Você está na página 1de 82

Universidade Federal


Fluminense

Disciplina de Medicina Legal

Prof. Oscar Cirne Neto.


Um sonho e o esforço de uma vida.
Tanatologia.
Cronotanatognose.
Lembre-se: 

Em uma sala de perícias todo
examinado mente, só quem não
mente é o cadáver, mas você
deve se esforçar para ouvir o que
ele vai lhe dizer.
A importância da análise do cadáver
como está.
O cadáver nunca mente.
Agonologia:

Agonia é o estado psicofísico do


moribundo é o estado pré-morte.
Os autores clássicos o situavam em
um período que ia de 6 a 18 horas
antes da morte. (Legrand du Salle)
A morte.
■ Súbita Dita rápida à esta é sempre e
no mínimo suspeita
Dita agônica à levaria até 24
horas

■ Agônica à pode levar horas ou dias


Não há um sinal de morte que lhe seja
patognomônico.
Daí a cultura de que os cadáveres só
fossem enterrados com 24 horas
depois da morte.
Morte é a cessação de todas as
funções vitais, faz-se necessário
saber no entanto que nem todos
estes sinais cessam ao mesmo
tempo.
Morte não é exatamente um
fenômeno mas um verdadeiro
processo funcional, físico, celular,
bioquímico.
Na prática a vida cessa quando,
quando a respiração e a
circulação cessam.

■ Tríade de Bichat:
“ Morre-se pelo Cérebro, pelo Pulmão e
pelo Coração”
Mas em situações de hipóxia
prolongada, pode haver
cessação dos batimentos
cardíacos com incursões
respiratórias espaçadas, mas
profundas.

“Gaspping”.
Fenômenos cadavéricos

Abióticos ou avitais; imediatos

consecutivos

Transformativos; destrutivos;

conservadores;
Fenômenos abióticos imediatos.

■ Perda da consciência;
■ Perda da sensibilidade;
■ Abolição do tônus e da motilidade muscular;
■ Facies hipocrática;
■ Parada da respiração;
■ Parada da circulação;
■ Eletrocardiograma isoelétrico;
Facies hipocrática;
■ Fronte enrugada e árida;
■ Olhos fundos;
■ Nariz afilado e com orla escura;
■ Têmperas deprimidas, côncavas e rugosas;
■ Orelhas repuxadas para cima;
■ Lábios pendentes;
■ Maças deprimidas;
■ Mento enrugado e duro;
■ Pele seca lívida e cinzenta;
■ Vibrissas e cílios semeados de uma poeira branca;
■ Rosto fortemente contornado e irreconhecível;
Fenômenos abióticos consecutivos.
■ Evaporação tegumentar;
▪ Dessecação - Perda de peso;
▪ Pergaminhamento da pele;
▪ Fenômenos oculares (esvaziamento da artéria
central da retina e Sinal de Larcher- Somer);

■ Resfriamento;
■ Hipóstase;
■ Rigidez cadavérica – Lei de Nysten
▪ Espasmo cadavérico;
À maneira antiga.
À maneira moderna.
Nomograma feito para locais onde a
temperatura é maior que 25ºC.
Fórmulas matemáticas.

Resultado em horas.

Temp. Retal Média Temperatura Normal do Cadáver (°F)


1,5

Temp. Retal Média Temperatura Normal do Cadáver (°C)


0,83

Glaister.J, 1947
Achaval, A, 1995
Mas como no Brasil os cadáveres são “sagrados” e
não se pode fazer
um estudo científicos com eles.
Estas fórmulas não irão funcionar no
Rio de Janeiro em pleno Verão.

O cadáver vai ganhar temperatura?


Por isso a temperatura deve ser
tomada no local de encontro do
cadáver e não no IML.
Provas bioquímicas

Determinação do potássio no humor
vítreo

5,26 X K – 30,9 = Horas de morte (± 20%)

Pode ser realizado em até 100 h após a morte

Madea, B; Henssge 1989


Livores cadavéricos.

São ocasionados pela deposição do


sangue nas áreas de maior declive.
São manchas arroxeadas e
confluentes descontínuas nas regiões
onde há contato do corpo com
superfície rígida.
Livores cadavéricos.
Formam-se sob a forma de um
pontilhado esparso, cerca de 30
minutos, confluindo para manchas
arroxeadas em cerca de 2 horas.
Serão generalizados em cerca de seis
horas porém móveis;
Serão fixos em oito horas;
Livores cadavéricos.

