Você está na página 1de 79

VÁLVULAS E DISPOSITIVOS

CORRELATOS
VÁLVULAS E DISPOSITIVOS CORRELATOS

• Aproximadamente de 5 a 8% dos custos totais


de instalação de uma indústria de processo se
referem a compra de válvulas. Em termos de
número de unidades, as válvulas perdem
apenas para as conexões de tubulação.
RAQUETES E FIGURAS 8

• Dispositivos simples de
bloqueio, destinados a isolar
trechos de tubulações e
equipamentos de maneira
absoluta.
RAQUETES E FIGURAS 8

• São espécies de válvulas de


bloqueio completo, adequadas
quando se é necessária a inspeção
visual para certeza da vedação da
linha. Os tipos comuns de válvulas
tem mecanismo de fechamento
localizado dentro do corpo do
componente, dificultando a
observação do pleno fechamento.
OUTROS ACESSÓRIOS DE TUBULAÇÃO

FONTE: Telles. P. C. da S. Tubulações Industriais: Materiais, Projeto e Montagem


FIGURA “8” JUNTO A UMA VÁLVULA
OBTURADORES

• Com a mesma finalidade, são equipamentos que substituem


com grande vantagem as raquetes e figuras oito, por de serem
dispositivos de manuseio simples e rápido, além da maior
garantia de isolamento do fluxo.
OBTURADORES
VÁLVULAS
VÁLVULAS

São dispositivos usados para estabelecer, controlar


e interromper a passagem de fluidos em
tubulações. Dentro desse conceito, as válvulas
podem ter funções e características específicas que
permitem uma classificação segundo o seu
emprego mais específico.
VÁLVULAS

SÃO CARAS

VÁLVULAS  SUSCETÍVEIS A VAZAMENTOS

PRODUZEM PERDAS DE CARGA

DIÂMETRO NOMINAL  TUBO


CLASSIFICAÇÃO DAS VÁLVULAS

I. VÁLVULAS DE BLOQUEIO
• Gaveta, Sanduíche, Comporta
• Macho
• Esfera
II. VÁLVULAS DE REGULAGEM
• Globo
• Agulha
• Borboleta
• Diafragma
III. VÁLVULAS QUE PERMITEM O FLUXO EM UM SÓ SENTIDO
• Retenção
• Retenção e Fechamento
• Pé
Segue
CLASSIFICAÇÃO DAS VÁLVULAS

IV. VÁLVULAS QUE CONTROLAM A PRESSÃO DE MONTANTE


• Segurança e Alívio

• Excesso de Vazão

• Contrapressão
V. VÁLVULAS QUE CONTROLAM A PRESSÃO DE JUSANTE
• Redutoras e Reguladoras de Pressão

• Quebra-Vácuo
VI. VÁLVULAS QUE CONTROLAM O PROCESSO
• Válvulas de Controle Completo
APLICAÇÕES DAS VÁLVULAS

• Serviço liga-desliga;
• Limitação de vazão;
• Selagem de vasos de pressão;
• Serviço de controle de processo;
• Prevenção de vazão reversa;
• Controle e alívio de pressão.
REQUISITOS PARA VÁLVULAS

• Requisitos Materiais: material adequado ao


fluido transportado.
• Requisitos Mecânicos: produção reduzida de
ondas de choque, sobrepressão e outros
efeitos do regime transiente.
• Requisitos Termodinâmicos: processo
isoentálpico (u+pv)antes= (u+pv)depois. Muito
importante em válvulas de regulagem e
controle.
PROCESSOS EM EQUIPAMENTOS
(a) Trocadores de Calor, Caldeiras, Geradores de Vapor,
Evaporadores, Condensadores, Aquecedores:
PROCESSO ISOBÁRICO

(b) Turbinas, Compressores, Bombas: PROCESSO


ADIABÁTICO

(c) Expansores, Válvulas e Câmaras de Mistura:


PROCESSO ISOENTÁLPICO
COMPONENTES

CORPO
CARCAÇA
CASTELO

Mecanismo interno,
gaxetas (vedadores),
haste, peças de
fechamento e sede: são
chamadas trim da válvula
COMPONENTES
TIPOS DE EXTREMIDADES

 FLANGEADA

 SOLDA DE ENCAIXE

 ROSQUEADA

 SOLDA DE TOPO
MEIOS DE OPERAÇÃO

VOLANTE
• MANUAL ALAVANCA até 12”
ENGRENAGENS após 12”

