Você está na página 1de 22

PROJETO INTEGRADO MULTIDICIPLINAR II – PIM II

RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS


ECONOMIA E MERCADO
MATEMÁTICA APLICADA

ANA CLAUDIA DOS SANTOS LIMA - RA 1891681


ARIANE REGINA MARTOS - RA 1923003
ROGERIO FERREIRA DA SILVA - RA 1875389
VINICIUS SOZIO CORNES - RA 1875998

UNIP – LIMEIRA/SP
2020
Resumo
O objetivo desse trabalho é apresentar empresa ZF com base nos estudos efetuados em
teoria de Recursos e Materiais, Economia e Mercado e Matemática Aplicada.
A ZF é uma empresa global de tecnologia ativa e passiva, que fornece sistemas de
mobilidade para carros de passeio, veículos comerciais e tecnologia industrial. Com um amplo
portfólio de produtos tecnológicos, a companhia oferece soluções completas para montadoras,
operadoras de serviços e novas empresas do setor de transporte e mobilidade. O
desenvolvimento dos sistemas ZF está focado na integração digital e na automação. A ZF
possibilita aos veículos ver, pensar e agir.
No campo de Recursos Materiais e Patrimoniais iremos desenvolver vários aspectos
como;
Administração de materiais, tipos de estoque, gestão de estoque, compras, manutenção de
patrimônio, planejamento e inventário.
No campo de Economia e Mercado veremos que este assunto é uma ciência social que
estuda a produção, distribuição e consumo sejam ele de bens ou serviços, e suas decisões e
efeitos são vistos no dia a dia das pessoas, das indústrias, da agricultura e das nações como um
todo, tudo isso envolve: o que produzir, em que quantidade produzir e para quem produzir.
No campo de Matemática Aplicada iremos desenvolver vários aspectos como;
Fundamentos da matemática aplicada, seu uso nas diversas áreas e exercícios aplicados na
indústria.
A correta gestão dos recursos passa pelos seguintes pilares da administração;
• Planejar: o planejamento está baseado naquilo que se espera da atividade, no ponto
em que se pretende chegar. O bom planejamento permite chegar ao objetivo de forma
mais rápida e efetiva.
• Executar: é o próximo passo. Após planejar, seguindo os caminhos previamente
traçados, o gestor deve dar andamento ao que previamente foi definido.
Controlar: o controle está relacionado às fases anteriores. O planejamento foi bem
realizado? Há pontos em que pode ser corrigido? Após analisar o planejamento,
deve‑se analisar também a execução. Os passos foram executados conforme o
planejado? Algo deve ser tirado ou acrescentado?
Com base nestes parâmetros iremos discorrer este trabalho sempre buscando soluções e
aplicação no dia a dia da empresa e no planejamento pessoal.
ABSTRACT
The objective of this work is to present the company ZF based on the studies carried out
in the theory of Resources and Materials, Economics and Market and Applied Mathematics.
ZF is a global active and passive technology company that provides mobility systems
for passenger cars, commercial vehicles and industrial technology. With a broad portfolio of
technological products, the company offers complete solutions for automakers, service
operators and new companies in the transport and mobility sector. The development of ZF
systems is focused on digital integration and automation. ZF makes it possible for vehicles to
see, think and act.
In the field of material and Patrimonial Resources we will develop several aspects such
as;
Materials management, stock types, stock management, purchasing, asset maintenance,
planning and inventory.
In the field of Economics and Market, we will develop several aspects such as;

In the field of Applied Mathematics we will develop several aspects such as;

The correct management of resources goes through the following pillars of


administration;

• Plan: planning is based on what is expected from the activity, the point at which it is
intended to arrive. Good planning allows you to reach the objective more quickly and
effectively.
• Execute: is the next step. After planning, following the paths previously traced, the
manager must proceed with what was previously defined.
• Control: control is related to the previous phases. The planning went well
accomplished? Are there points where it can be corrected? After analyzing the planning,
you must also analyze the execution. Were the steps carried out as planned? Should something
be taken or added?
Based on these parameters, we will discuss this work always looking for solutions and
application in the company's day-to-day and personal planning.

Keywords: Administration, planning, resources, mathematics, economics.


