Você está na página 1de 11

Universidade Católica de Moçambique

Instituto de Educação à Distância

Tema: As Etapas do Método Estatístico

Nome do Estudante: Luciasse Nede Nº________

Curso: Licenciatura em Administração Pública


Disciplina: Estatística
Ano de Frequência: 1º Ano

Milange, Março de 2020

0
Folha de Feedback

Classificação

Categorias Indicadores Padrões Nota


Pontuação
do Subtotal
máxima
tutor

 Capa 0.5

Aspectos  Índice 0.5


Estrutura
organizacionais  Introdução 0.5

 Actividades 0.5

 Organização dos
dados

 Indicação correta
Actividades2
Conteúdo da fórmula 17.01
por unidade
 Passos da resolução

 Resultado obtido

 Paginação, tipo e
tamanho de letra,
Aspectos
Formatação paragrafo, 1.0
gerais
espaçamento entre
linhas

1
A cotação pode ser distribuída de acordo com o peso da actividade
2. O número das actividades pode variar em função ao docente
i
Folha para recomendações de melhoria: A ser preenchida pelo tutor
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________

ii
Índice

I. INTRODUÇÃO ........................................................................................................................... 1
1.1 Tema ................................................................................................................................. 1
1.2 Descrição do Problema ..................................................................................................... 1
1.3 Objectivos ......................................................................................................................... 2
1.3.1 Objectivo Geral.......................................................................................................... 2
1.3.2 Objectivos Específicos .............................................................................................. 2
II ANÁLISE E DISCUSSÃO .......................................................................................................... 2
2.1. Estatística .......................................................................................................................... 2
2.2. Método Estatístico ............................................................................................................ 3
2.3. Etapas do Método Estatístico ............................................................................................ 3
2.3.1. Identificação do problema ou situação ...................................................................... 3
2.3.2. Recolha de dados .............................................................................................................. 4
2.3.3. Crítica dos dados ............................................................................................................... 5
2.3.4. Apresentação dos dados .................................................................................................... 5
2.3.5. Análise e interpretação de resultados ................................................................................ 6
III CONCLUSÕES .......................................................................................................................... 6
4. Referências Bibliográficas ....................................................................................................... 7

iii
I. INTRODUÇÃO

A Estatística, como um ramo da Matemática, é aplicada em diferentes áreas como Administração,


Engenharia, Medicina, Psicologia, Ciências Sociais etc. Nos dias de hoje, a Estatística é uma
ferramenta indispensável para qualquer profissional que necessita analisar informações em suas
tomadas de decisões diárias, seja no seu trabalho ou na sua vida. Trata-se de uma ciência que se
dedica ao desenvolvimento e ao uso de métodos para a recolha, resumo, organização, apresentação
e análise de dados. Este é o primeiro trabalho da cadeira de Estatística dado aos estudantes do
primeiro ano do curso de Licenciatura em Administração Pública da UCM-Instituto de Educação
à Distância em Milange, e é de carácter avaliativo.

1.1 Tema

O presente trabalho tem como tema “As Etapas do Método Estatístico”. Trata-se de um tema
inserido nos conteúdos da cadeira de Estatística, na segunda Unidade Temática do módulo
correspondente concebido para este curso.

1.2 Descrição do Problema

Partindo do pressuposto de que a pesquisa científica, é a realização concreta de uma investigação


planificada e desenvolvida de acordo com as normas consagradas pela metodologia científica.
Metodologia científica aqui entendida como um conjunto de etapas ordenadamente dispostas que
devem ser seguidas na investigação de um fenómeno. No método estatístico, tal como qualquer
outro método de pesquisa, são seguidas normas básicas, chamadas etapas, que conduzem ao
investigador a chegar a uma conclusão que seja aceitável. Nessas etapas estão incluídos desde a
escolha do tema, a planificação da investigação, o desenvolvimento metodológico, a recolha e o
tratamento de dados, a análise dos resultados, a elaboração das conclusões e até a divulgação de
resultados. Sendo passos importantes, normativos e indispensáveis para a realização de um trabalho
de pesqisa, levanta-se a seguinte questão: “Quais são as etapas do método estatístico usadas na
realização de pesquisas?

1
1.3 Objectivos
1.3.1 Objectivo Geral

 Conhecer as etapas do método estatístico usadas na realização de pesquisa.

1.3.2 Objectivos Específicos

 Identificar as etapas básicas do método estatístico usadas na realização de pesquisas;


 Descrever as etapas do método estatístico;
 Mencionar a importância do método estatístico para qualquer estudo ou investigação de
natureza estatística.

II ANÁLISE E DISCUSSÃO

2.1. Estatística

O mundo está repleto de problemas e frequentemente nos deparamos com diversas informações a
respeito deles nos mais variados veículos de comunicação. Para resolvermos esses problemas
precisamos reunir dados e compreendê-los, isto é, coletar informações que possam ser contadas,
como peso, temperatura, preço, número de produtos defeituosos etc. É aí que entra a Estatística,
pois ela se encarrega dessa árdua tarefa.

