Você está na página 1de 15

Texto:

Mano Kleber
Ilustrações:
Amanda Roosevelt
Texto: Mano Kleber
Ilustrações: Amanda Roosevelt

Fortaleza ● Ceará ● 2018


Copyright © 2018 Mano Kleber
Copyright © 2018 Amanda Roosevelt

Governador Coordenador de Cooperação


Camilo Sobreira de Santana com os Municípios (COPEM)
Vice-Governadora Márcio Pereira de Brito
Maria Izolda Cela de Arruda Coelho
Orientadora da Célula de Apoio à Gestão Municipal
Secretário da Educação Gilgleane Silva do Carmo
Rogers Vasconcelos Mendes
Orientador da Célula
Secretária-Executiva da Educação de Fortalecimento da Aprendizagem
Rita de Cássia Tavares Colares Idelson de Almeida Paiva Júnior

Coordenação Editorial, Conselho Editorial


Preparação de Originais e Revisão Maria Fabiana Skeff de Paula Miranda
Raymundo Netto Sammya Santos Araújo
Antônio Élder Monteiro de Sales
Projeto e Coordenação Gráfica
Sandra Maria Silva Leite
Daniel Dias
Antônia Varele da Silva Gama
Revisão Final
Catalogação e Normalização
Marta Maria Braide Lima
Gabriela Alves Gomes

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)

K63t Kleber, Mano.


Todo bicho que tem asa voa? / Mano Kleber; ilustrações de Amanda Roose-
velt. - Fortaleza: SEDUC, 2018.
24p.; il.
ISBN 978-85-8171-177-5 A Deus, por todos os bichos que têm
1. Literatura infantojuvenil. I. Roosevelt, Amanda. II. Título. asas e pelos que não têm, também.
CDU 028.5 Aos meus pais, Zé Mário e Margarida,
por me ensinarem desde cedo a voar.
À minha esposa, Maria do Carmo, por me
acompanhar e incentivar todos os meus voos.
SEDUC - Secretaria da Educação do Estado do Ceará
Av. Gen. Afonso Albuquerque Lima, s/n - Cambeba - Fortaleza - Ceará | CEP: 60.822-325
E à minha amiga, Carol Bessa, por correr
(Todos os Direitos Reservados) comigo e ter me ajudado a voar mais alto.
Ainda era muito cedo, quando Dentinho
voltou da escola para casa.
Ele vinha pelo caminho pensando em
alguns bichinhos...
Mas, nesse dia, ele pensava em muitos
bichos que têm asa.
De repente, passou pela sua cabeça uma
pergunta muito intrigante.
E era mesmo uma pergunta muito boa e
importante:
— Será que todo bicho que tem asa voa?

4 5
Então, ele começou a se lembrar do que
aprendera na escola:
— Bem, passarinho só não voa quando está
preso na gaiola.
E pensava: mas isso seria uma grande
maldade, porque, assim, o bichinho perderia toda
a liberdade!
Melhor seria se ele arranjasse um jeito, batesse
as asas e fosse embora.

6 7
Agora, tem uma coisa que eu acho
muito esquisita.
Minha vó disse que xícara tem asa!
Falou ainda que em todo canto é assim,
até mesmo lá em casa.
Mas eu nunca vi um bando de xícaras
voando por aí.
Será que elas se esqueceram de como
faziam e resolveram ficar por aqui?
8 9
Será que para voar é preciso que o bicho
tenha pena?
Se for assim, eu conheço muitos
passarinhos, pelo menos uma dezena.
Acontece que tem bicho como galinha,
peru e pavão, que por mais que se encham
de penas, mal conseguem sair do chão.
Será que eles faltaram a essa aula e não
aprenderam a lição?

10 11
Outro dia, vi uma foto de um pinguim numa
revista lá na escola.
Parecia que ele estava de uniforme, assim
como quem ia jogar bola.
Ora, pinguim também tem asa, mas parece
que nisso ele não vê a menor graça!
Descobri que os pinguins gostam mesmo é
de nadar...
...ou ficar andando pra lá e pra cá, como um
monte de gente no meio de uma praça.

12 13
E quando me disseram que tinha peixe Voam um pouquinho e nadam um
que voava, nessa eu não acreditei e pensei bocadinho...
que fosse história que o povo inventava. Agora, quem me explica como é que um
Só que é pura verdade! avião, que é mais pesado que o ar, consegue
Alguns peixinhos têm essa facilidade. sair do chão sem bater as asas e voar?
Nadam um bocadinho e voam um Foi aí que eu comecei a desconfiar que
pouquinho... para um avião subir, precisa fazer carreira,
pegar uma corrente de ar, acreditar, ir
sempre em frente e nunca desistir.

14 15
Era assim que Dentinho fazia quando
empinava sua arraia.
Amarrava com uma linha bem comprida
e saía correndo pela praia.
E aquela arraia de rabiola bonita para o
céu azul ia subindo.
Subia como muitas outras arraias de
outros meninos e, juntas, elas iam, cada vez
mais, o céu colorindo.

16 17
Dentinho pensou em todo bicho que voa
e achava isso uma coisa boa.
“Voar devia ser muito bacana.”
Assim também pensava uma lagartinha
chamada Risoleta:
— Ah! Essa história de ficar rastejando
pra lá e pra cá, já está me deixando muito
cansada. Vou dormir por alguns dias e, quem
sabe, com certeza, quando acordar e me
espreguiçar, já terei virado uma bela borboleta
de asas lindas e encantadas.

18 19
Voar deve ser algo muito divertido e de
arrepiar.
Ir rapidinho de um lugar para o outro ou
ir para qualquer lugar...
Ver tudo pequeno lá de cima, sentir o
vento batendo no corpo e no rosto, deve ser,
com certeza, muito gostoso.
20 21
Eram esses os pensamentos que pela
cabeça de Dentinho viviam passeando.
Ou será que a gente não podia pensar
que eles viviam mesmo era voando?

Um dia, Dentinho sonhou que muito


do que ele pensava fazia parte de sua
imaginação.
Foi quando descobriu, com grande
alegria, que apesar de não ter pena nem
ter asa, sua imaginação também voava.

22 23
Mano Kleber
Oi, gente!
Chamo-me Mano Kleber e adoro escrever para
crianças. Aprendi com o tempo que uma boa
pergunta pode valer muito mais do que muitas
respostas. Assim, vez por outra, me pego fazendo
perguntas para entender certas coisas que eu não
entendo. O livrinho que, agora, você carrega em
suas mãos tem um título que faz parte das perguntas
que eu fazia nos tempos de criança.Você já parou
pra pensar se “Todo bicho que tem asa voa?!” Bem,
pode ser que sim... pode ser que não... E foi fazendo
perguntas assim e procurando respostas que passei a
compreender melhor o mundo que me cercava. Espero
que você se divirta muito com as descobertas de
Dentinho e descubra respostas para tantas perguntas
que andam espalhadas por aí. Basta pegar uma,
pensar um pouquinho ou... pensar um tantão!

Amanda Roosevelt
Ilustradora e tatuadora, em Fortaleza-CE. Dei início
à minha aventura pela arte através do desenho de
moda e estamparia. Foi, então, quando conheci a
aquarela, que depois veio a se tornar meu principal
material de expressão. Nas aguadas, represento
formas e sentimentos, junto a traços orgânicos e
delicados, seja no papel ou na pele.
Apoio

Realização

O Governo do Estado do Ceará desenvolve, com os seus 184 municípios, o


Programa de Aprendizagem na Idade Certa - MAIS PAIC, com o compro-
misso de garantir e elevar a qualidade e os resultados da educação de suas
crianças e seus jovens.
Publicada pela Secretaria da Educação do Estado, através do MAIS PAIC, a
Coleção Paic, Prosa e Poesia, rica em identidade cultural, reúne narrativas
de autores do Ceará que tiveram seus textos selecionados por meio de se-
leção pública. Esse acervo constitui um estímulo a mais para se ler e contar
histórias em sala de aula, garantindo, assim, um letramento competente.