SUMÁRIO

Sumário
1 INTRODUÇÃO .............................................................................................................. 5

2. RECURSOS PATRIMONIAIS ....................................................................................... 6

2.1 Administração de Materiais....................................................................................... 6

2.2 Gestão de Estoque ...................................................................................................... 7

2.3 Curva ABC................................................................................................................. 8

2.4 Compliance................................................................................................................. 9

2.5 Descrição dos Processos .................................................................................................10

2.6 Gerenciamento do Processo ......................................................................................11

2.7 Interfaces - Os processos com os quais temos um intercâmbio................................11

3. ECONOMIA E MERCADO .............................................................................................13

3.1 Economia e mercado Teoria .....................................................................................13

3.2 Panorama econômico financeiro do Brasil ...............................................................15

3.3 Impacto das Economias e a Dinâmica dos Mercados ...............................................16

3.4 Variáveis Macroeconômicas .....................................................................................17

4 MATEMATICA APLICADA............................................................................................18

4.1 Fundamentos da Matemática Aplicada ....................................................................18

4.2 Aplicações da Matemática Aplicada .........................................................................18

6.2 Exemplos ...................................................................................................................19

CONCLUSÃO .....................................................................................................................21

REFERÊNCIAS ...................................................................................................................22
5

1 INTRODUÇÃO

Desenvolveremos este trabalho com foco nas disciplinas Recursos Materiais e


Patrimoniais, Economia e Mercado e Matemática Aplicada, a empresa objeto deste trabalho
será a ZF Automotive (planta Limeira S/P), líder mundial em tecnologia ativa e passiva para
veículos automotores, está planta que faz parte do Grupo ZF, a unidade em questão faz parte de
grupo de 240 plantas dividida em um total de 41 países, as demais unidades no Brasil estão na
cidade de Araraquara, Engenheiro Coelho, Iracemápolis, Itu, Limeira, Sorocaba e São Bernardo
do Campo, todas no estado de São Paulo.
Os recursos de materiais e patrimoniais envolve a correta administração dos bens da
empresa, sejam estes bens matéria prima, suprimentos ou de uso geral e que vão gerar bens de
consumo ou serviços, e bens patrimoniais que são bens e/ou patrimônios da empresa e que
precisam ser mantidos em perfeito funcionamento para que demais possam fluir em ordem.
6

2. RECURSOS PATRIMONIAIS

2.1 Administração de Materiais

Em primeiro lugar, é preciso compreender o conceito de Administração de Materiais. O


objetivo dessa área é usar os recursos, nesse caso, os materiais, para que sejam otimizados,
diminuindo o custo e aumentando a economia em relação à logística. Essa área visa
dimensionar os materiais da empresa de forma que sejam fáceis de localizar e ser utilizados,
seja para a contagem do estoque, venda e compra de fornecedores.

A Administração de Materiais engloba também:


• Distribuição de materiais;
• Almoxarifado;

Nesse conceito, incluem-se os recursos materiais e os recursos patrimoniais. Enquanto o


primeiro são materiais que têm vida útil estipulada, como o caso de materiais físicos que são
utilizados pela empresa, o segundo são bens que são permanentes. Em ambos os casos, o
objetivo dessa área é evitar o desperdício do material e maximizar o seu uso.

Mais funções da Administração de Materiais:

• Compras (contratos e licitações);


• Transporte;
• Armazenagem e conservação;
• Manipulação e Controle de estoques.

Figura 1 – Administração de Materiais


7

2.2 Gestão de Estoque


A gestão de estoque segundo Slack, Chambers, Harland (1997:423),
surgiu em função de compras que viram a necessidade de integrar o fluxo de materiais a funções
de suporte, tanto por negócio como por fornecimento ao cliente. Incluía nesse processo o setor
de compras, acompanhamento, planejamento de materiais, controle de produção e gestão de
distribuição. Gestão de estoques, dentro de uma indústria, geralmente diz respeito à gestão dos
recursos materiais que proporcione um auxílio a organização e a geração de receita. O
responsável pela gestão é o Gerente de operações logística. O conceito da gestão de estoques
está diretamente relacionado com a necessidade de interação das áreas da empresa
correlacionadas a área de estoques, como por exemplo o departamento de compras e os
fornecedores, planejamento e estoque. Dessa forma uma gestão executada de forma precisa,
contribui de forma prática e positiva para todos os envolvidos nessa cadeia.

Figura 2 – Conceito de Gestão (estágios)

Fonte: Elaborado pelos autores.


8

A gestão de estoque torna-se cada vez mais importante para uma empresa em suas
tomadas de decisões referentes aos produtos a serem adquiridos. Por ter uma variedade de
funções e diversos recursos de ferramentas que dão ao gestor inúmeras possibilidades de apoio,
tornando-se parte essencial de uma corporação.
Nas empresas de hoje a uma infinidade de produtos em que a necessidade varia de
empresa para empresa, fazendo com que a organização procure a ferramenta que lhe possibilite
um controle eficaz buscando os melhores resultados, dentro da gestão de estoques.
Analisar de que forma a gestão de estoque poderá se tornar vantajosa para a organização
tornando-a competitiva no mercado, com ferramentas corretas nos darão exatidão nas
informações referentes aos custos (Pozo, 2002) e fará o equilíbrio do estoque e o consumo
(Viana, 2009), visto que até o momento não possui qualquer ferramenta de controle ou de
suporte nas tomadas de decisões. Na visão de Dias, (1990) estoque são todas as matérias-
primas, material acabado e semi-acabados, produtos para montagem e materiais administrativo.
A função da gestão do estoque é otimizar o feedback das vendas não realizadas e o ajuste
de planejamento da produção a ser realizada, diminuindo o valor investido nos estoques, por
ser caro e ter um aumento contínuo, e com isso o custo financeiro aumenta em conjunto. Quanto
maior for o investimento em estoques, maior será a responsabilidades de cada setor dentro da
empresa. Portanto, a prioridade é baixar o investimento em estoques, aumentando o uso de
meios internos da organização e minimizar as necessidades de capital investido.
A administração deverá estabelecer definições a gestão de estoques, quais os objetivos
a serem atingidos, para que possam medir a performance do departamento. Essas definições são
muito importantes para o correto funcionamento da gestão de estoque.
Com a correta gestão dos estoques é possível visualizar vantagens como: melhor serviço
de atendimento ao cliente, os estoques funcionam como elo entre a demanda e o suprimento
agindo podendo gerar economia na hora de fazer compra junto ao fornecedor e segurando o
aumento de preço.

2.3 Curva ABC

Segundo Dias, (1995), “a curva ABC é uma ferramenta importante para o gestor, pois
permite diferenciar itens que precisem de atenção e adequação quanto a sua administração”. A
curva ABC é realizada através da ordenação dos produtos conforme a sua necessidade. A curva
ABC é muito empregada na administração de estoques, para poder auxiliar nas estratégias de
vendas, determinando prioridades para o planejamento da produção e inúmeros outros
9

problemas usuais na empresa. Classe A 80% do valor do estoque, Classe B 15% e Classe C
5%”. O estudo da Curva ABC representa na separação dos itens de estoques em três grupos,
sendo:
• Classe A: consiste nos itens que devem ter uma maior atenção.
• Classe B: é o grupo dos itens em situação intermediaria.
• Classe C: é o grupo dos itens menos importante.
Passos para elaborar a Curva ABC;
1. Primeiro passo: Elaborar a Curva ABC do estoque acreditando-se que, durante um
determinado ano-base, apontou a seguinte movimentação do seu estoque, usando uma
medida de 15 itens:
2. Segundo passo: Cálculo do valor gasto no período
3. Terceiro passo: Ordenar os itens por ordem decrescente do valor gasto durante o
período.
4. Quarto passo: Calcular os percentuais de cada um dos itens em relação ao total.
Uma análise mostrara os itens pela qual representam 60% dos gastos totais com
materiais de estoque no período, são, portanto, itens tipicamente de classe A. Os seguintes itens
representaram mais 25% dos gastos com materiais serão itens da classe B. Os itens restantes
representam 15%; são, então, classificados como classe C. Assim, como ilustrado na curva
ABC, 20% dos itens (classe A) representam 60% dos gastos, 26,67% dos itens (classe B)
correspondem a 25% dos gastos, e 53,33% dos itens (classe C) resultam em apenas 15% dos
gastos. Conforme podemos observar na figura abaixo:

2.4 Compliance

Compliance significa agir de acordo com as regras, instruções internas, comandos ou


pedidos, ou seja, estar em “compliance” é estar em conformidade com leis e regulamentos
externos e internos. Portanto, manter a empresa em conformidade significa atender aos
normativos dos órgãos reguladores, de acordo com as atividades desenvolvidas pela sua
10

empresa, bem como dos regulamentos internos, principalmente aqueles inerentes ao seu
controle interno.

A ênfase na aplicação dos processos normativos é a prevenção de riscos potenciais e


reais para a empresa, bem como ocorrências que possam prejudicar culposamente a
organização. Competência, justiça, honestidade, inovação, confiabilidade, transparência e
qualidade são os valores centrais da ZF e a base do nosso persistente sucesso empresarial. Para
atender a essa pretensão todos os funcionários da ZF têm que cumprir a leis válidas e as regras
do Código de Conduta da ZF, bem como a implementação dos regulamentos. Para que ambos,
ZF e seus funcionários, possam se prevenir e proteger contra processos penais, multas e
reivindicações. A boa reputação da ZF mantém a confiança dos clientes e parceiros de negócios
com maior ênfase.

Os principais objetivos da função de Compliance são:

• Garantia para a segurança das operações de negócios;


• Suporte para o controle de riscos (Risk Controlling/Management);
• Evitar perdas financeiras desnecessárias;
• Prevenção de publicidade negativa.

2.5 Descrição dos Processos

Compliance é principalmente uma ferramenta de gestão, além de reforço aos controles


internos.

Os seguintes aspectos devem ser considerados:

• Cada funcionário é pessoalmente responsável por se comportar de acordo com o manual


de conduta e as regras regulamentadoras da organização;
• Os gestores são responsáveis por comunicar de forma clara as regras dentro das áreas
de sua responsabilidade, assim como:

O Compliance Officer da Divisão B tem (em coordenação com o CCO e do


Departamento Corporativo de Compliance) a soberania organizacional e de controle para o
Compliance dentro da Divisão B:
11

• Configuração/preparação da organização de Compliance da Divisão B para todo o


mundo;
• Informação e formação da liderança, incluindo a monitorização da participação;
• Consulta e apoio no que diz respeito à legislação local / regional.

Cada subsidiária e departamento são responsáveis pela adaptação dos processos de


Compliance.

O primeiro ponto de referência para Compliance são as leis válidas em suas respectivas
localidades. As práticas comerciais que estão em conflito com a legislação válida não são
permitidas.

2.6 Gerenciamento do Processo

O processo é controlado por relatórios regulares de autorizações e informativos de


assuntos referente ao Compliance, assim como também através do índice de “Compliance
Readiness”- Prontidão/Aptidão ao Compliance. Este último é realizado através de questionários
e documentação do processo de Compliance e do treinamento da organização nos aspectos
referente à Compliance.

2.7 Interfaces - Os processos com os quais temos um intercâmbio

O processo de Compliance tem interface com todas áreas e processos organizacionais.


O processo de Consultoria Legal (Legal Advice) e de Auditoria são funções que trabalham
estreitamente com Compliance para análise de questões e esclarecimento.
12

Figura – 3 Fluxograma do Processo ZF

Fonte: ZF
13

3. ECONOMIA E MERCADO

3.1 Economia e mercado Teoria

Para Wessels (WESSELS, 2010, p. 9) economia é:

“O estudo de como as pessoas tomam decisões em face da escassez e,


por sua vez, coordenam suas decisões por meio dos preços. Procura explicar
o mistério de como indivíduos que nunca se comunicam diretamente entre si,
podem estar vivendo em lados opostos do mundo e que podem nem mesmo
gostar uns dos outros se vierem a se conhecer, ainda são capazes de produz ir
e trocar os bens que cada um deseja. Ela procura examinar como bilhões e
bilhões de decisões são tomadas de forma independente e, no entanto, são
reunidas no mercado em uma forma harmoniosa e coordenada”.

Já o mercado é (CONCEITO.DE,2011):

“O mercado é o ambiente social ou virtual propício às condições para a troca


de bens e serviços. Também se pode entender como sendo a instituição ou
organização mediante a qual os ofertantes (vendedores) e os demandantes
(compradores) estabelecem uma relação comercial com o fim de realizar
transações, acordos ou trocas comerciais.”

Figura – 5 O Mercado

Fonte: Google Imagens


14

Economia é um conjunto de conhecimentos especializados, organizados e em


evolução, como um todo é um sistema econômico em que os agentes econômicos tais como
empresas, bancos, prestadoras de serviços, entre outros, podem atuar com pouca interferência
governamental, típico de economia capitalista, na qual a produção e o consumo de bens e
serviços estabelecidos são pela interação de oferta ou demanda. Quase uma totalidade dos
produtos e serviços de economia de mercado é produzida pela iniciativa privada podemos citar
como as indústrias, comércios, bancos e empresas prestadoras de serviços.

A economia é um dos pilares apoiados por economistas que defendem o liberalismo


econômico e o neoliberalismo, onde as características da economia de mercado são:

• Liberdade para definição de preços de serviços e mercadorias. A livre concorrência é


que regula o mercado com relação aos preços.

• Produção e consumo de bens e serviços estabelecidos pela interação entre


oferta e demanda. Quase a totalidade dos produtos e serviços de uma economia de mercado é
produzida pela iniciativa privada (indústrias, comércios, bancos e empresas prestadoras de
serviços).

Para atender as necessidades das pessoas de uma sociedade, as empresas trabalham com
a produção de bens e serviços que são comprados e logo consumidos por elas, denominadas
consumidores.
Com isto deve-se considerar sua capacidade de produção como limitada ao contrário do
consumidor que apresenta cada vez mais necessidades ilimitadas, fazendo com que a produção
se torne escassa onde seu custo por consequência ter a um valor maior.
A economia é movimentada por elementos chaves presentes na produção e no
consumo do mesmo, dentre eles os principais elementos são:
Os agentes (pessoas, empresa e governo), a escassez (redução de produtos), a produção
(processo que gera riqueza) e o mercado (local que comercializa produtos e serviços), dentre
estes se dividindo em fases; Primária (Alimentação, vestuário, habitação, transporte e higiene)
presentes na lei de oferta e lei da demanda, já a Secundária é realizada pelo impulso do desejo
do querer além das coletivas referindo aos serviços Públicos.
15

A Definição de mercado se baseia no local onde estes agentes econômicos realizam


trocas de produtos ou buscam serviços.
Contando com isto existem tipos de mercados financeiros: mercado monetário, mercado
de crédito, mercado de capitais, mercado de câmbio, mercado de monopólio e mercado
oligopólio.
A Macroeconomia realiza somatórias de hábitos de produção e consumo por meio da
acumulação de bens de um mesmo grupo (transações econômicas de agregados de um grupo,
uma cidade, estado ou pais) dividindo- se em três partes: Produto, Renda e Despesa.
Diferente da Microeconomia que está diretamente relacionada a realidade cotidiana de
hábitos de compras e venda de bens e consumo; poupar dinheiro para o futuro, indústria ou
finanças, empreendedor ou empresário todos comprados por indivíduos.

3.2 Panorama econômico financeiro do Brasil

No terceiro trimestre de 2019, o Brasil registrou variação positiva de 0,6% no Produto Interno
Bruto (PIB) na comparação com período imediatamente anterior. Em relação ao mesmo período
de 2018, houve crescimento de 1,2%. Em valores correntes, o indicador atingiu R$ 1,842
trilhão, sendo R$ 1,582 trilhão referente ao valor adicionado e o restante aos impostos sobre
produtos.

Nas atividades industriais, o desempenho foi puxado pela expansão de 12,0% nas indústrias
extrativas, com grande contribuição da extração de petróleo, e de 1,3% em construção. Esses
movimentos foram parcialmente compensados pela retração de 1,0% nas indústrias de
transformação e de 0,9% na atividade de eletricidade e gás, água, esgoto e gestão de resíduos.
16

Em serviços, os grupos que operaram em campo positivo foram atividades financeiras e seguros
(1,2%), comércio (1,1%), informação e comunicação (1,1%) e atividades imobiliárias (0,3%).
Os grupos que ficaram em campo negativo neste setor foram administração, defesa, saúde e
educação pública e seguridade social (-0,6%) e transporte, armazenagem e correio (-0,1%).

Figura 6 – Crescimento do PIB Brasil

Fonte:capitalizo.com

3.3 Impacto das Economias e a Dinâmica dos Mercados


A economia está diretamente ligada às organizações de uma forma direta, pois seu
impacto tende a alavancar bons resultados assim como nos resultar em números não
satisfatórios. Atualmente encontramos a nossa volta organizações cada vez mais dispostas a
desafios e competições, tendo como base produtos e serviços de qualidade e com preços
equivalentes a concorrência.
Estamos todos envolvidos nesse “Mundo financeiro” a partir do momento que lidamos
com valores fornecendo e os recebendo, na locação de um imóvel, mantendo uma conta
bancária dentre outras. Falando sobre finanças maiores, podemos citar a bolsa de valores,
grandes empresas e suas fusões, as taxas de juros.
Os diretores das organizações precisam estar atentos a essas “oscilações” do mercado
econômico acompanhando de preferência de perto e numa rotina evitando assim surpresas
inesperadas causando impactos devastadores em sua empresa. Grandes porcentagens de
empresas necessitam de fundos permanentes. A função do administrador é buscar, inovar e
contribuir para organização de forma a trabalhar sem riscos e possíveis formas de solucionar
problemas econômicos e seus impactos.
17

3.4 Variáveis Macroeconômicas

Macroeconomia é o estudo dos agregados macroeconômicos e suas variáveis que


influenciam o país como um todo, sejam elas: taxa de desemprego, taxa de juros, inflação,
exportação e importação, estabilidade de preços dentre outras variáveis mais.
Essas variáveis afetam as empresas, que têm serias consequências. Consideremos que o
país esteja em crise, logo a empresa sentirá nos resultados essa “crise” e como solução com a
taxa de desemprego em alta, fatores resultantes desta fase, a empresa opta por cortes de gastos
e como forma de solucionar esse problema a mesma dispensará o seu funcionário ou até mesmo
diminuirá seu salário.
Falando sobre outra variável a estabilidade de preços ou a inflação, que está diretamente
ligada não somente a empresa como ao consumidor pois com a alta da inflação temos o reajuste
de preços em produtos de alto consumo, sejam remédios, sejam alimentos.
Para a empresa estes valores são percebidos na aquisição de produtos para abastecimento de
estoque, reposição de mercadorias.
18

4 MATEMATICA APLICADA

4.1 Fundamentos da Matemática Aplicada

A matemática Aplicada é um ramo da matemática onde são aplicados conhecimento


matemáticos e outras formas de cálculos, isso inclui cálculos numéricos, matemática voltada
para engenharia, programação linear, otimização, modelagem contínua, biomatemática e
bioinformática, teoria da informação, teoria dos jogos e etc.
Durante toda história, a matematica era mais importante para matérias como ciênçias e
engenharia, porem apartir da segunda gerra mundial ela tomou novas aplicações como teoria
dos jogos e teoria da escolha social e até mesmo conceitos de redes neurais, que segiram com
estudos da neurociênçia.
Trazendo para o campo administrativo empresarial, a matematica aplicada é capaz de
realizar soluções de problemas empresariais, seja na área de recursos humanos, de produção,
de comercialização, de finanças ou na própria área de administração geral. Em boa parte das
decisões administrativas pode ser tomada na base de soluções assentadas em equações
matemáticas que simulam algumas situações reais, que obedecem à determinada “lei” ou
regularidade, Utilizando técnicas matemáticas e lógicas podemos aplicar a matemática na
administração tendo assim vantagens, sabendo identificar o problema, definir alternativas de
soluções.

4.2 Aplicações da Matemática Aplicada

No mundo dos negócios essa ferramenta ganha importância, uma vez que seus resultados
facilitam a tomada de decisão dos gestores e consequentemente, influenciam o cenário tanto
macro quanto microeconômico de cada um.
O conhecimento matemático, mesmo em áreas desenvolvidas a princípio de forma totalmente
acadêmica, termina por encontrar aplicação em setores diversos da tecnologia e outras áreas
diversas. Muitas inovações, que foram cruciais para a mudança de comportamento da
sociedade, utilizaram ferramentas matemáticas (puras ou aplicadas). Um exemplo desta
aplicação, que está presente em nosso cotidiano, é sobre a Teoria dos Números: um algoritmo
foi criado para criptografar dados que são, ainda hoje, indecifráveis e que nos permite fazer,
com segurança, compras via internet, acessar dados bancários, etc. (BOTTA, 2010)
19

6.2 Exemplos

Veremos a seguir alguns exemplos de exercícios aplicáveis na indústria;

1) Um fabricante de máquinas de cortar grama tem um custo fixo de R$ 5.000,00 e um custo


variável de R$ 100,00 por máquina produzida.

(a) Encontre o custo para produzir 500 máquinas.

Solução:

CT = CF + CV
CT = 5000 + 100.q
CT = 5000 + 100. (500)
CT = 5000 + 50000
CT = 55000

2). Sabendo-se que a função custo total para fabricar determinada mercadoria é dada por C(x)
= x3 + x2 + 2x + 100, sendo x a quantidade produzida, calcule:

(a) o custo total para produzir 5 unidades dessa mercadoria.

Solução:

Para x = 5, temos:

C(5) = 53 + 52 + 2.5 + 100 = 125 + 25 + 10 + 100 = 260

(b) o custo total para produzir 10 unidades dessa mercadoria.

Solução:

Para x = 10, temos:


20

C(10) = 103 + 102 + 2.10 + 100 = 1000 + 100 + 20 + 100 = 1220

(c) a função custo médio e o custo médio para produzir 5 unidades dessa mercadoria

Solução:

CMe(x) = C(x) : x

CMe(x) = [x3 + x2 + 2x + 100] : x

CMe(x) = x2 + x + 2 + 100/x

Para x = 5, temos:

CMe(x) = C(x) : x
CMe(x) = C(5) : 5
CMe(x) = 260 : 5
CMe(x) = 52
21

CONCLUSÃO

Durante este trabalho apresentado podemos perceber o quão importante é para


uma organização ter uma boa administração dos materiais utilizeados por ela, sejam eles
matéria prima, materiais em estoque no almoxarifado e/ou materiais distribuídos em setores
dentro da empresa. Tudo isso visando diminuir o tempo perdido por não ter um sistema de
controle eficiente sobre os seus produtos e economias que podem vir a ser geradas na área da
logística.
Se engana quem achaque a área de recursos e materiais cuida somente da organização
de estoque e distribuição, ela vai muito além disso e é de extrema importância para a empresa
que ela esteja interligada com outras áreas da cadeia (compras, fornecedores, planejamento,
logística e etc.) para que juntos consigam resultados positivos para a empresa tanto em tempo
quanto em recursos.
Estudando sobre a economia podemos enxergar a diferença entre macro e
microeconomia e o que ambas têm como objetivo especifico.
MACROECONOMIA – Resumidamente é responsável pelos estudos de economias de
grandes proporções. Exemplos: Cidades, Estados, País ou até mesmo grupo de países.
Já a MICROECONOMIA estuda de grosso modo como é formado o preço dos produtos a
serem comercializados, atentando-se sempre para a lei da oferta e demanda, com isso quanto
maior a procura pelos produtos é inevitável que haja um aumento de preço devido a
emergência de se produzir especificado produto em um curto prazo.
Diferente do que muitas pessoas pensam, a matemática traz cálculos que além de
demonstrar ganhos e perdas pode auxiliar na tomada de decisão e solucionar inúmeros
problemas dentro de uma empresa, desde o setor de recursos humanos, produção,
comercialização, finanças e etc. Hoje inúmeras empresas optam por utilizar técnicas lógicas e
matemáticas para se certificar da exatidão e assim ter mais assertividade nas suas decisões
finais.
22

REFERÊNCIAS

BOTTA, V. Sobre o Mercado de Trabalho para os Matemáticos. Revista do Professor de


Matemática. Volume 72. 2010.
Compliance ZF Friedrichshafen AG D-88038 Friedrichshafen
Livro texto - Batista, Antonio Eduardo Matemática Aplicada. / Antonio Eduardo Batista - Sao
Paulo. Editora Sol. 116 p. il.
Livro texto – Recursos Materiais e Patrimoniais. / Herbert Gonçalves Espuny. – São Paulo,
2019. Editora Sol.108 p. il.
POZO, Hamilton. Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais: Uma Abordagem
Logística. São Paulo: Atlas, 2010.
SLACK, Chambers, Administração da Produção. São Paulo, Editora Atlas, 1997. Lamêgo,
Guilherme, A Importância da Gestão de Estoques, www.reagro.com.br, 2013.

Você também pode gostar