Você está na página 1de 7

Miniteste 4.3. MT4.3.

Nome da Escola Ano letivo 20 - 20 Matemática A | 11.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor - - 20

1. Determine, caso existam, as assíntotas ao gráfico das funções definidas por cada uma das
expressões seguintes.

2  6x
f  x 
1.1. x3

x2
g  x 
1 x
1.2.

h  x   x  x2
1.3.

x3
f  x 
 x  2
2

2. Considere a função f, real de variável real, definida por .

2.1. Mostre que a reta de equação y  x  4 é assíntota não vertical ao gráfico de f.

2.2. Prove que o gráfico de f admite apenas uma assíntota vertical.

Página 1
Miniteste 4.4. MT4.4.
Nome da Escola Ano letivo 20 - 20 Matemática A | 11.º ano

Nome do Aluno Turma N.º Data

Professor - - 20

3x 5x
f  x   2
1. Considere a função f, real de variável real, definida por 4  2x x  4 .

1.1. Determine os zeros de f.

1.2. Estude o sinal de f.

1.3. Determine uma equação da assíntota não vertical ao gráfico de f.

2. Num aviário existem 7920 pintos e 280 patos.

P  x
Ao serem introduzidos x patos no aviário, a proporção do número de patos,
relativamente ao número total de aves que passam a existir no aviário, é tal que:

x  280
P  x 
8200  x

P  x  1
2.1. A equação é impossível.

Interprete esta impossibilidade no contexto da situação descrita.

2.2. Pretende-se que a percentagem de patos relativamente ao número total de aves seja de
10%. Qual é o número de patos a introduzir no aviário?

Página 2
Proposta de resoluções

Miniteste 4.3.  x2
 se 1  x  0
1  x
2
x
D f   x   : x  3  0   \  3 g  x   2 
1.1. ■ 1 x  x
se 1  x  0
   1  x 
1.2. ■
■ Assíntotas verticais
 x2
A função f é contínua pois é definida pelo  se x  1
1 x
quociente de duas funções contínuas: ambas funções  2
polinomiais.  x se x  1
 x  1
–3 não pertence ao domínio de f mas é ponto
aderente a esse conjunto. Dg   \  1

2  6 x 20
lim f  x   lim  ■ Assíntotas verticais
x 3 x3
x  3 0 , pelo que temos de
calcular os limites laterais. A função g é contínua pois é definida pelo
quociente de duas funções contínuas: uma é uma
20 20 função quadrática e a outra é o módulo de uma
lim f  x     lim f  x     
x 3 0 e x 3 0 função afim.

Portanto, a reta de equação x  3 é a única 1 não pertence ao domínio de g mas é ponto


assíntota vertical ao gráfico de f. aderente a este conjunto, pelo que vamos calcular
lim g  x 
x 1
■ Assíntotas não verticais .

x2 1
Em  : lim g  x   lim   
x 1 x 1 x  1 0
2  6x 
f  x x  3 2  6x  x2 1
m  lim  lim  lim 2  lim g  x   lim   
x  x x  x x  x  3 x x 1 x 1 1  x 0

Portanto, a reta de equação x = 1 é a única


6 x 6 6 assíntota vertical ao gráfico de g.
 lim  lim  0
x  x2 x  x 
■ Assíntotas não verticais
2  6x Em  :
b  lim  f  x   mx   lim   6
x  x  x3
x2 
Logo, a reta de equação y  6 é assíntota ao g  x x2  x2
m  lim  lim x  1  lim 2  lim 2  1
gráfico de f em  . x  x x  x x  x  x x  x

Em  :  x2 
b  lim  g  x   mx   lim   x 
x  x  x  1
 
f  x 6 6
m  lim  lim  0
x  x x  x  
x 2  x  x  1 x2  x2  x x 
 lim  lim  lim 
6 x x  x 1 x  x 1 x  x 1
b  lim  f  x   mx   lim  6
x  x  x

x
 lim 1
Logo, a reta de equação y  6 é assíntota do gráfico x
x 

de f em  . Assim, x  3 e y  6 são as
Logo, a reta de equação y  x  1 é assíntota ao
equações das assíntotas ao gráfico de f.
gráfico de g em 

Página 3
Proposta de resoluções

Em  :
x2  lim
 x  x2  x  x  x2  x 

g  x xx  x
x  2
x2  x2
m  lim  lim 1  x  lim  lim  1
x  x x  x x  x  x 2 x   x 2

 x2 
b  lim  g  x   mx   lim   x 
 
x  x  1  x
  x  x2
2
 x2 x  x2  x2
 lim  lim 
 x 
x  x2  x x 
x  x2  x
x2  x  1  x  x2  x  x2 x 
 lim  lim  lim 
x  1 x x  1 x x  1 x

x 
 lim  1 x  x
x  x  lim  lim 
x 
x  x2  x x 
1 
x 2   1  x
Logo, a reta de equação y   x  1 é assíntota ao x 
gráfico de g em  .

Conclusão: x  1 , y  x  1 e y   x  1 são as
x x
equações das assíntotas ao gráfico de g.  lim  lim 
x 
1 x   1 
x 1  x x   1  1
x x
Resposta: x  1 , y  x  1 e y   x  1 são as  
equações das assíntotas ao gráfico de g.
1 1 1
 lim  
Dh   x   : x  x  0 2 x  1
1 1
0 1 1 2
1.3. x

Cálculos auxiliares:
1
yx
x  x  0  x  1  x   0  x  0  x  1
2
Logo, a reta de equação 2 é assíntota ao
gráfico
Dh    ,  1   0 ,   de h em  .
Portanto, .
Em  :
■ Assíntotas verticais

A função h é contínua pois é definida pela raiz


1 
quadrada de uma função quadrática.  x 2   1
h  x x  x2  x 
m  lim  lim  lim 
O gráfico de h não admite assíntotas verticais.
x  x x  x x  x

■ Assíntotas não verticais


1 1
x 1 x 1
Em  : x x 1
 lim  lim  lim  1 
x  x x  x x  x

  0  1  1
1 
 x 2   1
h x x x 2 
x  
m  lim  lim  lim  b  lim  h  x   mx   lim  x  x 2  x  
x  x x  x x  x x  x   

x
1
x
1 x
1
x
1
1  lim
 x  x2  x  x  x2  x 
 lim  lim  lim 1 
x  x x  x x  x
x 
xx x 2

1
 1  0 1 1
 
2
 x  x2  x2 x  x2  x2
 lim  lim 

x 
x x x 2 x 
x  x2  x
b  lim  h  x   mx   lim  x  x 2  x  
x  x   
Página 4
Proposta de resoluções

x x A função f é contínua pois é definida pelo quociente


 lim  lim 
x 
x  x2  x x 
1  de duas funções contínuas: ambas funções
x 2   1  x
x  polinomiais.

–2 não pertence ao domínio da função f mas é ponto


x x aderente a este conjunto, portanto, vamos calcular
 lim  lim  
x  1 x   1  lim f  x 
x 1  x x    1  1 x 2
x  x 
x3 8
lim f  x   lim   
1 1 1  x  2 0
x 2 x 2 2
 lim  
x  1  0 1 1 2
 1 1
x Logo, a reta de equação x  2 é a única assíntota
vertical ao gráfico de f , ou seja, o gráfico de f
1
y  x  admite apenas uma assíntota vertical.
Logo, a reta de equação 2 é assíntota ao
gráfico de h em  .

1 1 Miniteste 4.4.
y x y  x 
Conclusão: 2 e 2 são as equações
das assíntotas ao gráfico de h . 1.1.
3x 5x 3x 5x
f  x  0   0  0
2.1. A reta de equação y  x  4 é assíntota não vertical ao 4  2 x x2  4 2  2  x  4  x2
gráfico de f quando: 3x 5x
  0
2 2  x  2  x  2  x
lim  f  x    x  4    0
x 
ou
3x  2  x   5 x  2 6 x  3 x 2  10 x
lim  f  x    x  4    0  0 0
x  
2 2  x  2  x 2 2  x  2  x

Assim, temos que: 3x 2  16 x


 0
2 2  x  2  x
 x3  
lim  f  x    x  4    lim    x  4    3 x 2  16 x  0  2  2  x   2  x   0 
  x  2 
2

x  x 

x3   x  4  x  2 
2

 lim   x  3x  16   0   2  x  0  2  x  0  
 x  2
x  2

x3   x  4   x 2  4 x  4   x  0  3x  16  0    x  2  x  2  
 lim 
 x  2
x  2

x3  x 3  4 x 2  4 x  4 x 2  16 x  16  16 
 lim    x  0  x      x  2  x  2  
x  x2  4x  4  3


12 x  16  12 x 12 16
 lim  lim 2  lim 0  x  0 x  
x  x 2  4 x  4 x  x x  x 3

16
lim  f  x    x  4    0 
Como x 
podemos concluir Resposta: Os zeros de f são 3 e0
que a reta de equação y  x  4 é assíntota não
vertical ao gráfico de f . 3x 5x 3 x 2  16 x
 2 
4  2x x  4 2  2  x  2  x 
1.2. Temos que .
D f   \  2
2.2.
Por outro lado:

Página 5
Proposta de resoluções


■ zeros do numerador: 3 x 2  16 x 3 x 2  16 x 
16  lim  lim 
3x 2  16 x  0  x  0  x   x  2  2  x   2  x  x  2 x 2  8
3

 3x 2  3
■ zeros do denominador:  lim   2   
2  2  x   2  x   0  x  2  x  2
x 
 2 x  2

3
y
Portanto, a reta de equação 2 é assíntota não vertical
Construindo uma tabela de sinais, vem: ao gráfico de f em  .
16
x
∞  –2 0 2 +∞ ■ Assíntota não vertical em  :
3

Os cálculos são análogos aos de  , pelo que também


N + 0 – – – 0 + + + 3
b
m0 e 2.
D – – – 0 + + + 0 –

3
F – 0 + n.d. – 0 + n.d. – y
Logo, a reta de equação 2 é assíntota não vertical ao
gráfico de f em  .

2  2  x  2  x
3
N: 3x  16 x ;
2
D: F: y
Resposta: 2
3 x 2  16 x
2 2  x  2  x
p x  1
2.1. A equação significa que o número de
Logo: patos é igual ao número total de aves existentes no aviário, o
que é impossível porque, no aviário, existem 7920 pintos.
 16 
f  x   0  x    ,  2    0 , 2
 3  2.2. Se a proporção de patos é 10% do total, então:

 16 
f  x   0  x    ,     2 , 0   2 ,   10 x  280 10 x  280 10
 3 p x      0
100 8200  x 100 8200  x 100
16
f  x  0  x   x0 100  x  280   10  8200  x 
3  0
100  8200  x 
D f   \  2 , 2
1.3.
100 x  28000  82000  10 x
 0
■ Assíntota não vertical em  100  8200  x 

3x 5x 90 x  54000
f  x  2  0
m  lim  lim 4  2 x x  4  100  8200  x 
x  x x  x
 90 x  54000  0  100  8200  x   0 
3 x 2  16 x
2 2  x  2  x
 lim  54000
x  x x  x  8200 
90

3 x 2  16 x 3 x 2  16 x   x  600  x  8200  x  600
 lim  lim 

x  2 x 4  x 2
 x  2 x 3  8 x

Portanto, o número de patos a introduzir no


3x 2 aviário seria igual a 600.
 3 
 lim  lim     0
x  2 x 3 x   2 x 
Resposta: 600

b  lim  f  x   mx  
x 

Página 6
Proposta de resoluções

Página 7