Você está na página 1de 144

BRASIL

MANITOU BRASIL
Rua Marginal, 39 - Distrito Industrial - CP 112
CEP 13280-000 - Vinhedo - SP - BRASIL
Tel. +55 19 3113-3600

SEU CONCESSIONÁRIO

648930 BR (01/01/2017)

MT 1441 E3
MT 1441 A E3
MT 1841 E3
MT 1841 A E3
MANUAL DE OPERAÇÃO

ESTE MANUAL DEVE SER MANTIDO NO MANIPULADOR TELESCÓPICO E DEVE SER LIDO E COMPREENDIDO PELOS OPERADORES.
648930 BR (01/01/2017)
1 - OPERAÇÃO E INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA

2 - DESCRIÇÃO

3 - MANUTENÇÃO

4 - ACESSÓRIOS ADAPTÁVEIS E OPCIONAIS

01/01/2017 1a DATA DE EDIÇÃO

648930 BR (01/01/2017)

OS TEXTOS E ILUSTRAÇÕES NESTE DOCUMENTO NÃO DEVEM SER REPRODUZIDOS NO TODO OU PARCIALMENTE.
648930 BR (01/01/2017)
1 - OPERAÇÃO E
INSTRUÇÕES
DE SEGURANÇA

648930 BR (01/01/2017)

1-1
1-2
648930 BR (01/01/2017)
ÍNDICE
INSTRUÇÕES PARA O OPERADOR NA EMPRESA 1-4
LOCAL 1-4
OPERADOR 1-4
MANIPULADOR TELESCÓPICO 1-4
A - ADEQUAÇÃO DO MANIPULADOR TELESCÓPICO PARA O SERVIÇO 1-4
B - ADAPTAÇÃO DO MANIPULADOR TELESCÓPICO ÀS CONDIÇÕES AMBIENTAIS NORMAIS 1-4
C - MODIFICAÇÃO DO MANIPULADOR TELESCÓPICO 1-5

INSTRUÇÕES 1-5
MANUTENÇÃO 1-5

INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO 1-6


INTRODUÇÃO 1-6
INSTRUÇÕES GERAIS 1-6
A - MANUAL DE OPERAÇÃO 1-6
B - A UTORIZAÇÃO PARA USO NA FRANÇA (ou consulte a legislação vigente em outros países) 1-6
C - MANUTENÇÃO 1-6
D - MODIFICAÇÃO DO MANIPULADOR TELESCÓPICO 1-6
E - ELEVAÇÃO DE PESSOAS 1-7
INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO SEM CARGA E COM CARGA 1-8
A - ANTES DE LIGAR O MANIPULADOR TELESCÓPICO 1-8
B - INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO 1-8
C - MEIO AMBIENTE 1-9
D - VISIBILIDADE 1-9
E - LIGAR O MANIPULADOR TELESCÓPICO 1 - 10
F - OPERAR O MANIPULADOR TELESCÓPICO 1 - 10
G - PARAR O MANIPULADOR TELESCÓPICO 1 - 11
H - CONDUZIR O MANIPULADOR TELESCÓPICO EM VIA PÚBLICA (consulte a legislação vigente em
outros países) 1 - 12
INSTRUÇÕES PARA DESLOCAR UMA CARGA 1 - 14
A - ESCOLHA DO ACESSÓRIO 1 - 14
B - PESO DA CARGA E CENTRO DE GRAVIDADE 1 - 14
C - LIMITADOR DE ESTABILIDADE LONGITUDINAL E DISPOSITIVO DE ADVERTÊNCIA 1 - 14
D - MOVIMENTO TRANSVERSAL DO MANIPULADOR TELESCÓPICO 1 - 15
E - PEGAR UMA CARGA NO SOLO 1 - 15
F - PEGAR E COLOCAR UMA CARGA ALTA APOIADA SOBRE PNEUS 1 - 16
G - PEGAR E COLOCAR UMA CARGA ALTA APOIADA SOBRE ESTABILIZADORES 1 - 18
H - PEGAR E COLOCAR UMA CARGA SUSPENSA 1 - 20
I - DESLOCAR COM UMA CARGA SUSPENSA 1 - 20
INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO COM PLATAFORMAS 1 - 21
A - AUTORIZAR O USO 1 - 21
B - ADEQUAR A PLATAFORMA PARA O SERVIÇO 1 - 21
C - PRECAUÇÕES AO USAR A PLATAFORMA 1 - 21
D - USAR A PLATAFORMA 1 - 21
E - MEIO AMBIENTE 1 - 21
F - MANUTENÇÃO 1 - 22
INSTRUÇÕES PARA USO DE RÁDIO-CONTROLE 1 - 23

INSTRUÇÕES DE MANUTENÇÃO DO MANIPULADOR TELESCÓPICO 1 - 24


INSTRUÇÕES GERAIS 1 - 24
COLOCAR TRAVA DE SEGURANÇA 1 - 24
MANUTENÇÃO 1 - 24
NÍVEIS DOS LUBRIFICANTES E DO COMBUSTÍVEL 1 - 24
SISTEMA HIDRÁULICO 1 - 24
SISTEMA ELÉTRICO 1 - 24
SOLDA 1 - 25
LIMPEZA DO MANIPULADOR TELESCÓPICO 1 - 25

SE O MANIPULADOR TELESCÓPICO NÃO FOR UTILIZADO POR UM PERÍODO LONGO 1 - 26


648930 BR (01/01/2017)

INTRODUÇÃO 1 - 26
PREPARAR O MANIPULADOR TELESCÓPICO 1 - 26
PROTEÇÃO DO MOTOR 1 - 26
PROTEÇÃO DO MANIPULADOR TELESCÓPICO 1 - 26
RETORNAR O MANIPULADOR TELESCÓPICO AO SERVIÇO 1 - 27

1-3
INSTRUÇÕES PARA O OPERADOR NA EMPRESA
LOCAL
- Uma gestão adequada da área de movimentação do manipulador telescópico diminui os riscos de acidentes:
• terreno desnivelado, acidentado ou com obstáculos
• sem inclinações excessivas,
• circulação controlada de pedestres, etc.

O OPERADOR
- Somente pessoal qualificado e autorizado pode utilizar o manipulador telescópico. Esta autorização é dada por escrito pelo
responsável
competente na empresa para utilização do manipulador telescópico e deve ser mantido permanentemente com o operador.
Com base na experiência, existe um número de situações possíveis em que o funcionamento do manipulador telescópico não é indicado. Os
principais usos anormais estão listados abaixo, e são estritamente proibidos.
- O comportamento anormal previsível resultante de negligência comum, mas que não resulta da vontade de fazer mau uso da máquina.
- As reações de reflexo de uma pessoa em caso de mau funcionamento incidente, falha, etc. durante a operação do manipulador
telescópico.
- O comportamento resultante da aplicação do «princípio do menor esforço» ao executar uma tarefa.
- Para algumas máquinas, o comportamento previsível das pessoas como: aprendizes, adolescentes, pessoas com deficiência, estagiários
tentando operar um manipulador telescópico, operadores tentando ganhar uma aposta, uma competição ou a título de experiência pessoal.
A pessoa encarregada pelo equipamento deve levar em conta estes critérios para avaliar a aptidão de uma pessoa para operar o manipulador
telescópico.

O MANIPULADOR TELESCÓPICO
A - ADEQUAÇÃO DO MANIPULADOR TELESCÓPICO PARA O TRABALHO
- A MANITOU, assegura de que o manipulador telescópico está adequado para uso em condições normais de operação, defini-
das neste manual de operação, com um coeficiente de teste ESTÁTICO DE 1.33 e um coeficiente de teste DINÂMICO DE 1,
conforme especificado na norma harmonizada EN 1459 para o manipuladores telescópicos de alcance variável.
-A  ntes de colocá-la em serviço, o responsável pela empresa deverá verificar se o manipulador telescópico está apropriado
para o trabalho a ser feito, e executar certos testes (de acordo com a legislação vigente).

B - ADAPTAÇÃO DO MANIPULADOR TELESCÓPICO ÀS CONDIÇÕES AMBIENTAIS NORMAIS


- Além dos equipamentos de série instalados no seu manipulador telescópico, diversos opcionais estão disponíveis, tais como:
iluminação viária, Luz de freio auxiliar, luzes alertas, luzes de ré, alarme sonoro de marcha-ré, farol de trabalho dianteiro, farol
de trabalho traseiro, farol na extremidade da lança, etc… (conforme o modelo do manipulador telescópico).
- O operador deve levar em conta as condições operacionais para definir a sinalização do manipulador telescópico e os equipa-
mentos de iluminação.
Contate seu concessionário.
- Leve em conta as condições climáticas e atmosféricas do local de utilização.
• Proteção anticongelamento (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFICANTES E COMBUSTÍVEIS).
• Adaptação dos lubrificantes (informe-se com o seu concessionário).
• Filtragem do motor (veja: 3 - MANUTENÇÃO: ELEMENTOS FILTRANTES E CORREIAS).
Para a operação em condições climáticas médias, ou seja: entre - 15 °C e + 35 °C, os níveis corretos dos lubrificantes em todos os circuitos
são verificados na produção. Para a operação em condições climáticas mais severas, antes de colocar em funcionamento, é necessário drenar
todos os circuitos; em seguida, completar os níveis utilizando os lubrificantes devidamente adaptados às temperaturas ambientes relevantes.
O mesmo para o líquido de arrefecimento.
- Um manipulador telescópico operando em uma área sem equipamento de combate de incêndio, deve ser equipado com um
extintor individual. Existem soluções nestes casos. Consulte seu concessionário.
Seu manipulador telescópico foi projetado para uso ao ar livre sob condições atmosféricas normais e para uso interno em instalações
adequadamente arejadas e ventiladas. É proibido usar o manipulador telescópico em áreas onde há risco de incêndio ou que sejam potencial-
mente explosivas (por exemplo: refinarias, depósitos de combustível ou gás, lojas de produtos inflamáveis ...).
​​ Para uso nessas áreas, estão
disponíveis equipamentos específicos (informe-se com o seu concessionário).

- Nossos manipuladores telescópicos cumprem com a Diretiva 2004/108/EC relativa à compatibilidade eletromagnética (EMC),
e com a norma harmonizada correspondente EN 12895. Seu bom funcionamento não será assegurado se forem utilizadas
dentro de áreas em que os campos eletromagnéticos excedam o limite especificado por essa norma (10 V/m).
- Diretiva 2002/44/EC exige que os gestores da empresa não exponham seus funcionários a doses excessivas de vibrações.
Não existe um código reconhecido de medição para comparar as máquinas de diferentes fabricantes. As doses reais recebi-
648930 BR (01/01/2017)

das podem, portanto, ser medidas apenas em condições reais de operação nas instalações do usuário.
- A seguir estão algumas dicas para minimizar essas doses de vibrações:
• Selecione o manipulador telescópico e o acessório mais adequados para o uso pretendido.
• Adapte o ajuste do assento ao peso do operador (conforme o modelo do manipulador telescópico) e mantenha-o em
boas condições, assim como a suspensão da cabine. Calibre os pneus conforme as recomendações.
• Certifique-se de que os operadores adaptem a sua velocidade de operação às condições do local.
• Na medida do possível, prepare o local para melhorar a regularidade, eliminar obstáculos e buracos prejudiciais.
1-4
C - MODIFICAÇÃO DO MANIPULADOR TELESCÓPICO
- Para a sua segurança e dos demais, você não deve modificar a estrutura e os ajustes em vários componentes utilizados no
seu manipulador telescópico (pressão hidráulica, limitadores de calibração, rotação do motor, além de equipamentos extras,
do contrapeso, acessórios não aprovados e não autorizados, sistemas de alarmes, etc.). Neste caso, o fabricante não poderá
ser responsabilizado.

INSTRUÇÕES
- O manual do operador deve estar sempre em bom estado e mantido no local previsto no manipulador telescópico e no idioma
utilizado pelo operador.
- O manual do operador e todas as plaquetas e adesivos que não estiverem legíveis ou estiverem danificados, devem ser subs-
tituidos imediatamente.

MANUTENÇÃO
- Manutenção ou outros reparos não detalhados na parte: 3 - MANUTENÇÃO devem ser realizados por pessoal qualificado
(consulte seu concessionário) e sob as condições de segurança necessárias para preservar a saúde do operador e dos de-
mais.
Seu manipulador telescópico deve ser inspecionado periodicamente para assegurar a sua conformidade. A frequência desta inspeção é defini-
da pela legislação vigente no país de utilização do manipulador telescópico.

648930 BR (01/01/2017)

1-5
INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

INTRODUÇÃO
AO VER ESTE SÍMBOLO, ISTO SIGNIFICA:

ADVERTÊNCIA ! SEJA CUIDADOSO ! SUA SEGURANÇA, DOS DEMAIS E DO MANIPULADOR TELESCÓPICO ESTÃO EM RISCO.
Os riscos de acidente na utilização, manutenção ou reparo do seu manipulador telescópico podem ser reduzidos, se não forem respeitadas as
instruções de segurança e as medidas preventivas detalhadas neste manual.
- Somente as operações e as manobras descritas neste manual do operador devem ser executadas. O fabricante não pode
prever todas as situações possíveis de risco. Consequentemente, as instruções de segurança indicadas no manual do opera-
dor e no manipulador telescópico em si, não devem ser exaustivas.
-A qualquer momento, na qualidade de operador, você deve imaginar os riscos possíveis para si próprio, para os demais ou
para o manipulador telescópico ao utilizá-lo.

O desrespeito das instruções de segurança e de operação, ou das instruções de reparo ou manutenção do seu manipulador telescópico po-
dem provocar acidentes graves, ou até mesmo fatais.

INSTRUÇÕES GERAIS
A - MANUAL DO OPERADOR
- Leia cuidadosamente o manual do operador.
- O manual do operador deve estar sempre em bom estado e no local previsto no manipulador telescópico, e no idioma utiliza-
do pelo operador.
- Você deve substituir todas as plaquetas e adesivos que não estiverem legíveis ou se estiverem danificados.

B - A UTORIZAÇÃO PARA USO NA FRANÇA


(consulte a legislação vigente em outros países)
- Apenas o pessoal qualificado e autorizado pode usar o manipulador telescópico. Esta autorização é dada por escrito pelo
responsável
competente da empresa para o uso do manipulador telescópico e deve ser mantido com o operador.
- O operador não tem competência para autorizar a operação do manipulador telescópico por outra pessoa.

C - MANUTENÇÃO
- O operador deve avisar imediatamente a seu superior se o manipulador telescópico não estiver em boas condições de funcio-
namento ou não corresponder com às instruções de segurança.
- O operador é proibido de efetuar qualquer reparo ou ajuste, exceto se tiver treinamento para isso. Ele deverá manter o seu
manipulador telescópico em perfeito estado de limpeza, se for encarregado para isso.
- O operador deve fazer manutenção diariamente (veja: 3 - MANUTENÇÃO: A - DIARIAMENTE OU A CADA 10 HORAS DE
SERVIÇO).
- O operador deve assegurar que os pneus estão bem adaptados ao tipo do terreno (veja a área da superfície de contato
dos pneus no capítulo: 2 - DESCRIÇÃO: PNEUS DIANTEIROS E TRASEIROS). Existem soluções opcionais; consulte seu
concessionário.
• Pneus para AREIA.
• Pneus para TERRA.
• Correntes para a neve.
Não use o manipulador telescópico se os pneus não estiverem corretamente calibrados, se estiverem danificados ou excessivamente desgas-
tados, pois isso poderia colocar em risco a sua própria segurança e a dos demais, ou causar danos ao manipulador telescópico. A montagem
de pneus inflados com espuma não é recomendada e não é garantida pelo fabricante, exceto com autorização prévia.

D - MODIFICAÇÃO DO MANIPULADOR TELESCÓPICO


- Para a sua segurança e a dos demais, você não deve modificar a estrutura e as regulagens dos diversos componentes utili-
zados no seu manipulador telescópico (pressão hidráulica, limitadores de calibração, rotação do motor, além de equipamento
extra, contrapeso, acessórios não aprovados e não autorizados, sistemas de alarmes, etc.). Neste caso, o fabricante não
poderá ser responsabilizado.
648930 BR (01/01/2017)

1-6
E - ELEVAÇÃO DE PESSOAS
- O uso do equipamento de trabalho e acessórios de elevação de carga para elevar
pessoas é:
• proibido
• autorizados excepcionalmente sob certas condições.
- O pictograma colocado na cabine do operador determina que:
• Pictograma da Coluna da esquerda
- É proibido a elevação de pessoas, com qualquer tipo de acessório, usando
um manipulador telescópico não equipado com PLATAFORMA.
• Pictograma da Coluna da direita
- Com um o manipulador telescópico equipado com PLATAFORMA, as
pessoas só podem ser elevadas por meio de plataformas projetadas pela
MANITOU.
- A MANITOU vende equipamentos especificamente projetados para a elevação de
pessoas (manipulador telescópico com PLATAFORMA OPCIONAL; consulte seu
concessionário).

648930 BR (01/01/2017)

1-7
INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO CARREGADA E DESCARREGADA
A - ANTES DE LIGAR O MANIPULADOR TELESCÓPICO
- Realize manutenção diariamente (veja: 3 - MANUTENÇÃO: A - DIARIAMENTE OU A CADA 10 HORAS DE SERVIÇO).
- Certifique-se de que as luzes, os indicadores e limpadores de parabrisas estão funcionando corretamente.
- Certifique-se de que os retrovisores estão em boas condições, limpos e devidamente ajustados.
- Certifique-se de que que a buzina funciona.

B - INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO
- Seja qual for sua experiência, o operador deverá familiarizar-se com a operação e a posição de todos os instrumentos e
controle antes de colocar o manipulador telescópico em operação.
- Use roupas adequadas para operar um manipulador telescópico; evite roupas soltas.
- Certifique-se de que você possui o equipamento de proteção adequado para o trabalho a ser feito.
- Uma exposição prolongada a um nível de ruído elevado pode provocar problemas auditivos. É recomendado o uso de prote-
tores auriculares para proteção contra ruídos excessivos.
- Fique sempre na posição frontal do manipulador telescópico ao subir e descer do banco do operador e use as alças previstas
para isso. Não salte do manipulador telescópico para descer.
- Sempre preste atenção ao utilizar o manipulador telescópico. Não use fones de ouvido para ouvir rádio ou música.
- Nunca opere o manipulador telescópico com as mãos ou os pés molhados ou sujos de substâncias oleosas.
- Para maior conforto, ajuste o assento conforme as suas necessidades e adote uma posição correta na cabine do operador.

Sob nenhuma circunstância ajuste o banco com o manipulador telescópico em movimento.


- O operador sempre deve estar na sua posição normal na cabine de operação. É proibido deixar braços ou pernas, ou qual-
quer parte do corpo, para fora da cabine de operação.
- O cinto de segurança deve ser usado e ajustado ao tamanho do operador.
- As unidades de controle nunca devem ser utilizadas de forma diferente da sua finalidade (por exemplo, subir ou descer do
manipulador telescópico, porta objetos, etc.).
- Se os componentes de controle estiverem equipados com um dispositivo de operação forçada(trava da alavanca), é proibido
sair da cabine sem primeiro colocar esses controles em neutro.
- É proibido transportar passageiros no manipulador telescópico ou na cabine.

648930 BR (01/01/2017)

1-8
C - MEIO AMBIENTE
- Respeite as regras de segurança do local.
- Se você tiver que usar o manipulador telescópico em um local escuro ou à noite, certifique-se de que esteja equipado com
luzes de serviço.
- Durante as operações de deslocamento, certifique-se de que ninguém esteja no caminho do manipulador telescópico e da
carga.
- Não permita que ninguém se aproxime da área de trabalho do manipulador telescópico ou passe debaixo da carga.
- Ao usar o manipulador telescópico em uma inclinação transversal, antes de levantar o braço da lança, siga as instruções
dadas no parágrafo: INSTRUÇÕES PARA A MOVIMENTAÇÃO DE UMA CARGA: D - POSIÇÃO TRANSVERSAL DO
MANIPULADOR TELESCÓPICO.
- Conduzindo em uma inclinação longitudinal:
• Conduza e use a frenagem suavemente.

• Deslocando sem carga: Garfos ou acessórios posicionados para baixo.

• Deslocando com carga: Garfos ou acessórios posicionados para cima.


- Leve em conta as dimensões do manipulador telescópico e sua carga antes de atravessar uma passagem estreita ou baixa.
- Nunca desloque em uma plataforma de carga sem ter verificado:
• Se ela está posicionada corretamente e segura.
• Se a unidade que ela está conectada (vagão, caminhão, etc.) não se moveu.
• Se esta plataforma foi projetada para o peso total a ser carregado pelo manipulador telescópico.
• Se esta plataforma foi projetada para o tamanho do manipulador telescópico.
- Nunca desloque por uma passarela, piso ou elevador de carga, sem ter certeza de que eles suportam o peso e as dimensões
do manipulador telescópico e se eles estão em boas condições.
- Tome cuidado na área de docas de carregamento, valas, tablado, terrenos instáveis e bueiros.
- Certifique-se de que o solo está firme e estável sob as rodas e/ou estabilizadores, antes do levantamento ou remoção da
carga. Se necessário, adicione calços suficientes sob os estabilizadores.
- Certifique-se de que o tablado, a plataforma de carga, as estacas ou o solo são capazes de suportar a carga.
- Nunca empilhe cargas sobre um terreno acidentado, elas podem tombar.
Se a carga ou o acessório tiver que permanecer em cima de uma estrutura por um longo período de tempo, existe o risco dela repousar em
cima da estrutura devido ao abaixamento da lança, em função do arrefecimento do óleo nos cilindros.
Para eliminar este risco:
- Verifique regularmente a distância entre a carga ou o acessório e a estrutura e reajuste se necessário.
- Se possível utilize o manipulador telescópico com uma temperatura do óleo o mais próxima possível da temperatura ambiente.
- No caso de trabalho próximo de linhas aéreas, certifique-se de que a distância de segurança seja suficiente entre a área de
trabalho do manipulador telescópico e a linha aérea.

Consulte a companhia de eletricidade local. Você pode ser eletrocutado ou gravemente ferido se operar ou estacionar o manipulador teles-
cópico próximo de cabos elétricos.

Em caso de ventos fortes, não manuseie cargas que ponham em risco a estabilidade do manipulador telescópico e sua carga(especialmente
se a carga sofrer uma rajada forte de vento)

D - VISIBILIDADE
- A segurança das pessoas dentro da área de trabalho do manipulador telescópico, bem como o do próprio manipulador
telescópico e do operador, dependem de uma boa visibilidade do operador em volta do manipulador telescópico, em todas as
circunstâncias e momentos.
- Este manipulador telescópico foi projetado para permitir uma boa visibilidade ao operador (direta ou indireta por meio de retro-
visores) em torno do manipulador telescópico durante operações sem carga e com a lança na posição de transporte.
- Precauções especiais devem ser tomadas se o tamanho da carga restringir a visibilidade à frente:
- mover em marcha à ré,
- organização do local,
- ser assistido por uma pessoa (fora da área de deslocamento do manipulador telescópico), orientando a manobra e
assegurando que essa pessoa esteja claramente visível em todos os momentos.
- em qualquer caso, evite trajetos de longas distâncias em marcha à ré.
- Alguns acessórios especiais podem exigir o deslocamento do manipulador telescópico com a lança na posição elevada. Em
tais casos, a visibilidade do lado direito ficará restrita, e deverão ser tomadas precauções especiais:
- organização do local,
- ser assistido por uma pessoa (fora da área de deslocamento do manipulador telescópico), orientando a manobra.
- Se a visibilidade do seu percurso for insuficiente, peça a alguém para ajudar, orientando a manobra (fora da área de desloca-
mento do manipulador telescópico), assegurando que essa pessoa esteja claramente visível em todos os momentos.
648930 BR (01/01/2017)

- Mantenha todos os componentes que afetam a visibilidade limpos, devidamente ajustados e em boas condições de funcio-
namento (por exemplo, parabrisas, vidros, limpadores de parabrisas, lavadores de parabrisas, luzes dos faróis e serviço,
retrovisores, etc.).

1-9
E - LIGAR O MANIPULADOR TELESCÓPICO
INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA

O manipulador telescópico só deve ser ligado ou manobrado quando o operador estiver sentado, dentro da cabine e com o cinto de segurança
ajustado e afivelado.
- Nunca tente ligar o manipulador telescópico empurrando ou rebocando-o. Tal operação pode causar graves danos à trans-
missão. Se for necessário rebocar o manipulador telescópico, em caso de emergência, a transmissão deve ser colocada na
posição de ponto morto(neutro) (veja: 3 - MANUTENÇÃO: G - MANUTENÇÃO OCASIONAL).
- Se estiver usando uma bateria de emergência para dar partida, utilize uma bateria com as mesmas características e respeite
a polaridade da bateria ao conectá-la. Conecte primeiro o terminal positivo antes do terminal negativo.
Ao não respeitar a polaridade entre as baterias pode causar sérios danos ao circuito elétrico. O eletrólito da bateria pode produzir gases explo-
sivos. Evite chamas e geração de faíscas perto das baterias. Nunca desconecte a bateria durante o carregamento.
INSTRUÇÕES
- Verifique o fechamento e o travamento do capô.
- Verifique se a porta da cabine está fechada.
- Verifique se o seletor de marcha à frente/marcha à ré está em ponto morto(neutro).
- Posicione a chave de ignição na posição I para ativar o sistema elétrico e o pré-aquecimento.
- Sempre que você ligar o manipulador telescópico, realize a verificação automática no limitador de estabilidade longitudinal e
do sistema do dispositivo de advertência (veja: 2 - DESCRIÇÃO: INSTRUMENTOS E CONTROLES). Não utilize o manipu-
lador telescópico se ele não estiver em conformidade com os regulamentos.
- Verifique o nível de combustível no indicador.
- Gire totalmente a chave de ignição: o motor então deve ligar. Solte a chave de ignição e deixe o motor funcionando em mar-
cha lenta.
- Não acione o motor de partida por mais de 15 segundos e realize o pré-aquecimento entre as tentativas sem sucesso.
- Certifique-se de que todas as luzes indicadoras no painel de instrumentos estão desligadas.
- Verifique todos os instrumentos de controle quando o motor estiver aquecido e em intervalos regulares durante a utilização,
de forma a detectar rapidamente eventuais falhas e ser capaz de corrigí-las o mais rápido possível.
- Se um instrumento não mostrar a indicação correta, pare o motor e realize imediatamente as operações necessárias.

F - OPERANDO O MANIPULADOR TELESCÓPICO


INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA
Chamamos a atenção dos operadores sobre os riscos envolvidos na utilização do manipulador telescópico, em particular:
- Risco de perda de controle.
- Risco de perda de estabilidade lateral e frontal do manipulador telescópico.
O operador deve permanecer no controle do manipulador telescópico.
Em caso de capotamento do manipulador telescópico, não tente sair da cabine durante o incidente. SUA MELHOR PROTEÇÃO É FICAR NA
CABINE.
- Observe as regras para transitar na empresa ou, o padrão e o código de trânsito em vias públicas.
- Não realize operações que excedam a capacidade do seu manipulador telescópico ou acessórios.
- Sempre opere o manipulador telescópico com os garfos ou acessórios na posição de transporte, ou seja a 300 mm do solo,
com a lança retraída e o suporte de carga inclinado para trás.
- Transporte apenas cargas equilibradas e devidamente amarradas para evitar qualquer risco de queda.
- Certifique-se de que os paletes, caixas, etc, estão em boas condições e são adequados para a carga a ser levantada.
- Familiarize-se com o manipulador telescópico no terreno onde ele será usado.
- Certifique-se de que os freios de serviço estão funcionando corretamente.
- O manipulador telescópico carregado não deve exceder a velocidade de 12 km/h.
- Conduza suavemente a uma velocidade apropriada para as condições de operação (condição do terreno, carga no manipu-
lador telescópico).
- Nunca mude o modo de direção durante a condução.
- Não manobre o manipulador telescópico com a lança na posição elevada, exceto em circunstâncias excepcionais e com ex-
trema cautela, em baixíssima velocidade e usando o freio suavemente. Certifique-se de que a visibilidade esteja adequada.
- Faça curvas lentamente.
- Em todas as circunstâncias, verifique se você está no controle de sua velocidade.
- Em terreno úmido, escorregadio ou irregular, conduza lentamente.
- Freie suavemente, nunca abruptamente.
- Utilize o seletor de marcha à frente/marcha à ré somente com o manipulador telescópico na posição estacionária e nunca de
forma abrupta.
- Não conduza com o pé no pedal do freio.
- Lembre-se sempre que a direção do tipo hidrostática é extremamente sensível ao movimento do volante, por isso gire-o sua-
vemente e nunca bruscamente.
- Nunca deixe o motor ligado quando sair do manipulador telescópico.
- Nunca deixe a cabine do manipulador telescópico com a carga elevada.
648930 BR (01/01/2017)

- Olhe para onde você está indo e assegure-se sempre de ter uma boa visibilidade do percurso.

1-10
- Use os retrovisores com frequência.
- Contorne os obstáculos.
- Nunca conduza à beira de uma vala ou declive íngreme.
- É perigoso usar dois manipuladores telescópicos simultaneamente para movimentar cargas pesadas ou volumosas, uma vez
que esta operação exige precauções específicas a serem tomadas. Ela só deve ser utilizada em caso excepcional e após a
análise de risco.
- A chave de ignição tem um mecanismo de parada de emergência em caso de anomalia no funcionamento para os manipu-
ladores telescópicos não equipados com um botão de corte de funcionamento.

INSTRUÇÕES
- Sempre opere o manipulador telescópico com os garfos ou acessórios na posição de transporte, ou seja a 300 mm do solo,
com a lança retraída e o suporte de carga inclinado para trás.
- Para os manipuladores telescópicos com caixa de marchas, use a marcha recomendada (veja: 2 - DESCRIÇÃO: INSTRU-
MENTOS E CONTROLES).
- Selecione o modo de direção adequado para a sua utilização e/ou condições de trabalho (veja: 2 - DESCRIÇÃO: INSTRU-
MENTOS E CONTROLES) (conforme o modelo do manipulador telescópico).
- Solte o freio de estacionamento.
- Posicione o seletor de marcha à frente/marcha à ré na direção desejada do percurso e acelere gradualmente até o manipu-
lador telescópico se deslocar.

G - PARAR O MANIPULADOR TELESCÓPICO


INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA
- Nunca deixe a chave de ignição no manipulador telescópico na ausência do operador.
- Quando o manipulador telescópico estiver parado, ou se o operador tiver que deixar a cabine (mesmo momentaneamente),
coloque os garfos ou acessório no solo, aplique freio de estacionamento e coloque o seletor de marcha em ponto morto.
- Certifique-se de que o manipulador telescópico não está parado num local onde não interrompe o fluxo de tráfego e em pelo
menos um metro de distância de uma ferrovia.
- Em caso de estacionamento prolongado num local, proteja o manipulador telescópico contra as intempéries, especialmente
de geada (verifique o nível de anticongelante), feche e trave todos os acessos ao manipulador telescópico (portas, vidros,
capôs…).

INSTRUÇÕES
- Estacione o manipulador telescópico em terreno plano ou em um declive inferior a 15%.
- Ajuste o seletor de marcha em ponto morto.
- Aplique o freio de estacionamento.
- Para os manipuladores telescópicos com caixa de marchas, coloque a alavanca de marcha em ponto morto.
- Retraia completamente a lança.
- Abaixe os garfos ou acessórios até o solo.
- Ao usar um acessório com garras ou mordentes, ou uma caçamba com abertura hidráulica, aproxime totalmente do acessório.
- Antes de parar o manipulador telescópico após um longo período de trabalho, deixe o motor em marcha lenta por alguns
momentos, para permitir que o líquido de arrefecimento e o óleo abaixem a temperatura no motor e na transmissão. Não se
esqueça desta precaução, em caso de paradas frequentes ou aquecimento do motor, do contrário a temperatura de certas
peças aumentará significativamente devido à parada do sistema de arrefecimento, com o risco de danificar tais peças.
- Pare o motor com a chave de ignição.
- Remova a chave de ignição.
- Trave todos os acessos ao manipulador telescópico (portas, vidros, capôs…).

648930 BR (01/01/2017)

1-11
H - C ONDUZIR O MANIPULADOR TELESCÓPICO EM VIA PÚBLICA
(consulte a legislação vigente em outros países)

INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA
- Operadores, ao conduzir em uma via pública, devem respeitar a legislação de trânsito em vigor.
- O manipulador telescópico deve estar em conformidade com a legislação de trânsito em vigor. Se necessário, existem solu-
ções opcionais. Contate seu concessionário.

