Você está na página 1de 18

Índice

Introdução 01

Relacionamento com propósito 03

Sacrifício 06

Temperança e amabilidade 08

Trabalho em conjunto 10

Considerações finais 12
01 Introdução
Falarei de algo que sempre me intrigou. Como seria um
homem feito para mim, moldado para mim? Aos meus olhos,
pode ser que seja uma pessoa que encontrei no mercado,
que conheço desde a infância, mas e aos olhos de Deus?
Como ele vê esse homem? Como será esse encontro?

Acredito que sejam questões que ocupam a cabeça da


maioria dos jovens solteiros atualmente. Afinal, não estamos
em uma geração fácil de encontrar valores, sinceridade, ho-
nestidade e equilíbrio. Vemos em todos os tipos de mídias de
comunicação os relacionamentos que se acabam, o número
de divórcios que aumenta demasiadamente – chegou a cres-
cer 160% em uma década. Como cultivar um amor sincero e
duradouro em meio a tantos desastres?

Torna-se ainda mais difícil quando queremos viver um
amor que agrade aos olhos de Deus. Perguntava-me todos os
dias como seria essa busca, se nem mesmo os cristãos acre-
ditavam nesse relacionamento. Sempre orei a Deus pedindo
alguém que acima de todas as coisas, no relacionamento,
estivesse disposto a crescer como pessoa, como profissional,
como filho de Deus, em sintonia. E, junto com minha oração,
eu estudei, pesquisei, busquei e assim fui construindo minha
fé.

Deus me ensinou a contornar diversas situações e sen-


timentos. Ensinou-me a ouvir o que Ele me dizia através de
pessoas e me ensinou a ser a mulher que Ele deseja que eu
seja, e a cada dia ele me transforma na “cônjuge” que eu es-
pero para mim.

Durante toda minha adolescência estive em uma pe-


quena igreja no interior do Mato Grosso do Sul. Lá tínhamos

01
uma ministra que sempre nos ensinava um pouco sobre rela-
cionamentos de acordo com o coração de Deus. Eu, naquela
idade, dos 12 até os 16 anos, não poderia imaginar a impor-
tância de tais conselhos.

Lembro bem que ela sempre nos ensinava sobre o com-


portamento de uma moça agradável aos olhos de Deus e
também dava sábios conselhos de como seria a espera pelo
homem que o Senhor nos enviaria. Durante esses anos de
aprendizagem entendi que a espera parece longa e dura. Lia
muitos livros, muitos versículos e muitos devocionais e não
encontrava uma certeza.

Imaginava encontrar alguém especial que atendesse às


minhas expectativas, e não podia entender que na verdade
esse alguém viria de acordo com as expectativas de Deus.
Você atrai para você o que você é, isso o Senhor já nos disse
em alguns trechos da Bíblia, como em 1 João 1: 7: “Mas se
andamos na luz, assim como ele está na luz, temos comu-
nhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho,
nos purifica de todo o pecado”.

Ando então na luz, com pessoas que me influenciem a


estar na luz, e não será possível encontrar outro alguém que
não seja dessa luz para estar ao meu lado. Há muitos textos
e estudos que me afirmam que devo ser aquilo que desejo
para mim mesma, e esse era um dos mais valiosos conselhos
que guardei da minha adolescência.

O Senhor Deus afirma através de sua palavra: “Não vos


enganeis: as más conversações corrompem os bons costu-
mes” (1 Co. 15: 33), e por isso aprendi sempre a dar ouvi-
dos àqueles que me queriam o bem, que me ajudassem a
prosperar em diversas áreas e também a construir um bom
conhecimento no caminho amoroso que eu estava apenas
começando a trilhar.

02
Farei ao longo deste texto um apanhado de versículos
bíblicos que carrego comigo sobre tal assunto, versículos que
alimentam a minha fé de que Deus sempre tem o melhor
para mim. Contarei algumas experiências que vivenciei e que
me fizeram entender os propósitos do Pai para minha vida.

Para apresentar a minha ideia de relacionamento e do


amor que devo aceitar para mim, começo por Efésios 5: 25:
“Maridos, ame cada um a sua mulher, assim como Cristo
amou a igreja e entregou-se por ela”. Eu sou igreja e nesse
trecho Deus ordena que meu marido me ame como Ele me
ama. A partir disso, sei que não devo aceitar um amor menor
que esse, ou estaria aceitando um amor que desobedece um
mandamento do Senhor. Para isso, citarei atitudes que me
fazem ter certeza de que estou seguindo o caminho do Se-
nhor.

