Você está na página 1de 2

Na Alternativa B, temos:

Custo do suprimento: 3000 vezes 89,00 = 267.000,00


Custo de oportunidade dos estoques ociosos:
1.600 vezes 89,00 vezes 0,01388 = 1.976,51
Custo mensal total:
Abre parêntese 267.000,00 dividido por 3 fecha parêntese + 1.976,51 = 89.000,00 +
1.976,51 = 0.976,51

Conclusão: A melhor alternativa de gestão de compras é a Alternativa B.

Fim Resposta Comentada


Fim Atividade Final

Início Resumo
Resumo

A coordenação do fluxo de bens e serviços entre múltiplas instalações físicas é uma


das principais atribuições do gestor de uma cadeia logística. Ele deve decidir
sobre quanto, quando e como realizar a movimentação dos produtos e, ainda, onde
adquiri-los.

É preciso estabelecer uma precisa coordenação entre a produção, a comercialização,


as atividades de compras e as demais atividades na cadeia logística.

A programação alinhada com a necessidade é uma alternativa para suprir as


necessidades com base nos estoques existentes. Em princípio, os suprimentos devem
ser programados de tal forma que estejam disponíveis no instante exato em que forem
necessários para a produção.

A doutrina assinala duas técnicas para orientar a dinâmica do processo de


programação: o planejamento das necessidades de materiais e a manutenção de níveis
de suprimentos em estoque. Algumas empresas empregam as duas abordagens ao mesmo
tempo.

A programação das necessidades de materiais se torna efetiva com a elaboração do


Plano Mestre de Produção (P M P), que passa a comandar todo o Sistema de Produção,
determinando as metas específicas de produção. O Plano Mestre pode ser
caracterizado como a formalização da programação da produção, traduzida em
necessidades específicas de material e capacidade. Por esta razão, o
desenvolvimento do Plano Mestre requer uma avaliação das necessidades de mão de
obra, equipamentos e materiais para cada etapa a ser realizada. O P M P é concebido
tendo por referência a demanda independente.

Um exemplo de programação é a filosofia Just in Time (JIT), que se propõe a


apresentar alternativas ao uso de estoques para que a produção possa cumprir a meta
de disponibilizar os produtos certos, no lugar certo e no momento certo.

O M R P (do inglês, Materials Requeriments Plannin, que significa planejamento das


necessidades de materiais) é um método empregado para programar peças especiais de
alto valor, materiais e suprimentos, cuja demanda seja conhecida com uma maior
precisão. O M R P é um sistema de controle de inventário e de produção que busca a
otimização da gestão de forma a minimizar os custos, ao mesmo tempo em que mantém
os níveis de material adequados e necessários para atender aos processos produtivos
da empresa.

A atividade de compras afeta indiretamente o fluxo de produtos no canal de


suprimento físico, a despeito do fato de que algumas das atividades de aquisição
não sejam da responsabilidade direta da logística.
Fim Resumo
Início Referências
Referências

BALLOU, RONALD H. Gerenciamento da cadeia de suprimentos: logística empresarial. 5.


ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

CHRISTOPHER, MARTIN. Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos: criando


redes que agregam valor. São Paulo: Thomson Learning, 2007.

CORRÊA, Henrique L.; CORRÊA, Carlos A. Administração da produção e operações:


manufatura e serviços, uma abordagem estratégica. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

SIMCHI-LEVI, DAVID ET ALII. Cadeia de suprimentos, projeto e gestão. Trad. Marcelo


Klippel. Porto Alegre: Bookman, 2003.

Fim da aula 25

21

Você também pode gostar