INSTRUÇÕES
- Certifique-se de que a luz estroboscópica esteja no lugar; coloque-a em funcionamento e verifique o seu funcionamento.
- Certifique-se de que as luzes, indicadores e limpadores de parabrisas estão funcionando adequadamente.
- Desligue os faróis de serviço se o manipulador telescópico estiver equipado com eles.
- Retraia completamente a lança e coloque o acessório a 300 mm do solo.
- Coloque os corretores de inclinação na posição central, isto é, o eixo transversal paralelo ao chassi (conforme o modelo do mani-
pulador telescópico).
- Levante os estabilizadores ao máximo e gire os blocos para dentro (conforme o modelo do manipulador telescópico).
Nunca coloque em ponto morto (seletor de marcha à frente/marcha à ré ou alavanca de marchas ou pressione o botão de corte da trans-
missão) para preservar o freio motor do manipulador telescópico. A falha em não respeitar esta instrução em um declive pode levar a um
excesso de velocidade que tornará o manipulador telescópico incontrolável (direção, freios) e causar sérios danos mecânicos.

648930 BR (01/01/2017)

1-12
CONDUZIR O MANIPULADOR TELESCÓPICO COM UM ACESSÓRIO MONTADO NA FRENTE
- Você deve respeitar a regulamentação em vigor em seu país, relativa à possibilidade de circular em uma via pública com um
acessório montado na parte da frente do manipulador telescópico.
- Se a legislação em vigor no seu país autorizar a circulação com um acessório montado na frente, você deve, pelo menos:
• Proteger e assinalar todas as arestas cortantes e/ou perigosas do acessório (veja: 4 - ACESSÓRIOS ADAPTÁVEIS
NA GAMA DE OPCIONAIS: PROTEÇÃO DE ACESSÓRIOS).
• O acessório não deve estar carregado.
• Certifique-se de que o acessório não encobre o facho dos faróis dianteiros.
• Certifique-se de que a legislação em vigor no seu país, não prevê outras obrigações.

OPERAÇÃO DO MANIPULADOR TELESCÓPICO COM UM REBOQUE


- Para utilizar um reboque, respeite a regulamentação em vigor no seu país (velocidade máxima de circulação, frenagem, peso
máximo do reboque, etc.).
- Não se esqueça de ligar o equipamento elétrico do reboque ao do manipulador telescópico.
- O sistema de freios do reboque deve cumprir a legislação vigente.
- Se puxar um reboque com frenagem assistida, o manipulador telescópico deve estar equipado com um mecanismo de frena-
gem para reboque. Neste caso, não se esqueça de ligar o equipamento de frenagem do reboque ao manipulador telescópico.
- A força vertical no gancho de reboque não deve exceder o máximo autorizado pelo fabricante (consulte as instruções do fabri-
cante em seu manipulador telescópico).
- O peso bruto autorizado não deve exceder o peso máximo autorizado pelo fabricante (veja: 2 - DESCRIÇÃO: CARACTERÍS-
TICAS).

SE NECESSÁRIO, CONSULTE SEU CONCESSIONÁRIO.

648930 BR (01/01/2017)

1-13
INSTRUÇÕES PARA MOVIMENTAR UMA CARGA
A - ESCOLHA DO ACESSÓRIO
- Somente acessórios aprovados pela MANITOU podem ser utilizados em seu manipulador telescópico.
- Certifique-se de que os acessórios são apropriados para o trabalho a ser feito (veja: 4 - ACESSÓRIOS ADAPTÁVEIS NA GAMA
DE OPCIONAIS).
- Se o manipulador telescópico estiver equipado com um suporte de carga com deslocador lateral (TSDL) OPCIONAL, utilize
apenas os acessórios autorizados (veja: 4 - ACESSÓRIOS ADAPTÁVEIS NA GAMA DE OPCIONAIS).
- Certifique-se de que os acessórios estão corretamente instalados e travados no suporte de carga do manipulador telescópico.
- Certifique-se de que os acessórios no seu manipulador telescópico funcionam corretamente.
- Respeite os limites da tabela de carga do manipulador telescópico para os acessórios utilizados.
- Não exceda a capacidade nominal do acessório.
- Nunca levante uma carga sem o acessório previsto para esse efeito, pois há risco da carga escorregar (veja: INSTRUÇÕES
PARA DESLOCAMENTO DE UMA CARGA: H - PEGAR E COLOCAR UMA CARGA ELEVADA).

B - PESO DA CARGA E CENTRO DE GRAVIDADE


- Antes de levantar a carga, você deve conhecer o seu peso e o seu centro de gravidade.
- A tabela de carga do seu manipulador telescópico é válida para uma carga cuja posição
longitudinal do centro de gravidade é de 500 mm a partir da base dos garfos (fig. B1).
Para um centro de gravidade superior, consulte o seu concessionário.
- Para as cargas irregulares, determine o centro de gravidade no sentido transversal antes
de qualquer movimento (fig. B2) e ajuste-o no eixo longitudinal do manipulador telescópi-
co.

É proibido mover uma carga mais pesada do que a capacidade efetiva definida na tabela de carga do
manipulador telescópico.

Para cargas com um centro de gravidade móvel (por exemplo: líquidos), leve em conta as variações
do centro de gravidade para determinar a carga a ser transportada e observe; tome muito cuidado
com o limite máximo dessas variações.

C - LIMITADOR DE ESTABILIDADE LONGITUDINAL E DISPOSITIVO DE ADVER-


TÊNCIA
Este dispositivo fornece uma indicação da estabilidade longitudinal do manipulador teles-
cópico, e limita
os movimentos hidráulicos, a fim de assegurar esta estabilidade, pelo menos sob as se-
guintes condições operacionais:
• quando o manipulador telescópico estiver parado,
• quando o manipulador telescópico estiver em solo firme, estável e consolidado,
• quando o manipulador telescópico estiver realizando operações de manipulação e
colocação.
- Mova a lança com muito cuidado quando se aproximar do limite da carga autorizada
(veja: 2 - DESCRIÇÃO: INSTRUMENTOS E CONTROLES).
- Sempre preste atenção a este dispositivo durante as operações de manipulação.
- No caso de movimentos hidráulicos considerados "AGRAVANTES" serem cortados, somente execute movimentos hidráulicos
não agravantes na seguinte ordem (fig. C): se necessário, levante a
lança (1), retraia a lança o máximo possível (2) e abaixe-a (3) para ajustar a carga.
648930 BR (01/01/2017)

A leitura do instrumento pode estar incorreta quando o volante estiver no seu limite máximo ou o eixo traseiro oscilar para o seu limite. Antes
de levantar uma carga, verifique se o manipulador telescópico não está em nenhuma destas situações.

1-14
D - POSIÇÃO TRANSVERSAL DO MANIPULADOR TELESCÓPICO
Dependendo do modelo do manipulador telescópico

Posição transversal é a inclinação transversal do chassi em relação ao plano horizontal.


Ao levantar a lança a estabilidade lateral do manipulador telescópico é reduzida.
A posição transversal deve ser ajustada com a lança na posição abaixada como segue:

1 - MANIPULADOR TELESCÓPICO SEM CORRETOR DE INCLINAÇÃO SOBRE OS


PNEUS
- Posicione o manipulador telescópico para que a bolha do nível fique entre as duas
linhas (veja: 2 -
DESCRIÇÃO: INSTRUMENTOS E CONTROLES).

2 - MANIPULADOR TELESCÓPICO COM CORRETOR DE INCLINAÇÃO SOBRE OS


PNEUS
- Corrija a inclinação usando o controle hidráulico e verifique a horizontalidade através do
nível.
A bolha do nível deve ficar entre as duas linhas (veja: 2 - DESCRIÇÃO: INSTRUMEN-
TOS E
CONTROLES).

3 - MANIPULADOR TELESCÓPICO UTILIZANDO ESTABILIZADORES


- Coloque os dois estabilizadores no chão e levante as duas rodas dianteiras do manipulador
telescópico (fig. D1).
- Corrija a inclinação usando os estabilizadores (fig. D2) e verifique a horizontalidade no
nível.
A bolha do nível deve ficar entre as duas linhas (veja: 2 - DESCRIÇÃO: INSTRUMEN-
TOS E
CONTROLES). Nesta posição, as duas rodas dianteiras devem estar fora do chão.

E - PEGAR UMA CARGA NO SOLO


- Aproxime o manipulador telescópico perpendicularmente com a lança retraída e os
garfos na posição
horizontal (fig. E1).
- Ajuste a extensão do garfo e centralize em relação com a carga (fig. E2) (existem solu-
ções
opcionais; consulte o seu concessionário).
- Nunca levante a carga com um único garfo.

Cuidado com os riscos de aprisionamento ou esmagamento dos membros no ajuste manual dos
garfos.
- Mova o manipulador telescópico lentamente para frente (1) e coloque os garfos na fren-
te da carga (fig. E3),
se necessário, levante ligeiramente a lança (2) enquanto encaixa na carga.
- Ajuste a carga em posição de transporte.
- Incline a carga suficientemente para trás para assegurar a sua estabilidade (para evitar
a perda
da carga na frenagem ou na descida).

PEGAR UMA CARGA SEM PALETE


- Incline o suporte de carga (1) para frente e mova o manipulador telescópico lentamente
para frente (2),
para inserir os garfos sob a carga (fig. E4) (se necessário calce a carga).
- Continue movendo o manipulador telescópico para frente (2) inclinando o suporte (3)
(fig. E4) para trás
para colocar a carga sobre os garfos, assegurando a estabilidade longitudinal e lateral
da carga.
648930 BR (01/01/2017)

1-15
F - PEGAR E COLOCAR UMA CARGA ALTA SOBRE PNEUS
Você não deve levantar a lança se não tiver verificado o movimento transversal do manipulador
telescópico (veja: INSTRUÇÕES PARA DESLOCAR UMA CARGA: D - POSIÇÃO TRANSVER-
SAL DO MANIPULADOR TELESCÓPICO).
LEMBRETE: 
Certifique-se de que as seguintes operações possam ser executadas com uma boa
visibilidade (veja: INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO SEM CARGA E COM CARGA: D -
VISIBILIDADE).

PEGAR UMA CARGA ALTA SOBRE PNEUS


- Certifique-se de que os garfos passam facilmente debaixo da carga.
- Levante e estenda a lança (1) (2) até que os garfos estejam nivelados com a carga,
mova o manipulador telescópico (3) para a frente, se necessário (fig F1.), movendo-se
muito lentamente e com cuidado.
- Pense sempre em manter a distância necessária para ajustar os garfos sob a carga,
entre a pilha e o manipulador telescópico (fig. F1) e use o comprimento mais curto
possível da lança.
- Pare com os garfos na frente da carga, estendendo e retraindo alternadamente a lança
(1) ou, se necessário, movendo o manipulador telescópico para a frente (2) (fig. F2).
Aplique o freio de mão e coloque o seletor de marcha na posição neutra.
- Levante ligeiramente a carga (1) e incline o suporte de carga (2) para trás para estabili-
zar a carga (fig. F3).
- Incline a carga suficiente para trás para garantir a sua estabilidade.
- Observe o limitador de estabilidade longitudinal e o dispositivo de advertência (veja:
INSTRUÇÕES PARA DESLOCAR UMA CARGA: C - LIMITADOR DE ESTABILI-
DADE LONGITUDINAL E DISPOSITIVO DE ADVERTÊNCIA).
Se estiver sobrecarregado, recoloque a carga no lugar de onde foi retirada.
- Se possível abaixe a carga sem deslocar o manipulador telescópico. Levante a lança
(1) para liberar a carga, retraia (2) e abaixe a lança (3) para trazer a carga para a posi-
ção de transporte (fig. F4).
- Se isso não for possível, recue o manipulador telescópico (1), manobrando muito sua-
vemente e com cuidado para liberar a carga. Retraia (2) e abaixe a lança (3) para trazer
a carga para a posição de transporte (fig. F5).

648930 BR (01/01/2017)

1-16
COLOCAR UMA CARGA ALTA SOBRE PNEUS
- Aproxime a carga em posição de transporte na frente da pilha (fig. F6).
- Aplique o freio de mão e coloque o seletor de marcha na posição neutra.
- Levante e estenda a lança (1) (2) até que a carga esteja acima da pilha, mantendo um
olho sobre o limitador de estabilidade longitudinal e o dispositivo de advertência (veja:
INSTRUÇÕES PARA DESLOCAR UMA CARGA) C - LIMITADOR DE ESTABILI-
DADE LONGITUDINAL E DISPOSITIVO DE ADVERTÊNCIA).
Se necessário, mova o manipulador telescópico (3) para a frente (fig. F7), movendo-se
muito lentamente e com cuidado.
- Coloque a carga na posição horizontal e descarregue-a na pilha abaixando e retraindo
a lança (1) (2) para posicionar corretamente a carga (fig. F8).
- Se possível, libere os garfos alternadamente retraindo e levantando a lança (1) (fig. F9).
Em seguida, coloque os garfos na posição de transporte.
- Se isso não for possível, recue o manipulador telescópico (1) muito lentamente e com
cuidado para liberar os garfos (fig. F10). Em seguida, coloque os garfos na posição de
transporte.

648930 BR (01/01/2017)

1-17
G - PEGAR E COLOCAR UMA CARGA ALTA SOBRE ESTABILIZADORES
Dependendo do modelo do manipulador telescópico
 ocê não deve levantar a lança se não tiver verificado a posição transversal do manipulador telescópico (veja: INSTRUÇÕES PARA DESLO-
V
CAR UMA CARGA: D - POSIÇÃO TRANSVERSAL DO MANIPULADOR TELESCÓPICO).
LEMBRETE: Certifique-se de que as seguintes operações possam ser executadas com uma boa visibilidade (veja: INSTRU-
ÇÕES DE OPERAÇÃO SEM CARGA E COM CARGA: D - VISIBILIDADE).

UTILIZAÇÃO DOS ESTABILIZADORES


Os estabilizadores são utilizados para otimizar o desempenho de elevação do manipulador telescópico (veja: 2 - DESCRIÇÃO:
INSTRUMENTOS E CONTROLES).

POSICIONAR OS ESTABILIZADORES COM OS GARFOS NA POSIÇÃO DE TRANSPORTE (SEM CARGA E


COM CARGA)
- Ajuste os garfos na posição de transporte na frente da elevação.
- Mantenha distância suficiente para permitir a elevação da lança.
- Aplique o freio de mão e coloque a alavanca de marchas em ponto morto.
- Coloque os dois estabilizadores no chão e levante as duas rodas dianteiras do manipu-
lador telescópico (fig. G1), mantendo a sua estabilidade transversal.

LEVANTAR OS ESTABILIZADORES COM OS GARFOS NA POSIÇÃO DE TRANSPORTE (SEM CARGA E COM


CARGA)
- Levante ambos os estabilizadores totalmente e, ao mesmo tempo.

AJUSTAR OS ESTABILIZADORES COM A LANÇA LEVANTADA (SEM CARGA E COM CARGA)

Esta operação deve ser excepcional e realizada com muito cuidado.


- Levante a lança e retraia os telescópios completamente.
- Coloque o manipulador telescópico na posição de transporte diante da elevação; (fig.
G2) mova muito lentamente e com cuidado.
- Aplique o freio de mão e coloque a alavanca de marchas em ponto morto.
- Mova os estabilizadores muito lentamente e gradualmente assim que estiverem próxi-
mos do solo ou em contato com ele.
- Abaixe os dois estabilizadores e levante as duas rodas dianteiras do manipulador
telescópico (fig. G3). Durante esta operação, a posição transversal deve ser mantida de
forma permanente: a bolha no nível deve ser mantida entre as duas linhas.

AJUSTAR OS ESTABILIZADORES COM A LANÇA LEVANTADA (SEM CARGA E COM CARGA)

Esta operação deve ser excepcional e realizada com muito cuidado.


- Mantenha a lança levantada e retraia os telescópios completamente (fig. G3).
- Mova os estabilizadores muito lentamente e gradualmente assim que estiverem em
contato com o solo e quando não estiverem mais em contato com o solo. Durante esta
operação, a posição transversal deve ser permanentemente mantida: a bolha do nível
deve ser mantida entre as duas linhas.
- Levante ambos os estabilizadores completamente.
- Solte o freio de mão e recue o manipulador telescópico (1) muito lentamente e com cui-
dado; libere e desça os garfos (2) na posição de transporte (fig. G4).
648930 BR (01/01/2017)

1-18
PEGAR UMA CARGA ALTA SOBRE ESTABILIZADORES
- Certifique-se de que os garfos passam facilmente debaixo da carga.
- Verifique a posição do manipulador telescópico em relação à carga e faça um teste, se
necessário, sem pegar a carga.
- Levante e estenda a lança (1) (2) até que os garfos estejam no nível da carga (fig. G5).
- Trave os garfos na frente da carga alternadamente usando os controles para estender e
abaixar a lança (1) (fig. G6).
- Levante a carga lentamente (1) e incline o suporte de carga(2) para trás para estabilizar a
carga (fig. G7).
- Monitore o limitador de estabilidade longitudinal e o dispositivo de advertência (veja:
INSTRUÇÕES PARA DESLOCAR UMA CARGA: C - LIMITADOR DE ESTABILIDADE
LONGITUDINAL E DISPOSITIVO DE ADVERTÊNCIA). Se estiver sobrecarregado,
recoloque a carga no lugar de onde foi retirada.
- Se possível abaixe a carga sem deslocar o manipulador telescópico. Levante a lança (1)
para liberar a carga, retraia (2) e abaixe a lança (3) para ajustar a carga na posição de
transporte (fig. G8).

PEGAR UMA CARGA ALTA SOBRE ESTABILIZADORES


- Levante e estenda a lança (1) (2) até que a carga esteja acima da elevação (fig. G9),
enquanto monitora o limitador de estabilidade longitudinal e o dispositivo de advertência
(veja: INSTRUÇÕES PARA DESLOCAR UMA CARGA: C - LIMITADOR DE ESTABILI-
DADE LONGITUDINAL E DISPOSITIVO DE ADVERTÊNCIA).
- Coloque a carga na posição horizontal e libere abaixando e retraindo a lança (1) (2) para
posicionar corretamente a carga (fig. G10).
- Libere os garfos alternadamente retraindo e levantando a lança (3) (fig. G11).
- Se possível, coloque a lança na posição de transporte sem deslocar o manipulador teles-
cópico.
648930 BR (01/01/2017)

1-19
H - PEGAR E COLOCAR UMA CARGA SUSPENSA

ADVERTÊNCIA: A falha em não seguir as instruções referidas anteriormente pode causar a perda da estabilidade do manipulador telescópico
e fazê-lo tombar.

DEVE ser utilizado um manipulador telescópico equipado com dispositivo de corte do movimento hidráulico.

CONDIÇÕES DE USO
- O comprimento do cabo ou corrente deve ser o mais curto possível para limitar a oscilação da carga.
- Levante a carga verticalmente ao longo de seu eixo, nunca puxando lateralmente ou longitudinalmente.

MANIPULAR SEM DESLOCAR O MANIPULADOR TELESCÓPICO


- Seja sobre estabilizadores ou sobre pneus, a posição lateral não deve exceder em 1 % e a posição longitudinal não deve
exceder em 5%. A bolha do nível deve ser mantida em “0”.
- Certifique-se de que a velocidade do vento não é superior a 10 m/s.
- Certifique-se de que não há ninguém entre a carga e o manipulador telescópico.

I - DESLOCAR COM UMA CARGA SUSPENSA


- Antes de deslocar o manipulador telescópico, inspecione o terreno, a fim de evitar declives e inclinações excessivas, lomba-
das e buracos, ou terrenos irregulares.
- Certifique-se de que a velocidade do vento não ultrapassa 10 m/s.
- O manipulador telescópico não deve deslocar acima de 0.4 m/s (1.5 km/h, ou seja, um quarto da velocidade de uma pessoa
andando).
- Desloque e pare o manipulador telescópico devagar e suavemente para minimizar a oscilação da carga.
- Transporte a carga alguns centímetros acima do chão (máx. 30 cm) com o comprimento da lança o mais curto possível. Não
exceda a compensação indicada na tabela de carga. Se a carga começar a balançar excessivamente, não hesite em parar e
abaixar a lança para ajustar a carga.
- Antes de deslocar o manipulador telescópico, verifique o limitador de estabilidade longitudinal e dispositivo de advertência
(veja: 2 - DESCRIÇÃO: INSTRUMENTOS E CONTROLES). Apenas os LEDs verdes e, possivelmente, os LEDs amarelos
devem estar acesos.
- Durante o transporte, o operador do manipulador telescópico deve ser assistido por uma pessoa em solo (situada pelo menos
a 3 metros da carga), que ajudará a limitar a oscilação da carga com uma barra ou uma corda. Certifique-se de que esta
pessoa esteja sempre visível.
- A posição lateral não deve exceder em 5%; a bolha do nível deve ser mantida entre as duas marcas “MAX.”
- A posição longitudinal não deve exceder em 15%, com a carga voltada para cima, e em 10%, com a carga voltada para baixo.
- O ângulo da lança não deve exceder em 45°.
- Se o primeiro LED vermelho do limitador de estabilidade longitudinal e dispositivo de advertência (veja: 2 - DESCRIÇÃO:
INSTRUMENTOS E CONTROLES) acender durante o deslocamento, pare devagar o manipulador telescópico e estabilize a
carga. Retraia o telescópio para reduzir o deslocamento da carga.

648930 BR (01/01/2017)

1-20
INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO COM PLATAFORMAS
Para o manipulador telescópicos equipados com PLATAFORMA

A instalação da plataforma no manipulador telescópico só será possível se os suportes do manipulador telescópico e da plataforma forem
idênticas (veja: 2 - DESCRIÇÃO: OPERANDO COM PLATAFORMA).

A - AUTORIZAR O USO
- A operação com plataforma exige autorização adicional além daquela do manipulador telescópico.

B - ADEQUAR O MANIPULADOR TELESCÓPICO PARA USÁ-LO


- A MANITOU, garante que este manipulador telescópico está adequado para uso nas condições operacionais padrão, defi-
nidas no manual do operador, com um coeficiente de teste ESTÁTICO de 1.25 e um coeficiente de teste DINÂMICO de 1.1,
conforme especificado na norma harmonizada EN 280 para “plataformas elevatórias móveis”.
- Antes da colocação em serviço, o gerente responsável da empresa deve assegurar que a plataforma está adequada para o
trabalho a ser feito, e executar certos testes (de acordo com a legislação vigente).

C - PRECAUÇÕES AO USAR A PLATAFORMA


- Use roupas adequadas para a operação da plataforma; evite roupas soltas.
- Nunca opere a plataforma com as mãos ou os pés molhados ou sujos com substâncias oleosas.
- Sempre preste atenção ao usar a plataforma. Não use fones de ouvido para ouvir rádio ou música.
- Para maior conforto, adote uma posição correta na estação do operador da plataforma.
- Os controles não devem ser utilizados para nenhuma outra finalidade (por exemplo, entrar e sair do manipulador telescópico,
cabide, etc.).
- O uso de capacete de segurança é obrigatório.
- O operador deve estar sempre na posição normal de operação. É proibido colocar braços ou pernas, ou qualquer parte do
corpo, para fora do cesto.
- Certifique-se de que todos os materiais carregados na plataforma (tubos, cabos, recipientes, etc.) não deslizem e caiam. Não
empilhe estes materiais a ponto de ter que saltar por cima deles.

D - USO DA PLATAFORMA
- Por mais experiente que seja o operador, ele deve familiarizar-se com a posição e operação de todos os instrumentos de
controle antes de operar a plataforma.
- Antes de operar verifique se a plataforma foi corretamente montada e travada no manipulador telescópico.
- Antes de operar verifique se a porta de acesso da plataforma está devidamente travada.
- A plataforma deve ser operada em uma área livre de obstruções ou perigo quando for abaixada no solo.
- O operador da plataforma deve ser ajudado no solo por uma pessoa treinada adequadamente.
- Você deve manter dentro dos limites estabelecidos na tabela de carga da plataforma.
- As tensões laterais têm a pressão limitada (veja: 2 - DESCRIÇÃO: CARACTERÍSTICAS).
- É estritamente proibido suspender uma carga da plataforma ou na lança do manipulador telescópico sem o acessório especial-
mente projetado para isto. (veja: INSTRUÇÕES PARA DESLOCAR UMA CARGA: H - PEGAR E COLOCAR UMA CARGA
SUSPENSA).
- A plataforma não pode ser usada como guindaste ou elevador para o transporte permanente de pessoas ou materiais, nem
como macaco ou suporte.
- O manipulador telescópico não deve ser movido com uma (ou mais) pessoa(s) na plataforma.
- É proibido transportar pessoas na plataforma usando os controles hidráulicos na cabine do manipulador telescópico (exceto no
caso de emergência).
- O operador não deve entrar ou sair da plataforma enquanto ela não estiver nívelada no solo (com a lança retraida e abaixa-
da).
- A plataforma não deve ser equipada com acessórios que aumentem a ação do vento na carga.
- Não utilize escadas ou estruturas improvisadas na plataforma para gan- DISTÂNCIA ACIMA DO
har altura extra. TENSÃO
SOLO OU PISO
- Não suba as laterais da plataforma para ganhar altura extra. NOMINAL
EM METROS
50 < U < 1000 2,30 m
E - MEIO AMBIENTE 1000 < U < 30000 2,50 m
É proibido operar a plataforma próximo de cabos elétricos. Mantenha distâncias 30000 < U < 45000 2,60 m
de segurança especificadas. 45000 < U < 63000 2,80 m
63000 < U < 90000 3,00 m
90000 < U < 150000 3,40 m
150000 < U < 225000 4,00 m
225000 < U < 400000 5,30 m
400000 < U < 750000 7,90 m
648930 BR (01/01/2017)

1-21
 estritamente proibido a operação da plataforma em caso de velocidades do vento superiores a 45 km/h.
É
- A escala seguinte é fornecida para uma avaliação empírica da velocidade do vento:

Escala de BEAUFORT (velocidade do vento a uma altura de 10 m sobre um terreno plano)


Velocidade Velocidade Velocidade
Força Tipo de vento Efeitos na Terra Efeitos no Mar
(nós) (kph) (m/s)
0 Calmo 0-1 0-1 < 0,3 A fumaça sobe verticalmente. O mar fica espelhado.
1 Leve 1-3 1-5 0,3 - 1,5 A fumaça indica a direção do vento. Ondas sem cristas de espumas.
O vento pode ser sentido na face, e
2 Brisa leve 4-6 6 - 11 1,6 - 3,3 Pequenas ondas, mas evidentes.
as folhas das árvores se movem.
O vento agita continuamente as Ondas com pequenas cristas
3 Brisa suave 7 - 10 12 - 19 3,4 - 5,4
folhas e os galhos. de espumas transparentes.
Brisa O vento levanta a poeira, pedaços Pequenas ondas. Cristas de espu-
4 11 - 16 20 - 28 5,5 - 7,9
moderada de papéis e balança os galhos. mas bastante frequentes.
Pequenas ondas formam-se nos
lagos. Ondas moderadas com
5 Brisa fresca 17 - 21 29 - 38 8 - 10,7 Os arbustos com folhas balançam.
muitas cristas
de espumas.
Os galhos grossos balançam, os
Começam a se formar ondas
cabos metálicos assobiam e fica
6 Brisa forte 22 - 27 39 - 49 10,8 - 13,8 grandes com cristas de espumas
difícil manter um guarda-chuva
brancas espirradas.
aberto.
O mar fica agitado com cristas de
Árvores inteiras balançam, e é
7 Vento forte 28 - 33 50 - 61 13,9 - 17,1 espumas brancas soprando em
difícil andar contra o vento.
direção do vento.
Os galhos das árvores quebram, e Ondas moderadamente altas, as
Vento muito
8 34 - 40 62 - 74 17,2 - 20,7 é quase impossível andar contra o cristas de espumas começam a
forte
vento. invadir os portos.
Ondas altas. Espuma densa em
direção do vento. As cristas das
Causa uma ligeira degradação nos
9 Ventania 41 - 47 75 - 88 20,8 - 24,4 ondas começam a arrastar. Os
edifícios (chaminés, telhas, etc..).
respingos podem prejudicar a
visibilidade.
Raro no interior do continente, Ondas muito altas com cristas
10 Tempestade 48 - 55 89 - 102 24,5 - 28,4 arranca árvores e causa danos longas e salientes. Visibilidade
consideráveis aos edifícios. reduzida.
Ondas excepcionalmente altas que
Tempestade Muito rara, provoca extensa devas-
11 56 - 63 103 - 117 28,5 - 32,6 podem engolir navios de tamanho
violenta tação.
médio. Visibilidade muito reduzida.
As ondas atingem alturas absur-
das. O mar fica completamente
12 Furacão 64 + 118 + 32,7 + Causa catástrofes muito graves.
branco. Visibilidade seriamente
reduzida.

F - MANUTENÇÃO
 ua plataforma deve ser inspecionada periodicamente para assegurar a sua conformidade continuada. A frequência dos controles é definida
S
pela legislação em vigor no país em que a plataforma é utilizada.
648930 BR (01/01/2017)

1-22
INSTRUÇÕES PARA USO DO RÁDIO-CONTROLE
Para o manipulador telescópicos com rádio controle RC

COMO UTILIZAR O RÁDIO-CONTROLE


INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA
- Este rádio-controle é composto por elementos de segurança eletrônicos e mecânicos. Ele não pode receber comandos de um
outro transmissor porque a codificação interna é única para cada rádio-controle.
 e for utilizado indevidamente ou incorretamente, existe o risco de perigo para:
S
- A saúde física e mental do usuário ou dos outros.
- O manipulador telescópico e outros itens próximos.

Todos que trabalham com este rádio-controle:


- Devem ser qualificados de acordo com as normas vigentes e, portanto, devidamente treinados.
- Devem seguir exatamente as instruções deste manual.
- O sistema é usado para controlar o manipulador telescópico remotamente via ondas de rádio. Os comandos também são
transmitidos se o manipulador telescópico estiver fora da visão, atrás de um obstáculo ou de um edifício por exemplo por isso:
• Depois de parar o manipulador telescópico remova a chave (que só é possível quando ele está parado). Sempre co-
loque o transmissor em um local seguro e seco.
• Antes de realizar qualquer tipo de instalação, manutenção ou reparo, sempre desligue as fontes de energia (disposi-
tivos de solda elétrica e unidades elétricas nos distribuidores hidráulicos devem ser desconectados em cada seção).
• Nunca remova ou altere os dispositivos de segurança (tais como, estrutura da grade de proteção, chave, botão de
parada de emergência, etc.).

 unca desloque o manipulador telescópico, se ele não estiver de forma contínua e perfeitamente dentro da visão do operador!
N
- Ao guardar o transmissor, o operador deve assegurar-se de que nenhuma pessoa não autorizada poderá usá-lo; ou então
procure remover o botão do transmissor e guardá-lo num local inacessível.
- O usuário deve assegurar-se de que o manual de operações seja acessível em todos os momentos e que os operadores
tenham lido e compreendido isso.

INSTRUÇÕES
- Estacione-a em um lugar estável, sem risco de deslizamento.
- Antes de usar o transmissor, certifique-se de que não há ninguém dentro da área de trabalho.
- Só use o transmissor com seu dispositivo de transporte instalado corretamente na plataforma.

 o remover o transmissor, retire o acumulador e o botão para que não possam ser utilizados acidentalmente ou deliberadamente por outra
A
pessoa.

