Você está na página 1de 12

Disciplina: Profº: Data: NOTA

Química Weber Rogério Bragante 10/06/2020

Aluno(a): Nº:

Atividade: Turma:
CINÉTICA 3

1 - (Albert Einstein - 2016 - Inverno - 1ª fase) -

Um comprimido efervescente, de 4,0 g de massa, contém bicarbonato de sódio, carbonato de sódio, ácido
cítrico e ácido acetilsalicílico, todos sólidos brancos solúveis em água. Ao adicionar o comprimido à água, o
ácido cítrico reage com o carbonato e o bicarbonato de sódio, gerando gás carbônico. Foram realizados 4
experimentos para estudar a cinética da reação envolvendo os reagentes presentes no comprimido
efervescente, sendo que a condição de cada experimento encontra-se descrita a seguir.

Experimento 1. O comprimido inteiro foi dissolvido em 200 mL de água a 25 °C.

Experimento 2. Dois comprimidos inteiros foram dissolvidos em 200 mL de água a 25 °C.

Experimento 3. O comprimido triturado (4,0 g) foi dissolvido em 200 mL de água a 25 °C.

Experimento 4. O comprimido inteiro foi dissolvido em 200 mL de água a 50 °C.

Em cada experimento recolheu-se gás carbônico produzido nas mesmas condições de temperatura e pressão,
até se obter 100 mL de gás, registrando-se o tempo decorrido (t). A alternativa que apresenta
adequadamente a comparação entre esses tempos é

A-
B-

C-

D-

(Não existe resolução definida para esta questão)

2 - (2019 - 1ª fase - FUVEST - 1º dia) - Um antiácido comercial em pastilhas possui, em sua composição, entre outras
substâncias, bicarbonato de sódio, carbonato de sódio e ácido cítrico. Ao ser colocada em água, a pastilha dissolve-se
completamente e libera gás carbônico, o que causa a efervescência. Para entender a influência de alguns fatores sobre
a velocidade de dissolução da pastilha, adicionou-se uma pastilha a cada um dos quatro recipientes descritos na tabela,
medindo-se o tempo até sua dissolução completa.

Para todos os experimentos, foi usada água mineral da mesma marca. Considere a água com gás como tendo gás
carbônico dissolvido.

Com base nessas informações, é correto afirmar que

A - o uso da água com gás, ao invés da sem gás, diminuiu a velocidade de dissolução da pastilha em cerca de 50%, uma
vez que, como já possui gás carbônico, há o deslocamento do equilíbrio para a formação dos reagentes.

B - o uso da água com gás, ao invés da sem gás, aumentou a velocidade de dissolução da pastilha em cerca de 33%,
uma vez que o gás carbônico acidifica a água, aumentando a velocidade de consumo do carbonato de sódio.

C - nem a mudança de temperatura nem a adição de gás carbônico na solução afetaram a velocidade da reação, uma
vez que o sistema não se encontra em equilíbrio.

D - o aumento da temperatura da água, de 4 °C para 25 °C, levou a um aumento na velocidade da reação, uma vez que
aumentou a frequência e a energia de colisão entre as moléculas envolvidas na reação.

E - o aumento da temperatura da água, de 4 °C para 25 °C, levou a um aumento na velocidade da reação, uma vez que
facilita a liberação de gás carbônico da solução, deslocando o equilíbrio para a formação dos reagentes.
Resposta: D
Resolução:
A tabela mostra que na mesma temperatura a presença ou ausência de CO2 praticamente não altera o tempo de dissolução da
pastilha do antiácido (houve uma redução de 1s no tempo de dissolução).

Porém, a mudança de temperatura altera de forma significativa o tempo de dissolução: ao resfriar, o tempo aumenta cerca de
50%.

Em cinética química, a elevação de temperatura aumenta a frequência e a energia de colisão entre as moléculas e isso acelera a
velocidade de uma reação química.

