Você está na página 1de 3

Hermenêutica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Hermenêutica é um ramo da filosofia que se debate com a compreensão humana e a


interpretação de textos escritos. A palavra deriva do nome do deus grego Hermes, o mensageiro
dos deuses, a quem os gregos atribuiam a origem da linguagem e da escrita e consideravam o
patrono da comunicação e do entendimento humano.

Origem do Termo

O termo "hermenêutica" provém do verbo grego "hermēneuein" e significa "declarar",


"anunciar", "interpretar", "esclarecer" e, por último, "traduzir". Significa que alguma coisa é
"tornada compreensível" ou "levada à compreensão".

Filosoficamente têm-se que o termo deriva do nome de Hermes. O certo é que este termo
originalmente exprimia a compreensão e a exposição de uma sentença "dos deuses", a qual
precisa de uma interpretação para ser apreendida corretamente.

Encontra-se desde os séculos XVII e XVIII o uso do termo no sentido de uma interpretação
correta e objetiva da Bíblia. Spinoza é um dos precursores da hermenêutica bíblica.

Outros dizem que o termo "hermenêutica" deriva do grego "ermēneutikē" que significa "ciência",
"técnica" que tem por objeto a interpretação de textos religiosos ou filosóficos, especialmente
das Sagradas Escrituras; "interpretação" do sentido das palavras dos textos; "teoria", ciência
voltada à interpretação dos signos e de seu valor simbólico.

Conceito

Para Schleiermacher a hermenêutica não visa o saber teórico, mas sim o uso prático, isto é, a
praxis ou a técnica da boa interpretação de um texto falado ou escrito. Trata-se aí da
"compreensão", que se tornou desde então o conceito básico e a finalidade fundamental de toda a
questão hermenêutica. Schleiermacher define a hermenêutica como "reconstrução histórica e
divinatória, objetiva e subjetiva, de um dado discurso".

Os eventos da natureza devem ser explicados, mas a história, os eventos históricos, os valores e a
cultura devem ser compreendidos. (Wilhelm Dilthey é primeiro a formular a dualidade de
"ciências da natureza e ciências do espírito", que se distinguem por meio de um método
analítico esclarecedor e um procedimento de compreensão descritiva.) Compreensão é apreensão
de um sentido, e sentido é o que se apresenta à compreensão como conteúdo. Só podemos
determinar a compreensão pelo sentido e o sentido apenas pela compreensão. Toda compreensão
é apreensão de um sentido. Scheleiermacher faz distinção entre compreensão divinatória e
comparativa:

 Compreensão comparativa: Se apóia em uma multiplicidade de conhecimentos objetivos,


gramaticais e históricos, deduzindo o sentido a partir do enunciado.
 Compreensão divinatória: Significa uma adivinhação imediata ou apreensão imediata do
sentido.
Heidegger, em sua análise da compreensão, diz que toda compreensão apresenta uma "estrutura
circular". "Toda interpretação, para produzir compreensão, deve já ter compreendido o que vai
interpretar".

Estruturas básicas da compreensão

 Estrutura de horizonte: o conteúdo singular é apreendido na totalidade de um contexto de


sentido, que é pré-apreendido e co-apreendido.
 Estrutura circular: A compreensão se move numa dialética entre pré-compreensão e
compreensão da coisa, em um acontecimento que progride em forma de espiral, na
medida que um elemento pressupõe outro e ao mesmo tempo faz com que ele vá adiante.
 Estrutura de diálogo: No diálogo, mantemos nossa compreensão aberta, para enriquecê-
la e corrigi-la.
 Estrutura de mediação: A imediatez se apresenta e se manifesta em todos os conteúdos,
mas que se medeia à compreensão em nosso mundo e em nossa história.

Explicação e compreensão

Segundo Wilhelm Dilthey, estes dois métodos estariam opostos entre si: explicação (próprio das
ciências naturais) e compreensão (próprio das ciências do espírito ou ciências humanas):

"Esclarecemos por meio de processos intelectuais, mas compreendemos pela cooperação


de todas as forças sentimentais na apreensão, pelo mergulhar das forças sentimentais no
objeto."

Paul Ricoeur visa superar esta dicotomia. Para ele, compreender um texto é encadear um novo
discurso no discurso do texto. Isto supõe que o texto seja aberto. Ler é apropriar-se do sentido do
texto. Dum lado não há reflexão sem meditação sobre os signos; doutro lado, não há explicação
sem a compreensão do mundo e de si mesmo.

Interpretação
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Interpretação é uma acção que consiste em estabelecer, simultanea ou consecutivamente,


comunicação verbal ou não verbal entre duas entidades que não usem o mesmo código. É um
termo ambíguo, tanto podendo referir-se ao processo quanto ao seu resultado - isto é, por
exemplo, tanto ao conjunto de processos mentais que ocorrem num leitor quando interpreta um
texto, quanto aos comentários que este poderá tecer depois de ter lido o texto. Pode, portanto,
consistir na descoberta do sentido e significado de algo - geralmente, fruto da acção humana.

Comprehension

Comprehension has the following meanings:

 In general usage, and more specifically in reference to education and psychology, it has
roughly the same meaning as understanding.

2
 Understanding is a psychological process related to an abstract or physical object, such as,
person, situation and message whereby one is able to think about it and use concepts to deal
adequately with that object.

 Reading comprehension measures the understanding of a passage of text


 In logic, the comprehension of an object is the totality of intensions, that is, properties or
qualities, that it possesses.

o Related to this, in Anglicanism, comprehension (or comprehensiveness) refers to


the theological inclusiveness and liturgical breadth thought to be integral to the
definition of the tradition.

Método
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Método (do Grego methodos, met' hodos que significa, literalmente, "caminho para chegar a um
fim"). Sobre este assunto, podemos referir:

O método é o caminho para se chegar à verdade, a uma conclusão

 O Discurso sobre o método de Descartes', obra seminal de 1619, e um dos momentos


charneira do Iluminismo, que abriu o caminho para a ciência moderna e para o método
científico em geral.
 Em ciência, em geral, o método científico é constituído por uma série de passos
codificados que se têm de tomar, de forma mais ou menos esquemática para atingir um
determinado objectivo científico - ver também algoritmo e metodologia.
o Em ciência da computação em particular, um método é o mesmo que uma acção,
algoritmo, função, ou procedimento; mais especificamente, em programação
orientada a objecto, é uma implementação de código em resposta a certas
mensagens.
o Em engenharia de software, em particular, um método é uma "receita" técnica
para a produção de software.
 O Método é também um processo utilizado por uma corrente de representação teatral, na
qual o actor tenta recriar as condições em que os personagens operam na obra a
representar, de forma a tornar mais verosímil a actuação.

Retirado de "http://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%A9todo"

Você também pode gostar