Você está na página 1de 3

MANUAL TÉCNICO DE 3Z.0006.

NC
ENGENHARIA Página: 1 de 3
ELEVADORES SYNERGY LIMITES
Data emissão
FISICOS 23/04/2009
Índice:00

1. Objetivo

Este manual tem como finalidade informar aos técnicos da TKE, quanto ao
processo para ajuste dos limites de redução parada e final nos elevadores
Synergy.

2. Aplicação

Elevadores: Synergy 06 a 13 pessoas, 450 a 975 kg, velocidade de 60 m/min.

3. Procedimento

3.1. Confirmar e ajustar se necessário, através do TLS na MCINV, à velocidade de


manutenção para 15 rpm.

Menu: velocidade# + rpm manut # + ajuste 15 rpm.

3.2. Também com o TLS, desbloquear na MCP o percurso de redução superior.

Menu: (2) manut/config# + (5) percurso# + (3) bloqueio# + ajuste P40, habilita
ou desabilita.

3.3 Com a cabina nivelada no pavimento superior, verificar o deslize do contrapeso


até o buffer, mínimo 100 e máximo 150 mm. O deslize não deve ser inferior a 100
milímetros, caso esteja fora destas medidas, deve-se ajustar os cabos de tração
junto aos tirantes, no lado do contrapeso.

3.4 Nivelar a cabina no pavimento inferior, verificar o deslize da mesma até o


buffer, mínimo 100 e máximo 150 milímetros. O deslize não deve ser inferior a 100
milímetros, caso esteja fora destas medidas, deverá ser corrigida, a altura do buffer
de cabina.

4. Ajuste

4.1. Limites de redução.

Em manutenção aproximar o elevador dos limites de redução, subida ou descida,


subir ou descer o elevador, com pequenos espaços de movimento até cortar o
limite de redução, o mesmo deve ser ajustado para 1180 mm, da linha de
nivelamento, (soleira de pavimento), figuras e tabelas 01e 02.

Revisor: Aprovador:
Luis Alves Lourival Francisco
DIPD DIPD

Copyright © 2004 Thyssenkrupp Elevadores S.A


Proibida a reprodução ou divulgação sem consentimento prévio da ThyssenKrupp Elevadores S.A
MANUAL TÉCNICO DE 3Z.0006.NC
ENGENHARIA Página: 2 de 3
ELEVADORES SYNERGY LIMITES
Data emissão
FISICOS 23/04/2009
Índice:00

4.2. Limites de Parada.


Aproximar o elevador em manutenção, do nivelamento dos pavimentos extremos,
subir ou descer o elevador em manutenção, com pequenos espaços de movimento,
até parar pelos limites de parada, ajustar os limites de parada, para um
desnivelamento positivo, de 10 milímetros, da soleira da cabina, em relação à
soleira de pavimento. Figuras e tabelas. 01 e 02.

4.3. Limites Finais.

Utilizando os mesmos procedimentos, ajustar os limites finais, para um


desnivelamento positivo de 80 milímetros em relação ao limite de parada, ou 90
milímetros da soleira de cabina, em relação à soleira de pavimento. Figuras e
tabelas. 01 e 02.

Obs. O elevador deverá cortar os limites finais, antes de bater no Buffer.

4.4. Subir ou descer o elevador na velocidade de manutenção, até cortar os limites


de parada, a rampa não deve cortar os limites finais.

NOTA: A linha zona de nivelamento é o nível da soleira de pavimento.

LIMITES SUPERIORES

Figura 01

Revisor: Aprovador:
Luis Alves Lourival Francisco
DIPD DIPD

Copyright © 2004 Thyssenkrupp Elevadores S.A


Proibida a reprodução ou divulgação sem consentimento prévio da ThyssenKrupp Elevadores S.A
MANUAL TÉCNICO DE 3Z.0006.NC
ENGENHARIA Página: 3 de 3
ELEVADORES SYNERGY LIMITES
Data emissão
FISICOS 23/04/2009
Índice:00

LIMITES INFERIORES

Figura 02

Nota: Unidade das cotas em “mm”

Tabela 01 Tabela 02
COTAS COTAS

VELOCIDADE
A B
ELEVADOR

60 m / min 1180 SYNERGY 80

Em caso de duvidas consultar:

DEEM= DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA.

DECA= DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE CAMPO.

Revisor: Aprovador:
Luis Alves Lourival Francisco
DIPD DIPD

Copyright © 2004 Thyssenkrupp Elevadores S.A


Proibida a reprodução ou divulgação sem consentimento prévio da ThyssenKrupp Elevadores S.A

Você também pode gostar