Você está na página 1de 164

AVE S D O

CERRADO
e s p é c i e s v i s i ta n t e s e m u m a á r e a
e m r e c u p e r aç ão n o d i s t r i to f e d e r a l

Marcelo Kuhlmann
Há quem passe por um bosque e só veja lenha para a fogueira.
Leon Tolstói

Entardecer na Fazenda Entre Rios, DF


AVE S D O
CERRADO
e s p é c i e s v i s i ta n t e s e m u m a á r e a
e m r e c u p e r aç ão n o d i s t r i to f e d e r a l

Marcelo Kuhlmann

1° edição

brasília, 2020
Coordenação geral e produção gráfica:
Marcelo Kuhlmann Peres

Revisão técnica:
José Felipe Robeiro

Autoria das fotos:


Aves, frutos e paisagens: Marcelo Kuhlmann
Plântulas regenerantes: Roberto Ogata
Agropecuária: Zzn Peres

Fonte das informações sobre as aves e frutos nativos:


WikiAves - A Enciclopédia das Aves do Brasil. Disponível em:
www.wikiaves.com.br
Kuhlmann 2018. Frutos e Sementes do Cerrado: espécies atrativas para fauna -
Volumes I e II. Disponível em:
www.frutosatrativosdocerrado.bio.br

Foto da capa - frente: soldadinho (Antilophia galeata), enquanto se alimentava dos


frutos da pimenta-rosa (Schinus terebinthifolia) plantada nos experimentos
Foto da capa - verso: ferreirinho-relógio (Todirostrum cinereum) construindo ninho
na área de plantio da pimenta-rosa (Schinus terebinthifolia)

ISBN 978-65-00-00666-7

Proibida a comercialização. Esta obra está licenciada com a Liecença Creative Com-
mons: Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

PRINTED IN BRAZIL
Athalaia Gráfica e Editora
Agradecimentos

Agradeço à equipe do Projeto Biomas e


à Fazenda Entre Rios por possibilitar a
realização desse estudo e especialmente ao
amigo Roberto Ogata pelo companheirismo e
prestatividade durante os trabalhos de campo
para levantamento das aves, independente
das condições climáticas.

“No Brasil a mão que produz é a mesma que


conserva o meio ambiente”

lema do Projeto Biomas

5
Apresentação - José Felipe Ribeiro, EMBRAPA

Restauração ecológica é o processo de assistência à recuperação de


um ecossistema que foi degradado ou danificado e tem como base científica a
“ecologia da restauração”. O sucesso e a manutenção da dinâmica do ecossistema
recuperado são intimamente dependentes da capacidade de determinadas espécies
interagirem entre si.
Aves, mamíferos e insetos se destacam no auxílio ao processo de
restauração ecológica, sendo responsáveis pelo desenvolvimento da regeneração
natural na recomposição de paisagens. A interação fauna-flora pode favorecer a
restauração de áreas degradadas por meio da polinização das flores e da dispersão
das sementes. Uma das técnicas para atração da fauna e consequente chegada de
propágulos em uma área degradada compreende o plantio de espécies com frutos
atrativos, que servem de alimento para animais.
Para intensificar a recuperação de áreas degradadas, o Projeto Biomas
(www.projetobiomas.com.br) estimulou o uso de árvores nativas nas propriedades
rurais para sua adequação às exigências da legislação ambiental, a qual estabelece
regras específicas para o uso de Áreas de Preservação Permanente, Áreas de
Reserva Legal e Áreas de Uso Restrito.
Em 2012 a Embrapa estabeleceu uma parceria técnica com a Fazenda
Entre-Rios - Guzerá da Capital, localizada no PAD/DF, ao implantar ali o componente
Cerrado do projeto Biomas. Nesta proposta, foram plantadas na Fazenda Entre Rios,
a partir de sementes e mudas, mais de 10.000 indivíduos oriundas de 116 espécies
lenhosas e herbáceas, entre nativas e exóticas. Na reunião técnica de 2019 surgiram
várias perguntas no sentido de avaliar o sucesso desses plantios e uma delas foi se
eles estavam ajudando no retorno da fauna local para os plantios testados.
Nesta expectativa, o pesquisador Marcelo Kuhlmann foi convidado para
nos ajudar nesta avaliação e ele nos brindou com essa excelente publicação. Além
de subsidiar resposta para a pergunta sobre o sucesso dos plantios por apresentar
a lista das espécies de aves visitantes na área em recuperação, o seu relatório
reuniu atributos técnicos importantes para se entender o papel das diferentes
espécies de aves na recuperação da paisagem e ainda foi ilustrado com fotografias
espetaculares das aves observadas. Assim, este relatório se transformou nesta obra,
que tenho certeza será muito útil no planejamento de futuros plantios em ambientes
degradados no Cerrado, na divulgação da avifauna nativa, além de engrandecer as
informações sobre interações ecológicas no bioma.

6
Elaboração deste material e o Projeto Biomas

O levantamento das espécies de aves para elaboração desse guia


ocorreu na Fazenda Entre Rios - Guzerá da Capital, na região do PAD/DF, no
Distrito Federal, no âmbito do componente Cerrado do Projeto Biomas. Este
projeto é fruto da parceria entre a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
(Embrapa) com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA),
com a missão de apresentar aos produtores rurais e à sociedade modelos
sustentáveis de produção com fins econômicos e ambientais e estratégias para
regularização ambiental de propriedades rurais nos seis biomas brasileiros.
A Fazenda Entre Rios é a principal área experimental do Componente
Cerrado do Projeto Biomas, contando com 18 experimentos implantados e
cerca de 76 pesquisadores de diversas instituições envolvidos, tendo sido já
gerados mais de 80 publicações cientificas aplicadas a entender como espécies
nativas podem ser conservadas na propriedade rural. Estão ainda em avaliação
Sistemas Agroflorestais (SAF) com espécies florestais nativas de uso econômico
como a aroeira, a gueroba e o baru e ainda um “Sistema Agrosavânico (SAS)”
onde são consideradas espécies frutíferas de menor porte das formações
savânicas do Cerrado como a mangaba, o pequi, o araticum e o maracujá
pérola. Nestes sistemas de produção foram incluídas espécies agrícolas na
sua fase inicial como mandioca, milho, abóbora, gergelim e feijão de corda,
buscando maneiras de sustentabilidade econômica e ambiental para o produtor
desde o início dos plantios.
O levantamento das aves para elaboração desta obra foi realizado em
uma área da fazenda que compreende experimentos utilizando o plantio direto
de sementes, plantio de mudas nativas e consórcio com espécies exóticas
(figura destacada na próxima página). Essa área de plantios experimentais
é margeada por remanescentes de vegetação nativa (Mata de Galeria e Cerrado
Típico) e de atividades agropecuárias (principalmente gado e milho), sendo
estas atividades separadas da área experimental por uma cerca.
Para registro das espécies de aves foram realizadas seis visitas
na área, entre os meses de junho e setembro de 2019, totalizando 42h de
observação. Foram incluídas na listagem espécies de aves observadas ou
escutadas que visitaram ou transitaram pelas áreas dos experimentos, como
também aquelas presentes nas bordas dos remanescentes de vegetação nativa
e área agropecuária que margeava os experimentos.

7
Área experimental em recuperação do Projeto Biomas
onde foi realizado o levantamento de aves
na Fazenda Entre Rios

Foto com drone por Marcelo Kuhlmann em 05/04/2018


Fazenda Entre Rios - Guzerá da Capital:
Rentabilidade agrícola, genética animal e força ambiental

A Fazenda Entre Rios busca inovar na sustentabilidade da propriedade


rural no Distrito Federal quando envolve produção agrícola, seleção genética da
raça guzerá, conservação de solo e da água na propriedade como um todo,
e ainda na conservação das suas Áreas de Reserva Legal e de Preservação
Permanente.
A fazenda tem produzido e aplicado adubos orgânicos com o
uso de compostagem enriquecida com pó-de-rocha (remineralizadores), de
biofertilizantes acrescidos de azospirillum (bactérias fixadoras de nitrogênio
e promotoras de crescimento), que efetivamente tem melhorado a qualidade
da produção agrícola em geral, garantindo vários aspectos positivos,
principalmente para o sucesso das pastagens. Estas formulações possibilitam
a revitalização química do solo “cansado” e esgotado e impacta ainda no
aspecto físico, tornando-o mais agregado e fofo, proporcionando mais aeração
e retenção de água, o que certamente determina melhor crescimento das
plantas. Adicionalmente, o uso da compostagem e do biofertilizante aumentam
a capacidade de troca catiônica, CTC, responsável por armazenar os nutrientes
no solo, além de ajudar a corrigir sua acidez ao longo do tempo. Como
resultado, a pastagem consegue absorver melhor os nutrientes disponíveis.
Outro beneficio é o biológico e diz respeito ao aumento da quantidade e da
diversidade de micro-organismos no solo, que recicla a matéria orgânica
e disponibiliza nutrientes para as plantas de forma mais lenta e constante,
atuando também no controle de pragas e doenças.

