Você está na página 1de 28

PGA-500

ANALISADOR DE GASES PORTÁTIL

MANUAL DE OPERAÇÃO
INTRODUÇÃO .................................................................................................................... 3

REGRAS DE SEGURANÇA ............................................................................................... 4

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS ....................................................................................... 6

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS .......................................................................................... 6

REQUISITOS MÍNIMOS DO COMPUTADOR .................................................................... 6

DESCRIÇÃO DO EQUIPAMENTO ..................................................................................... 7


BANCO DE GASES ............................................................................................................................................. 7
KTT-07 (OPCIONAL) ......................................................................................................................................... 8
INSTALAÇÃO DO PROGRAMA ........................................................................................ 8
CONFIGURAÇÃO DE ACESSO .............................................................................................................................. 9
CONEXÃO DOS SENSORES E DO BANCO DE GASES ................................................. 9

OPERAÇÃO ...................................................................................................................... 10
LIGANDO O EQUIPAMENTO ...............................................................................................................................10
TESTE DE ESTANQUEIDADE..............................................................................................................................10
TESTE DO HC RESIDUAL .................................................................................................................................11
INÍCIO DO TESTE .............................................................................................................................................11
Cadastro de Cliente...................................................................................................................................11
Seleção do Veículo ...................................................................................................................................11
PRÉ-INSPEÇÃO VISUAL ....................................................................................................................................12
INSPEÇÃO VISUAL ...........................................................................................................................................13
SELEÇÃO DE SENSORES ..................................................................................................................................13
VERIFICAÇÃO DA ROTAÇÃO E TEMPERATURA ....................................................................................................15
INFORMAÇÕES DO TESTE .................................................................................................................................16
SONDA DE AMOSTRAGEM ................................................................................................................................16
MEDIÇÃO DOS GASES......................................................................................................................................16
RELATÓRIO DE RESULTADOS ...........................................................................................................................16
TESTES ARMAZENADOS ...................................................................................................................................18
CONFIGURAÇÕES DO SISTEMA ................................................................................... 18
CADASTRO DE OPERADORES ...........................................................................................................................19
Adicionando um novo operador ................................................................................................................19
Editando um operador ...............................................................................................................................19
Excluindo um operador .............................................................................................................................19
BACKUP ..........................................................................................................................................................20
CONFIGURAÇÃO DAS PORTAS DOS SENSORES...................................................................................................20
MODO DE MEDIÇÃO LIVRE ............................................................................................ 20

MANUTENÇÃO DO ANALISADOR ................................................................................. 20


MODO DE MANUTENÇÃO ..................................................................................................................................20
TESTE DOS SENSORES DE ROTAÇÃO E TEMPERATURA......................................................................................22
ENCERRANDO O PROGRAMA PGA-500 .............................................................................................................22
ARMAZENAGEM DO EQUIPAMENTO ...................................................................................................................22
TROCA DOS FILTROS E LIMPEZA DOS DRENOS ................................................................................................. 22
MANGUEIRA E SONDA DE AMOSTRAGEM .......................................................................................................... 23
VERIFICAÇÃO DAS CONEXÕES EXTERNAS, LACRE E ETIQUETA DE INSPEÇÃO..................................................... 24
TESTES COM O ANALISADOR DE GASES ....................................................................24
Teste do Filtro de Ar ............................................................................................................................... 24
Teste do Óleo do Cárter ......................................................................................................................... 24
Teste da Válvula do Canister ................................................................................................................ 24
Teste da Junta do Cabeçote .................................................................................................................. 24
Teste da Válvula EGR ............................................................................................................................. 25
Teste de Entrada de Ar Falsa no Motor ................................................................................................ 25
ACESSÓRIOS BÁSICOS ..................................................................................................25

ACESSÓRIOS OPCIONAIS ..............................................................................................25

APÊNDICE A .....................................................................................................................25
INSTALAÇÃO DO DRIVER DO CABO ADAPTADOR SERIAL USB ......................................................................... 25

2 PGA-500
INTRODUÇÃO

PGA-500

Este manual de operação apresenta todas as informações necessárias para a operação do


Analisador de Gases PGA-500, de maneira rápida e fácil.
A Snap-on do Brasil dispõe de uma equipe de representantes técnicos (verdadeiros “experts”
em equipamentos para prestação de serviços em veículos) e um Centro de Treinamento Técnico
onde são ministrados cursos de Regulagem Eletrônica de Motores e Alinhamento e Balanceamen-
to de Rodas a clientes e usuários de seus equipamentos.
A Snap-on do Brasil também possui uma rede de Postos de Assistência Técnica Autorizados
(ATAs), com pessoal técnico treinado na fábrica e equipamentos sofisticados para manter a preci-
são e a confiabilidade dos equipamentos de sua fabricação em qualquer ponto do país.

As telas e procedimentos descritos neste manual se aplicam à versão de programa 3.2.

Santa Bárbara D’Oeste – Brasil


Centro de Treinamento Técnico

PGA-500 3
REGRAS DE SEGURANÇA
As seguintes precauções devem ser sempre observadas, quando da operação de qualquer
equipamento.
1. Para garantir um manuseio seguro e prevenir eventuais acidentes pessoais, leia atentamente
todas as instruções, aqui apresentadas, antes de executar qualquer trabalho.
2. Antes de ligar o equipamento, certifique-se que a tomada onde será conectado o equipamento
seja dotada de conexão “Terra” e que tenha voltagem compatível. O bom aterramento do
mesmo assegura seu perfeito funcionamento e oferece total segurança ao operador. Em caso
de dúvida consulte a placa de identificação do equipamento. Lembre-se que voltagem maior
que a especificada irá danificar o equipamento.
3. Utilize sempre o freio de estacionamento. Quando o veículo for equipado com transmissão
manual, posicione-a em neutro (Ponto Morto). Se a transmissão for automática, posicione-a
em Park (“P”). Para maior segurança, calce as quatro rodas do veículo antes de iniciar qual-
quer tipo de operação.
4. Os gases do escapamento contêm monóxido de carbono (CO) que é um gás incolor e inodoro,
mas letal. Assim sendo, trabalhe sempre numa área com ventilação adequada.
5. Não use roupas exageradamente largas ou gravata perto do motor em funcionamento. Mante-
nha as mãos e cabelos longe de peças móveis, tais como: polias, hélice do ventilador e correi-
as.
6. Use sempre óculos de segurança ao trabalhar num veículo com o motor funcionando, para
proteger seus olhos contra ácidos, poeira, combustível ou objetos que possam ser arremessa-
dos.
7. Nunca olhe diretamente dentro do carburador com o motor em funcionamento. Um eventual
retrocesso da chama poderá provocar queimaduras.
8. Nunca utilize relógios, pulseiras ou quaisquer outros adornos metálicos, pois estes podem se
enganchar nas partes móveis do motor ou provocar curto-circuito, causando queimaduras ao
usuário.
9. Evite contatos com partes quentes do veículo, tais como: coletores de escapamento, sistema
de exaustão, radiador ou mangueiras etc.
10. Antes de fazer os ensaios, verifique sempre os níveis dos sistemas de arrefecimento, do cár-
ter, da bateria, etc. Não teste o veículo se os níveis estiverem abaixo do normal. Se possível
verifique o nível do sistema de arrefecimento com o motor frio. Se o motor estiver quente, faça
a verificação através do tanque externo (Reservatório de Expansão) do circuito selado.
11. Os vapores de gasolina, álcool e diesel são explosivos. Não fume ao redor de combustíveis
inflamáveis.
12. Limpe imediatamente possíveis derramamentos de combustível e guarde em recipiente fecha-
do os panos e estopas molhados.
13. Não deixe objetos metálicos sobre a bateria. Curtos-circuitos acidentais do terminal vivo (Posi-
tivo) da bateria com a massa (Negativo), poderão danificar a fiação, os cabos ou danificar a
própria bateria.

