize global é definido como 1 Bar, local
de início do clipe será deslocado por 1 Bar com cada clique dos botões Nudge. Se você quiser compensado por uma quantidade menor,
selecione um valor Quantize menor. Com o Global Quantize definido como Nenhum, os botões Nudge irá compensar o clipe por incrementos de
um minuto, permitindo que você faça o seu clipe sentar-se só um pouquinho à frente ou atrás da batida.

Por exemplo, digamos que você está DJing com a Global Quantize conjunto a 1/16, em vez de 1 Bar, a fim de compensar ocasionalmente uma faixa para
criar um novo groove. Os controles Nudge clipe poderia ser usado enquanto escuta pré para corrigir a colocação de uma faixa que foi lançado um pouco
demasiado cedo ou demasiado tarde, ou para experimentar com diferentes deslocamentos antes de trazer a pista. Ou você poderia lançar uma faixa com a
Global Quantize definido como 1 Bar e, em seguida, alterá-lo para Nenhum e empurrar o clipe para que ele corre ou arrasta um pouquinho.

O CONTROLE TERCEIRO: Enquanto parece que os controles Nudge estão limitados a apenas dois botões, há um terceiro controle que
pode ser acessado somente por meio de atribuição MIDI. Quando você entrar no modo MIDI Mapa (Ctrl [Cmd] + M), você verá uma
pequena caixa aparecer entre os botões de seta. Clique nesta caixa e torcer um botão no seu controlador MIDI. Agora você pode torcer o
botão para executar o empurrão. Você deve usar um botão codificador sem fim para isso.

Mantenha o ritmo: Depois de ter cutucou uma faixa à perfeição, você pode querer ser capaz de recordar exatamente o quanto você
cutucou-lo para que ele possa ser reproduzido exatamente o mesmo na próxima vez que você iniciá-lo. Para fazer isso, selecione Capturar e
Cena Inserir no menu Criar. Isso fará com que uma cópia de qualquer clipes que você tem atualmente reproduzir e criar uma nova cena com
apenas os clipes na mesma. Quaisquer faixas que você cutucou terão seus marcadores de início movida pelo montante que foram
empurrados.

A Caixa de Lançamento

No Live, usamos o termo lançamento para indicar o jogo de volta de um clipe Session. Lançamento é um comportamento personalizável que
oferece uma variedade de opções criativas. Essas opções são definidas na caixa de Lançamento, que é mostrado ou oculto usando o ícone L
no canto inferior do lado esquerdo do clipe View.

Modo de lançamento
O modo de Launch (ver Figura 5.3 ) Determina o que acontece quando o botão de lançamento de um clipe é pressionado, ou o clipe é lançado via
MIDI ou o teclado do computador. Esteja ciente de que o comportamento dos modos de lançamento está ligada à definição de quantização
(explicado a seguir). Para experimentar com os diferentes modos, eu recomendo que você definir quantização para um valor relativamente baixo
(por exemplo, 1/16), como ele vai fazer as diferenças nos modos muito mais fácil de entender.
Figura 5.3 modos de lançamento são uma maneira poderosa e simples de ser criativo com clips.

Fonte: Ableton

Desencadear: O modo mais comum Lançamento para uso na maioria das situações de desempenho é o modo Trigger Live. Cada vez que
você disparar um clipe, que vai lançar. Uma vez que um clipe é lançado e jogar, você será capaz de parar a sua reprodução apenas
pressionando um dos botões de parada Clipe localizados na mesma pista. Este modo ignora o up-tick (release) do botão do mouse, chave
de teclado do computador, ou uma nota MIDI. Cada clipe pode ser demitido tão rapidamente quanto a quantização permitirá, e cada vez
que o clipe é demitido, ele irá reiniciar o clipe desde o início, mesmo se ele já estava jogando.

Portão: Ao ativar um clipe no modo Gate, você vai ouvir o som apenas para o tempo que o rato ou o teclado está
deprimida. Este é um excelente cenário para cair em trechos de som sem jogar todo o clipe. Em suma, mantendo o
botão esquerdo do mouse (ou a tecla MIDI / computador-teclado) vai jogar o clipe continuamente até que você
deixar-se.
Alternancia: Com o modo de alternância ativado, o botão Iniciar Clipe basicamente se transforma em um interruptor on / off para o
clipe. Se você lançar um clipe que está jogando, ele irá parar. Lançar o clipe parou, e ele vai começar a jogar. Isso também funciona
no nível cena se você acionar uma cena com clipes configuradas no modo Alternar. Cada vez que você acionar a cena, clips que
estão jogando vai parar, e clips pararam será iniciado. Tenha em mente que parar do clipe irá respeitar a quantização atual, do jeito
lançamento faz.

Repetir: modo de repetição é uma forma de retriggering um clipe pressionando o mouse ou atribuído chave da nota / MIDI. Toda vez que
o mouse ou tecla for mantida, o clipe continuamente irá reiniciar-se à taxa especificada pela definição Quantize do clipe. Se o ajuste for
1/4, mantendo o rato / tecla fará com que apenas o primeiro tempo do clipe de jogar uma e outra vez. Quando o mouse ou tecla é
liberada, o clipe vai jogar através de sua totalidade como normal. Este modo pode criar efeitos divertido gaguejar, mas devem ser
usados ​com moderação, provavelmente não é uma boa escolha para o comportamento padrão.

Modo Legato interruptor


Abaixo do menu do modo é o interruptor Legato. Quando ativado, o clipe vai iniciar a reprodução a partir da posição relativa do clipe
atualmente jogando na mesma pista. Por exemplo, digamos que você tem dois clipes de oito compassos definido para o modo Legato.
O primeiro clipe é lançado e autorizado a jogar por duas barras antes do segundo é lançado. Em vez de jogar desde o início, ele
começa no bar 3 já que é onde o clipe anterior teria sido se tivesse sido autorizado a continuar jogando.
Este recurso permite que você alterne entre vários clipes diferentes, mergulhando dentro e fora de várias seções de cada clipe. Com os valores de
quantização de lançamento baixos, esta característica faz com que seja possível gerar um grande número de variações de um número relativamente
pequeno de clips.

Clipe quantização
Você pode estar familiarizado com quantização como uma técnica para corrigir o calendário de performances MIDI. No entanto, o menu de
quantização na Caixa de Lançamento lida com algo chamado quantização lançamento,
o que é um animal diferente. Ele ainda lida com correção de tempo, mas apenas em termos de lançamento e parar clips (como o nome sugere!).

configurações de quantização clipe adequadas assegurar que os clipes começarão a tempo e em sincronia com os outros, mesmo que eles são

acionados um pouco mais cedo por nós humanos desleixado. Quando você lançar um clipe, esperas ao vivo para reproduzi-lo até o próximo

intervalo de quantização é atingido. Por exemplo, com uma configuração de quantização de 1 Bar, o clipe vai esperar até o tempo forte do compasso

seguinte para começar a jogar. No intervalo entre quando um clipe é lançado e quando ele realmente começa a reproduzir, no botão Clip Launch

pisca. Com quantização definido para Nenhum, um clipe começa a tocar no instante em que é lançado.

Quantização é selecionado a partir do menu drop-down mostrada na Figura 5.4 . Por padrão, os clipes são ajustados para Global, que faz com que
o clipe de seguir a definição Quantize na barra de controle. Em Preferências do ao vivo, é possível mudar a quantização padrão para um valor
diferente de Global, mas para a maioria das aplicações você provavelmente não quer fazer isso. É útil para ter a maioria dos clipes siga
quantização global e substituir esse comportamento somente quando necessário.

Figura 5.4 As configurações de Quantize para um clipe.

Fonte: Ableton

Velocidade
Apenas abaixo da caixa de quantização é o Velocity Valor. Este valor só funciona para clipes lançados pelo MIDI. Ele usa o nível de velocidade de
entrada da nota MIDI para definir o volume de reprodução do clipe. Em 0%, a velocidade tem nenhum efeito sobre a reprodução grampo volume-que
desempenha no seu nível original. A 100%, sensibilidade de velocidade do clipe será extrema- provavelmente muito sensível para a maioria das
situações. Isso funciona para
áudio e clips MIDI.

ações seguem
da Vivo Siga ações permitem um incrível nível de automação dentro do Ver Session. Usando Siga Ações, você pode definir regras pelas
quais um clipe pode lançar outro. Qualquer clipe particular pode lançar clipes acima e abaixo dele, reproduzir-se, ou mesmo parar-se-tudo
baseado em probabilidades e um período de tempo que você pode programar. Você pode pensar em ações seguem como um “dedo”
virtual que inicia para você. Siga Ações abrir tantas possibilidades criativas que você encontrará uma lista de potenciais aplicações listadas
na Capítulo 13 “Vivo 9 Potência”. Siga Ações trabalhar em grupos de clips, que são grampos dispostos acima e abaixo um do outro na
mesma pista (ver Figura 5.5 ). Uma ranhura grampo vazio inserido entre dois clipes divide-as em grupos distintos. Ações seguem não pode
ser usado para clipes de gatilho em diferentes grupos ou faixas.

Figura 5.5 A faixa da esquerda apresenta um grupo de clipes, enquanto a faixa da direita tem dois grupos.

Fonte: Ableton

O tempo e as condições para uma Ação Siga estão definidas nas três seções na parte inferior da janela de lançamento do
clipe. A primeira seção, o Siga Tempo de ação, determina quanto tempo decorre entre quando o clipe é lançado ea Acção
Siga ocorre. Figura 5.6 Especifica que a ação jogar na próxima será realizada após decorrido Bar One.

Figura 5.6 Estes parâmetros determinam o comportamento Siga Ação do clipe. Se Possibilidade A e B estão definidas para um valor diferente de zero, siga Ação A ou B é escolhido
aleatoriamente, com base em sua relação.

Fonte: Ableton

As opções nos menus Siga ação são os seguintes:

No Action: é realizada nenhuma ação. Esta é a ação padrão para todos os novos clipes. Com Nenhuma ação selecionada em ambos os
menus, não siga ação ocorrerá.

Pare: Pára a reprodução.


Jogar de novo: Relança o clipe que joga atualmente.

Anterior Próximo: Desencadeia o clipe acima ou abaixo da atual. Se o clipe no topo de um grupo aciona o jogo
ação anterior, ele irá “envolvente” e acionar o clipe de fundo do grupo e vice-versa.

Jogar Primeiro / Último: Desencadeia a parte superior ou inferior grampo num grupo. Se o clipe de topo em um grupo desencadeia a jogar na
primeira ação, ele irá relançar em si.

Qualquer: Lança um grampo escolhida aleatoriamente a partir do grupo. vivamos retrigger o mesmo clipe com esta opção.

De outros: lança um diferente escolhido aleatoriamente clipe do grupo. nunca vai ser lançado o mesmo clipe.

O que torna Siga Ações particularmente interessante é a capacidade de criar duas ações possíveis para cada clipe. Ao vivo vai
escolher entre Siga Acção A e Siga Acção B aleatoriamente, mas esta aleatoriedade pode ser restringido utilizando uma relação
matemática.

Possibilidade A e Possibilidade B são usados ​para definir as probabilidades de que cada acção vai ocorrer. Por padrão, as chances são de 1: 0,
significando que a acção Siga à esquerda serão sempre realizados. Odds de 0: 1 fará com que o direito Siga Ação para sempre ser realizada. As
probabilidades de 1: 1 lhe dará a chance de qualquer ação 50-50 sendo executada. Você pode colocar em quaisquer valores que você gosta, como 2: 3
ou 1: 200.

Tenha em mente que sempre que nenhuma ação for encontrado, há mais ações seguem irá ocorrer, mesmo que o clipe está em loop. Isso
ocorre porque Siga As ações são avaliadas somente após um clipe é lançado. Se você deseja criar uma chance de que um clipe irá quer
continuar a loop ou lançar outro clipe, uso Jogar novamente em seu lugar. Desta forma, o clipe continuará a avaliar suas ações seguem.

Jogar com as probabilidades: Note-se que as probabilidades são calculados de novo cada vez que uma ação subseqüente é executada. Se você
tem um clipe com chances Siga Ação de 1: 1 e escolhe viver a ação esquerda pela primeira vez, isso não significa que o Live vai escolher a ação
correta da próxima vez. Assim como é possível rolar o mesmo número em um tempo de morrer após o tempo, é bem possível para o Live para
escolher pela esquerda Siga Ação cinco vezes seguidas, mesmo com 1: 1 chances.

Amostra / Notas

A próxima caixa na vista clipe diferente para clipes de áudio e MIDI. clipes de áudio exibir uma caixa de chamada
Amostra, enquanto clips MIDI tem uma caixa chamada Notas. Os lados esquerdo dessas caixas diferem nas caixas de amostras e notas, mas o
lado direito contém parâmetros idênticos para ajustar o comprimento do intervalo de reprodução e laço do clipe.

Início e Fim
Um clipe pode conter mais de áudio ou MIDI do que você realmente deseja reproduzir. Em outras palavras, você pode ter um clipe de quatro barras,
mas decidir usar apenas o primeiro bar. Você pode ter uma música de cinco minutos a partir do qual você isolar um grande tambor de preenchimento no
meio. Estes ajustes são feitos usando os controles de início, fim e Loop.

Iniciar determina onde o clipe começa a reprodução. A posição inicial é mostrado tanto como um valor numérico e como um sinalizador de
apontando para a direita no editor para a direita. End determina onde o clipe para a reprodução
quando o interruptor laço está desativado. Este é um ponto importante, então eu também vou dizer de uma maneira diferente: quando Repetição está
habilitado, End não tem efeito. Este parâmetro é exibido como uma bandeira apontando para a esquerda no editor, e como um valor numérico diretamente
abaixo Iniciar. Ambos estes valores podem ser editados por arrastando as bandeiras ou editando os valores numéricos directamente, como mostrado na Figura
5.7 .

Figura 5.7 Você pode definir uma seção menor de um clipe para uso, definindo o clipe de início e fim Marcadores.

Fonte: Ableton

TRANSPORTE CLIP: Você pode começar a jogar um clipe a partir de qualquer ponto que você escolher, sem ter que mover o início marcador. Para
fazer isso, basta passar o cursor um pouco acima do editor, que se transforma em um ícone de alto-falante. Quando você clica, o clipe vai começar a
jogar a partir do local mais próximo permitido pela Lançamento quantização do clipe. Em outras palavras, se a definição de Quantize do clipe é definido
como 1 Bar, você será capaz de iniciar a reprodução desde o início de qualquer bar no clipe. Isto torna mais fácil para saltar para qualquer ponto em
uma faixa, mesmo durante uma performance, uma vez que os saltos são quantificados.

Configurações de loop
As configurações de loop consistem em três controles: Loop, a posição ea duração. O primeiro destes, Loop, é um grande interruptor que activa ou
desactiva o circuito. As segundas duas controlos determinar onde o ciclo começa e o tempo que ele é. Estes parâmetros, posição e o comprimento,
são apresentados como valores numéricos e como uma cinta que corre ao longo da parte superior do editor (ver Figura 5.8 ).

Arrastando a borda direita da cinta altera o comprimento enquanto arrasta a borda esquerda vai mudar tanto em comprimento e posição
simultaneamente. Arraste a chave do seu centro para mudar a malha de posição, deixando seu comprimento o mesmo. Um único clique na
cinta de loop irá selecioná-lo e permitir que você ajuste-o com as teclas de seta. As teclas esquerda / direita vai movê-lo pelo tamanho da
grade, e o up / down teclas vai movê-lo pela corrente Comprimento Loop.

Ao vivo também permite definir os pontos de loop como o clipe estiver em reprodução, pressionando os botões marcados “Set” ao lado de malha
de posição e laço Length. Estes botões são ambos quantizado para o valor no menu global de Quantize, por isso é fácil de criar interativamente
loops perfeitos.

Figura 5.8 É fácil para repetir qualquer parte do áudio ou MIDI dentro de um clipe.
Fonte: Ableton

Tenha em mente que Iniciar e malha de posição pode ser ajustado de forma independente. Isso significa que você pode ter clips que não começam
fazer um loop de imediato, como visto na Figura 5.9 .

Figura 5.9 Um clipe pode ser definido como circuito num ponto diferente do que inicialmente reproduz a partir.

Fonte: Ableton

Isso é útil em uma variedade de situações. Por exemplo, imagine que você tem um loop de bateria que começa com um címbalo acidente. Em vez de
looping todo o clipe, resultando no acidente címbalo soando cada vez que se repete clipe, você pode especificar uma área de loop após o címbalo
acidente. Desta forma, você vai ouvir o acidente a primeira vez que você acionar o clipe, mas você não vai ouvi-lo novamente até que você reinicie o
clipe. Ou, em um conjunto de DJ, ele pode ser muito útil a criação de uma música para tocar desde o início, e então em algum lugar de loop no final para
comprar-lhe tempo extra quando a mistura para a próxima música.

Também é possível colocar o clipe Iniciar dentro do loop, em um ponto que não seja o início loop (ver Figura
5.10 ). Por compensação laços entre si, uma grande quantidade de variação rítmica é possível. Para ter uma idéia para isso, tente lançar um
loop de bateria e um loop baixo em duas faixas diferentes. Enquanto os loops estão jogando para trás, mover a posição de início do loop baixo
e ouvir como as mudanças do sulco.

Figura 5.10 Tente compensar Iniciar do clipe para criar variações de loop.

Fonte: Ableton

ORANGE dígitos: Ao ajustar loops, você pode ocasionalmente encontrar números nas configurações de circuito ou exibição Start / End que são
laranja. Isso significa que o número apresentado não é exata. Por exemplo, se um comprimento da laçada é listado como 1.0.0 com o último 0 em
vermelho, o clipe pode ser realmente 1.0.01
bate muito tempo. Um loop este tempo vai em primeiro som corrigir, mas irá variar ao longo do tempo, já que é um pouco demasiado longo.

Isso pode ser corrigido facilmente, digitando o número correto e pressionar Enter.

Editar vários clipes


Muitos dos parâmetros de clipe explicados aqui podem ser editadas por múltiplos clipes simultaneamente. Ao selecionar vários clipes, apenas os
controles que podem ser alterados para todos os clipes selecionados serão mostrados (ver
A Figura 5.11 ). Controlos que estão definidos para valores diferentes exibirá um asterisco (*) em vez de um valor.

A Figura 5.11 Editar vários clipes ao mesmo tempo e poupar algum tempo.

Fonte: Ableton

Algumas das opções, tais como Clipe Nome e grampo de cores, será definido de forma idêntica para todos os clips. Por exemplo, se você alterar o clipe

de nome para Hot Drums, todos os clipes selecionados irão assumir o mesmo nome. Este mesmo comportamento é verdadeiro para quase todos os

campos disponíveis ao editar vários clipes. A Transposição, Detune, Velocity e as configurações de volume do áudio, no entanto, pode ser ajustado por

uma quantidade relativa. Por exemplo, se a configuração de transposição de um grampo é de -2 e outro é 3, transformando-se o botão 2 Transposição

carrapatos ao selecionar ambos os grampos vai resultar no primeiro grampo ser conjunto para 0, enquanto o segundo grampo é ajustado para 5. Para

redefinir um controle de todos os clipes selecionados para o valor padrão, selecione o controle e pressione Delete.

clipes MIDI

Se você estiver usando Live para compor uma música, você provavelmente vai estar usando clipes MIDI extensivamente. Se você está tocando com
um controlador ou desenho em partes a partir do zero, você precisa conhecer o seu caminho em torno do clipe MIDI. Nesta seção, vamos dar uma
olhada em suas propriedades e no MIDI edição em particular.

Clipes edição MIDI


MIDI é incrivelmente flexível. notas gravadas pode ser facilmente transposto para alturas diferentes, prorrogado ou reduzido, e se mudou
para um local diferente no tempo. Quando editar clipes de MIDI no Live, você não só tem a capacidade de mudar as notas que foram
gravadas, mas também para criar novos à mão. Na verdade, muitos produtores preferem desenhar peças diretamente para os clipes em vez
de jogá-los, quando
programar partes de bateria, por exemplo. Isso lhes permite criar apresentações específicas, como perfeitamente repetir 1/16 notas que
são todos a mesma duração e velocidade. Edição de dados à mão também permite a criação de automação precisa, tais como volume
desvanece-se perfeitos e modulações de filtro quantizados.

Se você quiser criar um clipe MIDI inteiramente através de edição, não há necessidade de registro em tudo. Basta clicar duas vezes em um slot
clipe vazio para criar um clipe vazio MIDI e edição de distância.

Ajustar a grade
Toda a edição em um clipe MIDI é regido pela rede timing. Sempre que uma nota é criada ou movida, ela se encaixará os valores de grade. Se a sua

rede está definido para 1/4, você vai ser capaz de alinhar as notas MIDI apenas para a nota do clipe de 1/4. Você também pode alterar as

configurações de rede, permitindo que você faça mais ajustes rítmicos precisos. Você pode até mesmo desativar a grade completamente para a edição

de forma livre. Live tem dois modos de grade: Adaptive e fixo. O modo de grade pode ser selecionado por qualquer botão direito do mouse na Nota do

Editor e selecionando no menu de contexto. O modo adaptativo, o padrão, simplesmente muda o valor da grade de acordo com o nível de zoom. Os

valores de grade ficam menores quanto mais você aumentar o zoom em suas notas MIDI. grade fixa mantém a resolução para o valor que você

selecionar, independentemente do nível de zoom. Alterar a resolução da grade fixa pode ser feito com os comandos de teclas descritas a seguir. Como

você executar esses comandos de teclas, você verá a alteração do valor de grade na janela de dados do MIDI (veja Figura

5.12 ), Refletindo sua modificação. Note que antes de utilizar os seguintes comandos de teclas, você deve clicar no grid para selecioná-lo;
caso contrário, você pode ser o ajuste do menu Quantize na barra de controle.

A Figura 5.12 A configuração da rede atual é 1/16. Notas irá tirar a 1/16-nota cronometragem quando arrastado, e todas as notas desenhadas será o padrão para uma duração de 1/16.

Fonte: Ableton

Ctrl (Composto) 1: Isto irá diminuir o valor do grid. Se a grade foi definida para 1/16 antes, será 1/32 depois de usar este
comando chave.

Ctrl (TMC) 2: Isto tem o efeito oposto do comando acima. Um valor grade de 1/16 mudará para 1/8 depois de usar
este comando.
Ctrl (Composto) 3: Este comando tecla alterna o modo Triplet ligado e desligado. Uma definição anterior de 1/8 girará para 1 / 8T (1/8-nota
tripleto) depois de pressionar estas teclas. Utilize este comando tecla novamente para alternar o modo Triplet off.

Ctrl (Composto) 4: Isso transforma toda a grade ligado e desligado. Quando a grade estiver desligado, a indicação do valor de grade vai virar cinza.
Você será capaz de colocar os dados MIDI em qualquer lugar que você gosta enquanto a grade está desligado. Para
re-ativar a grade, usar este comando tecla novamente.

Edição de Notas e velocidades

Depois você tem o seu timing grade desejado selecionado, você está pronto para começar a manipular notas MIDI. Ao vivo notas exibe MIDI em
um estilo conhecido como rolo de piano. Este termo vem dos antigos pianos que foram programadas utilizando rolos de papel. Estes rolos teve
pequenas ranhuras corte para eles, cada um representando uma nota específica no teclado de piano ou um dos outros instrumentos montados
no interior. Uma nota que tocou por um longo tempo foi desencadeada por uma longa fenda no papel. Como o papel enrolado por sensores
mecânicos, provocou servos para tocar notas no piano.

Visualizando dados MIDI


O Piano Roll View in vivo caracteriza uma pista para cada nota na escala MIDI. Ao olhar para Figura
5,13 , Você verá uma imagem de um teclado de piano no lado esquerdo da janela. De cada uma dessas chaves é uma pista que se estende para a
direita onde as notas podem ser colocados. Notas colocados nestas pistas desencadear a sua chave correspondente na escala. Ligue Preview para
ouvir notas como você desenhar ou movê-los.

A Figura 5.13 O editor MIDI pode ser redimensionada, e o piano roll ampliado e rolado, assim você sempre pode ver o que você precisa ver.

Fonte: Ableton

Você pode zoom in e out do teclado de piano vertical, permitindo assim que você veja mais ou menos dos 128 notas possíveis na
escala MIDI. Zoom movendo o mouse sobre o teclado de piano na esquerda da janela. Quando o rato muda para uma lupa, você
pode arrastar horizontalmente para fazer zoom e verticalmente para rolagem. Para ampliar o editor, mova o mouse acima do editor
até que se torne um divisor e, em seguida, arraste para cima. Se você quiser, você pode fazer o editor ocupar toda a tela e use
Shift-Tab quando você precisa ver a grade grampo ou exibição pista.

Na dobra: visor MIDI do Live tem uma característica única que os couros quaisquer pistas que não contêm dados MIDI.
Quando o botão de Fold (localizado logo acima da tela Piano Roll) é ativado, o display será condensado, e você verá apenas
as pistas que contêm notas.
edição básica
Existem dois métodos para editar dados MIDI: com o ponteiro do mouse padrão, ou com a ferramenta lápis da Vivo, conhecidos como Desenhe Mode.
Para habilitar Desenhe Mode, clique no lápis na barra de controle ou simplesmente pressione a tecla B no teclado (veja A Figura 5.14 ). Um curto alterna
imprensa Desenhe modo ligado e desligado, enquanto mantém B será temporariamente permitir Desenhe Modo e restaurar o ponteiro de mouse padrão
quando você liberá-lo. Esta técnica funciona em sentido inverso, assim, permitindo temporariamente o ponteiro de rato padrão, enquanto em modo de
desenhar.

A Figura 5.14 Ativar Desenhe Modo de desenhar e notas apagar com um único clique.

Fonte: Ableton

Quando Desenhe modo estiver ativado, você pode adicionar notas no editor clicando com o botão único. As notas que você criar será automaticamente
ajustado para o comprimento da configuração da rede atual. Se você continuar a manter o botão do mouse depois de criar a nota, você pode arrastar para
cima e para baixo para definir sua velocidade. Se você clicar e arrastar na horizontal, o lápis vai criar uma série de notas em que pista, o que é ótimo para
os padrões oi-chapéu. (Você também pode arrastar para cima e para baixo para definir as velocidades de todo o grupo.) Clicar em uma nota existente com
o lápis vai apagá-lo.

Enquanto Desenhe Modo é muito conveniente para muitas tarefas de edição, há algumas coisas que você só pode fazer com o ponteiro do mouse padrão. Por

exemplo, você pode clicar e arrastar notas para realocá-los, ou desenhar uma moldura em torno de um grupo de notas para selecioná-los, e, em seguida, mover

ou editar-los como um grupo. Uma vez que as notas são selecionados, eles também podem ser movidos usando as setas. Para criar uma nota MIDI com o

ponteiro do mouse padrão, clique duas vezes no editor. Clicando duas vezes em uma nota existente irá apagá-la. Independentemente do modo que você está

em que, o mouse irá se transformar em um (] ou [) ferramenta trimmer em forma de suporte, quando mudou-se para a borda de uma nota. Esta ferramenta é

usada para alterar o comprimento de notas. Ao arrastar com esta ferramenta, a duração da nota vai mudar suavemente no início, apenas tirando para a próxima

linha de grade quando arrastadas muito próximo a ele. Uma vez que ele se encaixe para a próxima linha de grade, ele vai continuar a tirar, só permitindo que

você faça edições dimensionados para a grade. Não se preocupe, basta manter pressionada a tecla Ctrl (Cmd) enquanto arrasta para desativar a grade.

comprimentos de notas pode ser ajustado a partir do teclado, mantendo pressionada a tecla Shift e usando as teclas de seta esquerda / direita. Adicionar Ctrl
(Cmd) para desativar a grade durante o redimensionamento.

SELEÇÃO RÁPIDA: Há um atalho rápido para a seleção de todas as ocorrências de um determinado campo ou tambor em um clipe MIDI.
Basta clicar no teclado de piano (ou ao lado do nome do tambor se você estiver usando Drum Rack ou Impulse) para selecionar todas as
notas em que lane.

A área diretamente acima do editor de notas exibirá uma área destacada chamado área de seleção
sempre que é efectuada uma selecção. A seleção pode ser feita clicando em uma nota, Shift-clique para selecionar uma série de notas ou clicando e
arrastando para desenhar uma marca de seleção. Note que é possível até mesmo criar uma área de seleção sem selecionar quaisquer notas,
simplesmente arrastando em uma área vazia do editor. O comprimento da área de selecção é particularmente importante quando se utiliza
comandos que operam em um intervalo de tempo.
Por exemplo, quando duplicado é usado em notas MIDI, a cópia será colocada no final da área de seleção. Portanto, as notas
mostrado na Figura 5.15 será colocado no início da próxima batida. O editor de notas também suporta o tempo de cortar, colar
Time, Duplicate Tempo, Tempo Delete e Insert Silence comandos descritos na seção Arranjo Edição de Capítulo 4 . Estes
comandos replicar ou remover intervalos de tempo de acordo com a área de selecção actual.

Figura 5.15 Mesmo que todas as notas estão no primeiro 1/16 nota, a área de seleção é mostrado um quarto de nota longa. O comando Duplicate poderia agora ser usado
para colocar uma cópia destas notas no início da próxima batida.

Fonte: Ableton

Ao clicar em uma área vazia do editor insere um cursor a piscar, o que é útil se você estiver usando o Cut padrão, copiar e colar
comandos. Uma vez que você cortar ou copiado uma seleção, clique para colocar o cursor antes de colar para determinar onde as
notas serão colocados.

Tenha em mente que quando você seleciona um grupo de notas, todos eles podem ser editados simultaneamente. Não apenas você pode movê-los,
mas você também pode redimensioná-las, ou você pode escalar suas velocidades de uma só vez.

edição Velocity
Diretamente abaixo do editor de notas é o editor de velocidade. Tipicamente, as alterações na velocidade vai resultar numa alteração no volume da nota.
No entanto, este comportamento é realmente controlado pelo instrumento de receber o MIDI, e você vai descobrir que alguns sons são sensíveis à
velocidade, enquanto outros não são. Algumas predefinições vai mapear velocidade para outros valores, tais como o corte do filtro. Para saber mais
sobre velocidade da nota mapeamento, ler sobre instrumentos da Vivo em Capítulo 8 , “Instrumentos de Live.”

O editor de velocidade pode ser dobrado ou desdobrado, e redimensionada, arrastando o limite inferior do editor de notas (ver A Figura 5.16 ). Ao
desenhar Modo é desligada, a velocidade de cada nota é representado por uma linha vertical, com um pequeno círculo no topo. Para ajustar a
velocidade, basta arrastar o círculo para cima ou para baixo. Com Empate modo on, o círculo desaparece, e você pode desenhar velocidades
diretamente no editor de velocidade.

A Figura 5.16 A faixa de velocidade pode ser aumentado, arrastando, na parte superior, ou escondido, clicando o interruptor de dobragem no canto inferior esquerdo.

Fonte: Ableton

Desde várias notas podem ocorrer em pistas diferentes de uma só vez em um clipe MIDI, é possível que as velocidades das várias notas
a serem empilhados em cima uns dos outros, tornando difícil ou impossível mudar a velocidade de uma nota particular. Para contornar
isso, selecione a nota no editor de primeira, e você
em seguida, ser capaz de editar sua velocidade. Se você usar o modo de desenho na pista de velocidade, você não será capaz de especificar qual nota para
editar quando dois ou mais ocorrem ao mesmo tempo. Em vez disso, você vai definir todas as notas para a mesma velocidade.

Felizmente, há também um atalho fácil para editar velocidade que funciona ou não Desenhe modo está ligado. Basta manter pressionada a tecla Ctrl
(Cmd), mantendo o ponteiro do mouse sobre uma nota, e ele vai se transformar em um divisor. Arraste o divisor para cima ou para baixo para alterar a
velocidade. Desde códigos de cores vivas notas para mostrar a sua velocidade, você pode não ter que usar o editor de velocidade em tudo, e pode
simplesmente dobrá-lo para economizar espaço em sua tela.

ASCENSÃO E QUEDA: Com Desenhar modo desligado, mantenha pressionada a tecla Ctrl (Cmd) e desenhe uma rampa na pista de velocidade para criar
uma gama de aumentar ou diminuir as velocidades de notas. Para definir uma série de notas com a mesma velocidade, selecione-as e arraste para cima ou
para baixo até que todas as notas estão no máximo ou mínimo. Quando você se move de volta para o centro, todos eles vão permanecer na mesma
velocidade.

estiramento Markers
Com uma exceção, criando uma área de seleção faz com que um conjunto de alças chamado MIDI estiramento Marcadores a aparecer acima do editor.
(Sem marcadores aparecem quando você seleciona apenas notas que ocorrem simultaneamente.) Estes podem ser usados ​para flexibilidade ajustar a
duração e calendário da seleção. Se os envelopes ver mostra, estes marcadores podem também ser utilizados para ajustar a automação ou modulação
(ver A Figura 5.17 ).

A Figura 5.17 MIDI estiramento marcadores permitem que você faça alguma edição elástico para ambas as notas e envelopes.

Fonte: Ableton

Arrastando os marcadores funciona de forma semelhante às notas em movimento, em que eles se movem suavemente, em primeira e em seguida,
encaixe à rede uma vez que a primeira linha de grelha é atingido. A maneira como eles ajustar notas, no entanto, é incomum e pode levar algum
tempo para se acostumar. O marcador que é movido irá ajustar as notas, enquanto o outro marcador atua como uma âncora. A forma como as notas
são ajustadas depende de qual direção você arrastar. Se você arrastar um marcador para aumentar o tamanho da área selecionada (você arrastá-lo long
de outro marcador), as notas são alongadas e a sua temporização é abrandado. Arrastando um marcador para o outro uma comprime o tempo e a
duração das notas. Se você continuar a arrastar o marcador, você pode realmente arrastá-lo passado o outro e inverter a ordem das notas.

MIDI Botões de edição

Nas Notas caixa, existem vários botões usados ​para edição MIDI, bem como uma função útil Transposição (ver A Figura
5.18 ).

A Figura 5.18 Existem algumas MIDI edição de botões na caixa Notas.


Fonte: Ableton

Transpor
Esta caixa bacana mostra a gama das notas selecionadas no clipe, ou todas as notas se nenhum for selecionado. Por exemplo, se você programar
uma melodia que vai de C médio para o G acima, Transpose irá exibir C3-G3. Arraste para cima ou para baixo na caixa de transpor as notas para
cima ou para baixo, ou digite um valor numérico. Por exemplo, digitando -7 irá mover as notas para baixo sete semitons (uma quinta perfeita).
Como alternativa, você pode mover as notas dessa mesma quantidade, digitando o novo campo de fundo (neste caso F2) ou o novo campo
superior precedido por um sinal de menos (-C3).

Jogar no Double Tempo / Half Tempo


Estes botões podem ser usados ​para exatamente Halve ou dobrar a velocidade de reprodução ea duração das notas seleccionadas. Se nenhuma nota
seja selecionado, todas as notas são ajustadas, como é o comprimento de loop do clipe. A primeira coisa que você pode notar sobre eles é que suas
marcações parecer contra-intuitivo. A razão que o jogo em Half Tempo é marcado * 2 é que jogar alguma coisa no meio de andamento meio que leva o
dobro do tempo para jogar.

Reversa e Invert
Quer ouvir o que seus sons seqüência MIDI como para trás ou de cabeça para baixo? Estes botões têm-no coberto. Os resultados que estes
botões produzem são muitas vezes na categoria estranha e distorcida, mas às vezes isso é apenas o que você precisa. Como as meias
botões duplos /, estes operam em notas selecionados ou todo o clipe se nenhum for selecionado.

força Legato
Legato é uma palavra italiana que é usado para significar que as notas devem ser tocado ou cantado de forma que eles estão bem conectados
um ao outro. Este botão fornece uma maneira fácil para mover o final de cada nota selecionada para que ele atinja o início da próxima. Se
nenhuma nota seja selecionada, todo o clipe é modificado.

Duplicate loop
Este endereços botão uma das necessidades mais comuns na programação MIDI, duplicar um padrão inteiro. Um fluxo de trabalho muito comum é
programar um loop de um bar, em seguida, dobrá-lo e adicionar variações para criar um loop de dois bar. Este processo pode ser repetido
indefinidamente, possuindo o laço de dois barra tornam-se quatro barras e assim por diante.

Quantificando o seu desempenho

quantização é o processo de alinhamento de eventos para uma grade de timing. Quando quantização um clipe MIDI, você está certificando-se de
que as notas estão alinhados (total ou parcialmente) para a rede. Quantização pode ser feito enquanto você gravar ou após o fato.

Se você quiser quantificar durante a gravação, você tem que visitar o submenu Gravar quantização (sob
no menu Editar). Depois de selecionar um valor de quantização aqui, qualquer gravação que você fizer vai estar perfeitamente alinhados com as
subdivisões rítmicas que seleccionou. figuras 5.19a e 5.19b mostrar como isso funciona. Este é um sonho tornado realidade quando a programação
drumbeats, uma vez que cada gravação será ritmicamente apertado. Ao vivo pode quantificar notas para uma grade de 1/4 notas, 1 trigêmeos / 16-nota,
ou qualquer coisa no meio.

Figura 5.19a Aqui estão algumas notas MIDI não quantificado.

Fonte: Ableton

Figura 5.19b A mesma parte gravada com quantização. Observe como borda esquerda de cada nota está alinhada com uma das linhas de grade.

Fonte: Ableton

Claro, a maioria das músicas não exige estrita quantização rítmica. Muitos músicos preferem manter a sensação natural de uma performance,
usando apenas quantização parcial ou mesmo nenhum. Você pode desativar a quantificação automática da Vivo, escolhendo nenhuma
quantização do menu Record Quantize. Para muitas situações, esta é a melhor escolha, já que é fácil de quantificar mais tarde, se você
escolher.

Undo em duas etapas: Ao vivo é definido para quantificar uma gravação automaticamente, você ainda será capaz de desfazer a quantização
no caso de você deixou-o por acidente. A primeira vez que você pressionar Ctrl (Cmd) + Z após a gravação, as notas gravadas irá se mover
para o seu original, locais não quantificado. A segunda Undo irá apagar o clipe, o que lhe permite fazer uma outra.

Quantizar um clipe existente, primeiro selecione as notas que deseja quantizar. Se você quiser quantificar todo o clipe, você pode simplesmente
clicar em uma parte vazia do editor; quando há notas são selecionados, Vivo assume que você deseja quantizar a coisa toda. Em seguida,
selecione Configurações Quantize do menu Edit (veja
Figura 5.20 ).

O primeiro valor no topo define a grade de quantização. Geralmente, isso deve ser definido como a menor subdivisão que ocorre na
peça. Em outras palavras, se você já jogou uma parte contendo 1/8 notas e 1/16 notas, você iria seleccionar 1/16. Se você selecionar
1/8, a função Quantize moverá os 1/16 notas à 1/8 nota mais próxima e estragar a parte. A opção Grade da corrente irá quantificar o
tamanho da grade mostrado no editor de MIDI.

Figura 5.20 caixa de diálogo Quantize da Vivo irá adequar o método pelo qual vivo quantifica as suas notas.
Fonte: Ableton

Abaixo a seleção Quantize é a seleção Nota Ajuste, com dois botões rotulados de início e fim. Por padrão, apenas Iniciar está habilitado. Isto
significa que ao Vivo vai mudar apenas o local de início de uma nota quando se quantifica-o comprimento da nota permanecerá a mesma. Se
você ativar End, bem como, ao vivo irá certificar-se que as extremidades Nota sobre uma subdivisão grid, também. Isso é útil para seqüências de
synth de baixo de fogo rápido, porque cada nota será na batida e o mesmo comprimento. Se você quiser, você pode desmarcar Iniciar, fazer
correção ao vivo apenas o fim de cada nota.

O último parâmetro na caixa de diálogo é o valor Valor. Normalmente, isso é definido para 100%, o que obriga cada nota à subdivisão da grelha
mais próximo. Se você definir esse valor para 50%, ao vivo irá mover as notas apenas na metade para o local adequado. O resultado é um
desempenho mais apertado, mas que não é completamente rígida.

Quantização PARCIAL: Às vezes você pode não querer quantizar um clipe inteiro. Talvez o chapéu oi só se sente bem, mas o
laço é um pouco instável, ou talvez uma seção precisa ser quantificada para retas 1 / 16s e uma outra seção para trigêmeos
16/1-nota. Neste caso, basta selecionar as notas que deseja quantizar arrastando sobre eles no editor ou Shift-clicando em notas
individuais. Agora quantização será aplicada a apenas estas notas.

Depois de configurar suas configurações quânticas, você pode imediatamente aplicá-los a qualquer clipe MIDI sem abrir a janela Quantize,
utilizando o atalho de teclado Ctrl (Cmd) + U. Quando combinado com a configuração da grade atual no diálogo Quantize, esse atalho
pode ser uma economia de tempo real!

Gravação passo

Live oferece ainda uma outra maneira de criar clips MIDI: Gravação passo. da etapa de gravação permite que você coloque notas em um
clipe MIDI do seu teclado controlador sem ter para realizá-las em tempo real. Esta técnica só pode ser usado para adicionar notas a um
clipe MIDI existente, por isso ou você vai usá-lo para overdub notas em um clipe que você gravou, ou com clipes vazios que você criou
clicando duas vezes em um vazio clipe slot.

Para fazer a gravação passo, você precisa armar o track MIDI para gravação e ligue o interruptor de visualização no editor MIDI. Agora, notas ou

acordes podem ser adicionados ao pressionar as teclas em seu controlador e, em seguida, pressionando a tecla seta para a direita para

determinar a duração das notas. As teclas direita e seta para a esquerda também são usados ​para navegar através do clipe, de modo

pressionando a seta para a direita sem segurar as notas permite inserir pausas ou pular para outra parte do clipe inteiramente. Quando no mapa

MIDI (veja Capítulo 11 , “Controle Remoto”), você vai notar duas setas aparecem abaixo
o interruptor de dobra. Estes podem ser remota mapeada para permitir que você passo para trás e para frente através de seus clipes MIDI
de seu controlador, sem usar as setas do teclado do seu computador.

Alterar programa

mensagens de mudança de programa são usados ​para presets de recall no dispositivo MIDI destino. Ao definir os valores do programa e Banco no
Box Notes (ver A Figura 5.21 ), Cada clipe pode chamar um preset diferente do mesmo instrumento quando for lançado. instrumentos de hardware são
normalmente configurados para que eles responder automaticamente às mudanças de programa. instrumentos de software variar. Alguns irão
funcionar automaticamente, enquanto outros podem exigir uma configuração especial, a fim de presets de recall. da Vivo built-in instrumentos não
respondem a alterações de programa, por isso esta é uma técnica para terceiros apenas plug-ins e dispositivos de hardware.

A Figura 5.21 Use as configurações de mudança de programa para recordar automaticamente predefinições quando um clipe é lançado.

Fonte: Ableton

Um programa de mudança é uma mensagem MIDI com um valor entre 0 e 127 e refere-se a um local de memória no banco de som do seu
dispositivo MIDI. A forma como um fabricante mapeia a mensagem Programa aos slots de memória é inteiramente até eles, mas geralmente
uma mudança de programa de 0 fará com que o primeiro som do instrumento a ser carregado. Então, usando a mensagem Program Change,
pode recuperar até 128 presets. Mas se o seu dispositivo tem mais de 128 sons? É aí que a mensagem Banco Mudança entra em jogo. Um
banco tem 128 programas. Então você pode recordar qualquer som no seu dispositivo MIDI especificando primeiro o banco contendo seguido
do número de programa. Alguns dispositivos exigem que os bancos ser especificado com dois números, o Banco e Subbank. Assim, a
presença da configuração Sub abaixo em Banco A Figura 5.21 .

Importar e exportar arquivos MIDI


lojas ao vivo todos os dados MIDI e parâmetros para clips MIDI dentro do Live Set. Você pode ver os clipes e faixas individuais MIDI dentro do
navegador. Enquanto clipes de áudio deve reproduzir um arquivo de áudio específico armazenado em um disco rígido, os clipes MIDI não requer
qualquer tipo de arquivo de apoio externo que você precisa para acompanhar. Ao importar um arquivo MIDI, cópias viver os dados do arquivo
MIDI no Live Set. Ao vivo nunca vai usar o arquivo original MIDI novo, então deve esse arquivo ser alterado ou perdido, o Live Set ainda vai jogar
perfeitamente.

importações de animais vivos peças MIDI de padrão MIDI Files (SMFs), que vêm em dois sabores: Tipo 0 e Tipo 1. A menos que o seu
arquivo MIDI tem apenas uma parte dele, digite 0 não vai fazer nenhum bem em Live-todas as partes são espremidos em uma faixa.
Tipo 1, por outro lado, tem a peças de divisão MIDI em faixas separadas para cada instrumento. Haverá uma faixa para baixo, alguns
para os tambores e faixas para qualquer outra parte na música, os quais serão exibidos abaixo do arquivo MIDI quando você abri-lo no
navegador. Live permite que você importar essas faixas em novos clips, arrastando as faixas em sua sessão ou arranjo como clips
regulares.

Se você tem uma canção em outro software, ou talvez algo preso em um sequenciador de hardware mais antigo,
e você quer transferi-lo para viver, SMFs normalmente irá cuidar do trabalho. O formato tem sido em torno de um longo tempo, então você
pode ter certeza de compatibilidade; no entanto, SMFs não necessariamente reter
tudo a partir de um projeto de computador. Ao exportar canções feitas em outros programas, aplicação- específica apresenta como a
automação não aparecerá em uma exportação SMF.

Se você precisa tomar a parte MIDI de um clipe e enviá-lo para outro Live Set ou um programa diferente, você pode exportar os dados
MIDI como um SMF. Selecione o clipe e escolha clipe Export MIDI no menu Arquivo do Live. Você será solicitado a dar um nome e um
destino para os dados exportados. Escolha um local e nome e clique em Salvar.

clipes de áudio

Você pode se surpreender ao descobrir o quão criativo você pode começar com áudio no Live. Obviamente, se você estiver indo para ser a gravação
de instrumentos ao vivo e vocais, clipes de áudio será uma grande parte de sua vida. Mas mesmo que MIDI é a espinha dorsal do seu processo de
composição, você ainda vai encontrar que a manipulação de áudio podem produzir uma ampla gama de resultados estranhos e maravilhosos para
suas faixas. do ao vivo empenamento recursos podem ser usados ​para sincronizar qualquer amostra com o andamento de sua pista. E, claro, se você
estiver indo para ser DJing com o Live, você precisa ter uma sólida compreensão de trabalhar com áudio.

A Caixa de Amostra

Antes de escavar em detalhes de deformação, vamos dar uma olhada mais de perto o quadro de amostra (ver A Figura 5.22 ), Que contém uma série de
controles específicos de áudio.

A Figura 5.22 A caixa Amostra contém controlos relativos áudio velocidade, tom, volume e distorção. No arranjo, você vai perceber que o interruptor desvanece-se não
aparecer, e não há um interruptor adicional marcado Escravo.

Fonte: Ableton

Editar
Clicando no botão Editar abrirá o arquivo de áudio no editor de amostra selecionada no arquivo de preferências / pasta. Editores de áudio são
úteis para executar uma variedade de operações em seus arquivos de áudio, especialmente quando você quer editar destrutivamente. Agora, isso
pode não soar muito atraente à primeira, mas há momentos em que você quer fazer uma mudança que afeta permanentemente o próprio arquivo
de áudio. Modificando as propriedades de amostra Live só muda as características de reprodução desse arquivo de áudio. É por isso que ele é
chamado edição não-destrutiva.

Enquanto você está editando o seu arquivo de exemplo, forma de onda o clipe de Ver dirá offline Amostra.
Quando terminar de editar, basta salvar as alterações e voltar a viver. A amostra recém-editada será carregado no grampo.

Salve •
Por padrão, adicionando um arquivo de áudio para viver faz com que um ficheiro de análise (.ASD) a ser criado na mesma pasta que o arquivo de áudio. Este
arquivo contém informações básicas sobre o arquivo, incluindo os dados necessários para desenhar a forma de onda no Clip View. Ao clicar em Salvar, tudo das
configurações clipe atual (deformação, configurações de loop, e assim por diante) são escritos para o ficheiro de análise. A próxima vez que você adicionar o
arquivo de áudio a um Set, essas configurações clipe será automaticamente recuperados.

Marcha ré
recurso reverso (o botão Rev.) da Vivo não é instantânea-não esperava que fosse. É, no entanto, um lote inteiro de diversão, quando
utilizado corretamente. Clique no botão reverso, e ao vivo irá criar um novo áudio file- uma versão invertida do original. Este novo
arquivo de áudio será nomeado o mesmo que o original, mas terá a letra “R” adicionado ao final.

Ok, por isso não é realmente um botão reverso, como em “jogar a amostra para trás.” Em vez disso, os meios botão Inverter “jogar uma
versão atrasada da amostra.” Isto significa que você vai ter que esperar para o arquivo “R” para ser feita a primeira vez que você inverter, mas
a partir desse ponto, Live basta escolher o arquivo original ou invertida de jogo, o que lhe permite mudar de direção quase que
instantaneamente. Devido à natureza do recurso reverso, você pode querer evitar utilizar este botão durante performances ao vivo. Em vez
disso, eu recomendo que você faça dois clipes: um normal e um revertida.

Oi-Q
Este botão simplesmente muda o clipe de áudio entre alta qualidade e interpolação de baixa qualidade (usado para a transposição). Se este
botão estiver acesa, o clipe vai jogar usando melhor pitch shifting e remontando algoritmos, mas que também irá colocar uma pressão
ligeiramente mais pesado em sua CPU. Eu recomendo deixar esta opção para todos os clipes (predefinição SR e tom de conversão de “alta
qualidade” em Preferências> Áudio fará este o padrão) e desligá-lo somente se você tiver um computador mais lento, e você precisa para
salvar cada bit de energia da CPU.

Desvaneça
Para ajudar a um loop de arquivo de áudio sem problemas (sem cliques ou pops quando o arquivo dá a volta), o Live pode executar um
fade rápido (4ms) de volume no final do clipe. Eu recomendo deixar esta opção como padrão, a menos que o downbeat transitória parece
muito quieto. É possível que o fade pode suavizar o ataque inicial do downbeat (por exemplo, raspando o ataque de uma amostra
one-shot), assim você pode precisar desligar isso de vez em quando. Porque o Arranjo Ver contém um conjunto mais sofisticado de
ferramentas para criar fades, esta opção não está disponível lá.

RAM
Transmissões em directo arquivos de áudio do disco como eles jogam. Com cada clipe de áudio adicional que desempenha, o computador terá
que transmitir outro arquivo do disco. Seu disco rígido pode transmitir apenas uma quantidade finita de dados por segundo, e quando vivo requer
mais do que o disco pode fornecer, você tem falhas de áudio. Quando você ouve problemas de áudio, verificar para ver se o Indicador de
sobrecarga disco rígido (a letra “D”) no canto direito da barra de controle está iluminando.

Para aliviar isso, você pode carregar clipes de áudio na memória RAM do seu computador, que é acessada muito mais rápido do que o disco rígido, premindo o
botão de RAM. Lembre-se de estar consciente do tamanho dos arquivos que você está carregando na memória RAM. Mesmo se você estiver usando apenas 10
segundos de um arquivo de 8 minutos, ao vivo vai ainda load
o arquivo inteiro na memória. O problema com esta característica é que o seu sistema operacional pode decidir conteúdos de swap de RAM para o disco
rígido. Live tem nenhum controle sobre quando isso acontece, então você não pode sempre ver o benefício de desempenho que você espera de utilizar a
opção de RAM. Se o acesso rápido a arquivos de áudio é uma grande preocupação para você, a compra de uma unidade de estado sólido (SSD) é
provavelmente a melhor opção.

Transpor e Detune
Os controles de transpor e desafinar (ver A Figura 5.23 ) Alterar a afinação de reprodução do clipe (sem mudar sua velocidade de reprodução).
mudanças transposição afinação em semitons, enquanto Detune ajusta-lo em pequenos passos conhecidos como centavos ( um centésimo de
semitom).

Enquanto transposição geralmente produz artefatos no áudio, pequenas mudanças no campo muitas vezes pode ser feito com qualidade de som
aceitável, desde que você use o modo de urdidura apropriado para o áudio que está a transposição. O modo Complexo Pro pode produzir alguns
resultados muito de alta qualidade aquando da transposição, ao custo de alto uso da CPU. Há mais sobre os modos de urdidura na seção
“entortamento”.

VAI WAY OUT: Embora Transposição é útil para fazer um laço coincidir com a chave de sua música, você vai descobrir que novos sons selvagens
podem ser encontrados por aprimorando a afinação para cima ou para baixo por várias oitavas e experimentando com diferentes modos de
urdidura. Uma vez que uma amostra é alterada tanto assim, novas texturas e sons podem surgir. Tire um tempo para experimentar!

Clipe Gain
O controle deslizante Gain Clip, que é unlabeled e localizado à direita do botão Transpose, é usado para ajustar o volume individual de um
clipe. Esta é uma maneira muito conveniente para equilibrar os níveis de áudio sem o uso de automação. Basta ter em mente que você está
mudando o volume do áudio antes ele flui através de dispositivos de efeito. Isto é particularmente importante quando se utiliza efeitos
ganho-sensíveis (tais como a compressão e distorção), que produzem resultados diferentes, dependendo do volume do áudio de entrada.

empenamento

empenamento é o termo usado para descrever a técnica time-stretching e comprimindo do Live. A técnica de entortar um arquivo de áudio
para combinar com o tempo, groove, e tom de uma música envolve vários parâmetros, mas o mais importante deles é o botão da urdidura no
topo da A Figura 5.23 . Com urdidura off, o clipe reproduz o áudio em seu tempo original. No entanto, uma vez urdidura está envolvida, pode
alterar a velocidade de reprodução e afinação do áudio de forma independente, bem como fazer ajustes ao seu calendário e groove.

A Figura 5.23 Os controles deformação da caixa de amostra. Quando um modo urdidura diferente é selecionado, diferentes controles aparecerá abaixo do menu do modo.
Fonte: Ableton

A fim de viver para trabalhar a sua magia deformação, ele precisa de alguma informação sobre o áudio que está trabalhando com. Por exemplo, para

corresponder a um arquivo para o master tempo atual, as necessidades ao vivo para saber o tempo original do arquivo para que ele possa determinar

quanto para acelerá-lo ou retardá-lo. Para a música com um ritmo completamente estável, esta é uma questão simples. No entanto, nos casos em que a

música não foi tocada para uma faixa clique ou programadas com um sequenciador, é um pouco mais complicado, uma vez que o ritmo real muda de

bar em bar. Ele só pode flutuar por uma fração de BPM, mas ainda importa. Ao trabalhar com curtas, loops cortado corretamente, ao vivo pode

normalmente determinar as informações necessárias para entortar automaticamente. No entanto, existem muitos casos em que você precisa para

especificar onde os eventos de tempo importantes ocorrem usando urdidura Markers (ver A Figura 5.24 ). Você pode fazer isso para mover uma nota

individual com mau tempo, ou até mesmo para mudar drasticamente o tempo e sonoramente mangle um pedaço de áudio. Se você está tentando

sincronizar uma música com um ritmo constante flutuação, isso pode exigir muito poucos marcadores da urdidura, mas não se preocupe. Vidas Auto-urdid

recurso normalmente pode ser persuadido a fazer a maior parte do trabalho para você.

A Figura 5.24 Urdidura marcadores são a chave para o controle de tempo total (ou loucura tempo intencional!).

Fonte: Ableton

Antes de entrar no âmago da questão de trabalhar com urdidura Markers, vamos explorar os controles deformação dentro do Box Amostra.

BPM segmento
Segmento BPM calcula o ritmo do áudio em um clipe, com base na posição de seus marcadores da urdidura. Este valor é então usado pelo Live

para definir a velocidade de reprodução. Vamos começar com um exemplo simples. Se ritmo da Vivo está definido para 70 BPM e Segmento BPM

é 70, então ao vivo não vai mudar a velocidade de reprodução do áudio. Se o tempo é alterado para 140 BPM, no entanto, ao vivo saberia a partir

do valor Segmento BPM que ele precisa para reproduzir o áudio com o dobro sua velocidade original para coincidir com o master tempo. O que

torna BPM Segmento potencialmente um pouco complicado é o fato de que não se refere apenas ao todo
clipe, mas também para o segmento de áudio entre dois marcadores da urdidura. Clique em uma urdidura marcador para exibir o BPM
segmento do áudio entre a urdidura marcador selecionado e a anterior. Estritamente falando, no entanto, isto só se aplica ao áudio com
um ritmo flutuante, ou casos em que urdidura marcadores têm sido utilizados para alterar a temporização original do áudio. Para áudio
com um ritmo completamente estável, apenas uma urdidura marcador é necessário, eo BPM Segmento irá refletir o ritmo de todo o clipe.

Metade Duplo BPM /


Os dois botões abaixo da janela do Segmento BPM vai casal ou reduzir pela metade o ritmo do clipe. Pressionando o botão * 2 irá multiplicar
cada BPM Segmento por dois. O resultado é que o clipe vai jogar a meia velocidade. Isso pode ser contra-intuitivo, mas lembre-se que você não
está dizendo Live para “desempenhar este clipe ao dobro da velocidade”, mas sim que você está dizendo que “o ritmo real de este áudio é duas
vezes mais rápido.” Pressionando: 2 terá o efeito oposto. Isso é útil quando vivo incorretamente adivinha o comprimento e tempo de um novo
clipe de áudio. Por exemplo, se identifica viver uma BPM tambor 170 'n loop de baixo como 85 BPM, um clique do botão ‘* 2’ vai corrigir isso
imediatamente.

urdidura Modos
Escolher os modos de urdidura corretos é essencial para entortar limpo, musical. O modo de urdidura afeta a maneira em que vivo abordagens
alongamento e pitch-shifting seus clipes de áudio. Seis modos de urdidura diferentes estão disponíveis na seção de urdidura do clipe de áudio:
batidas, tons, textura, Re-Pitch, complexa e Complexo Pro. Cada modo também possui um conjunto especial de controles que aparecem abaixo
dela. Nós vamos cobrir esses abaixo. Além disso, não se esqueça que você pode simplesmente desligar do motor urdidura da Vivo completamente
e jogar a amostra a sua velocidade padrão e arremesso. Aqui está uma lista de quais tipos de sons diferentes que você pode esperar ao escolher
entre estes seis modos Warp.

BEATS
modo de batidas é um grande modo para loops rítmicos, amostras de percussão, e até mesmo músicas inteiras. Normalmente você vai querer
usar o modo de batidas com percussão, bateria e sons caracteristicamente contendo mínima sustentar. Isto inclui amostras que você não pode
pensar de como batidas, como uma parte de guitarra ritmo de funk ou talvez uma pista de minimal techno. Quando o modo de batidas é usado
com sons que são demasiado texturizada ou a falta de definição rítmica, você pode ouvir artefatos.

DEFINIÇÃO DE transitória: A configuração transitória é um elemento crítico da funcionalidade de entortar batida do Live. Mas o que é um
transiente para começar? A transitória é a parte de ataque curta e acentuada de um som. A transitória ocorre no instante em que uma vara
bate um tambor, ou uma string é arrancado. O ataque suave de cordas inclinadas podem não ter transitória. Em entortar terminologia, transitório
é muitas vezes usado para significar um pedaço de áudio (como todo um hit laço) com uma passageira no início.

Bate olhares modo em seu áudio como uma série de segmentos, cujo tamanho é determinado pelo menu de Preserve. O valor padrão nas
Preserve menu-Transitórios-usa a localização de transientes do clipe de time-comprimir ou esticar o áudio (consulte Figura 5.25 ).
Conceitualmente, a forma como isto funciona é bastante simples. Ao Vivo detecta transientes em um loop de bateria, é identificar cada hit
em relação à sua posição na barra: esse bumbo ocorre na batida 1, este tarola ocorre a batida 2, e assim por diante. Ao vivo, então sabe
onde colocar cada hit tambor, independentemente do tempo, tal como acontece com um arquivo MIDI.

Figura 5.25 Os pequenos triângulos cinza acima de cada batida indica onde vivo detectou os transientes.
Fonte: Ableton

Para a maioria de material rítmico, transientes preservando irá produzir os melhores resultados. As outras opções no menu Preserve fornecer
compatibilidade com versões anteriores do Vivo e permitir-lhe para dizer ao motor Warp para olhar para o áudio como uma série de segmentos
uniformemente espaçados (como 1/8 ou 1/16). Se você tem um loop de um bar com o valor Transient conjunto a 1/16, o comportamento padrão do
Vivo será para tratar o arquivo como se fosse dezesseis segmentos de igual tamanho. Ao vivo depois joga esses pedaços de volta como se
fossem semicolcheias no tempo atual.

Em seguida, vamos examinar melhor o que acontece com o áudio quando você acelerá-lo ou retardá-lo. Se a batida que está sendo deformada
precisa ser acelerado para coincidir com o ritmo da Vivo, os segmentos serão movidos mais próximos. Quando isso acontece, a vontade tempo
compressa ao vivo no final de cada segmento, tornando a duração de cada tambor bateu ligeiramente mais curto, de modo a decadência não se
cortada devido ao rápido ritmo. Se o páreo está ficando mais lento, ao vivo tem que quer estender a reprodução de cada segmento ou deixar um
espaço entre os segmentos, desde a decadência original do hit não vai ser longa o suficiente para preencher o espaço no ritmo mais lento.

Para esticar a decadência, o modo de batidas laços a última parte do segmento-o som desaparecendo do transitório. Se você está

pensando que isso pode acabar parecendo um pouco estranho, você está certo. É, no entanto, a melhor solução, uma vez que vivo está

fazendo todo este tempo de alongamento em tempo real. Dito isto, é geralmente mais fácil de velocidade bate sem artefatos visíveis do que

está a atrasá-los. Ao vivo dá-lhe total controle sobre como este looping é feito através do menu Transient Modo Loop (ver

A Figura 5.26 ).

Sem Loop ( seta simples): toca ao vivo cada segmento ao seu fim sem fazer nada para preencher o espaço até que os jogos
seguintes segmentos. Isso produz resultados extremamente limpas (porque não há nenhum looping); Mas, pode deixar espaços
sonoros entre cada nota ou batida de tambor. Deixe seus ouvidos decidir se este é ou não aceitável ou desejável.

Laço Forward ( setas duplas para a frente): Loops a deterioração de cada um dos segmentos para a frente. Este modo tende a resultados
glitchier produzir e funciona mais como um efeito.

Loop de volta-e-vem ( setas bidireccionais): lacetes vivo o decaimento do segmento para a frente e para trás, a fim de preencher
o espaço vazio no desacelerado andamentos. De um modo geral, este modo irá produzir a esticar mais artefato-livre. Esta é a
configuração padrão.

A Figura 5.26 modo transitório de Loop e transitória Envelope ter um grande impacto sobre os resultados quando mudar o ritmo ou arremesso de um clipe.

Fonte: Ableton

A caixa numérica ao lado Transient Loop Mode é o Transient Envelope. Este valor determina se um
desbotamento deve ser aplicada a cada segmento de áudio. No modo Sem Loop, reduzindo este valor pode ser usado para criar efeitos de propagação
dramáticos, mesmo quando você está jogando o áudio em seu tempo original. Jogando com este valor é altamente recomendado! Quando transientes
Modo Malha é definido como qualquer um dos modos de loop, baixando o invólucro tende a produzir resultados menos dramáticos, mas ainda pode ser
muito útil para suavizar artefactos de alongamento de tempo.

TONS
modo de tons é baseada em uma técnica chamada resíntese granular. Como um ficheiro é reproduzido, ela é dividida em grãos. A idéia é que quando você

malha um grão, você recebe um tom contínuo que representa aquele som “congelado no tempo.” Ao dividir o áudio em grãos e espalhando os grãos separados,

retarda Vivo para baixo o ritmo da reprodução de áudio; No entanto, uma vez que cada grão ainda é jogado em sua afinação original, haverá espaço vazio entre

cada grão. Looping cada grão enche espaço para time-stretch o arquivo. Claro, looping cada grão não é necessário ao acelerar a reprodução de um arquivo. À

medida que os grãos são aproximados um ao outro, eles vão sobrepor uns aos outros. Cada grão, portanto, cortar o anterior, resultando em um som contínuo,

mas com um jogo mais rápido do que antes. Por esta razão, você provavelmente vai achar que você tem mais sucesso acelerando laços ou transpondo-as para

baixo (ambos os métodos usam o mesmo processo) do que abrandar-los ou lançando-los, o que requer looping os grãos. Com a definição cuidadosa do valor

tamanho de grão, você pode conseguir deformação quase transparente. Tones, como guitarras baixo, sintetizadores, vocais, teclados ou outros instrumentos de

longo sustentam geralmente vai soar muito menos processado quando jogar no modo tons de Live. Você pode ajustar o tamanho de grão da Vivo para ajudar a

reduzir artefatos de áudio indesejáveis. ou outros instrumentos de longo sustentam geralmente vai soar muito menos processado quando jogar no modo Tons de

Live. Você pode ajustar o tamanho de grão da Vivo para ajudar a reduzir artefatos de áudio indesejáveis. ou outros instrumentos de longo sustentam geralmente

vai soar muito menos processado quando jogar no modo Tons de Live. Você pode ajustar o tamanho de grão da Vivo para ajudar a reduzir artefatos de áudio

indesejáveis.

TEXTURA
Textura modo é construído para sons atmosféricos sem campo definido, mas também pode funcionar bem em outros sons complexos, tais como amostras
de orquestra e almofadas de teclado. Como modo de Tones, modo de textura é baseado em resynthesis granular. Num esforço para obscurecer os
artefactos repetitivas de grãos de loop, um valor de fluxo é adicionado de que, quando aumentado, permite ao vivo para alterar aleatoriamente a
granulometrias utilizado no processo. Isso também adiciona uma sensação de imagem estéreo para mono arquivos.

RE-PITCH
modo de re-Pitch é mais como o vinil-DJi vivo irá alterar o passo da amostra, dependendo da velocidade de reprodução. Este modo não
produz artefatos e, assim, geralmente soa melhor, especialmente se a amostra é jogado perto de seu tempo original. Re-pitch meramente
altera a velocidade de reprodução de arquivos, o que resulta em mudanças campo.

COMPLEXO E COMPLEXO PRO


Projetado para uso em músicas inteiras, os modos complexos são os únicos a ir para quando nenhum dos outros modos de produzir
qualidade suficiente. Complexo Pro vem em particularmente útil aquando da transposição de áudio com vocais, uma vez que permite
alterar o pitch (dentro da razão) sem fazer o som cantora como um esquilo ou um troll.

A magia desses modos está no custo de utilização da CPU superior, com o ser Complexo Pro mais fome de poder dos dois. A menos que
você está precisando de energia do computador, ou você como os artefatos produzidos pelo modo Complex, geralmente você deve usar
Complexo Pro para a sua maior qualidade de som. Esteja ciente de que a versão Pro pode esticar o suficiente Live para falhas produzir a
saída de áudio sem relatar o medidor de CPU anormalmente elevada utilização. Se o seu computador está tendo um momento difícil
manter-se
com a carga adicional de modo Complex, você pode congelar a pista (ver Capítulo 7 ) Ou reamostrar o grampo (ver Capítulo 6 ).

urdidura Markers
Urdidura Marcadores são os pinos que fixam eventos de áudio para um momento específico no tempo. Um clipe de áudio tem sempre um mínimo de
uma urdidura Marker, que por padrão é colocado no início. Nas situações mais simples, isso é tudo que é necessário. Nos cenários mais complexos,
numerosas urdidura Os marcadores podem ser usados ​para áudio radicalmente remodelar, mudando o momento ea duração de vários segmentos
individuais. Se você tem um arquivo de áudio que tem tempo desleixado, você pode usar alguns marcadores da urdidura para mover sucessos
individuais para apenas onde você quer que eles.

Configurando urdidura Marcadores pode ser feito manualmente ou usando a tecnologia Auto-urdidura do Live. Ao trabalhar com arquivos de áudio curtas,

como loops pré-gravados, ao vivo detecta automaticamente o tempo com um alto grau de precisão. Se você é um DJ, você provavelmente vai estar

usando Auto-urdidura extensivamente para preparar a sua biblioteca de música para reproduzir em sincronia. Para ritmicamente imprecisa material ou

material que você quer mudar dramaticamente, você estará criando e movendo urdidura marcadores manualmente. Quando um pedaço de áudio requer

ajuste manual para obtê-lo para sincronizar (ou para obtê-lo mutilado com perfeição), essas são as ferramentas que você estará trabalhando com.

Primeiro, vamos obter os nossos termos reta:

transitória: Transientes aparecem como pequenos triângulos cinza acima da forma de onda. Eles são criados automaticamente pelo Live
para qualquer clipe de áudio com seu interruptor da urdidura ligado. Transientes podem ser inseridos manualmente ou excluído do menu
de contexto do editor ou Alt (Opção).

Urdidura Marcador: Locks um segmento de áudio para um local na linha do tempo. Eles aparecem como marcadores amarelos diretamente
acima da forma de onda. Urdidura marcadores podem ser criados clicando em qualquer lugar na tela de forma de onda ou apenas acima dela.

Pseudo urdidura Marcador: Quando o rato é movido sobre uma transitória, uma cinza Pseudo urdidura marcador aparece temporariamente.

Quando arrastado, estes marcadores se tornarão permanentes Marcadores urdidura se eles são seguidos por quaisquer urdidura marcadores

existentes. Caso contrário, eles podem ser arrastados para ajustar o tempo do clipe, e voltará a ser transitórios normais quando liberado. Ableton

descreve urdidura Marcadores como sendo “pins” que podem ser usados ​para prender um pedaço de áudio para um determinado ponto no tempo.

Esta é uma ótima maneira de olhar para ele. Assim, a fim de corrigir o timing do áudio mostrado na A Figura 5.27 , A primeira coisa que você gostaria de

fazer é clicar duas vezes para criar uma urdidura marcador acima do hit laço tarde. Arrastando o hit por isso terras na batida 1,2 movimentos não

apenas o hit laço, mas também de todo o áudio antes e depois dele (ver A Figura 5.28 ). O primeiro hit, no entanto, permanece bloqueado no local por

causa de sua urdidura Marker, embora sua decadência é comprimido ligeiramente para compensar o fato de que o sucesso laço ficou movida

anteriormente.

A Figura 5.27 Há sempre pelo menos uma urdidura marcador em um clipe de áudio quando o modo de urdidura está envolvida. marcadores transitórios ficar temporariamente Pseudo
urdidura marcadores quando você segure o mouse sobre eles.
Fonte: Ableton

A Figura 5.28 Quando o hit laço é movido para bater 1.2, os hits de ambos os lados também são movidos um pouco mais cedo.

Fonte: Ableton

Agora, digamos que você deseja mover o acento oi-chapéu entre os batimentos 1.1 e 1.2 por isso terras direito sobre 1.1.3. Basta pegar o Pseudo
urdidura marcador que aparece quando você passa o mouse sobre o transitório e arraste-o para 1.1.3. Você Terminou! A urdidura marcadores
existentes manter os outros sucessos bloqueado enquanto você move o oi-chapéu no lugar (veja A Figura 5.29 ). Há um atalho que permite a criação de
três marcadores da urdidura em um clique apenas para este fim. Basta segurar a tecla Ctrl (Cmd) antes de clicar duas vezes para criar um novo
urdidura marcador.

A Figura 5.29 Com os hits em 1 e 1,2 preso no lugar, você pode mover o hit entre sem jogar qualquer outra coisa fora.

Fonte: Ableton

Este processo pode ser repetido indefinidamente para colocar cada hit apenas onde você quer. (Embora, se você está olhando apenas para obter
cada hit perfeitamente alinhados com a rede, consulte a secção “Quantize” mais adiante neste capítulo.) Outra possibilidade quando você está
trabalhando manualmente com urdidura marcadores, porém, é criar um novo ritmo, arrastando acessos a diferentes daquelas para as quais foram
originalmente destinado locais. A Figura 5.30 mostra o mesmo clipe de áudio transportado para desempenhar um completamente diferente
ritmo.

A Figura 5.30 Empenamento pode ser usado para transformar uma batida chato em uma obra-prima sincopado.

Fonte: Ableton

URDIDURA ' EM TODOS: Se você está procurando para fazer alguma mangling sério com urdidura marcadores, arraste no editor para
selecionar um intervalo (ou use Ctrl (Cmd) + A para selecionar todo o clipe) e usar Inserir urdidura marcador no menu Criar. A urdidura
marcador será criado para cada transitória no intervalo.

Auto-urdidura
Ao trabalhar com arquivos de áudio mais longos, usos viver uma tecnologia chamada Auto-urdidura para analisar o arquivo e inserir urdidura Marcadores onde

for necessário. Este processo, no entanto, não é perfeito e você ainda pode ter que ajustar os marcadores da urdidura manualmente. Existem duas maneiras

de usar auto deformação: em primeiro lugar, deixe viver fazê-lo automaticamente e, segundo, manualmente invocá-lo usando os comandos da urdidura dos

menus de contexto. Por padrão, o Live irá analisar e adicionar urdidura marcadores sempre que você adicionar um arquivo longo de áudio para o seu conjunto.