02 Relacionamento com
propósito
Deus criou tudo com um propósito. Não há vida que se
diga sem sentido, observe: “Tudo tem o seu tempo determi-
nado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu” (Ec.
3: 1); “Porque Deus nos escolheu nEle antes da criação do
mundo, para sermos santos e irrepreensíveis em sua presen-
ça. Em amor nos predestinou para sermos adotados como
filhos, por meio de Jesus Cristo, conforme o bom propósito
de sua vontade” (Ef. 1: 4-5).

Não há como questionar que minha vida tem um pro-


pósito para Deus. Ele me fez de acordo com Sua vontade, e
em meus dias devo procurar obedecer Suas ordens. Assim

03
deve ser o meu relacionamento, não posso ocupar minha
vida com algo que não tenha sentido ou futuro, soaria como
uma afronta a Deus. Ele me planejou, me transforma todos
os dias para seguir os Seus caminhos, como posso colocar
em meus passos um relacionamento que não visa um pro-
pósito?
Qual propósito? O que seria ter um propósito de relacio-
namento? Não há dúvidas de que não posso brincar com os
sentimentos de quem está ao meu redor, Deus me ordenou
que amasse ao meu próximo como a mim mesma. Assim,
não devo estar na vida de alguém e nem aceitar que alguém
esteja na minha apenas para “passar o tempo”. Relaciona-
mentos que agradam o coração de Deus não podem ser vis-
tos como uma brincadeirinha de final de semana.

Ao aceitar conhecer alguém com a intenção de um re-


lacionamento e ao aceitar entrar na vida de alguém, lembro-
me que minhas atitudes influenciarão a vida dessa pessoa
para sempre, seja para o bem ou para o mal, e cabe a mim
escolher qual marca quero deixar. Como eu escolhi andar na
Luz, o certo a fazer é sempre deixar uma marca de luz, paz e
conforto.

Uma vez, ao conversar com um pastor muito conhecido


e renomado no meu estado (e até no Brasil) sobre um rela-
cionamento em que eu estava prestes a entrar, ele me deu
a seguinte palavra: “O ‘fulano’ pode estragar a sua vida para
sempre, assim como você pode estragar a vida do ‘fulano’
para sempre, ou ambos podem ser bênçãos para sempre um
na vida do outro”.

Aquele ainda não seria o relacionamento em que eu vi-


veria o resto da minha vida, mas foi de grande aprendizado.
Quando acabou, essa palavra me veio à mente e eu escolhi
que ele seria benção na minha vida para sempre, deixando
que ficassem em mim apenas as partes que me fariam me-

04
lhor daquele dia em diante.

Mesmo nesse relacionamento que não foi “eterno”, sem-


pre houve um propósito. Como o coração do homem é en-
ganoso, é “normal” que algumas vezes eu me engane e aca-
be entrando em alguma situação que Deus não queria para
mim. Entretanto, quanto mais próxima de Deus eu estiver,
menos chances há disso ocorrer.

Sonhei durante quatro anos nesse relacionamento com


um casamento, uma família, um futuro próspero em relação
aos nossos trabalhos e comunhão com Deus. Em nenhum
dia eu deixei que aquilo perdesse o sentido, sempre houve
um foco. Por mais que hoje não exista mais um futuro refe-
rente àquela pessoa em minha vida, eu sei que Deus ainda
sonha com um relacionamento assim para mim, que vise
um casamento, uma família, uma comunhão de duas pesso-
as que busquem unicamente a Ele.

O que guardo disso é que por mais que existam decep-


ções no meu caminho, não posso perder a certeza de que
Deus tem um propósito para mim, assim como eu terei den-
tro de um relacionamento. Nunca Ele me afirmou que o ca-
minho seria fácil, mas sempre me deu esperança que os Seus
planos para mim seriam os melhores. A pessoa certa me aju-
da a caminhar em Seus caminhos e tem o mesmo propósito
que o meu, e jamais o relacionamento será vazio.