ATENÇÃO:
O ácido da bateria pode corroer tecido e queimar sua pele e olhos. Se isso ocorrer, lave a parte
atingida com bastante água ou solução neutra e procure imediatamente um médico.

14. O gás hidrogênio produzido pela bateria do automóvel é explosivo. Evite que chamas ou faís-
cas atinjam a bateria.
15. Mantenha um extintor de incêndio sempre à mão. Utilize o extintor recomendado para cada
tipo de fogo.
16. Tenha cuidado para não se aproximar demasiadamente da hélice da ventoinha e correias,
quando as mesmas estiverem em movimento. Os cabos e acessórios também devem ser man-
tidos longe de peças móveis do veículo e principalmente quando utilizar equipamentos dotados
de lâmpada estroboscópica, porque essa luz provoca uma ilusão de ótica, dando a impressão
que o objeto está parado. Isto pode induzir o operador a tocar peças em movimento.
17. O sistema de ignição secundário possui alta voltagem. Utilize alicate com isolação apropriada
quando estiver manuseando este sistema. Mesmo não sendo letal, um choque elétrico pode
provocar um movimento brusco involuntário, causando ferimentos.

4 PGA-500
18. Utilize somente os fusíveis originais Snap-on do Brasil. Lembre-se que a utilização de fusí-
veis com especificação incorreta pode danificar o equipamento e implicar na perda da GA-
RANTIA.
19. Nunca abra o equipamento por nenhum motivo! Existem pontos de alta tensão dentro do equi-
pamento que podem implicar em risco de vida!
20. Siga as instruções do fabricante, antes de iniciar os testes em veículos equipados com catali-
sador. Os catalisadores podem ser danificados por pós-combustão (queima de combustível
dentro do catalisador ou por excesso de combustível não queimado dentro do catalisador.

ATENÇÃO!
LEMBRE-SE SEMPRE!
O GABINETE METÁLICO DO EQUIPAMENTO PODE CONDUZIR CORRENTE ELÉTRICA E
OFERECER RISCOS À SEGURANÇA PESSOAL DO OPERADOR. CONECTE O CABO DE A-
LIMENTAÇÃO DO EQUIPAMENTO EM UMA TOMADA DOTADA DE CONEXÃO À TERRA.
NUNCA LIGUE OS CABOS DE TESTE NO VEÍCULO, ANTES DE LIGAR O CABO DE ALI-
MENTAÇÃO DO EQUIPAMENTO NA REDE ELÉTRICA.
NUNCA DESLIGUE O CABO DE ALIMENTAÇÃO DA REDE ELÉTRICA SE OS CABOS DE
TESTE DO EQUIPAMENTO ESTIVEREM LIGADOS NO VEÍCULO.
LIGUE SEMPRE OS CABOS DE TESTE COM MOTOR DESLIGADO.

PGA-500 5
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
O Analisador de gases PGA-500 é um moderno equipamento desenvolvido para trabalhar em plataforma
Windows® XP / Windows® Vista / Windows® 7*. Esta é uma unidade especialmente desenvolvida para
uso em Centros de Inspeção Oficial, pois possibilita medições de rotação (rpm), temperatura do óleo (ºC),
oxigênio (O2 % vol., somente no modo de Medição Livre), monóxido de carbono (CO % vol.), dióxido de
carbono (CO2 % vol.) hidrocarbonetos (HC ppm vol.), hidrocarboneto corrigido (HCc % vol.), CO corrigido
(COc % vol.), diluição (CO % vol. + CO 2 % vol.) de veículos com motores a etanol, gasolina, gás natural
veicular (GNV) ou Flex, utilizando a tecnologia infravermelha não dispersiva que excede as especificações
BAR 90(USA) e OIML classe 0 (AU II - Alemanha).
O PGA-500 possui um banco de dados de veículos, e os testes são avaliados de acordo com os limites
oficiais pré-estabelecidos para ano de fabricação do veículo em teste. Além disso, o programa também pos-
sui um banco de dados de armazenamento das inspeções realizadas em modo oficial.
As inspeções executadas no PGA-500 podem ser visualizadas em modo gráfico ou numérico (instantâ-
neo).
A visualização de todas as informações, CO % vol., COc % vol., CO2 % vol., HC ppm vol., HCc % vol.,
Rotação, Temperatura, em uma única tela é um dos pontos importantes para um equipamento de análise
de gases. Além disso, o equipamento informa o nível de HC do sistema de coleta de gases antes do início
de qualquer teste.
Existe também a possibilidade de ser realizada a análise da emissão dos gases do escapamento em mo-
tores de veículos com dois combustíveis (exemplo: Gasolina e Gás Natural Veicular) e dois escapamentos.

* Windows® XP / Windows® Vista / Windows® 7 são marcas registradas da Microsoft Corporation nos
Estados Unidos e em outros países.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Dimensões (Compr. x Larg. x Alt.): 34,7 x 31,2 x 30 cm
Peso: 9,4 kg
Tensão de Alimentação / Potência: 110 ou 220V, 50-60 Hz, 76 W
Temperatura de Operação: -12º C a 48º C
Umidade: Até 90 % (sem condensação)
Altitude: -305 a 2133 metros

REQUISITOS MÍNIMOS DO COMPUTADOR


Plataforma: Windows® XP / Windows® Vista / Windows® 7
Processador: 1,2 Ghz
Memória RAM: 512 Mb para Windows® XP
2 Gb para Windows® Vista / 7
Espaço em disco rígido: Mínimo 1 Gb livres
Resolução de Vídeo: 1024 x 768 pixels ou maior
Memória de vídeo: 8 Mb
Porta Serial RS-232: Duas livres
Porta USB: Três livres, caso não haja porta seriais disponíveis

6 PGA-500
DESCRIÇÃO DO EQUIPAMENTO
Banco de Gases

Vista Frontal
1 – Marca de aprovação do modelo 6 – Etiqueta de identif. BO / P.E.F. 11 – Entrada amostra de gás (c/ Kit)
2 – Filtro de água / local para lacre
7 – Etiqueta de identificação 12 – Entrada amostra de gás (s/ Kit)
(não visível/exibido)
3 – Chave seletora de tensão 8 – Sensor de O2 13 – Kit Descontaminação (opcional)
4 – Dreno de água do sistema 9 – Fiação do kit descontaminação 14 – Conector p/ sonda de temperatura
5 – Saída da amostra de gás 10 – Saída de controle de fluxo 15 – Conector p/ sensor de rotação

Vista Traseira
1 – Conector de comunicação 2 – Fusíveis de proteção 4A 3 – Conector de alimentação

PGA-500 7
KTT-07 (Opcional)

Vista Frontal do KTT-07


1 – Conexão dos cabos para Bateria 6 – Conexão para sonda de Temperatura
2 – Conexão de sensor tipo clamp (não fornecido) 7 – Conexão para captador Magnético de Pulsos
3 – Mostrador Digital 8 – Conexão para cabo de comunicação serial
4 – Seleção Bateria / Captador Magnético 9 – Seleção de exibição de Rotação / Temperatura
5 – Seleção do Nº de Cilindros (1 a 12 Cilindros) 10 – Seleção de Motor (2 ou 4 Tempos)

INSTALAÇÃO DO PROGRAMA
Para instalar o programa do PGA-500, você deverá seguir o procedimento abaixo:
1. Ligue o computador e certifique-se de que o Microsoft Windows esteja em execução.
2. Insira o pendrive com a instalação do programa do PGA-500 em qualquer porta USB disponível
em seu computador.
3. Em seguida, o Windows instalará os drivers para o pendrive e será exibida a janela abaixo.