DISPOSITIVOS DE PROTEÇÃO
- O manipulador telescópico será imobilizado dentro de 450 milissegundos (aproximadamente 0,5 segundo), no máximo:
• Se for pressionado o botão de parada de emergência do transmissor (50 milissegundos), ou aquele no manipulador
telescópico.
• Se exceder a distância de transmissão das ondas de rádio.
• Se falhar o transmissor .
• Se uma interferência no sinal de rádio for recebida de outro local.
• Se o acumulador for removido do seu compartimento no transmissor.
• Se o acumulador atingir o fim de sua autonomia.
• Se o transmissor for desligado no botão de desligar.
- Estes dispositivos de proteção são fornecidos para a segurança pessoal e material e nunca devem ser alterados, removidos
ou ignorados de forma alguma!
- A estrutura de proteção evita a ação externa sobre o manipulador (por exemplo, se o transmissor cair, ou se o operador incli-
nar-se sobre a grade de proteção).
- Um dispositivo eletrônico de segurança, impede que a transmissão de rádio seja iniciada se os manipuladores não estiverem
mecânicamente e eletricamente em repouso e se o seletor de marcha do motor não estiver em ponto morto.
 m caso de emergência, pressione imediatamente o botão de parada de emergência do transmissor; e em seguida, siga as instruções do
E
manual (veja: 2 - DESCRIÇÃO: INSTRUMENTOS E CONTROLES).
648930 BR (01/01/2017)

1-23
INSTRUÇÕES DE MANUTENÇÃO DO MANIPULADOR TELESCÓPICO
INSTRUÇÕES GERAIS
- Certifique-se de que a área é suficientemente ventilada antes de ligar o manipulador telescópico.
- Use roupas adequadas para a manutenção do manipulador telescópico; evite usar jóias, roupas largas, gravatas e proteja os
cabelos, se necessário.
- Desligue o motor e remova a chave da ignição, quando uma intervenção for necessária.
- Leia cuidadosamente o manual do operador.
- Realize todos os reparos imediatamente, até mesmo os reparos menores.
- Repare todos os vazamentos imediatamente, até mesmo os vazamentos menores.
- Certifique-se de que o descarte dos materiais do processo e das peças de reposição seja realizado com total segurança e de
forma ecológica.
- Tenha cuidado com o risco de queimaduras e respingos (escape, radiador, motor, etc.).

COLOCAR A TRAVA DE SEGURANÇA NA LANÇA


O manipulador telescópico está equipado com uma trava de segurança na lança (veja: 2 - DESCRIÇÃO: INSTRUMENTOS
E CONTROLES) que deve ser instalado na haste do cilindro de elevação ao se trabalhar sob a lança.
MONTAGEM DA TRAVA
- Levante a lança totalmente.
- Coloque a trava de segurança na haste do cilindro de elevação e prenda-o com os pinos de fixação.
- Abaixe lentamente a lança; em seguida, pare os movimentos hidráulicos antes de encostar na trava.

REMOÇÃO DA TRAVA
- Levante a lança totalmente.
- Remova os pinos de fixação.
- Retorne a trava de segurança para o local de armazenamento fornecido no manipulador telescópico.

 ó use a trava fornecida com o manipulador telescópico.


S

MANUTENÇÃO
- Execute a manutenção periodicamente (veja: 3 - MANUTENÇÃO) para manter o seu manipulador telescópico em boas condi-
ções de trabalho. A falha em não executar a manutenção periódica pode cancelar a garantia contratual.
LIVRETO DE MANUTENÇÃO
- As operações de manutenção realizadas em conformidade com as recomendações fornecidas na parte: 3 - MANUTENÇÃO
e outras inspeções, manutenções ou operações de reparos ou modificações realizadas no manipulador telescópico ou seus
acessórios devem ser registrados num livreto de manutenção. As anotações para cada operação devem incluir detalhes sobre
a data dos trabalhos, os nomes dos indivíduos ou empresas que os efetuaram, o tipo de operação e se for o caso, a sua pe-
riodicidade. Os números das peças de todos os itens substituidos também devem ser indicados.

NÍVEIS DOS LUBRIFICANTES E DO COMBUSTÍVEL


- Use os lubrificantes recomendados (nunca use lubrificantes contaminados).
- Não abasteça o tanque de combustível com o motor funcionando.
- Só abasteça o tanque de combustível em áreas específicas para esse fim.
- Não abasteça o tanque de combustível até o nível máximo.
- Não fume ou aproxime o manipulador telescópico de uma chama aberta, quando o tanque de combustível estiver aberto ou
sendo abastecido.

SISTEMA HIDRÁULICO
- Qualquer intervenção no circuito hidráulico de elevação de carga é proibida, exceto para as operações descritas na parte: 3 -
MANUTENÇÃO.
- Não tente soltar nenhuma conexão, mangueira ou componente hidráulico com o circuito sob pressão.
 ÁLVULA DE CONTRABALANÇO: É perigoso alterar o ajuste e remover as válvulas de contrabalanço ou válvulas de segurança que podem
V
estar montadas nos cilindros do seu manipulador telescópico. Estas operações só podem ser efetuadas por pessoal credenciado (consulte o
seu concessionário).

Os ACUMULADORES HIDRÁULICOS que podem estar instalados em seu manipulador telescópico são unidades pressurizadas. A remoção
desses acumuladores e sua tubulação é uma operação perigosa e só deve ser realizada por pessoal credenciado (consulte o seu conces-
sionário).
648930 BR (01/01/2017)

SISTEMA ELÉTRICO
- Não provoque um curto-circuito no relé do motor de partida. Se o seletor de marcha não estiver em ponto morto e o freio de
estacionamento não for aplicado, o manipulador telescópico poderá se mover de repente.
- Não deixe cair objetos metálicos na bateria.
- Desconecte a bateria antes de trabalhar no circuito elétrico.
1-24
SOLDAGEM
- Desconecte a bateria antes de quaisquer operações de soldagem no manipulador telescópico.
- Ao realizar operações de solda elétrica no manipulador telescópico, conecte o cabo negativo do equipamento diretamente na
parte a ser soldada, para evitar a passagem da corrente de alta tensão através do alternador.
- Nunca realize operações de soldagem ou trabalhos que emitam calor em um pneu montado. O calor aumentará a pressão
causando a explosão do pneu.
- Se o manipulador telescópico estiver equipado com uma unidade de controle eletrônico, desconecte-a antes de começar a
soldagem, para evitar o risco de causar danos irreparáveis ​​aos componentes eletrônicos.

LIMPEZA DO MANIPULADOR TELESCÓPICO


- Limpe o manipulador telescópico ou pelo menos a área em questão antes de qualquer intervenção.
- Lembre-se de fechar e travar todos os acessos ao manipulador telescópico (portas, janelas, capô…).
- Durante a limpeza, evite contato com as articulações, os componentes elétricos e as conexões.
- Se necessário, proteja os componentes suscetíveis de serem danificados, especialmente os componentes elétricos, conexões
e bomba injetora contra a penetração de água, vapor ou agentes de limpeza.
- Limpe qualquer vestígio de combustível, óleo ou graxa no manipulador telescópico.

PARA QUALQUER INTERVENÇÃO ALÉM DA MANUTENÇÃO REGULAR, CONSULTE O SEU CONCESSIONÁRIO.

648930 BR (01/01/2017)

1-25
SE O MANIPULADOR TELESCÓPICO NÃO FOR USADO POR UM PERÍODO LONGO

INTRODUÇÃO
As seguintes recomendações destinam-se a evitar que o manipulador telescópico seja danificado quando não for utilizado por
um período longo.
Para essas operações, recomendamos o uso de um produto de proteção da MANITOU.
As instruções para utilização do produto estão indicadas na embalagem.

 s procedimentos, caso o manipulador telescópico não for utilizado por um período prolongado e para colocá-lo novamente em serviço, deve
O
ser feito pelo seu concessionário.

PREPARAR O MANIPULADOR TELESCÓPICO


- Limpe completamente o manipulador telescópico.
- Verifique e repare qualquer vazamento de combustível, óleo, água ou ar.
- Substitua ou repare quaisquer peças desgastadas ou danificadas.
- Lave as superfícies pintadas do manipulador telescópico com água limpa e fria.
- Retoque a pintura, se necessário.
- Desligue o manipulador telescópico (veja: INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO SEM CARGA E COM CARGA).
- Certifique-se de que as hastes dos cilindros da lança estão todas na posição retraída.
- Retire a pressão dos circuitos hidráulicos.

PROTEÇÃO DO MOTOR
- Abasteça o tanque com combustível (veja: 3 - MANUTENÇÃO: A - DIARIAMENTE OU A CADA 10 HORAS DE SERVIÇO).
- Esvazie e substitua o líquido de arrefecimento (veja: 3 - MANUTENÇÃO: F - A CADA 2000 HORAS DE SERVIÇO).
- Deixe o motor funcionando em marcha lenta por alguns minutos e depois desligue.
- Substitua o óleo do motor e o filtro de óleo (veja: 3 - MANUTENÇÃO: D - A CADA 500 HORAS DE SERVIÇO).
- Adicione o produto de proteção para o óleo do motor.
- Funcione o motor por um curto período de tempo para que o óleo e o líquido de arrefecimento circulem no interior.
- Desconecte a bateria e armazene-a em um local seguro longe do frio, depois de recarregá-la ao máximo.
- Remova os injetores e borrife o produto de proteção em cada cilindro por dois segundos com o pistão na posição de ponto
morto inferior.
- Gire lentamente a árvore de manivelas uma vez e recoloque os injetores (consulte o MANUAL DE REPARO do motor).
- Remova a mangueira de admissão do coletor ou turbocompressor e borrife o produto de proteção no coletor ou no turbocom-
pressor.
- Tampe o coletor de admissão ou o turbocompressor com fita adesiva impermeável.
- Remova o coletor de escape e borrife o produto de proteção no coletor ou no turbocompressor.
- Recoloque o coletor de escape e tampe a saída com fita adesiva impermeável.
NOTA: O tempo de pulverização está indicado na embalagem do produto e deve ser aumentado em 50% para motores turbo.
- Abra o bujão de abastecimento, borrife o produto de proteção em volta do eixo do balancim e recoloque o bujão de abasteci-
mento.
- Tampe o tanque de combustível com fita adesiva impermeável.
- Remova as correias de acionamento e armazene-as em um lugar seguro.
- Desconecte o solenóide de corte do motor na bomba injetora e isole cuidadosamente a conexão.

PROTEÇÃO DO MANIPULADOR TELESCÓPICO


- Coloque o manipulador telescópico sobre cavaletes para que os pneus fiquem sem contato com o solo e solte o freio de esta-
cionamento.
- Proteja as hastes dos cilindros que não estejam retraídas, contra a corrosão.
- Proteja os pneus.
NOTA: Se o manipulador telescópico tiver que ser armazenado ao ar livre, cubra-o com uma lona impermeável.
648930 BR (01/01/2017)

1-26
RETORNAR O MANIPULADOR TELESCÓPICO AO SERVIÇO
- Remova a fita adesiva impermeável de todos os orifícios.
- Recoloque a mangueira de admissão.
- Recoloque e reconecte a bateria.
- Remova a proteção das hastes dos cilindros.
- Execute a manutenção diária (veja: 3 - MANUTENÇÃO: A - DIARIAMENTE OU A CADA 10 HORAS DE SERVIÇO).
- Aplique o freio de estacionamento e remova os cavaletes.
- Esvazie e substitua o combustível e o filtro de combustível (veja: 3 - MANUTENÇÃO: D - A CADA 500 HORAS DE SERVI-
ÇO).
- Recoloque e ajuste a tensão das correias de acionamento (veja: 3 - MANUTENÇÃO: C - A CADA 250 HORAS DE SERVI-
ÇO).
- Gire o motor, usando o motor de partida, para permitir que a pressão do óleo suba.
- Reconecte o solenóide de corte do motor.
- Lubrifique o manipulador telescópico completamente (veja: 3 - MANUTENÇÃO: PROGRAMA DE MANUTENÇÃO).

Certifique-se de que a área é adequadamente ventilada antes de ligar o manipulador telescópico.


- Ligue o manipulador telescópico, seguindo as instruções de segurança e os regulamentos (veja: INSTRUÇÕES DE OPERA-
ÇÃO SEM CARGA E COM CARGA).
- Execute todos os movimentos hidráulicos da lança, concentrando-se nas extremidades do curso de cada cilindro.

648930 BR (01/01/2017)

1-27
1-28
648930 BR (01/01/2017)

2-1
2 - DESCRIÇÃO

648930 BR (01/01/2017)
2-2
648930 BR (01/01/2017)
ÍNDICE

IDENTIFICAÇÃO DO MANIPULADOR TELESCÓPICO2-4

ESPECIFICAÇÕES2-6

PNEUS DIANTEIROS E TRASEIROS2-8

DIMENSÕES E TABELAS DE CARGAS2-12

INSTRUMENTOS E CONTROLES2-16

USO DO CESTO2-37

INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA2-43

PINO E GANCHO PARA REBOQUE2-45

DESCRIÇÃO E UTILIZAÇÃO DOS OPCIONAIS2-46

648930 BR (01/01/2017)

2-3
IDENTIFICAÇÃO DO MANIPULADOR TELESCÓPICO
Como a nossa política é promover melhorias constantes em nossos produtos, a nossa gama de manipuladores telescópicos
podem sofrer algumas modificações, sem que tenhamos a obrigação de avisar aos nossos clientes.

Quando encomendar peças, ou quando você precisar de qualquer informação técnica, sempre especifique:

NOTA: P
 ara conveniência do proprietário, recomendamos a anotação destes números nos respectivos espaços no momento
da entrega do manipulador telescópico.

PLAQUETA DO FABRICANTE DO MANIPULADOR TELESCÓPICO (B)


1 - MODELO
2 - SÉRIE
3 - Ano de fabricação
4 - Ano do modelo
5 - Número de série
6 - Potência ISO 3046
7 - Peso sem carga
8 - Tara máxima do veículo
9 - Capacidade nominal
10 - Força de tração
11 - Força vertical máxima (no gancho do reboque)
12 - Pressão dos pneus (bar)
13 - Número da homologação

Para mais informações técnicas a respeito de seu manipulador telescópico consulte o


capítulo: 2 - DESCRIÇÃO: ESPECIFICAÇÕES.

MOTOR DE COMBUSTÃO INTERNA (FIG. B)


- Número do MOTOR DE COMBUSTÃO INTERNA

CAIXA DE MARCHAS (FIG. C)


- Tipo
- Referência MANITOU
- Número de série

CAIXA DE MARCHAS ANGULAR (FIG. D)


- Tipo
- Referência MANITOU
- Número de série
648930 BR (01/01/2017)

2-4
EIXO DIANTEIRO (FIG. E)
- Tipo
- Número de série
- Referência MANITOU

EIXO TRASEIRO (FIG. F)


- Tipo
- Número de série
- Referência MANITOU

CABINE (FIG. G)
- Tipo
- Número de série

LANÇA (FIG. H)
- Referência MANITOU
- Data de fabricação

PLAQUETA DO FABRICANTE DO ACESSÓRIO (FIG. I)


- Modelo
- Número de série
- Ano de fabricação
648930 BR (01/01/2017)

2-5
ESPECIFICAÇÕES

MOTOR
Tipo PERKINS 1104D-44TA NM38858
Combustível Diesel
Número de cilindros 4 em linha
Aspiração Supercharger
Sistema de injeção Direta
Sequência de ignição 1.3.4.2
Capacidade volumétrica cm3 4400
Diâmetro e curso mm 105 x 127
Taxa de compressão 18,2/1
Capacidade nominal com carga rpm 2200
Capacidade nominal em marcha lenta sem carga rpm 930
Capacidade nominal máx. sem carga rpm 2400
Potência ISO/TR 14396 cv- kW 101 - 74,5
Potência SAE J 1995 cv- kW 101 - 74,5
Torque máximo t ISO/TR 14396 Nm 410 a 1400 rpm
Filtro de ar µm 3
Tipo de arrefecimento à água
Ventoinha polia

TRANSMISSÃO
Caixa de marcha TURNER POWERTRAIN SYSTEMS
Tipo Mecânica
Seletor de marcha para frente/ré Eletro-hidráulica
Conversor de torque SACHS
Número de velocidades para frente 4
Número de velocidades para trás 4
Caixa de marchas angular TURNER POWERTRAIN SYSTEMS
Eixo dianteiro DANA
Diferencial Sem travamento
Eixo traseiro DANA
Diferencial Sem travamento
Tração nas rodas 4RM Permanente
Interruptor para tração 2/4 rodas Não
Pneus dianteiros MICHELIN
Tamanho 440/80-24 168A8 IND PCL SEM CÂMARA
Pressão bar 4,5
Pneus traseiros MICHELIN
Tamanho 440/80-24 168A8 IND PCL SEM CÂMARA
Pressão bar 4,5

CIRCUITO ELÉTRICO
Padrão 12 V - 110 Ah - 750 A EN
Bateria
Opcional 12 V - 140 Ah - 1000 A EN
Alternador 12 V - 85 A
Tipo DENSO Ai115
Motor de partida 12 V - 3,2 kW
Tipo AZE

CIRCUITO DE FREIO
Freio de serviço Freio hidráulico assistido
Tipo de freio Freio multidisco imerso em óleo
Tipo de controle Pelo pé nos eixos dianteiro e traseiro
Freio de estacionamento Mecânico
Tipo de freio Freio multidisco imerso em óleo
Tipo de controle Manual

RUÍDO E VIBRAÇÃO
Nível de pressão acústica na cabine do operador em LpA
dB 83,6 (cabine fechada)
(conforme a norma NF EN 12053)
Nível de potência acústica assegurada ao ambiente em LwA 105 (medida)
dB
648930 BR (01/01/2017)

(conforme a diretiva 2000/14/EC modificada pela diretiva 2005/88/EC) 106 (assegurada)


Média ponderada da aceleração no corpo do operador
m/s2
(conforme a norma NF EN 13059)
Média ponderada da aceleração transmitida ao conjunto de mãos/braços do operador
m/s2 < 2,5
(conforme a norma ISO 5349-2)

2-6
CIRCUITO HIDRÁULICO
Bomba hidráulica
Tipo Bomba de engrenagens
Capacidade volumétrica cm3
Capacidade nominal máx. sem carga l/mn
Fluxo nominal a 1600 rpm l/mn
Filtragem
Retorno µm 10
Sucção µm 125
Pressão máxima de serviço bar 270
Circuito do telescópico bar 250 / 280
Circuito de elevação bar 320 / 280
Circuito de inclinação bar 280 / 190
Circuito do estabilizador bar 270
Circuito de compensação bar 270
Circuito do acessório bar 270
Circuito de direção bar 140

MOVIMENTOS HIDRÁULICOS MT 1841 E3 MT 1841A E3


Dispositivo de alarme de estabilidade longitudinal Eletrônico
Movimentos de elevação (lança retraída)
Elevar sem carga s 14,37 73
Elevar com carga s
Abaixar sem carga s 10,20 80
Abaixar com carga s
Movimentos telescópicos (lança elevada)
Extensão sem carga s 24,18 74
Extensão com carga s
Retração sem carga s 16,10 44
Retração com carga s
Movimentos de inclinação
Inclinação para trás sem carga s 3,50 /
Inclinação para frente sem carga s 4,13 /
Movimentos de estabilizadores
Abaixar s 7,82
Elevar s 5,35
Movimentos da caçamba
Rotação horário s /
Rotação anti-horário s /
ESPECIFICAÇÕES E PESOS
Velocidade do movimento do manipulador telescópico em configura-
ção padrão em terreno plano (exceto em condições especiais)
P/frente sem carga 1 km/h 5
2 km/h 7,9
3 km/h 16,5
4 km/h 27,6
Para trás sem carga 1 km/h 5
2 km/h 7,9
3 km/h 16,5
4 km/h 27,6
Acessório padrão TFF 45 MT1040
Peso com garfos kg 370
Peso dos garfos (cada um) kg 70
Capacidade nominal com acessório padrão kg 4000
Capacidade máxima de carga inclinada nos estabilizadores kg
Distância do centro de gravidade da carga ao encosto dos garfos mm
Altura de elevação padrão nos estabilizadores mm 17600
Peso do manipulador telescópico sem acessório padrão kg 10850
Peso do manipulador telescópico com acessório padrão
Sem carga kg 11220
Com carga nominal kg 15220
Peso por eixo com acessório padrão (posição de transporte)
Dianteira sem carga kg 5340
Traseira sem carga kg 5880
Dianteira com carga nominal kg 13400
Traseira com carga nominal kg 1820
Peso por eixo com acessório padrão (lança estendida)
Dianteira com carga nominal kg inclina para a frente
648930 BR (01/01/2017)

Traseira com carga nominal kg inclina para a frente


Pressão de contato no solo para toda superfície de cada estabilizador kg/cm2
em carga máxima ao inclinar
Esforço de tração no gancho de reboque
Sem carga (deslizamento) daN 8200
Com carga nominal (configuração da transmissão) daN 9700
Esforço de arrasto com o suporte aberto (de acordo com a norma ISO 8313) daN 7000
2-7
PNEUS DIANTEIROS E TRASEIROS

PRESSÃO (bar) MT-X 1441 SL MT-X 1841 SL


Turbo
CARGA POR PNEU Série 3-E3
Série 4-E3
(kg)

PRESSÃO
18X19,5
ALLIANCE

Dianteiro sem carga


I224 16PR Dianteiro com carga
SEM CÂMARA Traseiro sem carga
Traseiro com carga
440/80-24 PRESSÃO 4,5 4,5
Dianteiro sem carga
DUNLOP

T37 STAB
Dianteiro com carga
158B Traseiro sem carga
TUBELESS Traseiro com carga
15,5/25 PRESSÃO
12PR SGL Dianteiro sem carga
Dianteiro com carga
DL 2A Traseiro sem carga
SEM CÂMARA Traseiro com carga
PRESSÃO 5,5
15,5/80-24 Dianteiro sem carga 2650
SGI 16PR Dianteiro com carga 6300
Traseiro sem carga 2650
GOODYEAR

SEM CÂMARA
Traseiro com carga 700
PRESSÃO 4,5
16,5/85 Dianteiro sem carga
SGI 14PR Dianteiro com carga
SEM CÂMARA Traseiro sem carga
Traseiro com carga
PRESSÃO 4,6 4,6
400/80R24 Dianteiro sem carga
IT520 162A8 Dianteiro com carga
SEM CÂMARA Traseiro sem carga
Traseiro com carga

648930 BR (01/01/2017)

2-8
PRESSÃO NA SUPERFÍCIE DE CONTATO
PRESSÃO CARGA ÁREA DA SUPERFÍCIE DE CONTATO (cm2)
(kg/cm2)
(bar) (kg)
SOLO RÍGIDO SOLO SOLTO SOLO RÍGIDO SOLO SOLTO
18X19,5 550 1,77 0,75 279 662
2100 4,03 1,71 516 1217
ALLIANCE I224 16PR 5,5 2500 4,46 1,89 558 1315
SEM CÂMARA 2650 4,59 1,95 569 1341
550 5,50 1,53 100 360
440/80-24 2100 8,03 2,23 261 939
DUNLOP T37 STAB 158B 4,5 2500 8,47 2,34 295 1070
SEM CÂMARA 5800 12,41 3,41 467 1699
6300 12,86 3,54 490 1780
15,5/25 550 3,93 2,12 140 260
2100 6,85 3,72 307 565
12PR SGL DL 2A 4,5 2500 6,94 3,76 360 665
SEM CÂMARA 5800 8,40 4,54 690 1278
15,5/80-24 550
2100
SGI 16PR 5,1 2500
SEM CÂMARA 5800
16,5/85
GOODYEAR SGI 14PR 4,5
SEM CÂMARA

400/80R24
IT520 162A8 4,6
SEM CÂMARA

648930 BR (01/01/2017)

2-9
PRESSÃO (bar)
MT-X 1841 A
CARGA POR PNEU Turbo
(kg) Série 3-E3

PRESSÃO 7
1200R24 Dianteiro sem carga 2500
Dianteiro com carga 5800
XKA Traseiro sem carga 2100
Traseiro com carga 550
PRESSÃO 4 4,75 5
15,5R25 Dianteiro sem carga 2500
XHA Dianteiro com carga 5800
SEM CÂMARA Traseiro sem carga 2100
Traseiro com carga 550
PRESSÃO 4
MICHELIN

400/80-24 Dianteiro sem carga 2500


156A8 IND PCL Dianteiro com carga 5800
SEM CÂMARA Traseiro sem carga 2100
Traseiro com carga 550
PRESSÃO 6,5 8
18R19,5 Dianteiro sem carga 2500 2650
XF Dianteiro com carga 5800 6300
SEM CÂMARA Traseiro sem carga 2100 2650
Traseiro com carga 550 700
PRESSÃO 4,5
440/80-24 Dianteiro sem carga
168A8 IND PCL Dianteiro com carga
SEM CÂMARA Traseiro sem carga
Traseiro com carga
PRESSÃO 4,9
15,5/80-24 Dianteiro sem carga
MITAS

163A8 TR-01 Dianteiro com carga


SEM CÂMARA Traseiro sem carga
Traseiro com carga
480/65R24 PRESSÃO 8
Dianteiro sem carga 2500
NOKIAN

SF
Dianteiro com carga 5800
151A8/146D Traseiro sem carga 2100
SEM CÂMARA Traseiro com carga 550

648930 BR (01/01/2017)

2-10
PRESSÃO NA SUPERFÍCIE DE CONTATO
PRESSÃO CARGA ÁREA DA SUPERFÍCIE DE CONTATO (cm2)
(kg/cm2)
(bar) (kg)
SOLO RÍGIDO SOLO SOLTO SOLO RÍGIDO SOLO SOLTO
550
1200R24 2100
7 2500
XKA
5800
550 1,43 067 417 892
2100 2,82 1,36 703 1506
4 2500 3,09 1,44 810 1736
5800 3,63 1,64 1600 3540
15,5R25
XHA 4,75
SEM CÂMARA

5
MICHELIN
400/80-24 550
2100
156A8 IND PCL 4 2500
SEM CÂMARA 5800
440/80-24
168A8 IND PCL 4,5
SEM CÂMARA
550 2,75 1,28 200 431
2100 3,42 1,58 600 1295
6,5 2500 3,52 1,63 685 1477
18R19,5 5800 4,21 1,95 1375 2966
XF
8

15,5/80-24
MITAS 163A8 TR-01 4,9
SEM CÂMARA
480/65R24 550 2,86 0,34 192 1600
2100 3,20 1,01 655 2073
NOKIAN SF 151A8/146D 3,8 2500 3,26 1,15 768 2180
SEM CÂMARA 5800 3,32 1,98 1746 2931

648930 BR (01/01/2017)

2-11
DIMENSÕES E TABELAS DE CARGAS
MT 1841 E3
mm in
A 1200 47,24
B 2770 109,06
C 2470 97,24
C1 2380 93,70
D 6290 247,63
D1 6200 244,09
D2 4435 174,61
E 7490 294,88
F 1990 78,35
F1 1990 78,35
G 480 18,90
G1 475 18,70
G2 480 18,90
G3 290 11,42
H 7°
H1 7°
I 1050 41,34
J 950 37,40
K 1040 40,94
L 50 1,97
N 1880 74,02
O 125 4,92
P2 45,5 1,79
P3 50 1,97
R 3950 155,51
S 9200 362,20
T 4380 172,44
U1 2605 102,56
U2 2785 109,65
V 5850 230,31
V1 1470 57,87
V2 4168 164,09
W 2425 95,47
W1 3820 150,39
W2 1050 41,34
W3 2350 92,52
Y 12°
Z 112°

648930 BR (01/01/2017)

2-12
DIMENSÕES E TABELAS DE CARGAS

648930 BR (01/01/2017)

2-13
DIMENSÕES E TABELAS DE CARGAS
MT 1841A E3

648930 BR (01/01/2017)

2-14
DIMENSÕES E TABELAS DE CARGAS

648930 BR (01/01/2017)

2-15
INSTRUMENTOS E CONTROLES

648930 BR (01/01/2017)

2-16
DESCRIÇÃO

1 - ASSENTO DO CONDUTOR
2 - CINTO DE SEGURANÇA
3 - PAINEL DE INSTRUMENTOS E LUZES INDICADORAS
4 - ALARME DE ESTABILIDADE LONGITUDINAL
5 - INTERRUPTORES
6 - INTERRUPTOR DE ILUMINAÇÃO, BUZINA E INDICADORES DE DIREÇÃO(SETAS)
7 - INTERRUPTOR DA CHAVE DE IGNIÇÃO
8 - PAINEL DE ACESSO AO RESERVATÓRIO DO FLUIDO DE FREIO, FUSÍVEIS E RELÉS
9 - RESERVATÓRIO DO FLUIDO DE FREIO
10 - FUSÍVEIS E RELÉS DA CABINE
11 - FUSÍVEIS E RELÉS SOB O CAPÔ DO MOTOR
12 - RESERVATÓRIO DE ÁGUA DO LAVADOR DO PARABRISAS
13 - LUZ DO TETO
14 - PEDAL DO ACELERADOR
15 - PEDAL DO FREIO DE SERVIÇO E CORTE DA TRANSMISSÃO
16 - ALAVANCA DE MARCHAS E CORTE DA TRANSMISSÃO
17 - SELETOR DE MARCHA PARA FRENTE/PONTO MORTO/RÉ
18 - FREIO DE ESTACIONAMENTO
19 - SELETOR DE DIREÇÃO
20 - CONTROLES HIDRÁULICOS
21 - GUIA DAS FUNÇÕES
22 - CONTROLE DO AQUECEDOR
23 - CONTROLE DO AR CONDICIONADO (OPCIONAL)
24 - ALETAS DE SAÍDA DE RECIRCULAÇÃO DE AR (OPCIONAL)
25 - ALETAS DE SAÍDA DO DESEMBAÇADOR DO PARABRISAS
26 - ALETAS DE SAÍDA DO AQUECIMENTO
27 - BOTÃO DE ABERTURA DO PAINEL DE ACESSO PARA ABASTECIMENTO DE FLUIDO HIDRÁULICO E COMBUSTÍVEL
28 - MAÇANETA DE ABERTURA DA PORTA
29 - BOTÃO DE TRAVAMENTO DA PORTA
30 - BOTÃO DE DESTRAVAMENTO DA PORTA
31 - ALAVANCA DE ABERTURA DO VIDRO TRASEIRO
32 - PORTA DOCUMENTOS
33 - LUZES DIANTEIRAS (NÃO ILUSTRADAS)
34 - LUZES TRASEIRAS (NÃO ILUSTRADAS)
35 - PISCA ALERTA (NÃO ILUSTRADO)
36 - INDICADOR DE NIVELAMENTO

NOTA: T odos os termos, tais como: DIREITA, ESQUERDA, DIANTEIRA, TRASEIRA, estão no ponto de vista do operador no
assento do manipulador telescópico olhando para a frente.

648930 BR (01/01/2017)

2-17
1 - ASSENTO DO OPERADOR

PROJETADO PARA O MÁXIMO CONFORTO, ESTE ASSENTO PODE SER AJUSTADO COMO SEGUE.

AJUSTE LONGITUDINAL
- Puxe a alavanca de travamento 1 para cima.
- Deslize o assento para a posição desejada.
- Solte a alavanca e assegure-se de que ela retornou para a posição de travamento.

AJUSTE DO ENCOSTO DO ASSENTO


A parte dianteira e a parte traseira do encosto podem ser ajustadas separadamente.
- Para ajustar a parte dianteira, empurre a alavanca 2 para baixo.
- Solte a alavanca numa das cinco posições possíveis.
- Mesma operação para ajustar a parte traseira puxando a alavanca 2 para cima.

AJUSTE DA SUSPENSÃO DO ASSENTO


- Gire o botão 3 e ajuste de acordo com o seu peso.

AJUSTE DA INCLINAÇÃO DO ENCOSTO DO ASSENTO


- Apoie as costas no encosto.
- Puxe a alavanca 4 e coloque o encosto numa das posições possíveis.

1 - ASSENTO DO OPERADOR (OPCIONAL)

PROJETADO PARA O MÁXIMO CONFORTO, ESTE ASSENTO PODE SER AJUSTADO COMO SEGUE.

AJUSTE LONGITUDINAL
- Puxe a alavanca de travamento 1 para a direita.
- Deslize o assento para a posição desejada.
- Solte a alavanca e assegure-se de que ela retornou para a posição de travamento.

AJUSTE DA SUSPENSÃO DO ASSENTO


- Ajuste da graduação do assento.
- Gire o botão 2 e ajuste de acordo com o seu peso.

AJUSTE DA INCLINAÇÃO DO ENCOSTO DO ASSENTO


- Puxe a alavanca de travamento 3 para cima.
- Coloque o encosto na posição desejada.
- Solte a alavanca e assegure-se de que ela retornou para a posição de travamento.

648930 BR (01/01/2017)

2-18
1 - ASSENTO PNEUMÁTICO DE LUXO DO OPERADOR (OPCIONAL)

PROJETADO PARA O MÁXIMO CONFORTO, ESTE ASSENTO PODE SER AJUSTADO COMO SEGUE.

AJUSTE DO PESO (FIG. A)


É aconselhável ajustar o assento de acordo com seu peso quando estiver sentado.
- Ligue a ignição do manipulador telescópico.
- Puxe ou empurre a alavanca 1 brevemente. O ajuste é automático.
NOTA: P ara evitar qualquer problema de saúde, recomendamos, que o ajuste de acordo com
peso, seja feito antes de colocar o manipulador telescópico em funcionamento.

