Você está na página 1de 10

Manual de Segurança em Casa

Os bebés desenvolvem-se com grande rapidez. Quando pensamos que ainda não se
mexem, já rebolam. Pouco depois sentam-se, gatinham, e rapidamente se põem de pé
apoiando-se em qualquer objecto que lhes surja pela frente. Passado pouco tempo,
andam, trepam, e a exploração da casa torna-se cada vez mais divertida. Se não forem
tomadas as devidas precauções, a aventura de crescer pode ter consequências
indesejadas e mesmo graves.
No primeiro ano de vida, 80% dos acidentes são quedas de sofás, da cama dos pais, do
carrinho que ficou com o cinto aberto, de escadas, etc…

A casa deve por isso ser preparada com antecedência tendo em conta a previsibilidade
dos comportamentos e da curiosidade de uma criança saudável.

É importante ter método e ver o mundo pelos olhos das


crianças, passando a pente fino cada divisão da casa,
com atracções escondidas aos olhos dos adultos como
tomadas que brilham por debaixo das mesas ou botões
caídos debaixo da cómoda. Pense, por exemplo, onde é
que tem os produtos tóxicos e se não será melhor
colocar cancelas nas escadas ou à entrada e saída das
divisões mais perigosas da casa, como a cozinha,…

A Casa

Móveis e quadros

Evite toalhas de mesa, fios de candeeiros ou outros objectos soltos que possam servir de
suporte para a criança se pôr de pé.

Todos os móveis, estantes ou prateleiras deverão estar bem fixos à parede de forma a
não tombarem sobre a criança se esta se apoiar neles ou tentar trepar.

Evite móveis de vidro ou com tampos soltos.

Proteja os cantos mais agressivos, sobretudo os que se encontram ao nível da cabeça da


criança.

No quarto evite quadros pesados com vidro, prefira posters ou gravuras leves e
certifique-se que estão bem fixos, sem risco de tombarem sobre a criança enquanto
dorme ou brinca.

Não coloque a cadeirinha ou a alcofa do bebé sobre os móveis. É preferível pousá-lo no


chão para eliminar o risco de queda. De qualquer forma, mantenha os cintos sempre
apertados.

Espreite regularmente para baixo dos móveis para detectar eventuais perigos antes da
criança o fazer - botões, moedas ou tampas de caneta desaparecidos, tomadas brilhantes
desprotegidas, extensões eléctricas esquecidas, etc…
Tomadas, candeeiros e aquecedores
As tomadas deverão estar a mais de 1,50 m de altura e longe da cama ou da cómoda
sobre a qual muda o bebé. Se tal não for possível, as tomadas deverão estar sempre
protegidas com dispositivos bem adaptados ao seu tamanho e que só possam ser
retirados com a ajuda de uma ferramenta própria. Elimine fios soltos e extensões. Já
agora lembre-se que as tomadas nas casa de banho são um risco acrescido.

Se as tomadas não têm um mecanismo de protecção próprio (se não exigem dois
movimentos coordenados para ligar uma ficha), é conveniente usar protecções para
tomadas que só possam ser retiradas com a ajuda de uma pequena chave ou outro
instrumento. Estes protectores devem adaptar-se
perfeitamente à tomada e ser dificeis de retirar com os dedos
mesmo para um adulto. Se estiverem folgados e forem
facilmente retirados pelos dedos hábeis das crianças, podem
constituir um risco de asfixia.

Não cubra os aquecedores ou os candeeiros pois existe um


perigo real de incêndio. Mantenha os aquecedores afastados
de cortinas, sofás, qualquer tecido e, obviamente, longe da
cama do bébé. Não use aquecedores a gás nos quartos de
dormir.

Escadas
As escadas devem ser protegidas com "barreiras de segurança" (cancelas), cujo sistema
de abertura e fecho seja dificilmente manejável por uma criança e periodicamente
verificado o seu funcionamento.
As cancelas devem estar fixadas correcta e solidamente, na parte de cima e de baixo das
escadas (não apenas no topo), e não dispensam a vigilância
activa da criança.

Não devem ser escaláveis (a distância entre a trave inferior e


a trave superior não deve ser inferior a 65cm) e a distância
entre prumos deve ser de 6,5cm.
Ao adquiri-las no mercado verifique que obedecem ás normas
de segurança europeias.
Nunca é demais lembrar que os andarilhos são causa
frequente de quedas em escadas, mesmo na presença do
adulto e da cancela que alguém se esqueceu de fechar.