HIDRÁULICA válvulas grandes


• MOTORIZADA PNEUMÁTICA
ELÉTRICA
MEIOS DE OPERAÇÃO

FLUIDO

• AUTOMÁTICA

MOLAS OU CONTRAPESO
SISTEMAS DE MOVIMENTAÇÃO DA HASTE

1. HASTE ASCENDENTE COM ROSCA EXTERNA - “OS&Y – Outside Screw & Yoke

• HASTE 
• VOLANTE 
• INDICAÇÃO VISUAL
2. HASTE ASCENDENTE COM ROSCA INTERNA - “RS –Rising Stem”
• HASTE e VOLANTE  e 
• INDICAÇÃO VISUAL
3. HASTE NÃO ASCEDENTE -”NRS”
• HASTE e VOLANTE 
• GAVETA 
• NÃO HÁ INDICAÇÃO VISUAL
VÁLVULAS DE BLOQUEIO
VÁLVULAS DE GAVETA
• USO GENERALIZADO  BLOQUEIO EM LINHAS de
ÁGUA, ÓLEO, VAPOR e AR
VÁLVULAS DE GAVETA

• São usadas para todas as pressões e temperaturas,


muito embora sua operação se torne difícil com
pressões muito elevadas;
• O fechamento é feito por um uma peça chamada
gaveta ou cunha, que se desloca paralelamente ao
orifício da válvula e perpendicularmente ao
movimento do fluido;
• Quando completamente abertas, a perda de carga é
desprezível;
• Só devem trabalhar abertas ou fechadas, pois são
válvulas de bloqueio, não de regulagem.
VÁLVULAS DE GAVETA
Utilizada em qualquer diâmetro, em tubulações de água, óleo e líquidos
em geral, desde que não sejam muito corrosivos nem deixem muitos
sedimentos.

Valores médios dos comprimentos equivalentes de tubos para perda de


carga:

O fechamento lento evita golpes de ariete, consequentes da paralisação


repentina do fluxo.
Dificilmente dão fechamento estanque e como tem o fechamento de
metal contra metal, são consideradas de segurança contra incêndio.
VÁLVULAS DE GAVETA
VÁLVULAS DE GAVETA
VÁLVULAS DE GAVETA
VÁLVULAS DE MACHO

BLOQUEIO DE GASES
• USADAS PARA 
LÍQ. EM GERAL ↓
P
LÍQ. C / SÓLIDOS SUSP.
VÁLVULAS DE MACHO

• São válvulas caracterizadas por possuírem uma peça cônica


com uma passagem transversal de seção retangular ou
trapezoidal que se encaixa no corpo da válvula, e de tal modo
que, quando o eixo geométrico do orifício coincide com o eixo
do tubo, o escoamento é máximo. Com uma rotação de 90° a
válvula fica completamente aberta ou fechada. As de tipo
mais simples, de macho engaxetado, são utilizados para
operações "liga-desliga" de manobra rápida em instalações
de água, óleo, ar e líquidos densos ou com sólidos em
suspensão, descargas de caldeira etc, com pressões de serviço
de até 8,8 kgf.cm2 (0,88 MPa) a 40° C, com flanges.
VÁLVULAS DE MACHO
VÁLVULAS DE MACHO

TIPOS:
 COM LUBRIF. – USADAS PARA GASES
USADAS PARA T 
 SEM LUBRIF. –
PROVA DE FOGO
VÁLVULAS DE ESFERA
 MACHO  ESFERA GIRA SOBRE SEU DIÂMETRO

 VEDAÇÃO ABS ESTANQUE  ANÉIS RET DE MAT RESILIENTE


VÁLVULAS DE ESFERA

• Basicamente, a válvula esfera é uma variação


da válvula macho que, ao invés de um
obturador cônico, tem um obturador esférico
vazado, que atua entre dois anéis resilientes,
requerendo igualmente apenas ¼ de volta
para a abertura ou fechamento.
VÁLVULAS DE ESFERA (2)

 USO GERAL SUBS. VAL. GAVETA

 VANTAGENS
 CUSTO
 VEDAÇÃO
 PERDA DE CARGA
 OPERAÇÃO MAIS FÁCIL
 DESVANTAGENS
 GOLPE DE ARIETE
 NÃO SÃO A PROVA DE FOGO (por conta dos
anéis de vedação)
VÁLVULAS DE ESFERA Trunion
VÁLVULAS DE COMPORTA
VÁLVULAS DE COMPORTA

• Também chamadas válvulas


guilhotina, são adequadas
ao fechamento do
escoamento de líquidos
pastosos, água industrial,
massas e semelhantes.
Algumas versões podem ser
adaptadas para aplicações
mais gerais.Também são
válvulas de bloqueio.
VÁLVULA SANDUICHE
VÁLVULAS DE REGULAGEM
VÁLVULAS GLOBO
VÁLVULAS GLOBO

• Têm esse nome devido a forma globular do seu corpo ou


sede. Efetuam operações de bloqueio, regulagem ou
estrangulamento;
• Garantem estanqueidade total para pequenos diâmetros;
• Normalmente, sua arquitetura favorece sua manutenção, sem
necessidade de remoção da linha;
• Perda de carga normalmente maior do que as válvulas gaveta;
• Indicadas para diâmetros até 8”;
• Indicadas para operações freqüentes de fechamento e
abertura.
VÁLVULAS GLOBO ANGULARES
VÁLVULAS GLOBO OBLÍQUAS (válvulas em Y)
VÁLVULAS GLOBO OBLÍQUAS

• Ocupação de menor espaço (altura) numa


instalação;
• Perda de carga de mesma ordem das válvulas
globo anteriores.
VÁLVULAS GLOBO DE AGULHA
VÁLVULAS GLOBO DE AGULHA

• Também chamadas simplesmente de válvulas


de agulha, tem funcionamento semelhante as
demais válvulas globo;
• Seu elemento de vedação (obturador) se
caracteriza pelo formato cônico
extremamente agudo;
• Tem orifício de passagem pequeno face à
bitola da válvula, para se obter maior
sensibilidade no controle da vazão.
VÁLVULAS GLOBO DE AGULHA
VÁLVULA BORBOLETA

A válvula borboleta tem por função a


regulagem e também o bloqueio do fluxo em
uma canalização. É utilizada principalmente
em sistemas de adução e de distribuição de
água doce bruta ou tratada e em estações de
tratamento de água.
VÁLVULAS DE BORBOLETA
O fluido não deve exceder a temperatura de 60° C
e a pressão de trabalho de 1,6 MPa.
VÁLVULAS DE BORBOLETA

• ⇙ REGULAGEM
• ⇗D
• ⇙P
VÁLVULAS DE BORBOLETA

Wafer

Lug
VÁLVULAS DE BORBOLETA

FONTE: Telles. P. C. da S. Tubulações Industriais: Materiais, Projeto e Montagem


VÁLVULAS DE DIAFRAGMA
VÁLVULAS DE DIAFRAGMA

• São válvulas sem gaxeta, e por isso muito usadas para


transporte de fluidos perigosos, corrosivos, tóxicos,
inflamáveis etc. O fechamento da válvula é feito por meio de
um diafragma flexível que é apertado contra a sede. O
mecanismo móvel fica completamente fora do contato como
o fluido . O diafragma pode ser de borracha sintética,
neoprene, teffon, etc., dependendo das características do
fluido. São empregadas para diâmetros de até 6”. Pode
trabalhar como válvula de bloqueio.
VÁLVULAS DIAFRAGMA DE PASSAGEM PLENA
VÁLVULAS DE CONTROLE
VÁLVULAS DE CONTROLE

• São válvulas de regulagem; porém,


distingüem-se das anteriores por possuírem
sistemas de controle da vazão, obedientes a
critérios termo-mecânicos.
• Um sinal padrão é aplicado ao atuador da
válvula, que o converte em uma força, que
movimenta a haste, variando a área de
passagem do fluido pela válvula.
Válvula de Controle
Válvula de Controle
VÁLVULAS DE RETENÇÃO

 São de operação automática e permitem a passagem do fluído em


somente um sentido.
 Provocam uma alta perda de carga, só devem ser usadas quando
forem de fato imprescindíveis.
 Devem ser instalada de tal modo que a ação da gravidade ajude o
fechamento da válvula.
VÁLVULAS DE RETENÇÃO
VÁLVULAS DE RETENÇÃO

Casos típicos de emprego:

 Linhas de recalque de bombas, imediatamente após a bomba,


quando houver mais de uma bomba em paralelo descarregando
para o mesmo tronco.
 Linha de recalque de uma bomba para um reservatório elevado.
 Extremidade livre da linha de sucção de uma bomba não afogada.
VÁLVULAS DE RETENÇÃO (1)

 OPERAÇÃO AUTOMÁTICA
 VÁLVULA DE RETENÇÃO DE PISTÃO
VÁLVULAS DE RETENÇÃO (2)

 VÁLVULA DE RETENÇÃO DE PORTINHOLA


VÁLVULAS DE RETENÇÃO (3)

 VÁLVULA DE RETENÇÃO DE ESFERA


VÁLVULAS DE RETENÇÃO (4)

 VÁLVULA DE RETENÇÃO DE PÉ
VÁLVULAS DE SEGURANÇA E ALÍVIO
VÁLVULAS DE SEGURANÇA E ALÍVIO

• Válvulas de segurança são usadas quando se deseja um


dispositivo capaz de aliviar a pressão de forma automática e
instantânea;
• Válvulas de alívio são usadas quando se deseja realizar de
forma automática e gradativa, pequenas compensações
(alívios) de pressão, com a válvula abrindo ou fechando
gradativamente.
• Controlam a pressão a montante abrindo-se
automaticamente, quando essa pressão ultrapassar um
determinado valor para o qual a válvula foi calibrada (pressão
de abertura da válvula).
VÁLVULAS DE SEGURANÇA E DE ALÍVIO

 SEGURANÇA  FLUIDOS ELÁSTICOS (compressíveis)

abertura total rápida

 ALÍVIO  INCOMPRESSÍVEIS

abertura gradual
VÁLVULAS DE SEGURANÇA E DE ALÍVIO

• AUTOMÁTICA “SET
POINT”
VÁLVULAS DE SEGURANÇA E DE ALÍVIO

FONTE: Telles. P. C. da S. Tubulações Industriais: Materiais, Projeto e Montagem


VÁLVULAS DE SEGURANÇA E DE ALÍVIO
VÁLVULAS DE SEGURANÇA E DE ALÍVIO
Válvula de alívio (líquido) ou de
segurança (gás) tipo carga com mola

Válvula de alívio tipo “flex-flow”


VÁLVULAS
CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

FATORES DE INFLUÊNCIA:

Finalidade ou função da válvula (bloqueio, regulagem, etc.)


Natureza e estado físico do fluido
Condições de corrosão, erosão, depósito e presença de sólidos
Pressão e temperatura
DN da tubulação
Frequência de operação
Qualidade da estanqueidade do fechamento desejada
Velocidade de fechamento desejada
Necessidade de controle remoto ou automático
Resistência a fogo
Custo
Espaço disponível
Posição de instalação
VÁLVULAS
MATERIAIS USUAIS

CARCAÇA (CORPO E CASTELO):

Aço carbono
Aço-liga
Aço inoxidável
Ferro fundido
Bronze
Latão
Níquel, etc.

MECANISMO INTERNO (ou TRIM):

Aço inoxidável
Bronze
VÁLVULAS
CRITÉRIOS DE SELEÇÃO – OUTROS ASPECTOS

Especificação de anéis, juntas, parafusos, gaxetas, revestimento, etc.


Tipo de extremidades da válvula (flange, rosca, etc.)
Tipo de ligação entre o corpo e o castelo
Tipo de movimento da haste
Tipo de engaxetamento
Sistema de acionamento
Outros itens, particulares ao tipo da válvula
VÁLVULAS
PRINCIPAIS NORMAS

Normas ASME
- ASME B.16.10 – Dimensões de válvulas flangeadas e para solda de topo.
Gaveta, de macho, de esfera, de globo, de retenção, de controle. Aço e
ferro fundido, até 24 pol. Classes 150# a 2500#.
- ASME B.16.34 – Pressões admissíveis e espessuras mínimas de válvulas
flangeadas e para solda de topo. Aço fundido e forjado, até 30 pol.
Classes 150# a 2500#.
- ASME B.16.104 – Limites de vazamento para válvula de controle.

Normas API
- API 6D, 526, 593, 594, 597, 598, 599, 600, 602, 603, 604, 606 e 609.

Normas ABNT
- EB-141 – Dimensões, materiais, condições de trabalho, testes, etc.

Você também pode gostar