AJUSTE DA ALTURA DO ASSENTO (FIG. B)


Quando o ajuste do assento for completado, você pode então modificar a altura do assento.
- Mantenha o manipulador telescópico ligado.
- Puxe ou empurre a alavanca 1 e ajuste a altura do assento.

Para evitar causar qualquer dano, não ative o compressor por mais de 1 minuto.

AJUSTE DA INCLINAÇÃO DO ENCOSTO DO ASSENTO (FIG. C)


A inclinação do encosto do assento pode ser ajustada individualmente.
- Pressione o botão do lado esquerdo empurrando o assento ao mesmo tempo, fazendo
pressão sobre o assento para encontrar uma posição confortável.

AJUSTE DA PROFUNDIDADE DO ASSENTO (FIG. D)


A profundidade do assento pode ser ajustada individualmente.
- Pressione o botão do lado direito aumentando ou diminuindo a profundidade do assento
para a posição desejada.

ESTENDENDO O ENCOSTO DO ASSENTO (FIG. E)


- A altura do encosto pode ser ajustada puxando-o para cima (os entalhes encaixarão) até o
batente.
- O encosto pode ser removido aplicando pressão suficiente para retirá-lo do batente.

AJUSTE LOMBAR (FIG. F)


Isso aumenta o conforto do assento e a liberdade de
movimento do operador.
- Pressione o interruptor para aumentar ou diminuir
o ajuste da curvatura do encosto do assento para
a posição desejada.
648930 BR (01/01/2017)

2-19
AJUSTE DA INCLINAÇÃO DO ENCOSTO DO ASSENTO (FIG. G)
- Apoie-se no encosto, puxe a alavanca e posicione o encosto na posição desejada.

Se você não se apoiar no encosto ao fazer o ajuste, ele inclinará completamente para a frente.

AMORTECEDOR HORIZONTAL (FIG. H)


Em determinadas condições (por exemplo, deslocar com um reboque) é aconselhável a utili-
zação de um amortecedor horizontal. O assento do operador amortecerá melhor os solavan-
cos no sentido do percurso.
- Posição 1: Amortecedor horizontal ajustado.
- Posição 2: Amortecedor horizontal removido.

AMORTECIMENTO (FIG. I)
O amortecimento do assento pode ser ajustado de acordo com a natureza do terreno. O
conforto do assento é ajustável para atender às suas necessidades.
- Posição 1: Amortecimento macio.
- Posição 2: Amortecimento rígido.

AJUSTE LONGITUDINAL (FIG. J)


- Ajuste a alavanca de travamento quando atingir a posição desejada. Quando ela estiver
travada você não poderá deslocar o assento para outra posição.

MANUTENÇÃO (FIG. K)
A sujeira pode prejudicar o bom funcionamento do assento. Por isso, assegure-se de que o
seu assento esteja sempre limpo.
- Para limpar ou trocar as almofadas, basta removê-las da estrutura do assento.

Uma oscilação do encosto aumenta o risco de um acidente!


Evite molhar o tecido da almofada durante a limpeza. Verifique a resistência do tecido sobre
uma pequena área antes de utilizar qualquer detergente para tecido.

2 - CINTO DE SEGURANÇA
- Sente-se corretamente sobre o assento.
- Verifique se o cinto de segurança não está
torcido.
- Coloque o cinto de segurança no nível do
quadril.
- Coloque o cinto de segurança e verifique se
ele trava.
- Ajuste o cinto de segurança para o seu corpo
sem comprimir o quadril e sem folga
excessiva.

Em nenhum caso, utilize o manipulador telescópico se o cinto de segurança estiver com defeito (fixação,
travamento, cortes, rasgos, etc.). Repare ou substitua o cinto de segurança imediatamente.
648930 BR (01/01/2017)

2-20
3 - PAINEL DE INSTRUMENTOS E LUZES INDICADORAS

 ma luz indicadora permanentemente acesa ou piscando, com o motor funcionando, é o sinal de uma falha
U
de funcionamento. O acendimento de determinadas luzes indicadoras pode ser acompanhada por um aviso
sonoro. Não ignore esta advertência, consulte o seu concessionário o mais rápido possível. Se uma das luzes
indicadoras de advertência acender enquanto o manipulador telescópico estiver em movimento, pare o mani-
pulador telescópico nas melhores condições de segurança.
Ao ativar o sistema elétrico do manipulador telescópico, todas as luzes vermelhas e laranjas
devem acender acompanhadas de um aviso sonoro no painel, para indicar o seu bom funcio-
namento. Se uma das luzes vermelhas ou o aviso sonoro do painel não funcionar, efetue os
reparos necessários.

A - LUZ VERMELHA INDICADORA DA PRESSÃO DE ÓLEO DO MOTOR


Se a luz indicadora acender acompanhada de um aviso sonoro no painel, quando o manipulador telescópico estiver funcionando, pare
o motor imediatamente e procure a causa (verifique o nível de óleo no cárter do motor).

B - LUZ VERMELHA INDICADORA DA TEMPERATURA DO LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO DO MOTOR


Se a luz indicadora acender acompanhada de um aviso sonoro no painel, quando o manipulador telescópico estiver funcionando, pare
o motor imediatamente e procure a causa do mau funcionamento no circuito de arrefecimento.

C - LUZ VERMELHA INDICADORA DA PRESSÃO DE ÓLEO NA CAIXA DE MARCHAS


Esta luz indicadora acenderá acompanhada de um aviso sonoro no painel quando houver uma queda anormal da pressão de óleo
na caixa de marchas, e em marcha à frente. Pare o manipulador telescópico e procure a causa (por exemplo, baixo nível de óleo na
transmissão, vazamento interno na transmissão, etc.).
NOTA: A luz indicadora só funciona em condições de marcha à frente, a luz indicadora não deve ser levada em conta quando o motor
estiver funcionando em marcha lenta ou estiver parado.

D - LUZ VERMELHA INDICADORA DE OBSTRUÇÃO NO FILTRO DE AR


A luz indicadora acenderá acompanhada de um aviso sonoro no painel, quando o elemento do filtro de ar estiver entupido. Pare o ma-
nipulador telescópico e realize os reparos necessários (verifique a limpeza e a substituição no capítulo: 3 - MANUTENÇÃO: ELEMENTO
DO FILTRO DE AR E CORREIAS).

E - LUZ VERMELHA INDICADORA DA TEMPERATURA DO ÓLEO NA CAIXA DE MARCHAS


A luz indicadora acenderá acompanhada de um aviso sonoro no painel, quando a temperatura do óleo na caixa de marchas estiver
elevada de forma anormal. Pare o manipulador telescópico e procure a causa deste superaquecimento.

F - LUZ VERMELHA INDICADORA DE CARGA DA BATERIA


Se as luzes indicadoras F - G - H - I - J - N acenderem acompanhadas de um aviso sonoro no painel, quando o manipulador telescópico
estiver funcionando, pare o motor imediatamente e verifique o circuito elétrico, bem como a correia do alternador.

G - LUZ VERMELHA INDICADORA DO FREIO DE ESTACIONAMENTO


Esta luz indicadora acenderá quando o freio de estacionamento estiver aplicado.

H - LUZ VERDE INDICADORA DE DIREÇÃO (SETAS)

I - LUZ AZUL INDICADORA DO FAROL PRINCIPAL (LIGADO)

J - LUZ VERMELHA INDICADORA DO NÍVEL DE FLUIDO DE FREIO


Se a luz indicadora acender acompanhada de um aviso sonoro no painel, quando o manipulador telescópico estiver funcionando,
pare o motor imediatamente e verifique o nível de fluido de freio. Em caso de uma diminuição anormal do nível, consulte seu conces-
sionário.

K - HORÍMETRO

L - NÍVEL DE COMBUSTÍVEL
648930 BR (01/01/2017)

2-21
4 - ALARME DE ADVERTÊNCIA DE ESTABILIDADE LONGITUDINAL
Este dispositivo avisa o operador de que o manipulador telescópico está se aproximando do
limite de estabilidade longitudinal. Entretanto, a estabilidade lateral pode reduzir a tabela de
carga na parte superior, e esta redução não é detectada pelo dispositivo de advertência de
estabilidade longitudinal.

O operador deve respeitar a tabela de carga do manipulador telescópico.


OPERAÇÃO
Quando o manipulador telescópico é ligado, um teste de controle é realizado automaticamente.
- Operação correta: todos os leds e a função de alarme sonoro funcionam continuamente por 2
segundos.
- Operação incorreta: todos os leds e a função de alarme sonoro funcionam intermitentemente
(pare o manipulador telescópico e consulte seu concessionário; nunca tente reparar você
mesmo).

A - VISUALIZAÇÃO DO ALARME DE ADVERTÊNCIA


A1 - 4 leds verdes: Há uma grande reserva de estabilidade longitudinal.
A2 - 2 leds amarelos: O
 manipulador telescópico se aproxima do limite de estabilidade longitudinal; mova-se com cuidado.
A3 - 1 led vermelho: O
 manipulador telescópico está muito próximo do limite de estabilidade longitudinal. O alarme emite
simultaneamente um som intermitente lento. Mova-se com muito cuidado.
A4 - 1 led vermelho: O
 manipulador telescópico está no limite autorizado de estabilidade longitudinal. O alarme emite simul-
taneamente um som intermitente rápido. Todos os movimentos hidráulicos são cortados. Reinicie os
movimentos hidráulicos (veja: B - CORTE “SIMPLES” DOS MOVIMENTOS HIDRÁULICOS).

B - CORTE “SIMPLES” DOS MOVIMENTOS HIDRÁULICOS


T odos os acessórios com uma carga suspensa (guincho, gancho, etc.) DEVEM ser utilizados com um manipulador telescópico equipado com um dispositivo
de corte dos movimentos hidráulicos.
OPERAÇÃO
O interruptor B permite o corte “SIMPLES” dos movimentos hidráulicos ou não. O corte “SIMPLES” dos movimentos hidráulicos é ativa-
do automaticamente quando o manipulador telescópico é ligado.

COM O CORTE “SIMPLES” DOS MOVIMENTOS HIDRÁULICOS: INDICADOR VISUAL B1 DESLIGADO:


- Led A4 indica que o manipulador telescópico está no limite autorizado para a estabilidade longitudinal. O alarme emite simultanea-
mente um som intermitente rápido. Todos os movimentos hidráulicos são cortados.
- Para reiniciar o movimento hidráulico, faça o seguinte:
- Pressione a parte inferior do interruptor B; o indicador visual B1 acenderá e indicará que o corte dos movimentos hidráulicos está
desativado.
- Só realize movimentos hidráulicos com agravantes na seguinte ordem: lança retraída e levantada.
- Reative o corte dos movimentos hidráulicos pressionando a parte superior do interruptor B; o indicador visual B1 apagará.
NOTA: Quando a lança é retraída, a função de corte dos movimentos hidráulicos “SIMPLES” é desativada.

SEM O CORTE “SIMPLES” DOS MOVIMENTOS HIDRÁULICOS: INDICADOR VISUAL B1 LIGADO:


- Para permitir a utilização de caçamba com carga ou para Escavação, por exemplo.
- Neste caso, somente o indicador visual e o alarme sonoro informarão o operador.

C - ALARME SONORO
Interruptor utilizado para desligar o alarme sonoro ao usar o manipulador telescópico com caçamba com carga ou para Escavação. O
led vermelho C1 indica que o alarme sonoro foi cortado e apenas o indicador visual está funcionando. Sob outras condições de funcio-
namento, o alarme sonoro tem que estar ligado.

D - INTERRUPTOR DE TESTE
Pressione o interruptor para verificar a qualquer momento se o dispositivo de alarme de estabilidade longitudinal está funcionando.
NOTA: E ste teste não verifica se o dispositivo está corretamente configurado; isso deve ser verificado a cada manutenção periódica.
- Operação correta: Todos os leds e o alarme sonoro funcionam continuamente.
- Operação incorreta: Todos os leds e o alarme sonoro funcionam intermitentemente (pare o manipulador telescópico e consulte seu
concessionário, nunca tente reparar você mesmo).

E - MEDIDOR DE TENSÃO

A desmontagem ou o ajuste do medidor de tensão é proibido, isso só deve ser feito por pessoal especial-
mente treinado; consulte seu concessionário.
648930 BR (01/01/2017)

2-22
5 - INTERRUPTORES
NOTA: A
 localização dos interruptores pode variar dependendo dos opcionais.

A - AQUECEDOR
Este interruptor de duas velocidades permite que o ar quente ou frio passe atra-
vés dos ventiladores de aquecimento

B - LUZ DE ADVERTÊNCIA(PISCA ALERTA)


Este interruptor liga as setas ESQUERDA e DIREITA simultaneamente, com a
ignição desligada. A luz indica que o interruptor está ativado.

C - FAROL DE SERVIÇO OPCIONAL

D - LIMPADOR E LAVADOR DO PARABRISAS


Este interruptor, quando colocado na posição “intermediária”, liga o limpador de parabrisas, e pressionado na posição “baixa (down)”
simultaneamente, liga o lavador de parabrisas.

E - LIMPADOR DO VIDRO TRASEIRO + LIMPADOR DO VIDRO DO TETO (OPCIONAL)

F - LUZ ESTROBOSCÓPICA(GIROFLEX)

G - FAROL DE SERVIÇO (OPCIONAL)

H – CORTE “SIMPLES” DOS MOVIMENTOS HIDRÁULICOS


Veja: 2 - DESCRIÇÃO: 4 - DISPOSITIVO DE ALARME DE ESTABILIDADE LONGITUDINAL.

H - CORTE “AGRAVANTE” DOS MOVIMENTOS HIDRÁULICOS (OPCIONAL)


Veja: 2 - DESCRIÇÃO: DESCRIÇÃO E USO DOS OPCIONAIS.

I - OPCIONAL

J - CORTE DA TRANSMISSÃO
Este interruptor faz ou não permite que a transmissão seja corta-
da pelo pedal do freio de serviço.
- Posição A: Luz apagada, sem corte da transmissão.
- Posição B: L uz acesa, com corte da transmissão.

NOTA: Em todos os casos, o corte da transmissão pode ser efe-


tuado utilizando-se a alavanca de marcha.

UTILIZAÇÃO DO CORTE DA TRANSMISSÃO


Corte da transmissão pelo pedal do freio de serviço (posição A).
• Para carregar.
Corte da transmissão pela alavanca dos movimentos hidráulicos
(posição B).
• Em deslocamento.
• Em aproximação lenta e deslocamento progressivo (manipulação delicada). Para otimizar os movimentos hidráulicos,
cortar a transmissão pela alavanca dos movimentos hidráulicos.
• Deslocamento em declive.

K - FAROL DE SERVIÇO TRASEIRO (OPCIONAL)

K – VENTOINHA AUTOLIMPANTE (OPCIONAL)


Veja: 2 - DESCRIÇÃO: DESCRIÇÃO E USO DOS OPCIONAIS.
648930 BR (01/01/2017)

2-23
6 - LUZES, BUZINA E INDICADORES DIRECIONAIS (SETAS)
Interruptor(alavanca) dos controles visuais e alarmes sonoros.
A - Todas as luzes estão desligadas, os indicadores direcionais não piscam.
B - O indicador de direção( seta direita) pisca.
C - O indicador de direção (seta esquerda) pisca.
D - As luzes laterais e as luzes traseiras acendem.
E - Os faróis baixos e as lanternas acendem.
F - Os faróis altos e as lanternas acendem.
G - Indicador do farol.

Pressionando a extremidade do interruptor(alavanca) soará a buzina.


NOTA: As posições D - E - F - G podem ser utilizados sem a ignição estar ligada.

7 - INTERRUPTOR DA CHAVE DE IGNIÇÃO


O interruptor da chave de ignição tem cinco posições:
P - Ignição desligada, posição de estacionamento.
O - Ignição desligada e motor parado.
I - Ignição e pré-aquecimento.
II - Aquecimento.
III - O motor liga, retorna para a posição I assim que a chave for liberada.

8 - PAINEL DE ACESSO AO RESERVATÓRIO DE FLUIDO DE FREIO, FUSÍVEIS E RELÉS

9 - RESERVATÓRIO DE FLUIDO DE FREIO


Veja: 3 - MANUTENÇÃO: B - CADA 50 HORAS DE SERVIÇO.

648930 BR (01/01/2017)

2-24
10 - DESIGNAÇÃO DOS FUSÍVEIS E RELÉS

Sempre substitua um fusível defeituoso por outro de classificação equivalente. Nunca use um fusível que tenha sido reparado.

FUSÍVEIS E RELÉS SOB CAPÔ DO MOTOR

Remova o suporte 1 e a tampa 2 para ter acesso aos fusíveis e relés.

Designação
Equipamentos elétricos do manipulador teles-
cópico (40A).
Equipamentos elétricos do manipulador teles-
cópico (80A).
Pré-aquecimento do motor (80A).

Alternador (80A).

Descongelante de Diesel OPCIONAL (15A).

Relé de pré-aquecimento do motor.

Descongelante de Diesel OPCIONAL.

FUSÍVEIS E RELÉS DA CABINE

Um adesivo colado na tampa de proteção permite visualizar rapidamente a utilização dos componentes do painel descritos
abaixo.

648930 BR (01/01/2017)

2-25
Após a remoção da proteção é possível acessar os fusíveis dos componentes e o relé do painel.

Há também uma caixa de fusíveis e relés que faz parte do chicote elétrico do chassi.

Remova o protetor para acessar a caixa dos fusíveis e do relé.

648930 BR (01/01/2017)

2-26
Designação Nota
Assento pneumático (10A).
Alinhamento das rodas (5A).
Interruptor de parada / luz de alerta (10A).

SOMENTE
anti-furto / Farol de trabalho da lança/travamento hidráulico da lança /solenóide da cabe-
ça da lança / Fornecimento elétrico da lança / movimento lateral simples (10A).

indicadores da seta esquerda (7,5A).


Luzes lateriais direita / painel / placa traseira opcional (7,5A).
Luzes laterais esquerda (7,5A).
Luzes estroboscópicas (7,5A).
farol de trabalho traseiro (15A).
farol de trabalho dianteiro (15A).
luz da pressão dos freios (7,5A).
Estabilizadores de segurança (7,5A).
seletor de avanço/ré (15A) / corte da transmissão (15A)
Alarme de estabilidade longitudinal / corte dos movimentos hidráulicos (10A).

iluminação do painel / Indicador de combustível / Horímetro (5A).


luzes de advertência da ECU
limpador e lavador do parabrisas (10A).
farol lateral
indicadores da seta direita (7,5A).

farol baixo (15A).


luzes de emergências / Luz do teto / antifurto (15A).
luzes laterais / farol baixo / farol alto (25A).

limpador do vidro traseiro / limpador do vidro do teto (7,5A).


Aquecedor e Ar condicionado opcional (15A).
motor de partida (20A).

livre
segurança da elevação (10A).
fusivel de energia (40A).
fusivel de energia (80A).
Pré-aquecimento (80A).
Alternador (80A).
Pré aquecimento de combustível (15A).
Alimentação da plataforma (10A).
SOMENTE
Alimentação da parada de emergência do motor – bomba de combustível (10A).
transmissão da ECU (10A).
Alimentação do motor de partida (25A).
relé da buzina
relé de corte da transmissão.
relé da marcha para a frente.

relé da marcha à ré.


relé do sistema de segurança da partida.
648930 BR (01/01/2017)

relé de pressão do óleo da transmissão


relé do pisca alerta / emergência.
Relé de advertência predefinido da máquina

2-27
válvula solenóide de controleda cabeça da lança / predisposição elétrica da lança / Movi-
mento lateral simples/ travamento hidráulico da lança.

relé de preaquecimento
relé de segurança de estabilidade
relé de segurança de inclinação
relé de segurança de elevação
relé de segurança da velocidade de elevação
relé de segurança de falha do sistema de freios
relé de pré aquecimento de combustível
relé de proteção de sobrecarga
livre

relé de movimentos hidráulicos excessivos.

relé principal SOMENTE

relés de corte dos movimentos hidráulicos

648930 BR (01/01/2017)

2-28
12 - RESERVATÓRIO DE LÍQUIDO DO LAVADOR
Veja: 3 - MANUTENÇÃO: B - CADA 50 HORAS DE SERVIÇO.

13 - LUZ DO TETO

14 - PEDAL ACELERADOR

15 - PEDAL DO FREIO DE SERVIÇO E CORTE DA TRANSMISSÃO


O pedal atua sobre as rodas dianteiras e traseiras por um sistema de freio hidráulico assistido, permite que o manipulador telescópico
reduza a velocidade e pare. Dependendo da posição do interruptor de corte da transmissão, permite cortar a transmissão durante o
curso livre (Veja: 2 - DESCRIÇÃO: 5 - INTERRUPTORES).

16 - ALAVANCA DE MARCHA E CORTE DA TRANSMISSÃO


A fim de mudar de marcha, é necessário cortar a transmissão pressionando o botão 1 na
alavanca.
1ª marcha: Para a direita, para a frente.
2ª marcha: Para a direita, para trás.
3ª marcha: Para a esquerda, para a frente.
4ª marcha: Para a esquerda, para trás.

Usando a caixa de marchas


- Nestas empilhadeiras com conversor de torque, não é necessário arrancar sistematicamente
em 1ª marcha e aumentar as marchas.
A escolha da relação de marcha da transmissão deve ser feita cuidadosamente de acordo com a natureza do
trabalho a ser realizado. Uma má escolha, pode resultar no aumento extremamente rápido da temperatura
do óleo da transmissão, devido ao deslizamento excessivo do conversor, o que poderia levar a sérios danos à
transmissão (é essencial parar e mudar as condições de trabalho se o indicador de temperatura do óleo da transmissão acender). Esta má escolha também
pode resultar em uma redução no desempenho do manipulador telescópico em marcha à frente. Quando a força de avanço aumenta, a velocidade de avanço
na relação de marcha (por exemplo, em 3ª marcha) pode ser menor do que a velocidade de avanço que poderia ser obtida com a relação da 1ª marcha (na 2ª
em vez da 3ªmarcha).
Em geral, recomendamos utilizar as seguintes marchas de acordo com a natureza do trabalho a ser realizado.
•N a estrada: Partir em 3ª marcha e passar para a 4ª marcha se as condições e o estado da estrada permitirem. Em áreas montanho-
sas, partir em 2ª marcha e passar para a 3ª marcha se as condições e o estado da estrada permitirem.
• Com um reboque na estrada: Partir em 2ª marcha e passar para a 3ª marcha se as condições e o estado da estrada permitirem.
• Em deslocamento: 3  ª marcha.
2ª marcha em espaços restritos.
• Escavando: 1ª marcha.
• Carregando (com caçamba, com garfo etc.): 2ª marcha. 648930 BR (01/01/2017)

2-29
17 - SELETOR DE MARCHA À FRENTE/PONTO MORTO/MARCHA À RÉ

Ao operar este controle, o manipulador telescópico deve estar em baixa velocidade e sem ace-
lerar. Quando o inversor estiver na posição de ponto morto, uma trava mecância evita o engate
acidental da marcha à frente ou marcha à ré.

MARCHA À FRENTE: Levante suavemente e empurre a alavanca para a frente (posição A).
MARCHA À RÉ: Levante suavemente e puxe a alavanca para trás (posição B).
PONTO MORTO: Para iniciar o manipulador telescópico, a alavanca deve estar em ponto morto
(posição C).

NOTA: A
 s luzes de ré e um alarme sonoro indicam que o manipulador telescópico está deslo-
cando em marcha à ré.

SEGURANÇA AO DESLOCAR O MANIPULADOR TELESCÓPICO


A permissão para movimentar o manipulador telescópico é controlada por uma unidade eletrônica. O operador deverá observar a
seguinte sequência para movimentar o manipulador telescópico para a frente ou para trás:
1 - sentar-se corretamente no assento,
2 - soltar o freio de estacionamento,
3 - engatar a marcha à frente ou a marcha à ré.
Para parar o manipulador telescópico, respeite a seguinte sequência:
1 - colocar o seletor de marcha em ponto morto,
2 - aplicar o freio de estacionamento,
3 - sair do manipulador telescópico.
NOTA: S
 e o operador sair da cabine com o seletor em marcha à frente ou em marcha à ré, um alarme sonoro contínuo soará. Enquan-
to este alarme estiver soando, o operador pode simplesmente voltar a sentar-se no assento e continuar o deslocamento em
marcha à frente ou em ré. Se o alarme sonoro interromper, o operador deverá voltar a sentar-se, colocar o seletor de marcha
em ponto morto e depois selecionar a marcha à frente ou em ré, se desejar continuar em movimento.

648930 BR (01/01/2017)

2-30
18 - FREIO DE ESTACIONAMENTO
Para evitar o desengate ou a liberação acidental, a alavanca está equipada com uma trava de
segurança.

- Para aplicar o freio de estacionamento, puxe a alavanca para trás (posição A).
- Para soltar o freio de estacionamento, libere e empurre a alavanca para a frente (posição B).

19 - SELEÇÃO DA DIREÇÃO
A - LUZES VERDES DE ALINHAMENTO DAS RODAS
Estas luzes acendem para indicar o alinhamento das rodas em relação ao manipulador teles-
cópico. Luzes A1 são para as rodas dianteiras e A2 para as rodas traseiras.
A ntes de selecionar uma das três posições de direção possíveis, alinhe as 4 rodas em relação ao eixo do
manipulador telescópico. Nunca mude o modo de direção durante o transporte.

B - ALAVANCA DE SELEÇÃO DA DIREÇÃO

B1 - Direção das rodas dianteiras (circulação em estrada).

B2 - Direção das rodas dianteiras e traseiras em direção oposta (bloqueio curto da direção).

B3 - Direção das rodas dianteiras e traseiras na mesma direção (direção caranguejo).

C - INTERRUPTOR DE ALINHAMENTO DAS RODAS


Este interruptor permite a utilização ou não do dispositivo de alinhamento das rodas. A luz
indicadora indica seu uso.

CONTROLE DO ALINHAMENTO DAS RODAS.


- Ligue o interruptor (luz acende - ON).
- Coloque a alavanca de seleção da direção B na posição B2 (bloqueio curto da direção).
- Gire o volante e alinhe as rodas traseiras até a luz A2 acender.
- Coloque a alavanca de seleção da direção B na posição B1 (circulação em estrada).
- Gire o volante e alinhe as rodas dianteiras até a luz A1 acender.
A ntes de conduzir em estradas, é necessário verificar o alinhamento das rodas traseiras e conduza com a direção nas rodas dianteiras. O controle de
alinhamento das rodas traseiras deve ser feito regularmente com a ajuda das luzes verdes, durante a condução do manipulador telescópico. Em caso de
anomalias, consulte seu concessionário.
648930 BR (01/01/2017)

2-31
20 - CONTROLES HIDRÁULICOS
A permissão para os controles hidráulicos é dada pela validação da presença do operador (veja: 2 - DESCRIÇÃO: 6 - INTERFACE HO-
MEM/MÁQUINA - IHM) e se as condições de utilização dos controles hidráulicos forem respeitadas.

Não tente modificar a pressão do sistema hidráulico interferindo com a válvula reguladora de pressão. Em caso de suspeita de mau funcionamento, contate
seu concessionário. QUALQUER MODIFICAÇÃO ANULARÁ A GARANTIA.

Use os controles hidráulicos com cuidado, sem movimentos bruscos, para evitar acidentes causados​​por agitação do manipulador telescópico.
NOTA: Se necessário, use o volante para reinicializar o acumulador de controle da direção hidráulica.

A - Alavanca de controle de elevação e inclinação.


B - Alavanca de controle da extensão da lança teles-
cópica
D - Alavanca de controle do estabilizador esquerdo.
E - Alavanca de controle do estabilizador direito.
F - Alavanca de controle do corretor de inclinação.
G - Alavanca de controle do acessório.

ELEVAÇÃO DA CARGA
- Alavanca A para trás para elevar.
- Alavanca A para a frente para abaixar.
SEGURANÇA DE ELEVAÇÃO
• Sobre os pneus
- Elevação da lança é limitada em um ângulo de 67°.
• Sobre os estabilizadores
- Velocidade de elevação da lança é reduzida em um
ângulo de 67°.

INCLINAÇÃO DO SUPORTE DE CARGA


- Alavanca A para a esquerda para inclinar para trás.
- Alavanca A para a direita para inclinar para a frente.

EXTENSÃO DA LANÇA TELESCÓPICA


- Alavanca B para a frente para extender.
- Alavanca B para trás para retrair.

ESTABILIZADOR ESQUERDO
- Alavanca D para a frente para abaixar.
- Alavanca D para trás para elevar.

ESTABILIZADOR DIREITO
- Alavanca E para a frente para abaixar.
- Alavanca E para trás para elevar.
NOTA: Os estabilizadores só podem ser levantados após a lança telescópica ter sido completamente retraída.

CORRETOR DE INCLINAÇÃO
- Alavanca F para a esquerda quando a inclinação do manipulador telescópico for para o lado esquerdo.
- Alavanca F para a direita quando a inclinação do manipulador telescópico for para o lado direito.
NOTA: A inclinação pode ser corrigida até a altura do eixo da articulação do suporte de 3m50 do chão, com a lança retraída.

ACESSÓRIO
- Alavanca G para a frente ou para trás.

21 - FICHÁRIO DAS FUNÇÕES


Esse fichário contém a descrição dos controles hidráulicos e tabelas de cargas para os acessórios usados no manipulador telescópi-
co.
648930 BR (01/01/2017)

2-32
22 - CONTROLE DO AQUECEDOR
A - CONTROLE DO VENTILADOR DE AQUECIMENTO
Este controle de 2 velocidades regula o ar quente ou frio através dos ventiladores de aqueci-
mento.
Na posição 0, o ventilador está desligado.
Na posição 1, o sistema do ar condicionado funciona no mínimo.
Na posição 2, o ventilador está na velocidade máxima.

B - CONTROLE DA TEMPERATURA DE AQUECIMENTO


Permite regular a temperatura no interior da cabine.
Na posição 1, a válvula está fechada; o ventilador fornece ar fresco.
Na posição 2, a válvula está completamente aberta, o ventilador fornece ar quente.
As posições intermediárias permitem ajustar a temperatura.

23 - CONTROLES DO AR CONDICIONADO (OPCIONAL)


 ar condicionado só funciona se o manipulador telescópico estiver ligado. Ao utilizar o seu ar condiciona-
O
do, você deve trabalhar com as portas e os vidros fechados.
No Inverno: Para garantir o FUNCIONAMENTO correto e total eficiência do ar condicionado, acione o com-
pressor uma vez por semana, mesmo que apenas por um curto período, para assegurar a lubrificação das
vedações internas.
Em tempo frio: Aqueça o motor antes de ligar o compressor, para permitir que o líquido de arrefecimento
que foi recolhido no estado líquido no ponto mais baixo do circuito do compressor se transforme em gás
com o efeito do calor liberado pelo motor, pois o compressor é suscetível de ser danificado pelo líquido de
arrefecimento no estado líquido.
S e o ar condicionado parecer não estar funcionando corretamente, peça para o seu concessionário
examiná-lo (veja: 3 - MANUTENÇÃO: F - CADA 2000 HORAS DE SERVIÇO). Nunca tente reparar eventuais
problemas você mesmo.

C - CONTROLE DA TEMPERATURA DO AR CONDICIONADO


Este controle permite regular a temperatura no interior da cabine.
Na posição 0, o sistema do ar condicionado está desligado.
Na posição 1, o sistema do ar condicionado funciona no mínimo.
Na posição 2, o sistema do ar condicionado funciona no máximo.
As posições intermediárias permitem ajustar a temperatura.

NOTA: P
 erdas eventuais de água debaixo do manipulador telescópico são devido à descarga
dos condensadores, produzida pelo efeito desumidificador da instalação, sobretudo em
altas temperaturas externas e forte umidade relativa. Para um funcionamento eficaz do
ar condicionado, as entradas de ar não devem ser obstruídas por gelo, neve ou folhas.
Quando a instalação está em funcionamento, pelo menos uma das grelhas de ar da
cabine deve estar aberta para evitar qualquer risco de congelamento do evaporador.

MODO AR CONDICIONADO
Os controles devem estar ajustados da seguinte maneira:
A - Na posição desejada 1 ou 2.
B - Na posição 1 (válvula de aquecimento fechada).
648930 BR (01/01/2017)

C - Na temperatura desejada.