Na aba / urdidura / Lançamento Registro de tela Preferências, você pode desativar esse comportamento, definindo “Auto-urdidura longa Files” para Off.

Dependendo do material que está a deformação, você pode encontrá-lo mais rápido para manualmente invocar Auto-urdidura, porque os comandos urdidura

deixar você dar dicas ao vivo sobre o conteúdo do arquivo e como colocar os marcadores da urdidura.

TEMPO DICA: Antes de usar Auto-Warp, que é uma boa idéia para definir o ritmo de seu Set ao tempo aproximado do áudio que você está
importando. Por exemplo, se você está preparando um conjunto DJ techno, tente definir o ritmo para 127 BPM. (Se você não tiver certeza de que
TEMPO para uso, toque o ritmo em ao jogar nas costas unwarped áudio.) Isto evita Live from detectar um ritmo que é a metade ou o dobro do
resultado desejado. Live usa o tempo atual como uma dica, por isso, se você importar as faixas techno que acabei de mencionar, enquanto ritmo
da Vivo está definido para 70 BPM, eles vão acabar deformado como sendo 63,5 BPM. Eles vão estar em sincronia com o relógio, mas será
reproduzido em dobro a sua velocidade original ao vivo é definida para 127 BPM! (Isso pode fazer você perder a sua residência no clube.) Para
corrigir esse problema se ele ocorrer, use os botões Metade ou Duplo BPM explicado anteriormente.

Os comandos da urdidura são acessados ​clicando com o botão direito em ou acima da tela de forma de onda e selecionando uma das seguintes
opções.

Deformar a partir daqui: Isto diz ao vivo para analisar o clipe começando no local selecionado e continuando para a direita. Ele
tentará detectar ritmo baseado no áudio, rastreamento de flutuações e colocando urdidura Marcadores conforme necessário. Tudo à
esquerda do marcador selecionado permanecerá intacto.

Urdidura from Here (Start em X BPM): Esta opção usa o andamento do projeto atual como uma partida
ponto e as tentativas para detectar quaisquer variações do tempo que ocorrem mais tarde. Se você já determinou o ritmo aproximado
do arquivo de áudio usando Tap Tempo, esta opção, muitas vezes, deu bons resultados quando o comando padrão urdidura falhar.

Urdidura from Here (Straight): Este modo tentativas para definir o tempo do clip utilizando um único marcador da urdidura. Isso
deve ser usado somente quando entortar a música que você sabe que tem um ritmo completamente estável. Este comando é muito
útil, pois evita a Auto-urdidura de tornar-se confuso com síncopes que de outra forma poderiam causar-lo para detectar
incorretamente uma flutuação ritmo e lugar errados urdidura Marcadores.

Urdidura X BPM a partir daqui: Isso simplesmente define o atual urdidura marcador com o andamento atual do Set. Se houver algum
Marcadores Warp para a direita, eles vão ser apagados no processo.

Urdidura como X-Bar Loop: Se você já sabe que o arquivo que você está trabalhando tem um número par de barras,
você pode selecionar esta opção para desligar automaticamente o clipe em um loop mesmo. O número mostrado aqui vai
depender do andamento do projeto atual. Se determina Live que ele terá que fazer o mínimo de deformação para
transformar o clipe em um loop de um bar, em oposição a um loop bar dois, o programa exibirá “1” no lugar de “X” no menu
item acima. Se você aumentar o andamento do projeto por quase o dobro, ao vivo vai ver que ele é agora mais fácil para
fazer o clipe de um período de dois ciclo bar e irá sugerir que, mostrando “2” no lugar de “1” na opção de menu. Note que há
também uma série de outras opções neste menu de contexto para ajudar você a trabalhar com seus arquivos de amostra,
incluindo o importante “Set 1.1.1 Here” de comando.

Quantize
Um dos recursos interessantes que vem com o Live é a capacidade de quantificar clipes de áudio, da mesma forma que você
pode com áudio. Durante a visualização de forma de onda de um clipe, selecione Configurações Quantize no menu Editar. A
configuração Quantize Para especifica a localização na grade para que transientes devem ser movidos. Em outras palavras,
se este valor é definido como 1/16, ao vivo vai encontrar cada transitória mais estreitamente adjacente aos 1/16 divisões nota
da grade e movê-los automaticamente lá. Definindo Montante para um valor inferior a 100% irá produzir quantização parcial.
No exemplo anterior, de 70% de quantização causaria cada acento para ser movido de 70% da forma com a aproximação de
1/16, em vez de toda a maneira. Assim que tiver o seu conjunto Quantize configurações, basta clicar em OK.

Definir urdidura Markers para vários clipes


Se você tiver dois ou mais clipes com base em arquivos de áudio de exatamente o mesmo comprimento, o Live permitirá que você defina urdidura
marcadores em vários clips simultaneamente. Isto é especialmente conveniente quando você está trabalhando com uma gravação multitrack de
uma performance, e você quer dar todas as faixas exatamente o mesmo tempo warp. Você pode fazer isso muito facilmente, basta selecionar
todos os clipes que você quer trabalhar com no Acordo de vista antes de fazer os ajustes urdidura. A urdidura Marcadores definido aqui e seu
timing será aplicada automaticamente a todos os outros clipes selecionados. Por exemplo, aqui está uma boa técnica você pode usar para
sincronizar-se uma gravação banda ao vivo com ritmo de Live. Primeiro, importar cada faixa da sua gravação multitrack original para uma faixa de
áudio separado Live, e, em seguida, certifique-se que todos eles são exatamente o mesmo comprimento. Selecione todos eles no Acordo View.
Em seguida, localize a faixa que é ritmicamente mais simples e mais claro para inserir suas configurações urdidura marcador. Usando um tambor
separado rastrear muitas vezes é a maneira mais fácil de ir; uma mistura drum stereo
vai funcionar tão bem. Depois de ter definido o momento desta pista, todas as outras faixas também vai seguir.

Entortar solução alternativa: Você ainda pode deformar vários clipes, mesmo se os arquivos de áudio subjacentes não são do mesmo comprimento.
Você apenas tem que gerar novos arquivos de áudio em primeiro lugar. Alinhar os arquivos no Acordo de vista e apará-los até que eles têm o mesmo
comprimento. Se você precisar fazer um clipe mais tempo, mantenha a tecla SHIFT e destacar tanto o clipe e a quantidade necessária de espaço
vazio na linha do tempo. Em seguida, use o comando Consolidar para gravar novos arquivos de áudio do comprimento especificado.

Tempo Master / Slave


Se você está no Arrangement View, você verá um outro controle logo acima Seg. BPM: o interruptor de Tempo Master / Slave (ver Figura
5,31 ). Este controle permite designar qualquer clipe como o master tempo, alternando o interruptor Master / Slave to Mestre. O clipe
master tempo atual será sempre jogar como se urdidura eram fora, mas fará com que o master tempo para acompanhar o momento do
clipe da urdidura Marcadores em vez do contrário (ver Figura 5.31b ). Isto significa que todos os clipes deformados seguirão as
flutuações de tempo do clipe de mestre.

Figura 5,31 Master / Slave só aparece em Arrangement View. Clique no botão para alternar entre escravo e mestre.

Fonte: Ableton

Figura 5.31b Porque o clipe acima está definido para Mestre, aparece pseudo ritmo de automação na faixa principal com base na localização da urdidura Marcadores do clipe.

Fonte: Ableton

Vamos dizer que você tem uma gravação de piano que você deseja adicionar algumas peças programadas adicionais e loops para. É uma parte
jogou-bem com um ritmo constante na maior parte, mas uma vez que não foi gravado para uma faixa clique, há alguma variação natural do tempo. Uma
maneira que você poderia usar entortar neste contexto é para endireitar o timing da pista de piano, acrescentando urdidura Marcadores para que as
linhas de piano-se perfeitamente com o ritmo sequenciador. No entanto, se o piano tem uma sensação agradável, isso pode fazer toda a sensação de
gravação rígida e sem brilho.

Em vez disso, você pode adicionar uma urdidura marcador ao downbeat de cada barra na parte de piano e definir o clipe para Mestre. Agora,
tempo da Vivo vai respirar com o ritmo do pianista, e todos os seus clips MIDI e loops de deformados vai respirar junto com ele!
Se você alternar o mestre / escravo interruptor de volta ao escravo ou excluir o clipe, a automação do andamento parará, eo ex ritmo
será retomada. Se você quiser manter as informações ritmo do clipe, clique com o botão direito no campo Tempo de Bar o controle e
escolha o comando Unslave Tempo Automation. Todos os clipes será então colocado em Slave, e as informações ritmo se tornará a
automação padrão na faixa principal.

Tenha em mente que se você definir mais de um clipe para ser o Tempo Mestre, aquele bottommost estará no controle, e os outros serão
ignorados. Quando da Vivo EXT switch (visível apenas quando uma fonte ritmo externo está habilitado) está habilitado, o interruptor mestre /
escravo não tem efeito e irá aparecer a ser desativado em todos os clipes.

Clipe Modulation

À direita da caixa Amostra (para áudio) ou a caixa de Notas (para clipes de MIDI), você vai encontrar os Envelopes Caixa. (Se ele está
escondido, clique no ícone “E” no canto inferior esquerdo para revelá-lo.) Clique na barra de título dos Envelopes Box para fazer os
envelopes de exibição editor. Para retornar à exibição padrão, clique na barra de título de qualquer caixa Amostra ou a caixa de Notas.

Dentro do editor, existem dois tipos diferentes de envelopes que podem ser editados: automação e modulação. envelopes de automação são o que
este livro tem discutido até agora. envelopes de modulação são muito semelhantes em que eles podem ser usados ​para automaticamente parâmetros
do dispositivo mudança ou misturador, mas eles são muito diferentes em alguns outros aspectos.

TERMINOLOGIA: Nas versões anteriores do Live, de um clipe modulação foi simplesmente referido como uma
Clipe Envelope. Envelope em si é apenas um termo genérico para descrever como um parâmetro muda ao longo do tempo. Desde vivo 9 de
automação apresentado ao Clip View, você precisa especificar o tipo de envelope que você está se referindo: automação ou modulação.

Primeiro, é a modulação relativo em oposição a automação, que é absoluto. No Figura 5.32a , Você verá um envelope de automação para o volume
mixer. O primeiro ponto de interrupção está em destaque, e uma caixa aparece acima, mostrando que o ponto de ruptura é definida como um
valor de -8 dB.

Figura 5.32a Automação é usado para definir valores absolutos.

Fonte: Ableton

No Figura 5.32b , Você verá um envelope de modulação para o mesmo parâmetro. É aproximadamente o mesmo tamanho
e forma, de notar que o valor apresentado para o primeiro ponto de ruptura é de 65%. O que está acontecendo aqui?

Figura 5.32b Modulação faz alterações relativas ao estado de um controle. envelopes de modulação são exibidos com uma área sombreada abaixo para diferenciá-los de
automação.

Fonte: Ableton

Quando você automatizar um controle, você está especificando valores absolutos, como “ajustar o volume para -8 dB”. Quando você modular um
controle, você está especificando uma mudança em relação ao valor atual do controle, como “ajustar o volume para 65%.” Para a maioria dos
controles de dispositivo e misturador, a posição atual é considerado como 100%, e você pode modular-lo todo o caminho até ao seu valor mais
baixo possível, que é considerada 0%.

Portanto, ao contrário de controles automatizados, você pode livremente fazer ajustes manuais para controles modulados. alterar manualmente um

controle automatizado faz com que a automação para ser desativado, ao alterar manualmente um controle modulada simplesmente faz com que a gama

de modulação para a mudança. Outra característica dos envelopes de modulação é que eles podem ser usados ​para ajustar algumas propriedades de

clipes de áudio, tais como o ganho de transposição e clipe. Você pode até mesmo modular posição de reprodução do clipe (Sample Offset) como uma

maneira de criar variações e falhas.

A final, e muito importante, diferença entre automação e de modulação é a relação com o Arranjo View. Quando os clipes de
sessão contendo envelopes de automação são registrados no Arranjo, a automação é registrado na linha do tempo e já não
aparece no Clip View. Modulação, por outro lado, permanece no clipe. Isso ocorre porque a modulação e automação pode
realmente ser usados ​simultaneamente. A Figura 5.33 mostra automação lentamente varrendo frequência de corte de um filtro de
baixa para alta, enquanto que a modulação de um grampo se move a frequência ritmicamente acima e abaixo do seu valor
automatizado.

A Figura 5.33 Aqui está um exemplo de automação e de modulação a ser usado em conjunto.
Fonte: Ableton

A modulação não podem ser gravados utilizando os métodos explicados Capítulo 4 , “Making Music Live.” Ela só pode ser programado
manualmente no editor. As técnicas de edição de modulação são idênticos aos de automação. Você estará usando pontos de interrupção e
modo de desenhar, e com algumas exceções, qualquer coisa que pode ser automatizado pode ser modulada também. Com o lançamento do
Vivo 9, Ableton tem escondido envelopes de modulação por padrão. Antes que você possa programar modulação para um controle, você vai ter
que revelá-lo no editor. Há algumas maneiras de fazer isto.

Na Exibição de sessão, lançar o clipe que você deseja adicionar modulação para. Em seguida, clique direito sobre o controle que você deseja para
modular e selecione “Mostrar Modulation” no menu de contexto, como visto na A Figura 5.34 . Se você deseja adicionar modulação para um clipe de
Arranjo em vez disso, basta selecionar o clipe antes de clicar com o botão direito sobre o controle. Você também pode revelar modulação pela primeira
navegar em menus de dispositivos Seletor e Controle Chooser um clipe para mostrar a automação para um controle específico (ver “Automation Edição”
na Capítulo 4 ). Então você vai ser capaz de selecionar Mostrar Modulação do menu de contexto do editor.

A Figura 5.34 Mostrar Modulação pode ser acessado a partir do menu de contexto de um controle, ou a partir do editor no Clip View.

Fonte: Ableton

Depois de criar modulação, será acessível a partir do Chooser controle. No A Figura 5.35 , Há alguma modulação programado para
o parâmetro de frequência de um filtro automático. Note que existe um item chamado Frequency Modulation listados, o que revela
o envelope de modulação, e outro chamado de Frequência, que revela o envelope de automação para o mesmo controle.

A Figura 5.35 Quando a modulação está programado, você pode voltar a ele facilmente a partir do Chooser controle.
Fonte: Ableton

Quando modulação está a afectar um parâmetro, ele não muda diretamente o botão, slider, ou número da caixa do caminho automação
faria. Em vez disso, ele faz uma indicação sutil. Maçanetas irá destacar a área de alcance do botão que está sendo modulada, enquanto
sliders irá mostrar um pequeno ponto indicando o valor modulada atual.

Propriedades do clipe de modulação de áudio

Como mencionado anteriormente, é possível modular algumas propriedades de clipes de áudio. Estes merecem menção especial, pois
eles são fundamentalmente diferentes do que os ajustes do dispositivo e misturador discutidos Capítulo 4 . Revelando a modulação para
propriedades do clipe é fácil. Basta selecionar clipe no dispositivo Chooser, e eles vão aparecer no menu abaixo.

Volume
A modulação envelope Volume muda o ganho do clipe. Ele fornece uma maneira fácil de pedaços rapidamente cortado de um loop ou fazer
pequenas mudanças dinâmicas. Porque não interfere com qualquer automação ou volume manual mudanças que você pode fazer para a
pista, é muito simples de usar em qualquer ponto no processo de produção (ver A Figura 5.36 ).

A Figura 5.36 Esta modulação altera o volume da reprodução de várias visitas neste loop de bateria, silenciando alguns completamente e corte outros curto.

Fonte: Ableton

Transposição
O envelope Transposição Modulation irá modular a localização do botão de Transposição, o que lhe permite mudanças programa passo, slides ou
inteiras progressões harmônicas para o clipe. Porque alterar o tom de um clipe muitas vezes produz artefatos interessantes, isso pode ser usado
como uma ferramenta de design de som também. Transposição começa como uma linha plana. Cada linha acima de zero é um semitom para cima,
enquanto cada linha abaixo de zero é um baixo semitom, como visto na A Figura 5.37 .

A Figura 5.37 A transposição pode ser modulada para cima ou para baixo por 48 semitons.
Fonte: Ableton

Esteja ciente de que para fazer lâminas de afinação suaves, você terá que estar usando um modo de urdidura diferente de batidas, que só permite
uma mudança de transposição de cada passageiro. Note também que você pode rolar o alcance do editor verticalmente arrastando a escala no
lado esquerdo, ou você pode ampliar o editor (arrastando para cima no topo) para revelar toda a gama de +/- 48 semitons.

amostra offset
Amostra offset permite que você manipule posição de reprodução do clipe como ele joga para trás. As linhas de grade horizontais representam
semicolcheias. A área acima da linha de centro se move da posição de reprodução para a frente, enquanto a zona abaixo move-o para trás (ver A Figura 5.38 ).
Amostra compensou apenas funciona quando o modo de urdidura de um clipe está definido para batidas.

A Figura 5.38 Esta modulação Amostra de deslocamento faz com que o primeiro hit tambor de repetir quatro vezes. O primeiro passo para baixo causas reprodução para saltar para trás 1/16, o segundo
passo provoca um salto de duas semicolcheias, e assim por diante.

Fonte: Ableton

Tenha em mente que o valor no menu Preserve irá determinar o tamanho dos pedaços que são compensados. Se Preserve está definido para
Transitórios ou 1/4, você vai obter alguns resultados incomuns se você fizer um monte de compensações semicolcheia. No entanto, os resultados
incomuns é geralmente o que você está indo para com este envelope, então toma seu tempo e experiência. Se você está procurando para fazer alguma
meticulosa micro-edição de suas batidas, você será mais feliz fazendo isso no Acordo View.

Envelopes controlador MIDI

Além de todos os tipos de automação e modulação discutido até agora, clips MIDI também tem a capacidade de enviar mensagens de
controle MIDI padrão, tais como Pitch Bend, Modulation, Volume e Pedal (sustentação). mensagens de controle pode ser gravado a partir de
um controlador MIDI durante qualquer gravação, independentemente de haver ou não Arm Automation está ativada. Isso porque
tecnicamente eles não são
automação em todos os-essas mensagens são gravadas como dados MIDI, assim como as notas são. Por este motivo, mensagens de controle
MIDI também não pode ser visualizado ou editado no visor o controle do Arranjo. Eles aparecem dentro de apenas o clipe.

Para revelar envelopes controlador, selecione “MIDI Ctrl” no dispositivo Chooser. O Seletor de controle irá exibir uma longa lista de
mensagens de controle MIDI (veja A Figura 5.39 ).

A Figura 5.39 envelopes controlador MIDI podem ser editados apenas como automação padrão.

Fonte: Ableton

Quando você olha através da lista de controladores MIDI disponíveis, você verá alguns deles já foram nomeados, como Volume, Respiração,
Pan, e Expression. Isso ocorre porque parte do padrão MIDI define certos números de controlador para determinadas tarefas musicais.
Controlador 10 é geralmente Pan. Controlador 7 é geralmente Volume, e assim por diante. Se estes controladores realmente têm qualquer
efeito irá ser determinada pelo dispositivo de MIDI na extremidade de recepção. Apenas sobre qualquer instrumento virtual ou hardware irá
responder a pitch bend, mas além disso, você precisa de olhar para o manual, especificamente a tabela de implementação MIDI do seu
dispositivo MIDI (geralmente no final do manual), para ver uma lista do controladores e mensagens MIDI para o instrumento.

Envelopes unlinked

Até este ponto, nós temos falado sobre a edição voltas de um determinado comprimento. Depois de tudo, um laço é, por definição, uma amostra
de repetição ou frase. Isso é exatamente o que loops de fazer-se loop. E, por padrão, cada envelope em um clipe é o mesmo comprimento que o
clipe em si, permitindo a criação de automação ou de modulação padrões repetitivos que se repetem cada vez que o clipe se repete. No entanto,
por desvinculação um envelope você pode criar modulações ou automações com comprimentos e pontos de loop independentes do clipe, que lhe
dá uma gama enorme de opções.

Às vezes, você pode querer estender um determinado circuito além de suas fronteiras originais. Por exemplo, você tem um loop de bateria Twobar
repetitivo, e você realmente deseja que você teve um loop de oito bar para tornar o som mais realista e menos repetitivo. Uma maneira de
conseguir isso é através da desvinculação envelopes do clipe. Ao alterar o comprimento de um envelope de modo que é diferente do comprimento
do clipe, você pode introduzir apenas este tipo de variação a seus loops. Toda vez que você clicar no botão Desvincular (ver A Figura 5.40 ), A
exibição de áudio ou nota MIDI desaparece do editor, porque o envelope é agora uma entidade independente, com seu próprio comprimento e
propriedades looping. Estes pontos são ajustados usando uma cinta de malha e familiar procura inicial, final controla a posição e comprimento no
Envelopes Box-mas, neste caso, você está afetando apenas o envelope. Sinta-se livre para fazer um envelope desvinculado de oito bares ao longo
de um ciclo de dois bar, ou um que começa em uma batida, vai para
quatro bares, e depois começa looping.

A Figura 5.40 As propriedades de início / fim e Loop do envelope são ativados quando Desvincular é ativado.

Fonte: Ableton

Tenha em mente que cada envelope, seja modulação ou automação, pode ser ligado ou não ligado como você escolher. Isto significa que
você pode ter envelopes de muitos comprimentos diferentes, todos acontecendo simultaneamente. Você também pode criar envelopes de
comprimentos estranhos que vão mudar a sua posição em relação aos pontos de loop do clipe ao longo de muitos bares. Imagine tomar um
clipe MIDI de dois bar e modulando o filtro do synth com um envelope 7 barras longas, enquanto modula os parâmetros de um atraso e uma
distorção usando envelopes 3 e 5 bares longo. Para o ouvinte médio, o padrão seria quase impossível de discernir, e as modulações soaria
aleatória.

Áudio para MIDI

Live oferece várias maneiras de começar com um clipe de áudio e criar um clipe MIDI a partir dele. O Convert to características nova
faixa MIDI é novo para viver 9, enquanto o recurso Fatia de New Track MIDI tem sido em torno de um tempo agora. Fatia de New Track
MIDI fornece uma maneira fácil de cortar-se uma amostra e acioná-lo via MIDI, enquanto os vários modos Converter realmente analisar
a informação musical no áudio e gerar um clipe MIDI com base nele.

Convert to New Track MIDI


Este recurso vem em três sabores. Há um método optimizado para a melodia, um para harmonia (cordas), e outro
especificamente para tambores. O que essas funções fazer é analisar o clipe de áudio para detectar arremessos e transientes
e gerar uma sequência MIDI a partir deles. Essa sequência pode então ser usado para acionar o som de sua escolha. Assim,
por exemplo, você pode gravar a si mesmo cantando uma melodia e depois convertê-lo para uma trilha MIDI e ter a melodia
tocada por um sintetizador. De um modo geral, você não deve esperar esse recurso para peças extrato de canções totalmente
mistos. É muito mais bem adaptado para converter partes individuais. Também é melhor não esperar um alto grau de precisão
nas conversões, embora às vezes você pode. O processo de conversão é muito sensível para uma vasta variedade de
factores,

Por outro lado, como uma ferramenta para gerar matéria-prima que você vai fazer novas peças fora de, você pode ter um monte de
diversão com este recurso. Tome uma melodia e convertê-lo usando o algoritmo do tambor ou o algoritmo de harmonia, por exemplo.
Obviamente, nem tudo o que começa a partir de abusar intencionalmente a tecnologia vai ser grande, mas, ocasionalmente, ele vai ter a
criatividade fluir.

Os conceitos básicos do uso desses comandos é muito simples. Clique com o botão direito do mouse em um clipe de áudio e escolha Convert Harmony para
a faixa New MIDI, converter Melody para a faixa New MIDI, ou Converter Bateria para Nova MIDI
acompanhar, dependendo do áudio que você está convertendo. Todos os métodos de criar uma nova faixa com um instrumento padrão
carregado e um novo clipe MIDI gerados a partir da análise. Após a conversão, você pode trocar o instrumento para personalizar o som.
Você também pode arrastar um clipe de áudio para uma pista MIDI existente e irá aparecer uma janela que lhe dá três opções de conversão.

Drums converter para New Track MIDI analisa áudio, assumindo que contém bateria, e produz um novo clipe MIDI que vai jogar um
padrão semelhante em um rack da bateria. Geralmente, esta técnica faz um trabalho muito bom de identificar pontapé clara, laço, e
partes oi-chapéu. No entanto, ele vai vacilar, dependendo de como incomum e complexo os sons de bateria são. Não se preocupe,
porém, com um pouco de editar este método de conversão produz resultados muito utilizável em uma ampla variedade de material.

Converter Melody para New Track MIDI irá normalmente geram resultados úteis se a fonte tem transientes fortes eo sinal é
constante em campo. Complexas, modulando os tons de sintetizador e performances vocais fracos (ou as emocionais com um
monte de nota deslizante e outros artefatos vocais) produzirá resultados menos precisos.

Convert Harmony para New Track MIDI é o fussiest de todos os métodos. Mesmo com um teclado sozinho ou parte de guitarra, que,
muitas vezes, gerar acordes contendo notas extras estranhos ou deixar notas inteiramente. Sua milhagem pode variar muito,
dependendo do material que você alimentá-lo, para mantê-lo simples e estar preparado para editar os resultados.

Fatia de New Track MIDI


Fatia de New Track MIDI é um animal totalmente diferente do que os métodos de conversão discutidos anteriormente. Este método divide o
áudio original em fatias e, em seguida, cria uma nova faixa contendo um clipe MIDI para acionar as fatias em ordem.

Para chamar este comando, clique com o botão direito em um clipe e selecione Fatia de New Track MIDI no menu de contexto. Em seguida,
você será presenteado com uma caixa de diálogo oferecendo um par de opções (ver A Figura 5.41 ). O primeiro menu permite escolher quantas
fatias seu áudio deve ser dividida em. Um valor bom para começar aqui seria o valor que você usaria para os transientes definição no modo
batidas. Se a batida é baseado em 1 / divisões de notas 8th, tente cortar a esse valor. Há também uma opção para fatia na urdidura
Marcadores. Isto significa que em qualquer lugar que você criou uma urdidura Marker, uma fatia será criada. Em outras palavras, você pode
controlar quantas fatias são gerados pela adição de urdidura marcadores antes de fazer o corte.

A Figura 5.41 O diálogo da banda Fatia de New MIDI. Certifique-se de experimentar com os diferentes presets de corte!

Fonte: Ableton

O menu Slicing predefinido dá-lhe algumas predefinições que afetarão a faixa MIDI que é criado. Para entender completamente estas opções,
você precisa saber um pouco sobre a tambor Racks e Sampler para que você pode querer explorar Capítulo 8 , “Instrumentos de Live.” A
primeira opção, “Built-In,” cria uma faixa MIDI contendo um rack da bateria. Cada fatia do ciclo irá ser mapeado para um bloco na cremalheira
do cilindro, e um MIDI
arquivo será gerado para jogar as fatias de volta. A cremalheira do cilindro está equipado com algumas macros pré-programadas para
ajustar o envelope e as propriedades de ansa de cada fatia. Tente ligar laço Comprimento-se e laço Compress para baixo por alguma
loucura zumbido glitchy.

Muitas das outras opções no menu coloque as fatias em zonas dentro de um Sampler vez. Estes presets usar uma ampla variedade de
opções de modulação de Sampler para gerar variação sonora. Não deixe de experimentar a roda de modulação do teclado ao usar esses
pré-ajustes, como muitos deles são programados para responder a ela. Ableton atualiza essas predefinições quando novas versões do Live
são liberados, por isso não se surpreenda se o conteúdo deste menu alterações ao longo do tempo.

Depois de clicar em OK e esperou por alguns segundos, você terá uma nova marca MIDI acompanhar todas carregado e pronto para ir. Basta iniciar
o novo clipe MIDI, e você vai ouvir o seu ciclo reproduzir apenas como se fosse o clipe de áudio original. É onde as coisas começam a ficar
interessantes. Tente reorganizar, excluir ou adicionar notas MIDI, ou tentar criar um novo clipe de marca e usando fatias individuais para programar
uma batida! Além disso, certifique-se de verificar as macros que foram programadas para você no novo rack da bateria. Para a maioria de material
rítmico, selecionando Transient no menu superior irá produzir bons resultados. Ocasionalmente, você pode achar que ao vivo é cortar o áudio em
muitas fatias. Por exemplo, às vezes ao vivo vai colocar um transiente no meio de um golpe de tambor, fazendo com que seja cortado em dois pads
de bateria separados na trilha MIDI resultante. Se isso acontecer, examinar os efeitos transitórios e clique com o botão direito em qualquer que você
acha que são desnecessários e usar o comando Excluir Transient (s). Para cortar batida totalmente personalizado, use urdidura Marcadores como a
divisão de corte depois de colocar uma urdidura marcador em cada segmento que deseja cortado.

Sulco

Antes de chegar longe demais para discutir características do sulco da Vivo, vamos falar um pouco sobre o conceito de sulco em geral.
Simplificando, peças musicais que têm uma certa quantidade de variação rítmica ou imprecisão, bem como mudanças na dinâmica, muitas
vezes têm uma sensação mais convincente do que as peças que são perfeitamente quantificados e até mesmo em volume. Isso não quer dizer
que a precisão absoluta sempre soa mal; mas às vezes, é útil para contrastar faixas extremamente apertadas contra os mais frouxas. Há
também casos em que uma batida de robô é apenas a coisa. Tudo depende do contexto musical.

Usando a tecnologia de música para ajustar o tempo de uma batida automaticamente não é nova. Muitos drum machines clássicas, como de Roland
TR-909, tem um controle shuffle. O controle aleatório atrasa certas batidas de uma sequência para criar um aleatória ou sensação “swing”. Um balanço
é um tipo muito simples de groove. Para criar um / 8a nota balanço 1, tudo que você tem a fazer é ligeiramente atrasar cada outro 1 / 8a nota em uma
batida (começando com o segundo). Quanto mais você adiar o suplente 1 / 8th notas, quanto mais intenso o balanço será. Enquanto um controle de
balanço em uma máquina de tambor não é notícia, Motor Groove Vivo faz algumas coisas que são totalmente futurista. Não só pode viver aplicar um
Shuffle tradicional para ambos MIDI e clipes de áudio, mas também pode quantizar áudio para timing correto ou retirar balançar, bem como aplicar toda
uma variedade de outros sulcos, como aqueles associados com samba e rumba. Longe de simplesmente ser capaz de atrasar certas batidas para
adicionar balanço de um laço, o Mecanismo de sulco pode mudar batidas individuais em qualquer direção e adicionar alguns randomização até o
momento também. Ranhuras também podem conter modificações de velocidade, os quais podem ser utilizados para modificar a dinâmica bem. Esta
poderia ser uma simples questão de fazer o tempo forte de um bar ligeiramente mais alto do que as outras batidas, ou poderia ser um fluxo complexo,
subindo e descendo ao longo do
Barra.

Para aplicar um sulco a um clipe, prima Hot Swap Clipe Groove, como visto em A Figura 5.42 . Isso fará com que o browser para exibir os
arquivos do sulco na biblioteca do Live. Agora você pode navegar até encontrar a ranhura você está interessado. Se você é novo para trabalhar
com ranhuras e embaralha, abra a pasta Swing e selecionar um dos arquivos do Groove contido dentro para começar. Se você é um
percussionista experiente, ou talvez um usuário da lógica sequenciadores de bateria da série MPC Pro ou Akai das da Apple, você vai ficar feliz
em encontrar todos os tipos de ranhuras familiares contidos nas outras pastas.

A Figura 5.42 Usando o botão Trocar sulco Hot permite que você navegue através da Biblioteca Groove Live. Depois de selecionar um sulco, você pode personalizá-lo na piscina
Groove. Clique nas linhas onduladas acima da Clip View para abrir a Piscina Groove. Você também pode arrastar ranhuras diretamente do navegador para o exterior Groove.

Fonte: Ableton

Depois de selecionar um sulco com um clique duplo-lo, você deve ouvi-lo em vigor imediatamente, e ele aparecerá no Pool Groove.
A Piscina do Groove exibe uma linha para cada sulco que é utilizado no Conjunto atual. Para cada sulco, os seguintes parâmetros
estão disponíveis:

Base: A fim de mudar o timing de certas batidas em um clipe, o Live precisa de um ponto de referência. Por exemplo, se a base está
definida para 1/16, ele vai examinar cada pedaço 1/16 nota de um clipe e avaliar o quanto (se a todos) os acentos dentro dela precisa ser
movido para coincidir com o calendário do Groove.

quantize: Esta configuração determina o quanto de quantização em tempo real é aplicado ao clipe, com base na configuração do
parâmetro Base. Em outras palavras, se a base está definida para 1/16, então Live primeira quantizar o clipe para 1/16 notas, antes fazer
os ajustes de tempo contidas no arquivo Groove. No percentagens inferiores a 100%, ao vivo irá mover cada acento apenas uma parte do
caminho para o mais próximo de 1/16. Fazer isso permite que você mantenha algumas de temporização original do clipe antes
aplicação do sulco a ele.
Cronometragem: Isto é onde você dizer ao vivo quanto para aplicar momento do Groove para o clipe. Em valores inferiores a
100%, acentos do clipe será movido apenas parte do caminho para os locais especificados no Groove. Em 0%, será feito
nenhum ajuste de tempo.

Aleatória: Ao aumentar o valor aleatório, você adiciona randomização tempo para o clipe. Um pouco de aleatoriedade pode emular as
variações temporais naturais que ocorrem com músicos ao vivo. A menos que você está olhando para criar algum caos sério, essa
configuração é melhor usado em valores mais baixos.

Velocidade: Esta configuração determina o quanto as flutuações de velocidade na ranhura deve ser aplicado ao clipe. Esteja ciente
de que algumas ranhuras na Biblioteca não contêm qualquer informação de velocidade, então alterar este valor não terá qualquer
efeito. Note-se que este valor pode ser ajustado para valores negativos para inverter a velocidade do bem. Ao aplicar ranhuras para
clipes de áudio, velocidade cria flutuações de volume. (Este é geralmente o caso com grampos MIDI bem, mas que é em última
análise determinada pelo instrumento.)

Montante: Este é o global sulco Valor. Ele fica no topo da piscina sulco e é aplicado a todos os Grooves no conjunto. Ele age como um
controle global para o parâmetro de sincronismo em cada uma das ranhuras. Note-se que quantidade pode ser ajustado para valores
superiores a 100% para mover todas as percentagens sulco de temporização acima do valor especificado.

Quando você aplicou um sulco a um clipe, não só aparecer na Piscina Groove, mas também se torna disponível para cada clipe em seu
conjunto. Para aplicar o sulco a clipes adicionais, basta selecioná-lo a partir do menu Clipe Groove. No A Figura 5.42 , Clip sulco aparece como
uma caixa acinzentado que lê “Nenhum”. Depois existem ranhuras em seu groove piscina, este se transforma em um menu.

ATRÁS DO GROOVE: Se você deseja examinar o conteúdo de um groove, basta arrastá-lo para fora do navegador ou a piscina sulco e
soltá-lo em uma faixa MIDI. O que você vai encontrar é que um arquivo sulco é realmente apenas um MIDI clipe que usos viver como um
modelo para o sincronismo e dinâmica. Tente!

cometer
Uma coisa que é grande sobre como trabalhar com ranhuras é que eles são aplicados em tempo real como o clipe joga. Em outras palavras, sem
alterações directas para o clipe em si são feitos. Ajustes no sulco pode ser feita continuamente como você trabalha em uma faixa, e essas
mudanças vão afetar imediatamente todos os grampos que utilizam que groove.

No entanto, pode haver casos em que você deseja aplicar um sulco a um clipe de uma forma mais permanente. Para fazer isso, pressione o botão
Commit diretamente abaixo do menu sulco no Clip Box. No caso de um clipe MIDI, isso vai realmente mover notas individuais em conformidade
com a ranhura e aplicar quaisquer alterações necessárias na velocidade. Para clipes de áudio, ao vivo cria urdidura marcadores para aplicar
variações de tempo e um envelope de volume para criar mudanças na dinâmica.

ANALISE ISSO: Quer criar o seu próprio ranhuras para uso com motor Groove ao vivo? Basta arrastar um áudio ou clipe MIDI na
Piscina Groove. Ao vivo vai analisar o clipe e criar um novo arquivo do sulco com base no tempo e na dinâmica do clipe. Se você
deseja salvar este novo clipe para a Biblioteca, clique com o botão direito na Piscina sulco e selecione “Browse sulco Library.”
Agora, você pode arrastar o sulco da piscina no navegador, e ele será salvo para uso em futuros jogos.
6Tracks e roteamento de sinais

O NE de vida muitas vezes é UNSUNG características é seu roteamento incrivelmente flexível. Se você está apenas começando como um produtor, você pode não ter
uso para tudo descrito neste capítulo imediatamente. No entanto, se você está vindo para este capítulo com alguma experiência, eu prevejo
que você vai desfrutar de como é fácil para encaminhar várias faixas MIDI em um instrumento ou gravar a partir de uma faixa para outra.

Nas páginas seguintes, estaremos explorando alguns tipos de vias que não foram discutidos ainda (como grupos e retornos) e olhando
para alguns usos interessantes para áudio regular e faixas MIDI. Também vamos dar uma olhada em ReWire, que é um utilitário
brilhante para o envio de áudio entre diferentes aplicações e sincronizar seus sequenciadores.

Muitas das técnicas apresentadas aqui envolvem uso de entrada do mixer / seção Ouput, por isso certifique-se de visitar o menu Exibir e
apresentá-lo ao seguir junto. Figura 6.1 mostra um uma faixa de áudio e MIDI com esta seção mostrado, para fazer a anotação dos nomes
Seletor, desde que eu vou estar se referindo a eles um pouco.

Figura 6.1 Para ser um ninja de roteamento, você precisa saber o caminho de volta Input / Output.

Fonte: Ableton

A faixa principal

A pista principal é criada automaticamente e não pode ser excluído. Por padrão, todas as faixas de rota a sua saída para o Master (ver Figu
6.2 ), Onde eles se reúnem mista. Ela também serve como o ponto final para processar o som antes de ser é enviado para os
alto-falantes. Por exemplo, é comum para os artistas e DJs de usar a faixa principal para efeitos, e para os produtores para adoçar a
mistura final com alguma compressão e EQ. (Dito isto, até que você é um engenheiro experiente, provavelmente é melhor deixar a faixa
principal esvaziar ao produzir.) Devices (efeitos de áudio somente) pode ser descartado na pista principal, tal como qualquer outra faixa.
Em vez de slots de clipes, no entanto, a pista principal tem cenas Launch Buttons, que são descritas nos capítulos 3, “Viva interface
Basics”, e 4, “Making Music Live.” Esta faixa também tem alguns controles especiais no Mixer e seções de entrada / saída, que vamos dar
uma olhada em seguida.

Figura 6.2 todo o seu mix vai passar a faixa principal antes de sair para os alto-falantes.
Fonte: Ableton

Quando as folhas de áudio a faixa principal, ele vai para a saída especificada no Master Out. Isso pode ser qualquer saída habilitado em sua
interface de áudio (consulte “Audio” no Capítulo 2 , “Obtendo vivo Up and Running”). Apenas certifique-se de que seus monitores (ou o
sistema de som) estão conectados à saída especificado no Master Out, e está tudo pronto.

Acima Mestre Fora é Cue Out, que especifica a saída que será usado para visualizar, cueing, e o metrônomo. Próximo ao controle
deslizante de volume do Mestre, você vai encontrar o botão de volume Preview / Cue, que ajusta o volume de Cue Fora.

Por padrão, Cue Fora será definido para os mesmos resultados como o Mestre Fora, e para muitas configurações de estúdio este é apenas

multa. No entanto, se você selecionar saídas originais para seu Cue Out, uma série de possibilidades surgem, a maioria dos quais são úteis para

o desempenho. Por exemplo, enviando Cue Fora para a saída de fone de ouvido de sua interface de áudio, agora você tem a capacidade de

visualizar arquivos no navegador, ou ouvir o metrônomo sem esses sinais de sair do Main Out e no sistema de som. Outra coisa que acontece

quando Cue Fora e Mestre Out são definidos para valores diferentes é que o interruptor Solo / Cue está ativado. Clique sobre ele para selecionar

Solo ou Cue. Quando Cue está ativo, os botões de solo nas faixas de áudio vai virar para Cue botões (ícones de fone de ouvido). Quando você

pressiona um botão Cue, rota vai viver essa faixa para a saída Cue, para que você possa ouvi-lo através de seus fones de ouvido. Tenha em

mente que Cue funciona independentemente do fader de volume. Em outras palavras, clicando Cue não parar o sinal de ir para o mestre (ou

onde mais você pode estar enviando-lo). Em uma configuração de DJ, você precisa manter o volume da faixa fader para baixo, a fim de sinalizar

uma canção sem enviá-lo para a pista de dança.

retorno Tracks

Por padrão, existem duas faixas de retorno em um novo Conjunto Live. Você pode adicionar mais (até 12), escolhendo Inserir pista de retorno no menu

Criar. faixas de retorno são letras (A-L) em vez de ser contados, e pode ser mostrado ou escondido sob o menu Exibir. Você provavelmente vai encontrar

estas faixas útil principalmente para efeitos de processamento, mas você pode descobrir outros usos para eles também. faixas de retorno não faça clips de

acolhimento. Em vez disso, o sinal é encaminhado para eles usando os botões Enviar (consulte a Figura 6.3 ). Você não precisa fazer nada para criar um

botão de envio; eles são adicionados automaticamente a cada vez que uma pista de retorno é criado. Envia podem ser ocultadas ou mostradas

independentemente de faixas de retorno, então visite o menu Exibir


se você não vê-los na tela.

Figura 6.3 Cada faixa de retorno tem um botão de envio correspondente em cada pista.

Fonte: Ableton

Vamos dizer que você tem um loop de bateria tocando na pista 1. Se você ativar enviar um todo o caminho até, o loop de bateria será agora enviada no

volume máximo para retornar A, enquanto ainda jogando fora de faixa 1. Neste caso, o resultado será duplicar o volume do loop de bateria, uma vez que

irá ser agora a jogar a partir de duas faixas. Obviamente, isso não é um resultado muito interessante. No entanto, se você colocar efeitos no retorno A,

você pode encaminhar qualquer sinal através desses efeitos por transformar-se enviar A. Para uma discussão completa do uso de efeitos sobre faixas

de retorno, consulte “Inserir vs. Send / Return” em Capítulo 7 “Usando efeitos e Instrumentos”. Por padrão, envia são pós-fader. Isso significa que eles

passam sinal para os retornos depois de controle de volume da faixa. Então, girando para baixo volume de uma faixa de 6 dB também irá desligar o sinal

sendo enviado para qualquer faixa de retorno de 6 dB. Com o volume fader todo o caminho para baixo, os retornos serão em silêncio também. Como

mostrado em Figura 6.4 , Um envio pode ser configurado pré-fader em vez disso, o que significa que o envio é completamente independente do fader de

volume e vai passar o sinal, independentemente do volume da faixa.

Figura 6.4 Envia pode ser definido como pré ou pós-fader usando essas opções na faixa principal.

Fonte: Ableton

No menu Opções, há um item chamado Solo in Place, que é marcada por padrão. Para a maioria das aplicações, você provavelmente vai querer
deixá-lo dessa maneira. Com Solo in Place habilitado, você vai ser capaz de solo a pista sem silenciar qualquer faixa de retorno que recebem um
sinal a partir dele. Com ele desativada, solar uma trilha faz com que todos os retornos para ser silenciado.

Finalmente, note que uma das opções para uma faixa Tipo de saída é envia apenas. Esta é uma maneira fácil de
impedir que o sinal de ir para a faixa principal, para que ele só ouviu quando um Enviar está ligado. Esta é uma configuração
incomum, mas há ocasionalmente (principalmente de desempenho) situações onde isso é útil.

VOCÊ ME ENVIOU: Observe que faixas mesmo retorno tem envia, mas, por padrão, o envia em pistas de retorno estão desativados. Para habilitá-los,
clique com o botão direito do mouse no botão Enviar e selecione Ativar Enviar. Qualquer envio Live pode ser desativada clicando com o botão direito e
escolha Desativar Enviar. O controle Enviar agora aparecerá esmaecido.

Faixas do grupo

Pense em uma trilha Grupo como uma faixa que contém outras faixas. O áudio das faixas dentro do grupo fluir para a faixa grupo em vez de
diretamente para o Master (embora este pode ser personalizado se você quiser). Ao contrário de áudio, MIDI e faixas de retorno, faixas de
grupo não são criados a partir do menu Criar. Em vez disso, eles são criados por uma primeira seleção ou mais de áudio ou faixas MIDI e, em
seguida, Seleção de faixas Editar> Grupo.

Um uso de faixas grupo é para submixing tradicional, como você pode usar com tambores. Por exemplo, digamos que você tem cada um de
seus tambores em uma pista individual. Neste caso, é muito útil para ser capaz de ajustar o volume de todos os tambores simultaneamente,
bem como ser capaz de processar a mistura tambor com alguma compressão. Tracks Grupo tornar o processo incrivelmente fácil.

Não só eles simplificar submixing, mas Tracks grupo oferecem outras vantagens também. Primeiro, observe o interruptor Fold (o pequeno triângulo)
na barra de título da faixa Grupo. Isso permite que você ocultar ou mostrar as faixas como desejado. E, claro, uma vez que este é ao vivo, há também
um toque para performances ao vivo. Se você olhar atentamente para a pista Grupo em Figura 6.5 , Você vai notar que alguns dos slots contêm botões
de reprodução triangular, que podem ser usados ​para lançar uma linha inteira de clipes contidos dentro de um grupo. faixas grupo também contêm
botões de parada que podem ser usados ​para parar todos os clipes do grupo.

Figura 6.5 Tracks Grupo contêm faixas de áudio e MIDI.

Fonte: Ableton

Se você quiser adicionar uma faixa adicional para um grupo, basta arrastar a pista até que ele fica ao lado do
outras faixas agrupadas. Por outro lado, as faixas podem ser removidos a partir de grupos arrastando-as para longe. Além disso, estar ciente de que se
você excluir uma faixa Group, todas as faixas dentro dele serão apagados também. Se você quiser desagrupar as faixas dentro de um grupo, clique
com o botão direito na barra de título da faixa e selecione Grupo Desagrupar no menu de contexto.

Quando as faixas são agrupados, o seu Tipo de Saída muda automaticamente de “Mestre” para “Grupo”, como visto em Figura 6.5 . Se uma
faixa é encaminhado algum lugar diferente de mestre antes de agrupamento, o seu encaminhamento saída será deixado sozinho, e ele não vai
passar pela trilha Grupo. Com o roteamento flexível do Live, você pode facilmente tirar vantagem de dobrar ou lançar Grupo botões e ainda
enviar o sinal onde quiser.

GRUPO EM UM GRUPO ?: Se você está se perguntando se é possível colocar uma faixa grupo dentro de uma faixa Group, a
resposta é não. No entanto, você pode obter alguns dos mesmos benefícios, criando um submix dentro de um grupo. Submixing é
explicado na seção “Submixing e Multing”.

áudio Routing

Se você explorar menus tipo de entrada e de saída Tipo de mora, você vai descobrir que as faixas podem receber ou enviar áudio para outras

faixas. Por exemplo, você pode criar uma faixa de áudio que registra a saída de outra faixa enquanto você lançar clipes e efeitos Tweak. No Figur

6.6 , Você verá a entrada da trilha B tem o seu conjunto Tipo de entrada para rastrear A. No Canal de Entrada seletor abaixo, você verá três

opções: Pré FX, Pós FX, e Pós Mixer. Estas opções permitem-lhe escolher onde no caminho do sinal de áudio é encaminhado a partir de ou aprov

Figura 6.6 Pista B está configurado para registro de trilha A. O menu Canal de Entrada lhe dá o poder de tocar o sinal com ou sem efeitos.

Fonte: Ableton

Pós Mixer: O sinal é aproveitado após o que é processado por quaisquer efeitos e passou através do misturador. Quaisquer
alterações a panning ou volume feitas no misturador afectar o sinal.

Pós FX: O sinal é aproveitado após os efeitos do Track View, mas antes do mixer. Mudanças a panning ou volume
feitas no misturador não afetam o sinal.
Pré FX: Torneiras o sinal directamente, antes de quaisquer efeitos ou de mistura.

Submixing e Multing
No Figura 6.7 , Preste atenção para os optantes tipo de saída, e você verá as faixas “fonte” são encaminhadas para uma faixa de áudio chamado DESTIN
Isto é vulgarmente conhecido como um Submix. Você pode perceber que tudo o que eu tenho feito é criar manualmente o comportamento de
roteamento de um grupo Track-várias faixas são misturados
juntos antes de serem enviados para o Mestre. Ao contrário Tracks Grupo, no entanto, este método torna mais fácil para gravar o submix.
Basta clicar braço e começar a gravar na faixa de destino para criar um novo clipe de áudio das faixas sub-mixadas.

Figura 6.7 Três faixas, todos encaminhados para um único destino. A faixa chamada DESTINO é uma antiga trilha de áudio regular. Alguns DAWs fazer você usar faixas especiais para
este tipo de coisa, mas não ao vivo!

Fonte: Ableton

Multing é uma abreviatura engenheiro de gravação para multiplicar-enviando um sinal para vários destinos simultaneamente. É
conceitualmente o oposto do submixing. Em vez de enviar várias fontes para um destino, você está enviando um sinal para vários
destinos. Isto é feito através da criação de uma nova faixa de áudio e definir o tipo de entrada para outra faixa no conjunto. No Figura
6.8 , Existem três faixas de destino que recebem o sinal a partir de uma única fonte. Observe que a fonte pista ainda passa o sinal
diretamente para o Mestre, devido à sua configuração Tipo de saída.

Figura 6.8 Os três “Destino” faixas de áudio estão recebendo o sinal da faixa chamada SOURCE.

Fonte: Ableton

Se você está submixing ou multing, tenha em mente que você deve armar a faixa de destino (se seu status Monitor é Auto), ou definir
seu status Monitor para In. Caso contrário, o sinal não será passado completamente. Reveja a seção “Input / Output” em Capítulo 3 Para
mais informações sobre o monitoramento.

resampling
Outra opção útil que você vai encontrar no menu Tipo de entrada de cada faixa de áudio é Resampling (ver
Figura 6.9 ). Selecionar esta entrada permite-lhe gravar um novo clipe a partir da saída do Mestre faixa Esta é uma maneira rápida e fácil de
áudio garra de tudo o que está acontecendo em Live at o momento. faixas sem áudio você não deseja gravar, ou solo as faixas que deseja
gravado e pronto! Quando reamostragem em um
acompanhar, sua saída é automaticamente silenciado ao feedback evitar.

Figura 6.9 Selecione Resampling como fonte para uma faixa de áudio para gravar saída principal do Live.

Fonte: Ableton

Saídas virtuais
Alguns dos Live built-in dispositivos e alguns de terceiros plug-ins tem várias saídas virtuais, que podem ser úteis em uma variedade de maneiras.

Por exemplo, talvez você estiver usando Impulse (instrumento de percussão básica do Live), e você quer enviar a cada tambor para uma trilha

separada para o processamento individual. Ou talvez você está usando um instrumento multitimbral como Kontakt Native Instruments', que pode

carregar vários instrumentos simultaneamente. saídas virtuais facilitam a monitorar ou gravar cada som separadamente. Eles são fáceis de perder,

no entanto, se você não sabe para onde olhar. Sempre que você carregar um instrumento com saídas virtuais em uma trilha MIDI, as saídas virtuais

estarão disponíveis nos menus tipo de entrada para as faixas de áudio no conjunto. Vamos dar uma olhada em um exemplo usando Impulse. Dê

uma olhada Figura 6.10 . Você verá uma faixa contendo um kit de bateria Impulse juntamente com várias faixas de áudio. Cada uma dessas faixas

tem o seu conjunto de entrada Type para a pista Impulse, enquanto o Canal de Entrada para cada faixa de áudio está definido para um tambor

individual. Com estas entradas selecionadas, os tambores serão enviados para as faixas de áudio individuais, em vez da pista Impulse. Agora você

pode colocar efeitos diferentes em cada tambor, ou gravar a bateria para separar clipes de áudio (ou ambos!).

Ao trabalhar com plug-in dispositivos, normalmente haverá um passo adicional onde você deve configurar o plug-in para
enviar sons diferentes para diferentes saídas virtuais. Consulte o plug-in documentação para obter mais informações.

Figura 6.10 Quando Tipo de entrada está definido para uma faixa contendo um instrumento com saídas virtuais, Canal de Entrada irá exibir as saídas individuais.

Fonte: Ableton

SUPERGROUP: Depois de criar faixas separadas para processar as saídas virtuais de um instrumento, muitas vezes é útil para agrupá-los
usando uma faixa de Grupo. Dessa forma, você obtém o melhor de todos os mundos: faixas individuais para cada som, uma faixa de
ajustes de processamento de efeito de grupo e volume, e a capacidade de dobrar todas as faixas no espaço de uma única faixa.
Saídas externas
Até agora, todas as técnicas discutidas aqui tem a ver com roteamento de sinais para vários destinos dentro de misturador do Live. Também é possível

encaminhar faixas diretamente para as saídas físicas em sua interface. Para fazer isso, selecione Ext. Saída como uma faixa tipo de saída, e um conjunto

de saída de canais para uma saída específica. Um cenário comum para o encaminhamento de saídas externas é DJing com o Live usando um misturador

DJ padrão. No
A Figura 6.11 , Você verá duas faixas configurados para enviar suas saídas para pistas 1/2 e 3/4, respectivamente. Ao ligar estes dois pares
estéreo para canais em um mixer, você pode misturar e deixa apenas como você faria se estivesse usando dois toca-discos ou leitores de CD.

A Figura 6.11 Enviar faixas para saídas individuais em sua interface de áudio para misturar usando um misturador de hardware.

Fonte: Ableton

Roteamento avançado MIDI

Assim como os sinais de áudio podem ser encaminhadas entre as faixas, pode assim sinais MIDI. Todos os principais conceitos de roteamento são
abordados na seção de roteamento de áudio anterior, de modo que você pode querer ler que, antes de cavar essas técnicas MIDI.

Em alguns casos, o processo de roteamento MIDI é muito semelhante ao de roteamento de áudio. Por exemplo, para enviar um sinal MIDI
para várias faixas, basta criar faixas MIDI adicionais e definir o seu tipo de entrada para a pista envio MIDI, como visto na A Figura 6.12 .

A Figura 6.12 As três faixas à direita todos receberão MIDI dos clipes brincando na faixa 1-MIDI.

Fonte: Ableton

Usando essa configuração, você pode programar clipes na faixa 1-MIDI e tê-los disparar instrumentos em todas as quatro faixas. (Um resultado
semelhante pode ser produzido usando Instrumento cremalheiras, mas alguns preferem essa técnica).

Encaminhamento de várias faixas MIDI para um único instrumento é um pouco diferente do que suas contrapartes no mundo áudio, submixing.
No A Figura 6.13 , Você verá uma faixa configurado para enviar sinal em uma faixa chamada 1 MIDI. Observe que existem duas opções no
menu canal de saída. O primeiro é a entrada da pista (pista Na), enquanto que o outro é uma entrada que alimenta directamente o instrumento
na pista (neste exemplo, o operador é carregado).

A Figura 6.13 Esta configuração permite que você passe MIDI diretamente para o operador na pista 1 MIDI.
Fonte: Ableton

Se Track In é selecionado, você terá que certificar-se de 1 MIDI tem a sua monitorização configurado corretamente (Monitor = In, ou o Monitor = Auto
ea pista está armado). Com esta configuração, o status de monitoramento da faixa de destino irá impedi-lo de ser capaz de jogar todos os grampos
naquela pista. Se o Operador é selecionado, o status de monitoramento é ignorado, o que significa que a pista destino podem desencadear operador
com seus próprios clipes enquanto faixas adicionais alimentar MIDI para Operador também.

Som complicado? Bem, sim, é um pouco. Isso permite algumas técnicas de programação interessantes, no entanto. Por exemplo, você
poderia ter um de quatro barras legato baixo ciclo de reprodução na faixa Operador enquanto ocasionalmente provocando notas adicionais a
partir de uma segunda faixa para criar slides e variações.

Assim como instrumentos pode ter várias saídas virtuais, alguns têm múltiplas entradas. Por exemplo, se você repetir a experiência anterior
com um rack da bateria na faixa fonte em vez de um operador, você verá que o menu canal de saída permite que você encaminhe o MIDI a
um tambor específico dentro do Rack. Esta mesma técnica pode ser feito com alguns dispositivos de plug-in também. Se você está
trabalhando com um plug-in, com entradas e saídas virtuais, a sua melhor aposta pode ser para programá-lo usando o dispositivo External
Instrument, que é explicado em Capítulo 8 , “Instrumentos de Live.”

Religar

Estes dias, a maioria dos aplicativos de música são incrivelmente poderoso e não tem quaisquer limitações graves que iria impedi-lo
de usá-los para criar uma peça de música do início ao fim. No entanto, cada programa tem seus pontos fortes, e alguns produtores
achar útil usar programas diferentes para coisas diferentes. Por exemplo, você pode criar alguns laços na razão, e tê-los jogar ao
lado de sua música em Live. Ou talvez você está trabalhando em uma sessão de Pro Tools e você quer tirar proveito dos recursos
deformação ou built-in instrumentos do Live.

Todas estas coisas podem ser feitas por meio da importação e exportação de áudio entre os programas, mas às vezes é mais
fácil de usar ReWire, que lhe permite unir várias peças de softwareâ música. Com esta tecnologia, áudio e fluxo de MIDI sem
problemas de um programa para o outro, e os transportes e tempos dos dois pedidos estão ligados, tornando-os agir como um
programa de mega-.

Para a maior parte, ReWire é muito transparente para usar. Você não precisa instalar ou configurar-lo separadamente, e inicia-se
automaticamente quando necessário. O seu comportamento é determinado pela ordem em que você iniciar seus aplicativos de
música e como você sinal de rota dentro das próprias aplicações.

mestres
Em qualquer configuração ReWire, há sempre um programa designado como o ReWire mestre. o ReWire
mestre é o programa que irá se comunicar com o hardware de áudio do computador e aceitará fluxos de áudio de outras aplicações
ReWire. Quando um aplicativo compatível com ReWire é aberto, ele verifica para ver se quaisquer outras aplicações compatíveis com
ReWire já estão em execução. Se não, ele é designado como o mestre. Portanto, sempre lançar o programa que pretende ser o
primeiro mestre.

escravos

Todos os programas compatíveis com ReWire lançadas após o Mestre será designado escravos ReWire. Escravos na verdade, não se
comunicar com hardware de áudio do computador em tudo. Em vez disso, suas saídas de áudio são encaminhadas para a aplicação
ReWire Mestre. Desde o áudio está sendo passado através da aplicação Mestre, você não vai ouvir a aplicação escravo a menos que você
configure o roteamento interno do aplicativo corretamente. O método exato para fazer isso varia de aplicação para aplicação. Na Vivo, o
processo é muito simples e será explicado abaixo.

Usando ReWire com o Live

Ao vivo pode atuar tanto como um mestre ReWire e um escravo ReWire. Nem todos os programas têm a capacidade de funcionar em
ambos os modos. Por exemplo, do Steinberg Cubase SX só pode funcionar como um mestre ReWire. Motivo da Propellerhead só pode
ser usado no modo escravo. Então, se você quisesse usar o Live e Cubase juntos, Cubase seria o mestre e ao vivo seria o escravo. Se
você quisesse usar a razão, ao vivo seria o mestre e Razão seria o escravo.

Usando Live como um ReWire Mestre

Ao vivo é usado como um mestre ReWire, o seu funcionamento é essencialmente idêntico ao quando ele está sendo usado sem ReWire. A

principal diferença é o roteamento. Você precisará configurar Live para receber áudio a partir da aplicação de escravos, e pode ser necessário

para enviar MIDI para o escravo também. Para receber áudio, criar uma faixa de áudio e definir o seu tipo de entrada para o escravo, como visto

na A Figura 6.14 . O que você selecionar no Canal de Entrada depende um pouco sobre como você tem a aplicação escravo configurado. Por

padrão, o Live irá selecionar saída principal estéreo do aplicativo escravo. ReWire suporta até 64 saídas virtuais, que podem ser usados ​se você

quiser instrumentos individuais rota do escravo em diferentes faixas Live.

A Figura 6.14 Aqui saídas 1 e 2 do Reason são entradas para uma faixa de áudio.

Fonte: Ableton

Depois de ter seleccionado a fonte ReWire para uma pista, você pode gravar o áudio do aplicativo escravo como um novo clipe ou simplesmente
monitorar a fonte. ReWire sincroniza os programas, por isso clicando Reproduzir Live fará com que as partes do escravo para jogar para a direita
ao longo do tempo. Basta ter em mente que, embora ReWire é por si só muito leve em recursos do sistema, que executam vários aplicativos de
áudio pode ser muito desgastante para CPU e RAM.

ReWire também pode ser usado para enviar MIDI do mestre para o escravo. Isso permite que você controle aplicativos compatíveis com a
maneira que você controlar um instrumento virtual no Live. Selecione o ReWire
aplicação em Tipo de saída eo dispositivo específico em Ouput Channel (veja Figura 6.15 ).

Figura 6.15 Estes três faixas MIDI estão sendo encaminhadas para os módulos Subtractor, ReDrum, e NN-XT na razão. Eles agora podem ser programados e automatizados
usando o poder ea conveniência de clipes do Live.

Fonte: Ableton

Tenha em mente que um canal de destino serão listados somente se houver dispositivos ou elementos no aplicativo Slave que estão ativos e
capaz de receber mensagens MIDI. Por exemplo, se você carregar um rack vazio em razão, não haverá dispositivos de saída listadas na
caixa inferior. Se você fazer alguns dispositivos, como um sampler Subtractor, ReDrum, e NN-XT, estes dispositivos podem ser
individualmente selecionável na caixa inferior da secção de entrada / saída da faixa MIDI.

Não todos os aplicativos ReWire escravo são capazes de receber a entrada MIDI da aplicação mestre. Se um programa não é capaz
de receber MIDI, ele não será listado como um destino de saída disponível na faixa MIDI.

Lembre-se, a fim de ouvir os resultados de suas mensagens MIDI enviadas para o escravo, você precisa ter uma faixa de áudio criado para
monitorar o sinal de retorno do escravo. Então, ao invés da pista MIDI saída de áudio (como aconteceria quando um instrumento virtual é
carregado em uma faixa MIDI), você vai precisar de outra faixa de áudio para ouvir os resultados. Isto significa que o Informações folhas MIDI
em uma faixa, e os retornos de áudio no outro.

EXTERNO INSTRUMENTOS - INTERNAMENTE: As alças de dispositivos instrumento externo envio MIDI para uma aplicação ReWire e
recebe a parte de trás de áudio a partir dessa aplicação na mesma pista. É tão fácil como deixar cair um dispositivo externo em uma trilha
MIDI e configurá-lo, usando as mesmas configurações que você faria para uma faixa ReWire. Para uma explicação completa dos
instrumentos externos, consulte
Capítulo 8 .

Usando Live como um ReWire Slave

As etapas específicas para abrir Live como um escravo ReWire depender em parte do pedido de mestre que você usa. Em alguns casos, pode
ser necessário para permitir canais ReWire na aplicação mestre antes vivo é lançado; caso contrário, o Live pode não abrir no modo escravo.
Certifique-se de verificar o manual do aplicativo principal para recomendações sobre como você deve fazer isso. A regra só duro e rápido,
porém, é que o mestre ReWire deve ser lançado antes Live. Quando lançamentos viver como um escravo, você verá esse observou na tela
inicial durante o lançamento.

Ao usar Live como um escravo, você vai notar muitas diferenças sutis em opções disponíveis durante todo o programa. A primeira
coisa a ter em conta é que o Live estará enviando áudio para e receber MIDI de
o programa de mestrado em vez de seu hardware de áudio e MIDI.

Outra diferença serão as rotas de saída disponíveis para áudio no mixer. Ao olhar para o Mestre fora, e todos os menus Tipo
de pista de saída individuais, você verá que a lista é preenchida com ônibus ReWire em vez das saídas de sua interface de
áudio. Estes são os caminhos que levam da Vivo para a aplicação mestre. Por padrão, o Live irá enviar toda a sua saída de
áudio do Mix L / bus R. Se você quiser, no entanto, você pode enviar diferentes faixas em diferentes ônibus e ter a aplicação
mestre receber estes em diferentes faixas.

Note-se que ReWire também lhe dá a capacidade de acesso do Ableton built-in instrumentos de aplicação mestre. No entanto, nota que
isso não vai funcionar com qualquer plug-in instrumentos, que não pode ser carregado em vivo quando no modo escravo.

Vamos olhar como configurar o Pro Tools para executar com o Live como um escravo. (O procedimento para a criação de ReWire varia de um hospedeiro para
outro, assim que consultar a documentação do seu sequenciador se você estiver trabalhando com um programa diferente do Pro Tools.) Em primeiro lugar,
começar a Pro Tools e abrir uma nova sessão. Em seguida, inserir o plug-in Ableton Live ReWire e seleccionar Mistura G - Mistura R, como pode ser visto em A
Figura 6.16 .

A Figura 6.16 Configurando uma faixa no Pro Tools para receber entrada ReWire do Live.

Fonte: Ableton

Agora você está pronto para trabalhar com o Live. Vá em frente e abrir o aplicativo; Você deverá ver a mensagem “Executando como ReWire
Slave” na tela inicial do Live como ele inicia. Olhando para a faixa principal em seu Live Set, você verá que a saída principal está definido para
Mix L / R, a mesma entrada foram selecionados no Pro Tools. Mesmo antes que haja som que sai, você vai ser capaz de ver ReWire no
trabalho. Observe que pressionando o jogo em qualquer Ferramentas vivo ou Pro faz com que ambos os seqüenciadores para começar a correr,
e que alterar o tempo em Pro Tools causa da Vivo Tempo para a mudança também. Agora você pode soltar alguns clipes em vivo ou abrir um
conjunto existente na Vivo, e você vai ouvir a saída Mestre vivo através de Pro Tools. Se você quiser controlar instrumentos da Vivo a partir de
Pro Tools, há algumas etapas adicionais. Primeiro, criar um MIDI pista e lugar um dos instrumentos de Ableton on it-para este exemplo,
usaremos um operador. Em seguida, criar uma faixa MIDI em Pro Tools. (Se você não tiver feito isso, a ordem dos passos não é importante
aqui.) Definir a saída do seu track MIDI em Pro Tools para a faixa ao vivo, como visto na Figura

6,17 . É isso aí!

A Figura 6.17 Quaisquer instrumentos carregados Live vai aparecer como saídas válidas na aplicação mestre.
Fonte: Ableton

Se você quiser encaminhar faixas ao vivo diretamente em faixas individuais no host, basta selecionar um ônibus ReWire para saída de uma
pista Live, e criar uma faixa em seu host para receber áudio através deste ônibus. figuras
6.18 e 6.19 mostrar como fazer isso no Pro Tools.

A Figura 6.18 Escolha um ônibus ReWire como a saída para uma faixa na Live.

Fonte: Ableton

A Figura 6.19 Receber áudio do mesmo ônibus ReWire em uma pista em Pro Tools.

Fonte: Ableton
Efeitos e Instrumentos 7Usar

G ONE são os dias em que ter um arsenal de efeitos e INSTRUMENTOS significava POSSUIR PILHAS de teclados, pisar caixas e unidades de bastidor, marcadas com
fita e conectados com milhas de cabo. Cada peça de equipamento necessário para o processo de produção de música, desde a
primeira batida do tambor para a última pincelada de reverb, agora existe em forma de software. Claro, ainda há muita hardware lá
fora, que é divertido de usar e parece ótimo, mas a maior parte não é mais uma parte necessária de fazer boa música.

Tipos de dispositivos

Neste capítulo, nós vamos estar se familiarizando com a forma como efeitos e instrumentos de software, genericamente conhecido como dispositivos, são
usados ​em Live. Alguns dispositivos são construídas em, ou seja, eles vêm com ao vivo e não pode ser usado diretamente dentro de qualquer outro programa
de música. outros são plugar dispositivos, significando que eles são feitas por pessoas que não Ableton empresas, e são projetados de tal forma que eles
podem ser usados ​em praticamente qualquer programa de música que você tem.

Instrumentos são apenas o que soam como: dispositivos para criando som. Estes se dividem em duas categorias:
sintetizadores que geram som e samplers que reproduzir arquivos de áudio e não tem a capacidade de gerar som a partir do zero. Se
você é novo a este reino, estes dois tipos pode parecer muito diferente, mas na verdade eles têm muito mais em comum do que você
pode pensar. Ambos uso conjuntos semelhantes de moldar ferramentas som (como filtros) e moduladores (como envelopes) para
projetar sons. Instrumentos só pode ser usado em faixas MIDI.

Efeitos vêm em dois sabores: áudio e MIDI. Efeitos de Áudio são o tipo mais comum e pode ser usado em qualquer tipo de pista,
processando o áudio vindo de clips de áudio, ou o som que sai do um instrumento. Efeitos de áudio são usados ​em uma ampla variedade
de maneiras: para remover freqüências indesejáveis ​(EQ), para criar o som de uma sala ou um estádio (Reverb), ou para mangle um
som em algo radicalmente diferente (Shifter Frequency). Efeitos MIDI só pode ser usado em faixas MIDI. Eles transformam um
desempenho antes ela atinge um instrumento. Esta poderia ser virando uma única nota em um acorde (Chord) ou virar uma corda em um
padrão melódico (Arpeggiator).

Este capítulo também irá dar-lhe tudo sobre Racks, que são usados ​para combinar múltiplos dispositivos em um pacote fácil de usar. Se você é
um novato, você vai principalmente interagem com pré-fabricados Racks da Biblioteca, e você vai desfrutar como eles fornecem tweakability
instante, enquanto esconde a complexidade dentro. Para usuários mais avançados, Racks são um poço sem fundo de admiração, oferecendo
infinitas possibilidades de encaminhamento criativa e personalização.

Para uma referência completa de cada dispositivo embutido no Live, veja os capítulos 8, “da Vivo Instruments,” 9 “Efeitos de áudio do
Live,” e 10, “Efeitos MIDI do Live.”

usando dispositivos

Os dispositivos são acessados ​a partir do navegador (veja a Figura 7.1 ), Tal como descrito em Capítulo 3 “Vivo interface Basics”. Os efeitos de áudio,
Efeitos MIDI, e vistas Instrumentos são dedicados exclusivamente à incorporado de Live in dispositivos. Sons é uma visão especial que mostra todos
da fábrica da Vivo Instrument (Instrumento e cremalheira)
predefinições organizadas por tipo, enquanto cilindros é uma vista híbrido que é usado para aceder tanto cilindro cremalheiras e amostras de
tambor. O plug-ins visualizar exibe qualquer efeito ou instrumento dispositivos de terceiros que você instalou no seu computador. Max para
dispositivos Live são como built-in dispositivos, pois eles só podem ser usados ​em Ableton Live, mas eles também são como plug-ins porque os
dispositivos adicionais podem ser baixados e adicionados à sua coleção.

Com algumas exceções que serão abordados mais adiante neste capítulo, os dispositivos funcionam de forma idêntica, independentemente de se
eles são built-in, plug-in, ou Max para Live. Basta ter isso em mente ao ler o capítulo. A menos que especificado de outro modo, qualquer referência
a um efeito ou instrumento aplica-se a todos os tipos.

Figura 7.1 Os dispositivos são acessados ​a partir de qualquer uma das categorias aqui descritas. Sons (realçado acima) exibe Instrumento e Instrumento cremalheira predefinições.

Fonte: Ableton

A partir do navegador de trilha

Adição de um dispositivo a partir do browser é fácil. Existem várias maneiras diferentes para carregar dispositivos em uma trilha, os quais
funcionam de forma idêntica em ambos os Session e vistas Arranjo.

1. arrastar um dispositivo do navegador e soltá-lo em qualquer lugar sobre uma faixa, como mostrado na Figura 7.2 .

2. Selecione a faixa de destino, clicando sobre ela, e, em seguida, clique duas vezes no dispositivo desejado ou plug-in mostrado no navegador.

3. Dê um duplo clique na barra de título de uma faixa para expor sua Track View; em seguida, arraste e solte o dispositivo diretamente no
Track View (ver Figura 7.3 ). Ao carregar os efeitos, o benefício deste método é que é possível deixar o dispositivo cair directamente em
qualquer posição na cadeia de efeitos.

