Você está na página 1de 6

III CONGRESSO DA REDE DE ITCPs E I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

E ECONOMIA SOLIDÁRIA

Evento com o título: UNIVERSIDADE E ECONOMIA SOLIDÁRIA: PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO,


CENÁRIO DE DESENVOLVIMENTO E O LUGAR DAS TECNOLOGIAS SOCIAIS. Acontecerá nos dias 30 e 31
de Março e 01 e 02 de Abril de 2011, em Porto Alegre-RS. Na UFRGS.

Os eventos constituirão um único foro de apresentação de trabalhos e debates. A promoção do I Simpósio tem por
objetivo ampliar o intercâmbio técnico-científico da Rede de ITCPs, propiciando a participação de instituições
acadêmicas de fora do Brasil e que trabalham com os mesmos objetivos e princípios que as incubadoras da Rede,
ainda que não usem essa denominação (“incubadora”).

O I Congresso da Rede ocorreu em Itamaracá (estado de Pernambuco) em 2006, organizado pela incubadora da
Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). O II Congresso ocorreu em 2008, em São Paulo, sob o
auspício da ITCP da Universidade de São Paulo (USP).

O III Congresso e o I Simpósio, agora, ocorrerão em Porto Alegre, entre os dias 30 de março e 2 de abril de 2011, sob
a responsabilidade do Núcleo de Economia Alternativa (NEA) da UFRGS, onde está a sua incubadora tecnológica de
cooperativas populares.

A tradição hospitaleira, por um lado, e ao mesmo tempo cosmopolita e progressista de Porto Alegre, provada na
realização das várias edições do Fórum Social Mundial, abre-se agora para a Rede de ITCPs e para todos os parceiros
e companheiros de jornada que nos quatro cantos do mundo fazem da universidade uma ferramenta de construção da
economia solidária e de um outro mundo possível.

Somos todos convidados e bem vindos. Um chimarrão nos espera. Até Porto Alegre, TCHÊ!

PROGRAMAÇÃO:

III CONGRESSO DA REDE UNIVERSITÁRIA DE INCUBADORAS TECNOLÓGICAS DE COOPERATIVAS


POPULARES – REDE DE ITCPs

SIMPOSIO INTERNACIONAL DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EM ECONOMIA SOLIDÁRIA

Universidade e Economia Solidária: Produção de conhecimento, cenário de desenvolvimento e o lugar das


Tecnologias Sociais
Porto Alegre, 30 de março a 02 de abril de 2011

Introdução

A Rede Universitária de Incubadoras Tecnológicas de Cooperativas Populares foi criada em 1998 e é constituída
atualmente por 42 incubadoras universitárias em 5 regiões do Brasil. Tem como objetivo desenvolver e disseminar
conhecimentos sobre autogestão e economia solidária, para dentro e fora das Universidades, além de estimular, na
universidade, o desenvolvimento de outras tecnologias específicas voltadas para as atividades produtivas dos
empreendimentos e estratégias acompanhadas. A Rede objetiva vincular de forma interativa e dinâmica as
Incubadoras Universitárias, favorecendo o intercâmbio de tecnologias e de conhecimentos entre elas e com a
sociedade.

Em 2005 a Rede realizou seu I Congresso, em Pernambuco, sob a organização da ITCP da Universidade Federal
Rural de Pernambuco – UFRPR. O II Congresso foi realizado em 2008, sob a responsabilidade da ITCP da
Universidade de São Paulo – USP, correspondendo agora à Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS –
sediar o III Congresso, que será complementado pelo I Simpósio Internacional de Extensão Universitária e Economia
Solidária.

Os Congressos da Rede, realizados a cada 2 anos, constituem-se num momento importante para debater teoria e
prática, socializando a produção de conhecimentos e de tecnologias sociais que é realizada pelas incubadoras. Por sua
vez, o Simpósio Internacional de Extensão Universitária em Economia Solidária busca agregar neste processo a
participação de outras universidades que, na América Latina e em outros países, contribuem com a construção da
economia solidária, desenvolvendo ações e programas de extensão universitária que evidenciam a indissociabilidade
com o ensino e a pesquisa em prol do desenvolvimento socialmente justo e ambientalmente sustentável. O Simpósio
Internacional vem para fazer avançar um processo de trocas, abrindo novas perspectivas para ações conjuntas entre
universidades.