Ao passo que acredito que nenhum relacionamento


deve ser vazio ou apenas um passatempo, me torno criterio-
sa quanto ao tipo de pessoas que permitirei se aproximarem
de mim. Assim como uma amizade não pode ser vazia, um
relacionamento amoroso também não pode. Então, no mo-
mento em que seleciono as pessoas que se aproximam de
mim pelo que posso oferecer a elas e elas a mim, eu dou o
primeiro passo para não receber em minha vida pessoas va-

05
zias.

Pessoas vazias me trariam relacionamentos desgastan-


tes, tristes, abusivos e prejudiciais. Assim como eu não posso
ser para alguém um “parasita afetivo”, não devo permitir que
ninguém o seja para mim. Os relacionamentos que seleciono
para o meu dia a dia devem ser leves e saudáveis, relaciona-
mentos que tragam paz, e assim será o meu círculo de con-
vívio, do qual jamais sairá um encontro vazio e, em consequ-
ência disso, dificilmente encontrarei um homem para estar
comigo que não tenha um propósito de relacionamento.

03 Sacrifício
Vou repetir aqui um versículo: “Maridos, ame cada um
a sua mulher, assim como Cristo amou a igreja e entregou-
se por ela” (Ef. 5: 25). Eu, como cristã, acredito que Jesus se
entregou por mim em uma cruz. Oras! Não posso pedir que
uma pessoa se entregue em uma cruz por mim, e obviamen-
te não vou esperar isso, mas claramente, se desejo um ho-
mem que me ame como Cristo me amou, ele se sacrificará
de algumas formas por mim, assim como eu por ele.

Conviver com uma pessoa para o resto da vida não me


soa fácil. Lidar com pessoas no geral é uma coisa muito difí-
cil para mim, já que sou da área de exatas e me vejo muitas
vezes conversando mais fluentemente com um computador
do que com pessoas. Quando me pego pensando em cons-
truir uma nova amizade, já sinto calafrios, e não foi diferente
quando resolvi me abrir para um relacionamento amoroso.

Não posso me dizer pronta para um relacionamento se


não estiver disposta a ceder muitas vezes, me adaptar às ma-
nias de outra pessoa e entender que ele é diferente de mim,
pois Deus não me enviaria alguém que não tivesse o mesmo

06
preparo emocional. Amor exige renúncia, paciência, e para
isso preciso pôr Deus acima de todos os sentimentos e von-
tades que possam surgir em mim, caso contrário será impos-
sível conviver.

Quando falo de sacrifício posso tornar a falar de amar


ao próximo como a mim mesma, pois onde seria fácil amar
outra pessoa como a mim mesma? Desejar para outro tudo
aquilo que desejo para mim independentemente dos erros
e defeitos que ele me mostre? Com certeza terei de sacrifi-
car meus próprios instintos para poder conviver com alguém
diariamente.

A palavra de Deus afirma: “Amá-lo de todo o coração, de


todo o entendimento e de todas as forças, e amar ao próxi-
mo como a si mesmo é mais importante do que todos os sa-
crifícios e ofertas” (Mc. 12: 33). Agora penso: me decepciono
comigo mesma todos os dias por conta das minhas falhas,
das coisas que eu mesma faço que desagradam o coração
do Pai, como posso aceitar isso vindo de outra pessoa diaria-
mente e ainda assim amá-la?

Isso me pede sacrifício dos meus próprios conceitos, or-


gulhos e ideias. Preciso quebrar em mim todos os dias as
barreiras do meu “senso de justiça” para que eu possa amar
quem está ao meu lado independentemente de suas falhas,
assim como Deus me ama. Preciso me lembrar constante-
mente que não tenho direito de julgar outra pessoa, princi-
palmente aquela com quem quero ter um relacionamento
de paz e santidade.

Não é à toa que Deus nos diz que o amor tudo suporta,
tudo espera e tudo crê. Quando vierem conflitos, divergência
de ideias e até mesmo algum desafio como casal, preciso
crer que Deus nos encaminhará em particular e como casal
para o caminho certo a seguir. Em meu íntimo, Ele mostrará

07
onde precisarei ceder para que o relacionamento se mante-
nha firme de acordo com o Seu querer, e não será diferente
com o meu parceiro.

Mesmo em meio a uma geração egoísta e egocêntrica,


aqueles que buscam o Senhor saberão se relacionar com ex-
celência. Acredito sempre que o amor de Deus, que busco
todos os dias, mostrará para mim que os sacrifícios se torna-
rão bênçãos sem fim em meu relacionamento.

