Você está na página 1de 4

GRUPO

DISCIPLINA: PRÁTICA DE PROCESSO DO TRABALHO

PROFESSOR: ME. GUSTAVO MOREIRA PAMPLONA

INTEGRANTES DO GRUPO:

Amanda Silva Guerreiro De figueiredo

Emmerson Monteiro Ribeiro

Maria Victória Nascimento da Rocha

PEÇA: RECONVENÇÃO

TURMA: 10NTA

ORIENTAÇÕES GERAIS
1. Utilização da capa padronizada

2. Frequência

3. Presença de todos em aula (ônus do grupo)

4. Divisão das aulas

5. Grupos de 3 a 5 pessoas – Sempre o mesmo grupo

6. Peças manuscritas (obrigatoriamente)

7. Peças sempre entregues na aula seguinte (obrigatoriamente)


8. Não identificação da peça

9. OAB de Bolso

RECONVENÇÃO

O empregado José, dispensado com justa causa, por haver danificado equipamento da
empresa, ajuíza ação trabalhista, buscando reverter o fundamento da rescisão contratual,
e, em consequência, receber aviso prévio, férias proporcionais e FGTS, acrescido de
multa. A empresa, citada para a ação, pretende obter ressarcimento do prejuízo que
sofreu, isto é, despesas com advogado (dano material de R$1.500,00) e indenização por
danos morais (R$10.000,00). O rito é o ordinário.

Apresente, como advogado da empresa, a medida processual adequada.

Peça proposta

AO JUÍZO DA VARA DO TRABALHO A QUAL COUBER POR


DISTRIBUIÇÃO

PROCESSO nº (nº)

(nome da empresa), inscrita no CNPJ (nº), com endereço (endereço completo,


com CEP), por meio de seu advogado que esta subscreve, procuração em anexo,
com escritório profissional em (endereço completo, com CEP), onde recebe
intimações, vem com as honras de estilo, ajuizar a presente RECONVENÇÃO,
com fundamento no art. 343 do CPC, em face de José (sobrenome),
(nacionalidade), (estado civil), (profissão), portador da Carteira de Identidade
(nº), CPF (nº), carteira de trabalho (nº) PIS (nº), residente e domiciliando em
(endereço completo, com CEP), tendo em conta os motivos de fato e direito a
seguir determinados.

I-FATOS

O reconvindo José, dispensado por justa causa, por ter danificado


equipamento da empresa, com o objetivo de reverter à rescisão contratual,
ajuizou reclamação trabalhista contra a empresa reconvinte. Contudo, verifica-se
que a justa causa foi devidamente aplicada (doc. Em anexo), portanto, a empresa
busca obter ressarcimento do prejuízo proveniente das despesas com advogado,
totalizando dano material de R$ 1.500,00 (mil e quinhentos reais). Bem como,
requer a indenização por danos morais de R$ 10.000,00 (dez mil reais).

II – DO MÉRITO

II. a - DO DANO MATERIAL

Diante do fato narrado, o reconvindo foi dispensado com justa causa por
ter causado prejuízo ao empregador, ao danificar o equipamento laborais da
empresa, nesse sentindo, nosso ordenamento jurídico é claro ao retratar o
cometimento de ato ilícito e possibilidade do demandante em reaver através deste
ato processual, nos termos do no art. 343, NCPC, o ressarcimento pelos danos
provocados por outrem, como salienta o Código Civil Brasileiro: Art. 186.
“Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência,
violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete
ato ilícito”. Logo, uma vez que o reconvindo devido a sua imprudência no
exercício de suas funções danificou o patrimônio de seu empregador, sua conduta
é caracterizada como ato ilícito, o que enseja IIreparação do dano causado, nos
termos do artigo 927 do Código Civil:

II. b – DO DANO MORAL

A Constituição da República assegura a indenização por danos que


atingem à honra e moral aos cidadãos, conforme se vê em seu artigo 5º e incisos:
“V - é assegurado o direito de resposta proporcional ao agravo, além da
indenização por dano material, moral ou à imagem; X - são invioláveis a
intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito
à indenização pelo dano material ou moral decorrente da sua violação; XXV- a
lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário, lesão ou ameaça a direito;”
Não socorre à reconvinda a alegação de se tratar a reconvinte pessoa jurídica,
pois o STJ já pacificou o entendimento de que a pessoa jurídica pode sofrer dano
moral, (Súm. 227 STJ), na acepção da honra objetiva, ou seja, passível de sofrer
abalo no conceito público, tendo em vista não ser a pessoa jurídica titular de
honra subjetiva. Diante disto, temos que o ato ilícito gera a responsabilidade
civil, bastando para isto que se completem os seus requisitos necessários

Ante o exposto, requer

a) O recebimento das razões da Reconvenção para o seu devido processamento,


de acordo com o art. 343 do CPC;

b) Seja intimado o Reclamante para apresentar resposta, nos termos do art. 343,
§1º, do CPC;

c) a total procedência desta Reconvenção para o fim de condenar o Reclamante


ao ressarcimento da quantia de R$ .11.500,00. e à respectiva correção monetária.

Em havendo dilação probatória proteste-se por provar o alegado por todos os


meios de prova em direito admitidos, a juntada de documentos novos, de oitiva
de testemunhas e depoimento pessoal do reclamante, desde já requerido

O valor de R$ 11.500,00.

Nesses Termos,

Pede Deferimento

Data/local

Assinatura do advogado /Nº da OAB