Fotos: Zzn Peres

9
A Fazenda Entre Rios se especializou no cultivo de grãos, tais como
soja, milho, feijão e trigo sendo parte em áreas irrigadas e parte em áreas de
sequeiro. Nas áreas de sequeiro, a fazenda aplica o sistema de Integração
Lavoura-Pecuária (ILP), onde procura obter maior produtividade com a
realização de duas safras, sendo a primeira com soja ou feijão e em sequência
o plantio do milho safrinha consorciado com braquiária. Após a colheita do
milho safrinha e com a braquiária estabelecida é feito o uso da pastagem pelo
gado em sistema rotacionado, obtendo produção animal a custo mais baixo.
Este manejo rotacionado do rebanho proporciona melhores condições de solo
uma vez que enriquece o mesmo com nutrientes e microrganismos oriundos
dos dejetos dos animais, além de manter o solo coberto, aumentar a ciclagem
de nutrientes e proporcionar a cobertura de palhada para o próximo ciclo da
lavoura através do plantio direto.

Fotos: Zzn Peres e Marcelo Kuhlmann

10
Considerando o projeto de seleção da raça guzerá, o Guzerá da
Capital se tornou referência nacional ao seguir critérios rigorosos de seleção
em busca de animais mais precoces, férteis e com desempenho superior, sem
perder em rusticidade e beleza racial. Isso fornece ao mercado reprodutores
para melhoria da produtividade em fazendas de pecuária de corte, além de
material genético superior para outros selecionadores da raça guzerá, que é
raça forte de dupla aptidão e força ambiental.
Neste contexto, o projeto Guzerá da Capital traz como alternativas
para o bioma Cerrado os cruzamentos GUZOLANDO (guzerá x holandês) e
GUZONEL (guzerá x nelore), onde a primeira se mostra como grande opção
para a produção de leite, com muita saúde, longevidade e ainda agrega peso
aos bezerros. Já a segunda possui grande capacidade de mantença no período
de seca típico do bioma Cerrado, com alta capacidade de conversão alimentar
e com alto ganho de peso no período verde.

Fotos: Zzn Peres

11
Na Fazenda Entre Rios, a Guzerá da Capital busca consorciar
produtividade e lucratividade com a sustentabilidade e
conservação do Bioma Cerrado.
(ILPF na interface agricultura com a APP).
Foto com drone por Marcelo Kuhlmann em 05/04/2018
O bioma Cerrado e suas aves

O Cerrado constituí o segundo maior bioma da América do Sul,


cobrindo área de aproximadamente 200 milhões de hectares e 24% do território
brasileiro. Abriga abundante biodiversidade, com mais de 12 mil espécies de
plantas (40% endêmicas) e mais de 2.500 espécies de vertebrados (aves,
mamíferos, répteis, anfíbios e peixes). Considerado “berço das águas”, abriga
ainda as nascentes de três grandes bacias hidrográficas sul-americanas:
Tocantins-Araguaia, Paraná-Paraguai e São Francisco. Além disso, a região do
Cerrado é muito importante para a produção agropecuária brasileira. Porém,
o bioma já teve mais de 50% da sua vegetação nativa convertida para a
agropecuária, atividades que vêm comprometendo os ciclos biológicos, hídricos
e climáticos da região.
A Lei de Proteção da Vegetação Nativa (12.651/2012) colocou
a necessidade de caracterização ambiental das propriedades rurais para
realização do Cadastro Ambiental Rural (CAR). Após a inscrição do imóvel no
CAR, o proprietário pode aderir ao Programa de Regularização Ambiental (PRA)
do seu Estado, que compreende um conjunto de ações a serem desenvolvidas
com o objetivo de adequar e promover a regularização ambiental da propriedade.
A espécie humana é interdependente com o meio ambiente, de modo que é
impreterível que seus modelos para produção de alimentos se desenvolvam de
forma conjunta com a conservação das demais formas de vida.

Foto: Marcelo Kuhlmann

13
Até o ano 2020, das 1.919 espécies de aves registradas para o Brasil,
854 (45%) ocorrem no bioma Cerrado e 461 já foram observadas no Distrito
Federal. As aves constituem o maior grupo de animais dispersores de frutos e
sementes no bioma e desempenham papel importantíssimo no controle de insetos.
Além disso, muitas espécies também participam da polinização de flores. Entender
essas relações ecológicas pode ajudar no planejamento de projetos de recuperação
de áreas degradadas e na consequente regularização das propriedades. Dessa
forma, esse estudo teve como objetivo apresentar espécies de aves registradas
em uma área em recuperação no Cerrado como forma de sensibilizar produtores
para a diversidade e as importantes relações ecológicas desempenhadas por estes
seres alados na propriedade rural. Assim, apresentamos a seguir 108 espécies de
aves, distribuídas em 43 famílias, que foram registradas na área experimental do
Projeto Biomas na Fazenda Entre Rios, no Distrito Federal.

Fotos: Marcelo Kuhlmann

14
Lista de aves registradas na área

Espécie Inclui frutos ou Potencial para


sementes na dispersão de
dieta? sementes
Abre-asa-de-cabeça-cinza sim Médio
(Mionectes rufiventris)
Alma-de-gato sim Médio
(Piaya cayana)
Andorinha-serradora não —
(Stelgidopteryx ruficollis)
Anu-preto sim Baixo
(Crotophaga ani)
Arapaçu-do-cerrado não —
(Lepidocolaptes angustirostris)
Ariramba-de-cauda-ruiva não —
(Galbula ruficauda)
Bacurau não —
(Nyctidromus albicollis)
Bacurau-chintã não —
(Hydropsalis parvula)
Bacurau-de-rabo-maculado não —
(Hydropsalis maculicaudus)
Baiano sim Baixo
(Sporophila nigricollis)
Balança-rabo-de-máscara não —
(Polioptila dumicola)
Beija-flor-de-orelha-violeta não —
(Colibri serrirostris)
Beija-flor-tesoura não —
(Eupetomena macroura)
Beija-flor-tesoura-verde não —
(Thalurania furcata)
Bem-te-vi sim Médio
(Pitangus sulphuratus)
Bem-te-vi-pirata sim Médio
(Legatus leucophaius)

15
Lista de aves registradas na área

Espécie Inclui frutos ou Potencial para


sementes na dispersão de
dieta? sementes
Bem-te-vi-rajado sim Médio
(Myiodynastes maculatus)
Bentevizinho-de-asa-ferrugínea sim Médio
(Myiozetetes cayanensis)
Cambacica sim Baixo
(Coereba flaveola)
Canário-da-terra sim Baixo
(Sicalis flaveola)
Canário-do-mato não —
(Myiothlypis flaveola)
Carcará sim Médio
(Caracara plancus)
Choca-de-asa-vermelha não —
(Thamnophilus torquatus)
Chorão sim Baixo
(Sporophila leucoptera)
Chorozinho-de-bico-comprido não —
(Herpsilochmus longirostris)
Chorozinho-de-chapéu-preto não —
(Herpsilochmus atricapillus)
Chupim sim Médio
(Molothrus bonariensis)
Coleirinho sim Baixo
(Sporophila caerulescens)
Coró-coró não —
(Mesembrinibis cayennensis)
Corruíra não —
(Troglodytes musculus)
Coruja-buraqueira não —
(Athene cunicularia)

16
Lista de aves registradas na área

Espécie Inclui frutos ou Potencial para


sementes na dispersão de
dieta? sementes
Curicaca não —
(Theristicus caudatus)
Encontro sim Médio
(Icterus pyrrhopterus)
Falcão-de-coleira não —
(Falco femoralis)
Ferreirinho-relógio não —
(Todirostrum cinereum)
Filipe não —
(Myiophobus fasciatus)
Fim-fim sim Alto
(Euphonia chlorotica)
Fogo-apagou sim Baixo
(Columbina squammata)
Fruxu-do-cerradão sim Médio
(Neopelma pallescens)
Garça-vaqueira não —
(Bubulcus ibis)
Gavião-caboclo não —
(Heterospizias meridionalis)
Gavião-carijó não —
(Rupornis magnirostris)
Gavião-de-rabo-branco não —
(Geranoaetus albicaudatus)
Gavião-peneira não —
(Elanus leucurus)
Gralha-cancã sim Médio
(Cyanocorax cyanopogon)
Gralha-do-campo sim Médio
(Cyanocorax cristatellus)
Graveteiro não —
(Phacellodomus ruber)

17
Lista de aves registradas na área

Espécie Inclui frutos ou Potencial para


sementes na dispersão de
dieta? sementes
Guaracava-de-barriga-amarela sim Médio
(Elaenia flavogaster)
Guaxe (Cacicus haemorrhous) sim Médio
Inhambu-chororó sim Baixo
(Crypturellus parvirostris)
Jaó sim Baixo
(Crypturellus undulatus)
João-de-barro não —
(Furnarius rufus)
João-de-pau não —
(Phacellodomus rufifrons)
Juriti-pupu sim Baixo
(Leptotila verreauxi)
Juruva sim Médio
(Baryphthengus ruficapillus)
Mãe-da-lua não —
(Nyctibius griseus)
Maria-cavaleira sim Médio
(Myiarchus ferox)
Mocho-dos-banhados não —
(Asio flammeus)
Neinei sim Médio
(Megarynchus pitangua)
Noivinha-branca sim Baixo
(Xolmis velatus)
Papagaio-verdadeiro sim Baixo
(Amazona aestiva)
Patativa sim Baixo
(Sporophila plumbea)
Peitica (Empidonomus varius) sim Médio
Peitica-de-chapéu-preto sim Médio
(Griseotyrannus aurantioatrocristatus)