Janela para instalação do PGA-500

4. Selecione a opção Instalar PGA-500 e clique no botão OK para iniciar a instalação automática do
programa do PGA-500. Clique nos botões Avançar ou Instalar quando solicitado até executar a
instalação completa do programa.

8 PGA-500
Configuração de Acesso
Importante: Esta configuração só é necessária quando o PGA-500 for instalado nos sistemas operacionais
Windows Vista ou Windows 7.
Após a instalação, uma alteração muito importante deve ser realizada em seu computador antes da primeira
execução do PGA-500 para que o mesmo funcione corretamente. Esta configuração se refere ao modo de
execução do programa do PGA-500 no ambiente Windows.
O programa do PGA-500 deve sempre ser executado como Administrador, ou o programa não funciona-
rá corretamente. Para que isso não ocorra, siga os passos a seguir.
1. Clique com o botão direito do mouse no ícone do atalho do PGA-500 na área de trabalho;
2. No menu, clique em Propriedades;
3. Na janela Propriedades, clique na aba Compatibilidade;
4. Marque a opção “Executar este programa como Administrador”;
5. Clique em OK.

CONEXÃO DOS SENSORES E DO BANCO DE GASES


Importante: Antes de qualquer conexão procedimento, desligue o computador/laptop e o banco de ga-
ses.
Banco de Gases
Verifique se a chave de seleção de tensão de entrada do banco de gases (se existir) está ajustada de
acordo com a tomada 2P+T (dois pinos + terra) a ser utilizada.
Conecte uma das extremidades do cabo de alimentação no conector localizado no painel traseiro do
PGA-500, e a outra extremidade em uma tomada 127V ou 220V aterrada, sempre de acordo com a ten-
são pré-ajustada no banco de gases.
Ligue o interruptor localizado no painel frontal do PGA-500 para alimentar o banco de gases e, em se-
guida, ligue o computador/laptop.
Conecte a extremidade do cabo de comunicação com conector DB9 no painel dianteiro do PGA-500 e
a outra extremidade com conector DB09 na porta serial onboard disponível (COM1) em seu computa-
dor/laptop. Se não houver porta serial disponível, utilize o adaptador Serial USB fornecido. Para insta-
lação e configuração deste adaptador, vide Apêndice A deste manual.
PGA Clamp
Caso queira trabalhar com o captador clamp do PGA, conecte o captador clamp no respectivo conector
na parte frontal do banco de gases (item 15 da página 07), assim como a sonda de temperatura (item 14
da página 07).
Interface USB (não fornecido)
Para utilizar a interface USB, assegure-se de que a interface está devidamente conectada em uma por-
ta USB de seu computador ou notebook.
Universal (não fornecido)
Conecte o cabo de comunicação do Universal em uma porta serial disponível em seu computador. Se
não houver porta serial disponível, utilize o adaptador Serial USB fornecido (se possuir) ou utilize outro
modelo de sensor de rotação e temperatura.
KTT-07 (opcional)
Conecte o cabo de comunicação do KTT-07 em uma porta serial disponível em seu computador. Se
não houver porta serial disponível, utilize o adaptador Serial USB fornecido (veja instalação na página
26) para ligar o KTT-07 à porta USB.
Sensor de O2
Instale o sensor de O2 em seu alojamento no painel dianteiro do PGA-500 (item 08 da página 07), e li-
gue o conector conforme mostrado na mesma figura da página citada.

PGA-500 9
OPERAÇÃO
Ligando o Equipamento
Importante: Antes da inicialização do programa, verifique se
o dispositivo de segurança está devidamente conectado em
qualquer porta USB do desktop/laptop.
Obs.: Se o programa for inicializado sem o dispositivo, o
mesmo exibirá uma mensagem de erro de identificação do dispo-
sitivo de segurança. Pressionando a tecla ENTER – Continua, o
programa será fechado mesmo se o dispositivo for conectado no
momento da exibição da mensagem.
Após o término da inicialização do Windows, dê um duplo cli-
que no ícone do PGA-500 localizado na área de trabalho do Win-
dows e o programa será inicializado.
Após a inicialização, será dado início aos procedimentos de
aquecimento, auto-zero e teste de estanqueidade do banco de
gases. Caso o banco de gases não esteja conectado será exibida
uma mensagem de falha de comunicação com o banco de gases.
Para corrigir o problema, é necessário verificar a conexão do
banco com a porta de comunicação do computador/laptop. O
banco de gases pode ser conectado diretamente à porta serial ou
utilizando um adaptador Serial→USB (opcional fornecido).
Obs: Não é necessário configurar a porta de comunicação.

Teste de Estanqueidade
Após os procedimentos de Aquecimento e Auto Zero do
Banco de Gases o equipamento realizará o Teste de Estan-
queidade.Tampe a entrada da sonda de amostragem de gases
utilizando a tampa de borracha que acompanha o conjunto da
sonda e pressione a tecla Enter do teclado. Feito isso o equipa-
mento exibirá a mensagem: “Executando Teste de Estanquei-
dade”.
Obs.: Este teste tem a duração aproximada de 30 segundos.
Ocorreu FALHA no teste de estanqueidade?
Caso o circuito pneumático do equipamento esteja com al-
gum vazamento, será exibida a mensagem “Falha no Teste de
Estanqueidade, verifique se a sonda está devidamente tam-
pada e se não existem furos na mangueira, em seguida tecle
ENTER para continuar”.
Neste caso, faça uma inspeção da mangueira da sonda de a-
mostragem e das mangueiras externas do banco, a fim de garan-
tir que nenhuma delas esteja danificada. Após realizar esta ins-
peção, pressione duas vezes a tecla Enter do teclado para exe-
cutar um novo teste. Persistindo a falha, contacte uma Assistência
Técnica Autorizada Snap-on do Brasil.

10 PGA-500
Obs.: Não será possível o acesso à função F2-Inicia Novo
Teste enquanto o Teste de Estanqueidade não for efetuado
com sucesso.
Não ocorrendo nenhum vazamento será exibida a mensa-
gem: “Teste de Estanqueidade Finalizado com Sucesso”.
Em seguida o equipamento estará pronto para ser utilizado.
Ao término do Teste de Estanqueidade retire a tampa da
sonda de amostragem de Gases.

Teste do HC Residual
Após o teste de estanqueidade, o programa exibirá a tela
Teste do HC Residual. Nesta etapa o programa efetuará a medi-
ção e exibição do valor de HC residual do sistema de coleta.
Neste momento, a sonda de amostragem de gases não deverá
estar inserida no escapamento do veículo a fim de que o pro-
grama possa medir somente o nível de HC do sistema.
Se o valor for superior a 20 ppm vol., o programa exibirá um
alerta e o operador não poderá prosseguir com o teste. Pressio-
nando a tecla Enter ou Esc, o programa retorna à tela Principal.
Caso o valor medido seja menor que 20 ppm vol., o programa
exibirá a mensagem “Teste de HC Residual Finalizado” e
prosseguirá com a sequência de operação.
Caso o PGA-500 esteja equipado com Kit de descontamina-
ção rápida (opcional, não fornecido), execute o procedimento de
descontaminação (veja o tópico Manutenção do Analisador, na
página 20).
Se o PGA-500 não estiver equipado com Kit de descontami-
nação rápida, verifique o estado dos filtros (veja o tópico “Troca
dos Filtros e Limpeza dos Drenos“, página 22).

Início do Teste
Pressione a tecla F2 do teclado ou clique no botão
F2 – Inicia um novo Teste (em destaque na figura ao
lado) para iniciar um novo teste.