Janelas
Proteger as janelas com "limitadores de abertura" (abertura
máxima 10cm), permite que o ar circule e evita que a criança
possa cair. Estes dispositivos variam consoante o tipo de janela e
devem necessitar de dois movimentos coordenados para que seja
possível a sua abertura, a fim de dificultar o seu manuseamento
por crianças pequenas.
Varandas
Verifique que a guarda de protecção tem no mínimo 110cm de altura e que não há
hipótese de escalada.
As guardas com travessas horizontais facilitam e convidam a criança a trepar enquanto
as verticais dificultam. Não deve ser possível que a criança passe por baixo ou através da
guarda.
A distância entre os prumos não deverá ser superior a 10cm.

Cadeiras para dar de comer ao bébé


Se utiliza uma cadeira alta para dar de comer ao bébé,
verifique a sua estabilidade, encoste-a à parede e aperte
o cinto, utilizando de preferência um tipo de arnês que
passa sobre os ombros da criança.

Não deixe o bebé sozinho e caso tenha mais crianças


pequenas por perto a atenção deve ser redobrada, pois
facilmente poderão desequilibrar a cadeira.

Electrodomésticos
Electricidade e água não combinam bem - todos os electrodomésticos e tomadas situados
na casa-de-banho, na cozinha ou até mesmo na sua garagem devem ser objecto de mais
cuidado.

Não deixe a criança servir-se de electrodomésticos antes de ter maturidade e idade para
tal. De qualquer maneira, as primeiras vezes que se serve deles deverá ser com
supervisão dos adultos, até aprender a utilizá-los com todas as precauções e dando todos
os passos com segurança. E já agora, depois de utilizar os aparelhos não os deixe ligados
ou por arrumar. Desligue-os da tomada, enrole o fio e não o deixe ao alcance das
crianças.

Lembre-se que nunca se deve mexer em aparelhos eléctricos com as mãos húmidas,
mesmo em situações tão simples como acender uma luz num interruptor.

Cremes, medicamentos e fraldas

Os cremes, água de colónia e medicamentos que habitualmente usa para o bébé deverão
estar sempre bem fechados e fora do seu alcance, mesmo quando está a vesti-lo ou a
mudá-lo.

Recorte e elimine as embalagens de fraldas ou outros sacos de plástico, antes de os


deitar fora, para evitar o risco de asfixia.
Pulseiras, fios e colares

A partir dos 4 meses tire todos os aneis e pulseiras aos seus filhos.

É necessário que tenha algum cuidado com as pulseiras, fios e colares largos que as
crianças mais velhas e adolescentes usam: se, quando correm ou brincam, estes
adereços ficam presos em algum objecto mais pontiagudo pode dar-se um
estrangulamento, no caso dos colares, ou viragem rápida com torsão e eventual fractura
ou lesão muscular, no caso das pulseiras. Se os usarem devem estar justos, sem ser
obviamente demasiado apertados.

Parque

Se a casa for segura, o parque poderá servir para guardar lá dentro todos os perigos e
dar dessa forma, mais liberdade à criança. Se tiver mesmo que pôr a criança num
parque, escolha um modelo o mais espaçoso possível e que obedeça às normas de
segurança europeias, não escalável, sem aberturas onde se possa prender um botão, a
corrente da chupeta, etc…

Use-o por períodos de tempo curtos e só mesmo quando for indispensável.

Brinquedos
Os brinquedos devem ser adaptados à idade da criança e ao tamanho do seu quarto.

Para os seus filhos mais pequenos, escolha brinquedos laváveis, leves, sem peças
pequenas ou arestas e que estimulem a criatividade da criança. Tenha cuidado com os
brinquedos dos irmãos mais velhos. A arca ou caixa dos brinquedos não deve ter uma
tampa pesada ou que possa cair sobre a criança.

É importante que cada criança tenha e reconheça um espaço para os seus próprios
brinquedos. Habitue-a desde pequena a arrumá-los, pois os brinquedos desarrumados
são uma das grandes fontes de acidentes tanto para as crianças como para os adultos.

Outros conselhos:

- No caso das crianças com menos de 3 anos, os objectos e brinquedos devem ter um
diâmetro superior a 32 mm.

- Esteja atento às partes soltas dos brinquedos, e aos


fios compridos que possam sufocar a criança.

- A supervisão dos adultos e mesmo a sua participação


nas brincadeiras das crianças pode ajudar a reduzir
alguns riscos.

- Ao comprar um brinquedo ou jogo a pilhas, tenha a


certeza que o seu compartimento está bem vedado e
que é difícil a abertura pela criança.
Andarilhos

O problema mais temível são os acidentes. O número de casos de acidentes graves


ocorridos em crianças durante o uso de "aranhas" é
muito preocupante. Estes vão desde as quedas para a
frente (quando o bebé faz força na parte da frente da
"aranha") com traumatismo da face e do crânio aos
afogamentos (quando a aranha é usada no exterior perto
de piscinas).