MODO DESEMBAÇADOR
Os controles devem estar regulados da seguinte maneira:
A - Na posição desejada 1 ou 2.
B - Na temperatura desejada.
C - Na temperatura desejada.
2-33
24 - ALETAS DE RECIRCULAÇÃO (OPCIONAL COM AR CONDICIONADO)

25 - ALETAS DO DESEMBAÇADOR DO PARABRISAS


Para uma máxima eficiência, feche as aletas de aquecimento.

26 - ALETAS DE AQUECIMENTO
Estas aletas de aquecimento permitem que o ar seja dirigido para o interior da cabine e para os vidros laterais.

27 - BOTÃO DE ABERTURA DO PAINEL DE ACESSO PARA ABASTECIMENTO DE FLUIDO HIDRÁULICO E COMBUSTÍVEL


- Pressione o botão para abrir a tampa.
- Pressione o painel para fechá-lo.

28 - TRAVA DA PORTA
Duas chaves são fornecidas com o manipulador telescópico para permitirem o travamento da cabine.

29 - BOTÃO DE TRAVAMENTO DA PORTA

30 - BOTÃO DE DESTRAVAMENTO DA PORTA

31 - MAÇANETA DE ABERTURA DO VIDRO TRASEIRO


SAÍDA DE EMERGÊNCIA
Utilize o vidro traseiro como saída de emergência, se for impossível sair da cabine pela porta.

32 - PORTA DOCUMENTOS
Verifique se o manual do operador está no seu lugar no porta documentos.
NOTA: Existe uma OPÇÃO com o porta documentos à prova d’água e uma OPÇÃO na caixa de ferramentas.

33 - LUZES DIANTEIRAS

A - Seta dianteira esquerda.


B - Farol baixo dianteiro esquerdo.
C - Farol alto dianteiro esquerdo.
D - Lanterna dianteira esquerda.
E - Seta dianteira direita.
F - Farol baixo dianteiro direito.
G - Farol alto dianteiro direito.
H - Lanterna dianteira direita.
648930 BR (01/01/2017)

2-34
34 - LUZES TRASEIRAS
A - Seta traseira esquerda
B - Luz de freio traseira esquerda
C - Lanterna esquerda
D - Luz de ré traseira esquerda
E - Lanterna de neblina traseira esquerda (OPCIO-
NAL)
F - Lanterna de neblina traseira direita (OPCIO-
NAL)
G - Luz de ré traseira direita
H - Lanterna direita
I - Luz de freio traseira direita
J - Seta traseira direita

35 - LUZ ESTROBOSCÓPICA (giroflex)


A luz estroboscópica é desmontável para permitir, por exemplo, reduzir o volume do
manipulador telescópico, ou evitar roubo.
- Desaperte a porca 1 e retire o estrobo.
- Proteja o suporte 2 com a tampa 3.

36 - INDICADOR DE NÍVEL
A - NÍVEL BOLHA
Permite ao operador verificar se o manipulador teles-
cópico está na posição horizontal.

B - INDICADOR DE INCLINAÇÃO
Quando as duas marcas estiverem alinhadas, indica
que o chassi está paralelo com o eixo dianteiro.

37 - INTERRUPTOR DO MANIPULADOR TELESCÓPICO/PLATAFORMA


0 - Utilizado na manutenção ou na plataforma a partir do painel de controle da cabine.
- Utilizado na plataforma a partir do painel de controle
- para salvamento (Veja: 2 - DESCRIÇÃO: UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA).
1 - Console de comando na plataforma.
Utilizado em manutenção a partir do console de comando.
648930 BR (01/01/2017)

2-35
38 - CONSOLE DE COMANDO
 uando o console de comando não estiver sendo utilizado, ele desliga automaticamente. Coloque-o sempre
Q
no local previsto, atrás do assento do operador.
A ntes da utilização do console de comando, verifique se cada função corresponde aos controles esperados
do manipulador telescópico. Se constatar alguma falha durante os testes ou um movimento diferente, pare
imediatamente o manipulador telescópico e proíba a sua utilização. Informe o seu supervisor sobre as condi-
ções do manipulador telescópico a fim de se corrigir a falha o mais rápido possível.
Os controles de segurança devem ser testados pelo menos uma vez por dia, antes do início do
trabalho e a cada troca de operador.
Veja: 2 - DESCRIÇÃO: UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA para o funcionamento do console de
comando.

39 - BOMBA MANUAL DE EMERGÊNCIA


Veja: 2 - DESCRIÇÃO: UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA

648930 BR (01/01/2017)

2-36
USO DO CESTO
PLAQUETA DA CABINE
1. Número de pessoas permetidas no cesto
2. Força máxima horizontal admitida
3. Carga máxima
4. Peso do equipamento
5. Velocidade máxima admitida do vento
6. Inclinação máxima admissível:
- longitudinal
- transversal
7. Carga máxima na ponta (capacidade)
8. Carga máxima no centro (capacidade)

PLAQUETA NO CESTO

A - ENGATE DO CESTO NO MANIPULADOR TELESCÓPICO


- Verifique se o gancho de engate está no lugar no suporte (fig. A1).
- Coloque o manipulador telescópico com a lança abaixada, em frente e paralelo ao cesto e
incline-a para a frente.
- Coloque o cesto debaixo do eixo de engate do cesto, levante ligeiramente a lança e incline o
cesto para trás posicionando-o.
- Eleve ao cesto do solo para facilitar o travamento.
- Prenda o gancho de engate sobre o suporte (fig. A1) e trave o acessório (fig. A2). Se ne-
cessário, solte o mecanismo de detecção de presença no cesto 1 (fig. A3) para facilitar a colo-
cação do gancho de engate. Não esqueça de colocar o pino (fig. A2).
- Levante o suporte do cesto 2 (fig. A4).
648930 BR (01/01/2017)

2-37
CONEXÃO HIDRÁULICA DO CESTO NO MANIPULADOR TELESCÓPICO

- Pare o motor e desligue o contato elétrico do manipulador telescópico.


- Elimine a pressão do circuito hidráulico de direcionamento do cesto.
- Conecte os tubos flexíveis hidráulicos 1 (fig. B1) de rotação do cesto na lança respeitando a
montagem dos dispositivos de segurança 2 (fig. B1).

Quando o console de comando não estiver sendo utilizado, ele desliga automaticamente. Guarde-o no local
previsto atrás do assento do operador.

NIVELAMENTO DO MANIPULADOR TELESCÓPICO


- Ligue o manipulador telescópico, levante o cesto cerca de 30 cm do solo e coloque-a
na posição de uso. Coloque o manipulador telescópico na sua área de trabalho, respei-
tando as instruções e procedimentos de segurança descritos no manual de operação do
manipulador telescópico.
- Coloque o seletor de marcha em ponto morto.
- Deixe o motor funcionar em ponto morto.
- Com a ajuda do corretor de inclinação, nivele o manipulador telescópico no sentido transversal e controle a horizontalidade
pela bolha do nível 1 (fig. C1).
- Coloque os dois estabilizadores apoiados ao solo.
- Levante as duas rodas dianteiras do manipulador telescópico.
- Ajuste para que o nível bolha esteja dentro dos limites (fig.C1) .

NIVELAMENTO DO CESTO
- Antes de fazer avançar o cesto, verifique e corrija a inclinação dianteira/traseira do cesto e coloque-a cerca de 30 cm do solo.

D - DESDOBRAMENTO DO CESTO

Procedimento de Abertura (Figura A)

Quando o console de comando não estiver sendo utilizado, ele desliga automaticamene. Coloque-o no local previsto atrás do assento do operador.

- Inicie com o cesto fechado(Fig.D, ponto 1).


- Retire a cavilha e o pino de travamento (Fig.D, ponto 2.1) [dois pinos para cada lado do cesto] e posicione-os no cesto (Fig.D,
ponto 3.1).
- Dobre os lados móveis (Fig.D, ponto 3 e 4) e prenda-os com os pinos e as cavilhas (Fig.D, ponto 5) [6 pinos e cavilhas para
cada lado do cesto].
- Destrave o tablado(Fig.D, ponto 5.1) e faça-o abaixar até a posição de trabalho (Fig.D, ponto 6).
- Verifique se os tablados estão bem travados pelas travas (Fig.D, ponto 6.2).
- O cesto está pronto para a utilização.

Procedimento de Fechamento (Figura A)


- Destrave os tablados soltando as travas (Fig.D, ponto 6.2).
- Volte a montar os tablados com a ajuda da manivela (Fig.D, ponto 6.3) e prenda-os na posição com a trava (Fig.D, ponto 5.1).
- Desmonte as cavilhas e os pinos (Fig.D, ponto 5).
- Volte a dobrar os lados móveis (Fig.D, ponto 3 e 4) depois trave-os no conjunto com a ajuda dos pinos e as cavilhas (Fig.D,
ponto 1.1).
648930 BR (01/01/2017)

2-38
2-39
648930 BR (01/01/2017)
E - UTILIZAÇÃO DO CONSOLE DE COMANDO (BOTOEIRA)
- Ao mudar o interruptor de utilização da CESTO/CAÇAMBA 1 (fig. E1) provocará a interrupção
do motor.
- Pegue o console na cabine e coloque-o no cesto (fig. E2).
- Passe o cabo pelos anéis 2 (fig. E3).
- Ligue o cabo 3 (fig. E4) do console no plugue 4 (fig. E4) da lança.
- Ligue o cabo de segurança 5 (fig. E5) no console, para a ativação de todos os indicadores
e com um som de bip de 1 segundo, confirme a conexão no console.
- Abra a alavanca levantando a trava 6 (fig. E6), force e trave a alavanca 7 (fig. E6), e depois
de travar a alavanca repouse-a na parte interna do cesto
- Monte no cesto.
- Feche de novo a alavanca e trave-a 6 (fig. E6) e libere a alavanca.
- Leia e respeite as instruções de segurança afixadas no cesto.
- Engate os chicotes de segurança nos anéis 9 (fig. E7)
- Antes de ligar o motor, assegure-se de que o botão de parada de emergência
10 (fig. E8) está desativado.
- Verifique-se o console está pronto para funcionar.

 urante a utilização do cesto e por medida de segurança, é OBRIGATÓRIO a presença de um supervisor no


D
solo.

648930 BR (01/01/2017)

2-40
FUNÇÕES DO CONSOLE DE COMANDO NO CESTO (BOTOEIRA)
-1. A CHAVE S-KEY LIGA O CONSOLE (Fig.E9)
Gire a chave para ligar o console.
Quando não utilizar o rádio comando, tire a chave S-KEY por questões de segurança.
2. LIGA O MOTOR (Fig.E9)
- Antes de ligar, é preciso levantar (puxar) o botão de PARADA DE EMERGÊNCIA.
- Acione o botão “3” e depois pressione o botão “2” para ligar o motor.
3. ALARME SONORO (Fig.E9)
Caso seja necessário, acione o alarme sonoro do manipulador telescópico.
4. INTERRUPTOR DE MOVIMENTOS (Fig.E9)
Cada posição (1 e 2) corresponde a um par de controles:
- Lança (1)
- Cesto (2)
5. ALAVANCA (JOYSTICK) MOVIMENTOS DA LANÇA E DO CESTO (Fig.E9)
Aciona a alavanca para controlar os movimentos desejados conforme apontam as setas coloridas.
6. ALAVANCA PARA MANOBRAS NO CESTO (Fig.E9)
Para obter os movimentos esta alavanca deve permanecer acionada na posição.
7. BOTÃO VERMELHO “PARADA DE EMERGÊNCIA” (Fig.E9)
Funções:
- Permite desligar o motor
- Em caso de perigo, permite ao operador na plataforma interromper os movimentos controlados a partir do manipulador telescópico.
- Para restabelecer os movimentos, gire o botão vermelho para a direita.
8. LUZES INDICADORAS (4 LED) (Fig.E9)
8.1 - LED verde (Fornece informações sobre o console)
Funções:
- Apagada: console desligado
- Ao piscar rapidamente: o console está ativado e a corrente elétrica está desligada
- Ao piscar lentamente: o console está ativado e a corrente elétrica está presente
8.2 - LED vermelho (Fornece informações sobre o console de comando)
Funções:
- Apagada: o console funciona corretamente
- Ao piscar: a carga da bateria está prestes a esgotar
- Acesa durante 2 segundos: o console não funciona corretamente
- Pisca 1 vez: ao ser ligada, o console detecta que o botão STOP está ativo ou avariado.
- Pisca 2 vezes: o console detecta que o comando SAFETY está ativo ou avariado
- Pisca 3 vezes: ao ser ligada, o console detecta que a bateria está descarregada
- Pisca 4 vezes: o console detecta que o comando de alarme está ativo ou avariado

648930 BR (01/01/2017)

2-41
8.3 - LED amarelo (Fornece informações sobre o manipulador telescópico e o cesto)
Funções:
Causa Estado do LED Efeito
Microinterrupção de corrente Luz intermitente+ aviso sonoro Todos os movimentos permitido
Paralisa movimentos perigosos (abaixa-
Risco de tombamento do manipulador mento da lança telescópica, extensão da
Luz fixa + aviso sonoro
telescópico lança telescópica, inclina o cesto para
baixo,)

8.4 - LED vermelha (Fornece informações sobre o manipulador telescópico e o cesto)


Funções:
Causa Estado do LED Efeito
Freio de estacionamento não engatado Luz fixa Paralisa todos os movimentos
Estabilizadores no solo Luz fixa Paralisa todos os movimentos
Eixo traseiro não bloqueado Luz fixa Paralisa todos os movimentos
Porta do cesto aberta Luz fixa Paralisa todos os movimentos
Acessório não travado com pino Luz fixa Paralisa todos os movimentos
Marcha engatada Luz fixa Paralisa todos os movimentos
Unidade MC2M aciona alarme Luz intermitente Paralisa todos os movimentos
Sem sinal CONF+ Luz intermitente+ aviso sonoro Paralisa todos os movimentos

9. Conectores para cabo de comando (Fig.E10)

648930 BR (01/01/2017)

2-42
INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA
INSTRUÇÕES PARA MANOBRAS DE EMERGÊNCIA
SE O MOTOR PARAR
Em caso do motor desligar devido a uma falha, a carga pode ser abaixada de volta ao solo
usando uma bomba de emergência manual.
Nesta condição para o resgate do cesto retraia e abaixe a lança telescópica.

Este procedimento de emergência deve ser feito exclusivamente com o motor desligado.

BOMBA DE EMERGÊNCIA MANUAL


O manipulador telescópico está equipado com uma bomba de emergência manual “1” (fig.
E12) para o resgate do cesto em caso de avaria do motor.

Proceda da seguinte forma.

CUIDADO: Primeiramente, faça com que a lança telescópica fique completamente retraída.
Depois abaixe a lança telescópica, mesmo com o motor desligado e o sistema de segurança
desativado, mas nada impede uma sobrecarga ou tombamento do manipulador telescópico.

Para o Controle de Retração da Lança Telescópica


- Pegue as duas alavancas “3” (fig.E12) e monte juntamente com a “4” (fig.E12),
- Insira a alavanca “4” (fig.E12) na bomba manual “1” (fig.E12),
- Comece bombeando manualmente para frente e para trás para retrair a lança telescópica e
mova o joystick na cabine “5” (fig.E12) para controlar o movimento de retração.
- Opere-a até que a lança telescópica fique totalmente retraída.

Para colocar o cesto no solo


- Inicie o bombeamento manual para frente e para trás para abaixar a lança telescópica
movendo o joystick na cabine “6” (fig.E12) para controlar o movimento.
- Opere a bomba manual até que a lança telescópica fique totalmente abaixada

648930 BR (01/01/2017)

2-43
2-44
648930 BR (01/01/2017)
PINO E GANCHO PARA REBOQUE
Localizado na parte traseira do manipulador telescópico, este dispositivo é usado para engatar um reboque. A capacidade é
limitada para cada manipulador telescópico em função do peso bruto permitido, do esforço de tração e da força vertical máxima
no ponto de engate. Estas informações estão indicadas na plaqueta do fabricante colocada em cada manipulador telescópico
(veja: 2 - DESCRIÇÃO: IDENTIFICAÇÃO DO MANIPULADOR TELESCÓPICO).
- Para usar como um reboque, consulte a regulamentação em vigor no seu país (velocidade máxima de circulação, frenagem,
peso
máximo do reboque, etc…).
- Verifique a condição do reboque antes de utilizá-lo (estado e pressão dos pneus, conexão elétrica, mangueira hidráulica,
sistema de freio, etc…).

Não utilize um reboque ou um acessório que não esteja em perfeitas condições de funcionamento. A utilização de um reboque em más condições pode
afetar a direção e a frenagem do manipulador telescópico e a segurança como um todo.

Se uma outra pessoa ajudar no acoplamento ou desacoplamento do reboque, esta pessoa deve estar sempre visível para o operador e aguardar até o
manipulador telescópico parar, o freio de estacionamento ser aplicado e o motor desligado antes de realizar a operação.

NOTA: Existe um espelho retrovisor OPCIONAL que permite uma aproximação mais
precisa do manipulador telescópico no reboque.

A - PINO PARA REBOQUE (PADRÃO)


ENGATANDO E DESENGATANDO O REBOQUE
- Para engatar o reboque, posicione o manipulador telescópico o mais próximo possível do
reboque.
- Aplique o freio de estacionamento e desligue o motor.
- Retire o contrapino 1, levante o pino do reboque 2 e coloque ou retire o reboque.

A tenção aos riscos de aperto ou de esmagamento nesta manobra.


Não se esqueça de recolocar o contrapino 1 de volta no lugar.
No desengate, assegure-se de que o reboque está apoiado de forma independente.

B - SOQUETE ELÉTRICO TRASEIRO (OPCIONAL)


Permite a alimentação elétrica de um reboque (veja: 2 - DESCRIÇÃO: PINO E GANCHO DE
ENGATE PARA REBOQUE) ou indicação na barra.
A - Indicador de direção lado esquerdo(Seta traseira esquerda).
C - Aterramento.
D - Indicador de direção lado direito(Seta traseira direita).
E - Lanterna direita.
F - Luzes de freio.
G - Lanterna esquerda.
648930 BR (01/01/2017)

2-45
DESCRIÇÃO E UTILIZAÇÃO DOS OPCIONAIS
1 - CORTE DA BATERIA

2 - PLACA DE LICENÇA

3 - ILUMINAÇÃO DA PLACA DE LICENÇA

4 - ELEMENTO DE PRÉ-AQUECIMENTO
Permite que o motor seja mantido aquecido durante longos períodos de paralisação e, portan-
to, melhora a partida do motor.

Características de alimentação do sistema de pré-aquecimento:


• Faixa nominal de potência: 220-240V; 50-60Hz
• Corrente consumida: 4,5A
• Equipamento classe 1
• Equipamento conectável somente em circuito alimentador TT ou TN
• Categoria de isolamento 2

Condições do ambiente de utilização:


• Temperatura ambiente máxima de utilização do pré-aquecimento: + 25° C
• Grau de poluição 2

Condições de conexão e de utilização do pré-aquecimento:


- O sistema de pré-aquecimento não deve ser utilizado a uma temperatura ambiente externa maior do que + 25°C.
- É essencial que a fonte de alimentação do sistema de pré-aquecimento seja:
• Feito com um cabo conforme as normas de instalação em vigor e contendo um cabo terra de proteção.
• Contenha um sistema de seccionamento apropriado.
• Integrado com um sistema de proteção contra os curto-circuitos (fusíveis ou disjuntores) adaptado e um disjuntor diferenciado com
sensibilidade de 30mA.
- A conexão e a desconexão da fonte de alimentação só devem ser feitas com a unidade e o motor desligados.
648930 BR (01/01/2017)

2-46
5 - SISTEMA ANTI-FURTO MODCOD
OPERAÇÃO
- Ligue o manipulador telescópico, o indicador vermelho 1 piscará.
- Digite o código de usuário seguido de “V” para validar; o indicador verde 2 acenderá.
- Dê partida no manipulador telescópico dentro dos próximos 60 segundos; caso contrário, o
sistema anti-furto será reativado e o indicador vermelho piscará.

NOTA:
- Se você errar ao digitar o código, pressione a tecla “A” para anular e volte a digitar o
código.
- Se você esperar mais de 5 segundos entre a digitação das teclas ou não completar a digita-
ção do código, o sistema anti-furto será reativado e o indicador vermelho piscará.

6 - SISTEMA ANTI-PARTIDA FINTRONIC


OPERAÇÃO
- Ligue o manipulador telescópico girando a chave preta A para o sentido da antena B (máximo
80 mm).
- Aguarde alguns segundos para o indicador vermelho C apagar, antes de dar a partida no
manipulador telescópico.

NOTA: Você pode reiniciar o manipulador telescópico dentro de 20 segundos após desligá-lo,
após este tempo, o sistema anti-partida será reativado e o indicador vermelho C piscará.

648930 BR (01/01/2017)

2-47
9 - ALIMENTAÇÃO ELÉTRICA DA LANÇA
Permite a utilização de uma função elétrica na extremidade da lança.

OPERAÇÃO
- Mantenha o botão 2 pressionado e mova a alavanca 3 para a frente ou para trás.

10 - DRENAGEM EXTERNA
Permite a conexão de um acessório cuja a drenagem externa é necessária.

11 - TRAVAMENTO DE ACESSÓRIO HIDRÁULICO


Permite travar o acessório no suporte de carga e a utilização de um acessório hidráulico pelo
mesmo circuito hidráulico.

TRAVAMENTO DO ACESSÓRIO
- Coloque a válvula 4 na posição A e mova a alavanca 1 para a frente para travar completa-
mente o acessório.
Depois do travamento do acessório, coloque a válvula 4 na posição B para evitar o destravamento acidental
do acessório.

DESTRAVAMENTO DO ACESSÓRIO
- Coloque a válvula 4 na posição A e mova a alavanca 1 para trás para destravar completa-
mente o acessório.

CONTROLE DO ACESSÓRIO HIDRÁULICO


- Coloque a válvula 4 na posição B e mova a alavanca 1 para a frente ou para trás.
648930 BR (01/01/2017)

2-48
12 - ELETROVÁLVULA NA PONTA DA LANÇA
Permite a utilização de duas funções hidráulicas no circuito do acessório.

P ara facilitar a ligação dos engates rápidos, descomprima o circuito hidráulico pressionando o botão
1 da eletroválvula.

CONTROLE DA LINHA DO ACESSÓRIO L1


- Mova a alavanca 3 para a frente ou para trás.

CONTROLE DA LINHA DO ACESSÓRIO L2


- Mantenha o botão 2 pressionado e mova a alavanca 3 para a frente ou para trás.

13 - ELETROVÁLVULA NA PONTA DA LANÇA + TRAVA DO ACESSÓRIO HIDRÁULICO


A adição destas duas opções na linha do acessório permite a utilização de duas funções
hidráulicas e do travamento do acessório no suporte de carga.

P ara facilitar a ligação dos engates rápidos, descomprima o circuito hidráulico pressionando o botão
1 da eletroválvula.

CONTROLE DA LINHA DO ACESSÓRIO L1


- Coloque a válvula 4 na posição B.
- Mova a alavanca 3 para a frente ou para trás.

CONTROLE DA LINHA DO ACESSÓRIO L2 + TRAVA DO ACESSÓRIO HIDRÁULICO


TRAVAMENTO DO ACESSÓRIO
- Coloque a válvula 4 na posição A.
- Mantenha o botão 2 pressionado e mova a alavanca 3 para a frente para travar o acessório e
para trás para destravar.

Depois do travamento do acessório, coloque a válvula 4 na posição B para evitar o destravamento acidental
do acessório.

ACESSÓRIO HIDRÁULICIO
- Coloque a válvula 4 na posição B.
- Mantenha o botão 2 pressionado e mova a alavanca 3 para a frente ou para trás.
648930 BR (01/01/2017)

2-49
14 - CORTE DOS MOVIMENTOS HIDRÁULICOS “AGRAVANTES”
A função de corte dos movimentos hidráulicos permite parar automaticamente os movimentos
perigosos da lança quando se aproximar do limite da estabilidade longitudinal. No entanto, a
estabilidade lateral pode reduzir o limite de carga na sua parte superior, e esta redução não é
detectada pelo dispositivo de alarme de estabilidade longitudinal.
O operador deve respeitar a tabela de carga do manipulador telescópico.

T odos os acessórios com carga suspensa (guincho, gancho, etc.) devem


OBRIGATORIAMENTE ser utilizados com umo manipulador telescópico equipado com corte dos movimentos
hidráulicos.

OPERAÇÃO
O interruptor A permite a utilização ou não do corte dos movimentos hidráulicos “AGRA-
VANTES”. Na partida do manipulador telescópico, o corte dos movimentos hidráulicos “AGRA-
VANTES” será automaticamente ativado.

COM CORTE DOS MOVIMENTOS HIDRÁULICOS “AGRAVANTES”: LUZ INDICADORA A1 APAGADA:


- A luz indicadora B4 indica que o manipulador telescópico atingiu o limite da estabilidade longitudinal autorizado e todos os movimen-
tos hidráulicos serão neutralizados.
- O alarme sonoro dispara ao mesmo tempo.
- Para reiniciar os movimentos hidráulicos, execute os movimentos hidráulicos desagravantes na seguinte ordem: retraia e levante a
lança.
NOTA: Quando a lança está retraída, a função de corte dos movimentos hidráulicos “AGRAVANTES” é desativada.

SEM CORTE DOS MOVIMENTOS HIDRÁULICOS “AGRAVANTES”: LUZ INDICADORA A1 ACESA:


- Para permitir a utilização com caçamba para trabalhos de descarga ou de escavação.
- Neste caso, somente o dispositivo de alarme de estabilidade longitudinal B informa o usuário
(veja: 2 - DESCRIÇÃO: 4 - DISPOSITIVO DE ALARME DE ESTABILIDADE LONGITUDINAL).

15 - ENGATE RÁPIDO NO CIRCUITO DO ACESSÓRIO

16 - FUNÇÃO DO CONTROLE HIDRÁULICO TRASEIRO COM EFEITO SIMPLES OU DUPLO


Permite a utilização de um gancho hidráulico traseiro ou de um reboque com basculamento
hidráulico.
- O controle hidráulico traseiro com efeito simples ou duplo, funciona com o controle hidráuli-
co do acessório adicional (veja o capítulo: 2 - DESCRIÇÃO: 20 - CONTROLES HIDRÁULICOS) de
acordo com a posição da torneira 1.
- Posição A: Controle hidráulico do acessório adicional na parte da frente do manipulador
telescópico.
- Posição B: Controle hidráulico do acessório adicional na parte traseira do manipulador teles-
cópico.
648930 BR (01/01/2017)

2-50
18 - SUPORTE DE CARGA SIMPLES COM DESLOCADOR LATERAL (TSDL)
Um suporte de carga simples com deslocador lateral (TSDL) só é compatível com os seguintes acessórios:
• suporte de carga com garfos flutuantes (TFF)
• suporte de carga com garfos inclinados (PFB)
• caçamba de carregamento (CBR)
• caçamba de concreto (BB, BBG)
• caçamba (GL)
• gancho e guincho (P, PT, PO, PC)
• guincho (H)
• cesto fixa, cesto giratório, cesto de carpinteiro
É proibida a utilização de qualquer outro acessório no TSDL.

No caso de utilização de uma caçamba de carregamento (CBR), o suporte de carga simples com deslocador
lateral deve ser OBRIGATORIAMENTE centralizado e não realizar nenhuma operação com deslocador lateral.

COM ENGATE NA PONTA DA LANÇA

SUPORTE SIMPLES COM DESLOCADOR LATERAL


- Coloque a válvula na posição B, e utilize o controle
hidráulico do acessório do manipulador telescópico.

ACESSÓRIO
- Coloque a válvula na posição A, e utilize o controle
hidráulico do acessório do manipulador telescópico.

COM ELETROVÁLVULA NA PONTA DA LANÇA

SUPORTE SIMPLES COM DESLOCADOR LATERAL


- Mova a alavanca para a frente ou para trás.

ACESSÓRIO
- Mantenha o botão 1 pressionado e mova a alavan-
ca para a frente ou para trás.

COM ELETROVÁLVULA NA PONTA DA LANÇA


+ TRAVAMENTO DO ACESSÓRIO HIDRÁULI-
CO

SUPORTE SIMPLES COM DESLOCADOR LATERAL


- Mova a alavanca para a frente ou para trás.

ACESSÓRIO
- Coloque a válvula na posição A, mantenha o botão
1 pressionado e mova a alavanca para a frente ou
para trás.

TRAVAMENTO DO ACESSÓRIO HIDRÁULICO


- Coloque a válvula na posição B, mantenha o botão
1 pressionado e mova a alavanca para a frente ou
para trás.
648930 BR (01/01/2017)

2-51
2-52
648930 BR (01/01/2017)
3 - MANUTENÇÃO

648930 BR (01/01/2017)

3-1
3-2
648930 BR (01/01/2017)
ÍNDICE

PEÇAS E EQUIPAMENTOS ORIGINAIS MANITOU3-4

LISTA DE VERIFICAÇÃO PARA COLOCAÇÃO EM FUNCIONAMENTO3-5

ELEMENTOS FILTRANTES E CORREIAS - MT-X 1841 S TURBO SÉRIE 3-E3 E MT-X 1440 SL TURBO SÉRIE 4-E33-6

ELEMENTOS FILTRANTES E CORREIAS 3-7

LUBRIFICANTES E COMBUSTÍVEL3-8

QUADRO DE MANUTENÇÃO3-10

A - DIARIAMENTE OU A CADA 10 HORAS DE SERVIÇO3-12

B - A CADA 50 HORAS DE SERVIÇO3-16

C - A CADA 250 HORAS DE SERVIÇO3-22

D - A CADA 500 HORAS DE SERVIÇO3-26

E - A CADA 1000 HORAS DE SERVIÇO3-30

F - A CADA 2000 HORAS DE SERVIÇO3-34

G - MANUTENÇÃO OCASIONAL3-36

H - PROCEDIMENTO PARA TROCA DA BATERIA3-44

648930 BR (01/01/2017)

3-3
PEÇAS DE REPOSIÇÃO E EQUIPAMENTOS ORIGINAIS MANITOU
A MANUTENÇÃO DAS NOSSAS EMPILHADEIRAS DEVE SER REALIZADA
COM PEÇAS ORIGINAIS MANITOU.

SE VOCÊ UTILIZAR PEÇAS QUE NÃO SEJAM ORIGINAIS MANITOU,

SEU RISCO - Legalmente - você responderá em caso de um acidente.

- Tecnicamente - gerar falha operacional ou reduzir a vida útil do manipulador telescópico.

O USO DE PEÇAS NÃO ORIGINAIS OU COMPONENTES NÃO APROVADOS PELO FABRICANTE,


SIGNIFICA A PERDA DO BENEFÍCIO DA GARANTIA CONTRATUAL.

UTILIZANDO PEÇAS ORIGINAIS MANITOU NAS OPERAÇÕES DE MANUTENÇÃO,

VOCÊ SE BENEFICIA Através da rede, que a MANITOU oferece ao cliente


DA EXPERIÊNCIA
- Know-how e competência.

- A garantia de alta qualidade do serviço realizado.

- Componentes originais para substituição.

- Ajuda com a manutenção preventiva.

- Ajuda eficiente com o diagnóstico.

- Melhorias devido à experiência.

- Treinamento do operador.

- Só a rede MANITOU tem conhecimento da concepção do manipulador telescópico e portanto, tem
a melhor capacidade técnica para fornecer a manutenção.

AS PEÇAS ORIGINAIS SÃO EXCLUSIVAMENTE DISTRIBUÍDAS PELA MANITOU E SEUS CONCESSIONÁRIOS.