18
Lista de aves registradas na área

Espécie Inclui frutos ou Potencial para


sementes na dispersão de
dieta? sementes
Perdiz sim Baixo
(Rhynchotus rufescens)
Periquitão-maracanã sim Baixo
(Psittacara leucophthalmus)
Periquito-de-encontro-amarelo sim Baixo
(Brotogeris chiriri)
Petrim não —
(Synallaxis frontalis)
Pica-pau-branco sim Médio
(Melanerpes candidus)
Pica-pau-do-campo sim Baixo
(Colaptes campestris)
Pica-pau-verde-barrado sim Médio
(Colaptes melanochloros)
Picapauzinho-anão sim Baixo
(Veniliornis passerinus)
Piolhinho sim Médio
(Phyllomyias fasciatus)
Pipira-preta sim Médio
(Tachyphonus rufus)
Pipira-vermelha sim Médio
(Ramphocelus carbo)
Pitiguari sim Baixo
(Cyclarhis gujanensis)
Polícia-inglesa-do-sul sim Baixo
(Sturnella superciliaris)
Pomba-asa-branca sim Baixo
(Patagioenas picazuro)
Pomba-galega sim Baixo
(Patagioenas cayennensis)
Príncipe não —
(Pyrocephalus rubinus)

19
Lista de aves registradas na área

Espécie Inclui frutos ou Potencial para


sementes na dispersão de
dieta? sementes
Quero-quero não —
(Vanellus chilensis)
Rabo-branco-acanelado não —
(Phaethornis pretrei)
Risadinha sim Médio
(Camptostoma obsoletum)
Rolinha-roxa sim Baixo
(Columbina talpacoti)
Sabiá-barranco sim Alto
(Turdus leucomelas)
Sabiá-do-campo sim Alto
(Mimus saturninus)
Sabiá-laranjeira sim Alto
(Turdus rufiventris)
Sabiá-poca sim Alto
(Turdus amaurochalinus)
Saí-andorinha sim Alto
(Tersina viridis)
Saí-azul sim Médio
(Dacnis cayana)
Saí-canário sim Médio
(Thlypopsis sordida)
Saíra-amarela sim Médio
(Tangara cayana)
Saíra-de-chapéu-preto sim Médio
(Nemosia pileata)
Sanã-carijó não —
(Mustelirallus albicollis)
Sanhaçu-cinzento sim Médio
(Tangara sayaca)
Saracura-três-potes sim Médio
(Aramides cajaneus)

20
Lista de aves registradas na área

Espécie Inclui frutos ou Potencial para


sementes na dispersão de
dieta? sementes
Seriema (Cariama cristata) não —
Soldadinho (Antilophia galeata) sim Alto
Suiriri (Tyrannus melancholicus) sim Médio
Tapicuru (Phimosus infuscatus) não —
Tesourinha (Tyrannus savana) sim Médio
Tico-tico-do-campo sim Baixo
(Ammodramus humeralis)
Tiziu (Volatinia jacarina) sim Baixo
Trinca-ferro sim Médio
(Saltator similis)
Tucanuçu sim Alto
(Ramphastos toco)
Tuim sim Baixo
(Forpus xanthopterygius)
Urubu-de-cabeça-preta não —
(Coragyps atratus)
Viuvinha não —
(Colonia colonus)

*Total de aves registradas na área:

• 108 espécies, distribuídas em 43 famílias


• Incluem frutos ou sementes na dieta:
68 espécies
• Possuem BAIXO potencial para dispersão de sementes:
26 espécies
• Possuem MÉDIO potencial para dispersão de sementes:
34 espécies
• Possuem ALTO potencial para dispersão de sementes:
8 espécies

21
Potencial para dispersão de sementes

As interações entre frutos e aves frugívoras podem ocorrer de diversas


maneiras na natureza, dependendo das características dos frutos e das aves
que deles se alimentam. Essas interações também podem variar de uma região
para outra e em épocas diferentes do ano, dependo da disponibilidade de frutos
e frugívoros em determinado local.
É importante ressaltar ainda que nem todas essas interações ocorrem
de maneira “benéfica” para as plantas, ou seja, que resulta na dispersão
efetiva das suas sementes para sítios favoráveis ao seu estabelecimento e
desenvolvimento. De fato, muitos aves que se alimentam de frutos ou sementes
acabam destruindo as sementes durante o processo digestivo, seja durante
a mastigação, manipulação ou passagem no trato intestinal. Desse modo,
existem aves que possuem “alto potencial para dispersão” e outras, “baixo
potencial” para dispersarem sementes efetivamente.

Guaracava comendo murici

22
Entre os atributos das aves que podem influenciar seu “potencial
para dispersão” destacam-se:
• Tamanho corporal. Aves maiores geralmente conseguem se alimentar
de maior quantidade e também maior variedade de frutos. Esse atributo é
influenciado pela massa corporal (peso) e também pela largura de abertura do
seu bico.
• Grau de frugivoria. Para algumas aves, frutos e/ou sementes são itens
muito importantes e frequentes na dieta. Já para outras, essa dieta ocorre
apenas ocasionalmente. Isso também influencia a quantidade e diversidade de
sementes que poderão ser dispersas.
• Processamento. Certas aves, mesmo com dieta rica em frutos e/ou
sementes, acabam predando as sementes durante sua alimentação, por
exemplo, periquitos, pombos e papa-capins. Já outros animais engolem frutos
inteiros, sem destruir as sementes, que também podem passar intactas por seu
trato intestinal.
Com base na combinação desses atributos, cada espécie de ave
que inclui frutos ou sementes na dieta foi classificada aqui nesse trabalho como
tendo “alto, médio ou baixo potencial” para dispersão de sementes. Essa
informação pode ser útil, por exemplo, em ações de manejo da fauna voltadas
para a recuperação de ambientes degradados e planejamento dos plantios das
espécies de frutos.

Periquito-de-encontro-amarelo comendo Guaçatonga

23
Fichas das espécies de aves

A seguir são apresentadas fichas das 108 espécies de aves


observadas, escutadas e fotografadas que visitaram as áreas dos experimentos
de recuperação, como também aquelas presentes nas bordas dos remanescentes
de vegetação nativa e área agropecuária marginal.
Várias espécies estão ilustradas com fotografias feitas no próprio local
do levantamento, porém foram usadas também imagens mais representativas
do acervo pessoal para compor esta obra. Cada espécie possui informações
taxonômicas (nome popular, nome científico, nome em inglês e família)
organizadas da seguinte maneira na página:

Nome comum FAMÍLIA


Nome científico Nome em inglês

As fichas são complementadas ainda com informações sobre o


tamanho da ave (em centímetros, da ponta da cauda à ponta do bico), peso
(g) e itens incluídos na dieta que, conforme explicado nas páginas anteriores,
são parâmetros que irão influenciar no potencial da ave para dispersão de
sementes.
São também informados os ambientes predominantes (florestas,
savanas, campos e lagoas) onde ocorrem cada espécie de ave, conforme
modelo proposto por Ribeiro & Walter 2008 para as formações e fitofisionomias
do bioma Cerrado (perfil no final do livro).
A ordem das espécies apresentadas nas fichas segue padrões
filogenéticos e está de acordo com a ordem apresentada no site
WikiAves e pelo Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos (CBRO).

24
Jaó TINAMIDAE
Crypturellus undulatus Undulated Tinamou

Tamanho (cm) 31 Peso (g) 510-620

Dieta Frutos, sementes, invertebrados

Ambiente Florestal

Potencial para dispersão de sementes Baixo

25
Inhambu-chororó TINAMIDAE
Crypturellus parvirostris Small-billed Tinamou

Tamanho (cm) 19-22 Peso (g) 160

Dieta Frutos, sementes, invertebrados

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes Baixo

26
Perdiz TINAMIDAE
Rhynchotus rufescens Red-winged Tinamou

Tamanho (cm) 40-42 Peso (g) 700-1040

Frutos, sementes, raízes, invertebrados,


Dieta pequenos vertebrados

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes Baixo

27
Garça-vaqueira ARDEIDAE
Bubulcus ibis Cattle Egret

Tamanho (cm) 48-53 Peso (g) 300-400

Dieta Invertebrados, pequenos vertebrados

Ambiente Campos e lagoas

Potencial para dispersão de sementes —

28
Coró-coró THRESKIORNITHIDAE
Mesembrinibis cayennensis Green Ibis

Tamanho (cm) 48-56 Peso (g) 715-785

Dieta Invertebrados, plantas aquáticas

Ambiente Florestas e campos úmidos

Potencial para dispersão de sementes —

29
Tapicuru THRESKIORNITHIDAE
Phimosus infuscatus Bare-faced Ibis

Tamanho (cm) 46-54 Peso (g) 493-600

Dieta Invertebrados, plantas aquáticas

Ambiente Campos úmidos e lagoas

Potencial para dispersão de sementes —

30
Curicaca THRESKIORNITHIDAE
Theristicus caudatus Buff-necked Ibis

Tamanho (cm) 69 Peso (g) 600-900

Dieta Invertebrados, pequenos vertebrados

Ambiente Campos e savanas

Potencial para dispersão de sementes —

31
Urubu-de-cabeça-preta CATHARTIDAE
Coragyps atratus Black Vulture

Tamanho (cm) 56-76 Peso (g) 1180-3000

Dieta Saprófaga (carniça)