3 - (3º dia - 2017 - FUVEST - 2ª fase) - Um estudante realizou em laboratório a reação de hidrólise do cloreto de terc-butila
((CH3)3CC ) para produzir terc-butanol. Para tal, fez o seguinte procedimento: adicionou 1 mL do cloreto de terc-butila a uma
solução contendo 60 % de acetona e 40 % de água, em volume. Acrescentou, ainda, algumas gotas de indicador universal
(mistura de indicadores ácido-base).
Ao longo da reação, o estudante observou a mudança de cor: inicialmente a solução estava esverdeada, tornou-se amarela e,
finalmente, laranja.

a) Complete, na página de respostas, a equação química que representa a reação de hidrólise do cloreto de terc-butila.

b) Explique por que a cor da solução se altera ao longo da reação.

O estudante repetiu a reação de hidrólise nas mesmas condições experimentais anteriormente empregadas, exceto quanto à
composição do solvente. Nesse novo experimento, o cloreto de terc-butila foi solubilizado em uma mistura contendo 70 % de
acetona e 30 % de água, em volume. Verificou que, para atingir a mesma coloração laranja observada anteriormente, foi
necessário um tempo maior.

c) Explique por que a mudança da composição do solvente afetou o tempo de reação.

(Não existe resolução definida para esta questão)

4 - (3º dia - 2017 - FUVEST - 2ª fase) - Para estudar a velocidade da reação entre carbonato de cobre (CuCO) 3 e ácido
nítrico (HNO3), foram feitos três experimentos, em que o volume de dióxido de carbono (CO2) produzido foi medido em
vários intervalos de tempo. A tabela apresenta as condições em que foram realizados esses experimentos. Nos três
experimentos, foram utilizadas massas idênticas de carbonato de cobre e a temperatura foimantida constante durante o
tempo em que as reações foram acompanhadas.

Os dados obtidos nos três experimentos foram representados em um gráfico de volume de CO2 em função do tempo de
reação. Esse gráfico está apresentado a seguir.
a) Escreva a equação química balanceada que representa a reação que ocorreu entre o carbonato de cobre e o ácido
nítrico.

b) Com base nas condições empregadas em cada experimento, complete a legenda do gráfico, na página de respostas,
com o número do experimento. Considere irrelevante a perda de volume de CO2 coletado devido à dissolução na
solução. Justifique suas respostas.

c) Nos três experimentos, o mesmo reagente estava em excesso. Qual é esse reagente? Explique.

(Não existe resolução definida para esta questão)

5 - (2ª fase - 2016 - FUVEST - 3º dia) - A vitamina C, presente em sucos de frutas como a manga, pode sofrer processos de
degradação em certas condições. Um pesquisador fez um estudo sobre a degradação da vitamina C contida em sucos
de manga comerciais, determinando a variação da concentração dessa vitamina como tempo, em diferentes
temperaturas.
O gráfico da página de resposta representa os dados de degradação da vitamina C em três diferentes temperaturas,
25°C, 35°C e 45°C, estando identificada a curva referente ao experimento realizado a 35°C.

a) No estudo a 35°C, a velocidade média de degradação da vitamina C é a mesma nos intervalos de tempo
correspondentes aos 30 primeiros dias e aos 30 últimos dias do estudo? Explique, apresentando cálculos das
velocidades (em mg . L-1 . dia-1), para esses dois intervalos de tempo.

O número de moléculas com uma determinada energia cinética varia com a temperatura, conforme está ilustrado na
figura ao lado. Suponha que a figura se refira à energia das moléculas de vitamina C presentes no suco, cujo processo
de degradação está sendo estudado nas temperaturas de 35°C e de 45°C. Na figura, está representada, também, a
energia de ativação desse processo de degradação.

b) Identifique, no gráfico da página de resposta, qual das curvas representa os dados da variação da concentração de
vitamina C com o tempo, a 45 °C. Justifique sua escolha, utilizando a figura ao lado para fundamentar sua explicação.
Resolução:

a) Não. Usando os valores marcados no gráfico anterior, podemos calcular as referidas velocidades médias.

b)

O gráfico fornecido mostra que, com o aumento da temperatura, ocorre o aumento do número de moléculas com energia maior
que a de ativação da reação. Assim, a reação irá ocorrer com maior velocidade, ou seja, haverá maior variação na concentração
de vitamina C em um menor intervalo de tempo, como mostrado na curva escolhida.