A lista completa de concessionários está disponível no site www.manitou.com

648930 BR (01/01/2017)

3-4
LISTA DE VERIFICAÇÃO PARA FUNCIONAMENTO
0 = Correto 1 = Faltando 2 = Incorreto

100 MOTOR 108 ACESSÓRIOS


01 Filtro de ar 01 Montagem na máquina
02 Tanque de combustível 02 Acoplamentos hidráulicos
03 Linhas de combustível - Filtro CABINE/PROTETOR/CIRCUITO
109
04 Sistema de injeção ou carburação ELÉTRICO
05 Sistema de arrefecimento e radiador 01 Assento
06 Correias 02 Painel e rádio
07 Mangueiras Alarme sonoro e visual/sistema de
03
101 TRANSMISSÃO segurança
01 Sistema de inversão de direção 04 Aquecimento/ar condicionado
02 Alavanca de marchas 05 Limpador/lavador de parabrisas
03 Pedal de corte 06 Buzina
04 Embreagem 07 Alarme da marcha à ré
102 EIXOS/CAIXA DE MARCHAS 08 Faróis
01 Operação e vedação 09 Luzes adicionais
02 Ajuste dos batentes 10 Luz estroboscópica(giroflex)
103 CIRCUITO HIDRÁULICO/HIDROSTÁTICO 11 Bateria
01 Reservatório 110 RODAS
02 Bombas e acoplamentos 01 Aros
03 Aperto das conexões 02 Pneu/pressão
04 Cilindro(s) de elevação 111 PARAFUSOS
05 Cilindro(s) de inclinação 112 CHASSI E CARROCERIA
06 Cilindro(s) do acessório 113 PINTURA
07 Cilindro(s) da lança telescópica 114 OPERAÇÃO GERAL
08 Cilindro(s) de compensação 115 MANUAL DO OPERADOR
09 Cilindro(s) de direção 116 INSTRUÇÕES AOS CLIENTES
10 Válvula de controle
11 Válvula de contrabalanço
104 SISTEMA DE FREIO
Operação do freio de serviço e de
01
estacionamento
02 Nível do fluido de freio
105 LUBRIFICAÇÃO
CONJUNTO LANÇA/MANISCO-
106
PIC/MANIACCESS
01 Suporte e telescópio(s)
02 Estabilizador
03 Articulações
04 Suporte de carga
05 Garfos
107 CONJUNTO DA TORRE
01 Colunas fixas e móveis
02 Plataforma
03 Correntes
04 Rolamentos
05 Garfos
648930 BR (01/01/2017)

3-5
ELEMENTOS, FILTROS E CORREIAS

MOTOR
FILTRO DE ÓLEO DO MOTOR
CORREIA DO ALTERNADOR
Número da peça: 476954
Número da peça: 702974
a: 500 H

ELEMENTO DO FILTRO DE AR SECO


Número da peça: 563416 CORREIA DO VENTOINHA
Limpeza: 50 H* Número da peça: 257525
Troca: 500 H*
ELEMENTO DE SEGURANÇA DO FILTRO
CORREIA DO COMPRESSOR
DE AR SECO
(AR CONDICIONADO OPCIONAL)
Número da peça: 563415
Número da peça: 244237
Troca: 1000 H*

FILTRO DE COMBUSTÍVEL PRÉ-FILTRO CICLÔNICO


Número da peça: 605013 Número da peça: 224713
Troca: 500 H Limpeza: 10 H

PRÉ-FILTRO DE COMBUSTÍVEL
PRÉ-FILTRO AUTOLIMPANTE (OPCIONAL)
Número da peça: 706497
Número da peça: 226611
Troca: 500 H

PRÉ-FILTRO AUTOLIMPANTE (OPCIONAL)


Número da peça: 223510

*:  Esta periodicidade é dada apenas para informação (veja: 3 - MANUTENÇÃO: PROGRAMA DE MANUTENÇÃO) para
limpeza e troca.
TRANSMISSÃO
FILTRO DE ÓLEO DA CAIXA DE ENGRE-
NAGENS
Número da peça: 561749
Troca: 500 H

HIDRÁULICA
ELEMENTO DO FILTRO DE ÓLEO HIDRÁU- ELEMENTO DE SUCÇÃO DO TANQUE DE
LICO DE RETORNO ÓLEO HIDRÁULICO
Número da peça: 221174 (Qty: 2) Número da peça: 257603 (Qty: 2)
Troca: 500 H Limpeza: 1000 H
TAMPA DO FILTRO DO RESERVATÓRIO DE
ÓLEO HIDRÁULICO
Número da peça: 62415
Troca: 1000 H

CABINE
FILTRO DA VENTILAÇÃO DA CABINE (AR CONDI-
CIONADO OPCIONAL)
Número da peça: 552552
Limpeza: 50 H
Troca: 250 H
648930 BR (01/01/2017)

3-6
3-7
648930 BR (01/01/2017)
LUBRIFICANTES E COMBUSTÍVEL
UTILIZE OS LUBRIFICANTES E O COMBUSTÍVEL RECOMENDADOS:
- Ao completar, não misture os lubrificantes.
- Ao trocar, os lubrificantes MANITOU são os mais apropriados.
ANÁLISE DE DIAGNÓSTICO DE LUBRIFICANTES
Se um contrato de serviço ou manutenção foi firmado com o concessionário, uma análise de diagnóstico de lubrificantes para o
motor, transmissão e eixos pode ser solicitada dependendo do tempo de utilização.

MOTOR
PARTES A SEREM LUBRIFICADAS CAPACIDADE RECOMENDAÇÃO

MOTOR 11 Litros Óleo 15W40

Líquido de arrefecimento
(proteção - 25°)
CIRCUITO DE ARREFECIMENTO 18 Litros
Líquido de arrefecimento
(proteção - 30°)
TANQUE DE COMBUSTÍVEL 135 Litros Combustível diesel (*)

TRANSMISSÃO
PARTES A SEREM LUBRIFICADAS CAPACIDADE RECOMENDAÇÃO

Óleo Transmissão automática


CAIXA DE MARCHAS 18,6 Litros
S3 ATF MD3

Óleo Transmissão Mecânica


CAIXA DE MARCHAS ANGULAR 2,2 Litros
S3 AX 80W-90

Graxa MANITOU
JUNTA UNIVERSAL DA TRANSMISSÃO
Multi-uso AZUL

LANÇA
PARTES A SEREM LUBRIFICADAS RECOMENDAÇÃO
Graxa MANITOU
AMORTECEDORES DA LANÇA
Multi-uso PRETA

Graxa MANITOU
LUBRIFICAÇÃO DA LANÇA
Multi-uso AZUL
648930 BR (01/01/2017)

FREIO
PARTES A SEREM LUBRIFICADAS RECOMENDAÇÃO
Fluido de freio mineral
CIRCUITO DO FREIO
MTF 10W30

3-8
HIDRÁULICA
PARTES A SEREM LUBRIFICADAS CAPACIDADE RECOMENDAÇÃO

RESERVATÓRIO DE ÓLEO HIDRÁULICO 175 Litros Óleo Hidráulico V668

CABINE
PARTES A SEREM LUBRIFICADAS RECOMENDAÇÃO

Graxa MANITOU
PORTA DA CABINE
Multi-uso AZUL

Fluido do lavador de
RESERVATÓRIO DO LAVADOR DE PARABRISAS
parabrisas
EIXO DIANTEIRO
PARTES A SEREM LUBRIFICADAS CAPACIDADE RECOMENDAÇÃO

Óleo MANITOU
DIFERENCIAL DO EIXO DIANTEIRO
7,2 Litros Especial para freios imersos

Óleo MANITOU
REDUTORES DAS RODAS DIANTEIRAS SAE80W90
0,75 Litros
Transmissão mecânica

PIVOS DOS REDUTORES DAS RODAS DIANTEIRAS Graxa MANITOU


OSCILAÇÃO DO EIXO DIANTEIRO Multi-uso PRETA

EIXO TRASEIRO
PARTES A SEREM LUBRIFICADAS CAPACIDADE RECOMENDAÇÃO

Óleo SAE 80W90LS


DIFERENCIAL DO EIXO TRASEIRO
7,2 Litros Especial para freios imersos

Óleo MANITOU
DIFERENCIAL DE REDUÇÃO PARA
SAE80W90
FRENTE/PARA TRÁS 0,75 Litro
Transmissão mecânica

PIVOS DOS REDUTORES DAS RODAS TRASEIRAS Graxa MANITOU


OSCILAÇÃO DO EIXO TRASEIRO Multi-uso PRETA

CHASSI
PARTES A SEREM LUBRIFICADAS RECOMENDAÇÃO

CORRETOR DE INCLINAÇÃO
Graxa MANITOU
Multi-uso AZUL
ESTABILIZADORES
648930 BR (01/01/2017)

ACESSÓRIO
PARTES A SEREM LUBRIFICADAS RECOMENDAÇÃO

SUPORTE CARGA SIMPLES COM DESLOCADOR LATE- Graxa MANITOU


RAL (TSDL) (OPCIONAL) Multi-uso AZUL

3-9
QUADRO DE MANUTENÇÃO
(1): REVISÃO OBRIGATÓRIA DAS 500 HORAS OU 6 MESES
Esta revisão deve ser efetuada obrigatoriamente após 500 horas de operação ou dentro de 6 meses após a inicialização do manipulador teles-
cópico (o que ocorrer primeiro).

A CADA 1000 HORAS DE

A CADA 2000 HORAS DE

A CADA 4000 HORAS DE


10 HORAS DE SERVIÇO
A = AJUSTE, C = VERIFICAÇÃO, G = LUBRIFICAÇÃO, N

A CADA 250 HORAS DE

A CADA 500 HORAS DE


SERVIÇO OU 6 MESES
A CADA 50 HORAS DE

SERVIÇO OU 2 ANOS

OCASIONALMENTE
SERVIÇO OU 1 ANO
DIARIAMENTE OU

SERVIÇO

SERVIÇO

SERVIÇO
= LIMPEZA, PÁGINA

A CADA
P = SANGRIA, R = SUBSTITUIÇÃO, V = DRENAGEM (1)

MOTOR
Nível de óleo no motor 3-12 C C <<< <<< <<< <<< <<< <<<
Nível do líquido de arrefecimento 3-12 C C <<< <<< <<< <<< <<< <<<
Nível de combustível 3-12 C C <<< <<< <<< <<< <<< <<<
Pré-filtro de combustível 3-13 C C <<< <<< <<< <<< <<< <<<
Pré-filtro ciclônico 3-13 N N <<< <<< <<< <<< <<< <<<
Elemento do filtro de ar seco 3-16/27 R N <<< R <<< <<< <<<
Radiador 3-16 N N <<< <<< <<< <<< <<<
Núcleo do condensador (ar condicionado OPCIONAL) 3-16 C/N C/N <<< <<< <<< <<< <<<
Tensão da correia do ventoinha 3-22 C/A C/A <<< <<< <<< <<<
Tensão da correia do alternador/árvore de manivelas 3-22 C/A C/A <<< <<< <<< <<<
Tensão da correia do compressor (ar condicionado OPCIONAL) 3-23 C/A C/A <<< <<< <<< <<<
Óleo de motor 3-29 V V <<< <<< <<<
Filtro de óleo do motor 3-29 R R <<< <<< <<<
Pré-filtro de combustível 3-30 R R <<< <<< <<<
Filtro de combustível 3-30 R R <<< <<< <<<
Filtro do compressor Limpeza FIX (OPCIONAL) 3-32 R R <<< <<< <<<
Tanque de combustível 3-33 N <<< <<<
Elemento de segurança do filtro de ar seco 3-33 R <<< <<<
Coxins do motor C** <<< <<<
Relação do motor C** <<< <<<
Folgas das válvulas C** C** <<< <<<
Líquido de arrefecimento 3-40 V <<<
Radiador C** <<<
Bomba de água e termostato C** <<<
Alternador e motor de partida C** <<<
Turbocompressor C** <<<
Circuito de combustível 3-42 P
TRANSMISSÃO
Nível de óleo na caixa de marchas 3-13 C C <<< <<< <<< <<< <<< <<<
Junta universal da transmissão 3-17 G G <<< <<< <<< <<< G/C**
Nível de óleo na caixa de marchas angular 3-23 C C <<< <<< <<< <<<
Filtro de óleo da caixa de marchas 3-31 R R <<< <<< <<<
Óleo da caixa de marchas 3-36 V V <<< <<<
Filtro do cárter da caixa de marchas 3-36 N <<< <<<
Nível de óleo na caixa de marchas angular 3-36 V V <<< <<<
Coxins da caixa de marchas C** <<< <<<
Controles da caixa de marchas C** <<< <<<
Pressão da caixa de marchas C** <<<
Pressão do conversor C** <<<
PNEUS
Pressão dos pneus 3-13 C C <<< <<< <<< <<< <<< <<<
Torques de aperto das porcas das rodas 3-13 C C <<< <<< <<< <<< <<< <<<
Condição das rodas e dos pneus C** <<< <<<
Rodas 3-42 R
LANÇA
Calço da lança 3-14 G* <<< <<< <<< <<< <<< <<<
Lança 3-18/23 G G <<< <<< <<< <<< <<<
Desgaste dos calços da lança 3-26 N/G/C N/G/C
Condição da unidade da lança 3-38 C** <<< <<<
Rolamentos e anéis de articulação C** <<<
HIDRÁULICA
Nível do óleo hidráulico 3-19 C C <<< <<< <<< <<< <<<
Elemento do filtro de óleo hidráulico do retorno 3-31 R R <<< <<< <<<
Óleo hidráulico 3-35 V <<< <<<
Filtro de sucção para o reservatório de óleo hidráulico 3-35 N <<< <<<
Tampa do filtro do reservatório de óleo hidráulico 3-35 R <<< <<<
648930 BR (01/01/2017)

Velocidade dos movimentos hidráulicos C** <<< <<<


Filtro tubular da bomba hidráulica N** <<< <<<
Condição das mangueiras e tubos flexíveis C** <<< <<<
Condição dos cilindros (vazamentos, eixos) C** <<< <<<
Pressão do circuito hidráulico C** <<<
Saídas do circuito hidráulico C** <<<
Reservatório de óleo hidráulico N** <<<
3-10
DIARIAMENTE OU A CADA

A CADA 1000 HORAS DE

A CADA 2000 HORAS DE

A CADA 4000 HORAS DE


A = AJUSTE, C = VERIFICAÇÃO, G = LUBRIFICAÇÃO, N

10 HORAS DE SERVIÇO

A CADA 250 HORAS DE

A CADA 500 HORAS DE


SERVIÇO OU 6 MESES
A CADA 50 HORAS DE

SERVIÇO OU 2 ANOS
SERVIÇO OU 1 ANO

OCASIONALMENTE
SERVIÇO

SERVIÇO

SERVIÇO
= LIMPEZA, PÁGINA
P = SANGRIA, R = SUBSTITUIÇÃO, V = DRENAGEM (1)

FREIO
Nível do fluido de freio 3-19 C C <<< <<< <<< <<< <<<
Freio de estacionamento 3-24 A A <<< <<< <<< <<<
Mecanismo da alavanca do freio de estacionamento 3-31 G G <<< <<< <<<
Fluido de freio V** <<< <<<
Sistema de freio P** <<< <<<
Pressão do sistema de freio C** <<< <<<
Freio A** <<< <<<
DIREÇÃO
Direção C** <<<
Juntas da direção C**
CABINE
Nível do líquido do lavador de parabrisas 3-19 C C <<< <<< <<< <<< <<<
Porta da cabine 3-20 G G <<< <<< <<< <<< <<<
Filtro do ar condicionado (OPCIONAL) 3-20/24 R N R <<< <<< <<< <<<
Cinto de segurança 3-37 C <<< <<<
Condição dos retrovisores C** <<< <<<
Estrutura C** <<< <<<
Ar condicionado (OPCIONAL) 3-41 N/C <<<
SISTEMA ELÉTRICO
Dispositivo de alarme de estabilidade longitudinal C** <<< <<<
Condição dos chicotes e cabos C** <<< <<<
Luzes e indicadores C** <<< <<<
Indicadores de advertência C** <<< <<<
Faróis 3-43 A
EIXO DIANTEIRO
Pivôs redutores das rodas dianteiras 3-20 G G <<< <<< <<< <<< G/C**
Eixo dianteiro oscilante 3-20 G G <<< <<< <<< G/C**
Nível de óleo do diferencial do eixo dianteiro 3-24 C C <<< <<< <<< <<<
Nível de óleo dos redutores das rodas dianteiras 3-25 C C <<< <<< <<< <<<
Óleo do diferencial do eixo dianteiro 3-32 V V <<< <<< <<<
Óleo dos redutores das rodas dianteiras 3-37 V V <<< <<<
Desgaste dos discos de freio do eixo dianteiro C**
Junta universal dos redutores das rodas dianteiras C**
Folga dos redutores das rodas dianteiras C**
EIXO TRASEIRO
Pivôs redutores das rodas traseiras 3-20 G G <<< <<< <<< <<< G/C**
Eixo traseiro oscilante 3-20 G G <<< <<< <<< G/C**
Nível de óleo do diferencial do eixo traseiro 3-24 C C <<< <<< <<< <<<
Nível de óleo dos redutores das rodas traseiras 3-25 C C <<< <<< <<< <<<
Óleo do diferencial do eixo traseiro 3-29 V V <<< <<< <<<
Óleo dos redutores das rodas traseiras 3-33 V V <<< <<<
Desgaste dos discos de freio do eixo traseiro C**
Junta universal dos redutores das rodas traseiras C**
Folga dos redutores das rodas traseiras C**
CHASSI
Corretor de inclinação 3-21 G G <<< <<< <<< <<< <<<
Estabilizadores 3-21 G G <<< <<< <<< <<< <<<
Estrutura C** <<< <<<
Rolamentos e anéis de articulação C** <<<
ACESSÓRIOS
Suporte simples com deslocador lateral (TSDL) (OPCIONAL) 3-21 G G <<< <<< <<< <<< <<<
Desgaste dos garfos C** C** <<< <<< <<<
Suporte do acessório C** <<< <<<
Condição do acessório C** <<< <<<
MANIPULADOR TELESCÓPICO
Reboque do manipulador telescópico 3-37 XXX
Elevação do manipulador telescópico 3-37 XXX
Transporte do manipulador telescópico sobre uma plataforma 3-38 XXX
648930 BR (01/01/2017)

(*): A cada 10 horas durante as primeiras 50 horas, e depois a cada 250 horas.
(**): Consulte seu concessionário.

3-11
A - DIARIAMENTE OU A CADA 10 HORAS DE SERVIÇO

A1 - NÍVEL DE ÓLEO NO MOTOR


VERIFIQUE

Coloque o manipulador telescópico em local nivelado com o motor desligado, e aguarde o


óleo assentar-se no cárter.

- Abra o capô do motor.


- Remova a vareta 1 (fig. A1).
- Limpe a vareta e verifique o nível correto entre as duas marcas.
- Se necessário, adicione óleo (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFICANTES E com-
bustível) pelo bocal de abastecimento 2 (fig. A1).
- Verifique visualmente se não há vazamento ou infiltração de óleo no motor.

A2 - NÍVEL DE LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO


VERIFIQUE

Coloque o manipulador telescópico em local nivelado com o motor desligado, e aguarde o


motor esfriar.

- Abra o capô do motor.


- Verifique o nível correto no meio do indicador 1 (fig. A2).
- Se necessário, adicione líquido de arrefecimento (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFI-
CANTES E COMBUSTÍVEL).
- Gire lentamente a tampa do radiador 2 (fig. A2) até parar.
- Deixe a pressão e o vapor saírem.
- Pressione para baixo e gire a tampa para soltá-la.
- Adicione líquido de arrefecimento via bocal de abastecimento 3 (fig. A2) até o meio do
indicador 1 (fig. A2).
- Lubrifique levemente o bocal de abastecimento a fim de facilitar a colocação e a remoção da tampa do radiador.
- Verifique visualmente se não há vazamento no radiador e tubos.
Para evitar qualquer risco de projeção ou de queimaduras, espere o arrefecimento do motor antes de remover a tampa de abastecimento do circuito
de arrefecimento. Se o líquido de arrefecimento estiver muito quente, só adicione líquido de arrefecimento quente (80°C). Em caso de emergência, é
possível utilizar água como líquido de arrefecimento, depois troque o líquido de arrefecimento o mais rapidamente possível (veja: 3 - MANUTENÇÃO: F1
LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO).

A3 - NÍVEL DE COMBUSTÍVEL
VERIFIQUE

Mantenha o tanque de combustível cheio, para reduzir o máximo possível qualquer


condensação devido às condições atmosféricas.

- Abra o painel de acesso para o abastecimento com óleo hidráulico.


- Remova a tampa 1 (fig. A3).
- Abasteça o tanque com combustível limpo (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFICANTES
E COMBUSTÍVEL), filtrado através de um filtro ou um pano limpo e sem fiapos, através
do bocal de abastecimento 2 (fig. A3).
- Coloque a tampa 1 (fig. A3) de volta e feche o painel de acesso do abastecimento de
combustível.
- Verifique visualmente se não há vazamento no tanque e tubos.

 unca fume nem se aproxime com uma chama durante as operações de abastecimento ou quando o tanque estiver aberto. Nunca reabasteça
N
com o motor funcionando.

O tanque de combustível é desgaseificado através do bujão de abastecimento. Ao trocá-lo, use sempre uma peça original, com furo de des-
648930 BR (01/01/2017)

gaseificação.

3-12
A4 - PRÉ-FILTRO DE COMBUSTÍVEL
VERIFIQUE

- Abra o capô do motor.


- Verifique a presença de água no pré-filtro 1 (fig. A4) e esvazie-o, se necessário.
- Coloque um recipiente sob o bujão de drenagem 2 (fig. A4) e solte-o em duas a três
voltas.
- Deixe o combustível diesel fluir até ficar livre de impurezas e água.
- Aperte o bujão de drenagem.
- Pressurize o circuito com a bomba manual 3 (fig A4).

A5 - PRÉ-FILTRO CICLONICO
LIMPE

O intervalo de limpeza é dado como um guia, porém o pré-filtro deve ser esvaziado assim
que as impurezas alcançarem o nível MAXI no tanque.

- Desaperte a porca 1 (fig. A5), remova a tampa 2 (fig. A5) e esvazie o tanque.
- Limpe a unidade do pré-filtro com um pano limpo e seco e remonte a unidade.

 o limpar, tome cuidado para não deixar impurezas no filtro de ar seco.


A

A6 - NÍVEL DE ÓLEO DA CAIXA DE MARCHAS


VERIFIQUE

Coloque o manipulador telescópico em local nivelado com a lança levantada, o motor frio
e desligado. Realize a verificação depois de 5 minutos do desligamento do motor.

- Remova a tampa plástica 1 (fig. A6).


- Remova a vareta 2 (fig. A6).
- Limpe a vareta e verifique o nível correto entre as duas marcas MIN e MAX.
- Se necessário, adicione óleo (veja: 3 - MANUTENÇÃO: E3 - ÓLEO DA CAIXA DE MAR-
CHAS).
- Verifique visualmente se não há vazamento ou infiltração de óleo na transmissão.

A7 - PRESSÃO DOS PNEUS E TORQUES DE APERTO DAS PORCAS DAS RODAS


VERIFIQUE

- Verifique a condição dos pneus, detecte cortes, protuberâncias, desgaste, etc.


- Verifique os torques de aperto das porcas das rodas. O descumprimento desta instrução pode causar danos e ruptura dos
parafusos da roda e distorção das rodas.
Torques de aperto das porcas das rodas
• Pneus dianteiros: 630 N.m ± 15%
• Pneus traseiros: 630 N.m ± 15%
- Verifique e ajuste as pressões dos pneus se necessário (veja: 2 - DESCRIÇÃO: PNEUS DIANTEIROS E TRASEIROS).
 erifique se a mangueira de ar está corretamente conectada à válvula do pneu antes de inflar e mantenha todas as pessoas distantes durante a
V
calibragem. Respeite as pressões recomendadas dos pneus.
NOTA: Existe um conjunto de ferramentas de roda OPCIONAL.
648930 BR (01/01/2017)

3-13
A8 - LANÇA
LIMPE - LUBRIFIQUE

Realize a cada 10 horas durante as primeiras 50 horas de serviço, e depois uma vez a
250 horas.

 e o manipulador telescópico for utilizado em ambientes abrasivos (poeira, areia, carvão) use
S
verniz lubrificante. Consulte o seu concessionário.

- Estenda completamente a lança.


- Com a ajuda de um pincel, aplique uma camada de graxa (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFICANTES E COMBUSTÍVEL)
nos 4 lados do telescópio (fig. A8).
- Estenda a lança várias vezes, a fim de espalhar a camada de graxa uniformemente.
- Remova o excesso de graxa.

648930 BR (01/01/2017)

3-14
3-15
648930 BR (01/01/2017)
B - CADA 50 HORAS DE SERVIÇO
Realize as operações descritas anteriormente, bem como as seguintes operações.

B1 - ELEMENTO DO FILTRO DE AR SECO


​​
VERIFIQUE - LIMPE

Em caso de utilização em ambientes carregados de poeira, existem os elementos do pré-filtro (veja: 3 - MANUTENÇÃO: ELE-
MENTOS, FILTROS E CORREIAS). Além disso, a periodicidade de verificação e limpeza do elemento deve ser reduzida.
 e a luz indicadora de obstrução acender, esta operação deve ser efetuada o mais rapidamente possível (1 hora no máximo). O elemento não
S
deve ser limpo mais de sete vezes, após o qual deve ser trocado. Nunca utilize o manipulador telescópico sem filtro de ar ou com filtro de ar
danificado.
- Para a desmontagem e remontagem do elemento, veja: 3 - MANUTENÇÃO: D3 - ELEMENTO DO FILTRO DE AR ​​SECO.
- Limpe o elemento do filtro com um jato de ar comprimido (pressão máx. de 3 bar) dirigido de cima para baixo e de dentro para
fora a uma distância mínima de 30 mm da parede do elemento.
- A limpeza é concluída quando não houver mais poeira no elemento.
 espeite a distância de segurança de 30 mm entre o jato de ar e o elemento para evitar rasgá-lo ou furá-lo. O elemento não deve ser soprado
R
próximo da caixa do filtro de ar. Nunca limpe o elemento batendo-o contra uma superfície dura. Proteja os olhos durante esta operação.
- Limpe a superfície de vedação do elemento com um pano úmido, limpo e sem fiapos e lubrifique com um lubrificante de
silicone.
- Verifique visualmente a condição externa do filtro de ar e as suas montagens. Verifique a condição das mangueiras e suas
montagens.
 unca lave o elemento do filtro de ar seco. Nunca limpe, em nenhum caso, o elemento filtrante de segurança situado no interior do elemento
N
filtrante, substitua-o por um novo se estiver sujo ou danificado.

B2 - NÚCLEO DO RADIADOR
LIMPE

Em ambiente poluido, limpe o núcleo do radiador todos os dias. Não use jato d'água ou vapor de
alta pressão, pois isso pode danificar as aletas do condensador.
- Abra o capô do motor.
- Se necessário, limpe a grelha de sucção sobre o capô do motor.
- Utilizando um pano macio, limpe os núcleos do radiador para remover a maior quanti-
dade de sujeira possível.
- Limpe os núcleos com um jato de ar comprimido, orientado na mesma direção do fluxo
de ar de arrefecimento (fig. B2/1).
- Limpe com o ventilador funcionando para obter melhores resultados.

NOTA: Também é possível montar um defletor OPCIONAL e um ventilador auto-limpante.

B3 - NÚCLEO DO CONDENSADOR (AR CONDICIONADO OPCIONAL)


VERIFIQUE - LIMPE

Em ambiente poluido, limpe o núcleo do radiador todos os dias. Não use jato d'água ou vapor de
alta pressão, pois isso pode danificar as aletas do condensador.
- Verifique visualmente se o condensador (fig. B3) está limpo e limpe-o se necessário.
- Limpe o condensador usando um jato de ar comprimido orientado na mesma direção do
fluxo de ar.

NOTA: P
 ara melhorar a limpeza, execute esta operação com os ventiladores funcionando.
648930 BR (01/01/2017)

3-16
B4 - JUNTA UNIVERSAL DA TRANSMISSÃO (cardã)
LUBRIFIQUE

Limpe e lubrifique os seguintes pontos com graxa (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFI-


CANTES E COMBUSTÍVEL) e remova o excesso de graxa.

- Remova o painel de acesso 1 (fig. B4/1).

1 - Graxeiras da junta universal do motor/caixa de marchas angular (2 graxeiras)


(fig. B4/2).
2 - Graxeiras da junta universal da transmissão/eixo dianteiro (3 graxeiras)
(fig. B4/3).
3 - Graxeiras da junta universal da transmissão/eixo traseiro (3 graxeiras)
(fig. B4/4).

648930 BR (01/01/2017)

3-17
B5 - LANÇA
LUBRIFIQUE

Realize semanalmente, se o manipulador telescópico tiver sido utilizado durante menos


de 50 horas durante a semana.
 m caso de utilização prolongada em ambiente extremamente empoeirado ou oxidante, reduza
E
este
intervalo para 10 horas de trabalho ou todos os dias.

Limpe e lubrifique os seguintes pontos com graxa (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFI-


CANTES E COMBUSTÍVEL) e remova o excesso de graxa.

1 - Graxeiras do pino da lança (2 graxeiras) (fig. B5/1).


2 - Graxeiras do pino do suporte (2 graxeiras) (fig. B5/2).
3 - Graxeira do pino do cilindro de inclinação (1 graxeira) (fig. B5/3).
4 - Graxeira do pino da ponta do cilindro de inclinação (1 graxeira) (fig. B5/4).
5 - Graxeiras do pino do cilindro de elevação (2 graxeiras) (fig. B5/5).
6 - Graxeiras do pino da ponta do cilindro de elevação (2 graxeiras) (fig. B5/6).
7 - Graxeiras do pino do cilindro de compensação (2 graxeiras) (fig. B5/7).
8 - Graxeiras do pino da ponta do cilindro de compensação (2 graxeiras)
(fig. B5/8).

648930 BR (01/01/2017)

3-18
B6 - NÍVEL DO ÓLEO HIDRÁULICO
VERIFIQUE

Coloque o manipulador telescópico em local nivelado com o motor desligado, e a lança


retraída e abaixada o máximo possível.

- Veja o indicador 1 (fig. B6).


- O nível de óleo está correto quando está no nível do ponto vermelho.
- Se necessário, adicione óleo (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFICANTES E COM-
BUSTÍVEL).
- Abra o painel de acesso para o abastecimento de óleo hidráulico.
- Remova a tampa 2 (fig. B6).
- Adicione óleo pelo bocal de abastecimento 3 (fig. B6).

 se um recipiente e um funil e limpe a parte debaixo do tambor de óleo antes de abastecer.


U
- Recoloque a tampa e feche o painel de acesso para o abastecimento de óleo hidráulico.
- Verifique visualmente se não há vazamento no reservatório e nos tubos.

Sempre mantenha o nível do óleo no máximo, pois o arrefecimento é obtido pela passa-
gem do óleo no reservatório.

B7 - NÍVEL DO FLUIDO DE FREIO


VERIFIQUE

Coloque o manipulador telescópico em local nivelado.

- Desaperte o parafuso 1 (fig. B7) e remova o painel de acesso do reservatório de fluido


de freio 2 (fig. B7).
- O nível de fluido está correto quando está no nível MAXI no reservatório.
- Se necessário, adicione fluido (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFICANTES E COM-
BUSTÍVEL) pelo bocal de abastecimento 3 (fig. B7).
- Verifique visualmente se não há vazamento no reservatório e nos tubos.

Se o nível de fluido de freio estiver anormalmente baixo, consulte o seu concessionário.

B8 - NÍVEL DO LÍQUIDO DO LAVADOR DO PARABRISAS


VERIFIQUE

- Remova a tampa de abastecimento 1 (fig. B8).


- Verifique visualmente o nível.
- Se necessário, adicione líquido no lavador do parabrisas (veja: 3 - MANUTENÇÃO:
LUBRIFICANTES E COMBUSTÍVEL) pelo bocal de abastecimento 2 (fig. B8). 648930 BR (01/01/2017)

3-19
B9 - PORTA DA CABINE
LUBRIFIQUE

Limpe e lubrifique os pontos 1 (4 graxeiras) (fig. B9) com graxa (veja: 3 - MANUTENÇÃO:
LUBRIFICANTES E COMBUSTÍVEL) e remova o excesso de graxa.

B10 - FILTRO DO AR CONDICIONADO


​​ (OPCIONAL)
LUBRIFIQUE

- Levante a carcaça de proteção 1 (fig. B10).


- Retire o filtro do ar condicionado da cabine 2 (fig. B10).
- Limpe o filtro com jato de ar comprimido.
- Verifique a sua condição e troque se necessário (veja: 3 - MANUTENÇÃO: ELEMEN-
TOS, FILTROS E CORREIAS).
- Recoloque o filtro e a carcaça de proteção.

B11 - PIVÔS DOS REDUTORES DAS RODAS DIANTEIRAS E TRASEIRAS


LUBRIFIQUE

Limpe e lubrifique os pontos 1 (8 graxeiras) (fig. B11) com graxa (veja: 3 - MANUTEN-
ÇÃO: LUBRIFICANTES E COMBUSTÍVEL) e remova o excesso de graxa.