“Os sacrifícios que agradam a Deus são um espírito que-


brantado; um coração quebrantado e contrito, ó Deus, não
desprezarás” (Salmos 51: 17). Preparar-me para viver em paz,
para ceder, para sacrificar a mim mesma é um outro passo
que preciso dar na espera por um relacionamento que agra-
de a Deus.

Não basta eu querer um relacionamento que tenha pro-


pósito se, ao entrar nele, serei uma pessoa egocêntrica e que
não sabe ceder conforme surgem as necessidades. Pode ser a
cor da parede do quarto, o modelo do carro, o destino da via-
gem. Pode ser em uma “discussão” em casal ou outras diver-
sas situações. Devo sempre estar preparada para combinar,
conversar. Preciso, então, me preparar e orar por sabedoria
para que eu saiba agir humildemente em todas as circuns-
tâncias dentro de um relacionamento.

04 Temperança e
amabilidade
Como posso esperar que uma pessoa sacrifique a si mes-
ma em alguns momentos para estar ao meu lado se eu não
puder oferecer equilíbrio e amabilidade? Seria egoísmo es-
perar que Deus me abençoasse com uma pessoa que supe-

08
rasse as minhas expectativas (sim, superar, pois acredito que
Deus cumpre a Sua vontade, que é perfeita) e não me dispu-
sesse a ser também uma pessoa que supere as expectativas
daquele que está ao meu lado.

“Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência,


amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio pró-
prio. Contra essas coisas não há lei” (Gálatas 5: 22-23). Se ando
na Luz de Cristo, o Espírito Santo habita em mim, e seria con-
traditório afirmar isso e não apresentar seus frutos em todas
as formas de relacionamento em que eu estiver.

Em minhas orações tenho sempre mantido o mesmo


pedido, que Deus me dê sabedoria para comigo, para com as
minhas decisões e para com as pessoas que me cercam. Que
me transborde de seu Espírito para que eu não falhe com o
próximo. Dessa forma, poderei mostrar o Deus que habita
em mim para aqueles que caminham comigo.

Atualmente, é muito difícil manter equilíbrio em todas


as áreas da vida, a falta de tempo me consome e parece que
em algum momento tudo vai desabar. É difícil ter proble-
mas no trabalho, nos estudos, na família e em todas as outras
áreas e não querer gritar as dores de vez em quando. Assim
também é e será com meu parceiro. Então, cabe a mim bus-
car em Deus o equilíbrio, de maneira que eu não desconte
nessa pessoa minhas dificuldades pessoais.

O relacionamento que envolve propósito e sacrifício não


poderá recusar um ombro amigo, uma palavra de consolo,
o silêncio quando necessário para manter a calma. Nunca
poderei perder o respeito por aquele que se dispôs a buscar
o equilíbrio comigo. Será sempre uma busca contínua e mú-
tua para que nenhuma das pontas desande.

Deus fala muito sobre a mulher amável que Ele deseja

09
que eu seja em Sua palavra, e posso começar assim: “A mulher
exemplar é a coroa do seu marido, mas a de comportamento
vergonhoso é como câncer em seus ossos” (Provérbios 12: 4).
E o que seria uma mulher exemplar? Segundo a Bíblia, uma
esposa prudente, não caluniadora, sóbria, confiável, sensata,
apaziguadora e amável. Essas características estão espalha-
das por toda a Bíblia, boa parte delas em Provérbios, e posso
concluir, então, que Deus deseja temperança e amabilidade
da minha parte, assim como deseja daquele que coloca ao
meu lado.

Buscarei sempre em Deus o equilíbrio para minha vida,


a cada passo que eu der e a cada decisão que eu precisar
tomar eu contarei com o apoio Daquele que me guia. Ele
me enviou o Espírito Santo como colaborador e consolador
e também me enviou um homem segundo o Seu coração
com quem eu poderei contar em minhas dificuldades, e eu
serei a mulher que Ele deseja que eu seja, para ser calmaria
na vida do meu amado. Assim será construído um relaciona-
mento equilibrado e saudável.

Como mulher cristã, o que eu preciso buscar é sempre


ser virtuosa, manter meus princípios e convicções de acordo
com a Bíblia. Não posso me deixar levar pelos desejos do cor-
po. Se quero interessar a um homem que siga o coração de
Deus, eu devo ser uma mulher de acordo com a palavra, pois
é lá que ele irá me procurar, no coração de Deus.

05 Trabalho em conjunto
Eu, particularmente, não posso visualizar um relaciona-
mento em que não exista trabalho em conjunto. Não digo
que seria apenas em relação às profissões, mas sim no que
diz respeito a apoio, incentivo e ânimo em construir uma vida
juntos.

10
Vou mencionar um casal da Bíblia em específico, cita-
do principalmente em Atos 18: Áquila e Priscila. Tinham a
mesma profissão, fazedores de tendas, e, nos dias em que
não trabalhavam, convenciam pessoas do verdadeiro cami-
nho de Deus. É assim que desejo ser com meu futuro esposo.
Um casal que caminha junto e que explica a palavra de Deus
àqueles que não a compreendem com exatidão.

Quero ser vista ao lado de meu esposo como pessoas


que trilham os caminhos de Deus e desejo ser exemplo no
que Ele me designar a fazer. Um desejo do íntimo do meu
coração é ser lembrada como Áquila e Priscila foram lem-
brados: “Saúdem Priscila e Áquila, meus colaboradores em
Cristo Jesus” (Romanos 16: 3). Colaboradores daqueles que
anunciam a palavra de Deus.

Note nesse versículo que províncias e igrejas os conhe-


ciam como colaboradores em Cristo: “As igrejas da província
da Ásia enviam saudações. Áquila e Priscila os saúdam afe-
tuosamente no Senhor, e também a igreja que se reúne na
casa deles” (1 Co. 16: 19). É assim que desejo ser conhecida
por onde eu passar com meu futuro esposo, e, como terei um
relacionamento de propósitos abençoado por Deus, aquele
que estiver do meu lado também desejará o mesmo.

Unido em Cristo, um casal não pode fracassar. Deus não


unirá um servo Seu com uma pessoa alheia. Ele fará excelên-
cia em unir vidas, ideias, fé e propósitos. O Senhor é perfeito
em tudo o que faz, ele é bom e coopera para o bem daque-
les que O amam. Em nenhum momento me deixo abater,
pois sei que Cristo está em meu relacionamento e com Ele
presente eu terei o melhor.

Disso posso entender que, para encontrar alguém que


queira crescer, eu preciso estar disposta a crescer. Antes de

11
conhecer alguém, eu devo primeiramente buscar os sonhos
que Deus tem para mim no singular e, ao ver esses sonhos,
batalharei por eles e buscarei alcançar cada um. Nesse tem-
po, batalhando por meus sonhos, em algum momento Deus
irá me apresentar aquele que Ele preparou para mim, que
também estará batalhando pelos sonhos dele. Afinal, Deus
não unirá apenas pessoas, Ele unirá propósitos.

Considerações finais
Para finalizar, quero amarrar os pontos anteriores com
algumas observações válidas. Não posso jogar um amonto-
ado de ideias e simplesmente despedir-me sem ao menos
dizer a origem de todas essas convicções.

A vida toda fui evangélica, sempre fui uma menina mui-


to precoce em casa, na escola e na igreja. Meus pais se viam
loucos para me frear o tanto quanto fosse possível, mas em
um certo momento aceitaram que essa era minha natureza
e o que poderiam fazer era sempre me orientar a seguir os
bons caminhos.

Durante todos esses anos em que eles e os ministros da


igreja que eu frequentava buscavam me instruir, pude en-
contrar muitos conselhos válidos, como disse no decorrer do
texto. Li muitos livros, ouvi muitas pregações, fiz muitos estu-
dos e orações a respeito de relacionamentos. Não estive livre
de tropeços e decepções, mas Deus me ensinou a superar
cada um desses momentos.

Como toda adolescente, eu tive muitas paixonites.Quan-


do mais crescidinha, alguns flertes com rapazes da minha ida-
de, mas sempre procurei permanecer no caminho de Deus,
por mais difícil que pareça para uma adolescente. Já adulta,
quando consegui controlar meus instintos, pensamentos e

12
sentimentos, tornou-se mais fácil ter domínio sobre minhas
atitudes, e assim os erros para com o meu coração foram me-
nores, mas não nulos.

Relacionei-me algumas vezes, foram três namoros e uma


corte, acredite, minhas esperanças ao final dessa corte já es-
tavam esgotadas. Vi então que, por mais que eu estudasse,
buscasse, me preparasse, se não fosse o momento e a pessoa
que Deus enviaria, não tenderia ao certo. Esse entendimento
me fez desenvolver paciência, acalmar o meu coração, orar
por sabedoria, discernimento, e sempre pedir a Deus que de
mim não exalasse desespero.

Vejo que quanto mais afobada eu ficava, mais desespe-


rançosa eu estava, mais vulnerável ao erro eu me tornava, pois
eu me permitia sair do centro da vontade de Deus para to-
mar as rédeas das minhas próprias decisões, e isso me apro-
ximava do fracasso. Ao passo que eu orava e me mantinha no
colo do Pai, a caminhada era mais serena.

Hoje posso afirmar com certeza que Deus está ao meu


lado o tempo todo. Ele me fez entender que meu relaciona-
mento visa um futuro. Futuro esse que eu vou construir ao
lado do meu parceiro e no centro da Sua vontade. Com ami-
zade, companheirismo e respeito, estaremos sempre cres-
cendo na intimidade do Senhor.

Sacrifico-me para aquilo que Deus me mostra necessá-


rio. Se em meu coração Ele pede que eu renuncie a algum
sentimento, palavra ou desejo em prol desse relacionamen-
to, eu o farei sem medo, pois sei que estou segura nas mãos
daquele que me guia e também creio que Ele estará falando
ao coração daquele que está ao meu lado para que ambos
possam se sacrificar na medida certa, renunciar com mode-
ração e assim estar sempre em harmonia.

13
Busquei sempre a temperança e a amabilidade até co-
nhecer o homem que está ao meu lado. Vejo que essa foi a
principal atitude que pude ter para com minha vida e para
com o nosso relacionamento. Sendo amável com as pessoas
que estão ao meu redor e buscando sempre reproduzir os
frutos do Espírito Santo, eu não poderia encontrar uma pes-
soa que não fizesse o mesmo. Um homem honesto, sereno,
bondoso e amável. Essas atitudes com certeza me aproxima-
ram daquele que sempre orei para que estivesse comigo.

A partir do momento que entrei em um relacionamen-


to, não me abstive de bom ânimo e coragem para crescer ao
lado daquele que me ama. O seu trabalho também é minha
prioridade e seus sonhos também são meus sonhos. Da mes-
ma maneira que busco realizar os sonhos que tenho para mi-
nha vida, busco cooperar para que ele realize os dele e assim
ele também faz para comigo. Não poderia ser diferente, o Se-
nhor me manda viver em comunhão e isso inclui o trabalhar
juntos, o crescer juntos.

Com essas ações, eu creio que Deus sempre estará ao


meu lado, me conduzindo e me encaminhando para cons-
truir junto ao meu amado uma família que O serve, respei-
tando sempre as escrituras e todos os mandamentos que Ele
nos der. Desse relacionamento não poderão sair frutos ruins,
pois Cristo é o centro.

Com minhas atitudes eu poderei cooperar para que es-


tejamos sempre em harmonia com Cristo até que o nosso
propósito se alcance. Sonho com uma vida serena, mesmo
ciente de que os caminhos serão espinhosos, eu desejo ter a
paz de Deus em meu coração. Quando saí da casa dos meus
pais eu tinha apenas 17 anos e me vi em completo desam-
paro, com medo da vida que me esperava do lado de fora
da porta, e Deus me deu um versículo: “Não to mandei eu?
Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes;

14
porque o Senhor teu Deus é contigo, por onde quer que an-
dares” (Josué 1: 9).

Com essa palavra eu me guardo em Sua presença, acre-


dito que Ele me dirá o que fazer o tempo todo. Quando rece-
bo conselhos como os que citei neste texto (afinal, eu os bus-
co o tempo todo para me completar), oro em agradecimento
e aproveito para pedir que Ele reforce em mim o que preciso
mudar. Um relacionamento não é algo que encontramos em
cada esquina, mas é algo que podemos construir desde sol-
teiros buscando Deus e esperando no centro de Sua vontade.

Karolyne Melo.

15
gospel_lov

/gospellov

gospel_lov

Você também pode gostar