De acordo com Bayer, Bittencourt, Rocha e Echeveste (2010) “a Estatística é uma ciência que se
dedica ao desenvolvimento e ao uso de métodos para a coleta, resumo, organização, apresentação
e análise de dados” (p. 5). Ainda Falco e Junior (2012) referem que “a Estatística é a ciência que
se preocupa com a coleta, a organização, descrição (apresentação), análise e interpretação de dados
experimentais e tem como objetivo fundamental o estudo de uma população” (p. 13).

Portanto, a Estatística é uma parte da matemática aplicada que fornece métodos para coleta,
organização, descrição, análise e interpretação de dados e para a utilização dos mesmos na tomada
de decisões. Para estes autores, a Estatística, como qualquer outra ciência, trata fundamentalmente

2
de manipulação de dados, por se considerar dado como unidade mínima para a obtenção de
informações. Em Estatística esses dados são manipulados através de métodos.

2.2. Método Estatístico

Segundo Granzotto (2002) método é um meio mais eficaz para atingir determinada meta. O
método, neste caso, tem como função mostrar como conduzir a pesquisa, ajudando a refletir e
instigar um novo olhar sobre o mundo: um olhar curioso, indagador e criativo. O mesmo
pensamento é defendido por Martinazzo (2008) ao referir que “método é um conjunto de meios
dispostos convenientemente para se chegar a um fim que se deseja” (p. 3). Este autor destaca três
métodos, o Científico, o Estatístico e o Experimental”. O presente trabalho está focalizado no
método estatístico, onde pretende-se falar sobre as suas etapas.

O método estatístico, para Ferrari (2004) é “o método que admite todas as causas presentes
variando-as, dada a impossibilidade de manter as causas constantes, registrando estas variações e
procurando determinar que influências cabem a cada uma delas” (p. 5).

Sande (2015) refere que o método estatístico obedece a 5 etapas a saber: (i) identificação do problema
ou situação, (ii) recolha de dados, (iii) crítica dos dados, (iv) apresentação dos dados e, (v) análise
e interpretação de resultados.

2.3. Etapas do Método Estatístico


2.3.1. Identificação do problema ou situação

Para Oliveira (2017) na primeira etapa do método estatístico é onde se deve “definir o que será
estudado e a natureza dos dados” (p. 12). Ferrari (2004), por sua vez, diz que esta etapa consiste
em planificar o modo como serão realizadas as fases seguintes, determinando o objectivo da
pesquisa e os métodos que serão utilizados. Nesta etapa são definidos os objectivos, as
características da amostra, o método de aquisição e de processamento de dados.

De acordo com Sande (2015), o problema deverá ser claro, desde o início do estudo e, uma vez
conhecido, deve se saber qual o tipo de decisões que se pretendem tomar. O autor adverte que esta
etapa requer já algum conhecimento estatístico pois os métodos a aplicar não são, de modo nenhum,

3
independentes da informação que se pretende recolher. Para o autor, uma identificação incorrecta
do problema torna todas as etapas seguintes inúteis.

Assim sendo, podemos notar que é necessário formular corretamente o problema, definir a
população a ser estudada, saber quais as variáveis que serão observadas, quais são as hipóteses que
serão avaliadas, determinar o que se pretende investigar e, por fim, ter conhecimento de outros
estudos realizados sobre o tema (revisão da literatura). Desta forma estarão a ser definidos com
clareza os objectivos da pesquisa, ou seja, o que se pretende apurar, que tipo de problema se
pretende resolver.

2.3.2. Recolha de dados

Conforme afirma Sande (2015), “uma vez identificado o problema, a etapa seguinte consiste na
recolha dos dados necessários, apropriados, tão completos quanto possível e, sobretudo, pertinentes
para a situação que se pretende analisar” (p. 16).

Nesta etapa faz-se a pesquisa de campo propriamente dita (Silva & Menezes, 2005, p. 35). De
acordo com esses autores, para obter êxito neste processo, duas qualidades são fundamentais: a
paciência e a persistência.

Como se pode ver, esta etapa acontece depois de se definir o que será estudado e a planificação do
trabalho (forma de colecta dos dados, cronograma das atividades, custos envolvidos, levantamento
das informações disponíveis). Este passo consiste na busca dos dados, componentes do fenômeno
a ser estudado. É nessa etapa onde recolhem‐se os dados tendo o cuidado de controlar a qualidade
da informação, pois o sucesso de uma pesquisa depende muito da qualidade dos dados recolhidos.

De acordo com Falco e Junior (2012) a colecta de dados pode ser de dois tipos, nomeadamente
dados primários e secundários.