"Não aos andarilhos!" - Se não comprou não compre. Se


já tem um deite-o fora mas de maneira a que não possa
ser usada por mais ninguém. As crianças agradecem. Em
nome da segurança, da saúde e do seu bem-estar.

Produtos tóxicos

- Mantenha os tóxicos e medicamentos fora do alcance das crianças;

- Não misture medicamentos diferentes no mesmo frasco;

- Não guarde os medicamentos ou outros produtos tóxicos em frascos que não sejam os
do próprio medicamento, pode enganar a criança e levá-la a pensar que se trata de
água ou de sumo;

- Não deixe embalagens semi-abertas ou em locais acessíveis, nem que seja só por cinco
minutos;

- Devolva os restos de medicamentos na farmácia. Nunca os deite no lixo normal ou


noutros locais onde as crianças possam ter acesso;

- Deite as embalagens vazias de produtos de limpeza nos


contentores próprios para o efeito que algumas autarquias
já dispõem;

- Tenha especial cuidado quando a criança vai visitar outras


pessoas que possam não ter crianças em casa;

- Tenha especial atenção ás situações em que há mudança


das rotinas caseiras;

Sempre que comprar produtos tóxicos ou corrosivos, escolha


aqueles que possuam tampa de segurança.
Pilhas eléctricas

Existem cinco grandes tipos de acidentes relacionados com pilhas:

1. Fugas de líquidos electrólitos, tendo como consequência as queimaduras na pele e


mucosas (por vezes nos olhos).

2. Intoxicação por ingestão, especialmente por crianças pequenas.

3. Explosão da pilha, com consequências imediatas de queimaduras, lesões faciais e


particularmente oculares.

4. Ingestão das pilhas em forma de botão, com perfuração química do aparelho digestivo
ou bloqueio do tubo digestivo, ou aparelho respiratório se a pilha for aspirada.

5. Introdução no nariz e no canal auditivo. Devemos saber que as pilhas eléctricas não
são brinquedos nem objectos inofensivos. Basta pensar que, se uma ou duas pilhas
conseguem pôr a funcionar um jogo, um rádio ou até um computador, é porque contém
elementos com muito poder, tanto mais concentrado quanto mais pequena for a sua
dimensão.
Devemos evitar que as crianças mexam nas pilhas e habituá-las a, se precisarem de
mudar pilhas de algum aparelho, pedirem aos pais ou a um adulto para o fazer.

Lembre-se que não deve deitar as pilhas no lixo, mas sim nos locais próprios.

Armas de fogo
O melhor é não as ter, mas se as tiver descarregue-as e feche-as a "sete chaves!"

Cuidados a ter:

- Tenha o número mínimo de armas em casa, o ideal é zero;

- Uma arma nunca deve estar carregada, a não ser no momento da utilização;

- As armas, mesmo descarregadas, devem estar bem fechadas, em armários com


cadeados a que só os adultos têm acesso;

- As balas e cartuchos devem ser guardados noutro local, longe da arma, também
fechados à chave;

- As pressões de ar, consideradas armas de recreio, não devem ser oferecidas a crianças
porque são perigosas, sobretudo quando utilizadas sem supervisão;

- O poder de uma arma nunca deve ser sub-estimado e esta não pode ser tratada como
se fosse um instrumento inocente;

- Nunca se deve apontar uma arma a uma pessoa mesmo que esteja descarregada e isso
seja feito no contexto de uma brincadeira;
- Se os pais querem ensinar a arte da caça aos filhos devem fazê-lo com grande cuidado,
ensinando as regras de segurança e os perigos, desde a exposição a outros caçadores
até à ingestão de álcool com o respectivo risco acrescido de acidente;

- As crianças têm de saber que as armas podem matar e matam mesmo, ainda que na
televisão isso não seja tão explícito e a mensagem dos filmes e dos desenhos animados
possa ser muitas vezes equívoca;

- As crianças devem aprender desde muito cedo que os conflitos se devem resolver
pacífica e democraticamente, através da argumentação ou da diplomacia e não com
armas;.

O Quarto
Camas e berços

A cama deve ser sólida e estável, sem arestas nem qualquer saliência onde possa ficar
preso um botão da roupa do bébé, a corrente da chupeta ou qualquer outro adereço. As
grades devem ter uma altura mínima, pelo interior, de 60 cm e não devem ter aberturas
superiores a 6 cm. O colchão deve ser firme e estar bem ajustado ao tamanho da cama.
Certifique-se de que a cama obedece às normas de segurança europeias.

Dentro da cama, deite o bébé de costas, sem almofadas ou brinquedos, para evitar o
risco de asfixia, ou, mais tarde, para que não possam servir de degrau e provocar uma
queda.

Beliche

Evite deitar crianças com menos de seis anos no beliche de cima e assegure-se da
existência de uma grade de segurança nos lados abertos. Esta grade deve ser estável e
ter uma altura mínima de 16 cm em relação à parte superior do colchão, estavelmente
colocada.

Móvel para mudar o bébé

A muda do bébe deve ser feita com tudo aquilo de que precisa à mão. O bébé não pode
ficar sozinho nem por um segundo; num instante ele rebola e pode cair. Mantenha
sempre uma mão sobre a criança enquanto a veste ou despe.

O móvel para mudar o bébé deve ser estável e ter o rebordo elevado. Se for comprar um
móvel para mudar o bébé, verifique se este obedece às normas de segurança europeias.
Casa de banho
Banheira

Antes de começar a dar banho verifique a temperatura da água. Comece sempre por
deitar primeiro a água fria e só depois a água quente. Coloque um tapete anti-derrapante
na banheira e lembre-se que os bébés ficam mais "escorregadios" com o sabonete e os
óleos de limpeza. Ao colocar o bébé na banheira a cabeça deve estar sempre no lado
oposto às torneiras e nunca o deixe sozinho, mesmo que a quantidade de água seja
muito pequena.

Basta meio palmo de água para uma criança se


afogar. As "cadeiras de banho" para bébés
devem ser evitadas porque são instáveis,
podem voltar-se a qualquer momento e dão
uma falsa sensação de segurança. Se não
resiste ao telefone, desligue-o antes de
começar a dar banho ou então tenha um
telefone sem fios ao pé de si. Mesmo assim,
mantenha-se atento.

Esquentadores

Nunca tenha o esquentador na casa-de-banho. Se for o caso, retire-o e coloque-o num


local bem ventilado para evitar a acumulação de gases tóxicos.

A Sala
Fontes de aquecimento

As lareiras, radiadores e outras fontes de aquecimento devem estar devidamente


protegidas.
Devemos ter o
cuidado de manter
as janelas ou portas
abertas em
habitações onde há
fogões a lenha ou
lareiras, assim
teremos uma boa
ventilação.
A Cozinha
Fogão

Na cozinha o bébé pode queimar-se gravemente na porta do forno sobretudo quando


começa a por-se de pé e andar, são frequentes e graves as queimaduras da palma da
mão quando o bébé se apoia.

Enquanto cozinha tenha atenção aos alimentos líquidos muito quentes, ás pegas dos
tachos, panelas e frigideiras, se eles ficam voltados para fora pode acontecer um
acidente grave. Evite cozinhar com o bébé ao colo.
As saídas e exaustores dos aparelhos (chaminés, etc) devem ser periodicamente
vistoriadas, a fim de evitar incêndios.

Fornos micro-ondas

Quando aquecer o biberão no micro-ondas, verifique


sempre a temperatura do leite porque o vidro pode ficar
morno e o leite a ferver. O biberão ou recipiente tapado
pode fazer com que, quando retira a tampa, o líquido
fervente salte e queime a cara e as mãos.

Quando aquecer a papa do bébé no micro-ondas deve


mexer muito bem para misturar o seu conteúdo e tornar
a temperatura homogénea.

O aquecimento de alimentos que têm uma parte sólida e uma parte líquida pode
provocar queimaduras graves.

As facas, as latas e os copos de vidro

Na cozinha devemos ter um especial cuidado com os objectos cortantes. É aqui que na
maior parte das vezes usamos facas, abrimos latas e partimos copos, criando as
condições perfeitas para os ferimentos por corte. È fundamental que as facas, as latas e
os copos de vidro estejam fora do alcance de crianças, não só porque podem não saber
usá-las convenientemente, mas porque podem querer utilizá-las nas brincadeiras com
outras crianças ou imitar os adultos.

Alimentação

Ao fazer a introdução da comida da família, tenha muita atenção aos alimentos duros e
lisos, como os amendoins, nozes e cenoura crua, que podem causar asfixia.

Nunca tente apagar um óleo em chama com água, pois poderá propagar o incêndio em
vez de o apagar.

Tenha um kit de emergência contra incêndio na cozinha, composto por um exaustor e um


cobertor adequado para abafar as chamas.
O Jardim
Garagem

Nunca deixe o motor do carro a trabalhar com a porta da garagem fechada ou em


qualquer espaço que não seja devidamente arejado.

Mantenha a sua garagem arrumada e sem objectos perigosos à vista ou ao alcance das
crianças.

Fonte desta Informação: