Você está na página 1de 13

ETEC CAROLINA CARINHATO SAMPAIO.

PEQUENAS EMPRESAS E A MISTURA DE CONTAS PESSOAIS E


EMPRESARIAIS

SÃO PAULO
2020
ADRYAN DAVI PEREIRA DE FREITAS
CAMILLY DE BARROS SANTOS
JÚLIA MAGALHÃES DO NASCIMENTO
JULIANA DE JESUS SANTOS
NYCOLLY YSLLA SILVA SOUZA

PEQUENAS EMPRESAS E A MISTURA DE CONTAS PESSOAIS E


EMPRESARIAIS

Trabalho apresentado ao curso Técnico em


Administração da Etec Carolina Carinhato
Sampaio como requisito à obtenção de nota do
semestre.

Orientador: Prof. Adailton Reis

SÃO PAULO
2020
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO 3
2 O QUE É UMA MPE’s E SUAS CONTRIBUIÇÕES 4
3 O QUE FAZ ELAS NÃO DAREM CERTO E O PORQUÊ DISSO? 4
4 CONTROLE FINANCEIRO DE PEQUENAS EMPRESAS 5
5 POR QUE NÃO MISTURAR FINANÇAS PESSOAIS E EMPRESARIAIS? 7
6 O QUE FAZER PARA QUE ISSO NÃO ACONTEÇA? 8
7 CONCLUSÃO 11
8 BIBLIOGRAFIA 12
1 INTRODUÇÃO

Uma das principais regras de finanças empresariais é a separação das contas


da pessoa física e da pessoa jurídica. A maior parte dos negócios que fecham por
problemas financeiros não seguem esta regra.
Essa mistura não é observada e nem corrigida, na maioria das vezes e acaba
sempre gerando mais problemas para a empresa. Seus efeitos são ainda piores
quando não se há um controle financeiro que indique essa situação, trazendo outros
riscos para a empresa, como problemas fiscais e ainda descaracterização da
personalidade jurídica.
2 O QUE É UMA MPE’s E SUAS CONTRIBUIÇÕES

MPE's é a sigla que se refere à Micro e Pequenas empresas e que apesar do


nome que recebem pelo seu tamanho, apresentam muitas contribuições para o país
em que estão inseridas. Aqui no Brasil, as MPE's geram cerca de 21% do produto
interno bruto (PIB) e empregam cerca de 60% da mão de obra do país, ou seja, além
de contribuir para o crescimento econômico do país, elas ainda produzem mais
empregos, diminuindo o índice de desempregados que crescem a cada dia mais.

3 O QUE FAZ ELAS NÃO DAREM CERTO E O PORQUÊ DISSO?

O planejamento é essencial para uma empresa, por esse motivo muitas


empresas acabam falindo ou mesmo tendo prejuízo por não trabalha ou enxerga a
longo prazo, muitas delas apenas dão se atentam para os 3 primeiros meses de
produção, até deixando a visão da organização de lado... “Os empreendedores não
sabem conciliar visão de longo prazo com metas concretas de curtíssimo prazo. O
executivo tem ciclo de planejamento de um ano e o empresário de um dia, uma
semana”, diz o professor do Insper.
Muitos empreendedores desconhecem grande parte dos conceitos de finanças
que hoje em dia são indispensáveis para os negócios, Gomes explica que as
empresas costumam fazer só uma fatia deste controle. “Geralmente, tem planilhas de
contas a pagar e a receber e fluxo de caixa. As empresas acreditam que são controles
financeiros, mas são controles de tesouraria” O controle financeiro deve incluir ainda
indicadores de controladoria, que estuda o passado da empresa e mira os resultados
que já foram produzidos, como o balanço patrimonial, e planejamento, como o
orçamento empresarial do ano.
Uma das principais características dos empreendedores é o otimismo, que
acaba se elevando colocando expectativas excessivas, eles acreditam que sua ideia
vai dar certo e arrisca tudo que tem nesse único projeto e por isso não conseguem
prevê futuros erros. Porém apesar de tudo é preciso ser otimista mas não podendo
perde o senso de realidade. É preciso ter um autodomínio para não criar uma fantasia.
Uma razão clássica para o fracasso é misturar as contas da empresa e as
despesas pessoais. “Nas pequenas e médias empresas, confunde-se o CPF com o
CNPJ e as despesas pessoais do proprietário são pagas com o dinheiro da empresa”,
diz Gomes.
Se a empresa for optante do regime tributário lucro real, isso, muitas vezes,
gera um gasto maior com impostos. A orientação é ter um pró-labore estabelecido e
usar estas retiradas para pagar as contas pessoais.
Segundo dados do Sebrae, os empreendedores passam sete meses
planejando um negócio antes de oficializar o mesmo. Este momento se torna crucial,
mas pode ser o principal motivo para o fracasso. Se tornando uma busca insaciável
para acha o produto perfeito. O professor do Insper explica que gastar muito para
produzir ou desenvolver um produto e demorar em lançá-lo pode ser um problema.
“Muito gastam mais dinheiro e mais rápido do que deveriam, gastando muito tempo e
recurso com o produto perfeito. Não tem produto perfeito. Precisa lançar o produto no
timing correto”, afirma.
Muitas empreendedores acabam se conformando com a situação atual que a
empresa se encontra, não buscando inovar seu serviço e produto, deixando com que
a concorrência passe muito a frente e quando percebe, já acaba sendo muito difícil
alcançar as outras organizações. Muitas vezes pode até perde a fidelidade de alguns
clientes.
Um dos principais motivos da empresa não se manter no mercado, depende do
produto ou serviço que a empresa oferece, pois dependendo da localização onde ela
está pode haver bastante concorrente tendo os mesmos produtos. Sendo que eles
devem estar melhor estabelecidos no mercado, com fidelidade e credibilidade com os
cliente dessa forma dificultando as demais empresas se manterem com a força do
concorrente.
Desde já qualquer empresas deveria levar em consideração aos comentários
sendo crítica, ideias e elogios. Mas por muitas vezes isso acaba ficando de lado, por
esse motivo muitos clientes acabam não se sentindo confortável pela forma que sua
opinião é tratada.

4 CONTROLE FINANCEIRO DE PEQUENAS EMPRESAS

O que é?
Controle financeiro é uma forma de planejar e organizar de um jeito mais
eficiente as finanças da empresa visando uma melhor rentabilidade de seus
investimentos garantindo o seu patrimônio através de medidas tomadas, e evitando
assim endividamentos e diminuindo os riscos de falência, por isso faz-se necessário
o uso desse método em todas as empresas, de todos os portes, principalmente as
micros e pequenas, pois assim seus gastos em despesas fixas e variáveis vão estar,
antecipadamente, previstas na programação da empresa, aumentando as receitas e
lucros.

Quais ferramentas e como aplicar?


Há várias ferramentas que podem ser usadas, sendo eles: fluxo de caixa,
controle bancário, controle de contas a receber e a pagar, e o controle de despesas
mensais. O fluxo de caixa torna-se o mais relevante dentre os outros pois é ele quem
irá prever o futuro do seu capital de giro e quanto terá de saldo em caixa ao fim de
cada período, basicamente essa ferramenta baseia-se em previsões e no registro de
contas, mas para isso é preciso manter um controle em suas finanças.
Sabendo disso, para por em prática é preciso fazer análises financeiras desde
as receitas às despesas, separando as fixas das variáveis para a exatidão do
resultado do montante.
O controle bancário é simplesmente o registro diário de todas as
movimentações bancárias, ou seja, são todos os depósitos e créditos na conta da
empresa e os demais valores debitados da mesma (tarifas, juros, etc.).
Já o controle de contas a receber, nada mais é do que os valores a serem
recebidos, advindos das vendas a prazo, e a empresa que não consegue administrar
isso está destinada ao fracasso, por isso é necessário saber aquilo que se tem a
receber pra antecipar e se planejar para utiliza-lo da melhor forma. Por outro lado, no
contas a pagar, é apenas manter-se no eixo, não ultrapassando prazos de validade e
controla o montante dos compromissos já vencidos e não pagos, em casos de
dificuldades financeiras, através da organização de seus totais, honrando seu contrato
com seus fornecedores e parceiros.
Por fim, temos o controle de despesas mensais, que podemos constatar que
os controles são fundamentais num processo organizacional, pois, é através dele que
a empresa decide dar continuidade de vida da sua empresa ou não. E com essa
previsão que a instituição pode acompanhar seu crescimento não, pois terá se
antecipado com esse método.
5 POR QUE NÃO MISTURAR FINANÇAS PESSOAIS E EMPRESARIAIS?

Os principais problemas para não se misturar as contas pessoais e


empresariais são:

1- A mistura de contas prejudica a contabilidade da agência e o imposto de


renda pessoal
Os dados precisam estar corretos para que o escritório de contabilidade possa
montar relatórios que irão mostrar resultados seguros e fica muito mais fácil realizar a
sua contabilidade pessoal, ou seja, o imposto de renda, tendo as contas separadas.
Além disso, existe um problema legal em misturar as contas. A advogada
tributarista Ana Cláudia Utumi diz que:
“O fisco pode entender que a empresa deixou de pagar imposto sobre dinheiro
que foi direto para a pessoa física, ou que a empresa está fazendo pagamentos sem
causa para a pessoa física”.
Logo, a separação é necessária para não ter problemas fiscais!

2- Perda do controle financeiro


Misturando as contas físicas e jurídicas perde o controle financeiro do negócio.
O empresário não consegue analisar os resultados reais da empresa, o que pode
dificultar a tomada de decisões importantes sobre a empresa, por exemplo, um
investimento e investir a partir de dados confusos pode causar grandes problemas
para o seu negócio.

3- Não saber exatamente quais são os gastos da empresa


Uma das tarefas que um empresário precisa realizar é a de controlar os gastos
da empresa. Porém, muitos gestores fazem esse processo de redução de custos sem
nenhuma estratégia.
Não tendo esse controle do que é gasto pessoal e empresarial irá ficar muito
confuso, fazendo com que fique uma bagunça e pode até chegar a falência da
empresa.
6 O QUE FAZER PARA QUE ISSO NÃO ACONTEÇA?

1. Organize-se
Antes de falar das ações práticas propriamente, é imprescindível que o
empreendedor busque se organizar. Aliás, organização é a palavra chave para manter
o bom controle financeiro, seja ele pessoal ou empresarial. Somente empreendedores
que são organizados conseguem driblar a correria do dia a dia e pagar as contas sem
usar o caixa da empresa, que ao final, parece ser sempre a opção mais cômoda. Por
isso, antes de tomar qualquer atitude, busque se organizar ao máximo para separar o
caixa da sua empresa do seu caixa pessoal.

2. Não pague contas pessoais com o dinheiro da empresa


Essa dica parece óbvia e simples, no entanto, é justamente com atitudes
pequenas e aparentemente inofensivas que a mistura de contas ocorre. Começa
geralmente assim: em um dia atribulado, entre uma reunião e outra, você para no
posto de gasolina e usa o cartão da empresa. Ao voltar para o escritório, lembra-se
que é o dia de pagar o condomínio do prédio, e sem titubear, pede para a secretaria
fazer isso por você. O dia acaba e obviamente você não transfere aquelas quantias
para a contada empresa e quando vê, ela está no vermelho indicando um enorme
buraco financeiro.
Em hipótese alguma utilize o cartão, conta online ou até a secretaria para pagar
contas ou despesas que não sejam da empresa. Da mesma forma, não retire dinheiro
do caixa com essa finalidade. O caixa da empresa e suas movimentações devem
refletir única e exclusivamente as despesas e custos da empresa e são dados
fundamentais para o controle e a contabilidade.

3. Defina um pro labore para os sócios


Um dos erros mais comuns praticados por empreendedores é ir retirando
dinheiro do caixa da empresa de acordo com as suas necessidades pessoais. Porém,
muitos não se atentam ao fato de que, se o lucro da empresa está indo diretamente
para o seu bolso e o bolso dos seus sócios, naturalmente seu negócio não possui
investimentos, o que prejudica o seu desenvolvimento. Para evitar esse tipo de
problema o ideal é estabelecer um pro labore para os sócios, ou mesmo para você,
caso você seja um empreendedor individual.
Além do pro labore, os sócios também podem definir retiradas com base na
antecipação dos lucros. O importante é apenas ter em mente que, os recursos que
servem para remunerar os sócios, servem também para se investir na empresa. Por
isso, esse montante deve ser avaliado com critério, para suprir não apenas as
necessidades individuais, mas também as da empresa.

4. Otimize o controle financeiro


Sim, muitas vezes as contas empresariais se misturam com as contas pessoais
porque fazer o controle financeiro é uma atividade que demanda tempo e o
empreendedor acaba postergando para atender as necessidades mais imediatas do
seu negócio. Não existe problema nenhum em pedir auxílio de um profissional de
confiança que auxilie você a fazer esse controle. Isso pode ser uma ótima ideia.
Outra dica é utilizar os aplicativos de contabilidade online, que ajudam você a
organizar todas as informações financeiras da sua empresa, já que esses dados
também possuem impactos contábeis. Além de facilitar o recolhimento de impostos,
organizar folha de pagamentos, realizar relatórios contábeis, esses aplicativos
costumam ajudá-lo a organizar e monitorar seu caixa.

5. Separe suas finanças pessoais e empresa


Separar sua conta corrente da conta da sua empresa é uma das principais
atitudes que auxiliam o empreendedor a não misturar contas pessoais com as contas
da empresa. O custo da manutenção de uma conta exclusiva para o seu negócio é
um investimento que vai ajudar a manter sua saúde financeira, de maneira mais fácil
do que organizando através de planilhas.
Com contas separadas, você já possui uma separação física dos caixas, o que
facilita na administração de forma individual.

6. Crie reservas pessoais e para a sua empresa


Tanto empresas como pessoas passam por momentos de instabilidade que
podem significar prejuízos. Em momentos como esse, é muito comum que
empreendedores se socorram do caixa da empresa para salvar sua conta bancária.
Porém, isso pode prejudicar e muito seu negócio. Para driblar esse tipo de
adversidade, tanto o empreendedor como a empresa devem ter reservas financeiras.
A cada retirada ou a cada pro labore, tenha em mente que um percentual dele deve
servir para as suas reservas pessoais. Da mesma forma, o dinheiro que sobra no caixa
da empresa deve ser investido em um fundo, poupança ou outra forma de rendimento,
para auxiliar que em momentos de dificuldade a empresa tenha maior fôlego
financeiro para enfrentá-las.
O grande motivo da confusão de caixas ocorre pela falta de organização e pela
rotina atribulada que a maioria dos pequenos empreendedores possui. Cuidados
básicos, no entanto, devem se tornar práticas cotidianas para evitar esse tipo de
problema. Com contas separadas, a chance de prosperidade para empreendedores e
empresas é bem maior!
7 CONCLUSÃO

Um dos principais motivos que leva uma empresa a ir a falência, além da


mistura das contas pessoais e empresariais, é o mal gerenciamento, pois não há um
planejamento correto fazendo com que não saibam resolver os problemas quando
aparecem. Outro motivo é o empresário ficar focado na área financeira, visando
sempre o dinheiro e deixando de investir em outras áreas fundamentais na empresa.
É possível notar que o objetivo do controle financeiro é claramente visando na
evolução da empresa, para evitar a desordem financeira que pode acarretar em um
endividamento que, consequentemente, pode chegar à falência. Com isso, conclui-se
que é essencial fazer esse tipo de planejamento para aumentar a eficiência do seu
negócio, se antecipando mediante a concorrência e até mesmo de possíveis crises.
É importante colocar em prática algumas ações para impedir que as contas
pessoais e empresariais se confundam. Pois não saber como separar as contas do
seu negócio das suas próprias, além de prejudicar a saúde financeira da sua empresa,
pode colocá-la em sérios riscos. Infelizmente, muitos empreendedores só percebem
a dimensão do problema quando a empresa vai mal e está prestes a quebrar.
8 REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/3353/1/PB_EGCF_IX_2014_03.p
df. Acesso em: 18/04/2020.

https://administradores.com.br/artigos/qual-a-importancia-do-controle-financeiro-
para-as-empresas. Acesso em: 16/04/2020.

https://administradores.com.br/noticias/10-principais-motivos-que-levam-uma-
empresa-a-falencia. Acesso em: 19/04/2020.

https://administradores.com.br/producao-academica/micro-e-pequenas-empresas-a-
mistura-das-contas-pessoais-e-empresariais. Acesso em: 20/04/2020.

https://blog.contaazul.com/como-fazer-controle-financeiro-pequena-empresa. Acesso
em: 16/04/2020.

https://exame.abril.com.br/pme/5-motivos-que-levam-os-empreendedores-ao-
fracasso/. Acesso em: 19/04/2020.

https://exame.abril.com.br/pme/o-que-leva-uma-empresa-a-fechar-e-como-evitar-
isso/. Acesso em: 19/04/2020.

https://gestaoclick.com.br/blog/como-melhorar-o-controle-financeiro-de-pequenas-
empresas. Acesso em: 15/04/2020.

https://osayk.com.br/separar-as-financas-pessoais-e-empresa/. Acesso em:


20/04/2020.

https://www.monde.com.br/blog/contas-fisicas-juridicas/. Acesso em: 21/04/2020.

Você também pode gostar