Você está na página 1de 10

Processos de Conformação Mecânica

Turma: 10º Semestre


Engenharia Mecânica

Prof. José Francisco Barros


Contato: jfcbarros@uni9.pro.br
Aula 5. CHA
COMPETÊNCIA (s): DEFINIR / PROJETAR / PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO
MECÂNICA;

CONHECIMENTO (s):
Etapa 1. ESFORÇOS DURANTE O PROCESSO DE ESTAMPAGEM;
Etapa 2. ESFORÇOS DE ESTAMPAGEM;

HABILIDADE (s): DIMENSIONAR / PROJETAR / PARAMETRIZAR PROCESSOS DE


FABRICAÇÃO DE ACORDO COM SEUS ESFORÇOS

ATITUDE (s): TOMADA DE DECISÃO


CRIATIVIDADE / ANÁLISE MULTICRITÉRIO;
Aula 5 – Classificação de Processos de Conformação Mecânica e Cálculo de Estampagem
Q Rev 1. DEFINIR A NOMENCLATURA DO PROCESSO E SEUS ESFORÇOS RESPECTIVOS?
Referência: Link – Atividade já realizada
5.1 TEMPERATURA DE TRABALHO
Peças – Produto Final – Forjados
PROBLEMATIZAÇÃO? Qual o tipo de processo de forjamento :
Referência: Link – Atividade já realizada

Figura 1 – Eixo de Navio / TIPO DE Figura 2 – Virabrequins / TIPO DE


MÁQUINA / TIPO DE MATRIZ MÁQUINA / TIPO DE MATRIZ

Figura 3 – Parafusos e Pinos / TIPO DE Figura 4 – Engrenagens / TIPO DE


MÁQUINA / TIPO DE MATRIZ MÁQUINA / TIPO DE MATRIZ
Questão 1 – Score 25%)
Ao analisar os dados será necessário estabelecer um valor de folga entre punção e matriz.
Na figura abaixo, cada curva é relativa a um tipo de material. A curva superior se refere ao aço duro,
a do meio do aço doce ao meio doce e latão (97% a 55% de Cu e 3% e 45% de Zn e (Complementos
Al, Sn e Pb) e a inferior a Alumínio.

Relação da classificação dos aços quanto ao teor de carbono


Menos de 0,15 %: Aço extra doce (Teor muito baixo de Carbono)
0,15 a 0,25 %: Aço doce (Baixo teor de Carbono)
0,25 a 0,40 %: Aço meio doce (Médio teor de Carbono)
0,40 a 0,60: Aço meio duro (Alto teor de Carbono)
0,60 a 0,80 %: Aço duro (Teor muito alto de Carbono)
0,80 a 1,20 %: Aço extra duro (Teor extra-alto de Carbono)
Questão 2 – Score 25%)
Estampagem Corte
Equação do esforço necessário para o corte:
Q= p.e. σc

Q esforço de corte ou cisalhamento


p perímetro da figura da peça
e espessura da chapa
3 4
σc resistência ao cisalhamento, igual a 4 a de σe
5

Exemplo:
Sendo σc =70 Kgf /mm2 , e=6mm , d=120mm.
Questão 3 – Score 25%)
Para calcular o Raio da ferramenta de estampagem.
Analisar os limites de: Dobramento e Curvamento.

Calcular a Linha Neutra


Linha neutra: não há deformação
Comprimento necessário antes da dobra: igual ao comprimento da linha neutra do elemento

c = a + b + 𝜋2 (𝑟 + 𝑦) sendo: c, a e b unidades em [mm]

𝑒
y = 2  para chapas de espessuras até 1 mm

𝑒
y = 3  para chapas maiores

Determinar r sendo,
c = 680 mm
a = 320 mm
b = 320 mm
Questão 4 – Score 25%)
Para o cálculo da Força de Dobramento, após a determinação do comprimento antes da dobra –
c [mm] e a espessura da chapa - e [mm], abaixo o cálculo da Força de Dobramento - P [Kgf].

2.σ𝑓.𝑏.𝑒2
P=
2.𝑙

sendo,

P = Força de dobramento;
σ𝑓 = Tensão de flexão necessária;
𝑏 = Largura da placa;
e = Espessura da chapa;
𝑙 = Distância entre apoios.

σ𝑓 = 2. σ𝑒
σ𝑓 = Tensão de flexão necessária;
σ𝑒 = Tensão de escoamento.

Figura 5 – Conjunto de Estampagem (Matriz e Punção).