Ambiente Ambientes abertos

Potencial para dispersão de sementes —

32
Urubu empoleirado para descanso durante o fim de tarde
na área experimental em recuperação da Fazenda Entre Rios
Gavião-peneira ACCIPITRIDAE
Elanus leucurus White-tailed Kite

Tamanho (cm) 35-43 Peso (g) 241-375

Dieta Invertebrados e pequenos vertebrados

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes —

34
Gavião-caboclo ACCIPITRIDAE
Heterospizias meridionalis Savanna Hawk

Tamanho (cm) 55 Peso (g) 800-1000

Dieta Vertebrados e grandes invertebrados

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes —

35
Gavião-carijó ACCIPITRIDAE
Rupornis magnirostris Roadside Hawk

Tamanho (cm) 31-41 Peso (g) 200-350

Dieta Vertebrados e invertebrados

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes —

36
Gavião-de-rabo-branco ACCIPITRIDAE
Geranoaetus albicaudatus White-tailed Hawk

Tamanho (cm) 44-60 Peso (g) 865-1235

Dieta Vertebrados e invertebrados

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes —

37
Saracura-três-potes RALLIDAE
Aramides cajaneus Gray-necked Wood-Rail

Tamanho (cm) 33-40 Peso (g) 350-466

Frutos, sementes, folhas, invertebrados,


Dieta pequenos vertebrados

Ambiente Florestas e campos úmidos

Potencial para dispersão de sementes Médio

38
Sanã-carijó RALLIDAE
Mustelirallus albicollis Ash-throated Crake

Tamanho (cm) 21-24 Peso (g) 90-121

Dieta Folhas, invertebrados e pequenos vertebrados

Ambiente Campos e campos úmidos

Potencial para dispersão de sementes —

39
Quero-quero CHARADRIIDAE
Vanellus chilensis Southern Lapwing

Tamanho (cm) 37 Peso (g) 277

Dieta Invertebrados e pequenos vertebrados

Ambiente Campos e banhados

Potencial para dispersão de sementes —

40
Rolinha-roxa COLUMBIDAE
Columbina talpacoti Ruddy Ground-Dove

Tamanho (cm) 13-18 Peso (g) 35-56

Dieta Sementes e frutos

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes Baixo

41
Fogo-apagou COLUMBIDAE
Columbina squammata Scaled Dove

Tamanho (cm) 18-22 Peso (g) 48-60

Dieta Sementes e frutos

Ambiente Bordas de florestas, savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes Baixo

42
A pimenta-rosa (Schinus terebinthifolia) foi uma das espécies
plantadas nos experimentos de recuperação como alternativa de renda
ao produtor rural, servindo também de alimento para
diversas espécies de aves
Pomba-asa-branca COLUMBIDAE
Patagioenas picazuro Picazuro Pigeon

Tamanho (cm) 34-36 Peso (g) 300

Dieta Sementes e frutos

Ambiente Bordas de florestas, savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes Baixo

44
Pomba-galega COLUMBIDAE
Patagioenas cayennensis Pale-vented Pigeon

Tamanho (cm) 26 Peso (g) 167-262

Dieta Sementes e frutos

Ambiente Bordas de florestas, savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes Baixo

45
Juriti-pupu COLUMBIDAE
Leptotila verreauxi White-tipped Dove

Tamanho (cm) 29 Peso (g) 160-215

Dieta Sementes e frutos

Ambiente Florestal

Potencial para dispersão de sementes Baixo

46
Alma-de-gato CUCULIDAE
Piaya cayana Squirrel Cuckoo

Tamanho (cm) 40-46 Peso (g) 104-126

Invertebrados, pequenos vertebrados, ovos e


Dieta frutos

Ambiente Florestal

Potencial para dispersão de sementes Médio

47
Anu-preto CUCULIDAE
Crotophaga ani Smooth-billed Ani

Tamanho (cm) 35-36 Peso (g) 76-222

Dieta Invertebrados, pequenos vertebrados, frutos

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes Baixo

48
Coruja-buraqueira STRIGIDAE
Athene cunicularia Burrowing Owl

Tamanho (cm) 22-28 Peso (g) 110-265

Dieta Vertebrados e invertebrados

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes —

49
Mocho-dos-banhados STRIGIDAE
Asio flammeus Short-eared Owl

Tamanho (cm) 33-43 Peso (g) 200-500

Dieta Vertebrados e invertebrados

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes —

50
Mãe-da-lua, urutau NYCTIBIIDAE
Nyctibius griseus Common Potoo

Tamanho (cm) 33-38 Peso (g) 145-202

Dieta Insetos

Ambiente Bordas de florestas, savanas

Potencial para dispersão de sementes —

51
Bacurau CAPRIMULGIDAE
Nyctidromus albicollis Common Pauraque

Tamanho (cm) 22-28 Peso (g) 43-90

Dieta Invertebrados

Ambiente Florestas e savanas

Potencial para dispersão de sementes —

52
Bacurau-chintã CAPRIMULGIDAE
Hydropsalis parvula Little Nightjar

Tamanho (cm) 20 Peso (g) 40-80

Dieta Invertebrados

Ambiente Savanas

Potencial para dispersão de sementes —

53
Bacurau-de-rabo-maculado CAPRIMULGIDAE
Hydropsalis maculicaudus Spot-tailed Nightjar

Tamanho (cm) 19 Peso (g) 40-81

Dieta Invertebrados

Ambiente Florestal

Potencial para dispersão de sementes —

54
Os frutinhos da aroeira-branca (Lithrea molleoides) atraem aves
como sabiás, saíras, guaracavas e pica-paus, tendo sido registrados
regenerantes na área experimental em recuperação
Rabo-branco-acanelado TROCHILIDAE
Phaethornis pretrei Planalto Hermit

Tamanho (cm) 15 Peso (g) 5-9

Dieta Néctar e pequenos artrópodes

Ambiente Florestal

Potencial para dispersão de sementes —

56
Beija-flor-tesoura TROCHILIDAE
Eupetomena macroura Swallow-tailed Hummingbird

Tamanho (cm) 15-19 Peso (g) 6-11

Dieta Néctar e pequenos artrópodes

Ambiente Bordas de florestas, savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes —

57
Beija-flor-de-orelha-violeta TROCHILIDAE
Colibri serrirostris White-vented Violetear

Tamanho (cm) 15 Peso (g) 5-9

Dieta Néctar e pequenos artrópodes

Ambiente Bordas de florestas, savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes —

58
Beija-flor-tesoura-verde TROCHILIDAE
Thalurania furcata Fork-tailed Woodnymph

Tamanho (cm) 9,7 Peso (g) 5

Dieta Néctar e pequenos artrópodes

Ambiente Florestal

Potencial para dispersão de sementes —

59
Juruva MOMOTIDAE
Baryphthengus ruficapillus Rufous-capped Motmot

Tamanho (cm) 42 Peso (g) 150

Dieta Invertebrados, pequenos vertebrados e frutos

Ambiente Florestal

Potencial para dispersão de sementes Médio

60
Ariramba-de-cauda-ruiva GALBULIDAE
Galbula ruficauda Rufous-tailed Jacamar

Tamanho (cm) 19-25 Peso (g) 18-28

Dieta Artrópodes

Ambiente Florestal

Potencial para dispersão de sementes —

61
Tucanuçu RAMPHASTIDAE
Ramphastos toco Toco Toucan

Tamanho (cm) 59 Peso (g) 540

Dieta Frutos, artrópodes, ovos, pequenos vertebrados

Ambiente Florestas e savanas

Potencial para dispersão de sementes Alto

62
Pica-pau-branco PICIDAE
Melanerpes candidus White Woodpecker

Tamanho (cm) 24-29 Peso (g) 98-136

Dieta Frutos, sementes, artrópodes

Ambiente Bordas de florestas e savanas

Potencial para dispersão de sementes Médio

63
Picapauzinho-anão PICIDAE
Veniliornis passerinus Little Woodpecker

Tamanho (cm) 15 Peso (g) 20

Dieta Artrópodes e frutos

Ambiente Bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes Baixo

64
Pica-pau-verde-barrado PICIDAE
Colaptes melanochloros Green-barred Woodpecker

Tamanho (cm) 28 Peso (g) 115-130

Dieta Artrópodes e frutos

Ambiente Savanas, campos, bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes Médio

65
Pica-pau-do-campo PICIDAE
Colaptes campestris Campo Flicker

Tamanho (cm) 32 Peso (g) 150

Dieta Artrópodes e frutos

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes Baixo

66
Foram registradas aves como a saíra-amarela e o soldadinho se
alimentando das sementes da pimenta-de-macaco (Xylopia aromatica),
presente nas bordas dos experimentos
Seriema CARIAMIDAE
Cariama cristata Red-legged Seriema

Tamanho (cm) 70-90 Peso (g) 1400

Dieta Invertebrados, pequenos vertebrados

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes —

68
Carcará FALCONIDAE
Caracara plancus Southern Caracara

Tamanho (cm) 50-60 Peso (g) 800-950

Dieta Vertebrados, carniça, invertebrados, frutos

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes Médio

69
Falcão-de-coleira FALCONIDAE
Falco femoralis Aplomado Falcon

Tamanho (cm) 35-45 Peso (g) 208-460

Dieta Vertebrados e invertebrados

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes —

70
Periquitão-maracanã PSITTACIDAE
Psittacara leucophthalmus White-eyed Parakeet

Tamanho (cm) 32-35 Peso (g) 140-171

Dieta Frutos, sementes, botões florais

Ambiente Bordas de florestas e veredas

Potencial para dispersão de sementes Baixo

71
Tuim PSITTACIDAE
Forpus xanthopterygius Blue-winged Parrotlet

Tamanho (cm) 12 Peso (g) 26

Dieta Frutos, sementes, botões florais

Ambiente Bordas de florestas e savanas

Potencial para dispersão de sementes Baixo

72
Periquito-de-encontro-amarelo PSITTACIDAE
Brotogeris chiriri Yellow-chevroned Parakeet

Tamanho (cm) 20-23 Peso (g) 53

Dieta Frutos, sementes, botões florais

Ambiente Bordas de florestas e savanas

Potencial para dispersão de sementes Baixo

73
Papagaio-verdadeiro PSITTACIDAE
Amazona aestiva Turquoise-fronted Parrot

Tamanho (cm) 35-37 Peso (g) 400-470

Dieta Frutos, sementes, botões florais

Ambiente Bordas de florestas e savanas

Potencial para dispersão de sementes Baixo

74
Chorozinho-de-chapéu-preto THAMNOPHILIDAE
Herpsilochmus atricapillus Black-capped Antwren

Tamanho (cm) 12 Peso (g) 15-18

Dieta Artrópodes

Ambiente Bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes —

75
Chorozinho-de-bico-comprido THAMNOPHILIDAE
Herpsilochmus longirostris Large-billed Antwren

Tamanho (cm) 13 Peso (g) 16-19

Dieta Artrópodes

Ambiente Florestal

Potencial para dispersão de sementes —

76
Choca-de-asa-vermelha THAMNOPHILIDAE
Thamnophilus torquatus Rufous-winged Antshrike

Tamanho (cm) 14 Peso (g) 18-20

Dieta Artrópodes

Ambiente Bordas de florestas e savanas

Potencial para dispersão de sementes —

77
Foram registradas aves como o saí-azul, o bentevizinho-
de-asa-ferrugínea e o bem-te-vi-pirata se alimentando das sementes da
Lixeirinha (Davilla nitida), presente nas bordas dos experimentos
Arapaçu-do-cerrado DENDROCOLAPTIDAE
Lepidocolaptes angustirostris Narrow-billed Woodcreeper

Tamanho (cm) 20 Peso (g) 35-45

Dieta Artrópodes e pequenos vertebrados

Ambiente Bordas de florestas e savanas

Potencial para dispersão de sementes —

79
João-de-barro FURNARIIDAE
Furnarius rufus Rufous Hornero

Tamanho (cm) 18-20 Peso (g) 49

Dieta Invertebrados e pequenos vertebrados

Ambiente Savanas, campos, bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes —

80
João-de-pau FURNARIIDAE
Phacellodomus rufifrons Rufous-fronted Thornbird

Tamanho (cm) 16 Peso (g) 25-30

Dieta Artrópodes

Ambiente Savanas, bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes —

81
Graveteiro FURNARIIDAE
Phacellodomus ruber Greater Thornbird

Tamanho (cm) 19-21 Peso (g) 35-51

Dieta Artrópodes

Ambiente Bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes —

82
Petrim FURNARIIDAE
Synallaxis frontalis Sooty-fronted Spinetail

Tamanho (cm) 14-16 Peso (g) 11-17

Dieta Artrópodes

Ambiente Savanas, bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes —

83
Ninho de João-de-pau (Phacellodomus rufifrons) na área experimental
em recuperação onde foi realizado o levantamento
Fruxu-do-cerradão PIPRIDAE
Neopelma pallescens Pale-bellied Tyrant-Manakin

Tamanho (cm) 14 Peso (g) 20

Dieta Artrópodes e frutos

Ambiente Florestal

Potencial para dispersão de sementes Médio

85
Soldadinho PIPRIDAE
Antilophia galeata Helmeted Manakin

Tamanho (cm) 14 Peso (g) 18-26

Dieta Frutos e artrópodes

Ambiente Florestal

Potencial para dispersão de sementes Alto

86
Abre-asa-de-cabeça-cinza RHYNCHOCYCLIDAE
Mionectes rufiventris Gray-hooded Flycatcher

Tamanho (cm) 13 Peso (g) 14

Dieta Frutos e artrópodes

Ambiente Florestal

Potencial para dispersão de sementes Médio

87
Ferreirinho-relógio RHYNCHOCYCLIDAE
Todirostrum cinereum Common Tody-Flycatcher

Tamanho (cm) 8-10 Peso (g) 4 - 7,5

Dieta Artrópodes

Ambiente Bordas de florestas e savanas

Potencial para dispersão de sementes —

88
A fruta-de-pomba (Erythroxylum daphnites) atrai aves
como o soldadinho, sabiás, saíras e rolinhas, tendo sido registrados
regenerantes na área experimental em recuperação
Risadinha TYRANNIDAE
Camptostoma obsoletum Southern Beardless-Tyrannulet

Tamanho (cm) 9,5 Peso (g) 7

Dieta Artrópodes e frutos

Ambiente Bordas de florestas e savanas

Potencial para dispersão de sementes Médio

90
Guaracava-de-barriga-amarela TYRANNIDAE
Elaenia flavogaster Yellow-bellied Elaenia

Tamanho (cm) 16 Peso (g) 22

Dieta Frutos e artrópodes

Ambiente Savanas, bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes Médio

91
Piolhinho TYRANNIDAE
Phyllomyias fasciatus Planalto Tyrannulet

Tamanho (cm) 11 Peso (g) 9-11

Dieta Artrópodes e frutos

Ambiente Bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes Médio

92
Bem-te-vi-pirata TYRANNIDAE
Legatus leucophaius Piratic Flycatcher

Tamanho (cm) 14-17 Peso (g) 19-26

Dieta Frutos e artrópodes

Ambiente Bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes Médio

93
Maria-cavaleira TYRANNIDAE
Myiarchus ferox Short-crested Flycatcher

Tamanho (cm) 14-17 Peso (g) 19-26

Dieta Artrópodes e frutos

Ambiente Bordas de florestas e savanas

Potencial para dispersão de sementes Médio

94
Bem-te-vi TYRANNIDAE
Pitangus sulphuratus Great Kiskadee

Tamanho (cm) 20-25 Peso (g) 50-70

Dieta Invertebrados, pequenos vertebrados, frutos

Ambiente Savanas, bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes Médio

95
Bem-te-vi-rajado TYRANNIDAE
Myiodynastes maculatus Streaked Flycatcher

Tamanho (cm) 20 Peso (g) 42-62

Dieta Artrópodes e frutos

Ambiente Bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes Médio

96
Neinei TYRANNIDAE
Megarynchus pitangua Boat-billed Flycatcher

Tamanho (cm) 21-25 Peso (g) 54-68

Dieta Invertebrados, pequenos vertebrados, frutos

Ambiente Bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes Médio

97
Bentevizinho-de-asa-ferrugínea TYRANNIDAE
Myiozetetes cayanensis Rusty-margined Flycatcher

Tamanho (cm) 17 Peso (g) 26

Dieta Artrópodes e frutos

Ambiente Bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes Médio

98
Suiriri TYRANNIDAE
Tyrannus melancholicus Tropical Kingbird

Tamanho (cm) 21-24 Peso (g) 32-42

Dieta Artrópodes e frutos

Ambiente Savanas, bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes Médio

99
Os frutos da Goiaba-brava (Myrcia tomentosa) atraem aves
como o fim-fim, sabiás, saíras e pica-paus, tendo sido registrados
regenerantes na área experimental em recuperação
Tesourinha TYRANNIDAE
Tyrannus savana Fork-tailed Flycatcher

Tamanho (cm) 28-40 Peso (g) 28-35

Dieta Artrópodes e frutos

Ambiente Savanas, campos, bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes Médio

101
Peitica-de-chapéu-preto TYRANNIDAE
Griseotyrannus aurantioatrocristatus Crowned Slaty Flycatcher

Tamanho (cm) 18 Peso (g) 27

Dieta Artrópodes e frutos

Ambiente Savanas, campos, bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes Médio

102
Peitica TYRANNIDAE
Empidonomus varius Variegated Flycatcher

Tamanho (cm) 18 Peso (g) 28

Dieta Artrópodes e frutos

Ambiente Bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes Médio

103
Viuvinha TYRANNIDAE
Colonia colonus Long-tailed Tyrant

Tamanho (cm) 23-28 Peso (g) 30

Dieta Artrópodes

Ambiente Bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes —

104
Filipe TYRANNIDAE
Myiophobus fasciatus Bran-colored Flycatcher

Tamanho (cm) 12,5 Peso (g) 14

Dieta Artrópodes

Ambiente Bordas de florestas, savanas, campos

Potencial para dispersão de sementes —

105
Príncipe TYRANNIDAE
Pyrocephalus rubinus Vermilion Flycatcher

Tamanho (cm) 13-14 Peso (g) 11-14

Dieta Artrópodes

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes —

106
Noivinha-branca TYRANNIDAE
Xolmis velatus White-rumped Monjita

Tamanho (cm) 20 Peso (g) 30-38

Dieta Artrópodes e frutos

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes Baixo

107
Pitiguari VIREONIDAE
Cyclarhis gujanensis Rufous-browed Peppershrike

Tamanho (cm) 16,5 Peso (g) 25

Dieta Invertebrados, pequenos vertebrados, frutos

Ambiente Florestas e savanas

Potencial para dispersão de sementes Baixo

108
Gralha-do-campo CORVIDAE
Cyanocorax cristatellus Curl-crested Jay

Tamanho (cm) 35 Peso (g) 178

Invertebrados, pequenos vertebrados, ovos,


Dieta frutos

Ambiente Savanas, bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes Médio

109
Gralha-cancã CORVIDAE
Cyanocorax cyanopogon White-naped Jay

Tamanho (cm) 35 Peso (g) 179

Invertebrados, pequenos vertebrados, ovos,


Dieta frutos

Ambiente Florestas e savanas

Potencial para dispersão de sementes Médio

110
Foram registradas aves como sabiás, a tesourinha, o bem-te-vi-
pirata, o encontro, saíras, o risadinha e a cambacica se alimentando
das sementes da Tamanqueira (Pera glabrata), presente nas bordas dos
experimentos
Andorinha-serradora HIRUNDINIDAE
Stelgidopteryx ruficollis Southern Rough-winged Swallow

Tamanho (cm) 14 Peso (g) 13,5

Dieta Insetos

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes —

112
Corruíra TROGLODYTIDAE
Troglodytes musculus Southern House Wren

Tamanho (cm) 10-13 Peso (g) 10-12

Dieta Artrópodes

Ambiente Savanas, campos, bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes —

113
Balança-rabo-de-máscara POLIOPTILIDAE
Polioptila dumicola Masked Gnatcatcher

Tamanho (cm) 12 Peso (g) 7

Dieta Artrópodes

Ambiente Savanas, bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes —

114
Sabiá-barranco TURDIDAE
Turdus leucomelas Pale-breasted Thrush

Tamanho (cm) 23 Peso (g) 67-76

Dieta Frutos, invertebrados

Ambiente Florestas e savanas

Potencial para dispersão de sementes Alto

115
Sabiá-poca TURDIDAE
Turdus amaurochalinus Creamy-bellied Thrush

Tamanho (cm) 23 Peso (g) 60-70

Dieta Frutos, invertebrados

Ambiente Florestas e savanas

Potencial para dispersão de sementes Alto

116
Sabiá-laranjeira TURDIDAE
Turdus rufiventris Rufous-bellied Thrush

Tamanho (cm) 25 Peso (g) 68-78

Dieta Frutos, invertebrados

Ambiente Florestas e savanas

Potencial para dispersão de sementes Alto

117
Sabiá-do-campo MIMIDAE
Mimus saturninus Chalk-browed Mockingbird

Tamanho (cm) 23,5-26 Peso (g) 55-73

Frutos, invertebrados, pequenos vertebrados,


Dieta ovos

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes Alto

118
Tico-tico-do-campo PASSERELLIDAE
Ammodramus humeralis Grassland Sparrow

Tamanho (cm) 13 Peso (g) 18

Dieta Sementes, artrópodes

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes Baixo

119
Canário-do-mato PARULIDAE
Myiothlypis flaveola Flavescent Warbler

Tamanho (cm) 14,5 Peso (g) 20

Dieta Invertebrados

Ambiente Florestal

Potencial para dispersão de sementes —

120
Os frutos do aguaí (Chrysophyllum marginatum) atraem aves
como guaracavas, sabiás e saíras, tendo sido registrados
regenerantes na área experimental em recuperação
Guaxe ICTERIDAE
Cacicus haemorrhous Red-rumped Cacique

Tamanho (cm) 21,5-29,5 Peso (g) 62-96

Dieta Frutos, invertebrados, néctar

Ambiente Bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes Médio

122
Encontro ICTERIDAE
Icterus pyrrhopterus Variable Oriole

Tamanho (cm) 20 Peso (g) 30-33

Dieta Frutos, invertebrados, néctar

Ambiente Bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes Médio

123
Chupim ICTERIDAE
Molothrus bonariensis Shiny Cowbird

Tamanho (cm) 17-21,5 Peso (g) 44,9-63,7

Dieta Sementes, frutos, artrópodes

Ambiente Campos, savanas

Potencial para dispersão de sementes Médio

124
Polícia-inglesa-do-sul ICTERIDAE
Sturnella superciliaris White-browed Meadowlark

Tamanho (cm) 18 Peso (g) 25

Dieta Sementes, artrópodes

Ambiente Campos úmidos

Potencial para dispersão de sementes Baixo

125
Sanhaçu-cinzento THRAUPIDAE
Tangara sayaca Sayaca Tanager

Tamanho (cm) 16-17 Peso (g) 28-34

Dieta Frutos, flores, artrópodes

Ambiente Bordas de florestas, savanas

Potencial para dispersão de sementes Médio

126
Saíra-amarela THRAUPIDAE
Tangara cayana Burnished-buff Tanager

Tamanho (cm) 15 Peso (g) 20

Dieta Frutos, flores, artrópodes

Ambiente Bordas de florestas, savanas

Potencial para dispersão de sementes Médio

127
Saíra-de-chapéu-preto THRAUPIDAE
Nemosia pileata Hooded Tanager

Tamanho (cm) 13 Peso (g) 14

Dieta Artrópodes, néctar, frutos

Ambiente Bordas de florestas, savanas

Potencial para dispersão de sementes Médio

128
Canário-da-terra THRAUPIDAE
Sicalis flaveola Saffron Finch

Tamanho (cm) 13,5 Peso (g) 20

Dieta Sementes, artrópodes

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes Baixo

129
Tiziu THRAUPIDAE
Volatinia jacarina Blue-black Grassquit

Tamanho (cm) 11,5 Peso (g) 9-10

Dieta Sementes, artrópodes

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes Baixo

130
Pipira-preta THRAUPIDAE
Tachyphonus rufus White-lined Tanager

Tamanho (cm) 17-18 Peso (g) 21-37

Dieta Frutos, artrópodes

Ambiente Florestas e savanas

Potencial para dispersão de sementes Médio

131
Pipira-vermelha THRAUPIDAE
Ramphocelus carbo Silver-beaked Tanager

Tamanho (cm) 16-18 Peso (g) 21,5-37,5

Dieta Frutos, artrópodes

Ambiente Bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes Médio

132
Os frutos da pé-de-perdiz (Simarouba versicolor) atraem aves
como tucanos e também morcegos frugívoros, tendo sido uma das
espécies registradas com regenerantes na área experimental em
recuperação
Saí-andorinha THRAUPIDAE
Tersina viridis Swallow Tanager

Tamanho (cm) 15 Peso (g) 35

Dieta Frutos, artrópodes

Ambiente Bordas de florestas, savanas

Potencial para dispersão de sementes Alto

134
Saí-azul THRAUPIDAE
Dacnis cayana Blue Dacnis

Tamanho (cm) 13 Peso (g) 16

Dieta Frutos, artrópodes, néctar

Ambiente Bordas de florestas, savanas

Potencial para dispersão de sementes Médio

135
Cambacica THRAUPIDAE
Coereba flaveola Bananaquit

Tamanho (cm) 11 Peso (g) 10

Dieta Néctar, frutos, artrópodes

Ambiente Bordas de florestas, savanas

Potencial para dispersão de sementes Baixo

136
Patativa THRAUPIDAE
Sporophila plumbea Plumbeous Seedeater

Tamanho (cm) 11 Peso (g) 9-12

Dieta Sementes, artrópodes

Ambiente Savanas e campos

Potencial para dispersão de sementes Baixo

137
Baiano THRAUPIDAE
Sporophila nigricollis Yellow-bellied Seedeater

Tamanho (cm) 11 Peso (g) 9-12

Dieta Sementes, artrópodes

Ambiente Savanas, campos, bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes Baixo

138
Coleirinho THRAUPIDAE
Sporophila caerulescens Double-collared Seedeater

Tamanho (cm) 12 Peso (g) 10-12

Dieta Sementes, artrópodes

Ambiente Savanas, campos

Potencial para dispersão de sementes Baixo

139
Chorão THRAUPIDAE
Sporophila leucoptera White-bellied Seedeater

Tamanho (cm) 12-12,5 Peso (g) 15-16

Dieta Sementes, artrópodes

Ambiente Savanas, campos

Potencial para dispersão de sementes Baixo

140
Trinca-ferro THRAUPIDAE
Saltator similis Green-winged Saltator

Tamanho (cm) 21 Peso (g) 50-59

Dieta Frutos, flores, artrópodes

Ambiente Florestas e savanas

Potencial para dispersão de sementes Médio

141
Saí-canário THRAUPIDAE
Thlypopsis sordida Orange-headed Tanager

Tamanho (cm) 13,5 Peso (g) 16-17

Dieta Frutos, sementes, insetos

Ambiente Bordas de florestas

Potencial para dispersão de sementes Médio

142
Fim-fim FRINGILLIDAE
Euphonia chlorotica Purple-throated Euphonia

Tamanho (cm) 10 Peso (g) 8

Dieta Frutos, artrópodes

Ambiente Florestas e savanas

Potencial para dispersão de sementes Alto

143
A embaúba (Cecropia pachystachya) atrai abelhas nativas e
diversas espécies de aves como o soldadinho, o suiriri, a saíra-amarela,
a cambacica, o tuim, a guaracava e o baiano
Outros vertebrados registrados na área