1. Objetivos

Geral

Oportunizar aos participantes (estudantes, professores, pesquisadores e comunidade em geral) momentos de reflexão
sobre o trabalho da Rede de ITCPs e seus desafios na construção da economia solidária, debatendo questões
metodológicas próprias ao processo de incubação, bem como questões mais amplas referentes ao processo de
construção da economia solidária e ao papel da extensão universitária nesse processo, num cenário nacional de
“otimismo desenvolvimentista”.

Específicos

a) Propiciar o intercâmbio entre docentes, investigadores, técnicos e acadêmicos relativo à orientação dos processos
de incubação, suas propostas de ensino/aprendizagem, suas contribuições na construção de tecnologias sociais;

b) Avançar na sistematização dos conhecimentos produzidos no interior da Rede de ITCPs, aprofundando a reflexão
teórica a partir das experiências das incubadoras pertencentes à rede e de outras universidades estrangeiras que
realizam trabalho de extensão junto a grupos de economia solidária.

c) Debater os desafios das incubadoras universitárias de economia solidária no atual cenário nacional e internacional.

d) Discutir o papel da extensão universitária na promoção da economia solidária e no fortalecimento das experiências
existentes.

2. Eixos temáticos
1. A produção de conhecimentos nas Incubadoras Universitárias de Economia Solidária: modelos, teorias e
perspectivas analíticas.

2. Metodologias de intervenção social. Métodos de intervenção social e Tecnologias Sociais nas Incubadoras
Universitárias de Economia Solidária.

3. Diversidade e Desenvolvimento Local na atuação das Incubadoras Universitárias de Economia Solidária.

4. Planejamento e Avaliação de Programas e Projetos de Intervenção nas Incubadoras Universitárias de


Economia Solidária.

5. Políticas Públicas para economia solidária e controle social.

3. Metodologia e organização geral:

Haverá quatro modalidades básicas de trabalho:

a) Os Painéis, em que palestrantes convidados tratarão dos temas centrais, aportando uma visão geral e trazendo os
principais elementos do debate.

b) As sessões de grupos de trabalho, nas quais serão apresentados trabalhos previamente selecionados. Estão
previstos cinco grupos de trabalho simultâneos nas temáticas definidas, onde serão apresentados trabalhos científicos
e de extensão das experiências das ITCP’s e das equipes das universidades estrangeiras.

c) Exposição de pôsteres sobre os projetos e/ou pesquisa que poderão também ser de autoria dos grupos incubados.

d) Plenária síntese sobre o resultado dos grupos de trabalho visando a construção de uma reflexão geral sobre o fazer
e os desafios das incubadoras universitárias de economia solidária.

Além dessas modalidades, inclui-se um momento de vivência, em que será realizada visita a empreendimentos de
economia solidária.

4. Grupos de trabalho

Serão organizados cinco grupos para apresentação de trabalhos, que tratarão dos eixos temáticos do Congresso. Os
artigos poderão ser inscritos em um dos seguintes grupos de trabalho.

GT 1 A produção de conhecimentos nas Incubadoras Universitárias de Economia


Solidária: modelos, teorias e perspectivas analíticas.
A Economia Solidária impõe à Universidade o desafio de construir conhecimento com a sociedade e não para ou
sobre ela, desacomodando-a e provocando-a a fazer movimentos e abordagens inovadoras e participativas. O presente
eixo propõe a apresentação e debate de trabalhos que provoquem reflexões sobre o conhecimento produzido nas
incubadoras universitárias, as formas como são produzidos, em especial quanto ao diálogo com a sociedade, o
movimento e os empreendimentos de Economia Solidária. Também interessa debater como acontece a inserção de
discentes e docentes na produção e disseminação do conhecimento; como se constrói a interdisciplinaridade; quais os
diálogos entre ensino, pesquisa e extensão; quais as teorias e perspectivas analíticas que sustentam o trabalho das
incubadoras.
GT 2 Metodologias de intervenção social e Tecnologias Sociais nas Incubadoras Universitárias de Economia
Solidária.
A complexidade da Economia Solidária cresceu junto com o seu tamanho e passou a demandar novas formas de
interação, participação e incidência das Incubadoras Universitárias. Este eixo quer abrigar trabalhos que façam uma
reflexão sobre o processo de incubação e seus instrumentos (educativos, gerenciais, comunicacionais, etc.),
analisando experiências, dividindo aprendizados e provocando reflexões a respeito dos rumos dos processos de
incubação, das metodologias utilizadas e de como este processo está inserido na perspectiva mais ampla da
construção de Tecnologias Sociais.

GT 3 Diversidade e desenvolvimento local na atuação das Incubadoras Universitárias de Economia Solidária


Considerando o atual cenário político e midiático, questões ambientais e o tema do desenvolvimento com base local
estão tomando fôlego e dimensão nas agendas. Como a Universidade e as Incubadoras estão trabalhando este tema,
em relação a seu debate, sua reflexão e suas práticas com diferentes grupos e contextos sociais? Quais reflexões
teóricas impulsionam ou são impulsionadas pela perspectiva da diversidade e do desenvolvimento local que
reverberam nas ações das ITCPs? Como se está articulando a Gestão dos EES com vistas ao fomento do
Desenvolvimento Local? A perspectiva do desenvolvimento local é inovação frente à perspectiva do Mercado? Quais
suas formas específicas de inserção, produção, interação? Que desenvolvimento está sendo levado a cabo com as
ações e pesquisas realizadas? Como as ITCPs contribuem para promover o respeito à diversidade cultural e à
criatividade humana?

GT 4 Planejamento e Avaliação de Programas e Projetos de Incubação nas Incubadoras Universitárias de


Economia Solidária
Os programas e projetos de Incubação ganharam espaço dentro do próprio ambiente universitário, tecendo relações
com ações de ensino, pesquisa e extensão. Nesse processo, as Incubadoras precisam desenvolver ferramentas de
planejamento, acompanhamento e avaliação do seu próprio trabalho, definindo orientações e metas explícitas de
caráter político, técnico e econômico. Este grupo de trabalho quer discutir essa temática, aprofundando que
Incubadora se quer ter, para que tipo de sociedade e como isto se articula com os projetos realizados ou em execução,
seus financiadores e seus prazos. Como as Incubadoras planejam e avaliam o seu trabalho? Que dimensões estão
contempladas nesse processo? Qual o seu grau de formalização? De que forma elas conciliam suas metas estratégicas
com os prazos e condições dos projetos que executam? Quais as implicações desse processo nas práticas de
Incubação, na vida dos EES e na legitimidade da própria Incubadora?

GT 5 Políticas Públicas para economia solidária e controle social


Este grupo de trabalho quer refletir sobre o processo de construção de políticas públicas para economia solidária, seus
avanços, seus desafios, o papel do movimento de economia solidária e sua autonomia perante os espaços
institucionalizados da política, bem como o marco jurídico-institucional atualmente existente. Nessa perspectiva,
busca-se refletir sobre os avanços e desafios das políticas públicas para a incubação de empreendimentos de
economia solidária, debatendo o lugar das incubadoras universitárias nesse cenário e sua capacidade de incidência e
interlocução para uma política efetiva orientada para a transformação social e não apenas restrita a soluções pontuais
e/ou conjunturais.

5. Orientações para a apresentação dos trabalhos

Datas

- Apresentação de trabalhos completos e resumos de pôsteres– até 03 de janeiro de 2011.

- Publicação dos resultados dos trabalhos selecionados – 25 de janeiro de 2011.

Os melhores trabalhos avaliados integrarão o primeiro número da Revista da Rede de ITCPs.


Endereço para envio dos trabalhos: congresso2011_redeitcps@yahoo.com.br

Formatação

O trabalho deverá conter:

- Cabeçalho contendo: título do trabalho, eixo temático, nome do(s) autor(es), instituição, e-mail e telefone.
- Resumo e palavras-chave: o resumo deverá ter no máximo 10 linhas e 250 palavras em fonte Times New Roman,
corpo 12pt com espaçamento simples (entre caracteres e palavras). Após o resumo, apresentar até três palavras-chave
e a temática na qual se insere o trabalho.

- Texto do Trabalho: mínimo de 08 (oito) e máximo de 16 (dezesseis) páginas, no formato A4 (21,0 cm x 29,7 cm –
margens superior e esquerda 3,0 cm, margens inferior e direita 2,0 cm), incluindo ilustrações, referências
bibliográficas e notas de final de texto.

- Referências

- Notas de final de texto

Fonte:

Times New Roman, corpo 12pt com espaçamento Simples (entre caracteres, palavras e linhas). O trabalho deverá ser
editado em MsWord do Office 97/2003 ou Open Office , com extensão de arquivo tipo “.doc”. (Atenção para NÃO
enviar o arquivo do trabalho com extensão docx e pdf).
Recomenda-se que o tamanho do arquivo não seja superior a 1,0 MB (megabyte) ou 1000 Kb (kilobites).

Sobre a apresentação de pôsteres

Deverá ser enviado um resumo sobre o pôster, tendo como prazo a mesma data que a apresentação de trabalhos
escritos. Esse resumo deverá ter no máximo uma extensão de 200 palavras. Deverá especificar: o tema, título do
pôster, sobrenome e nome do autor, instituição que pertence e endereço eletrônico.

Os pôsteres deverão ter uma medida máxima de 110cm X 90cm. Serão entregues no dia do início do Congresso, para
sua colocação no espaço a eles destinado.

Sobre o número de trabalhos

- É recomendável a apresentação de no mínimo de 2 trabalhos por incubadora

- Não serão aceitos mais de 2 trabalhos por pessoa como autor principal

- No máximo cinco nomes por trabalho, incluindo orientador, co-autores e autor principal.

6. Programação (sujeita a alterações)


30 de
31 de março(quinta-
março(quarta- 01 de abril(sexta-feira) 02 de abril(sexta-feira)
feira)
feira)
09h00 –Abertura10h30 –
12h30
9h00-12h30Painel
8h00-12h30Vivências
Painel
O trabalho das
MANHÃ universidades na Cinco roteiros diferentes
Cenários do Brasil e da promoção da Economia de visitas a EES
América Latina: Economia Solidária nos cenários
Solidária, Políticas nacionais
Públicas e modelo de
desenvolvimento
14h00-17h00Painéis de
14h00Encontro da 14h00-18h00Grupos de 14h00-18h00Grupos de síntese
TARDE
Rede Trabalho Trabalho
dos GTs

Reunião de cada GT para


síntese e reflexão

18h00-20h30Palestra:
18h00-20h30Painel:
18h00- 18h00-
20h30Inscrições, Produção do 20h00Encerramento,
NOITE A re-significação da
Credenciamento e conhecimento, Tecnologias avaliação e
Organização extensão Universitária e a encaminhamentos
Sociais e Economia
Economia Solidária
Solidária
7. Inscrição

III CONGRESSO DA REDE DE


Taxa reduzida(até 31/jan) Taxa normal(de 1/fev a 30/março)
ITCPs
Docentes R$ 80,00 R$ 100,00
Estudantes R$ 20,00 R$ 26,00
Profissionais R$ 35,00 R$ 45,00
Observação: Para os participantes estrangeiros serão cobrados apenas os valores correspondentes às taxas reduzidas,
em qualquer período, em função das dificuldades de pagamento e/ou transferência bancária internacionais.

Comissão organizadora

Carlos Schmidt

Fábio Bittencourt Meira

Pedro de Almeida Costa

Ana Mercedes Sarria Icaza

Júlia Coelho de Souza

Matheus Gonçalves

Comitê científico

Ana Mercedes Sarria Icaza – UFRGS

Fábio Bittencourt Meira – UFRGS

Paulo Peixoto de Albuquerque – UFRGS

Pedro de Almeida Costa – UFRGS

Neusa Ribeiro – FEEVALE

Vera Schmidt – UNISINOS

Telmo Adams – UNILASALLE

Você também pode gostar