Cadastro de Cliente
Recomendamos que todos os campos de cadastro existentes
nesta tela sejam preenchidos para facilitar a localização dos
dados de um cliente no banco de dados (veja tópico “Testes
armazenados” na página 18).
A navegação entre os campos é realizada através do pres-
sionamento da tecla TAB do teclado.

Seleção do Veículo
Clicando no campo Fabricante, automaticamente o programa
exibirá uma tela de banco de dados de veículos.
O veículo desejado pode ser localizado através do nome do
Veículo ou do Fabricante. Estas opções podem ser selecionadas
através do campo “Tipo Filtro”.
Para localizar o veículo, digite o nome do mesmo ou fabrican-
te, de acordo com o filtro selecionado. Confirme o veículo locali-
zado e pressione Enter.

PGA-500 11
CADASTRO DE VEÍCULOS
Caso não encontre o veículo desejado, pressione a tecla F2 do teclado ou clique no botão “Ca-
dastra novo Fabricante/Veículo” (ilustrado à esquerda) para abrir a tela de cadastro de veículos.

Nesta tela estão disponíveis seis botões principais:

Home - Retorna para a tela Principal

Adicionar – adiciona um veículo personalizado no banco.

Editar – Permite editar o veículo previamente cadastrado.

Excluir - Exclui o veículo previamente cadastrado no banco.

Buscar - Inicia a busca o banco pelo nome digitado

Voltar - Retorna para tela anterior

Para selecionar o veículo devidamente cadastrado no banco de usuário, clique primeiramente no botão
Voltar. Em seguida, clique no filtro “Banco de Dados” e selecione a opção “Usuário” para exibir todos os
veículos cadastrados e localizá-lo rapidamente. Selecione o veículo desejado e pressione a tecla Enter.
Preencha os demais campos de dados do veículo como Chassi, Placa, Km Atual etc.
Importante: É imprescindível preencher o campo “Ano Fabricação”, pois o ano de fabricação determina os
limites para a inspeção.
Qtd. Escap.: Clique com o mouse neste campo para configurar se o veículo possui um ou dois escapa-
mentos independentes para efeito de análise de gases.
Qtd. Comb.: Clique com o mouse neste campo para configurar se o veículo opera com um ou dois tipos
de combustíveis (por exemplo, GNV e Flex).
Cilindros: Clique com o mouse neste campo para configurar a quantidade de cilindros (1 a 12 cilindros).
Ignição: Clique com o mouse neste campo para configurar o tipo de ignição: Simples ou Dupla. Esta in-
formação é usada para o cálculo da rotação.
Ignição Simples - Uma centelha por ciclo.
Ignição Dupla - Duas centelhas por ciclo.
Combustível1: Clique com o mouse neste campo para configurar o primeiro (ou único) combustível utiliza-
do pelo veículo.
Obs.: Caso o campo Qtd. Comb. esteja configurado para 2 combustíveis, obrigatoriamente o primeiro com-
bustível configurado no campo Combustível1 será GNV (Gás Natural Veicular).
Combustível2: Clique com o mouse neste campo para configurar o segundo combustível utilizado pelo
veículo.
Obs.: Este campo só estará habilitado se o campo Qtd. Comb. estiver configurado para 2 combustíveis.

Após preencher todos os campos, clique com o mouse sobre a seta ou pressione a tecla Enter
para continuar.

Pré-Inspeção Visual
Na tela Pré-Inspeção Visual, preencha os campos informando se
as afirmações são verdadeiras (S) ou falsas (N) com relação ao
culo inspecionado.
Os dados podem ser preenchidos digitando as letras S (Sim) ou N
(Não) ou utilizando a tecla BARRA DE ESPAÇO.

12 PGA-500
Obs.: Não será possível prosseguir se algum item tiver sido
provado. Se qualquer um dos itens da pré-inspeção for marcado
como S (Sim), o programa informará que o veículo está rejeitado e
solicitará a impressão do Certificado de Rejeição do mesmo.
Para imprimi-lo, clique no botão de impressão na bar-
ra de botões (ilustrado à esquerda). O programa per-
guntará se deseja finalizar o teste atual e rejeitar o
veículo.
Para confirmar pressione a tecla Enter. Será exibido o Relatório
que será impresso com a descrição dos itens rejeitados. Ao térmi-
no da impressão, clique em Fechar. O programa retornará para a
tela principal.

Inspeção Visual
Se o veículo for aprovado na Pré-inspeção visual, o programa e-
xibirá a tela de Inspeção Visual, onde o operador deve preencher os
campos informando se as afirmações são verdadeiras (S) ou falsas
(N) com relação ao veículo inspecionado, como feito anteriormente
na Pré-Inspeção Visual.
Os dados podem ser preenchidos digitando as letras S (Sim) ou
N (Não) ou utilizando a tecla BARRA DE ESPAÇO.
Obs.: Caso haja algum item de reprova na INSPEÇÃO VISUAL,
será possível dar andamento à inspeção, porém o veículo será au-
tomaticamente reprovado na inspeção visual. Ao preencher todos os
campos, pressione a tecla ENTER – Continua do teclado para
prosseguir com o teste.

Seleção de Sensores
Importante: Não é necessário configurar as portas de comunicação dos
sensores de rotação e temperatura. A comunicação é estabelecida automa-
ticamente, de acordo com a seleção do sensor.
Na tela Seleção de Sensores há 4 opções de sensores disponíveis, sendo:
PGA Clamp: Esta configuração se baseia em um sensor de rotação
tipo clamp (conectado a qualquer cabo de vela) e sonda de tempe-
ratura, sendo que ambos os sensores se comunicam diretamente com o banco de gases.
Importante: Este Kit só é compatível com o banco de gases modelo Sensors.
Conexão do Modo de inserção da
clamp a um cabo sonda de temperatu-
de vela do veículo ra no tubo da vareta
de nível de óleo.

KTT-07: Esta configuração se baseia na captura de rotação via sensor de vibração fixado em algum
ponto do bloco do motor ou medição através da bateria do veículo e medição de temperatura com
sonda, sendo que ambos os sensores fazem parte de um Kit denominado KTT-07 (acessório opcio-
nal). Este acessório é conectado a uma porta serial ou a uma porta USB via adaptador Serial→USB
(fornecido).
Conexão do Conexão do
sensor de pulsos KTT-07 aos
em um ponto mag- pólos da bateria
nético do bloco do do veículo
motor

PGA-500 13
Vista Frontal do KTT-07

1 – Conexão dos cabos para Bateria 6 – Conexão para sonda de Temperatura


2 – Conexão de sensor tipo clamp (não fornecido) 7 – Conexão para captador Magnético de Pulsos
3 – Mostrador Digital 8 – Conexão para cabo de comunicação serial
4 – Seleção Bateria / Captador Magnético 9 – Seleção de exibição de Rotação / Temperatura
5 – Seleção do Nº de Cilindros (1 a 12 Cilindros) 10 – Seleção de Motor (2 ou 4 Tempos)

Funções principais - KTT-07


Seleção de modo bateria / captador magnético (item 4)
Este botão permite alternar entre a captação e exibição da rotação (rpm) através do captador magnético
fixado ao bloco do motor ou à captação e exibição da rotação através da bateria do veículo.
Quando estiver selecionada a medição através do captador magnético, ao pressionar o botão de seleção
será exibido por 2 segundos um traço no canto inferior esquerdo do display. Quando estiver selecionada a
medição através da bateria, ao pressionar o botão será exibido um traço por 2 segundos no canto inferior
direito do display.
Ao selecionar pela primeira vez a medição através da bateria, serão exibidos traços no display, indicando
que o KTT-07 está medindo a rotação. Em seguida, o KTT-07 exibirá em seu mostrador digital a rotação do
motor do veículo.
Ao selecionar pela primeira vez medição através do captador, serão exibidos círculos intermitentes no
display, indicando que o KTT-07 está medindo a rotação. Se estes círculos permanecerem por mais de 10
segundos, ou aparecer o número 0 (zero) no display, troque o ponto de fixação do captador.
Seleção do nº de cilindros (item 5)
Através deste botão, o operador pode selecionar o número de cilindros do veículo, sendo que este nú-
mero pode ser de 1 a 12 cilindros. O padrão é 4 cilindros.
Seleção de exibição de rotação / temperatura (item 09)
Este botão permite alternar entre a exibição de rotação e exibição de temperatura no mostrador digital do
KTT-07.
Seleção de motor 2 ou 4 tempos (item 10)
Pressionando este botão, o usuário define se o motor é 2 ou 4 tempos. O padrão é 4 tempos.

Importante: Caso tenha adquirido o KTT-07 (opcional), pode ser necessária a utilização do cabo adapta-
dor Serial USB fornecido, caso o laptop não possua uma porta serial disponível para a instalação do KTT-
07 ou até mesmo do banco de gases. Para instalação e configuração, veja Apêndice A deste manual.

14 PGA-500
Universal: Esta configuração se baseia na captura de rotação através da medição do ripple do al-
ternador com o Kit Universal (Kit não fornecido) conectado à bateria do veículo e medição de tem-
peratura através da sonda. Este Kit Universal se comunica com o desktop/notebook via porta serial
ou porta USB utilizando um adaptador Serial→USB.

Interface USB: Esta configuração se baseia na captura de rotação através do sensor de rotação ti-
po clamp e através de sonda de temperatura, ambos conectados a uma interface que se comunica
com o computador ou notebook via porta USB (Kit opcional).

Verificação da Rotação e Temperatura


Após escolher os sensores de rotação e temperatura, será exibida uma mensagem alertando que os
sensores devem estar devidamente conectados e o motor do veículo ligado.

Após conectar corretamente os sensores, pressione a tecla Enter. Será exibida a tela de Verificação
da Rotação e Temperatura (ilustrado abaixo, à direita). A finalidade desta tela é permitir que o operador
verifique a temperatura do óleo e o valor de rotação em marcha lenta do veículo.
Observação: Se por qualquer motivo não houver
sinal de rotação, será habilitado um botão (ilustrado
à esquerda) no centro da barra de botões que per-
mite ao programa tentar estabelecer comunicação
com o sensor de rotação escolhido.

Caso o operador identifique algum problema no sensor de


rotação, o mesmo pode pressionar a tecla Esc para retornar à
tela de Seleção de Sensores, onde poderá ser escolhido outro
sensor de rotação e temperatura, sem que seja necessário pre-
encher um novo cadastro de cliente.

Confirmada a medição da temperatura e rotação, pressione a


tecla Enter. O programa perguntará se a temperatura está OK. Se a
temperatura do óleo medida for a temperatura de trabalho do veícu-
lo, pressione a tecla Enter para prosseguir.

PGA-500 15
Informações do Teste
Antes de iniciar a medição oficial, o programa informa o número do
teste, o tipo de combustível e em qual escapamento será feita a coleta
dos gases.
Estas informações e a quantidade de testes a serem realizados de-
pendem diretamente da quantidade de combustíveis e de escapamen-
tos determinados na tela de cadastro.

Sonda de Amostragem
A sonda de amostragem tem como única finalidade pos-
sibilitar a coleta dos gases que comporão a amostra a ser
analisada pelo banco de gases do PGA-500. Antes de iniciar
os testes, a sonda deve ser introduzida no tubo de descarga
de gases do veículo (escapamento).
Certifique-se de que ao instalar a sonda, esta entre o
máximo possível no tubo do escapamento, evitando assim
qualquer possibilidade de influência do ar ambiente nas me-
dições ou que a sonda caia do escapamento durante os tes-
tes.
Após inserir a sonda de amostragem, pressione a tecla
Enter.

Medição dos Gases


Nesta etapa, é dado início à medição dos gases. Acelere
o veículo até 2500 rpm e mantenha-o acelerado nesta rota-
ção durante 30 segundos.
Importante: Se a aceleração sofrer variação de ±200 rpm
durante o período de aceleração, a contagem de 30 segun-
dos será reiniciada, até que a medição da aceleração seja
estabilizada na faixa de 2300 e 2700 rpm.
Durante toda a medição, serão exibidos na tela os valores
de COc (CO corrigido), Fator de Diluição e HCc (HC corrigi-
do). Se os valores estiverem acima da faixa eles serão exibi-
dos em vermelho, indicando que os mesmos estão fora da
especificação.
Além disso, são exibidos temperatura do óleo, valor de
CO (% vol.), de CO2 (% vol.), de HC (ppm vol.), o tempo de
aceleração, o escapamento em teste e o tipo de combustível.
Após cumprir o período de aceleração, o programa solicita
que o motor do veículo seja desacelerado e mantido em mar-
cha lenta durante mais 30 segundos.
Finalizado todo o ciclo de medição, o programa solicita ao
operador que o mesmo retire a sonda do escapamento.
Quando o nível de CO2 medido atingir o valor de 3,00%, o
programa exibirá a mensagem “TESTE FINALIZADO”, exi-
bindo em seguida o Relatório com os resultados da inspeção.

Relatório de Resultados
Após as medições, é exibido ao operador o Relatório com os resultados da inspeção. A reprovação ocor-
rerá nas seguintes situações:
Reprovação pela inspeção visual;
Reprovação por emissão de HC acima do permitido;
Reprovação por emissão de CO acima do permitido.
Reprovação por marcha lenta abaixo ou acima do estipulado nas especificações.

Na próxima página é possível visualizar dois modelos de relatório e uma breve explicação dos itens mais
importantes.

16 PGA-500
Relatório – Veículo Aprovado

Resultado Geral
do Ensaio

Resultados
das medições
de emissões

Resultado da
medição de
rotação (rpm)

Relatório – Veículo Reprovado na Inspeção Visual (Página 01)

Resultado Geral
do Ensaio

Resultados
das medições
de emissões

Resultado da
medição de
rotação (rpm)

PGA-500 17
Relatório – Veículo Reprovado na Inspeção Visual (Página 02)

Descrição do Tipo
de Relatório

Itens que causaram


a reprovação

Resultado Final

Importante: O Relatório de Reprovação na Inspeção Visual é exibido como a segunda página dos relató-
rios.
Para imprimir o(s) relatório(s), clique no botão Imprimir na barra de menus no topo da tela. Após
imprimir, pressione a tecla Esc duas vezes para retornar à tela principal.

Testes Armazenados
Os testes executados permanecem armazenados em
um banco de dados que permite a consulta e posterior
impressão caso seja necessário. Para acessá-los, clique
no botão “Testes Armazenados” (ilustrado à esquerda)
localizado na barra de botões da tela principal, ou pres-
sione a tecla F5 na tela principal.
A consulta pode ser realizada através do nome do cliente, da mar-
ca, modelo, placas e tipo de combustível do veículo, assim como a
data, número e tipo do teste.
Para filtrar os resultados e localizar rapidamente o tes-
te desejado, digite a informação que você possui no res-
pectivo campo e clique no botão de procura na barra de
ferramentas (ilustrado à esquerda).
Encontrado o teste desejado, dê um duplo clique no nome do
mesmo para exibir o respectivo relatório de teste, que poderá ser im-
presso através do botão Imprimir na barra de menus. Após imprimir,
pressione a tecla Esc duas vezes para retornar à tela principal.

CONFIGURAÇÕES DO SISTEMA
Algumas opções podem ser configuradas no programa do PGA-500, como os dados da
empresa, mensagem promocional entre outros. Para isso, é necessário acessar a tela de Con-
figurações do Sistema. Para isso, clique no botão Configurações do Sistema na barra de bo-
tões da tela principal (ilustrado à esquerda), ou pressione a tecla F3 do teclado. Abaixo des-
crevemos as opções disponíveis na tela de Configuração.
Empresa: neste campo, insira do nome de sua loja. Este nome será exibido nos relatórios que serão im-
pressos.
18 PGA-500
Mensagem (1,2,3,4): Neste campo, podem ser inseridos
endereço da loja, uma mensagem promocional ou aviso para o
cliente, sendo que estes campos serão impressos nos relató-
rios.
Banco de Gases: Este campo tem a finalidade de configu-
rar o tipo de banco instalado no PGA-500, as opções disponí-
veis são Andros 6300 e Sensors AMB.
Kit Descontaminação: Configure neste campo se o PGA-
500 está equipado ou não com Kit de Descontaminação Rápida
(Kit opcional).
Aparência: É possível escolher neste campo a aparência
estética que o programa terá (cor da barra de títulos, barra de
título de caixas de mensagem etc) entre três opções disponí-
veis.
Reinspeção: Defina neste campo a data da próxima impressão que será impressa nos relatórios, esta
data será baseada no número de dias inserido neste campo, sendo que o padrão é 180 dias.
Segurança Habilitada: Neste campo é possível configurar se será exigido na inicialização o login e se-
nha de usuário para acesso do programa, sendo que a janela de login só será exibida na segunda vez em
que esta função for habilitada, ou se o programa for fechado. Esta função também habilita o acesso ao me-
nu de configuração de operadores (veja no próximo tópico abaixo).
Número Equipamento: Configure neste campo o número do equipamento, para facilitar o controle dos
relatórios emitidos caso possua mais de um Analisador de Gases PGA-500 em sua loja.

Cadastro de Operadores
Na tela Cadastro de Operadores é possível configurar
os usuários do sistema e suas características como nome,
login e senha, assim como é possível definir se o perfil do
operador é usuário (navegação e acesso limitados) ou
administrador (navegação e acesso ilimitados no programa). Para
acessar, clique no botão Segurança do Sistema na barra de botões
(ilustrado à esquerda) ou pressione a tecla F8 na tela de Configura-
ções.
Importante: Para acessar estas configurações de usuário, é necessário que a opção “Segurança Habili-
tada” esteja configurada como “SIM” na tela de Configurações.

Adicionando um novo operador


Importante: Somente Administradores podem cadastrar operado-
res.
Para adicionar um novo operador, clique no botão Adi-
ciona operadores na tela Cadastro de Operadores (botão
ilustrado à esquerda). O programa exibirá os campos em
branco para o preenchimento. Preencha o nome do opera-
dor, o nome do login, a senha e confirmação e o tipo de permissão
(Usuário ou Administrador).

Após digitar todos os dados, confirme clicando no botão de gravação na barra de botões (tick
verde). Clique em Sim ou pressione a tecla Enter para confirmar.

Editando um operador
Importante: Somente Administradores podem editar os dados dos operadores.
Para editar os dados de um operador, clique no botão de edição de operadores na tela Cadas-
tro de Operadores (botão ilustrado à esquerda). O programa exibirá os campos preenchidos com
os dados do operador. Edite a informação desejada e clique no botão de tick verde. Clique em
Sim ou pressione a tecla Enter para confirmar a edição.
Excluindo um operador
Importante: Somente Administradores podem excluir dados dos operadores.
Para excluir os dados de um operador, selecione o operador que deseja excluir e clique no bo-
tão de exclusão de operadores (botão ilustrado à esquerda). Clique em Sim ou pressione a tecla
Enter para confirmar a exclusão.

PGA-500 19
Backup
Na tela de Backup é possível fazer uma cópia de segu-
rança dos arquivos de teste. Para acessá-la, clique no
botão Backup na barra de botões (veja a ilustração do
botão à esquerda) ou pressione a tecla F7.
Na tela Backup, clique no botão Procurar e selecione o local onde
deseja salvar a cópia de segurança. Após selecionar o local, clique
em Iniciar para fazer a cópia de segurança. Uma mensagem informa-
rá quando a cópia estiver finalizada.
Para sair da tela de backup, pressione a tecla Esc.

Configuração das portas dos sensores


Ao conectar quaisquer sensores ou o banco de gases no desktop/notebook, o programa detec-
ta automaticamente em qual porta eles foram conectados, dessa forma não é necessário configu-
rar as portas de comunicação, pois a detecção é automática.
Por esse motivo, a única finalidade da tela de Configuração das portas é informar em qual por-
ta está conectado determinado dispositivo. Para acessar esta função, clique no botão correspondente (ilus-
trado à esquerda) a tela de Configurações, ou ainda pressione a tecla F4.

MODO DE MEDIÇÃO LIVRE


Neste modo é possível executar medições dos gases com a finalidade de medir o nível de
emissões do veículo antes do teste oficial, permitindo dessa forma ajustar o veículo dentro dos
parâmetros exigidos por lei. Para acessar este modo,
clique no botão Medição Livre na barra de botões
(ilustrado à esquerda) da tela principal, ou ainda
pressione a tecla F8 nesta mesma tela.
Em seguida, selecione o tipo de combustível, o tipo de ignição, ajuste
o número de cilindros se necessário (o padrão é 4 cilindros) e o tipo de
sensor de rotação e temperatura.
Pressione a tecla Enter. Selecione os sensores que deseja utilizar e
instale-os no motor do veículo (tela ilustrada à direita). Em seguida,
insira a sonda de temperatura no tubo do escapamento. Pressione
Enter para confirmar a instalação dos sensores e iniciar a medição.
Na tela de medição livre, é possível visualizar as mesmas medições de
gases do modo oficial. Caso ocorra falha de comunicação do sensor
de rotação é possível restabelecer a comunicação, da mesma maneira
que o fazemos na tela de medição oficial.
Importante: Para testes de veículos na tela de Medição Livre, consul-
te os limites compatíveis com o veículo em teste.
Observação: Não há impressão de relatório no modo de Medição
Livre.
Para encerrar o modo de Medição Livre, pressione a tecla Home e em
seguida a tecla Enter. O programa retornará à tela principal.

MANUTENÇÃO DO ANALISADOR

Modo de Manutenção
A tela de Modo de Manutenção permite ao operador executar funções de manutenção do
Analisador, como Teste de Estanqueidade, Limpeza do Sistema, Autozero, além de permitir a
visualização dos níveis dos gases no interior do banco de gases e indicadores de bom funcio-
namento. Para acessar o Modo de Manutenção, clique no botão Manutenção (veja a ilustra-
ção à esquerda) na barra de botões da tela principal.
Na próxima página descreveremos de forma resumida a utilidade de cada uma das funções constantes
nesta tela.