6 - (2013 - Unioeste - Verão - 1ª fase) - Geralmente, ao se reunir a família ou um grupo de pessoas faz-se um churrasco.
Este tipo de confraternização muito comum no Rio Grande do Sul se espalhou por todo o Brasil. Para se assar a carne é
necessário colocar fogo na churrasqueira e para não demorar muito para pegar o fogo, geralmente se utiliza gravetos ou
pedaços de madeira pequenos ao invés de pedaços grandes. Este fenômeno pode ser explicado quimicamente dentro
do tema de cinética.
O fator que melhor explica porque a reação de combustão ocorre mais rápida com gravetos (pedaços pequenos de
madeira) é

A - velocidade.

B - temperatura.

C - concentração.

D - superfície de contato.

E - estado físico da matéria.


(Não existe resolução definida para esta questão)
7 - (2015 - 1º dia - 1ª fase - FUVEST) - O eugenol, extraído de plantas, pode ser transformado em seu isômero isoeugenol,
muito utilizado na indústria de perfumes. A transformação pode ser feita em solução alcoólica de KOH.

Foram feitos três experimentos de isomerização, à mesma temperatura, empregando-se massas iguais de eugenol
e volumes iguais de soluções alcoólicas de KOH de diferentes concentrações. O gráfico a seguir mostra a porcentagem
de conversão do eugenol em isoeugenol em função do tempo, para cada experimento.

Analisando-se o gráfico, pode-se concluir corretamente que

A - a isomerização de eugenol em isoeugenol é exotérmica.

B - o aumento da concentração de KOH provoca o aumento da velocidade da reação de isomerização.

C - o aumento da concentração de KOH provoca a decomposição do isoeugenol.

D - a massa de isoeugenol na solução, duas horas após o início da reação, era maior do que a de eugenol em dois
dos experimentos realizados.

E - a conversão de eugenol em isoeugenol, três horas após o início da reação, era superior a 50% nos três
experimentos.

Resposta: B
Resolução:
No gráfico, observa-se que a velocidade de isomerização nos experimentos se dá de acordo com o seguinte: V I > V II > V III.
Dado que as reações ocorrem na mesma temperatura e empregam massas iguais de eugenol, o único fator capaz de alterar a velocidade
da reação é a concentração de KOH.
Portanto, percebe-se que quanto maior a concentração de KOH, maior a velocidade da conversão de eugenol em isoeugenol.

8 - (2012 - 3º dia - 2ª fase - FUVEST) - Ao misturar acetona com bromo, na presença de ácido, ocorre a transformação
representada pela equação química

Dentre as substâncias presentes nessa mistura, apenas o bromo possui cor e, quando este reagente for totalmente
consumido, a solução ficará incolor. Assim sendo, a velocidade da reação pode ser determinada medindo-se o tempo
decorrido até o desaparecimento da cor, após misturar volumes definidos de soluções aquosas de acetona, ácido e
bromo, de concentrações iniciais conhecidas. Os resultados de alguns desses experimentos estão na tabela
apresentada na página de resposta.

a) Considerando que a velocidade da reação é dada por


complete a tabela apresentada na página de resposta.

b) A velocidade da reação é independente da concentração de uma das substâncias presentes na mistura. Qual é essa
substância? Justifique sua resposta.

(Não existe resolução definida para esta questão)

9 - (2010 - 1º dia - 1ª fase - FUVEST) - Um estudante desejava estudar, experimentalmente, o efeito da temperatura sobre a
velocidade de uma transformação química. Essa transformação pode ser representada por:

Após uma série de quatro experimentos, o estudante representou os dados obtidos em uma tabela:

Que modificação deveria ser feita no procedimento para obter resultados experimentais mais adequados ao objetivo
proposto?

A - Manter as amostras à mesma temperatura em todos os experimentos.

B - Manter iguais os tempos necessários para completar as transformações.

C - Usar a mesma massa de catalisador em todos os experimentos.

D - Aumentar a concentração dos reagentes A e B.

E - Diminuir a concentração do reagente B.


Resposta: C
Resolução:
Por meio do texto, quer se analisar somente o efeito da temperatura.

De acordo com a tabela não se observaram variações nas concentrações (mol/L) dos reagentes. Por outro lado, em todos os
experimentos, verificou-se variação da temperatura e da massa do catalisador.

Comparando os experimentos, sempre ocorre variação na velocidade da reação, que é comprovada pela variação no tempo de
reação.

