Você está na página 1de 20

Sistema Gênito-Urinário

Renato Cesar Sacchetto Tôrres


Júlio César Cambraia Veado

Índice

A - Técnicas radiográficas

B - Rins e ureteres

C - Bexiga e uretra

D - Sistema genital feminino

E - Sistema genital masculino

A - Técnicas radiográficas

Posições padrão:

• LLD e LLE do abdome;


• VD do abdome.

Posições complementares:

• DV do abdome;
• Oblíquas;
• LL do abdome com membros fletidos.

B - Rins e ureteres

Anatomia radiográfica:

• Localização dorso cranial no abdome


• Rim direito mais cranial e encoberto parcialmente pelas costelas, tanto em LL quanto
em VD

Espécie Rim direito Rim esquerdo

Cão T13 a L1 L2 a L4
Gato L1 a L4 L2 a L5

Sinais radiográficos:

Tamanho normal (ver em VD):

• Cão: 2,5 a 3,5 vezes o comprimento de L2


• Gato: 2,4 a 3,0 vezes o comprimento de L2

A visualização da borda renal depende da quantidade de gordura perirenal:

• Mais visíveis nos obesos;


• Menos visíveis nos debilitados ou com efusão peritoneal.

Ureteres no espaço retroperitoneal:

• Não são visíveis na radiografia simples

Radiografias contrastadas

1. Urografia excretora:

a) Indicações:

• Tamanho, forma e localização dos rins;


• Avaliação qualitativa da função renal;
• Tamanho e forma das pelves e dos divertículos renais;
• Localização e tamanho dos ureteres;
• Posição da bexiga.

b) Método: Meio de contraste iodado (HYPAQUE)

• Dose: 815 mg/kg pv IV (função renal normal)


• Dose 1,6 g/kg pv IV (função renal alterada)
• Radiografar imediatamente após, aos 5, 10 e 15 minutos
Interpretação radiográfica:

a) Alteração no tamanho renal

Aumento renal bilateral:

• nefrite aguda;
• hidronefrose;
• linfosarcoma ou neoplasia metastática.

Aumento renal unilateral:

• hipertrofia compensatória;
• hidronefrose;
• neoplasia primária ou metastática.

Irregularidade em um ou ambos os rins:

• cisto;
• tumores;
• infarto (depressão);
• hematoma subcapsular.

Diminuição do tamanho:

• Estágio final de doença inflamatória renal;


• Hipoplasia congênita.

Aumento de tamanho (além da medida padrão):

- Rim esquerdo:

• Deslocamento ventral ou para a direita do cólon descendente;


• Deslocamento do intestino delgado para a direita.
- Rim direito:

• Deslocamento ventromedial do duodeno;


• Deslocamento para a esquerda do cólon ascendente.

Aumento da densidade renal

Cálculos renais:

• Associados com doença renal crônica;


• Uni ou bilateral.

Sinais radiográficos:

• Calcificação focal ou difusa;


• No parênquima (nefrocalcinose);
• No sistema culetor (cálculo).

Doenças:

Nefrite e pielonefrite

• Não é o melhor método para diagnóstico

Cálculo renal e ureteral

• Mais comum nos cães;


• Pode causar obstrução parcial ou total;
• Radiografia simples (visíveis os radiopacos);
• Radiografia contrastada;
• Obstrução total ou parcial - hidronefrose;
• Aumento do ureter.

Hidronefrose

• Obstrução do ureter ou pelve:


- cálculo, tumores, estreitamento;
• Secundária a inflamação crônica;
• Radiografia simples:
- rim afetado aumentado;
• Radiografia contrastada:
- pelve dilatada.

Ruptura renal ou ureteral


• traumatismo ou neoplasia;
• radiografia simples:
- sem valor;
• radiografia contrastada:
- aparece o contraste na cavidade.

C - Bexiga e uretra

Anatomia radiográfica

• Bexiga vista na região caudal do abdome, cranial ao púbis e ventral ao reto e cólon
descendente
• Quando cheia desloca o cólon descendente para a esquerda
• Uretra não é vista nas radiografias simples

Cistografia e pneumocistografia

a) Indicações:

• Tamanho, forma, posição e integridade da bexiga


• Avaliação intramural, intraluminal e extraluminal
• Usado com freqüência
• Radiografar em LL e VD

b) Método:

• Remover urina com cateter


• Distender a bexiga com contraste iodado (iodeto de sódio a 10%)
• Para pneumocistografia usar ar ou CO2

Duplo contraste da bexiga

a) Indicações:

• Tamanho, forma, posição e integridade da bexiga


• Avaliação intramural, intraluminal e extraluminal
• Identificação de cálculos radiotransparentes
b) Método:

• Remover urina com cateter


• Contraste iodado: 2 a 5 ml
• Distender a bexiga com ar
• Radiografar em LL e VD

Interpretação radiográfica:

Aumento do tamanho da bexiga

• Cálculo uretral
• Compressão por massa intrapélvica (Ex. tumor de próstata)
• Atonia neurogênica

Diminuição ou não visualização da bexiga

• Cistites
• Herniação
• Anomalias congênitas
• Rupturas

Forma anormal da bexiga

• Massa abdominal adjacente


- aumento do útero
- neoplasia do cólon
- aumento da próstata
- neoplasia de útero
• Parede da bexiga
- cistite crônica
- neoplasias
- retração cicatricial
- divertículo

Neoplasia da bexiga

• Comum em cadelas idosas


• Radiografia simples: aparência normal
• Radiografia contrastada (duplo contraste)
• Áreas mais freqüentes: trígone e culo
• Irregularidades e espessamento
• Ulcerações
• Massa intramural

Cálculo uretral:

• Associado a cistite e cálculo vesical


• Disúria, estrangúria, anúria
• Radiografias simples
- radiopacos
- proximal ao osso peniano
• Radiografias contrastadas
- radiulucente em meio ao contraste

Ruptura uretral:
• Traumatismo
• Só vista com radiografia contrastada

Doenças:

Cistite

• Comum em cães e gatos


• Radiografia simples:
- bexiga pequena ou nrmal
• Radiografia contrastada:
- bexiga pode parecer normal
- parede espessada e irregular
- cistite aguda
- cistite crônica
- divertículo

Cálculo:

• Urato e cistina são radiulucentes (impregnados com Ca e P - radiopacos)


• Associados com obstrução uretral e infecções crônicas
• Radiografia simples:
- cálculos radiopacos
• Radiografia contrastada:
- cálculos radiotransparentes em meio ao contraste

Ruptura de bexiga:

• Trauma associado ou não com fratura pélvica


• Radiografia simples
- Não visualização
- íleo ou diminuição de detalhes peritoneais
• Radiografia contrastada (cistografia)
- contraste na cavidade abdominal

D - Sistema genital feminino

Anatomia radiográfica:

• Na fêmea normal (não prenhe) a genitália interna não é visível

Útero gravídico normal

• Esqueleto fetal
- cadela: 41-45 dias de gestação
- gata: 35-39 dias de gestação

Doenças inflamatórias do útero

• Piometra, endometrite, mucometra


• Sinais radiográficos:
- Aumento da densidade e tamanho dos cornos e corpo uterinos
- Sobrepõem a bexiga em LL

Morte fetal:

• Vista na radiografia simples


• Sinais de morte fetal:
- gás no útero e/ou nos fetos
- sobreposição ("overlapping") dos ossos do crânio
- lise do esqueleto fetal
- mumificação: contração do esqueleto, menor tamanho dos feto

E - Sistema genital masculino

• Anatomia radiográfica:
- cão: osso peniano visível
• Doenças:
- Aumento da próstata
- hipertrofia benigna
- abscesso
- cisto prostático
- prostatite
- cisto paraprostático
- neoplasias
• Sinais radiográficos:
- Em LL - cranial à borda da pelve deslocando a bexiga cranialmente e o reto
dorsalmente
- Em VD - sobreposta ao osso púbico

Neoplasia prostática:

• Pode estar normal ou aumentada e irregular


• Linfonodos sublombares aumentados com reto deslocado ventralmente
• Metástase de L4 a L7, principalmente.

Aumento prostático

Você também pode gostar