Mico-estrela (Callithrix penicillata - Callitrichidae)

Macaco-prego (Sapajus libidinosus - Cebidae)

145
Outros vertebrados registrados na área

Cachorro-do-mato (Cerdocyon thous - Canidae)

Quati (Nasua nasua - Procyonidae)

146
Outros vertebrados registrados na área

Veado-catingueiro (Mazama gouazoubira - Cervidae)

Jararaca (Bothrops moojeni - Viperidae)

147
Alguns regenerantes na área experimental em
recuperação trazidos pela ação da fauna

Aroeira-branca (Lithrea molleoides - Anacardiaceae)

Pimenta-de-macaco (Xylopia aromatica - Annonaceae)

148
Alguns regenerantes na área experimental em
recuperação trazidos pela ação da fauna

Fruta-de-pomba (Erythroxylum daphnites - Erythroxylaceae)

Goiaba-brava (Myrcia tomentosa - Myrtaceae)

149
Alguns regenerantes na área experimental em
recuperação trazidos pela ação da fauna

Aguaí (Chrysophyllum marginatum - Sapotaceae)

Pé-de-perdiz (Simarouba versicolor - Simaroubaceae)

150
Considerações finais

Ao promover a recomposição de ambientes degradados facilita-se


o aumento da biodiversidade da flora e consequentemente da fauna e esta,
por sua vez, contribui para os ciclos de regeneração natural do ambiente,
dando continuidade e acelerando os ciclos biológicos no ecossistema. Das
108 espécies de aves registradas nesse levantamento, apenas 28
foram observadas frequentando área de agropecuária que margeava
os experimentos, evidenciando a importância da recomposição da
cobertura vegetal nativa na riqueza de espécies. Animais dispersores de
sementes, como muitas espécies de aves, sustentam os ciclos de reprodução
de cerca de um terço ou 4.000 espécies de plantas do bioma Cerrado.
Durante o levantamento das espécies de aves nas áreas experimentais
em recuperação, foram registradas diversas ações de frugivoria pelas aves.
Nestes casos, foram observados indivíduos se alimentando de frutos plantados
nos experimentos, como a pimenta-rosa (Schinus terebinthifolia), ou mesmo de
frutos de plantas nas bordas das florestas remanescentes, como a embaúba
(Cecropia pachystachya) e a pimenta-de-macaco (Xylopia aromatica). Dentre
as aves registradas no levantamento, pode-se destacar as seguintes no
papel de dispersoras de sementes: Tucanuçu, Soldadinho, Guaracava,
Neinei, Bem-te-vi, Suiriri, Sabiás, Saíras, Encontro, Saí-andorinha,
Trinca-ferro, Pipira-preta e Fim-fim.
A revegetação também promoveu abrigo, local para nidificação e
aumento da biodiversidade de abelhas e outros insetos, que são importantíssimos
para polinização e também para a dieta de diversas outras espécies de aves.
Durante o levantamento na área foram flagrados, por exemplo, ninhos de
Canário-da-terra, Ferreirinho-relógio, João-de-barro, João-de-pau, Graveteiro,
Fogo-apagou e Tiziu. Também foram registradas aves predadoras como corujas,
gaviões e carcarás. É o ciclo da vida que promove equilíbrio ao ecossistema.
O fato das aves e outros animais estarem visitando a área em
recomposição da fazenda é um indicador ambiental de conservação, uma vez
que os animais vão aonde tem abrigo e alimento e isso está sendo proporcionado
pela revegetação. Adicionalmente, destaca-se que atividades de observação
de aves (birdwatching) vêm crescendo bastante no Brasil, o que também pode
ser uma atividade para gerar renda extra ao produtor, pois isso agrega valor ao
promover esse tipo de ecoturismo nas áreas conservadas da sua propriedade.
Assim, espera-se que esse material possa chamar a atenção para o fato de
que é possível produzir, conservar a biodiversidade e gerar renda ao mesmo
tempo, e a Fazenda Entre Rios, como parceira dos projetos de recuperação no
projeto Biomas está nesse caminho. Como o lema do projeto ressalta, a mão
que conserva é a mesma que produz!

Marcelo Kuhlmann
biólogo, doutor em Botânica e especialista em
interações planta-animal no bioma Cerrado

151
Floração do cipó-uva (Serjania - Sapindaceae) presente na borda
das florestas adjacentes aos experimentos, muito visitada por abelhas
Anotações de campo

Local Data Espécie observada

153
Anotações de campo

Local Data Espécie observada

154
Anotações de campo

Local Data Espécie observada

155
Índice de nomes científicos

A E
Amazona aestiva.......................... 74 Elaenia flavogaster........................ 91
Ammodramus humeralis............. 119 Elanus leucurus............................ 34
Antilophia galeata......................... 86 Empidonomus varius.................. 103
Aramides cajaneus....................... 38 Eupetomena macroura................. 57
Asio flammeus.............................. 50 Euphonia chlorotica.................... 143
Athene cunicularia........................ 49 F
B Falco femoralis............................. 70
Baryphthengus ruficapillus............ 60 Forpus xanthopterygius................ 72
Brotogeris chiriri........................... 73 Furnarius rufus.............................. 80
Bubulcus ibis................................ 28 G
C Galbula ruficauda.......................... 61
Cacicus haemorrhous................. 122 Geranoaetus albicaudatus............ 37
Camptostoma obsoletum............. 90 Griseotyrannus aurantioatrocristatus..102
Caracara plancus......................... 69 H
Cariama cristata........................... 68 Herpsilochmus atricapillus............ 75
Coereba flaveola......................... 136 Herpsilochmus longirostris............ 76
Colaptes campestris..................... 66 Heterospizias meridionalis............. 35
Colaptes melanochloros............... 65 Hydropsalis maculicaudus ........... 54
Colibri serrirostris.......................... 58 Hydropsalis parvula...................... 53
Colonia colonus.......................... 104 I
Columbina squammata................ 42 Icterus pyrrhopterus................... 123
Columbina talpacoti...................... 41 L
Coragyps atratus.......................... 32 Legatus leucophaius..................... 93
Crotophaga ani............................. 48 Lepidocolaptes angustirostris....... 79
Crypturellus parvirostris................ 26 Leptotila verreauxi......................... 46
Crypturellus undulatus.................. 25 M
Cyanocorax cristatellus............... 109 Megarynchus pitangua................. 97
Cyanocorax cyanopogon............ 110 Melanerpes candidus................... 63
Cyclarhis gujanensis................... 108 Mesembrinibis cayennensis.......... 29
D Mimus saturninus....................... 118
Dacnis cayana............................ 135 Mionectes rufiventris..................... 87
Molothrus bonariensis................ 124

156
Índice de nomes científicos

Mustelirallus albicollis.................... 39 Sporophila leucoptera................. 140


Myiarchus ferox............................ 94 Sporophila nigricollis................... 138
Myiodynastes maculatus.............. 96 Sporophila plumbea................... 137
Myiophobus fasciatus................. 105 Stelgidopteryx ruficollis............... 112
Myiothlypis flaveola..................... 120 Sturnella superciliaris.................. 125
Myiozetetes cayanensis................ 98 Synallaxis frontalis......................... 83
N T
Nemosia pileata.......................... 128 Tachyphonus rufus..................... 131
Neopelma pallescens................... 85 Tangara cayana.......................... 127
Nyctibius griseus.......................... 51 Tangara sayaca.......................... 126
Nyctidromus albicollis .................. 52 Tersina viridis.............................. 134
P Thalurania furcata......................... 59
Patagioenas cayennensis............. 45 Thamnophilus torquatus............... 77
Patagioenas picazuro................... 44 Theristicus caudatus..................... 31
Phacellodomus ruber.................... 82 Thlypopsis sordida..................... 142
Phacellodomus rufifrons............... 81 Todirostrum cinereum................... 88
Phaethornis pretrei....................... 56 Troglodytes musculus................. 113
Phimosus infuscatus..................... 30 Turdus amaurochalinus............... 116
Phyllomyias fasciatus.................... 92 Turdus leucomelas...................... 115
Piaya cayana................................ 47 Turdus rufiventris........................ 117
Pitangus sulphuratus.................... 95 Tyrannus melancholicus................ 99
Polioptila dumicola...................... 114 Tyrannus savana......................... 101
Psittacara leucophthalmus............ 71 V
Pyrocephalus rubinus................. 106 Vanellus chilensis.......................... 40
R Veniliornis passerinus.................... 64
Ramphastos toco......................... 62 Volatinia jacarina......................... 130
Ramphocelus carbo................... 132 X
Rhynchotus rufescens.................. 27 Xolmis velatus............................. 107
Rupornis magnirostris................... 36
S
Saltator similis............................ 141
Sicalis flaveola............................ 129
Sporophila caerulescens............. 139