Os Dados Primários são obtidos diretamente na fonte originária (coleta direta). A colecta é feita
usando o método de observação, em que o pesquisador não pergunta, apenas observa, ou pelo
método de levantamento, que pode ser feito através de entrevista ou questionário. Nesse caso, é
importante garantir que a coleta de dados primários seja executada de maneira estatisticamente
4
correta, senão os resultados podem ser tendenciosos. Os dados secundários são obtidos de algo já
disposto e provêm da coleta direta.

É importante salientar que Falco e Junior (2012) advertem que é mais seguro trabalhar com fontes
primárias por considerarem que o uso da fonte secundária traz o grande risco de erros de
transcrição.

2.3.3. Crítica dos dados

Uma vez os dados recolhidos é necessário fazer a uma revisão critica, de modo a suprimir valores
estranhos ou eliminar erros capazes de provocar futuros enganos de apresentação e analise ou
mesmo de desviar as conclusões obtidos (Sande, 2015 p. 16).

A questão de crítica dos dados é defendida por Ferrari (2004) ao referir que “os dados obtidos
devem ser criticados à procura de falhas sistemáticas na planificação, aquisição e armazenamento
dos dados” (p. 6).

Portanto, a crítica dos dados surge da necessidade de procura de falhas e imperfeições, para garantir
que os dados sejam cuidadosamente organizados e contados, a fim de não incorrermos em erros
grosseiros que possam influenciar nos resultados da pesquisa.

2.3.4. Apresentação dos dados

A exposição dos dados tem o objectivo de facilitar a análise daquilo que é objecto do estudo
estatístico. É nessa ordem de ideias que Oliveira (2017) refere que “os dados devem ser
apresentados sob a forma de tabelas ou gráficos, a fim de tornar mais fácil e rápido o exame daquilo
que está sendo estudado” (p. 12). Aliás, de acordo com Sande (2015) é aqui onde começa o
principal objectivo da Estatística Descritiva: criar os instrumentos necessários para classificar e
apresentar conjuntos de dados numéricos de tal modo que a informação neles contida seja
apreendida mais fácil e rapidamente.

Atualmente, com o aparecimento e expansão da informática, é natural que sejam escolhidos os


recursos computacionais para dar suporte aos cálculos estatísticos, tabelas, quadros e gráficos.

5
2.3.5. Análise e interpretação de resultados

Para Oliveira (2017), esta é a fase mais complexa do processo estatístico, que consiste na análise e
interpretação dos dados. A partir da análise realizada, poderemos chegar a uma tomada de decisão.
Alias, como refere Sande (2015), esta interpretação estará tanto mais facilitada se tiverem sido
concluídas as etapas anteriores, se forem usados os instrumentos mais apropriados e se a
representação de tipos de dados recolhidos for adequada.

Entende-se assim que a análise deve ser feita para atender aos objectivos da pesquisa e para
comparar e confrontar dados e provas, com o objectivo de confirmar ou rejeitar as hipóteses ou os
pressupostos da pesquisa.

III CONCLUSÕES

Terminada a discussão do tema, podemos concluir que a estatística tem um papel fundamental na
geração do conhecimento. Por meio de uso da Estatística, governos, empresas, pessoas, escolas,
entidades, instituições e organizações actuam na formulação de soluções dos problemas da
sociedade moderna.
Cientificamente, é difícil compreender um problema que envolve dados sem o uso da estatística,
pois ela coloca ordem à desordem, projecta estudos e experimentos; colecta, organiza, resume e
analisa dados; interpreta resultados, esboça conclusões e auxilia na tomada de decisão.

No uso do método estatístico é importante seguir certas etapas que vão desde a identificação do
problema passando pela recolha dos dados, crítica, apresentação e terminam com a análise e
interpretação dos mesmos.

Fica claro que um profissional com conhecimentos de Estatística terá maior facilidade em
identificar um problema em sua área de atuação, determinar os tipos de dados que irão contribuir
para sua análise, coletar esses dados e a seguir estabelecer conclusões e determinar um plano de
ação para a solução do problema detectado.

6
4. Referências Bibliográficas

Bayer, A., Bittencourt, H., Rocha, J., & Echeveste, S. (2010). A Estatística e sua História. Sd. Sl.

Falco, J. G. & Júnior, R. J. (2012). Estatística. Paraná, Brasil: Instituto Federal de Educação,
Ciência e Tecnologia – Educação à Distância.

Ferrari, F. (2004). Estatística Básica. São Paulo, Brasil: Editora Saraiva.

Granzotto, A. J. (2002). Estatística Básica. São Paulo, Brasil: Editora Saraiva.

Martinazzo, C. A. (2008). Estatística Aplicada à Computação. Universidade Regional Integrada


do Alto Uruguai e das Missões - Campus de Erechim.

Oliveira, U. R. (2017). Estatística. São Paulo, Brasil: Editora Saraiva.

Sande, L. D. (2015). Estatística, 1º Ano. Sofala, Moçambique: UCM-CED.

Solva, E. L. & Menezes, E. M. (2005). Metodologia de Pesquisa e Elaboração de Dissertação. 4ª


ed. Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC.