Você está na página 1de 3

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ___ VARA DO TRABALHO DA CIDADE DE

(CIDADE-UF)

EMPRESA ALFA LTDA, inscrito no CNPJ sob o (número), com endereço comercial na (rua),
(número), (bairro), (cidade), (estado), através de seu advogado infra firmado, procuração anexa,
(endereço completo) onde recebe intimações, com fulcro no artigo 840, §1°, da CLT c/c art. 319
do CPC, vem à presença de Vossa Excelência, para propor a presente:

AÇÃO DE INQUÉRITO JUDICIAL PARA APURAÇÃO DE FALTA GRAVE com


fundamento nos arts. 853, 854 e 855 da CLT. Pelo Procedimento Sumaríssimo, em face de,
LEONEL PEREIRA, (nacionalidade), (estado civil), ( profissão), portador da cédula de identidade
(número)-(órgão emissor/uf), inscrito no CPF sob o (número), (endereço eletrônico) residente e
domiciliado na (rua), (bairro), (número), (cidade), (estado), pelos motivos fáticos e fundamentos
de direito a seguir delineados:

DOS FATOS

Leonel Pereira é empregado da Empresa Alfa Ltda. E, apesar de ser detentor de


estabilidade provisória, na qualidade de diretor titular de sociedade cooperativa criada pelos
próprios empregados da Empresa Alfa há cerca de um ano, não está liberado de cumprir sua
jornada de trabalho.
Leonel, todavia, vem apresentando reiteradas faltas e atrasos, todos devidamente
punidos pelo seu empregador. Em sua ficha funcional constam nos últimos dois meses, 3
advertências e 2 suspensões, toda pelos motivos descritos.
E a situação só vem se agravando a cada dia, tornando-se cada vez mais reincidente em
suas faltas. A última e atual suspensão ocorreu faz 2 dias.
Diante do exposto, não restou outra alternativa, a Requerente, senão escudar-se
perante o Poder Judiciário.
DO DIREITO
O Requerido é diretor titular de sociedade cooperativa criada pelos próprios empregados da
Empresa Alfa há cerca de um ano, conforme o art. 8, VIII CF, o dirigente sindical possui
estabilidade no emprego, durante um ano, Salvo o cometimento de uma falta grave
devidamente apurada nos termos da lei, conforme o art. 543 § 3º da CLT. Vejamos.

Art. 8º É livre a associação profissional ou sindical, observado o seguinte:


(...)
VIII - é vedada a dispensa do empregado sindicalizado a partir do registro
da candidatura a cargo de direção ou representação sindical e, se eleito,
ainda que suplente, até um ano após o final do mandato, salvo se
cometer falta grave nos termos da lei.

Art. 543 - O empregado eleito para cargo de administração sindical ou


representação profissional, inclusive junto a órgão de deliberação
coletiva, não poderá ser impedido do exercício de suas funções, nem
transferido para lugar ou mister que lhe dificulte ou torne impossível o
desempenho das suas atribuições sindicais.
(...)
§ 3º - Fica vedada a dispensa do empregado sindicalizado ou associado, a
partir do momento do registro de sua candidatura a cargo de direção ou
representação de entidade sindical ou de associação profissional, até 1
(um) ano após o final do seu mandato, caso seja eleito inclusive como
suplente, salvo se cometer falta grave devidamente apurada nos termos
desta Consolidação.

Neste sentido, a inteligência consagrada do TST na súmula 379. Vejamos,

SUM-379 DIRIGENTE SINDICAL. DESPEDIDA. FALTA GRAVE. INQUÉRITO


JUDICIAL. NECESSIDADE

O dirigente sindical somente poderá ser dispensado por falta grave


mediante a apuração em inquérito judicial, inteligência dos arts. 494 e
543, §3º, da CLT. (ex-OJ nº 114 da SBDI-1 - inserida em 20.11.1997) 

DO PEDIDO
Diante das considerações expostas, requer:
· Requerer a procedência do pedido apuração de falta grave com a consequente resolução
do contrato de trabalho existente entre a empresa requerente e o requerido

· A notificação do requerido para responder a presente ação sob pena de sofrer os efeitos
de revelia

· A condenação do requerido aos ônus sucumbenciais.

Finalmente, protesta, provar a veracidade dos fatos alegados, por todos os meios legais.

Dá-se à causa o valor da alçada R$ 1.000,00 (hum mil reais) para efeitos fiscais.

Nestes termos
Pede Deferimento.

Local e data.

Advogado
OAB/UF