Você está na página 1de 2

Aula e Atividade de Estudo

do dia 21 de Maio de 2020

Psicologia da Aprendizagem 2019-2020 (contenção social coronavírus COVID-19)

Um pouquinho de História da Psicologia da Aprendizagem


John B. Watson, um psicólogo experimental da Universidade Johns Hopkins, é considerado
o pai do Behaviorism ou Behaviourism, que enfatiza a importância do estudo objetivo do
comportamento através exclusivamente do estudo de estímulos e respostas observáveis. O
Behaviorism ou Behaviourism de Watson rejeitava conceitos tais como “consciência”,
“pensamento”, “imaginação” (J. B. Watson, 1914 [1]). Os psicólogos behavioristas ou
behaviouristas ou comportamentalistas são frequentemente acusados de negar a importância de
fatores genéticos na determinação do comportamento. Essa falsa impressão talvez tenha
surgido em parte devido às publicações de John B. Watson (1913 [2]), que, insatisfeito com a
psicologia introspetiva daquela época, argumentou que o tema de interesse da psicologia era o
comportamento observável e somente o comportamento observável. Watson também defendia
uma forma extrema de ambientalismo, sintetizada pela sua afirmação categórica:

“Deem-me uma dúzia de bebés saudáveis, bem-feitos, e um mundo tal e qual eu especificar para criá-los e
eu garanto escolher aleatoriamente um deles e treiná-lo para tornar-se qualquer tipo de especialista que
eu selecionar – médico, advogado, artista, comerciante, líder, e, sim, até mesmo um pedinte e ladrão -
apesar dos seus talentos, preferências, tendências, habilidades, vocação, e raça dos seus ancestrais.” (J.
B. Watson, 1930, pág. 104 [3])

Apesar dessa afirmação excessiva, o psicólogo B. F. Skinner (1974 [4]) comentou que o
próprio Watson admitiu que essa sua afirmação categórica foi exagerada e que não negligenciou
a importância das bagagens genéticas da espécie e do indivíduo:

“O próprio Watson fez importantes observações do comportamento instintivo e foi, de facto, um dos
primeiros etologistas com sabor de modernidade.” (B. F. Skinner, 1974, pág. 5 [4])

Além disso, o próprio Watson repetidamente fazia referência ao “equipamento


hereditário e às respostas reflexas das pessoas” (B. F. Skinner, 1974, pág. 221 [4]). Após
familiarizar-se com o trabalho do fisiologista Russo I. P. Pavlov, J. B. Watson (1916 [5]) escolheu
o condicionamento reflexo e a resposta reflexa como unidade de comportamento e argumentou
que a maioria das atividades complexas ocorriam devido ao condicionamento respondente.
(OBS.: Isso foi, evidentemente, antes de B. F. Skinner (1984 [6]) fazer a diferenciação
entre condicionamento respondente e condicionamento operante!).

O Behaviorism ou Radical Behaviourism de B. F. Skinner procura explicar e compreender


o comportamento em relação ao ambiente que circunda esse comportamento, ou seja, procura
compreender o comportamento como função das suas influências ambientais. O termo ambiente
faz referência ao conjunto de fatores físicos, biológicos e químicos que cerca os seres vivos,
influenciando-os e sendo influenciado por eles [6]. Segundo o Behaviorism ou Radical
Behaviourism de B. F. Skinner, o comportamento tem a sua causa na estrutura biológica do
organismo. A estrutura biológica do organismo, em qualquer dado momento, é efeito de
duas histórias: A história phylogenetic (filogenia) e a história ontogenetic (ontogenia).

O ambiente focado pelo Behaviourismo Radical de Skinner inclui eventos físicos,


biológicos, químicos e sociais. Em outras palavras, o Behaviourismo Radical de B. F. Skinner
enfatiza o comportamento em relação ao ambiente que circunda esse comportamento. O
comportamento é função das influências ambientais e o Behaviourismo Radical enfatiza
exatamente essas relações funcionais entre os eventos ambientais e os eventos
comportamentais [4]. Uma característica saliente do ambiente que nos rodeia é a presença de
outras pessoas; o que as pessoas fazem em relação ao nosso comportamento forma parte do
ambiente discutido pelo Behaviourismo Radical de B. F. Skinner. O tratamento dado ao
comportamento operante visa capturar a relação entre uma resposta operante (R) e a sua
consequência (S).

O termo operante designa uma classe de respostas. Essas respostas possuem a


propriedade à qual a consequência é contingente. Qualquer situação na qual o comportamento
ocorre pode ser analisada em termos de 3 eventos: 1) as condições de estímulo que existem
imediatamente antes da ocorrência do comportamento; 2) o próprio comportamento; 3) as
consequências que existem imediatamente após a ocorrência do comportamento [7].

Referências
[1] Watson, J. B. (1914). Behavior: An introduction to comparative psychology. New York: Holt.
[2] Watson, J. B. (1913). Psychology as the behaviorist views it. Psychological Review, 20, 158-177.
[3] Watson, J. B. (1930). Behaviorism (Rev. ed.). Chicago: University of Chicago Press.
[4] Skinner, B. F. (1974). About behaviorism. New York: Knopt.
[5] Watson, J. B. (1916). The place of the conditioned reflex in psychology. Psychological Review, 23, 89-116.
[6] Skinner, B. F. (1984). The evolution of behavior. Journal of the Experimental Analysis of Behavior, 41(2), 217-221.
[7] Skinner, B. F. (1979). The Non-Punitive Society (Commemorative lecture given by B. F. Skinner after receiving an honorary
doctorate at Keio University, Japan. September 25, 1979.)

Atividade de Estudo

(Leitura silenciosa e reflexão no conforto e proteção do lar)

Bom Estudo! Protejam-se e Protejam o Próximo!

Estudem quietinhos no conforto e proteção do lar!

Você também pode gostar