Você está na página 1de 4

Introdução

Neste presente trabalho me debrucei em torno dos factos jurídicos me ocupei em trazer de modo claro
e simples aquilo qui seria o fato jurídico mas especificadamente fatos jurídicos voluntários e
involuntários partindo da noção do que seria um fato jurídico em segunda parti para os fatos jurídicos
voluntários e involuntários iniciando pelas suas definiçoes , suas diferenciaçoes até a sua
classificação.um bom passe
Noção do Facto jurídico.

Facto é tudo qui acontece é que tem um mínimo de exteriorização.

Juridicamente, facto jurídico é todo o acto humano ou acontecimento natural juridicamente relevante
está relevância jurídica traduz-se principalmente, se não mesmo necessáriamente na produção de
efeitos jurídicos.

Por exemplo há factos jurídicos naturais indiferentes para o direito isto é desprovido de qualquer
eficácia jurídica um convite para passeio, uma visita de cortesia uso de gravata de certa cor etc.

Factos jurídicos involuntários e volunotários

Factos jurídicos involuntários são aqueles acontecimentos estranhos qui tem como origem e causa
natural ou seja são causados pela natureza e não tem relevância jurídica e não produzem efeitos
jurídicos qui normalmente não Há possível reposabilidade da parte de ninguém como por exemplo o
decurso do tempo, a morte, o nascimento a vizinhança etc.

É de salientar qui os factos jurídicos involuntários no seu conjunto formam uma categoria a que muitos
autores designam por facto jurídico atrito senso, contrapondo-se a esta a de actos jurídicos
correspondentes aos fatos jurídicos voluntários.

factos jurídicos voluntários são acontecimentos qui resultam da ação humana ou da sua vontade qui
tem relevância jurídica e produzem efeitos jurídicos assim sendo a responsabilidade por parte do
sujeito qui pratica a acção está pode ser negativa ou positiva,temos por exemplo o homicídio
encontramos aqui uma responsabilidade criminal. Estes fatos voluntários pode ser causados pela
vontade do homem ou não o fato de serem voluntários não significa que sempre são causados pela sua
vontade.

Os factos jurídicos humanos ou voluntários são caracterizados por acções que atingem um determinado
fim podem também ser, não voluntários, integrando-se estes naqueles comportamentos caraterizados
por se dirigirem a um fim qui o homem mentalmente antecipa e querer realizar.

No entanto nem sempre o direito atende a esta estrutura finalista da ação humana. Há fatos em relação
aos quais, o seu caráter humano é volutivo é completamente desconhecido pelo direito na atribuição
de quaisquer fins, e tudo acaba por se passar como se de um acto natural se tratasse.

atos jurídicos voluntários temos um elemento importante qui é a vontade ou seja a manifestação de
vontade para que o determinado fato se verifique.

Vontade é o impulso livre do homem, projetado ou não no mundo jurídico. Enquanto for apenas um
processo volitivo interno, não produz efeitos jurídicos, é o que se conhece como vontade psicológica
.Uma vez exteriorizada, a vontade poderá projetar-se no mundo ou no Mundo jurídico Projetada no
mundo do Direito, a vontade pode assumir a forma de ato jurídico ou de negócio jurídico, no campo não
penal. A pesar da vontade ser o elemento importante temos qui realçar qui nem sempre estes fatos são
causados pela sua vontade a factos praticados intencionalmente e outros sem intenção.

Os factos jurídicos voluntários pode ser lícitos e ilícitos

Fatos lícitos são conforme a ordem pública e por ela consentidos ou seja são aquelas fatos qui respeitam
a lei ao serem praticadas já os ilícitos são ao contrário dos lícitos ou seja são aqueles fatos que
contrariam a ordem pública e são reprovados pela ordem jurídica e os infratores sofrem uma sanção.

Por sua vez os factos jurídicos voluntários classifica-se em:negocios jurídicos simples e simples actos
jurídicos.

Negócios jurídicos simples são factos voluntários cujo o núcleo essencial é integrado por uma declaração
de vontade aque o ordenamento jurídico atribui efeitos jurídicos concordantes com conteúdo da
vontade das partes, tal como este é objetivamente de fora apercebido.

Os simples actos jurídicos são factos voluntários cujos efeitos se produzem mesmo qui não tenham sido
previstos ou queridos pelos seus autores embora muitas vezes haja concordância entre a vontade
destes e os efeitos .Aqui sublinha-se qui não é necessário requerida a vontade de reprodução dos
efeitos correspondentes ao tipo de simples acto jurídico em causa para essa eficácia se desencadeia.

Conclusão
Após terminado o trabalho de pesquisa conclui qui os fatos voluntários e involuntário se assemelham
porque são todos eles caraterizados por acontecimentos mas se vem diferenciar ao passo que os fatos
voluntários sao causados pelo homem independente da sua vontade ou não e estes tem relevância
jurídica já os involuntários são causados pela natureza e não tem relevância jurídica.