B12 - EIXO DIANTEIRO OSCILANTE


LUBRIFIQUE

Limpe e lubrifique os pontos 1 (2 graxeiras) (fig. B12) com graxa (veja: 3 - MANUTEN-
ÇÃO: LUBRIFICANTES E COMBUSTÍVEL) e remova o excesso de graxa.

B13 - EIXO TRASEIRO OSCILANTE


LUBRIFIQUE

Limpe e lubrifique os pontos 1 (2 graxeiras) (fig. B13) com graxa (veja: 3 - MANUTEN-
ÇÃO: LUBRIFICANTES E COMBUSTÍVEL) e remova o excesso de graxa.
648930 BR (01/01/2017)

3-20
B14 - CORRETOR DE INCLINAÇÃO
LUBRIFIQUE

Limpe e lubrifique os seguintes pontos com graxa (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFI-


CANTES E COMBUSTÍVEL) e remova o excesso de graxa.

1 - Graxeira do pino do cilindro corretor de inclinação (1 graxeira) (fig. B14).


2 - Graxeira do pino da ponta do cilindro corretor de inclinação (1 graxeira) (fig.
B14).

B15 - ESTABILIZADORES
LUBRIFIQUE

Limpe e lubrifique os seguintes pontos com graxa (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFI-


CANTES E COMBUSTÍVEL) e remova o excesso de graxa.

1 - Graxeiras do pino do cilindro do estabilizador (2 graxeiras) (fig. B15).


2 - Graxeiras do pino da ponta do cilindro do estabilizador (2 graxeiras) (fig.
B15).
3 - Graxeiras do pino do estabilizador (2 graxeiras) (fig. B15).

B16 - SUPORTE SIMPLES COM DE DESLOCADOR LATERAL (OPCIONAL)


LUBRIFIQUE

Realize semanalmente, se o manipulador telescópico tiver sido utilizado durante menos


de 50 horas durante a semana.
 m caso de utilização prolongada em ambiente extremamente empoeirado ou oxidante, reduza
E
este intervalo para 10 horas de trabalho ou todos os dias.
Limpe e lubrifique os seguintes pontos com graxa (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFI-
CANTES E COMBUSTÍVEL) e remova o excesso de graxa.

1 - Graxeiras das placas de desgaste (8 graxeiras) (fig. B16).

648930 BR (01/01/2017)

3-21
C - A CADA 250 HORAS DE SERVIÇO
Realize as operações descritas anteriormente, bem como as seguintes operações.

C1 - TENSÃO DA CORREIA DA VENTOINHA


VERIFIQUE - AJUSTE

- Abra o capô do motor.


- Verifique a existência de sinais de desgaste e fissuras na correia e, se necessário, subs-
titua (veja: 3 - MANUTENÇÃO: ELEMENTOS, FILTROS E CORREIAS).
- Solte o parafuso 1 (fig. C1/1) na polia de tensão.
- Solte a contraporca 2 (fig. C1/1 e C1/2) e o parafuso 3 (fig. C1/1 e C1/2).
- Aperte o parafuso 2 (fig. C1/1 e C1/2) até que a correia fique o mais próxima possível da
ranhura da polia 4 (fig. C1/1).
- Faça uma marca na cabeça do parafuso 3 (fig. C1/1 e C1/2) e aperte, girando 5 vezes.
- Aperte a contraporca 2 (fig. C1/1 e C1/2).
- Reaperte o parafuso 1 (fig. C1/1) na polia de tensão.
 o trocar a correia da ventoinha, aperte o parafuso 3 (fig. C1/1 e C1/2) uma volta e meia, permitin-
A
do que o motor funcione por 30 minutos.

C2 -TENSÃO DA CORREIA DO ALTERNADOR/ÁRVORE DE MANIVELAS


VERIFIQUE - AJUSTE

-Abra o capô do motor.


- Solte o parafuso de fixação 1 (fig. C2/1).
- Remova a carcaça protetora 2 (fig. C2/1).
- Verifique a existência de sinais de desgaste e fissuras na correia e, se necessário, subs-
titua (veja: 3 - MANUTENÇÃO: ELEMENTOS, FILTROS E CORREIAS).
- Verifique a tensão da correia entre as polias da árvore de manivelas e do alternador.
- Sob uma pressão normal exercida com o polegar (45 N), a correia deve mover-se
aproximadamente 10 mm.
- Realize os ajustes, se necessário.
- Solte o parafuso 3 (fig. C2/2) duas ou três voltas.
- Gire o conjunto do alternador de modo a obter a tensão necessária da correia.
- Reaperte o parafuso 3 (fig. C2/2) (torque de aperto de 22 N.m).
- Recoloque a carcaça protetora 2 (fig. C2/1).

 e a correia do alternador tiver que ser trocada, verifique novamente a tensão após as primeiras
S
20 horas de operação.
648930 BR (01/01/2017)

3-22
C3 -TENSÃO DA CORREIA DO COMPRESSOR (AR CONDICIONADO OP-
CIONAL)
VERIFIQUE - AJUSTE

- Abra o capô do motor.


- Solte o parafuso de fixação 1 (fig. C3/1).
- Remova a carcaça protetora 2 (fig. C3/1).
- Verifique a existência de sinais de desgaste e fissuras na correia e, se necessário,
substitua (veja: 3 - MANUTENÇÃO: ELEMENTOS, FILTROS E CORREIAS).
- Verifique a tensão da correia entre as polias da árvore de manivelas e do compressor.
- Sob uma pressão normal exercida com o polegar (45 N), a correia deve mover-se
aproximadamente 10 mm.
- Realize os ajustes, se necessário.
- Solte o parafuso 3 (fig. C3/2) duas ou três voltas.
- Gire o conjunto do compressor de modo a obter a tensão necessária da correia.
- Reaperte o parafuso 3 (fig. C3/2).
- Recoloque a carcaça protetora 2 (fig. C3/1).

 e a correia do compressor tiver que ser trocada, verifique novamente a tensão após as primeiras
S
20 horas de operação.

C4 - NÍVEL DA CAIXA DE MARCHAS ANGULAR


VERIFIQUE

Coloque o manipulador telescópico em local nivelado com o motor desligado, e a lança


levantada.

- Remova a tampa plástica 1 (fig. C4).


- Remova o bujão de nível 2 (fig. C4).
- Limpe a vareta e verifique o nível correto entre as marcas MINI e MAX.
- Se necessário, adicione óleo pelo bocal de abastecimento 3 (fig. C4) (veja: 3 - MANU-
TENÇÃO: LUBRIFICANTE E COMBUSTÍVEL).

648930 BR (01/01/2017)

3-23
C5 - FREIO DE ESTACIONAMENTO
VERIFIQUE - AJUSTE

Coloque o manipulador telescópico numa inclinação inferior a 15% com a carga nominal
na posição de transporte.
- Verifique a frenagem colocando o freio de estacionamento na posição A (fig. C5/1).
- O ajuste está correto quando o manipulador telescópico continuar parado em um de-
clive.
- Realize os ajustes, se necessário.

AJUSTE DO CABO DO FREIO DE ESTACIONAMENTO NO EIXO DIANTEIRO


- Pressione e solte o pedal do freio, depois coloque o freio de estacionamento na posição B
(fig. C5/1).
- Remova a tampa 1 (fig. C5/2).
- Solte a porca 2 (fig. C5/3).
- Ajuste o cabo apertando ou soltando as porcas 2 (fig. C5/3) para obter uma folga de 1,5
mm entre os cames 3 (fig. C5/3) e limitadores 4 (fig. C5/3).

A regulagem dos limitadores feita pelo fabricante nunca deve ser alterada.

AJUSTE DO FREIO DE ESTACIONAMENTO


- Coloque o freio de estacionamento na posição B (fig. C5/1).
- Aperte progressivamente a extremidade da alavanca 5 (fig. C5/1) e verifique novamente
a frenagem.
- Repita a operação até obter o ajuste de frenagem correto.

C6 – FILTRO DO AR CONDICIONADO
​​ (OPCIONAL)
SUBSTITUA

- Levante a carcaça de proteção 1 (fig. C6).


- Remova o filtro do ar condicionado 2 (fig. C6) e substitua pelo novo filtro (veja: 3 -
MANUTENÇÃO: ELEMENTOS, FILTROS E CORREIAS).
- Recoloque a carcaça protetora.

C7 – NÍVEL DO ÓLEO DO DIFERENCIAL DO EIXO DIANTEIRO E TRASEIRO


VERIFIQUE

Coloque o manipulador telescópico em local nivelado com o motor desligado.


648930 BR (01/01/2017)

- Remova o bujão de nível 1 (fig. C7). O óleo deve ficar nivelado com a borda do furo.
- Se necessário, adicione óleo (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFICANTES E COM-
BUSTÍVEL) pelo
bocal de abastecimento 2 (fig. C7).
- Substitua e aperte o bujão de nível 1 (fig. C7) (torque de aperto de 34 a 49 N.m).

3-24
C8 - NÍVEL DE ÓLEO DOS REDUTORES DAS RODAS DIANTEIRAS E TRASEI-
RAS
VERIFIQUE

Coloque o manipulador telescópico em local nivelado com o motor desligado.

- Verifique o nível em cada redutor das rodas dianteiras.


- Coloque o bujão de nível 1 (fig. C8) na posição horizontal.
- Remova o bujão de nível, o óleo deve ficar nivelado com a borda do orifício.
- Se necessário, adicione óleo (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFICANTES E COM-
BUSTÍVEL) pelo mesmo orifício.
- Recoloque e aperte o bujão de nível 1 (fig. C8) (torque de aperto de 34 a 49 N.m).
- Repita esta operação em cada redutor das rodas traseiras.

C9 - CORRENTES EXTERNAS DA LANÇA


LIMPE - LUBRIFIQUE - VERIFIQUE

Essas verificações são importantes para o bom funcionamento da lança. Em caso


de falhas técnicas, consulte o seu concessionário.

LIMPE E LUBRIFIQUE
- Coloque o manipulador telescópico nos seus estabilizadores, com a lança
na horizontal.
- Estenda completamente os telescópios.
- Proteja a parte inferior dos telescópios.
- Limpe as correntes externas da lança 1 com um pano limpo e examine de
perto para detectar quaisquer sinais de desgaste.
- Escove vigorosamente as correntes para se livrar de qualquer matéria
estranha, com uma escova de nylon duro e combustível diesel limpo.
- Limpe as correntes por meio de um pincel impregnado com combustível
diesel limpo e seque-as com jato de ar comprimido.
- Lubrifique ligeiramente as correntes (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFICANTES E COMBUSTÍVEL), e realize vários movi-
mentos telescópicos para verificar o comportamento das correntes.

VERIFIQUE A TENSÃO
- Estenda completamente os telescópios, em seguida, retraia a lança 200
mm.
- No centro dos dois telescópios (T1) e (T2), use uma régua para medir
a distância perpendicular entre a parte superior do telescópio e a parte infe-
rior da corrente, esta distância deve ser idêntica para ambas as correntes.

Telescópio (T1): entre 117 mm e 97 mm


Telescópio (T2): entre 85 mm e 65 mm
648930 BR (01/01/2017)

3-25
D - A CADA 500 HORAS DE SERVIÇO
OPERAÇÃO DE INSPEÇÃO DO MANIPULADOR TELESCÓPICO
A fim de minimizar o tempo de inatividade ou falha crítica do manipulador telescópico, as inspeções e verificações a seguir
devem ser realizadas regularmente.
O intervalo entre as inspeções ou verificações depende de alguns fatores:
- Condições de funcionamento do manipulador telescópico (condições ambientais do local de trabalho),
- Severidade da aplicação (carga pesada e ciclos de trabalho)
- Idade do manipulador telescópico
- Percursos longos por estradas.
As partes a serem inspecionadas ou verificadas são:
- Chassis do manipulador telescópico;
- Lança;
- Cabine;
- Suportes axiais e eixos;
- Suportes dos motores;
- Estabilizadores.
Em cada parte, inspecione todos as junções soldadas e os pontos de fixação.
Em caso de detecção de danos em alguma peça ou componente, contate o concessionário.
Em caso do manipulador telescópico ter sofrido qualquer acidente ou a cada 500 horas de trabalho, a Manitou sugere a inspe-
ção das partes acima citadas.
Serão necessárias inspeções mais frequentes para os manipuladores telescópicos antigos e aqueles utilizados em aplicações
particularmente severas.

648930 BR (01/01/2017)

3-26
D1 - ÓLEO DE MOTOR
DRENE
D2 - FILTRO DE ÓLEO DO MOTOR
SUBSTITUA

Coloque o manipulador telescópico em local nivelado com o motor funcionando em ponto


morto por alguns minutos, então desligue o motor.

DRENAGEM DO ÓLEO
- Abra o capô do motor.
- Remova o painel de acesso 1 (fig. D1/1).
- Coloque um recipiente sob o bujão de drenagem 2 (fig. D1/2) e solte-o 3 (fig. D1/3).
- Segure a mangueira de drenagem 4 (fig. D1/4).
- Coloque a extremidade da mangueira de drenagem no recipiente e solte completamente
a união na entrada de drenagem 5 (fig. D1/5).
- Remova a tampa de abastecimento 6 (fig. D1/6) para garantir que o óleo seja drenado
adequadamente.

Elimine o óleo drenado de forma ecológica.

SUBSTITUIÇÃO DO FILTRO
- Remova o filtro de óleo do motor 7 (fig. D1/3); descarte o filtro e a vedação do filtro.
- Limpe o suporte do filtro com um pano limpo e sem fiapos.
- Lubrifique ligeiramente a nova vedação do filtro de óleo e recoloque o filtro de óleo (veja:
3 - MANUTENÇÃO: ELEMENTOS, FILTROS E CORREIAS) no seu suporte.

 perte o filtro de óleo apenas com a mão e trave-o com um quarto de volta.
A

ABASTECIMENTO DE ÓLEO
- Solte, limpe e recoloque a mangueira de drenagem 4 (fig. D1/4).
- Recoloque e aperte o bujão de drenagem 3 (fig. D1/3).
- Recoloque o painel de acesso 1 (fig. D1/1).
- Abasteça com óleo (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFICANTES E COMBUSTÍVEL)
através do bocal de abastecimento 8 (fig. D1/6).
- Aguarde alguns minutos para permitir que o óleo flua para dentro do cárter.
- Ligue o motor e deixe-o funcionando por alguns minutos.
- Verifique possíveis vazamentos no bujão de drenagem e no filtro de óleo.
- Desligue o motor, aguarde alguns minutos e verifique o nível entre os dois entalhes da
vareta 9 (fig. D1/6).
- Complete o nível, se necessário.

648930 BR (01/01/2017)

3-27
D3 - ELEMENTO DO FILTRO DE AR SECO
​​
SUBSTITUA

Em caso de utilização em ambiente extremamente empoeirado, existe o elemento de


pré-filtro, veja: 3 - MANUTENÇÃO: ELEMENTOS, FILTROS E CORREIAS. Além disso, a
periodicidade de verificação e limpeza do elemento deve ser reduzida (até 250 horas em
um ambiente extremamente empoeirado e com pré-filtro).
T roque o elemento num local limpo e com o motor desligado. Nunca opere o manipulador teles-
cópico com o filtro de ar removido ou danificado.
-Abra o capô do motor.
- Solte os parafusos e remova a tampa 1 (fig. D3).
- Remova cuidadosamente o elemento 2 (fig. D3), tendo cuidado para não derramar a
poeira.
- Deixe o elemento de segurança no lugar.
- As seguintes peças devem ser limpas com um pano úmido, limpo e sem fiapos.
• O interior do filtro e da tampa.
• O interior da mangueira de entrada do filtro.
• As superfícies da junta no filtro e na tampa.
- Verifique os tubos e conexões entre o filtro de ar e o motor e a conexão e a condição do indicador de obstrução no filtro.
- Antes da montagem verifique a condição do novo elemento (veja: 3 - MANUTENÇÃO: ELEMENTOS, FILTROS E COR-
REIAS).
- Introduza o elemento no eixo do filtro e empurre-o, pressionando as bordas e não o meio.
- Remonte a tampa, guiando a válvula para baixo.

D4 – PRÉ-FILTRO DE COMBUSTÍVEL
SUBSTITUA
 ertifique que o contato elétrico no manipulador telescópico está cortado, caso contrário o com-
C
bustível será liberado se a bomba de elevação estiver ligada.
-Abra o capô do motor.
- Limpe cuidadosamente o exterior do filtro e do respectivo suporte, para evitar que o pó
entre no sistema.
- Coloque um recipiente sob o pré-filtro e drene-o usando o bujão de drenagem 1 (fig.
D4).
- Remova o parafuso de sangria 2 (fig. D4) para garantir que o óleo seja drenado adequa-
damente.
- Desaperte o parafuso de travamento 3 (fig. D4).
- Remova a carcaça 4 (fig. D4) e descarte o elemento 5 (fig. D4) bem como os retentores
do elemento.
- Limpe o interior do pré-filtro e da carcaça, usando uma escova imersa em óleo diesel
limpo.
- Remonte o conjunto com um novo pré-filtro e novos retentores (veja: 3 - MANUTEN-
ÇÃO: ELEMENTOS, FILTROS E CORREIAS).

D5 – FILTRO DE COMBUSTÍVEL
SUBSTITUA
 ertifique que o contato elétrico no manipulador telescópico está cortado, caso contrário o com-
C
bustível será liberado se a bomba de elevação estiver ligada.
-Abra o capô do motor.
- Limpe cuidadosamente o exterior do filtro e do respectivo suporte, para evitar que o pó
entre no sistema.
- Coloque um recipiente sob o filtro e drene-o usando o bujão de drenagem 1 (fig. D5/1).
- Solte o corpo do filtro 2 (fig. D5/1).
- Remova o elemento do filtro pressionando-o 3 (fig. D5/2) para baixo contra a pressão da
mola e gire-o para a esquerda para extraí-lo.
- Insira um novo elemento (veja: 3 - MANUTENÇÃO: ELEMENTOS, FILTROS E COR-
REIAS), pressionando-o 3 (fig. D5/2) para baixo contra a pressão da mola e gire-o para
a direita para travá-lo no corpo do filtro.
- Coloque o novo retentor 4 (fig. D5/2) no corpo do filtro e lubrifique ligeiramente a superfí-
cie de contato com óleo de motor limpo.
648930 BR (01/01/2017)

- Recoloque o corpo do filtro no respectivo suporte, aperte-o com a mão e trave-o com um
quarto de volta.
- Feche o bujão de drenagem 1 (fig. D5/1) e remova o recipiente.
- Antes de ligar o motor, deixe a ignição ligada por três minutos no manipulador telescópi-
co, para dar tempo da bomba de elevação liberar o ar do filtro.
- Ligue o motor e verifique se não há vazamento.

3-28
D6 - FILTRO DE ÓLEO DA CAIXA DE MARCHAS
SUBSTITUA

- Remova a tampa 1 (fig. D6/1).


- Solte e descarte o filtro de óleo da caixa de marchas 2 (fig. D6/2).
- Limpe cuidadosamente o filtro com um pano limpo e sem fiapos.
- Lubrifique ligeiramente o novo retentor e monte-o no filtro.
- Encha o novo filtro de óleo da caixa de marchas (veja: 3 - MANUTENÇÃO: ELEMEN-
TOS, FILTROS E CORREIAS) com óleo (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFICANTES E
COMBUSTÍVEL).
- Recoloque o filtro, certificando-se de que o retentor está corretamente posicionado e
apertado.

 perte o filtro de óleo da caixa de marchas apenas com a mão e trave-o com um quarto de volta.
A
- Recoloque a tampa 1 (fig. D6/1).

D7 – ELEMENTO DO FILTRO DE ÓLEO HIDRÁULICO DE RETORNO


SUBSTITUA

Desligue o motor e remova a pressão dos circuitos atuando sobre os controles hidráuli-
cos.
L impe cuidadosamente a parte externa do filtro e em volta antes de qualquer intervenção para
evitar qualquer risco de sujeira no circuito hidráulico.

- Remova a tampa 1 (fig. D7/1).


- Solte os parafusos de fixação da tampa 2 (fig. D7/2).
- Remova o elemento do filtro de óleo hidráulico de retorno 3 (fig. D7/2), e coloque o novo
elemento (veja: 3 - MANUTENÇÃO: ELEMENTOS, FILTROS E CORREIAS).
- Certifique-se de que o elemento está corretamente posicionado e recoloque a tampa 2
(fig. D7/2).
- Execute a operação em ambos os filtros.
- Recoloque a tampa 1 (fig. D7/1).

D8 - MECANISMO DA ALAVANCA DO FREIO DE ESTACIONAMENTO


648930 BR (01/01/2017)

LUBRIFIQUE

- Limpe e lubrifique os eixos de articulação 1 (fig. D8) com graxa (veja: 3 - MANUTEN-
ÇÃO: LUBRIFICANTES E COMBUSTÍVEL).

3-29
D9 - ÓLEO DO DIFERENCIAL DO EIXO DIANTEIRO E EIXO TRASEIRO
DRENE

Coloque o manipulador telescópico em local nivelado com o motor desligado e o óleo do


diferencial ainda aquecido.

 limine o óleo drenado de forma ecológica.


E
- Coloque um recipiente debaixo dos bujões de drenagem 1 (fig. D9) e solte-os.
-R  emova o bujão de nível 2 (fig. D9) e o bujão de abastecimento 3 (fig. D9) para garantir a
drenagem correta.
- Remonte e aperte os bujões de drenagem 1 (fig. D8) (torque de aperto de 34 a 49 N.m).
- Encha com óleo (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFICANTES E COMBUSTÍVEL) através
do bocal de abastecimento 3 (fig. D9).
- O nível estará correto quando o nível de óleo estiver nivelado com a borda da entrada 2
(fig. D9).
- Verifique eventuais vazamentos nos bujões de drenagem.
- Remonte e aperte a tampa de nivelamento 2 (fig. D9) (torque de aperto de 34 a 49 N.m) e o bocal de abastecimento 3 (fig. D9)
(torque de aperto de 34 a 49 N.m).
- Repita esta operação para o diferencial do eixo traseiro.

648930 BR (01/01/2017)

3-30
3-31
648930 BR (01/01/2017)
E - A CADA 1000 HORAS DE SERVIÇO
Realize as operações descritas anteriormente, bem como as seguintes operações.

E1 - TANQUE DE COMBUSTÍVEL
LIMPE

Durante a realização destas operações, não fume nem trabalhe perto de uma chama.
Coloque o manipulador telescópico em local nivelado com o motor desligado.

- Inspecione as peças suscetíveis a vazamentos no circuito de combustível e no tanque.


- Em caso de vazamento, entre em contato com o seu concessionário.

 unca tente realizar uma solda ou qualquer outra operação por si mesmo, isso poderia provocar
N
uma explosão ou um incêndio.

- Coloque um recipiente sob o bujão de drenagem 1 (fig. E1/1) e desaperte-o.


- Abra o painel de acesso para o abastecimento de óleo hidráulico.
- Remova a tampa 2 (fig. E1/2).
- Deixe o combustível fluir e limpe com dez litros de combustível limpo pelo bocal de
abastecimento 3 (fig. E1/2).
- Recoloque e aperte o bujão de drenagem 1 (fig. E1/1) (torque de aperto de 29 a 39
N.m).
- Encha o tanque de combustível com diesel limpo filtrado através do bocal de abasteci-
mento.
- Recoloque a tampa.
- Se necessário, sangre o circuito de combustível (veja: 3 - MANUTENÇÃO: G1 - SISTE-
MA DE COMBUSTÍVEL).

E2 - ELEMENTO DE SEGURANÇA DO FILTRO DE AR SECO


​​
SUBSTITUA

- Para a desmontagem e remontagem do elemento, veja: 3 - MANUTENÇÃO: D3 - ELE-


MENTO DO FILTRO DE AR SECO.
- Remova cuidadosamente o elemento de segurança do filtro de ar seco 1 (fig. E2), tome
cuidado para não derramar poeira.
- Limpe a superfície da junta do filtro com um pano úmido, limpo e sem fiapos.
- Antes da montagem verifique a condição do novo elemento de segurança (veja: 3 - MA-
NUTENÇÃO: ELEMENTOS, FILTROS E CORREIAS).
- Introduza o elemento no eixo do filtro e empurre-o, pressionando as bordas e não o meio.

NOTA: A periodicidade para troca do elemento de segurança é dada apenas para informação. O elemento de segurança deve
ser trocado a cada duas trocas do elemento do filtro de ar.
648930 BR (01/01/2017)

3-32
E3 - ÓLEO DA CAIXA DE MARCHAS
DRENE
E4 -FILTRO DE ÓLEO DA CAIXA DE MARCHAS
LIMPE

Coloque o manipulador telescópico em local nivelado com o motor desligado, e o óleo da


caixa de marchas ainda quente.

DRENAGEM DO ÓLEO
- Coloque um recipiente sob o bujão de drenagem 1 (fig. E3/1) e sob a tampa 2 (fig.
E3/1) e desaperte o bujão de drenagem.
- Remova a tampa 3 (fig. E3/2).
- Remova a vareta de medição 4 (fig. E3/3) e desaperte a tampa de abastecimento 5 (fig.
E3/3) para assegurar que o óleo seja drenado adequadamente.

E
 limine o óleo drenado de forma ecológica.

LIMPEZA DO FILTRO
- Remova a tampa 2 (fig. E3/1) e deixe de lado a junta do anel O-ring e o anel de veda-
ção.
- Deixe o resto do óleo escorrer.
- Remova e limpe o filtro com jato de ar comprimido.
- Limpe a seção magnética na placa.
- Remonte o conjunto e aperte a placa 2 (fig. E3/1) (torque de aperto de 18 a 31 N.m).

ABASTECIMENTO DE ÓLEO
- Remonte e aperte o bujão de drenagem 1 (fig. E3/1) (torque de aperto de 34 a 54 N.m).
- Encha com óleo (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFICANTES E COMBUSTÍVEL) pelo
bocal de abastecimento 5 (fig. E3/3) e recoloque a tampa de abastecimento.
- Ligue o motor e deixe-o funcionar por alguns minutos.
- Verifique eventuais vazamentos pelo bujão de drenagem ou tampa.
- Desligue o motor, e dentro de 5 minutos do motor desligado, verifique na vareta 4 (fig.
E3/3) o nível correto entre as duas marcas MIN e MAX.
- Complete o nível, se necessário.
- Remonte a tampa 3 (fig. E3/2).

E5 - ÓLEO DA CAIXA DE MARCHAS ANGULAR


DRENE

Coloque o manipulador telescópico em local nivelado com o motor desligado, e o óleo da


caixa de marchas ainda quente.

- Coloque um recipiente sob o bujão de drenagem 1 (fig. E5/1) e desaperte o bujão.


- Remova a tampa plástica 2 (fig. E5/2).
- Remova a vareta de medição 3 (fig. E5/2) e desaperte a tampa de abastecimento 4 (fig.
E5/2) para assegurar que o óleo seja drenado adequadamente.

 limine o óleo drenado de forma ecológica.


E
- Remonte e aperte o bujão de drenagem 1 (fig. E5/1) (torque de aperto de 20 a 29 N.m).
- Encha com óleo (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFICANTES E COMBUSTÍVEL) pelo
bocal de abastecimento 4 (fig. E5/2) e remonte a tampa de abastecimento.
- Verifique o nível correto entre as marcas MIN e MAX na vareta 3 (fig. E5/2).
- Verifique eventuais vazamentos pelo bujão de drenagem.
648930 BR (01/01/2017)

3-33
E6 - ÓLEO HIDRÁULICO
DRENE
E7 - FILTRO DE SUCÇÃO PARA O TANQUE DE ÓLEO HIDRÁULICO
LIMPE
E8 - TAMPA DO FILTRO PARA O TANQUE DE ÓLEO HIDRÁULICO
SUBSTITUA

Coloque o manipulador telescópico em local nivelado com o motor desligado, e o telescó-


pio retraído e abaixado o máximo possível.
 ntes de qualquer intervenção, limpe cuidadosamente o ambiente dos bujões de drenagem e a
A
tampa de sucção no tanque hidráulico.
DRENAGEM DO ÓLEO
- Coloque um recipiente sob o bujão de drenagem 1 (fig. E6/1) e desaperte o bujão.
- Abra o painel de acesso para abastecimento de óleo hidráulico.
- Remova a tampa de abastecimento 2 (fig. E6/2) para garantir que o óleo seja drenado
adequadamente.

 limine o óleo drenado de forma ecológica.


E

LIMPEZA DO FILTRO
- Remova a tampa 3 (fig. E6/3).
- Remova a tampa de sucção 4 (fig. E6/4).
- Remova e limpe o filtro com jato de ar comprimido, verifique a sua condição e substi-
tua-o, se necessário (veja: 3 - MANUTENÇÃO: ELEMENTOS, FILTROS E CORREIAS).
- Recoloque o filtro e a tampa de sucção 4 (fig. E6/4) certificando-se que a vedação está
na posição correta.

ABASTECIMENTO DE ÓLEO
- Limpe e recoloque os bujões de drenagem 1 (fig. E6/1) (torque de aperto de 29 a 39
N.m).
- Encha com óleo (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFICANTES E COMBUSTÍVEL) pelo bo-
cal de abastecimento 5 (fig. E6/2).

 se um recipiente limpo e funil e limpe a parte de baixo do tambor de óleo antes de encher..
U
- Observe o nível de óleo na vareta 6 (fig. E6/2), o nível de óleo deve estar no nível do
ponto vermelho.
- Verifique eventuais vazamentos pelo bujão de drenagem.
- Substitua o bujão de abastecimento 2 (fig. E6/2) por um novo (veja: 3 - MANUTENÇÃO:
ELEMENTOS, FILTROS E CORREIAS).

DESCONTAMINAÇÃO DOS CIRCUITOS HIDRÁULICOS


- Deixe o motor funcionando (pedal acelerador a meio curso) por 5 minutos sem usar
nada no manipulador telescópico, depois por mais 5 minutos utilizando completamente
os movimentos hidráulicos (exceto o sistema de direção e os freios de serviço).
- Acelere o motor em máxima rotação por 1 minuto, em seguida, ative o sistema de dire-
ção e os freios de serviço.
- Esta operação faz uma possível redução da poluição do circuito através do filtro de
retorno do óleo hidráulico.
648930 BR (01/01/2017)

3-34
E9 - CINTO DE SEGURANÇA
VERIFIQUE

Cinto de segurança com dois pontos de ancoragem


- Verifique os seguintes pontos:
• Fixação dos pontos de ancoragem no assento.
• Limpeza da correia e do mecanismo de travamento.
• Disparador do mecanismo de travamento.
• Condição da correia (cortes, bordas enroladas).

Retrator do Cinto de segurança com dois pontos de acoragem


- Verifique os pontos acima indicados juntamente com os seguintes pontos:
• O enrolamento correto da correia.
• Condição dos retratores.
• Mecanismo de travamento de compressão quando a correia é puxada com força.

NOTA: Após cada acidente, substitua o cinto de segurança.

 m nenhum caso deve-se utilizar o manipulador telescópico se o cinto de segurança estiver com defeito (fixação, travamento, cortes, rasgos,
E
etc.). Repare ou substitua o cinto de segurança imediatamente.

E10 - ÓLEO DOS REDUTORES DAS RODAS DIANTEIRAS E TRASEIRAS


DRENE

Coloque o manipulador telescópico em local nivelado com o motor desligado, e o óleo dos
redutores ainda aquecido.

Elimine o óleo drenado de forma ecológica.


- Drene e troque cada redutor da roda dianteira.
- Coloque o bujão de drenagem 1 (fig. E10) na posição A.
- Coloque um recipiente sob o bujão de drenagem e desaperte-o.
- Deixe o óleo escorrer completamente.
- Coloque o orifício de drenagem na posição B, isto é, numa entrada nivelada.
- Encha com óleo (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LUBRIFICANTES E COMBUSTÍVEL) pela
entrada de nível 1 (fig. E10).
- O nível estará correto quando o nível de óleo estiver nivelado com a borda do furo.
- Remonte e aperte o bujão de drenagem 1 (fig. E10) (torque de aperto de 34 a 49 N.m).
- Repita esta operação em cada redutor da roda traseira.

648930 BR (01/01/2017)

3-35
E11 - DESGASTE DA CORRENTE DA LANÇA
VERIFIQUE
- O desgaste da corrente ocorre em várias localizações.
• Nas articulações, o que leva ao alongamento da corrente.
• Nas bordas da placas ligação através do contato com as polias.
• Nas faces das placas e dos pinos estendidos através do contato com as flanges da polia.
• No alinhamento plano dos pinos estendidos.