20 PGA-500
Teste de Estanqueidade: Durante um teste, o operador pode
desconfiar que os níveis de emissões medidos não são compatíveis
com o veículo em teste previamente regulado. Para buscar uma solu-
ção, ele pode executar um teste de estanqueidade com a finalidade
de identificar possíveis entradas falsas de ar ambiente, seja na man-
gueira de coleta ou no interior do banco de gases. Se o programa
identificar um vazamento, o operador pode isolar o sistema de coleta
para identificar se o vazamento está na sonda coletora, no filtro, na
mangueira de coleta ou até mesmo no interior do banco de gases. Se
o problema não puder ser solucionado, é necessário acionar a Assis-
tência Técnica Autorizada (ATA) da Snap-on do Brasil.
Limpeza do Sistema: Esta opção só estará disponível se o PGA-500 estiver equipado com Kit de Des-
contaminação Rápida e a opção “Descontaminação Rápida” estiver habilitada na tela Configurações (veja
como configurar na página 19). Quando acionada, esta função permite ao programa do PGA-500 executar o
procedimento de descontaminação rápida do banco de gases com ar comprimido, desde que o Kit de Des-
contaminação esteja devidamente conectado a uma rede de ar comprimido. Esta função é útil quando o
nível de HC no sistema de coleta de gases é superior a 20 ppm vol., o que impede a correta operação do
equipamento.
Autozero: Esta função pode ser utilizada quando o nível de HC no interior do banco de gases (com a
mangueira e sonda de coleta desconectadas) estiver acima de 20 ppm vol. Se o problema persistir, é ne-
cessário enviar o banco de gases para manutenção em uma Assistência Técnica Autorizada (ATA) da
Snap-on do Brasil.
Os indicadores de status do banco de gases podem alternar entre verde e vermelho, indicando níveis al-
tos de de HC, CO etc, ou possíveis falhas no funcionamento do banco. Os indicadores visam auxiliar a As-
sistência Técnica no diagnóstico e manutenção do PGA-500.
Para iniciar as medições dos gases, é necessário clicar no botão (ilustrado à esquerda), ou
pressionar a tecla F2. Após visualizar os valores, pressione novamente a tecla F2 para encerrar a
medição.
Importante: Não é possível executar o Teste de estanqueidade, Limpeza do banco e Autozero quando a
medição dos gases do banco está ativada.

Calibração do sensor de O2
A calibração do sensor de O2 deve sempre ser exe-
cutada quando o nível medido for inferior a 19% vol.
Para executar a calibração do sensor de O2, clique no
botão de acesso na tela Manutenção (botão ilustrado
acima, à esquerda).
Antes de executar a calibração, é necessário trocar o sensor
de O2. Para isso, remova o sensor de O2 antigo do alojamento do
banco de gases.
Em seguida, desembale e instale o novo sensor de O2, conec-
tando-o à fiação de comunicação.
Na tela de Calibração de O2, confirme o valor padrão
no campo de texto “Valor O2” (20,95) pressionando a tecla
Enter. O programa então executará o procedimento de
AutoZero e em seguida iniciará a calibração do sensor,
exibindo a mensagem “Calibrando O2. Aguarde”.
Importante: Não pressione nenhuma tecla durante a ca-
libração. Após a calibração, o programa exibirá a mensa-
gem “Calibração OK”. Confira o valor medido de O2.

Importante: O valor ideal do sensor de O2 é 20,95%


vol. podendo ter a variação de ± 1. Se o valor exibido não
retornar para 20,95% vol. ± 1, contate a Assistência Auto-
rizada e solicite a substituição do sensor de O2.

PGA-500 21
Teste dos Sensores de Rotação e Temperatura
Para acessar esta tela, clique no botão correspondente
na barra de botões da tela Manutenção (ilustrado à es-
querda) ou pressione a tecla F4 nesta mesma tela. Nesta
tela o operador pode executar teste de funcionamento dos
sensores de rotação e temperatura.
Na tela de Testes, selecione o par de sensores desejado, conecte-
os ao veículo, ligue o motor do mesmo e pressione a tecla Enter para
iniciar as medições. Para encerrar, pressione a tecla Esc.

Encerrando o programa PGA-500


Após concluir os trabalhos com o programa do PGA-500, clique no botão de encerramento
na barra de botões (ilustrado à esquerda) ou pressione a tecla F10 do teclado na tela principal
do programa PGA-500. O programa será imediatamente fechado e a operação retorna para a
área de trabalho do Windows.
É importante encerrar corretamente o programa para evitar perda de dados ou danos aos
arquivos de banco de dados do programa do PGA-500.

Armazenagem do Equipamento
Siga as instruções e informações abaixo para armazenar adequadamente seu equipamento:
Temperatura de Armazenagem: - 50 a 70ºC
Umidade: até 90%
Quando não estiver utilizando o equipamento, enrole devidamente os cabos do captador magnético e da
sonda de temperatura do KTT-07 (Opcional), a fim de evitar que os mesmos sejam danificados. Sempre
armazene o KTT-07 em sua embalagem original, ao abrigo do calor e umidade excessivos.
Quando o banco de gases do PGA-500 não estiver sendo utilizado, guarde-o em um local protegido do
calor e umidade excessivos. Não permita que o banco de gases do PGA-500 fique exposto à chuva, pois as
placas de circuito eletroeletrônico poderão ser danificadas. Enrole a mangueira coletora de gases e guarde-
a em local protegido, a fim de evitar que a mesma seja esmagada ou cortada.
Da mesma maneira, guarde o computador ou laptop em local seguro, ao abrigo do calor e da chuva.

Troca dos Filtros e Limpeza dos Drenos


Os filtros do banco de gases devem ser trocados periodicamente, e os drenos devem ser limpos diaria-
mente a fim de eliminar quaisquer substâncias que possam alterar a medição dos gases. Na figura abaixo
podemos visualizar o banco de gases, com suas respectivas conexões e filtros externos.

04

22 PGA-500
01 – Filtro Regulador (Kit Descontaminação): 02 – Filtro Coalescente (Kit Descontaminação):
Elemento de 5 m Elemento de 0,01 m

03 – Filtro de água: 04 – Filtro da mangueira:


Elemento de 9-12 m Elemento de 9-12 m
O elemento do filtro regulador [01] é lavável, devendo ser trocado somente quando permanecer escuro
mesmo após a lavagem. O filtro da mangueira [04], o filtro de água [03] e o elemento do filtro coalescente
[02] devem ser trocados a cada 3 (três) meses, ou quando os mesmos estiverem escuros ou ainda quando
o nível de HC exibido pelo programa (sem que a sonda de coleta esteja conectada ao veículo) for superior a
20 ppm.
O PGA-500 possui ainda dois filtros do tipo “filtro de combustível”, localizados na parte interna do banco
de gases. Estes filtros deverão ser trocados no momento de lacrar novamente o PGA-500, o que deve ocor-
rer a cada 6 meses.
Para trocar o filtro da mangueira, desloque as abraçadeiras de
aço, desconecte as mangueiras de silicone conectadas na
entrada e saída do mesmo, girando-as levemente enquanto a
puxa.
Monte o novo filtro no local do anterior, conectando novamente
as mangueiras de silicone e as abraçadeiras de aço.

Importante: Instale o filtro sempre observando a seta que


indica o sentido do fluxo. O fluxo deve ser no sentido da sonda
para o banco de gases, ou seja, no sentido do fluxo da amos-
tra até o banco de gases.

Para trocar o filtro de água (veja foto ao lado), desconecte os coto-


velos de borracha conectados na entrada e saída do mesmo, gi-
rando-os levemente enquanto a puxa.
Monte o novo filtro no local do anterior, conectando novamente os
cotovelos de borracha.
Importante: Instale o filtro sempre observando a seta que indica o
sentido do fluxo (veja sentido da seta no detalhe ao lado).

Mangueira e Sonda de Amostragem

O conjunto de mangueira+sonda de amostragem de gases


deve ser removido e ser limpo internamente com jato de ar
comprimido totalmente isento de óleo semanalmente, ou
quando o nível de HC (ppm vol.) exibido pelo analisador for
superior a 20 ppm vol., com a sonda desconectada do veí-
culo.
O conjunto deve ser inspecionado e em caso de danos,
substituído. O conjunto deve ser conectado novamente à
entrada do banco de gases, após a limpeza.

O filtro de água da mangueira deve ser substituído quando estiver muito escuro, com água acumulada, quan-
do o programa do analisador indicar contaminação (HC superior a 20 ppm mesmo executando o procedimen-
to de descontaminação).

