Você está na página 1de 3

1

MECÂNICA QUÂNTICA 2 (PÓS) – 2014/2

Lista de Exercı́cios no 7 – Aplicações da quantização do campo eletromagnético

1. Emissão espontânea e aproximação de dipolo:


A teoria de perturbação diz que a probabilidade de transição de um estado i para um estado f
por intervalo de tempo é dada pela famosa regra de ouro de Fermi:

wi→f = |hf |Hint |ii|2 δ(Ef − Ei ).

onde Hint é o termo de interação entre o campo eletromagnético e a matéria (independente
do tempo). Estamos interessados em calcular o tempo de meia-vida de um estado atômico
excitado, que decai por meio de emissão espontânea de um fóton. Assim, vamos associar o
estado inicial |ii a um estado eletrônico |Ai com zero fótons e o estado final |f i a um estado
eletrônico |Bi e um fóton de energia h̄ω como número de onde k emitido no elemento de ângulo
sólido dΩ.
(a) Mostre que número de estados permitidos em um intervalo de energia [h̄ω, h̄(ω + dω)] para
estes fótons é
V ω 2 dΩ
ρh̄ω,dΩ = .
(2π)3 hc3

(b) A regra de ouro de Fermi fica então



wdΩ = |hB|Hint |Ai|2 ρh̄ω,dΩ

onde h̄ω precisa satisfazer EA = EB + h̄ω. Usando a expressão de quantização do potencial
vetor, mostre que
2
2π e2 h̄ X V ω 2 dΩ
wdΩ = hB|eik·xi (α) · pi |Ai .

h̄ 2m2 ωV
i
(2π)3 hc3

onde i representa uma soma sobre os elétrons do sistema atômico.


(c) Aproximação de dipolo. Para processos radiativos na faixa do visı́vel o comprimento de
onda do fóton emitido é muito maior que a escala de tamanho de um átomo. Ou seja,
1/k  ratomo . Use este fato e considere o caso de um átomo de hidrogenóide (apenas um
elétron de valência) para mostrar que:
e2 ω
(α) 2

wdΩ =
hB|p|Ai ·  dΩ.
8π 2 m2 h̄c3

(d) Mostre que


im
 

hB|p|Ai = B [H0 , x] A = imωhB|x|Ai

o que mostra que este processo está associado a uma transição de dipolo elétrico, E1.
2

(e) Para não deixar dúvidas a respeito da última afirmação, mostre que o elemento de matriz
hB|x|Ai fornece a seguinte regra de seleção:
|JA − JB | = 1 ou 0 ; com 0 → 0 proibida.

(f) Integrando sobre todas orientações do vetor de polarização, mostre que a taxa de emissão
espontânea é dada por
4 ω 3 2
ω= α hB|x|Ai
3 c2

onde α = e2 /(hc) é a constante de estrutura fina.


(g) Opcional: Para quem quiser levar o cálculo até o final. O tempo de meia vida de um
estado A é dado por
1 X
= ωA→B .
τA B

Para o decaimento radiativo E1 de um átomo hidrogenóide a partir de um estado com


números quânticos A = (n, l, m) para os estados B = (n0 , l0 , m0 ), onde m0 = m, m ± 1,
obtem-se
e2 ω 3
( ) Z 2 (
((l + 1)/(2l + 1) ∞ l+1
3
para l0 =
X
ωA→B = dr r Rn0 l0 (r)Rnl (r) ,
m0
3πh̄c3 l/(2l + 1)
0 l−1

onde Rnl (r) é a função de onda eletrônica radial com números quânticos n e l de um átomo
de hidrogenóide. Para o caso mais simples, obtemos
τ (2p → 1s) = 1.6 × 10−9 s.

2. Opcional: Efeito fotoelétrico para o átomo de hidrogênio


Considere o processo
ν + H −→ p + e
onde um fóton ν incide sobre um átomo de hidrogênio no estado fundamental. Ao final, o fóton
é aniquilado e o átomo ionizado, dando origem a um próton p e um elétron e.
(a) Descreva o balanço de energia e momento do processo. Suponha que o fóton incidente possui
energia suficientemente grande para que possamos aproximar o estado final do elétron por
uma onda plana. Represente o estado inicial e o estado final do processo.
(b) Usando a teoria quântica da radiação mostre que o elemento de matriz de transição em
ordem mais baixa
e
M= hf |p · A|ii
mc
é dado por
s
e 2πh̄ h̄ 1 1
M = 8π (kf · ) 5/2 2
.
m ω V a0 (1/a0 + q 2 )2
onde a0 é o raio de Bohr,  é a polarização do foton incindente e h̄q é a diferença entre o
momento final do elétron hkf e o momento do fóton incidente h̄k, ou seja, q = kf − k.
3

Dicas: Uma vez que razão entre massa do próton M e a do elétron m é M/m  1,
suponha que P 2 /2M  p2 /2m. A função de onda eletrônica do estado fundamental do
√ 3/2
átomo de hidrogênio é dada por ψ(r) = ( πa0 )−1 exp(−r/a0 ), onde a0 é o raio de Bohr,
a0 = h̄(me2 ).
(c) Use a regra de ouro de Fermi e dσ = dW/(c/V ) para mostrar que a seção de choque
diferencial é
e2 sin2 θ sin2 φ
!
dσ h̄ c 1
= 32
dΩ h̄c mc ω (|kf |a0 )5 [1 − (v/c) cos θ]4
onde as coordenadas esféricas θ e φ foram escolhidas de forma que o fóton incidente tem
momento ao longo do eixo z e polarização ao longo do eixo x.