4. Em vez de arrastar o dispositivo fora do navegador, clique no triângulo à esquerda do dispositivo para revelar suas predefinições. Agora,
arraste ou clique duas vezes no predefinido em vez do dispositivo. (Há mais sobre predefinições abaixo).

Figura 7.2 Clique e arraste um dispositivo do navegador para uma faixa.

Fonte: Ableton
Figura 7.3 Ao arrastar dispositivos direto para o Track View, você pode inseri-los em qualquer ponto da cadeia que você deseja.

Fonte: Ableton

Não há nenhuma limitação fixa de quantos efeitos você pode colocar em uma faixa. A única limitação é o seu poder de CPU (e sua
sanidade). Instruments, por outro lado, têm uma limitação muito séria: só pode haver um em qualquer faixa MIDI. Quando você
adiciona um instrumento para uma faixa MIDI que já contém um, o novo instrumento substitui o antigo. (Alerta de spoiler! Na seção
sobre Instrumento Racks, eu vou dizer-lhe como colocar mais de um instrumento em uma faixa MIDI, mas por agora, basta ir com ele.)

A GRANDE IMAGEM: Você vai descobrir rapidamente que é muito fácil de adicionar dispositivos suficientes para uma faixa para que eles não
podem ser vistos de uma só vez. Quando isso acontece, os dispositivos irão simplesmente se deslocar para a direita. No canto inferior direito
da tela, você verá uma imagem em miniatura de todos os dispositivos na pista, com um retângulo preto indicando os dispositivos que estão
atualmente em vista. Assim como no Arranjo View, você pode deslizar o retângulo ao redor para ver diferentes partes da cadeia de dispositivo.

O meu truque favorito para manter dispositivos em vista, no entanto, é dobrá-los. Basta clicar duas vezes na barra de título de um dispositivo, e
ela entrará em colapso de lado, ocupando uma fração do espaço de tela que ele fez antes. É fácil de manter seus dispositivos dobradas e
apenas se desdobrar o que você está trabalhando com, no momento.

Dentro do Track View


Como mencionado em primeiro Capítulo 3 , O Track View é um nome para a área em que os dispositivos aparecem. Se você quer se tornar um
mestre dispositivo, você precisa conhecer o seu caminho ao redor do Track View. Caso você tenha esquecido, lembre-se que você pode sempre
chegar ao Track View clicando duas vezes na barra de título de uma faixa ou usando o atalho de teclado Shift-Tab.

Activar / Desactivar e Editar


Cada dispositivo possui um interruptor de activador de dispositivo circular, no canto superior esquerdo, que pode ser utilizada para desactivar ou desviar o
dispositivo (ver Figura 7.4 ). Quando desativada, instrumentos produzir nenhum som e efeitos passar o sinal através inalterada. Ao usar efeitos, muitas
vezes é importante para temporariamente ignorar um dispositivo para que você possa ouvir exatamente o que está acontecendo com o som. Também
tenha em mente que um dispositivo desativado não usa energia da CPU, então isso também pode ser uma técnica útil quando se tenta determinar se um
determinado dispositivo está sobrecarregando o sistema.

Clicando na barra de título de um dispositivo seleciona-lo e permite que você use os comandos a partir do menu Editar. (Além disso, nota que uma vez que
um dispositivo é selecionado, você pode selecionar os dispositivos adjacentes usando a esquerda e direita
teclas de seta.) cortar, copiar e colar pode ser usado em dispositivos, como pode duplicar. O comando Rename funciona tão bem, o que lhe permite
dar um nome descritivo que especifica como um dispositivo está sendo usado. Finalmente, se você decidir que deseja remover permanentemente um
dispositivo, basta clicar na barra de título para destacá-lo e pressione Delete.

Figura 7.4 Remova os dispositivos de clicando no botão circular no canto superior esquerdo. Observe também os comandos de edição padrão disponível no menu de contexto.

Fonte: Ableton

Fluxo de sinal
É fundamental entender que, uma vez adicionado a uma faixa, efeitos processar qualquer sinal passando pela pista. Um
equívoco comum é pensar em colocar um efeito “em um clipe.” Isso não é assim que funciona. Quando um clipe reproduz, seu
sinal passa através de cada dispositivo na Track View antes de chegar ao mixer. Portanto, os efeitos vão transformar o sinal
para cada clipe na pista.

Sinal flui através do Track View, da esquerda para a direita. No caso de efeitos, isso simplesmente significa que a saída de um dispositivo é passada para o

próximo dispositivo para a direita, e assim por diante. Este é um ponto importante porque a ordem que os efeitos são colocados em pode ter um grande impacto

no resultado final. Para ordem do dispositivo de mudança, basta clicar na barra de título e arraste o dispositivo para uma posição diferente. Certifique-se de

experimentar! faixas MIDI pode hospedar Efeitos MIDI, instrumentos e efeitos de áudio, o que os torna um pouco mais complexo do que faixas de áudio, que

pode único hospedeiro de efeitos de áudio. Efeitos MIDI sempre aparecem à esquerda do instrumento (uma vez que eles processar o MIDI antes de atingir o

Instrumento), enquanto efeitos de áudio aparecem à direita (uma vez que eles processam o áudio que saia do instrumento). Dê uma olhada na vista pista, e você

verá um medidor de nível pequeno entre cada dispositivo. Efeitos de áudio tem um medidor de nível de áudio antes e depois do dispositivo, que ajuda a controlar

a forma como o efeito pode estar mudando o ganho do sinal. Efeitos MIDI exibir um medidor pontilhada que mostra a presença de dados MIDI. Alguns

dispositivos MIDI pode executar MIDI “filtragem”, que bloqueia algumas mensagens MIDI, por isso, se seus dados MIDI está desaparecendo, estes medidores

podem ajudar a determinar onde está o problema. Finalmente, os instrumentos têm um medidor de MIDI para a esquerda e um medidor de áudio para a direita,

mostrando-lhe MIDI entrando e áudio fluindo para fora (veja Alguns dispositivos MIDI pode executar MIDI “filtragem”, que bloqueia algumas mensagens MIDI, por

isso, se os seus dados MIDI está desaparecendo, estes medidores podem ajudar a determinar onde está o problema. Finalmente, os instrumentos têm um

medidor de MIDI para a esquerda e um medidor de áudio para a direita, mostrando-lhe MIDI entrando e áudio fluindo para fora (veja Alguns dispositivos MIDI

pode executar MIDI “filtragem”, que bloqueia algumas mensagens MIDI, por isso, se os seus dados MIDI está desaparecendo, estes medidores podem ajudar a

determinar onde está o problema. Finalmente, os instrumentos têm um medidor de MIDI para a esquerda e um medidor de áudio para a direita, mostrando-lhe

MIDI entrando e áudio fluindo para fora (veja Figura 7.5 ). É possível ter uma situação em que um instrumento está produzindo nenhum sinal (um dispositivo de

reprodução amostra sem amostra carregada, ou um sintetizador com todos os seus osciladores desligado, por exemplo), então este é outro caso em que estes

medidores acessíveis podem poupar algum dores de cabeça quando o diagnóstico de um problema de fluxo de sinal.

Figura 7.5 Existem metros para ambos os lados de cada dispositivo para mostrar o fluxo de sinal. Observe o medidor pontilhada à mostra os dados MIDI extrema esquerda entrando no
mais simples. À direita do mais simples, há um áudio metros mostrando som sair do simples e inserindo o efeito Redux.
Fonte: Ableton

MISTURE: A questão surge muitas vezes, o que você faria se você só quer um efeito sobre um determinado clipe e não sobre os outros? A
resposta simples é colocar o clipe (ou clipes) em uma trilha separada e adicionar apenas os efeitos apropriado para esses clipes.

Também é possível desativar temporariamente os efeitos dentro e fora através da automatização de dispositivos de um efeito Activator (também conhecido
como o “Device On” parâmetro). Esta pode ser uma técnica muito útil, mas ainda é muitas vezes mais fácil (e menos confuso) simplesmente usar uma
trilha separada para fornecer efeitos especiais quando necessário.

Inserir vs. Send / Return

Há duas maneiras principais que efeitos de áudio são usados. O método mais comum é a utilização do efeito como um inserir, que significa que
você inseri-lo diretamente no caminho do sinal que deseja processo. Se você deixar cair um efeito em uma faixa de áudio, trilha MIDI, ou faixa
Group, você está usando-o como uma inserção. A outra forma de obter um efeito em seu mix é para colocá-lo em uma pista de retorno.

Uma das grandes diferenças entre estes dois métodos é a relação do processada ( molhado) sinal para o seu estado inalterado ( seco) sinal.
Quando um efeito é utilizado como uma inserção, o sinal molhado tipicamente substitui
o sinal seco, a menos que o efeito tem um botão seco / molhado para misturar os dois sinais em conjunto. Por exemplo, se você colocar um
EQ em uma pista e virar alguns botões, você não está mais ouvindo o sinal não processado em tudo, o que faz sentido: a razão de você usar
um EQ é transformar o som de tal forma que contém mais de as freqüências que você quer, e menos daqueles que não.

Por outro lado, quando você usa um efeito de reverb ou atraso, você está olhando tipicamente para manter o sinal seco intacto e adicionar
o ambiente que o efeito fornece. Isto significa que quando um reverb é usado como uma inserção, o botão Dry / Wet é extremamente
importante, pois irá determinar não apenas o quanto o efeito que você ouvir, mas quanto do sinal original que você ouve bem.

Esta abordagem tem um problema particular. À medida que aumenta o botão Dry / Wet para 100%, você não está apenas adicionando efeito,
você está simultaneamente decrescente a quantidade de sinal seco. Às vezes, é importante ser capaz de definir o nível do sinal de seca, em
seguida, independentemente ajustar o nível do efeito. Por exemplo, se você quiser colocar uma grande quantidade de reverb em uma tarola,
você geralmente não quer abaixar o nível do próprio tambor, você só quer pôr em marcha acima a reverberação e deixar o tambor sozinho!
Digite o efeito de retorno.

Quando um efeito é usado em uma pista de retorno, você adicionar o sinal processado para o sinal não processado e obter a flexibilidade
proporcionada pela existência de seco e molhado em pistas separadas. Para efeitos baseados no tempo, como reverb e delay, este é um cenário
perfeito. Com outros efeitos, tais como EQ, esta abordagem raramente
faz sentido uma vez que o objetivo é substituir o sinal não processado com o processado. Envia e retornos são abordados em

detalhes na seção “Return Tracks” de Capítulo 6 “Tracks e roteamento de sinais,” se você precisa de mais informações.

Usando efeitos de retorno

Para começar com este método, adicionar um efeito a uma pista de retorno, assim como você faria com qualquer outra pista. Para obter
sinal flua através do efeito, aumente o botão Enviar associado na faixa que deseja processo. Por exemplo, colocar o dispositivo Reverb
de Retorno A e transformar-se Enviar A em sua faixa tarola para adicionar algum reverb para o laço (ver Figura 7.6 ). Quanto você
aumente o Enviar determina quanta sinal é enviado para o retorno, e como grande parte do efeito é adicionado. Tenha em mente que o
botão Enviar não desviar sinal para o retorno Track-It cópias o sinal para a pista de retorno. Isto significa que o volume da pista fonte de
saída permanecerá o mesmo, independentemente da posição Enviar maçaneta.

Figura 7.6 faixas de retorno são particularmente útil quando se trabalha com reverbs e atrasos. Neste exemplo, há uma reverberação de Retorno pista A. Observe que os botões Enviar
transformaram-se nas faixas de percussão e chaves adicionar algum efeito para essas faixas.

Fonte: Ableton

Há uma Enviar botão em todas as faixas, que você pode ajustar para adicionar quantidades variáveis ​de efeitos para qualquer faixa. Para o nosso
exemplo tarola, você pode acionar o Enviar para o alto para adicionar um efeito dramático, enquanto gira-lo para um nível baixo na pista oi-chapéu
para um ambiente sutil. Este não é apenas conveniente, mas também é CPU eficiente. Plug-in reverbs em particular pode ser muito exigente em seu
processador, e usando muitos casos pode colocar uma carga desnecessária sobre o seu computador. Usando o Enviar / abordagem de retorno
permite que você compartilhe um dispositivo entre muitas faixas.

Há uma ressalva importante observar ao colocar efeitos sobre os retornos: sempre definir a efeito a 100% de humidade. Se o efeito tem um botão
Dry / Wet, transformá-lo todo o caminho até. Se o efeito tem um controle Dry independente, transformá-lo todo o caminho. Faça o que for preciso
para garantir que o efeito sobre a pista de retorno é saída única sinal processado. O sinal não processado é desnecessário, uma vez que ainda
está de saída estar da faixa original. Se você permitir que os efeitos de retorno para passar qualquer sinal não processado, você vai obter o
resultado indesejável e confuso de aumentar o volume do sinal não processado sempre que você ligar-se a Enviar.

Pré ou pós ?: No lado direito do mixer, há um botão rotulado Post para cada botão Enviar.
Estes botões determinam se os botões de envio levar seus sinais pré-fader ou pós-fader. fader pós é a configuração padrão para cada faixa, o
que faz com que a quantidade de sinal enviado pelo botão Enviar para variar com base no controle deslizante de volume da faixa. Se você está
desaparecendo para baixo uma parte vocal que está enviando a um reverb, o montante a ser enviado para o Reverb também irá diminuir,
fazendo-a desaparecer também.

A posição pré-fader (clique no botão Publicar para transformá-lo para Pré) faz com que o nível de envio para permanecer o mesmo, mesmo se
o volume da faixa é ajustado. Isto é particularmente útil quando se usa compressão em uma pista de retorno (uma técnica chamada compressão
paralela). Desde compressores se comportam de forma muito diferente, dependendo do nível do sinal de entrada, é útil para ter controle
independente sobre o volume do envio e da pista.

Você verá que o retorno pista em si botões também Enviar. Isso permite que você saída de uma parte do efeito retornou para outro Return. A pista
de retorno também pode enviar de volta para si mesmo, o que lhe permite criar loops de feedback (ver o seu volume de!). Devido ao risco de
feedback, o envia em pistas de retorno são desativados por padrão. Se você clicar com o botão direito em um envio, você pode habilitá-lo a partir
do menu de contexto.

DUB STYLE: Há montes de diversão para ser tido com efeitos de delay em faixas retorno. Por exemplo, colocar um atraso de Ping Pong no retorno
A, com um cenário bastante elevado de Comentários. Agora, momentaneamente acionar o botão Enviar cima e para baixo para várias faixas em sua
música para criar efeitos dramáticos sobre batidas de tambor individuais ou outras frases musicais. Use esta técnica como um efeito performance ao
vivo, ou gravar os movimentos enviar como automação no estúdio.

Third-Party Plug-Ins
Enquanto as ofertas ao vivo uma impressionante coleção de dispositivos para a direita fora da caixa, você também pode querer usar plug-in efeitos

e instrumentos de outros fabricantes. apoios ao vivo as Unidades VST e Áudio (Mac OS X apenas) plug-in padrões, permitindo possibilidades de

expansão ilimitadas para seu estúdio virtual. Plug-in efeitos e instrumentos não são separados em várias vistas como eles são com os dispositivos

incorporados. Para diferenciá-los, observe que plug-in instrumentos têm um pequeno teclado de piano em seu ícone do navegador, enquanto os

efeitos não (ver Figura 7.7 ). Unidades de áudio são automaticamente organizados pelo fabricante, enquanto VSTs podem ser organizados

manualmente através da criação de pastas no VST plug-in pasta. (Isto não pode ser feito no navegador, então você vai ter que usar o sistema de

gerenciamento de arquivos do seu computador.)

Figura 7.7 O teclado de piano permite que você saiba que Kontakt 5 é um instrumento. Guitar Rig 5 é um efeito.

Fonte: Ableton

Ao contrário embutido dispositivos, plug-ins utilizar uma janela separada para apresentar os seus parâmetros. Quando você carregar um plug-in, exibe ao
vivo um objeto XY genérico no Track View externo (ver Figura 7.8 ), Os eixos dos quais pode ser definida como qualquer um dos plug-in para os parâmetros
por meio dos menus abaixo. Ao clicar no ícone de chave inglesa abre o plug-in de interface gráfica personalizada.

Figura 7.8 Plug-ins aparecem como espaços reservados genéricos. À esquerda há uma instância VST de Absynth. The Rough Rider à direita é uma unidade de áudio.
Fonte: Ableton

AVISOS
Ao usar um terceiro plug-in, você está incorporando um novo pedaço de código do programa em Live. Normalmente, isso não é nada para se preocupar.
No entanto, um plug-in pode mau funcionamento de buggy em todos os tipos de formas. No pior dos casos, isso pode significar a saída de ruído digital de
alto volume ou causar ao vivo a falhar. Só porque um plug-in funciona bem em outro host é nenhuma garantia de que ele irá se comportar da mesma
maneira dentro Live. Não há nada a temer, no entanto. Faça o download e experiência para o conteúdo do seu coração. Apenas certifique-se de teste em
volumes baixos, salve seu trabalho, muitas vezes, e nunca sempre experimentar um plug-in não foi testado em um show!

Se vivo determina que um plug-in tem causado um acidente, ele irá oferecer para desabilitar o plug-in para que ele não volte a acontecer. No
entanto, pode haver casos em que você precisa fazer isso manualmente. Esta é uma questão simples de remover o plug-in a partir do plug-in
pasta. (consulte “Dicas de instalação” na Capítulo 2 , “Obtendo vivo Up and Running”, para mais informações sobre plug-in locais.)

Gerenciando Presets

A maioria dos efeitos e instrumentos pode produzir uma grande variedade de resultados. Alguns dispositivos (Redux, por exemplo) têm funcionalidade
limitada e um pequeno conjunto de parâmetros para combinar, enquanto outros (como operador) têm tantos parâmetros que mesmo usuários
experientes pode ser infinitamente surpreendidos pelos sons que podem ser produzidos. Para melhorar a usabilidade de dispositivos complexos, temos presets
uma coleção de definições de parâmetros que podem ser instantaneamente carregados para configurar o dispositivo para um som particular.

Saber como presets são carregados, gerenciados e criado é importante para os produtores de cada nível de habilidade. Na primeira, você carregar
presets de um dispositivo para se familiarizar com o que pode fazer e começar a trabalhar rapidamente. Uma vez que você ganhou alguma experiência
com a programação do dispositivo (ou você tropeçou em algo-cool sonoridade através da experimentação e sorte, o meu método favorito mudo), você
pode salvar o seu som como uma predefinição para uma fácil ativação posteriormente.

Gerenciando Presets (Built-In e Audio Unit)


Para da Vivo built-in dispositivos, toda a gestão programada é feito através do browser. Basta clicar no triângulo à esquerda do ícone do dispositivo
para revelar presets do dispositivo, frequentemente classificados para fácil navegação (ver
Figura 7.9 ). Estes presets podem ser adicionados diretamente em faixas, como explicado anteriormente, ou adicionada troca hot-los em
um dispositivo existente (consulte a seção “Hot swap”).

Figura 7.9 dispositivos de se desdobrar para revelar os seus alvos.


Fonte: Ableton

presets unidade de áudio são um pouco diferentes. Assim como built-in dispositivos, há um triângulo para o desdobramento do dispositivo, mas você não
vai ver qualquer presets aqui até que você criar algum si mesmo. presets de fábrica para dispositivos UA são acessadas através do plug-in do GUI.
Consulte a documentação do fabricante para obter mais informações sobre isso. Para salvar suas próprias predefinições da UA, você pode usar o plug-in
de interface de gerenciamento predefinido ou pode guardá-los no navegador do ao vivo, como explicado abaixo.

Salvando presets é útil por duas razões. Uma é simplesmente uma questão de organização. Digamos que você encontrar um Operador de preset que
você goste. Ao invés de ter que lembrar o seu nome, não seria útil para guardá-lo para um local separado onde você guarda todos os seus favoritos? A
outra razão é para preservar as configurações que você programou-se. De qualquer maneira, você estará usando a biblioteca do usuário.

Na extremidade direita da barra de título do dispositivo é um ícone de disquete pequeno, o botão Salvar predefinição. Ao clicar neste botão faz com
que uma nova predefinição para aparecer no usuário da biblioteca (ver Figura 7.10 ). Digite o nome que deseja e pressione Enter. Se efectuar mais
edições para o preset e pressione o botão Salvar predefinição novamente, apenas pressione Enter sem digitar um novo nome para substituir o preset
com as novas definições.

Figura 7.10 Quando você salvar uma predefinição, ele vai para o usuário da biblioteca. Você pode criar pastas para organizar-los como quiser.

Fonte: Ableton

A biblioteca do usuário podem ser organizados em qualquer maneira que você gosta. Botão direito do mouse para abrir o menu de contexto e selecione
Nova Pasta; em seguida, arraste em torno dos presets assim como você faria no sistema de gerenciamento de arquivos do seu computador. Faça uma pasta
para suas configurações de fábrica favoritos e outro para seu próprio país, ou organizá-los por tipo de som ou com as cores do som faz. Você decide!

Nome do jogo: Se você nomear suas pastas pré-definidas para coincidir com os dos do Vivo built-in pastas predefinidas (por exemplo,
“Ambient & Evolving”, “Bass”, “Pad”, e assim por diante), as predefinições aparecerá automaticamente ao lado dos presets de fábrica na
categorias área do navegador.

Se você clicar com o botão direito na barra de título de um built-in dispositivo, você verá uma maneira adicional para salvar uma predefinição: a
Comando Salvar como padrão predefinido. Se você selecionar essa opção, as configurações atuais do dispositivo serão guardados e utilizados sempre
que um dispositivo é adicionado a uma faixa.

Gerenciando VST Presets


O esquema de gestão predefinido para de terceiros plug-ins VST é simples e semelhante ao dos métodos utilizados por outros programas
DAW. Ao vivo pode armazenar as configurações atuais de um plug-in usando os ícones predefinidos no topo do plug-in janela (ver A
Figura 7.11 ).

A Figura 7.11 Predefinidos botões de gerenciamento encontrados na barra de título de cada plug-in VST de.

Fonte: Ableton

O menu drop-down no plug-in janela contém uma lista de pré-ajustes armazenados anteriormente para o efeito (ou instrumento),
incluindo os fornecidos como entradas do fabricante. Seleção de uma predefinição no menu irá carregá-lo e substituir as definições
actualmente sendo usados ​pelo plug-in. Se este menu é inacessível, é porque o fabricante integrado de gerenciamento de memória
diretamente na interface gráfica do plug-in (acessado com o ícone de chave inglesa no canto superior esquerdo da janela do plug-in).

Enquanto presets para dispositivos embutidos são automaticamente armazenados na Biblioteca, presets VST podem ser salvos em qualquer lugar que você
deseja. Basta clicar no ícone de disquete (consulte A Figura 7.11 ) E escolha um local em seu disco rígido. É provavelmente uma boa idéia para escolher um
local centralizado para esses arquivos predefinidos para que você faça faixa não perder deles.

Hot-swap
Há um ícone com duas setas em um círculo que você encontrará na barra de título de cada dispositivo e em alguns outros pontos dentro de
certos dispositivos também. Este é o botão Hot-Swap, que é usado para carregar as predefinições do dispositivo, trocar dispositivos e
conteúdo carregado em Tambor Racks, mais simples e Impulse. modo Hot-Swap é introduzido, clicando no ícone ou pressionando Q no
teclado. Para sair do modo Hot-Swap, você pode pressionar Q (ou Esc) ou clique no X que aparece na barra de título de ambos o navegador
eo dispositivo que está sendo trocado.

Permuta dispositivo
No canto superior direito de cada dispositivo, você vai encontrar um botão Hot-Swap (ver Figura 7.12a ). Quando ativado, o navegador irá
saltar para as predefinições disponíveis para esse dispositivo. Ao clicar duas vezes em uma predefinição ou destacando um preset e
pressionando Return irá carregá-lo no dispositivo. A maior vantagem desta característica é ser capaz de trocar sons utilizando apenas o
teclado. Usar o up / down setas para navegar no navegador, à esquerda / direita setas para pastas abrir / fechar e vistas do interruptor, e,
finalmente, retornar para carregar o som.
Figura 7.12a O botão Hot-Swap é apenas para a esquerda do ícone de disquete (o botão Save).

Fonte: Ableton

Ao usar um dispositivo do botão Hot-Swap, título bar voltas laranja e monitores do Browser “Permuta <device type>” (tipo de dispositivo
sendo Instrumento, Efeito de áudio, ou o efeito MIDI), como mostrado na Figura
7.12b . Isso é para indicar que o modo Hot-Swap permite que você faça mais do que apenas carregar uma nova predefinição dispositivo. Você pode
realmente carregar qualquer dispositivo ou predefinir do mesmo tipo. Assim, por exemplo, você poderia substituir um filtro Delay com Reverb, ou um built-in
synth-like operador com um plug-in synth como maciço.

Figura 7.12b O navegador em modo Hot-Swap.

Fonte: Ableton

Permuta conteúdo
Hot-swap também pode ser usado para carregar conteúdo em Impulse, mais simples e tambor Racks. Para revelar os botões de hot-swap,
flutuar o mouse sobre um slot de amostra em Impulse ou a exibição de exemplo no mais simples. O atalho Q não funciona para amostras de
swap nestes dispositivos (você vai acabar dispositivo trocando ou predefinir vez), então você vai ter que usar o mouse. Quando estiver em modo
Hot-Swap, tudo funciona o mesmo, exceto que o navegador exibirá apenas arquivos de amostra.

Tambor Racks são um pouco diferentes. Em um rack da bateria, Q pode ser usado para trocar o conteúdo de uma almofada enquanto ele está
destacado em primeiro lugar. Você pode destacar um bloco clicando nele ou usando as setas do teclado para navegar entre as almofadas. Você
também pode usar a tecla D para alternar entre destacando a Drum Rack si eo último bloco selecionado. Dessa forma, você pode trocar kits de bateria
ou construir todo um rack da bateria a partir do zero inteiramente a partir do teclado.

Quando trocar as almofadas, o navegador permite que você selecione os arquivos tanto de amostra ou instrumentos (seja incorporado ou plug-in), uma vez que
a tambor Racks são parentes de Instrumento Racks, que são usados ​para hospedar outros dispositivos. Instrumento Racks são abordados em detalhes mais
adiante neste capítulo, enquanto tambor Racks são cobertos em
Capítulo 8 .

Racks

Racks permitir que vários dispositivos para ser agrupados para criar um personalizado “superdevice” que pode ser tratada como se fosse um único
dispositivo. Há prateleiras para cada um dos tipos de dispositivos da Vivo: Áudio Efeito Racks, que contêm dispositivos de efeito de áudio, efeito
MIDI Racks para dispositivos MIDI, e Instrumento Racks, que pode conter não só os dispositivos de instrumentos, mas também efeitos MIDI e áudio.
Em alguns aspectos, Racks são como outros dispositivos: há um interruptor Activator no canto superior esquerdo, que ignora todos os dispositivos
no rack, um botão Salvar para salvar o rack como uma predefinição, e um botão de Hot-Swap para
seleccionando uma cremalheira diferentes.

Vivo vem com numerosos predefinido Racks, e há muitos disponíveis a partir de desenvolvedores de conteúdo de terceiros também. presets
de rack são exploradas como qualquer outro tipo de preset no Browser. Por exemplo, para procurar efeitos de áudio, apenas desdobrar
cremalheira Efeito de áudio (no modo de exibição Efeitos de Áudio), e você verá vários efeitos organizados por tipo. Instrumento Racks
aparecem em duas áreas diferentes do Browser: sob Instrumento prateleira na exibição Instrumentos e também na vista Sons.

Basics cremalheira

Racks tem três partes, que pode revelar ou esconder, se necessário: Controla Macros, Lista Cadeia e dispositivos. Use os botões na borda
esquerda da cremalheira para ocultar ou mostrar as diferentes secções (ver Figura
7,13 ).

A Figura 7.13 Uma cremalheira Instrumento totalmente expandida.

Fonte: Ableton

Ao trabalhar com preset Racks, você vai principalmente interagir com os oito botões Macro, que lhe permitem ajustar os parâmetros selecionados dos

dispositivos contidos, sem ter que compreender os detalhes de como cada dispositivo funciona. Para criar as suas próprias Racks (ou modificar

presets além do que os macros permitirá), você vai precisar para o trabalho com a Cadeia de lista e os dispositivos individuais também. Uma cadeia é

muito parecido com uma faixa em que ele tem controles de base do misturador: volume, pan e um interruptor de activador (ver A Figura 7.14 ). Assim

como uma faixa, uma corrente pode conter vários dispositivos, que processam áudio em série da esquerda para a direita moda. No entanto, tenha em

mente que, apesar do fato de que os controles da Cadeia aparecem à esquerda dos dispositivos, eles processar o sinal último, depois de o dispositivo

final dentro da cadeia. Quando um rack tem múltiplas cadeias, eles operam em paralelo, um conceito que eu vou explicar em seguida.

A Figura 7.14 Uma corrente tem todos os controlos misturador de uma faixa.

Fonte: Ableton

dispositivos do rack aparecer à direita da lista de Cadeia. Tenha em mente que você só pode ver os dispositivos para uma cadeia de
cada vez. Para Racks com múltiplas cadeias, clique da Cadeia você quer editar e seus dispositivos aparecerá na área de dispositivos.

Para criar um rack a partir do zero, arraste o Rack Instrumento, Efeito Áudio rack ou MIDI Efeito da cremalheira do navegador em uma faixa.
Como você pode ver na Figura 7.15 , Não há muito para olhar em um rack vazio. Você adicionar dispositivos ao Rack, largando-os diretamente
em Lista Cadeia do rack ou área Devices. Quando um dispositivo é primeiro adicionado a uma cremalheira, uma corrente é criada
automaticamente.
Figura 7.15 Uma cremalheira Efeito de áudio vazio.

Fonte: Ableton

GRUPO de TI: Você também pode colocar os dispositivos no Track View em um rack usando o comando Grupo no menu Editar (ou menu
de contexto de um dispositivo). Para agrupar vários dispositivos em um rack, primeiro selecione todos os dispositivos por Shift-clicando suas
barras de título. Para remover um rack e deixe seus dispositivos individuais na faixa, realce o Rack e selecione o comando Desagrupar no
menu Editar ou no menu de contexto.

Correntes

Ao adicionar dispositivos adicionais para um rack, você pode deixá-los para a área de dispositivos ou diretamente em uma corrente. No entanto,
você também pode criar uma nova cadeia, largando um dispositivo para o área para soltar da Lista corrente. No A Figura 7.16 , Esta é a parte da
Lista corrente que lê “Gota Efeitos MIDI, efeitos de áudio, instrumentos ou amostras aqui.”

A Figura 7.16 Um camadas Instrumento cremalheira utilizando dois incorporado nos instrumentos e um instrumento VST. Todos os três instrumentos vai jogar simultaneamente quando a entrada MIDI é
recebido. Os controlos da cadeia são utilizados para equilibrar os níveis das cadeias e pan-los para a esquerda ou direita.

Fonte: Ableton

Chains são processados paralelo, o que significa que o sinal de entrada é dividida e passado para cada cadeia de forma independente. Em
outras palavras, se você tem um rack de efeito com cinco cadeias, então você tem cinco
cópias do sinal de entrada indo para cinco cadeias de dispositivos diferentes. No caso de Instrumento Racks, isso significa que você pode
criar sons em camadas, desencadeando simultaneamente vários instrumentos, processamento de cada instrumento com efeitos diferentes.

Também tenha em mente que Racks pode conter outros Racks. Assim, mesmo se você é um designer de som novato, você pode criar sons maciços por
camadas múltiplas predefinições da cremalheira juntos. Se isso tem-lhe esfregando o seu
mãos e gargalhando como um cientista louco, você tem uma idéia de como isso é poderoso. (Se você não estiver, não se preocupe-cabeça
para o laboratório para algumas experiências, e você será em breve.)

CHAINS vazio: Cadeias também pode ser criado manualmente usando o comando Criar Cadeia no menu de contexto da lista de
Cadeia. Isso é útil para a criação de uma cadeia vazio. Este pode não parecer útil no início, mas em Áudio Efeito cremalheiras que por
vezes pode ser muito útil ter uma cadeia que transmite o sinal não processado seco para se misturar com os efeitos nas outras cadeias.

Com Racks em camadas, as características de mistura da Lista corrente tornam-se particularmente importante. Isto é onde você vai
equilibrar os níveis de cada camada e usar o Activator e Solo muda enquanto você trabalha para ajuda Zero em diferentes partes do som.
As correntes para um rack de instrumento também pode ser visto diretamente no Ver Session. A barra de título de uma faixa contendo uma
cremalheira Instrumento terá um botão desdobrar próxima para o nome da faixa. Clicando neste revela a Cadeia misturador, um mini-pista
para cada cadeia na cremalheira (ver A Figura 7.17 ). Clicando na barra de título de qualquer uma das faixas na Cadeia Mixer fará com que
os dispositivos para aquela cadeia a ser exibido na Track View, que pode ser bastante útil ao gerenciar complicado Racks.

A Figura 7.17 A Cadeia Mixer contém cadeias nomeadas analógica, 5ths e Ambient. A cadeia chamado Ambient contém outra Rack (!), Por isso pode ser desdobrado, bem como, para
mostrar as correntes dentro.

Fonte: Ableton

Controles macro

Com o potencial de incluir um grande número de dispositivos, um grande rack pode tornar-se complicada para navegar. Os controlos de

macro abordar esta questão, dando-lhe um conjunto de oito controles livremente mapeáveis. Para atribuir controlos de macro, clique no

botão Mapa Modo no topo do Rack (ver A Figura 7.18 ). Ao clicar neste botão destaca cada parâmetro controlável de cada dispositivo no

rack, e muda o Browser em modo de mapeamento para que ele exibe todos os mapeamentos atuais para o Rack.

A Figura 7.18 No modo Mapa, você pode selecionar um parâmetro de dispositivo, e em seguida, clique no botão Mapa abaixo de um controle de macro para atribuir a ele. Observe que o controle
rígido da Saturator já está mapeado.
Fonte: Ableton

Clique um parâmetro e, em seguida, clique no botão Mapa sob um dos Controles macro para atribuir a ele. (Se você clicar em um controle que
já está atribuído, o botão irá ler Unmap vez.) Assim como controladores MIDI, um botão de macro podem ser mapeados para controlar vários
parâmetros simultaneamente. Por exemplo, é possível controlar o corte do filtro de todos os sintetizadores num instrumento da cremalheira
com um único botão. Enquanto no modo de Mapa, o navegador exibe todos os mapeamentos para o rack, como visto em A Figura 7.19 . Isso é
útil ao projetar complexo Racks, e também permite que você edite os valores mínimo e máximo para o parâmetro mapeada. Por exemplo, em A
Figura 7.19 , Você pode ajustar os valores mínimo e máximo para a movimentação do Saturator, por isso só varia de -12 a + 12dB. Tenha em
mente que você pode definir Min ser maior de Max, invertendo assim o comportamento do Controle Macro por isso transforma o valor para
baixo como você girar o botão para cima.

A Figura 7.19 No modo Mapa, o navegador exibe mapeamentos. Você pode editar os valores mínimo e máximo aqui, ou clique com o botão direito e selecione Inverter intervalo para troca
Min e Max.

Fonte: Ableton

Depois de fazer as atribuições de macro, clique no botão Mapa na barra de título da cremalheira para sair do modo Mapa.

NO CONTEXTO: É possível editar atribuições de macro controle sem nunca entrar no modo Mapa. Apenas botão direito do mouse no dispositivo
parâmetro que deseja mapear, e você verá um conjunto completo de comandos de mapeamento no menu de contexto.

zonas

Racks pode mais ser personalizado com Zones, que permitem que você ative de forma dinâmica e cadeias desativar ou mesmo crossfade
entre eles. Por exemplo, você pode criar um rack multi-efeito que lhe permite alternar entre os efeitos com o giro de um botão, ou criar um
Instrumento rack que rotas diferentes intervalos de notas para diferentes instrumentos. Existem três tipos de zonas: Cadeia Select, Key, e
Velocity. O selector de Cadeia existe em cada tipo de cremalheira, enquanto a chave e a velocidade apenas se referem a Instrumento
cremalheiras.

O selector Cadeia
Acima da Lista Chain, você verá uma marcada botão Cadeia. Clique sobre ele para expor a Cadeia Select
Editor. Este editor é composto por duas partes: o seletor Chain, uma barra laranja vertical na parte superior que podem ser arrastados
horizontalmente, eo editor da zona que lhe permite criar um mapa de correntes ativas. A posição do selector de corrente determina que as
cadeias irá ser activa. Se há uma zona imediatamente abaixo do selector de corrente, a corrente associado irá ser activa; caso contrário, ele
não vai.

Por padrão, as zonas para cada cadeia são alinhados na extremidade esquerda do editor, com o selector de Cadeia diretamente acima (como visto no Fi
7.20 ). Se você pegar o selector de Corrente e arraste-o para a direita, o Rack irá imediatamente em silêncio. As zonas podem ser movidos por
agarrando-los a partir do centro e arrastando, e redimensionada arrastando nas bordas. (O ponteiro do mouse se transformará na “guarnição”
ferramenta em forma de suporte que você vê quando redimensionamento clips no Acordo.)

Figura 7.20 Clique na chave Cadeia para revelar a Cadeia Select editor à direita.

Fonte: Ableton

Se as zonas de comunicação são dispostos, como visto no A Figura 7.21 , O selector de corrente pode ser usado para alternar entre Correntes
arrastando-o na parte superior do editor. O seletor de corrente pode ser MIDI-mapeada ou mapeado para um botão de macro para que possa
seleccionar Chains sem ter aberto editor.

A Figura 7.21 Na configuração mostrada, somente uma Cadeia será sempre activa de cada vez (uma vez que nenhuma das zonas de sobreposição). Com o seletor Cadeia na sua
posição mostrada, a cadeia Saturator será activo.

Fonte: Ableton

Também é possível ter zonas de fade in e out como o seletor de Cadeia é movido. Para criar desbota, deixa o rato sobre a borda de uma zona até
que se transforma em um suporte, e em seguida movê-lo para cima ligeiramente até que a pequena barra correndo ao longo da parte superior da
zona é realçado. Clique e arraste para criar um fade, como visto na Figura 7.22 .

Figura 7.22 Desvanece-se pode ser utilizada para aumentar ou diminuir gradualmente o volume de uma cadeia, como o selector é movido. Com o seletor de corrente na posição mostrada, o
topo Cadeia está ligado quase todo o caminho para baixo, enquanto a cadeia abaixo está próximo volume total.

Fonte: Ableton

Key & Velocity


Instrumento Racks apresentam dois editores Zona adicionais para uma maior personalização: Key e Velocity.
Estas zonas são acessadas pelos botões marcados Key e Vel diretamente acima da Lista de Cadeia. Zonas-chave são usadas para
cadeias Ativar com base na nota MIDI de entrada, enquanto a velocidade Zonas irá ativar cadeias com base na velocidade MIDI de
entrada.

Zonas-chave são úteis para a criação de presets de desempenho (gatilhos mão esquerda um som baixo, do lado direito gatilhos piano), enquanto a

velocidade Zonas permitem criar sons expressivos, adicionando ou mudar camadas como as chaves são atingidos mais duramente. Estas zonas são

movidos, redimensionados e desbotadas assim como as Zonas na Cadeia Select Editor, então certifique-se de ler a seção anterior se você não tiver

já. Na parte superior do Editor de zona de velocidade (ver A Figura 7.23 ), Você vai ver os números de 1 a 127, representando a velocidade de entrada.

As zonas inferiores são usadas para especificar quais as cadeias irá ser activa para uma determinada gama de velocidades.

A Figura 7.23 Neste exemplo, a cadeia operador só é emitido quando a velocidade é mais de 40, e só atinge o seu volume máximo a velocidades mais de 80. As cadeias maciças sons
em todos os momentos, independentemente da velocidade.

Fonte: Ableton

No A Figura 7.23 , Estamos usando Velocity Zones para filtrar os dados MIDI que entram na cremalheira e determinar qual o instrumento que
será desencadeada. Nesta imagem, as notas mais baixas de velocidade irá acionar o instrumento FM8, e as mais altas velocidades irá
desencadear ABSYNTH 4. Verifica dentro de uma faixa média de velocidades irá acionar ambos os instrumentos em simultâneo.

Na parte superior do Editor de Zona Key é um teclado de piano representando a nota MIDI de entrada (ver
A Figura 7.24 ). As zonas inferiores são usadas para especificar quais as cadeias irá ser activa para uma dada gama de nota. Na Figura
Keyzone, você verá um rack configurado para que o fundo três oitavas do gatilho teclado um som baixo acústico, enquanto o restante do
piano gatilhos de teclado.

A Figura 7.24 Zonas chave em ação. A faixa inferior do teclado é dirigido ao topo Chain, enquanto a outra entrada Cadeia alças do resto da gama do teclado.

Fonte: Ableton

Quando estiver pronto a trabalhar com Zones, clique no botão Ocultar para ocultar o editor.

Congelamento e achatar

Dispositivos usam energia da CPU. Alguns usam mais do que outros, mas no geral é apenas um fato da vida. Para a maior parte, o uso de energia
da CPU é gerido muito eficiente. Por exemplo, um instrumento virtual não irá drenar a CPU, a menos que ele está jogando. Não só isso, mas ele
vai usar menos poder de CPU para tocar uma nota que ele vai jogar 10 notas simultaneamente. No entanto, mesmo com um poderoso computador,
você ainda vai encontrar situações onde o seu computador está lutando para manter-se com todos os dispositivos que você está usando. A função
Congelar irá ajudá-lo a gerir estas situações.

Congelar funciona, tornando temporariamente a saída de uma pista para um arquivo de áudio. A pista congelada usa muito menos
CPU poder, mas é limitado em quanto ele pode ser editado. Vamos dar uma olhada em como isso funciona. A maneira mais fácil de invocar o

comando Congelar é clicar com o botão direito em uma faixa e selecione Congelar faixa no menu de contexto. Você vai ter que esperar um

momento, enquanto processos de viver a áudio-obviamente, faixas com clipes longos (ou um grande número de clipes) vai demorar mais tempo.

Quando terminar, a pista vai olhar mais ou menos o mesmo. Você verá todos os clipes e dispositivos originais, mas fundamentais editar recursos

são ativados cor de gelo, indicando que eles são “congelado” e não editável. No arranjo View, você vai notar também uma região crosshatched

imediatamente após qualquer clipe que está sendo processado com atraso ou reverb. Isto indica que a cauda efeito tenha sido prestado, bem

como (ver A Figura 7.25 ).

A Figura 7.25 A trilha congelado no Arrangement View. Observe as barras à direita do clipe indicam a cauda de um efeito de atraso. Botão direito do mouse em uma pista
congelada revela os comandos Descongelar e achatar no menu de contexto.

Fonte: Ableton

O que acontece nos bastidores é que desativa ao vivo todos os clipes e dispositivos na pista e reproduz os arquivos de áudio temporárias vez. Todas as
funções de edição padrão (corte, pasta, duplicado, a consolidar, etc.) e a maioria dos controlos de trilha (saída de encaminhamento, o volume, bandeja,
etc.) ainda trabalho, mas mais detalhado edição (tais como a mudança de parâmetros do dispositivo ou grampo) é impossível. Adicionando novos
dispositivos para faixas congelados é proibido também.

Se você precisar de ajustar parâmetros congelados, você pode descongelar a pista (novamente, clique com o botão direito do mouse na faixa e selecione
Unfreeze Track) para restaurar imediatamente a pista para seu estado original. Agora você pode usar a pista o mais normal e voltar a congelar a pista quando
você está feito.

Não pode congelar ?: Esteja ciente de que existem alguns casos em que as faixas não podem ser congelados, e você terá uma mensagem
de erro explicando porque a pista não pode ser congelado. Se você receber um erro porque você está usando um dispositivo sidechained
(como Compressor), você pode contornar isso, primeiro agrupamento a faixa que deseja congelar (veja Tracks Grupo em Capítulo 4 ,
“Making Music Live”) e mover o dispositivo sidechained à Faixa Grupo. Como alternativa, você pode processar faixas un-freezable usando
Resampling ou a gravação da faixa-a-faixa, como explicado no Capítulo 6 .

Ao lado de Unfreeze Track, você também verá o comando Flatten, que é usado para se comprometer com a versão congelada da pista. Flatten
converte a pista congelada em uma faixa de áudio padrão e preenche com os clipes de áudio temporários que foram criados quando a pista foi o
primeiro congelado. Agora você pode editar e ajustar o áudio para o conteúdo do seu coração e até mesmo adicionar novos efeitos para uma maior
exploração sonora.

ARRASTE: Às vezes você pode querer começar suas mãos em alguns dos áudio congelada de uma pista sem achatamento da pista. Para fazer
isso, basta arrastar qualquer áudio ou clipe MIDI congelada a uma faixa de áudio. Como mágica, aparece congelados de áudio na nova pista,
pronto para edição ou outros efeitos de processamento.
delay Compensation
Assim como todos os dispositivos de usar o poder da CPU, todos os dispositivos gerar latência. Quando um sinal passa através de um efeito, que
leva o dispositivo de uma pequena quantidade de tempo para efectuar o processamento, e o resultado é um pequeno atraso. Por padrão, compensa
ao vivo para este atraso por isso não é algo que você normalmente têm que se preocupar. No entanto, porque há casos raros em que a
compensação de atraso pode causar problemas de sincronização, ele pode ser desligado, desmarcando Delay Compensation sob o menu Opções.
Há também casos em que vivo não pode compensar automaticamente para todos a latência gerado por um plug-in. Se isso ocorrer, você pode usar
faixa de atraso para compensar manualmente.

Ao vivo está compensando dispositivos que geram grandes quantidades de latência, você vai achar que os instrumentos virtuais
responder lentamente, e nenhum sinal de áudio que você monitor estão visivelmente atrasada. Verifique “latência reduzida quando a
monitorização” sob o menu Opções para compensar isso.
Instrumentos de 8Live

eu IVE possui oito instrumentos virtuais: Impulse, mais simples, Operador, Sampler, Analog, elétrica, tensão e colisão. Impulse e mais simples vêm
de graça para todos os usuários ao vivo, enquanto os outros estão incluídos na Vivo Suite ou devem ser adquiridos separadamente.

Sob exibição Instrumentos do navegador, você vai realmente ver 11 itens, dos quais três não são exatamente os instrumentos, mas estão
incluídos na mesma categoria, no entanto. Tambor Racks e Instrumento Racks ambos trabalham em conjunto com outros instrumentos
virtuais para fazer meta-instrumentos personalizados, que vão desde o mais simples ao mais assustadoramente complexo. Instrumento
externo é um utilitário prático para facilitar a integração dos instrumentos de hardware e plug-ins de multi-timbral.

Princípios gerais

Antes de entrar em uma discussão de cada instrumento, é importante mencionar alguns conceitos e funcionalidades que
são comuns a todos os instrumentos. Certifique-se ler completamente esta seção primeiro, e remetem a ele como
necessário.

instrumentos da Vivo são um tema profundo que um livro inteiro poderia ser dedicado a. Em vez de listar sem parar todos os parâmetros de
cada dispositivo, eu fiz um esforço para chamar a atenção para os aspectos mais importantes de cada instrumento para ajudá-lo a parte
mais difícil da curva de aprendizagem. Tenha em mente que o design de som e síntese são assuntos que vão muito além da discussão de
qualquer instrumento individual. Se você é novo a este tópico, você pode querer explorar o excelente (e gratuito!) Som em série Sound
“Synth Secrets”, localizado na Web em www.soundonsound.com/sos/allsynthsecrets.htm .

Modulação
A modulação é apenas um termo extravagante para mudar alguma coisa. Por exemplo, em vez de dizer que você tem um grande som por
várias vezes mudando a freqüência do filtro, você pode impressionar seus amigos falando sobre o seu incrível modulação de filtro. Modulação
sempre tem uma origem e um destino. No exemplo acima, a frequência de corte do filtro é o destino. A fonte pode ser um instrumento built-in
envelope ou LFO, ou poderia ser uma mensagem padrão MIDI, tais como velocidade ou pitch bend. Em todos os instrumentos do Live, você
encontrará caixas numéricos que são usados ​para especificar valores de modulação. Por exemplo, em Figura 8.1 , Você verá um botão de
volume com uma caixa abaixo Velocity marcada. Esta caixa é usada para especificar a quantidade de velocidade de uma nota afetará o
volume do instrumento. Em zero, cada nota sairá no mesmo volume, independentemente de quão duro você bater no seu controlador MIDI.
Como você aumentar esse valor, você vai encontrar o instrumento começa a se comportar como um piano-o mais difícil você toca uma tecla,
o mais alto da saída. Você verá que 50% é um bom valor para começar, mas você deve experimentar e ajustar ao seu gosto e estilo de jogo.

Figura 8.1 caixas de modulação, como a mostrada aqui são usados ​para encaminhar um modulador para o parâmetro que se sentar perto. Este exemplo mostra o encaminhamento muito comum
de velocidade MIDI para o volume de saída.
Fonte: Ableton

Você verá caixas Velocity marcado (ou às vezes Vel) em todo o lugar em instrumentos do Live, porque a velocidade pode ser mapeado para
muitas outras que o volume parâmetros. Por exemplo, transformando-se o valor de uma caixa de Vel localizado perto de um controle Pan permite
que você mova o som da esquerda para a direita como a velocidade aumenta.

Figura 8.2 mostra seção de filtro do Analog. Aqui vemos que a frequência de corte tem três fontes de modulação: LFO2, Key, e Env.
Ligando qualquer destes para um valor engata modulação diferente de zero. Quanto maior for o valor, maior será a profundidade de
modulação, e o mais se desvia do seu valor original. Chave é usada para fazer a responder modulação para o campo da entrada de
nota quanto maior a nota, mais a frequência de corte irá aumentar. Os controlos LFO e Env são usados ​para aplicar a modulação
gerado pelas secções do envelope embutidos LFO e.

Figura 8.2 Muitos parâmetros do instrumento pode ser modulada por várias fontes simultaneamente. No entanto, quando a aprendizagem, é melhor começar com um de cada vez.

Fonte: Ableton

Para entender completamente estes dois últimos, você precisa saber um pouco mais sobre esses tipos de fontes de modulação, que serão explicadas
em seguida. Existem outros tipos de modulação eu estarei mencionando também, e isso pode ser um monte de absorver. Não se preocupe, contanto
que você entender o princípio básico da atribuição de um destino a uma fonte, você vai finalmente conseguir tudo isso. Comece simples, tomar o seu
tempo e experiência.

LFOs e Envelopes
Todos os instrumentos da Vivo contêm LFOs e envelopes para a geração de modulação. Enquanto eles variam um pouco de instrumento para
instrumento, todos eles têm muitas coisas em comum.

LFOs (Low Frequency osciladores) são normalmente utilizados para gerar modulações repetitivas, como vibrato, tremolo e os rítmicos
“oscilações” ouvido em um monte de música electrónica contemporânea. Todos os instrumentos da Vivo tem uma forma de onda
selecionável para determinar a forma do LFO. ondas de seno produzir o efeito mais suave, enquanto as ondas em dente de serra e
quadrados pode ser usado para gerar modulações com agressão mais rítmico. Na parte inferior do menu de onda de cada instrumento é um
estilo LFO aleatório, por vezes referido como ruído ou S & H ( amostra e espera).

Todos LFOs da Vivo pode ser sincronizado com o ritmo atual, ou definir em Hertz (ciclos por segundo). Para Hertz, clique no botão
marcado Hz, ou para sincronizar, clique no botão marcado com uma nota musical. O botão Taxa será atualizada para exibir tanto ciclos
por segundo ou nota divisões, dependendo do modo selecionado.

Envelopes são usados ​para criar modulações que começam quando uma nota é pressionada e concluir quando é
liberado. A maioria dos instrumentos da Vivo têm envelopes para o volume, frequência do filtro, e passo. Dependendo do instrumento, pode haver
envelopes adicionais ou envelopes programáveis ​que podem ser usados ​para controlar qualquer parâmetro que deseja. Se você é novo para
trabalhar com envelopes, o envelope de volume é o que você deve dominar em primeiro lugar.

A maioria dos envelopes que você vai encontrar o uso do design tradicional de quatro estágios: Attack, Decay, Sustain e Release (ADSR). Alguns
instrumentos têm estágios envelope adicionais, que serão explicados nas seções de instrumentos individuais. No entanto, se você não tem certeza
de como estes funcionam, inicialmente, não se preocupe. Apenas se concentre na ADSR, e você vai ficar bem.

Aqui está uma breve explicação de como um envelope de volume funciona. Uma vez que você envolveu sua cabeça em torno disso, você não terá
nenhuma dificuldade em entender os outros envelopes, desde que você está disposto a ser paciente e fazer alguma experimentação.

Assim como uma nota MIDI é recebida, o estágio de ataque começa. Esta fase determina quanto tempo leva o som para atingir o seu volume
total. Virou-se todo o caminho, a nota vai soar instantaneamente, enquanto altos valores fará com que a nota a desaparecer lentamente. O
estágio de lançamento acontece assim que a nota é liberada. Esta fase determina quanto tempo leva para a nota a desvanecer-se ao silêncio
depois de liberá-lo. Quando virou-se todo o caminho, a nota será silenciada imediatamente, enquanto valores longos fará com que ele a ficar
muito tempo depois que você parou de tocar seu teclado.

Decadência e sustentar o trabalho em conjunto com os outros. Especifica decaimento quanto tempo leva para o volume para alcançar o nível de
sustentação. O truque aqui é entender que Decay é uma medida de tempo, enquanto Sustain é um valor de parâmetro (neste exemplo, volume).
Para melhor entender como isso funciona, transformar Sustain todo o caminho. Isto significa que o nível de sustentação é silêncio. Agora você
pode usar o controle Decay para ajustar o tempo que leva para a nota à deterioração ao silêncio. Uma vez que você tem um controle sobre isso,
definição tentativa Sustentar a -12dB, Decay para 50ms, e atacar todo o caminho. Isso cria uma percussão transitória cada vez que você tocar
uma nota, desde os primeiros 50ms da nota é 12dB mais alto do que a nota é sustentar.

filtros
Todos os instrumentos da Vivo contêm uma variedade de tipos de filtro, muitas vezes em ambos os 12 e variações 24dB / oitava. Estes números
referem-se à gravidade ou declive do filtro. Quanto maior o número, a forma mais acentuada do filtro reduz as frequências fora da faixa do filtro.
Geralmente, isto significa que um efeito mais intenso ou agressivo, especialmente com altos valores de ressonância. Alguns dos instrumentos do
Live usam as seguintes abreviaturas: LP (low pass), HP (high pass) e BP (passagem de banda). Então, HP24 significa um filtro passa-alta com uma
inclinação 24dB / Octave. Alguns instrumentos têm tipos de filtros especiais, que eu vou explicar como necessário. Se você é totalmente novo para
filtros, eu recomendo a leitura da seção “Filtro Automático” na

Capítulo 9 “Efeitos de áudio de viver”, para mais explicações de conceitos de filtro fundamentais.

parâmetros globais

Todos os instrumentos do Live usam um punhado de comandos comuns, como polifonia e faixa de pitch bend, que não são em
particular a síntese específica do instrumento ou amostragem estilo. Assim em vez de cobrindo-os com cada instrumento, eu vou
começar com esta referência útil que pode ser aplicado a todos eles. Basta ter em mente que cada synth não tem cada um
destes parâmetros.

Detune: Faz ajustes finos campo para toda a gama, a um máximo de 50 centavos (metade
de um meio-tom).

Erro: Apresenta uma quantidade aleatória de variação de afinação para cada nota (como pode acontecer com um instrumento de cordas unfretted,
como um violoncelo).

Deslizar: Mesmo que Portamento (veja abaixo). Para os instrumentos que oferecem uma escolha entre Glide e Portamento, use
Glide para obter o monosynth glide clássico descrito abaixo, e Portamento para operação polifônica.

Pitch Bend: Controla o quanto o instrumento irá responder às mensagens pitch bend. Ajustável de 0 para nenhuma
resposta para 12 ou 24 meios tons, dependendo do instrumento.

Portamento: Faz com que cada nota para deslizar para a próxima a uma taxa determinada pelo parâmetro Time. Para o comportamento
clássico portamento de monosynths velhos, definir Voices para mono quando activar esta definição. Com Legato habilitado, somente as
notas que se sobrepõem vai deslizar juntos. O ajuste proporcional irá ajustar automaticamente o tempo de portamento para que intervalos
maiores deslizar mais do que os mais curtos.

Prioridade: Determina como o instrumento lida com o número máximo de vozes (conjunto pelo parâmetro Voices) seja
excedida. Quando mais notas são tocadas de Vozes permite, Prioridade dirá o instrumento que notas de priorizar (e que para
cortar): Alto (corta as notas mais baixas primeiro), Baixo (cut off as notas mais altas primeiro), ou o último (cortes off mais
antigas notas primeiros).

R (Redisparo): Esta função do interruptor Retrigger varia, dependendo do contexto. No caso de um LFO ou Envelope, este botão
determina se ou não cada nota MIDI irá reiniciar o LFO ou envelope de seu ponto de partida. Por exemplo, para uma almofada
com envelopes longa evolução, este Retrigger provavelmente não é um comportamento-lo desejável quer ser capaz de manter
notas para baixo, e temos os adicionais que você adicionar pegar o envelope em sua posição atual. Quando esta opção está
presente na seção global de um instrumento, ele pode ser desligado para permitir uma nota bateu várias vezes para usar mais
de uma voz em vez de retriggering a mesma voz. Isso só se aplica a sons com tempos de liberação longos no envelope de
volume, e geralmente pode ser deixado ligado.

Semi ou Transposição: Transpõe toda a gama deste instrumento em semitons.


Espalhar: Uma versão simplificada do Unison (veja abaixo), que cria uma saída estéreo detuned.

Esticam: Permite o ajuste do temperamento do instrumento. O aumento deste valor irá mudar a afinação de tal forma que as notas mais
altas são notas ligeiramente mais nítidas e mais baixas são ligeiramente mais plana, o que para pianos pode resultar em um som geral
mais natural e brilhante.

Uníssono: Duplica o resultado final do seu instrumento. A não ser usado em conjunto com os parâmetros desafinar ou atraso, tudo
isso faz é tornar o mais alto do sinal. Ligeira desafinação vai criar um efeito chorusing, enquanto valores maiores podem ser
usados ​para criar estranhos, harmonias fora de sintonia. Atraso aumenta o efeito de retardar a camada uníssono até 100ms.

vozes: Controles quantas notas podem soar ao mesmo tempo. Reduzir o número de vozes vai economizar energia da CPU. Quando
configurado para Mono (uma só voz), qualquer nota tocada irá cortar qualquer atualmente jogando nota. Isso é útil para emular o
comportamento de monosynths clássicos.

Impulso

Impulse é instrumento de percussão básica da Vivo (ver Figura 8.3 ). Onde tambor Racks oferecem flexibilidade sem fim, de viver mais limitado Impulse
usabilidade ofertas instantâneas devido a seus controles esparsas e design simples.
Figura 8.3 Os esportes de interface de impulso limpo e nítido oito slots para amostras. Clicando no slot exibe seus parâmetros editáveis.

Fonte: Ableton

Slots amostra

A porção superior do Impulso é feito de oito quadrados, ou fendas de amostra, cada uma das quais pode conter uma amostra, e pode ser accionado
através de MIDI ou com o rato. Quando você passa o mouse sobre um slot, um botão de reprodução é revelado, juntamente com uma pequena
chave retangular Mute à esquerda, e um interruptor Solo para a direita. Para carregar uma amostra, arraste um arquivo de áudio a partir do browser
em um dos slots. Você também pode carregar amostras utilizando o botão Hot-Swap em cada slot, ou você pode até mesmo arrastar em clipes de
áudio diretamente de sessão ou arranjo.

Cada slot tem um conjunto completo de edição de controles, mas você só pode editar um slot em um tempo os botões abaixo são usados ​para editar o
slot selecionado. Em outras palavras, antes de editar uma amostra, você deve primeiro clicar sobre o slot que o contenham.

As notas atribuídas MIDI para desencadear as células são oito teclas brancas entre C3 (de meia-C) e C4 (uma oitava acima de
meia-C). No entanto, quando você está editando os dados MIDI de um clipe de jogar Impulse, o teclado de piano normal será
substituído com os nomes das amostras atribuídos a cada nota.

Alguém viu MINHAS CHAVES ?: Se você estiver usando um controlador MIDI pequeno ou as teclas do teclado do computador, você
pode encontrar-se batendo afastado nas notas, mas não ouvir nada por impulso. Isso ocorre com freqüência quando o teclado foi
transposta para a oitava errada. Com Impulse, todas as notas fora do intervalo C3 para C4 são ignorados.

Se você estiver usando o teclado do computador para a entrada MIDI, o Z e X chaves irá transpor as chaves. Aquando da
transposição do teclado, você vai ver a gama chave atual listada na parte inferior da tela. Para transpor a gama de seu controlador
MIDI, consulte a sua documentação.

Note-se que slot 8 (o mais à direita) tem um parâmetro que nenhum dos outros slots tem: o interruptor de ligação. Isto, juntamente ligações
ranhuras 7 e 8, para que eles não podem jogar ao mesmo tempo. Isto é tipicamente utilizado para as amostras oi-hat abertos e fechados, que
as máquinas de tambor (clássicos e drumsets reais!) Não permitem ao som simultaneamente. Quando ativado, provocando slot de 7 ou 8 vai
imediatamente cortar a amostra jogar em outro slot.

Iniciar, Transpor e estiramento


Agora que você sabe como acionar as amostras, vamos olhar para a forma de alterar o som usando o
reproduzir parâmetros oferecidos em Impulse. A primeira secção de controlo afecta a própria amostra: ele pode ser ajustado, o tempo-esticado /
encurtado, e tem o seu corte de front-end fora. Arremesso pode ser ao acaso, ou modulada pela velocidade de entrada. Os executa teclas Soft um
desvanecimento no início da amostra para amolecer o seu ataque.

Transpor funciona como seria de esperar, aumentando ou diminuindo o tom da amostra. Estiramento é um pouco mais interessante, e é usado

para alongar a amostra ou reduzi-lo. Longos tempos de estiramento gerar alguns artefatos estranhos, por isso certifique-se de experimentar com

um presente e experimentá-lo durante o ajuste Transpose também. O botão Modo altera o método de alongamento. No Modo A, Impulse espera

um momento breve antes do alongamento, a fim de garantir que o alongamento não distorce o ataque do som. Para sons de bateria incisivas,

isso é especialmente importante. Modo B, por outro lado, começa alongamento no instante em que a amostra começa a tocar. Ableton

recomenda Modo A para sons que são menor em altura, tais como tambores de retrocesso, e Modo B para sons de alta-frequência, como

chimbais.

Virando-se Iniciar faz com que a amostra para reproduzir a partir de uma posição no final do arquivo. Isso pode ser usado criativamente
para cortar o início de um som, ou para corrigir o espaço vazio no início de um arquivo de amostra.

O botão macio é algo relacionado ao Iniciar marcar na medida em que afecta a forma como Impulse reproduz o início da amostra. Quando
Soft é off, Impulse simplesmente reproduz a amostra no instante em que é acionado. Quando macia é ligado, Impulse irá realizar um curto
fade-in. O resultado é que o ataque da amostra é amolecido, sem alterar a duração do som. Se você tentar isso com o bumbo, você vai
ouvir que o “encaixe” no início do som é suavizado, enquanto o soco robusto dos restos tambor. Observe que transpor e esticar tanto pode
ser modulada pela velocidade, enquanto Transpose também tem um modulador aleatória abaixo dela. Gire este acima para aplicar
randomização arremesso para a amostra. Uma pequena quantidade de isto pode adicionar vida sutil e variação de uma amostra de outra
forma estática.

Saturação
A seção A saturação é a mais simples de usar um dos cinco controles em Impulse. Envolver o botão Sat e aumente a unidade para alcançar sons de
percussão sem distorção. Pequenas quantidades de distorção pode ser útil quando você precisa adicionar alguma vantagem ou agressão a uma
amostra, enquanto que grandes quantidades podem mangle um som irreconhecível. De uma chance!

Filtro
Clique no botão Filtro de se envolver nesta seção. O menu do modo é utilizado para seleccionar o tipo de filtro, enquanto o Freq e Res
maçanetas definir o corte e ressonância. Observe que a ressonância pode ser modulada de forma aleatória, tal como estiramento. Note-se que o
filtro é aplicado após a fase de saturação. Isso ocorre porque distorcendo um som pode render alguns harmônicos altos pesadas, que você pode
querer domar com um filtro passa-baixa.

Volume, Pan, e Decay


Esta secção é usado para definir o nível de saída (volume) e a posição estéreo (Pan) para cada amostra individual. O botão Decay molda a

extremidade da cauda de uma amostra. Se o botão abaixo do botão Decay está no modo Trigger, o botão Decay vai ditar o tempo de fade-out a

partir do momento em que a amostra é acionado. Não importa quanto tempo você segurar o pad ou chave que está provocando o tempo da

amostra-a decadência será sempre o valor que é especificado pelo botão Decay. Este é um comportamento clássico máquina de tambor. No modo

Gate, o fade-out não começará até que uma Nota MIDI Off mensagem é recebida (quando você levantar o seu
dedo fora uma chave). Com valores de decaimento longas, você pode não notar qualquer diferença entre estes dois modos. Mas com valores curtos,
torna-se mais evidente. Por exemplo, tente usar o modo de porta com um tempo de Decay de 50ms. Você verá que este permite criar variações em
suas partes de bateria, editando o comprimento das notas MIDI. Tente fazer alguns hits de laço mais do que outros ou variando o comprimento de
hi-chapéus para manter as coisas interessantes. No modo de disparo, isto não vai funcionar-todos os hits serão reduzidos a um blip 50ms,
independentemente da duração da nota.

Na parte inferior desta seção, você encontrará botões marcados M e S para silenciar ou solando o slot atual.

Volume Global, Tempo, e transpor


A secção global contém um botão mestre volume, mais tempo mestre e Transp botões (transposição). Estes dois últimos botões
funcionam como os botões de transpor e estiramento descrito anteriormente, exceto que eles se aplicam a todo o kit.

mais simples

Quando se trata de reprodução de amostra rápida e manipulação, nada é mais simples do mais simples. O que é mais simples? Um amostrador
simples, é claro. No entanto, não se deixe enganar. Mais simples oferece uma riqueza de possibilidades criativas dentro de sua interface
humilde, como independente afinação, filtro e Envelopes Amp, bem como portamento e outros efeitos.

Visão geral da Interface


Os olhares mais simples de interface bastante semelhante à impulso, mas ele tem uma janela de amostra grande, em vez de oito células de
amostra (ver Figura 8.4 ). Mais simples funciona com apenas uma amostra de cada vez, e seu conteúdo são exibidos nesta janela principal.
Você pode zoom in e out na forma de onda, clicando nele quando você vê a lupa cursor aparecer e arrastando para cima e para baixo com o
mouse.

Figura 8.4 Mais simples é o go-to instrumento de reprodução de amostra rápido e fácil.

Fonte: Ableton

Mais simples pode ser carregado com um novo som arrastando uma amostra a partir do browser, ou um clipe de áudio a partir da sessão ou Arrangement
View. Desde simples é projetado para manter apenas uma amostra, qualquer novo som arrastado para o instrumento irá substituir a anterior. O exemplo
que você carregar no mais simples pode ser desencadeada a partir de qualquer nota MIDI. C3 (de meia-C) irá desencadear a amostra no seu tom original,
enquanto as notas mais altas e mais baixas irão transpor a amostra para cima ou para baixo. Por favor note que mais simples não usa o campo da
urdidura motor de mudança, sem alterar o tempo. Em vez disso, a amostra é simplesmente retardada ou acelerada para diminuir ou aumentar o campo.
Multisample MODE: Ao usar presets mais simples, você pode encontrar a janela de exibição de amostras vazio, lendo “Modo Multisample” em
vez. Este é o resultado de um hack Ableton inteligente que permite pré-ajustes mais simples de ser criado em Sampler, que permite
multisampling. Se você possui Sampler, você pode obter sob o capô e totalmente editar estes presets clicando com o botão direito na barra de
título de simples e selecionando “Mais simples> Sampler.”

Amostra e controles do laço


O canto superior esquerdo da mais simples contém os botões que você usará para configurar todos os parâmetros básicos para a reprodução da
amostra. Todas as alterações feitas com estes botões serão mostradas graficamente na janela de exibição de amostra. No entanto, também
existem dois parâmetros que só podem ser definidas no visor: os absolutos pontos inicial e final. Estes são representados por duas bandeiras,
que deve ser familiar do Clip View (ver Figura 8.5 ).

Figura 8.5 Mais simples só pode reproduzir o áudio fechado dentro das bandeiras de início e fim. O áudio que é tocada e loop é determinado pelo início,
comprimento e controles Loop.

Fonte: Ableton

Os três primeiros botões de mudar a posição de início, comprimento da laçada, e a posição final da amostra. Quando Iniciar é definido como 0%, a

reprodução começa a partir de onde você colocou o (-apontando à direita) começar a bandeira na exposição da amostra. especifica a extensão quanto da

amostra podem ser reproduzidos. Quando este valor é definido como 100%, a reprodução pode continuar até o (apontando para a esquerda) extremidade

da bandeira no visor. Com o interruptor de Loop ativado, o botão loop se torna ativo. É especifica quanto do loop vontade amostra, expresso como uma

percentagem a partir da extremidade (tal como especificado por Comprimento). O botão de fade aplica um crossfade aos pontos de conexão do laço para

suavizar quaisquer pops que podem ocorrer quando a amostra começa de novo. O botão snap ajuda a evitar estes pops, forçando os pontos inicial e final

da região do Loop para agarrar a um cruzamento zero.

Embora possa não ser evidente à primeira vista, alguns dos controles desta seção são extremamente expressiva para ajustar em
tempo real. Por exemplo, alterar a duração do loop e começar posições na mosca pode alterar o timbre e tom da amostra de formas
selvagens e maravilhosos.

envelopes
O próximo conjunto de controles para a direita são envelopes mais simples. Há três envelopes disponíveis: volume, Filter (corte), e Pitch. Os
nomes destes três envelopes são guias clicáveis, que podem ser usados ​para abrir o envelope associado para edição. O envelope de
volume está sempre ativa, enquanto o filtro e envelopes Afastamento deve ser ativado clicando nos interruptores quadrados para a
esquerda. Note-se que para ativar o envelope de filtro, você também deve se engajar no botão Filter (descrito abaixo). Além disso, tenha em
mente que para ouvir o efeito de qualquer filtro ou pitch envelope, você deve também atribuir um montante envelope no filtro ou seção Breu,
conforme explicado abaixo.

panela
À direita da seção Envelopes é o controle Pan. Panning pode ser modulada com o LFO e aleatoriedade. Quando Aleatório está
ligado para o controle Pan, uma nova posição no campo estéreo é escolhido a cada vez que uma nota é acionada. Para gerar
movimento contínuo, sem desencadear novas notas,
você vai ter que usar o LFO.

Filtro
O filtro está localizado no mais simples o canto inferior esquerdo, e está envolvida clicando no botão Filter. Ele contém os
controlos a Freq básico (de corte) e de ressonância, juntamente com um menu de modo de selecção de tipo de filtro. Os
controlos restantes são usados ​para moduladores atribuir à frequência de corte. O botão de Env dimensiona a quantidade de
sinal de envelope do filtro usado para alterar o ponto de corte do filtro. Quanto maior for o valor, mais o envelope faz com que
a frequência de corte para desviar do seu valor original. A chave é usada para alterar o valor de corte do filtro com base na
altura da nota de entrada MIDI. Quanto maior for o passo, quanto maior o corte do filtro vai ser. Isso ajuda sons reais emulam,
que recebem mais brilhante como seu passo aumenta. O botão LFO determina a quantidade de sinal LFO utilizado para
modular o corte.

LFO
À direita da secção de filtro é o LFO (envolvido com o botão LFO). Dependendo das tarefas que você faz, ele pode ser usado para modular
a frequência do filtro, Campo Desportivo, Pan e Volume. A forma do LFO é selecionada a partir do menu Tipo. A seção Taxa altera a
velocidade do LFO. A velocidade LFO pode ser modificado com o valor Key. Virando isso significa que as notas mais altas terá uma
velocidade mais rápida LFO do que os mais baixos. Você também pode usar o valor de ataque para ter o LFO gradualmente fade in em
vez de começar imediatamente quando uma tecla é pressionada. Isso é ótimo para sons de chumbo onde você gostaria de apresentar
vibrato depois que você tinha uma nota por um momento.

Retrig e deslocamento são usadas para manipular a posição da LFO. Quando Retrig está ligado, um novo ciclo de LFO começará cada vez que
uma nota MIDI é recebido. Com Deslocamento, você pode mudar a posição global do LFO, que é particularmente útil quando usá-lo no modo
sincronizado. Por exemplo, 1/4 nota LFO poderia ser compensado 180 graus para os picos ocorrem entre cada batida, em vez de diretamente
sobre eles.

breu
Imediatamente à direita da seção de LFO é a seção de Pitch, a maioria dos quais é explicado na seção global Parâmetros no início deste
capítulo. Os conjuntos de caixa LFO a quantidade de modulação LFO para aplicar ao campo da amostra, também conhecido como vibrato. Da
mesma forma, a caixa de envelope define a quantidade de modulação de campo aplicado pelo envelope de afinação. Tenha em mente que os
montantes envelope e LFO são desativados a menos que seus moduladores associados estão envolvidos.

Volume
No lado direito, você encontrará controle de volume mais simples, juntamente com quantidades para os vários moduladores que podem ser
atribuídos a ele. Velocity é explicado na seção Modulation no topo deste capítulo.

Operador

Introduzido no Live 4.1, Operador é de Ableton primeiro add-on instrumento. Operador é um instrumento muito flexível, que
permite a utilização de três tipos diferentes de síntese para elaborar seus sons: FM, subtrativa, e aditivos.

Visão geral da Interface


Operador representa uma ligeira saída do conjunto esquema de interface de usuário adiante por impulso e
Mais simples. Enquanto operador ainda convenientemente fica dentro do Track View (ver Figura 8.6 ), Ele não exibir todas as
informações e parâmetros de uma só vez. Operador é um synth profunda e complexa, por isso muitos dos parâmetros foram
consolidadas na janela central do interface.

Figura 8.6 A interface de operador tem duas seções: janela central (display) e os oito seções que o rodeiam (a casca).

Fonte: Ableton

Olhando para a interface, você verá uma janela grande centro, chamado de exibição, cercado por oito seções, colectivamente referidos como
o Concha. As secções de casca são (no sentido horário a partir do canto inferior esquerdo): Um oscilador, oscilador B, C Oscilador, Oscilador
D, LFO, filtro, Breu, e global. Se você clicar em uma dessas seções, o display mudará para mostrar seus parâmetros associados.
Experimente-clique em qualquer lugar dentro da seção do oscilador A. O display mostrará um envelope gráfico, bem como uma infinidade de
valores abaixo dela. Se você clicar na secção passo, um conjunto diferente de informações serão mostradas no visor.

Ableton colocou a maioria dos parâmetros tweakable de operador para o shell para que você possa acessá-los em todos os momentos. Os detalhes
mais intrincados são perfeitamente escondido dentro do visor. Se você quiser, você pode até mesmo ocultar a exibição, deixando apenas a casca
exposto, clicando no pequeno triângulo no canto superior esquerdo da interface. Além disso, ao longo da barra de título superior são os controlos
normalizados para lembrar e salvando predefinições.

Criando e moldando Sounds


Então, como você operar Operador? Depende de que tipo de síntese que você está tentando alcançar. Como você está prestes a ver,
operador pode retirar tanto subtrativo e síntese FM, e tem alguma síntese aditivo bem como funcionalidades.

o Algoritmo
Clique na seção global no shell. (Esta é a área no canto inferior direito que contém os controles de volume e tom.) Os
parâmetros globais será agora mostrado no display (ver Figura 8.7 ). Se você estiver clicando em torno através das outras
seções do operador, você vai perceber que esta exibição é diferente dos outros. Longe vão os envelopes gráficos, e em seu
lugar é uma coleção de quadrados coloridos.

Figura 8.7 Os parâmetros globais de operador.


Fonte: Ableton

Embora o termo algoritmo pode evocar imagens de fórmulas de cálculo alucinantes, você vai ficar feliz em saber que o Operador fornece
uma maneira simples de visualizar um algoritmo usando a variedade de quadrados coloridos no visor. Por padrão, o algoritmo superior
esquerdo estará ativo (suas praças são cores sólidas, ao contrário de contornos). Observe que as letras coloridas na seção oscilador à
esquerda são as mesmas cores que as praças de exibição do algoritmo. Os quadrados coloridos são, portanto, um mapa ou fluxograma,
de como os osciladores interagem uns com os outros.

Você pode ler um algoritmo de cima para baixo, mas eu também gosto de olhar para ele de cima de fundo ao longo do tempo. Se você olhar para
este primeiro algoritmo começando na parte inferior, você verá que o quadrado inferior é um A. amarelo Este é oscilador A. Você também verá
que há uma linha amarela pouco se estende para baixo a partir desta praça. Esta linha mostra que oscilador A será a emissão de um sinal de
que você pode ouvir. Se você olhar para o próximo bloco acima A, você verá um quadrado verde com um interior B. Este bloco tem uma linha
que se estende para baixo a partir dele, também, mas liga-se ao oscilador A em vez de ser uma saída. Isto significa que a forma de onda criado
por oscilador B serão usados ​para alterar a frequência de oscilador A, que é a saída para os alto-falantes. Nesta disposição, o oscilador B é
chamado um modulador, e A é um oscilador transportadora.

Sabendo que esta informação, agora você pode ver que partes do oscilador C e jogar oscilador D neste algoritmo: Eles são
moduladores adicionais. D oscilador vai modular oscilador C, que modula oscilador B, que modula oscilador A-transportador.

Agora procure na direita. O oitavo algoritmo mais tem a forma de uma caixa. Quando você seleciona esse algoritmo, você vai ver o
arranjo familiar do oscilador B modulação oscilador A. A diferença desta vez é que oscilador C é agora um carrier-você vai ouvir a
forma de onda que gera, modulada por oscilador D. Você pode pensar nisso como um synth-FM duplo, onde você pode criar duas
formas de onda únicos simultaneamente, o que pode ser usado em camadas para engrossar o seu som, ou para criar dois sons
independentes que interação uns com os outros.

O próximo algoritmo para tomar nota especial de é o arranjo horizontal na extremidade direita. Ao usar este algoritmo, você não será mais usando
qualquer um dos osciladores como moduladores-they'll todos ser enviada diretamente para a saída. Neste, cada vontade oscilador saída sua
própria forma de onda única, que podem ser misturados em conjunto e filtra-se, muito parecido com um sintetizador analógico clássico.

Abaixo os algoritmos é a matriz de roteamento, o que lhe dá uma enorme flexibilidade de modulação. Vamos discutir isso depois que nós fomos ao
longo de mais dos princípios básicos do operador.

os osciladores
Deixar o conjunto de algoritmo para o arranjo vertical padrão, e clique no operador A no shell. Os algoritmos no visor
será agora substituído por um envelope e parâmetros adicionais. Estes são todos os parâmetros de controlo para o
operador A. Por defeito, cada operador é ajustado para produzir uma onda sinusoidal com ataque instantânea e de
libertação. Tente tocar algumas notas de ouvir isso por si mesmo. No shell, tudo que você pode definir é a afinação e
volume do oscilador. (Você também pode clicar nos botões ABCD coloridas para transformar os osciladores ligado e
desligado.) Sintonia eo volume tem um tremendo impacto sobre os sons resultantes de FM síntese, para que esses
controles foram feitos facilmente acessível. Sintonia tem dois modos: fixos e variáveis. A configuração variável (o padrão)
faz com que o operador a freqüência de troca, com base nas notas tocadas.

Quando estiver no modo fixo, as duas opções de ajuste será Freq e multi, que representam frequência e multiplicador,
respectivamente. frequência do operador é determinado multiplicando o Freq pelo valor multi. Se a frequência é de 100 Hz e o
multiplicador é um, a frequência resultante será de 100 Hz (100 Hz × 1 = 100Hz). Se a frequência é 245Hz e o multiplicador é 10,
a frequência do operador será 2,450Hz.

Quando no modo variável, as frequências de oscilador já não são mostrados. Em vez disso, você é apresentado com ajustes finos e grossos,
que expressam a frequência do operador como uma proporção da frequência de base. Um operador com uma configuração grosseira de 2
soará uma oitava mais elevada do que um com um ajuste grosseiro de 1. Um operador com um ajuste grosseiro de 0,5 soará uma oitava
inferior. É possível utilizar o ajuste fino para criar proporções que são fracções, tais como 1,5 (Grosso 1, finas 500) ou 2,25 (grossos 2, finas

250).

Escondido no visor é um parâmetro chamado Onda. A opção abaixo dela está definido para Sin-uma onda senoidal. Clique sobre o pecado para
abrir um menu com todas as formas de onda disponíveis. Experimente alguns deles para ouvir como eles som.

A serra e ondas quadradas ter várias formas, denotado por um número após o nome. O número no nome onda informa quantas harmônicos foram
usadas para criar a forma de onda. No caso de Saw3, foram usadas apenas três harmónicas: a fundamental, a segunda harmónica, e a terceira
harmónica. Como resultado, a forma de onda Saw3 ainda se assemelha a uma onda sinusoidal de mais do que uma onda em dente de serra.
Como você ir mais longe para baixo o menu de formas de onda, você verá serras com maior número de harmônicos. Saw64 utiliza 64 harmónicas
para gerar a onda de dente de serra, e sons como um dente de serra analógico tradicional, ao passo que D significa um dente de serra-digital mais
brilhante do bando. Este mesmo esquema de numeração é verdade para as ondas quadradas também.

A exibição do oscilador
Uma vez que você cavar em síntese FM com operador, você verá que as várias opções de algoritmo / onda / ajuste de oferecer uma ampla
gama de tons selvagens e complexos. Mas há ainda mais flexibilidade disponível- Operador também permite editar visualmente o built-in
formas de onda por adição e subtração harmônicos graficamente.

Acima do display Envelope, clique na caixa marcada oscilador, ao lado da caixa marcada Envelope. Isso muda a exibição para
mostrar-lhe as harmônicas da forma de onda a ser utilizados para o operador selecionado. Se Sine é selecionado a partir do menu
abaixo, você verá exatamente um bar todo o caminho para
a esquerda da tela. Isto diz-lhe que a onda é composto de uma altura fundamental simples com harmônicos não superiores. Agora tente
selecionar Saw3 a partir do menu. Este é o dente de serra onda discutimos anteriormente, composto por apenas três harmônicos. Com
Saw64, você verá harmônicos em cascata em toda a tela, ilustrando o som complexo de uma onda dente de serra verdade.

Uma vez que você tem uma compreensão básica do que você está vendo aqui, as coisas ficam realmente interessante. Quando o mouse flutua
acima das harmônicos exibir, ele se transforma em um lápis, o que lhe permite alterar livremente harmônicas da onda. Tente ele- começar
lentamente, aumentando ou diminuindo mais à direita harmônicas para tornar o mais brilhante som ou mais escura. Então enlouquecer com ela,
desenho ou excluir harmônicos como quiser. Observe que como você faz isso, a forma de onda abaixo alterações, bem como, e o menu de onda
agora lê usuário.

Isto faz para um número verdadeiramente esmagadora de opções para programar esta synth. Se você é novo para Operador, pode fazer mais sentido
para obter uma alça sobre simples FM antes de começar a construir todos os tipos de formas de onda personalizadas. No entanto, o cientista louco em
você pode ganhar o dia e exigem uma abordagem puramente experimental para design de som. Isso é OK, também!

FM em Ação
Chega de conversa, já. É hora de ouvir o que tudo isso soa como. Coloque-se um operador em seu estado padrão e tocar uma nota, você
deve ouvir uma única onda senoidal. Você está ouvindo oscilador Um por si só. Agora, ao tocar a nota, aumente o nível de oscilador B. Como
você faz isso, você ouvirá o som de mudança oscilador A. Isso ocorre porque oscilador B está modulando oscilador A, resultando no que são
chamados bandas laterais. Um oscilador torna-se mais e mais brilhantes (harmónicos mais superior) à medida que aumenta o nível do
operador B, aumentando a quantidade de modulação. Se você ativar oscilador B novamente para baixo, oscilador A reverterá para uma onda
senoidal.

Conceptualmente, esta abordagem é o oposto visto na síntese subtractiva tradicional onde começa-se com um complexo de onda luminosa, tal como
um dente de serra, e, em seguida, remove altos harmónicos com um filtro passa-baixo. Com a síntese FM, podemos realmente começar com um som
harmonicamente simples como uma condição sine e adicione altos harmônicos pela adição de modulação.

Para a sua próxima experiência, transformar-se oscilador B novamente e, em seguida, jogar com o botão Grosso. O resultado vai ser um
outro tom constante, mas com uma estrutura harmónica diferente. À medida que roda-se o botão Grosseiro, poderá mudar o rácio de
frequência entre osciladores A e B em números inteiros (por exemplo, 1-2, 1-3, 1-8, e assim por diante).

As coisas começam a ficar estranho, no entanto, quando você começa a mudar o ajuste fino. Segure uma nota e, lentamente, aumentar a
configuração Fina. Com uma pequena mudança, o som vai “fora de sintonia”, e com uma grande mudança vai tornar-se “sem melodia.” Isto é
porque as frequências da portadora do modulador e já não são em um (número inteiro) rácio musical coerente. Em seguida, tente alternar
oscilador B em modo fixo e jogar algumas notas. Como você jogar em toda a gama do teclado, você terá constantemente mudando
modulações inarmônicos, que são o resultado do modulador ficar em um passo fixo, enquanto mudanças de afinação da transportadora.

Mas a matemática suficiente para agora. Se você quiser explorar os princípios por trás FM síntese mais, há muitos trabalhos
acadêmicos sobre o tema. Por enquanto, tudo o que é importante saber é que mexer com afinação ou mudar de moduladores em
movimentos modo fixo-lo para fora do reino da melódica em sci-fi estranheza, percussão sintética, e caos total.
A HIDDEN MODULADOR: Enquanto os algoritmos operador selecionar quais osciladores será moduladores para outros, há uma outra
modulação escondido você pode executar bem. Clique na seção de um oscilador para mostrar seus parâmetros no visor. Se de
momento não está sendo modulada por quaisquer outros osciladores, você vai notar que o parâmetro feedback torna-se habilitado. Isto
usa a saída do oscilador como uma entrada de modulação por si. Se você começar com uma onda senoidal e virar o parâmetro
comentários até 50%, o resultado será quase idêntico a uma onda dente de serra. Se você tem uma forma de onda diferente sine
selecionado, o resultado será extremamente estranho. Experimente!

os Envelopes
Cada oscilador tem seu próprio envelope volume. Não só isso, mas o filtro e seções Afastamento também têm os seus próprios envelopes,
assim como o LFO. Isso é sete envelopes para uma só voz! Isso é muito em comparação com o mais simples, que tem apenas três
envelopes por voz.

Você ouviu falar nas experiências anteriores como o volume de um modulador afetaria o timbre da transportadora. Portanto, usando um
envelope para alterar o volume de um modulador permitirá que você alterar o conteúdo harmônico de um som como ele joga, como usar um
envelope de filtro na síntese subtrativa. Continuando com o experimento que começou mais cedo, pôr em marcha acima do oscilador B ao
volume total e modificar seu envelope de volume para que ele decai para silenciar muito rapidamente (um exemplo desta forma de envelope
é mostrado na Figura 8.8 ). O som tem agora algum movimento a ele-ela tem um ataque agressivo que decai rapidamente na onda
fundamental sine. Isso ocorre porque oscilador B desempenha no volume máximo quando você toca uma nota, mas rapidamente desaparece
após o ataque inicial. Isto é o que cria a complexidade harmônica no início de cada nota.

Os parâmetros restantes no visor para um oscilador governar como velocidade e chave de acompanhamento afetará campo eo nível do operador.
Para começar, o parâmetro Vel vai modular o volume do operador com base em valores de velocidade positivo fará com que o operador a aumentar
de volume como você joga mais duro, enquanto valores negativos irá atenuar o operador o mais difícil você jogar. Se você usar essa configuração
em um modulador, que terá um efeito semelhante ao aplicar velocidade de escala para um filtro de Envelope na síntese subtrativa. Quanto mais
você joga, a modulação mais FM irá resultar, causando assim um som mais brilhante. O parâmetro chave fará com que o operador para tocar mais
alto ou mais suave (dependendo do valor que você usa) enquanto se movem para os registros mais altos de seu teclado. Este é semelhante ao
acompanhamento chave- encontradas nas seções de filtro de muitos sintetizadores de subtração.

o LFO
Movendo-se para o lado direito da interface do operador, você vai encontrar a seção correta LFO no topo. Em um sintetizador, um LFO é
utilizado para criar automações repetitivas para outros parâmetros do synth. Em um sintetizador subtractiva, LFOs, muitas vezes, ser
usados ​para modular o filtro de corte ou o volume. O LFO de operador pode fazer isso e muito mais.

Para ativar o LFO, ligue-o com a pequena caixa à esquerda do seu menu de forma de onda no shell. Uma vez ativo, você verá todos os

parâmetros aparecem no visor. Preste muita atenção para as quatro caixas com letras correspondem aos osciladores. Por padrão, estes são

todos ligados, e os quatro osciladores serão todos têm seus arremessos modulado pelo LFO. Para ter uma idéia do que você pode fazer com

este LFO, tente desativar o encaminhamento para o seu oscilador transportadora (s), e via o LFO somente aos moduladores. Uma característica

interessante do LFO do operador é que ele não está relegada a baixa frequência (velocidade lenta). o
gama de LFO pode ser ajustado com o pequeno menu drop-down ao lado da forma de onda. As opções são eu
para o modo de baixa frequência, H para o modo de alta frequência, e S para sincronização. No modo de alta-frequência, você pode executá-lo em faixa de
áudio, tornando-o disponível como um outro oscilador de áudio para seus experimentos FM.

O filtro
Persuadindo o seu tom desejado a partir de um sintetizador FM não é fácil, especialmente para iniciantes. No entanto, gerando uma forma
de onda complexa, com FM é fácil. O filtro permite tratar esta forma de onda FM complexo como a forma de onda de partida para a síntese
subtractive, aproveitando a simplicidade um clássico ofertas de filtro. Graças às capacidades de FM do operador, o seu arsenal de formas de
onda é praticamente ilimitada.

Como o LFO, o filtro deve ser ligado antes que ele terá qualquer efeito. Faça isso clicando na caixa apenas para a esquerda do menu
Filter-Type. Você vai ver a primavera exibição de centro à vida com cor, indicando que está ativo o filtro. O filtro contém o mesmo
envelope de seis parâmetro como os operadores e LFO que modulam o Filtro de freqüência de corte. A quantidade de modulação de
envelope é definido com o parâmetro Envelope. Os outros parâmetros no visor determinar a posição da chave e da velocidade irá
afectar o filtro.

Operador tem um total de 14 tipos de filtros, oito dos quais são os filtros Ableton padrão. Os filtros adicionais são os tipos de escada e
SVF em versões de baixo, da banda, e passa-oi. Estes filtro tipos Ambos oferecem distintas qualidades tonais agradáveis, com a SVF
oferecendo a capacidade de auto-oscilação com valores de alta ressonância, eo tipo Escada produzindo um som modelado em alguns
projetos de filtro analógico clássico. (Moog vem à mente.) Certifique-se de experimentar com todos eles.

Em adição aos novos tipos de filtro, filtro do operador também inclui um saturador / waveshaper (encontrado no mostrador). O menu
Shaper oferece quatro tipos, dois deles sendo saturação clássico (macio e duro), e sendo dois efeitos digitais sonoridade mais
incomuns (Sine e 4 bits).

As definições de densidade
Abaixo da seção de filtro é a seção de Pitch, que contém um envelope, bem como alguns outros controles de afinação únicas. Para
fazer o trabalho de Pitch Envelope, você vai ter que ligá-lo usando o interruptor à esquerda e virar o passo Env marcar bem. Você
pode usar ambos os valores positivos e negativos aqui, por isso é possível reverter os efeitos do envelope.

Tal como acontece com o LFO, você pode escolher qual osciladores será modulado com o envelope de afinação. Muitas vezes, não é necessário
para modular todos os osciladores. Claro, se você não modular a todos eles, você pode obter resultados inarmônicos. No entanto, isso pode ser
desejável para o ataque de um som, tal como quando fazendo sons de bateria.

ABREVIA-O: Certifique-se de explorar Operator com o seu botão do mouse-lo direito de com todos os tipos de atalhos jam-embalados. Por exemplo,
o menu de contexto do botão de freqüência inclui uma opção Reproduzir Chave pelo que configura o filtro para controlar o teclado perfeitamente,
enquanto o visor oscilador tem uma opção Export AMS que as exportações uma forma de onda de usuário personalizada para um arquivo de áudio
com um .ams extensão que lata ser usado como uma fonte de som para Sampler.

Na exibição desta seção, você vai encontrar a configuração Glide, que é explicado na seção “Parâmetros Globais”
no topo deste capítulo.
As configurações globais
A última seção do Operador contém configurações globais para o instrumento. Você já está familiarizado com os algoritmos contidos lá, mas

ainda há mais algumas coisas que você deve saber. Primeiro, o controle Time. Este botão ajusta a velocidade de todos os envelopes em

Operador simultaneamente. Você pode atrasá-los drasticamente ou acelerá-los a um ponto onde você quase não notá-los. Esta é uma grande

ferramenta para a realização de ajustes finais para um som que você principalmente terminou concepção. É também um grande dial para

ajustar em presets, ou para automatizar a adicionar expressividade a um som. À direita do botão de tempo é o botão de Tone, que é uma

maneira prática de domar altas frequências. Às vezes, um som soará bem em um campo, mas pode soar duro quando jogado uma oitava ou

dois mais alto. Isso ocorre porque FM síntese é capaz de produzir extremamente altas sobretons, o que pode parecer desagradável. Agarre o

botão Tone para obter este controle abaixo.

Dentro da exibição para as configurações globais, abaixo dos algoritmos, é a matriz de roteamento do operador. Esta configuração permite que
muitos parâmetros diferentes para ser modulada em uma variedade de formas, tornando este sintetizador dramaticamente mais poderoso do que era
antes.

O primeiro item a notar aqui está localizado na coluna “Conexão B” e é marcado passo. Este é o intervalo Pitch Bend,
que é explicado na seção “Parâmetros Globais”.

Que corre verticalmente ao longo do lado esquerdo do visor são os vários moduladores que operador pode responder: Velocity, Key, Aftertouch, Pitch Bend, e

roda de Mod. Os menus e os valores numéricos que aparecem em cada linha são para o encaminhamento desses moduladores de parâmetros específicos. Por

exemplo, digamos que você deseja que a velocidade das notas recebidas para controlar o volume global de Operador. Para fazer isso, basta conjunto de ligação

A na linha Velocity para Volume e definir Valor A para especificar como sensíveis à velocidade que você deseja que o volume a ser (70% é um valor padrão

bom). Agora, o que se quiser que a velocidade para controlar a waveshaper, também, então como você joga mais difícil, as notas também se tornam mais

distorcidos. Não há problema: basta definir Valor B para Shaper Drive e definir a quantidade como desejado. Começar a idéia? Você pode usar qualquer um

desses cinco moduladores para controlar dois parâmetros diferentes de sua escolha simultaneamente. Abaixo a matriz de roteamento, você verá mais sete

parâmetros. Os três parâmetros à direita são usados ​para definir a posição de deslocamento de saída do operador, juntamente com chave e aleatória modulador

quantidades. Os controles de interpolação e AntiAlias ​são principalmente lá para compatibilidade com versões mais antigas do operador, que não têm essas

configurações. Deixando-os em resultados em um mais suave, mais polido som, ao custo de uma carga de CPU ligeiramente mais elevado. Os controles de

interpolação e AntiAlias ​são principalmente lá para compatibilidade com versões mais antigas do operador, que não têm essas configurações. Deixando-os em

resultados em um mais suave, mais polido som, ao custo de uma carga de CPU ligeiramente mais elevado. Os controles de interpolação e AntiAlias ​são

principalmente lá para compatibilidade com versões mais antigas do operador, que não têm essas configurações. Deixando-os em resultados em um mais suave,

mais polido som, ao custo de uma carga de CPU ligeiramente mais elevado.

Sampler

Sampler é mais simples do Big Brother: um instrumento multisampling inteiramente caracterizado com um conjunto completo de modulação,
filtragem e opções de mapeamento (ver Figura 8.8 ).

Figura 8.8 Sampler de Ableton se desdobra para mostrar um editor da camada / zona.
Fonte: Ableton

Embora Vivo teve funções básicas de amostragem desde a introdução do mais simples, Sampler expande vastamente da Vivo amostragem
capacidades através da introdução de suporte para multisampling, bem como uma ampla gama de opções de som de design e de modulação. O
que isto significa? Diferentemente mais simples, Sampler pode conter muitas amostras ao mesmo tempo. Em vez de simplesmente transpor uma
única amostra para cima ou para baixo do teclado, multisampling usos muitas amostras para capturar o som de um instrumento em vários pontos
em sua freqüência e faixa dinâmica.

A teoria e prática da multisampling poderia encher todo um grande livro sobre a sua própria. Configurar o mapeamento amostra intrincada
obrigados a precisão recriar o som ea sensação de um instrumento acústico complexo como um violino é um tópico avançado que não
podemos realmente cobrir aqui em qualquer profundidade. Isso é OK, porque a principal razão pela qual você vai encontrar multisampling é
com presets como Grand Piano do Live. Há outros, mais simples usos criativos de multisampling bem, que você pode usar para criar seus
próprios sons que não têm nada a ver com imitar instrumentos acústicos.

Olhando para a interface Sampler, você verá que suas funções são organizadas em uma série de guias diferentes, incluindo Zone,
Sample, pitch / Osc, Filtro / Global, Modulation, e MIDI. Vamos dar uma olhada em cada um deles e ver como eles funcionam.

OFuso
Clicando na guia Zona traz Zone Editor do Sampler. Ele é usado para mapear as amostras em toda a chave de velocidade e faixas, e
ele aparece acima da interface principal Sampler, como visto no início Figura 8.9 . O Zone Editor abre em sua própria janela especial,
diretamente acima do Track View.

Figura 8.9 O Zone Editor mostrando zonas chave com crossfades.

Fonte: Ableton

No lado esquerdo do Editor Zona é a lista de camadas da amostra. Todas as amostras individuais pertencentes a um determinado instrumento vai
aparecer aqui, referido como camadas. Para grandes instrumentos multisampled, esta lista pode ser centenas de camadas de comprimento. (Note-se que
seleccionando qualquer camada clicando ele carregará a sua amostra no separador de amostras para análise.)
A próxima coisa que vamos olhar é o Zone Editor Key, que é exibido ao selecionar a chave acima da lista. No Figura 8.9 , Eu criei um instrumento
personalizado importando quatro amostras “cozinha tigela”; você pode ver aqui na Zone Editor como as diferentes amostras são mapeados através
do teclado. As amostras são acionados apenas quando notas MIDI de entrada encontram-se dentro de sua zona chave. Por padrão, as zonas-chave
de amostras recém importados cobrir toda a gama de nota MIDI. As zonas podem ser movidos ou redimensionados, clicando e arrastando no meio
ou dos respectivos lados direito ou esquerdo. As zonas também podem ser desapareceu dentro ou para fora ao longo de um número de meios tons
em cada extremidade, clicando e arrastando a linha pequeno estreito acima (consultar Figura 8.9 ). Isto torna mais fácil de configurar crossfades
suaves de zona para zona. O Editor zona também pode ser utilizado para amostras de gatilho de acordo com a gama de velocidade. No A Figura
8.10 , Existe um som almofada composta de três amostras longas, sobreposto por velocidade. A combinação de amostras você vai realmente ouvir
quando uma nota é tocada depende da velocidade dos desencadeantes notas MIDI.

A Figura 8.10 mapeamento de velocidade na Zone Editor.

Fonte: Ableton

A última opção é a Sample Select Editor, que é mostrada clicando no botão Sel. Este é um muito Ableton toque, e funciona como o Selector de
Cadeia em uma cremalheira Instrumento ou efeito. À medida que o selector de amostras (a barra de laranja horizontal acima do editor) é
deslocado da esquerda para a direita, isso permite que a amostra no intervalo mostrado no editor. O Selector Sample tem 128 passos, por isso é
perfeito para mapeamento de MIDI CCs. No exemplo mostrado nas A Figura 8.11 , O selector pode ser movido para permitir que uma das três
camadas mostradas.

A Figura 8.11 Ao utilizar o Sample Select Editor, você pode ter cargas de diferentes amostras ao seu alcance apenas girando um botão no seu controlador MIDI.

Fonte: Ableton

A Tab Amostra
A guia Amostra é onde você pode definir as características de reprodução de amostras individuais. Uma grande parte deste guia é
dedicado a exibir a onda da amostra que você tem atualmente selecionado (ver
A Figura 8.12 ). O nome da amostra é apresentada abaixo na caixa seletor suspensa amostra. Você pode selecionar uma
amostra particular para editar, clicando na janela do Editor Zone, usando este seletor, ou clicando no botão Hot-Swap ao lado
do seletor, que irá levá-lo para o navegador e mostrar-lhe uma lista de amostras usadas no instrumento atual.

A Figura 8.12 O separador de amostra.


Fonte: Ableton

À primeira vista, o separador de amostra é semelhante à exibição de mais simples, e que serve uma função semelhante. No entanto,
Sampler dá-lhe mais poder para controlar a forma como cada uma de suas amostras reproduz e loops. Note-se que as definições no
separador Sample afetará apenas a amostra (ou várias amostras) que são atualmente selecionado na Zone Editor.

RootKey define o campo de referência para a amostra de corrente. Quando uma determinada amostra é desencadeada por uma nota MIDI

de entrada correspondente ao RootKey, ele será reproduzido no seu tom original. notas MIDI mais altas ou mais baixas do que o RootKey

irá transpor a amostra em conformidade. Detune faz ajustes finos para a afinação de exemplo, +/- 50 centavos. Volume ajusta volumes de

amostra individualmente. Pan ajusta a posição esquerda-direita de amostras individuais.

O botão reverso faz com que os multisample inteiras para jogar para trás quando acionado. Neste caso, a reprodução amostra começa
a partir do ponto final da amostra e passa para trás para o ponto de início da amostra.

Quando o botão snap está envolvida, os pontos de início e fim de sua amostra irá ajustar à forma de onda pontos zero-crossing

para evitar cliques ou pops em reprodução. À direita, o resto dos controles na obra guia Amostra juntamente com o envelope Volume

Global no separador Filtro / global para determinar como suas amostras devem ser reproduzidos. A definição de início da amostra

determina onde a reprodução da amostra começará quando acionado, enquanto a configuração End Sample determina onde a

reprodução vai acabar.

Sustain and Release


O Sustentar e modos de disparo são selecionados com os vários botões de seta localizados no centro da área abaixo da tela de
amostra. Estes determinar como amostra de reprodução funciona durante suas respectivas fases do volume envelope ADSR.

Há três Sustain modos: On (seta simples), Loop (seta dupla), e Loop Back and Forth (setas bidirecionais). Quando Ligado é
selecionado, a amostra vai jogar do começo ao fim, até que se chega ao fim da amostra ou o envelope de volume (na página
Filtro / Global) chega ao final de sua fase de lançamento, o que ocorrer primeiro.

Com laço habilitado, a amostra vai jogar desde o início até o fim loop, em que ponto ele irá reverter para o início de loop e continuar loop.
Volta ao início e difere Forth única em que, quando se chega ao ponto final do circuito fechado, ele vai jogar para trás até que ele atinja o
início loop. Alternando no botão Link define automaticamente o início da amostra para o mesmo ponto como o início loop e impede que
eles sejam ajustados para valores separados.
Ativando um dos modos de loop Sustain também permite que você modifique o modo de lançamento, que determina o que vai acontecer

durante a fase de lançamento. Quando está desligado, o circuito de sustentar simplesmente continua através da fase de libertação do

envelope de volume. Quando estiver activada (seta simples), no entanto, o circuito de sustentar é desactivado durante a fase de lançamento,

e as peças de amostra através do ponto final. Selecionando um dos modos de loop permite que o loop Release (aviso o segundo loop cinta

ao right- referem-se a A Figura 8.12 ), Um circuito separado com um ponto final fixo para o valor final da amostra. Com qualquer Loop (seta

dupla) ou Loop frente e para trás (setas bidireccionais), o circuito de sustentar é desactivado durante a fase de lançamento, permitindo que a

amostra de jogar até ao fim, momento em que ele volta para o ponto de lançamento Loop, até o final da fase de libertação. Sustentar loop

Crossfade (marcado crossfade) define fades nas fronteiras circuito para suavizar o loop. Você também pode usar Sustain laço Detune (rotulada

para fazer pequenos ajustes em campo como desejado.

O controle (interpolação) Interpol permite-lhe decidir qual algoritmo você quer Sampler usar aquando da transposição amostras. Você
pode escolher entre Nenhum, Normal (o padrão), Bom, melhor, ou melhor interpolação. Sua escolha aqui pode ter um impacto
significativo sobre a qualidade geral do som que sai de Sampler, mas você também precisa se lembrar que a seleção ou Máxima irá
aumentar o sucesso da sua CPU.

Você pode envolver o interruptor de modo RAM se você deseja carregar todo o instrumento multisampled na memória RAM do seu
computador em vez de fluir-lo do disco em tempo real (o modo padrão). Isso pode ser usado para aliviar os problemas de sobrecarga de
disco que você encontrar ao utilizar Sampler, mas se você tem muitas amostras carregados na RAM, este vai comer a sua memória
disponível rapidamente e afetar o desempenho do seu computador / software negativamente. (Por padrão, Sampler irá carregar apenas o
começo de cada som na memória em primeiro lugar e, em seguida, transmitir o resto do som do seu disco rígido como ele joga.)

Os próximos guias incluem um número de controlos que forma e modificar o som das suas amostras. Vamos olhar o que você pode
fazer com eles.

A guia de Pitch / Osc

A guia de Pitch / OSC (ver A Figura 8.13 ) Contém uma série de controlos para Sampler de Modulação oscilador e Pitch envelope, que são
utilizados para modular a saída de áudio a partir da reprodução no separador de amostra.

A Figura 8.13 A guia Afastamento / Osc.

Fonte: Ableton

A modulação oscilador
A parte superior do separador de Pitch / Osc é ocupada pelos controles para modulação do oscilador Sampler.
Este oscilador não emite nenhum som próprio, mas é usada em vez de modificar suas amostras através de freqüência ou amplitude (FM
ou AM) modulação. Você pode alternar entre estes dois modos usando os botões FM e AM no lado esquerdo da interface. Se você usar
o oscilador de modulação para amplitude de modulação, você está afetando o volume; você pode usar isso para criar efeitos de tremolo
interessantes ou outras mudanças mais radicais no volume. Usado para modulação de frequência, o oscilador de modulação pode
transformar suas amostras, criando efeitos de estilo FM lembram do Ableton FM baseada synth Operator, descrito na seção anterior.

interface de controle do oscilador de modulação apresenta uma imagem de um envelope à esquerda, mostrando as etapas ADSR envelope para o
oscilador. Se você selecionar um tempo de ataque de longo aqui, então o efeito do oscilador vai desaparecer lentamente. Você pode usar isso com
AM oscilação para criar um efeito de tremolo que lentamente se desvanece em depois que uma nota é atingido, por exemplo. Você pode alterar as
configurações de envelope, movendo os pontos de interrupção do próprio envelope ou ajustando os valores nas leituras.

Há uma grande variedade de formas de onda para escolher para o oscilador de modulação, incluindo uma selecção de seno básico, dente de
serra, e ondas quadradas. Você pode escolher estes no seletor de drop-down rotulados Type. Você também pode ajustar uma série de
parâmetros aqui para afetar a velocidade e sincronização propriedades da forma de onda, se é ou não é sincronizado com o ritmo do seu
projeto.

The Pitch Envelope


A parte inferior do separador Afastamento / Osc contém um conjunto adicional de controlo para um envelope passo separado. Há uma exibição gráfica
para edição, assim como controles numéricos. Este envelope pode ser usado para criar mudanças de afinação em suas amostras. A configuração
apenas para a esquerda do envelope, com o nome Quantia, irá ajustar a quantidade total de efeito de mudança de afinação em semitons.

O Filtro / Tab global


O Filtro / guia Global (ver A Figura 8.14 ) Contém os controles para poderoso filtro de morphing de Sampler, bem como um
envelope de volume global. Ambos afetam a saída principal de Sampler.

A Figura 8.14 O Filtro / guia Global.

Fonte: Ableton

O filtro
O filtro em Sampler tem um número de diferentes modos disponíveis, incluindo um filtro de transmutação (M) com variedades 12dB e 24dB, bem
como passa-baixo padrão, passa-banda, e os tipos de alta passagem. O filtro de transmutação é interessante em que ele pode sem problemas de
transição de um tipo de filtro para outra; por exemplo, a partir de baixo para passar passa-alto, que varre através do espectro de frequências e
resultando em algumas formas de filtro incomuns ao longo do caminho. Tente encaminhamento do controle Morph a um controlador MIDI externo e
automatizando-lo para alguns efeitos de filtro muito interessantes. Os comporta tipo de filtro SVF como o Morphing filtra, mas fornece diferentes
características tonais.
De atenção especial na seção do filtro é o Shaper abaixo. Isto oferece os mesmos modos de distorção / waveshaping oferecidos pelo
operador, com a opção adicional de mudar sua posição no caminho do sinal. Clique na seta diretamente acima do interruptor Shaper para
aplicar waveshaping antes ou depois do filtro. Tentar fazer isso, e você verá isso não é pouca distinção. Apenas mudando a ordem das
operações aqui tem um grande impacto sobre o som.

O Volume Envelope
O envelope de volume é um envelope global; ele irá afetar a forma como a saída final de Sampler é ouvido. Você tem Ataque padrão,
Decay, Sustain, e controla a liberação aqui, bem como uma configuração inicial que lhe permite especificar o volume no momento em que
o envelope é acionado.

Além disso, observe as pequenas alças azuis no display gráfico, entre aqueles que representam os valores ADSR. Estes podem ser arrastados para
alterar a forma envelope de linear para exponencial. Quando arrastado, você verá os controles abaixo de atualização para mostrar os valores
numéricos para a inclinação que você está desenhando.

O Tab Modulation
A guia de modulação (ver A Figura 8.15 ) Dá-lhe quatro diferentes fontes de modulação que você pode usar para continuamente modular
e alterar quase qualquer parâmetro em Sampler. Há uma Modulation Envelope aqui, bem como três LFOs separados e uma série
familiar de controles.

A Figura 8.15 A guia de modulação.

Fonte: Ableton

Aux Envelope
O mais à esquerda seção deste guia é a interface para o envelope auxiliar, que pode ser usado para aplicar a modulação ADSR para
uma variedade de parâmetros de Sampler. Ele pode ser ligado usando o botão Aux na borda esquerda da interface. Se você clicar os
optantes drop-down rotulados A e B na parte inferior desta parte, você verá uma longa lista de outros parâmetros em Sampler. Qualquer
um destes pode ser selecionado como um destino a ser modulado pelo envelope. Os optantes A e B permitem selecionar dois alvos da
modulação simultâneas a ser afetado.

LFOs
Há três LFOs aqui você também pode usar para modular uma ampla variedade de parâmetros em Sampler. O primeiro, rotulado LFO1,
tem quatro particulares parâmetros globais: volume, Filter, Pan, e Pitch. Os outros dois, e LFO2 LFO3, pode ser atribuído livremente para
uma lista de parâmetros em Sampler; assim como com o Modulation Envelope, os optantes A e B permitem selecionar dois alvos da
modulação simultâneas a serem afetados por cada LFO.

Cada um destes LFOs pode ser configurado para sincronizar com o ritmo do seu Live Set ou ser cronometrado em ciclos por segundo. Você pode
escolher quais destes comportamentos que você quer de cada LFO, clicando no botão Hz (Hertz) ou no pequeno botão com uma imagem de uma
nota musical apenas para a direita dele. Em seguida, use o controle para a direita deste (rotulado Freq ou Beats, dependendo do modo que você
selecionou) para
definir a frequência exata do oscilador. Você pode selecionar de uma variedade de formas de onda padrão para cada LFO, tais como quadrada, dente de
serra, e ondas senoidais.

Além disso, os LFOs podem ser forçados a começar desde o início do ciclo de cada vez que uma tecla é pressionada, permitindo que o interruptor
Retrig. Com esta desligado, o LFO irá correr livremente. O controlo de compensação é particularmente útil quando se usa um LFO sincronizados.
Por exemplo, digamos que você está modulando um filtro low-pass para que ele sobe ao seu valor de pico em cada semínima. Alterando Offset
para 90, você vai inverter o padrão, então a frequência de pico ocorre em cada excêntrico vez.

O Tab MIDI
Tenho certeza que você não será surpreendido quando eu lhe digo que o guia MIDI (veja A Figura 8.16 ) É o lugar onde você configurar
roteamentos de modulação MIDI para Sampler. Aqui, você pode usar vários parâmetros MIDI como entradas de modulação e usá-los para afetar
vários parâmetros em Sampler. Vamos olhar como fazer isso.

A Figura 8.16 A guia MIDI.

Fonte: Ableton

A interface aqui permite-lhe tirar a entrada MIDI a partir de um número de parâmetros específicos. O MIDI parâmetros disponíveis como
fontes para modulações são listados ao longo do bordo do lado esquerdo do separador, incluindo Chave (pitch), velocidade, Off Vel
(velocidade de libertação), Chan Pres (aftertouch), roda da modificação, e Pitch Bend. Qualquer uma destas fontes de entrada pode ser
mapeado para dois destinos de modulação diferentes ao mesmo tempo, utilizando o Destino Destination A e B Choosers suspensas. É
possível definir a quantidade de modulação com os controlos montante A e B Quantidade. Ao encaminhar o parâmetro Velocity ao volume
de controle, você pode fazer suas amostras reproduzir mais alto ou muito baixo quando esses canais recebem maior ou menor mensagens
velocidade MIDI, ou, por exemplo, quando você joga mais duro ou mais macio em seu teclado controlador MIDI. (Note que você também
pode fazer isso com o Vol <

Importação de Instrumentos de Terceiros

Como mencionado anteriormente, se você já possui quaisquer coleções de instrumentos multisampled em AKAI, GigaStudio, a Apple ESX24
/ Garageband, SoundFont, ou em formato Kontakt, você pode importar estes em Sampler para fácil acesso na Live. Para importar uma
predefinição instrumento de terceiros em Sampler, localize o arquivo no navegador e clique duas vezes para convertê-lo para uma
predefinição Sampler. Se isso não funcionar, você pode ser capaz de abrir o preset arrastando-o a partir do browser e soltando-o Sampler.
Você pode ver todos os seus instrumentos importados na vista Instruments sob Sampler> importado. Alguns instrumentos multisampled mais
complexas serão convertidos em Instrument rack presets usando várias instâncias do Sampler de forma a melhor traduzir o som do original.
Para a maioria dos formatos Multisample, ao vivo irá importar as amostras de áudio para a Biblioteca, onde eles vão aparecer como novas
amostras sob Amostras> importados. No entanto, nota que, no caso da Apple EXS24 / GarageBand
e Kontakt formatos Multisample, ao vivo irá criar novos presets Sampler que referenciam o WAV original ou arquivos de amostra do FIA. Isso
significa que eles não irão funcionar se você remover o WAV original ou amostras do FIA. (No entanto, Gerenciador de Arquivos da Vivo também
oferece a opção de recolher e guardar essas amostras externas para a Biblioteca, se desejado.)

Os instrumentos AAS

O restante da Vivo embutidos instrumentos são desenvolvidos em parceria com sistemas acústicos Aplicadas, uma empresa de
software especializada em modelagem tecnologia. preocupações de modelagem física se com a criação de equações matemáticas que
imitam ou “modelo” o comportamento de eventos acústicos do mundo real. Três destes sintetizadores-colisão, elétrica e Tension-são
baseados em processos físicos familiares: martelos batendo bares tom e palhetas arrancar cordas, por exemplo. Analógico, por outro
lado, o comportamento modelos que se passa sob o capô de um sintetizador analógico, então do ponto de vista de síntese, que vai ser
um pouco mais familiar.

Enquanto isto pode parecer bastante pedestre, prepare-se para uma grande mudança de paradigma se você nunca trabalhou com um
sintetizador de modelagem física antes. Porque você estará trabalhando com controles que eventos físicos modelo, você precisa estar ciente
de que muitos dos parâmetros afetam uns aos outros de forma dramática. Especialmente no caso de tensão, é possível criar patches que não
criam qualquer som em tudo! Você precisa pensar mais em termos de inventar e tocar um instrumento, em vez de girando botões. (Será que
um muito bom arco foi muito rápido através de uma corda de violino com muito pouca força produzir qualquer som? E se você movê-lo
lentamente?)

Elétrico

Elétrico, o mais simples dos instrumentos de modelagem física, é um emulador elétrico-piano (ver Figura
8,17 ). Em vez de reproduzir pianos elétricos reais por meio de amostragem, modelagem física é usado em seu lugar. Isto significa
que o som é produzida por meio de equações matemáticas representam os vários aspectos físicas do próprio instrumento.

A Figura 8.17 Elétrica lhe dá o poder de projetar uma grande variedade de pianos elétricos.

Fonte: Ableton

A interface do elétrico é dividido em quatro seções dedicadas a diferentes aspectos de como um piano elétrico produz um som: o martelo, o
garfo de metal que fica impressionada com o martelo, o amortecedor que os controles de ressonância do dente, eo captador magnético que
converte o som em eletricidade . A quinta seção, Global, lida com as configurações gerais do instrumento que não são específicos piano
elétrico.

Malho
Esta secção controla as características do malho, ou martelo, que faz com que o garfo de metal para vibrar. Rigidez representa o quão difícil a superfície do
malho é, por isso valores mais baixos irão produzir um ataque mais suave, ao passo que valores mais elevados tendem a tornar o som mais percussiva e menos
encorpado. Força é a velocidade com que o martelo bate no garfo, com valores mais elevados tendem a produzir mais overdrive e “rosnar”. Uma vez que ambos
estes controles afetam o quanto o garfo é feito vibrar, eles interagem uns com os outros de perto. Por exemplo, ambos os valores afetam o volume global do som,
mas de maneiras diferentes. Um martelo muito difícil bater o garfo com uma pequena quantidade de força tenderá a produzir um ataque duro, mas um som global
relativamente fraca. Um martelo macio bater um garfo muito duro vai produzir um som mais cheio muito em um volume semelhante ao primeiro cenário, mas com
um ataque muito mais fraco. Ambos os parâmetros podem ser modulados, tanto pela velocidade e o tom das notas MIDI. Este é onde a modelagem física fica
interessante. É bastante intuitivo para ver que modulando a força com velocidade vai criar uma situação do mundo real, em que mais força é aplicada como você
golpeia a chave mais difícil. No entanto, também tem a opção de fazer martelos do nosso piano elétrico ficar mais difícil à medida que tocar mais alto (ou mais
suave se você quiser). É bastante intuitivo para ver que modulando a força com velocidade vai criar uma situação do mundo real, em que mais força é aplicada
como você golpeia a chave mais difícil. No entanto, também tem a opção de fazer martelos do nosso piano elétrico ficar mais difícil à medida que tocar mais alto
(ou mais suave se você quiser). É bastante intuitivo para ver que modulando a força com velocidade vai criar uma situação do mundo real, em que mais força é
aplicada como você golpeia a chave mais difícil. No entanto, também tem a opção de fazer martelos do nosso piano elétrico ficar mais difícil à medida que tocar
mais alto (ou mais suave se você quiser).

Os modelos Noise subseção o barulho do martelo batendo o garfo, por isso também afeta o ataque do som de piano. Ruído, no
entanto, é independente do tom que o garfo produz. Pense nisso como um ataque percussivo adicional que você pode
misturar-se com o controle de nível para dar o som mais definição. Para obter uma melhor compreensão de como afeta ruído
do som, rode ambos os controles de nível na secção Fork até 0% e brincar com o barulho Pitch and Decay.

Garfo

Alguns pianos elétricos, como os feitos pela Yamaha, usar cordas reais para produzir o som de apenas como um piano acústico. O mais
familiar som de piano elétrico, no entanto, é o som de um martelo golpeando um ajuste de metal fork-o design do famoso do piano
Rhodes. O garfo de sintonia é composta de duas partes distintas: um fio de metal duro (o “dente”) e um ressonador de metal sintonizado
(o “tom bar”). O dente é atingida pelo martelo, e isso faz com que o ressoador vibre, criando um campo distinto.

Para entender como as subseções Tine eo tom do trabalho garfo, comece girando o controle de nível para Tone para 0% e o nível e Decay para o Tine a 100%.

Isto irá permitir que você ouvir claramente apenas a parte Tine do som. Soa muito como você pode imaginar um martelo de bater um fio-a “ping” duro de alta

frequência com muito pouco corpo ao som. Aumentar o controle Cor vai trazer mais das frequências mais altas, reduzindo ele vai fazer o mais escuro som. O

controle Decay pode ser usado para fazer a faixa de som de um curto hit percussivo a um anel desenhado-out. Uma vez que você tem uma alça sobre a parte

Tine do som, a seção Tone é bastante auto-explicativo. Esta é, obviamente, o som do ressonador sintonizado que produz a parte do leão de tom do piano.

Novamente, você pode se familiarizar com este aspecto do som do piano girando para baixo o controle de nível nas outras seções e ouvi-lo por si só. Os ajustes

de controle Decay quanto tempo a nota ressoa enquanto a tecla é pressionada, enquanto o lançamento determina quanto tempo as notas anéis após a tecla é

liberada. Não espere para ouvir longos tempos de liberação, como você faria com um synth, no entanto. Porque nós estamos modelando o comportamento de

uma parte vibrante de metal em contato com um amortecedor (veja abaixo), o tempo de liberação é necessariamente bastante curto. Contudo. Porque nós

estamos modelando o comportamento de uma parte vibrante de metal em contato com um amortecedor (veja abaixo), o tempo de liberação é necessariamente

bastante curto. Contudo. Porque nós estamos modelando o comportamento de uma parte vibrante de metal em contato com um amortecedor (veja abaixo), o

tempo de liberação é necessariamente bastante curto.

Amortecedor

Em um piano elétrico real, os amortecedores controlar o recurso sustentar de uma nota. Quando uma tecla é pressionada, o mesmo mecanismo que
move o martelo também move o amortecedor longe do garfo para que ele possa ressoar.
Quando a chave é liberada, os amortecedores se move de volta no lugar, fazendo com que a barra de tom para parar de tocar. Na seção
Damper, você pode controlar tanto a dureza da superfície do amortecedor e o barulho feito pelos amortecedores móveis e para trás.

Como o valor Tone é aumentada, amortecedores mais duros são modelados, e o abafador de ruído torna-se mais brilhante e mais pronunciado. A
ATT / Rel maçaneta controla se o amortecedor de ruído é ouvida pelo ataque ou a libertação da nota, com -100% sendo ataque só, sendo 100%
de libertação única, e 0%, sendo ambos. Para ouvir o que a secção Damper está fazendo, é mais fácil se você acionar o botão de Att / Rel para
0% ou mais por isso soa quando a nota é liberada. O barulho amortecedor sobre o ataque é muito mais difícil de ouvir, uma vez que é mascarado
pelo ataque do piano. Além disso, é importante notar que a quantidade de abafador de ruído ouvido pode ser muito afectado pelas definições do
recolhimento.

Pegar
Muito como uma guitarra, as vibrações produzidas pelo martelo de uma forquilha-marcante são convertidos num sinal eléctrico por meio da
utilização de um captador, de modo que pode ser amplificado. A seção Captura personaliza a concepção e posição da picape, que tem um
enorme impacto sobre o som final. Antes de olhar para os botões, você vai querer voltar sua atenção para o tipo de captação (R ​e botões W,
no canto inferior esquerdo do seção do recolhimento). Quando definido como W, os captadores tem a mordida de ponta típico dos captadores
electrostáticas em um piano Wurlitzer. A configuração R tem os médios pronunciada e completa low-end associados com captadores
magnéticos um piano Rhodes.

Para se familiarizar com os controles SYMM e à distância, começar com Distância em 100% e SYMM em 0%. SYMM controla simetria do
captador em relação ao garfo. Em 50%, o captador está centrada directamente em frente do dente. Movendo o botão para os movimentos
de esquerda da picape cada vez mais acima do tine, enfatizando os harmônicos mais altos, enquanto movê-lo para as mudanças certas
na posição de captação mais baixas, enfatizando harmônicos mais baixos. Observe a mudança dramática como você varrer simetria de 0
a 100%. controles distância quão longe do garfo a picape é. Quanto mais longe o captador é do garfo, o mais espectralmente equilibrou o
som será, enquanto movê-lo mais perto vai enfatizar as frequências produzidas pela parte do garfo que está mais próximo e vai produzir
mais ultrapassagem. Ajustar a distância tem um efeito diferente, dependendo do tipo de captação que você está usando. No caso do
captador W, diminuindo a distância irá aumentar a mordida de ponta e diminuir a quantidade de baixo global. O captador R funciona um
pouco diferente. Primeiro, assista seus alto-falantes e os vossos ouvidos, porque diminuindo a distância do captador R aumenta o volume
do som. À medida que o captador R é movido para mais perto, não há um aumento global na unidade e intensidade nos altos e médios
sem muito baixa atenuação-fim.

Global
A seção global lhe dá controle sobre as características gerais do Electric. Para obter informações sobre esta seção, consulte a seção
“Global de parâmetros”, anteriormente neste capítulo.

Tensão

A tensão é a besta mais interessante e incomum dos instrumentos AAS Ableton (ver A Figura 8.18 ). Como um synth “string de modelagem”,
que leva os conceitos de modelagem que você viu no elétrica a um nível totalmente diferente. Onde elétrica modelos um tipo específico de
instrumento, Tension aplica-se a modelagem
genericamente para toda a gama de instrumentos de cordas, variando de violoncelos de pianos. Os muitos parâmetros oferecidos por
este instrumento também dar-lhe a oportunidade de criar alguns instrumentos de sons bizarros que poderia nunca existir no mundo real.

A Figura 8.18 Tensão permite a criação de instrumentos de cordas de muitos tipos diferentes, incluindo raridades como um violino tocado com martelos do piano.

Fonte: Ableton

A interface de tensão é dividido em várias seções de modelagem diferentes aspectos de um instrumento de cordas: o Excitator que faz
com que a corda a vibrar; O amortecedor que reduz as vibrações da corda; ea terminação, que emula os efeitos dos dedos e trastes, o
tipo eo tamanho do corpo do instrumento, a picape para emular instrumentos elétricos, e, finalmente, a própria corda. A tensão
também possui uma segunda página de parâmetros para o filtro e outros aspectos do instrumento não relacionados com a modelagem
string.

Note-se que cada seção tem um interruptor on / off ao lado do nome da seção, o que lhe permite ignorar um conjunto de parâmetros
completamente. Enquanto aprender como usar tensão, que vai ser útil para desligar outras seções enquanto aprende um novo. É um mal
necessário (ou benefício) de modelagem que muitos parâmetros de perto interagem uns com os outros. Por exemplo, um arco que é
aplicado a uma string com muito pouca força só vai produzir um som se o arco é movido muito lentamente. Há muitas dessas interações
neste instrumento.

Excitator
Esta seção lida com um dos aspectos mais fundamentais de qualquer instrumento de cordas: a relação física entre a corda
eo objeto que “excita”-lo em movimento. Aqui você pode optar por usar um arco, um martelo piano, ou uma palheta
(escolha) para obter seu som vai. Dependendo do Excitator que você escolher a partir do menu, você será presenteado
com parâmetros diferentes para definir o objeto que você escolheu e da maneira que ele é usado. Com esta secção
desligado, você provavelmente vai receber nenhum som fora de tensão, embora seja possível criar sons que consistem de
abafador de ruído e decadência do string. Para um arco, você vai ver primeiro os parâmetros para Force (o quão duro o
arco é empurrado contra a string) e para Friction (a quantidade que o material arco resiste naturalmente a string). Velocity
determina a velocidade com que o arco está se movendo,

Martelos têm um conjunto totalmente diferente de parâmetros. Você pode ajustar a massa ea rigidez do martelo, seguido pela
velocidade em que ela atinge a corda (velocidade) e localização do martelo (Position). O controle final, amortecimento, controla a
rigidez do mecanismo que traz o martelo em contacto com a corda. Em valores mais elevados, a ação é muito “elástico”, então os
saltos martelo direita fora da cadeia, permitindo que ele a vibrar em voz alta. Em valores mais baixos, a ação de martelo é muito
rígida, silenciar a corda um pouco como ela aterra firme sobre ela.

Hammer (saltar) simula um martelo que é jogada sobre a corda e permissão para saltar várias vezes. Mais uma vez, aqui você vê uma
complexa interação de forças. De um modo geral, a velocidade vai ter o maior efeito sobre o quanto os saltos de martelo, com baixos
valores de produção de pequeno volume, uma série de saltos rápidos que podem se tornar tão sutil quanto um leve zumbido, e os
valores mais elevados emulando o comportamento de um martelo deixado cair de uma altura muito grande, produzindo um longo fuga
de saltos com vários segundos entre o ataque inicial e o primeiro ressalto.

A palheta é um nome fantasia para uma palheta de guitarra. Tem o mesmo conjunto de parâmetros como um martelo, com a excepção de saliência,
que substitui massa. Protrusão especifica a quantidade de superfície do pico que entra em contacto com a corda. Os valores mais baixos significam
apenas a ponta da picareta está a ser utilizada para arrancar o fio, ao passo que valores mais elevados utilizar mais do pico e, em resultado um som
mais alto.

Amortecedor

Os controles seção de amortecimento como a corda é feita para parar de vibrar. No caso de um piano, que emula o comportamento dos
amortecedores de feltro que entram em contacto com as cordas quando a chave é libertado (e o pedal de sustentação é desligado). No caso de
uma guitarra, o amortecedor pode ser o guitarrista reduzir a pressão sobre a corda com a mão de digitação ou usando a palma da mão
dedilhando para silenciar as cordas.

Olhando para os controles do amortecedor, você vai ver que eles são os mesmos que os do martelo na seção “Excitator”. Isto faz sentido,
porque o som produzido pelo amortecedor é afectada por todas as mesmas qualidades-a massa total, a rigidez da superfície do
amortecedor, a velocidade com a qual ele entra em contacto com a cadeia de caracteres, e a sua posição ao longo do comprimento a
corda. O controle final, amortecimento, determina qual a rigidez do mecanismo amortecedor é.

Corda
Aqui é onde você vai definir as propriedades da própria corda. A Decadência e Relação de trabalhar em estreita colaboração com o outro. Os
controles Decay ajuste tanto tempo de decaimento inicial do string (logo após o ataque) e o tempo de liberação (após a tecla é liberada). Com
definir o formato para 0, a decadência da corda começará após a nota é atingido e continuar a decair naturalmente, independentemente de quão
rapidamente a tecla é liberada. Em 100, a nota irá decair naturalmente, desde que a tecla for pressionada, mas vai cortar abruptamente assim que
a tecla é liberada. Para obter uma melhor sensação de isso, defina Decay em um valor alto e, em seguida, experimentar com diferentes valores
Ratio, certificando-se de testar cada valor com tanto uma tecla longo e um curto. O valor da chave também pode ser usado para controlar a
quantidade tom da nota vai modular o tempo de decaimento. O truque aqui é que desde que você está modelando cordas do mundo real, as notas
mais baixas serão sempre decadência mais longo do que aqueles mais elevados. (Basta imaginar o que acontece quando você bate a nota mais
baixa ea mais alta nota em um piano com o pedal de sustain.) O controle Key modula este comportamento natural. Então, elevando este valor,
você pode fazer as notas mais altas anulares mais longos e as notas mais baixas mais curto do que normalmente faria. Abaixando o valor Key vai
exagerar comportamento decaimento natural do instrumento. Os controles inarmônicos e amortecedor ambos afetar o tom do instrumento de
maneira dramática. controles inarmônicos quanto os parciais superiores da corda estão fora de sintonia com a série harmônica. Ao contrário de
uma seqüência teórica perfeito que produz um som perfeitamente puro, cordas no mundo real têm qualidades inarmônicos. Dependendo do
Excitator você está usando,
efeitos de aumentar este valor. Com um arco, as frequências superiores do som vai se tornar mais como o ruído, enquanto uma corda
martelado simplesmente começam a soar mais fora de sintonia com o próprio como os harmônicos mais altos são detuned.

Rescisão e Captura
Rescisão se aplica aos instrumentos de cordas que são dedos. Em outras palavras, uma cadeia indivíduo é “terminado” ou encerrado em uma das
suas extremidades por um dedo, e possivelmente um traste, em oposição a um piano ou um foles, onde as cordas são fixados entre duas cavilhas
e sintonizado para o passo desejado . O dedo de massa refere-se a força que está a ser aplicado com o dedo. Em valores mais baixos, o campo
torna-se menos distintas como a cadeia é terminada em menos de uma forma estável. Se Fret rigidez é aumentada com uma configuração de
baixa massa Finger, você vai ouvir o zumbido corda contra o traste, assim como ele fez durante sua primeira aula de violão. Com um baixo Fret
Rigidez, você geralmente obter um tom menos distinta a partir da cadeia, a menos, ou seja, você aumentar o dedo Rigidez para compensar a falta
de trastes claras sobre o pescoço.

Ligar a secção de recebimento altera o som do que de um instrumento acústico para a saída de um captador magnético. O controle de
posição altera a localização da picape. Em 0, o captador é colocado no ponto de terminação da cadeia, bem como o captador de ponte em
uma guitarra elétrica. Como o valor é aumentado para 50, a picape é movido para mais perto do ponto médio da corda, mais como
captador do braço de uma guitarra elétrica.

Corpo

O corpo serve a dois propósitos na criação de nossos instrumentos de corda modelados. Primeiro, o corpo do instrumento funciona como um
amplificador de vibrações das cordas, que pode adicionar plenitude adicional e uma maior deterioração do som. O corpo também filtra as
freqüências que se irradia, colorindo ainda mais o som final.

Para se ter uma compreensão dos diferentes tipos de corpo, tente experimentar com diferentes pessoas, primeiramente, definir a High and Low
Cut a 0 e definir a relação Str / corpo a 100 (todos os sons do corpo, nenhum som seqüência direta). Passando-se o decaimento bem tenderá a
exagerar o efeito do corpo e tornar os seus efeitos ainda mais claro. Como você poderia esperar, um corpo de piano oferece a resposta mais suave
em todo o espectro de freqüência, enquanto o corpo do violino tende a trazer as frequências mais altas mais. Ao lado do menu Tipo físico, existe
um menu para selecionar o tamanho, variando de pequeno extra para grande extra. tamanhos maiores do corpo tendem a fazer o som do
instrumento mais difusa e mais longe, enquanto tamanhos menores fazem o som do instrumento mais próximo e presente.

Filtro / global

A seção Filter (veja A Figura 8.19 ) Está localizado na segunda página de tensão de parâmetros e consiste de um filtro multimodo que
pode ser modulada com tanto um envelope e um LFO. Além dos tipos de filtros comuns, você também encontrará um filtro formante
(F6 e F12 no menu Filter), que é um filtro inspirado na ressonância do trato humano vocal. Ajustar a ressonância deste filtro varre os
sons das vogais A, E, I, O, U e é capaz de produzir algumas muito poderosas frequências ressonantes, para estar preparado para
reduzir o volume de saída, ou você pode encontrar-se correndo em alguma distorção desagradável . Abaixo da frequência e controles
de ressonância, você encontrará controles adicionais para especificar o quanto você quer esses valores para ser modulado pela
envelope eo LFO.
A Figura 8.19 A seção de filtro pode ser usado para dar algum sabor adicional a seus instrumentos de corda modelados.

Fonte: Ableton

Para os parâmetros globais, consulte a secção “global Parâmetros”, anteriormente neste capítulo.

análogo

Analógico é tomada de Ableton em um sintetizador subtrativo clássico (veja A Figura 8.20 ). Dois osciladores e um ruído gerador alimentar
dois filtros e dois amplificadores de saída. Existem dois LFOs independentes que podem ser utilizados para modular a quase qualquer
aspecto do som, e cada módulo tem a sua própria secção do envelope bem. Muito tem sido escrito sobre os princípios de sínteses
subtrativos que, em vez de cobrir toda essa terra pela milionésima vez, vamos concentrar a maior parte de nossa energia nesta seção
sobre o que faz este pequeno sintetizador único.

A Figura 8.20 Analógico é um poderoso estilo analógico subtractive sintetizador.

Fonte: Ableton

A interface do analógico é semelhante ao operador na medida em que é dividido em uma série de módulos que rodeiam uma janela centro
que será atualizado para fornecer parâmetros adicionais para qualquer módulo é selecionado atualmente. Mais uma vez, aqui usaremos a
terminologia Concha para se referir aos controles básicos no anel exterior da interface e exibição para se referir a janela central.

Os módulos para analógico são os seguintes: dois osciladores, um gerador de ruído, dois filtros e amplificadores, os LFOs e, finalmente, o mestre. Clicando em
qualquer lugar em qualquer um desses módulos mudará a exibição do analógico para mostrar seus envelopes, roteamento LFO, ou quaisquer outros
parâmetros que podem ser aplicados. Finalmente, também em atenção que o nome de cada secção (por exemplo, OSC1) é também um interruptor que pode
ser utilizado para ligar o módulo ligado ou desligado.

Osciladores e Ruído
Os osciladores são onde o som começa. Nos módulos Osc, você pode selecionar o formato da forma de onda, ajustar o volume e ajuste, e set se
ele é encaminhado para filtro 1, filtro 2, ou ambos. O valor por defeito para o encaminhamento de filtro é de 50/50, ou seja, o sinal é dividido
igualmente entre ambos os filtros. Arrastando para cima ou para baixo neste controlo irá mostrar a relação entre a quantidade de sinal é
distribuído para cada filtro
até que seja exibido F1 (Filtrar uma única) ou F2 (filtro 2 apenas), ponto em que o sinal não é mais dividida entre os dois
filtros.

Com o módulo OSC1 ou OSC2 seleccionado, o visor contém controlos para ajustar a inclinação do oscilador, largura de pulso, e
opcional Sub ou de sincronização do oscilador. O display gráfico na esquerda mostra o envelope de afinação, o que é usado para fazer
ascensão campo do oscilador ou cair em sua altura alvo. Este visor corresponde ao campo de Env inicial (o campo de partida) e de
tempo (o tempo que demora a atingir o passo final) controlos, visto para a direita. Abaixo, você pode determinar se o campo deve ser
modulado pelo LFO. Os LFOs são “hardwired” ao seu correspondente oscillators- OSC1 só pode ser modulada por LFO1 e OSC2 só
pode ser modulada por LFO2.

A secção de largura de pulso só é activado quando uma onda quadrada é seleccionada como a forma de onda. Tente varrer esta de 0 a 100, e
você vai ouvir o movimento tom de ser estreita e beliscou a grande e gordo. A modulação da largura de pulso com o LFO é uma ótima maneira
de adicionar algum movimento sutil ao seu som. Note-se que a menos que o LFO é realmente ligado, a quantidade de modulação LFO será
desativado. Escondido dentro de cada módulo do oscilador é um segundo oscilador que pode ser controlado através da secção Sub / Sync.
Quando o modo for definido para Sub, uma nota adicional irá soar uma oitava abaixo do tom do oscilador principal. O volume do tom de Sub é
definido pelo controle de nível. Se você quer um pouco de maldade real, entretanto, tente definir o modo de sincronização. Quando ajustado
para Sync, o oscilador adicional não é ouvida diretamente. Em vez, ela é usada para controlar o oscilador principal, forçando-o para reiniciar a
partir do início da onda para cada ciclo do oscilador de sincronização. Isso muda o conteúdo harmônico do oscilador principal, com o tom e
intensidade cada vez maior à medida que aumenta a proporção (a frequência do oscilador de sincronização).

Finalmente, entre os dois osciladores é o módulo de ruído, um gerador de som que produz ruído branco. Noise tem muitos usos, não só na
produção de sons de percussão, mas também para adicionar um pouco de ataque ou textura extra para um som de outra maneira escuro. Todos
os controles para Noise estão localizados no shell. O filtro de roteamento funciona exatamente como ele faz para os osciladores, eo controle da
cor é um filtro passa-baixa simples que pode ser usado para reduzir o conteúdo do ruído de alta frequência.

Filtros e Amplificadores

Uma vez que a onda sonora deixa o módulo oscilador, ele passa para os filtros. Embora os filtros são uma parte essencial da maioria dos
sons, estritamente falando eles não precisam ser usados. Ambos os módulos de filtro pode ser desligado, e analógica vai funcionar muito
bem. Qual filtro será usado para moldar o seu som é determinada pelo filtro de encaminhamento nos módulos oscilador.

Enquanto os dois filtros são essencialmente idênticos, eles têm algumas diferenças sutis. Ambos têm menus para a seleção de um tipo de
filtro e os controles de freqüência e ressonância habituais. A primeira diferença entre os dois é que filtro 1 tem um controle chamado para F2,
que pode ser usado para enviar a saída do filtro de 1 a Filtrar 2. Isto dá-lhe a opção de executar os dois filtros em série (um após o outro) em
vez de em paralelo. Para entender completamente o que é possível aqui, também é importante compreender que os filtros e os
amplificadores estão com fio para o outro, em outras palavras, filtro 1 é passado para Amp 1 automaticamente, enquanto o mesmo é válido
para Filtro 2 e Amp 2 . Assim, mesmo se você rota Filtro 1 em Filter 2, ele ainda estará indo para Amp 1.

Vamos olhar um exemplo. Para começar, vamos supor que você tem ambos os filtros e os dois ampères ligados
, e que ambos os osciladores são encaminhadas apenas Filtro 1. Filtro 1 está definido para enviar 100% do seu sinal para Filtro 2. Isso
faz com que a saída do filtro 1 para ser enviado tanto para Amp 1 e Filtro 2, porque o controle “Para F2” é um send-lo bate o sinal e
passa-lo para o segundo filtro sem interromper o fluxo de sinal para Amp 1. Isto significa que se você quiser realmente ouvir os filtros
operam em série, você necessidade de virar Amp 1 completamente. Agora, o sinal vai fluir a partir do filtro para um filtro de 2 a 2 Amp e
depois para a saída principal. Se você deixar Amp 1 ligado, você vai ouvir uma combinação da saída do filtro 1, juntamente com a saída
do filtro 1 e filtro 2 rodando em série.

Filtrar 2 apresenta um interruptor de escravo, que permite que a sua frequência de corte para ser controlado a partir de filtro 1. Com
Escravo activado, o controlo de frequência do filtro 2 controla a diferença entre as duas frequências de corte. Isto poderia ser usado para
criar um filtro duplo com dois picos que são sempre a mesma distância entre si. Então, sempre filtro 1 é modulada, seja manualmente ou
por um LFO, Filter 2 irá segui-lo. Com qualquer um dos filtros selecionado, o visor do Analog irá exibir as opções do envelope (veja
abaixo), bem como algumas outras opções. Seleccionar um modo de unidade fará com que o filtro a ultrapassagem, com os modos
assimétricos tendentes a criar uma distorção rica sonoridade mais harmonicamente e os modos simétricos sendo um pouco sobre o lado
mais desagradável. As seções Freq modificação e Res modificação especificar quanto a freqüência filtros e ressonância são modulados
pelos LFOs, o pitch (Key), eo envelope. O display parece quase idêntico quando os módulos Amp são selecionados, a única diferença é
que não há controle Drive, ea seção Modulation se aplica ao volume e Pan.

Filtros e envelopes Amp


Desde as seções do envelope para os filtros e os amplificadores são idênticos em design, vamos discutir os dois juntos. O envelope é um envelope ADSR

(Ataque, Decay, Sustain, Release) que pode ser ajustado arrastando os pontos de interrupção na exibição gráfica ou alterando os valores no visor numérico para

a direita. Na parte numérica do visor Envelope, você verá um valor especial, para além dos valores ADSR habituais: Sustain Time. O padrão Sustentar valor é

um decibel nível do volume que os sustenta notas enquanto você mantiver a tecla pressionada. Por padrão, Sustain O tempo está definido para “inf”, o que

significa que a nota vai sustentar indefinidamente, enquanto a tecla for mantida. Sustentar Tempo especifica um período de tempo que a nota decairá mais,

mesmo se a nota é pressionada. No lado direito da tela envelope, você verá o menu Loop, o que cria algumas variações muito interessantes para o seu som. Ao

selecionar um dos modos de loop, você estará dizendo analógico para repetir uma parte do envelope em vez de jogá-lo através de início ao fim. ADR vai repetir

as porções de ataque e decadência do envelope até que a chave é liberada, enquanto ADR-R vai repetir a porção lançamento bem. Isto torna possível usar o

envelope como mais de um LFO, ciclismo através de uma série de valores. Quando ADS-AR é seleccionado, o envelope funciona normalmente até que a chave

é libertado, altura em que a porção de ataque repetições antes do lançamento, que poderiam ser utilizados para criar um inchaço adicional ou curto ataque no

final de cada nota. você estará dizendo analógico para repetir uma parte do envelope em vez de jogá-lo através de início ao fim. ADR vai repetir as porções de

ataque e decadência do envelope até que a chave é liberada, enquanto ADR-R vai repetir a porção lançamento bem. Isto torna possível usar o envelope como

mais de um LFO, ciclismo através de uma série de valores. Quando ADS-AR é seleccionado, o envelope funciona normalmente até que a chave é libertado,

altura em que a porção de ataque repetições antes do lançamento, que poderiam ser utilizados para criar um inchaço adicional ou curto ataque no final de cada

nota. você estará dizendo analógico para repetir uma parte do envelope em vez de jogá-lo através de início ao fim. ADR vai repetir as porções de ataque e

decadência do envelope até que a chave é liberada, enquanto ADR-R vai repetir a porção lançamento bem. Isto torna possível usar o envelope como mais de um L

Olhando para a esquerda, há alguns interruptores acima do display gráfico que valem a pena mencionar. Primeiro, os interruptores lineares e
exponenciais são usados ​para controlar o tipo de inclinação que ocorre entre os pontos de interrupção do envelope. inclinações lineares são aumenta
ou diminui em valor que a mudança a uma taxa constante ao longo do tempo dos segmentos de envelope (que é uma maneira elegante de dizer que
eles são linhas retas!). encostas exponenciais começam como linhas retas, mas curva mais dramaticamente em direção ao seu ponto de destino
como eles se aproximar. Porque curvas exponenciais tendem a aproximar-se o seu valor alvo muito rapidamente antes de curvar-se, eles soam mais
curto do que envelopes lineares. O interruptor Legato pode ter um momento para
entender, mas é bem a pena. Quando ativado, em vez do envelope começar de novo cada vez que uma nova nota soa, o envelope continuará
se as duas notas sobrepõem. Em outras palavras, se uma nova nota é tocada enquanto outro está pressionado, envelope da nova nota será
iniciado na posição envelope da nota existente em vez de começar desde a fase de ataque. Finalmente, o interruptor livre pode ser usado
para ignorar a parte Sustain do envelope. Desde o envelope agora vai saltar do decaimento para a fase de lançamento, ele será sempre o
mesmo, independentemente de quanto tempo a nota é realizada. O exemplo mais comum de um envelope livre é uma percussão som de um
pequeno ataque e decadência fase imediatamente seguido por um lançamento.

FAZENDO ENVELOPES FILTRO DE TRABALHO: Se você está achando que ajustar o envelope de filtro não está fazendo nada,
provavelmente é porque você não tiver inserido um valor em qualquer do envelope (Env) campos para o filtro. Ao contrário do
envelope de volume (que funciona automaticamente), você tem que especificar o quanto o envelope de filtro deve ser modulação de
frequência ou ressonância do filtro, ou não vai fazer absolutamente nada! No visor, introduzir uma quantidade de envelope sob Freq
Mod ou Res Mod para especificar quanto o filtro deve ser modulado pelo envelope. Tenha em mente que o valor da frequência ou
ressonância mostrado no shell é o valor inicial para o filtro. O campo Env pode ser definido como um valor positivo ou negativo para
indicar se o envelope deve ser aumentar ou diminuir esse valor como as peças do envelope.

LFO
Os dois LFOs são completamente independentes um do outro e pode ser usado para controlar uma variedade de outros parâmetros,
como discutido nas secções anteriores. O único controle aqui é a taxa, uma vez que a quantidade LFO é controlada dentro do módulo que
está a ser usado para modular. O resto dos controles para o LFO estão localizados na janela central.

Use os seletores de onda e largura para controlar a forma do LFO. Quando a onda triângulo é seleccionado, o controlo da largura pode ser
utilizado para alterar a forma de onda de rampa para cima ou para baixo da rampa. Com Retificados seleccionado e Largura a 50%, o LFO é uma
onda quadrada, enquanto modula Largura em qualquer direcção muda a largura de pulso. Retrig (o interruptor R) controla se ou não o LFO
começa de novo (é “retriggered”) com cada tecla pressionada.

De deslocamento é utilizado para ajustar a fase da onda. Com um LFO sincronizado-tempo, isto poderia ser usado para mover os picos da onda
que ocorrem antes ou após a batida. Delay vai esperar um determinado período de tempo após uma tecla para iniciar o LFO, enquanto Ataque
fará com que a amplitude da onda de fade in sobre a quantidade de tempo especificado.

Global
A maioria dos parâmetros globais de analógicos são abordados na seção “global Parâmetros” no início deste capítulo, mas algumas coisas
merecem atenção especial. O primeiro interruptor nesta seção transforma Vibrato ligado ou desligado. Vibrato é um LFO simples que modula
a afinação dos osciladores. Apenas dois controles estão disponíveis aqui: ao Valor, que controla a profundidade da modulação, eo Rate, que
controla a velocidade. A última opção nesta seção está marcada “Gli” para Glide. Para obter informações sobre Glide, consulte a seção
“Portamento”, anteriormente neste capítulo.

No lado esquerdo da tela, você verá algumas caixas coloridas. Estes são esquemas rápidos de roteamento,
que pode ajudar a acelerar o processo de criação de um novo patch. Ao contrário dos algoritmos de aparência semelhante em Operator, esses
atalhos são apenas timesavers-tudo que eles fazem é definir o filtro de encaminhamento e ligue os amplificadores ligado e desligado. Por
exemplo, ao clicar em rápida Routing 4 (no canto inferior direito) envia ambos os osciladores no filtro 1, a saída do filtro 1 em Filtro 2, e desliga
Amp 1 de modo que apenas a saída do Amp 2 é ouvido.

Colisão

Colisão leva o conceito de criação de sons de percussão para um nível totalmente novo (ver A Figura 8.21 ). Assim como Tensão pode ser usado
para criar tanto instrumentos de cordas familiares ou bestas sobrenaturais, Collision é tanto em casa produzindo o som de uma marimba ou,
digamos, um tubo de tambor de mão híbrido / metal com uma deterioração de 25 segundos!

A Figura 8.21 Colisão: do Ableton potência percussão.

Fonte: Ableton

Antes de ficar muito profundamente nos detalhes únicos de colisão, eu recomendo que você pelo menos ler sobre a seção
sobre Electric. É um instrumento muito mais simples que cobre alguns dos conceitos importantes de modelagem física, e
uma vez que um piano elétrico é essencialmente um instrumento de percussão, é particularmente relevante aqui. A tensão
também contém alguns conceitos importantes que vamos discutir aqui, também. Em particular, a tensão utiliza o conceito
de um designable Excitator, ou seja, um objecto com características modificáveis, que é utilizado para atingir um objeto
ressonante. No caso de tensão, o objeto atingiu algum tipo de corda. Na colisão, é uma variedade de diferentes objetos
associados a diferentes tipos de instrumentos de percussão. Para os experimentos iniciais aqui,

A primeira semelhança com elétrico que você vai notar em Collision é a presença de caixas percentuais marcados Key e Vel (às vezes K e V
para economizar espaço), localizado abaixo de um número de controles. Estes são aqui para mapear os controles para que eles seguem a
velocidade das mensagens MIDI recebidas, ou o campo. Os valores negativos são permitidos aqui também, assim você pode ter mudança
controles em proporção inversa à velocidade e chave.

Excitators
A secção Excitator de colisão é dividido em duas partes: Mallet e ruído. Mallet é bastante simples. Olhando para o lado esquerdo, você
verá volume e rigidez. Rigidez controla a suavidade relativa ou dureza do malho. Você verá que como você aumentá-lo de 0%, o som
geralmente fica mais alto e mais brilhante até cerca de 60%, após o qual o som continua ficando mais brilhante, mas o volume global é
diminuída, uma vez que começa a produzir menos harmônicos baixos. O controle de volume simplesmente controla o nível global do
Excitator Mallet. A única razão pela qual este é necessário é porque há um segundo Excitator, totalmente independente, e pode ser
necessário para equilibrar os níveis relativos dos dois. Por agora, apenas se certificar de que ele é alto o suficiente para que você possa
ouvir a saída de colisão com clareza.
Passando para a próxima coluna de botões, você verá Ruído e Cor. Ruído refere-se ao som que é feito pelo martelo que
entra em contacto com o objecto de ressonância. Então, para que isso faz sentido, você tem que pensar no som como
contendo dois sons-a distintos impacto inicial dos objetos em colisão, seguido pela ressonância do objeto atingiu. Como
controlo de rigidez do Mallet, o parâmetro de ruído tende a diminuir baixas harmónicas e o volume total acima de 60%.
Tente esta experiência: Parque dos controles rigidez e Cor em cerca de 50% e de ruído em 0%. Lentamente aumentar o
controle de ruído até que você pode começar a ouvir um som flinty “chiff” no impulso inicial. Agora, diminua a rigidez.
Você vai ouvir o tom fundamental do ressonador recebem menos distinta e o componente de ruído do som vai se tornar
muito mais clara e mais perceptível. Em seguida, varrer o controle de cor e para trás,

A próxima seção sobre o Excitator Noise, que pode ser ativado clicando na caixa ao lado da palavra Ruído. Esta é uma besta um pouco
estranho, porque, enquanto ele atua como um objeto físico que faz com que o ressonador a vibrar, ele não tem nenhuma contrapartida no
mundo real. Pelo contrário, é um objeto imaginário que consiste apenas de uma explosão de ruído. Ele pode ser usado em conjunção com,
ou em vez de, o excitator malho. Basta ter em mente que você deve usar um ou o outro, se quiser Collision para produzir qualquer som.
Por agora, desligue o Excitator Mallet para que você possa ouvir a seção Noise por conta própria. Você verá que isso produz um som
semelhante ao controle de ruído, nós trabalhamos com anteriormente, mas é muito mais personalizável. Quando você ligá-lo, você pode
não notar muito som que sai. Se este for o caso, aumentar o controle de volume e também ter um olhar para a seção Filtro imediatamente
à esquerda. À medida que aumenta a frequência de corte do filtro passa-baixa (usando a gráfica ou a indicação numérica), você vai ser
capaz de ouvir o ruído de forma mais clara, e você também vai perceber o som do ressonador ficando mais brilhante, bem . A seção de
filtro contém seus tipos de filtros básicos, juntamente com um filtro LP + HP, que combina um passa-alta e um filtro passa-baixa para
produzir um filtro muito flexível tipo passa-banda.

O que torna a seção Noise realmente interessante é o envelope abaixo. Ajustando as fases do envelope ADSR, você pode criar uma palete
completamente diferente de sons como uma longa, sustentados vibra sinal ruído do ressonador, mais parecido com um arco de um martelo
ou vara. Tente aumentar o ataque a um ou dois segundos, e você vai ouvir o que quero dizer ( A Figura 8.26 mostra esta configuração). Além
disso, dê uma olhada acima da tela Envelope, e você vai ver que há uma caixa de porcentagem marcada E abaixo do display Filter. Isto
aplica-se o envelope para a frequência do filtro também. Se precisar de mais informações sobre envelopes ADSR, escova-se sobre eles nas
seções sobre simples e analógico.

ressonadores

Continuando para a direita, você vai entrar na seção de ressonadores, que tem o maior impacto sobre o som geral. Primeiro, você vai para
a seção de campo, que contém alguns controles que devem ser relativamente familiar. Afinação controla a afinação geral do instrumento
em semitons, enquanto Bem músicas Collision em centavos (100ths de um semitom). Observe que abaixo do Tune botão é mapeado
100% a Key, o que o torna totalmente sensível às notas no teclado MIDI. Ajustando este valor vai permitir que você faça alguns
instrumentos mais excepcionalmente sintonizado. Por exemplo, com o conjunto de Key a 50%, um movimento de um semitom no teclado
só irá produzir uma mudança de um quarto de tom na colisão, e assim por diante. Os controles de Pitch Envelope determinar se ou não
Collision atinge sua altura alvo imediatamente após ele recebe entrada de nota, ou se ele desliza para dentro do campo final. Tempo
determina o comprimento da lâmina, enquanto que os controlos Afastamento quanto maior ou menor o passo inicial é que o alvo.
Se você é novo em programação synth e realmente deseja obter uma alça sobre este instrumento, este provavelmente seria um bom momento
para parar de ler um pouco e se certificar de que você realmente sabe como contornar os controles que temos tratados tão longe. O resto dos
controles na seção ressonador são muito importantes porque eles estão indo para introduzir muito mais complexidade, e é muitas vezes mais
fácil de digerir este tipo de material em pedaços.

A secção seguinte determina as propriedades físicas do ressonador, em outras palavras, o componente principal do próprio
instrumento. Se você seguiu junto com as experiências anteriores, este seria um bom momento para voltar para o Mallet Excitator e
virar a seção de ruídos fora, apenas para manter as coisas simples. O aspecto mais fácil do ressonador de conjunto é o tipo, que é
especificado no menu você definir a placa no início desta seção. Seis dos tipos ressonador se encaixam em três categorias: vigas,
aviões e cilindros. Há também um ressonador tipo string, o que em termos de seus parâmetros é idêntica à das vigas.

Vigas não são o que se emitido a partir de seu sabre de luz em vez disso, pense das vigas em seu teto. Estes são os bares que você greve
quando se joga um xilofone ou vibrafone. Marimba é simplesmente um tipo especial de feixe que tem um arco profundo corte para fora do fundo.
Membrana e placa são dois tipos que estou descrevendo como aviões, porque eles são ambos, superfícies planas finas-membrana sendo um
material flexível esticada, tais como uma cabeça de tambor e placa sendo peças planas de metal. Finalmente, para tubos são ambos objectos
cilíndricos, a única diferença sendo que Pipe é aberto em ambas as extremidades, ao mesmo tempo do tubo é fechada.

Os controles abaixo variar um pouco, dependendo do tipo de ressonador selecionada. O ressonador mais simples é
Tube, então vamos olhar para isso primeiro. Os únicos controles disponíveis aqui são Decay e Radius. Decay é comum a
todos os ressonadores e é provavelmente o mais simples de entender: Este é o tempo que leva para o ressonador a
decair ao silêncio. Raio determina a largura da câmara de ar e tem um grande impacto sobre os altos harmónicos
produzidos. Um baixo raio produz um som subby sutil que poderia soar grande em camadas com um bumbo ou sons
graves. Mudando para Pipe, você pode não notar muita diferença no som. A única diferença nos controles disponíveis
aqui é de Abertura, e quando este controle é a 100%, é quase idêntico ao Tube. Como você diminuir abertura de 100%,

Para todos os outros tipos de ressonador, o controle Radius é substituída por material. Enquanto esse controle representa uma propriedade
física diferente, na prática, é muito similar. Indo de baixo para valores elevados leva você através de uma gama de possibilidades tonais de
escuro e profundo extremamente brilhante. Você também vai notar que ao selecionar um ressonador para além dos dois cilindros, o menu
de qualidade torna-se habilitado. Este recurso controla a complexidade das harmônicos gerados pela colisão são e, portanto, o uso da
CPU.

Os controles de propriedade físicas restantes são os seguintes:

Razão: Este controlo só existe para a Membrana e tipos de chapas e controla a forma geral e tamanho do dispositivo de ressonância.
Valores mais altos produzem muito mais complexos harmônicos e produzir um tom menos distintas. Este controle interage fortemente
com o menu Qualidade, que determina a complexidade das harmônicos pode obter.

Brilho: Age como um controle de tom mestre. Valores baixos favorecem fortemente baixos harmônicos e pode produzir algum volume
sério, para assistir seus ouvidos!
Inharmonics: Este é um controlo do passo para as conotações produzidos pelo ressonador. A coisa mais importante a saber sobre este
controle é que ele é extremamente sensível (especialmente com o conjunto de Qualidade para Full) e às vezes produz resultados
inesperados. Tente ajustar esse controle usando as setas do teclado, 1% de cada vez.

Ouvindo: Rotulado ListeningL e ListeningR, esses controles são mais fáceis de entender se você pensar neles como controlar a
colocação de um par de microfones sendo usado para gravar o seu instrumento de percussão virtual. Ambos afetam as
características tonais do som e do campo estéreo. Quando eles estão definidos para o mesmo valor, você vai ter um som mono,
enquanto ajustando-os aos valores opostos dá-lhe um som muito mais amplo.

Bater: Se você tem bateria já joguei, você sabe que eles produzem um som muito diferente, dependendo de onde você bater a
pele. O controle Hit move o ponto de impacto do centro para a borda como você aumentar o seu valor. Isso produz uma
alteração mínima para todos os ressonadores exceto membrana e Plate.

Sangrar: Aumentar as misturas sangrar mais do som não processado do Excitator. Com Qualidade definida como completo, este
não tem muito impacto, pois a Excitator tende a se perder nos harmônicos. Com Qualidade definida para básico, no entanto,
transformar esse valor até pode criar alguns timbres muito interessantes.

Os únicos outros controles que você pode achar estranha aqui estão os interruptores estrutura, o que nos leva a um aspecto importante da
colisão. Você realmente tem duas ressonadores (selecionáveis ​através das guias na parte superior da interface) para trabalhar com ao projetar
seu som. Estrutura determina se a saída do ressonador 1 vai ser enviado para ressonador 2 para posterior processamento (1> 2), ou se ambos
os ressonadores vai actuar em paralelo, como se estivessem a ser atingida simultaneamente pelo mesmo excitator (1 + 2).

Por padrão, o ressonador 2 é desligada, então você tem que clicar sobre a sua chave liga / desliga na guia se você quiser que ele seja usado. Além disso,
você pode editar ambos os ressonadores, simultaneamente, clicando no ícone de ligação entre as duas abas ou fazer tanto idênticos utilizando o botão
Copiar acima do controle Ratio. Esteja ciente de que o uso de ambos os ressonadores (especialmente durante a execução em série) pode produzir algum
ganho sério, por isso tenha cuidado quando você ligar ressonador 2.

O LFO e MIDI Tabs


Você pode pensar em LFOs como sendo útil principalmente para sons, como cordas e almofadas, onde você pode usá-los para dar um movimento de
som. Mas para a concepção de sons de percussão tradicionais, LFOs oferecem algumas opções interessantes. Por exemplo, com Retrig fora e um bom
ritmo lento, você pode usar um LFO para modular o parâmetro de Pitch ou Hit de um ressonador, de modo que cada vez que você atingir uma nota, tem
uma qualidade ligeiramente diferente (ver A Figura 8.22 ).

A Figura 8.22 Um exemplo de colisão é LFO em ação.

Fonte: Ableton
As seções LFO e MIDI de colisão são muito semelhantes aos de Sampler, embora a implementação de mapeamento MIDI para Collision é
muito mais simples. Por favor, consulte a seção “Sampler”, anteriormente neste capítulo, para uma discussão mais aprofundada desses
controles.

drum rack

Para muitos de nós, Drum Racks são uma das melhores coisas a acontecer para angariar programação em um longo tempo. A Drum Rack é uma
cremalheira instrumento que é personalizado para ... rufar de tambores, por favor ... a programação tambores. Enquanto tambor Racks têm muito em
comum com Instrument Racks padrão, eles têm uma série de características únicas. Vamos concentrar-se nas características nesta seção.

O que é particularmente interessante sobre Tambor Racks é que eles não têm built-in de síntese ou capacidades de reprodução de amostra. Ao
contrário de poderosos, plug-ins complexos, como bateria e Stylus RMX, um rack básico tambor é incrivelmente simples. A beleza do rack da
bateria é que ele pode ser poderoso e complicado, mas ele não tem que ser. Em vez de ter que lidar com pilhas de recursos desde o primeiro
dia, você começa a decidir como envolver seus Racks tambor são. Quando você está aprendendo, você pode mantê-los simples. Como você
obtém mais confortável, você pode transformá-los em monstros Programação Usando Macros, aninhados Racks, efeitos e dispositivos MIDI.

Pads e correntes

Quando um rack da bateria vazia é jogada sobre uma pista, ele aparece como 16 pastilhas, cada uma exibindo o nome da nota MIDI é mapeado para
(ver A Figura 8.23 ). Enquanto apenas 16 pastilhas podem ser exibidos de cada vez, na verdade existem almofadas 128 disponível e um para cada
nota MIDI possível. A grade à esquerda das almofadas mostra uma visão geral de todos os 128, enquanto os destaques quadrados pretos quais 16
estão em vista. Arraste o quadrado para mostrar um grupo diferente de almofadas.

A Figura 8.23 Uma cremalheira do cilindro vazio.

Fonte: Ableton

PAD CONTROL: Se você usar um controlador de pad que está listado como um dos superfícies de controle suportados da Vivo (como o Akai
MPD32), você está em uma surpresa. Selecione seu controlador no menu superfície de controle na guia MIDI do diálogo Preferences. Em seguida,
recorde-armar a sua faixa rack da bateria, clique na barra de título, e os 16 pads no seu controlador vai ficar sempre mapeados para os 16 blocos que
estão em vista para o rack da bateria. Se ele não está funcionando, certifique-se de que você está no padrão predefinido para o seu controlador
(tentativa predefinir # 1). Se ainda assim não funcionar, você pode precisar de fazer um despejo predefinido. Verifique a documentação para
determinar como o dispositivo recebe depósitos; em seguida, clique no botão Dump ao lado de seu controlador no separador Preferências MIDI. Ao
vivo vai transmitir os dados para configurar o controlador corretamente.
Criando um kit de bateria básico com um rack da bateria é fácil. Basta soltar um sample de bateria a partir do browser em qualquer pad. Uma vez
que você deixou cair a amostra, o bloco será atualizado para exibir o nome da amostra em vez do nome da nota. Um botão de play para visualizar
a amostra irá aparecer, como vai silenciar e interruptores solo. Para ver o que está acontecendo sob o capô, você precisa olhar para a Cadeia de
lista e os dispositivos do Rack (ver A Figura 8.24 ). Os botões para mostrar estes são para o lado esquerdo das almofadas e olhar e funcionam de
forma idêntica para aqueles em um rack Instrumento padrão. Também é possível exibir o Device View, clicando duas vezes em uma almofada.

A Figura 8.24 Nosso novo Drum Rack com correntes e dispositivos mostrados.

Fonte: Ableton

Primeiro, observe o lado direito do rack. Como eu mencionei há pouco, Drum Racks não têm built-in capacidade de reprodução de amostra, então
aqui você vai ver que a solução da Ableton para isso é criar automaticamente uma simples quando uma amostra é jogada sobre uma almofada. As
ofertas mais simples cargas de opções para ajustar a reprodução da amostra, por isso esta é uma excelente solução. Não há nenhuma razão, no
entanto, que você precisa para usar o mais simples de reproduzir as suas amostras, nem há qualquer razão para que a sua necessidade de tambor
Racks de ser baseado em amostra reprodução. Você pode facilmente cair um sintetizador para uma síntese pad e uso para criar seus sons de
bateria.

Uma vez que você escolheu algumas amostras ou synths e obtido um conjunto básico kit de bateria, você pode começar a personalizar seus sons com
efeitos. Soltar um Saturator em sua cadeia de laço para adicionar um pouco de mordida extra, ou um dispositivo de velocidade na sua cadeia de oi-chapéu
para gerar algumas variações de velocidade aleatórios. Ver onde isso vai dar? Seu tambor Racks pode tornar-se bestas totalmente personalizado com
características que podem rivalizar com qualquer programa de tambor lá fora. Sua imaginação é realmente o único limite.

Também é importante notar aqui que uma almofada não se limita a disparar apenas um amostrador ou synth. Quer criar um som que consiste em várias
camadas de amostras, ou sintetizadores, ou ambos? Sem problemas. Você pode criar um som em camadas em uma única etapa. Simplesmente
amostras de arrasto ou dispositivos a uma almofada, mantendo pressionada Cmd (Mac) ou Ctrl (PC). Vivo irá criar automaticamente uma cremalheira
aninhado com uma cadeia de cada amostra ou dispositivo (ver A Figura 8.25 ). Acionando o pad vai jogar todas as cadeias simultaneamente.

A Figura 8.25 Está aqui uma corrente em um Drum Rack que desencadeia tanto uma amostra bumbo e um operador, por alguma loucura lowend.
Fonte: Ableton

MISTURE: Como seus Racks tambor crescer em tamanho e complexidade, você pode querer usar a Cadeia Mixer, que é acessado
clicando no botão triangular “desdobrar”, localizado na barra de título da faixa que contém o rack da bateria. Este recurso
(explicadas detalhadamente na seção Racks de Capítulo 7 “Usando efeitos e Instrumentos”) podem tornar a navegação um complexo
Drum Rack muito mais fácil.

Configurações avançadas

Sempre que o botão Mostrar / Ocultar Chains é destacado, alguns botões que são únicas para a tambor Racks aparecer no canto
inferior esquerdo (ver A Figura 8.26 ).

A Figura 8.26 Estes botões dará acesso a alguns recursos personalizados de Drum Rack Chains. Eles só são visíveis quando o botão Mostrar / Ocultar Chains é
realçado.

Fonte: Ableton

O primeiro botão mostra as opções de entrada / saída adicionais para as cadeias. Com esta ligado, você pode ver o MIDI opções e grupos de
estrangulamento roteamento para cada cadeia (ver A Figura 8.27 ). A configuração de áudio Para só é usado para Correntes de retorno, que
discutiremos mais tarde. Os próximos dois botões, marcadas S e
R, são para ver o envia e retornos. (Sim, Drum Racks havetheir própria Send / Return bussingsystem!) O último botão é uma
seta iconcalled Auto seleção, o que o torna fácil de encontrar e visualizar a cadeia que você quer destacar automaticamente a
cadeia para o último bloco que foi acionado.

MIDI Routing
Quando a seção de entrada / saída está em vista, é possível ajustar o MIDI encaminhamento da cadeia. A recepção especifica de menu que
nota MIDI aciona a cadeia. Isso é determinado automaticamente quando você deixa cair uma fonte de som em uma almofada. Se você alterar
esse valor, você vai ver a mudança refletida no visor pad. Em outras palavras, se você deixou cair uma amostra chamada Kick1 em C1 pad e
altere a recepção MIDI para esta cadeia para D1, você verá Kick1 salto para essa almofada. Cada bloco é programado para a sua nota e
localização.

A definição Enviar é muito mais flexível. Aqui você pode escolher o que nota é enviada para a fonte de som. Por padrão, ele é definido como
C3, que é nota raiz padrão do mais simples. Assim, um C3 irá reproduzir a amostra
no seu tom original. Modificando esta configuração pode ser útil se você quiser usar uma onda senoidal lançado como parte de um som chute.
Alterar o Enviar nota para que o campo coincide com a chave de sua música.

Grupos de estrangulamento

Ocasionalmente, é necessário configurar alguns dos sons no seu kit de modo que jogar um paradas ou “engasga” o outro. O uso
clássico para isso é oi-chapéu. Com um kit de bateria do mundo real, você não pode ter um som oi-hat aberto e fechado acontecendo
ao mesmo tempo. Sempre que os fechados peças oi-hat, o aberto deve parar imediatamente, e vice-versa.

Se você já usou a máquina de tambor Impulse, você já deve saber que tem um grupo de estrangulamento programado para células 7 e 8. Apenas
pressione o interruptor de Ligação na almofada de 8, e as duas almofadas sufocar uns aos outros automaticamente quando jogado. Tambor Racks
oferecem a flexibilidade de 16 grupos de estrangulamento diferentes, que podem ser atribuídos a qualquer grupo de almofadas. Para configurar o grupo de
estrangulamento, escolha um número de grupo de estrangulamento no menu Choke (consulte A Figura 8.27 ) E atribuí-la a todos os sons que deseja incluir
no grupo. Não importa qual o número que você usa-apenas certifique-se de usar o mesmo número para cada som. Agora desencadear qualquer um dos
sons no grupo será automaticamente cortar qualquer um dos outros.

Envia e Devoluções

Para usar o built-in envia e retornos de uma rack da bateria, você primeiro tem que criar uma cadeia de Retorno (assim como no misturador da Vivo,

onde criou uma pista de retorno, e os botões de envio foram criados automaticamente). Em primeiro lugar, mostrar as correntes de retorno, clicando

no botão marcado R no canto inferior esquerdo do rack da bateria. Agora, você pode arrastar um efeito para criar uma nova cadeia, ou você pode

botão direito do mouse na área de queda e selecione Criar Cadeia de criar uma corrente de retorno vazio. Mais sobre por que você quer uma corrente

de retorno vazio em um minuto. Você pode criar até seis correntes de retorno. Depois de criar uma corrente de retorno, você pode ver a envia (ver A

Figura 8.27 ). Agora você pode discar tanto efeito como você deseja para cada cilindro individualmente. Por padrão, a saída de seus retornos será

misturado com a saída do rack da bateria. Isso, no entanto, pode ser alterada para que a saída dos retornos é encaminhado para uma pista de retorno

no do Vivo Mixer. Isso pode ser simplesmente por conveniência, ou este encaminhamento poderia ser usado para enviar seus tambores para um

efeito em uma das faixas de retorno do mixer.

A Figura 8.27 Neste exemplo, os abertos e fechados chimbais são ambos atribuídos ao grupo Choke 1. Observe também a “-a Enviar” coluna, que mostra-nos a abrir oi-hat está
sendo enviado para o Delay Ping Pong.

Fonte: Ableton

Por exemplo, digamos que você tem um reverb no retorno trilha A na do Vivo Mixer. Você tem um rack da bateria em que você deseja adicionar
um pouco deste reverb para apenas as palmas e nada mais. Para fazer isso, basta criar uma corrente de retorno vazio e enviar as palmas para
ele. Em seguida, no menu Áudio Para da Cadeia de retorno, defina a saída de retorno pista A, onde o seu reverb está localizado.
EXTRAÇÃO DE EQUIPA: Uma vez que você terminar de programar a sua bateria, você pode querer dividir cada tambor para a sua própria pista
individual. Para fazer isso, basta clicar com o botão direito na barra de título de um tambor na Cadeia Mixer ou da Cadeia lista e selecione Chains
Extrato. Agora você tem uma nova pista com apenas que um tambor e um clipe MIDI novo contendo apenas a parte para esse tambor. Esta
técnica é particularmente útil se você precisa para tornar cada tambor para uma faixa de áudio individuais para misturar em outro programa.

Instrumento externa

Instrumento externo permite-lhe controlar um sintetizador externo de uma faixa MIDI e torná-lo comportar-se como uma faixa de
instrumento virtual. Certifique-se de ler esta seção, mesmo se você não tem quaisquer instrumentos de hardware. Este dispositivo
também é útil para quem utiliza instrumentos via ReWire, ou plug-ins com várias saídas virtuais, como Native Instruments bateria ou IK
Multimedia SampleTank. Antes do dispositivo External Instrument foi introduzido, sequenciando sintetizadores MIDI externos sempre
necessárias duas faixas: uma faixa MIDI para controlar o sintetizador e uma faixa de áudio para retornar o áudio do synth. Não só
Instrumento externas permitem essa configuração inteiro para ser feito com uma faixa, mas leva vantagem de compensação de atraso de
ao vivo também.

Depois de cair Instrumento externo em uma faixa MIDI, utilizar os menus MIDI para especificar a porta à qual o hardware está
ligado (e o canal MIDI, se necessário). Armar a pista para gravação e tocar algumas notas-o hardware deve registrar a entrada
MIDI. Em seguida, certifique-se de que o hardware está conectado a uma entrada da sua interface de áudio e selecione esta
entrada no menu Áudio Para (ver A Figura 8.28 ). Voila! Agora você deve começar a receber áudio na pista.

A Figura 8.28 Este dispositivo Instrumento externo está configurado para enviar MIDI para um sintetizador ligado à porta de saída analógica experiência, e para receber de áudio a partir do
sintetizador através de entradas 1 e 2.

Fonte: Ableton

Como mencionado anteriormente, você também pode usar este dispositivo para tornar o trabalho com alguns instrumentos de software mais fácil
também. Quaisquer instrumentos multitimbral no Set aparecerá nos menus de roteamento como se fossem hardware (veja A Figura 8.29 ).
Instrumentos acessíveis a partir de qualquer aplicação escravo ReWire atualmente carregado também aparecerá aqui. Para usar esses
instrumentos com o dispositivo External Instrument, basta configurar o para MIDI e áudio de menus às portas virtuais em seus instrumentos de
software.

A Figura 8.29 Instrumento externo também pode transmitir MIDI e receber áudio de plug-ins multitimbral e aplicações ReWire como o Reason.
Fonte: Ableton

CONGELAR!: Quando é hora de gravar o áudio do instrumento externo para o Set, use o comando Congelar. Live é inteligente o suficiente para
saber quando você está congelando uma faixa que está se comunicando com hardware externo, por isso invoca um processo em tempo real
para gravar o áudio através das entradas de sua placa de som.
Efeitos de áudio do 9Live

W HAT SÃO efeitos de áudio? A questão é quase impossível de responder. Que vão desde ferramentas de mistura sutis para manglers sonoras extremas, os efeitos
são usados ​em todas as partes do processo de produção de música. Um atraso pode ser uma parte integrante de um som de sintetizador, uma unidade de
distorção pode ser usado para dar um cilindro de Snare alguma mordida extra, e equalizadores e compressores pode encontrar o caminho para quase
todas as faixas em uma canção durante a mixagem final. Neste capítulo, vou discutir todos os 34 efeitos da Vivo, dando algumas dicas sobre a forma como
cada um pode ser usado ao longo do caminho. Mas não tome minha palavra para ela, usando efeitos é tudo sobre experimentação. Então, chegar lá e
fazer algum barulho!

EQ e filtros

O primeiro lote de efeitos vamos mergulhar são os filtros e equalizadores (EQ para o short). Estes tipos de processadores de sinal são utilizados para
atenuar (reduzir, em volume) e amplificar (aumento do volume) gamas de frequência única específicos dentro de um sinal de áudio. Engenheiros vão
usar filtros e equalizadores para elaborar finamente a distribuição das faixas de freqüência em uma canção, resultando em belas, ricas e detalhadas
misturas finais. Claro, essas ferramentas também pode ser usado para som radicalmente remodelar, criando efeitos únicos em seu próprio direito.

EQ Eight
Um equalizador paramétrico é uma ferramenta de filtragem de frequência e timbre-shaping poderoso. Enquanto muitos hardware e alguns

misturadores de software têm algum tipo de equalização disponíveis em todos os canais, você precisará adicionar um plug-in EQ manualmente

para a qualquer momento pista é necessária em seu projeto Live. O objetivo ao usar um EQ, quer seja para aumentar ou certas freqüências de

áudio diminuir, a fim de superar os problemas decorrentes das gravações pobres, para reduzir muddiness de sobreposição de frequências em

outros sons, ou para enfatizar certas características do som para torná-lo cortar o mix .

oversample: Para a mais alta qualidade de som no espectro de alta frequência, clique com o botão direito na barra de título e selecione Oversampling
no menu de contexto. Esta característica faz com que EQ Oito de processo a uma taxa de amostragem mais elevado internamente, resultando em
menos defeitos no custo de uso de CPU ligeiramente superior. Para fazer oversampling o padrão, clique com botão direito na barra de título depois de
ligá-lo e selecione Salvar como padrão predefinido no menu de contexto.

As frequências são muitas vezes referida como baixos, médios e altos ou outras subdivisões, tais como baixo-médios ou de alto médios. As altas

frequências são encontrados no registo chamado agudos, enquanto as baixas frequências são referidos como graves. Low-médios, médios ou com alto

médios compõem a parte do meio (da esquerda para a direita) do espectro sonoro. EQ da Vivo possui um built-in analisador de espectro para ajudar a

visualizar o conteúdo de frequência de seus sons, que pode ser uma grande ajuda quando seus ouvidos precisam de um pouco de ajuda. da Vivo EQ

Eight apresenta até oito bandas ajustáveis, ou filtros, cada um dos quais podem ser ativados individualmente ou com deficiência (veja Figura 9.1 ).

Figura 9.1 poderoso EQ oito banda ao vivo. Neste exemplo, apenas as bandas 1-4 estão em utilização. Desligando as bandas que você não está usando salva
energia da CPU.

Fonte: Ableton

Cada filtro pode ser utilizado para corte ou aumento frequências que variam de 30 Hz a 22 kHz, utilizando uma de uma variedade de diferentes tipos de

filtro. Cada filtro pode ser ligada ou desligada usando os oito interruptores que funcionam na vertical através da parte inferior do interface. Acima de

cada interruptor on / off é um menu para selecionar um tipo de filtro. Os tipos de filtro, de cima para baixo no menu, são as seguintes:

Low-cut (12dB e 48dB): Também conhecido como um filtro passa-alto, que agressivamente remove frequências abaixo da frequência
especificada. Para este tipo de filtro, Q ajusta a ressonância (o quanto a freqüência de corte é enfatizada ou reduzido). Ganho não tem
nenhum efeito para este tipo de filtro. A versão 48dB / oitava aparece com “x4” ao lado do ícone, indicando que sua inclinação é quatro
vezes mais íngreme e reduz as freqüências abaixo do ponto de corte muito mais drasticamente. Usá-los para remover freqüências
desnecessárias baixos de tantas pistas quanto possível pode realmente limpar suas mixagens.

Low-shelf: Reduz ou aumenta a todas as frequências abaixo da frequência especificada. Com uma configuração de baixa Q, a mudança
ganho será uma inclinação linear suave. Em valores altos Q, a mudança torna-se mais drástico, e você terá uma ênfase adicional em torno
da freqüência do filtro. (Por exemplo, se você está cortando com uma alta Q, você receber um impulso bem acima da freqüência do filtro e a
maior redução de ganho diretamente abaixo dela.) A low-shelf é uma ótima maneira de fazer uma ampla aumento ou redução do baixas
frequências, sem coloração excessiva. Quando aumentar, você pode querer combinar com um decotado para manter as frequências mais
baixas sob controle.

Sino: Um impulso em forma de parábola ou de corte de uma dada gama de frequências. Para este tipo de filtro, o Q ajusta a largura
de banda do filtro quanto as frequências adjacentes são afetados. Isto é onde ocorrem a maioria dos ajustes cirúrgicos em uma
mistura. Tenha cuidado com valores altos Q em altas frequências, como eles podem soar duro. Com frequências baixas, no entanto,
você pode obter muito mais agressivo com o Q sem preocupação.

Entalhe: Como uma curva de sino com extremamente alta Q e extremamente baixo ganho, Ganho tem nenhum efeito para este tipo de filtro. É
especialmente útil para a remoção de problemas, tais como freqüências quarto ressonantes.

-Prateleira alta: Mesmo que de baixa prateleira, mas age em altas frequências. Um pouco de impulso de alta prateleira pode ser uma ótima
maneira de adicionar brilho para faixas, sem colorir o som muito.

Corte alto: Também conhecido como um filtro passa-baixo, que é o mesmo como de baixo corte, mas corta baixas frequências. As altas frequências
são um pouco menos indulgente quando se trata de corte agressivo, tão diferente de corte baixo, este filtro tem mais tendência a soar como um
“efeito”, especialmente com valores altos Q. Tente usar uma prateleira ou um sino primeiro para ver se você pode conseguir o resultado desejado.
Para ajustar a freqüência específica que um filtro age sobre, você pode trabalhar diretamente no display gráfico ou use os botões para a esquerda.
Experimentar por um momento, e você verá estes são apenas duas maneiras diferentes de fazer a mesma coisa. Você também vai descobrir que
quando você clicar nos números de filtro na parte inferior, os botões atualizar para mostrar-lhe os parâmetros para o que quer filtro que você clique.

Talvez o poder mais importante que EQ detém é a sua capacidade de preservar a altura livre em um mix. Ao reduzir freqüências menos
importantes em um som ou frequências de corte que o conflito com outros instrumentos, você acaba com misturas que som mais alto e
mais claro. Por exemplo, se a carne de um som é no baixo, como uma guitarra baixo ou synth, você pode querer reduzir o teor de alta
frequência desse som ao espaço make a voz de seu cantor e oi-hat do seu baterista. Neste caso, você pode usar o EQ para reduzir os
altos e, possivelmente, para aumentar os baixos na pista de baixo.

Por outro lado, muitas vezes você pode se beneficiar usando um filtro passa-alta nos vocais e outros instrumentos que não têm um monte de
conteúdo de baixa frequência. Especialmente quando se trabalha com vozes e instrumentos reais, muitas vezes há baixas frequências, como o
estrondo de condicionadores de ar e similares, fazendo nada além de consumir headroom e turvando o seu mix. Além de resolver problemas,
equalizadores também pode fazer muito para adoçar certos sons. Usando um alto-shelf para impulsionar 10k pode ajudar guitarras acústicas brilhar,
e um sino para aumentar a 60Hz pode dar um chute fraco o poder extra que você está procurando.

PILHA DUPLA: Para cortes agressivos, impulsos e efeitos, você pode empilhar equalizadores, atribuindo os mesmos parâmetros para dois ou
mais filtros. Por exemplo, você poderia usar dois 12dB de corte baixo filtros definidos para 150Hz e um Q de 0,75 para criar um / oitava filtro
com o botão direito 24dB entre os dois built-in encostas filtro.

Ao longo do lado direito são uma variedade de controles úteis. O analisador de espectro pode ser ligado ou desligado, e os fones de ouvido
(modo Audition) interruptor pode ser usado para ouvir só o filtro que você está ajustando atualmente. Clique e arraste um filtro na exibição gráfica
de ouvir este recurso em ação. Você pode achar que é útil para zerar dentro na frequência que pretende aumentar ou diminuir.

Em seguida na linha é o menu Mode. Stereo é o modo padrão para todos os sinais estéreo e mono. L / R difere Stereo na medida em que
permite equalizar os canais esquerdo e direito de uma fonte em separado (como visto no Figura 9.2 ). Selecione L na chave Editar para
EQ do lado esquerdo; em seguida, pressione Editar novamente para passar e EQ do lado direito. Tenha em mente que o modo L / R
pode ser usado para criar efeitos estéreo em mono fontes de equalização esquerda e direita de forma diferente. modo M / S permite
equalizar separadamente o “meio” de um mix (material que é puramente mono) e os “lados” de uma mistura (material que é puramente
estéreo). Adaptive Q é uma característica inspirada pelo comportamento de alguns equalizadores analógicos clássicos. Ele faz com que o
Q para mudar automaticamente quando ajustar o ganho de filtros de sino e prateleira. (Não tem nenhum efeito sobre os outros tipos de
filtro.) A teoria é que quanto mais você aumentar, o mais desejável é estreitar a gama de frequências que está impulsionando para evitar
mudanças dramáticas no ganho total do sinal. Tenha em mente que você pode alcançar os mesmos resultados com ou sem esse recurso
ativado.

O controle de escala é um bônus engenhosa que muda o ganho de todas as bandas EQ simultaneamente. Então, se você criou a curva EQ perfeito,
mas decidir que você colocou sobre um pouco grosso, você pode escalá-lo um pouco para trás e aplicar menos EQ geral. O controle de escala vai
todo o caminho até 200%, assim você pode usá-lo para
aumentar o ganho também.

Finalmente, o controle de ganho não deve ser menosprezada. Lembre-se que o aumento e as freqüências de corte muda o ganho geral do seu sinal. Se
você está fazendo um monte de aumentar, então você pode precisar para derrubar o ganho para recorte evitar. Por outro lado, o corte das freqüências
que você dom ' t como, em seguida, aumentar o ganho de um sinal é muitas vezes a melhor maneira de trazer para fora as qualidades que você Faz gostar.

No canto superior esquerdo da EQ Eight, você encontrará um botão triangular “desdobrar”. Ao clicar neste produz resultados dramáticos!
Como você verá em Figura 9.2 , Isso dá-lhe um display gigante gráfica para trabalhar com acima, e um conjunto completo de controles para
cada filtro abaixo.

Figura 9.2 Aqui está EQ Eight em sua visão expandida. Note-se que o dispositivo está no modo de L / R. Enquanto você pode ver ambas as curvas EQ simultaneamente, você só pode
editar qualquer banda é mostrada no interruptor Editar.

Fonte: Ableton

ME CHUTE! (PARTE 1): Muitas pessoas vão tentar adicionar baixo com um EQ para obtê-lo para cortar o
misturar. O resultado final é que você acaba se sentindo o pontapé mais (o subwoofer será realmente bumpin'), mas ainda soa
enlameada porque ele está ocupando as mesmas bandas de frequências que outros instrumentos na mistura.

Para obter esse tom profundo ainda gorducho que realmente corta, tente usar um filtro de sino com um cenário Q alta a freqüências de corte na 150
a faixa de 250Hz. Para encontrar a frequência que deseja cortar, primeiro impulsionar a banda e varrê-lo para cima e para baixo enquanto ouve
atentamente para a freqüência mais ressonante do tambor.

Ao cortar esse tom, o baixo agora ocupa seu próprio espaço (as baixas freqüências onde você senti-lo e as altas frequências
onde você ouvi-lo) e limpa a imagem sonora. (A faixa de 150Hz a 300Hz pode ser extremamente problemático em muitas
misturas.)

EQ Três
O DJ-estilo EQ Três está preocupado apenas com bandas de três freqüências: baixos, médios e altos. Como você pode ver na Figura 9.3 ,
O EQ Três tem três mostradores principais: GainLow, GainMid e GainHi. o
gama destes mostradores de frequência é determinada pelos botões FreqLow e FreqHi na parte inferior do efeito. O botão
GainMid irá aumentar ou cortar todas as frequências entre FreqLow e FreqHi. O GainLow vai ajustar todas as frequências
abaixo FreqLow, eo botão GainHi vai cuidar de tudo acima FreqHi.

Figura 9.3 Baixos, médios e altos estão sob seu controle completo com EQ Three.

Fonte: Ableton

Porque este dispositivo é modelado após um misturador de DJ, você verá que ao ligar o ganho Botões para baixo, eles eventualmente alcançar o
infinito, ou seja, as freqüências são completamente cortada. Se você quiser, você pode usar os botões Kill (L rotulado, M e H), localizado abaixo de
cada botão Gain para alternar que faixa de freqüência e fora com facilidade.

Os botões 24 e 48 determina o declive, ou 24 dB / oitava ou 48 dB / oitava nas bordas das bandas de frequência. Esta definição será mais
aparente ao usar o recurso de Kills do EQ Três em uma música completa. Por exemplo, arraste uma música inteira (um MP3 com lotes de
baixo) em um slot clipe e colocar um equalizador de três na pista. Clique no botão 48, coloque o controlo FreqLow em 200Hz, e matar o
baixo de banda que você vai ouvir o baixo desaparecer da canção. Agora experimente clicar no botão 24. Você pode notar que você pode
ouvir um pouco mais baixo.

O EQ Três é uma ferramenta de desempenho acessível, mas não tem a mesma qualidade de som EQ Eight. E porque é modelado no
circuito de mixer, que afeta até mesmo o som com todos os controles em seu padrão. Se você precisar a funcionalidade particular, este
dispositivo fornece, mas quer a qualidade do som EQ Eight, olhar no Desempenho e pasta DJ sob Efeito de áudio rack no Browser. Você
vai encontrar um rack chamado EQ Três Rack, que fornece funcionalidade semelhante, mas é construído usando EQ Eight.

SONIC quebra-cabeças: Tente colocar três loops de bateria diferentes em três pistas diferentes, cada um armado com um equalizador de
três. Em seguida, isolar o baixo em uma faixa, os médios no outro, e as elevações na faixa remanescente. Você agora tem uma batida
híbrido constituído por chutes, armadilhas, e Hi-chapéus de diferentes loops. Tente trocar ou automatizar os mata por outras combinações
de ritmo.

Filtro automático

Um dos maiores efeitos de performance ao vivo do Live, Auto Filter (visto em Figura 9.4 ), É, de um filtro de estilo analógico- virtual com quatro tipos
de filtros clássicos seleccionáveis ​(passa-alto, passa-baixo, passa-banda, e rejeita-banda). Cada um destes pode ser controlada através do
controlador XY do efeito e modulado por um envelope e qualquer um dos sete diferentes oscilador de baixa frequência formas (LFO). Como você
pode ter recolhido a partir do EQ
Oito explicação, suprimindo determinadas freqüências permite que você esculpir problemas específicos ou freqüências cozido. O Filtro
Automático pode fazer isso também, mas ela brilha como um efeito criativo capaz de uma grande variedade de sons.

Figura 9.4 Dispositivo de filtro automático do Live. Se você foi apenas a leitura até agora, você realmente precisa para se levantar e tentar um presente. Não mesmo.

Fonte: Ableton

Tipo de filtro
Correndo ao longo da parte inferior do display gráfico são quatro ícones para selecionar o tipo do Filtro Automático. Eles são, da direita para a
esquerda: passa-baixa, passa-alta, passa-banda, e banda-rejeitar.

Low-pass significa simplesmente que as baixas freqüências passar pelo filtro, mas nada mais faz. Por exemplo, se usado em uma música
inteira, o baixo guitarra e chutar bateria será audível, embora um pouco dull- soar devido à falta de altos. Alguns sons podem desaparecer
completamente, como pequenos pratos ou shakers. Por outro lado, um filtro passa-alto permitirá cintilante pratos e guitarras brilhantes e
sintetizadores de passar, mas irá suprimir baixos e quaisquer outros instrumentos no intervalo de frequência mais baixa. Quão baixo é até
você.

filtros passa-banda são basicamente passa-alto e passa-baixo filtros colocados juntos; Assim, apenas as frequências que caem entre os dois
filtros vai passar, parecendo semelhante a um telefone, às vezes. Band-rejeitar filtros trabalho oposto do band-pass-somente fora mentira
áudio da freqüência de corte pode passar.

Freqüência e Ressonância
Para ir com Filtro Automático do Live, você vai querer escolher um filtro de tipo-Low-Pass é um bom começo
- em seguida, utilizar o controlador XY para discar Frequência (eixo X) e Q (eixo dos Y). Ou, se preferir, Frequência e Q
(ressonância) usando as caixas numéricos abaixo do visor.

Aumentando o controlo Q (ressonância) vai aumentar a intensidade do filtro pela adição de um pico de ressonância em torno da frequência de corte,
enquanto reduz ele vai fazer com que o filtro a rolar para fora mais suavemente. Se você realmente aumenta o Q, você pode obter alguns efeitos muito
intensos como você se move a freqüência do filtro. Isto pode parecer grande, mas não deixe de assistir o volume!

LFO
Para a direita do controlador XY é o LFO, que pode ser usado para modular a frequência do filtro. O botão Montante controla a amplitude da
modulação, enquanto a taxa de controla a sua velocidade. Ao lado do botão Taxa é o menu Shape. Estas formas de onda são bastante
auto-explicativo-a onda senoidal no topo cria mudanças suaves, enquanto a onda quadrada cria mais agitadas. A melhor maneira de começar
uma sensação para as diferentes formas de onda é pôr em marcha acima a quantidade, adicionar um pouco de ressonância, e ouvir. As duas
últimas formas de onda são aleatórias (sample and hold), sendo o primeiro mono, enquanto que a segunda gera
separar valores aleatórios para os canais esquerdo e direito.

Quando o controle de fase é definida como 180 graus, o LFO irá gerar modulações opostos para os canais esquerdo e direito,
criando um efeito estéreo. Em outras palavras, como a frequência do canal esquerdo é aumentada, a frequência do canal direito é
diminuída. Aumentando ou diminuindo a fase trará a relação de fase dos LFOs esquerda e direita mais juntos até que
eventualmente eles se tornam idênticas.

O controle de taxa pode ser ajustada em Hertz, clicando no botão Hz ou sincronizado com o andamento clicando no botão com o ícone de nota.
Dependendo do que você selecionar, existem diferentes opções disponíveis para o controle de fase. Quando a taxa é definida como Hertz, dois
interruptores aparecer perto do botão de Fase. Quando o interruptor inferior é clicado, aparece o botão de rotação. Rotação muda a velocidade dos
LFOs esquerdo e direito em relação ao outro, criando um efeito de roda. Quando a taxa é definida para Tempo Sync, aparece o botão de
deslocamento. Isso pode ser usado para criar alguns efeitos rítmicos interessantes. À medida que aumenta o offset, você muda altos e baixos do
LFO fora da batida, em vez de direito sobre ele.

Envelope
O botão de Envelope determina o quanto o volume do sinal de entrada modular a freqüência do filtro. Este tipo de modulador é geralmente
conhecido como um “seguidor de envelope” porque cria um envelope que “seguinte” amplitude do sinal. Os valores positivos causam a
frequência do filtro para ser girado para cima, enquanto que os valores negativos virar para baixo a frequência como o volume aumenta.

O efeito pode ser aperfeiçoá-lo usando os controles de ataque e liberação. Ataque determina quanto tempo leva para a frequência para
atingir o seu valor máximo, enquanto Lançamento determina quanto tempo leva para que ele retorne ao seu valor original. Crank o Envelope
botão para se familiarizar com esses controles. Curto ataque e liberação vezes tendem a dar-lhe um funky, efeito cacarejando, porque você
vai ter mais da varredura do filtro para cada nota. vezes mais tenderá a tornar o efeito mais sutil, uma vez que leva mais tempo para o filtro
para abrir, e isso tende a não liberar todo o caminho de volta para seu valor original antes de abrir novamente.

Quantize batida
O parâmetro batida Quantize afecta a modulação do filtro (gerados quer pelo LFO ou envelope), forçando a frequência do filtro para mudar em
passos sincronizados-tempo. Os passos são especificadas em 16ths variando de .5 (32ª notas) a 16 (1 bar). Para se ter uma idéia de que esse
ritmo Quantize não, carregá-lo em uma faixa com uma almofada sustentado e configurar o Filtro Automático, como mostrado na Figura 9.5 . Você
pode ter que ajustar a freqüência para que você ouvir um bom movimento para cima e para baixo. Agora tente clicar o botão de ligar algumas
vezes. Como ele vai ligar e desligar, você vai ouvir o movimento de modulação de uma varredura suave para um som choppier. Este é o som do
salto de frequência do filtro para um novo valor, uma vez cada nota 16. Agora você pode experimentar com outros valores batida e jogar com a
fase também.

Cadeia lateral
No Figura 9.5 , Você deve ter notado na seção Sidechain do Filtro Automático à esquerda da seção Envelope. Esta seção é exibida apenas
se você clicar no pequeno triângulo na barra de título. Sidechaining refere-se a ter uma fonte de áudio, diferente daquele que você está
processando no momento, acionar o envelope para um efeito. Em outras palavras, no caso do Filtro Automático, você pode ter o envelope
acompanhar a dinâmica de qualquer faixa Live, em vez de seguir a dinâmica do sinal que você está processando com o Filtro Automático.
Vamos dar uma olhada em como isso funciona.
Se você experimentou o exemplo Quantize batida mais cedo, você vai querer continuar trabalhando com o mesmo pad sustentado para este exemplo,
também. Nós também precisamos de outra faixa para servir como fonte de cadeia lateral. Esta pode ser uma uma faixa MIDI de áudio ou, mas deve
imprimir algo percussivo com transientes fortes. Agora, na seção Sidechain, defina a fonte para a pista de percussão, como visto na Figura 9.5 . Além
disso, verifique se o LFO O valor é definido como 0. Não há nenhuma razão que você não pode usar o LFO, ao mesmo tempo, mas para fins de
aprendizagem é melhor mantê-lo simples.

Figura 9.5 Especifique uma entrada de cadeia lateral para ter o envelope de seu filtro Auto seguir uma fonte de áudio diferente.

Fonte: Ableton

Agora, reproduzir ambos os clipes e lentamente elevar o controle Envelope. Como você faz isso, você vai ouvir o filtro no bloco começar a
subir e descer com os hits do loop de bateria. Se você não está recebendo o suficiente de um efeito ainda com o envelope dobrado, você pode
aumentar o ganho para alimentar mais sinal para o Sidechain. Os controles de botão Dry / Wet o quanto o sinal de cadeia lateral é misturado
com o sinal direto antes de ser enviado para o envelope. No exemplo actual, uma configuração de 50% significaria que o envelope seguiria a
dinâmica de uma mistura 50/50 do loop de bateria e a almofada. Em 0%, a cadeia lateral é ignorada completamente.

Pré ou pós ?: No exemplo cadeia lateral anteriormente, você pode ter notado que a fonte de cadeia lateral está definido para Pré FX
(consulte Figura 9.5 ). Isto é porque nós queremos tocar o sinal antes que ele chegue ao misturador. Usando a configuração pré ou pós
FX, pode silenciar a pista cadeia lateral em do Vivo Mixer e ainda ter que chegar à entrada de cadeia lateral. Dessa forma, você pode
obter o envelope rítmica sem ter que ouvir o loop de bateria. Pré FX é especialmente útil se você tem alguns efeitos pesados ​sobre a
pista, mas você quer usar esse som afetado para controlar um envelope.

Processamento dinâmico

No mundo de áudio, a dinâmica refere-se ao volume ou amplitude de um som. Mais especificamente, refere-se a mudança em volume de
um som. O som de um kit de bateria pode variar de notas fantasmas quietos em uma tarola com o som estrondoso do bumbo e toms, e
é assim considerado a ter mais alcance dinâmico do que uma guitarra distorcida, que normalmente desempenha em um volume mais
consistente .
Assim, faz sentido que os processadores dinâmicos iria alterar o volume dos sinais que passam através deles. Mas por que você iria querer fazer isso?
Como equalização, processamento dinâmico pode ser utilizada para compensar os problemas que surgem no processo de gravação. Ele também pode
ser usado para controlar os picos naturais que ocorrem durante performances vocais ao vivo, para exagerar os transientes em uma parte, ou para uma
variedade de efeitos criativos.

Compressor

A compressão pode adicionar clareza e poder de suas mixagens se feito corretamente. mal feito, ele pode sugar toda a vida do que uma vez foi uma

faixa brilhante. Para os engenheiros de áudio, compressão é uma das coisas mais difíceis de aprender a usar corretamente e é um elemento que

separa os peixes grandes dos pequenos guppies. Ao vivo 9 tem um compressor-a totalmente renovada melhor som e mais um flexível ainda. A

característica mais imediatamente perceptível do 9 compressor ao vivo é que ele oferece três vistas únicas para visualizar a forma como ela muda o

ganho de um sinal. Antes de entrar no âmago da questão da compressão, vamos se familiarizar com a interface. Os três pontos de vista possíveis

são seleccionados através dos ícones que correm ao longo da parte inferior do dispositivo (ver Figura 9.6 ).

Figura 9.6 Compressor ofertas da Vivo três visualizações exclusivas, selecionadas com os botões atrás referidos.

Fonte: Ableton

As vistas são as seguintes:

Desabou (padrão): O mais compacto de todos os pontos de vista, mostrando metros simples para Threshold, redução de ganho (GR), e de
ganho de saída. Limiar e de ganho de saída são ajustados usando o controle deslizante anexado ao lado direito dos medidores. Neste
ponto de vista, os controles LookAhead e envelope não pode ser ajustado.

Transferir Curva: Esta vista difere da vista fechada apenas em que o contador de ganho A redução é acompanhada por
uma grade XY exibindo a relação de sinal de entrada (o eixo horizontal) para o sinal de saída (o eixo vertical). Arrastando
o ponto amarelo ajusta horizontalmente o Limiar, enquanto arrasta-lo na vertical ajusta a relação.

Atividade: Este ponto de vista é uma representação de rolagem de como o ganho do sinal muda ao longo do tempo. O sinal de entrada é
representado em cinzento na forma de picos e vales, ao longo da parte inferior, enquanto que a redução de ganho é mostrado como uma linha
laranja irregular em toda a parte superior. Note-se que limiar e razão são ajustadas usando caixas de números no topo quando se utiliza Activity
View.

compressão Basics
Em resumo, um compressor é um dispositivo que liga automaticamente para baixo o volume da passagem de som através dele. Para
explicar este conceito, vamos usar um exemplo simplificado. E se você pudesse comprar algo que recusaria a TV sempre que algo alto
veio? Ele iria manter os comerciais com o mesmo volume como o programa de TV, e ele também iria manter as coisas altos como
explosões de carros de explodir seus vizinhos acordar no meio da noite. Digite o compressor.

Para obter o nosso compressor TV imaginária ao trabalho, existem algumas configurações que você tem que escolher. O primeiro é chamado Volume
Trigger. Você define um presente para o volume em que a caixa deve começar a abaixar o volume. Você definir isso para um ponto ligeiramente mais alto
do que o programa de TV que você está assistindo. este
garante que o compressor não desligar o seu show em tudo. No entanto, quando um comercial vem, será mais alto do que o volume de

desencadeamento e o compressor vai se envolver. O próximo controle que você deveria conjunto sobre essa coisa é o turn-down Valor.

Quando o engate do compressor, como resultado do volume de desencadeamento ser ultrapassado, o volume vai ser virado para baixo pela

abertura de cama Valor. Definir este para o infinito faz com que o compressor por sua vez, reduzir o volume para corresponder ao volume de

desencadeamento. Assim, os é comercial virado para baixo para o volume do programa de TV. O terceiro cenário é o Turn-Down Time. Esta

configuração define o tempo que o compressor leva para abaixar o volume uma vez que os começos comerciais. Se este valor é definido como

um longo tempo, como cinco segundos, o compressor terá cinco segundos para abaixar o volume quando chega o comercial por diante. O

ponto aqui é cortar o volume do comercial no momento em que vem, para que você defina o tempo de 10ms. Agora, o comercial é voltada para

baixo dentro de 10ms de se aproximar.

O último valor é Turn-Up Time. Este é o oposto do Turn-Down Time onde é possível especificar quanto tempo deve levar para o compressor para
transformar a volta de volume para cima novamente após os comerciais são mais. Você não quer perder nenhum do diálogo quando o show
começa, para que este conjunto de 10ms também. Mas isso faz com que um problema imprevisto: qualquer momento mergulhos a voz do locutor
abaixo do volume de desencadeamento-mesmo apenas sumindo no final de uma palavra, os brotos de volume backup ao seu nível original
causando sons de baixo nível, tais como a respiração, a tornar-se anormalmente alta. Portanto, você definir o tempo de turn-up para um segundo.
Desta forma, a voz do locutor vai ficar para baixo até o final do comercial, em que ponto ele vai desaparecer de volta ao volume total mais de um
segundo.

Então é isso. Você já domina o compressor. Acontece baixo comerciais que excedem o volume de seu programa de TV dentro de 10ms
e, em seguida, retorna o volume para um segundo normal após os comerciais são mais. Agradável.

Se você já olhou para um compressor em tudo, hardware ou software, você sabe que eu substituiu os nomes reais dos controles com nomes
falsos no exemplo acima. Aqui está o decodificador: O volume de desencadeamento é realmente o Limite ao controle. A abertura de cama
valor refere-se a Razão. Turn-Down Time e Turn- Up Time referem-se a Ataque e Liberação, respectivamente. Você vai ver todos esses
controles em Compressor de Vivo, mostrado na Figura 9.7 .

Figura 9.7 Compressor da Vivo, mostrado aqui em vista Transferência Curve.

Fonte: Ableton

Muitas pessoas acreditam que um compressor faz sons mais altos. Mas, como você pode ver na ilustração acima, um compressor faz sons altos mais
silencioso. Ainda assim, os engenheiros fazem compressores empregam como parte de um
técnica para fazer sons mais altos. Compressores fazer a faixa dinâmica de áudio menor, então o nível global pode ser maior.
Imagine que você tem algum áudio que varia de -30 dB a 0 dB. Se você comprimir a este tipo de áudio que cada pico de 10dB
é reduzido a ser superior a 10dB, então você pode elevar o nível de todo o sinal de 10dB. Agora você tem de áudio que varia
de -20 dB a 0 dB, resultando em uma maior percepção de intensidade.

Threshold, Ratio, Attack, and Release


A compressão é útil em uma variedade de situações, mas mantendo picos sob controle é de longe um dos mais comuns. (Na música
eletrônica, compressão cadeia lateral, na verdade, pode ser a mais comum de todas as tarefas.) Algumas partes, como bateria e vocais,
tem muitos picos muito curtos, chamado transientes,
enquanto que os outros (tal como uma parte sintetizador com a modulação do filtro ressonante) podem ter picos que ocorrem mais lentamente.

Sabendo como comprimir um som é saber tudo sobre que resultado você está tentando alcançar. Como você controlar adequadamente picos?

Primeiro, você precisa identificar o volume no qual você deseja iniciar a compressão, o que é feito com o Threshold.

Para fazer isso, defina o Rácio ao máximo, reduzir o ataque ao mínimo, e definir o Release to 500ms. Com o Threshold em seu padrão,
execute o sinal e observar o medidor de redução de ganho para ver se ocorre qualquer compressão. Se não, começar a mover o limite para
baixo, até que você observe o medidor de redução de ganho começa a responder. Isso significa que você encontrou o limite no qual alguns
dos transientes são altos o suficiente para acionar o compressor. Como você continuar movendo o controle deslizante Threshold baixo, o
medidor de redução de ganho vai começar a responder com mais freqüência e também irá mostrar uma quantidade maior de atenuação.

Se você continuar a reduzir o Limiar, chegará um ponto em que quase todos os elementos do som que você está comprimindo, os
transientes e os tons mais silenciosos, será tudo para além do limiar, fazendo com que o compressor a trabalhar sem parar, sempre em
algum estado de redução de ganho. Recuar o limite para um ponto onde apenas os picos estão provocando o medidor de redução de
ganho. o controlo da razão do compressor determina a quantidade de compressão expressa como uma razão entre o volume de entrada
para o volume de saída. Por exemplo, 2-para-1 meios de compressão que quando um som passa sobre o limite de 2 dB, você ouvirá
apenas um aumento de 1 dB na saída. E 4-to-1 significa que um aumento de 2 dB, apenas uma mudança ½dB seria audível na saída. Você
também pode perceber que para as configurações de maior proporção e baixo Limiares, o som pode ficar abafada ou silenciada, como
resultado do esmagamento do volume que está acontecendo. Por outro lado, a redução extrema ganho, às vezes chamado

overcompression, Também é útil como um efeito especial.

outros dois controles de compressores, Ataque e Release, determinar quanto tempo leva para a redução de ganho máximo para ocorrer após um
som cruza o limiar, e quanto tempo leva para que o som de retorno ao seu nível original após o som caiu abaixo do limite. Com uma alta
proporção e de baixo limiar, lentamente aumente o Attack, e você vai começar a ouvir mais de transientes naturais do som de passagem.
Tipicamente, uma pequena quantidade de tempo de ataque (5 a 10 ms) é melhor para reter algum sentido de dinâmica. Quando usado na
bateria, Ataque vezes menos do que 5ms pode produzir alguns efeitos interessantes, mas correndo o risco de esmagar o transitório natural em
uma maneira que faz o som opaco e sem vida. Use com cautela. ataques mais longos são frequentemente utilizados com chifres, baixo e outros
sons que têm naturalmente transientes mais suaves. configurações de liberação de um compressor são muitas vezes menos perceptível quando
longo. Um meio de libertação longa data que a compressão continua a trabalhar durante um determinado período de tempo (em milissegundos)
depois de ter sido envolvida, e o nível do sinal se caiu abaixo do limiar. Tipicamente, uma pequena libertação
tempo irá forçar o Compressor de se envolver repetidamente e desengatar (início e parada), e um ouvinte estará mais apto a ouvir os
contrastes repetidas (por vezes referido como o bombeamento ou a respiração) e distorção de baixa frequência. tempos de liberação curtos
ainda pode ser um efeito-som legal para tambores e pedaços cortados-up de áudio (onde o sinal cruza repetidamente a Threshold).

O Auto mudar logo abaixo do botão de liberação permite “programa dependente” release-intencionado o tempo de liberação é ajustado
automaticamente com base no material que passa através dele. Esta configuração está particularmente bem adaptado ao comprimir uma mistura
completa, uma vez que pode haver diversos tipos diferentes de picos que causa a redução de ganho, todos os quais o som melhor com tempos
de libertação diferentes. Este é também o tipo de liberação construído no famoso compressor LA-2A, que é lendária por soar grande nos vocais,
mesmo quando aplicando grandes quantidades de compressão.

Joelho, Lookahead, lançamento Envelope


O controlo do joelho é chamado como tal porque ele ajusta o ponto no gráfico de compressão, onde as curvas-ergo linha, o “joelho”. À
medida que o joelho é aumentado, a curva da linha rodadas fora. O que isso representa é a relação eo limiar tornando-se mais
dinâmica e aplicar gradualmente redução de ganho como o sinal se aproxima do Threshold.

Especialmente com proporções elevadas, o som produzido pelos compressores pode ser dura e não natural. Este efeito é
parcialmente causada por um compressor deixando um sinal completamente transformados e, em seguida, batendo sobre
a redução de ganho cada vez que o limiar é ultrapassado, um comportamento conhecido como compressão “hard-knee”.
Ao aumentar o joelho, você pode especificar um intervalo de decibéis abaixo do limite sobre o qual redução de ganho
devem ser aplicadas. Em outras palavras, com um limiar de 10dB, numa proporção de 10: 1, e um joelho de 10 dB, uma
pequena quantidade de redução de ganho irá ocorrer aos sinais que atingem 20dB (o Limiar menos o valor do joelho). Para
os sinais entre -20 dB e -10 dB, um aumento da quantidade de redução de ganho irá ser aplicado até que a proporção total
de 10: 1 é alcançado para sinais que excedem 10dB.

Ao lado do joelho, você verá um menu marcada “Olhe”, que define o Lookahead. Porque compressores analógicos responder a áudio
em tempo real, há um limite para a rapidez com que pode responder a um pico. Neste reino digital, esta limitação pode ser superada por
ter o detector ganho “olhar em frente” no áudio para determinar exatamente quando agir. Ao aumentar a quantidade Lookahead, você
pode aumentar a precisão do Compressor na resposta a transientes rápidos, e também gerar alguns efeitos extrema compressão
impossíveis com compressores analógicos.

O Envelope Release (marcado “Env”) pode ser definido como logarítmica ou linear. No modo Linear, os resultados que obtém são um pouco
mais orientada para o efeito. Use-o quando você quer algo para som compactado. É ótimo no sentido de conseguir um som-comprimido
esmagado, e pode realmente fazer um loop de bateria aparecer. Ele deve ser usado com moderação e deliberadamente-muito do que é som
áspero. libertação logarítmica é um modo de sondagem mais refinado e pode ser utilizado para moldar transientes com um maior grau de
transparência.

ME CHUTE! (PARTE 2): Depois de usar o EQ Eight para discar em um tom tambor belo chute, coloque um Compressor na pista.
Você vai usar o compressor para moldar a amplitude do som chute, semelhante ao uso de um envelope ADSR em um synth.

A definição para a marcação Rácio depende da quantidade de ataque já presente no som chute. E se
já há uma quantidade considerável de perfurador, uma proporção de 4 para 1 pode ser tudo o que é necessário. Se o pontapé é plana e não tem vida, uma
relação de 10-a-1 pode estar em ordem.

Você precisará de um tempo relativamente curto ataque, algo em torno de 5 a 20 ms. Se o ataque é muito curto, o tambor irá
soar curta, mal-humorado, e cortada.

Use uma configuração um pouco mais tempo para o lançamento, 25 a 50 ms, dependendo acústica do bumbo. Se o tambor tem um tom muito
tempo, uma versão mais longa vai manter a extremidade da cauda do tom de avançar para cima no volume após o transitório alto do tambor já
passou. Se, por outro lado, o tambor tem um tom curto, ou se o tambor é jogado rapidamente, um curto tempo de liberação permitirá que o
Compressor para abrir totalmente antes do próximo hit tambor. Se o tempo de liberação é muito longo, apenas o primeiro hit bumbo vai soar
bem, enquanto os outros que seguem logo após será muito tranquila porque o Compressor ainda está atenuando o sinal.

O limiar deve ser em um ponto onde cada chute jogado em volume normal irá acionar o compressor. Mas, se o limite
for muito baixa, o compressor irá esmagar o volume e nunca deixe ir!

Modos de compressão
No lado direito do Compressor, você verá três modos diferentes de compressão: Pico, RMS, e expandir. No modo Peak, o compressor
irá responder a qualquer sinal que passa sobre o limiar, enquanto RMS responde mais lentamente e terá menos efeito sobre
transientes. A vantagem de RMS é que ao aplicar a compressão com fontes complexas, como todo um mix, você não pode sempre
querem uma redução global de ganho em resposta a um transiente individual. No entanto, desde RMS permitirá transientes superiores
ao limite de passar por linha reta, não é bem adequado para qualquer coisa onde você precisa de um controle muito preciso, tais como
tambores.

Expandir é uma besta completamente diferente. Este modo inverte exatamente o comportamento do Compressor de reduzir o ganho de sinais
de alto nível para aumentá-los em seu lugar. A expansão é útil quando se trabalha com os sinais que podem parecer sem vida devido a uma
gama dinâmica que é muito pequeno, tal como um sinal de que foi inicialmente gravado com muita compactação. (Há uma quantidade limitada
de que isso pode ajudar, embora, por isso não gravar com um monte de compressão, a menos que você realmente sabe o que está fazendo.)
Além disso, a expansão pode, por vezes, ajuda com gravações feitas em salas de sondagem desagradáveis. Ao exagerar o volume dos picos,
é possível efetivamente desligar alguns dos reflexos da sala.

Maquiagem, ganho de saída, e Dry / Wet

Se você estiver experimentando com o Compressor, neste momento você já deve ter percebido que mesmo que você está aplicando
todos os tipos de “redução de ganho”, o sinal é não ficar mais suave-na verdade, ele pode realmente parecem ser ficando mais alto. Isto
é devido ao interruptor de maquilhagem (no canto inferior esquerdo) a ser activado. É automaticamente compensar a quantidade de
redução de ganho sendo aplicada aos picos e trazer o nível geral do sinal. Enquanto isso funciona bem, pode haver momentos em que
você só quer desligar picos errantes sem trazer até o nível global. Para fazer isso, basta desligar da composição. Se é ou não é ligado,
você sempre pode ajustar o nível de saída usando o controle de saída.

Dry / Wet é um controle útil para misturar algum sinal descompactado na saída do Compressor. Para
tarefas diárias de mistura onde controlando os picos de um sinal é o objectivo, este botão deve ficar a 100% (sem sinal seco). No entanto,
quando se utiliza compressor com mais configurações extremas, este controle tem um enorme potencial. Ao usar a compressão como um efeito,
você pode amar o som esmagado você começa, mas achar que há uma grande desvantagem em termos de transientes perdidos e tom natural.
Com a seco / molhado, pode marcar algumas das costas som original para completar o quadro sonoro.

Cadeia lateral

Expandindo a seção Sidechain (ver Figura 9.8 ) Revela um poderoso conjunto de controles para moldar os seus sons. Quando o interruptor
Sidechain está habilitado, as escutas detector ganho para a fonte especificada no áudio de menus, em vez do sinal a ser processado. Esta
fonte externa pode ser a saída de uma faixa ou qualquer fonte que o sistema de roteamento da Vivo pode acessar. Por exemplo, você poderia
usar o menu superior para especificar uma faixa contendo um rack da bateria e no segundo menu para escolher a cadeia bumbo dentro do
rack.

Uma utilização clássica de compressão cadeia lateral é a utilização do bombo para redução de ganho de disparo na pista de baixo, para resolver o
problema de frequências que competem na extremidade baixa de uma mistura. Se você não tiver certeza que isso significa, experimentá-lo: carga
Compressor em uma pista de baixo e defina seu Sidechain ao bumbo. Você vai ver imediatamente o dispositivo começar a responder ao sinal de bumbo
em vez do baixo.

Figura 9.8 Compressor é mostrado aqui em vista atividades, com sua seção aberta Sidechain. A seção Sidechain apresenta um EQ para que possa desencadear a compressão usando
apenas certas frequências da fonte Sidechain. As configurações aqui mostrar como você pode desencadear a compressão baixo usando o bumbo em um loop de bateria.

Fonte: Ableton

O ACIMA !: Em grande parte da música eletrônica contemporânea, sidechaining sinais para o bumbo é uma parte essencial do som. Você vai
ouvir esta técnica usada para criar efeitos pulsantes dramáticos, às vezes chamado de “bombeamento”. Não estritamente usado no baixo, o
bombeamento pode ser usado para dar energia rítmica para almofadas, leads, percussão e até mesmo efeitos como delay e reverb.

Inserir Compressor em uma trilha e definir sua fonte Sidechain para o chute. Configure o modo Peak, Razão para o máximo, Ataque
ao mínimo, Joelho de 0 dB, e Env. para Linear. Agora, com o áudio reproduzido, reduzir o limiar até que você está vendo e ouvindo
alguma redução de ganho muito intenso. O controle de lançamento é onde você vai ajustar o efeito. Crank it up para algo entre
200ms e 1s. Nesta faixa, você recebe um inchaço audível entre cada hit bumbo. O valor exato que você vai usar depende do ritmo da
música, como ocupado a parte chute é, ea sensação que você está indo para. Uma vez que você tem o jeito de isso, você pode
ajustar as outras configurações a gosto.
Mas se o seu bumbo já está misturado em um loop de bateria? Nós podemos trabalhar com isso! Depois de configurar a entrada de cadeia lateral
para a pista que seu loop de bateria está ligado, ativar a seção EQ. Agora, a solo da pista baixo e clique no ícone de fones de ouvido (Sidechain
Ouça) directamente à esquerda do interruptor de EQ. Agora, você está ouvindo a fonte Sidechain (o loop de bateria) em vez da pista de baixo.
Selecione o filtro low-pass e trazer a freqüência para baixo até que a maioria dos outros tambores desaparecer. Então você pode desligar Sidechain
Ouça e ajustar os controles de compressores até obter a quantidade desejada de redução de ganho. Você pode até mesmo ajustar o Dry / Wet
misturar e aumentar o controle Sidechain Ganho para que você está recebendo compressão desencadeada por tanto o chute e o baixo.

O Sidechain EQ também pode ser usado sem uma fonte de Sidechain externo. Neste caso, uma cópia do áudio que você está comprimindo
é usado para alimentar o Sidechain. Esta técnica é frequentemente usada para essing de-, que é o processo de amolecimento do “sss” som
agudo que pode ocorrer em partes vocais. Ao filtrar todas as freqüências mais baixas ou aumentar as frequências sibilantes (muitas vezes
8kHz e superior), você pode forçar o Compressor para responder apenas quando um forte “sss” escapa lábios do vocalista. Normalmente,
isso vai exigir alguns ajustes cuidado do Umbral e um ataque muito rápido.

Portão

Onde compressores concentrar em reduzir picos de volume acima de um certo limiar, portões ajuda desligar sinais de baixo nível abaixo de um
certo limite. Portões são uma ferramenta para reduzir o ruído de fundo, sangramento microfone, e decadência reverb indesejável. Eles também
são uma ferramenta criativa para cortar loops de áudio e criar efeitos rítmicos selvagens usando a cadeia lateral. Figura 9.9 mostra o efeito Portão
de viver. Um efeito portão funciona exatamente como parece. Certain áudio pode fazê-lo através do portão, enquanto outro áudio não pode. O
nível mínimo para chegar até o portão é definido pelo controle deslizante Threshold. Qualquer mais silencioso som de entrada do que o limiar fará
com que a porta para fechar, atenuando assim o sinal. Uma vez que o portão se abre, permanece em aberto até que o sinal vai abaixo do valor
limiar menos O valor de retorno. Em outras palavras, se o limite é de -10 dB e de retorno é 5 dB, a porta será aberta para sinais acima -10 e
permanecer aberto até que o sinal cai abaixo de -15.

Para ter uma idéia para isso, defina retorno a zero e ajuste Threshold até que apenas os picos mais altos do sinal de passar. Em algum
momento, você vai descobrir um fenômeno chamado de “conversa fiada”, onde o portão abre e fecha rapidamente à medida que o sinal
atravessa e para trás através do Threshold. Aumentando o retorno vai parar a conversa e transmitir um som mais natural para o gating.

Figura 9.9 efeito da porta do Live.

Fonte: Ableton

As configurações de ataque, segure e solte determinar a taxa em que o portão abre e fecha. Para
exemplo, um ataque muito curto fará com que o portão aberto rapidamente quando o limite for excedido, às vezes resultando em
duras, cliques audíveis.

Da mesma forma, as funções de libertação de espera e afetar quanto tempo o portão permanece aberto após o sinal ter caído abaixo do limiar. Espera
é um montante mínimo fixo de tempo que o portão deve permanecer aberto, enquanto lançamento é a velocidade com que ela se fecha. O switch flip
transforma o portão de cabeça para baixo somente sinais
abaixo o limiar serão passados. Embora muitas vezes não é a coisa mais prática, o switch flip pode ser usado para gerar alguns
efeitos glitchy interessantes em suas batidas, e pode ser muito eficaz quando usado em conjunto com o Sidechain.

Pavimento é a quantidade de redução de ganho aplicado quando a porta está fechada. Quando usado como uma ferramenta corretiva para sangrar
microfone ou redução de ruído, você pode precisar experimentar com menos redução de ganho para obter resultados que soam naturais. Quando porta está
sendo usada como um efeito, tente transformar isso todo o caminho para o efeito mais dramático.

O Sidechain abre um monte de possibilidades criativas para o Gate. Suas configurações são idênticas às descritas em detalhes na seção
“Compressor” neste capítulo. Para uma experiência interessante, tente o exemplo Filtro Auto cadeia lateral (envolvendo uma almofada
sustentado e um loop de bateria) com o Gate. Ao abrir e fechar a porta usando uma batida, você pode transformar o bloco em uma parte do
ritmo picada-up.

Glue Compressor

Este compressor leva o nome estranho de um pedaço comum de áudio engenheiro-falar: a saber, a capacidade de compressão para
fazer um som mix “coladas”. Esta qualidade difícil de descrever refere-se ao resultado final soando como um todo coeso, enquanto ainda
está sendo composto por elementos claros e cuidadosamente delineados. Um dos mais famosos compressores para alcançar este
resultado é o compressor mestre Buss encontrados em consoles SSL, o compressor no qual a cola é modelado (ver A Figura 9.10 ).

A Figura 9.10 O Glue Compressor traz um pouco de som grande console para paleta sonora do Live.

Fonte: Ableton

Todos os controles básicos encontrados no compressor são o mesmo aqui, com a ressalva de que o botão de ganho de saída é chamado Maq
eo Attack, Release, e as configurações de Relação estão limitados aos mesmos valores encontrados no hardware original. (Certifique-se de
ler a seção “Compressor” se você precisa de um briefing sobre a funcionalidade básica deste dispositivo.) A principal diferença com cola
Compressor é que ele é otimizado para lidar com fontes complexas, como um buss tambor ou um mix inteiro, e modela-se o circuito do
dispositivo analógico no qual é baseado, e assim é capaz de produzir um pouco de cor sonoramente agradável. Com o interruptor macio
habilitado, grão e cor do dispositivo é maximizada, como um algoritmo Waveshaping adicional é usado para picos limite e produzir distorção
sutil.
Um controle exclusivo para Glue Compressor é Range. Esta configuração dá-lhe a capacidade de limitar a quantidade de compressão aplicada a um

valor absoluto. Por exemplo, faixa de ajuste de -10 dB significa que nunca haverá mais de 10 dB de redução de ganho aplicada, independentemente

das definições de limiar e razão. Isto é muito útil quando se usa este dispositivo em um Buss ou um mix inteiro, porque, nestes casos, muitas vezes

é desejável a utilização de quantidades muito pequenas de ganho de redução de, por vezes, um máximo de 2 ou 3 dB. O interruptor de

desdobramento da barra de título pode ser utilizado para expor os controlos Sidechain. Elas funcionam como as de Compressor, então rever essa

seção deste capítulo para obter mais informações sobre este tópico.

Limitador

Já notou que quando você completar uma mixagem da sua música, ele ainda não é tão alto como faixas comerciais que você comprou?
Isso ocorre porque após a fase de mixagem, a maioria das faixas passam por um processo de masterização separado para equilibrar as
características gerais de frequência e também para aumentar o volume global da trilha. Na verdade, o volume tornou-se uma tal obsessão
com muitos artistas e etiquetas, que agora é rotineiramente discutida nos círculos de engenharia como os “loudness war”. A única arma
número utilizado para lutar nesta guerra é o limitador (ver A Figura 9.11 ).

A Figura 9.11 da Vivo limitador é ótimo para obter suas faixas um pouco mais quente dB.

Fonte: Ableton

da Vivo limitador é o mais simples de todos os processadores de dinâmica. Ele simplesmente impede que o sinal nunca vai acima do
volume especificado pelo parâmetro de teto. Em termos tradicionais de engenharia de áudio, um limitador é um compressor com uma
proporção de 10: 1 ou superior, embora geralmente quando você vê um dispositivo “limitador brickwall”, tal como este, a sua relação é
geralmente fixada em “inf”, o que significa que o sinal nunca é permitido exceder o limite.

O limitador não tem controle limiar. Isso porque as funções teto como o limiar. Se o seu teto é definido para -1dB, e você alimentá-lo um
sinal de que não contém picos acima -1, então o limitador não terá nenhum efeito. Para aplicar a limitação, você poderia simplesmente
aumentar o controle de ganho até que o sinal começa a exceder o teto. Então você verá o medidor de redução de ganho começará a
piscar, e você ouvirá o nível global do sinal se tornar mais alto, sem nunca desviar. Como você continuar a aumentar o ganho, você vai
começar a ter alguma distorção e acabará por destruir todas as dinâmicas no sinal, então escute cuidadosamente e ir fácil em caso de
dúvida.

O botão de liberação pode ser usado para afinar as características de liberação do limitador, mas para a maioria das aplicações, Auto vai funcionar muito
bem. funções LookAhead como um controle Ataque simples. Em valores mais baixos, que responde mais rapidamente aos picos, o que resulta em mais
limitante, mas também um potencial aumento da distorção. Este é sempre o trade-off com o aumento do ganho através da limitação. Quanto mais você
aplicar,
menos dinâmica e mais distorcido o sinal se torna. Para encontrar a quantidade certa, é uma boa idéia para colocar em alguns fones de ouvido e
aumenta o ganho até que você pode ouvir distorção; em seguida, recuar até que tenha encontrado um nível aceitável.

O interruptor marcado Stereo geralmente deve ser deixado sozinho a menos que você não se importa de brincar com a imagem estéreo do material que
você está trabalhando. No modo de estéreo, um pico em qualquer canal fará com que a redução de ganho ocorre em ambos os lados, preservando a
imagem estéreo. Ao mudar isso para L / R, você pode tratar cada lado separadamente.

multibanda Dynamics

Se você ainda está envolvendo sua cabeça em torno do que processadores de dinâmica não, então você pode querer passar mais tempo
com Compressor básica de Live and Portão antes de cavar no dispositivo Multibanda Dynamics (ver A Figura 9.12 ). Se você já é um
engenheiro experiente, então você está certamente familiarizado com o poder deste tipo de processador. Esta seção pressupõe que você
sabe o básico de compressão e gating, por isso certifique-se de ler as secções do compressor e Gate se você precisa retocar sobre esses
conceitos.

A Figura 9.12 da Vivo Multibanda Dynamics.

Fonte: Ableton

Essencialmente, um compressor multibanda (o tipo mais comum da dinâmica multibanda de processamento) é o que você ganha se
você produzir um EQ e um compressor. Por exemplo, no caso do equalizador de três, o sinal fica dividida em três bandas diferentes,
cada um dos quais tem o seu próprio volume de controlo, um para virar cada uma das bandas para cima ou para baixo
separadamente. No caso de um compressor multibanda, cada uma das bandas recebe o seu próprio processador de dinâmica, capaz
de transformar automaticamente o volume do que para baixo banda, dependendo do volume daquela banda do sinal de entrada. Para
o dispositivo de multibanda Dynamics, Ableton criou um processador que é capaz de compressão e expansão para cima e para baixo,
o que significa que cada faixa pode ser activado automaticamente, quer para baixo ou para cima, em resposta ao sinal que vai acima
ou abaixo de um determinado limiar.

No caso da nova Multiband Compressor da Vivo, as três bandas são dispostas de cima para baixo, em vez de esquerda para a direita. Cada
banda tem o seu Activator e Solo muda, enquanto as altas e baixas faixas, cada um tem um interruptor On / Off, que pode ser usado para fazer o
uso do dispositivo apenas duas bandas ou mesmo uma banda (caso em que não é um processador multibanda em tudo ).

Abaixo de cada do On / Off switches, você também vai ver uma caixa de número para especificar a frequência. Estes são os pontos de
cruzamento para o dispositivo, e definem o intervalo exato de frequências que cada um dos
controles bandas. Então você verá que a banda de alta frequência inclui tudo acima 2.5kHz por padrão, mas alterando este valor, você
pode facilmente fazer o Alto banda incluem apenas frequências acima de 5 kHz. A banda Mid então lida com tudo abaixo 5kHz para
baixo a qualquer frequência é especificado para a banda Low.

Como você jogar um sinal através deste dispositivo, você verá metros no visor central para cada banda, mostrando o volume do sinal. Os blocos claros
na extremidade esquerda e direita da tela são uma representação gráfica das configurações de limiar e razão. O bloco da esquerda é utilizada para as
definições de visualização tanto para a compressão para cima (fazendo um mais alto do sinal quando ele cai abaixo de um determinado limite) ou
expansão padrão (fazendo um mais silencioso do sinal quando ele cai abaixo de um determinado limiar), o qual é semelhante ao de intermitcia. Os
blocos da mão direita fazer as configurações de expansão para cima (fazendo um mais forte sinal quando ele excede um determinado limite) ou de
compressão para baixo padrão.

Em qualquer destes casos, o limite é definido, arrastando as bordas das caixas de esquerda ou direita, tornando-os mais ou menos longo, ea relação
é especificada arrastando para cima ou para baixo em qualquer lugar dentro das caixas. Você verá que, dependendo da direção que você arrasta, a
caixa se transforma qualquer laranja ou azul. significa propores de azul maior do que 1, o que significa uma redução de ganho, enquanto significa
laranja proporções de menos do que 1, o que significa que haverá um aumento de ganho quando o limiar foi ultrapassado. Para visualizar estes
valores numericamente, clique no B (para baixo) ou A (para Acima) no canto inferior direito da tela. Abaixo mostra as configurações para o bloco do
lado esquerdo, enquanto que Acima mostra os da direita. A T (para Threshold) irá ajustar os tempos de ataque e liberação.

Na prática, os processadores multibanda são muitas vezes utilizados em dominar. Por exemplo, você pode querer deixar o baixo final de uma

grande pista de dança e não comprimido, dando os médios mais um aperto para que eles não ficar doloroso em volumes elevados. Quando você

está aprendendo a usar Multibanda Dynamics, não tenha medo de desligar o interruptor de Activator para duas das bandas e se concentrar

apenas em um. Por exemplo, se você tem uma parte que soa muito nítidas, mas equalização que faz parecer muito aborrecido, tente desligar

média e baixa as bandas fora e veja se você pode obter o que deseja, aplicando um pouco de compressão para o topo. Multibanda Dynamics

também possui uma seção Sidechain, que funciona apenas como o de Compressor, exceto que ela não tem uma seção EQ. Consulte a seção

“Compressor” neste capítulo para obter mais informações.

Efeitos de atraso

grupo efeitos Delay do Ableton pode ser apenas efeitos mais criativos da empresa de sempre. Cada efeito possui ferramentas sólidas tanto
para montar novas variações rítmicas e criando texturas inovadoras com sons longos repetidos. Embora muitos dos atrasos têm alguns
controles semelhantes, cada atraso é também um pouco especializada e tem algumas características únicas. Como você explorá-los um por
um, não tenha medo de fazer muitas experiências e se perder em sua própria criatividade.

Delay simples

Enquanto você pode pensar que estamos começando simples, simples atraso da Vivo é ainda um aparelho de som formidável, tempo- atraso syncable,
com um seletor rítmica beat-divisão (ver em A Figura 9.13 ).

A Figura 9.13 da Vivo simples atraso plug-in.


Fonte: Ableton

Olhando para o dispositivo, você pode ver dois optantes e um beat-divisão separada para o canal esquerdo e outra para a direita. Se você está em
sincronia modo de onde a pequena caixa de sincronização é iluminado em cada verde número em caixa representa um múltiplo do tempo de atraso
de 1/16-nota. Por exemplo, a escolha de um 4 significaria um atraso de quatro-1/16-nota, ou uma completa 1/4-nota espera, antes de se ouvir o som
nota adiada. Uma 8 seria duas batidas, e 16 seria quatro batidas-Tipicamente, uma medida inteira. Em qualquer um dos optantes beat-divisão, você
pode selecionar 1, 2, 3, 4, 5, 6, 8 ou 16 para o seu múltiplo atraso. Como mencionado, essa batida dividindo funciona apenas se o botão verde Sync é
deprimido por esse canal (direita ou esquerda). Sincronizar meios que o atraso está definido para sincronizar com o tempo da música (batidas por
minuto). Se você soltar o Sync, você pode tempo de atraso ajustado manualmente com precisão de até 1/1000 de segundo pelo clique-arraste (para
cima ou para baixo) na caixa de campo Time. Note-se que com o Sync envolvidos, esta mesma caixa permite o ajuste do tempo de atraso por uma
porcentagem. Isso significa que você está a abrandar ou acelerar o atraso abaixo ou acima do andamento do projeto atual. Em outras palavras, você
pode adicionar um pouco de slop, ou mesmo aproximar uma sensação tripleto, se os seus atrasos estão soando muito rigoroso.

Largura dupla: Qualquer sinal pode ser dado largura do estéreo usando um truque atraso fácil. Set ambos os lados esquerdo e direito de um
atraso de Tempo Modo simples e, em seguida, definir o atraso esquerdo para 1ms e o direito de 20ms. Em seguida, definir o efeito a 100% de
humidade. Ele vai soar como se o centro caiu para fora, e o sinal está vindo só dos lados. Para personalizar ainda mais este efeito, experimentar
com diferentes tempos de atraso e configurações seco / molhado.

O botão Dry / Wet determina quanto do efeito contra o som original que você ouve. Seco é o termo áudio engenheiros usam para se referir
ao som original, enquanto molhado é o som atrasado ou afetada. Uma configuração de 00:00, ou 50%, para a seco / molhado irá criar um
sinal de retardo, que está no mesmo volume que o original. Um meio 100% de ajuste Wet que você não vai mais ouvir o som original,
apenas o efeito de atraso.

Realimentação controla a duração e a intensidade do efeito. Ao aumentar a percentagem de feedback, você aumentar a saída de sinal do efeito
para a sua própria entrada. O sinal circular criado por feedback moldarão radicalmente o atraso, a partir slapback eco (tempo de atraso curto, baixa
realimentação) a uma câmara de eco selvagem potencialmente espiral fora de controlo (com grandes quantidades de realimentação).

ALL WET: Quando plug-ins estão localizados em uma das faixas de retorno, definir a configuração seco / molhado a 100% de humidade.
Desde o som da fonte original ainda é audível através do Vivo Mixer, não há necessidade
para encaminhar qualquer sinal seco através do efeito.

Ping Pong Delay

Como um jogo de Ping-Pong, Ping Pong Delay do Ableton (ver A Figura 9.14 ) Desempenha um jogo de ténis estéreo com seu som, servindo-o
da esquerda para a direita. Ao olhar para este dispositivo, você pode notar que muitos dos controles são semelhantes aos da simples Delay
abordado anteriormente. Como simples Delay, Ping Pong Delay é um delay estéreo com built-in ritmo capacidade de sincronização, e ostenta
o mesmo atraso de tempo batida- caixas Chooser divisão, bem como os mesmos controles seco / molhado e Feedback; no entanto, Ping Pong
Delay é um pouco mais criativo em termos do que as frequências realmente chegar atrasado (repetido). Irá encontrar um filtro passa-banda,
completo com um eixo controlador XY ajustável para ajustar tanto a frequência de corte e a largura da banda de frequência (o Q). Você pode
selecionar entre 50Hz e 18kHz e um Q de 0,5 para 9 dB.

A Figura 9.14 Ping Pong Delay da Vivo salta um sinal da esquerda para a direita.

Fonte: Ableton

Observe que as mesmas caixas de tempo de sincronização e atraso também estão presentes em Ping Pong Delay. Quando a sincronização é
ativada, Ping Pong Delay vai ritmicamente sincronizar os atrasos de áudio da esquerda para a direita, de acordo com o seletor de beat-divisão.
Depois de desactivar Sync, você pode definir o tempo de atraso manualmente de 1 a 999ms.

Ao lado do interruptor Sync é um botão minúsculo rotulada F. Este é o botão Congelar. Quando ativo, ele fará com que o Delay Ping
Pong para repetir indefinidamente sem desaparecendo e sem adicionar novo áudio para o loop. Portanto, você pode “congelar” o que
está repetindo ativando esse botão. Quando você desativá-lo, o atraso continuará a decadência e repita como normal.

filtro Delay
Em seguida em grupo de efeitos de delay do Live é o poderoso filtro Delay. Este efeito é na verdade, três atrasos em um: um atraso estéreo e dois
atrasos-mono uma em cada um dos canais estéreo. atrasos individuais pode ser ligado e desligado através do L, L + R, e caixas de R na extrema
esquerda, visto em A Figura 9.15 . Da mesma forma, cada filtro de alta e de baixa passagem também pode ser ligada e desligada através da caixa verde
marcado Ligado (configuração padrão) no canto esquerdo superior ao lado dos controladores de XY.

A Figura 9.15 Filtrar muito flexível da Vivo Delay. Note-se que o G + entrada R é desactivado neste exemplo, fazendo com que o dispositivo para produzir resultados completamente independentes
para os canais esquerdo e direito.
Fonte: Ableton

O dispositivo Delay filtro é constituído por três atrasos individuais, cada um com seu próprio filtro. Os controladores XY trabalhar da mesma forma
como o atraso de Ping Pong. O eixo Y determina a largura de banda (Q), ao passo que o eixo dos X se desloca a frequência. Cada atraso também
possui o seu próprio seletor de beat-divisão com tempos de atraso Tempo-syncable.

No lado direito do plug-in, você vai ver comentários, Pan e Volume controles específicos para cada atraso. Cada controle de feedback irá

redirecionar o sinal de volta retardada através da entrada desse atraso (assim como todos os atrasos ao vivo). botão Pan de cada atraso pode ser

usado para substituir sua configuração padrão. Por exemplo, se você deslocar o atraso L (atraso superior) para o lado direito (com o topo Pan

botão), você vai ouvi-lo à direita. Em vez de um botão Dry / Wet, o Filtro Delay tem botões de volume separados para cada atraso. O nível de sinal

não afectado é controlada com o botão seco, localizado no canto inferior direito. Para um sinal de 100% molhado, por sua vez a configuração

seco a 0.

EM TRANSIÇÃO: Botão direito do mouse na barra de título do Simples, Ping Pong, ou atrasos de filtro para revelar os modos de transição:
Jump, Fade e Repitch. Selecione Repitch e jogar com o tempo de atraso ao passar um sinal completamente. Como muda o tempo de
atraso, você vai ouvir o levantamento e abaixamento de tom do sinal atrasado, assim como você faria com um atraso de fita ou unidade de
delay analógico. Salto funciona quase igual ao modo desvanece-se padrão, mas permite a produção de artefatos digitais criados alterando
os tempos de atraso. Fãs de uma paleta de som digital glitchy pode gostar deste modo.

A entrada muda na extrema esquerda são usados ​para ligar os atrasos ligado e desligado, enquanto o On / Off muda ao lado do filtro pode ser
usado para ativar ou desativar a filtragem do sinal. Essas opções fazem o filtro Delay o mais personalizável de unidades de atraso do Live.

Atraso de grãos

Grain Delay está entre efeitos mais complexos e criativos da Vivo. O Delay Grain é o mesmo que outros atrasos de ao vivo em que ele tem muitos
dos mesmos controles: Delay Time, feedback, mix seco / molhado, e Beat configurações de Quantize. Enquanto os outros atrasos que temos visto
até agora tinha um filtro na fase de entrada, o atraso de grãos tem um resynthesizer granular vez. O conceito básico é que Grain Delay disseca
áudio em minúsculos grãos, cambaleia o tempo de atraso desses grãos, e em seguida, abre-se uma caixa de ferramentas completa do passo, passo
randomizado, e spray controles para alguns resultados de design de som far-out. Embora existam todos os controles de atraso comuns deste
dispositivo, a parte do leão da interface Grain Delay (observados em A Figura 9.16 ) É ocupado por um grande controlador XY parâmetro de cessão.
A Figura 9.16 Atraso de grãos da Vivo pode levar áudio separados, alterando aleatoriamente a estrutura eo campo antes de reproduzir o som.

Fonte: Ableton

Frequência
Este é o segundo parâmetro na interface de atraso, mas a sua configuração afeta todos os outros, então eu vou explicar isso em
primeiro lugar. No Delay grãos, pequenos grãos de som são rapidamente dispersos. O ajuste de frequência determina o tamanho e a
duração de cada grão que vai ser subsequentemente retardada e pode variar de 1 a 150 Hz. A configuração padrão de meios 60Hz que
cada segundo de áudio de entrada é dividido em 60 grãos. Isto significa que uma configuração baixa cria um grande grão, enquanto os
ajustes maior freqüência criar grãos menores. configurações de alta freqüência (lotes de pequenos grãos) vai ajudar sons keep com
sincronismo rítmica, como loops de bateria, intacta através do processo resynthesis. configurações de baixa frequência vai soar mais
natural para sons longos, como texturas e almofadas. Se você está tendo problemas para obter um cenário desejável para fora do Delay
Grain,

spray
O parâmetro spray roughs o som, acrescentando ruído e garble ao sinal atrasado. Esta configuração permitirá que o Delay Grain escolher um
atraso aleatório compensar montante para cada grão. Se a configuração acima de frequência é um valor alto, o efeito do spray será mais
pronunciada, pois há mais grãos para randomizar a cada segundo. O tempo de atraso para a pulverização pode variar de 0 a 500ms. Valores
menores tendem a criar um efeito de atraso difusa-som, enquanto uma configuração de pulverização maior vai completamente desmontar o
sinal original.

Arremesso contra Aleatório campo


Como o parâmetro de pulverização, Random passo tende a jogar som ao redor. A quantidade de aleatoriedade pode variar de 0 a 161 em termos
de intensidade (0 sendo o menor intensidade). Os simples faixas de idade Afastamento de parâmetros de 12 a -36 semitons, enquanto permitindo
valores intermédios dois pontos-decimal. Em outras palavras, o ajuste fino de campo de um sinal atrasado a um tom real, discernível seriam os
mais adequados para o controle de Pitch; tentando eliminar, destruir ou adicionar movimento a um sinal agudo é a força de valores elevados
aleatória campo. Você pode usar o Pitch and aleatória passo em conjunto para algumas modificações passo robóticos e selvagens. Tal como
acontece com o controle de pulverização, quanto maior o ajuste de freqüência, o mais pronunciado o efeito aleatório passo será porque há mais
grãos a serem resynthesized.

Colocando Grain Delay para Uso


Agora que você tem alguma idéia de que tipo de mal a Delay grão é de até, é hora de se familiarizar com o uso da interface XY de
Grain Delay. Os parâmetros que ele controla são seleccionados clicando uma das caixas localizadas ao longo do lado e da parte
inferior.

Ao longo da interface X (horizontal), você vai ver as caixas para Delay Time, Pulverizar, Frequência, pitch, Random Pitch e Feedback.
O eixo Y vertical pode ser ajustada para controlar o spray, Frequência, Breu,
Aleatória campo, feedback e seco / molhado controles. Para realimentação conjunto para ser controlada pelo eixo Y, simplesmente clicar sobre a caixa

alinhada verticalmente marcado Comentários logo acima da configuração seco / molhado. Para permitir que o eixo X para controlar o tempo de atraso, clique na

caixa Tempo de atraso no canto inferior esquerdo. Agora você está pronto para manipular graficamente esses controles. movimentos verticais afectar o eixo

dos Y, enquanto se move horizontais alterar o eixo-X.

Minha mudança afinação para cima: Uma das aplicações mais simples para o atraso Grain é fornecer um eco em um diferente campo da
trilha original. Deixe a valores aleatórios Afastamento spray e em 0 e escolher o seu tempo de atraso normalmente. Se o valor de Pitch é a
0, o atraso de grãos será de trabalho como o simples atraso na medida em que atrasa somente o sinal de entrada. Alterar a configuração
de Tom para transpor o eco de uma nova nota. Por exemplo, escolher uma configuração de Pitch de 12 fará com que o sinal atrasado para
voltar uma oitava acima do que o original. Isto pode ser divertido em partes vocais.

Ressonância

Enquanto dispositivo Reverb do Ableton pode não parecer um atraso, é certamente da mesma família efeito baseado no tempo.
Reverberação ocorre quando o som salta fora de uma superfície, geralmente muitas superfícies, muitas vezes. No processo de
reflexão, os dissipa sonoras originais, tornando-se difusa e eventualmente desaparecer completamente. Dependendo da forma e
reflexivos qualidades do quarto, determinadas freqüências serão mais pronunciados do que outros no som reverberado, ou rabo.

O número de controlos pode parecer assustador, mas como nós passo cuidadosamente através do caminho do sinal, você vai ver que tudo faz
sentido. Antes de se deixar levar, dê uma olhada rápida em A Figura 9.17 .

A Figura 9.17 da Vivo apresentam-laden plug-in.

Fonte: Ableton

Processamento de entrada
O primeiro elo na cadeia de sinal de Reverb é a seção de processamento de entrada. Aqui você tem on / off de Baixa selecionável e de
alta Corte de filtragem, bem como um controle PreDelay. A interface de corte baixo e alta corte XY permite cortar frequências da sua
entrada antes de serem reverberou. Semelhante a outros atrasos de vivos, o eixo X muda a frequência do corte (50 Hz a 18 kHz),
enquanto o eixo Y muda a largura de banda (0,50-9,0). Você também pode ativar cada filtro off desmarcando sua caixa iluminada verde.
Eu recomendo passar algum tempo brincando com este filtro cada vez que você usar este efeito. Pense nisso
filtra como alterar as características acústicas de um quarto. Por exemplo, um quarto de betão pode não reproduzir as baixas
frequências, bem como um quarto estúdio acusticamente. Cada quarto favorecerá completamente diferentes freqüências.

Além disso, confira o controle PreDelay para adicionar milissegundos de tempo antes de ouvir as primeiras reflexões iniciais, ou som atrasado,
da próxima reverberação. Predelay é muito útil para preservar a definição do som que você está adicionando reverberação. Mesmo com tempos
de decaimento mais longos, você pode pôr em marcha acima o Predelay para evitar que o som original de se tornar demasiado molhada ou
enterrados pelo efeito. Enquanto o PreDelay pode variar de 0,50 a 250ms, para simular um quarto soar normal, o PreDelay funciona melhor
abaixo 25ms.

Reflexões iniciais
reflexões iniciais são as primeiras reverberações ouvido após os saltos de som iniciais fora das paredes, chão ou teto da sala-ainda
chegam à frente da reflexão cheia, ou cauda. Às vezes, eles soam como atrasos slapback ou partes moles do todo reverberou som
(difuso). O Reverb abriga dois controles de reflexão iniciais: Forma e rotação. controles de interface XY de rotação, a profundidade (eixo
Y) e de frequência (eixo X), aplicar uma modulação subtil de reflexões. Os resultados podem variar de cintilante altos para whirligig
floreios panning. Para mais rápida deterioração das reflexões, tentar aumentar o controlo da forma gradualmente para 1,00. Os valores
mais baixos irão misturar-se mais suavemente com a difusão de reverberação normal.

Configurações globais
Na seção Configurações globais do Reverb, você pode selecionar o nível de qualidade do reverb: Eco, Mid ou High. As três configurações exigirá
energia do processador pequeno, moderado e grande, respectivamente. Também pode determinar o tamanho da sala imaginário através do controlo de
tamanho, que varia de 0,22 (pequeno / tranquilo) a 500 (grande / alto). Um aparelho de som seleciona de controlo de imagem de 0 a 120 graus de
propagação estéreo na reverberação. Os valores mais elevados serão mais espalhados, enquanto os menores se aproximar de um som mono.

Rede de difusão
A Rede de Difusão é de longe a área mais complexa de aparência do efeito Reverb. Esses controles ajudam a dar os toques finais sobre a
reverberação real que segue de perto as primeiras reflexões. A partir daqui, você será capaz de decorar e controlar os pontos mais finos do
som reverberava. Para começar, alta e filtros de baixa prateleiras ainda poderá definir o som do seu quarto imaginário. Pelo barbear fora
das elevações, por exemplo, o seu quarto pode soar mais como uma sala de concertos ou grande auditório, enquanto iluminando a difusão
(levantando a prateleira alta) vai aproximar um “banheiro” reverb. Semelhante a filtros controlada de interface XY, de eixo X de cada filtro
determina a frequência, enquanto que os controles do eixo Y de largura de banda. Ligando estes filtros off vai economizar alguns recursos
do sistema.

Sob os controles estantes altas e baixas, você vai encontrar as configurações Decay tempo do Reverb, que vão desde um extremamente curto
200ms a uma cauda de 60 segundos de duração cavernoso. reverbs longos são fascinantes, mas pode fazer enlameada som áudio e
desordenados se usado profusamente.

Para testar a coloração e qualidade sonora do seu Reverb, você pode usar o controle Congelar. Toda vez que você pressionar Freeze, Reverb
vai indefinidamente manter e reproduzir a cauda difusão. Quando Flat for ativado, os filtros de baixa e alta passagem será ignorado. Em outras
palavras, a sua cauda Reverb congelada conterá todas as frequências. Um comando activo corte impede ainda áudio de ser congelado, até
mesmo se for passando através da reverberação. A segunda interface XY na Rede de Difusão, Chorus rotulado, pode adicionar
movimento sutil ou efeito vacilante para a difusão global de reverberação. Quando não estiver em uso, desativar o botão Chorus para salvar os
recursos do sistema.

A secção final em Difusão de rede controla a densidade (espessura) e escala (aspereza) de eco da difusão. O controlo de densidade varia de 0,1% (um
isqueiro de reverberação sonoridade) a uma reverberação rico e mastigável 96%, enquanto a escala pode ser executado a partir de 5 a 100%,
adicionando gradualmente uma qualidade mais escura e mais turva para a difusão. Uma configuração de alta densidade irá diminuir a quantidade de
mudança audível emitido pelos controlos da Escala.

Resultado
A seção de saída é o último elo da cadeia de sinal Reverb. Nesta fase, apenas três botões, Dry / Wet, refletir o nível e difusa
Nível, dar os últimos retoques em sua obra-prima. Dry / Wet controla a proporção de som original, não afetado para afetados,
som reverberou que você ouve vindo de saída do efeito. O Refletir botão de controle de nível ajusta a amplitude (nível) dos
primeiros reflexos especificados na caixa de reflexões, de -30 a +6 dB. Quanto mais alto você faz as primeiras reflexões,
mais você vai ouvir um eco do som verdadeiro (o qual irá tocar ainda mais como um atraso slapback em oposição a um
reverb).

De forma semelhante, o Nível difuso controla a quantidade de nível de difusão de rede na saída Reverb final. Um nível de difusão
de baixo irá diminuir a reverberação, enquanto uma alta amplitude de difusão de rede irá aumentar a presença global do efeito.

Efeitos de modulação

O termo “modular” significa simplesmente “mudar”, por isso, por si só, não nos diz muito sobre o que esses efeitos fazem. De um modo geral,
quando falamos de efeitos de modulação, nós estamos falando sobre aqueles que são movidos por um LFO, de tal forma que uma parte
inerente do efeito é o som dele mudando ao longo do tempo. Certifique-se que você é claro sobre o papel do LFO no filtro de Auto e efeitos
Auto Pan, e você terá um tempo muito mais fácil compreender os nesta seção. Dito isto, alguns destes efeitos também produzem resultados
bastante úteis sem usar a seção de LFO em tudo. Como de costume, esculpir algum tempo para explorar cada um deles totalmente.

Refrão
Quando você ouvir um grupo de pessoas cantando um refrão, cada membro do grupo tem um pouco diferentes horários e entonação, mesmo se

eles estão cantando as mesmas palavras com a mesma melodia. O resultado é um som grande e exuberante vocal atingida pelas variações em

todas as vozes. As tentativas efeito de coro para recriar este fenómeno, tendo o sinal de entrada, atrasando-o por valores diferentes,

adicionando um toque de tecla Shift aleatório passo, e em seguida misturando os resultados com o original. Em outras palavras, os efeitos

Chorus assumir que dois sons são melhores do que um. É comum para executar sintetizadores, guitarras, vocais e cordas através de um coro.

A duplicação, ou mesmo triplicação, efeito de um coro faz vozes solo som mais potente, ocupa mais espaço em uma mistura, e, portanto, soa

mais “presente”. Coro da Vivo (ver A Figura 9.18 ) Apresenta dois atrasos paralelas que podem ser definidos para 0,01 20ms ou vinculados pela

ativação de um minúsculo sinal de igual (=).

A Figura 9.18 efeito Coro do Live. Observe o sinal de igual minúscula (=) entre os atrasos. Este botão sincroniza os dois.
Fonte: Ableton

Atrasos 1 e 2
primeira demora do efeito será sempre ativo quando o Coro está ligado. Para ajustar o tempo do atraso, faça deslizar o fader. O botão de filtro
passa alto ajustável ignora chorusing baixas frequências, que muitas vezes podem tornar-se menos muddier e definidas quando dobrado. A
gama é definida pelo 20Hz a 15kHz. Delay 1 pode ser usado sozinho ou em paralelo com atraso de 2.

de Delay 2 Chorus pode adicionar ainda mais espessura e intensidade aos seus sons. Delay 2 pode funcionar em dois modos distintos, Fix e Mod, e
pode ser ignorada, selecionando o botão superior visível rotulado Off. modo de correção irá forçar Delay 2 para o calendário especificado pelo seu
slider. modo de modificação permitirá que o tempo de atraso para ser modulada por fonte Mod do efeito.

Modulação
seção Modulation do Coro é onde o efeito recebe o seu movimento. Esta seção controla um oscilador de onda sinusoidal (um
LFO), que pode ser usado para alterar a temporização dos dois atrasos. Se você está indo para novos sons completamente
irreconhecíveis ou apenas à procura de um pouco de propagação mais estéreo, você vai querer passar algum tempo mexer
(clique com o botão arrastando) com o controlador Modulation XY. movimentos horizontais alterar a taxa de modulação de 0,03 a
10 Hz, enquanto que o eixo vertical aumenta a quantidade de modulação de 0 a 6,5 ​ms. Então, se Delay 1 está definido para 1ms,
e você tem uma quantidade de modulação de 1 ms, o LFO irá mudar continuamente o tempo de atraso entre 0 e 2ms. A taxa de
modulação altera a velocidade do LFO de movimentos subtis para vibrações borbulhante. Você também tem a opção de digitar
valores, basta clicar sobre a caixa,

O LFO irá modular ambos os atrasos em estéreo. Isto significa que os tempos de atraso utilizados para os canais direito e esquerdo será
diferente, o que aumenta a intensidade de som do efeito. Isto também significa que se ambos os atrasos estão sendo modulada, haverá
quatro tempos de atraso diferentes em um dado momento. Como é que para engordar um som?

Se você está procurando redesenho sonora radical, o botão * 20 multiplica o refrão taxa LFO por 20. Enquanto isto pode não parecer
grande de todos os tempos, o * 20 multiplicador vai empurrar o envelope do dullest de sons.

Feedback, Polaridade, e Dry / Wet


Para maior intensidade, o controle de feedback enviará parte das costas sinal de saída através dos atrasos. Quanto mais feedback
que você optar por adicionar, mais robótico e metálicos seus sons se tornará. O interruptor de polaridade positiva e negativa determina
se o sinal a ser alimentado de volta para os atrasos é adicionado ou subtraído do novo sinal de entrada. Para ouvir o maior contraste
entre os dois
polaridades, você deve usar tempos de atraso curto e aumentar o feedback Chorus. Os resultados são muitas vezes freqüência e campo
relacionado. Por exemplo, um som de baixa frequência torna-se um som de alta frequência, um passo pode deslocar por tanto como uma
oitava, e assim por diante. Finalmente, o controle Dry / Wet determina a quantidade de originais contra sinal coro vai saída.

Phaser

A Phaser (ver A Figura 9.19 ) Introduz desvios de fase em frequências de um som. Quando este efeito está em movimento, ele tem uma espécie de
whooshing som que pode dar aos seus sons uma sensação suave de calor e movimento. Ele também pode cortar em seus sons se dobrado até
longe demais, graças a alguns controles não-ortodoxas.

A Figura 9.19 Star Fleet requer que você esteja equipado com uma Phaser em todos os momentos.

Fonte: Ableton

Pólos, cor e Modo


A Phaser usa uma série de filtros para criar as mudanças de fase que você ouve no som. Os pólos controlar conjuntos do número de

filtros, ou ranhuras, que são utilizados na Phaser. Se você usar um menor número de pólos, o efeito Phaser não será tão pronunciado

como quando você usa um maior número de pólos. O botão abaixo os poloneses botão define o modo para o Phaser. O botão alterna

entre a Terra e do Espaço. Este interruptor ajusta o espaçamento dos filtros notch, mas isso não é importante. O que você precisa saber é

que quando Terra não fornece um efeito intenso o suficiente para você, é hora de passar para Espaço.

O controle de cor vai mudar ainda mais o tom geral quando o modo Terra está ativo.

Frequência e Feedback
A grande área XY no meio da Phaser é para ajustar a freqüência central ea quantidade de feedback. Mova o ponto na tela para a esquerda
e para a direita para ajustar a frequência (ou use a caixa de número no canto inferior esquerdo). O movimento vertical irá ajustar o feedback
(cuja caixa de número está no canto inferior direito). Você normalmente não vai encontrar um controle de feedback em um Phaser típico,
mas é um controle que Ableton adicionado ao seu Phaser para ajudar a enfatizar o efeito Fase.

LFO e Envelope
seção de LFO do Phaser é usado para modular automaticamente o parâmetro de frequência. Esta seção é uma duplicata do LFO encontrado
no Filtro Automático. Você vai usar os controles de velocidade para definir a taxa LFO seja em relação ao ritmo atual ou livremente na Hertz. A
relação dos LFOs esquerdo e direito é definido com os controles de fase / rotação. Finalmente, a influência global do LFO na frequência
Phaser está definido com o botão de Valor.

Como o LFO, o envelope é idêntico ao envelope seguidor você encontrará no dispositivo Filtro Automático. Ele funciona utilizando
o volume do sinal de entrada como um meio para modular a frequência do
Phaser. A velocidade com que o envelope seguidor responde a mudanças no volume de entrada é regido pelos botões de ataque e
liberação. Use o botão superior (Envelope Valor) para aumentar a influência do envelope na frequência Phaser.

Flanger
O Flanger tem uma semelhança muito perto da Phaser, tanto em design e utilização (ver Figura
9,20 ). Um flanger trabalha levando um som, atrasando-o por uma quantidade constante mudança, e misturando-o de volta com o som
original. Isto introduz uma interferência construtiva e destrutiva entre as várias frequências no som, produzindo um efeito de filtro
pente característica. O Flanger tem uma borda muito mais metálico que o Phaser. Seu som pode se tornar bastante abrasivo com as
configurações de alto gabarito, como você verá em um momento.

A Figura 9.20 Nos tempos antigos, rebordeamento envolvido jogar duas gravações idênticos em máquinas de fita e, em seguida, tocando as flanges de um dos rolos de fita de
subtilmente mudar a temporização dos dois registos. da Vivo Flanger faz o mesmo efeito mais fácil e barato de alcançar.

Fonte: Ableton

Filtro oi passagem
Como mencionado anteriormente, o Flanger fará uma cópia do sinal de entrada e misturá-lo de volta com o original depois de um atraso
breve. Muitas vezes, isso pode produto inarmônicos resultados (sem tom), que pode fazer partes melódicas “barrenta”. Para aliviar este efeito,
você pode passar o sinal de entrada através de um filtro Hi Pass. Quando o sinal atrasado está de volta misturado com o original, o flanging
terá efeito apenas nas frequências mais altas, deixando as freqüências mais baixas intacta.

Delay e Feedback
Este parece muito semelhante ao controle XY na Phaser, não é? Funcionalmente, é os movimentos horizontais mesmo- ajustar o tempo
de atraso, enquanto movimentos verticais aumentar o feedback. Porque o Flanger usa um atraso, haverá um campo para o efeito, que
está relacionado com o parâmetro Delay Time. Como o tempo de atraso é encurtada, o campo parece que vai subir. Quando você
aumenta o feedback, o campo vai se tornar ainda mais pronunciada.

Envelope e LFO
Essas duas seções são idênticos em termos de funcionalidade aos do filtro Phaser e Auto, exceto que modulam o tempo de atraso do
Flanger. Para empurrar as coisas ao máximo, mudar a polaridade feedback dos Flangers clicando no pequeno botão + ao lado de caixa
de número de comentários no canto inferior direito do controle XY. Por padrão, o LFO está definido para 100% para criar o “swoosh”
clássico que flangers são conhecidos.

distorções
Isso nos leva ao terceiro grupo de dispositivos de Ableton: os efeitos de distorção. Embora cada um desses efeitos pode rapidamente e alterar
drasticamente o seu conteúdo de áudio, tendo tempo para aprender os meandros desses bebês podem tomar as suas misturas a um nível
totalmente novo. Note-se que tanto Saturator e Dynamic Tube tem um modo Hi qualidade para reduzir aliasing artefatos em sons de alta freqüência.
Este modo é ativado clicando com o botão direito na barra de título do dispositivo e selecionando Hi Qualidade no menu de contexto. Há apenas um
pequeno hit CPU para usar esse recurso, por isso é geralmente recomendado para ligá-lo.

Overdrive
Overdrive é o mais simples dos efeitos de distorção do Live. Em vez de tentar ser o mais flexível efeito, modelos Overdrive o comportamento de
algumas caixas de efeito populares para violão. Como o termo é geralmente utilizado para significar, Ultrapassagem (ver A Figura 9.21 ) Produz um
ambiente aconchegante, harmonicamente rica efeito que é útil em uma ampla variedade de fontes. Mesmo em altas configurações, que não produz o
recorte áspero que Saturator é capaz.

A Figura 9.21 Overdrive: “Stomp the-box” distorção da Live.

Fonte: Ableton

O coração de Overdrive é o botão Drive: a volta por cima para obter mais distorção. Existem dois ajustes EQ diferentes, bem como: o filtro de
passagem de banda acima, o qual é aplicado ao sinal antes de o circuito de accionamento, e o botão do tom, que ajusta o tom pós-unidade. Isso lhe
dá uma grande flexibilidade. Por exemplo, o corte de alguns baixos com o filtro de banda pode limpar a lama que você pode começar a partir de
distorcer um baixo, enquanto o botão de Tone pode ser usado para controlar qualquer tipo de artefato duras sonoridade que o circuito de
movimentação acrescenta ao sinal.

Para personalizar ainda mais o som, use o Dynamics e controles seco / molhado. Dynamics é um valores simples compressor de alta
preservar as dinâmicas originais do som, ao mesmo tempo baixos valores de aumentar a compressão. Não subestime a importância
do controle Dry / Wet. No exemplo anterior, você usaria esse controle para se certificar de que você adicionou na o suficiente do sinal
seco para compensar a baixa final que você tenha removido daquele OverDrive.

saturator
Se você gosta do tipo de efeito produzido pela Overdrive, mas você precisa de algo mais programável, Saturator é onde você vai virar
seguinte, como mostrado na A Figura 9.22 . Este efeito não só tem uma variedade de modelos de distorção analógico, mas também é
capaz de produzir recorte digital e tem um waveshaper flexível.
A Figura 9.22 O Saturator: borda subtil ou porta de entrada para destruição.

Fonte: Ableton

forma de onda de exibição


A parte superior da interface Saturator é dominada pelo grande display de forma de onda. Manipulando os controles abaixo do
visor lhe dará uma visão sobre como o efeito modifica o sinal de olhar para a curva resultante.

Você pode escolher entre seis modos diferentes de formação de sinal utilizando o menu drop-down abaixo do visor: Analog clipe, Soft Sine,
Medium Curva, Hard Curva, Sinoid Dobre, e Clip Digital, cada um com suas próprias características distintas. O modo waveshaper permite um
controle flexível da forma de onda através das seis parâmetros ajustáveis ​listados imediatamente abaixo do menu suspenso:

Dirigir: Não deve ser confundido com o botão da unidade (veja abaixo), determina a quantidade de influência do efeito-shaping
onda.

Curva: Adiciona harmônicos ao sinal.


Profundidade: Controla a amplitude de uma onda de seno sobreposta sobre a curva de distorção.

Lin: Altera a porção linear da curva de moldagem.


Úmido: Achata o sinal, agindo como uma espécie de porta de ruído super-rápido.

Período: Determina a densidade das ondulações na onda sinusoidal. Esses controles são específicos para o

waveshaper e não estão disponíveis em outros modos.

Dirigir
Em uma unidade de distorção dinâmico como este, o botão Drive é onde você vai demolir o seu som; você encontrará esta à esquerda
da tela de forma de onda. Quanto maior for a quantidade Drive, mais o sinal de entrada é amplificado. Este forças mais do sinal para a
faixa de distorção, abate o som em níveis elevados. Se você está recebendo muita distorção, você pode reduzir a unidade em valores
negativos de modo que apenas uma pequena parte do sinal é distorcida.

Abaixo do Drive, você verá o interruptor DC offset, que remove extremamente baixas frequências que não podem ser ouvidas. Mas isso não
consomem espaço livre em sua mistura, especialmente quando processados ​com um efeito que aumenta ganhar, como o Saturator.

Cor
Quando a cor chave seletora estiver ligado, os quatro controles abaixo também se tornam ativas. Esses controles são semelhantes aos controles de tom
em um amplificador de guitarra. O botão de base irá aumentar ou diminuir a quantidade de
baixo distorcido pelo efeito. Os últimos três botões definir um EQ de alta frequência com especificações para a frequência, largura e profundidade (ganho).

Resultado
À medida que aumenta a quantidade Drive, você vai aumentar o volume da distorção, muitas vezes ao ponto de dominar outros
instrumentos em sua mistura. Puxe a saída para baixo um pouco para trazer a volta de som onde deveria estar. Um controle Dry / Wet aqui
define a quantidade de efeito que está sendo ouvida. Quando o botão Soft Clip é activado, um exemplo adicional da curva clip analógico vai
ser aplicada ao produto final.

HI-QUALIDADE: Saturator, Tubo Flanger, e Dynamic todos têm um modo de “Hi-Qualidade”, que pode ser ativado clicando com o
botão direito na barra de título e selecionando “Hi-Qualidade” no menu de contexto. Este modo reduz aliasing e produz um tom mais
doce nas altas frequências, mas usa um pouco mais poder de CPU.

dynamic Tube
O tubo dinâmico efeito modelos o efeito distinto que os tubos de vácuo pode ter em áudio (veja Figura
9,23 ). Realmente não soar como a maioria dos efeitos de distorção. Ele pode fornecer alguns efeitos extremamente sutis, em algum lugar entre a
compressão e distorção, enquanto suas configurações mais agressivas soar como mau funcionamento de equipamentos!

A Figura 9.23 O efeito de saturação Dynamic Tube.

Fonte: Ableton

Este efeito permite-lhe escolher entre três diferentes modelos de tubo: A, B, e C, com C sendo o tubo mais distorção propensa e A sendo o
mais limpo do grupo. Com Viés fixado em 0, tubo A não produzirá qualquer distorção em tudo. Ele pode, no entanto, produzir alguma
compressão muito “quente” soando. Para se familiarizar com o Dynamic Tube, experimentá-lo em um loop de bateria. Varrer o botão Tone
para ambos os seus extremos, e em seguida, ouvir o que acontece quando você traz Envelope para baixo para -300%. Com um valor
Envelope negativo, menos distorção é produzida para sons mais altos, trazendo de volta mais de ponche original do loop.

O controle Tone determina o que as frequências (maior ou menor) são as mais afetadas pelo efeito de distorção Tube, enquanto conjuntos
de unidade quanto do sinal de entrada é encaminhado através do tubo. Definir o controle rígido maior resultará em uma saída mais sujo.

O controle Viés trabalha em conjunto com o controle Drive. Ele determina o quanto a distorção da
tubo é capaz de produzir. Como você transformar isso até o topo, o sinal vai realmente começar a se separar em sujo, fuzzed-out barulho.
Você pode modular o controle de polarização com os controles envelope de direita. Quanto maior for a definição do botão de envelope, mais
a configuração de ajuste irá ser influenciado pelo nível do sinal de entrada. Você pode usar os botões de ataque e liberação para ajustar a
rapidez as reage envelope para a entrada.

Erosão
Erosão utiliza um método incomum para degradação sónica. Modulando rapidamente um tempo muito curto atraso, artefatos de distorção
estranhas são criadas. O modulador pode ser ruído, Plano de ruído, ou sinusoidal, como se vê por baixo da interface XY (retratado nas A Figura
9.24 ).

A Figura 9.24 janela do dispositivo Erosão da Vivo, tomadas principalmente por seu campo XY incomum.

Fonte: Ableton

Dependendo do modo que você tem atualmente ativo, Erosão vai usar uma onda senoidal ou um gerador de ruído para modular um curto
atraso. A única diferença entre os dois modos de ruído é que Plano de ruído utiliza um gerador de ruído separado para cada canal, o que
resulta em um efeito estéreo. Para controlar o grau de efeito de erosão em um som, movimento ao longo do eixo Y para mudar o nível do
sinal de modulação e o eixo X para controlar a frequência. Para Plano de ruído, a largura pode ser ajustado mantendo Alt (Opção) ao
arrastar verticalmente. Na minha experiência, os resultados mais consistentemente agradam são alcançados usando o modulador Sine.
Tentar pôr em marcha até Valor e automatização de frequência para alguns bens glitchy.

Restaurado

Enquanto você está cavando ferramentas para dizimação sonora, você definitivamente vai querer verificar para fora do dispositivo Redux do Live. Redux é
uma profundidade de bits e taxa de amostragem redutor que pode fazer mesmo a mais bonita das guitarras, ou qualquer outra coisa para essa matéria, viu
a sua cabeça (ver A Figura 9.25 ). Claro, os resultados não precisa ser drástica se você é capaz de contenção. De facto, reduzindo a fidelidade de uma
amostra é como uma ponta do chapéu de idade Roland, Ema, e Akai 8 e 12 bits amostradores-ou amostras baseados em computador mesmo velhos 2- e
4-bit. (Commodore 64, alguém?)

A Figura 9.25 da Vivo Redux é um talentoso profundidade de bits e taxa de amostragem redutor.
Fonte: Ableton

Os controles para Redux são divididos em duas seções arrumado, com um botão de Redução Bit e chave liga / desliga na parte superior, e um botão
Downsample e interruptor de hard / soft na parte inferior. A posição predefinida para a Redução de Bit é de 16 bits (desligado). Como você reduzir os
bits, você ouvirá uma quantidade crescente de grão barulhento infectar a amostra. Qualquer coisa abaixo de 4 bits provoca um aumento dramático no
ganho, de modo que o uso cautela. A definição numérica irá indicar a profundidade de bits (por exemplo, 8 = 8 bits, 4 = 4 bits). Extremistas pode tentar
aparar-lo para baixo a 1-bit, mas lembre-se: isso fica LOUD!

Quando se trata de redução de taxa de amostragem, as definições são um pouco mais inexata. No modo rígido, downsampling vai ficar com
números inteiros, como 1, 2 e 3 (até 200) para dividir a taxa de amostragem, enquanto que no modo suave você pode ajustar de 1 a 20 para o
centésimo mais próximo de um ponto (1,00 ou
19,99). Um ajuste de 1 significa que você não está ouvindo qualquer taxa de amostragem de redução de estranhamente, quanto maior o número, menor a
taxa de amostragem resultante.

Para um curso rápido, passar um minuto folheando as opções predefinidas e Ableton, tais como Old Sampler e Mirage. Isto lhe dará um
modelo básico para trabalhar. Além disso, enquanto você está em modo de reprodução, tente alternar entre duro e macio Downsampling com
configurações diferentes para um efeito legal.

Vinyl Distortion
As imperfeições do vinil têm realmente tornar-se bastante amável estes dias. Se você está faltando os pops de poeira e estalos de um
registro antigo ou o som do vinil distorcida de um registro deixado de fora no sol, o vinil tem um certo charme retro. Apesar de CDs e
gravações digitais são grandes, eles são irremediavelmente limpo e livre dessas impurezas. Claro, Ableton pensei sobre isso, também, e,
como resultado, temos Vinyl Distortion (ver A Figura 9.26 ).

A Figura 9.26 efeito esperanças Vinyl Distortion da Vivo para fazer você perder sua plataforma giratória só um pouco menos.

Fonte: Ableton
Vinyl Distortion é dividido em três secções distintas: Tracing Model, Crackle, e pitada. Enquanto os controles para Tracing Modelo e pitada
olhar idênticos, cada seção gera um som totalmente diferente. Observe também que a Soft / Hard and Stereo / interruptores Mono são
também uma parte do efeito pitada. Se pitada está desligado, esses controles permanecerá acinzentado (inativo).

Tracing Modelo adiciona uma quantidade subtil de distorção harmônica para o seu áudio como um meio de simular o desgaste em vinil ou
um estilete de idade. Para ajustar a intensidade da distorção, aumentar a unidade movendo o círculo amarelo ao longo do eixo Y (que varia
0,00-1,00). Ajustar a frequência do harmónico no eixo dos X (que varia de 50 Hz a 18 kHz) ou um valor de entrada manualmente por
tipagem na caixa. Para ajustar o tamanho da largura de banda que você está afetando, mantenha a tecla Alt (Opção) e clique e arraste
para a frente ou para trás no círculo amarelo.

A secção pitada de vinil distorção é uma distorção mais drástica e sonoridade selvagem no nível de entrada. A imagem estéreo mais rico
resultante é de pitada 180 graus fora de fase distorções harmônicas. Como o modelo de rastreamento, você pode aumentar a
intensidade da distorção através do eixo Y. O eixo X irá configurar a faixa de frequência. Você vai querer prestar especial atenção às
caixas Macio / duramente para a direita da interface XY na seção pitada. modo suave é manipulada para o som como uma placa de dub
real (etilo), enquanto o modo rígido irá soar mais como um disco de vinil padrão. Além disso, o interruptor Stereo / Mono aplica-se
apenas o efeito pitada.

Nenhum simulador de vinil seria completa sem uma pop vinil e efeito craquelado. Crackle fornece dois controles simples:
volume e densidade. Volume é, obviamente, o nível do silvo e crepitação na
misturar. Densidade adiciona uma quantidade mais espessa de ruído para a saída. Note que você vai ouvir o crepitar e assobiar se ao vivo é no modo de
reprodução ou não.

Diversos

Esta última seção de dispositivos de cobre Live plug-ins mais esotéricos e de difícil classificação. Algumas delas poderiam ter sido
espremido em outras seções deste capítulo, mas todos eles são bastante única que fazia sentido dar-lhes a sua própria seção.

Amp e Gabinete
Amp e do armário são dois efeitos completamente independentes concebidos pelos assistentes de modelagem em Softube. Enquanto eles
certamente podem ser usadas separadamente, eles são projetados para ir de mãos dadas. Amp modelos do caminho do sinal de vários guitarra e
baixo amplificadores clássicos, enquanto Gabinete reproduz o som de uma variedade de combinações de gabinete alto-falante e microfone. Estes
dois efeitos são incluídos apenas com suíte Live.

amplificadores de guitarra e armários de alto-falante (reais e virtuais) têm sido parte de toolkits som moldar muitos dos engenheiros. Enquanto Amp e
Gabinete são certamente úteis para o processamento de guitarras diretas-gravadas e baixos, eles também são grandes para aplicar distorção e EQ
incomum características para uma ampla variedade de fontes. Quando você está tendo problemas para obter um som para encontrar o seu lugar
único em uma mistura, por vezes, esses dispositivos oferecem apenas a cor e borda que você precisa.

amp
O controle mais importante neste dispositivo é o seletor Amp Tipo, que oferece os seguintes modos: Limpo, Boost, Blues,
Rock, chumbo, pesado, e Bass (see A Figura 9.27 ). Como você vai descobrir
rapidamente, cada um desses modos soa radicalmente diferentes um do outro. Executar um sinal através de Amp e testá-los. Você saberá
muito rapidamente qual destas obras para o som que você está tentando processo, se houver. Como você se move da esquerda para a direita,
os modelos tendem a produzir mais distorção até chegar à Bass, que é um modelo limpo otimizado para guitarra baixo, mas pode produzir
bons resultados em uma variedade de fontes.

A Figura 9.27 Voce esta pronto para o rock?

Fonte: Ableton

Depois de escolher um modelo, experimentar com o controle de ganho. Diminuí-lo se você quiser um pouco menos distorção e aumenta o
volume para ouvir o modelo de amp em sua forma mais agressiva. Ajuste do Ganho irá alterar o volume global do sinal; usar o controlo de
volume para compensar isso. Os controlos baixos, médios e agudos ajustar os pontos baixos, médios e altos, respectivamente, com a presença
na qualidade de um ajuste de alta-fim adicional para ajustar o brilho. O botão de Presença varia um pouco nos vários modelos de amplificadores,
por isso certifique-se de experimento.

Gabinete
No mundo real, o sinal que sai de um amplificador de guitarra é quase sempre passou para um armário alto-falante, onde sua saída é então

capturado por um microfone. No mundo virtual do Live, você pode conseguir esse mesmo efeito, colocando o efeito Gabinete após Amp.

Quando Amp é executado em sua própria sem gabinete (veja A Figura 9.28 ), Você vai perceber que ela produz algumas muito intensas

freqüências agudas (como um amplificador de guitarra de verdade faria). Uma das primeiras coisas que você notará ao adicionar Gabinete para

o caminho do sinal é a domesticação destes intensos frequências altas e a transmitir de uma característica mais suave ao som.

A Figura 9.28 o melhor amigo de Amp, Cabinet.


Fonte: Ableton

O primeiro parâmetro para ajustar o som é o menu Speaker. As configurações neste menu seguir a convenção <número de falantes> × <tamanho
do altifalante>. Assim, por exemplo, 4 × 10 significa um armário com quatro alto-falantes de 10 polegadas na mesma. Selecionando uma
configuração de alto-falante é muito mais arte do que ciência, embora você pode notar que os 12” alto-falantes reproduzem um pouco extremidade
mais baixa do que os 10” queridos. The Bass gabinete 4 × 10 reproduz o som mais high-end do grupo, como ele modela um estilo de caixa de
graves que contém tweeters para a entrega de agudos nítidos.

O próximo ajuste é o tipo de microfone e posicionamento. microfones condensadores tendem a captar mais sons de alta qualidade e um
som mais equilibrado geral, enquanto microfones dinâmicos são conhecidos por seu foco e soco quando usado em armários de
alto-falante. Colocação tem um grande impacto sobre o som também. colocação Off- Axis tende a captar mais sons de gama baixa,
embora longe emula colocação gravar o alto-falante do outro lado da sala, captando reflexos da sala e uma sensação de espaço.

Resultado
Finalmente, tanto Amp e Gabinete permitir estéreo ou mono operação através de um interruptor de saída e tem uma maçaneta seco / húmido
para mistura sinal não processado com a saída. Esteja ciente de que ambos os dispositivos são relativamente CPU-fome, e executá-los em
estéreo duplica os recursos necessários.

Panela automática

Auto Pan é um dispositivo conceitualmente simples, mas surpreendentemente poderoso. Ele vai deslocar automaticamente a posição da pista
da esquerda para a direita em ciclos. Ele faz isso por alternadamente girando para baixo os volumes dos lados esquerdo e direito do canal.
Quando o lado esquerdo está baixo, o som será ouvido a partir da direita, tornando-o som como se a pista foi criticado para a esquerda.
controle Pan do mixer não é afetado em tudo.

A interface Auto Pan é dividido em duas seções. A secção de topo contém uma representação gráfica do padrão de volume a
ser aplicado-somente para fins de exibição. O Pan Auto é ajustado usando os botões e teclas na metade inferior da interface.

Quantidade e Taxa
Quando o dispositivo é carregado pela primeira vez, terá uma linha reta no meio da sua tela, e você vai ouvir nenhum efeito. A razão que você não
ouve nada é porque o botão O valor é definido para 0%. Como você virar este botão, você vai ouvir o som começam a se mover para a esquerda e
direita. Quanto mais alto você definir o botão Valor, o movimento “mais amplo” da esquerda para a direita será.

À medida que aumenta o botão Valor, você também vai ver o gráfico começar a mudança na interface Auto Pan. Quando a quantidade
chega a 100%, você verá duas curvas seno que representam os canais esquerdo e direito. O que estas curvas dizer é que quando o
canal esquerdo é no volume máximo, o canal direito será no seu mais baixo volume (ver A Figura 9.29 ). À medida que o canal da
esquerda cai no volume, o canal direito subirá e vice-versa. O botão abaixo do botão Valor irá mudar as atribuições Pan esquerdo e
direito (normal vs. Inverter).

A Figura 9.29 Ao olhar para a imagem na janela de Auto Pan, você pode ver a relação entre os canais esquerdo e direito ao longo do tempo.
Fonte: Ableton

A taxa vai mudar a velocidade do movimento de esquerda-direita criado pelo Pan Auto. Você verá que, como você transformar-se este botão, não só
o aumento da velocidade esquerda-direita, mas você também vai ver a mudança de forma de onda gráfico em espécie. A taxa pode ser definido
quer em ciclos por segundo (Hz) ou divisões do tempo (o botão nota musical).

Fase e Forma
Em seguida na lista de controles Auto Pan é o botão de Fase. Se você mover este botão, enquanto observa o gráfico de forma de onda, você vai
ver que este botão ajusta a relação de fase das curvas esquerda e direita, ou a posição em que as formas de onda começar. Quando ajustado
para 180 graus, as duas curvas estão fora de fase, ou seja, um canal é no volume máximo, enquanto o outro é silencioso. Se você torcer isso
para baixo botão para 0 graus, as duas curvas agora estará em sincronia (você verá apenas uma curva), resultando nos canais esquerdo e direito
alterar o volume em sincronia. O Auto Pan deixarão de deslocar o sinal da esquerda para a direita ele vai simplesmente aumentar o volume de
todo o sinal de cima e para baixo. Este é o lugar onde o dispositivo Auto Pan começa a funcionar para além do que o próprio nome indica, e
torna-se um “helicóptero” ou controle de volume rítmica.

Abaixo do botão de fase, você vai encontrar tanto o botões de rotação (quando em modo Hz) ou o botão de deslocamento (quando em modo de batidas) Fase e.
Esses controles funcionam de forma idêntica aos seus homólogos o Filtro Automático, portanto reveja essa seção se você precisar os detalhes sobre como eles
funcionam.

O último botão no Pan Auto é o botão Shape. Uma vez que este botão é rodado no sentido horário, a forma de onda vai transformar-se lentamente em

uma onda quadrada. Quando definida para 100%, isso fará com que o Auto Pan para flip-flop o áudio entre a esquerda ea direita canais não haverá

movimento através do centro. Claro, definindo este botão em uma quantidade inferior a 100% permitirá que você ouvir alguns da transição

esquerda-direita. Em termos reais, usamos este botão para fazer a “tenda” pan nos extremos direito e esquerdo. Às vezes, mesmo que o botão de Valor

está definido para 100%, não soa como o som é totalmente panning da esquerda para a direita, especialmente quando se misture com as outras partes da

canção. Isso ocorre porque o som será posicionado totalmente para a esquerda e para a direita apenas por um instante antes do Auto Pan começa a

deslocar-lo de volta novamente. Passando-se o botão de resultados da forma em linhas planas na parte superior e inferior da forma de onda, provocando

o movimento panela para sentar na estes extremos para um momento antes de se deslocar para trás para o outro lado. O resultado é um movimento de

arrastamento mais pronunciado que pode ser ouvido melhor sobre toda uma mistura.

Os controles finais do Pan Auto são os botões de forma de onda de seleção que controlam a forma da modulação, assim como em outros LFOs que
você encontrou no Live. O último botão no canto inferior direito é para uma forma de onda aleatório, onde os volumes dos canais esquerdo e direito
são alteradas de forma aleatória. Quando este modo está seleccionado, o botão de Fase ajusta o desvio da esquerda para a direita da aleatoriedade.
Quando ajustado para
0%, o padrão aleatório irá influenciar os volumes esquerdo e direito de forma idêntica, resultando em mudanças aleatórias para o volume do
som. Quando definida para 100%, a diferença entre os volumes esquerdo e direito vai aumentar, resultando em padrões panning aleatórios.

CHOP IT UP: Quando a fase está definido para 0 graus, o Auto Pan vai simplesmente aumentar o volume do som para cima e para baixo.
Tente isto: carregar uma música inteira em uma trilha e usar Auto Pan. Definir a sua taxa de 1/8, forma a 100%, Fase a 0 graus, deslocada
para 270 graus, e de forma de onda de seno. À medida que aumenta o botão Valor, você vai começar a ouvir o volume da faixa saltar para
cima e para baixo nas etapas 1/8-nota em sincronia com a música. Vire-se atingir 100%, e você vai ter picado a canção em fatias pequenas!

Para um efeito muito louco, tente alterar ligeiramente o botão de Fase. Quando as duas formas de onda são apenas ligeiramente fora de fase, você
vai ouvir cada zip strobe através de seus alto-falantes como um lado está ligado apenas um pouco antes do outro.

Repita batida

Glitch-cabeças, alegrem-se! Ableton traz para você o dispositivo batida Repeat (ver A Figura 9.30 ). Agora você pode produzir o beat-gagueira clássico
com o premir de um botão, ou até mesmo causar repete a acontecer de forma aleatória.

A Figura 9.30 Th-Th-Th-Este dev-VVV-gelo é sw-ee-ee-ee-ee-t!

Fonte: Ableton

Grade e Variação
Definir o tamanho, ou comprimento, do segmento repetido com o botão de grade. Ligue Repeat e tentar ajustar este botão. Você vai ouvir a
mudança de tamanho de repetição no tempo um efeito incrível real para remixagem. O botão Sem Trpl irá remover os valores tripleto ao
percorrer os tamanhos de grade, o que é útil se você quiser manter todas as repetições rítmicas em sincronia.

O botão de Variação apenas para o direito de introduz a grade botão de aleatoriedade o tamanho da grade. Quando definido para 0%, a grade será
sempre o que você configurou com o botão Grid. Como este valor aumenta, muda ao vivo automaticamente a grade, com base no modo selecionado no
menu pop-up abaixo do botão. Ao selecionar gatilho nesse menu, ao vivo dá-lhe um novo tamanho da grade quando você começar a função de
repetição. Ele irá armazenar o tamanho da grade até que você parar ou retrigger o Repeat. Os 1/4, 1/8 e 1/16 configurações irá mudar a configuração da
grade no intervalo de tempo especificado. A configuração Auto vai mudar o tamanho da grelha depois de cada repetição. Isso pode ficar muito peludo,
como você pode ter uma única repetição de 1/64 seguido por uma repetição de 1/6, seguido por 1/16, seguido por 1/2, e assim por diante. Os resultados
são verdadeiramente imprevisível!
Offset e Portão
Estes dois botões determinam quando uma repetição automática irá começar e quanto tempo vai durar. Quando Deslocamento é definido como 0, a
repetição terá início no instante em que é chamado pelos botões de intervalo e do acaso. Se você ativar este botão no sentido horário, você vai vê-lo
contar-se em 1/16 notas, com o botão virou-se a meio caminho, o valor será 8/16. Isto significa que o Beat Repeat não será iniciado até o terceiro tempo
do compasso. Você também verá os marcadores Repita mover na tela como uma ajuda visual.

Os conjuntos de maçaneta de porta quanto tempo se repete vai durar uma vez acionado. Se definido como 4/16, a repetição vai durar um quarto de nota. Se
definido como 8/16, as repetições vai durar por meio de um bar. Portanto, usando Offset e da grade, você pode especificar qualquer local do áudio para
repetição, bem como quanto tempo para fazê-lo.

Para ouvir todas essas propriedades no trabalho, lançar o Cena automática. Isto irá desempenhar a mesma batida, mas através de um Beat
Repeat em outro canal.

Acaso, Interval e Repeat


Em seu estado padrão, o parâmetro Possibilidade Beat Repeat está definido para 100%, o que significa que as repetições serão gerados a cada intervalo.
Com ajuste do intervalo de 1 Bar, você vai ouvir repete uma vez por bar. Se você definir Chance de 50%, haverá apenas uma chance de 1 em 2 que o Beat
Repeat será desencadeada.

Também é possível ajustar o botão Chance de 0% e desencadear o efeito de repetição manualmente utilizando o botão Repeat. Tentar fazer isso. Assim
que você clicar em Repetir, você está pronto para as corridas. Clique no botão Repeat novamente para desligá-lo, e a batida regular será retomada.
Obviamente, este botão é bem nomeado.

Mix, Inserir, e Portão


Estes três botões controlam o modo do Beat Repeat saída. Até agora, você esteve usando o modo de inserção. No modo de
inserção da batida inicial é silenciada sempre repetições estão a ocorrer. Clique no botão Mix e tente usar o botão Repeat. No modo
Mix, você vai ouvir a batida do tambor original, enquanto as repetições ocorrem-os dois estão sendo juntos mista. O modo final,
Gate, sempre silencia o sinal original e só emite os repete. Este modo é útil quando você colocou o Beat Repeat em uma pista de
retorno, especialmente se você acorrentado efeitos adicionais após a repetição Beat.

Volume and Decay


O botão de volume define o volume dos sons repetidos. Note que a primeira repetição é sempre no volume original. Eu gostaria de diminuir o
volume um pouco para que a música vem de volta em mais pesado após a repetição. É quase necessário para transformar este baixo quando
você está usando tamanhos pequenos grade porque as repete-se tão rápido que eles começam a fazer um som próprio.

O botão Decay fará com que o volume de cada repetição consecutiva para ser mais silencioso do que o primeiro. Isso significa que seu repete
lentamente (ou rapidamente) irá desaparecer para silenciar cada vez que você acionar Repeat.

breu
Os controles de pitch pode ser usado para introduzir mudanças de pitch em suas repetições. O botão de afinação simplesmente transpor o som
para baixo repetida pelo número especificado de meios tons. O botão de Pitch Decay funciona de forma semelhante ao botão Decay Volume,
exceto que ele faz com que a queda de arremesso mais e mais a cada repetição consecutiva. É possível fazer a queda de som repetido tão
baixo no campo que se torna inaudível. Esta é uma ferramenta pura para usar em conjunto com o volume Decay porque você pode fazer seus
repete cair em campo e desaparecer ao mesmo tempo.

Filtro
Este filtro funciona da mesma forma que o filtro no Delay Ping Pong, exceto que os sons repetidos não são alimentados de volta por esse filtro.
Quando Repeat estiver ativado, você pode acoplar o filtro e escolher uma faixa de freqüência específica para as repetições. Isso pode dar aos
seus repete um som lo-fi em comparação com a parte normal. Você pode mesmo mudar a freqüência do filtro e largura enquanto Repita está
sendo executado para ainda mais animação.

Corpus

Corpus é a versão efeito de Collision (ver A Figura 9.31 ). É incluído quando você compra Collision (ou Live Suite),
tornando-se o efeito só de áudio que não vem com a versão básica do Live. A maioria do efeito é quase idêntico ao de
colisão, por isso vamos estar focando os aspectos que diferenciam-lo aqui. Como Collision, este efeito só é incluído com o
Live Suite.

A Figura 9.31 Corpus processa qualquer fonte de som que deseja usar ressonadores de colisão. A seção Sidechain à esquerda permite controlar o tom dos ressonadores
via MIDI.

Fonte: Ableton

A principal diferença entre Colisão e Corpus é que não há a secção Excitator. Isso ocorre porque o efeito usa o sinal de entrada
para obter a vibração ressonador virtual. A área que seria utilizada para a Excitator em vez disso é preenchido por um LFO, que
controla o passo do ressonador. Para mais informações sobre como LFOs do Ableton trabalhar, por favor consulte o “Auto Filter” e
seções “Auto Pan” deste capítulo.

O que torna Corpus realmente interessante é a sua seção Sidechain, que é exibido ao clicar no botão de desdobramento triangular na barra de
título. Ao contrário das outras seções Sidechain que examinamos, este usa uma faixa MIDI como sua fonte, porque Corpus pode receber notas
MIDI para controlar o tom dos ressonadores. Assim, por exemplo, eu poderia usar Collision para produzir alguma ressonância incomum em um som
de sintetizador e usar parte MIDI do sintetizador para se certificar de que a ressonância está perfeitamente sintonizado com cada nota tocada pelo
sintetizador. Para começar este trabalho, pegar uma trilha MIDI a partir do menu na seção Sidechain e, em seguida, clique no botão de freqüência
para habilitá-lo.

Desde o Sidechain faz com que este se comportam dispositivo como uma unidade de efeito híbrido / sintetizador, os outros controles na seção
Sidechain são muito synth-like. Última and Low determinar como responde corpus para várias notas MIDI que está sendo recebido em simultâneo,
com a última afinação do ressonador para o tom da última nota tocada ou Baixa escolhendo a nota mais baixa. Pitch Bend determina o quanto a
ressonância pode ser controlado por mensagens Pitch Bend.

Na parte inferior da seção Sidechain é o interruptor Off Decay, que faz com que os ressonadores a paragem ressonante quando Note Off
mensagens são recebidas via MIDI. Quando activada, a velocidade com a qual os ressonadores são silenciados é controlado pela caixa de
percentagem abaixo. Quando desligado, o Decay controla a
decaimento ressonador, sem levar em conta o comprimento das notas MIDI.

Olhando para a direita passado os controles LFO, você notará que os controles de pitch são ligeiramente diferentes colisão. Se você estiver
usando o Sidechain, você verá controles transpor e finas, que podem ser usadas para mudar o ressonador passo relativo à entrada
Sidechain. Caso contrário, há apenas um controle Tune. Em ambos os casos, você pode usar Espalhe a desafinar os canais esquerdo e
direito.

Shifter Frequency
O Frequency Shifter é um efeito poderoso capaz de criar sutil modulação ou maciça desconstrução sônica. Este dispositivo, mostrado na A
Figura 9.32 , Pode fazer a modulação anel e deslocamento de frequência, então é como dois efeitos em um.

A Figura 9.32 O Frequency Shifter-não para os fracos de coração!

Fonte: Ableton

mudança de frequência acrescenta um montante fixo em Hertz para o sinal de entrada, produzindo sons inarmônicos estranhos. Comece por
ajustar o botão Fine (licença de frequência sozinho). Tente criar um deslocamento de cerca de 3 Hz e puxe o Dry / Wet para 50% a ouvir
alguns realmente arrefecer efeitos faseamento. Clicando no botão Ampla dará a profundidade do efeito estéreo, uma vez que aumenta o tom
no canal esquerdo, enquanto baixando-o na direita. (Você vai notar também que ele muda o rótulo da chave Belas a se espalhar.) Agora
passar para o controle de freqüência. Este requer muito pouca explicação-não é um efeito sutil! A comutação para o modo de anel muda o
efeito de modulação de anel, que envolve tanto a adição e subtracção de um valor fixo, resultando num efeito bizarro-som ligeiramente
diferente, mas ainda. No modo de anel, o controle Drive pode ser habilitado para adicionar distorção ao sinal. Use a caixa de numérico para
discar a quantidade certa. O LFO é utilizado para Frequency modular automaticamente. É quase idêntico ao do LFO no filtro automático, com
a ressalva de que o botão de Valor está marcado em Hz para que você saiba exatamente o quanto o LFO irá variar a frequência.

Uma vez que este efeito pode mudar arremesso de forma tão dramática, que muitas vezes funciona bem em fontes onde não é importante
manter uma tonalidade específica. Certifique-se de dar-lhe um treino na bateria e percussão.

ressonadores

Semelhante ao Corpus, quando um som é alimentado através dos ressonadores, que provoca um conjunto de ressonadores virtuais para começar a
vibrar, ou criando um tom de seus discursos de conjunto e volumes (ver A Figura 9.33 ). Mesmo que este efeito tem alguns controles, é conceitualmente
muito mais simples do Corpus.
A Figura 9.33 O dispositivo ressonadores irá começar a gerar campos com base em um sinal de entrada.

Fonte: Ableton

Para começar, pôr em marcha a seco / molhado misturar botão totalmente no sentido horário para isolar o som dos ressoadores. Desligue o filtro de
entrada para um som de gama total é alimentar o dispositivo. Ajustar as configurações para ressonador I primeiro, já que os outros quatro ressonadores
baseiam seus tons e arremessos no primeiro. Você vai ver que você tem o controle da decadência dos ressonadores (melhor ouvido em trilhas de
percussão esparsas), bem como a cor e tom. Uma vez que o primeiro ressonador é definida, envolver os outros ressonadores e utilizar o tom botões para
definir as suas frequências relativas para o primeiro. Isto torna mais simples para criar acordes usando vários ressonadores; então transpor todos eles com
o botão Passo do primeiro ressonador.

Ressonadores II e III e ressonadores IV e V pode ser deslocada para além uma da outra, aumentando o botão de largura. Isso pode ajudar a criar uma
almofada tonal exuberante que combina bem com uma mistura. Você também pode usar o filtro de entrada para remover as frequências que podem
ser avassalador ou saturando os bancos ressonador. Os botões de ganho são usados ​para alcançar uma mistura entre os vários ressonadores, o que
lhe permite enfatizar certas arremessos sobre os outros.

Espectro
Espectro não é um efeito de áudio, mas não áudio processo (ver A Figura 9.34 ). Em vez de mudar o som que passa através dele, Spectrum
gera uma visualização em tempo real do conteúdo de freqüência do áudio. Isto pode ser muito útil para isolar frequências problemáticos ou
para ajudá-lo a aprender mais sobre as freqüências importantes em vários sons, assim, melhorar suas habilidades de mistura. A partir do
Vivo 9, o EQ Eight inclui um built-in analisador de espectro, de modo que este dispositivo pode ficar um pouco menos uso. No entanto, ele
fornece alguma flexibilidade adicional a versão EQ não tem, por isso, vale a pena saber um pouco sobre.

A Figura 9.34 Spectrum está aqui para ajudá-lo a visualizar os seus sons.
Fonte: Ableton

O visor representa frequências horizontal de baixo para cima e amplitudes verticalmente. Por padrão, o intervalo de amplitude é definida como
Auto, o que pode ser um pouco confuso. No modo Auto, a faixa de decibéis mostrado ajusta automaticamente ao volume global do ser material
monitorado, de modo que o visor pode saltar em torno de um bit. Se você é novo para o dispositivo Spectrum, eu recomendo desligar o interruptor
Auto (no canto inferior direito) e, em vez especificando um intervalo de 0 a -100 dB. Uma vez que você começar uma sensação para isso, você
pode ajustar o alcance do seu agrado.

O ajuste gráfico pode ser utilizado para comutar o visor entre caixas (uma série de linhas verticais) ou linha, que traça a curva global de

frequência. Os Bins olhar muito bonita, mas pode ser muito distraindo, então você pode preferir Linha vez. Max faz com que o visor para manter

uma linha constante que representa o valor de pico para cada frequência. Este é um recurso muito útil e geralmente recomendado. Para a maioria

dos usos, o resto dos controles nunca precisa de ser ajustada. O valor de actualização pode ser aumentada para diminuir a carga da CPU, eo

valor médio pode ser girado para cima se você está menos interessado em monitorar picos individuais e quer se concentrar no conteúdo espectral

média de um sinal. No canto superior esquerdo da Spectrum, você encontrará um interruptor de desdobramento que irá super-tamanho do

display.

Utilitário

O utilitário modesta, mostrado na Figura 9.35 , Não gera muita emoção, mas é um dispositivo muito útil com uma variedade de ferramentas de áudio.
Algumas das características parecem tão simples que você pode não perceber como eles podem ser úteis até o dia que você tropeçar em uma
circunstância onde você precisa apenas aquela coisa.

Figura 9.35 Utility é um pequeno problema solver bacana.

Fonte: Ableton

Mute, DC, e Ganho


Mudo e Ganho são apenas o que soam como: um botão para silenciar o sinal e um controle de volume simples. Eles são úteis para ter em
formato de dispositivo porque eles permitem que você coloque essas funções em qualquer lugar, em qualquer percurso do sinal. Por exemplo,
muitos produtores evitar o uso de automação no controle de volume do Mixer e automatizar o botão Gain em um dispositivo Utility vez. Isso
deixa o volume Mixer como um estágio final, onde as adaptações gerais de volume pode ser feita sem perturbar a automação. DC é um filtro
passa-alto para remover extremamente baixas frequências abaixo da gama audível.

Modo Channel, Panorama, e Largura


Modo de canal dá-lhe flexibilidade total sobre qual parte de um sinal estéreo é utilizado eo
opção de trocar os canais esquerdo e direito também. Digamos que você tenha um arquivo de som e quer usar somente o canal esquerdo. Definir
este menu para esquerda emite o canal esquerdo em ambos os lados, como se fosse um sinal mono. Panorama é um simples controle de pan.

Largura é útil porque permite alterar o equilíbrio do “meio” (informação puramente mono) para os “lados” (informação que é exclusivo
para o canal esquerdo e direito). A 200%, todas as informações mono é eliminada, deixando apenas o puramente estéreo. Em 0%, o
inverso é verdadeiro. Este controle é útil para verificar mono compatibilidade, ajustando a largura do estéreo de um sinal, ou para a
construção de costume a médio / processadores secundários utilizando Audio Effect Racks.

Estágio
Os interruptores inferiores permitem que você separadamente inverter a fase de ambos os canais esquerdo e direito. Isto vem a calhar
para problemas de fase corretas ao combinar várias gravações da mesma fonte (como quando vários microfones são utilizados).

vocoder
Vocoders tem uma história longa e estratificadas. Originalmente popularizado na década de 1970 por artistas de Kraftwerk a ELO, o
vocoder é famosa por sua capacidade de criar falando sintetizadores e robôs de canto, aplicando o envelope complexo de uma voz
humana a qualquer fonte de som. Ao longo dos anos, muitas outras aplicações foram descobertas para Vocoders, e Ableton tem usado
estes desenvolvimentos para criar uma aplicação muito útil, moderna deste efeito clássico (veja A Figura 9.36 ).

A Figura 9.36 incrível Vocoder do Live.

Fonte: Ableton

Um vocoder lida com dois sinais diferentes: o modulador eo transportador. O efeito é criado pela divisão do modulador (a vocal, ou
qualquer outro sinal de que você escolher para correr com ele) em uma matriz de bandas de frequência estreitas e, em seguida, analisar a
amplitude das bandas individuais em tempo real para produzir um envelope que pode ser aplicado para outro som, conhecido como o Transportad

Em vivo do Vocoder, o modulador é o sinal que é produzido pela pista na qual o codificador de fala é inserido. Então, se você fosse
para soltar um Vocoder em uma faixa vocal, o clipe de jogar nessa faixa seria o modulador. O transportador é selecionado a partir
do menu no canto superior direito do efeito. As opções são as seguintes:

Ruído: Esta definição utiliza um built-in oscilador de ruído para gerar o sinal de saída. O controlador XY abaixo modifica a taxa de
amostragem e a densidade do ruído para produzir cores diferentes. Esta configuração é particularmente bom para produzir efeitos
sonoros percussivos.
Externo: Esta é a configuração que você usa para efeitos de Vocoder clássicos. Especifique outra faixa para usar como fonte, como uma
almofada de synth, eo vocal na pista transportadora vai parecem ser “cantando” o som do sintetizador.

modulador: O mais invulgar do grupo, esta configuração utiliza o sinal modulador, como o transportador. Isso permite que você criar
alguns efeitos muito incomuns manipulando os outros controles, como profundidade, Gama e Release. Ou você pode usar este modo
para usar Vocoder como um EQ poderoso.

Campo Tracking: Neste modo, um oscilador monofónico sintoniza-se para o campo do sinal de portadora e produz uma
onda escolhido pelo interruptores abaixo. A precisão do monitoramento irá variar muito, dependendo do material de origem,
com material polifônico produzir alguns resultados muito imprevisíveis.

No topo desta seção é a chave Enhance, que pode ser usado para restaurar as altas frequências que se perdem durante o
processo de codificação de voz. Na seção inferior da interface são os controles surda, que ajudam a alça Vocoder aspectos sem
tom do som, como consoantes. Para lidar com o fato de que esses tipos de sons pode não produzir um resultado sonoro na saída
do vocoder, um sinal de ruído é sintetizada para compensar isso. Para ativar esse recurso, transformar-se o botão de surda para o
nível desejado e ajustar a sensibilidade até que ele responde ao modulador corretamente. Quando é todo o caminho até, o
sintetizador surda já não responde a esses sons e produz um sinal continuamente.

A exibição de centro é onde você pode realmente entrar no aspecto âmago da questão de manipular o banco de filtros. O rato torna-se um lápis
quando é posicionado sobre o visor gráfico e pode ser utilizado para parcialmente ou completamente suprimir uma banda particular. Quando
portador está definido como modulador, você pode usar esta técnica para utilizar o vocoder como um filtro poderoso.

O primeiro controlo ao longo da parte inferior do visor é Bandas, que controla o número de bandas usados ​para analisar o modulador. Mais
bandas meios de análise mais precisa e uma saída mais natural-som, que pode ou não pode ser o que quiser. (O que é “natural” sobre um
sintetizador de cantar de qualquer maneira?) Gama especifica os limites superiores e inferiores das bandas e pode ser usado para remover
quaisquer frequências libertadas nos extremos. BW significa largura de banda e controla a largura de cada filtro. Em outros do que 100%, os
valores dos filtros ou têm lacunas entre eles ou se sobrepõem um ao outro, produzindo uma variedade de efeitos interessantes. Use seus
ouvidos.

O controlo da porta pode ser usado para limpar o sinal modulador por suprimir quaisquer bandas abaixo do limiar. Por padrão, nenhum gating
ocorre, como sua configuração é inf. Nível é um controlo de volume para a saída do efeito. Usar isso em conjunto com a seco / molhado para
obter a mistura perfeita.

Profundidade determina a dinâmica do efeito resultante é. Por defeito, o volume de envelope do modulador é aplicada ao transportador. Esse
controle pode ser girado para baixo para reduzir a gama dinâmica do sinal de saída ou aumentada para exagerar. Os controles de ataque e
liberação pode ser usado para mais forma o volume Envelope. Note-se que o controle de lançamento vai até um colossal 30 segundos e pode
ser usado em conjunto com a transportadora de ruído para criar alguns realmente intenso constrói. Finalmente, o botão de formante pode ser
utilizada para alterar as frequências dos filtros que são aplicadas ao sinal de portadora. Isso pode ser usado para criar alguns efeitos de
frequência de mudança incomuns, ou pode ser usado para mudar o sexo percebido do modulador quando a voz é utilizada.
Este efeito tem tantos usos, vale a pena passar algum tempo com. Tente usar a transportadora Noise para adicionar alguma pressão extra e
profundidade a um som tarola, use uma parte de bateria como o modulador para criar uma peça synth rítmico usando uma almofada como o
portador, ou tente o modo de Pitch Rastreamento circuito mesmo tambor para gerar algum material melódico incomum. As possibilidades são
literalmente infinitas.

Efeito de áudio externo

Efeito externo está em uma classe por si só. Em vez de processamento de áudio, que proporciona um ponto de inserção flexível para fazer a interface com o
equipamento externo.

Usando caixas de efeito em suas produções ao vivo nunca foi tão fácil. Insira um dispositivo de efeito externo em uma faixa e selecione as
entradas e saídas seu processador está conectado, como visto em A Figura 9.37 . Áudio da pista será agora encaminhado através de seu
dispositivo externo. Então você pode usar os botões de ganho para ajustar os níveis de e para o dispositivo. O que é muito legal, porém, é
que não há um botão Dry / Wet para misturar os sinais de envio e retorno. Isso significa que você não tem que mexer com o controle Mix em
um efeito externo. Você pode simplesmente deixar os seus efeitos configurado com sinal direto em 0% e fazer ajustes totalmente revogáveis
​da balança Dry / Wet de dentro Live.

A Figura 9.37 O Efeito Áudio Externo mostrado acima rota vontade de áudio através de qualquer hardware está ligado à entrada e saída # 4 na sua interface de áudio.

Fonte: Ableton

O restante dos controles no negócio dispositivo de efeito de áudio externo com problemas de tempo. O interruptor invertido de fase a fase do sinal
de retorno para os problemas de cancelamento fase de correcção que pode ocorrer quando a mistura seca e os sinais processados. Os compensa
controle de Latência para o atraso incorrido pelo encaminhamento do áudio de e para o dispositivo de hardware.

Os benefícios aqui se óbvio rapidamente. Se você tem o suficiente I / O em sua interface de áudio, você pode manter os processadores externos conectados
e criar predefinições para eles. Não só você pode acessar rapidamente o seu hardware desta forma, mas você também pode inserir seus dispositivos de
hardware em qualquer lugar em uma cadeia de dispositivo ou um Rack.

Looper

Ableton criando um efeito chamado Looper pode soar como uma coisa estranha e redundante. Afinal, não é ao vivo já conhecido por
ser um monstro looping? Bem, Looper foi projetado para lidar com o fato de que
pessoas que loops de recordes na mosca utilizando instrumentos ou voz tem algumas necessidades muito específicas que nem sempre têm
sido abordadas por Live. Muitas pessoas têm usado ao vivo desta forma ao longo dos últimos anos, mas é muitas vezes necessário vários hacks
e soluções alternativas para obtê-lo a se comportar mais como alguns dos loopers de hardware populares. Em vez de documentar
exaustivamente cada característica de Looper (a seção Looper no manual do Live é excelente), eu vou focar aqui em levá-lo através de algumas
experiências práticas para que você possa realmente entender o que este dispositivo está em causa. Para começar com o Looper rapidamente,
solte-o em uma faixa de áudio vazia e foco no botão extra grande chamado Multi-Purpose (Transport Vejo A Figura 9.38 ). Ele começa por
apresentar um ícone Record. Armar a faixa para gravação (ou do conjunto de monitores para In) e passar um momento escolhendo um tempo
em sua cabeça. Não comece a reprodução Live; basta clicar no botão grande ao mesmo tempo, começando a contar o seu ritmo em um
microfone ( “1,2,3,4 ...”). Depois de um bar ou dois, clique novamente no botão. Uma vez feito isso, você deve notar algumas coisas muito
interessantes. Primeiro, sequenciador de Vivo agora está em execução, e você deve ouvir o loop de sua contagem. Dê uma olhada em master
tempo de Live and ligar o metrônomo. Vivo definiu seu ritmo pelo comprimento do circuito que acabou de gravar. Muito legal!

A Figura 9.38 Se você é um fã de loopers de hardware, como o Boomerang ou Loop Station, você vai ter um monte de diversão com Looper.

Fonte: Ableton

Agora, dê uma olhada no grande botão Multi-Purpose Transportes e da pequena fileira de ícones logo acima dele. Os pequenos ícones irá sempre
dizer que o modo em que você está. Agora, você verá um sinal de mais destacado permitindo que você saiba que você está no modo de Overdub.
Quaisquer sons adicionais que você fizer vai ser adicionados ao loop. O grande botão está exibindo um ícone Reproduzir. Ao clicar ele vai levá-lo
em modo de reprodução e parar o overdubbing. Clicando-lo repetidamente irá alternar você e para trás entre Reproduzir e Overdub, permitindo
que você adicione qualquer camadas adicionais para a sua gravação ou apenas ouvir a reprodução. Finalmente, dê um duplo clique no botão
grande, e Looper vai parar a reprodução sem parar sequenciador de Live.

Então, sem cavar muito profundamente em opções deste dispositivo, você deve ter uma boa idéia de quão poderoso este bebê é para fora da
direita da caixa. Se você ainda não adivinhou, o grande motivo para colocar tanta funcionalidade em um botão é torná-la realmente fácil para
instrumentistas de controlá-lo via MIDI. Apenas mapear um único controle de pedal, e você está pronto para começar a gravar odysseys laço
improvisados ​com nenhuma configuração adicional. Se você cometer um erro como você vai, apenas segure o pedal durante dois segundos
para Undo (ou refazer). Quando parado, segurando o botão por dois segundos irá limpar Looper completamente.

As opções de configuração são muitos. Antes desses experimentos seguintes, pare o sequenciador e clique no
Botão Limpar para esvaziar Looper. Agora, digamos que você deseja que a segunda pressão do Transporte multifuncionais para levá-lo em modo
de reprodução, em vez de diretamente em Overdub. Digitalize os seus olhos para a direita, onde pode encontrar “Record <x> bares Então <+>”.
Clique no sinal de mais. Você verá que se transformar em um ícone Play, e está feito. Ou tente mudar “x bares” para “2 bares.” Agora você pode
começar a se reproduzir ao vivo um clique ou um loop de bateria, e um único clique do botão grande irá gravar por dois bares e saltar
automaticamente para o modo seguinte. Logo abaixo, você verá um menu rotulada Controlo da canção. Imagine que você quer um duplo clique
para parar não apenas o Looper, mas também todos os clipes jogando de volta no Live. Alterar este menu para Start & Stop Song, e está tudo
pronto. Com um pedal, você pode começar a gravação de um loop, automaticamente tem início vivo jogar loops de volta pré-gravadas no tempo
com o seu loop, overdub camadas adicionais, e então pare a música inteira!

Até agora, você pode ter também percebeu que algumas das funções do Looper são quantificados como clips. Isso é o que o menu Quantize
abaixo da função de transporte Multi é para. Isto é muito útil porque pode ser usado para se certificar de que a gravação ou de reprodução de ciclo
começa no início do bar. O menu de quantização também afeta o comportamento dos botões duplos e metade da velocidade. Ao lado do botão de
velocidade, você notará cima e para baixo botões de seta. Estes são usados ​para duplicar ou reduzir pela metade a velocidade do seu loop, uma
característica muito comum em looping pedais. Como estes dispositivos de hardware, alterando a velocidade de um loop também altera o campo
(tal como um grampo no modo Repitch). Você vai ver isso refletido pelo botão de seu valor de velocidade é exibida em semitons. É possível fazer
todos os tipos de texturas de loop loucos gravando elementos em diferentes velocidades. Gravar um loop de guitarra, solte-o em uma oitava, e
overdub uma nova camada sobre isso. Agora levante ambos por duas oitavas e pressione o botão de reversão. Adicionar material adicional antes
de retornar para a velocidade original e pressionando o interruptor reverso novamente. Enxague e repita.

Se você quiser alterar o comprimento de seu ciclo sem alterar a velocidade, use o ÷ 2 e × 2 botões acima. Uma vez que há
um par de “pegadinhas” com estes, o backup do circuito que você criou em primeiro lugar. Apenas clique e arraste de Mim
área de arrasto de Looper e soltar em um slot clipe. Agora, enquanto o loop está jogando de volta no Looper, uso × 2 para o
dobro do comprimento do loop, que duplica o ciclo e permite que você overdub novas frases duas vezes o comprimento do
circuito originais. Usando ÷ dois cortes do comprimento da laçada em meia e deita fora o resto. Tenha em mente que o uso
de × 2 agora não vai restaurar o loop. Ele apenas duplica o loop recém truncado. Também estar ciente de que o comando de
Vivo Undo não pode ser usado para voltar com esses comandos. Você tem que usar Undo do Looper vez, que só tem um
nível de desfazer. Felizmente,

Estou bastante confiante de que há muitos usos para Looper que ainda têm de ser descoberto. Passe algum tempo a experimentar
e ver o que você venha com.
10
Efeitos MIDI da Vivo

M IDI efeitos, como áudio efeitos, permitem que você altere os dados MIDI antes que ele chegue ao seu destino. Um efeito MIDI pode ser usado
por si só em uma pista MIDI cuja saída é algum dispositivo de som MIDI externo, ou antes um instrumento virtual na Track View.

dados MIDI passa através do efeito MIDI, que depois passa a MIDI alterada em. Observe que os efeitos MIDI não alterar o som
que vem Fora de um instrumento os efeitos de áudio maneira fazer. Em vez disso, efeitos MIDI alterar as notas próximas no a esses
instrumentos.

Arpeggiator

Uma vez que estamos a discutir os efeitos MIDI em ordem alfabética, temos de começar com o mais legal dispositivo MIDI de todos eles, o
arpejador. Arpeggiators veio à existência nos primeiros dias de sintetizadores monofônicos. monofônico meios “só é capaz de reproduzir uma
nota de cada vez.” Quando a tecnologia sintetizador estava em sua infância, isso é tudo o que você poderia esperar para sair de um
synth-apenas uma nota de cada vez. Este não é um grande problema se você estiver jogando um chumbo ou parte da melodia. O problema
surge quando você tentar tocar um acorde, que um sintetizador monofônico é incapaz de. A solução encontrada foi um Arpeggiator que
rapidamente tocar todas as notas que você realizou no teclado em série ou outros padrões repetitivos. Como resultado, mesmo que as notas
não jogar simultaneamente, você pode “ouvir” a corda sendo tocada porque as notas são tocadas em tal sucessão rápida.

Após o carregamento do Set, pressione uma tecla no teclado MIDI, ou simplesmente usar o teclado do computador para tocar uma nota.
O que é isso? Você segurar uma nota, e um fluxo constante de colcheias sai. Agora tente mantendo duas notas. Em vez de ouvir ambas
as notas tocando colcheias, ao vivo vai jogar cada uma das notas alternadamente. Agora tente segurar três notas. Ao vivo vai jogar cada
um dos três notas em série e repita. Esse é o Arpeggiator no trabalho (ver Figura 10.1 ), Interceptando suas notas tocadas e
transformá-los em uma seqüência de notas antes de entregá-los ao instrumento carregado na pista.

Figura 10.1 O Arpeggiator nesta pista é a criação de seqüências de instantâneos das notas MIDI que recebe.

Fonte: Ableton

Há muitas maneiras de ajustar o desempenho do Arpeggiator. Você pode alterar a ordem nota empregado pelo Arpeggiator, a
velocidade em que as notas são tocadas, o comprimento de cada nota, e a quantização em relação à grade do Conjunto atual.
Estilo

O menu drop-down Estilo é usado para selecionar o padrão de nota ordem empregada pelo Arpeggiator. A configuração padrão é para
cima, o que significa que o Arpeggiator desempenha cada uma das notas mantidas em sequência a partir da nota mais baixa e trabalhar
até o mais alto antes de repetir. A opção de Down é o oposto, a exata Arpeggiator começa com a nota mais alta e trabalha para baixo
antes de repetir. Os padrões UpDown e Downup são simplesmente padrões híbridos feitos a partir dos padrões de cima e para baixo
individuais. O estilo UpDown fará com que o Arpeggiator jogar até a seqüência de notas e, em seguida, para baixo novamente antes de
repetir. O estilo Downup faz o oposto. O Up & Down e modos de Down & Up são os mesmos que os modos de UpDown e Downup, exceto
que a parte superior e notas de fundo da escala são repetidos como o Arpeggiator muda de direção.

O estilo Converge funciona, jogando a nota mais baixa seguido pela nota mais alta. Será, então, jogar a segunda nota mais baixa
seguido pelo segundo mais alto. O padrão vai continuar jogando a terceira nota mais baixa seguido pela terceira nota mais alta, e assim
por diante, até que todas as notas da escala estão esgotados. O padrão irá, em seguida, repita. O estilo Diverge é o oposto da Converge,
e Con & Diverge coloca os dois padrões de ponta a ponta.

O Pinky e estilos Polegar são interessantes na medida em que alternar a ordem nota com a nota mais alta ea mais baixa jogado,
respectivamente. Por exemplo, ao usar o modo PinkyUp, o Arpeggiator vai jogar a nota mais baixa seguido pela nota mais alta (a “nota
mindinho”). Será, então, jogar a segunda nota mais baixa seguido pela nota mais alta novamente. O Arpeggiator vai continuar a trabalhar
até a escala de notas mantidas, alternando cada uma com o alto “nota mindinho” até que as repetições de padrões. O modo thumbup
funciona da mesma maneira, exceto que é inserido a nota mais baixa held (a “nota polegar”) entre cada passo da escala.

O estilo Play Order é agradável em que o Arpeggiator funciona através da escala de notas mantidas na ordem exata como você
jogou-los. Por exemplo, se você tocar as notas C, E, G e A, o padrão resultante será “CEGACEGACEGA ...”. Se você tocar as
notas em uma ordem diferente, como E, C, G, em seguida, A, o padrão será “ECGAECGAECGA ...”.

As quebras de estilo Chord gatilho de distância da metodologia arpeggiator tradicional em que ela desempenha mais de uma nota de cada vez. Na
verdade, ele aciona repetidamente a cada uma das notas que você pressionado. O resultado é um acorde gagas.

As opções de estilo finais são modos aleatórios que irão gerar padrões imprevisíveis de suas notas mantidas. O modo aleatório simplesmente
escolhe uma nota ao acaso de suas notas detidos para cada etapa ele joga. Neste modo, é possível para o Live escolher a mesma nota
repetidamente-é verdadeiramente aleatório. The Random Outro modelo é um pouco mais controlada. Ele vai criar um padrão aleatório de suas
notas mantidas, reproduzi-lo, e, em seguida, criar outro padrão aleatório e reproduzi-lo. O resultado é que você tem menos notas repetidas porque
vivo vai jogar todas as notas pelo menos uma vez antes de criar um novo padrão. The Random Uma vez padrão é como Aleatório Outros, exceto
que ele constrói apenas um padrão aleatório. Após o Arpeggiator desempenha o padrão aleatório uma vez, ele vai jogá-lo novamente de forma
idêntica. O resultado é um novo padrão aleatório cada vez que você jogar novas notas, mas um padrão que se repete enquanto você mantenha as
notas. Muito legal, né?

Sulco
O menu sulco é usada para adicionar uma sensação de balanço para os padrões do Arpeggiator. A intensidade do balanço
é determinado pelo valor global sulco montante, que é exibido na parte inferior da Piscina Groove.

Aguarde

O botão Hold será automaticamente trava, ou manter, as notas tocadas de modo que você não tem que continuamente manter
notas enquanto um padrão de peças. Mudar isso e tentar tocar um acorde. Quando você soltar as notas no teclado, o Arpeggiator
vai continuar a jogar. Agora, jogar outro acorde. O Arpeggiator vai parar o velho padrão e vai começar o novo quando recebe suas
novas notas.

Deslocamento

Este seletor é usado para compensar o ponto de início do padrão Arpeggiator pelo número de etapas especificado. Por exemplo, se o
estilo é definido para cima e você jogar uma tríade C-major, o padrão resultante da Arpeggiator será “CE GC EG ...”. Se você Offset a 1,
o padrão será “EGCEGC ...”. O ponto do padrão de partida tenha sido deslocado para a direita em um passo; por conseguinte, o padrão
começa na segunda nota da corda (E), uma vez que desempenha.

Taxa e sincronização

Os próximos dois parâmetros, Rate e Sync, estão relacionados um ao outro. O botão de tarifa é usado para definir a velocidade a que o
Arpejador joga cada passo do seu padrão. A seleção padrão é 1/8 notas. Quando o botão vizinha Sync é ligado, a taxa será constrangido a
valores de nota. Se você ativar sincronização off, a Taxa de agora será correndo livre do andamento do projeto atual e vai jogar na taxa exata
especificado aqui em Hertz. Você vai achar que você pode obter o Arpeggiator correndo muito rápido quando você liga sincronização off,
mesmo a um ponto onde as notas individuais na escala estão desfocadas. Este é um efeito especial limpo e é também uma reminiscência de
música synth-based SID, como o do Commodore 64 de outrora.

Portão

Este seletor é usado para definir o comprimento ou a duração de cada nota tocada pelo Arpeggiator. Por padrão, este valor é de 50%, o que significa
que as notas são apenas a metade, enquanto a taxa na qual eles são jogados. Portanto, com a taxa definida para 1/8, as notas são apenas 1/16-nota
longa. Se você definir esse para 25%, cada nota única será de 1/32-nota longa. Este é um grande parâmetro para ajustar enquanto o Arpeggiator está
em execução.

Retrigger
Os parâmetros Retrigger pode ser usado para fazer com que o Arpeggiator para reiniciar seu padrão quando acionado com uma nova
nota ou no ritmo com sua música. O modo de Retrigger padrão é Desligado, o que significa que o Arpeggiator nunca vai reiniciar seu
padrão, mesmo se você jogar novas notas enquanto o Arpeggiator está em execução. O padrão só irá reiniciar quando você parar
todas as notas e jogar novos. Se você definir essa a nota, o padrão irá reiniciar qualquer momento uma nova nota é tocada. Portanto,
se você está segurando três notas e jogar uma quarta nota, o Arpeggiator será imediatamente reinício, incluindo agora a quarta nota em
seu padrão. O último modo, Beat, fará com que o Arpeggiator para reiniciar automaticamente na taxa que você especificar com o botão
vizinhos. Por padrão, esse valor é definido como um bar. Se você segurar um acorde de três notas enquanto este estiver ligado,

repete
Por padrão, Live arpeggiate as notas tocadas enquanto você segurá-los. Isso ocorre porque a quantidade Repete está definido para
Infinito por padrão. Se você alterar este botão para um valor numérico, a
Arpeggiator só irá executar seu padrão o número especificado de vezes antes de parar. Definir este para um valor baixo, como uma ou duas
repetições, e escolher uma configuração rápida para a taxa fará com que o Arpeggiator para “dedilhar” as notas de seu acorde. Ou seja, eles vão
jogar rapidamente e depois parar. Esta pequena explosão de arpejo é uma reminiscência de trilhas sonoras de videogames antigos.

Controles de transposição

Agrupadas em uma coluna perto do centro da Arpeggiator são os controles Transposição. Estes parâmetros permitirá que o Arpeggiator para mudar o padrão de

tom, pois repete. Comece girando o botão Passos para 1. Agora, jogar uma única nota. Você já não ouvir uma única nota a ser repetido. Em vez disso, você vai

ouvir duas notas: a nota que você está segurando, além de uma oitava nota de um superior. Isso ocorre porque o botão Distância está definido para +12

semitons, que é uma oitava. Ao transformar Passos para 1, você já instruiu o Arpeggiator a mudar sua altura pela quantidade Distância, uma vez para cada

repetição do padrão. Vire Passos até 2 e ouvir o que acontece. Agora, o Arpeggiator desempenha três notas para cada tecla pressionada. Isto também funciona

quando segurando várias notas-o Arpeggiator vai jogar o padrão de uma vez e, em seguida, jogá-lo novamente para cada etapa indicado, transposição pela

distância quantia cada vez. Agora tente este. Definir Passos para 8 e Distância para +1 semitons. Agora, quando você realizar uma única nota, o Arpeggiator

desempenha nove notas cromaticamente. Se você segurar C, o Arpeggiator vai jogar CC # DD # EFF # GG # e em seguida, repita. Isso ocorre porque o

Arpeggiator está mudando o padrão (que é apenas a nota que você está segurando) oito vezes depois de ter jogado o tom original, transpondo-um semitom de

cada vez. Alterar a quantidade Distância para +2 e ouvir o que acontece. Isso ocorre porque o Arpeggiator está mudando o padrão (que é apenas a nota que

você está segurando) oito vezes depois de ter jogado o tom original, transpondo-um semitom de cada vez. Alterar a quantidade Distância para +2 e ouvir o que

acontece. Isso ocorre porque o Arpeggiator está mudando o padrão (que é apenas a nota que você está segurando) oito vezes depois de ter jogado o tom

original, transpondo-um semitom de cada vez. Alterar a quantidade Distância para +2 e ouvir o que acontece.

Obviamente, você pode criar alguns padrões de transposição que estão fora da chave que você está trabalhando. Para remediar esta situação,
há dois menus que podem ser usados ​para restringir as notas aos de uma chave e modo selecionado. Com o menu superior Transposição,
escolher maior ou menor. Depois de fazer sua seleção, você pode escolher uma nota de raiz com o menu Key abaixo dela. Por exemplo, defina
o menu Transpor para Menor e mudar o menu Key to D. Agora pressione e segure D. Todas as notas no padrão resultante será transposta para
a nota mais próxima dentro de uma escala de D-minor.

Velocidade

Os controles finais no Arpeggiator são para modificar a velocidade das notas como eles jogam. Normalmente, essas funções estão
fora, o que torna cada nota do som padrão de arpejo em sua velocidade jogado. Ou seja, se você pressionar C levemente ao golpear
G duro, o padrão resultante terá notas C tranquilos e notas G altos.

O objectivo do controlo de velocidade aqui é criar um pseudo-envelope para o volume do arpejo. Claro, isso pode ser
usado para modificar não apenas volume, mas qualquer que seja a velocidade parâmetro é mapeado para no
instrumento que você está usando. Quando você liga Velocity com o botão de cima, o Arpeggiator vai modificar as
velocidades das notas como eles repetem. O mostrador inferior define a velocidade do alvo, eo botão Decay acima
determina quanto tempo o Arpeggiator leva para modular a partir das velocidades originais para o destino. Por exemplo,
se você definir alvo a 10 e Decay para 1,000ms e tocar uma nota com velocidade total, o Arpeggiator irá reduzir a
velocidade de cada nota consecutivo que desempenha a 10 mais de um segundo.

O botão Retrigger fará com que a velocidade de escala para reiniciar com cada nova nota que é adicionado ao acorde. Caso contrário, novas
notas serão constrangidos aos valores atuais das velocidades em decomposição.
Acorde

O dispositivo da corda (ver Figura 10.2 ) Irá gerar novas notas MIDI em intervalos passo relativo a uma nota MIDI de entrada.
Isso permitirá uma nota MIDI para acionar um acorde no instrumento receptor.

Figura 10.2 O dispositivo Chord constrói uma multinote (até seis notas) acorde MIDI de uma nota de entrada.

Fonte: Ableton

Quando o dispositivo de acorde é carregada pela primeira vez, que não terá qualquer efeito sobre as notas de entrada
MIDI-passarão através linear. Assim que você mover uma das maçanetas de troca, torna-se ativo. O botão define o
intervalo em semitons para a nova nota MIDI. Por exemplo, a configuração Deslocamento 1-4 e a reprodução de um C
fará com que tanto uma nota C e E para ser enviado a partir do plug-in. Definição do deslocamento 2-7 criará um acorde
C-major quando você joga apenas a nota C. Jogando L vai resultar em uma L-corda principal (G, B, e D). Você pode
definir até seis notas a serem adicionados à nota de entrada usando os mostradores. Logo abaixo de cada disco é um
valor que determina a velocidade da nova nota em relação à velocidade da nota recebida. Você pode usar isso se você
não quer todas as notas do acorde para ser o mesmo volume. Se o Shift 1 é ajustado para 0,50 (50%),

DANCE CHORDS: punhaladas e almofadas de acordes são um grampo da música eletrônica. Originalmente, estas cordas fixas foram
criados por detuning alguns dos osciladores em um sintetizador de modo que soou em intervalos musicais (normalmente + 7-a quinta
perfeita) contra os osciladores de base.

O efeito Chord pode ser usado para criar facilmente o mesmo efeito. Há uma série de acordes já construídos para seu uso nas
predefinições.

Nota Comprimento

O efeito MIDI Nota Comprimento (ver Figura 10.3 ) Pode ser usado para alterar a duração de mensagens de nota MIDI. Isso pode ser usado para
fazer um som parte MIDI mais ritmicamente consistente, ou durações de notas automatizar de forma criativa. Ele também pode ser usado para
acionar os seus instrumentos MIDI com Note Off mensagens em vez de nota sobre mensagens.

Figura 10.3 O dispositivo MIDI Nota Length.


Fonte: Ableton

O efeito MIDI Nota Comprimento tem dois modos de disparo, que podem ser ligadas para Note On ou Nota Off. Em Nota No modo, apenas os
controlos de temporização são activos: Modo, comprimento, e da porta. Você pode usar o modo de alternância botão para sincronizar as durações
ao ritmo Mestre canção, ou não, como você gosta. Os seleciona botão Comprimento do comprimento base das notas MIDI que a saída do efeito
vontade, e as modifica Portão Esta base pela percentagem que seleccionar. Por exemplo, como em Figura 10.3 , Se o Modo está definido para Sync,
definir o comprimento de 1/4 e set Porta a 50%, as colcheias Nota efeito Comprimento vontade de saída (metade de uma semínima). Na Nota modo
Off, esta saída mensagens de nota MIDI dispositivo MIDI quando você soltar os dedos de seu teclado MIDI. Isso fará com que as notas para jogar
através de seus instrumentos MIDI, e o comprimento das notas produzidas pode ser definida usando os controles de tempo abaixo. Você também
pode usar três outros controles na Nota modo Off. O controle de lançamento Velocity determina a velocidade da nota de saída (relação às
velocidades das notas que você jogou no seu controlador) e Decay Time define o período de tempo que levará para a velocidade de uma nota
recebida à deterioração a zero. O controle Escala chave pode ser usada para alterar o comprimento das mensagens de nota MIDI de saída, de
acordo com o tom das notas tocadas no seu controlador, de baixo para cima. Conjunto positivo ou valores negativos aqui para inverter a relação de
campo de comprimento da nota.

breu

O dispositivo de Pitch transpõe as notas MIDI enviadas para um instrumento, resultando em uma parte maior ou menor (ver Figura 10.4 ). Isso pode
ser muito útil em uma variedade de situações, tais como encontrar a melhor chave para um cantor. Vamos dizer que você tem uma faixa MIDI jogando
um acompanhamento de piano. Basta soltar um efeito de Pitch para a pista e discar a nova chave.

Figura 10.4 Torça o botão Pitch para transpor os dados MIDI que atravessam o efeito. Fácil, não é?
Fonte: Ableton

Os dois valores na parte inferior do dispositivo de Afastamento definir a gama de notas que podem ser utilizados com o efeito. Se o valor inferior,
rotulada mais baixo, é definido para C3 apenas notas MIDI C3 e superior serão autorizados a entrar no efeito. O valor da faixa determina, por
intervalo, a nota mais alta que pode entrar o efeito. Portanto, se o intervalo é definido como 12, as notas C3 até C4 entrará o efeito. Somente após
as notas recebidas passaram o teste gama eles vão ser transpostas para cima ou para baixo.

Esta situação também pode surgir quando usando patches em sintetizadores que têm splits. Se você tentar transpor as
informações MIDI fora da zona de tecla apropriada, o synth irá começar a tocar as notas com o patch atribuído à outra zona.

TRANSPOSIÇÃO TAMBORES: Há uma situação em que o efeito de Pitch terá resultados incomuns
- aquando da transposição partes de bateria. Porque Impulse and Drum Racks sons de bateria atribuir a notas individuais, você vai acabar
mudando quais os tambores jogo, ao invés de transpor a afinação dos tambores. Por exemplo, se um tambor pontapé é carregado para dentro
da primeira célula de impulso e uma armadilha é carregado para o segundo, MIDI nota C3 vai provocar o retrocesso, e D3 irá desencadear a
armadilha. Se você usar o efeito de Pitch com o passo botão set para +2, jogando C3 irá resultar no desencadeamento da tarola em vez do
chute.

Aleatória

Como o nome sugere, o dispositivo aleatório irá embaralhar a futura notas MIDI. Podemos determinar quão liberal é viver
com a sua randomização usando os controles mostrados na Figura 10.5 .

Figura 10.5 O dispositivo aleatória MIDI irá deslocar a afinação de notas de entrada uma quantidade diferente de cada vez.

Fonte: Ableton

O primeiro controle neste efeito é o valor Chance. Este botão define as chances de que uma nota MIDI entrante será transposta. Em 0%, o
efeito é essencialmente ignorada porque não há chance de uma nota será transposta. A 100%, cada nota MIDI estará sujeito a
randomização. Em 50%, aproximadamente a cada outra nota serão distribuídos aleatoriamente. Uma vez que uma nota é escolhido pelo
efeito de ser transposta, será deslocado usando as regras estabelecidas com os três controles restantes. Os três parâmetros fazem parte
de uma espécie de fórmula que determina a transposição.
O parâmetro escolhas determina o número de valores aleatórios que podem ocorrer. Se o valor é ajustado para 3, um
número aleatório com um valor de 1, 2, ou 3 irá ser gerado. Este número é multiplicado pelo valor da maçaneta escala. O
resultado é o número de semitons a nota MIDI será deslocado. Assim, se o botão de escala é definida como 2, as
transposições aleatórios resultantes será de 2, 4 ou 6 meios tons. As variáveis ​finais da fórmula são os botões do sinal. Se
Adicionar for selecionada, o valor aleatório resultante será adicionado à nota MIDI, fazendo-a subir de tom. Sub irá subtrair
o valor aleatório a partir da nota atual. A configuração Bi irá escolher aleatoriamente entre adicionar ou subtrair o valor. As
luzes indicadoras do plug-in do painel irá mostrar quando a nota está sendo transpostas para cima ou para baixo.

1. Se as escolhas botão é definido como 1 e o botão Possibilidade é definido como 50%, cerca de metade do tempo de um valor de transposição de
um vai ser gerado pelas escolhas botão. Se Scale está definido para 12 e o modo de sinal está definido para Adicionar, as notas recebidas serão
transpostas para cima metade oitava parte do tempo.

2. Se as escolhas botão é definido como 4 e o botão chance é configurada para 100%, um valor de transposição de 1 a 4 serão gerados
para cada nota MIDI. Você pode então definir o botão Escala para 3 e deixar o modo Entrar em Adicionar. Nesta situação, cada nota
será transposta (Possibilidade a 100%) por uma das seguintes quantidades de semitom: 3, 6, 9, ou 12 (1 [escolhas] × 3 [Escala] = 3, 2 x
3 = 6, 3 x 3 = 9 e 4 x 3 = 12).

3. Se as escolhas botão é definido como 2, o botão de escala é definido como 12, e do modo de sinal é ajustada para Sub, a

transposição resultante vai ser 1 ou 2 oitavas para baixo (1 × 12 = 12 e 2 × 12 = 24). Acima das chaves de direção é uma opção

adicional para selecção de modo alternativo em vez do modo aleatório. No modo alternativo, o ciclo efeito vontade através de todos os

valores possíveis, a fim. Assim, no exemplo 2 acima, a saída será transposições de 3, 6, 9, 12, a fim, repetidamente.

Escala

Escala permite uma nota MIDI de entrada para ser mapeado para um outro. Você pode dizer o plug-in que você quer cada entrada D # transposta
até E. Você também pode dizer-se que você quer Es recebidas para ser levado para Cs. Remapeamento arremessos como esta poderia ser uma
grande brincadeira com um jogador de teclado, mas também tem alguns usos muito práticos também.

Não tocar teclado bem? Não sei suas escalas? O dispositivo Scale irá transpor todas as notas erradas que você joga para os campos
apropriados para a chave apropriada. Este mapeamento é conseguido com uma grade de 12 × 13 de quadrados cinza que são definidos como
teclados de piano. As colunas na grade referem-se ao entrada
notas, enquanto que as linhas se referem a resultado notas. Se você olhar para Figura 10.6 , Você verá que o quadrado da grade inferior esquerdo está

ligado. Isto significa que quando uma nota C entra na coluna mais à esquerda, ele corre para o indicador laranja na última linha, que é a linha de saída

C. Então, neste caso, todas as notas entrada C vai ainda sair como notas C. A próxima coluna sobre é a coluna de entrada para C notas #. Como

você olhar para baixo na coluna, você correr para a luz indicadora na terceira linha do fundo, que é a linha de saída para notas d. Isto significa que,

quando uma nota C # entra no efeito de escala, que deixa como uma nota D.

Figura 10.6 O efeito de escala permite remapear notas MIDI usando uma interface de rede único.
Fonte: Ableton

O efeito de escala pode ser um pouco confuso e leva um tempo para se acostumar. Aqui está outra maneira de se familiarizar com a forma como
ele funciona. Toque a nota C, e observe a luz de canto inferior esquerdo para cima. Agora, clique em uma caixa diferente na coluna mais à
esquerda e tocar a nota C novamente. Que nota é a ser emitidos agora? Basta contar-se em semitons da caixa de bottommost (ou transformar
seus lados da cabeça e imagine que você está olhando para a grade como um teclado de piano vertical!). Se você clicou quatro caixas a partir de
baixo, agora você vai ser ouvir a nota liso E.

Você pode usar a grade para criar escalas musicais. O padrão de indicadores sobre a grade no Figura 10.6 é que de uma escala maior.
Qualquer tentativa de jogar uma chave preta no teclado irá resultar na nota MIDI a ser transposta até o seu vizinho mais próximo na escala,
uma vez que não teclas pretas são usados ​em C major.

NÃO ESCALA ?: Então você está apenas começando e não sabe todas as suas escalas musicais? Sem problemas. Ableton incluiu
escalas comuns nos presets do efeito de escala. Você pode carregar um, e, em seguida, use o botão Base de adaptá-lo a sua chave de
giro.

O controle de base pode ser usado para alterar o ponto de partida da grelha. No exemplo anterior, pendurado a Base de Dados de controlo para
G irá alterar a escala para um sol maior. Cada tecla tocada no teclado vai agora ser forçado a um dos campos do G-escala maior. Note-se que na
mudança da base também se move as teclas de piano de modo que a fila inferior e a primeira coluna são L em vez de C.

As caixas de transpor e Faixa de fazer o que o efeito de Pitch faz, transpondo todos os dados MIDI de entrada por um valor fixo e
limitando as notas que serão aceitos.

EM ESCALA: O efeito de escala pode mantê-lo na chave, e ele também pode manter os resultados de um efeito aleatório na chave, também.
Se o plug-in aleatória está gerando muitas notas que estão fora de chave, coloque-se um efeito de escala e configurá-lo para a escala
apropriada. Qualquer nota afasteis do efeito aleatório será batido na tecla pelo plug-in Scale.

Ao combinar uma aleatória e um plug-in Scale, você pode fazer um arpeggiator aleatório que arpeggiates o padrão de notas de
entrar na cadeia.

O interruptor Fold impedirá Escala de saída todas as notas mais de seis semitons mais elevados do que a nota de entrada. No entanto, não
basta fazer estas notas desaparecer. Em vez disso, ele cai estas notas para baixo um
oitava. Em outras palavras, se você mapeou uma entrada D3 tais que uma B3 seria de saída, permitindo o interruptor Fold causaria B2 a
ser debitada em seu lugar.

Velocidade

Os quatro efeitos anteriores MIDI Live estão preocupados com o controle MIDI informações campo. Velocity, por outro lado, lida com (você pode
adivinhar?) Dados de velocidade. É muito parecido com um compressor ou Escala de plug-in para velocidades. A exibição da grade é como o
display usado no dispositivo Scale (ver Figura 10.7 ). velocidades de entrada estão mapeados entre o eixo X (da parte inferior da grade),
enquanto a velocidade de saída estão no eixo Y (da extremidade direita da grelha).

Figura 10.7 A grade do efeito Velocity mostra o efeito de ajustar os vários parâmetros em tempo real.

Fonte: Ableton

Em sua configuração padrão, não é uma linha reta a partir do canto inferior esquerdo da grade para o canto superior direito da grade. Isto significa que cada

velocidade de entrada mapeia para a mesma velocidade de saída. Aumentar o botão unidade fará com que a linha na grade para começar a curva. Esta nova

forma que mostra baixas velocidades de entrada (perto da borda esquerda da grade) são mapeados para as velocidades de saída mais elevados. Isto irá

aumentar o volume das notas tocadas em silêncio, deixando as notas altas basicamente inalterado. Diminuindo o botão unidade abaixo de zero tem o efeito

oposto, fazendo com que as velocidades de entrada alto para ser mapeada para diminuir as velocidades de saída. Apenas os mais altos notas de entrada ainda

vai deixar o plug-in com altas velocidades. O botão Comp ( “Compand” significando Compressão / Expansão) é como o botão Drive, exceto que ele cria duas

curvas em vez de um. Ligando este botão até passado de zero exagera a curva de velocidade, fazendo notas tranquilas mais silenciosos e mais alto mais alto.

Baixando o botão Comp abaixo de zero tem o efeito oposto, forçando mais dos valores para o meio da faixa. Esteja ciente de que, como o efeito de Pitch, o efeito

velocidade está mudando as notas alimentados em um instrumento. Devido a isso, aumentando o botão Comp não vai fazer o som parte comprimido como seria

se você colocou um compressor após o instrumento. Ele vai simplesmente limitar as velocidades enviados para o instrumento enquanto o instrumento continua a

produzir um som descompactado. o efeito de velocidade está a mudar as notas alimentadas para um instrumento. Devido a isso, aumentando o botão Comp não

vai fazer o som parte comprimido como seria se você colocou um compressor após o instrumento. Ele vai simplesmente limitar as velocidades enviados para o

instrumento enquanto o instrumento continua a produzir um som descompactado. o efeito de velocidade está a mudar as notas alimentadas para um instrumento.

Devido a isso, aumentando o botão Comp não vai fazer o som parte comprimido como seria se você colocou um compressor após o instrumento. Ele vai

simplesmente limitar as velocidades enviados para o instrumento enquanto o instrumento continua a produzir um som descompactado.

O botão aleatório define uma gama de aleatoriedade que pode ser aplicado para as velocidades de entrada. Como este botão é aumentada,
uma área cinzenta irá formar no grid, mostrando todas as possíveis velocidades que podem resultar do fator aleatório.

Os botões Out Hi and Out Low determinar as velocidades mais altas e mais baixas que serão saída do efeito. O Range e os valores
mais baixos funcionam como os seus homólogos dos efeitos Pitch e escala. O clip, botões de porta, e fixos determinar a acção
tomada quando uma velocidade de entrada está fora do
operação de conjunto gama pelo Range e os valores mais baixos. No modo de grampo, qualquer velocidade fora da gama vai ser batido para gama.
O modo de Portão só irá permitir que as notas com velocidades dentro do alcance de passar. modo fixo irá forçar cada velocidade de entrada a ser
ajustada para o valor determinado pelo botão para fora Oi. Finalmente, o menu Operação pode ser usado para especificar se o efeito deve processar
a velocidade da nota de entrada, a velocidade de lançamento, ou ambos.

Sopro de vida: randomização velocidade pode ser usado para adicionar variação sutil para uma peça programada. Os seres humanos não podem
brincar com a consistência de uma máquina, de modo a randomização a velocidade de certas partes de uma pequena quantidade pode fazer um som
batida mais vivo. Isto é especialmente eficaz em chimbais e abanadores.
11
Controle remoto

UMA S explicou brevemente NO CAPÍTULO 3, “Viva interface Basics,” tudo quase no Live pode ser controlado via MIDI ou teclado do computador.
Isto é referido como controle remoto. A maior parte deste capítulo vai se concentrar em controle MIDI, já que é mais profunda e mais
flexível do que o controle do teclado do computador.

Porque o teclado do computador pode apenas transmitir teclas pressionadas, é mais adequado para tarefas simples como o lançamento de clips ou
controlar on / off switches. controladores MIDI, por outro lado, pode ter botões, chaves, botões, joysticks, controles deslizantes e almofadas XY. Isto
pode fazê-los parecer muito complicado, mas na verdade a maioria de controle MIDI é bastante simples. Independentemente do design físico do seu
hardware, a maioria de controle remoto MIDI é comunicada com dois tipos de dados: mensagens de nota e de alteração de controle (ou controlador
contínuo) mensagens, também conhecidos como CCs.

Há também inúmeros controladores no mercado que pode atuar como superfícies de controle para Live, o que significa que não há configuração
necessária para que eles funcionem. Estes incluem dispositivos projetados para o Live, como o Akai APC40 e Novation LaunchPad, bem como
numerosos outros dispositivos de uma variedade de fabricantes. No entanto, mesmo se você estiver trabalhando com uma superfície de controle,
não vão haver casos em que um pouco de personalização é necessária e conhecimento do sistema de controle remoto do Live realmente vir a
calhar.

No final deste capítulo, você encontrará uma seção estendida no próprio impulso do Ableton. Este é um controlador para o Live que incorpora todas
as funcionalidades de uma superfície de controle, mas inclui a integração do navegador, uma interface drumprogramming personalizado, e uma
variedade de outras características que vão além do controlador típico.

A activação do controlo remoto

Para utilizar um controlador MIDI como um controle remoto, ele deve ser ativado na guia MIDI das preferências do vivo (ver Capítulo 2 , “Obtendo vivo
Up and Running”, para mais informações). Alguns dispositivos suportados pode ser activada nos menus, na parte superior, enquanto que outras devem
ser configuradas com os interruptores abaixo. Há mesmo casos em que você pode configurar um único dispositivo em ambas as áreas. Vamos olhar
mais de perto.

Setup superfície de controle

Quando um controlador MIDI é suportado nativamente pelo Live, ele aparece no menu Surface Control, mostrado na Figura 11.1 . Quando você seleciona o
seu controlador neste menu, pode implementar automaticamente certos comportamentos Live conhecido como mapeamentos instantâneas. Muitas
superfícies de controle podem ser detectados automaticamente pelo Live, então eles vão trabalhar a partir do momento em que você ligá-los, e você não
precisa sequer de dar este passo. Ao vivo permite que você use até seis superfícies de controle simultaneamente.

Figura 11.1 Selecione seu controlador no menu Superfície de Controle para habilitar mapeamentos imediatos. Portas do controlador são geralmente idênticos (ou muito semelhante) para o nome do
controlador.
Fonte: Ableton

Se o controlador não aparecer neste menu, isso significa que não é suportado nativamente pelo Live. No entanto, isto não significa necessariamente que
ele não pode ser utilizada como uma superfície de controlo. Alguns dispositivos exigem a instalação de software adicional, após o qual o dispositivo
aparecerá como uma superfície de controle disponível. Verifique com o fabricante do hardware para obter mais informações.

Configuração Controlador Manual

Abaixo os menus superfície de controle a lista dos dispositivos MIDI conectados ao seu sistema. Qualquer dispositivo que você deseja usar
para controle remoto deve ter sua chave remoto ligado. Figura 11.2 mostra dois controladores habilitado para fins diferentes. O primeiro
controlador só pode ser usado para controle remoto. O segundo dispositivo só pode ser usado para gravar clipes de MIDI e tocar
instrumentos virtuais.

Figura 11.2 Vire remoto para ativar o controle remoto. Vire trilha para permitir que um controlador para a gravação MIDI padrão.

Fonte: Ableton

Também é possível transformar tanto Track and remoto em um único dispositivo. Se você tem um controlador de teclado que também tem
botões e sliders, você pode fazer exatamente isso. Contanto que você evitar fazer qualquer mapeamento remoto de chaves do piano e outros
controles que você vai usar para a entrada da trilha, você vai ficar bem.

Você também encontrará que o Live permite que você selecione um controlador MIDI no menu superfície de controle, e
habilitá-lo como um controle remoto abaixo. Isso é útil porque permite mapeamentos instantâneas e mapeamentos manuais no mesmo controlador.

Por exemplo, digamos que você está usando um APC40, mas você achar que você nunca quer usar os botões do braço durante a performance.
Ao permitir que o interruptor remoto para sua porta de entrada, você pode mapear estes botões para o que quiser, e o comportamento de
mapeamento instantâneo será desabilitada apenas para os botões. Se você excluir o mapeamento manual, o mapeamento instantâneo vem
back- imediatamente.

CONFLITOS DE TECLADO: Ao contrário de controle remoto MIDI, controle remoto teclado do computador é automaticamente habilitado. No
entanto, você precisa estar ciente de que a configuração do teclado de computador MIDI (as teclas do piano ícone na barra de Controle)
transforma a maior parte de seu teclado de computador em um teclado MIDI e pode desativar seus mapeamentos.

Desligue esse interruptor para problemas evitar com controle remoto teclado do computador. Se você mantê-lo, você estará limitado a usar
chaves não implementados como parte do computador teclado MIDI. Se houver um conflito, o teclado piscará quando você pressionar a
tecla conflitantes.
Mapeamento instantâneo

mapeamentos instantâneas variar um pouco dependendo do tipo de controlador que você está usando, mas eles caem em algumas
categorias. Muitas superfícies de controle tem o controle básico misturador. Por exemplo, o APC40 contém oito faders que o volume de
controle, e várias linhas de botões que controlam o braço, Solo, and Track Activator switches. Também é muito comum para superfícies de
controle para ter um banco de oito botões que irá automaticamente mapear-se ao dispositivo selecionado. Este tópico será discutido em
detalhes a seguir.

Controle de superfície com um banco de 16 blocos de percussão pode ser usado para controlar automaticamente o cilindro cremalheiras. Isto é particularmente
útil quando se utilizam grandes kits que utilizam mais do que 16 pastilhas, porque as almofadas de tambor da superfície do controlo irá manter-se mapeado para
qualquer dos 16 pads da cremalheira do cilindro estão actualmente seleccionada na Síntese do rato. Para ativar os pads de bateria neste tipo de superfície de
controle, é necessário activar o interruptor da trilha para a porta de entrada da superfície de controle.

Controlos de dispositivos
mapeamento instantâneo é especialmente útil quando se trata de trabalhar com os dispositivos. Supondo que você já tem uma superfície de
controle suportado selecionado nas suas preferências de MIDI, clique na barra de título de qualquer dispositivo (ver Figura 11.3 ). Você verá
aparecer uma pequena mão, indicando que ele foi mapeado para o controlador.

Voltando botões de controle de oito dispositivos do seu controlador irá manipular os oito primeiros parâmetros do dispositivo que você selecionou, ou os
oito botões macro se você tiver selecionado um Rack. Sua superfície de controle também terá um botão que permite que você obtenha a bancos
adicionais de oito parâmetros do dispositivo, ele deve ter mais. Muitas superfícies de controle têm botões Esquerda / Direita para navegar para outros
dispositivos na pista. Se não, você pode selecionar os dispositivos que utilizam o os / as setas direita e esquerda do teclado de computador mouse ou.
Assim que um novo dispositivo é selecionado, aparece lado, e os controles de dispositivo mapear a ele.

Figura 11.3 O lado azul indica que o filtro automático foi mapeado para os controlos de uma superfície de controlo do dispositivo.

Fonte: Ableton

Se você clicar com o botão direito na barra de título do dispositivo, você verá um menu de contexto, incluindo a opção Bloquear a superfície de

controle para cada um de controle designado superfícies de ter ligado. Isto permite-lhe controlar sempre um dispositivo específico, não importa onde

o seu foco imediato está na Live. Se você quiser ver os detalhes de como Ableton mapeou os controles de sua superfície de controle especial em

vivo, há uma referência da superfície de controle no modo de exibição de Ajuda, que contém uma lista de todos os dispositivos de hardware

atualmente suportadas e os detalhes de seus mapeamentos instantâneas .

ESTAR LÁ EMPRESA: Enquanto no mapa MIDI, aviso de que a barra de título de um dispositivo pode ser mapeado como qualquer parâmetro de
dispositivo. Isso permite mapear um botão no seu controlador que irá selecionar o dispositivo, mapeando-o instantaneamente à sua superfície de
controle.

Lançadores de clipe
A maneira mais fácil de lançar clipes é utilizar uma superfície de controle com uma matriz de lançamento de clipe, tais como a
LaunchPad, APC40, ou Push. Quando um controlador de rede está ligada e configurada, um rectângulo aparece em torno da área da
vista sessão que está a ser controlada. O retângulo só pode ser movido a partir do controlador, não de dentro Live.

A matriz de lançamento de clipe vai lhe dar feedback visual para mostrar-lhe o status dos clipes na sessão. Por exemplo, os botões do Launchpad
brilhar amarelo para indicar que um clipe é carregado, verde para indicar que um clipe está jogando para trás, e vermelho para mostrar que um
clipe é de gravação. Alguns controladores têm esquemas de cores diferentes.

Se vários controladores de rede estão conectados, o Live irá exibir vários retângulos em cores diferentes. Se você quer que eles
side-by-side para controlar diferentes faixas, ou uma sobre a outra controladores clipes diferentes nas mesmas faixas é até você. É
um sistema muito flexível (ver Figura 11.4 ).

Figura 11.4 Isto é como o Session View pode olhar com duas superfícies de controle de lançamento de clipe diferentes conectados. Os rectângulos de cor pode ser ajustada livremente
em qualquer direcção.

Fonte: Ableton

lançadores de clipe só funcionar se o dispositivo está ativado como uma superfície de controle. Se o controlador só é ativado como um controle
remoto, você ainda será capaz de enviar mensagens a partir dos botões na matriz, mas eles não vão controlar automaticamente clipes.

Mapeamento remoto

Conforme explicado no Capítulo 3 , O processo básico de mapeamento é fácil. Em primeiro lugar, entrar no modo de Mapa (ver Figura
11,5 ), Clique no controle que deseja mapear, em seguida, pressione a tecla ou mova o controle MIDI você quer controle Atribuir a.

Figura 11.5 Clique em chave para mapear o teclado do computador ou MIDI para mapear controladores remotos MIDI.

Fonte: Ableton

MULTI MIDI: Na maioria dos casos, o Live permitirá que você para mapear um único controle físico para vários controles na tela
simultaneamente. Nos casos em que isso iria causar um conflito, ao vivo irá avisá-lo e automaticamente remover o antigo
mapeamento antes de implementar o novo.

Quando um controle é mapeada para uma tecla de computador, é rotulado como visto em Figura 11.6 . Vivo reconhece tanto
minúsculas e maiúsculas, caracteres mais especiais, e os números do teclado numérico. As únicas teclas do computador não é possível mapear são
aqueles reservados para fins especiais, tais como a barra de espaço, Return e as teclas de tabulação. Para remover um mapeamento manual, entrar
no modo de mapa, clique no controle, e pressione Delete.

Figura 11.6 As letras Q e W foram mapeados para os ativadores de rasto contínuo 1 e 2.

Fonte: Ableton

Vamos dar uma olhada no que acontece quando você mapear controladores MIDI. Depois que o controle é mapeado, Live exibe uma
pequena caixa mostrando o canal e mensagem MIDI que foram mapeadas (veja Figura
11,7 ). Quando as notas são mapeadas, ao vivo diz-lhe o nome da nota. Se você enviar um CC, você verá o número CC após o
canal MIDI.

Figura 11.7 A Pista Activator foi mapeado notar A1 no canal MIDI 1. A barra de volume está mapeado para 22 CC, também no canal 1.

Fonte: Ableton

Quando se trata de CCs, existem dois tipos: absolutos e relativos. Atenuadores e botões são tipicamente controladores absolutos. Eles
enviam valores de 0 a 127 e pode mover qualquer controle do fundo de sua escala até o topo, com uma resolução de 128 passos. Se você
está mapeando manualmente controladores absolutos, é uma boa idéia para certificar que você entendeu os modos de aquisição na guia
MIDI / Sync Preferências do vivo (como explicado no Capítulo 2 ). CCs relativos são típicos de botões intermináveis ​chamados encoders. Um
mensagem de relativo controle é aquele que diz Live “mover este valor para cima” ou “mover este valor para baixo”, em outras palavras,
não há nenhuma correlação direta entre o valor do controlador e o valor em Live. Ele só tem o controle de sua posição atual e move-lo em
uma direção ou outra.

mensagens remotas vêm em um número de diferentes sabores, mas normalmente vivem pode detectar automaticamente qual o tipo está sendo
usado. Sempre que você mapear um controle, o menu visto em Figura 11.8 é exibida no canto inferior esquerdo da tela. Leve o seu tempo
quando o mapeamento de uma CC-movê-lo lentamente, e ao vivo irá detectar seu tipo. Se um tipo for detectado incorretamente, você vai ver o
salto controle em torno ou outro comportamento estranho quando você tentar usá-lo. Se isso acontecer, verifique a documentação do
controlador e inseri-lo manualmente no menu.