ALONGAMENTO DAS CORRENTES


Recomendamos que você execute esta operação usando o medidor de verificação de
corrente.
- Coloque o manipulador telescópico nos seus estabilizadores, com a lança na horizontal.
- Estenda completamente os telescópios e continue a operar o controle por alguns mo-
mentos para tensionar adequadamente as correntes.
- Como a corrente provavelmente irá desgastar desigualmente ao longo de seu compri-
mento, divida a corrente em 4 seções iguais e verifique com o calibre no centro de cada
seção.

 e a dimensão máxima for excedida (228,6 mm +2 % = 233,2 mm), substitua o par de correntes (contate o seu concessionário).
S
DESGASTE LATERAL DAS PLACAS
Conforme a corrente alonga, execute uma verificação no meio de cada seção usando um calibre de lâminas.

 e a dimensão for inferior à dimensão mínima (24 mm - 2% = 23,5 mm e 15,5 mm -2 % = 15,2 mm), substitua o par de correntes (contate o seu
S
concessionário).
DESGASTE LATERAL DAS PLACAS
Conforme a corrente alonga, execute uma verificação no meio de cada seção usando um calibre de lâminas.

 e a dimensão for inferior à dimensão mínima (24 mm - 2% = 23,5 mm e 15,5 mm -2 % = 15,2 mm), substitua o par de correntes (contate o seu
S
concessionário).
- Além do desgaste, as altas pressões entre o lado das placas e o das polias podem forçar o material fazendo com que as
articulações travem. Substitua o par de correntes neste caso também.
ALINHAMENTO PLANO DOS PINOS ESTENDIDOS
Verifique as correntes em todo o seu comprimento.
- A alta fricção entre as placas e os pinos estendidos podem fazer com que os pinos girem nas placas externas e, assim, saiam
de sua carcaça.
648930 BR (01/01/2017)

 e os pinos não estiverem alinhados na direção longitudinal da corrente, substitua o par de correntes (contate o seu concessionário).
S
3-36
3-37
648930 BR (01/01/2017)
F - A CADA 2000 HORAS DE SERVIÇO
Realize as operações descritas anteriormente, bem como as seguintes operações.

F1 - LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO
DRENE
Estas operações devem ser efetuadas em caso de necessidade ou de dois em dois anos,
no início do inverno. Coloque o manipulador telescópico em local nivelado com o motor
desligado, e frio.

DRENAGEM DO LÍQUIDO
- Abra o capô do motor.
- Coloque um recipiente debaixo da mangueira 1 (fig. F1/1) do radiador e do bujão de dre-
nagem 2 (fig. F1/2) do bloco do motor. Remova a mangueira e solte o bujão de drenagem.
- Remova a tampa de abastecimento 3 (fig. F1/3) do radiador.
- Deixe o circuito de arrefecimento esvaziar totalmente, assegurando de que os orifícios
não fiquem obstruídos.
- Verifique o estado das mangueiras, bem como os dispositivos de fixação e troque as
mangueiras, se necessário.
- Enxague o circuito com água limpa e utilize um produto de limpeza se for necessário.

ABASTECIMENTO DE LÍQUIDO
- Coloque novamente e aperte a mangueira 1 (fig. F1/1) e o bujão de drenagem 2 (fig.
F1/2) (torque de aperto de 40 N.m).
- Encha lentamente o circuito com líquido de arrefecimento (veja: 3 - MANUTENÇÃO: LU-
BRIFICANTES E COMBUSTÍVEL) até o meio da vareta de nível 5 (fig. F1/3) pelo orifício
de abastecimento 4 (fig. F1/3).
- Recoloque o bujão de drenagem 3 (fig. F1/3).
- Funcione o motor em marcha lenta por alguns minutos.
- Verifique eventuais vazamentos.
- Verifique o nível e complete se for necessário.

 motor não contém qualquer elemento anti-corrosão e deve ser abastecido todos os anos com
O
uma mistura mínima compreendendo 25% de anticongelante à base de etileno-glicol.

648930 BR (01/01/2017)

3-38
F2 - AR CONDICIONADO (OPCIONAL)
LIMPEZA - INSPEÇÃO

LIMPEZA DAS SERPENTINAS DO CONDENSADOR E EVAPORADOR (*)


LIMPEZA DA BANDEJA DE CONDENSAÇÃO E DA VÁLVULA DE ALÍVIO (*)
COLETANDO O REFRIGERANTE PARA SUBSTITUIR O FILTRO-SECADOR (*)
REABASTECENDO COM REFRIGERANTE E VERIFICANDO O CONTROLE TER-
MOSTÁTICO E OS MANÔMETROS DE PRESSÃO (*)

NOTA: Ao abrir a unidade do evaporador, lembre-se de substituir a vedação da tampa.

(*): (CONSULTE O SEU CONCESSIONÁRIO).

CUIDADO: NÃO TENTE REPARAR QUALQUER PROBLEMA SOZINHO. CONSULTE SEMPRE SEU
CONCESSIONÁRIO PARA REPARAR O CIRCUITO, ELE POSSUI AS PEÇAS DE REPOSIÇÃO CORRETAS, E TEM O CONHECIMENTO TÉCNICO E
AS FERRAMENTAS NECESSÁRIAS.
- Não abra o circuito em nenhuma circunstância, pois isso provocaria a perda do refrigerante.
- O circuito contém um gás que em algumas condições pode apresentar riscos. Esse gás, o refrigerante R-134a, é incolor e
inodoro e mais pesado do que o ar.
• Se este gás for inalado, leve a vítima para o ar fresco, dê oxigênio ou respiração artificial, se necessário, e chame um médico.
• Se o houver contato do gás com a pele, lave-a imediatamente com água corrente e retire as roupas contaminadas.
• Se o houver contato do gás com os olhos, lave-os em água limpa durante 15 minutos e chame um médico.
- O compressor tem um indicador de nível de óleo (fig. F2). Nunca desaperte este indicador, pois isso despressurizará a instala-
ção. O nível do óleo só é verificado quando se troca o óleo no circuito.

648930 BR (01/01/2017)

3-39
G - MANUTENÇÃO OCASIONAL

G1 - SISTEMA DE COMBUSTÍVEL
SANGRE

Estas operações só podem ser efetuadas nos seguintes casos:


• Um componente do sistema de combustível substituído.
• Um tanque drenado.
• Falta de combustível.

Certifique-se que o nível de combustível no tanque é suficiente e sangre na seguinte


ordem:

- Abra o capô do motor.


- Funcione o motor do manipulador telescópico por três minutos, para dar tempo para a
bomba de elevação liberar o ar do filtro.
- Desligue a chave de ignição.

SANGRE OS INJETORES
- Remova a tampa do injetor 1 (fig. G1).
- Solte os conectores de alta pressão 2 (fig. G1) de todos os injetores.
- Ative o motor de partida até eliminar o ar do combustível nos conectores de alta pressão 2 (fig. G1).

Não ligue o motor de partida continuamente durante mais de 30 segundos e deixe-o arrefecer entre as tentativas mal sucedidas.
- Aperte as conexões enquanto o combustível estiver fluindo (torque de aperto de 30 N.m).
- O motor está pronto para ser ligado.
- Gire o motor lentamente por 5 minutos imediatamente após a sangria do circuito de alimentação de combustível, a fim de
garantir que a bomba injetora foi sangrada completamente.

NOTA: Se o motor funciona corretamente durante um curto período de tempo, em seguida pára ou funciona irregularmente,
verifique se existem possíveis vazamentos no circuito de baixa pressão. Em caso de dúvida, entre em contato com o seu
concessionário.

G2 - RODAS
SUBSTITUA

No caso de uma roda tiver que ser trocada em via pública, certifique-se dos seguintes pontos:
Para esta operação aconselhamos a utilização do macaco hidráulico MANITOU referên-
cia 505507 e do suporte de segurança MANITOU referência 554772.

- Pare o manipulador telescópico, se possível em terreno plano e firme.


- Para parar o manipulador telescópico (veja: 1 - INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO E SE-
GURANÇA: INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO SEM CARGA E COM CARGA).
- Acenda as luzes de advertência.
-C  alce as rodas do manipulador telescópico em ambos os sentidos oposto da roda a ser
trocada.
- Solte as porcas da roda a ser trocada.
- Coloque o macaco sob o eixo, o mais próximo possível da roda e ajuste o macaco 1 (fig. G2).
- Levante a roda até sair do solo e coloque um cavalete de segurança 2 debaixo do eixo (fig. G2).
- Solte completamente as porcas da roda e remova-as.
- Solte a roda movendo-a alternadamente e role-a para o lado.
- Deslize a nova roda no cubo da roda.
- Recoloque as porcas manualmente, se necessário, lubrifique-as.
- Remova o cavalete de segurança e abaixe o macaco no manipulador telescópico.
- Aperte as porcas da roda com um torquímetro (veja: 3 - MANUTENÇÃO: A - DIARIAMENTE OU A CADA 10 HORAS DE SERVIÇO
para o torque de aperto).
648930 BR (01/01/2017)

3-40
G3 - FARÓIS
AJUSTE

CONFIGURAÇÃO RECOMENDADA
(de acordo com a norma ECE-76/756 76/761 ECE20)
Defina para -2% o feixe de luz em relação à linha horizontal do farol.

PROCEDIMENTO DE AJUSTE
- Coloque o manipulador telescópico descarregado e na posição de
transporte e perpendicular a uma parede branca sobre um terreno
plano e nivelado (fig. G3).
- Verifique as pressões dos pneus (veja: 2 - DESCRIÇÃO: PNEUS
DIANTEIROS E TRASEIROS).
- Coloque a alavanca de marcha em ponto morto.

Calcule a altura do feixe de luz (h2)


• h1 = Altura do feixe de luz em relação ao solo.
• h2 = Altura do feixe de luz ajustado.
• l = Distância entre o feixe de luz e a parede branca.

G4 - MANIPULADOR TELESCÓPICO
REBOQUE

Não reboque o manipulador telescópico em velocidade maior do que 25 km/h.


- Coloque o seletor de marcha e a alavanca de marcha em ponto morto.
- Solte o freio de estacionamento.
- Ligue as luzes de advertência.
- Se o motor não estiver funcionando, não haverá assistência na direção ou na frenagem. Opere a direção e o pedal lenta-
mente evitando movimentos bruscos e solavancos.

G5 - MANIPULADOR TELESCÓPICO
ELEVAÇÃO

- Leve em consideração a posição do centro de


gravidade do manipulador telescópico para a
elevação (fig. G5/1).

- Coloque os ganchos nos pontos de fixação


fornecidos (fig. G5/2 e G5/3).

648930 BR (01/01/2017)

3-41
G6 - MANIPULADOR TELESCÓPICO SOBRE UMA PLATAFORMA
TRANSPORTE

 ssegure-se de que as instruções de segurança ligadas à plataforma sejam respeitadas antes


A
do carregamento do manipulador telescópico e que o condutor do transporte seja informado das
dimensões e do peso do manipulador telescópico (veja: 2 - DESCRIÇÃO: ESPECIFICAÇÕES).

 ssegure-se de que a plataforma tem as dimensões e a capacidade de carga suficiente para transpor-
A
tar o manipulador telescópico. Verifique também a pressão sobre a superfície de contato admissível
para a plataforma em conexão com o manipulador telescópico.

Para os manipuladores telescópicos equipados com um motor com turbocharged, bloqueie a saída
de escape para evitar a rotação do eixo do turbo sem lubrificação durante o transporte do veículo.

CARREGANDO O MANIPULADOR TELESCÓPICO


- Trave as rodas da plataforma.
- Fixe as rampas de carga para que você obtenha o menor ângulo possível para levantar
o manipulador telescópico.
- Carregue o manipulador telescópico paralela à plataforma.
- Pare o manipulador telescópico (veja: 1 - INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO E SEGURAN-
ÇA: INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO COM CARGA E SEM CARGA).

FIXANDO O MANIPULADOR TELESCÓPICO


- Fixe os calços na plataforma na parte da frente e na parte de trás de cada pneu (fig.
G6/1).
- Fixe também os calços na plataforma na parte interna de cada pneu (fig. G6/2).
- Fixe o manipulador telescópico à plataforma com cabos suficientemente fortes. Na
frente do manipulador telescópico, prenda os cabos aos pontos de fixação 1 (fig.G6/3) e
atrás ao pino de reboque 2 (fig. G6/4).
- Aperte os cabos (fig. G6/5).

648930 BR (01/01/2017)

3-42
G7 - CONSOLE DE COMANDO (BOTOEIRA)
MANUTENÇÃO

MANUTENÇÃO DE ROTINA DIÁRIA


Antes de começar a trabalhar:
- assegure-se de que o alojamento e os polos da bateria estão sempre limpos
- verifique se os vedantes, coifas e capas dos atuadores (joysticks, seletores e botões) estão íntegros, macios e elásticos,
- verifique se os símbolos do painel da unidade transmissora estão bem visíveis, substitua o painel se for necessário
- verifique a legibilidade e integridade das placas da unidade transmissora
- verifique o funcionamento mecânico correto do botão STOP.

Durante o funcionamento normal:


- verifique se a unidade transmissora está íntegra em termos de estrutura
- preste atenção, para evitar que depositem materiais na unidade transmissora (por ex. cimento, areia, cal, poeira) que possam
prejudicar a utilização e segurança dela.

Depois de utilizar o rádio comando:


- limpe a unidade transmissora: nunca empregue dissolventes ou produtos inflamáveis/corrosivos e não utilize máquinas de
lavar de alta pressão ou aparelhos à vapor
- armazene a unidade transmissora em ambientes limpos e secos.

MANUTENÇÃO DE ROTINA TRIMESTRAL


De 3 em 3 meses:
- remova o pó ou outro material acumulado da unidade receptora: para a limpeza nunca empregue dissolventes ou produtos
inflamáveis/corrosivos e não utilize máquinas de lavar de alta pressão ou aparelhos à vapor
- verifique se a unidade receptora está íntegra em termos de estrutura
- verifique a integridade e ligação dos chicotes da unidade receptora
- verifique se os símbolos do painel da unidade receptora estão bem visíveis, substitua o painel se for necessário
- verifique a legibilidade e integridade das placas da unidade receptora.

MANUTENÇÃO EXTRAORDINÁRIA


Eventuais avarias podem ser reparadas exclusivamente por pessoal autorizado (contate o serviço de assistência MANITOU).

Guia para a solução de problemas


Se o rádio comando não funcionar, será necessário:
- verificar se o problema é do rádio comando ou da máquina.
Portanto, antes de efetuar qualquer verificação, tente comandar a máquina a partir de uma estação de comando diferente do
rádio comando, se presente.
Se persistir, significa que é um problema na máquina.
Do contrário, o problema será no rádio comando. Neste caso, consulte o parágrafo “Problemas de funcionamento assinalados
pela unidade transmissora”.

PROBLEMAS DE FUNCIONAMENTO ASSINALADOS PELO CONSOLE DE COMANDO (BOTOEIRA)


Localize o problema de funcionamento do console de comando (botoeira) observando as indicações das luzes nas unidades.
Se o problema persistir depois de adotar a solução indicada, contate o serviço de assistência da MANITOU.
Indicações da Luzes Causa possível Soluções
Desconecte a alimentação e volte a ligar de-
O console de comando (botoeira) está
O LED verde está apagado. pois de 5 minutos para verificar a integridade
desligado
do fusível
O LED vermelho está aceso e o LED verde Contate o serviço de assistência da MANI-
Presença de um erro na placa de memória
pisca duas vezes TOU
O LED vermelho está aceso e o LED verde Ele ativa ao mesmo tempo mais de um Verifique de atuadores e ative somente um
pisca rapidamente comando analógico comando analógico
O LED vermelho acende durante 2 segundos O console de comando (botoeira) transmis- Contate o serviço de assistência da MANI-
e depois a unidade se desligab sor não funciona corretamente TOU
Desative o botão STOP.
O LED vermelho pisca uma vez durante a
O botão STOP está ativado ou avariado Se esta indicação persistir, contate o serviço
ligaçãob
de assistência da MANITOU
Coloque os atuadores na posição de repou-
O LED vermelho [A] pisca duas vezes du- Pelo menos um dos atuadores relativos aos so.
rante a ligaçãob comandos está ativo ou avariado. Se esta indicação persistir, contate o serviço
de assistência da MANITOU.
648930 BR (01/01/2017)

Coloque os atuadores na posição de repou-


O LED vermelho pisca quatro vezes durante Pelo menos um dos atuadores relativos aos so.
a ligação b comandos está ativo ou avariado. Se esta indicação persistir, contate o serviço
de assistência da MANITOU.

b. O LED vermelho [A] é acompanhado por um aviso sonoro. O aviso é seguido pela desativação do console de comando
(botoeira).
3-43
PROCEDIMENTO PARA TROCA DA BATERIA
H1 - REMOÇÃO DA BATERIA
1. Desligue a máquina completamente, retirando a chave do contato.
2. Abra o compartimento do motor da máquina.
3. Levante a tampa (A) situada na parte direita do compartimento do motor (na frente do radiador (B).

A
4. Solte os cabos (bornes) dos pólos da bateria.

Sempre desconecte os cabos da bateria exatamente na ordem especificada. Desconecte o cabo PRETO negativo (-) da bateria, primeiro; de-
pois o cabo VERMELHO positivo (+).

5. Solte os parafusos de sujeção da bateria (1) (2), retirando a peça metálica de sujeção.

1
6. Remova a bateria.

H2 - INSTALAÇÃO DA BATERIA
648930 BR (01/01/2017)

1. Realize o procedimento inverso ao de remoção da bateria (item A).

3-44
4 - GAMA DE
OPCIONAIS
EM ACESSÓRIOS
ADAPTÁVEIS

648930 BR (01/01/2017)

4-1
4-2
648930 BR (01/01/2017)
ÍNDICE

INTRODUÇÃO4-5

ESCOLHENDO OS ACESSÓRIOS4-6

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DOS ACESSÓRIOS4-8

PROTEÇÃO DOS ACESSÓRIOS4-20

648930 BR (01/01/2017)

4-3
4-4
648930 BR (01/01/2017)
INTRODUÇÃO
- O seu manipulador telescópico deve ser utilizado com equipamento intercambiável. Estes equipamentos intercambiáveis são
chamados de: ACESSÓRIOS.
- Uma ampla gama de acessórios, especialmente projetados e perfeitamente adaptados ao seu manipulador telescópico estão
disponíveis e garantidos pela MANITOU.
- Os acessórios são fornecidos com uma tabela de carga referente ao seu manipulador telescópico. O manual do operador e a
tabela de carga devem ser mantidos no local previsto no manipulador telescópico. Para os acessórios padrões, a sua utilização
é orientado pelas instruções contidas neste aviso.

Lembramos aos usuários, que as MT-X 1841 SL Turbo Série 3-E3, são manipuladores telescópicos essencialmente destinados à manipula-
ção. O uso ocasional com caçambas CBC 800/900 e CBR 900/1000 é permitido, mas em nenhum caso é permitido o uso intensivo em aplica-
ções difíceis (pedreira, sucatas,cerealista, agricultura…). Além disso, o uso do manipulador telescópico com caçambas CBC 800/900 e CBR
900/1000 deve-se fazer com a lança completamente retraída, para reduzir as pressões na ponta da lança. O uso de outras caçambas: CBA,
CBC, CBM, CBR, CB, CBG e dos garfos FFGR, não são permitidas.

- Algumas utilizações específicas exigem uma adaptação do acessório, que não está previsto nas lista de preços dos opcionais.
Existem ótimas soluções, consulte o seu concessionário.

Todos os acessórios para carga suspensa (jib, tara, jib com guindaste, gancho, etc.) DEVEM ser utilizados com um manipulador telescópico
equipado com corte dos movimentos hidráulicos. Nesse caso, o corte dos movimentos deve ser alterado na posição transversal completa-
mente horizontal.

Somente os acessórios aprovados pela MANITOU devem ser utilizados em nossos manipuladores telescópicos (veja: 4 - GAMA DE OPCIO-
NAIS EM ACESSÓRIOS ADAPTÁVEIS : ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DOS ACESSÓRIOS). O fabricante não terá responsabilidade, no caso de
modificação ou adaptação do acessório efetuado sem seu conhecimento e aprovação.

Alguns acessórios, dependendo das suas dimensões, quando a lança está abaixada e retraída, podem entrar em contato com os pneus
dianteiros provocando o seu desgaste, quando ele é inclinado para trás ao conduzir para frente. PARA NÃO TER ESSE RISCO, ESTENDA O
TELESCÓPIO EM UM COMPRIMENTO SUFICIENTE ELIMINANDO SE POSSÍVEL QUALQUER TIPO INTERFERÊNCIA DO ACESSÓRIO NO MANI-
PULADOR TELESCÓPICO.

As cargas máximas são definidas pela capacidade do manipulador telescópico, tendo em conta o peso e o centro de gravidade do acessório.
No caso em que o acessório tem uma capacidade menor ao do manipulador telescópico, nunca exceda esse limite.

648930 BR (01/01/2017)

4-5
CONECTANDO OS ACESSÓRIOS
A - ACESSÓRIO SEM SISTEMA HIDRÁULICO E DISPOSITIVO DE TRAVAMEN-
TO MANUAL
CONECTANDO UM ACESSÓRIO
- Assegure-se de que o acessório está numa posição que facilita o travamento no suporte
de carga. Se não tiver corretamente posicionado, tome as precauções necessárias para
movê-lo em segurança.
- Certifique-se de que o pino de travamento e a presilha estão no suporte (fig. A).
- Coloque o manipulador telescópico com a lança totalmente abaixada em frente e pa-
ralelo ao acessório e incline o suporte de carga para a frente (fig. B).
- Coloque o suporte de carga debaixo do tubo de travamento do acessório, levante leve-
mente a lança e incline o suporte de carga para trás para posicionar o acessório (fig. C).
- Levante o acessório do solo para facilitar o travamento.

TRAVAMENTO MANUAL
- Coloque o pino de travamento e a presilha no suporte (fig. A) e trave o acessório (fig.
D). Não esqueça de colocar a presilha.

LIBERANDO MANUALMENTE
- Proceda na ordem inversa ao TRAVAMENTO MANUAL, preste atenção ao colocar
novamente o pino de travamento e a presilha no suporte (fig. A).

COLOCANDO O ACESSÓRIO
- Proceda em ordem inversa à CONEXÃO DE UM ACESSÓRIO, cetifique-se de colocar
o acessório sobre o solo e em posição fechada.

648930 BR (01/01/2017)

4-6
C - ACESSÓRIO COM SISITEMA HIDRÁULICO E DISPOSITIVO DE TRAVA-
MENTO MANUAL
CONECTANDO UM ACESSÓRIO
- Assegure-se de que o acessório está numa posição que facilita o travamento do suporte
de carga. Se não estiver corretamente posicionado, tome as precauções necessárias para
movê-lo em segurança.
- Certifique-se de que o pino de travamento e a presilha estão na posição no suporte (fig.
A).
- Coloque a manipulador telescópico com a lança totlamente abaixada em frente e parale-
lo ao acessório e incline o suporte para a frente (fig. B).
- Coloque o suporte de carga debaixo do tubo de travamento do acessório, levante leve-
mente a lança e incline o suporte para trás para posicionar o acessório (fig. C).
- Levante o acessório do solo para facilitar o travamento.

TRAVAMENTO MANUAL E CONEXÃO DO ACESSÓRIO


- Coloque o pino de travamento e a presilha no suporte (fig. A) e trave o acessório (fig. D).
Não esqueça de colocar a presilha.
- Desligue o motor.
- Remova a pressão do circuito hidráulico usando a alavanca do distribuidor 1 (fig. E).
- Conecte os engates rápidos de acordo com a lógica dos movimentos hidráulicos do
acessório.

Certifique-se de que os engates rápidos estão limpos e proteja os orifícios não utilizados com as
tampas fornecidas.

LIBERANDO MANUALMENTE E DESCONECTANDO O ACESSÓRIO


- Proceda na ordem inversa ao TRAVAMENTO MANUAL E CONEXÃO DO ACESSÓRIO,
preste atenção para colocar novamente pino de travamento e a presilha no suporte (fig.
A).

COLOCANDO O ACESSÓRIO
- Proceda na ordem inversa à CONECTANDO UM ACESSÓRIO, cetifique-se de colocar
o acessório sobre o solo e em posição fechada.

648930 BR (01/01/2017)

4-7
ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DOS ACESSÓRIOS

SUPORTE COM GARFOS MÓVEIS



TFF 45 MT-1040 TFF 45 MT-1300
NÚMERO DA PEÇA 653344 653345
Capacidade nominal 4500 kg 4500 kg
Largura 1040 mm 1300 mm
Peso 370 kg 400 kg

SUPORTE DE DESLOCAMENTO LATERAL COM GARFOS FLUTUANTES

A utilização é proibida com o suporte de deslocamento lateral simples opcional (TSDL).

TFF 45 MT-1040 DL TFF 45 MT-1300 DL


NÚMERO DA PEÇA 751545 571546
Capacidade nominal 4500 kg 4500 kg
Side-shift 2x100 mm 2x100 mm
Largura 1040 mm 1300 mm
Peso 410 kg 450 kg

GARFO FLUTUANTE

NÚMERO DA PEÇA 211922
Seção 125x50x1200 mm
Peso 71 kg

648930 BR (01/01/2017)

4-8
SUPORTE COM GARFO DE INCLINAÇÃO PADRÃO

PFB 45 N MT-1260 S2 PFB 45 N MT-1670 S2 PFB 45 N MT-2000 S2
NÚMERO DA PEÇA 654407 653747 653748
Capacidade nominal 4500 kg 4500 kg 4500 kg
Largura 1260 mm 1670 mm 2000 mm
Peso 200 kg 255 kg 300 kg

GARFO PADRÃO

NÚMERO DA PEÇA 415652
Seção 125x50x1200 mm
Peso 78 kg

ENCOSTO DE CARGA

NÚMERO DA PEÇA 727035 572788 572790
Largura 1260 mm 1670 mm 2000 mm
Peso 46 kg 56 kg 63 kg

648930 BR (01/01/2017)

4-9
CAÇAMBA PARA CONSTRUÇÃO

CBC 800 L2250 S3 CBC 900 L2450 S3


NÚMERO DA PEÇA 654471 654470
Capacidade nominal 814 l 893 l
Largura 2250 mm 2450 mm
Peso 385 kg 410 kg

CAÇAMBA DE CARGA

CBR 900 L2250 S2 CBR 1000 L2450 S2


NÚMERO DA PEÇA 653749 654716
Capacidade nominal 904 l 990 l
Largura 2250 mm 2450 mm
Peso 390 kg 410 kg

CAÇAMBA 4X1

A utilização é proibida com o suporte de deslocamento lateral simples opcional (TSDL).

CB4x1-700 L1950 CB4x1-850 L2300


NÚMERO DA PEÇA 751402 751401
Capacidade nominal 700 l 850 l
Largura 1950 mm 2300 mm
Peso 640 kg 735 kg

CAÇAMBA PARA CONCRETO (ADAPTÁVEL EM GARFOS)


BB 500 S4 BBH 500 S4
NÚMERO DA PEÇA 654409 751462
Capacidade nominal 500 l/1300 kg 500 l/1300 kg
Largura 1100 mm 1100 mm
Peso 205 kg 220 kg
648930 BR (01/01/2017)

4-10
CAÇAMBA PARA CONCRETO COM BOCAL (ADAPTÁVEL EM GARFOS)
BBG 500 S4 BBHG 500 S4
NÚMERO DA PEÇA 654411 751464
Capacidade nominal 500 l/1300 kg 500 l/1300 kg
Largura 1100 mm 1100 mm
Peso 220 kg 235 kg

CAÇAMBA COM BOCAL (ADAPTÁVEL EM GARFOS)


GL 300 S2 GL 400 S2
NÚMERO DA PEÇA 174371 174372
Capacidade nominal 300 l/725 kg 400 l/969 kg
Peso 150 kg 166 kg

KIT HIDRÁULICO PARA ABRIR O BICO


NÚMERO DA PEÇA 653750

CAÇAMBA COM BOCAL (ADAPTÁVEL EM GARFOS)


GL 600 S2 GL 800 S2
NÚMERO DA PEÇA 174373 174374
Capacidade nominal 600 l/1440 kg 800 l/1920 kg
Peso 290 kg 325 kg

KIT HIDRÁULICO PARA ABRIR O BICO


NÚMERO DA PEÇA 653750

CAÇAMBA COM BOCAL (ADAPTÁVEL EM GARFOS)


GL 1000 S2 GL 1500 S2
NÚMERO DA PEÇA 174375 174376
Capacidade nominal 1000 l/2440 kg 1500 l/3591 kg
Peso 360 kg 409 kg

KIT HIDRÁULICO PARA ABRIR O BICO


NÚMERO DA PEÇA 653750

GARFO PARA FENO COM GARRA

A utilização é proibida com o suporte de deslocamento lateral simples opcional (TSDL).


FFGR 30 MT 2100 S5 FFGR 30 MT 2400 S5 FFGR 30 MT 2100 DR
NÚMERO DA PEÇA 556843 570594 570728
648930 BR (01/01/2017)

Capacidade nominal 1700 Kg 1700 Kg 1700 Kg


Largura 2100 mm 2400 mm 2100 mm
Ponta 10 12 10 (ponta redonda)
Garra 7 8 7
Peso 567 kg 606 kg 567 kg

4-11
GUINCHO

DEVE ser utilizado com um manipulador telescópico equipado com um dispositivo operacional de corte de
movimento hidráulico.

H3T S4 H4T S4
NÚMERO DA PEÇA 708534 708535
Capacidade nominal 3000 kg 4000 kg

Peso 310 kg 420 kg

JIB

DEVE ser utilizado com um manipulador telescópico equipado com um dispositivo operacional de corte de
movimento hidráulico.
P 600 MT S3
NÚMERO DA PEÇA 653228
Capacidade nominal 600 kg
Peso 170 kg

TARA

DEVE ser utilizado com um manipulador telescópico equipado com um dispositivo operacional de corte de
movimento hidráulico.
P 4000 MT S2
NÚMERO DA PEÇA 653226
Capacidade nominal 4000 kg/1200 kg
Peso 210 kg

JIB COM GUINDASTE

DEVE ser utilizado com um manipulador telescópico equipado com um dispositivo operacional de corte de
movimento hidráulico.
PT 600 MT S6
NÚMERO DA PEÇA 708538
Capacidade nominal 600 kg
Peso 288 kg

JIB MULTIDIRECIONAL 15°/15°

DEVE ser utilizado com um manipulador telescópico equipado com um dispositivo operacional de corte de
movimento hidráulico.
PO 600 L2500 S2 PO 1000 L1500 S2 PO 2000 L1000 S2
648930 BR (01/01/2017)

NÚMERO DA PEÇA 784641 784642 784643


Capacidade nominal 600 kg 1000 kg 2000 kg
Peso 320 kg 275 kg 255 kg

4-12
JIB

DEVE ser utilizado com um manipulador telescópico equipado com um dispositivo operacional de corte de
movimento hidráulico.
PC 50
NÚMERO DA PEÇA 708544
Capacidade nominal 5000 kg
Peso 120 kg

648930 BR (01/01/2017)

4-13
PROTEÇÃO DOS ACESSÓRIOS

PROTETOR DOS GARFOS

NÚMERO DA PEÇA 227801

BLOCO DO SUPORTE COM GARFOS FLUTUANTES

NÚMERO DA PEÇA 261210

PROTETOR DA CAÇAMBA
NOTA: Sempre assegure que a largura do protetor que você escolheu é menor ou igual a largura da caçamba.
NÚMERO DA PEÇA 206734 206732 206730
Largura 1375 mm 1500 mm 1650 mm

NÚMERO DA PEÇA 235854 206728 206726


Largura 1850 mm 1950 mm 2000 mm

NÚMERO DA PEÇA 223771 223773 206724


Largura 2050 mm 2100 mm 2150 mm

NÚMERO DA PEÇA 206099 206722 223775


Largura 2250 mm 2450 mm 2500 mm

PROTETOR PARA O GARFO PARA FENO

NÚMERO DA PEÇA 230689


648930 BR (01/01/2017)

4-14
4-15
648930 BR (01/01/2017)
BRASIL
MANITOU BRASIL
Rua Marginal, 39 - Distrito Industrial - CP 112
CEP 13280-000 - Vinhedo - SP - BRASIL
Tel. +55 19 3113-3600

SEU CONCESSIONÁRIO