157
Índice de nomes populares

A Coruja-buraqueira......................... 49
Abre-asa-de-cabeça-cinza........... 87 Curicaca....................................... 31
Alma-de-gato............................... 47 E
Andorinha-serradora................... 112 Encontro..................................... 123
Anu-preto..................................... 48 F
Arapaçu-do-cerrado..................... 79 Falcão-de-coleira.......................... 70
Ariramba-de-cauda-ruiva.............. 61 Ferreirinho-relógio......................... 88
B Filipe........................................... 105
Bacurau........................................ 52 Fim-fim....................................... 143
Bacurau-chintã............................. 53 Fogo-apagou................................ 42
Bacurau-de-rabo-maculado......... 54 Fruxu-do-cerradão....................... 85
Baiano........................................ 138 G
Balança-rabo-de-máscara.......... 114 Garça-vaqueira............................. 28
Beija-flor-de-orelha-violeta............ 58 Gavião-caboclo............................ 35
Beija-flor-tesoura.......................... 57 Gavião-carijó................................ 36
Beija-flor-tesoura-verde................ 59 Gavião-de-rabo-branco................ 37
Bem-te-vi..................................... 95 Gavião-peneira............................. 34
Bem-te-vi-pirata........................... 93 Gralha-cancã.............................. 110
Bem-te-vi-rajado.......................... 96 Gralha-do-campo....................... 109
Bentevizinho-de-asa-ferrugínea.... 98 Graveteiro..................................... 82
C Guaracava-de-barriga-amarela..... 91
Cambacica................................. 136 Guaxe........................................ 122
Canário-da-terra......................... 129 I
Canário-do-mato........................ 120 Inhambu-chororó.......................... 26
Carcará........................................ 69 J
Choca-de-asa-vermelha............... 77 Jaó............................................... 25
Chorão....................................... 140 João-de-barro.............................. 80
Chorozinho-de-bico-comprido..... 76 João-de-pau................................ 81
Chorozinho-de-chapéu-preto....... 75 Juriti-pupu.................................... 46
Chupim...................................... 124 Juruva.......................................... 60
Coleirinho .................................. 139 M
Coró-coró..................................... 29 Mãe-da-lua, urutau....................... 51
Corruíra...................................... 113 Maria-cavaleira............................. 94

158
Índice de nomes populares

Mocho-dos-banhados.................. 50 Sabiá-do-campo........................ 118


N Sabiá-laranjeira........................... 117
Neinei .......................................... 97 Sabiá-poca................................. 116
Noivinha-branca......................... 107 Saí-andorinha............................. 134
P Saí-azul...................................... 135
Papagaio-verdadeiro.................... 74 Saí-canário................................. 142
Patativa...................................... 137 Saíra-amarela............................. 127
Peitica........................................ 103 Saíra-de-chapéu-preto............... 128
Peitica-de-chapéu-preto............. 102 Sanã-carijó .................................. 39
Perdiz........................................... 27 Sanhaçu-cinzento....................... 126
Periquitão-maracanã.................... 71 Saracura-três-potes..................... 38
Periquito-de-encontro-amarelo..... 73 Seriema........................................ 68
Petrim........................................... 83 Soldadinho................................... 86
Pica-pau-branco.......................... 63 Suiriri............................................ 99
Pica-pau-do-campo..................... 66 T
Pica-pau-verde-barrado............... 65 Tapicuru....................................... 30
Picapauzinho-anão....................... 64 Tesourinha.................................. 101
Piolhinho...................................... 92 Tico-tico-do-campo................... 119
Pipira-preta................................. 131 Tiziu........................................... 130
Pipira-vermelha........................... 132 Trinca-ferro................................. 141
Pitiguari...................................... 108 Tucanuçu...................................... 62
Polícia-inglesa-do-sul................. 125 Tuim............................................. 72
Pomba-asa-branca...................... 44 U
Pomba-galega.............................. 45 Urubu-de-cabeça-preta................ 32
Príncipe...................................... 106 V
Q Viuvinha...................................... 104
Quero-quero ................................ 40
R
Rabo-branco-acanelado............... 56
Risadinha..................................... 90
Rolinha-roxa ................................ 41
S
Sabiá-barranco........................... 115

159
Índice de nomes em inglês

A G
Aplomado Falcon......................... 70 Grassland Sparrow..................... 119
Ash-throated Crake...................... 39 Gray-hooded Flycatcher............... 87
B Gray-necked Wood-Rail............... 38
Bananaquit................................. 136 Greater Thornbird......................... 82
Bare-faced Ibis............................. 30 Great Kiskadee............................. 95
Black-capped Antwren................. 75 Green-barred Woodpecker........... 65
Black Vulture................................ 32 Green Ibis..................................... 29
Blue-black Grassquit.................. 130 Green-winged Saltator................ 141
Blue Dacnis................................ 135 H
Blue-winged Parrotlet................... 72 Helmeted Manakin........................ 86
Boat-billed Flycatcher................... 97 Hooded Tanager......................... 128
Bran-colored Flycatcher............. 105 L
Buff-necked Ibis........................... 31 Large-billed Antwren..................... 76
Burnished-buff Tanager.............. 127 Little Nightjar................................ 53
Burrowing Owl.............................. 49 Little Woodpecker........................ 64
C Long-tailed Tyrant....................... 104
Campo Flicker.............................. 66 M
Cattle Egret.................................. 28 Masked Gnatcatcher.................. 114
Chalk-browed Mockingbird......... 118 N
Common Pauraque...................... 52 Narrow-billed Woodcreeper.......... 79
Common Potoo............................ 51 O
Common Tody-Flycatcher............. 88 Orange-headed Tanager............. 142
Creamy-bellied Thrush................ 116 P
Crowned Slaty Flycatcher........... 102 Pale-bellied Tyrant-Manakin.......... 85
Curl-crested Jay......................... 109 Pale-breasted Thrush................. 115
D Pale-vented Pigeon...................... 45
Double-collared Seedeater......... 139 Picazuro Pigeon........................... 44
F Piratic Flycatcher.......................... 93
Flavescent Warbler..................... 120 Planalto Hermit............................. 56
Fork-tailed Flycatcher................. 101 Planalto Tyrannulet........................ 92
Fork-tailed Woodnymph............... 59 Plumbeous Seedeater................ 137
Purple-throated Euphonia........... 143

160
Índice de nomes em inglês

R Streaked Flycatcher...................... 96
Red-legged Seriema..................... 68 Swallow-tailed Hummingbird........ 57
Red-rumped Cacique................. 122 Swallow Tanager........................ 134
Red-winged Tinamou................... 27 T
Roadside Hawk............................ 36 Toco Toucan................................. 62
Ruddy Ground-Dove.................... 41 Tropical Kingbird........................... 99
Rufous-bellied Thrush................. 117 Turquoise-fronted Parrot............... 74
Rufous-browed Peppershrike..... 108 U
Rufous-capped Motmot............... 60 Undulated Tinamou...................... 25
Rufous-fronted Thornbird............. 81 V
Rufous Hornero............................ 80 Variable Oriole............................ 123
Rufous-tailed Jacamar.................. 61 Variegated Flycatcher................. 103
Rufous-winged Antshrike.............. 77 Vermilion Flycatcher.................... 106
Rusty-margined Flycatcher........... 98 W
S White-bellied Seedeater.............. 140
Saffron Finch.............................. 129 White-browed Meadowlark......... 125
Savanna Hawk............................. 35 White-eyed Parakeet.................... 71
Sayaca Tanager.......................... 126 White-lined Tanager.................... 131
Scaled Dove................................. 42 White-naped Jay........................ 110
Shiny Cowbird............................ 124 White-rumped Monjita................ 107
Short-crested Flycatcher.............. 94 White-tailed Hawk........................ 37
Short-eared Owl........................... 50 White-tailed Kite........................... 34
Silver-beaked Tanager................ 132 White-tipped Dove........................ 46
Small-billed Tinamou.................... 26 White-vented Violetear.................. 58
Smooth-billed Ani......................... 48 White Woodpecker....................... 63
Sooty-fronted Spinetail................. 83 Y
Southern Beardless-Tyrannulet..... 90 Yellow-bellied Elaenia.................... 91
Southern Caracara....................... 69 Yellow-bellied Seedeater............. 138
Southern House Wren................ 113 Yellow-chevroned Parakeet.......... 73
Southern Lapwing........................ 40
Southern Rough-winged Swallow.112
Spot-tailed Nightjar....................... 54
Squirrel Cuckoo............................ 47

161
Autor: José Felipe Ribeiro - Embrapa Cerrados
REALIZAÇÃO

APOIO

MINISTÉRIO DA
MINISTÉRIO DO AGRICULTURA, PECUÁRIA
MEIO AMBIENTE E ABASTECIMENTO
O Cerrado é um dos biomas mais
ricos e ameaçados do planeta. Assim,
ações para recuperar suas áreas
degradadas são fundamentais para
conservar a sua biodiversidade.
As aves são o maior grupo de animais
dispersores de sementes que habita
o Cerrado e importantíssimas para o
processo de regeneração natural dos
ambientes.
Esse guia apresenta mais de
100 espécies de aves que foram
registradas em uma área em
recuperação no Cerrado, na Fazenda
Entre Rios, DF, uma área experimental
do Projeto Biomas, uma parceria
entre a Embrapa e a CNA.

Você também pode gostar