Nos indivíduos de cor branca ou


mulatos claros são facilmente
identificados, mas nos indivíduos
de pele escura só poderiam ser
vistos com uso de radiação
ultravioleta.
Livores - coloração
■ Arroxeadosà normais;
■ Violáceo escuro à asfixia;
■ Achocolatados à Sugerem intoxicação pelo
clorato de potássio;
■ Vermelho carmimà Sugerem intoxicação pelo
Monóxido de carbono;
■ Vermelho claroà hemorragias muito
importantes;
■ Avermelhadosà cadáveres submetidos ao frio
ou geladeira;
É óbvio que esta corpo estava de bruços.
Livores do afogado.
A rigidez cadavérica é um
endurecimento da
musculatura e não um
encurtamento das fibras
musculares.
Influem na rigidez:
■ Compleição física à fortes mais intensa
que os desnutridos;
■ Edemas – retardam a instalação;
■ Morte súbita – tardia intensa e demora a
se desfazer;
■ Asfixia –intensa precoce e se desfaz mais
rápido
Lei de Nysten Sommer -Larcher
■ Mandíbula;
■ Pescoço;
■ Tórax e membros superiores;
■ Abdome;
■ Membros inferiores;
Espasmo cadavérico: Uma contratura
muscular súbita e mantida ocorrida em
situações de morte súbita, rápida e
intensa, que poderia por exemplo manter
o soldado em posição de tiro, ou suicida
de arma na mão.
Eu nunca vi.
Fenômenos transformativos destrutivos.

■ Autólise;
■ Putrefação;
▪ Período de coloração;
▪ Período de gazeificação;
▪ Período qualiquativo;
▪ Período de esqueletização;
■ Maceração;
▪ Asséptica
▪ Séptica;
A autólise é o primeiro fenômeno que
se sucede a morte, é criada inicialmente
após intenso processo de acidificação
celular. 


A morte é ácida
Neste processo a lise dos lisossomos,
permite extravasamento do conteúdo
enzimático para o citoplasma, a auto-
digestão celular progredindo terminará por
lesar a membrana celular.
Causa da putrefação.
■ Bactérias aeróbicas;
■ Bactérias anaeróbicas;
■ Bactérias aeróbicas facultativas;
Lembre-se que o odor das carnes
putrefatas, dependem intensamente das
bactérias, que formam gases. Estes gases
e estes odores “chamam os trabalhadores
da morte” a fauna cadavérica.
Fatores que interferem na putrefação.

■ Intrínsecos;
▪ Idade;
▪ Compleição física;
▪ Causa da morte;

■ Extrínsecos.
▪ Tipo de solo;
▪ Ventilação;
▪ Temperatura;
▪ Umidade;
Putrefação período de coloração
(cromático).
Coincide normalmente com o o desfazimento
da rigidez;

Mancha verde abdominalà Fossa ilíaca direita; é


causada pela produção do gás sulfídrico e sua
combinação com a hemoglobina (H2S – Hb) colorindo o
cadáver; por vezes é vista também à esquerda mas
classicamente está descrita à direita;
Vai colorindo o corpo até torna-lo verde escuro;
Cabeça de negro de Lecha Marzo
Período Gasoso (Gaseificação)
■ Circulação póstuma de Brouardel (neste
período é comum haver o despregamento
da epiderme);
■ Formação de bolhas liquidas e gasosos;
■ Clássica posição do lutador;
■ Protrusão lingual e dos globos oculares;
■ Protrusão dos genitais por vezes com
extrusão uterina;
■ Parto pós-morte;
Período coliquativo é o período
da dissolução pútrida do cadáver.

É o momento em que mais há


participação das legiões dos
trabalhadores da morte.
São sete legiões da morte das seguintes
classes.

■ Dípteros;
■ Coleópteros;
■ Lepidópteros;
■ Ortópteros;
■ Himenópteros;
■ Acarianos;
Esquema de trabalhadores da morte.

Musca doméstica Logo após a morte


Lucillia e outras No início da putrefação.
Dermestes e outros 3 a 6 meses
Pyopphila e outras 6 meses a dois anos.
Tyreophora e outras Mais de um ano
Uropoda e outros Cadáveres mumificados
Aglossa e outras cadáveres mumificados
Tenebrio Mais de tres anos
Esqueletização completa
Cerca de dois a três anos.
Maceração
■ Asséptica: fetos no interior do corpo da mãe à
diagnóstico diferencial com morte no parto;

■ Sépticas: corpos encontrados no interior de


pântanos e rios;
Fenômenos transformativos
conservadores.

■ Mumificação; espontâneas ou
provocada;

■ Saponificação; ésteres de
gordura, cadáver amarelado
como queijo;
Cronotanatognose.
■ Perda de 1 a 1,5 graus por hora;
■ 30 minutos a 1 hora, surgem petéquias e
sugilações;
■ 1h a 2h- surge a rigidez;
■ 2h a 3h- livores são manchas;
■ 6h a 8h- livores extensos;
■ 8h a 12h- rigidez máxima;
■ 8h a 12h- livores fixos;
Cronotanatognose.
■ 18/24 h Mancha verde;
Inicio da putrefação;
Início da flacidez;
■ 24/36 h Gaseificação;
■ 1 a 2 semanas, inicio da coliquação;
■ Até 3 anos esqueletização completa;
Além de tudo...

■ Ratos;
■ Peixes; siris; caranguejos;
■ Cães;
■ Gatos;
■ Aves de rapina;
■ Abutres;
Comem carne, espalham óssos e atrapalham uma
conclusão lógica.
Bem acredito que numa hora desta vocês
já devem estar assim:
Então ....
Muito
Obrigado !!!