Figura 11.8 Este menu mostra-lhe o tipo de CC seu controlador está enviando.

Fonte: Ableton
MESS MIDI: Tenha em mente que os mapeamentos manuais não estão vinculados a um controlador específico. Por exemplo, se você mapear o C3 nota
no canal 1, respondem vai viver para a presente nota, independentemente do controlador MIDI que envia-lo. É por isso que você tem que ter cuidado
quando você tem um monte de controladores conectados. Certifique-se de não permitir o controle remoto para dispositivos que você não quer dizer usar
para essa finalidade. Para a maioria das configurações MIDI complexas, a maneira mais fácil de conflitos evitar é fazer com que cada transmissão
dispositivo em um canal diferente.

O Navegador Mapping
Sempre que você entrar no modo Key ou MIDI Mapa, as transformações navegador para mostrar-lhe todos os mapeamentos atuais. Não só
este lhe dar uma referência útil de cada controle mapeada, mas também permite que você especifique intervalos de controlo, utilizando os
parâmetros Min e Max. Por exemplo, em Figura 11.9 , Você verá um volume da faixa configurado para que ele não pode ir acima de 0 dB (ao
contrário de seu padrão de +6 dB) -a técnica muito útil para recorte evitar durante a performance.

Figura 11.9 O mapeamento de cima mostra um controlo de volume limitado a um máximo de 0 dB. No segundo mapeamento, o menu de contexto Invert Gama está sendo usado para
inverter os níveis mínimo e máximo.

Fonte: Ableton

Você também pode definir Max abaixo Min, a fim de inverter o comportamento de um controlo. Você pode estar se perguntando por que você iria querer
fazer isso, mas na verdade existem alguns casos comuns. Vamos dizer que você tem um tempo- sincronizado LFO mapeado para um botão. Por
padrão, girando o botão para cima fará com que o LFO mais lento porque seu valor está ficando superior -Você está se movendo de 1/32 a 1/16 e,
eventualmente, todo o caminho até 4 bares. Para um monte de gente, faz mais sentido ter o LFO chegar mais rápido ao ligar-se o botão.

Mapeamentos especiais

Existem algumas maneiras que o Live podem ser mapeadas que pode não ser evidente à primeira vista. Por exemplo, o controle de
tempo tem dois segmentos quando no modo de mapa. O segmento esquerdo é para ajustes grosseiros, enquanto os ajustes certos em
frações de BPM.

Figura 11.10 mostra algumas áreas de interesse quando se trata de mapeamento. A barra de título de uma faixa podem ser mapeadas a fim de mostrar a

sua Track View. A área de status clipe pode ser mapeado para mostrar o Clip View para o clipe que joga atualmente no essa faixa. Se nenhum clipe

estiver em reprodução, este mapeamento não vai fazer nada. lançadores clipe relativos permitem que você lançar um clipe com base na cena

selecionada atualmente, mas aviso que estas só aparecem no modo mapa. Na pista principal, você verá alguns controles adicionais na mesma linha

como os lançadores clipe relativos. Estes são usados ​para navegar através das cenas. O setas acima / abaixo pode ser mapeado para mover para cima

ou para baixo, uma linha de cada vez, enquanto a caixa numérico pode ser mapeado para um codificador para percorrer cenas.

Figura 11.10 Algumas guloseimas escondidas no modo Mapa.


Fonte: Ableton

TWEAK esse clipe: Você pode atribuir MIDI e controles-chave para muitos parâmetros no Clip View. Esteja ciente, no
entanto, que os mapeamentos no Clip View não ficar preso a um clipe particular. Em vez disso, as atribuições de trabalhar
em qualquer clipe está sendo exibida no Clip View. Portanto, se você usar um botão MIDI para transpor um clipe, você pode
clicar em outro clipe eo mesmo botão MIDI agora transpor o novo clipe.

O crossfader é outro controle que oferece opções adicionais quando no modo Mapa. No Figura 11.11 , Você verá que o crossfader tem três
seções. Mapeamento da seção central para um controlador MIDI lhe dará acesso a toda a gama do fader, enquanto as bordas exteriores
permitem mapear a posições de esquerda e direita absoluta para cortes rápidos. Dessa forma, você pode ter um crossfader, que é
controlado por um único fader MIDI, três chaves individuais, ou qualquer combinação destes. Bem vindo ao futuro!

Figura 11.11 O crossfader é diferente do que a maioria dos controles da Vivo na medida em que tem três áreas separadas que podem ser mapeadas para controladores MIDI ou o teclado do
computador.

Fonte: Ableton

Controlo remoto plug-in Devices


Controlar os parâmetros de um plug-in dispositivo, como um efeito de áudio VST, é um pouco mais difícil, devido ao fato de que cada plug-in tem a
sua própria interface gráfica única. Devido a isso, o Live não pode sobrepor a sobreposição de mapeamento sobre o plug-in controles enquanto
estiver no modo Mapa. Para resolver este problema, Ableton incluiu um interruptor desdobrar no canto superior esquerdo da barra de título de um
plug-in. Desdobrar o no plug-in, como visto na Figura 11.12 , Para revelar uma exposição genérica dos parâmetros plug-ins.

Figura 11.12 Pressionando o pequeno triângulo no canto do plug-in revela uma exibição genérica de parâmetros do plug-in.
Fonte: Ableton

Se o dispositivo tem mais de 32 parâmetros, sem parâmetros será mostrado, e você terá que configurá-lo para exibir os que você deseja
mapear. Para adicionar um parâmetro, clique no botão Configurar na barra de título e mover qualquer controle no plug-in janela. Um controle
deslizante horizontal aparecerá para cada controle você se move. Estes cursores pode ser mapeado como qualquer outro controlo.

Sobre controladores MIDI

Para controlar remotamente ao vivo, literalmente, qualquer controlador MIDI pode ser usado. dispositivos MIDI vêm em diferentes variedades
melhor adaptadas a diferentes tarefas, mas não importa se você tem um velho sintetizador MIDI, ou o mais recente LEDencrusted gigante; eles
são todos compatíveis. O que varia são os controles físicos que oferecem e qual tipo de configuração que necessitam.

Enquanto não há um pouco de configuração que pode ser feito dentro vivo, é importante compreender que as mensagens MIDI específicas enviadas
por seu controlador pode impactar os resultados que obtém. Alguns controladores permitem programar cada botão e botão para mensagens
específicas de envio, enquanto outros controladores não. Normalmente, você pode esperar teclas do piano e pads de bateria para enviar mensagens
de nota, enquanto botões e sliders (e qualquer coisa que pode ser movido através de uma gama) transmitem mensagens de mudança de controle.
Querendo ou não você precisa de um controlador programável depende da complexidade de sua configuração MIDI eo que você precisa fazer com
ele. Por exemplo, pode haver casos em que você deseja usar vários controladores e têm cada uma transmissão em um canal MIDI diferente para
conflitos a evitar. Pode haver um caso onde você quer um botão para ser momentânea ( envia uma mensagem quando o botão é pressionado e outro
quando for lançado) em oposição a alternancia ( envia uma mensagem quando pressionado, e uma segunda mensagem quando empurrado
novamente).

Essas são as configurações que são definidas dentro do controlador e não podem ser alteradas a partir do Live. Às vezes, isso é feito com lotes de
mergulho de menu no hardware (leia atentamente o manual!), E às vezes isso é feito com um editor de software (geralmente uma tarefa muito mais fácil).
Então, se a criação de uma configuração de desempenho altamente personalizado é uma tarefa que você precisa para realizar, você deve considerar a
compra de pelo menos um controlador com um editor de um bom software, como um Korg Nano, ou qualquer um dos controladores de KMI ou Livid.

Alguns controladores exigem a instalação de software separado antes que você possa usá-los com Live. Alguns, como a Novation LaunchPad,
não vai funcionar em tudo até que um driver está instalado, enquanto outros vão trabalhar como controladores MIDI genéricos para fora da
direita da caixa, mas requer instalação de software adicional para permitir controle superfície apoio com Live. Apenas certifique-se a verificar o
site do fabricante para o
transferências mais recentes e você vai estar tudo pronto.

Empurrar

Empurrar é próprio controlador de hardware dedicado de Ableton para Live. Concebida como um “instrumento” ao invés de simplesmente um
controlador MIDI, Empurrar se concentra fortemente na fase de composição inicial: bateria programação, criando peças com instrumentos virtuais, e
aprimorando dispositivos.

Portanto, é importante compreender que este foco é muito MIDI-centric e vem com algumas limitações. Por exemplo, no momento da
redação deste texto, não há nenhuma maneira de armar uma faixa de áudio de Push. No entanto, é seguro assumir que empurram vai
evoluir muito. O manual do usuário Live tem um muito bom guia passo-a-passo para se levantar e correr com Push, e você deve
definitivamente consultá-lo para se certificar de que você tem a informação mais up-to-date. O que está aqui apresentado destina-se a
acompanhar essa informação ao invés de substituí-lo. Selecione “Leia a Vivo Manual” no menu Ajuda, em vez de consultar o manual
impresso para obter informações sobre push; a versão digital é muito mais up-to-date. Uma coisa muito importante saber sobre o impulso
direito fora do portão é que muitos dos botões de comando são projetados para fazer uma coisa quando empurrado e outro quando
premida. Para muitos dos botões do lado direito (escalas, Repeat, Accent, Nota, Session), um único impulso muda empurrar para um novo
modo, enquanto segura o botão para baixo permite que o modo temporariamente e volta Empurre ao seu estado anterior quando você
liberá-lo .

No caso dos botões à esquerda, que é um pouco diferente. Por exemplo, um único impulso de Quantize efectua imediatamente quantização.
Segurando-o para baixo opções de presentes de quantização, incluindo a opção de transformar quantização registro ligado ou desligado. Da mesma
forma, mantendo comprimento fixo permite que você selecione um comprimento predeterminado para todos os clips gravadas recentemente, enquanto
um único impulso é usado para ativar esse modo ligado ou desligado.

Outra palavra de conselho: Quando aprender Push, manter um olho na tela do computador também. Mesmo que o objetivo final pode ser
fazer música no impulso e evitar olhando ao vivo, você vai ter uma compreensão mais sólida do que está acontecendo, se você observar o
que acontece aos seus clipes e dispositivos na tela durante o trabalho com o hardware.

O LADO BOM: Injector está completamente ônibus movido e não requer que você use a fonte de alimentação que vem incluído. Quando a
fonte de alimentação é usado, os botões, almofadas, e exibir tudo mais brilhante brilho.

Começando
Aqui estão algumas coisas sobre o impulso que você precisa saber de imediato (ver Figura 11.13 ).

Figura 11.13 A maioria das funções de push são claramente identificados e fácil de encontrar. Todos os botões são iluminados. Quando um botão fica escuro, o que significa que ele não tem nenhuma
funcionalidade no modo atual.
Fonte: Ableton

Tracks: Navegar de pista para pista usando as setas esquerda e direita no canto inferior direito. Alternadamente, as faixas podem ser
selecionados usando os botões abaixo do visor (quando Volume, Pan & Envia, Track, ou Clipe são mostrados). Quando uma faixa é
selecionado, ele é automaticamente armado para gravação. Novas faixas são criados por empurrando Add Track. Por padrão, uma
faixa MIDI é criado, e o visor muda para o modo Procurar. Mantenha pressionada Add Track para criar diferentes tipos de pistas.

Clipes: Imprensa Nota quando você quer criar novos clipes MIDI. (Push está no modo Nota por padrão, então você pode ser capaz de ignorar esta
etapa.) Novos clipes são criados por pressionando Record, ou inserindo uma nota no seqüenciador passo (como explicado mais tarde). Pressione
Gravar uma segunda vez para parar a gravação e começar looping. Quando comprimento fixo é ligado, pressionando ficha cria um grampo de um
comprimento especificado e começa looping automaticamente. Pressionando Nova não cria um novo clipe, mas em vez disso, irá passar para um slot
de grampo vazia, então você está pronto para fazer um novo clipe de marca. Para editar as propriedades de loop de um clipe, prima do clipe.

Mixer: Press Volume ou Pan & Enviar para ver uma visão geral dessas configurações para oito faixas de cada vez. Que oito faixas são
mostrados é determinado pela posição do retângulo colorido na grade clipe no Live. Sessão Pressione e use as setas esquerda / direita
para mover o grid. Mantenha a tecla Shift para mover para a esquerda / direita em bancos de oito. Imprensa pista para ver informações
detalhadas sobre uma faixa individual. A segunda linha de botões é usado para faixas sem áudio ou individuais, dependendo do estado
dos botões Mute e Solo.

navegando: Prima Procurar para seleccionar instrumentos ou pressione Adicionar efeito para efeitos de navegação. Para adicionar efeitos MIDI,
mantenha a tecla SHIFT e pressione Adicionar Efeito. presets de instrumentos são organizados por dispositivo e, em seguida, por um conjunto
pré-definido de categorias. Se você salvar suas próprias predefinições em pastas que correspondem as categorias Ableton, eles serão
automaticamente agregadas em que categoria durante a navegação. Predefinições guardadas em pastas com nomes diferentes serão mostrados em
uma categoria chamada Outros.

lançamento: Sessão de imprensa para a matriz de lançamento de clipe. As cenas / Grade botões à direita das almofadas são usados ​para
cenas de lançamento. Quando nota for selecionado, a cima e para baixo setas lançar cenas, mas não da maneira convencional. quantização
global é ignorada e os clipes de todos se comportam como se estivessem em modo Legato. Isso significa que você pode navegar de uma
cena para outra de uma forma extremamente fluida, sem nunca interromper o fluxo.
Programação tambor

Quando uma faixa contendo uma cremalheira do cilindro é seleccionado, push comuta automaticamente para o modo de programação do cilindro. Programação

bateria em Push é muito divertido. Enquanto muitos controladores concentrar em realizar partes de bateria usando almofadas ou passo-a sequenciação utilizando

uma grelha, impulso faz ambos simultaneamente. A metade superior das almofadas é o seqüenciador passo a passo. Por padrão, ele representa dois bares com

16 etapas em cada bar. (Cada linha constitui uma metade de um bar.) Isto pode ser alterado selecionando uma divisão diferente nota (usando a grade de botões

1/4 a 1 / 32T à direita), mas eu sugiro começar por dominar a 16- grade passo e venture depois para as outras divisões posteriores. Para adicionar batidas de

tambor para a seqüência, primeiro empurrão do Drum Rack almofadas no canto inferior esquerdo para selecionar um tambor. Em seguida, apertar botões no

seqüenciador passo para adicionar o tambor selecionado para uma determinada etapa.

Manter um passo para revelar controles adicionais no visor. Pode-se ajustar a velocidade e a duração da nota, e mover a nota para a frente ou
para trás uma pequena quantidade de torção do codificador Deslocar.

DUPLO VS. DUPLICADO: Depois de criar uma peça, você pode fazê-lo duas vezes mais tempo pressionando duas vezes.
Duplicado, por outro lado, faz uma cópia do clipe que joga atualmente e coloca-o no slot clipe abaixo.

Para gravar a bateria ao vivo, basta pressionar Record e estrondo longe nas almofadas. Ou não o seu desempenho é quantizado como você registro é
até você. Segure Quantize para exibir as configurações para transformar Registro quantização ligado ou desligado. Minha preferência é deixar
quantização off durante a gravação, e depois quantificar após o fato, se necessário. Quando as peças perfeitamente quantificados s necessário, eu
uso o seqüenciador passo a passo. Esta é uma grande vantagem oferecida por ter tanto a programação se aproxima calhar.

Quando você joga Empurre usando as almofadas, os passos aparecerá na grade, mesmo quando eles não foram quantificadas. Este é um recurso
legal que permite que você veja como o seu padrão parece no grid, mesmo que ele não pode ser estritamente alinhados com ele. Isso cria uma
oportunidade interessante e um problema potencial. Depois de jogar uma parte, você pode rapidamente quantizar um hit indivíduo empurrando a
etapa duas vezes. O primeiro impulso exclui o sucesso, e a segunda re-cria, perfeitamente alinhado à grade. Esteja ciente de que se você já jogou
uma nota muito tarde ou mais cedo, ele pode aparecer no degrau antes ou depois do que você pretendia.

Usando o seqüenciador passo para editar peças que você realizou, no entanto, pode ser complicado. E se você quiser experimentar com transformar
certos sucessos off, mas não quer perder o timing quando você ativá-las novamente de novo? Em vez de apagar notas, mantenha pressionado o botão
Mudo enquanto empurra as notas que você deseja remover. As notas serão desativados, e eles vão mudar para uma cor amarela escura. Segure Mute
e pressioná-los novamente para reativá-los. (Felizmente, Push também tem um botão Desfazer para que você possa facilmente recuar se você
esquecer esse fluxo de trabalho.)

QUANTIZE: Um único impulso de Quantize quantizar todo o grampo. Para quantificar um único tambor, mantenha Quantize e
pressione um pad de bateria. Voila! Só que tambor fica quantizado.

Os controlos comprimento da laçada ocupar o inferior direito conjunto de almofadas. No início, estes podem parecer ser o mais
desinteressante parte do tambor controles de programação, mas eles são realmente uma solução brilhante para um problema básico. Ao programar partes de

bateria mais longos, você está frequentemente confrontados com a necessidade de se concentrar em um bar indivíduo, enquanto trabalhava em seus detalhes,

e depois saltar de volta para ouvir o bar no contexto. Repetindo este processo mais e mais pode ser um incômodo, mas com a grade comprimento do laço é um

pedaço de bolo. Cada almofada na secção de comprimento da laçada representa um dos 16 bares possíveis. Empurrando qualquer um destes botões faz com

que o clipe para saltar imediatamente para este bar. Para especificar uma variedade de bares, manter um bloco e, em seguida, pressionar um segundo. Por

exemplo, pressionando uma almofada (a uma no canto superior esquerdo da área do loop) faz com que uma barra de grampo para o circuito. Mantendo

pressionada a almofada de cinco e, em seguida, pressionar almofada 8 cria um ciclo de quatro bar, incluindo barras de 5 a 8.

A (não) Touch Strip: A faixa de toque é usada para navegar no Rack Drum Pad Overview. Tenha cuidado para não inclinar-se sobre ele enquanto
você está jogando os pads de bateria, ou você pode acabar jogando um conjunto vazio de almofadas (maçantes amarelo)! Se isso acontecer,
execute o dedo ao longo da faixa até que os pads de bateria brilhar amarelo brilhante novamente, e você estará de volta no negócio.

Substituindo Drums individuais


Empurre o torna fácil de carregar sons para as almofadas de um Drum Rack um de cada vez. O truque para fazer isso é ter certeza de que a almofada é
selecionado antes pressionando Browse (caso contrário, você vai acabar navegando para kits inteiros). Primeiro, prima de dispositivos e, em seguida,
pressione uma das almofadas de tambor. Na extremidade esquerda da tela, você verá o nome do kit, seguido do nome do bloco. Pressione o botão
diretamente abaixo do pad para selecioná-lo. Agora, quando você pressiona Navegar, você será levado para batidas de tambor individuais, em vez de kits
inteiros. Doce!

Modo de notas

Quando você selecionar uma faixa contendo qualquer instrumento que não seja um rack da bateria, Empurrar muda para o seu modo único “teclado”.
Esta é tomada de Ableton sobre como programar melodia ou harmonia usando uma grade em vez de um teclado de piano. Se você é um tecladista
experiente, esta pode ser uma mera curiosidade, ou pode ser uma divertida nova maneira de experimentar. Afinal, você está certo de vir acima com
algumas idéias diferentes quando se joga um instrumento totalmente novo!

MODA ANTIGA: Considere ligar um pedal de sustentação para uma das tomadas de entrada na parte traseira do impulso. Você pode achar
que faz as almofadas muito mais expressivo e jogável para instrumentos melódicos. Além disso, lembre-se que se você preferir um controlador
de teclado tradicional, não há nenhuma razão você não pode ligar um ao seu computador e usá-lo ao lado de Push.

Por padrão, este modo apresenta-lhe apenas as notas em uma dada escala (C principais por padrão). Cada azuis marcas almofada a tônica
(root) de notas da escala. Portanto, quem sabe uma teoria de música pouco vai esperar para ver uma almofada azul, seguido por sete
almofadas brancas, e, em seguida, uma outra nota azul. E, de fato na linha de baixo, que é exatamente o que você vê, mas além disso o
padrão não continuar, porque Ableton se aproveitou do fato de que uma grade é bidimensional, ao contrário de um teclado de piano, que é
estritamente linear .

Por padrão, as notas são organizadas em quartas ao longo do eixo vertical e as etapas ao longo do eixo horizontal. Este é semelhante ao
arranjo de notas em um instrumento de cordas, como uma guitarra ou baixo. E somente
como esses instrumentos, isto significa que o mesmo acorde ou escala pode ser jogado em uma variedade de locais na grade. Jogue os mais baixos
quatro blocos da grade em ordem da esquerda para a direita. Quando você chegar ao quarto bloco, aviso que o bloco mais à esquerda na segunda
linha acende-se bem. Isso significa que eles são o mesmo passo.

O layout de nota pode ser alterado pressionando Escalas uma vez e, em seguida, segurando a tecla Shift pressionada. As duas primeiras opções
no display (4 ^ e 4>) permitem que você escolha entre os quartos sendo vertical ou horizontal, enquanto o segundo duas opções permitem-lhe
mudar para terços horizontais ou verticais. As duas últimas opções são seqüenciais. Estes abandonar o regime de ter um vs. intervalo vertical e
horizontal simplesmente organizar as notas em passos ao longo de um dos eixos.

SONS SENSÍVEIS: sensibilidade do bloco padrão de impulso pode funcionar muito bem, enquanto batendo para fora partes de bateria, mas quando tocar
melodias e acordes é um pouco demasiado duro para a maioria das pessoas. Mantenha pressionada usuário para revelar a definição Pad sensibilidade no
visor. Mesmo transformando-se um entalhe faz uma grande diferença. Se a sensibilidade não é o que você está depois, pressione Accent. Isso fará com
que todas as almofadas para jogar em velocidade máxima, independentemente de quão duro você joga.

O botão Escalas revela controles para selecionar a chave e escala da rede de nota. Por exemplo, para jogar no modo Bb Lydian, você iria rolar no

primeiro menu para Lydian e selecione Bb na fileira de teclas mostrado. Se você não tem experiência com a teoria da música, você pode estudar para

dar sentido a isso, ou tomá-lo como um esforço puramente experimental. Se você encontrar uma escala que você gosta, você vai ser capaz de usar esta

escala em quaisquer outras peças criadas e todas as outras partes estará em chave. Tenha em mente que, no momento da redação deste artigo, as

definições de escala são não salvo com o Live Set, por isso, se você está experimentando, você vai precisar fazer uma nota de suas configurações de

escala, se você quer ser capaz de retornar ao seu conjunto de outro tempo e jogar na mesma chave.

Para alguns tipos de música, você vai ser capaz de selecionar uma única escala e fazer uma música inteira. No entanto, ainda há muito grandes
movimentos de música através das chaves e usa notas fora de um único centro chave para criar o interesse harmônica e melódica. Felizmente, o
visor escala também permite que você alterne entre Em Key para o modo Chromatic, que fornece um layout em que cada nota está incluída, mas
apenas as notas da escala selecionada estão acesos Isso fornece uma perspectiva interessante sobre escalas e permite que você se mover para
fora-los quando necessário.

O visor escala também permite que você ative o modo fixo ligado ou desligado. No modo fixo, as almofadas sempre manter a sua
orientação original, o que significa que o canto inferior direito é sempre C. Quando você alternar chaves, a mudança notas
disponíveis, mas o alcance global das almofadas é afetado. Com o modo fixo desligada, o próprio reorienta grade em torno de
qualquer nota de raiz que você selecionar. Por exemplo, se você selecionar a chave de G toda a gama das almofadas mudanças,
e as notas azuis todos se tornam G em vez de C. Uma maneira interessante para gerar padrões de acordes usando push é
pressionar repetidamente as mesmas almofadas, enquanto mudando a chave na modo de escala. Se você fizer isso no modo fixo,
você vai ter mudanças sutis, com notas individuais em movimento um passo metade do necessário para ficar em chave. Com o
modo fixo desligada, você vai ter movimento muito claro a partir acorde para acorde como você mudar a chave.
Modo de dispositivo

Pressione o botão do dispositivo para editar parâmetros do dispositivo na faixa seleccionada (ver Figura 11.14 ). vista dispositivo é muito
fácil de usar, contanto que você compreender como dispositivos navegar e Racks. As faixas podem conter vários dispositivos, cada um
com muitos parâmetros, os quais são editados usando oito codificadores de empurrar. A navegação é feita usando tanto os botões
debaixo da tela e os botões IN e OUT. Existem dois tipos de navegação que você vai fazer: navegar de dispositivo para dispositivo, e
navegar dentro Racks com múltiplas cadeias. Navegando de dispositivo para dispositivo é uma questão simples. Quando uma faixa
contém vários dispositivos, eles são mostrados na parte inferior da tela. Use a linha superior de botões para selecionar um dispositivo e a
linha inferior para ativar ou desativar. Quando um dispositivo é selecionado, os codificadores irá mapear instantaneamente para qualquer
que seja oito parâmetros Ableton tem considerados os “favoritos”. Se você selecionou um Rack,

Figura 11.14 No modo de dispositivos, todas as cadeias e dispositivos disponíveis são mostrados ao longo do fundo, enquanto que os codificadores de controlar os parâmetros do dispositivo.

Fonte: Ableton

Para cavar mais fundo, você precisa apertar o botão In. Isso leva você para uma nova página onde controles de dispositivo são organizados
em bancos (um máximo de oito). Na parte inferior, você verá os nomes dos bancos, que podem ser selecionados com a linha superior de
botões.

Banco de emprego: Esteja ciente de que com alguns dispositivos que você não será capaz de chegar a todos os parâmetros individuais, não importa
quantos bancos que você navegar. A solução aqui é criar um Rack. Por exemplo, quando a programação do operador, eu gostaria de ser capaz de
acessar de forma de onda do oscilador, o que não é uma parte de qualquer um dos bancos. Para resolver isso, eu tenho guardado um rack contendo
Operador e mapeou o controle de forma de onda para um botão de macro.

Quando uma cremalheira contendo múltiplas cadeias é seleccionado, empurrando o botão Em faz com que o visor para mostrar cada uma das cadeias. Use
linha superior de botões para selecionar a cadeia que pretende editar; Em seguida, empurrar de novo para exibir os dispositivos dentro. Seleccione um
dispositivo e continuar como descrito anteriormente.

Devido ao Vivo permite Racks aninhadas, cadeias dispositivo pode ser muito profundo, ea navegação pode levar algum tempo para se
acostumar. Esta é uma área onde eu sugiro fortemente que você jogar com o controlador, mantendo um olhar atento sobre sua tela. Siga o lado
azul pequeno que aparece na barra de título dos dispositivos! É a chave para saber o impulso está controlando a qualquer momento.

Automatizá-lo !: Para automatizar controles de dispositivo, pressione Automatizar (isso permite que o interruptor Arm Automação em Live) e
pressione Record. Automação é escrito a partir do momento que você mover um codificador até o momento em que você parar de tocá-lo.
(Encoders de push são sensíveis ao toque.)
Trabalhando com Plug-Ins

No momento da redação deste artigo, Push só permite que você navegue built-in dispositivos. Para contornar isso, crie Racks para os seus
plug-ins. Por exemplo, se você quiser usar Native Instruments maciça, criar um instrumento cremalheira contendo maciça e guardá-lo como uma
predefinição. Quando você navega dispositivos usando Push, o novo rack irá aparecer na categoria rack Instrumento.

Se você quiser usar controles de dispositivo de empurrar com plug-ins, você terá que configurá-los usando o interruptor Configure, conforme
explicado em “Remote Controle Plug-in Devices” anteriormente. Você também pode querer atribuir os controles favoritos para botões macro do rack,
mas estritamente falando, isso não é necessário. Os controles que você adicionar ao configurar o plug-in serão todos se tornam disponíveis para
empurrar qualquer maneira. Eles vão ser distribuídos em oito bancos de acordo com a ordem em que os sliders genéricos são exibidos em Live. Ao
configurar, arrastá-los para a ordem desejada. Por exemplo, se você quiser todos os seus controles de filtro de estar no primeiro banco, certifique-se
que eles são os primeiros oito parâmetros listados.
12
Tocar ao vivo ... Vivo

M OST livros escritos sobre MUSIC-produção de software não iria incluir um capítulo como o que você está prestes a ler. Como você vai descobrir, é um verdadeiro
deleite para usar o mesmo software para criar sua música e executá-lo. Por causa de seus métodos de controle flexíveis e resposta
instantânea a entrada do usuário, Live é o companheiro perfeito para um músico gigging. Realiza maravilhas ao vivo em todos os
tipos de cenários, que vão desde shows de DJ para a música de improvisação e teatro. Independentemente de qual o tipo de
músico você se considera ser, eu recomendo a leitura de todas as informações apresentadas neste capítulo. Qualquer técnica
relativa à utilização de Live é pertinentes-inovações podem vir de tomar idéias de estilo de um músico e aplicá-las ao seu próprio
estilo.

O híbrido DJ e Remixer

Seja ou não DJing e remixing é sua coisa, vale a pena estudar nesta seção. Você já sabe que pode sincronizar vivo laços juntamente com
deformação. DJs usar este poderoso mecanismo para sincronizar músicas inteiras juntos. Eles também usam uma variedade de clips para
fabricar novos arranjos das músicas, literalmente criando seus próprios remixes bem na frente das massas de dança. Ao aprender as
técnicas empregadas aqui, você vai conseguir um aperto mais firme na manipulação do ritmo de qualquer peça de áudio. A razão desta
seção é chamado de “DJ híbrido” é que se você executar canções originais, faixas por download, improvisado compotas multitrack de loop,
ou mashups, as técnicas e conceitos de DJing mantêm alguma relevância para todos eles, e eles são a conceitual “cola” que pode ser
usado para olhar para estes variada aproxima de uma forma unificada.

Preparando os arquivos de áudio

O processo de DJing com o Live é duplo: Primeiro vem o trabalho de download, rasgando, e canções deformação, seguida pela alegria de colocar tudo

junto em uma performance. Suporta vários vivo comprimido e formatos de arquivo descompactado. Você pode usar WAV, AIFF, SD2, MP3, AAC, Ogg

Vorbis, Ogg FLAC, e FLAC regular, o que significa que você pode usar a maioria dos arquivos de áudio que você jamais vai encontrar. Enquanto

320kbps arquivos MP3 são de alta qualidade suficiente para a maioria das aplicações, tenha em mente que o Live vai descomprimir qualquer arquivo

comprimido no Cache Decoding quando você adicioná-lo a um Set. Portanto, não só você está potencialmente comprometer a qualidade do som

durante a utilização de áudio comprimido, mas você também acabam usando Mais espaço em disco porque você está armazenando tanto um

comprimido e uma versão não compactada do arquivo.

Depois de ter suas músicas puxou junto, você está pronto para começar a segunda etapa de preparar um arquivo para DJing. Para que ao vivo
para manter a música no tempo com quaisquer outros que você pode estar jogando, você precisa colocar urdidura marcadores no arquivo para
indicar a localização de batidas na pista. Entortar uma música inteira soa como um grande esforço, mas com a prática você vai encontrar-se a
fazê-lo mais rápido e mais rápido. Na verdade, enquanto eu não sempre recomendar este, tem havido algumas vezes eu acabei entortar canções
no palco durante um show!

Esta seção pressupõe que você já está familiarizado com os conceitos básicos de entortar coberto de Capítulo 6 “Tracks e roteamento de
sinais”, então remeter para, se necessário. Além disso, uma nota final antes de começar:
dom ' t se esqueça de pressionar o botão Salvar depois de ' ve começado sua música deformado. Caso contrário, a próxima vez que você arraste a música em
um conjunto, o seu devidamente colocado urdidura Marcadores não vai estar lá.

Analisar e Auto-Warping
Toda vez que você trazer um novo arquivo de áudio em ao vivo pela primeira vez, ele é analisado. No mínimo, isso significa que a forma de onda é
gerada e armazenada em um arquivo com uma extensão .ASD. Quando este arquivo é gerado, ao vivo faz suposições sobre o comprimento eo tempo
original do arquivo. Para curtos, uniformemente cronometrados, loops adequadamente cortados, este é um processo muito simples. Para músicas
inteiras, é um pouco mais complicado. É por isso que vivo tem uma preferência especial para lidar com canções inteiras (Amostras Auto-urdidura
extensão, localizada no separador Record / urdidura / Lançamento do diálogo Preferências).

ANALISE ISSO: Você pode ter notado que a primeira vez que você solta uma música em vivo, isso leva algum tempo para analisá-lo. Aqui está
um truque para aqueles de vocês que têm uma grande coleção de faixas e quiser economizar algum tempo. Navegue até uma pasta cheia de
faixas no navegador. Em seguida, clique com o botão direito na pasta e selecione Analisar Áudio no menu de contexto. Vai pegar uma cerveja ou
fazer alguma roupa, e quando você voltar, as faixas estará pronto para ir!

Se você deixar viver automaticamente usar Auto-urdidura em suas músicas, e o material que você está trabalhando com é simples, que
muitas vezes vai fazer a maior parte do trabalho para você. Nunca assuma que ele vai fazer tudo do trabalho para você. Verifique sempre
as faixas e olhar para alguns dos problemas comuns discutidas a seguir. Um problema comum em Live é que o primeiro downbeat da
canção é errado. Isso significa que ele obtém o direito tempo, mas a música será deslocado do metrônomo e outros clipes. Em outros
casos, a introdução de uma canção às vezes confunde Auto Urdidura o suficiente para que ele começa o errado ritmo também. No Figura
12.1 , Você verá uma pista de dança onde vivo tem feito alguns erros. A introdução não tem bumbo, e a síncope dos ritmos confundiu
Auto urdidura quanto à localização do primeiro downbeat e o ritmo. Para ajudar a viver, nós estamos indo para lugar 1.1.1 onde o bumbo
vem em vez de no início da canção. Isso é feito por uma combinação de ouvidos e olhos. Atentem para a área onde o pontapé entra e,
em seguida, aumentar o zoom em que seção. Use a ferramenta Scrub para lançar a canção a partir desta seção e localizar visualmente o
primeiro bumbo. Isso leva uma prática pouco, mas preste atenção, e você vai obtê-lo.

Figura 12.1 Mesmo que primeiro downbeat desta música está no início, Auto-urdidura colocou 1.1.1 um pouco mais. Além disso, olhar para a caixa de Seg BPM, e você
verá que o Live adivinhou o ritmo a ser 83,33, mesmo mas é, na verdade, 125.

Fonte: Ableton

Depois de ter localizado este primeiro downbeat clara, clique com o botão direito no marcador transitória acima dele e selecione Definir
1.1.1 Aqui, como visto em Figura 12.2A . Em seguida, clique com o botão direito do urdidura marcador que é criado e selecione urdidura a partir
daqui. (Existem várias versões diferentes deste comando, por isso consulte capítulo 5 “Clips,” se precisar de mais informações.) Finalmente, mova o
marcador de início para a esquerda, como visto em Figura
12.2b por isso as peças clipe de volta da introdução. Certifique-se de que você movê-lo novamente um número par de bares. Por exemplo, se a
introdução é de 16 bar, o marcador de início deve ser pelo -16.1.1.

Figura 12.2A Depois de identificar o primeiro downbeat clara, clique com o botão direito e selecione Definir 1.1.1 Aqui. Em seguida, clique com o botão direito novamente e selecione urdidura a partir daqui.

Fonte: Ableton

Figura 12.2b Depois de ajudar Auto-urdidura descobrir as coisas, você pode puxar o marcador para trás início ao -16.1.1 assim a música reproduz a partir do início da introdução.

Fonte: Ableton

Outro erro comum que o Auto-urdidura faz é obter o errado ritmo por uma pequena fração. Muitas vezes, é muito fácil ver este erro só
de olhar para a Seg. caixa de BPM. Por exemplo, uma pista pode ser identificado como 124.99 quando é realmente 125 BPM. No
entanto, este é um julgamento que você deve fazer de ouvido. O que faço é ligar o metrônomo e depois flutuar meu mouse logo acima
do monitor de forma de onda para que ele se transforma em ferramenta Scrub (alto-falante). Então eu spot-verifique a trilha por lançá-lo
a partir de vários pontos da pista. No caso de uma discrepância minuto, você não será capaz de ouvi-lo deriva do metrônomo até vários
minutos. Para corrigir um erro como este, basta digitar o valor corrigido no Seg. BPM caixa e verifique novamente.

Pintura por números: Às vezes, quando você digita um tempo no Seg. BPM caixa, você verá que ele é acinzentado. Isto
porque este segmento BPM só pode ser editado depois de ter clicado em uma urdidura Marker, mesmo se há apenas um no
clipe. Para clipes com urdidura Markers, a Seg. caixa BPM exibe o ritmo para o segmento entre a urdidura marcador você
clica em ea próxima urdidura marcador no clipe.
No Figura 12.3 , Nós estamos olhando para uma Talking Heads rastrear que tem sido Auto-Warped. Observe que há um número de
urdidura Marcadores devido às flutuações naturais no ritmo. Neste caso, o Live tem feito um trabalho bom com o tempo, mas é colocado à
downbeat todo um fora da batida. Se você puxar o marcador para trás início a -1,4, tudo sincroniza-se muito bem. No entanto, você ainda
vai querer executar o Set 1.1.1 Aqui comando clicando com o marcador de início, de modo que o cronograma acima da onda faz sentido
em relação com o resto de seus clipes.

Figura 12.3 Com esta música, o ritmo está correto, mas a música começa exatamente uma batida tarde.

Fonte: Ableton

Assim como tudo o mais, tornando-se um mestre deformação requer prática. Diferentes faixas requerem diferentes ajustes para obtê-los apenas para
a direita. As técnicas descritas anteriormente irá funcionar para a maioria das músicas que você vai encontrar; no entanto, haverá casos em que você
precisa para deformar o áudio a partir do zero. Vamos dar uma olhada nessa próxima.

Warping manual
A melhor maneira de começar a entortar uma canção manualmente é tocar para descobrir o ritmo, tanto quanto possível. Comece por
desligar o botão da urdidura no Clip View. Isso fará com que o jogo clipe em sua velocidade original, independentemente do ritmo de sua Set
Live. Lançar o clipe e começar a tocar junto com a música usando o botão Tap Tempo. (Para uma maior precisão, mapear esse botão em vez
de clicar com o mouse.) Desde exibição Tempo do Live é precisa até duas casas decimais, você provavelmente vai obter tempos como
125,82 BPM ou 98,14 BPM em vez de números redondos como 110 BPM ou 85 BPM. Depois você tem o ritmo áspero, zoom e mover a
bandeira Iniciar para o primeiro downbeat clara da canção. Em seguida, clique com o botão direito em Iniciar e selecione Definir 1.1.1 Aqui.
Se você está trabalhando com o material que você tem certeza tem um ritmo completamente estável, então você está quase pronto. Rolar
sobre e encontrar o próximo downbeat clara. Se você está trabalhando com música ritmicamente complexa, isso pode não ser até o início do
bar 3 ou 5. Se você já bateu o ritmo com bastante precisão, a downbeat já deve estar muito perto do início do bar. Basta arrastá-lo no lugar, o
Spot-verifique a trilha contra o metrônomo, e provavelmente você está feito.

Se a música deriva de alguns minutos, verifique a Seg. caixa de BPM como mencionado anteriormente e tentar arredondar o ritmo para cima ou
para baixo para o número inteiro seguinte. Caso contrário, ajustar um downbeat mais tarde na pista para alinhá-lo com o início do bar. Se fazendo
isso joga fora o momento mais cedo na pista, então o seu material não é completamente estável, e você vai ter que usar vários marcadores da
urdidura como descrito a seguir. Lembre-se de experimentar livremente: o comando Desfazer é seu amigo!

Se você está trabalhando com material com variações rítmicas, você vai precisar de uma urdidura marcador de vez em quando. Por algum
material, a cada 32 bares pode ser suficiente, e para os outros, você pode precisar de um a cada bar (ou mais!). Às vezes isso é tão simples
como zoom in no início de cada quatro bares, clicando duas vezes para criar uma urdidura marcador no downbeat, e arrastando-o para o
início do bar. Em casos de problemas, você pode ter que usar a técnica de loop (ver Figura 12.4 ).
Figura 12.4 Este circuito não reproduzir sem problemas. Observe que eu criei uma urdidura marcador no downbeat real da próxima bar. Uma vez que eu arrastá-lo para a esquerda para
alinhar com fim do loop, soa muito bem.

Fonte: Ableton

A técnica de loop funciona assim: Depois de tocar no tempo, ajustar a cinta de loop em torno do primeiro um ou dois bares do clipe e iniciar a
reprodução. As possibilidades são, o loop não será reproduzido sem problemas. Olhe para a direita da cinta de loop e veja se você pode
identificar a downbeat do próximo bar em forma de onda. Criar uma urdidura marcador para ele e arrastá-lo de modo que se alinha com a
extremidade do lado direito da cinta de malha. Dependendo se o tempo marcado foi muito rápido ou muito lento, você pode ter que arrastá-lo
para a esquerda ou direita. Use seus ouvidos e zoom na medida do necessário para ajustar as coisas, até os sons de loop corrigir. Em seguida,
mova a cinta de loop frente para que ele começa no downbeat você apenas ajustado (clique na chave e pressione a seta para cima) e repita o
processo.

De vez em quando, você pode obter grandes resultados usando uma combinação de deformação manual e automático. Às vezes Auto urdidura pode obter

algumas barras de direito material e depois comete um erro. Neste caso, tente soltando uma urdidura marcador no downbeat cada vez que a deformação

deriva ao largo; em seguida, clique com o botão direito do mouse e usar a urdidura From Here comando. Por algum material, este pode ser um poupador de

tempo real. Enquanto não há nenhuma bala de prata para se certificar de que você sempre terá tudo deformado corretamente, esta seção armas você com

um conjunto muito poderoso de técnicas que podem ser adaptadas a quase todo o material que você vai encontrar.

Seleccionar o modo de urdidura direito


Este é um tema sobre o qual há muitas opiniões diferentes e não há consenso abrangente. Teoricamente, o modo Complex Pro
fornece a melhor qualidade para entortar músicas inteiras, mas, na prática, isso nem sempre é o caso. Fatores que afetam a qualidade
do som de áudio distorcido incluem as características espectrais original da canção, a quantidade que você está acelerando ou
retardando a canção, e se você está ou não transposição da música ou jogá-lo de volta ao seu tom original. Se você sabe que não vai
mudar o tempo ou de breu de uma canção durante uma performance, você deve usar qualquer modo diferente do que os modos
complexos. Para o original tempo / campo, os outros modos de urdidura não têm efeito sobre a qualidade do som, enquanto os modos
complexos sempre faço. Para faixas de dança fortemente percussivos, bate modo pode funcionar muito bem. capítulo 5 ) Quando se
utiliza o modo de batidas. Isso pode dar a pista um som um pouco instável quando retardando faixas para baixo, mas acontece que eu
como que por algum material. A desvantagem do modo de batidas de músicas inteiras é que ele pode criar um gorjeio desagradável
no baixo, às vezes. Você pode sentir que suas músicas não funcionam bem em qualquer modo Complex ou batidas. Existem muitos
músicos que acham que o modo de textura proporciona o melhor equilíbrio global de qualidade de som e
preservação dos transientes. Há outros que só usam o modo Repitch, que soa excelente, mas limita a sua capacidade de combinar músicas
de chave. Minha abordagem pessoal é levar cada canção em uma base caso-a-caso e ouvir atentamente antes de tomar uma decisão. Tal
como acontece com tantas coisas musicais, a última e melhor conselho é usar os seus ouvidos e experiência.

Técnicas de desempenho

Agora que você tem seus arquivos urdidura marcado pronto, nós estamos indo discutir uma variedade de técnicas utilizadas por artistas
no palco. Vamos começar por olhar para DJs tradicionais, seus equipamentos e seus métodos de desempenho, mas novamente esta
informação é relevante para quase todo mundo tocando com Live. Para DJs, aprender estas técnicas e expandir sobre eles você vai
passar para um mundo novo e em constante evolução que borra a linha entre DJ e performance ao vivo.

O DJ Mixer
No Figura 12.5 , Eu configurei do Live Session Ver como um mixer padrão DJ de dois canais. Há duas faixas de áudio, cada um
atribuídos a diferentes lados do crossfader. Há equalizadores carregados em cada uma das faixas de áudio, e alguns DJ Áudio Efeito
Racks na pista principal.

Figura 12.5 Um set ao vivo simples pronto para DJing, com um bônus terceira faixa de batidas extras.

Fonte: Ableton

A fim de sinalização ou pré-visualizar faixas, você vai precisar de uma interface de áudio com quatro saídas de duas saídas para a mistura principal e
outros dois para alimentar os seus auscultadores. Muitas interfaces de áudio têm saídas de fone de ouvido pode ser atribuídas, enquanto outros têm o
fone de ouvido hard-wired para um específico par de saídas. Neste caso, estamos assumindo que as saídas 1/2 irá alimentar os fones de ouvido.
Portanto, a faixa principal saídas, 1/2 são especificados para Cue e 3/4 para o Mestre. Ligue as saídas de 3/4 para o sistema de som.

Agora você está pronto para faixas de sinalização através dos auscultadores, como mostrado anteriormente. Por favor, note que a habilitação
Cue em uma pista não removê-lo do Mestre. Você precisará desligar o botão Track Activator ou abaixar o volume para mantê-lo apenas nos
fones de ouvido. Uma vez que a pista está devidamente cued, você pode trazer o volume e enviá-lo à rede.

Figura 12.6 mostra uma outra abordagem. faixa A Cue é usado para armazenar faixas antes de jogá-los. Tem a sua chave Cue on and Track
Activator off, portanto, qualquer clipe de áudio nesta faixa será ouvido apenas na
fones de ouvido. Faixas como estes podem ser usados ​como virtuais “caixotes de discos.” Carregar todas as músicas que você acha que pode
querer jogar. Então, depois que você fez visualizá-lo, arraste o clipe da sugestão rastrear até Deck A ou Deck B.

Figura 12.6 Esta configuração apresenta um “track sugestão.” Adicional Você lançar clipes nesta pista para audição com auscultadores privado antes de arrastá-lo para uma das faixas
“ao vivo”.

Fonte: Ableton

Finalmente, também é possível simplesmente usar o Live como um substituto para CD players ou toca-discos e fazer tudo de sua mistura em um
misturador de DJ padrão. Todos os exemplos anteriores têm-lo enviando um único par estéreo para fora do computador no sistema de som (ou um
único canal em um misturador de DJ, como é frequentemente o caso). Quando você fizer isso, você vai precisar de um controlador MIDI para lidar com
seus volumes e equalizadores. Usando o encaminhamento representado na Figura 12.7 , Você pode enviar diferentes faixas diretamente de saídas
diferentes em sua interface e volume de alça, crossfade, EQ, e cuing no mixer DJ.

Figura 12.7 Estas duas faixas são encaminhadas para saídas separadas e pode ser enviado em dois canais diferentes em um misturador.

Fonte: Ableton

looping
Ao vivo permite definir pontos de loop em tempo real usando os botões para os parâmetros posição eo comprimento do Clip View (ver Figura 12.8 )
Enquanto um clipe está jogando, você pode pressionar Set Posição para definir o ponto onde o ciclo começa e definir o comprimento para definir
o ponto final do ciclo e ligue o interruptor de Loop em em uma única etapa. Quando você liga o laço desligar, o clipe vai continuar a jogar até o fim.
Se você ligá-lo novamente novamente, o clipe vai saltar de volta para jogar o loop.

Como seria de esperar, os interruptores de Set pode ser mapeado para um controlador, mas lembre-se: uma vez que estes botões estão no Clip
View, o controlador só irá definir os pontos de loop para o clipe que está atualmente sendo
exibido. Para saltar para o que está tocando clipe de seu controlador, você terá que mapear o indicador clipe Status, como
explicado no Capítulo 11 , "Controle remoto."

Figura 12.8 Mapear os botões Set mostrados acima para on-the-fly looping. Mapear o interruptor Loop, também, para ativar ou desativar o loop.

Fonte: Ableton

Beats, Bass, e além


Graças ao fato de que você deformado todos os seus arquivos de áudio e eles estão jogando em uma grade temporais, você pode facilmente
adicionar loops para melhorar a sua Set. Uma batida extra pode ser usado para suavizar a transição entre as músicas, ou você pode segue em uma
jam circuito improvisado antes de jogar a próxima faixa. Ou carregar uma faixa de instrumento virtual e executar peças viver. Se você quiser, você
pode gravar novos clips MIDI durante o show e criar laços na mosca.

Uma palavra de cautela aqui: Desde as possibilidades aqui são literalmente infinitas, começar de forma simples e expandir como você ficar mais
confortável tocando com Live. O que você é capaz de retirar durante a prática é muitas vezes um pouco além do que você pode durante o show. Tendo 10
faixas extras podem teoricamente permitir-lhe muito mais liberdade para improvisar durante um show, mas com tanta coisa para manter o controle de
também pode transformar a sério estressante se as coisas não saem como planejado.

ao vivo Organizando
Pode ser realmente útil para fazer vários clipes de uma única canção, cada uma com diferentes pontos de partida e loops (ver Fig
12.9a ). Ter estes na mão lhe permitirá lançar os clipes na ordem que você quiser, remixando o arranjo da canção bem na
frente do seu público.

Depois de criar esses clipes, você pode destacar-los todos e arrastá-los para o navegador para criar um novo Set (ver Figura 12.9b ). Você
pode arrastá-los para a biblioteca do usuário ou crie uma pasta em seu disco rígido apenas para esta finalidade e adicioná-lo a lugares,
como explicado no Capítulo 3 “Vivo interface Basics”. A próxima vez que você quer tocar essa música, arraste o Set do navegador em seu
DJ Set e sua pilha de grampos vai estar pronto para ir.

Figura 12.9a Estes quatro clipes são todos feitos a partir da mesma canção. Esta abordagem torna mais fácil para pular dentro de uma canção, e prolongar ou encurtar seções
durante a performance.

Fonte: Ableton

Figura 12.9b Este conjunto foi criado arrastando os quatro clipes Figura 12.9a no navegador. É completamente desdobrado aqui para que você possa ver os clipes contido
dentro.
Fonte: Ableton

Efeitos master
Não se esqueça que, além de todo o caos sonoro você pode criar com efeitos de Inserção e enviar, você também pode colocar
efeitos na faixa principal. Experimente usar uma repetição Beat, Auto Pan, ou um Redux (só para citar alguns) em todo o mix. Isso
pode fazer maravilhas para enfatizar avarias ou suavização sobre transições.

Ele também pode ser útil para colocar um limitador na sua pista principal para se certificar de que você não cortar suas saídas. Dito isto,
é importante ter certeza de que você não está batendo no limitador desnecessariamente e esmagando sua dinâmica. Por esta razão,
discar ganho negativo sobre o limitador (experimente -3dB para iniciantes), que lhe dará algum espaço extra para misturar faixas e loops
juntos. Desta forma, limitando só ocorre se algo extremo acontece.

Bandas ao vivo e outros conceitos de desempenho

Muitas bandas gigging estão usando alguma forma de acompanhamento, tanto faixas pré-gravadas ou caixas de batida, para embelezar o seu som.
Muitas vezes, as bandas apresentam multi-instrumentistas que escrevem mais partes de uma música que podem ser reproduzidos ao mesmo tempo.
Quando você tem as capacidades multitracking do Live à sua disposição, você pode facilmente compilar as peças que você precisa para o
acompanhamento e quebrá-las em cenas. Como você executar, você pode mover-se através das cenas, ou você pode gravar um acordo para jogar
novamente durante um show.

FAZENDO A CENA: Para obter rapidamente um pedaço de seu arranjo na Exibição de sessão, selecione um intervalo de tempo no
Arrangement View; em seguida, clique com o botão direito e escolha Consolidar Time to Cena Novo no menu de contexto. Quando você
retornar à sessão, você terá uma nova cena marca com o material selecionado. Isso pode proporcionar um excelente ponto de partida para a
elaboração de um conjunto de desempenho multitrack.

Clique trilha

A fim de permanecer sincronizado com o Live, um ou mais membros da banda pode querer ouvir uma faixa Click, que é um som
do metrônomo sincronizadas com as peças em sua música. Normalmente, isso equivale a nada mais do que ligar metrônomo da
Vivo e definir a saída Cue a um par de fones de ouvido (como fizemos no exemplo DJ anteriormente). O baterista geralmente
será o único que precisa o clique. Ele vai jogar junto com o metrônomo nos fones de ouvido, e a banda vai tocar junto com ele.
Como resultado, todos juntos jogo com Live.

Claro, uma vez que tudo é ritmo sincronizado Live, você poderia usar um loop de bateria regular como o clique
acompanhar. Em vez de ligar o metrônomo, carregar um loop de bateria em uma faixa e enviá-lo para os fones de ouvido. Alguns músicos vai
encontrá-lo mais fácil de jogar contra um loop de bateria, ao contrário do som do metrônomo genérico.

Tap Tempo
Juntamente com a reprodução de metrônomo do Live, você pode fazer o jogo ao vivo para seu clique pista. Atribuir um botão MIDI ou chave para
o botão da Vivo Tap Tempo. Como sua banda toca, você pode tocar no seu tempo, e ao vivo vai segui-lo. Um baterista pode atribuir um disparo
eletrônico para o Tap Tempo e toque algumas batidas aqui e ali para manter vivo em sincronia.

COUNT OFF: Dê ao vivo quatro torneiras como você contar off o início de sua música. Ao vivo terá início no baixo-beat
juntamente com o resto da sua banda, e ele vai continuar jogando no tempo marcado.

Efeitos ao vivo

Além de ser um jogador de backup flexível para a sua banda, ao vivo também pode agir como uma caixa de efeitos flexíveis. Há cada vez mais
atua nestes dias em que vivo está funcionando tanto para jogar batidas e processar instrumentos acústicos (ou vocais) para misturá-los melhor em
um contexto eletrônico. Por exemplo, para adicionar um efeito a uma fonte ao vivo, execute o microfone ou linha em uma entrada na interface de
áudio do seu computador e selecione-o como uma entrada em uma faixa de áudio. Mudar monitoramento da faixa de In e coloque o efeito de sua
escolha na pista (ver Figura 12.10 ). O efeito pode ser controlado por um controlador mapeada ou pela automação, o que provoca mudanças
aconteçam em sincronia com a música.

Figura 12.10 Com uma entrada válida selecionada e conjunto Monitor para In, você pode passar áudio através de uma faixa para efeitos de processamento.

Fonte: Ableton

Real-Time laço Camadas


Usando Looper (ver do Vivo Capítulo 9 , “Efeitos de áudio do Live”) ou as funções de gravação dentro da visão de sessão (ver capítulo 5 ), Você pode
gravar novos clips de forma fácil e mergulhá-los em tempo real. Por exemplo, você pode jogar uma linha de baixo simples, loop-lo e, em seguida,
camada a parte de ritmo em cima dela. Você pode então improvisar em cima dessas novas criações de alça, fazendo uma canção diante dos olhos
do público (e ouvidos).

O método para alcançar essas camadas é realizado melhor com um pedal MIDI, como o KMI SoftStep, para que possa controlar ao vivo com
os pés, deixando as mãos livres para tocar o instrumento. Há muitas maneiras de configurar uma configuração de loop ao vivo, por isso é
melhor começar simples. Você pode mapear Arm muda para ativar ou desativar a gravação e navegadores de cena (veja Capítulo 11 ) Para
mover para cima ou para baixo na Exibição de sessão. Os botões Session Record e novos também podem ser mapeados para saltar para um
slot clipe vazio e iniciar uma nova gravação com um mínimo de footwork.

Teatro
pistas de som são um dos elementos mais importantes para a adição de realismo para uma fase de produção. efeitos sonoros, tais como vento, chuva,
trovão, tráfego da cidade, sinos de igreja, e chorando bebês, são reproduzidas através do sistema de casa, e às vezes pistas de música desempenham um
papel também. A fim de reproduzir um som instantaneamente quando usando o Live, você precisa desligar Lançamento quantização quer na barra de
Controle da Vivo ou individualmente em seus clipes. Você também vai comumente desligar urdidura de modo a amostra vai jogar no seu campo original e
velocidade.
13
Ao vivo 9 Power!

Eu N PRESENTE último capítulo, vamos estar a olhar para uma variedade de técnicas mais avançadas, juntamente com algumas coisas que simplesmente não se
encaixam em qualquer outro lugar, como o Gerenciador de Arquivos e Max For Live.

Getting Your Groove On

O poder da música baseada em loop é também o seu maior problema: a repetição. Enquanto a repetição pode ser mágica para manter um
movimento pista de dança, a “sensação” pode tornar-se estagnada, em última análise, tornando monótono música e sem inspiração. Para
combater isso, é importante entender os três pesos pesados ​do Groove: dinâmica, o tempo ea variação. O que você vai encontrar neste
capítulo são sugestões que podem ser usados, além de, em vez de no lugar de, da Vivo recurso interno Groove.

Esteja ciente de que alguns dos isso é coisa muito sutil, e nem sempre é imediatamente aparente para o ouvido destreinado. Por exemplo,
quando estou falando sobre a dinâmica aqui, eu não estou falando sobre uma música que tem uma seção tranquila e uma seção alto. Pelo
contrário, eu estou falando sobre as variações no volume da parte oi-hat, ao longo de um bar.

Dinâmica: Se você está trabalhando com áudio ou MIDI, vale a pena explorar o efeito das mudanças de volume sutis em suas peças.
Alterando a velocidade de algumas notas MIDI ou adicionando um envelope de volume para ajustar um par de visitas em um loop de
áudio é uma das maneiras mais simples para dar vida ao seu som. variações dinâmicas pode ser construído para laços mais curtos
com envelopes enquanto trabalhava na Exibição de sessão, e em seguida, mais pode ser acrescentado no Arranjo Ver usando
automação. Por exemplo, você pode decidir fazer uma batida um pouco mais alto a cada oito bares.

Cronometragem: Não é incomum ouvir bateristas e baixistas falar sobre estar “à frente da batida” ou “por trás da batida.”
Por exemplo, o baixista pode jogar para a direita na batida, enquanto o baterista toca os hits 2 e 4 snare um pouco atrás.
Ou, talvez, o baterista toca à frente da batida, ainda que levemente, correndo o laço, e chimbais enquanto o baixista coloca
de volta. Essas sutilezas são muitas vezes o que fazer música ritmicamente convincente. Não é que você deve evitar ritmos
perfeitamente quantificados, é só que muitas vezes soa mais emocionante quando contrastado contra algo que está
empurrando ou puxando contra-los um pouco.

Para algumas pessoas, essa sutileza é conseguido através da realização de peças viver para obter a variação de tempo natural que vem
com o desempenho. Para outros, é um processo de ajuste cirurgicamente notas MIDI ou deformar marcadores à frente ou atrás. Você
pode segurar a tecla Ctrl (Cmd) para desativar a grade temporariamente enquanto arrasta ou apenas fazer zoom até que a grade é 1/256
ou menor. Também é possível fazer trilhas inteiras apressar ou arrastar usando a Delay Track. Tente começar com valores de +/- 10ms
se você quiser experimentar com isso.

Variação: Algumas pessoas gostam de fazer toneladas de variações na Exibição de sessão ao compor, enquanto outros construir um
acordo primeiro, e depois criar variações no Convénio View, usando Split e, em seguida, fazer modificações para os clipes separados.
Ele não tem que ser algo extravagante de tirar o pontapé tambor para uma ou duas batidas, alterando uma nota na parte de baixo, ou a
inserção de uma pausa dramática são apenas algumas das muitas maneiras que você pode manter as coisas interessantes. Para ficar
realmente ocupado com variação, entrar no clipe Clinic Cuttin que se segue.
Clipe Clinic Cuttin'

Não importa quão bom suas peças programadas são, você ainda vai encontrar maneiras de melhorá-los através de edição criativa no Acordo View. E o
melhor de um editor que você é, o mais divertido que você também pode ter com loops pré-gravados, utilizando-os como matéria-prima em vez de idéias
musicais apenas pré-fabricadas. Enquanto as técnicas mostradas aqui são para todos os tipos de material, eu acho que eles são muitas vezes mais fácil
de aprender com batidas de tambor. Mas o que disse, o único objetivo aqui é experimentação e descoberta, por isso cavar com qualquer material que
você gosta!

A maioria destas técnicas serão demonstradas com áudio, mas você vai descobrir que muitos se aplicam a MIDI também. Para técnicas que são
apenas áudio, você ainda pode experimentá-lo em suas partes MIDI enquanto você Congelar e alise-os em primeiro lugar. Às vezes a
simplicidade de áudio e o poder das ferramentas empenamento da Vivo bate a flexibilidade de MIDI.

Antes de começar com os seguintes experimentos, ligue o interruptor de Loop no Acordo de modo que você pode ouvir o que você faz quando
você editar. Figura 13.1 mostra um loop de bateria que foi cortado em várias fatias utilizando Split-Ctrl (Composto) + E. Depois de fazer isso, é
fácil para reorganizar a ordem das fatias. Use Duplicar para copiar certas pessoas, e Excluir para remover outros. Mesmo se você fizer isso de
forma aleatória, muitos um acidente feliz irá ocorrer. Se você precisa trazer suas batidas purê-se de volta para a exibição da sessão, o uso
Consolidar para fazer um novo clipe para fora das fatias.

Figura 13.1 Repetidamente dividir qualquer clipe. Então vá louco.

Fonte: Ableton

Uma vez que você cortado até um clipe, há muitas outras diversão para ser tido. Tente usar o: 2 e * 2 botões no Clip View para dobrar ou reduzir pela metade o

tempo original de uma fatia. Adicionar louco urdidura marcadores ou alterar a transposição, e depois experimentar com os modos de urdidura para gerar

diferentes artefatos. Não se esqueça o botão Rev, que pode ser usado para reverter clips bem. Depois de inverter uma fatia, você pode achar que você tem que

deslizar o clipe na linha do tempo para corrigir eventuais variações de tempo desagradáveis ​que isso cria. Zoom até que a grade é super fino, ou mantenha

pressionada a tecla Ctrl (Cmd) para desativar temporariamente a grade. Você também pode gerar variações movendo o marcador Iniciar dentro de fatias

individuais. Para fazer isso, selecione o clipe e, em seguida, verifique se a chave de Loop está ligado no Clip View. (Se não for, movendo-se de início e fim

simplesmente mover os limites do clipe na linha do tempo). Agora, mova Iniciar ou mesmo se deslocar a cinta loop, e você verá que os restos clipe no mesmo

lugar na linha do tempo, mas você está se movendo o áudio dentro dele. Você pode achar que esta técnica é mais interessante quando usado em fatias

ligeiramente mais longos, uma vez que você vai ter grandes pedaços do material original compensados ​de maneira interessante. Ocasionalmente, quando se

trabalha com clipes de áudio, você pode perceber que seria mais fácil (ou mais divertido) para manipular o áudio de um dispositivo MIDI. Sem problemas! Basta

arrastar o clipe em um rack da bateria, Impulse, Você pode achar que esta técnica é mais interessante quando usado em fatias ligeiramente mais longos, uma

vez que você vai ter grandes pedaços do material original compensados ​de maneira interessante. Ocasionalmente, quando se trabalha com clipes de áudio, você

pode perceber que seria mais fácil (ou mais divertido) para manipular o áudio de um dispositivo MIDI. Sem problemas! Basta arrastar o clipe em um rack da

bateria, Impulse, Você pode achar que esta técnica é mais interessante quando usado em fatias ligeiramente mais longos, uma vez que você vai ter grandes pedaç
Mais simples, ou Sampler. Você pode até mesmo deixar o clipe diretamente na trilha Vista de uma trilha MIDI vazio e causar mais simples de
ser criado. Posição inicial do clipe será usado dentro desses dispositivos automaticamente.

FLUTUAR: Ao arrastar um objeto em Live, você pode passar o mouse sobre a barra de título de qualquer pista e causa a sua Track View a
ser exibido. No exemplo anterior, isso significa que você pode arrastar um clip para a barra de título de uma faixa MIDI, aguarde o Track
View para aparecer, e em seguida, solte o clipe no dispositivo.

Ações aproveitamento Siga

Siga Ações são algumas coisas sérias. As regras cuidadosamente pensada regem Siga Ações lhe permitirá fazer inúmeras coisas,
limitado apenas pela sua imaginação. Não só eles podem ser usados ​para melhorar performances ao vivo, mas eles também são uma
ajuda de composição maravilhosa, ajudando a criar variações que você pode nunca ter pensado em seu próprio país. Confira a seção
“Siga Actions” no
capítulo 5 , “Clips”, para uma reciclagem sobre como tudo isso funciona. Aqui estão

algumas idéias para o uso Siga Acções:

variações Loop: Aqui é outra técnica que é útil quando você quer uma parte a ser muito firme, mas quer mantê-lo de se tornar
obsoleto. Criar dois (ou mais) laços que são quase idênticos, mas têm variações sutis, como um oi-hat extra ou hit do bumbo. Definir o
primeiro clipe para desencadear aleatoriamente o segundo grampo ao longo do tempo. Você vai definir o segundo clipe para retrigger
o primeiro. O resultado é que você começa uma batida constante com um laço adicional hit jogado de vez em quando, imitando a
maneira como um baterista real seria modificar sua batida na mosca.

preenchimentos: Ações seguem pode ser usado para garantir que a batida principal sempre volta depois de provocar um
preenchimento de tambor. Figura 13.2 mostra uma pilha de partes de bateria. O clipe de topo é o principal batida. Cada clipe abaixo é
um preenchimento de tambor. Cada uma dessas variações tem Siga Ações Um conjunto para a Primeira, como mostrado na figura.
Por ter todos os clipes de preenchimento acionar a página beat logo depois que começar, você garantiu que a batida principal
começará no próximo bar. (O clipe batida principal está definido para Bar quantização.) Neste exemplo, cada um dos clips de
preenchimento tem uma quantização Lançamento de 1/16, para que possa lançar vários clipes um após o outro e peça o
preenchimento juntos em tempo real. Não basta tentar isso com batidas; experimentá-lo com outros tipos de peças, também. Criação
de múltiplos clipes e tratá-los com diferentes efeitos e ajustes de parâmetros. Configurá-los para o modo Legato de modo que a
posição de reprodução é negociado fora como você mudar clips.

loucura Legato: Faça uma dúzia ou mais clips variantes. Defini-los todos para Legato com uma Ação de Acompanhamento de Any. Definir
os tempos de Acompanhamento de ação para algo muito curto (1/8 ou 1/16) e deixá-lo rasgar. Ao vivo vai começar a saltar aleatoriamente
entre todas as suas variações. Use Arranjo Record para capturar os resultados e depois editá juntos suas partes favoritas do Convénio
View.

Figura 13.2 O clipe superior é definida como Bar quantização, enquanto os outros estão definidas para 1/16. Cada lançamentos preenchimento clipe do primeiro, então a batida sempre chutar após os preenchimentos.
Fonte: Ableton

Strain minimização Desempenho

Não importa o quão rápido e novo meu computador é, eu sempre parecem encontrar uma maneira de taxar-lo além de suas capacidades. Enquanto a maior
parte da Vivo built-in dispositivos são bastante CPU eficiente, você pode trazer seu sistema de joelhos, usando um monte deles em conjuntos com cargas de
faixas. De terceiros plug-ins são mais difíceis de generalizar sobre. Alguns são muito leves, enquanto outros podem prejudicar o seu sistema com um justo
ou duas instâncias. Aqui estão algumas dicas para se manter no topo da sua carga da CPU.

faixas de congelamento: Este recurso irá processar tudo na faixa em um arquivo de áudio, por isso, efeitos e instrumentos virtuais pode ser
desativado. Basta clicar com o botão direito no nome da faixa e escolha trilha Congelar a partir do menu de contexto. Se o seu computador está
realmente lutando, selecione todas as faixas você não está editando no momento e congelá-los todos de uma vez. Se você precisar editar
qualquer coisa que foi desativado por Freeze, você pode descongelar a pista, faça suas edições, e depois voltar a congelar-lo. Se você pode algo
não Congelar devido a um problema de roteamento, você sempre pode gravar a partir de pista para pista (ver Capítulo 6 “Tracks e roteamento de
sinais”) ou use Export Audio / Video para exportar uma única faixa.

Eliminar clips usando o modo Complex: A menos que seja absolutamente necessário usar Complexo ou Complexo Pro, use um modo de
urdidura diferente. Para clipes onde for necessário por razões de qualidade de som, clique com o botão direito em qualquer clipe ou grupo de
clipes que usam Complex e selecione Consolidar. Um novo clipe será gravado no disco. Ele vai soar idêntico (contanto que você não alterar
o tempo), mas não vai mais usar o modo Complex.

Excluir elementos não utilizados: Se você tem faixas não utilizadas que foram silenciados com a faixa Activator,
lembre-se que essas faixas ainda podem ser desperdiçando recursos. Excluí-los. Se você é Término na vista Session e
só precisa do Convénio, de exclusão tudo da sessão. Não apenas os clips. Apagar as cenas bem até que você esteja para
baixo para o mínimo de
uma cena vazia. Use Salvar como para salvar uma nova versão do seu Set antes de excluir, no caso de precisar receber nada em
troca.

Aumente a sua reserva: Esteja ciente do impacto de seu tamanho do buffer (na guia Áudio de Preferências do Live) no uso da CPU. Quanto
menor o seu buffer, quanto maior o dreno de recursos do seu computador será. Não é incomum durante uma mistura final para definir o
tamanho do buffer para o seu valor máximo para ajudar o seu computador manter-se com numerosos instrumentos e efeitos. Você pode
reduzi-lo de volta para um tamanho pequeno mais tarde, se você precisar de baixa latência.

Diminuir a densidade edit: Às vezes, basta ter um grande número de clipes juntos no Acordo irá tornar mais difícil para o
seu disco rígido para manter-se. Isso pode acontecer como resultado de extensa edição vocal, ou de utilizar as técnicas
descritas no “grampo Clinic Cuttin” anteriormente. Selecione grupos de clipes e uso Consolidar para transformá-los em um
único clipe.

Modelos

No File / guia de Preferências da Vivo pasta, você tem permissão para salvar um conjunto padrão que é carregado sempre que você iniciar o Live ou
selecione File> New Live Set. No entanto, com todos os diferentes usos para Live, as chances são que você não será capaz de criar um
“one-size-fits-all” modelo para lidar com cada situação. Nesta seção, vamos olhar para algumas abordagens para trabalhar com conjuntos reutilizáveis.

Uma maneira fácil de gerenciar uma coleção de modelos é usando a pasta Modelos. Em seu usuário da biblioteca, crie uma pasta chamada Model
( se não houver já um) e salvar o seu Conjuntos de modelo para ele (veja Figura 13.3 ). Quando você clicar duas vezes para abrir um conjunto a
partir desta pasta, o Live abrirá automaticamente uma cópia do jogo e nomeá-lo “Untitled”. Desta forma, você não precisa se preocupar com a
edição acidentalmente seu modelo.

Figura 13.3 Use esta pasta para armazenar seus conjuntos reutilizáveis. Clique duas vezes para abrir uma cópia ou um basta arrastar para o Set aberto no momento.

Fonte: Ableton

Arrastar-e-soltar Importação e Exportação

Também tenha em mente que os conjuntos podem ser importados para outros conjuntos, arrastando-os a partir do browser. Por outro lado, você
pode exportar Sets arrastando uma ou mais faixas, ou um grupo de clipes, na biblioteca do usuário ou outra pasta na área de lugares do
navegador. (Veja “Viva Organizando” em Capítulo 12 “Jogar ao vivo ... Live”, para um exemplo prático.) Usando esta técnica, você pode criar uma
configuração altamente modular, onde faixas úteis e clipes podem ser importados na vontade.

Mesmo se você não especificamente criar modelos desta forma, ter em mente que qualquer conjunto pode ser desdobrado no navegador, revelando suas trilhas
e clipes. Isto significa que você pode pegar elementos musicais de qualquer conjunto, a qualquer momento. Esteja ciente de que se desdobrando grandes
conjuntos é um processo bastante intensivos em recursos e pode mover-se muito lentamente. Se o seu computador barracas enquanto arrasta a partir do<