Assim, para que pudéssemos analisar apenas a influência da temperatura, seria necessário utilizar a mesma massa de
catalisador em todos os experimentos.

10 - (Verão - EsPCEx - 2017 - 1º dia) - A gasolina é um combustível constituído por uma mistura de diversos compostos
químicos, principalmente hidrocarbonetos. Estes compostos apresentam volatilidade elevada e geram facilmente
vapores inflamáveis.

Em um motor automotivo, a mistura de ar e vapores inflamáveis de gasolina é comprimida por um pistão dentro de um
cilindro e posteriormente sofre ignição por uma centelha elétrica (faísca) produzida pela vela do motor.
Adaptado de: BROWN, Theodore; L. LEMAY, H Eugene; BURSTEN, Bruce E. Química a Ciência Central, 9ª edição,
Editora Prentice-Hall, 2005, pág 926.

Pode-se afirmar que a centelha elétrica produzida pela vela do veículo neste evento tem a função química de

A - catalisar a reação por meio da mudança na estrutura química dos produtos, saindo contudo recuperada intacta ao final
do processo.

B - propiciar o contato entre os reagentes gasolina e oxigênio do ar (O2), baixando a temperatura do sistema para
ocorrência de reação química.

C - fornecer a energia de ativação necessária para ocorrência da reação química de combustão.

D - manter estável a estrutura dos hidrocarbonetos presentes na gasolina.

E - permitir a abertura da válvula de admissão do pistão para entrada de ar no interior do motor.

Resposta: C
Resolução:
Para que ocorra a combustão da gasolina é necessário o fornecimento de energia e a faísca (centelha elétrica) tem essa função.
11 - (2009 - Verão - EsPCEx - 1º dia) - Considere a sequência de reações associadas ao processo de oxidação do dióxido de
enxofre

ETAPA 1 SO2 (g) + NO2 (g) SO3 (g) + NO3 LENTA

ETAPA 2 2 NO (g) + O2 (g) 2 NO2 (g) RÁPIDA

A alternativa que apresenta corretamente o catalisador e a expressão da lei da velocidade para a reação global é:

A - catalisador NO e v=k·[SO2]2 ·[O2]

B - catalisador NO2 e v=k·[SO2]2 ·[O2]

C - catalisador NO2 e v=k·[SO2]·[NO2]

D - catalisador NO e v=k·[SO2]·[NO2]

E - catalisador O2 e v=k·[SO2]·[NO2]

Resposta: C
Resolução:
A função do catalisador na reação é aumentar a velocidade da reação sem que seja consumido durante a mesma. Ou seja, a
substância que age como catalisador de uma reação, aparecerá no mesmo formato, entre os reagentes e os produtos. Na
reação apresentada no enunciado, a substância utilizada como catalisador é o NO2 (g).

Expressão da lei da velocidade: A velocidade de uma reação só depende da etapa lenta, logo:

Onde, x e y são os coeficientes estequiométricos de SO2 e NO2, respectivamente. Portanto, a expressão da lei da velocidade
é:

12 - (1º dia - 2012 - EsPCEx - Verão) - A água oxigenada ou solução aquosa de peróxido de hidrogênio (H2O2) é uma espécie
bastante utilizada no dia a dia na desinfecção de lentes de contato e ferimentos. A sua decomposição produz oxigênio
gasoso e pode ser acelerada por alguns fatores como o incremento da temperatura e a adição de catalisadores. Um
estudo experimental da cinética da reação de decomposição da água oxigenada foi realizado alterando-se fatores como
a temperatura e o emprego de catalisadores, seguindo as condições experimentais listadas na tabela a seguir:

Analisando os dados fornecidos, assinale a alternativa correta que indica a ordem crescente dos tempos de duração dos
experimentos.

A - t1<t2<t3<t4

B - t3<t4<t2<t1

C - t3<t2<t1<t4
D - t4<t2<t3<t1

E - t1<t3<t4<t2
Resposta: B
Resolução:
Catalisadores e temperatura são fatores que alteram a velocidade de uma reação. Reações com uso de catalisadores e altas
temperaturas ocorrerão em um tempo mais curto do que reações em baixas temperaturas e sem catalisadores.

Considerando isso, a ordem crescente dos tempos de duração dos experimentos é:

1º: t3 -> Reação ocorrendo em alta temperatura e com uso de catalisador;

2º: t4 -> Reação sem uso de catalisador, mas com a maior temperatura em relação à 1 e 2;

3º: t2 -> Reação sem uso de catalisador, mas com a segunda maior temperatura na tabela;

4º: t1 -> Reação sem uso de catalisador e com a menor temperatura entre as retratadas na tabela.

Portanto: t3 < t4 < t2 < t1

13 - (3ª série EM e PV - Único - 1ª fase - FUVEST - Ciclo 3 - SAEP - 2016) - Na panificação, além do fermento biológico, o
fermento químico também pode ser utilizado. Um desses fermentos químicos é o bicarbonato de sódio, que, ao sofrer
decomposição térmica, produz o dióxido de carbono, o qual faz a massa crescer.

Considere as reações I e II:

I. Na2CO3(s) → Na2O(s) + CO2(g)


II. 2 NaHCO3(s) → Na2CO3(s) + H2O(g) + CO2(g)

Usando massas iguais de fermento, foram preparados dois pães em fornos de temperaturas diferentes. Sabendo que
todas as outras variáveis são mantidas constantes e que as temperaturas dos fornos tenham sido de 160 °C e 220 °C,
os gráficos a seguir representam as possíveis massas do CO2 produzido pela reação que ocorre no processo de
panificação:

Assinale a alternativa que indica a reação correta que ocorre durante o processo e o gráfico correto da massa de CO2
produzido em função da temperatura.
A - I e A.

B - I e B.

C - II e B.

D - II e C.

E - II e D.

Resposta: E
Resolução:
A reação que representa o que ocorre com o fermento é a reação II. Como a massa de NaHCO3 usada é igual, teremos a
produção da mesma massa de CO2 (isso elimina os gráficos A e B). A 220 °C, a reação é mais rápida, logo o CO2 atinge antes o
valor máximo. Isso é representado no gráfico D.

14 - (Único - 3ª série EM e PV - 1ª fase - FUVEST - SAEP - Ciclo 5 - 2016) O- catalisador redutor seletivo – SCR – é,
basicamente, um catalisador de NOx para aplicações a diesel. O processo consiste na injeção, de forma controlada
eletronicamente, de um reagente químico líquido no fluxo dos gases de escape. A composição é 32,5% de ureia em uma
solução aquosa. O líquido não é tóxico, não tem odor e não é inflamável. A ureia é composta de nitrogênio, hidrogênio,
carbono e oxigênio; sua principal utilização é como fertilizante.

A pequena quantidade de solução de ureia injetada no fluxo dos gases de escape (com temperatura superior a 170 °C-
200 °C), em contato com o vapor de água a alta temperatura, transforma-se em amoníaco (NH3 ) e dióxido de carbono
(CO2 ).

Dentro do SCR, com temperaturas entre 200 °C e 450 °C, o amoníaco, ou amônia (NH3 ), por sua vez, reage com os
óxidos de nitrogênio (NOx ), liberando nitrogênio (N2 ) e água (H2O).

A figura mostra uma configuração típica de sistema SCR e a forma como se processam as reações químicas assim que
os gases de escape percorrem os elementos do sistema.

A utilização de sistemas como o do texto apresentado contribui para diminuir a poluição provocada por motores a diesel,
comumente usados em ônibus e caminhões. Analisando as reações que ocorrem no processo, pode-se afirmar que:

I. o impacto ambiental dos motores a diesel, com esse sistema, cai a zero.
II. a amônia sofre redução no catalisador redutor e oxidação no catalisador oxidante.
III. a função do catalisador oxidante é eliminar a amônia que não reagiu no catalisador seletivo.

Está correto apenas o que se afirma em

A - I.

B - II.
C - III.

D - I e III.

E - II e III.

Resposta: C
Resolução:
Alternativa III: correta. A amônia é tóxica e não deve estar nos gases de escape.

Alternativa I: incorreta. Mesmo com o catalisador, o CO2 de origem fóssil ainda vai para a atmosfera (ainda que o CO2 usado
possa ser considerado proveniente da ureia).

Alternativa II: incorreta. O Nox do N vai de –3 no NH3 para zero no N2, logo a amônia sofre oxidação, pois há o aumento de Nox, e
não redução.