PGA-500 23
Verificação das Conexões Externas, Lacre e Etiqueta de Inspeção
Verifique as conexões e engates externos. Verifique a presença das abraçadeiras das mangueiras de ar,
onde recomendado. O banco de gases deve ter seu número de série claramente indicado na etiqueta de
identificação. Caso faltante ou danificada, providencie a reposição.
O lacre do INMETRO e a etiqueta de inspeção do banco de gases devem estar íntegros. Caso estejam da-
nificados ou ausentes, é necessário substituir o banco de gases por um devidamente lacrado. Em hipótese
alguma o equipamento deve ser operado com lacre rompido ou etiqueta de inspeção danificada.

Testes Com o Analisador de Gases


Segue abaixo uma lista de testes que poderão ser realizados para facilitar o diagnóstico de um veículo.
Teste do Filtro de Ar
Para avaliar as condições do filtro de ar do veículo, siga a seqüência abaixo:
Introduza a Sonda de amostragem de gases no escapamento do veículo;
Verifique o valor de O2 medido pelo equipamento na tela de Medição Livre (medido em % vol.);
Ainda com o motor em funcionamento, retire o filtro de ar do veículo;
Monitore o valor de O2 medido pelo equipamento. Este não deverá alterar mais que 20% do valor
medido antes da retirada do filtro.
Obs.: Caso o valor de O2 apresente uma variação maior que 20% podemos concluir que o elemento do filtro
de ar está saturado, devendo ser substituído.

Teste do Óleo do Cárter


Para avaliar as condições do óleo do cárter, siga a seqüência abaixo:
Retire a tampa do óleo da tampa de válvulas do motor e dê partida no motor;
Coloque a ponta da Sonda de amostragem de gases sobre o bocal da tampa, de forma que esta es-
teja em contato com o vapor de óleo que sai do motor;
Verifique o valor de HC medido pelo equipamento na tela de Medição Livre (medido em ppm vol.).
Este não poderá ultrapassar 800 ppm vol.
Obs.: Caso o valor de HC ultrapasse o limite de 800 ppm vol. o óleo e o filtro de óleo do motor devem ser
substituídos, pois apresentam contaminação acima do especificado.

Teste da Válvula do Canister


Para avaliar as condições do Canister ou o acionamento da válvula, siga a seqüência abaixo:
Introduza a Sonda de amostragem de gases no escapamento do veículo e dê a partida no motor;
Verifique o valor de HC medido pelo equipamento;
Desconecte a mangueira de ligação do Canister ao coletor de admissão do motor;
Verifique o valor de HC medido pelo equipamento na tela de Medição Livre (medido em ppm vol.).
Este não deve variar mais do que 20% do valor medido anteriormente.
Obs.: Caso a variação do valor de HC ultrapasse o limite de 20% pode indicar defeito no acionamento da
válvula ou saturação do Canister.

Teste da Junta do Cabeçote


Para avaliar as condições da Junta de cabeçote do motor, siga a seqüência abaixo:
Dê partida no motor;
Retire a tampa do reservatório de água (expansão ou radiador);
Coloque a ponta da Sonda de amostragem de gases sobre o bocal do reservatório de forma que es-
ta esteja em contato com o vapor de água que sai do reservatório;
Verifique o valor de HC medido pelo equipamento na tela de Medição Livre (medido em ppm vol.).
Este não deve ultrapassar o limite de 100 ppm vol.
Obs.: Caso valor de HC ultrapasse o limite de 100 ppm vol. pode indicar problemas na vedação entre a
câmara de combustão e as galerias de água do cabeçote (junta queimada), necessitando a substituição da
junta ou uma possível trinca no cabeçote.

24 PGA-500
Teste da Válvula EGR
Para avaliar as condições da válvula EGR, siga a seqüência abaixo:
Dê partida no motor;
Introduza a Sonda de amostragem de gases no escapamento do veículo;
Verifique o valor de O2 medido pelo equipamento na tela de Medição Livre (medido em % vol.);
Desconecte a mangueira de ligação da válvula EGR e o coletor de admissão do motor;
Verifique o valor de O2 medido. Este não poderá variar mais que 10% do valor inicial.
Obs.: Caso valor de O2 apresente variação acima do limite de 10% pode indicar defeito de funcionamento
da válvula EGR.

Teste de Entrada de Ar Falsa no Motor


Para verificar a existência de alguma entrada falsa de ar no motor, siga a seqüência abaixo:
Dê partida no motor;
Introduza a Sonda de amostragem de gases no escapamento do veículo;
Verifique o valor de CO medido pelo equipamento na tela de Medição Livre com motor funcionando
em marcha lenta;
Ainda com o motor em funcionamento, esguiche em pequenas quantidades álcool de limpeza ou
qualquer outro produto inflamável nos possíveis locais de entrada falsa de ar; (Ex. Coletor de Ad-
missão, Servo Freio, Base do Carburador, Motor de passo etc);
Ao jogar o produto inflamável, monitore o valor de CO (% vol.) medido pelo equipamento. Este não
poderá aumentar.
Obs.: Caso valor de CO (% vol.) apresente variação pode indicar entrada falsa de ar pelo local onde o pro-
duto foi esguichado.

Importante: Ao realizar qualquer ensaio (teste) em um veículo, não deixe de observar as regras de segu-
rança contidas neste manual de operação.

ACESSÓRIOS BÁSICOS
Código Descrição
7109-0740-99 Cabo clamp de medição de rotação/temperatura (cabo de vela)
6004-0265-99 Sonda de Temperatura convencional
0120-9269-99 Kit Mangueira de coleta de gases
7049-0004-01 Sensor de O2
0552-0923-99 Cabo adaptador Serial para USB

ACESSÓRIOS OPCIONAIS
Código Descrição
KTT-07 Kit de medição de Rotação / Temperatura.
0120-9271-98 Kit de descontaminação rápida.

APÊNDICE A
Instalação do driver do Cabo Adaptador Serial USB
Quando adquirido o KTT-07 (acessório opcional) pode ser necessária a utilização do adaptador Seri-
al USB (vide foto na próxima página) se o computador ou laptop não possuir uma porta serial disponível
para a instalação do KTT-07 ou até mesmo do banco de gases.

Adaptador Serial USB


PGA-500 25
Obs: A foto do Adaptador representa o modelo de adaptador disponível no momento da edição
deste manual. Este adaptador poderá ser diferente, porém com funcionamento e instalação com-
patível com o procedimento descrito abaixo.

Para utilizar este adaptador, é necessário instalar o driver do mesmo no computador/laptop. Para isso, siga
os passos abaixo:

Insira o pendrive de instalação do PGA-500 em qualquer porta USB. Em seguida, clique no ícone “Meu
Computador” na área de trabalho, dê um duplo clique no ícone do disco removível.
Selecione a pasta “Drivers” dentro do pendrive e dê um duplo clique na pasta Sunix para exibir seu
conteúdo.
Selecione e execute o arquivo de instalação dos drivers pressionando a tecla Enter.

Será exibida então a tela de instalação do


driver. Clique no botão “Next >” para iniciar a
instalação. Toda a instalação será feita au-
tomaticamente pelo programa.

Após ter instalado o driver, o programa de


instalação exibirá a tela final, indicando que o
driver foi instalado corretamente. Clique no
botão “Finish” para concluir a instalação.

Após fechar esta janela, reinicialize o compu-


tador/laptop, clicando em Iniciar, Desligar e
selecione a opção “Reiniciar”.

Após reiniciar, basta conectar o Adaptador e


o driver será instalado automaticamente.

26 PGA-500
0692-2072-99 REV. Q (AGO/2010) IMPRESSO NO BRASIL

PGA-500 27