Você está na página 1de 2

Relé Fotoelétrico – O que é e como funciona

(+Fotocélula)
O relé fotoelétrico (também conhecido como fotocélula) é um dispositivo amplamente
utilizado para o acionamento de iluminações noturnas, que só podem ser ligadas após
o anoitecer. Assim, é muito comum ver iluminações de áreas externas que funcionam
a partir de relés fotoelétricos. Dessa forma, o componente traz comodidade as
instalações elétricas já que permite uma automação simples de iluminações.
Portanto, o objetivo desse artigo é mostrar o que é um relé fotoelétrico, qual a
diferença para a fotocélula, como ele funciona, quais os tipos e aplicações e os
cuidados na instalação desse componente.

O que é um relé fotoelétrico ou fotocélula


O relé fotoelétrico é um componente capaz de medir a intensidade de luz de um ambiente
e acionar ou não um relé de acordo com essa intensidade. Dessa forma, uma das
principais funções do relé é ligar e desligar luzes que devem estar ligadas somente a
noite.
]

Imagine uma área externa, com várias lâmpadas que devem ser ligadas a noite. Seria
extremamente desconfortável ter que acionar um interruptor todo inicio de noite e
desligar sempre ao amanhecer. A automação desse procedimento consiste no uso do
relé fotoelétrico, que será capaz de acionar a iluminação ao anoitecer. Ele é também
muito encontrado nos postes de iluminação nas ruas das cidades.

Muitas pessoas chamam esse dispositivo de “fotocélula“, mas por definição fotocélula
seria um dispositivo como um painel solar, que funciona como fonte de energia.
Entretanto, para esse dispositivo que aciona iluminações noturnas, o nome  relé
fotoelétrico é mais adequado, já que consiste em um relé acionado por intensidades
luminosas diferentes.
Como funciona um relé fotoelétrico
O relé fotoelétrico é composto por um relé e um LDR em contato com a bobina do relé.
Um relé é um componente eletromecânico que possui um contato metálico e uma
bobina. Quando a bobina é energizada, ela gera um campo eletromagnético que atrai o
contato metálico do relé, deslocando-o para outra posição, fazendo com que ele
funcione como um interruptor. Já o LDR funciona como uma resistência que varia de
acordo com a luminosidade que incide sobre ele. Assim, o sensor de luminosidade fica
ligado a bobina do relé, energizando-a de acordo com a luminosidade do ambiente.

Imagem de um sensor LDR (Light Dependent Resistor)


Quando o LDR sofre uma grande mudança de luminosidade que incide sobre ele, afeta
também a bobina que está sendo energizada por ele. Portanto, chega um momento
que a luminosidade faz a resistência variar de forma que permita que o campo
eletromagnético gerado pela bobina seja capaz de alternar os contatos do relé, ligando
ou desligando o circuito ligado ao relé fotoelétrico.

Nessa abertura, é onde fica o LDR que recebe a luminosidade do ambiente.

Instalação do Relé Fotoelétrico


O Relé Fotoelétrico normalmente possui três terminais, dois para alimentação e um
que será o “retorno”, onde você vai ligar a carga. É uma ligação bem simples, basta
imaginar o relé como um interruptor, porém que é alimentado pela fase e neutro ou
fase e fase.

Na hora da instalação, esteja atento a potência máxima suportada pelo relé. A sua
carga deve ter uma potência inferior a potência suportada pelo relé. Assim, se você
precisar acionar uma carga maior com o relé, pode ligar um contator a ele para acionar
a carga.
Instale sempre o relé com o sensor virado para um lado onde não haja luz quando está
escuro. Nunca deixe ele virado para as luzes que serão acionadas pelo relé
fotoelétrico. Se isso acontecer, o seu sistema será um pisca-pisca noturno, já que o
relé fotoelétrico será acionado e desligado várias vezes por minuto.

Você também pode gostar